VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA"

Transcrição

1 Prefeitura Municipal de PORTO ALEGRE Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde / CGVS Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA Adelaide Kreutz Pustai Enfermeira Epidemiologista EVDT/CGVS/SMS/PMPA

2 DENGUE Agente Etiológico Arbovírus do gênero Flavivírus 4 sorotipos : 1, 2, 3, 4. No Brasil, circulam os 4 sorotipos Vetores e reservatórios Mosquitos do gênero Aedes Aedes aegypti Aedes albopictus (transmissor do Dengue em países da Ásia. No Brasil ainda não é transmissor)

3 No Brasil

4 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DE DENGUE NO PAIS Ano 2015 Até SE 45 (08/11 a 14/11) Total: casos no Brasil Sudeste: casos (63,6%) em relação ao total do país. Nordeste: casos (18,2%) Centro-Oeste: casos (12,9%) Sul: casos (3,4%) Norte: casos (2,0%) Fonte: SVS/MS

5 Municipio Campeão de incidência de casos prováveis de dengue em 2015 em cada extrato populacional, segundo número de habitantes (Até SE 40). Até Até 100 a 499 mil Até 500 a 999 mil Mais de 1 milhão

6

7 Circulação dos sorotipos virais no país até a SE 45, 2015 Até a SE 45 foram enviadas sendo positivas (39,2%). As proporções dos sorotipos virais identificados foram: DENV1 (93,7%), seguido de DENV4 (5,2%), DENV2 (0,7%) e DENV3 (0,4%). Fonte: SVS/MS

8 No RIO GRANDE DO SUL RS

9 Comparativo dos casos de Dengue no RS de 2011 a 2015 até SE 43 Dados cumulativos da Semana Epidemiológica 1 até 43 de 2015 (04/01 a 31/10/15) Fonte: Site da SES/CEVS/RS Consulta realizada no dia 13/11/2015

10 Os 33 municípios do RS que apresentam casos autóctones Alvorada, Boa Vista do Sul, Caibaté, Campina das Missões, Carazinho, Cerro Largo, Entre-Ijuís, Erval Seco, Giruá, Guarani das Missões, Horizontina, Ibirubá, Ijuí, Lajeado, Mato Queimado, Novo Tiradentes, Osório, Panambi, Passo Fundo, Porto Alegre, Porto Xavier, Redentora, Rodeio Bonito, Rosário do Sul, Santa Rosa, Santiago, Santo Ângelo, São Luiz Gonzaga, São Miguel das Missões, Sarandi, Torres, Três de Maio e Viamão. DENv 1 foi o sorotipo identificado.

11 Em Porto Alegre

12 N de casos Prefeitura Municipal COORDENADORIA de Porto Alegre GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis - EVDT Frequência de casos investigados de Dengue por Semana Epidemiológica de início de sintomas e classificação final, pacientes residentes em Porto Alegre, RS, 2015 (até SE 44 07/11/2015) SE 01 SE 04 SE 07 SE 10 SE 13 Em investigação Dengue Total SE 16 SE 19 SE 22 SE 25 SE 28 SE 31 SE 34 N: Total: 493 Descartados: 419 Confirmados: 66 (17 autóctones) Dengue com sinais de alarme: 3 Descartado SE 37 SE 40 SE 43 SE 46 SE 49 SE 52 Dengue com sinais de alarme Ipanema (9 casos), Jardim Botânico (2 casos), Bom Jesus (2 casos), Floresta (1 caso), Nonoai (1 caso), Petrópolis (1 caso), Rubem Berta (1 caso), São José (1 caso) Rio de Janeiro (14), São Paulo(11), Minas Gerais (4), Goiás (4), Ceará (3), Bahia (3), Paraná (3), México(2), Mato Grosso (2), Colômbia (1), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1), Pernambuco (1), Sergipe (1), interior do RS (1). SOROTIPO IDENTIFICADO: DENv 1

13 CHIKUNGUNYA

14 Vírus RNA de fita simples Família Togaviridae Gênero Alphavirus VÍRUS CHIKUNGUNYA 3 subtipos: West Africa East South - Central Africa Ásia Isolado pela 1ª vez durante epidemia ocorrida na Tanzânia em Vetores - Mosquitos do gênero Aedes: Aedes aegypti, Aedes albopictus.

15 ASPECTOS GERAIS DA DOENÇA É uma doença viral transmitida por mosquitos, caracterizada por febre de início agudo e poliartralgia grave; A infecção é muito semelhante à infecção pelo vírus da dengue; A infecção assintomática é rara; A incubação é em média de 3 a 7 dias, podendo variar de 1 a 12 dias. A viremia no ser humano dura em média 10 dias; Frequentemente ocorrem grandes epidemias com altas taxas de ataque; As epidemias ocorriam em países da África, Ásia, Europa e dos Oceanos Índico e Pacífico; No final de 2013 foram registrados os primeiros casos autóctones das Américas, na ilha de Saint Martin, no Caribe.

16 Situação Epidemiológica de Chikungunya nas Américas Desde o início da Transmissão. 2013, 2014 e 2015 até dia 16/10 Investigados: Confirmados: Óbitos: 194 (direta ou indiretamente relacionados à Chikungunya) Transmissão em 50 países

17 Distribuição dos casos importados e autóctones de febre de chikungunya por município da Unidade da Federação de residência, Brasil, 2014 e Ano 2014: das de Febre de chikungunya (SE 37 a 53) nos estados da Bahia, Amapá, Roraima, Mato Grosso e Distrito Federal. Ano 2015: casos (até a SE 45) nos mesmos estados e mais Pernambuco, Sergipe, Santa Catarina. 61 municípios do Brasil com autoctonia (Em 7 estados mais DF)

18 SITUAÇÃO EM PORTO ALEGRE Ano de 2014: Número casos suspeitos de chikungunya investigados pela EVDT: 10 casos Número de casos confirmados: 5 País de infecção dos pacientes: Haiti: 2 Colômbia: 1 Venezuela: 1 Taiti: 1 Ano de 2015: Número casos suspeitos de chikungunya investigados pela EVDT: 5 casos Número de casos confirmados: 0

