Ano V Nº 19 Maio de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ano V Nº 19 Maio de 2011"

Transcrição

1 V Nº 19 Maio de 2011 Estudo comparativo do valor e do reajuste do vale refeição pago aos Servidores do TJMG com o salário mínimo, a cesta básica e o IPCA-IBGE SIND SERV da Justiça de Segunda Instância MG

2 Escritório Regional de Minas Gerais Rua Curitiba,1269 9º andar CEP Belo Horizonte, MG Telefone (31) / fax (31) Direção Executiva Presidente: Zenaide Honório Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo - SP Vice-presidente: Tadeu Morais de Sousa Mecânicas e de Material Elétrico de São Paulo Mogi das Cruzes e Região - SP Secretário: Pedro Celso Rosa de Máquinas Mecânicas de Material Elétrico de Veículos e Peças Automotivas da Grande Curitiba PR Diretor Executivo: Alberto Soares da Silva Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Energia Elétrica de Campinas - SP Diretor Executivo: João Vicente Silva Cayres Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - SP Diretor Executivo: Ana Tércia Sanches Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de São Paulo Osasco e Região - SP Diretor Executivo: Antônio de Sousa Mecânicas e de Material Elétrico de Osasco e Região - SP Diretor Executivo: Paulo de Tarso Guedes Brito Sindicato dos Eletricitários da Bahia - BA Diretor Executivo: José Carlos Souza Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Energia Elétrica de São Paulo - SP Diretor Executivo: Josinaldo José de Barros Mecânicas e de Materiais Elétricos de Guarulhos Arujá Mairiporã e Santa Isabel -SP Diretora Executiva: Mara Luzia Feltes Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramentos Perícias Informações Pesquisas e de Fundações Estaduais Rio Grande do Sul - RS Diretor Executivo: Roberto Alves da Silva Federação dos Trabalhadores em Serviços de Asseio e Conservação Ambiental Urbana e Áreas Verdes do Estado de São Paulo - SP Diretor Executivo: Maria das Graças de Oliveira Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Estado de Pernambuco PE Direção Técnica Clemente Ganz Lúcio Diretor Técnico Ademir Figueiredo Coordenador de Estudos e Desenvolvimento José Silvestre Prado de Oliveira Coordenador de Relações Sindicais Nelson Karam Coordenador de Educação Francisco J.C. de Oliveira Coordenador de Pesquisas Rosana de Freitas Coordenadora Administrativa e Financeira Direção Regional Amaury Alonso Barbosa Coordenador Sindicato Auxiliares de Administração Escolar MG Aparecida Fátima de Oliveira Secretária Sindicato dos Jornalistas Profissionais de MG Adelmo Coelho Saldanha Diretor Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro Oeste MG Leonardo Luiz de Freitas Diretor Sindicato Trabalhadores Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo MG Maria das Graças de Oliveira Diretora Sindicato dos Professores MG Paulo Henrique Fonseca Diretor Sindicato Único Trabalhadores na Educação MG Paulo Cezar Santos Diretor Sindicato dos Metalúrgicos de Ipatinga Equipe Responsável Fátima Guerra Supervisora Técnica ERMG Paula Monteiro Auxiliar Técnica ERMG

3 Estudo comparativo do valor e do reajuste do vale refeição pago aos Servidores do TJMG com o salário mínimo, a cesta básica e o IPCA-IBGE O presente estudo irá comparar a evolução do valor do vale refeição dos Servidores da Justiça de Segunda Instância do Estado de Minas Gerais com a evolução dos preços da cesta básica em Belo Horizonte, com o valor do salário mínimo e com a variação do item Alimentação fora do Domicílio que compõe o IPCA-IBGE, calculado para o município de Belo Horizonte, no período decorrido entre 2008 e abril de Tabela 1 Comparação do valor e do reajuste do vale refeição com o valor e a variação do salário mínimo Vale refeição Salário mínimo Valor mensal % Valor mensal % (Vale refeição)/ (Salário mínimo) 2008 R$ 319,00 3,57 R$ 415,00 9,21 76,87% 2009 R$ 319,00 0,00 R$ 465,00 12,05 68,60% 2010 R$ 330,00 3,45 R$ 510,00 9,68 64,71% 2011 R$ 352,00 6,67 R$ 545,00 6,86 64,59% Total acumulado - 14,29-43,42 - Fonte: Sinjus A Tabela 1 mostra a evolução do valor mensal e dos reajustes do vale refeição e do valor e dos reajustes do salário mínimo, no período de 2008 a A última coluna da tabela mostra a relação entre o valor do vale refeição e do salário mínimo, a cada ano. Observa-se que, em 2011, o vale refeição da categoria apresenta seu menor percentual em relação ao salário mínimo. No ano em curso, o vale refeição corresponde a 64,59% do salário mínimo. O ano em que o vale refeição teve seu melhor percentual em relação ao salário mínimo foi 2008, quando correspondia a 76,87% do salário mínimo. 14,29%, enquanto o reajuste acumulado do salário mínimo foi de 43,42%. Ou seja, os reajustes do salário mínimo foram 25,49% maiores do que os reajustes do vale refeição, o que resulta em uma perda real acumulada de 20,31% em relação aos reajustes do salário mínimo.

