TRATADOS PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRATADOS PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL"

Transcrição

1 1 TRATADOS PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL Agostinho Toffoli Tavolaro * Í N D I C E 1 - O FENÔMENO DA BITRIBUTAÇÃO E SUA APRECIAÇÃO NO MUNDO JURÍDICO 2 - TRATADOS SOBRE TRIBUTAÇÃO 2.1 Tratados Multilaterais A rede mundial de TDT 3 OS MODELOS DE TDT 3.1 O modelo da Liga das Nações Londres O modelo da Liga das Nações México O modelo da Liga das Nações Londres O modelo da OECD até sua última versão de O modelo da ONU Os modelos dos EUA e Os comentários dos modelos OECD e EUA 4 OS TRATADOS NO DIREITO BRASILEIRO A competência para firmar tratados A supremacia dos tratados sobre a legislação interna A perda de eficácia dos tratados Os tratados sobre matéria tributária e o artigo 98 do CTN * - Advogado Sócio Diretor de TAVOLARO E TAVOLARO - ADVOGADOS Campinas - São Paulo. - Vice Presidente da IFA INTERNATIONAL FISCAL ASSOCIATION 1983/ Membro do Comitê Permanente Científico da IFA - INTERNATIONAL FISCAL ASSOCIATION Amsterdam Holanda (1990/2000). - Presidente da ABDF - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DIREITO FINANCEIRO (1996/1998) Atual Vice-Presidente Rio de Janeiro Brasil. - Acadêmico da Cadeira nº 14 da ABDT - ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO TRIBUTÁRIO Vice-Presidente São Paulo Brasil. - Professor de Direito Comercial na Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de Campinas - São Paulo Brasil.

2 2 5 OS TRATADOS ASSINADOS PELO BRASIL 6 - TRATADOS DE DUPLA TRIBUTAÇÃO E PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO 7 - ESTRUTURA DE UM TDT Pessoas visadas Impostos abrangidos Definições gerais Domicílio fiscal Estabelecimento permanente Rendimentos de bens imobiliários Lucros das empresas Rendimento da navegação marítima e aérea Empresas associadas Dividendos Juros Royalties Ganhos de capital Rendimentos de serviços profissionais autônomos Rendimentos de serviços decorrentes de relação de emprego Remuneração de direção Rendimentos de artistas e atletas Pensões e anuidades Pagamentos governamentais Professores e pesquisadores Estudantes e aprendizes Outros rendimentos Tributação do capital Métodos para evitar a dupla tributação Não discriminação Procedimento amigável Troca de informações Funcionários diplomáticos e consulares Entrada em vigor Denúncia 8 PARAÍSOS FISCAIS

3 3 9 ABUSO DE DIREITO 9.1 Abuso de Direito no Direito Brasileiro 9.2 Abuso dos TDT na OECD 10 TREATY SHOPPING Conceito de Treaty Shopping 10.2 A noção de Beneficiário Efetivo 10.3 Formas de Treaty Shopping 10.4 Medidas preventivas contra o Treaty Shopping 10.5 Cláusulas impeditivas de TDT Cláusula Geral de Boa Fé (General bona fide provision) Cláusula de Atividade (activity provision) Cláusula Quantitativa (amount of tax provision) Cláusula de Cotação em Bolsa (stock exchange provision) Cláusula de Exclusão Alternativa (alternative relief provision) O Treaty Shopping e a União Européia 11 A Norma Anti-Elisão no Brasil 12 - CONCLUSÃO

4 4 TRATADOS PARA EVITAR A DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL 1 - O FENÔMENO DA BITRIBUTAÇÃO E SUA APRECIAÇÃO NO MUNDO JURÍDICO Preocupação a que o incremento do comércio internacional e da consequente ativação do fluxo de investimento entre nações veio dar maior relevo, é o fenômeno da bitributação 1. Se já nas estreitas lindes de cada país ela se apresenta como fator da mais alta importância para o desenvolvimento das relações econômicas internas, seu peso específico cresce geometricamente na razão direta do volume de transações entre cidadãos e residentes de vários Estados e dos investimentos que se efetuam além fronteiras. Naturalmente, o fenômeno da bitributação internacional, que se caracteriza pela imposição de tributos semelhantes em dois ou mais Estados sobre um mesmo contribuinte a respeito de um mesmo fato gerador e em períodos idênticos 2 não poderia passar desapercebido no mundo jurídico, havendo suscitado inúmeros estudos 3 que o situam como 1 Não é nova, contudo a preocupação. Leia-se em IFA (International Fiscal Association) o Jubilee Book da entidade, de autoria de WILLIAM DIRKSEN (Kluwer Law and Taxation Publishes - Deventer ) um escôrço histórico do período que antecedeu à sua fundação e a referência aos trabalhos de SELIGMAN - "Double Taxation and International Fiscal Cooperation", publicado em 1928 e SPITALER - "Das Doppelbesteuerungsproblem bei den direkten Steuern", publicado em 1936, bem como o fato de haver sido a dupla tributação objeto de discussões nos congressos de 1907 e 1908 da International Law Association (ILA). Ressalte-se outrossim, que se aponta 1843 como o ano da primeira convenção internacional sobre matéria fiscal, entre a Bélgica e a França. 2 Model Double Taxation Convention on Income and on Capital - Report of the OECD Committee ou Fiscal Affairs Organization for Economic Coperation and Development- Paris pág. 7. De extrema utilidade o texto comparativo dos Modelos de TDT OECD 1963 e OECD 1977/2001, EUA 1996 e ONU 2001, in KEES VAN RAAD, Materials on International & EC Tax Law, Leiden : International Tax Center, 2002, 2 ª Ed., estando anunciada para o presente ano a publicação de sua 3 ª edição, já contendo o Modelo OECD 2003, bem como The 1996 United States Modelo Income Tax Convention, de Richard L. Doernberg e Kees van Raad, Kluwer, The Hague, 1997, e a tradução portuguesa Modelo de Convenção Fiscal sobre o Rendimento e Patrimônio, de Teresa Curvelo e de Salomé Rebelo, Lisboa, Centro de Estudos Fiscais, Os iniciantes no estudo da dupla tributação internacional e do Direito Tributário Internacional sempre indagam da literatura sobre a matéria. Oportuno, assim, aqui apontar: AMARAL, Antonio Carlos Rodrigues do e YAMASHITA, Douglas Norma Antielisão : Tributação de lucros no Exterior. Disponibilidade de Renda e Tratados Internacionais in Direito Tributário Homenagem a Alcides Jorge Costa, Coord. Luis Eduardo Schoueri, Quartier Latin : S.Paulo, 2003, vol.ii, p.893; AMICO, Joseph C.. - Brazil: Developing and Implementing Tax Treaty Policy: The Tax Sparing Clause BIFD /8-9 p.408; AMORÓS RICA, Narciso. O Período e o Nascimento da Relação Tributária no Imposto Espanhol sobre a Renda da Pessoa Jurídica. Trad MACHADO, Brandão. In Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro : Forense, 1988 p.518.

5 5 ANAN Jr. Pedro. Inconstitucionalidade da tributação de lucros auferidos no exterior MP /01 e INSRF213/02 RDDT junho/2003, 93/69. ATCHABAHIAN, Adolfo. Derecho Tributario Internacional. in Tratado de Tributación, Tomo I, Derecho Tributário, Vol. 2, Director HORACIO A.. GARCIA BELSUNGE, B. Aires : Astreia, 2003, p BARROS, José Fernando Cedeño de. Monismo e dualismo - Tratados internacionais e o direito interno brasileiro à luz da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal. Interpretação do art. 98 do Código Tributário Nacional. in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas. Academia Brasileira de Direito Tributário, Revista dos tribunais : S. Paulo, no.27, abril-junho 1999, p.79. BASALDUA, Ricardo X. La Regionalización. Aspectos Generales. in Tratado de Tributación. Tomo II, POLÍTICA Y ECONOMIA TRIBUTARIA. Vol. 2. Director VICENTE O. DIAZ. B. Aires : Astreia, 2004, p. 41. BEUX, Carla. Tratados e convenções internacionais em matéria tributária. "in" Direito Tributário Atual - Coord, MARINS, James e MARINS, Gláucia Vieira. Curitiba : Juruá, 2000, p BOOUAERT, Ignace Clayes. As Noções básicas do IVA nalguns acórdãos recentes do Tribunal de Justiça Europeu Lisboa ; BORGES, Antonio de Moura. Meios de Solução dos Conflitos Internacionais de Dupla Tributação. In Direito Tributário Atual, V 9, São Paulo : Resenha Tributária,1989, p BORGES, José Alfredo. Tratado Internacional em Matéria, Tributária como fonte de direito - Revista de Direito Tributário, /161; BUHLER, Otmar. Princípios de Derecho Internacional Tributário - Trad. Espanhola de Fernando Cervera Torrejon - Editorial de Derecho Financiero-Madrid-1968; CAMPOS, Dejalma. III JORNADAS TRIBUTÁRIAS DO MERCOSUL in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas. Academia Brasileira de Direito Tributário, Revista dos Tribunais: S. Paulo, no. 29, outubro/dezembro1999, p.202. CARVALHO, Paulo de Barros. O princípio da territorialidade no regime de tributação da renda mundial (universalidade). in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p.665. CASELLA, Paulo Borba - Direito Internacional Tributário Brasileiro, São Paulo, LTr, CEZAROTI, Guilherme. Lucros auferidos no exterior: a tributação do resultado da equivalência patrimonial pela IN SRF nº 213/02. RDDT, set/2003, 96/56. CHRISTIAANSE, Jan H. Recentes Progressos no Direito Tributário Internacional. Trad. MACHADO, Brandão. in Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro : Forense, 1988, p.428. COÊLHO, Sacha Calmon Navarro, DERZI, Misabel Abreu Machado e THEODORO JR., Humberto. Isenções Decorrentes de Tratados Internacionais Abrangência Aplicabilidade a Tributos Estaduais e Municipais. in Direito Tributário Contemporâneo, Revista dos Tribunais : S.Paulo, 1997, p.142. COÊLHO, Sacha Calmon Navarro. O imposto de renda - Progressividade - situação na Europa dos Doze (CEE) - Comparação com o Brasil - Rendimento para uma reforma tributária justa e eficaz. in Estudos Sobre o Imposto de Renda (Em memória de HENRY TILBERY). Coord. MARTINS, Ives Gandra da Silva. São Paulo : Resenha Tributária, Julho/94, p.145. CORABI, Giampaolo. L analisi della Dual Income Taxation e della tassazione dei redditti di capitale in raporto alla progressivitá IRPEF nel sistema tributario italiano (La Dual Income Tax tra modello puro e atipicità applicative nell Ordinamento italiano. in RTFP maio/junho/2002, 44/61 COSTA, Alcides Jorge. Rendimentos auferidos no exterior por pessoa jurídica. in Imposto de Renda Alterações Fundamentais. Coord. ROCHA, Valdir de Oliveira. São Paulo : Dialética, 1996, p.9. COULOMBE, Gérard. O Sistema Tributário Canadense e a Eliminação da Bitributação da Renda. Trad. MACHADO, Brandão. in Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense, 1988, p.233. DERZI, Misabel Abreu Machado. Federalismo, exoneração e os tratados e convenções internacionais. Nota de atualização a BALEEIRO, Aliomar, Limitações Constitucionais ao Poder de Tributar. 7 a. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1977, p. 409, nº 5.2 DIRKSEN, Willem. IFA - International Fiscal Association, Deventer : Kluwer, 1988 DORNELLES, Francisco Neves - A Dupla Tributação Internacional da Renda - Ed. Fundação Getúlio Vargas RJ ; DORNELLES, Francisco Neves. Brazil: The Relevance of Double Taxation Treaties for Developing Countries BIFD /8-9 p. 383; DORNELLES, Francisco Neves. O Modelo da ONU para eliminar a Dupla Tributação da Renda, e os Países em Desenvolvimento. in Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense,1988, p.195. FALEIRO, José Carlos. A Supremacia dos Acordos Internacionais Sobre a Legislação Interna. In Direito Tributário 5. Coord. SOUZA, Hamilton Dias de, TILBERY, Henry e MARTINS, IVES Gandra da Silva. São Paulo: José Bushatsky, 1977, p. 71. FANTOZZI, Augusto. Evoluzione, problemi attuali e prospettive del diritto tributário internazionale nell ottica italiana. in RTFP nov/dez/2002, 47/19.

