PRIMEIRO SIMULADO LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 13 PRIMEIRO SIMULADO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRIMEIRO SIMULADO LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 13 PRIMEIRO SIMULADO"

Transcrição

1 AULA 13 PRIMEIRO SIMULADO Olá, pessoal. Eu e Missagia resolvemos quebrar o simulado prometido com trinta questões em dois simulados de quinze. Havendo duas postagens, isso facilita para que eu só olhe as perguntas no fórum relativas às minhas questões; o Missagia, às questões dele. Claro que isso não impede que alguém queira entrar com recurso em segunda instância. rsrs Boa prova! Um abraço, Rodrigo Luz Facebook: rodrigo.luz Acerca de jurisdição e recintos alfandegados, assinale a alternativa correta: a) os Centros Logísticos e Industriais Aduaneiros podem ser utilizados para a armazenagem de bens importados. b) os portos secos somente podem ser instalados em zona primária de ponto de fronteira. c) as zonas de vigilância aduaneira são alfandegadas por ato do Ministro da Fazenda. d) as áreas de controle integrado instaladas no território estrangeiro fazem parte da zona primária. e) as zonas de processamento de exportações são alfandegadas. 02 Acerca do controle aduaneiro, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I A conferência final de manifesto consiste na investigação acerca de extravio ou avaria de volume ou mercadoria, podendo ser baseado na comparação entre os registros de armazenamento e o manifesto de carga. II Caso, na descarga, seja detectado extravio de bens em comparação com o manifesto de carga, o transportador será responsabilizado em relação aos tributos incidentes na importação. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 1

2 III O transportador, o agente de carga e o operador portuário devem prestar no sistema as informações sobre as cargas sobre as quais atuarem. IV O manifesto de carga é individualizado por local de embarque e de destino. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e III. e) Estão corretos somente os itens II e III. 03 Acerca do imposto de importação, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I caso retorne ao país a mercadoria exportada em consignação, esta não será considerada estrangeira. II em situações excepcionais, as mercadorias objeto de pena de perdimento sofrem a incidência do imposto de importação. III mercadorias avariadas se submetem à cobrança integral do imposto, sendo uma parte paga pelo importador e a outra, pelo responsável pela avaria. IV mercadorias importadas por meio de remessa postal podem ter o fato gerador do imposto de importação ocorrido no registro da Declaração de Importação ou no dia do lançamento do crédito tributário. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e III. e) Estão corretos somente os itens II e III. 04 Acerca do imposto de importação, assinale a opção incorreta: a) no regime de tributação especial, o imposto de importação é o único tributo federal cobrado. b) no regime de tributação simplificada, o imposto de importação é o único tributo federal cobrado. c) no regime de tributação unificada, o imposto de importação é o único tributo federal incidente. d) no regime de importação comum, o imposto de importação é um dos vários tributos federais incidentes. e) nos regimes aduaneiros especiais, o imposto de importação é um dos vários tributos federais incidentes. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 2

3 05 Acerca dos benefícios de isenção e redução do imposto de importação, assinale a alternativa incorreta: a) em regra, a quitação de tributos e contribuições federais é exigida como condição para a obtenção do benefício. b) em regra, o transporte em navio de bandeira brasileira é exigido como condição para a obtenção do benefício. c) em regra, a inexistência de similar nacional é exigida como condição para a obtenção do benefício. d) antes dos cinco anos contados da importação, é vedada a transferência de bens importados com isenção subjetiva, salvo se o for para pessoa que possua a mesma qualidade do importador. e) a transferência de bens importados com isenção objetiva pode ser realizada sem a cobrança do imposto antes dos cinco anos contados da importação, caso se mantenha a mesma destinação. 06 Acerca do imposto de importação, assinale a opção incorreta: a) segundo o Supremo Tribunal Federal, há imunidade na importação de bens por parte de instituições de assistência social, sem fins lucrativos, que cumprirem os requisitos da lei. b) a imunidade objetiva é controlada com a exigência de apresentação semestral da Declaração Especial de Informações Reletivas ao Controle de Papel Imune (DIF-Papel Imune). c) para fins de concessão de isenção, a similaridade é investigada comparandose o preço, a qualidade e o prazo de entrega dos bens nacionais e dos estrangeiros. d) O exame de similaridade é realizado pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX). e) As isenções decorrentes de acordo internacional beneficiam as mercadorias originárias ou procedentes do país com o qual se celebrou o acordo. 07 Acerca do imposto de exportação, assinale a opção correta: a) incide sobre mercadorias nacionais, nacionalizadas e estrangeiras. b) se a alíquota for ad valorem, sua base de cálculo é o valor aduaneiro. c) sua cobrança pode ser dispensada em função do país para o qual o bem se destina. d) para fins de cálculo, o fato gerador se considera ocorrido no dia do registro da Declaração de Exportação. e) o pagamento pode ser feito após o embarque da mercadoria para o exterior. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 3

4 08 Acerca do imposto sobre produtos industrializados incidente nas importações, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I o valor do ICMS pago na importação entra na base de cálculo do IPI. II o fato gerador é a entrada da mercadoria no território, mas, para fins de cálculo, considera-se ocorrido no dia do desembaraço. III em regra, as isenções do IPI na importação são objetivas, não subjetivas. IV as alíquotas do IPI estão previstas na Tabela de Incidência do IPI (TIPI), podendo ser ad valorem ou específicas. a) Estão corretos somente os itens I e II. b) Estão corretos somente os itens I e III. c) Estão corretos somente os itens II e IV. d) Estão corretos somente os itens II e III. e) Estão corretos somente os itens III e IV. 09 Acerca das contribuições sociais e do ICMS incidentes nas importações, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I a base de cálculo das contribuições, definida na Lei /2004, foi declarada inconstitucional pelo STF. II os valores das contribuições entram na base de cálculo do ICMS. III segundo a jurisprudência do STF, o ICMS não incide nas importações realizadas por pessoa física ou jurídica que não seja contribuinte do imposto. IV a Receita Federal deve atestar a correção do recolhimento do ICMS para que possa proceder ao desembaraço aduaneiro. a) Estão corretos somente os itens I e II. b) Estão corretos somente os itens I, II e III. c) Estão corretos somente os itens I, II e IV. d) Estão corretos somente os itens I e III. e) Estão corretos somente os itens III e IV. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 4

5 10 Acerca dos regimes aduaneiros especiais e aplicados em áreas especiais, assinale a alternativa incorreta: a) as importações por lojas francas só podem ser realizadas em consignação. b) as importações por lojas francas ocorrem com o benefício da suspensão de tributos. c) para saírem da Zona Franca de Manaus (ZFM) com destino ao restante do território aduaneiro, as mercadorias importadas e as industrializadas na ZFM com insumos estrangeiros devem sofrer o despacho de internação. As industrializadas na ZFM com o uso exclusivo de insumos nacionais estão dispensadas do referido despacho. d) as áreas de livre comércio se localizam exclusivamente em áreas fronteiriças da Região Norte do país. e) a Amazônia Ocidental compreende os estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. 11 Assinale a alternativa incorreta acerca de bagagem: a) a bagagem acompanhada na importação é despachada com base na Declaração de Bagagem Acompanhada. Porém, esta só precisa ser preenchida pelo viajante obrigado a entrar no canal Bens a Declarar. b) a isenção do imposto de importação na bagagem desacompanhada não alcança os bens de uso pessoal novos. c) para a obtenção da isenção do imposto de importação na bagagem, o turista brasileiro que volta de viagem deve observar limites de valor e de quantidade. Caso o valor seja extrapolado, caberá o regime de tributação especial. Caso a quantidade seja extrapolada, o excesso deverá se submeter ao regime de importação comum. d) a bagagem acompanhada na exportação deve ser despachada com base na Declaração Simplificada de Exportação. e) a bagagem desacompanhada na importação deve chegar ao Brasil até três meses anteriores à chegada do viajante ou até seis meses posteriores. 12 Acerca de mercadoria abandonada, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I considera-se abandonada a mercadoria que permanecer em recinto alfandegado sem que o seu despacho de importação seja iniciado em até noventa dias da descarga. II considera-se abandonada a mercadoria que permanecer em recinto alfandegado sem que o seu despacho de importação seja iniciado em até quarenta e cinco dias após esgotar-se o prazo de sua permanência em recinto alfandegado de zona secundária. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 5