4 Tabela 2 Comparação do valor e do reajuste do vale refeição com o valor e a variação da cesta básica* de Belo Horizonte Vale refeição Cesta básica (Vale refeição)/ Valor médio Valor mensal % % (Cesta básica) anual 2008 R$ 319,00 3,57 R$ 225,77 25,13 1, R$ 319,00 0,00 R$ 217,33-3,74 1, R$ 330,00 3,45 R$ 225,73 3,87 1, (média de jan-abr) R$ 352,00 6,67 R$ 246,64 9,26 1,43 Total acumulado - 14,29-36,70 - Fonte: Sinjus e DIEESE Nota: média anual do valor da cesta básica pesquisada pelo DIEESE Na Tabela 2 é apresentada a evolução do valor mensal e dos reajustes do vale refeição e do valor e das variações no valor médio anual da cesta básica de Belo Horizonte, no período de 2008 a A última coluna da tabela consta o número de cestas básicas que podiam ser adquiridas pelo vale refeição em cada ano. Observa-se que 2009 foi o ano em que o vale refeição da categoria teve seu maior poder de compra em relação à cesta básica. Naquele ano, o vale refeição pôde comprar 1,47 cesta básica. O ano em que o piso salarial teve seu pior poder aquisitivo em relação à cesta básica foi 2008, quando foi possível comprar apenas 1,41 cesta. Em 2011 houve uma piora, apesar do reajuste de 6,67% concedido ao benefício, pois o número de cestas que se pode comprar com o vale refeição caiu para 1,43. 14,29%, enquanto as variações do valor médio anual da cesta básica acumuladas foram de 36,7%. Ou seja, as variações do preço da cesta básica foram 19,61% superiores aos reajustes acumulados do vale refeição, o que resulta em uma perda real acumulada de 16,39% em relação às variações de preços da cesta básica.

5 Tabela 3 Comparação do valor e do reajuste do vale refeição com o IPCA-IBGE Belo Horizonte Item alimentação fora do domicílio Vale refeição Valor mensal % IPCA-IBGE BH (em %) Ganho/perda do reajuste em relação ao IPCA-IBGE BH (em %) 2008 R$ 319,00 3,57 10,37-6, R$ 319,00 0,00 7,15-6, R$ 330,00 3,45 10,79-6, (acum. jan-abr) R$ 352,00 6,67 3,68 2,88 Total acumulado - 14,29 35,84-15,87 Fonte: Sinjus e IBGE Finalmente, a Tabela 3 mostra a comparação entre os reajustes concedidos ao vale refeição da categoria e a variação do item alimentação fora do domicílio que compõe o IPCA- IBGE em Belo Horizonte. Na última coluna da tabela constam os ganhos ou perdas reais obtidas pelo vale refeição até abril de 2011, em relação ao IPCA-IBGE. 14,29%, enquanto o item alimentação fora do domicílio do IPCA-IBGE, em Belo Horizonte, variou 35,84% no mesmo período. Ou seja, as variações do índice foram 18,86% superiores aos reajustes acumulados do vale refeição, o que resulta em uma perda real acumulada de 15,87% em relação ao IPCA-IBGE para alimentação fora do domicílio em Belo Horizonte.

Nota Técnica Número 03 fevereiro 2013

Nota Técnica Número 03 fevereiro 2013 SINDIFERN Nota Técnica Número 03 fevereiro 2013 Arrecadação de ICMS no Estado do Rio Grande do Norte: uma análise da evolução em anos recentes Introdução O presente estudo dedica-se a informação e análise

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo: Valor para 2014 será de R$ 724,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: Valor para 2014 será de R$ 724,00 Nota Técnica Número 132 dezembro 2013 Política de Valorização do Salário Mínimo: Valor para 2014 será de Salário Mínimo de 2014 será de A partir de 1º de janeiro de 2014, o valor do Salário Mínimo passa

Leia mais

Março de 2016 Número 155. Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas

Março de 2016 Número 155. Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas Março de 2016 Número 155 Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas Em 2015, a taxa

Leia mais

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF:

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: Número 107 Fevereiro de 2012 Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: A necessária atualização e as mudanças de pesos em um índice de preços Pesquisas de Orçamentos Familiares - POF: a necessária atualização

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo:

Política de Valorização do Salário Mínimo: Nota Técnica Número 143 janeiro 2015 Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário Mínimo de 2015 fixado em R$ 788,00 Salário Mínimo de 2015 será de R$ 788,00 A partir de 1º de janeiro de 2015, o

Leia mais

Número 131 - novembro de 2013. Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa

Número 131 - novembro de 2013. Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa Número 131 - novembro de 2013 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa 1 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas Para Uma Tributação Mais Justa É sabido que a política

Leia mais

Nº 72 Julho de 2014. Balanço dos Pisos Salariais Negociados em 2013

Nº 72 Julho de 2014. Balanço dos Pisos Salariais Negociados em 2013 Nº 72 Julho de 2014 Balanço dos Pisos Salariais Negociados em 2013 Balanço dos pisos salariais negociados em 2013 Pelo nono ano consecutivo, o DIEESE Departamento Intersindical de Estatística e Estudos

Leia mais

Corte de postos de trabalho nos bancos privados continua no 1º semestre de 2014

Corte de postos de trabalho nos bancos privados continua no 1º semestre de 2014 Número 6 Setembro/2014 1º semestre de 2014 Corte de postos de trabalho nos bancos privados continua no 1º semestre de 2014 Rede Bancários 2 DESEMPENHO DOS BANCOS DESEMPENHO DOS BANCOS 1º semestre de 2014

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa

Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa Fevereiro de 2015 Número 144 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa (Atualização da NT 131, de novembro de 2013) 1 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas Para Uma Tributação

