Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex"

Transcrição

1 Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex

2 Grupo Danilo Correia, Caê Matta, Ágata Takara, Augusto Rinaldi, Felipe Marinoni, Isabella Lucas, Heitor Guimarães, Rafael Martimbianco

3 Nossa Empresa Visão: tornar-se referência no segmento de logística internacional. Missão: Oferecer serviços de logística em exportação de qualidade, preocupando-se com a satisfação de clientes e parceiros de maneira sustentável e responsável. Valores: Agir com integridade e ética adotando valores sócioambientais, tratando funcionários, parceiros e clientes com dignidade e respeito.

4 Seguro de Crédito à Exportação Garantia de indenização por perdas líquidas; Instrumento de prevenção, incentivo para prospecção de novos clientes e novos mercados e ferramenta de cobrança; Facilita acesso a financiamentos. Cobertura contra: 1. Riscos Comerciais 2. Riscos Políticos e Extraordinários

5 Seguradora Brasileira de Crédito à Exportação Criada em 1997; Possui instrumento ágil e moderno capaz de imprimir maior competitividade às exportações brasileiras; Protege as vendas externas brasileiras contra Riscos Comerciais, Políticos e Extraordinários; A SBCE é a garantia de financiamento e ampliação dos seus negócios no exterior Operações de Curto Prazo e Médio e Longo Prazo.

6 Operações de Curto Prazo Até 2 anos; Bens de consumo: Exportações Até 180 dias; Equipamentos Leves e Serviços: Apólice Global / Garantia SBCE; A SBCE oferece: 1. Prevenção 2. Cobrança 3. Indenização 4. Garantia para Financiamentos

7 Operações de Curto Prazo 1. Cobertura 2. Globalidade 3. Limite de Crédito 4. Como Solicitar Limite de Crédito 5. Sinistralidade e Prazo de Indenização 6. Custos 7. Prêmio 8. Taxa de Análise Cadastral 9. Taxa de Monitoramento 10. Apólice de Riscos Políticos e Extraordinários de Curto Prazo

8 Operações de Médio e Longo Prazo Prazos de pagamentos superiores há 2 anos; Apólices: 1. SUPPLIER s CREDIT; 2. BUYER s CREDIT; 3. Risco de Pré-crédito (Fabricação); 4. Risco de Crédito (Pós-embarque). 5. Garantia 6. Solicitação de Cobertura 7. Promessa de Garantia 8. Prêmio 9. Indenização 10. Desconto de Títulos sem Regresso

9 Preço Variação de preços de acordo com: 1. País para onde o exportador pretende vender; 2. Volume por país; 3. Tipo de produto exportado; 4. Qualidade dos importadores; 5. Histórico de perdas definitivas do exportador; Preencher formulário

10 Regimes Aduaneiros Mecanismos que permitem a entrada ou a saída de mercadorias do território aduaneiro com benefícios tributários. Regimes Aduaneiros Especiais Regimes Aduaneiros Aplicados em Áreas Especiais

11 Regimes Aduaneiros Mecanismos que permitem a entrada ou a saída de mercadorias do território aduaneiro com benefícios tributários. Regimes Aduaneiros Especiais Regimes Aduaneiros Aplicados em Áreas Especiais

12 Regimes Aduaneiros Especiais Os regimes especiais são a importação e a exportação de produtos com a suspensão de tributos, desde de que previamente estabelecidos por lei ou contrato; O prazo de suspensão é de um ano, podendo ser estendido até cinco anos; Alguns regimes especiais: Trânsito Aduaneiro, Admissão Temporária, Entreposto Aduaneiro, Exportação Temporária.

13 Trânsito Aduaneiro É um regime que permite o transporte de mercadorias de um ponto a outro do território aduaneiro com suspensão de tributos. Regime aplicável a pertences pessoais, bagagem de passageiros, provisões, equipamentos dos veículos.

14 Exportação Temporária Regime que permite a saída para o exterior de mercadoria nacional ou nacionalizada, sob condição de retornar, em prazo determinado, no mesmo estado ou após reparo, conserto. Aplica-se a: Mercadorias destinadas a feiras, competições esportivas no exterior; Produtos manufaturados e acabados, inclusive para conserto, reparo ou restauração para seu uso; Animais destinados a reprodução, a competições; Veículos para uso de seu proprietário ou possuidor;

15 Bens de Admissão Temporária para Aperfeiçoamento Ativo Ingresso de mercadorias estrangeiras destinadas a operações de aperfeiçoamento ativo e posterior reexportação. Condições para a aplicação do regime: Bens de propriedade de pessoa sediada no exterior; Beneficiário seja pessoa jurídica; Operação esteja prevista em contrato de prestação de serviço;

16 Bens de Exportação Temporária para Aperfeiçoamento Passivo Sistema que permite a saída de mercadoria do País por tempo determinado para transformação, reparo, elaboração e sua reimportação com pagamento de impostos sobre o valor agregado.

17 Drawback Permite às empresas importar peças, componentes, matérias-primas e outros insumos, com suspensão ou isenção de tributos alfandegários, para fabricar produtos destinados à exportação. Modalidade Suspensão Drawback Integrado Modalidade Isenção

18 Depósito Alfandegário Certificado Instrumento de flexibilização das exportações que permite a consumação da exportação com a entrega da mercadoria ao comprador, ainda no território nacional, abrindo inúmeras possibilidades logísticas.

19 Depósito Alfandegário Certificado Exportador Brasileiro Registro DDE Exportar a Mercadoria Depósito DAC Mandatário Importador estrangeiro

20 Depósito Alfandegário Certificado Exigências para utilização do regime: a) colocar a mercadoria em local alfandegado autorizado, designado pelo comprador, à disposição deste; b) a operação deverá estar inscrita em um Registro de Exportação - RE do SISCOMEX; c) o depósito da mercadoria deverá ser feito pelo vendedor, à ordem do comprador, em local autorizado pela Secretaria da Receita Federal; e d) a mercadoria deverá ser conferida e desembaraçada para exportação.