6 III considera-se abandonada a mercadoria objeto de naufrágio que permanecer em recinto alfandegado sem que o despacho de importação seja iniciado em até sessenta dias após a notificação ao interessado. IV considera-se abandonada a mercadoria cujo despacho de importação tenha seu curso interrompido durante sessenta dias, por ação ou omissão do importador. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e IV. e) Estão corretos todos os itens. 13 Sobre destinação de mercadorias, assinale a alternativa incorreta: a) na hipótese de terem sido alienados bens cujo perdimento foi posteriormente declarado ilegal pelo Poder Judiciário, a indenização será devida ao interessado, em regra, com base no valor por ele informado na Declaração de Importação. b) no caso de alienação de bens por meio de leilão, o único tributo devido é o ICMS. c) a alienação de bens objeto de perdimento pode ser na forma de doação a entidades sem fins lucrativos. d) apesar de o valor da arrematação ser rateado entre o Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF) e a seguridade social, sairá integralmente do FUNDAF a indenização devida ao interessado que conseguir reverter a pena de perdimento para os bens leiloados antes da decisão final administrativa. e) compete à Secretaria da Receita Federal autorizar a destinação das mercadorias. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 6

7 14 Sobre procedimentos especiais de controle aduaneiro, assinale a alternativa incorreta: a) o processo de arrolamento de bens e direitos visa ao acompanhamento do patrimônio da pessoa sobre a qual se lançaram créditos tributários. b) a medida cautelar fiscal visa à indisponibilidade do patrimônio da pessoa física ou jurídica que age para dificultar ou impedir a satisfação do crédito tributário contra ela lançado. c) a inaptidão de inscrição de pessoa jurídica no CNPJ é prevista para o caso de o importador não comprovar a origem, disponibilidade e efetiva transferência dos recursos utilizados em operação de comércio exterior. d) o procedimento especial de controle aduaneiro é realizado no curso do despacho aduaneiro, quando a Declaração de Importação é direcionada para o canal vermelho de conferência. e) o procedimento especial de controle aduaneiro, realizado como etapa da conferência no despacho, permite a retenção da carga por um prazo de até noventa dias, prorrogável por igual período. 15 Sobre o SISCOSERV, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I em regra, os serviços importados ou exportados devem ser declarados no Siscoserv até o ultimo dia útil do mês seguinte à data de início da sua prestação. II no caso de serviços prestados sob a forma de presença comercial no exterior, a prestação das informações relativas a determinado ano deve ocorrer até o último dia do mês de junho do ano seguinte. III salvo se tiverem utilizado mecanismos púbicos de financiamento, as pessoas jurídicas optantes pelo Simples Nacional estão dispensadas de prestar informações no Siscoserv. IV os serviços são classificados no Siscoserv em códigos de nove dígitos. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e IV. e) Estão corretos todos os itens. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 7

8 QUESTÕES COMENTADAS 01 Acerca de jurisdição e recintos alfandegados, assinale a alternativa correta: a) os Centros Logísticos e Industriais Aduaneiros podem ser utilizados para a armazenagem de bens importados. b) os portos secos somente podem ser instalados em zona primária de ponto de fronteira. c) as zonas de vigilância aduaneira são alfandegadas por ato do Ministro da Fazenda. d) as áreas de controle integrado instaladas no território estrangeiro fazem parte da zona primária. e) as zonas de processamento de exportações são alfandegadas. Letra A: incorreta. Como escrevi no Quadro de Avisos deste curso, na área aberta do site do Ponto dos Concursos e no Facebook, a MP 612/2013 caducou. Logo, não existe mais a figura do Centro Logístico e Industrial Aduaneiro (CLIA). Tenho que desfazer o que escrevi sobre portos secos, no sentido de que não poderiam mais ser instalados: agora podem de novo. Tudo que escrevi sobre CLIA deixou de valer. Letra B: incorreta. Os portos secos também podem ser instalados na zona secundária. Letra C: incorreta. As zonas de vigilância aduaneira não são alfandegadas. Letra D: incorreta. Se estão no território estrangeiro, não fazem parte do território aduaneiro nem da zona primária, que é subdivisão daquele. Letra E: correta. A ZPE é alfandegada, como vimos na aula Acerca do controle aduaneiro, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I A conferência final de manifesto consiste na investigação acerca de extravio ou avaria de volume ou mercadoria, podendo ser baseado na comparação entre os registros de armazenamento e o manifesto de carga. II Caso, na descarga, seja detectado extravio de bens em comparação com o manifesto de carga, o transportador será responsabilizado em relação aos tributos incidentes na importação. III O transportador, o agente de carga e o operador portuário devem prestar no sistema as informações sobre as cargas sobre as quais atuarem. IV O manifesto de carga é individualizado por local de embarque e de destino. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 8

9 a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e III. e) Estão corretos somente os itens II e III. Primeiro item: incorreto. A conferência final de manifesto consiste na verificação de extravio ou acréscimo de volume ou mercadoria. Segundo item: correto, com base no artigo 660 do Regulamento Aduaneiro (RA). Terceiro item: correto, com base no artigo 31 do RA. Quarto item: correto, com base no artigo 44, II, do RA. Gabarito: letra C. 03 Acerca do imposto de importação, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I caso retorne ao país a mercadoria exportada em consignação, esta não será considerada estrangeira. II em situações excepcionais, as mercadorias objeto de pena de perdimento sofrem a incidência do imposto de importação. III mercadorias avariadas se submetem à cobrança integral do imposto, sendo uma parte paga pelo importador e a outra, pelo responsável pela avaria. IV mercadorias importadas por meio de remessa postal podem ter o fato gerador do imposto de importação ocorrido no registro da Declaração de Importação ou no dia do lançamento do crédito tributário. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e III. e) Estão corretos somente os itens II e III. Primeiro item: correto, com base no artigo 70, I, do RA. Segundo item: correto. O imposto incidirá somente se a mercadoria não for localizada, tiver sido consumida ou revendida (RA, art. 71, III). Terceiro item: incorreto. Desde maio de 2013, a incidência deixou de existir para as mercadorias avariadas, mantendo-se para as extraviadas (RA, art. 73, II, c). Profs. Rodrigo Luz e Missagia 9