19

20

21

22 FEBRE DO ZIKA VÍRUS O Zika vírus (ZIKAV) é um arbovírus do gênero Flavivírus. Foi isolado em 1947 na floresta Zika em Uganda. Há duas linhagens, Africana e Asiática. Modo de transmissão: pela picada do Aedes aegypti infectado, o mesmo que transmite a dengue e a febre do chikungunya Primeira evidência de infecção em humanos, 1952 A comunidade internacional reconhece o potencial epidêmico do vírus Zika a partir de 2005 Surtos na Oceania em 2007 Doença pouco conhecida Período de incubação: de 3 a 12 dias

23 Distribuição dos vírus Zika e Chikungunya antes de 2005 e sua expansão no mundo e na Oceania, entre 2005 e 2015.

24 FEBRE DO ZIKA VÍRUS Sintomas: febre baixa, hiperemia conjuntival (olhos vermelhos), artralgia (dores em articulação) e exantema maculo-papular (erupção cutânea com pontos brancos ou vermelhos), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas Os sinais e sintomas podem durar até 7 dias A maior parte dos casos não apresenta sinais e sintomas, somente 18% são sintomáticos

25 FEBRE DO ZIKA VÍRUS manchas avermelhadas no corpo e coceira conjuntivite

26 FEBRE DO ZIKA VÍRUS Complicações: em geral tem evolução benigna, mas há relatos de complicações neurológicas como Síndrome de Guillian-Barré (aumento de casos nos estados da BA, PE, PB, MA em 2015) Tratamento: sintomático, com paracetamol para febre e dor, conforme orientação médica. Não está indicado o uso de ácido acetilsalicílico e drogas antiinflamatórias Prevenção: combate ao mosquito da dengue por meio de eliminação de criadouros

27 Quadro clínico FEBRE DO ZIKA VÍRUS Diagnóstico Avaliar antecedente de viagem para locais com transmissão da doença Diagnóstico laboratorial: Testes sorológicos não disponíveis comercialmente Realização de PCR em amostras coletadas do 1º ao 4º dia da doença no Laboratório de Referência (FIOCRUZ/PARANÁ) após descarte para dengue Outros diagnósticos podem ser considerados

28 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DO ZIKA VÍRUS Brasil: Até a SE 45, 14/11/2015, foram confirmados laboratorialmente casos de Febre do Zika em 18 Estados. Segundo a OMS, somente neste ano foram confirmados casos de Zika em nove países das Américas. Brasil, Chile - na ilha de Páscoa -, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Suriname e Venezuela.

29 MICROCEFALIA 11/11/15: MS declara Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional pelo aumento do número de casos microcefalia no país Até 5/12/2015, foram notificados 1761 casos suspeitos da doença em RN de 422 municípios de 18 estados e Distrito federal e 19 óbitos: Fonte: SVS/MS

30 Evidências que sustentam a decisão do Ministério da Saúde no reconhecimento da relação do Zika Vírus com a Microcefalia: Constatação de que os padrões de distribuição dos casos suspeitos de microcefalia pósinfecciosa apresentam características de dispersão e não indicam concentração espacial Constatação, após investigação epidemiológica de prontuários e entrevistas com mais de 60 gestantes, que referiram doença exantemática na gestação e cujas crianças com microcefalia, sem histórico de doença genética na família e exames de imagem sugestivo de processo infeccioso; Observações de especialistas em diversas áreas da medicina confirmam que há alteração no padrão clínico individual desses casos que apresentam características de comprometimento do Sistema Nervoso Central, similar às infecções congênitas por arbovírus em animais, como descrito na literatura

31 Evidências que sustentam a decisão do Ministério da Saúde no reconhecimento da relação do Zika Vírus com a Microcefalia: Evidência na literatura de que o vírus Zika é neurotrópico, demostrado em modelo animal e pelo aumento na freqüência de quadros neurológicos relatados na Polinésia Francesa e no Brasil após infecção por Zika e confirmado em Pernambuco, após isolamento do vírus em paciente com síndrome neurológica aguda; Identificação de casos de microcefalia também na Polinésia Francesa após notificação do Brasil à Organização Mundial da Saúde Constatação da relação de infecção pelo vírus Zika com quadros graves e óbitos, a partir da identificação de casos que evoluíram para óbito em estados diferentes e ambos com identificação do RNA viral do Zika e resultados negativos para os demais vírus conhecidos, como dengue, chikungunya entre outros;

32 Evidências que sustentam a decisão do Ministério da Saúde no reconhecimento da relação do Zika Vírus com a Microcefalia: Identificação do vírus Zika em líquido amniótico (17/11/2015) de duas gestantes cujo feto apresentava microcefalia, no interior da Paraíba; 70 a 80% das mães com filhos com microcefalia tiveram sintomas compatíveis com Zika vírus no início da gestação; Identificação de recém-nascido, no estado do Ceará, com diagnóstico de microcefalia durante a gestação e resultado positivo para o vírus Zika, tendo evoluído para óbito nos primeiros 5 minutos de vida

33 DEFINIÇÃO DE CASOS GESTANTE COM POSSÍVEL INFECÇÃO PELO VÍRUS ZIKA DURANTE A GESTAÇÃO Caso suspeito Toda grávida, em qualquer idade gestacional, com doença exantemática aguda, excluídas outras hipóteses de doenças infecciosas e causas não infecciosas conhecidas. EXAME LABORATORIAL ESPECÍFICO PARA DIAGNOSTICO DE VÍRUS ZIKA RT-PCR E Sorologia RT-PCR - Soro se for 0º-5º dia do início dos sintomas E - Urina se estiver até 8º dia do início dos sintomas Sorologia - Soro: 1ª. Coleta se estiver do 3º. 5º. dia do início dos sintomas - Soro: 2ª. Coleta após 2 a 4 semanas da primeira coleta

34 VIGILÂNCIA DAS MICROCEFALIAS Medidas desenvolvidas: Notificação imediata por telefone Notificação dos casos suspeitos, por meio do formulário de Registro de Eventos de Saúde Pública referente às microcefalias (RESP Microcefalias), no endereço Notificação imediata não isenta o profissional ou serviço de saúde de realizar a notificação no SINASC, por meio da Declaração de Nascido Vivo. Serão excluídos para finalidade de vigilância, todos os casos que, após revisão da aferição das medidas, dos exames ou do critério de enquadramento, não estejam contemplados nas definições estabelecidas para relação com infecção pelo vírus Zika.