21 Entreposto Aduaneiro Regime especial que permite, nas operações de importação e exportação, o depósito de mercadorias, em local determinado, com suspensão do pagamento de tributos e sob o controle fiscal. Operações Permitidas no Regime: Mercadorias neste regime poderão ser submetidas às seguintes operações: exposição, demonstração e teste de funcionamento; industrialização; manutenção ou reparo.

22 Entreposto Aduaneiro Regime especial que permite, nas operações de importação e exportação, o depósito de mercadorias, em local determinado, com suspensão do pagamento de tributos e sob o controle fiscal. Operações Permitidas no Regime: Mercadorias neste regime poderão ser submetidas às seguintes operações: exposição, demonstração e teste de funcionamento; industrialização; manutenção ou reparo.

23 Denominação de Recinto Alfandegado O recinto alfandegado credenciado para a realização de atividades de industrialização receberá as seguintes denominações: Aeroporto industrial; Plataforma portuária industrial; Porto seco industrial.

24 Admissão Proibida De mercadorias: Cuja importação ou exportação esteja proibida; Bem usado.

25 Entreposto Aduaneiro na Duas modalidades: Exportação Modalidade de regime comum Modalidade de regime extraordinário.

26 Prazos A mercadoria poderá permanecer no regime de entreposto aduaneiro na exportação pelo prazo de: Na modalidade de regime comum, um ano, prorrogável por período não superior, Na modalidade de regime extraordinário, 180 dias.

27 Regimes Aduaneiros Aplicados a Áreas Especiais Criados para atender a determinadas situações econômicas peculiares, de pólos regionais e de certos setores ligados ao comércio exterior. Zona Franca de Manaus -ZFM - área de livre-comércio de importação e de exportação e de incentivos fiscais especiais. Amazônia Ocidental Entreposto Internacional da Zona Franca de Manaus EISOF Mecanismo que pode ser aplicado para reduzir os custos nas operações comerciais e logísticas no comércio exterior. Podem ser entendidos como operações específicas para entrada e saída de mercadorias do país que, em princípio, não se caracterizam como transações comerciais definitivas.

28 Vantagens redução do custo das operações suspensão tributária e possibilidade de suspensão do pagamento ao fornecedor; aumento de competitividade; dilatação de prazo para a concretização dos negócios; melhoria da parte financeira não dispêndio de capital imediato necessário às operações nos regimes comuns e possibilidade de aumento do lucro pela conjunção desses fatores.

29 Zona Franca de Manaus Modelo de desenvolvimento econômico implantado pelo governo brasileiro objetivando: Viabilizar uma base econômica na Amazônia Ocidental; Promover a melhor integração produtiva e social dessa região ao país; Garantir a soberania nacional sobre suas fronteiras; Proteger o meio ambiente; Melhorar qualidade de vida das suas populações.

30 Zona Franca de Manaus Três pólos econômicos: Comercial; Industrial e; Agropecuário. O pólo industrial é considerado a base de sustentação da ZFM. Mais de 450 indústrias de alta tecnologia gerando mais de meio milhão de empregos, diretos e indiretos. O pólo Agropecuário abriga projetos voltados à atividades de produção de alimentos, agroindústria, piscicultura, turismo, beneficiamento de madeira, entre outras.

31 Zona Franca de Manaus A Zona Franca de Manaus surgiu durante o governo militar brasileiro dentro da política do Integrar para não entregar ; Nas décadas de 50 e 60, a força centrípeta exercida pela capital do Pará esvaziava o lado ocidental da Amazônia; Para mudar este quadro e desenvolver toda a região, no início do ciclo militar de 64, o projeto atinge maturação e a Zona Franca de Manaus é criada pelo decreto-lei 288/67, em 28 de fevereiro de 1967, Este foi um dos últimos importantes atos da administração Castello Branco - inspirador e defensor da idéia.

32 Zona Franca de Manaus Incentivos no âmbito dos impostos indiretos que impactavam os custos das empresas como: Imposto de Importação (II); Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e; Imposto sobre Serviço (ISS). Com a chegada da Zona Franca, Manaus transformou-se radicalmente. Seus habitantes multiplicaram-se, chegando a atingir a cerca de dois milhões em 2007.

33 Zona Franca de Manaus Projeto junto à Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) que analisa os projetos; Indústrias devem fazer parte do perfil desejado pelo modelo; As atividades identificadas são recomendadas aos investidores locais, nacionais e internacionais, interessados em desenvolvimento de negócios na região.

34 Amazônia Ocidental Oferece ao investidor oportunidades que vão desde os agronegócios, o beneficiamento e industrialização de matérias-primas regionais, à biotecnologia e ao Pólo Industrial de Manaus (PIM); Viabilidade econômica comprovada por estudos realizados pela FGV; Geração de investimentos no Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima e na Área de Livre Comércio de Macapá- Santana, no Amapá. Políticas e legislação específicas para atração de investimentos, com incentivos fiscais especiais.

35 Entreposto Internacional da Zona Franca de Manaus - EIZOF Criado pela SUFRAMA pelo Decreto nº 205, de 5/9/91 e funcionou de maneira provisória de 1993 até início de 2000, no Porto de Manaus; Depósito com regime aduaneiro especial que visa armazenar mercadorias estrangeiras e nacionais (inclusive as produzidas na ZFM) com isenção de tributos e sob controle aduaneiro.

36 Entreposto Internacional da Zona Franca de Manaus - EIZOF Objetivos Básicos: Ampliar as alternativas da ZFM nas áreas: comercial, industrial e de prestação de serviços; Na área comercial: constituição de um pólo atacadista que atendesse não só o comércio local; Alcançar comercialmente os países sul-americanos; No segmento industrial: facilitar o processo de redução de custos das empresas, possibilitando a prática do just in time.