10 Quarto item: correto. Se a remessa postal internacional se submete ao regime comum de importação, vale o registro da DI; se não, vale o dia do lançamento (RA, art. 73, II, a e parágrafo único). 04 Acerca do imposto de importação, assinale a opção incorreta: a) no regime de tributação especial, o imposto de importação é o único tributo federal cobrado. b) no regime de tributação simplificada, o imposto de importação é o único tributo federal cobrado. c) no regime de tributação unificada, o imposto de importação é o único tributo federal incidente. d) no regime de importação comum, o imposto de importação é um dos vários tributos federais incidentes. e) nos regimes aduaneiros especiais, o imposto de importação é um dos vários tributos federais incidentes. Nos regimes de tributação especial (bagagens e lojas francas) e de tributação simplificada (remessas postais internacionais e encomendas aéreas), o imposto é o único tributo federal cobrado. Nos regimes de importação comum e nos regimes especiais, há a incidência de vários tributos. Dentre eles, o imposto de importação, o IPI, o PIS/PASEP-Importação e a COFINS-Importação. Lembro que, nos regimes especiais, os tributos incidentes ficam com a exigibilidade suspensa. No regime de tributação unificada (importações procedentes do Paraguai), há uma única alíquota (25%), mas que congrega todos os tributos federais (art. 9º da Lei /2009): Art. 9 o O Regime de que trata o art. 1 o desta Lei implica o pagamento dos seguintes impostos e contribuições federais incidentes na importação: I - Imposto de Importação; II - Imposto sobre Produtos Industrializados; III - Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social devida pelo Importador de Bens Estrangeiros ou Serviços do Exterior - COFINS-Importação; e IV - Contribuição para o PIS/Pasep-Importação. Gabarito: letra C. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 10

11 05 Acerca dos benefícios de isenção e redução do imposto de importação, assinale a alternativa incorreta: a) em regra, a quitação de tributos e contribuições federais é exigida como condição para a obtenção do benefício. b) em regra, o transporte em navio de bandeira brasileira é exigido como condição para a obtenção do benefício. c) em regra, a inexistência de similar nacional é exigida como condição para a obtenção do benefício. d) antes dos cinco anos contados da importação, é vedada a transferência de bens importados com isenção subjetiva, salvo se o for para pessoa que possua a mesma qualidade do importador. e) a transferência de bens importados com isenção objetiva pode ser realizada sem a cobrança do imposto antes dos cinco anos contados da importação, caso se mantenha a mesma destinação. As condições previstas nas opções A, B e C estão consignadas nos artigos 118 e 119 do RA, que também mencionam as exceções. Letra D: incorreta. A transferência não é vedada para quem não possuir a mesma qualidade do importador. Bastará que o importador pague, antes da transferência, o imposto proporcional ao valor residual (RA, art. 124). Letra E: correta, conforme art. 135 do RA. Gabarito: letra D. 06 Acerca do imposto de importação, assinale a opção incorreta: a) segundo o Supremo Tribunal Federal, há imunidade na importação de bens por parte de instituições de assistência social, sem fins lucrativos, que cumprirem os requisitos da lei. b) a imunidade objetiva é controlada com a exigência de apresentação semestral da Declaração Especial de Informações Reletivas ao Controle de Papel Imune (DIF-Papel Imune). c) para fins de concessão de isenção, a similaridade é investigada comparandose o preço, a qualidade e o prazo de entrega dos bens nacionais e dos estrangeiros. d) O exame de similaridade é realizado pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX). e) As isenções decorrentes de acordo internacional beneficiam as mercadorias originárias ou procedentes do país com o qual se celebrou o acordo. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 11

12 Letra A: correta, conforme a jurisprudência do STF, mencionada na aula 1 do curso. Letra B: correta, com base na IN RFB 976/2009. Letra C: correta, com base no artigo 190 do RA. Letra D: correta, como vimos na aula 1. Letra E: incorreta. As isenções provenientes de acordos internacionais só beneficiam as mercadorias originárias, não as procedentes. RA, art Acerca do imposto de exportação, assinale a opção correta: a) incide sobre mercadorias nacionais, nacionalizadas e estrangeiras. b) se a alíquota for ad valorem, sua base de cálculo é o valor aduaneiro. c) sua cobrança pode ser dispensada em função do país para o qual o bem se destina. d) para fins de cálculo, o fato gerador se considera ocorrido no dia do registro da Declaração de Exportação. e) o pagamento pode ser feito após o embarque da mercadoria para o exterior. Letra A: incorreta. Não incide sobre mercadorias estrangeiras. Letra B: incorreta. A base de cálculo é o valor normal. Letra C: correta, com base no artigo 216, 2º do RA. Letra D: incorreta. Considera-se ocorrido no dia do registro de exportação (RE), não do registro da Declaração de Exportação (DE). Letra E: incorreta, com base na Portaria MF 674/ Acerca do imposto sobre produtos industrializados incidente nas importações, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I o valor do ICMS pago na importação entra na base de cálculo do IPI. II o fato gerador é a entrada da mercadoria no território, mas, para fins de cálculo, considera-se ocorrido no dia do desembaraço. III em regra, as isenções do IPI na importação são objetivas, não subjetivas. IV as alíquotas do IPI estão previstas na Tabela de Incidência do IPI (TIPI), podendo ser ad valorem ou específicas. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 12

13 a) Estão corretos somente os itens I e II. b) Estão corretos somente os itens I e III. c) Estão corretos somente os itens II e IV. d) Estão corretos somente os itens II e III. e) Estão corretos somente os itens III e IV. Primeiro item: incorreto. O IPI entra na base de cálculo do ICMS, não o contrário. Segundo item: incorreto. O fato gerador do IPI não é a entrada, mas o desembaraço. Terceiro item: correto, como vimos na aula 2 (RA, art. 243). Quarto item: correto, como vimos na aula 2 (RA, art. 239, caput e parágrafos). Gabarito: letra E. 09 Acerca das contribuições sociais e do ICMS incidentes nas importações, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I a base de cálculo das contribuições, definida na Lei /2004, foi declarada inconstitucional pelo STF. II os valores das contribuições entram na base de cálculo do ICMS. III segundo a jurisprudência do STF, o ICMS não incide nas importações realizadas por pessoa física ou jurídica que não seja contribuinte do imposto. IV a Receita Federal deve atestar a correção do recolhimento do ICMS para que possa proceder ao desembaraço aduaneiro. a) Estão corretos somente os itens I e II. b) Estão corretos somente os itens I, II e III. c) Estão corretos somente os itens I, II e IV. d) Estão corretos somente os itens I e III. e) Estão corretos somente os itens III e IV. Primeiro item: correto, como vimos na aula 2. O STF declarou a inconstitucionalidade da inclusão do ICMS e do valor das próprias contribuições na base de cálculo destas. Segundo item: correto. As contribuições entram na base de cálculo do ICMS. Terceiro item: correto, com base na Súmula 660 do STF. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 13