35 Orientação para gestantes: manter o acompanhamento pré-natal, com a realização dos exames recomendados pelo médico; não consumir bebidas alcoólicas ou outro tipo de drogas; não utilizar medicamentos com potencial teratogênico, sem orientação médica; evitar contato com pessoas com febre ou infecções; adotar medidas que reduzam a presença de mosquitos transmissores de doenças, com a eliminação de criadouros (retirada de recipientes com água parada e cobertura adequada de locais de armazenamento de água) proteger-se da exposição aos mosquitos (manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes, evitar horários e lugares com presença de mosquitos); recomenda-se evitar viagens a locais com transmissão viral; recomenda-se adiar o planejamento familiar.

36 Ficha de notificação de microcefalia

37

38 MICROCEFALIA

39 Frequência de sinais e sintomas mais comuns de infecção por Zika Vírus em comparação com a infecção pelos vírus da dengue e chikungunya, segundo observações da Universidade Federal de Pernambuco, até dezembro de Sinais e sintomas Febre Dengue Zika Chikungunya Acima de 38º C 4 a7 dias Manchas na pele A partir do 4ª dia 30-50% dos casos Dor nos músculos Freqüência Dor na articulação Freqüência Sem febre ou afebril 38ºC 1 a2 dias subfebril Surge no 1º ou 2º dia % dos casos Febre alta 38ºC 2 a3 dias Surge 2-5 dia 50% dos casos +++/+++ ++/+++ +/+++ +/+++ ++/ /+++

40 Sinais e sintomas Dengue Zika Chikungunya Prefeitura Municipal COORDENADORIA de Porto Alegre GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis - EVDT Intensidade da dor articular Leve Leve/Moderada Moderada/Intensa Edema de articulação Raro Freqüente e leve intensidade Conjuntivite Raro 50-90% dos casos 30% Cefaléia: Freqüência/ intensidade Prurido Leve Moderada/ Intensa Leve Hipertrofia ganglionar Frequência Freqüente e de moderada a intenso Leve Intensa Moderada Discrasia Hemorrágica Moderada Ausente leve Acometimento Neurológico Raro Mais freqüente que na dengue e Chikungunya Raro predominante em Neonato Fonte: Carlos Brito Professor da Universidade Federal de Pernambuco (atualização em dezembro/2015)

41 Fluxo dos testes para Dengue Sangue total ou Soro 1º dia de febre ao 5º dia Soro 7º dia de febre ao 30º dia de sintomas ELISA NS1 Não reagente ELISA IgM Reagente Isolamento viral Realizar IgM após o 7ºdia de sintomas Não Reagente Reagente MacELISA Cultivo celular RT PCR Identificação Reagente Não Reagente

42 NOTIFICAÇÃO Profissional de saúde que estiver atendendo caso suspeito de Dengue, Chikungunya ou Zika deve NOTIFICAR imediatamente, por telefone, para a EVDT, a fim de que os exames sorológicos específicos possam ser combinados e medidas de controle ambiental possam ser adotadas de forma oportuna.

43 Prefeitura Municipal COORDENADORIA de Porto Alegre GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis - EVDT PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE CGVS EQUIPE DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS

NOTA TÉCNICA MICROCEFALIA RELACIONADA AO ZIKA VIRUS

NOTA TÉCNICA MICROCEFALIA RELACIONADA AO ZIKA VIRUS NOTA TÉCNICA MICROCEFALIA RELACIONADA AO ZIKA VIRUS MICROCEFALIA A microcefalia é uma malformação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. É caracterizada por um perímetro cefálico

Leia mais

Guia de perguntas e respostas a respeito do vírus Zika

Guia de perguntas e respostas a respeito do vírus Zika Guia de perguntas e respostas a respeito do vírus Zika - O que é o vírus Zika? O vírus Zika é um arbovírus (grande família de vírus), transmitido pela picada do mesmo vetor da dengue e da chikungunya,

Leia mais

INFORME TÉCNICO SEMANAL: DENGUE, CHIKUNGUNYA, ZIKA E MICROCEFALIA RELACIONADA À INFECÇÃO PELO VÍRUS ZIKA

INFORME TÉCNICO SEMANAL: DENGUE, CHIKUNGUNYA, ZIKA E MICROCEFALIA RELACIONADA À INFECÇÃO PELO VÍRUS ZIKA 1. DENGUE Em 2015, até a 52ª semana epidemiológica (SE) foram notificados 79.095 casos, com incidência de 5.600,2/100.000 habitantes. Quando comparado ao mesmo período do ano anterior observa-se um aumento

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Chikungunya CARACTERÍSTICAS

Perguntas e Respostas sobre Chikungunya CARACTERÍSTICAS Perguntas e Respostas sobre Chikungunya CARACTERÍSTICAS O que é Chikungunya? É uma doença infecciosa febril, causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), que pode ser transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti

Leia mais

DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA VÍRUS: CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO E PERSPECTIVAS

DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA VÍRUS: CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO E PERSPECTIVAS DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA VÍRUS: CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO E PERSPECTIVAS Priscila Leal e Leite Coordenação do Programa Nacional do Controle da Dengue - CGPNCD Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis

Leia mais

Dengue, Chikungunya e Zika

Dengue, Chikungunya e Zika SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DA PARAÍBA GERENCIA EXECUTIVA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Dengue, Chikungunya e Zika Nº 01/2016 Situação epidemiológica De 01 a 25 de janeiro de 2016 ( 4ª* semana epidemiológica

Leia mais

TODOS CONTRA O A PREVENÇÃO É A MELHOR SOLUÇÃO

TODOS CONTRA O A PREVENÇÃO É A MELHOR SOLUÇÃO TODOS CONTRA O MOSQUITO A PREVENÇÃO É A MELHOR SOLUÇÃO Sobre o Aedes aegypti O mosquito Aedes aegypti é o transmissor da Dengue, Chikungunya e e a infecção acontece após a pessoa receber uma picada do

Leia mais

Informe Epidemiológico CHIKUNGUNYA N O 03 Atualizado em 24-11-2014, às 11h.