37 Entreposto Internacional da Zona Franca de Manaus - EIZOF Vantagens: Instrumento de apoio na busca da competitividade da ZFM; Preços de armazenagem competitivos internacionalmente; Deferimento do pagamento dos tributos incidentes sobre as mercadorias para o momento da efetiva utilização; Admissão de mercadorias com ou sem cobertura cambial; Armazenagem de mercadorias por prazo máximo de até cinco anos.

38 Entreposto Internacional da Zona Franca de Manaus - EIZOF Podem se beneficiar do regime: Empresas que instalarem depósito de uso privativo na área delimitada pela SUFRAMA e aprovada pela Receita Federal; Empresas que utilizarem o depósito de uso público lá instalado, com autorização da própria SUFRAMA.

39 Entreposto Internacional da Zona Franca de Manaus - EIZOF Mercadorias permitidas: Mercadorias importadas destinadas à venda por atacado; Materiais importados destinados à industrialização de produtos na ZFM; Mercadorias nacionais destinadas à ZFM, à Amazônia Ocidental, às áreas de livre comércio ou à exportação; Mercadorias produzidas na ZFM e destinadas aos mercados interno e externo. Proibições: fumo e seus derivados; e qualquer produto cuja importação esteja proibida por disposição legal.

40 Zona de Processamento de Exportação Áreas de controle aduaneiro com incentivos tributários, cambiais e administrativos; Condições: No mínimo 80% da produção destas empresas deve ser exportado; Se destinarem 20% de vendas ao mercado brasileiro incidência normal de impostos;

41 Zona de Processamento de Exportação Áreas de controle aduaneiro com incentivos tributários, cambiais e administrativos; Condições: No mínimo 80% da produção destas empresas deve ser exportado; Se destinarem 20% de vendas ao mercado brasileiro incidência normal de impostos; As ZPEs são instaladas nas regiões menos desenvolvidas do País, objetivando reduzir desequilíbrios regionais, bem como fortalecer o balanço de pagamentos e promover a difusão tecnológica e o desenvolvimento econômico e social do País

42 Zona de Processamento de Exportação Regulamentações: Decreto 6.814, assinado em 6 de abril de 2009 pelo Lula, autoriza a efetiva instalação das ZPEs no país e complementa o texto da Lei nº de julho de 2007 que dispõe sobre o regime tributário, cambial e administrativo das ZPEs e o Decreto nº de novembro de 2008 que cria o CZPE (Conselho Nacional das Zonas de Processamento de Exportação) e define suas competências.

43 Projeto para criação da ZPE Município, estado, setor privado ou misto. Aprovado Não Aprovado CZPE Análise da proposta e verificação do cumprimento de todas as determinações legais Presidente Decisão sobre o projeto com base no parecer técnico vindo do CZPE

44 Zona de Processamento de Exportação Vantagens de se instalar em uma ZPE: Suspensão do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI); Suspensão da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins); Suspensão da Contribuição para o PIS/PASEP; Sensível redução dos custos operacionais. Isenção de licenças de órgãos federais / exceções: controle sanitário, proteção do meio-ambiente e de segurança nacional; Importações: isentas do IPI, II, IOF e Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante

45 Zona de Processamento de Restrições: Exportação Vedada a instalação para simples transferência de plantas de indústrias já instaladas no País; A empresa instalada em ZPE não poderá constituir filial fora de ZPE; É vedada a empresa instalada em ZPE a prestação de serviço, fora dela, a residente ou domiciliado no País.

46 Zona de Processamento de Exportação ZPE x ZFM ZFM não é uma ZPE; ZFM pode vender 100% da produção no mercado interno e manter seus benefícios fiscais;

47 Área de Livre Comércio Também conhecida como Zona de Livre Comércio, é um espaço geográfico delimitado que envolve dois ou mais países que estabelecem entre si relações comerciais livres de impostos, tarifas, quotas e preferências para todos ou a maioria dos bens comercializados.

48 Área de Livre Comércio Principal Objetivo: incremento do comércio e estímulo aos países. Objetivos Secundários: Eliminação de barreiras que dificultem o comércio; promover as condições para uma concorrência justa; incrementar as oportunidades de investimento; estabelecer processos efetivos para o estímulo da produção nacional; fomentar a cooperação entre países amigos ; oferecer uma solução para controvérsias, entre outros.

Regimes Aduaneiros Especiais. Regimes Aduaneiros Especiais. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro

Regimes Aduaneiros Especiais. Regimes Aduaneiros Especiais. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro Regimes Aduaneiros Especiais Regimes Aduaneiros Especiais As características básicas dos regimes especiais são: Regra geral, os prazos na importação são de um ano, prorrogável, por período não superior,

Leia mais

Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal. Ministério da Fazenda/ Secretaria da Receita Federal

Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal. Ministério da Fazenda/ Secretaria da Receita Federal REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS E ATÍPICOS REEGIMEE I DEESSCRIÇÃO I 1 Admissão Temporária Permite a permanência no País de bens procedentes do exterior, por prazo e para finalidade determinados, com suspensão

Leia mais

Regimes aduaneiros. Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. SEGRE, German. Manual Prático de Comércio

Regimes aduaneiros. Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. SEGRE, German. Manual Prático de Comércio Regimes aduaneiros CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: SOUZA, José Meireles de. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. SEGRE, German. Manual

Leia mais

16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS

16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS 16. PROCESSOS ALFANDEGÁRIOS LOGÍSTICOS DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: SILVA, Luiz Augusto Tagliacollo. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2010. SOUZA, José Meireles de

Leia mais

CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR : LEGISLAÇÃO ADUANEIRA REGIMES ADUANEIROS

CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR : LEGISLAÇÃO ADUANEIRA REGIMES ADUANEIROS 1. CONCEITOS Regime é um conjunto de regras que estabelecem certa conduta obrigatória. É método, sistema ou forma de governo. Logo, chamamos de regime aduaneiro ao tratamento tributário e administrativo

Leia mais

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015 ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015 IPI O FRETE NA BASE DE CÁLCULO DO IPI... Pág. 422 ICMS RJ DRAWBACK... Pág. 423 IPI O FRETE NA BASE DE CÁLCULO DO IPI Sumário 1.