6 6 FANTOZZI, Augusto. Il Principio Communitario Di Non Discriminazione Nell Imposizione Sul Reddito. in Dimensão Jurídica do Tributo Homenagem ao Professor Dejalma de Campos. Coord. Edvaldo Brito e Roberto Rosas. Meio Jurídico: S. Paulo, 2003, p.129. FIGUEROA. Antonio. H. La Doble Tributación Internacional en los Inicios del Siglo XXI. in Tratado de Tributación. Tomo II, POLÍTICA Y ECONOMIA TRIBUTARIA. Vol. 2, Director VICENTE O. DIAZ. B. Aires : Astreia, 2004, p. 41. GALLO, Franco e MELLIS, Giuseppe. L Elusione Fiscale Internazionale nei processi di integrazione tra state: L esperienza della comunitá europea. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p GODOI, Marciano Seabra de. Os Tratados ou Convenções Internacionais para evitar a Dupla Tributação e sua Hierarquia Normativa no Direito Brasileiro. in Direito Tributário Homenagem a Alcides Jorge Costa, Cord. Luis Eduardo Schoueri, Quartier Latin : S.Paulo, 2003, vol. II, p GONÇALVES, José Artur Lima. Planejamento tributário Internacional. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad: S.Paulo, 1998, p GOYOS, Durval de Noronha Jr. et al - Paraísos Fiscais - Observador Legal Ed.. Ltda. -SP ; GRECO, Marco Aurélio. Planejamento tributário: abuso de direito; limites e garantia da autonomia privada. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad: S.Paulo, 1998, p GRUPENMACHER, Betina Treiger, Tratados internacionais em matéria tributária e ordem interna, São Paulo, Dialética, 1999; HAMMAEKERS, Hubert. The source principle versus the residence principle. in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas, nº. 3, abril-junho 1993, p.164. HAMMER, Richard M. Fixação de preços para a Transferência de Mercadorias em face do Código de Impostos dos Estados Unidos. Trad. MACHADO, Brandão. in Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro : Forense, 1988 p.603. HUCK, Hermes Marcelo e LEITE, Fernanda Pereira. A elisão tributária internacional e a recente legislação brasileira. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p KNECHTLE, Arnold A. - Trad. Inglesa de W.E. Weisflog - Basic Problems in International Fiscal Law - Kluwer - Deventer Holanda -1979; LENZ, Raoul - Le Projet de Convention de La Haye Relatif a la Reconnaissance Internationale des Trusts. "in" Fiscalite Europeene - Revre nº ; LENZ, Raoul - Tax Law Interpretation-International Trends ABDF - Resenha 17/1.56-Set/Out/86; LENZ, Raoul. Elisão Fiscal e a Apreciação Econômica dos Fatos. Trad. MACHADO, Brandão. In Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense, 1988 p LINDECRONA, Gustav e NILS Mattson, Taxation in arbitration, Kluwer, Deventer, 1981; Klaus Vogel, On double taxation conventions, 3 ª ed., Kluwer, The Hague, LIST, Heinrich - Recent Cases of the German Supreme Tax Court on International Tax Law - BIFD- vol. 35, nº ; LOBO, Carlos Augusto da Silveira. Tax Treatment of Computer Software in Brazil - ABDF-Resenha 21/1.69-Maio/Junho/87; MACHADO, Hugo de Brito. Tratados e convenções internacionais em matéria tributária. in RDDT, junho/2003, 93/25 MARTHA, Rutsel Silvestre J. The Jurisdiction to Tax in International Law Kluwer - Deventer-Holanda ; MARTINS, Natanael. Tratados Internacionais em Matéria Tributária - Imposto de Renda - Estudos nº 20. Ed. Resenha Tributária SP - Junho/91 p.129; MAZZ, Addy. El impuesto al valor agregado. in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas. Academia Brasileira de Direito Tributário, Revista dos Tribunais: S. Paulo, nº 29, outubro- dezembro1999, p.14. MÉLEGA, Luiz. Os Tratados Internacionais e os Investimentos Estrangeiros no Brasil. in Temas de Direito Tributário Atual. V. 13. São Paulo: Resenha Tributária. Abril/1994, p. 97. MELLO, José Eduardo Soares de. O ICMS nas operações com o comercio exterior. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad: S. Paulo, 1998, p MERSAN, Carlos A. Sugestões para um projeto mundial de ajuda social. in RTFP set/out/2002, 46/41 MERSAN, Carlos A. Direito Tributário. Trad. CAMPOS, Dejalma. São Paulo: Resenha Tributária, 1985, p. 325 MESSINEO, Alejandro E. Transfer Pricing in Latin America : New rules in Mexico and Brazil. in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas, Revista dos Tribunais: S. Paulo, nº. 21, outubro-dezembro 1997, p NASCIMENTO, Salete. Despacho. Imposto de renda e contribuição social sobre o lucro apurado lucro apurado no exterior equivalência patrimonial MP 2158/35 IN 213/02. NOGUEIRA, Ruy Barbosa. Direito Tributário Comparado - Ed. Saraiva SP ; NOGUEIRA, Ruy Barbosa. Pareceres de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva, 1986, p. 77. NOGUEIRA, Ruy Barbosa. O Ensino da IFA, do IBDT/USP e as absurdas instruções da direção fiscal em São Paulo. in Direito Tributário Atual v.5. São Paulo :Resenha tributária. 1985, p. 899 NOGUEIRA, Ruy Barbosa. Tratados Internacionais em Matéria de Tributação. in Direito Tributário Atual. V. 3..São Paulo : Resenha Tributária p. 41 OTERO, JUAN. Fiscalidad International Espanola-Editorial de Derecho Financiero Madrid -1973; PIRES, Adilson Rodrigues. O Sistema Harmonizado e o valor aduaneiro como instrumentos de integração econômica - O Sistema Integrado de despacho aduaneiro de mercadorias. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p. 13.

7 7 PIRES, Manuel. Da Dupla Tributação Jurídica Internacional sobre o rendimento - Centro de Estudos Fiscais - Direção Geral das Contribuições e Impostos - Ministério das Finanças - Lisboa 1986; PIRES, Manuel. International Judicial Double Taxation of Income Kluwer Deventer Holanda -1986; PIRES, Manuel. Problemática do Direito Fiscal Internacional Lisboa ; REIMER, Ekkehart. Os efeitos das liberdades fundamentais do Tratado da Comunidade Europeia sobre o imposto de renda nos estados-membros da Comunidade. in Direito Tributário Homenagem a Alcides Jorge Costa, Coord. Luis Eduardo Schoueri, Quartier Latin : S.Paulo, 2003, vol.ii, p REZEK, José Francisco. Tratado e Legislação Interna em Matéria Tributária - Resenha ABDF 22/1.72; REZENDE, Condorcet. Recognition of Foreign Enterprises as Taxable Entities ABDF -Resenha 21/1.68-Maio/Junho/87; RIVIER, Jean-Marc. Le Droit Fiscal International - Droit Fiscal Suisse - Editions Ides et Calendes Neuchatel ; RODRIGUES, Alegria Borras e outros - Estudios de Doble Imposicion Internacional - Instituto de Estudios Fiscales - Ministério de Hacienda - Madrid ; ROTHMANN, Gerd W. Bitributação Internacional "in" Temas Fundamentais do Direito Tributário Atual - ANTONIO ROBERTO SAMPAIO DORIA e GERD W. ROTHMANN - Ed. CEJUP ; ROSEMBUJ, Tulio. Derecho Fiscal Internacional. IEFPA : Buenos Aires, ROTHMANN, Gerd W.. Bitributação Internacional. in Temas do Direito Tributário Atual. Belém : Cejup. 1983, p SCHOUERI, Luis Eduardo. Direito Tributário Internacional. Acordos de Bitributação. Imposto de Renda: Lucros auferidos por controladas e coligadas no exterior. Disponibilidade. Efeitos do art. 74 da MP nº Parecer. in Direito Tributário Atual, Dialética : S.Paulo, 2001, 16/161. SCHOUERI, Luís Eduardo. Planejamento fiscal através de acordos de bitributação. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p.585. SCHOUERI, Luis Eduardo. Tratados e Convenções Internacionais sobre Tributação. in Direito Tributário Atual, Dialética : S. Paulo, 2003, 17/20. SCHOUERI, Luís Eduardo. Tributação de lucros auferidos por controladas e coligadas no exterior: um novo capítulo no direito internacional do Brasil? in Imposto de Renda alterações Fundamentais. Coord. ROCHA, Valdir de Oliveira. São Paulo : Dialética, 1996, p.137. SCHOUERI, Luis Eduardo. Validade de normas internas contrárias a dispositivos de acordos de bitributação no Direito e na prática norte-americana. in Temas de Direito Tributário Atual. V. 13. São Paulo: Resenha Tributária. Abril/1994,.p.119. Também em Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas, Revista dos Tribunais: S.Paulo, nº. 3, abril - junho 1993, p SCHUELTER, Cibele Cristiane. Tratados Internacionais e a Lei Interna Brasileira: o problema da hierarquia das normas. Florianópolis : OAB/SC, SETTE, Ordélio Azevedo. O planejamento fiscal e os acordos de bitributação do Brasil. in Revista Tributária e de Finanças Públicas ano 9, jan/fev.2001, 36/32 SILVA, Antonio Carlos Florêncio de Abreu e. Tributação versus Investimento - Resenha ABDF 12/1.73; SILVA, Eivany Antonio da. Brazil: The new income Tax and the Treaties to prevent double taxation. BIFD /8-9 p. 399; SILVA, Eivany Antonio da. Direito Tributário Internacional e Globalização. Dupla Tributação Elementos de Conexão. in Dimensão Jurídica do Tributo Homenagem ao Professor Dejalma de Campos. Coord. Edvaldo Brito e Roberto Rosas. Meio Jurídico: S. Paulo, 2003, p SILVA, Eivany Antonio da. Imposto sobre a renda - Teoria e Prática - Despesas de juros sobre o capital próprio. Tributação de lucros e dividendos auferidos no exterior. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad: S.Paulo, 1998, p SILVA, Emerson Drigo da. O relacionamento entre tratados internacionais e lei interna do Brasil: a problemática de tratados internacionais que versam sobre tributos estaduais ou municipais. in RTFP março/abril/2003, 49/9 SILVA, Eric M. de Castro. Reforma tributária e OMC : uma convergência necessária. in RTFP maio/junho/2002, 44/2002. SOUSA, Rubens Gomes de. Compêndio de Legislação Tributária. Ed. Póstuma. São Paulo: Resenha Tributária,1975,.nº 12/13, p. 67/69. SOUZA, Sergio Augusto Pereira de. Intercâmbio de informações tributárias entre administrações estrangeiras: avanços atuais, conexões com o combate à lavagem de dinheiro e o contexto brasileiro. RDDT set/2003, 96/89. SPENCER, David E. OECD - Information Exchange recommendations are a significant First Step in resolving tax evasion. in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas, Revista dos Tribunais : S.Paulo, nº 21, outubro-dezembro 1997, p TAVOLARO, Agostinho Toffoli. Brazil: Taxation Agreements under the new Constitution BIFD /8-9, p. 371; TAVOLARO, Agostinho Toffoli. Brazil: Taxation of payments to non-residents for independent personal services. - Resenha ABDF 2/1-8-Março/Abril/84; TAVOLARO, Agostinho Toffoli. Direito Tributário Internacional "in" Curso de Direito Tributário. Coord. IVES GANDRA DA SILVA MARTINS e outros. Centro de Estudos de Extensão Universitária-Fundação do Instituto de Ensino de Osasco - Ed. Saraiva SP ; TAVOLARO, Agostinho Toffoli. Paraísos Fiscais - Resenha Tributária - Imposto sobre a Renda Comentário nº 30/84; TAVOLARO, Agostinho Toffoli. A Solução dos Conflitos de Dupla Tributação Jurídica Internacional. in Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense, 1988, p.1.