14 Quarto item: incorreto, pois a RFB não entra no mérito do ICMS recolhido. Apenas recebe a informação do importador para a repassar ao estado (ou Distrito Federal), sem análise. 10 Acerca dos regimes aduaneiros especiais e aplicados em áreas especiais, assinale a alternativa incorreta: a) as importações por lojas francas só podem ser realizadas em consignação. b) as importações por lojas francas ocorrem com o benefício da suspensão de tributos. c) para saírem da Zona Franca de Manaus (ZFM) com destino ao restante do território aduaneiro, as mercadorias importadas e as industrializadas na ZFM com insumos estrangeiros devem sofrer o despacho de internação. As industrializadas na ZFM com o uso exclusivo de insumos nacionais estão dispensadas do referido despacho. d) as áreas de livre comércio se localizam exclusivamente em áreas fronteiriças da Região Norte do pais. e) a Amazônia Ocidental compreende os estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. Letra A: correta, como vimos na aula 8. Letra B: correta, como é a regra nos regimes aduaneiros especiais. Letra C: incorreta. Também as mercadorias industrializados com o uso exclusivo de insumos nacionais se submetem ao despacho de internação. IN SRF 242/2002, art. 1º. Letra D: correta. RA, art Letra E: correta. RA, art. 516, 1º. 11 Assinale a alternativa incorreta acerca de bagagem: a) a bagagem acompanhada na importação é despachada com base na Declaração de Bagagem Acompanhada. Porém, esta só precisa ser preenchida pelo viajante obrigado a entrar no canal Bens a Declarar. b) a isenção do imposto de importação na bagagem desacompanhada não alcança os bens de uso pessoal novos. c) para a obtenção da isenção do imposto de importação na bagagem, o turista brasileiro que volta de viagem deve observar limites de valor e de quantidade. Caso o valor seja extrapolado, caberá o regime de tributação especial. Caso a quantidade seja extrapolada, o excesso deverá se submeter ao regime de importação comum. d) a bagagem acompanhada na exportação deve ser despachada com base na Declaração Simplificada de Exportação. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 14

15 e) a bagagem desacompanhada na importação deve chegar ao Brasil até três meses anteriores à chegada do viajante ou até seis meses posteriores. Letra A: correta. IN RFB 1.059/2010, art. 3-A. Letra B: correta. IN RFB 1.059/2010, art. 34. Letra C: correta. IN RFB 1.059/2010, art. 41, 1o e 44, II. Letra D: incorreta. Não há declaração aduaneira para bagagem acompanhada na exportação. IN RFB 1.059/2010, art. 11. Letra E: correta. IN RFB 1.059/2010, art. 8 o, I. 12 Acerca de mercadoria abandonada, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I considera-se abandonada a mercadoria que permanecer em recinto alfandegado sem que o seu despacho de importação seja iniciado em até noventa dias da descarga. II considera-se abandonada a mercadoria que permanecer em recinto alfandegado sem que o seu despacho de importação seja iniciado em até quarenta e cinco dias após esgotar-se o prazo de sua permanência em recinto alfandegado de zona secundária. III considera-se abandonada a mercadoria objeto de naufrágio que permanecer em recinto alfandegado sem que o despacho de importação seja iniciado em até sessenta dias após a notificação ao interessado. IV considera-se abandonada a mercadoria cujo despacho de importação tenha seu curso interrompido durante sessenta dias, por ação ou omissão do importador. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e IV. e) Estão corretos todos os itens. Todos os itens estão corretos, com base no artigo 642 do Regulamento Aduaneiro. 13 Sobre destinação de mercadorias, assinale a alternativa incorreta: a) na hipótese de terem sido alienados bens cujo perdimento foi posteriormente declarado ilegal pelo Poder Judiciário, a indenização será devida ao interessado, em regra, com base no valor por ele informado na Declaração de Importação. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 15

16 b) no caso de alienação de bens por meio de leilão, o único tributo devido é o ICMS. c) a alienação de bens objeto de perdimento pode ser na forma de doação a entidades sem fins lucrativos. d) apesar de o valor da arrematação ser rateado entre o Fundo Especial de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização (FUNDAF) e a seguridade social, sairá integralmente do FUNDAF a indenização devida ao interessado que conseguir reverter a pena de perdimento para os bens leiloados antes da decisão final administrativa. e) compete à Secretaria da Receita Federal autorizar a destinação das mercadorias. Letra A: correta, com base no RA, art. 803-A. Letra B: correta, com base no RA, art. 803, 8º, e na Lei Kandir. Letra C: correta, com base no RA, art Letra D: correta, com base no RA, arts. 803, II, e 803-A. Letra E: incorreta. Compete ao Ministro da Fazenda autorizar a destinação. RA, art Sobre procedimentos especiais de controle aduaneiro, assinale a alternativa incorreta: a) o processo de arrolamento de bens e direitos visa ao acompanhamento do patrimônio da pessoa sobre a qual se lançaram créditos tributários. b) a medida cautelar fiscal visa à indisponibilidade do patrimônio da pessoa física ou jurídica que age para dificultar ou impedir a satisfação do crédito tributário contra ela lançado. c) a inaptidão de inscrição de pessoa jurídica no CNPJ é prevista para o caso de o importador não comprovar a origem, disponibilidade e efetiva transferência dos recursos utilizados em operação de comércio exterior. d) o procedimento especial de controle aduaneiro é realizado no curso do despacho aduaneiro, quando a Declaração de Importação é direcionada para o canal vermelho de conferência. e) o procedimento especial de controle aduaneiro, realizado como etapa da conferência no despacho, permite a retenção da carga por um prazo de até noventa dias, prorrogável por igual período. Letra A: correta, com base no RA, art. 799, combinado com a IN RFB 1.171/2011. Letra B: correta, com base no RA, art Letra C: correta, com base no RA, art. 801, 1º. Profs. Rodrigo Luz e Missagia 16

17 Letra D: incorreta, pois o procedimento especial, realizado como etapa da conferência aduaneira, ocorre no canal cinza. Letra E: correta, com base na IN RFB 1.169/2011, estudada com o Missagia na aula de despacho aduaneiro de importação. 15 Sobre o SISCOSERV, analise os itens a seguir, classificando-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). Em seguida, escolha a opção adequada às suas respostas. I em regra, os serviços importados ou exportados devem ser declarados no Siscoserv até o ultimo dia útil do mês seguinte à data de início da sua prestação. II no caso de serviços prestados sob a forma de presença comercial no exterior, a prestação das informações relativas a determinado ano deve ocorrer até o último dia do mês de junho do ano seguinte. III salvo se tiverem utilizado mecanismos púbicos de financiamento, as pessoas jurídicas optantes pelo Simples Nacional estão dispensadas de prestar informações no Siscoserv. IV os serviços são classificados no Siscoserv em códigos de nove dígitos. a) Estão corretos somente os itens I, II e III. b) Estão corretos somente os itens I, II e IV. c) Estão corretos somente os itens II, III e IV. d) Estão corretos somente os itens I e IV. e) Estão corretos todos os itens. Todos os itens estão corretos. O primeiro e o segundo itens vimos na IN RFB 1.277/2012, art. 3º. O terceiro, na Portaria MDIC 113/2012, art. 2º. O quarto, no Decreto 7.708/2012. GABARITOS 01 E 02 C 03 B 04 C 05 D 06 E 07 C 08 E 09 B 10 C 11 D 12 E 13 E 14 D 15 E Profs. Rodrigo Luz e Missagia 17

Regimes Aduaneiros Especiais. Regimes Aduaneiros Especiais. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro

Regimes Aduaneiros Especiais. Regimes Aduaneiros Especiais. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro Regimes Aduaneiros Especiais Regimes Aduaneiros Especiais As características básicas dos regimes especiais são: Regra geral, os prazos na importação são de um ano, prorrogável, por período não superior,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.726, DE 2016 (Do Sr. Covatti Filho)

PROJETO DE LEI N.º 4.726, DE 2016 (Do Sr. Covatti Filho) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.726, DE 2016 (Do Sr. Covatti Filho) Altera o art. 23 do Decreto-Lei nº 1.455, de 7 de abril de 1976, para excluir as importações por conta e ordem de terceiros,