Leia mais

Notas sobre o Salário Mínimo e imposto de renda. Número 17 março 2006 NOTA TÉCNICA

Notas sobre o Salário Mínimo e imposto de renda. Número 17 março 2006 NOTA TÉCNICA Notas sobre o Salário Mínimo e imposto de renda Número 17 março 2006 NOTA TÉCNICA Notas sobre o salário mínimo e imposto de renda Impactos dos reajustes E m 2005, as Centrais Sindicais 1 deram continuidade

Leia mais

Número 141 - Outubro de 2014. Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica

Número 141 - Outubro de 2014. Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica Número 141 - Outubro de 2014 Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais de educação básica Transformações recentes no perfil do docente das escolas estaduais e municipais

Leia mais

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa Março de 2016 Número 156 Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa (Atualização das NTs 131, de novembro de 2013 e 144, de Fevereiro de 2015) 1 Imposto de Renda Pessoa Física:

Leia mais

Número 130 - novembro de 2013. Fator Previdenciário: por que mudar?

Número 130 - novembro de 2013. Fator Previdenciário: por que mudar? Número 130 - novembro de 2013 Fator Previdenciário: por que mudar? FATOR PREVIDENCIÁRIO: POR QUE MUDAR? 1 Como surgiu o Fator Previdenciário? A Reforma Previdenciária de 1998, por meio da Emenda Constitucional

Leia mais

Número 66 Abril de 2008. Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução do salário

Número 66 Abril de 2008. Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução do salário Número 66 Abril de 2008 Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução do salário 1 Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução

Leia mais

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO Etapa/Fase nº 3 Produto 1 Eixo 1 Sítio da Escola reformulado Relatório de execução Convênio MTE/SPPE/CODEFAT nº. 077/2010

Leia mais

TABELA 1 Destaques dos seis maiores bancos Brasil - 2013

TABELA 1 Destaques dos seis maiores bancos Brasil - 2013 DESEMPENHO DOS BANCOS EM 2013 Resultados diferenciados e fechamento de postos de trabalho caracterizaram o desempenho do setor bancário em 2013 Em 2013, os seis maiores bancos do país 1 apresentaram resultados

Leia mais

Site Sistema PED. Projeto Sistema PED 2012

Site Sistema PED. Projeto Sistema PED 2012 CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO PED E DESENHO DE NOVOS INDICADORES E LEVANTAMENTOS Site Sistema PED Projeto Sistema PED 2012 Meta C: Aprimorar sistema de divulgação e disponibilização das informações

Leia mais

GASTOS PÚBLICOS E REAJUSTE DE SERVIDORES EM ANO ELEITORAL. Número 15 Março de 2006 NOTA TÉCNICA

GASTOS PÚBLICOS E REAJUSTE DE SERVIDORES EM ANO ELEITORAL. Número 15 Março de 2006 NOTA TÉCNICA GASTOS PÚBLICOS E REAJUSTE DE SERVIDORES EM ANO ELEITORAL Número 15 Março de 2006 NOTA TÉCNICA Gastos públicos e reajuste de servidores em ano eleitoral Introdução A discussão sobre o aumento dos gastos

Leia mais

Número 25 Junho 2006 NOTA TÉCNICA INCENTIVO À FORMALIZAÇÃO DO EMPREGO DOMÉSTICO

Número 25 Junho 2006 NOTA TÉCNICA INCENTIVO À FORMALIZAÇÃO DO EMPREGO DOMÉSTICO Número 25 Junho 2006 NOTA TÉCNICA INCENTIVO À FORMALIZAÇÃO DO EMPREGO DOMÉSTICO Incentivo à formalização do emprego doméstico No Brasil, no ano de 2004, 6,5 milhões de pessoas trabalhavam com empregados

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE DESENVOLVIMENTO

RELATÓRIO TÉCNICO DE DESENVOLVIMENTO CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO PED E DESENHO DE NOVOS INDICADORES E LEVANTAMENTOS RELATÓRIO TÉCNICO DE DESENVOLVIMENTO META C - APRIMORAR SISTEMA DE DIVULGAÇÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES C2.

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00 Nota Técnica Número 153 - Dezembro de 2015 Atualizada em janeiro de 2016 Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00 Salário mínimo de 2016 é de R$ 880,00 A partir

Leia mais

Número 106 Dezembro de 2011 Revista e atualizada em Janeiro de Política de Valorização do Salário Mínimo:

Número 106 Dezembro de 2011 Revista e atualizada em Janeiro de Política de Valorização do Salário Mínimo: Número 106 Dezembro de 2011 Revista e atualizada em Janeiro de 2012 Política de Valorização do Salário Mínimo: Considerações sobre o valor a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2012 Breve Histórico da

Leia mais

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa Março de 2016 Número 156 Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa (Atualização das NTs 131, de novembro de 2013 e 144, de Fevereiro de 2015) 1 Imposto de Renda Pessoa Física:

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário mínimo de 2013 será de R$ 678,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário mínimo de 2013 será de R$ 678,00 Nota Técnica Número 118 dezembro 2012 Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário mínimo de 2013 será de Salário mínimo de 2013 será de A partir de 1º de janeiro de 2013, o valor do salário mínimo

Leia mais

Supermercados em 2012

Supermercados em 2012 Junho de 2013 número 5 Supermercados em 2012 Uma análise dos principais indicadores Com o objetivo de subsidiar os dirigentes sindicais para as negociações salariais, a Rede Comerciários do DIEESE - Departamento