Informe Epidemiológico CHIKUNGUNYA N O 03 Atualizado em 24-11-2014, às 11h. Informe Epidemiológico CHIKUNGUNYA N O 03 Atualizado em 24-11-2014, às 11h. Vigilância Epidemiológica de Febre Chikungunya No Brasil, a febre chikungunya é uma doença de notificação compulsória e imediata,

Leia mais

Fernanda Bianchi dos Santos Pedrosa R4 CCIH IAMSPE

Fernanda Bianchi dos Santos Pedrosa R4 CCIH IAMSPE Fernanda Bianchi dos Santos Pedrosa R4 CCIH IAMSPE Zika vírus Arbovirus Familia Flaviviridae Duas linhagens africana e asiática Floresta Zika em Uganda (África) 1947: macacos Rhesus floresta Zika 1952:

Leia mais

É uma doença infecciosa febril, causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), transmitido pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus.

É uma doença infecciosa febril, causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), transmitido pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. Chikungunya O QUE É O que é Chikungunya? É uma doença infecciosa febril, causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), transmitido pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. O que significa o nome? Significa

Leia mais

Vírus Zika; Arboviroses; Aedes aegypti; Aedes albopictus

Vírus Zika; Arboviroses; Aedes aegypti; Aedes albopictus NÚMERO: 001/2016 DATA: 15/01/2016 ATUALIZAÇÃO: 08/02/2016 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: Doença por vírus Zika Vírus Zika; Arboviroses; Aedes aegypti; Aedes albopictus Sistema Nacional de Saúde CONTACTOS:

Leia mais

Situação Epidemiológica da Dengue

Situação Epidemiológica da Dengue Boletim Epidemiológico Nº 03-2016 Situação Epidemiológica da Dengue Em 2016, foram notificados 510 casos suspeitos de dengue no estado do Acre até a semana epidemiológica 02(10/01/2016 a 16/01/2016). Sendo

Leia mais

NOTA À IMPRENSA SOBRE MICROCEFALIA

NOTA À IMPRENSA SOBRE MICROCEFALIA NOTA À IMPRENSA SOBRE MICROCEFALIA Até 21 de novembro de 2015, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove estados do Brasil, de acordo com a segunda

Leia mais

Índice 3. Introdução 4. O que é Aedes aegypti? 5. Como o mosquito chegou até nós 6. Casos de dengue em Campinas 7. O que é o Chikungunya? 8.

Índice 3. Introdução 4. O que é Aedes aegypti? 5. Como o mosquito chegou até nós 6. Casos de dengue em Campinas 7. O que é o Chikungunya? 8. Índice 3. Introdução 4. O que é Aedes aegypti? 5. Como o mosquito chegou até nós 6. Casos de dengue em Campinas 7. O que é o Chikungunya? 8. O que é e como surgiu o zika vírus 9. Sintomas 10. Diferença

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº02/2015 SUVIGE/CPS/SESAP/RN. Assunto: Atualização sobre doença não esclarecida com exantema

NOTA TÉCNICA Nº02/2015 SUVIGE/CPS/SESAP/RN. Assunto: Atualização sobre doença não esclarecida com exantema GOVERNO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA COORDENADORIA DE PROMOÇÃO A SAÚDE SUBCOORDENADORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 730, 5 andar CEP:

Leia mais

FAÇA A SUA PARTE. Um mosquito não é mais forte que um país inteiro!

FAÇA A SUA PARTE. Um mosquito não é mais forte que um país inteiro! FAÇA A SUA PARTE Um mosquito não é mais forte que um país inteiro! DENGUE O que é? A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em

Leia mais

1. DENGUE. Gráfico 1 Incidência de casos de dengue por Distrito Sanitário em Goiânia 2015, SE 21. Fonte: IBGE 2000 e SINAN/DVE/DVS/SMS- Goiânia

1. DENGUE. Gráfico 1 Incidência de casos de dengue por Distrito Sanitário em Goiânia 2015, SE 21. Fonte: IBGE 2000 e SINAN/DVE/DVS/SMS- Goiânia 1. DENGUE Em 2015, até a 21ª semana epidemiológica foram notificados 54.675 casos com incidência de 3.871,2/100.000 habitantes e quando comparado ao mesmo período do ano anterior observa-se um aumento

Leia mais

Informe Técnico SARAMPO nº 5 Sarampo no Estado de São Paulo

Informe Técnico SARAMPO nº 5 Sarampo no Estado de São Paulo GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO RESPIRATÓRIA

Leia mais

Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO

Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO Inimigo N 1 o AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO O mosquito esta muito mais perigoso A Bahia está em alerta com a epidemia de três doenças: Dengue, Chikungunya e Zika. Elas são transmitidas pela picada

Leia mais

Protocolo para Implantação de Unidades Sentinelas para Zika vírus

Protocolo para Implantação de Unidades Sentinelas para Zika vírus Protocolo para Implantação de Unidades Sentinelas para Zika vírus Antecedentes e justificativa O Zika vírus (ZIKAV) é um arbovírus do gênero Flavivírus, família Flaviviridae. Este vírus foi isolado pela

Leia mais

ZIKA VÍRUS INFORMAÇÕES SOBRE A DOENÇA

ZIKA VÍRUS INFORMAÇÕES SOBRE A DOENÇA ZIKA VÍRUS INFORMAÇÕES SOBRE A DOENÇA E INVESTIGAÇÃO DE SÍNDROME EXANTEMÁTICA NO NORDESTE Wanderson Kleber de Oliveira Coordenação Geral de Vigilância e Resposta às Emergências de Saúde Pública Departamento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Saúde do Estado da Bahia Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde NOTA TÉCNICA Nº 03/2015 DIVEP/LACEN/SUVISA/SESAB Assunto: Casos de ZIKA Vírus e de Doença

Leia mais

Dengue grave. Diagnóstico laboratorial da dengue em seres humanos

Dengue grave. Diagnóstico laboratorial da dengue em seres humanos Prefeitura Municipal de Curitiba - Secretaria Municipal da Saúde Centro de Epidemiologia - Vigilância Epidemiológica DENGUE (CID A90 ou A91) CHIKUNGUNYA (CID A92) ZIKA (CID A92.8) Definição de caso suspeito

Leia mais

INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA

INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA INFORME SEMANAL DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA Perguntas e respostas sobre a FEBRE CHIKUNGUNYA O que é Chikungunya? É uma doença infecciosa febril, causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), que pode ser transmitida

Leia mais

SEMINÁRIO ZIKA, CHIKUNGUNYA, DENGUE BELO HORIZONTE, DEZEMBRO DE 2015

SEMINÁRIO ZIKA, CHIKUNGUNYA, DENGUE BELO HORIZONTE, DEZEMBRO DE 2015 SEMINÁRIO ZIKA, CHIKUNGUNYA, DENGUE BELO HORIZONTE, DEZEMBRO DE 2015 DENGUE- 2015 57.210 casos prováveis em 2014 semanas 01 a 49 183.761 casos prováveis em 2015 semanas 01 a 49 Aumento de 221% em relação

Leia mais

Zika virus (ZIKV) Dra. Viviane Dias Infectologista XX Jornada APARCIH 27 e 28 Novembro 2015

Zika virus (ZIKV) Dra. Viviane Dias Infectologista XX Jornada APARCIH 27 e 28 Novembro 2015 Zika virus (ZIKV) Dra. Viviane Dias Infectologista XX Jornada APARCIH 27 e 28 Novembro 2015 Maio/15 Maio/15 22/11 25/11 http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/11/entenda-o-que-emicrocefalia-e-como-se-proteger-do-surto.html

Leia mais

É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS!