8 8 TAVOLARO, Agostinho Toffoli. A supremacia dos tratados internacionais em face da legislação interna. in RTFP maio/junho/2002, 44/41- também in Diritto e Pratica Tributária Inrternazionale TAVOLARO, Agostinho Toffoli. A tributação das manifestações patrimoniais da riqueza. in Cadernos de Direito Tributário e Finanças Públicas, Revista dos tribunais, S. Paulo, nº. 3, abril-junho de 1993, p TAVOLARO, Agostinho Toffoli. O Brasil ainda precisa de tratados de dupla tributação? in Direito Tributário Homenagem a Alcides Jorge Costa, Coord. Luis Eduardo Schoueri, Quartier Latin : S.Paulo, 2003, vol. II, p.867 TEIJEIRO, Guillermo O. Aplicación de las normas tributarias en el espacio. in Tratato de Tributación, Tomo I, Derecho Tributario, Coord. HORACIO A. GARCIA BELSUNGE. Buenos Aires : Editorial Astrea., tomo I, vol. 1, 2003, p TILLINGHAST, David. Tax Aspects of International Transactions-International Economic Law -vol. V - Matthew Bender ª Ed.; JOHN F.AVERY JONES e outros - L'interprétation des traites fiscaux: un exemple spécifique, l'article 3 (2) du modele OCDE "in" Fiscalité Europeene - Revue 1985/2 e 3 (primeiramente publicado em inglês na British Tax Review nº 1 e 2); TIXIER, Gilbert, GUY GEST e JEAN KEROGUES - Droit Fiscal International- Librairies Techniques (LITEC) Paris - 2ª Ed ; TORRES, Heleno Taveira. Pluritributação internacional sobre as rendas e empresas, São Paulo, Revista dos Tribunais, 2001, 2 ª Ed. TORRES, Heleno Taveira. Direito Tributário Internacional Planejamento Tributário e Operações Transnacionais S.Paulo, Rev. Dos Tribunais, TÔRRES, Heleno Taveira. Harmonização fiscal no Mercosul e suas implicações no planejamento tributário. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p UCKMAR, Victor. Instrumentos Fiscales para el Desarrollo de la Sociedade Civil en Itália. in Dimensão Jurídica do Tributo Homenagem ao Professor Dejalma de Campos. Coord. Edvaldo Brito e Roberto Rosas. Meio Jurídico: S. Paulo, 2003, p UCKMAR, Victor. Os Acordos entre o Brasil e a Itália em Matéria Tributária. in Direito Tributário - Estudos em homenagem ao Prof. Ruy Barbosa Nogueira. São Paulo: Saraiva. 1984, p..531 ULHOA CANTO, Gilberto de e STEN F. W. Bille. The Tax Convention between Brazil and Sweden with Brazilian and Swedish Commentaries - International Bureau of Fiscal Documentation - Amsterdam ; ULHÔA CANTO, Gilberto de. Prevenção de plurimposição, por países diferentes, de rendimentos derivados de transportes marítimos e aéreos internacionais e atividades correlatadas. in Temas de Direito Tributário, Vol. III. Rio de Janeiro : Alba p VALDÉS COSTA, Ramon. Aspectos Jurídicos Tributarios del Mercosur Montevideo (Separata da Revista de Faculdade de Direito - Julho/Dezembro 1991, nº 1); VALDÉS COSTA, Ramon. Estudios de Derecho Tributário Internacional Montevideo ; VALDÉS COSTA, Ramon. Estudios de Derecho Tributario Latino Americano Montevideo ; VALDÉS COSTA, Ramon. International Taxation of Services - Seminar IFA 43º Congress - Rio de Janeiro, 1989, Deventer, Kluwer, 1991; VALDÉS COSTA, Ramon. Os Acordos entre a Administração e os Contribuintes. Trad. MACHADO, Brandão. In Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense, 1988, p VAN HOORN JR., J. O Papel dos Tratados de Impostos no Comércio Internacional. Trad. MACHADO, Brandão. In Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense, 1988, p VAN HOORN JR., J. Bitributação - Uma tentativa de definição. in Direito Tributário - Estudos em Homenagem ao Prof. Ruy Barbosa Nogueira. São Paulo: Saraiva p VAN HOORN, J. JR. O papel dos Tratados de Impostos no Comércio Internacional "in" Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a Gilberto de Ulhoa Canto - Ed. Forense RJ p. 417; VAN RAAD, Kess. Non discrimination in International Tax Law - Kluwer -Deventer - Holanda ; VOGEL, Klaus. Importância do Direito Tributário Internacional para os Países em Desenvolvimento. Trad. MACHADO, Brandão. In Princípios Tributários no Direito Brasileiro e Comparado - Estudos Jurídicos em Homenagem a GILBERTO DE ULHÔA CANTO. Coord. TAVOLARO, Agostinho Toffoli, MACHADO, Brandão e MARTINS, Ives Gandra da Silva. Rio de Janeiro: Forense, 1988, p VOGEL, Klaus. Problemas na Interpretação de Acordos de Bitributação. in Direito Tributário Homenagem a Alcides Jorge Costa, Coord. Luis Eduardo Schoueri, Quartier Latin: S.Paulo, 2003, vol. II, p WILLIAMS, David W. Trends in International Taxation - IFA (International Fiscal Association) British Branch - International Bureau of Fiscal Documentation Amsterdam ; WINKLER, Noé. Aspectos de Implicações Internacionais na Tributação dos Rendimentos - Imposto de Renda - Estudos nº 5 - Ed. Resenha Tributária - SP; XAVIER, Alberto. Direito Tributário Internacional do Brasil, Rio: Forense, 2004, 6 ª Ed. XAVIER, Alberto. Conseqüências fiscais da locação de equipamentos e prestação de serviços no Brasil por sociedade estrangeira. In Estudos Sobre Imposto de Renda Belém: CEJUP, 1988,.p XAVIER, Alberto. Dedutibilidade de royalties e despesas de Assistência Técnica pagas a Residentes no Exterior: Conceito de Controle. in Pareceres de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva, 1986, p. 89. XAVIER, Alberto. Pagamento de exportação de serviços com títulos emitidos no exterior. In Estudos Sobre o Imposto de Renda. Belém: CEJUP, 1988, p. 109.

9 9 o ponto principal do Direito Tributário Internacional, fazendo-o objeto de uma rede de tratados para evitar a dupla tributação, ou, mais simplesmente tratados de dupla tributação (TDT) de rendimentos e de capital que atinge hoje um total aproximado de TDT entre 130 países. O fenômeno da globalização da economia, com o crescimento acelerado do comercio internacional veio acarretar o recrudescimento das possibilidades de múltipla incidência de tributação, concentrando ainda mais a preocupação com o direito tributário internacional, meio apto a apresentar proposições que facultem evitar essa incidência, danosa ao comercio internacional e ao fluxo de capitais entre os diversos países, ao mesmo tempo em que prejudicial aos interesses arrecadatórios de cada um deles. Tão importante se apresenta essa fenômeno, marcante da década de 90, que ao lado do e commerce FANTOZZI o situa como marco inicial de uma terceira fase do direito tributário internacional, impulsionada pelo advento da moeda única européia 4 Neste contexto, de se ressaltar o papel desempenhado pela IFA (International Fiscal Association). Fundada em 12 de fevereiro de 1938, a IFA reúne atualmente mais de dez mil associados de 94 países, realizando Congressos Anuais que focalizam temas de relevância do Direito Tributário Internacional, publicando os Cahiers de Droit Fiscal International, nas quatro línguas oficiais da associação (alemão, espanhol, francês e inglês) e os "Seminar Papers", materiais imprescindíveis a quaisquer estudos do Direito Tributário Internacional. Além disso, fundou e ao seu lado existe o International Bureau of Fiscal Documentation cujas publicações e serviços, além do Bulletin for International Fiscal Documentation são de extrema utilidade. Ao se falar do tema Direito Tributário Internacional tampouco se pode olvidar o papel relevante que em seu estudo, representou e representa, no Brasil, a ABDF - Associação Brasileira de Direito Financeiro, sob a presidência de Gilberto de Ulhôa Canto até seu falecimento em 1995, ao depois presidida por Agostinho Toffoli Tavolaro (1996/1998) e Condorcet Rezende (1998/até nossos dias), fundada em 1949 e que vem ativamente proporcionando estudos sobre a matéria através dos relatores e expositores nos Congressos da IFA e do ILADT (Instituto Latino Americano de Direito Tributário), bem como da realização do 43º Congresso da IFA, no Rio de Janeiro, em setembro de 1989, a que compareceram pessoas representando 43 países de todo o mundo 5. XAVIER, Alberto. Tributação de Assalariados que Transferem Residência para o Exterior. in Pareceres de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva, 1986, p. 77. XAVIER, Alberto. Tributação de empregados brasileiros que prestam serviço na Alemanha. In Estudos Sobre o Imposto de Renda. Belém: CEJUP, 1988, p ZUNINO, Gustavo. Limitaciones al poder tributario sobre el comercio internacional y restricciones sobre las políticas de defensa comercial, derivadas del acuerdo Marrakesh por el que se estableció la Organización Mundial de Comercio. in Justiça Tributária. Instituto Brasileiro de Estudos Tributários - IBET - Max Limonad : S.Paulo, 1998, p FANTOZZI, Augusto. Evoluzione. Problemi Attuali e Prospettive del Diritto Tributario Internazionale nell otticca Italiana. Conferência inaugural da IV Jornada de Estudos Tributários Avançados da ABDT Academia Brasileira de Direito Tributário, S.Paulo, 7/8 Novembro 2002 e in Revista Tributária.e de Finanças Públicas nº 47, Novembro/Dezembro Ed. Revista dos Tribunais 5 Vide Breve Notícia Histórica, Agostinho Toffoli Tavolaro, in Estudos Tributários, Org. Condorcet Rezende, Rio : Renovar, 1999, p. 27.