Leia mais

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO Relatório Técnico Requalificação da Biblioteca da Escola de Ciências do Trabalho Etapa/Fase nº 7 Convênio MTE/SPPE/CODEFAT

Leia mais

Número 57 Novembro de 2007 REDUZIR A JORNADA DE TRABALHO É GERAR EMPREGOS DE QUALIDADE

Número 57 Novembro de 2007 REDUZIR A JORNADA DE TRABALHO É GERAR EMPREGOS DE QUALIDADE Número 57 Novembro de 2007 REDUZIR A JORNADA DE TRABALHO É GERAR EMPREGOS DE QUALIDADE Reduzir a jornada de trabalho é gerar empregos de qualidade O atual nível de desemprego e, sobretudo, seu caráter

Leia mais

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012 Set/2012 DESEMPENHO DOS BANCOS 1º SEMESTRE DE 2012 Provisionamento excessivo e fechamento de postos de trabalho são destaques nos balanços dos seis maiores bancos no 1º semestre de 2012 A s demonstrações

Leia mais

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO Meta nº 1 - Etapa/Fase nº 15 Produto 2 Eixo 1 Primeira Versão do Sistema de Gestão da Escola Disponível para a Comunidade

Leia mais

Balanço dos Pisos Salariais dos Servidores da Administração Direta do Estado de São Paulo

Balanço dos Pisos Salariais dos Servidores da Administração Direta do Estado de São Paulo Abril de 2015 Rede Servidores Balanço dos Pisos Salariais dos Servidores da Administração Direta do Estado de São Paulo Introdução Este trabalho analisa a evolução real dos pisos salariais dos servidores

Leia mais

Estudo Técnico: Evolução do ICMS no Estado do Rio Grande do Norte no período 2000-2013

Estudo Técnico: Evolução do ICMS no Estado do Rio Grande do Norte no período 2000-2013 DIEESE ESCRITÓRIO REGIONAL Rua João Pessoa, 265 Ed. Mendes Carlos, Centro 2º andar Natal - RN e-mail: errn@dieese.org.br PABX: (84) 3211-2609 Estudo Técnico: Evolução do ICMS no Estado do Rio Grande do

Leia mais

Nota Técnica Número 86 Janeiro de 2010 (revisada e atualizada) Política de Valorização do Salário Mínimo:

Nota Técnica Número 86 Janeiro de 2010 (revisada e atualizada) Política de Valorização do Salário Mínimo: Nota Técnica Número 86 Janeiro de 2010 (revisada e atualizada) Política de Valorização do Salário Mínimo: Considerações sobre o valor a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2010 A Campanha de Valorização

Leia mais

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa Janeiro de 2017 Número 169 Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa (Atualização das NTs 144 de novembro de 2013 e 156 de março de 2016) 1 Imposto de Renda Pessoa Física:

Leia mais

BOLETIM TRABALHO NO COMÉRCIO Mulher Comerciária: Trabalho e Família

BOLETIM TRABALHO NO COMÉRCIO Mulher Comerciária: Trabalho e Família BOLETIM TRABALHO NO COMÉRCIO Mulher Comerciária: Trabalho e Família No ano do centenário da Declaração do Dia Internacional da Mulher e diante da importância feminina para a categoria comerciária, o DIEESE

Leia mais

Número 84 Agosto de 2009. O emprego no setor do comércio e a crise internacional

Número 84 Agosto de 2009. O emprego no setor do comércio e a crise internacional Número 84 Agosto de 2009 O emprego no setor do comércio e a crise internacional O emprego no setor do comércio e a crise internacional Desde agosto de 2007, o mundo vem se deparando com uma crise financeira

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Novembro 2011 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Em outubro, foram gerados 126 mil postos de trabalho formais no Brasil

Leia mais

Fraco crescimento do crédito, corte de postos de trabalho e elevação nos resultados de tesouraria são os destaques de 2014 nos maiores bancos do país

Fraco crescimento do crédito, corte de postos de trabalho e elevação nos resultados de tesouraria são os destaques de 2014 nos maiores bancos do país 2014 Fraco crescimento do crédito, corte de postos de trabalho e elevação nos resultados de tesouraria são os destaques de 2014 nos maiores bancos do país Rede Bancários 2 DESEMPENHO DOS BANCOS DESEMPENHO

Leia mais

Nota Técnica Número 87 Abril de 2010. Redução da Jornada de Trabalho: Uma Luta do Passado, Presente e Futuro

Nota Técnica Número 87 Abril de 2010. Redução da Jornada de Trabalho: Uma Luta do Passado, Presente e Futuro Nota Técnica Número 87 Abril de 2010 Redução da Jornada de Trabalho: Uma Luta do Passado, Presente e Futuro Redução da Jornada de Trabalho: Uma Luta do Passado, Presente e Futuro Como é sabido, a Campanha

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Agosto 2011 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Em julho, foram gerados 140 mil postos de trabalho formais no Brasil Com

Leia mais

APRESENTAÇÃO DESTAQUES. 1. Índice de crescimento do emprego formal em Campinas é maior que na RMC (pág. 4)

APRESENTAÇÃO DESTAQUES. 1. Índice de crescimento do emprego formal em Campinas é maior que na RMC (pág. 4) Secretaria Municipal de Trabalho e Renda NOVEMBRO DE 2011 Boletim Informativo do Mercado de Trabalho em Campinas Dezembro de 2011 APRESENTAÇÃO A geração de postos de trabalho tem mostrado sinais de desaceleração