É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS! Filiado a: Dengue, Chikungunya e Zika Vírus É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS! AEDES AEGYPTI Aedes Aegypti e Aedes Albopictus são as duas espécies de mosquito que podem transmitir Dengue,

Leia mais

NOTA TECNICA SAÚDE-N. 26-2015. Título: CNM alerta municípios em áreas de risco do mosquito Aedes aegypti

NOTA TECNICA SAÚDE-N. 26-2015. Título: CNM alerta municípios em áreas de risco do mosquito Aedes aegypti NOTA TECNICA SAÚDE-N. 26-2015 Brasília, 01 de dezembro de 2015. Área: Área Técnica em Saúde Título: CNM alerta municípios em áreas de risco do mosquito Aedes aegypti Fonte: Dab/MS/SAS/CNS 1. Em comunicado

Leia mais

Informe Técnico Sarampo nº 9 - ALERTA SARAMPO. Novos casos confirmados de sarampo (Genótipo D4), residentes no Estado de São Paulo.

Informe Técnico Sarampo nº 9 - ALERTA SARAMPO. Novos casos confirmados de sarampo (Genótipo D4), residentes no Estado de São Paulo. INFORME TÉCNICO Nº 9 (Outubro) ALERTA SARAMPO 2011 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE

Leia mais

SMSA divulga resultado do LIRAa de Outubro de 2015

SMSA divulga resultado do LIRAa de Outubro de 2015 SMSA divulga resultado do LIRAa de Outubro de 2015 O Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti LIRAa, de outubro de 2015, demonstra que 0,6% dos imóveis pesquisados em Belo Horizonte conta com a presença

Leia mais

Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014. Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya

Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014. Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014 Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya 1. Características da doença A Febre do Chikungunya (CHIKV) é uma doença causada por

Leia mais

NOTA INFORMATIVA - SVS/MS. Assunto: Procedimentos a serem adotados para a vigilância da Febre do Chikungunya no Brasil

NOTA INFORMATIVA - SVS/MS. Assunto: Procedimentos a serem adotados para a vigilância da Febre do Chikungunya no Brasil MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Departamento de Vigilância Epidemiológica Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Ala Sul 70.058-900 Brasília-DF Tel. 3315 2755 NOTA INFORMATIVA

Leia mais

Diretoria de Vigilância Epidemiológica FEBRE DO CHIKUNGUNYA NOTA TÉCNICA 01/2014

Diretoria de Vigilância Epidemiológica FEBRE DO CHIKUNGUNYA NOTA TÉCNICA 01/2014 FEBRE DO CHIKUNGUNYA NOTA TÉCNICA 01/2014 Assunto: Informações e procedimentos para a vigilância da Febre do Chikungunya na Bahia. I. A Febre do Chikungunya é uma doença causada por um vírus do gênero

Leia mais

A INCIDÊNCIA DA DENGUE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA EM 2009

A INCIDÊNCIA DA DENGUE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA EM 2009 A INCIDÊNCIA DA DENGUE NO MUNICÍPIO DE ITABUNA EM 2009 TRANZILLO, Eliene Maria dos Santos 1 MARTINS, Inatiane Campos Lima 2 BATISTA, Gustavo Silva 3 1. Introdução A dengue é um dos principais problemas

Leia mais

DENGUE e DENGUE HEMORRÁGICO

DENGUE e DENGUE HEMORRÁGICO DENGUE e DENGUE HEMORRÁGICO Prof. Dr. Rivaldo Venâncio da Cunha Dourados, 08 de fevereiro de 2007 O que é o dengue? O dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus; Este vírus pode ser de quatro

Leia mais

Plano de Contingência Contra a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus

Plano de Contingência Contra a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus 2016 Plano de Contingência Contra a Dengue, Febre Chikungunya e Zika Vírus Sumário 1 DENGUE... 2 2 FEBRE CHIKUNGUNYA... 4 3 ZIKA VÍRUS... 4 4 RESUMO SINTOMÁTICO... 5 5 MÉTODOS PREVENTIVOS... 6 6 ANEXO

Leia mais

Dayse Amarílio DENGUE

Dayse Amarílio DENGUE Dayse Amarílio DENGUE DENGUE AGENTE: Vírus Arbovírus 4 sorotipos RNA Transmissão indireta: VETOR- Aedes aegypti PI: 3 a 15 dias Doença febril aguda Exames diagnósticos: -Isolamento viral: Até o 5º dia.

Leia mais

Doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti

Doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti Doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti Dengue O que é a Dengue? A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que

Leia mais

Arbovírus: arthropod-born virus 400 vírus isolados 100 patógenos humanos. Febres indiferenciadas Encefalites Febres hemorrágicas

Arbovírus: arthropod-born virus 400 vírus isolados 100 patógenos humanos. Febres indiferenciadas Encefalites Febres hemorrágicas Arbovírus: Hospedeiro natural vertebrado arthropod-born virus 400 vírus isolados 100 patógenos humanos Vetor hematófago Hospedeiro vert. Vetor hemat. Febres indiferenciadas Encefalites Febres hemorrágicas

Leia mais

Que no ano de 2015 até a presente data foram notificados 4 casos de microcefalia, sendo que nenhum relacionado à infecção pelo Zika vírus;

Que no ano de 2015 até a presente data foram notificados 4 casos de microcefalia, sendo que nenhum relacionado à infecção pelo Zika vírus; Nota Técnica SESA N 01/2015 i - Orientação às Equipes de Saúde sobre Microcefalia Curitiba, 02 de dezembro de 2015. A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA) considerando: A confirmação pelo Ministério

Leia mais

Se o mosquito da dengue pode matar, ele não pode nascer.