10 10 2 TRATADOS SOBRE TRIBUTAÇÃO Fontes do direito tributário internacional segundo o art. 38, a, do Estatuto da Corte Internacional de Justiça, as convenções internacionais bilaterais, ou tratados de dupla tributação internacional (TDT) exercem função primordial dentro do direito tributário internacional. 2.1 TRATADOS MULTILATERAIS Atentos à classificação dos tratados internacionais em função de seus sujeitos, em tratados Multilaterais e tratados bilaterais, permanece ainda válida a lição de BÜHLER, no sentido de que os tratados Multilaterais desempeñan hasta la fecha...un papel muy secundário en DIT 6. Com efeito, existentes eventuais cláusulas sobre tributação em tratados multilaterais como o GATT, hoje OMC (Acordo de Valoração Aduaneira Art. VII do GATT 1994), e disposições gerais no Tratado de Roma que instituiu a Comunidade Européia (1957 arts. 95/99), no Pacto de San Jose da Costa Rica (1969 art. 8 º ) e no Tratado de Assunção que criou o MERCOSUL (1991 arts. 1 º e 7 º ), de tratados multilaterais sobre tributação temos notícia dos dois tratados multilaterais nórdicos firmados pela Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia, um para evitar dupla tributação de renda e capital e outro sobre mútua assistência em assuntos tributários 7 e do tratado do CARICOM CARIBBEAN COMMUNITY 8 firmado por 11 dos 14 países da região do Caribe que o compõem, a saber Antigua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Belize, Dominica, Granada, Guiana, Jamaica, Montserrat, St. Kitts e Nevis, Sta. Lucia, St. Vincent e Grenadines, Suriname e Trinidad e Tobago. 2.2 A REDE MUNDIAL DE TDT Foram os tratados bilaterais para evitar a dupla tributação internacional (TDT), no entanto, a ferramenta mais utilizada pelos diferentes países, havendo alcançado número próximo a 2000, projetando mesmo ALEX EASSON que, mantido o mesmo ritmo assinatura de TDT, chegar-se-á a TDT no ano 2050, razão porque põe a indagação sobre sua necessidade, indagação esta a que demos resposta pela negativa quanto ao Brasil 9. 6 BÜHLER, Ottmar. Principios de Derecho Internacional Tributário. Versão castelhana de Fernando Cervera Torrejon, Madrid : Editorial de Derecho Financeiro, 1968, p HENGSLE, Odd. The Nordic Multilateral Treaties for the Avoidance of Double Taxation and on Mutual Assistance. in Bulletin for International Fiscal Documentation, Amsterdam : IBFD, vol. 56, nº 8/9, Agosto/Setembro, BIERLAAGH, Huub M. M. The Caricom Income Tax Agreement for the Avoidance of (Double) Taxation? in Bulletin for International Fiscal Documentation, Amsterdam : IBFD, vol. 54, nº 3, Março 2000, p TAVOLARO, Agostinho Toffoli. O Brasil ainda precisa de Tratados de Dupla Tributação?, in Direito Tributário Homenagem a Alcides Jorge Costa, Coordenação de Luis Eduardo Schoueri- Quartier Latin: São Paulo 2003,Vol. I, pág. 867.

11 11 TDT. De se lembrar que o Brasil tem em vigor, até a presente data, 25 (vinte e cinco) 3 OS MODELOS DE TDT Historicamente, temos que vários modelos de TDT foram elaborados, atendendo cada um deles a um momento histórico e a uma orientação própria dos países que detém a maioria nas organizações que os redigiram. Dentre esses, cabe enumerar, por sua importância histórica ou maior utilização: a) O modelo de TDT da Liga das Nações ( Londres 1928); b) O modelo de TDT da Liga das Nações (México 1943); c) O modelo da OECD 1963 e suas revisões posteriores; d) O modelo da ONU e) O modelo dos EUA O MODELO DA LIGA DAS NAÇÕES LONDRES 1928 Elaborado por um grupo de economistas do porte de BRUINS, EINAUDI, SELIGMAN e STAMP, que ouviram representantes de diversos países, conforme detalha MANUEL PIRES 10, foi dado a luz em 1928 o primeiro modelo de tratado para evitar a dupla tributação internacional da renda e do capital da Sociedade das Nações, modelo este em que focalizados foram o princípio do estabelecimento permanente e aspectos relativos a royalties. 3.2 O MODELO DA LIGA DAS NAÇÕES (MÉXICO 1943) Criado no seio da SDN um Comitê Fiscal, deste resultou um sub-comitê a quem foi incumbida a revisão do modelo de 1928, havendo este sub-comitê iniciado seus trabalhos em Haia (1940) e continuado seu trabalho no México, de onde resultou o Modelo do México (1943), consagrando o interesse dos países menos desenvolvidos, com a aceitação da tributação no Estado da fonte O MODELO DA LIGA DAS NAÇÕES (LONDRES 1945) Reunido o Comitê em 1945 em Londres, novo modelo foi editado, atendendo agora os interesses dos países desenvolvidos, com o prevalecimento da tributação pelo Estado de residência do titular dos rendimentos e da sociedade que distribuía os dividendos, sempre na lição de MANUEL PIRES. 10 PIRES, Manuel. Da Dupla Tributação Jurídica Internacional sobre o Rendimento. Lisboa, Centro de Estudos Fiscais, 1984, p PIRES, Manuel. Op. Cit p. 1.

12 O MODELO DA OECD ATÉ SUA ÚLTIMA VERSÃO DE 2003 Criado em 1956 o Comitê Fiscal da então Organização Européia de Cooperação Econômica (OECE), depois transformada (1961) em Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mais conhecida por sua sigla em inglês OECD (Organization for Economic Co-Operation and Development) apresentou ele seu modelo de tratado em 1963, que, revisto em 1977 foi a seguir objeto de revisões em 1992, 1994, 1995,1997 e , adotado o sistema de folhas soltas para sua atualização. Em janeiro de 2003, publicou a OECD o modelo revisto 13, onde se introduz um novo artigo 27, tratando da assistência na cobrança de impostos entre estados e renumerando os artigos 27 a 30 que passaram a arts. 28 a 31, atualizando ainda e modificando vários dos comentários sobre os art. 1 º, 5 º, 10, 11, 12, 23 A e 23B, 26 e De longe o TDT modelo de maior utilização em todo o mundo, mesmo porque integrada a OECD pelos países desenvolvidos que nela detém maioria 15 servindo mesmo de arcabouço aos modelos da ONU e dos EUA, com modificações tópicas de acordo com a orientação dos integrantes do organismo internacional máximo, ou do IRS americano, a esse modelo voltaremos com maior frequência no decorrer do presente estudo. 3.5 O MODELO DA ONU Em contraposição ao TDT modelo da OECD produziu o Grupo de Experts ad hoc da ONU também um modelo de tratado, publicado em 1980 e alterado em 2001, onde os pontos de vista dos países em desenvolvimento tem preponderância OS MODELOS DOS EUA , 1981 e 1996 Maior parceiro nas operações comerciais internacionais e de presença constante no fluxo dos investimentos internacionais, editaram os Estados Unidos da América do Norte seu modelo próprio de tratado em 1977, substituindo-o em 1981 e dando-lhe nova versão em 1996, adotando, conforme consta da Introdução, o mesmo sistema adotado pela OECD a partir de 1992, ou seja, o de atualização por folhas soltas (loose-leaf), pretendo ser ambulatory documents that will be updated periodically to reflect subsequent experiences RAAD, Kees van. Materials on International & EC Tax Law. Leiden : International Tax Center, 2001, p. VII. 13 V. site wwoecd.org. 14 VOGEL, Klaus. Tax Treaty News. In Bulletin for International Fiscal Documentation, July, 2002, p Integram a OECD : Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, República Tcheca, Dinamarca, Comunidade Européia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Coréia, México, Luxemburgo, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Polônia, Portugal, República Eslovaca, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia, Inglaterra, Estados Unidos da América. 16 V. texto em KESS VAN RAAD, ïn Materials on International & EC Tax Law, Leiden : International Tax Center., 2002,, 2 ª Ed. 17 DOERNBERG, Richard L., RAAD, Kees van. The 1996 United States Model Income Tax Convention Analisys, Commentary and Comparison. The Hague: Kluwer, 1997, p. 1.l

13 13 Tendo por função principal facilitar negociações, ajudando os negociadores dos tratados a identificar diferenças entre políticas de tributação de renda entre dois países, de tal modo que muito dificilmente um tratado concluído seria idêntico ao texto do modelo, o novo modelo mantém estrutura básica semelhante ao TDT modelo OECD, embora trazendo alterações que a introdução citada enumera, dentre elas o alargamento do conceito de royalties e a inclusão de um artigo sobre os honorários de diretores. 3.7 OS COMENTÁRIOS DOS MODELOS OECD E EUA Os modelos OECD são sempre acompanhados por Comentários, e o modelo dos EUA por explicações técnicas (technical explanation). Constituem-se eles em interpretação autêntica das normas contidas nos modelos, tendo embora os EUA o cuidado de esclarecer que as suas explicações técnicas não são equivalentes aos Comentários da OECD, pois estes expressam a visão dos membros da OECD, enquanto que as explicações somente dão o entendimento dos EUA. A força vinculante dos Comentários da OECD tem sido objeto de discussão, principalmente no que se refere à sua aplicação aos TDT concluídos antes de sua de sua alteração. Inicialmente, cabe lembrar com VOGEL em conferência que pronunciou 18 que o TDT modelo da OECD e seus comentários eram autorizados por recomendações do Conselho da OECD aos seus países membros até 1997, quando passaram à competência do Committee of Fiscal Affairs, sendo desnecessária a aprovação do Conselho. Essas recomendações, de acordo com o art. 18 c das Regras de Procedimento da OECD, deverão ter sua oportunidade avaliada pelos Estados Membros da OECD, o mesmo devendo ocorrer com os comentários, que não são legalmente vinculantes. Havendo o delegado da Áustria (Dr. Herman Loukota) ao Comitê acima apresentado um estudo sobre a interpretação dos tratados em seminário realizado durante o Congresso da IFA em Eilat (Israel) em outubro de 1999, intitulado Dr. Loukota s 10 Guiding Principles jocosamente referidos como Dr. Loukota s 10 Commandments, o seu princípio nº 2 declarava : Alterar o Comentário da OECD é preferível a alterar a Convenção Modelo, o que provocou acesa discussão quanto ao alcance desses comentários, escrevendo VOGEL que os Comentários não podem em um sentido técnico revogar um TDT existente. 18 VOGEL, Klaus. The Influence of the OECD Commentaries on Treaty Interpretation. In Bulletin for International Fiscal Documentation, Dec. 2000, p. 612.