Leia mais

BALANÇO DOS PISOS SALARIAIS NEGOCIADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2006 Convênio SE/MTE N. 04/2003-DIEESE

BALANÇO DOS PISOS SALARIAIS NEGOCIADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2006 Convênio SE/MTE N. 04/2003-DIEESE SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA ACOMPANHAMENTO DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS NO BRASIL META II RELATÓRIOS BALANÇO DOS PISOS SALARIAIS NEGOCIADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2006 Convênio SE/MTE N. 04/2003-DIEESE 2006

Leia mais

Fórmula 85/95: O que muda nas aposentadorias. Nota Técnica Número 146 - julho 2015

Fórmula 85/95: O que muda nas aposentadorias. Nota Técnica Número 146 - julho 2015 Fórmula 85/95: O que muda nas aposentadorias Nota Técnica Número 146 - julho 2015 Fórmula 85/95: o que muda nas aposentadorias 1. O que é Previdência Social no Brasil? A Previdência Social é um direito,

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RECIFE RELATÓRIO DO PROCESSO DE DIÁLOGO SOCIAL COM OS CONSELHEIROS DA COMISSÃO MUNICIPAL DE EMPREGO DO RECIFE Contrato de Prestação de Serviços Nº 123 Prefeitura do Recife /

Leia mais

Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Janeiro a Março de 2007

Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Janeiro a Março de 2007 Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Janeiro a Março de 2007 Convênio MTE/SPPE/CODEFAT 098/2005 Primeiro Termo Aditivo RELATÓRIO TRIMESTRAL DE SUPERVISÃO DAS

Leia mais

Spread e juros bancários. Número 109 Abril de 2012

Spread e juros bancários. Número 109 Abril de 2012 Spread e juros bancários Número 109 Abril de 2012 Spread e juros bancários Introdução O desempenho da economia brasileira nos últimos anos e, principalmente, a perspectiva de crescimento por meio do investimento

Leia mais

PROJETO DESENVOLVIMENTO METODOLÓGICO, FORMAÇÃO, PRODUÇÃO DE DADOS ESTRATÉGICOS E DE FERRAMENTAS DE APOIO À GESTÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DA BAHIA

PROJETO DESENVOLVIMENTO METODOLÓGICO, FORMAÇÃO, PRODUÇÃO DE DADOS ESTRATÉGICOS E DE FERRAMENTAS DE APOIO À GESTÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DA BAHIA PROJETO DESENVOLVIMENTO METODOLÓGICO, FORMAÇÃO, PRODUÇÃO DE DADOS ESTRATÉGICOS E DE FERRAMENTAS DE APOIO À GESTÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DA BAHIA Subprojeto I Desenvolvimento de metodologia de implementação,

Leia mais

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO Etapa/Fase nº 4 Produto 9 Eixo 3 Manual do Candidato Convênio MTE/SPPE/CODEFAT nº. 077/2010 e Termos Aditivos - SICONV

Leia mais

O setor metalúrgico de junho a setembro de 2015

O setor metalúrgico de junho a setembro de 2015 Número 02 novembro de 2015 O setor metalúrgico de junho a setembro de 2015 A economia brasileira encontra-se em dificuldade, com a maioria dos indicadores apresentando trajetória de queda, principalmente

Leia mais

Resultados- Junho OUTUBRO 2011

Resultados- Junho OUTUBRO 2011 Resultados- Junho 2011 - OUTUBRO 2011 Crescimento do volume e receita nominal das vendas; evolução da massa de rendimentos dos ocupados; volume de crédito e inadimplência; dados sobre emprego formal, como

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 2 0 1 0 Relatório de Atividades Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Direção Técnica (responsável pela edição desta publicação - Maio de 2011) Clemente Ganz Lúcio - Diretor

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL DAS ATIVIDADES DE CAMPO: JANEIRO A MARÇO 2007

RELATÓRIO TRIMESTRAL DAS ATIVIDADES DE CAMPO: JANEIRO A MARÇO 2007 RELATÓRIO TRIMESTRAL DAS ATIVIDADES DE CAMPO: JANEIRO A MARÇO 2007 Objetivo A: Supervisionar a Execução das PEDs nas Regiões Metropolitanas Convênio MTE/SPPE/CODEFAT Nº 098/2005 e Primeiro Termo Aditivo

Leia mais

Objetivo Específico II

Objetivo Específico II O TRABALHADOR BRASILEIRO E A SAÚDE SUPLEMENTAR: RELAÇÕES DE CONSUMO FASE I PESQUISA, DIAGNÓSTICO E SENSIBILIZAÇÃO DO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR Objetivo Específico II Seminário Nacional de Implantação

Leia mais

BOLETIM DE CONJUNTURA

BOLETIM DE CONJUNTURA BOLETIM DE CONJUNTURA Número 5 - Novembro de 2015 Esta publicação visa analisar e debater a conjuntura nacional e internacional e os reflexos sobre o mercado de trabalho, os setores, a renda, as negociações

Leia mais

Nº 77 agosto de 2015 Balanço das negociações dos reajustes salariais do 1º semestre de 2015

Nº 77 agosto de 2015 Balanço das negociações dos reajustes salariais do 1º semestre de 2015 Nº 77 agosto de 2015 Balanço das negociações dos reajustes salariais do 1º semestre de 2015 Balanço das negociações dos reajustes salariais do 1º semestre de 2015 No primeiro semestre de 2015, a maior