Se o mosquito da dengue pode matar, ele não pode nascer. Dezembro/2015 Se o mosquito da dengue pode matar, ele não pode nascer. Você sabia que o mosquito da dengue demora, em média, 7 dias para nascer? Além disso, ele está mais forte e também transmite duas

Leia mais

O NOVO VÍRUS DO Aedes : ZIKV

O NOVO VÍRUS DO Aedes : ZIKV O NOVO VÍRUS DO Aedes : ZIKV Geovana Santana Rodrigues¹; Laura Raniere Borges dos Anjos Ferreira²; Mônica de Oliveira Santos³; Instituto de Ciência da Saúde - Faculdade Alfredo Nasser/UNIFAN geo-sr@hotmail.com

Leia mais

Situação da Dengue no RS. João Gabbardo dos Reis Secretário Estadual da Saúde/RS 2015

Situação da Dengue no RS. João Gabbardo dos Reis Secretário Estadual da Saúde/RS 2015 Situação da Dengue no RS João Gabbardo dos Reis Secretário Estadual da Saúde/RS 2015 Programa Estadual de Controle da Dengue (PECD) Programa Estadual de Vigilância do Aedes aegypti (PEVAa) Regiões do RS,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Gavião-BA PODER EXECUTIVO

Prefeitura Municipal de Gavião-BA PODER EXECUTIVO ANO. 2014 DO MUNICÍPIO DE GAVIÃO - BAHIA 1 A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. GAVIÃO: SECRETARIA DE SAÚDE REALIZA CAMPANHA PREVENTIVA

Leia mais

Plano de Ação do Agente Comunitário de Saúde para combate ao Aedes aegypti

Plano de Ação do Agente Comunitário de Saúde para combate ao Aedes aegypti SECRETÁRIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Plano de Ação do Agente Comunitário de Saúde para combate ao Aedes aegypti Porto Alegre - RS 2016 SECRETÁRIA

Leia mais

PREFEITURA DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE CONTROLE DE ZOONOSES DENGUE

PREFEITURA DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CENTRO DE CONTROLE DE ZOONOSES DENGUE DENGUE O que é? A dengue é uma doença febril aguda, causada por vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti (Brasil e Américas) e Aedes albopictus (Ásia). Tem caráter epidêmico, ou seja, atinge um grande

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE

DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DENGUE O que é a Dengue? A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus chamado flavivirus,

Leia mais

Publicação Mensal sobre Agravos à Saúde Pública ISSN 1806-4272

Publicação Mensal sobre Agravos à Saúde Pública ISSN 1806-4272 Publicação Mensal sobre Agravos à Saúde Pública ISSN 1806-4272 Dezembro, 2007 Volume 4 Número 48 Dengue em números Dengue in Numbers Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses do Centro de

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde

Secretaria de Estado da Saúde Aedes aegypti ovos larvas pupas Inseto adulto Aedes aegypti É o mosquito que transmite Dengue Leva em média 7 dias de ovo a adulto; Tem hábitos diurnos; Vive dentro ou próximo de habitações humanas; A

Leia mais

REGIONAL DE SAÚDE SUDOESTE 1 RIO VERDE

REGIONAL DE SAÚDE SUDOESTE 1 RIO VERDE ORDEM CASOS DE DENGUE DA REGIONAL DE SAÚDE SUDOESTE 1 EM 2015 (Período: 10/08/2015 à 10/11/2015) MUNICÍPIO ABERTO SOROLOGIA EXAME NS1 ISOLAMENTO VIRAL CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO REALIZADO NÃO REALIZADO NÃO

Leia mais

[175] a. CONSIDERAÇÕES GERAIS DE AVALIAÇÃO. Parte III P R O T O C O L O S D E D O E N Ç A S I N F E C C I O S A S

[175] a. CONSIDERAÇÕES GERAIS DE AVALIAÇÃO. Parte III P R O T O C O L O S D E D O E N Ç A S I N F E C C I O S A S [175] Geralmente ocorre leucocitose com neutrofilia. A urina contém bile, proteína hemácias e cilindros. Ocorre elevação de CK que não é comum em pacientes com hepatite. Oligúria é comum e pode ocorrer

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Programa Nacional de Controle da Dengue Febre Hemorrágica da Dengue e Apresentações Graves Definição e Rotina de Investigação Maio 2010 Dengue no Brasil

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM DENGUE NA REDE MUNICIPAL DE SAÚDE DE DOURADOS/MS Fernanda de Brito Moreira bolsista UEMS 1

AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM DENGUE NA REDE MUNICIPAL DE SAÚDE DE DOURADOS/MS Fernanda de Brito Moreira bolsista UEMS 1 AVALIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM DENGUE NA REDE MUNICIPAL DE SAÚDE DE DOURADOS/MS Fernanda de Brito Moreira bolsista UEMS 1 Roberto Dias de Oliveira orientador 2 Cidade Universitária

Leia mais

Diagnóstico Laboratorial de Chikungunya

Diagnóstico Laboratorial de Chikungunya Diagnóstico Laboratorial de Chikungunya Fernanda Montenegro de Carvalho Araújo Dezembro/2014 Introdução A febre do CHIKUNGUNYA é uma doença endêmica nos países do Sudeste da Ásia, África e Oceania e emergente

Leia mais

FORÇA-TAREFA CONTRA DENGUE, ZIKA VÍRUS E FEBRE CHIKUNGUNYA

FORÇA-TAREFA CONTRA DENGUE, ZIKA VÍRUS E FEBRE CHIKUNGUNYA FORÇA-TAREFA CONTRA DENGUE, ZIKA VÍRUS E FEBRE CHIKUNGUNYA POR QUE AGORA? Porque o Brasil vive uma legítima epidemia que colocou o país em Estado de Emergência em Saúde Pública, situação semelhante a Gripe

Leia mais

Epidemiológico. Boletim. Monitoramento dos casos de microcefalias no Brasil, até a semana epidemiológica 46, 2015

Epidemiológico. Boletim. Monitoramento dos casos de microcefalias no Brasil, até a semana epidemiológica 46, 2015 Boletim Epidemiológico Volume 46 N 37-2015 Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde ISSN 2358-9450 Monitoramento dos casos de microcefalias no Brasil, até a semana epidemiológica 46, 2015