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO UNIFICADA

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO UNIFICADA PROJETO DE LEI Institui o Regime de Tributação Unificada - RTU na importação, por via terrestre, de mercadorias procedentes do Paraguai. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO

Leia mais

Art. 3º Para inscrever-se no registro de Operador de Transporte Multimodal, o interessado deverá apresentar à ANTT:

Art. 3º Para inscrever-se no registro de Operador de Transporte Multimodal, o interessado deverá apresentar à ANTT: DECRETO 3.411, DE 12 DE ABRIL DE 2000. Regulamenta a Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998, que dispõe sobre o Transporte Multimodal de Cargas, altera os Decretos 91.030, de 5 de março de 1985, e 1.910,

Leia mais

Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal. Ministério da Fazenda/ Secretaria da Receita Federal

Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal. Ministério da Fazenda/ Secretaria da Receita Federal REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS E ATÍPICOS REEGIMEE I DEESSCRIÇÃO I 1 Admissão Temporária Permite a permanência no País de bens procedentes do exterior, por prazo e para finalidade determinados, com suspensão

Leia mais

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015 ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015 IPI O FRETE NA BASE DE CÁLCULO DO IPI... Pág. 422 ICMS RJ DRAWBACK... Pág. 423 IPI O FRETE NA BASE DE CÁLCULO DO IPI Sumário 1.

Leia mais

16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS

16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS 16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2010. SOUZA, José Meireles de

Leia mais

CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs.

CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs. CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs. ICMS nºs12/99, 119/11, 19/12, 97/12. Nova redação dada à ementa

Leia mais

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 Altera o Decreto nº 18.955, de 22 de dezembro de 1997, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre

Leia mais

Resoluções e Normativas Federais. GTT - Náutico

Resoluções e Normativas Federais. GTT - Náutico Resoluções e Normativas Federais GTT - Náutico Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) -Decreto nº 6.759, de 5 de fevereiro de 2009. Regulamento Aduaneiro (art. 26 ao 30; art.

Leia mais

Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo

Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. (ESAF/AFRF/1998) O transporte de mercadoria estrangeira contida

Leia mais

Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006)

Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006) Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006) Cada vez mais e por diversos motivos, as organizações vêm optando por focar-se no objeto principal do seu próprio negócio

Leia mais

CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR : LEGISLAÇÃO ADUANEIRA REGIMES ADUANEIROS

CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR : LEGISLAÇÃO ADUANEIRA REGIMES ADUANEIROS 1. CONCEITOS Regime é um conjunto de regras que estabelecem certa conduta obrigatória. É método, sistema ou forma de governo. Logo, chamamos de regime aduaneiro ao tratamento tributário e administrativo

Leia mais

ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO

ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO Ementa aula 08 de outubro de 2013. ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO E PROCESSO TRIBUTÁRIO Professor: André Parmo Folloni Doutor em Direito pela UFPR; Mestre em Direito

Leia mais

Fiscal Exercício Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo

Fiscal Exercício Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo Fiscal Exercício Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. (ESAF/AFTN/1989 - ADAPTADA) Apurando-se o dano ou avaria: a)

Leia mais

ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DE PARANAGUÁ

ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DE PARANAGUÁ ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL NO PORTO DE PARANAGUÁ PORTARIA Nº 97, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008: Estabelece procedimentos a serem observados para autorização de conferência aduaneira em recinto alfandegado

Leia mais

Art. 1º O regime especial de entreposto aduaneiro será aplicado de conformidade com o estabelecido nesta Instrução Normativa.

Art. 1º O regime especial de entreposto aduaneiro será aplicado de conformidade com o estabelecido nesta Instrução Normativa. Instrução Normativa SRF nº 241, de 6 de Novembro de 2002 DOU de 8.11.2002 Dispõe sobre o regime especial de entreposto aduaneiro na importação e na exportação. Alterada pela IN SRF nº 289, de 27 de janeiro

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - RS

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - RS ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS TRADING COMPANY - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Requisitos, Condições e Obrigações Tributárias Acessórias

Leia mais

Regimes aduaneiros. Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. SEGRE, German. Manual Prático de Comércio

Regimes aduaneiros. Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. SEGRE, German. Manual Prático de Comércio Regimes aduaneiros CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: SOUZA, José Meireles de. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. SEGRE, German. Manual

Leia mais

DECRETO Nº 1.180, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014

DECRETO Nº 1.180, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014 DECRETO Nº 1.180, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014 Publicado no DOE(Pa) de 23.12.14. Altera dispositivos do Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços

Leia mais

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 IPI ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 INFRAÇÕES E ACRÉSCIMOS MORATÓRIOS Infrações - Procedimentos do Contribuinte - Pagamento - Acréscimos Moratórios - Multa de Mora

Leia mais

LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 06

LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 06 SUMÁRIO DA AULA LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 AULA 06 (PONTOS 10 e 10.1 DO PROGRAMA AFRFB/2012) (PONTOS 10 e 10.1 DO PROGRAMA ATRFB/2012) 1. REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS PARTE I... 3 1.1. Disposições Gerais...

Leia mais

Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que:

Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que: Prezados, Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que: a) pelo regime de ex-tarifário, pode haver redução da TEC para bens

Leia mais

Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex

Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex Grupo Danilo Correia, Caê Matta, Ágata Takara, Augusto Rinaldi, Felipe Marinoni, Isabella Lucas, Heitor Guimarães, Rafael

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro OEA

Formação de Despachante Aduaneiro OEA Formação de Despachante Aduaneiro OEA Preparatório para o Exame de Qualificação Técnica e Operador Econômico Autorizado OEA para Despachantes Aduaneiros. Objetivo: Este curso tem como objetivo formar os

Leia mais

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO.

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. Acrescentado pelo Decreto 24.441 de 14 de agosto de 2008. Publicado no DOE de 14.08.2008 Convênio ICMS nº 143/02 e

Leia mais

TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR

TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR TRIBUTOS INCIDENTES SOBRE OPERAÇÕES DO COMÉRCIO EXTERIOR Expositor: AFRFB JUVÊNCIO SOUSA FERREIRA (ALF/FOR/SADAD) SEMINÁRIO: A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE ADUANEIRO NA PROTEÇÃO DA SOCIEDADE E NO PROCESSO DE

Leia mais

Tributação na. Momento de ocorrência do FG do II para efeito de cálculo (art 73)

Tributação na. Momento de ocorrência do FG do II para efeito de cálculo (art 73) Tributação na Importação Imposto de Importação (II) Caráter extra-fiscal (regulatório) SP, BC e FG definidos em lei Regulamento Aduaneiro (RA Decreto 6.759/2009) consolida as normas Exceção constitucional

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APROFUNDAMENTO ICMS SP/2006 PARTE I

EXERCÍCIOS DE APROFUNDAMENTO ICMS SP/2006 PARTE I EXERCÍCIOS DE APROFUNDAMENTO ICMS SP/2006 PARTE I Olá pessoal, com o intuito de auxiliá-los para a prova de AUDITOR do ICMS-SP/2006, seguem abaixo algumas questões que selecionei dos últimos concursos

Leia mais

1) O que é o RTU? 2) O RTU já foi regulamentado?