14 14 Por outro lado, não pretende VOGEL reduzir os Comentários a mais uma publicação de direito tributário internacional, preconizando distinção entre o significado comum que um determinado termo utilizado no TDT modelo OECD de 1963 e objeto de seus Comentários ganhou ao longo dos anos e se tornou assim parte da linguagem tributária internacional, ou utilizado pela primeira vez no modelo de 1977 seu significado atribuído pelos Comentários tornou-se também significado comum (ordinary meaning) e o significado especial que foi atribuído a um determinado termo pelos Comentários. Neste ultimo caso os comentários podem servir como meios suplementares de interpretação a que se refere o art. 32 da Convenção de Viena sobre o direito dos tratados. MAARTEN J. ELLIS, questiona VOGEL quanto ao fato de serem os Comentários diretrizes de interpretação, pois foram escritos apenas para explicar a origem das normas convencionais e o porquê de sua existência 19. Além disso, questiona o fato de poderem ser os Comentários considerados como Tratados. Também AVERY-JONES debruça-se sobre o assunto, especialmente quanto ao propósito de serem os comentários meros meios suplementares de interpretação dos tratados conforme o art. 31 da Convenção de Viena 20. Posteriormente, relata VOGEL que o Australian Taxation Office (ATO), enfatizando a importância da Convenção de Viena sobre o direito dos tratados, que considera direito internacional costumeiro, vinculando mesmo Estados que não a ratificaram, vê o efeito dos comentários como criador de uma expectativa geral, mas não legal, e que os estados membros da OECD o observarão, pois os comentários são usualmente expressos não como um novo significado da disposição do TDT, mas como reflexo de uma visão comum de qual é e sempre foi o seu significado 21. Do ponto de vista do direito brasileiro, parece-nos que os comentários são mera regra de interpretação, limitando-se a dar, de um lado o histórico dos artigos do TDT, e de outro, a interpretação que tiveram em um dado momento histórico as partes. Isto não significa, no entanto, que essa interpretação seja vinculante, bem como que possa ser ela retroativa, cabendo aqui a lição LUCIANO DA SILVA AMARO, de que a dita lei interpretativa não consegue escapar do dilema: ou ela inova o direito anterior (e, por isso, é retroativa, com as consequências daí decorrentes), ou ela se limita a repetir o que já dizia a lei anterior (e, nesse caso, nenhum fundamento lógico haveria, nem para a retroação da lei, nem, em rigor, para sua edição) ELLIS, Maarten J. The Influence of the OECD Commentaries on Treaty Interpretation Response to Prof. Dr. Klaus Volgel. In Bulletin cit., December 2000, p AVERY-JONES, John F. The Effect of changes in the OECD commentaries after a treaty is concluded. In Bulletin cit., March 2002, p VOGEL, Klaus. Tax Treaty News. in Bulletin cit., June 2002, p AMARO, Luciano da Silva. Direito Tributário Brasileiro. S.Paulo: Saraiva, 2003, 9 ª Ed., p. 197.

15 OS TRATADOS NO DIREITO BRASILEIRO A competência para firmar tratados Buscando apenas lançar os fundamentos de nossa apreciação da matéria, cabe-nos, neste passo, lembrar que, em nosso país, compete privativamente ao Presidente da República celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional (Artigo 84, VIII e 49, I da Constituição Federal) A supremacia dos tratados sobre a legislação interna A perda de eficácia dos tratados Ao adentrarmos o campo dos tratados no direito brasileiro, o primeiro ponto que nos desperta a atenção é o que diz respeito à relação existente entre tratado e legislação interna. Seria ela de subordinação da segunda ao primeiro ou prevaleceria o princípio geral de que, ambos lei, "lex posteriori derogat priori"? Desde logo se evidencie não se cogitar, aqui, de prevalência do tratado sobre a Constituição local, pois esta não existe em nenhum sistema jurídico no mundo contemporâneo, como ensina REZEK 24. Tenha-se em mente, ainda, que sobre direito dos tratados preside hoje a Convenção de Viena aberta à assinatura em 25 de maio de 1969, e que entrou em vigor em 27 de janeiro de , ainda não ratificada pelo Brasil. Divergente a doutrina quanto à matéria, triunfou por maioria, no Supremo Tribunal Federal (RE RTJ 83/809) a tese da incorporação das normas do tratado ao direito interno e da perda de sua eficácia (não de sua revogação) no advento de legislação interna posterior dispondo de modo diverso Sobre a matéria consulte-se, com real proveito J.F. REZEK - Direito dos Tratados Forense-Rio de Janeiro-1984 e Direito Internacional Público- Ed. Saraiva - São Paulo Neste se lê que os nomes alternativos (tratado, convenção, ajuste, protocolo, acordo, etc...) chegam, em língua portuguesa, seguramente a duas dezenas. 24 Tratado e a Legislação Interna em Matéria Tributária - pág Observe-se, contudo, que L. SIMONET, ao descrever a posição da Bélgica sobre a matéria, no Seminário pertinente que teve lugar no 43 º Congresso da IFA (Rio 1989), aponta que acórdão da Corte de Cassação Belga de decidiu pela predominância dos tratados sobre a Constituição. 25 A Convenção de Viena, até 1988 tinha como partes, por ratificação ou adesão, 51 países. 26 AGOSTINHO TOFFOLI TAVOLARO, A Supremacia dos Tratados Internacionais face à Legislação Interna, in Diritto e Pratica Tributaria Internazionale, vol. LXXIII (2002), nº 4, p. 548 e Revista de Direito Tributário e Finanças Públicas nº 44, Maio/Junho de 2002, Ed. Revista dos Tribunais.

16 Os tratados sobre matéria tributária e o artigo 98 do CTN Os tratados relativos a matéria tributária, no entanto, são objeto de particularidade específica, qual seja o art. 98 do Código Tributário Nacional, que prescreve sua observância pela legislação posterior que lhes sobrevenha. Tem-se verberado a inconstitucionalidade do art. 98, principalmente após a Constituição de 1988, arguindo-se: a) o princípio de "lex posteriori derogat anteriori"; b) a falta de embasamento constitucional do dispositivo, pois não se constituiria em matéria de lei complementar e c) porque ocasionaria o ferimento do princípio federativo, interferindo na autonomia dos poderes impositivos dos Estados e dos Municípios. A exceção ao princípio geral, diga-se à guisa de abertura, tem sido reconhecida pela Suprema Corte bem como pelo Superior Tribunal de Justiça 27. Na verdade, parece-nos a matéria, dentro da Constituição, situar-se em vácuo, onde a hermenêutica irá indicar o caminho a ser trilhado. A ausência de disposição expressa em contrário, parece-nos lídimo possa a lei complementar dispor sobre a matéria. Não refutado o caráter complementar do Código Tributário Nacional, caberia buscar-se no próprio texto constitucional o ordenamento que a essa lei complementar fixasse os limites. Esse ordenamento, a nosso ver seria o art. 146, III, da Constituição, que prevê lei complementar que estabeleça normas gerais sobre legislação tributária. Por derradeiro, cumpre enfrentar o problema que se põe em relação ao princípio federativo, o que levou ALCIDES JORGE COSTA a afirmar que não mais pode a União celebrar tratados que concedam isenção de impostos estaduais, pois a União não mais pode conceder isenção de impostos estaduais 28. Para nós, no entanto, o princípio federativo permanece intocado. Não contém a Constituição a cláusula de supremacia da Constituição Americana 29 que assegura a superioridade da legislação federal sobre a dos estados. 27. Cf. NATANAEL MARTINS - op. cit. pág Coteje-se o brilhante voto vencedor do Min. José Delgado, no RE PR, de , reafirmando a tese exposta. 28. ALCIDES JORGE COSTA - ICMS na Constituição - "in" Revista de Direito Tributário - 46/170 - No mesmo sentido JOSÉ ALFREDO BORGES - op. cit. 29. Determina o artigo VI, cláusula 2, da Constituição Americana: "Esta Constituição e as Leis complementares e todos os tratados já celebrados ou por celebrar sob a autoridade dos Estados Unidos constituirão a lei suprema do país; os juizes de todos os Estados serão sujeitos a ela, ficando sem efeito qualquer disposição em contrário na Constituição ou nas leis de qualquer dos Estados".

17 17 Nem, contudo, dela necessita. Na organização político-administrativa da República Federativa do Brasil estão compreendidos a União, os Estados, os Municípios e o Distrito Federal. Partes, no entanto, da República, não se confundem com o todo (art. 18 da Constituição Federal). Autônomos, não são independentes; falta-lhes soberania. Esta é apanágio e fundamento da República (art. 1º, I da Constituição Federal), e só a República tem, em consequência, personalidade jurídica de direito internacional. Essa personalidade jurídica, por atribuição da própria carta Federativa, é exercitada pela União (art. 21, I), cabendo privativamente ao Presidente da República a celebração de tratados internacionais (art. 84, VIII). No entanto, acentuando que é a República, e não a União, órgão políticoadministrativo, quem se obriga é que se determina a ratificação do ato do representante (Presidente da República) pelo Congresso, que, por suas duas casas, representa, em nosso sistema, pelo Senado (com sua composição paritária) os Estados e o Distrito Federal (art. 46) e pela Câmara dos Deputados (composta de representantes do povo eleitos pelo sistema proporcional art. 46) os municípios. Não há, assim, dano à Federação, que se mantém incólume. Além disso, direitos e garantias outorgados por tratados passam a ter, acreditamos, nível constitucional, pois a cláusula de direitos implícitos de nossa constituição (art. 5º, parágrafo 2º), não se restringe mais somente a eles, (direitos e garantias decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados) mas nomeia, explicitamente, os decorrentes "de tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte". Agregados que passam a ser à Constituição, sempre que garantias e direitos individuais, não poderão, sequer, ser objeto de revogação por força do art. 60, parágrafo 4º, do Estatuto Máximo, que veda mesmo a propositura de emenda que os tenda a abolir. 5 - OS TRATADOS ASSINADOS PELO BRASIL Havendo firmado seu primeiro TDT com a Suécia em 17 de setembro de 1965, somam hoje 25 (vinte e cinco) os tratados firmados em vigor no Brasil, conforme se compulsa do site da Secretaria da Receita Federal (www.receita.fazenda.gov.br, acesso em ), com os seguintes países: Alemanha (Dec. nº , de ); Argentina (Dec. nº , de ) Áustria (Dec. nº , de ); Bélgica (Dec. nº de ); Canadá (Dec. nº , de ); Chile (Dec. no / 2003)

18 18 China (Dec. nº 762, de ); Coréia (Dec. nº 354, de ); Dinamarca (Dec. nº , de ); Equador (Dec. nº , de ); Espanha (Dec. nº , de ); Filipinas (Dec. nº 241, de ); Finlândia (Dec. nº 2465, de ); França (Dec. nº , de ); Holanda (Dec. nº 355, de ); Hungria (Dec. nº 53, de ); Índia (Dec. nº 510, de ); Itália (Dec. nº , de ); Japão (Dec. nº , de ); Luxemburgo (Dec. nº , de ); Noruega (Dec. nº , de ); Portugal (Dec. nº 4012 /2001); República Tcheca (Dec. nº 43, de ); República Eslovaca (Dec. nº 43, de ); Suécia (Dec. nº , de ). Nesses tratados, atendidas quando possível peculiaridades próprias ao Brasil, em especial os mecanismos de crédito do imposto (matching credit e tax sparing), vem sendo seguidos em linhas gerais os modelos da ONU, privilegiando-se o princípio da fonte pagadora, ou seja, a tributação pelo Brasil de rendimentos daqui provenientes. 6 - TRATADOS DE DUPLA TRIBUTAÇÃO E PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO Guardando na lembrança a advertência de FRANCISCO DORNELLES de que os inconvenientes da dupla tributação internacional são a dificultação do fluxo de investimentos, o encarecimento do custo do dinheiro e da tecnologia, a geração de insegurança no contribuinte e a inibição da utilização do sistema tributário como instrumento de política fiscal 30 e que esta utilização é a principal razão para a conclusão de um TDT por um país em desenvolvimento 31, vejamos a seguir como se estruturam os TDT e quais os métodos que nele se podem utilizar para eliminar a dupla tributação internacional e os mecanismos de que lança mão. 30. FRANCISCO DORNELLES - A Dupla Tributação Internacional - cit. - pág FRANCISCO DORNELLES - The Tax Treaty Needs of developing countries with special reference to the un Draft Model "in" Un Draft... cit. - pág. 27.