Leia mais

Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo

Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo SUBSEÇÃO DIEESE- CONDSEF SCS Q.02 Ed. Wady Cecílio II - 6º andar Brasília/DF E-mail: sucondsef@dieese.org.br Telefone / Fax (0xx61) 2103-7200 Estudo Técnico nº 53/2010 1 : Remunerações da carreira do PECFAZ

Leia mais

Nota Técnica Número 120 março 2013. A desoneração dos produtos da Cesta Básica

Nota Técnica Número 120 março 2013. A desoneração dos produtos da Cesta Básica Nota Técnica Número 120 março 2013 A desoneração dos produtos da Cesta Básica A desoneração dos produtos da Cesta Básica O Governo Federal editou, em 08 de março de 2013, a Medida Provisória nº 609, que

Leia mais

dos Trabalhadores Metalúrgicos

dos Trabalhadores Metalúrgicos PERFIL dos Trabalhadores Metalúrgicos de Guarulhos e Região Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Guarulhos, Arujá, Mairiporã e Santa Isabel DIEESE

Leia mais

Abril de 2016 Número 158. O Projeto de Lei Complementar 257/2016 e os Trabalhadores no Serviço Público

Abril de 2016 Número 158. O Projeto de Lei Complementar 257/2016 e os Trabalhadores no Serviço Público Abril de 2016 Número 158 O Projeto de Lei Complementar 257/2016 e os Trabalhadores no Serviço Público 1 O Projeto de Lei Complementar 257/2016 e os Trabalhadores no Serviço Público Introdução O governo

Leia mais

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes O aumento do álcool, neste 1º trimestre de 2006, assustou os consumidores. Muitos deles, com veículos bicombustíveis,

Leia mais

Pesquisa e estudo para promoção do desenvolvimento local, empreendedorismo e economia solidária no Município de Santo André Contrato n.

Pesquisa e estudo para promoção do desenvolvimento local, empreendedorismo e economia solidária no Município de Santo André Contrato n. Pesquisa e estudo para promoção do desenvolvimento local, empreendedorismo e economia solidária no Município de Santo André Contrato n. 443/06-PJ Produto 1.2. Relatório detalhado da oficina Março de 2007

Leia mais

Economia para Trabalhadores,

Economia para Trabalhadores, Economia para Trabalhadores Ano 3, Edição XXXII Novembro de 2015 Nesta edição: Resumo de Conjuntura Econômica Resumo de Indicadores do Mercado de Trabalho Atividade Industrial no Atividade Industrial em

Leia mais

CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - MARÇO DE 2011 -

CONTRATO Nº 068/2009 RELATÓRIO MENSAL SOBRE O MERCADO DE TRABALHO DO MUNICÍPIO DE OSASCO - MARÇO DE 2011 - PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

Nº 69 agosto de 2013 Balanço das negociações dos reajustes salariais do primeiro semestre de 2013

Nº 69 agosto de 2013 Balanço das negociações dos reajustes salariais do primeiro semestre de 2013 Nº 69 agosto de 2013 Balanço das negociações dos reajustes salariais do primeiro semestre de 2013 Balanço das negociações dos reajustes salariais do primeiro semestre de 2013 No primeiro semestre de 2013,

Leia mais

Ano 3 Nº 24 setembro de 2006. A ocupação dos jovens nos mercados de trabalho metropolitanos

Ano 3 Nº 24 setembro de 2006. A ocupação dos jovens nos mercados de trabalho metropolitanos Ano 3 Nº 24 setembro de 2006 A ocupação dos jovens nos mercados de trabalho metropolitanos A ocupação dos jovens nos mercados de trabalho metropolitanos No Brasil, as profundas transformações pelas quais

Leia mais

Nº 50 Março de 2010. Terceirização e morte no trabalho: um olhar sobre o setor elétrico brasileiro

Nº 50 Março de 2010. Terceirização e morte no trabalho: um olhar sobre o setor elétrico brasileiro Nº 50 Março de 2010 Terceirização e morte no trabalho: um olhar sobre o setor elétrico brasileiro Terceirização e morte no trabalho: um olhar sobre o setor elétrico brasileiro Introdução Odebate sobre

Leia mais

Nota Técnica Número 94 Janeiro de 2011. Inflação e juros: é necessário mudar o rumo do debate

Nota Técnica Número 94 Janeiro de 2011. Inflação e juros: é necessário mudar o rumo do debate Nota Técnica Número 94 Janeiro de 2011 Inflação e juros: é necessário mudar o rumo do debate Inflação e juros: é necessário mudar o rumo do debate De tempos em tempos, o debate sobre inflação toma vulto

Leia mais

ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA. Seguro Desemprego 2010-2011. Secretaria de Políticas Públicas de Emprego - SPPE

ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA. Seguro Desemprego 2010-2011. Secretaria de Políticas Públicas de Emprego - SPPE ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA 2010-2011 Seguro Desemprego Secretaria de Políticas Públicas de Emprego - SPPE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Trabalho e Emprego

Leia mais

Número 85 Setembro de 2009. As razões para a jornada de trabalho ser de 40 horas

Número 85 Setembro de 2009. As razões para a jornada de trabalho ser de 40 horas Número 85 Setembro de 2009 As razões para a jornada de trabalho ser de 40 horas As razões para a jornada de trabalho ser de 40 horas Há 14 anos, a Proposta de Emenda à Constituição PEC 231/95 tramita no