Leia mais

Art. 1º O regime especial de entreposto aduaneiro será aplicado de conformidade com o estabelecido nesta Instrução Normativa.

Art. 1º O regime especial de entreposto aduaneiro será aplicado de conformidade com o estabelecido nesta Instrução Normativa. Instrução Normativa SRF nº 241, de 6 de Novembro de 2002 DOU de 8.11.2002 Dispõe sobre o regime especial de entreposto aduaneiro na importação e na exportação. Alterada pela IN SRF nº 289, de 27 de janeiro

Leia mais

DECRETO N 517, DE 8 DE MAIO DE 1992 REGULAMENTA o art. 11, da Lei n 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e regula a Área de Livre Comércio de Macapá e

DECRETO N 517, DE 8 DE MAIO DE 1992 REGULAMENTA o art. 11, da Lei n 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e regula a Área de Livre Comércio de Macapá e DECRETO N 517, DE 8 DE MAIO DE 1992 REGULAMENTA o art. 11, da Lei n 8.387, de 30 de dezembro de 1991, e regula a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana - ALCMS. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - RS

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - RS ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS TRADING COMPANY - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Requisitos, Condições e Obrigações Tributárias Acessórias

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. RAUL LIMA) Modifica a alínea "e" do 2º do art. 4º da lei nº. 8.256, de 25 de novembro de 1991, que cria áreas de livre comércio nos municípios de Boa Vista e Bonfim,

Leia mais

50 A 56 - VER TABELA DA NATUREZA DE CREDITO

50 A 56 - VER TABELA DA NATUREZA DE CREDITO TABELA CORRELAÇÃO CFOP x CST-PIS/COFINS x CST -ICMS/IPI OBS: Os Cfops assinalados em vermelho são os geradores de creditos reg (M105 e M505) do SPED CONTRIBUIÇÕES. VALIDOS PRA SPED CONTRIBUIÇOES ATUALIZADO

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

Regime Especial de Drawback O fomento das exportações por meio das operações de Drawback

Regime Especial de Drawback O fomento das exportações por meio das operações de Drawback Regime Especial de Drawback O fomento das exportações por meio das operações de Drawback PRIMEIRA PARTE O REGIME ESPECIAL DE DRAWBACK AS VANTAGENS E A IMPORTÂNCIA DO DRAWBACK PARA O COMÉRCIO EXTERIOR DRAWBACK

Leia mais

CFOP DE ENTRADA DE MERCADORIA/UTILIZAÇÃO DE SERVIÇO

CFOP DE ENTRADA DE MERCADORIA/UTILIZAÇÃO DE SERVIÇO DE ENTRADA DE MERCADORIA/UTILIZAÇÃO DE SERVIÇO IMPORTAÇÃO DESCRIÇÃO DA OPERAÇÃO OU PRESTAÇÃO 1.100 2.100 3.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL, COMERCIALIZAÇÃO OU PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. 1.101

Leia mais

Faculdade Morumbi Sul Alexandra Lisboa Samanta Rocha Neriane Bianchi Édipo Chaves Leandro Silva Rafael Carvalho Francis Bitaraes

Faculdade Morumbi Sul Alexandra Lisboa Samanta Rocha Neriane Bianchi Édipo Chaves Leandro Silva Rafael Carvalho Francis Bitaraes Faculdade Morumbi Sul Alexandra Lisboa Samanta Rocha Neriane Bianchi Édipo Chaves Leandro Silva Rafael Carvalho Francis Bitaraes DRAWBACK O que é? Objetivos. NORMAS Disciplina as aquisições de matérias-primas,

Leia mais

TABELA I. CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 230 deste Regulamento)

TABELA I. CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 230 deste Regulamento) TABELA I CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 230 deste Regulamento) B) DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS, BENS OU PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Grupo 5.000 Grupo 6.000 Grupo 7.000

Leia mais

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS I NOVAS SOLUÇÕES DE CONSULTAS.... 2 A) RECEITA DE VENDA DE MERCADORIAS DESTINADAS AO CONSUMO OU À INDUSTRIALIZAÇÃO NA ZONA FRANCA DE MANAUS, INCLUSIVE DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS,

Leia mais

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio)

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio) O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas,

Leia mais

ANO XXVI - 2015 4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015

ANO XXVI - 2015 4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015 ANO XXVI - 2015 4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015 IPI ZONA FRANCA DE MANAUS OPERAÇÕES GERAIS... Pág. 431 ICMS RJ FRETE PAGO (CIF) OU A PAGAR (FOB)... Pág. 432 IPI ZONA FRANCA DE

Leia mais

ENTRADAS DE BENS E MERCADORIAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS

ENTRADAS DE BENS E MERCADORIAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS TABELA I CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 254 deste Regulamento) A) DAS ENTRADAS DE BENS E MERCADORIAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS Grupo 1.000 Grupo 2.000 Grupo

Leia mais

Para atender a essa necessidade foi necessário alterar ou criar alguns novos processos. A seguir será detalhada cada uma dessas alterações.

Para atender a essa necessidade foi necessário alterar ou criar alguns novos processos. A seguir será detalhada cada uma dessas alterações. Base ICMS Reduzida no Desconto Zona Franca Produto : Datasul, MFT, Faturamento, 12 Chamado : TQWBOD Data da criação : 09/01/2015 Data da revisão : 09/01/2015 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

Leia mais

0267 - Equalização de Juros para Promoção das Exportações - PROEX (Lei nº 10.184, de 2001)

0267 - Equalização de Juros para Promoção das Exportações - PROEX (Lei nº 10.184, de 2001) Programa 2024 - Comércio Exterior Número de Ações 13 Tipo: Operações Especiais 0027 - Cobertura das Garantias Prestadas pela União nas Operações de Seguro de Crédito à Exportação (Lei nº 9.818, de 1999)

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

PRIMEIRO SIMULADO LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 13 PRIMEIRO SIMULADO

PRIMEIRO SIMULADO LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 13 PRIMEIRO SIMULADO AULA 13 PRIMEIRO SIMULADO Olá, pessoal. Eu e Missagia resolvemos quebrar o simulado prometido com trinta questões em dois simulados de quinze. Havendo duas postagens, isso facilita para que eu só olhe

Leia mais

Investimento e crescimento nacional. Os projetos da Copa do Mundo e Olimpíadas e seus efeitos fiscais

Investimento e crescimento nacional. Os projetos da Copa do Mundo e Olimpíadas e seus efeitos fiscais Investimento e crescimento nacional. Os projetos da Copa do Mundo e Olimpíadas e seus efeitos fiscais Robson Maia Lins Doutor PUC/SP e Professor Especialização IBET e PUC/SP 1 Previsão Constitucional Art.