19 A ESTRUTURA DE UM TDT A consulta aos modelos de TDT e aos tratados que efetivamente foram assinados, pelo Brasil, mostra que, de modo geral, assim se estruturam eles: 1. Pessoas visadas 2. Impostos Abrangidos 3. Definições Gerais 4. Domicílio Fiscal 5. Estabelecimento Permanente 6. Rendimentos de bens imóveis 7. Lucros das empresas 8. Rendimentos da navegação aérea e marítima 9. Empresas associadas 10. Dividendos 11. Juros 12. Royalties 13. Ganhos de Capital 14. Rendimentos de serviços profissionais autônomos 15. Rendimentos de serviços decorrentes de relação de emprego 16. Remunerações de Direção 17. Rendimentos de artistas e atletas 18. Pensões 19. Pagamentos governamentais 20. Professores e pesquisadores 21. Estudantes 22. Outros rendimentos 23. Tributação do capital 24. Métodos para eliminar a dupla tributação 25. Não discriminação 26. Procedimento Amigável 27. Troca de informações 28. Funcionários Diplomáticos e Consulares 29. Entrada em vigor 30. Denúncia Pessoas Visadas Abrangidos pelos TDT são, usualmente, os residentes nos Estados Contratantes. No TDT firmado entre o Brasil e o Luxemburgo, entretanto, foi ressalvada a tributação das "holdings" luxemburguesas.

20 20 É interessante ainda notar que os EUA, em seu modelo de tratado, fazem incluir a cidadania como elemento de conexão para definir a sua competência impositiva, cabendo ainda apontar que um único outro país (Filipinas) adota o mesmo elemento de conexão Impostos Abrangidos Os impostos que se procura abranger são os impostos sobre a renda e o capital, considerando-se usualmente os impostos sobre o total da renda ou do capital, ou sobre seus elementos tais como ganhos de capital na alienação da propriedade mobiliária ou imobiliária, vencimentos e salários e impostos sobre mais valias. Nos tratados a discriminação dos impostos é feita nominalmente, havendo quase sempre cláusula especial concernente a impostos substancialmente idênticos ou semelhantes que forem posteriormente criados em adição ou substituição. Caso recente foi decidido na Áustria, pela sua mais alta corte administrativa (Öestrreichische Verwaltungsgerichtshof), envolvendo o seu TDT com o Japão, onde não se previu o imposto sobre comercio e industria (Gewerbersteuer). Substituído este posteriormente pelo imposto para municipalidades e comunidades rurais (Kommunalsteuer), substancialmente similar ao anterior, entendeu a Corte que o mesmo estava abrangido pelo TDT, embora o imposto anterior não estivesse expressamente mencionado, em uma interpretação liberal, pois aplicou o art. 31 da Convenção de Viena sobre Direito dos Tratados, segundo o qual os tratados devem ser interpretados de boa fé e à luz de seu objeto e finalidade Definições Gerais Definem-se, nesta cláusula, os termos mais utilizados nos tratados como o nome dos países, Estado Contratante, pessoa, sociedade, nacional, empresa de um Estado Contratante, autoridade competente, etc Domicílio Fiscal Nesta cláusula, também denominada residência, define-se o que seja residente, bem como se procura dar solução à dupla ou múltipla residência, utilizando-se o critério de habitação permanente, a seguir o de centro de interesses vitais, depois o de permanência habitual, em seguida o de nacionalidade e, finalmente, o de mútuo acordo entre os Estados Contratantes. Para as pessoas jurídicas o critério é o de lugar de sua sede de direção efetiva.

Direito Processual Tributário

Direito Processual Tributário Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário Direito Processual Tributário Carga Horária: 36 h/a 1- Ementa Direito

Leia mais

Tratados internacionais para evitar a bitributação no Direito Brasileiro

Tratados internacionais para evitar a bitributação no Direito Brasileiro Page 1 of 7 DireitoNet - Artigo www.direitonet.com.br Link deste Artigo: http://www.direitonet.com.br/artigos/x/45/37/4537/ Impresso em 19/09/2008 Tratados internacionais para evitar a bitributação no

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290 7º conjs. 71/72 01318-902 São Paulo SP Fone/fax: 3105-8206 Expediente das 13 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br DIREITO TRIBUTÁRIO Curso

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO: TRIBUTAÇÃO, GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FISCALIZAÇÃO. Professora responsável: Profª. Dra. Nélida Cristina dos Santos

DIREITO TRIBUTÁRIO: TRIBUTAÇÃO, GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FISCALIZAÇÃO. Professora responsável: Profª. Dra. Nélida Cristina dos Santos DIREITO TRIBUTÁRIO: TRIBUTAÇÃO, GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FISCALIZAÇÃO Professora responsável: Profª. Dra. Nélida Cristina dos Santos Carga Horária: 52 horas Ementa: O fenômeno da tributação é das mais relevantes

Leia mais

Expatriados. Como lidar com os aspectos fiscais. Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil (CCIJB) Elisabeth Lewandowski Libertuci

Expatriados. Como lidar com os aspectos fiscais. Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil (CCIJB) Elisabeth Lewandowski Libertuci Expatriados Como lidar com os aspectos fiscais Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil (CCIJB) Elisabeth Lewandowski Libertuci 1 Residência Fiscal 2 Caracterização de Residência Fiscal Art. 2

Leia mais

Marilene Talarico Martins Rodrigues

Marilene Talarico Martins Rodrigues Marilene Talarico Martins Rodrigues Formação Acadêmica Pós-Graduação na PUC - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (créditos concluídos), nas áreas de concentração em (a) Direito Constitucional

Leia mais

CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 7º Semestre

CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 7º Semestre DISCIPLINA: Direito Tributário I CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 7º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CÓDIGO: DIR133 1. EMENTA: Direito tributário. O tributo. Teoria da norma tributária. Espécies tributárias.

Leia mais

Direito Tributário Constitucional

Direito Tributário Constitucional Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário Direito Tributário Constitucional Carga Horária: 32 h/a 1- Ementa Repartição

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CÓDIGO: CIS151 DISCIPLINA: DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO I CARGA HORÁRIA: 60h

Leia mais

I-DIREITO TRIBUTÁRIO e o DIREITO FINANCEIRO

I-DIREITO TRIBUTÁRIO e o DIREITO FINANCEIRO I-DIREITO TRIBUTÁRIO e o DIREITO FINANCEIRO 1 I - O DIREITO TRIBUTÁRIO E O DIREITO FINANCEIRO 1- A atividade financeira do Estado 2- O Direito Financeiro e o Direito Tributário 3- A autonomia do Direito

Leia mais

SUMÁRIO. PREFÁCIO SCHOUERI, Luís Eduardo- p. 11

SUMÁRIO. PREFÁCIO SCHOUERI, Luís Eduardo- p. 11 SUMÁRIO PREFÁCIO SCHOUERI, Luís Eduardo- p. 11 CASTRO, Aldemario Araujo OS FUNDAMENTOS JURÍDICOS DA TRIBUTAÇÃO DA RENDA UNIVERSAL NO DIREITO BRASILEIRO - p. 19-28 2. Evolução da legislação pertinente 3.

Leia mais

MENSAGEM N 36, DE 2015

MENSAGEM N 36, DE 2015 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N 36, DE 2015 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo entre o Governo da República Federativa do

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE DIREITO TRIBUTÁRIO INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290-7º conj. 71/72 01318-902 - São Paulo - SP Fone/fax: 3105-8206/3241-5348 Expediente das 9 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br CURSO DE

Leia mais

II - Fontes do Direito Tributário

II - Fontes do Direito Tributário II - Fontes do Direito Tributário 1 Fontes do Direito Tributário 1 Conceito 2 - Classificação 3 - Fontes formais 3.1 - principais 3.2 complementares 4 Doutrina e jurisprudência 2 1 - Conceito As fontes

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO MÓDULO I TEORIA GERAL DO DIREITO TRIBUTÁRIO 2014 1ª SEMESTRE

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO MÓDULO I TEORIA GERAL DO DIREITO TRIBUTÁRIO 2014 1ª SEMESTRE INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290-7º conj. 71/72 01318-902 - São Paulo - SP Fone/fax: (11) 3105-8206 - (11) 3241-5348 Expediente das 9 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE DIREITO TRIBUTÁRIO INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290-7º conj. 71/72 01318-902 - São Paulo - SP Fone/fax: 3105-8206/3241-5348 Expediente das 9 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br CURSO DE

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 388, DE 2014 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo de Cooperação Técnica entre o Governo da República Federativa

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais A formação de Blocos Econômicos se tornou essencial para o fortalecimento e expansão econômica no mundo globalizado. Quais os principais

Leia mais

INSS Diretoria de Benefícios

INSS Diretoria de Benefícios IV CONFERÊNCIA BRASILEIROS NO MUNDO INSS Diretoria de Benefícios Praia do Forte, 20 de novembro de 2013 ACORDOS INTERNACIONAIS Globalização Principais objetivos ou finalidades dos Acordos Internacionais

Leia mais

REVISÃO 1.º SEMESTRE SISTEMA CONSTITUCIONAL TRIBUTÁRIO CONCEITO DE TRIBUTO

REVISÃO 1.º SEMESTRE SISTEMA CONSTITUCIONAL TRIBUTÁRIO CONCEITO DE TRIBUTO REVISÃO 1.º SEMESTRE SISTEMA CONSTITUCIONAL TRIBUTÁRIO CONCEITO DE TRIBUTO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1.988 ACABA POR NÃO CONCEITUAR O QUE SEJA TRIBUTO. ENTRETANTO, LEVA EM CONSIDERAÇÃO, IMPLICITAMENTE,

Leia mais

Gestão Tributária 03.09.2015. André Antunes Soares de Camargo

Gestão Tributária 03.09.2015. André Antunes Soares de Camargo Gestão Tributária 03.09.2015 André Antunes Soares de Camargo Meus Deus... http://www.impostometro.com.br/ Como está a tributação no Brasil? http://www.doingbusiness.org/data/exploreeconomies/brazil/ http://ibpt.com.br/home/publicacao.list.php?publicacaotipo_id=2

Leia mais

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s)

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s) Programa de DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO II 9º Período: 4h/s Aula : Teórica EMENTA Garantias e Privilégios do Crédito Tributário. Administração Tributária. Ilícitos e sanções tributários. Processo administrativo-fiscal

Leia mais

INTRODUÇÃO José Horácio Halfeld rezende ribeiro 5. celso lafer 7. APRESENTAÇÃO DA OBRA raquel elita alves preto 13

INTRODUÇÃO José Horácio Halfeld rezende ribeiro 5. celso lafer 7. APRESENTAÇÃO DA OBRA raquel elita alves preto 13 SUMÁRIO INTRODUÇÃO José Horácio Halfeld rezende ribeiro 5 prefácio celso lafer 7 APRESENTAÇÃO DA OBRA raquel elita alves preto 13 DIRETORIA DO IASP 19 PARTE I DIREITO FINANCEIRO, DIREITO ECONÔMICO E TRIBUTAÇÃO:

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Reconhecimento renovado pela portaria MEC nº 608 de 19.11.13, DOU de 20.11.13 PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Reconhecimento renovado pela portaria MEC nº 608 de 19.11.13, DOU de 20.11.13 PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Reconhecimento renovado pela portaria MEC nº 608 de 19.11.13, DOU de 20.11.13 Componente Curricular: Direito Tributário I Código: DIR -569 Pré-requisito: ------ Período Letivo:

Leia mais

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador FRANCISCO DORNELLES

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador FRANCISCO DORNELLES PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em caráter terminativo, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 18, de 2011 (Projeto de Lei nº 4.605, de 2009, na origem), do Deputado