1) O que é o RTU? 2) O RTU já foi regulamentado? 1) O que é o RTU? O Regime de Tributação Unificada (RTU) é o regime instituído pela Lei nº 11.898, de 8/1/2009, que permite a importação, por microempresa importadora varejista habilitada, de determinadas

Leia mais

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada:

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada: Portaria SECEX s/nº, de 15.02.2010 - DOU 1 de 16.02.2011 Dispõe sobre drawback integrado isenção. A Secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no uso

Leia mais

Brasília - DF, terça-feira, 11 de março de 2014 página 37 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

Brasília - DF, terça-feira, 11 de março de 2014 página 37 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Brasília - DF, terça-feira, 11 de março de 2014 página 37 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.456, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Altera a Instrução Normativa

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação

Despacho Aduaneiro de Importação Mercadores Despacho Aduaneiro de Importação Coletânea (Versão Histórica) Versão 2.09 - Maio de 2016 Atualizada até: Instrução Normativa RFB nº 1.601, de 14 de dezembro de 2015 Paulo Werneck mercadores.blogspot.com

Leia mais

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples

DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples DECLARAÇÕES Lucro Presumido, Isentas e Simples Wagner Mendes Contador, Pós-Graduado em Controladoria, Auditoria e Tributos, Consultor Tributário, Especialista em Tributos Federais, Contabilidade e Legislação

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Conhecimento de Transporte Eletrônico Estado Bahia

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Conhecimento de Transporte Eletrônico Estado Bahia 22/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Ajuste Sinief nº09/2007... 3 3.2. Resolução n 95/1966... 5 3.3. Lei nº

Leia mais

NOVA REGRA (alterações em vermelho) CONVÊNIO ICMS 38, DE 22 DE MAIO DE 2013 REVOGADO

NOVA REGRA (alterações em vermelho) CONVÊNIO ICMS 38, DE 22 DE MAIO DE 2013 REVOGADO REVOGADO AJUSTE SINIEF 19, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2012 Publicado no DOU de 09.11.12, pelo Despacho 223/12. Prorrogado, para 01.05.13, o início da obrigatoriedade de preenchimento e entrega da FCI, pelo Ajuste

Leia mais

TÍTULO I - IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO CAPÍTULO I - INCIDÊNCIA

TÍTULO I - IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO CAPÍTULO I - INCIDÊNCIA DECRETO-LEI Nº 37 DE 18/11/1966 Dispõe sobre o imposto de importação, reorganiza os serviços aduaneiros e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o artigo

Leia mais

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 REVOGADO PELO DECRETO 13.501, DE 23/12/2008 *Ver Decreto 13.500/2008 DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 Regulamenta o disposto no inciso II, caput, e nos 1º

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 DOU de 24.9.2012 Dispõe sobre o despacho aduaneiro de bens procedentes do exterior destinados à utilização na Copa das Confederações Fifa 2013

Leia mais

Os INCOTERM s ou International Comercial Terms são nomenclaturas representativas de cláusulas contratuais padronizadas internacionalmente para

Os INCOTERM s ou International Comercial Terms são nomenclaturas representativas de cláusulas contratuais padronizadas internacionalmente para Os INCOTERM s ou International Comercial Terms são nomenclaturas representativas de cláusulas contratuais padronizadas internacionalmente para facilitar o comércio. Elas tratam das condições e responsabilidades

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.559, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004 Publicada no DOE em 31 de dezembro de 2004 DISPÕE SOBRE A MICROEMPRESA SOCIAL, ESTABELECENDO TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO,

Leia mais

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF).

Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF Nº 974, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF). O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições

Leia mais

Gestão Financeira de Entidades Sindicais

Gestão Financeira de Entidades Sindicais Gestão Financeira de Entidades Sindicais Constituição Federal Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

Leia mais

PROGRAMA: 2024 - Comércio Exterior

PROGRAMA: 2024 - Comércio Exterior PROGRAMA: 2024 - OBJETIVO: 0795 - Modernizar os sistemas informatizados de controle aduaneiro com vistas à simplificação, agilização, harmonização de rotinas e procedimentos e eficácia no combate às irregularidades

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 1670/2015

PROJETO DE LEI Nº 1670/2015 Dia 01 de outubro, 2015 TRANSPORTE AÉREO: RAPIDEZ E PREVISIBILIDADE Transporte Aéreo vs Outros - Mundo Volume Outros 0,5% Volume Aéreo 99,5% Valor Outros Valor Aéreo 35% 65% Ref: Transporte Mundial 2014Fonte:

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ALFÂNDEGA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DO PORTO DE BELÉM/PA PROCESSO Nº 10209.000044/2012-07 EDITAL DE LICITAÇÃO N. º 0217600/0001/2012 VENDA

Leia mais

Instrução Normativa nº 1.473, de 02.06.14 DOU-1, de 04.06.14

Instrução Normativa nº 1.473, de 02.06.14 DOU-1, de 04.06.14 Instrução Normativa nº 1.473, de 02.06.14 DOU-1, de 04.06.14 Altera a Instrução Normativa RFB nº 800, de 27 de dezembro de 2007, que dispõe sobre o controle aduaneiro informatizado da movimentação de embarcações,

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS RECOM Regulamentação Orientador Empresarial DECRETO nº 7.319/2010 DOU: 29.09.2010 Regulamenta a aplicação do Regime Especial de Tributação

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 261, de 20 de dezembro de 2002

Instrução Normativa SRF nº 261, de 20 de dezembro de 2002 Instrução Normativa SRF nº 261, de 20 de dezembro de 2002 Dispõe sobre a habilitação de empresa transportadora para manter recintos não alfandegados, na cidade de Manaus, destinados ao controle aduaneiro

Leia mais

DECRETO N 517, DE 8 DE MAIO DE 1992 REGULAMENTA o art. 11, da Lei n 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e regula a Área de Livre Comércio de Macapá e

DECRETO N 517, DE 8 DE MAIO DE 1992 REGULAMENTA o art. 11, da Lei n 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e regula a Área de Livre Comércio de Macapá e DECRETO N 517, DE 8 DE MAIO DE 1992 REGULAMENTA o art. 11, da Lei n 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e regula a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana - ALCMS. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da

Leia mais

LEI Nº 9.611, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998

LEI Nº 9.611, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 LEI Nº 9.611, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 Dispõe sobre o transporte multimodal de cargas e dá outras providências. CAPÍTULO IV DA RESPONSABILIDADE Art 11. Com a emissão do Conhecimento, o Operador de Transporte

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 4 DO CONTRATO TARIFAS

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 4 DO CONTRATO TARIFAS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 4 DO CONTRATO TARIFAS 1 Sumário 1. Informações iniciais... 3 1.1. Introdução... 3 1.2. Definições... 3 2. Tarifas... 6 2.1. Considerações... 6 2.2. Tarifas Aeroportuárias...

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Alagoas. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas

Boletimj. Manual de Procedimentos. ICMS - IPI e Outros. Alagoas. Federal. Estadual. IOB Setorial. IOB Comenta. IOB Perguntas e Respostas Boletimj Manual de Procedimentos Fascículo N o 50/2013 Alagoas Federal IPI Construção civil - Edificação - Exclusão do conceito de industrialização.... 01 Estadual ICMS Leilão de mercadorias apreendidas

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências.

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. DECRETO N o 3.474, DE 19 DE MAIO DE 2000. Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF

RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF Breve conceito de Regime Aduaneiro Regime especial de Admissão Temporária Casos Práticos Regime Aduaneiro deve ser entendido como o tratamento aplicável às mercadorias submetidas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.759, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2009.