Leia mais

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada:

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada: Portaria SECEX s/nº, de 15.02.2010 - DOU 1 de 16.02.2011 Dispõe sobre drawback integrado isenção. A Secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no uso

Leia mais

PRESS KIT. Elaboração: Coordenação-Geral de Comunicação Social da Superintendência da Zona Franca de Manaus

PRESS KIT. Elaboração: Coordenação-Geral de Comunicação Social da Superintendência da Zona Franca de Manaus PRESS KIT Elaboração: Coordenação-Geral de Comunicação Social da Superintendência da Zona Franca de Manaus Informações atualizadas até: DEZEMBRO /2014 PRINCIPAIS INCENTIVOS FISCAIS DO MODELO ZFM SUFRAMA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC Descontos dos Tributos Desonerados nas Operações com ALC 18/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Áreas de Livre

Leia mais

Anexo 2.0 Código Fiscal de Operações e Prestações CFOP Art. 317 do RICMS/03

Anexo 2.0 Código Fiscal de Operações e Prestações CFOP Art. 317 do RICMS/03 Anexo 2.0 Código Fiscal de Operações e Prestações CFOP Art. 317 do RICMS/03 Alterações: Decreto nº 19.887 de 19.09.2003 Decreto nº 20.204 de 19.12.2003 Decreto nº 20.912 de 25.11.2004 Decreto nº 20.919

Leia mais

ANEXO V - CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES, PRESTAÇÕES E SITUAÇÕES TRIBUTÁRIAS (a que se refere o artigo 597 deste regulamento)

ANEXO V - CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES, PRESTAÇÕES E SITUAÇÕES TRIBUTÁRIAS (a que se refere o artigo 597 deste regulamento) TABELA I - CÓDIGO FISCAL DE OPERAÇÕES E DE PRESTAÇÕES (CFOP) ANEXO V - CLASSIFICAÇÃO DAS OPERAÇÕES, PRESTAÇÕES E SITUAÇÕES TRIBUTÁRIAS (a que se refere o artigo 597 deste regulamento) DAS ENTRADAS DE MERCADORIAS,

Leia mais

A SISTEMÁTICA BRASILEIRA APLICADA À OPERAÇÃO BACK TO BACK: ROTINA E PROCEDIMENTOS

A SISTEMÁTICA BRASILEIRA APLICADA À OPERAÇÃO BACK TO BACK: ROTINA E PROCEDIMENTOS A SISTEMÁTICA BRASILEIRA APLICADA À OPERAÇÃO BACK TO BACK: ROTINA E PROCEDIMENTOS Profª. MSc. Patrícia Duarte Peixoto Morella Julciane Dambros RESUMO Com a significativa intensificação do comércio internacional

Leia mais

DRAWBACK IMPORTAÇÃO APRESENTAÇÃO BRACELPA

DRAWBACK IMPORTAÇÃO APRESENTAÇÃO BRACELPA DRAWBACK IMPORTAÇÃO APRESENTAÇÃO BRACELPA 21 DE OUTUBRO DE 2009 Por Evandro Ap. Moreira DRAWBACK IMPORTAÇÃO O QUE É? O regime aduaneiro especial de drawback, instituído em 1966 pelo Decreto Lei nº 37,

Leia mais

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 IPI ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 INFRAÇÕES E ACRÉSCIMOS MORATÓRIOS Infrações - Procedimentos do Contribuinte - Pagamento - Acréscimos Moratórios - Multa de Mora

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. ANDRÉ FUFUCA) Dispõe sobre a criação de Zona Franca no Município de Rosário, Estado do Maranhão. O Congresso Nacional decreta: do Maranhão. Art. 1º Esta Lei cria a Zona

Leia mais

REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS Parte II

REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS Parte II São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Belo Horizonte Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS Parte II Luis Guilherme B. Gonçalves 05 de Agosto de

Leia mais

CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs.

CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs. CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs. ICMS nºs12/99, 119/11, 19/12, 97/12. Nova redação dada à ementa

Leia mais

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Noções básicas de Comércio Exterior Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Regimes Aduaneiros É o conjunto de procedimentos ou regras previstas em lei para efetivar uma importação

Leia mais

Ações Orçamentárias 0027 Cobertura das Garantias Prestadas pela União nas Operações de Seguro de Crédito à Exportação (Lei nº 9.