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

ConJur - Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados

ConJur - Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados Página 1 de 5 CONTAS NO EXTERIOR Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados 3 de setembro de 2015, 15h54 Por Brenno Grillo As trocas automáticas de informações financeiras entre os

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE DIREITO TRIBUTÁRIO INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290-7º conj. 71/72 01318-902 - São Paulo - SP Fone/fax: 3105-8206/3241-5348 Expediente das 9 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br CURSO DE

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 Disciplina: Direito Internacional Departamento IV Direito do Estado Docente Responsável: Fernando Fernandes da Silva Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito

Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Direção Acadêmica Coordenação do Curso de Direito PLANO DE ENSINO 1. IDENTIFICAÇÃO: CURSO: DIREITO TURMA: 8º SEMESTRE/NOTURNO DISCIPLINA: DIREITO

Leia mais

RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA CISÃO PARCIAL

RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA CISÃO PARCIAL RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA NA CISÃO PARCIAL Gilberto de Castro Moreira Junior * O artigo 229 da Lei das Sociedades Anônimas (Lei nº 6.404/76) define a cisão como sendo a operação pela qual a companhia

Leia mais

Seminário sobre Tributação Imobiliária Organização: Ministério das Cidades e Lincoln Institute Data: 6 e 7 de maio Local: Brasília

Seminário sobre Tributação Imobiliária Organização: Ministério das Cidades e Lincoln Institute Data: 6 e 7 de maio Local: Brasília Seminário sobre Tributação Imobiliária Organização: Ministério das Cidades e Lincoln Institute Data: 6 e 7 de maio Local: Brasília Expositor: CLEUCIO SANTOS NUNES TEMA: CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA: APLICABILIDADE

Leia mais

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL PLMJ Advogamos com Valor Julho 2009 DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL A dupla tributação jurídica internacional é um obstáculo às relações comerciais e à circulação bens e serviços e pessoas e

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Relatório. Solução de Consulta Interna nº 18 Cosit Data 8 de agosto de 2013 Origem

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Relatório. Solução de Consulta Interna nº 18 Cosit Data 8 de agosto de 2013 Origem Fl. 18 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 18 Data 8 de agosto de 2013 Origem COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAÇÃO E ESTUDOS ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA JURÍDICA

Leia mais

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO

Proposta de DECISÃO DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 7.4.2015 COM(2015) 150 final 2015/0075 (NLE) Proposta de DECISÃO DO CONSELHO relativa à assinatura, em nome da União Europeia, do Protocolo de Alteração do Acordo entre a Comunidade

Leia mais

Artigo I. Artigo II. Artigo III. A cooperação a que se refere o presente Convénio compreenderá:

Artigo I. Artigo II. Artigo III. A cooperação a que se refere o presente Convénio compreenderá: Decreto n.º 66/97 de 30 de Dezembro Convénio sobre Prevenção do Uso Indevido e Repressão do Tráfico Ilícito de Estupefacientes e de Substâncias Psicotrópicas entre o Governo da República Portuguesa e o

Leia mais

A Tributação Internacional no Contencioso Administrativo e Judicial. Julgados recentes relevantes

A Tributação Internacional no Contencioso Administrativo e Judicial. Julgados recentes relevantes A Tributação Internacional no Contencioso Administrativo e Judicial Julgados recentes relevantes Luiz Gustavo A. S. Bichara AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 2.588/DF Lucros de Coligada ou Controlada

Leia mais

ITBI - recepção parcial dos dispositivos do CTN Kiyoshi Harada*

ITBI - recepção parcial dos dispositivos do CTN Kiyoshi Harada* ITBI - recepção parcial dos dispositivos do CTN Kiyoshi Harada* Como se sabe, em decorrência das disputas entre Estados e Municípios na partilha de impostos, o legislador constituinte de 1988 cindiu o

Leia mais

ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO

ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO ENTIDADE DE EDUCAÇÃO SEM FINALIDADE LUCRATIVA ISENÇÃO DA COFINS SOBRE RECEITAS PRÓPRIAS E RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO DO PIS/PASEP MEDIANTE ALÍQUOTA DE 1% (UM POR CENTO) INCIDENTE SOBRE A FOLHA DE SALÁRIO

Leia mais

IMPOSTOS FEDERAIS: II, IE E IPI

IMPOSTOS FEDERAIS: II, IE E IPI IMPOSTOS FEDERAIS: II, IE E IPI CAIO AUGUSTO TAKANO MESTRANDO EM DIREITO ECONÔMICO, FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO USP ESPECIALISTA EM DIREITO TRIBUTÁRIO IBET PROFESSOR-ASSISTENTE DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DO

Leia mais

tratados contra a dupla tributação

tratados contra a dupla tributação tratados contra a dupla tributação lucros de empresas controladas no exterior 2012 João Francisco Bianco MEDIDA PROVISÓRIA No 2.158-35, DE 24 DE AGOSTO DE 2001. Art.74. Os lucros auferidos por controlada

Leia mais

Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES. Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello

Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES. Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Unidade I DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES Prof. Luís Fernando Xavier Soares de Mello Direito nas organizações Promover uma visão jurídica global do Sistema Tributário Nacional, contribuindo para a formação do

Leia mais

INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS

INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS IBCPF INSTITUTO BRASILEIRO DE CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS FINANCEIROS PORTO ALEGRE 09/04/2014 O CONTEÚDO DESTA APRESENTAÇÃO NÃO TEM O OBJETIVO

Leia mais

IMPOSTO SOBRE A RENDA

IMPOSTO SOBRE A RENDA IMPOSTO SOBRE A RENDA CAIO AUGUSTO TAKANO MESTRANDO EM DIREITO ECONÔMICO, FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO USP ESPECIALISTA EM DIREITO TRIBUTÁRIO IBET PROFESSOR-ASSISTENTE DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DO IBDT TRIBUTAÇÃO

Leia mais

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s).

Provas escritas individuais ou provas escritas individuais e trabalho(s). Programa de DIREITO FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO I 8º Período: 4h/s Aula : Teórica EMENTA Noções preliminares de Ciência das Finanças, Direito Financeiro e Direito Tributário. Receita Pública. Despesa Pública.

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

BTOCNEWS REFORMA DO REGIME DA FATURAÇÃO PARA COMBATER A FRAUDE E EVASÃO FISCAL CALENDÁRIO FISCAL AGOSTO 2012 PARA DOWNLOAD S

BTOCNEWS REFORMA DO REGIME DA FATURAÇÃO PARA COMBATER A FRAUDE E EVASÃO FISCAL CALENDÁRIO FISCAL AGOSTO 2012 PARA DOWNLOAD S BTOCNEWS 012 I LEGISLAÇÃO LABORAL Alteração ao código do trabalho SAIBA + REFORMA DO REGIME DA FATURAÇÃO PARA COMBATER A FRAUDE E EVASÃO FISCAL Foi aprovado em Conselho de Ministros de 18 de julho de 2012

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2008/C 115/01) 9.5.2008 PT Jornal Oficial da

Leia mais

Impactos do julgamento do RExt 635.688/RS. Julgamento Cesta Básica e o estorno proporcional de ICMS Demonstrações Financeiras e demais repercussões

Impactos do julgamento do RExt 635.688/RS. Julgamento Cesta Básica e o estorno proporcional de ICMS Demonstrações Financeiras e demais repercussões www.pwc.com Impactos do julgamento do RExt 635.688/RS. Julgamento Cesta Básica e o estorno proporcional de ICMS Demonstrações Financeiras e demais repercussões 19 de fevereiro de 2015 (DC0) Informação

Leia mais

Comentários da AIP-CCI ao Anteprojeto da Reforma do IRS

Comentários da AIP-CCI ao Anteprojeto da Reforma do IRS Comentários da AIP-CCI ao Anteprojeto da Reforma do IRS Globalmente, a Associação Industrial Portuguesa Câmara de Comércio e Indústria (AIP-CCI) considera positivo o Anteprojeto de Reforma do IRS efetuado

Leia mais

Tributação Internacional Junho 2014

Tributação Internacional Junho 2014 www.pwc.pt/tax Tributação Internacional Junho 2014 Perante a aldeia global em que vivemos, atuar apenas no mercado doméstico não é suficiente. De facto, a internacionalização é um requisito obrigatório

Leia mais

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais Preâmbulo As Partes, Considerando que a corrupção é um fenômeno difundido nas Transações

Leia mais

COMUNICADO. Fonte de Consulta. BARROSO, Luís Roberto. Curso de direito constitucional contemporâneo. 2ª edição. São Paulo: Saraiva, 2010.

COMUNICADO. Fonte de Consulta. BARROSO, Luís Roberto. Curso de direito constitucional contemporâneo. 2ª edição. São Paulo: Saraiva, 2010. ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESPÍRITO SANTO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO COMUNICADO A MESA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação

Coordenação Geral de Tributação Fl. 12 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 2 Data 14 de janeiro de 2014 Origem DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DE SÃO PAULO DERAT. ASSUNTO:

Leia mais

A questão das controladas indiretas e a delimitação do alcance dos tratados. Aaplicaçãodostratados: Artigo 7 x Artigo 10

A questão das controladas indiretas e a delimitação do alcance dos tratados. Aaplicaçãodostratados: Artigo 7 x Artigo 10 LUCROS AUFERIDOS NO EXTERIOR E A JURISPRUDÊNCIA DO CARF A QUESTÃO DOS TRATADOS PRINCIPAIS CONTROVÉRSIAS A questão das controladas indiretas e a delimitação do alcance dos tratados Aaplicaçãodostratados:

Leia mais

Validade e Eficácia da Isenção Tributária Outorgada sem a Observância dos Requisitos Normativos.

Validade e Eficácia da Isenção Tributária Outorgada sem a Observância dos Requisitos Normativos. XI Salão de Iniciação Científica PUCRS Validade e Eficácia da Isenção Tributária Outorgada sem a Observância dos Requisitos Normativos. Gabriel da Silva Danieli, Igor Danilevicz (orientador) Pontifícia

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre Brasil University of New South Wales Sydney Austrália Universidade do Povo Macau - China

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre Brasil University of New South Wales Sydney Austrália Universidade do Povo Macau - China CONVENÇÃO SOBRE A LEI APLICÁVEL AOS CONTRATOS DE COMPRA E VENDA INTERNACIONAL DE MERCADORIAS (Concluída em 22 de dezembro de 1986) Os Estados-Partes da presente Convenção, Desejando unificar as regras

Leia mais

25638 Quarta-feira 27 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Julho de 2005

25638 Quarta-feira 27 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Julho de 2005 25638 Quarta-feira 27 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Julho de 2005 Julho de 2005 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Quarta-feira 27 25639 25640 Quarta-feira 27 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Julho de 2005 Julho de 2005 DIÁRIO

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS Reconhecida pelo Decreto Federal Nº 55.754, de 12 de fevereiro de 1965

FACULDADE DE DIREITO DE CAMPOS Reconhecida pelo Decreto Federal Nº 55.754, de 12 de fevereiro de 1965 DISCIPLINA: Direito Internacional dos Direitos Humanos PROFESSOR: Dr. Antonio Celso Alves Pereira EMENTA: Formação, autonomia e consolidação do Direito Internacional dos Direitos Humanos. A Carta Internacional

Leia mais

É devido o IPI na importação?