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.759, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2009. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.759, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2009. Regulamenta a administração das atividades aduaneiras, e a fiscalização, o controle e

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR ÂNGELA SARTORI

COMÉRCIO EXTERIOR ÂNGELA SARTORI COMÉRCIO EXTERIOR ÂNGELA SARTORI COMÉRCIO EXTERIOR MODALIDADES DE IMPORTAÇÃO E A INTERPOSIÇÃO FRAUDULENTA DE TERCEIROS NA IMORTAÇÃO MODALIDADES DE IMPORTAÇÃO: DIFERENÇAS: CONTA PRÓPRIA: COMPRA E VENDA

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO T.C.C.

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO T.C.C. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO T.C.C. CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM IMPORTAÇÃO, ROTINAS E PROCEDIMENTOS. Curso de Aperfeiçoamento em Importação: Rotinas e Procedimentos 1 Foto ilustrativa, de um navio atracando

Leia mais

Aula 04 IMPOSTOS FEDERAIS

Aula 04 IMPOSTOS FEDERAIS IMPOSTOS FEDERAIS 1- IMPOSTO SOBRE IMPORTAÇÃO (II) É um tributo extrafiscal, pois sua finalidade principal não é arrecadar, mas sim controlar o comércio internacional (intervenção no domínio econômico)

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Controle Administrativo - Definição Controle exercido por órgãos da Administração Federal

Leia mais

ESTADO DO ACRE LEI N. 1.358 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2000.

ESTADO DO ACRE LEI N. 1.358 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI N. 1.358 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2000.. Publicado no D.O.E n 7.942 de 09 de janeiro de 2001.. Alterada pela Lei nº 2.956, de 9 de abril de 2015 Institui o Programa de Incentivo Tributário para Empresas,

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

ICMS relativo ao Diferencial de Alíquotas. Implementação da Emenda Constitucional nº 87/2015 em Minas Gerais

ICMS relativo ao Diferencial de Alíquotas. Implementação da Emenda Constitucional nº 87/2015 em Minas Gerais ICMS relativo ao Diferencial de Alíquotas Implementação da Emenda Constitucional nº 87/2015 em Minas Gerais Emenda Constitucional 87/2015 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 "Art. 155 (...) 2º (...) VII - nas operações

Leia mais

* V. Instrução Normativa SRF 422/2004 (Incidência, apuração e exigência da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico).

* V. Instrução Normativa SRF 422/2004 (Incidência, apuração e exigência da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico). LEI 10.336, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2001 Institui Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico incidente sobre a importação e a comercialização de petróleo e seus derivados, gás natural e seus derivados,

Leia mais

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 41 IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO O imposto de importação é de competência da União, é também conhecido como tarifa aduaneira. Sua função é predominantemente

Leia mais

Palestra. Créditos Fiscais (ICMS/ IPI/ PIS e COFINS) Julho 2012. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga

Palestra. Créditos Fiscais (ICMS/ IPI/ PIS e COFINS) Julho 2012. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 Dispõe sobre o afastamento para estudo, congressos, seminários ou reuniões similares de servidor e empregado da Administração Pública Distrital

Leia mais

IMPOSTOS FEDERAIS: II, IE E IPI

IMPOSTOS FEDERAIS: II, IE E IPI IMPOSTOS FEDERAIS: II, IE E IPI CAIO AUGUSTO TAKANO MESTRANDO EM DIREITO ECONÔMICO, FINANCEIRO E TRIBUTÁRIO USP ESPECIALISTA EM DIREITO TRIBUTÁRIO IBET PROFESSOR-ASSISTENTE DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DO

Leia mais

Ato Declaratório Executivo Coana nº 3, de 1º de junho de 2006 (*)

Ato Declaratório Executivo Coana nº 3, de 1º de junho de 2006 (*) Ato Declaratório Executivo Coana nº 3, de 1º de junho de 2006 (*) DOU de 2.6.2006 Estabelece documentos e normas complementares para a habilitação de importadores, exportadores e internadores da Zona Franca

Leia mais

Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa Secretaria da... e Respostas. O que é uma Remessa Expressa? Como ocorre a tributação nas Remessas

Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa Secretaria da... e Respostas. O que é uma Remessa Expressa? Como ocorre a tributação nas Remessas 1 de 7 13/07/2015 12:00 Menu Dúvidas - Perguntas e Respostas - Remessa Expressa por Subsecretaria de Aduana e Relações Internacionais publicado 22/05/2015 16h36, última modificação 18/06/2015 15h00 Remessas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2389 - ANTAQ, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 2389 - ANTAQ, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 2389 - ANTAQ, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012. APROVA A NORMA QUE ESTABELECE PARÂMETROS REGULATÓRIOS A SE- REM OBSERVADOS NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CONTÊINERES

Leia mais

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA POR REGULAMENTO TÉCNICO DO Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior Secretaria

Leia mais

GUERRA FISCAL: SÃO PAULO E ESPÍRITO SANTO ICMS - IMPORTAÇÃO

GUERRA FISCAL: SÃO PAULO E ESPÍRITO SANTO ICMS - IMPORTAÇÃO GUERRA FISCAL: SÃO PAULO E ESPÍRITO SANTO ICMS - IMPORTAÇÃO Fábio Tadeu Ramos Fernandes ftramos@almeidalaw.com.br Ana Cândida Piccino Sgavioli acsgavioli@almeidalaw.com.br I INTRODUÇÃO Desde a década de

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DA CONTRIBUIÇÃO (EFD CONTRIBUIÇÕES) Diário Oficial da União Nº 43, Seção 1, sexta-feira, 2 de Março de 2012

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DA CONTRIBUIÇÃO (EFD CONTRIBUIÇÕES) Diário Oficial da União Nº 43, Seção 1, sexta-feira, 2 de Março de 2012 Circular 112/2012 São Paulo, 06 de Março de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DA CONTRIBUIÇÃO (EFD CONTRIBUIÇÕES) Diário Oficial da União Nº 43, Seção 1, sexta-feira, 2 de

Leia mais

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009

MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 MATERIAL EXTRAIDO DA REVISTA SEMANA COAD Nº 19 PG. 285 / 2009 Informativo 19 - Página 285 - Ano 2009 ORIENTAÇÃO MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Opção pelo SIMEI Conheça as condições para recolhimento

Leia mais

CLIPPING INFORMATIVO DESTAQUES 22/10 a 28/10/2013 LEGISLAÇÃO

CLIPPING INFORMATIVO DESTAQUES 22/10 a 28/10/2013 LEGISLAÇÃO CLIPPING INFORMATIVO DESTAQUES 22/10 a 28/10/2013 LEGISLAÇÃO Lei nº 12.873, de 24.10.2013 DOU de 25.10.2013 - Autoriza a Companhia Nacional de Abastecimento a utilizar o Regime Diferenciado de Contratações

Leia mais

Ciesp Sorocaba. 16de março de 2010. Importação de Máquinas e Equipamentos Industriais

Ciesp Sorocaba. 16de março de 2010. Importação de Máquinas e Equipamentos Industriais Departamento de Comércio Exterior Ciesp Sorocaba 16de março de 2010 Importação de Máquinas e Equipamentos Industriais Máquinas Novas Importação de Bens de Capital Cuidados e Precauções Na condição de usadas

Leia mais

RICMS (Decreto nº 43.080/2002) RICMS/2002

RICMS (Decreto nº 43.080/2002) RICMS/2002 RICMS (Decreto nº 43.080/2002) Sumário RICMS/2002 REGULAMENTO DO IMPOSTO SOBRE OPERAÇÕES RELATIVAS À CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS E SOBRE PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE INTERESTADUAL E INTERMUNICIPAL

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009.