Leia mais

Número 31 - Agosto 2006 Nota Técnica. Redução da jornada normal de trabalho versus horas extras

Número 31 - Agosto 2006 Nota Técnica. Redução da jornada normal de trabalho versus horas extras Número 31 - Agosto 2006 Nota Técnica Redução da jornada normal de trabalho versus horas extras Redução da jornada normal de trabalho versus horas extras Introdução Em 2001, as Centrais Sindicais brasileiras

Leia mais

Comércio em 2013 Um balanço dos principais indicadores

Comércio em 2013 Um balanço dos principais indicadores Junho de 2014 número 6 Comércio em 2013 Um balanço dos principais indicadores Com o objetivo de subsidiar os dirigentes sindicais para as negociações salariais, a Rede Comerciários do DIEESE (Departamento

Leia mais

Nº 75 - março de 2015

Nº 75 - março de 2015 Nº 75 - março de 2015 Balanço das negociações dos reajustes salariais de 2014 Balanço das negociações dos reajustes salariais de 2014 O DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos,

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

INFORMA DIEESE agosto/2008

INFORMA DIEESE agosto/2008 INFORMA DIEESE Nº. 74 AGOSTO/2008 1 INFORMA DIEESE agosto/2008 A INFLAÇÃO RECENTE E AS CAMPANHAS SALARIAIS A inflação voltou? Como ficam as campanhas salariais dos trabalhadores? Com o objetivo de discutir

Leia mais

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. NÚMERO 13 Fev/2006

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. NÚMERO 13 Fev/2006 Fundo de Garantia por Tempo de Serviço NÚMERO 13 Fev/2006 Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) O regime de trabalho vigente entre os anos 40 e 60 garantia estabilidade do trabalhador no emprego

Leia mais

De janeiro a junho de 2015, houve uma inflação de 7,03%, passando assim a inflação de todo o ano de 2014 que foi de 6,73%.

De janeiro a junho de 2015, houve uma inflação de 7,03%, passando assim a inflação de todo o ano de 2014 que foi de 6,73%. Até Junho, Inflação já supera todo o ano de 2014 INFLAÇÃO DE 7,03% DE JANEIRO A JUNHO DE 2015 ATÉ JUNHO DE 2015 1 REAJUSTE NECESSÁRIO DE 48,49% PARA RECOMPOR A REMUNERAÇÃO DESDE JUNHO DE 2006 Considerando

Leia mais

MENSAGEM N.º 19/12 Curitiba, 13 de abril de 2012

MENSAGEM N.º 19/12 Curitiba, 13 de abril de 2012 MENSAGEM N.º 19/12 Curitiba, 13 de abril de 2012 Senhor Presidente, Tenho a honra de encaminhar a Vossa Excelência, para apreciação dessa augusta Assembleia Legislativa, o incluso Anteprojeto de Lei propondo

Leia mais

Considerações iniciais

Considerações iniciais Boletim Informativo Maio de 2015 Repasses tributários do Estado para Guarulhos Repasses tributários do Estado para Guarulhos Considerações iniciais 1. Dada a mudança de cenário econômico, baseado no aumento

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian) Requer informações ao Ministro da Educação sobre que medidas estão sendo desenvolvidas para cooperar tecnicamente com os estados que não

Leia mais

Número 26 Junho 2006 NOTA TÉCNICA PODER REAL DE COMPRA DO SALÁRIO MÍNIMO

Número 26 Junho 2006 NOTA TÉCNICA PODER REAL DE COMPRA DO SALÁRIO MÍNIMO Número 26 Junho 2006 NOTA TÉCNICA PODER REAL DE COMPRA DO SALÁRIO MÍNIMO Poder real de compra do Salário Mínimo Uma política de recuperação do poder aquisitivo do Salário Mínimo (SM) deve contemplar reajustes

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 2 0 1 1 Relatório de Atividades DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos Direção Técnica (responsável pela edição desta publicação - Março de 2012) Clemente Ganz Lúcio

Leia mais

As mudanças metodológicas na PMC e PMS. Número 180 Maio

As mudanças metodológicas na PMC e PMS. Número 180 Maio As mudanças metodológicas na PMC e PMS Número 180 Maio - 2017 As mudanças metodológicas na PMC e PMS Desde janeiro de 2017, as pesquisas conjunturais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

Número 48 Agosto de 2007. A turbulência financeira mundial e a conjuntura dos próximos meses

Número 48 Agosto de 2007. A turbulência financeira mundial e a conjuntura dos próximos meses Número 48 Agosto de 2007 A turbulência financeira mundial e a conjuntura dos próximos meses A turbulência financeira mundial e a conjuntura dos próximos meses Desde o começo de agosto, uma nova crise agita

Leia mais

O SIEEESP, A FEEESP, OS SINEPES ARAÇATUBA, OSASCO, PRESIDENTE PRUDENTE, RIO PRETO, SANTOS, SOROCABA E A

O SIEEESP, A FEEESP, OS SINEPES ARAÇATUBA, OSASCO, PRESIDENTE PRUDENTE, RIO PRETO, SANTOS, SOROCABA E A COMISSÃO PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO COMUNICADO CONJUNTO Nº 01/2015 REAJUSTE SALARIAL EM 1º DE MARÇO DE 2015 O SIEEESP, A FEEESP, OS SINEPES ARAÇATUBA, OSASCO, PRESIDENTE PRUDENTE, RIO PRETO, SANTOS, SOROCABA