É devido o IPI na importação? É devido o IPI na importação? Kiyoshi Harada* Sumário: 1 Introdução. 2 O exame do fato gerador do IPI. 3 Interpretação do fato gerador do IPI a partir da matriz constitucional do imposto 1 Introdução Grassa

Leia mais

ICMS: Guerra Fiscal e a Zona Franca de Manaus. Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho

ICMS: Guerra Fiscal e a Zona Franca de Manaus. Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho ICMS: Guerra Fiscal e a Zona Franca de Manaus Carlos Alberto de Moraes Ramos Filho Guerra Fiscal : Definição Práticas competitivas entre entes de uma mesma federação em busca de investimentos privados.

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO MÓDULO I TEORIA GERAL DO DIREITO TRIBUTÁRIO 2014 1ª SEMESTRE

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO MÓDULO I TEORIA GERAL DO DIREITO TRIBUTÁRIO 2014 1ª SEMESTRE INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290-7º conj. 71/72 01318-902 - São Paulo - SP Fone/fax: (11) 3105-8206 - (11) 3241-5348 Expediente das 9 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª INTRODUZ UM MECANISMO DE SALVAGUARDA DA EQUIDADE FISCAL PARA TODOS OS CONTRIBUINTES E ELIMINA AS ISENÇÕES DE TRIBUTAÇÃO SOBRE MAIS-VALIAS OBTIDAS POR SGPS

Leia mais

Incidência ou não do ITBI sobre o valor do bem excedente ao do capital integralizado

Incidência ou não do ITBI sobre o valor do bem excedente ao do capital integralizado Incidência ou não do ITBI sobre o valor do bem excedente ao do capital integralizado Kiyoshi Harada* Grassa séria controvérsia doutrinária e jurisprudencial quanto à questão de saber se incide ou não o

Leia mais

ESTUDO SOBRE OS TRABALHADOS PARA PAGAR TRIBUTOS -

ESTUDO SOBRE OS TRABALHADOS PARA PAGAR TRIBUTOS - ESTUDO SOBRE OS PARA PAGAR TRIBUTOS - 2015 GILBERTO LUIZ DO AMARAL JOÃO ELOI OLENIKE LETÍCIA MARY FERNANDES DO AMARAL CRISTIANO LISBOA YAZBEK 05 de maio de 2015 NO ANO DE 2015 O BRASILEIRO TRABALHARÁ ATÉ

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 27 de setembro a 1º de outubro de 2010 Tema 4.17 da agenda CD50/26

Leia mais

Contribuinte x Responsável Regulamento do Imposto de Importação e Exportação

Contribuinte x Responsável Regulamento do Imposto de Importação e Exportação Contribuinte x Responsável Regulamento do Imposto de Importação e Exportação Guilherme Ehlers Farias é sócio do escritório Rodrigues, Ehlers & Neves. Formado em Ciências Contábeis no Centro Universitário

Leia mais

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social

Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social 1.4.7.3. Contribuições do art.195 CF Trataremos nesta aula das contribuições destinadas ao custeio da seguridade social (previdência, saúde e assistência social), espécies de contribuições sociais, como

Leia mais

A inconstitucionalidade na fixação de alíquotas progressivas para o Imposto sobre transmissão causa mortis e doação.

A inconstitucionalidade na fixação de alíquotas progressivas para o Imposto sobre transmissão causa mortis e doação. www.apd.adv.br +55 (27) 3019-3993 A inconstitucionalidade na fixação de alíquotas progressivas para o Imposto sobre transmissão causa mortis e doação. RESUMO: Atualmente muitos contribuintes realizam o

Leia mais

Unidade II. A afirmação pode ser comprovada da leitura do dispositivo transcrito:

Unidade II. A afirmação pode ser comprovada da leitura do dispositivo transcrito: Unidade II 4 IMUNIDADES TRIBUTÁRIAS A Constituição Federal proíbe a instituição de impostos sobre certas pessoas ou situações. Baleeiro (1976, p. 87) ensina que imunidades tributárias são: vedações absolutas

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 4 - Data 6 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA - IRPF PESSOA FÍSICA. RESIDENTE

Leia mais

Evolução do fenômeno da tributação

Evolução do fenômeno da tributação Evolução do fenômeno da tributação COM A GRADATIVA EVOLUÇÃO DAS DESPESAS PÚBLICAS, PARA ATENDER ÀS MAIS DIVERSAS NECESSIDADES COLETIVAS, TORNOU-SE IMPRESCINDÍVEL AO ESTADO LANÇAR MÃO DE UMA FONTE REGULAR

Leia mais

ACORDO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E O GOVERNO DA ROMÉNIA SOBRE PROMOÇÃO E PROTECÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS

ACORDO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E O GOVERNO DA ROMÉNIA SOBRE PROMOÇÃO E PROTECÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS Decreto n.º 23/94 de 26 de Julho Aprova o Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Roménia sobre Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos Nos termos da alínea c) do n.º 1 do

Leia mais

Júlio M. de Oliveira Mestre e doutor PUC/SP

Júlio M. de Oliveira Mestre e doutor PUC/SP PLR: pressupostos para caracterização conforme jurisprudência do CARF e a tributação dos planos de stock option Júlio M. de Oliveira Mestre e doutor PUC/SP A TRIBUTAÇÃO DOS PLANOS DE STOCK OPTION Hipótese

Leia mais

A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória

A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória A Cobrança da Contribuição Sindical Rural via Ação Monitória A ação monitória, prevista expressamente nos arts. 1102- A a 1102-C do Código de Processo Civil, consiste em uma advertência direcionada ao

Leia mais

- temas relevantes -

- temas relevantes - MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO Membro do CARF - Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda Juiz do TIT!SP - Tribunal de Impostos e Taxas do Estado de São Paulo Mestre em Direito Tributário

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 469, DE 2015

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 469, DE 2015 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 469, DE 2015 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo

Leia mais

BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56

BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56 BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56 Medida Provisória nº 627/13 Imposto de Renda da Pessoa Jurídica - Tributação em Bases Universais Com o advento da Lei nº 9.249, de 26 de dezembro de 1995, teve

Leia mais

15 Impostos ぜ い き ん 1 Impostos Nacionais Residentes e Não residentes

15 Impostos ぜ い き ん 1 Impostos Nacionais Residentes e Não residentes 15.Impostos ぜい きん 税 金 Os residentes no Japão por período superior a 1 ano, mesmo os de nacionalidade estrangeira, são obrigados a recolher impostos da mesma forma que os cidadãos japoneses caso recebam

Leia mais

Fundamentos de Direito Internacional. Aula Inaugural Escola Paulista de Direito - EPD. Programa de Pós-Graduação em Direito Internacional

Fundamentos de Direito Internacional. Aula Inaugural Escola Paulista de Direito - EPD. Programa de Pós-Graduação em Direito Internacional São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Belo Horizonte Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires Aula Inaugural Escola Paulista de Direito - EPD Fundamentos de Direito Internacional

Leia mais

Direito Tributário Nacional: Princípios Constitucionais Tributários. Fontes do Direito

Direito Tributário Nacional: Princípios Constitucionais Tributários. Fontes do Direito PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professor: Leandro Chiarello de Souza E-MAIL: leandrosouza@conection.com.br Período/ Fase: 5ª

Leia mais

21. Convenção sobre a Administração Internacional de Heranças

21. Convenção sobre a Administração Internacional de Heranças 21. Convenção sobre a Administração Internacional de Heranças Os Estados signatários da presente Convenção, Desejando estabelecer disposições comuns a fim de facilitar a administração internacional de

Leia mais

O Reino da Bélgica, a República Federal da Alemanha, a República Francesa, o Grão-Ducado do Luxemburgo, o Reino dos Países

O Reino da Bélgica, a República Federal da Alemanha, a República Francesa, o Grão-Ducado do Luxemburgo, o Reino dos Países Resolução da Assembleia da República n.º 21/99 Acordo de Cooperação entre o Reino da Bélgica, a República Federal da Alemanha, a República Francesa, o Grão-Ducado do Luxemburgo, o Reino dos Países Baixos,

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM À LUZ DO CONVÊNIO ICMS Nº 36, DE 26 DE MARÇO DE 2010

IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM À LUZ DO CONVÊNIO ICMS Nº 36, DE 26 DE MARÇO DE 2010 IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM À LUZ DO CONVÊNIO ICMS Nº 36, DE 26 DE MARÇO DE 2010 Rinaldo Maciel de Freitas * Nas operações de comércio exterior, é preciso entender a existência de duas modalidades de

Leia mais

TRIBUTÁRIO EM FOCO #edição 6

TRIBUTÁRIO EM FOCO #edição 6 TRIBUTÁRIO EM FOCO #edição 6 Maio de 2012 NOVIDADE NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA "GUERRA DOS PORTOS" - ICMS NAS IMPORTAÇÕES - RESOLUÇÃO DO SENADO Nº 13, DE 26 DE ABRIL DE 2012 DECISÕES JUDICIAIS PARTICIPAÇÃO

Leia mais

DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE

DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE DECRETO Nº 6.617, DE 23 DE OUTUBRO DE 2008: Promulga o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República da África do Sul no Campo da Cooperação Científica e Tecnológica,

Leia mais

14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD

14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD 14. TRIBUTOS EM ESPÉCIE Impostos sobre a Transmissão ITBI e ITCMD 1 - Imposto sobre transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens ou direitos (ITCMD) Compete privativamente aos Estados a instituição

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL (LRF) Atualizado até 13/10/2015 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) tem como base alguns princípios,

Leia mais

*50425D34* Mensagem n o 342. Senhores Membros do Congresso Nacional,

*50425D34* Mensagem n o 342. Senhores Membros do Congresso Nacional, ** Mensagem n o 342 Senhores Membros do Congresso Nacional, Nos termos do disposto no art. 49, inciso I, combinado com o art. 84, inciso VIII, da Constituição, submeto à elevada consideração de Vossas

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS OU PARAFISCAIS (Art.149 c/c 195, CF)

CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS OU PARAFISCAIS (Art.149 c/c 195, CF) CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS OU PARAFISCAIS (Art.149 c/c 195, CF) Prof. Alberto Alves www.editoraferreira.com.br O art. 149, caput, da Lei Maior prescreve a possibilidade de a União instituir Contribuições

Leia mais

Recentes precedentes jurisprudenciais em matéria de tributação internacional. Luís Eduardo Schoueri

Recentes precedentes jurisprudenciais em matéria de tributação internacional. Luís Eduardo Schoueri Recentes precedentes jurisprudenciais em matéria de tributação internacional Luís Eduardo Schoueri Preços de transferência Tribunal Regional Federal da 3ª Região, Acórdão nº 2.208/10, julgado em 19 de

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Direito tributário

Maratona Fiscal ISS Direito tributário Maratona Fiscal ISS Direito tributário 1. São tributos de competência municipal: (A) imposto sobre a transmissão causa mortis de bens imóveis, imposto sobre a prestação de serviço de comunicação e imposto

Leia mais

Sumário. I - O tráfego internacional de telecomunicações; II Da União Internacional das Telecomunicações UIT;

Sumário. I - O tráfego internacional de telecomunicações; II Da União Internacional das Telecomunicações UIT; A tributação das telecomunicações: A alteração do Tratado de Melbourne e suas implicações na tributação internacional de Telecom Incidência de IRRF e CideRoyalties nas operações de interconexão Sumário

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CÃMPUS JATAÍ PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CÃMPUS JATAÍ PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Câmpus Jataí Curso: Direito Disciplina: Direito Tributário II Carga horária semestral: 64 horas Semestre/ano: 2º semestre de 2013 Turma/Turno: 2798/A

Leia mais