Ações Orçamentárias 0027 Cobertura das Garantias Prestadas pela União nas Operações de Seguro de Crédito à Exportação (Lei nº 9. Programa 0412 Desenvolvimento do Comércio Exterior e da Cultura Exportadora Numero de Ações 19 Ações Orçamentárias 0027 Cobertura das Garantias Prestadas pela União nas Operações de Seguro de Crédito à

Leia mais

PBM. Agenda Setorial Bens de Capital

PBM. Agenda Setorial Bens de Capital PBM Agenda Setorial Bens de Capital São Paulo, 16 de janeiro de 2013 Objetivos Objetivos: Aumentar o Consumo Aparente de BK, com Redução Simultânea do Coeficiente de Importação Aumentar as Exportações

Leia mais

1 - COMÉRCIO EXTERIOR 2 - INTRODUÇÃO

1 - COMÉRCIO EXTERIOR 2 - INTRODUÇÃO 1 - COMÉRCIO EXTERIOR 2 - INTRODUÇÃO Os avanços da tecnologia permitem comunicações imediatas com as mais distintas regiões do planeta, possibilitando que os mais diversos negócios sejam efetuados, diariamente,

Leia mais

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro Manual do Fornecedor Novembro 2012 Rio de Janeiro Caro parceiro, O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 trabalha para entregar Jogos excelentes, com celebrações memoráveis que

Leia mais

UMA NOVA FRONTEIRA SE ABRE DO CEARÁ PARA O MUNDO. ZPE CEARÁ

UMA NOVA FRONTEIRA SE ABRE DO CEARÁ PARA O MUNDO. ZPE CEARÁ UMA NOVA FRONTEIRA SE ABRE DO CEARÁ PARA O MUNDO. ZPE CEARÁ O QUE É UMA ZPE? ZPE é uma zona de processamento de exportação especialmente designada a indústrias exportadoras, nas quais estas usufruem de

Leia mais

RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF

RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF RECEITA FEDERAL DO BRASIL 8ª RF Breve conceito de Regime Aduaneiro Regime especial de Admissão Temporária Casos Práticos Regime Aduaneiro deve ser entendido como o tratamento aplicável às mercadorias submetidas

Leia mais

1) O que é o RTU? 2) O RTU já foi regulamentado?

1) O que é o RTU? 2) O RTU já foi regulamentado? 1) O que é o RTU? O Regime de Tributação Unificada (RTU) é o regime instituído pela Lei nº 11.898, de 8/1/2009, que permite a importação, por microempresa importadora varejista habilitada, de determinadas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. SARNEY FILHO) Dispõe sobre a criação de Zona Franca no Município de São Luís, Estado do Maranhão. O Congresso Nacional decreta: Estado do Maranhão. Art. 1º Esta Lei cria

Leia mais

Exportação Direta x Exportação Indireta

Exportação Direta x Exportação Indireta Exportação Direta x Exportação Indireta Por JOSÉ ELIAS ASBEG Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Na exportação direta o próprio fabricante, produtor ou revendedor remete (geralmente vende) a mercadoria

Leia mais

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 41 IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO O imposto de importação é de competência da União, é também conhecido como tarifa aduaneira. Sua função é predominantemente

Leia mais

Apostila Emissão de Notas Fiscais de Venda Suframa Área de Livre Comercio

Apostila Emissão de Notas Fiscais de Venda Suframa Área de Livre Comercio Apostila Emissão de Notas Fiscais de Venda Suframa Área de Livre Comercio Conceito e visão sobre Suframa e Área de Livre e Comercio: O governo, visando promover o desenvolvimento da Região Norte e incentivar

Leia mais

Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006)

Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006) Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006) Cada vez mais e por diversos motivos, as organizações vêm optando por focar-se no objeto principal do seu próprio negócio

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Í N D I C E A N A L Í T I C O

Í N D I C E A N A L Í T I C O Í N D I C E A N A L Í T I C O Introdução...21 I - Conceitos e Histórico...21 I.1 - As Contribuições Sociais...21 I.2 - Instituição do PIS e do PASEP...21 I.3 - Objetivos do PIS e do PASEP...22 I.4 - Fundos

Leia mais

Zonas de Processamento de Exportação - ZPE

Zonas de Processamento de Exportação - ZPE Zonas de Processamento de Exportação - ZPE Histórico no mundo As Zonas Econômicas de Exportação surgiram em 1959 na Irlanda Anos 60: criação na Ásia e América Latina Anos 70: alcançam 79 em 25 países Anos

Leia mais

lozenge Empresa "Nosso papel é administrar a sua operação de comércio internacional" Lozenge INTL Comércio, Importação e Exportação Ltda.

lozenge Empresa Nosso papel é administrar a sua operação de comércio internacional Lozenge INTL Comércio, Importação e Exportação Ltda. Empresa Terceirizar as atividades-meio de uma empresa é uma forma inteligente de focar-se no objeto principal de seu negócio. Para atender esta demanda, podemos atuar de formas distintas e de acordo com

Leia mais

Lex Garcia Advogados http://lexlab.esy.es. Dr. Alex Garcia Silveira OABSP 285373

Lex Garcia Advogados http://lexlab.esy.es. Dr. Alex Garcia Silveira OABSP 285373 Alex Garcia Silveira Cartilha: Direito do Comercio Internacional São Paulo Junho de 2015 SUMÁRIO RESUMO... 5 ABSTRACT... 5 PARTES E AUXILIARES DO COMÉRCIO... 6 EXPORTADOR E IMPORTADOR... 6 SELEÇÃO DE MERCADO...

Leia mais

CURSO CANAL REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS LISTA DE EXERCÍCIOS PROFESSOR: LUIZ ROBERTO MISSAGIA

CURSO CANAL REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS LISTA DE EXERCÍCIOS PROFESSOR: LUIZ ROBERTO MISSAGIA CURSO CANAL REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS LISTA DE EXERCÍCIOS PROFESSOR: LUIZ ROBERTO MISSAGIA 01 (AFRFB/2009) O regime aduaneiro especial que contempla a estocagem de partes, peças e materiais de reposição

Leia mais

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário.