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.276, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Autoriza o Poder Executivo a conceder parcelamento de débitos fiscais relacionados com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias

Leia mais

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS.... 2 A) RECEITA DE VENDA DE MERCADORIAS DESTINADAS AO CONSUMO OU À INDUSTRIALIZAÇÃO NA ZONA FRANCA DE MANAUS, INCLUSIVE DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS,

Leia mais

PIS/COFINS - Importação. Novo Cálculo

PIS/COFINS - Importação. Novo Cálculo Boletim Informativo 10/05 Auditores Tributários Auditores Independentes Consultoria Empresarial M A T É R I A F E D E R A L MP 252 - Fim da vigência Através do Ato Declaratório do Presidente da Mesa do

Leia mais

Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo

Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. (ESAF/ACE/1998) O SISCOMEX - Sistema Integrado de Comércio

Leia mais

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04.11.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - ALÍQUOTAS DO ICMS 2.1 - Operações

Leia mais

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex Capítulo II TRATAMENTO ADMINISTRATIVO DAS IMPORTAÇÕES -Seção I. Licenciamento das Importações

Leia mais

ANEXO V - CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES, PRESTAÇÕES E SITUAÇÕES TRIBUTÁRIAS (a que se refere o artigo 597 deste regulamento)

ANEXO V - CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES, PRESTAÇÕES E SITUAÇÕES TRIBUTÁRIAS (a que se refere o artigo 597 deste regulamento) TABELA I - CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E DE PRESTAÇÕES (CFOP) ANEXO V - CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES, PRESTAÇÕES E SITUAÇÕES TRIBUTÁRIAS (a que se refere o artigo 597 deste regulamento) DAS ENTRADAS DE MERCADORIAS,

Leia mais

RESOLUÇÃO PRESI 28 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO PRESI 28 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO RESOLUÇÃO PRESI 28 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta o expediente e a jornada de trabalho do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, institui o controle eletrônico

Leia mais

RESUMO DE LEGISLAÇÃO ADUANEIRA

RESUMO DE LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RESUMO DE LEGISLAÇÃO ADUANEIRA Olá, amigos do Estratégia! Tudo bem? Conforme havia prometido a todos vocês, hoje é o dia do nosso Resumão de Legislação Aduaneira! É claro, o resumo não tem o objetivo de

Leia mais

Projeto de Lei nº 3.957, de 2012. (Apenso: PL nº 5.296/2013)

Projeto de Lei nº 3.957, de 2012. (Apenso: PL nº 5.296/2013) Projeto de Lei nº 3.957, de 2012. (Apenso: PL nº 5.296/2013) Dispõe sobre a restituição do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) às pessoas físicas estrangeiras não residentes no Brasil quando

Leia mais

ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO

ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO Considera-se armazém geral o estabelecimento destinado à recepção, manutenção e guarda de mercadorias ou bens de terceiros, mediante o pagamento de uma tarifa préfixada ou

Leia mais

ALTERAÇÕES NA SISTEMÁTICA DE COBRANÇA DO ICMS

ALTERAÇÕES NA SISTEMÁTICA DE COBRANÇA DO ICMS ALTERAÇÕES NA SISTEMÁTICA DE COBRANÇA DO ICMS LEGISLAÇÕES Emenda Constitucional 87/2015-17 de Abril de 2015; Lei nº 15.856/2015-03 de Julho de 2015; Convênio de ICMS 93/2015-21 de Setembro de 2015; Decreto

Leia mais

SEÇÃO XXXI. Das Operações Realizadas por Estabelecimento de Construção Civil e Assemelhados

SEÇÃO XXXI. Das Operações Realizadas por Estabelecimento de Construção Civil e Assemelhados SEÇÃO XXXI Das Operações Realizadas por Estabelecimento de Construção Civil e Assemelhados NOTA: O art. 1º do Decreto nº 28.346, de 11/08/2006, alterou os arts. 725 a 731, nos seguintes termos: "Art. 725.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE IMPORTAÇÃO 1. Introdução: Toda mercadoria procedente do exterior, importada a título definitivo ou não, sujeita ou não ao pagamento do imposto

Leia mais

Análise da adequação orçamentária e financeira da Medida Provisória nº 634, de 26 de dezembro de 2013

Análise da adequação orçamentária e financeira da Medida Provisória nº 634, de 26 de dezembro de 2013 Análise da adequação orçamentária e financeira da Medida Provisória nº 634, de 26 de dezembro de 2013 Nota Técnica de Adequação Orçamentária e Financeira nº 06/2014 Assunto: Subsídios para análise da adequação

Leia mais

Base de Cálculo do Imposto sobre Importações. Hipóteses de desconsideração do valor declarado previstas no AVA e penalidades.

Base de Cálculo do Imposto sobre Importações. Hipóteses de desconsideração do valor declarado previstas no AVA e penalidades. Base de Cálculo do Imposto sobre Importações. Hipóteses de desconsideração do valor declarado previstas no AVA e penalidades. Miguel Hilú Neto IMPOSTO SOBRE IMPORTAÇÕES: CRITÉRIO MATERIAL E BASE DE CÁLCULO

Leia mais

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ADUANA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL APRESENTAÇÃO: DANIEL BEZERRA DOS SANTOS AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 OBJETIVO Abordar, de forma sucinta, as atividades

Leia mais

DECRETO Nº 5.933, DE 20 DE ABRIL DE 2004.

DECRETO Nº 5.933, DE 20 DE ABRIL DE 2004. DECRETO Nº 5.933, DE 20 DE ABRIL DE 2004. (PUBLICADO NO DOE DE 26.04.04) Este texto não substitui o publicado no DOE Regulamenta a Lei nº 14.546, de 30 de setembro de 2003, que dispõe sobre a criação do

Leia mais

Importação- Regras Gerais

Importação- Regras Gerais Importação- Regras Gerais 1 Conceito de Importação Podemos definir a operação de importação como um processo comercial e fiscal que consiste em trazer um bem (produto/serviço) do exterior para o país de

Leia mais

Questões Extras Direito Tributário Profº Ricardo Alexandre www.lfg.com.br/ www.cursoparaconcursos.com.br

Questões Extras Direito Tributário Profº Ricardo Alexandre www.lfg.com.br/ www.cursoparaconcursos.com.br TRIBUTO - CONCEITO 1. (ESAF/GEFAZ-MG/2005) Na atividade de cobrança do tributo a autoridade administrativa pode, em determinadas circunstâncias, deixar de aplicar a lei. 2. (ESAF/GEFAZ-MG/2005) Segundo

Leia mais

VGL NEWS. ANO 6 INFORMATIVO 105 01 DE AGOSTO a 31 DE AGOSTO DE 2006

VGL NEWS. ANO 6 INFORMATIVO 105 01 DE AGOSTO a 31 DE AGOSTO DE 2006 VGL NEWS ANO 6 INFORMATIVO 105 01 DE AGOSTO a 31 DE AGOSTO DE 2006 ASSUNTOS FISCAIS Medida Provisória 315/06 Cambial e Tributária 1 Medida Provisória 320/06 Aduaneira 2 Instrução Normativa SRF 670/06 Declaração

Leia mais