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Relatório de Execução e Acompanhamento das PED's Regionais - Desempenho do campo III - (Relatório 4 de 4)

Relatório de Execução e Acompanhamento das PED's Regionais - Desempenho do campo III - (Relatório 4 de 4) Relatório Trimestral de execução de campo, processamento e análise de dados nas pesquisas integrantes do Sistema PED Relatório de Execução e Acompanhamento das PED's Regionais - Desempenho do campo III

Leia mais

COMPOSIÇÃO SALARIAL DOS DOCENTES DA REDE ESTADUAL PAULISTA UMA ANÁLISE A PARTIR DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DE PESSOAL DA SEE - SP 1996-2010

COMPOSIÇÃO SALARIAL DOS DOCENTES DA REDE ESTADUAL PAULISTA UMA ANÁLISE A PARTIR DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DE PESSOAL DA SEE - SP 1996-2010 COMPOSIÇÃO SALARIAL DOS DOCENTES DA REDE ESTADUAL PAULISTA UMA ANÁLISE A PARTIR DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DE PESSOAL DA SEE - SP 1996-2010 Ana Paula Santiago do Nascimento FEUSP Brasil anpnascimento@gmail.com

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE MAIO/2013

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE MAIO/2013 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE MAIO/2013 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil varia -5,12% em Maio O Índice Nacional da Construção

Leia mais

BOLETIM COPA DO MUNDO 2014 Porto Alegre. Oportunidades de trabalho e qualificação profissional

BOLETIM COPA DO MUNDO 2014 Porto Alegre. Oportunidades de trabalho e qualificação profissional 2 BOLETIM COPA DO MUNDO 2014 Porto Alegre Oportunidades de trabalho e qualificação profissional Sumário Apresentação... 3 1. Dimensionamento das Atividades Características do Turismo (ACTs)... 4 2. ACTs:

Leia mais

Estudo Técnico nº 160/2014 1 :

Estudo Técnico nº 160/2014 1 : SUBSEÇÃO DIEESE- CONDSEF SDS, Bloco L, N.º 30, 5º Andar Edifício Miguel Badya Brasília/DF E-mail: sucondsef@dieese.org.br Telefone / Fax (0xx61) 2103-7200 Estudo Técnico nº 160/2014 1 : Proposta de antecipação

Leia mais

Número 126 - Junho de 2013. Os trabalhadores e o novo marco regulatório do setor portuário brasileiro

Número 126 - Junho de 2013. Os trabalhadores e o novo marco regulatório do setor portuário brasileiro Número 126 - Junho de 2013 Os trabalhadores e o novo marco regulatório do setor portuário brasileiro Os trabalhadores e o novo marco regulatório do setor portuário brasileiro Introdução Poucas horas antes

Leia mais

Número 140 - Setembro de 2014. O Mercado de Trabalho Formal Brasileiro: Resultados da RAIS 2013

Número 140 - Setembro de 2014. O Mercado de Trabalho Formal Brasileiro: Resultados da RAIS 2013 Número 140 - Setembro de 2014 O Mercado de Trabalho Formal Brasileiro: Resultados da RAIS 2013 Introdução Esta Nota Técnica tem como objetivo apresentar os principais resultados da Relação Anual de Informações

Leia mais

ENDEREÇOS, TELEFONES E E-MAILS DO CVV E POSTOS SAMARITANOS EM TODO O BRASIL

ENDEREÇOS, TELEFONES E E-MAILS DO CVV E POSTOS SAMARITANOS EM TODO O BRASIL Endereços e telefones dos postos do CVV e dos postos Samaritanos em todo o Brasil pág. 1 ENDEREÇOS, TELEFONES E E-MAILS DO CVV E POSTOS SAMARITANOS EM TODO O BRASIL CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA Elaborei

Leia mais

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias

50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias 50 cidades com as melhores opções para aberturas de franquias Pesquisa realizada pela Rizzo Franchise e divulgada pela revista Exame listou as 50 cidades com as melhores oportunidades para abertura de

Leia mais

HISTÓRICO DA LEI DO PISO E PROPOSTA DE ENCAMINHAMENTO Mariza Abreu Consultora em Educação 26.outubro.2015 Histórico da Lei do Piso Nacional do Magistério (I) Constituição Federal de 1988: Art. 206. O ensino

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Page 1 of 6 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003056/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR039599/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008706/2014-39

Leia mais

S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 0

S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 0 S I N O P S E S I N D I C A L S E T E M B R O D E 2 0 0 0 BANCÁRIOS. Com data-base em 1º de setembro, A Federação Nacional dos Bancos FENABAN objetivando a renovação da convenção coletiva de trabalho ofereceu

Leia mais

Estudo do Setor Hoteleiro

Estudo do Setor Hoteleiro Estudo do Setor Hoteleiro 1 2 índice Apresentação... 04 Resumo... 05 1. Introdução... 06 2. O setor em números... 07 2.1. Principais características do mercado doméstico... 07 3. Desempenho no setor hoteleiro...

Leia mais

Redes participantes do Cataforte Logística Solidária

Redes participantes do Cataforte Logística Solidária Redes participantes do Cataforte Logística Solidária ALAGOAS Rede Recicla Alagoas Rede de Catadores e Catadoras Solidários de Alagoas Avenida Menino Marcelo, n. 6001 - Antares/Serraria Maceió (AL) Fone:

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028129/2013 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46261.003195/2012-11

Leia mais