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Tratamento Tributário Conceituação Comercial Recebimento da mercadoria pelo comprador ou seu representante, no exterior, de acordo

Leia mais

2.3 Estratégias Globais de Empresas Transnacionais

2.3 Estratégias Globais de Empresas Transnacionais 2.3 Estratégias Globais de Empresas Transnacionais DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. 05/02/2016 www.boscotorres.com.br

Leia mais

ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL. WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem

ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL. WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem ESTUDO PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR DE CABOTAGEM NO BRASIL WORKSHOP Nº2: Revisão do diagnóstico e dos incentivos à Cabotagem Brasília, 11 Junho 2015 Índice A. Objetivos da reunião B. Explicação da metodologia

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM O REGIME ADUANEIRO DE DRAWBACK COMO INSTRUMENTO DE COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO COMÉRCIO INTERNACIONAL Por: Uilber

Leia mais

Análise da adequação orçamentária e financeira da

Análise da adequação orçamentária e financeira da Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Análise da adequação orçamentária e financeira da Medida Provisória nº 693, de 30 de setembro de 2015 Nota Técnica n.º 31, de 2015. Subsídios acerca da

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro OEA

Formação de Despachante Aduaneiro OEA Formação de Despachante Aduaneiro OEA Preparatório para o Exame de Qualificação Técnica e Operador Econômico Autorizado OEA para Despachantes Aduaneiros. Objetivo: Este curso tem como objetivo formar os

Leia mais

Entreposto Aduaneiro: Vantagens Logísticas da Utilização do Regime de Entreposto Aduaneiro Dentro do Aeroporto Industrial.

Entreposto Aduaneiro: Vantagens Logísticas da Utilização do Regime de Entreposto Aduaneiro Dentro do Aeroporto Industrial. Entreposto Aduaneiro: Vantagens Logísticas da Utilização do Regime de Entreposto Aduaneiro Dentro do Aeroporto Industrial. Cleiton de Paiva Rodrigues Luciano cleitonadmc@hotmail.com Unis/MG Reginaldo da

Leia mais

VGL NEWS. ANO 6 INFORMATIVO 105 01 DE AGOSTO a 31 DE AGOSTO DE 2006

VGL NEWS. ANO 6 INFORMATIVO 105 01 DE AGOSTO a 31 DE AGOSTO DE 2006 VGL NEWS ANO 6 INFORMATIVO 105 01 DE AGOSTO a 31 DE AGOSTO DE 2006 ASSUNTOS FISCAIS Medida Provisória 315/06 Cambial e Tributária 1 Medida Provisória 320/06 Aduaneira 2 Instrução Normativa SRF 670/06 Declaração

Leia mais

ANO XXIII - 2012-1ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 TRIBUTOS FEDERAIS ICMS - SC

ANO XXIII - 2012-1ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 TRIBUTOS FEDERAIS ICMS - SC ANO XXIII - 2012-1ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 TRIBUTOS FEDERAIS DAS - EMISSÃO COMPLEMENTAR Introdução - Casos de Emissão do DAS Complementar - Geração do DAS Após o Vencimento

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO FIRJAN 14/06/2016

DRAWBACK INTEGRADO FIRJAN 14/06/2016 DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO FIRJAN 14/06/2016 Uma ferramenta poderosa na competitividade das empresas

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 48.266, DE 19 DE AGOSTO DE 2011. (publicado no DOE nº 162 de 22 de agosto de 2011) Modifica o Regulamento

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.

SIMPLES NACIONAL. Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. SIMPLES NACIONAL Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno

Leia mais

PARTE GERAL FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO, 1

PARTE GERAL FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO, 1 PARTE GERAL FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO TRIBUTÁRIO, 1 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO TRIBUTÁRIO, 3 1.1 Introdução, 3 1.1.1 Sistema jurídico-tributário, 3 1.2 Finalidade do Estado, 5 1.3 Atividade financeira

Leia mais

AULA 19. Mercado de Câmbio II

AULA 19. Mercado de Câmbio II AULA 19 Mercado de Câmbio II Posição de Câmbio A posição de câmbio é representada pelo saldo das operações de câmbio (compra e venda de moeda estrangeira, de títulos e documentos que as representem e de

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA AS EMPRESAS SOBRE COMO FAZER O CADASTRO NA SUFRAMA.

ORIENTAÇÕES PARA AS EMPRESAS SOBRE COMO FAZER O CADASTRO NA SUFRAMA. Compilações das Informações Maria da Conceição Mira dos Santos Outubro/2014 Página 1 CARTILHA DE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS SOBRE O CADASTRO DA SUFRAMA. APRESENTAÇÃO Os pequenos negócios no Amapá contam com

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO REGISTRO DE EXPORTAÇÃO (SISCOMEX)

FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO REGISTRO DE EXPORTAÇÃO (SISCOMEX) FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO REGISTRO DE EXPORTAÇÃO (SISCOMEX) FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO A determinação do preço de exportação é um dos aspectos mais importantes e decisivos para a conquista e

Leia mais

Im portação Fo x 1/23

Im portação Fo x 1/23 Importação Fox 1/23 Índice 1.INTRODUÇÃO... 3 1.1. Quais os tributos que incidem sobre a importação de produtos e serviços no Brasil?... 3 2.CLASSIFICAÇÃO DOS TRIBUTOS... 5 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 2.6.

Leia mais

Finanças Públicas. Aula 1

Finanças Públicas. Aula 1 Finanças Públicas Aula 1 Finanças Públicas Teoria do bem estar social Finanças Públicas Conceito de ponto Ótimo de Pareto Finanças Públicas As Falhas de mercado Falhas de mercado Existência de Bens públicos

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 288, DE 28 DE FEVEREIRO DE 1967

DECRETO-LEI Nº 288, DE 28 DE FEVEREIRO DE 1967 DECRETO-LEI Nº 288, DE 28 DE FEVEREIRO DE 1967 Altera as disposições da Lei número 3.173 de 6 de junho de 1957 e regula a Zona Franca de Manaus. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe

Leia mais

Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que:

Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que: Prezados, Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que: a) pelo regime de ex-tarifário, pode haver redução da TEC para bens

Leia mais

ICMS/SP - Zona Franca de Manaus/Áreas de Livre Comércio - Zona Franca de Manaus (ZFM) e Áreas de Livre Comércio (ALC)

ICMS/SP - Zona Franca de Manaus/Áreas de Livre Comércio - Zona Franca de Manaus (ZFM) e Áreas de Livre Comércio (ALC) ICMS/SP - Zona Franca de Manaus/Áreas de Livre Comércio - Zona Franca de Manaus (ZFM) e Áreas de Livre Comércio (ALC) Sumário 1. Introdução... 2 2. Regime fiscal especial... 3 2.1 Importação... 3 2.1.1