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 008/2014/DIVE/SUV/SES (Atualizada em 14/11/2014)

NOTA TÉCNICA Nº 008/2014/DIVE/SUV/SES (Atualizada em 14/11/2014) NOTA TÉCNICA Nº 008/2014/DIVE/SUV/SES (Atualizada em 14/11/2014) Aspectos Gerais Assunto: Procedimentos a serem adotados em Santa Catarina frente a caso suspeito de Febre de Chikungunya A Febre de Chikungunya

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 001 DIVE/SES/2014

NOTA TÉCNICA Nº 001 DIVE/SES/2014 ESTADO DE SANTA CATARINA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA NOTA TÉCNICA Nº 001 DIVE/SES/2014 Assunto: Orienta

Leia mais

ALERTA SARAMPO VACINAR, VACINAR e VACINAR ATUALIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA, ABRIL DE 2015

ALERTA SARAMPO VACINAR, VACINAR e VACINAR ATUALIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA, ABRIL DE 2015 ALERTA SARAMPO VACINAR, VACINAR e VACINAR ATUALIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA, ABRIL DE 2015 O estado de São Paulo não apresenta circulação endêmica do vírus do sarampo desde 2000, mas a doença continua ocorrendo

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 21 A Secretaria de Vigilância em Saúde, em trabalho

Leia mais

AUTARQUIA EDUCACIONAL DE BELO JARDIM CURSO BACHARELADO EM ENFERMAGEM ROSELINE CALISTO FEBRE DO NILO OCIDENTAL

AUTARQUIA EDUCACIONAL DE BELO JARDIM CURSO BACHARELADO EM ENFERMAGEM ROSELINE CALISTO FEBRE DO NILO OCIDENTAL AUTARQUIA EDUCACIONAL DE BELO JARDIM CURSO BACHARELADO EM ENFERMAGEM ROSELINE CALISTO FEBRE DO NILO OCIDENTAL Belo Jardim 2008 FEBRE DO NILO OCIDENTAL 1. DESCRIÇÃO Infecção viral que pode transcorrer de

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Dengue no Brasil Informe epidemiológico 17/2009 Monitoramento CGPNCD

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Dengue no Brasil Informe epidemiológico 17/2009 Monitoramento CGPNCD MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Dengue no Brasil Informe epidemiológico 17/2009 Monitoramento CGPNCD Período: Semana epidemiológica 1 a 26 de 2009 As notificações de casos suspeitos

Leia mais

REDAÇÃO Um país doente: dengue, zica e Chikungunya

REDAÇÃO Um país doente: dengue, zica e Chikungunya REDAÇÃO Um país doente: dengue, zica e Chikungunya INSTRUÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo

Leia mais

AEDES AEGYPTI - O IMPACTO DE UMA ESPÉCIE EXÓTICA INVASORA NA SAÚDE PÚBLICA

AEDES AEGYPTI - O IMPACTO DE UMA ESPÉCIE EXÓTICA INVASORA NA SAÚDE PÚBLICA AEDES AEGYPTI - O IMPACTO DE UMA ESPÉCIE EXÓTICA INVASORA NA SAÚDE PÚBLICA Porto Alegre, junho de 2016 1. O vetor Originário da África, o mosquito Aedes aegypti tem duas subespécies, Aedes aegypti formosus

Leia mais

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências O Sistema de Informação de Agravos de Notificação Online (SINAN Online) tem por objetivo a notificação

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

ATUAÇÃO DOS ENFERMEIROS NO CONTROLE DE UM SURTO DE DENGUE NO MUNICÍPIO DE PIRIPIRI-PI

ATUAÇÃO DOS ENFERMEIROS NO CONTROLE DE UM SURTO DE DENGUE NO MUNICÍPIO DE PIRIPIRI-PI ATUAÇÃO DOS ENFERMEIROS NO CONTROLE DE UM SURTO DE DENGUE NO MUNICÍPIO DE PIRIPIRI-PI INTRODUÇÃO A dengue é uma doença infecciosa febril aguda benigna na maior parte dos casos. É causada pelo vírus do

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA Prefeitura Municipal de PORTO ALEGRE Secretaria Municipal de Saúde Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde / CGVS Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA DENGUE,

Leia mais

Em abril de 1947, o vírus Zika

Em abril de 1947, o vírus Zika O desafio de vencer a Zika Em artigo exclusivo para Rio Pesquisa, um grupo de pesquisadores da UFRJ relata alguns dos principais estudos sobre o vírus em andamento no País e afirma que a comunidade científica

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 21 A Secretaria de Vigilância em Saúde, em trabalho

Leia mais

PROJETO DENGUE Colégio Santa Clara contra a dengue, apague esse mau

PROJETO DENGUE Colégio Santa Clara contra a dengue, apague esse mau COLÉGIO SANTA CLARA Pré-escola Autorizado por Portaria DRECAP-2 de 29/05/84 Ensino Fundamental Autorizado por Portaria DRECAP-2 de 13/02/85 Ensino Médio Autorizado por Portaria Diretoria de Ensino Região

Leia mais

Boletim Epidemiológico da Dengue

Boletim Epidemiológico da Dengue Boletim Epidemiológico da Dengue Dados Referentes às Semanas Epidemiológicas: 01 a 03 - Períodos de 03/01/2016 a 23/01/2016 Ano: 09 Número: 03 Data de Produção: 22/01/2016 Esse boletim está na web: www.natal.rn.gov.br/sms

Leia mais

PACTUAÇÃO SA X SMS X SERVIÇO SAÚDE PRIVADO

PACTUAÇÃO SA X SMS X SERVIÇO SAÚDE PRIVADO PACTUAÇÃO SA X SMS X SERVIÇO SAÚDE PRIVADO CR PARA GESTANTES E SINDROMES NEUROLÓGICAS SESA/SVS/CEVA/CIEVS Câmara Técnica de Vigilância me Saúde CIB/ fevereiro 2016 derando a declaração da Microcefalia

Leia mais

FEBRE DO NILO OCIDENTAL CID 10: A92.3

FEBRE DO NILO OCIDENTAL CID 10: A92.3 Febre do Nilo Ocidental FEBRE DO NILO OCIDENTAL CID 10: A92.3 Características gerais Descrição Infecção viral que pode transcorrer de forma subclínica ou com sintomatologia de distintos graus de gravidade,

Leia mais

Treinamento para os Núcleos de Epidemiologia

Treinamento para os Núcleos de Epidemiologia Treinamento para os Núcleos de Epidemiologia Módulo 04 Coqueluche 21 e 22 de maio de 2014 Salvador, Ba Maria do Carmo Campos Lima GT DTP/DIVEP/SESAB COQUELUCHE ASPECTOS LEGAIS Arts. 7º e 8º, da Lei nº

Leia mais

Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional ESPII. Ocorrências de casos humanos na América do Norte Informe do dia 28.04.

Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional ESPII. Ocorrências de casos humanos na América do Norte Informe do dia 28.04. I. Informações gerais Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Gabinete Permanente de Emergências de Saúde Pública Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional ESPII Ocorrências

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE COMBATE A DENGUE

PLANO MUNICIPAL DE COMBATE A DENGUE 1 PLANO MUNICIPAL DE COMBATE A DENGUE 2013 2014 2 PLANO MUNICIPAL DE COMBATE A DENGUE 2013 2014 Vigilância Sanitária Vigilância Epidemiológica Estância Turística de Paranapanema SP 2013 3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Vigilância epidemiológica da Dengue no município de Natal

Vigilância epidemiológica da Dengue no município de Natal Prefeitura do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Centro de Controle de Zoonoses Data de produção: 17/2/215 Ano 8 Número 6 - Dados referente as Semanas Epidemiológica

Leia mais

Secretaria Municipal de Saúde. Atualização - Dengue. Situação epidemiológica e manejo clínico

Secretaria Municipal de Saúde. Atualização - Dengue. Situação epidemiológica e manejo clínico Secretaria Municipal de Saúde Atualização - Dengue Situação epidemiológica e manejo clínico Agente Etiológico Arbovírus do gênero Flavivírus: Den-1, Den-2, Den-3 e Den- 4. Modo de Transmissão: Aspectos

Leia mais

FLUXO PARA ACOMPANHAMENTO, ENCERRAMENTO E DIGITAÇÃO DOS CASOS DE DENGUE

FLUXO PARA ACOMPANHAMENTO, ENCERRAMENTO E DIGITAÇÃO DOS CASOS DE DENGUE Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Coordenação

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Semanas de 1 a 52 de 2009

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Semanas de 1 a 52 de 2009 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Semanas de 1 a 52 de 2009 A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

Leia mais

Situação da Dengue no Rio Grande do Sul. Francisco Zancan Paz Secretário Adjunto e Diretor Geral Secretaria Estadual da Saúde/RS

Situação da Dengue no Rio Grande do Sul. Francisco Zancan Paz Secretário Adjunto e Diretor Geral Secretaria Estadual da Saúde/RS Situação da Dengue no Rio Grande do Sul Francisco Zancan Paz Secretário Adjunto e Diretor Geral Secretaria Estadual da Saúde/RS VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Vigilância Epidemiológica Processo contínuo e sistemático

Leia mais

ZOONOSES VIRAIS HELTON FERNANDES DOS SANTOS. Méd. Veterinário (UFRGS / IPVDF)

ZOONOSES VIRAIS HELTON FERNANDES DOS SANTOS. Méd. Veterinário (UFRGS / IPVDF) ZOONOSES VIRAIS HELTON FERNANDES DOS SANTOS Méd. Veterinário (UFRGS / IPVDF) Doenças X Animais Desde a antiguidade o homem relacionou o surgimento de certas doenças com a presença de animais. Peste Negra

Leia mais

Assunto: Nova classificação de caso de dengue OMS

Assunto: Nova classificação de caso de dengue OMS Assunto: Nova classificação de caso de dengue OMS 1. A partir de janeiro de 2014 o Brasil adotará a nova classificação de caso de dengue revisada da Organização Mundial de Saúde (detalhamento anexo I):

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. vírus ZIKA. Informações ao Público

MINISTÉRIO DA SAÚDE. vírus ZIKA. Informações ao Público MINISTÉRIO DA SAÚDE vírus ZIKA Informações ao Público Brasília DF 2016 PÚBLICO EM GERAL Prevenção/Proteção Se o mosquito pode matar, ele não pode nascer. Mantenha-se vigilante quanto à limpeza da sua casa,

Leia mais

NOTA TÉCNICA 05/2011

NOTA TÉCNICA 05/2011 NOTA TÉCNICA 05/2011 DENGUE SITUAÇÃO ATUAL, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO Brasília, 13 de março de 2011. DENGUE SITUAÇÃO ATUAL, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS PARA ENFRENTAMENTO 1. Situação atual Segundo

Leia mais

Boletim Epidemiológico da Dengue, Chikungunya e Zika no estado de MT Semana 34/2015 nº28

Boletim Epidemiológico da Dengue, Chikungunya e Zika no estado de MT Semana 34/2015 nº28 Boletim Epidemiológico da Dengue, Chikungunya e Zika no estado de MT Semana 34/2015 nº28 SITUAÇÃO DENGUE Em 2015, período que compreende de 01 de Janeiro a 01 de setembro, no estado de Mato Grosso foram

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde Gerência Executiva de Vigilância em Saúde Gerência Operacional de Resposta Rápida

Secretaria de Estado da Saúde Gerência Executiva de Vigilância em Saúde Gerência Operacional de Resposta Rápida INFLUENZA A (H1N1) SEMANA EPIDEMIOLÓGICA 35/2009 Até a semana epidemiológica - SE 35/2009, encerrada em 05/09/2009, foram notificados 131 casos suspeitos de Influenza, sendo 37 de Síndrome Gripal - SG

Leia mais

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 XV 55 Novembro de 2014 Especial Vigilância Ambiental da Dengue em Porto Alegre XV 54 Fevereiro de 2014 Atual Cenário Epidemiológica da

Leia mais

Levantamento sobre a incidência de dengue e seu controle no município de. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde CCBS

Levantamento sobre a incidência de dengue e seu controle no município de. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde CCBS TÍTULO: LEVANTAMENTO SOBRE A INCIDÊNCIA DE DENGUE E SEU CONTROLE NO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE PB.AUTORES: Orientador: Prof. Dr. Teobaldo Gonzaga R. Pereira, Annelise Mota de Alencar Mat. 20112043 Tel.

Leia mais