Leia mais

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES

ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES ASPECTOS FISCAIS NAS EXPORTAÇÕES 1 INCIDÊNCIAS TRIBUTÁRIAS NAS EXPORTAÇÕES Optantes do SIMPLES Os transformadores plásticos exportadores optantes do SIMPLES devem analisar a conveniência da continuidade

Leia mais

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CÓDIGOS DE OPERAÇÕES DE ENTRADAS 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO Classificam-se, neste grupo, as operações ou prestações em que o estabelecimento

Leia mais

Portaria SECEX Nº 47 DE 11/12/2014

Portaria SECEX Nº 47 DE 11/12/2014 Portaria SECEX Nº 47 DE 11/12/2014 Publicado no DO em 12 dez 2014 Altera a Portaria SECEX nº 23, de 14 de julho de 2011, para adequar os processos de habilitação ao regime de drawback integrado isenção

Leia mais

Parte I INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA: CONCEITOS, PRINCÍPIOS E NORMAS BÁSICAS, 3

Parte I INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA: CONCEITOS, PRINCÍPIOS E NORMAS BÁSICAS, 3 Apresentação, xxv Prefácio à 12a Edição, xxvii Introdução, 1 Parte I INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA: CONCEITOS, PRINCÍPIOS E NORMAS BÁSICAS, 3 1 Contabilidade Tributária, 5 1.1 Conceito, 5 1.1.1

Leia mais

O Processo de Importação e Suas Etapas

O Processo de Importação e Suas Etapas O Processo de Importação e Suas Etapas CURSO: Administração / DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004.

Leia mais

REGIME ADUANEIRO ESPECIAL DE DRAWBACK

REGIME ADUANEIRO ESPECIAL DE DRAWBACK Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Coordenação-Geral de Exportação e Drawback

Leia mais

EMENTÁRIO DE CLASSIFICAÇÃO DAS RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS

EMENTÁRIO DE CLASSIFICAÇÃO DAS RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS FISCAIS EMENTÁRIO DE CLASSIFICAÇÃO DAS RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS Brasília 2006 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO,

Leia mais

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 Altera o Decreto nº 18.955, de 22 de dezembro de 1997, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA

OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA 1) ATUALIZAR LEIS SOBRE CONTRATOS ADMINISTRATIVOS (RDC E OUTRAS LEIS) A) ENGENHARIA NACIONAL E PROJETOS A.1 Estabelecer critérios diferenciados

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado por: Sara Gonçalves n.º16 12ºS Financiamento á Exportação O produto baseia-se na

Leia mais

Registra o valor total da arrecadação da receita tributária (impostos, taxas e contribuições de melhoria).

Registra o valor total da arrecadação da receita tributária (impostos, taxas e contribuições de melhoria). Registra o valor total da arrecadação das receitas tributária, de 1000000000 Receitas Correntes contribuições, patrimonial, agropecuária, industrial, de serviços, as 1 S transferências correntes e outras

Leia mais

Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo

Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo Fiscal - Exercícios Legislação Aduaneira Exercício Fábio Lobo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. (ESAF/AFRF/1998) O transporte de mercadoria estrangeira contida

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS. Estratégias

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS. Estratégias INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. 1 Variáveis das de Internacionalização Segundo

Leia mais

9/5/2013 O QUE É DRAWBACK?

9/5/2013 O QUE É DRAWBACK? O QUE É DRAWBACK? É UM REGIME ESPECIAL QUE TEM POR OBJETIVO DESONERAR IMPORTAÇÕES E/OU AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS NO MERCADO INTERNO, EQUIVALENTE À EMPREGADA, VINCULADAS A UM COMPROMISSO DE EXPORTAÇÃO. ABRANGE

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no

Leia mais

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO.

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. Acrescentado pelo Decreto 24.441 de 14 de agosto de 2008. Publicado no DOE de 14.08.2008 Convênio ICMS nº 143/02 e

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS CONSULTA PÚBLICA RFB Nº 04/2015. Brasília, 19 de agosto de 2015. Assunto: Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado do Sistema Público de Escrituração Digital (Recof

Leia mais

Resoluções e Normativas Federais. GTT - Náutico

Resoluções e Normativas Federais. GTT - Náutico Resoluções e Normativas Federais GTT - Náutico Ministério da Fazenda Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) -Decreto nº 6.759, de 5 de fevereiro de 2009. Regulamento Aduaneiro (art. 26 ao 30; art.

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 4 DO CONTRATO TARIFAS

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 4 DO CONTRATO TARIFAS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 4 DO CONTRATO TARIFAS 1 Sumário 1. Informações iniciais... 3 1.1. Introdução... 3 1.2. Definições... 3 2. Tarifas... 6 2.1. Considerações... 6 2.2. Tarifas Aeroportuárias...

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.759, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2009.

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.759, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2009. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.759, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2009. Regulamenta a administração das atividades aduaneiras, e a fiscalização, o controle e

Leia mais

LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 06

LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 PROFESSORES: LUIZ MISSAGIA E RODRIGO LUZ AULA 06 SUMÁRIO DA AULA LEGISLAÇÃO ADUANEIRA RFB 2013 AULA 06 (PONTOS 10 e 10.1 DO PROGRAMA AFRFB/2012) (PONTOS 10 e 10.1 DO PROGRAMA ATRFB/2012) 1. REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS PARTE I... 3 1.1. Disposições Gerais...

Leia mais

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações A presente relação de códigos fiscais é baseada noconvênio SINIEF s/nº, de 15.12.1970, com suas respectivas alterações. A relação encontra-se devidamente

Leia mais

ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO

ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO Considera-se armazém geral o estabelecimento destinado à recepção, manutenção e guarda de mercadorias ou bens de terceiros, mediante o pagamento de uma tarifa préfixada ou

Leia mais

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor CIRCULAR N 3015 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes para incluir título relativo a Transferências Postais. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada

Leia mais