Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo"

Transcrição

1 SUBSEÇÃO DIEESE- CONDSEF SCS Q.02 Ed. Wady Cecílio II - 6º andar Brasília/DF Telefone / Fax (0xx61) Estudo Técnico nº 53/ : Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo (versão preliminar para discussão interna) Agosto de Este estudo foi elaborado pela Subseção do DIEESE na CONDSEF (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal) para subsidiar as discussões da Direção Executiva e suas entidades filiadas quanto ao comparativo entre as remunerações dos servidores que fazem parte da carreira do PECFAZ (Plano Especial de Cargos do Ministério da Fazenda) e do Poder Executivo.

2 DIEESE Direção Executiva Josinaldo José de Barros - Presidente Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Materiais Elétricos de Guarulhos Arujá Mairiporã e Santa Isabel Alberto Soares da Silva Vice-presidente STI de Energia Elétrica de Campinas João Vicente Silva Cayres Secretário Sindicato dos. Metalúrgicos do ABC Direção técnica Clemente Ganz Lúcio diretor técnico Ademir Figueiredo coordenador de estudos e desenvolvimento José Silvestre Prado de Oliveira coordenador de relações sindicais Nelson Karam coordenador de educação Francisco J.C. de Oliveira coordenador de pesquisas Rosana de Freitas coordenadora administrativa e financeira CONDSEF Direção Executiva 2008/2011 Josemilton Maurício da Costa - RJ Secretaria Geral José Carlos de Oliveira - PE Secretaria de Administração Pedro Armengol de Souza - PI Secretaria de Finanças Sérgio Ronaldo da Silva - DF Secretaria de Imprensa e Comunicação Neide Rocha Cunha Solimões - PA Secretaria de Política Sindical e Formação Edison Vitor Cardoni - DF Secretaria de Assuntos Jurídicos, Parlamentares e de Classe Edvaldo Andrade Pitanga - BA Secretaria de Relações Internacionais Luís Carlos de Alencar Macedo - CE Secretaria de Aposentados e Pensionistas Eladir Elizabeth Lima - SP Secretaria de Políticas Públicas e Social Supervisão do ER DIEESE-DF Clóvis Scherer - Supervisor técnico Equipe técnica responsável pelo estudo Max Leno de Almeida (Subseção do DIEESE na CONDSEF)

3 Remunerações da carreira do PECFAZ e outras do Poder Executivo Introdução Nos últimos anos, a partir da análise das tabelas salariais das carreiras que integram o Poder Executivo, verifica-se que ocorreu uma série de incrementos salariais seja nos vencimentos básicos, como também nas gratificações específicas de cada uma dessas carreiras. Nota-se que houve, inclusive, alterações nas denominações salariais de alguns setores, já que muitos servidores passaram a ter remunerações não mais compostas por vencimento Básico e gratificações, mas sim a perceber a modalidade de subsídios. Outro detalhe importante foram as diferentes sistemáticas e índices de reajustes utilizados no sentido de possibilitar que as remunerações dos servidores viessem a ser elevadas nos últimos anos. Vale mencionar que tal iniciativa acabou prevalecendo para maioria das carreiras que atualmente compõem o Poder Executivo. Porém, tal estudo não tem por finalidade analisar todas essas categorias. A ideia é que sejam comparadas as remunerações dos servidores pertencentes à carreira do PECFAZ (Plano Especial de Cargos do Ministério da Fazenda) em relação aos salários dos servidores que fazem parte de carreiras que tenham certa similaridade quanto às funções desempenhadas. Comparação entre as remunerações Comparando-se as remunerações dos servidores do PECFAZ com as de na qual haja certa similaridade em termos de funções, verifica-se que, atualmente, tal diferença encontra-se bastante expressiva. Considerando-se os salários do início das tabelas 2, nota-se que, tanto em termos monetários (em R$), como também percentualmente, as disparidades chegam a ser de mais de R$ ,00 (onze mil reais) e mais de 300% (trezentos por cento), como é o caso da comparação entre as remunerações iniciais do PECFAZ com dos Procuradores da Fazenda Nacional. (ver tabela 01). Tabela 01 - Comparação entre a remuneração dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível superior - início da tabela Analista do Banco Central do Nível superior do quadro do Pesquisa do , ,43 251, , ,36 196, , ,43 251,24 2 Por inicio da tabela, entende-se como sendo as primeiras remunerações que compõem a tabela salarial de cada uma das carreiras analisadas. 3

4 Fazenda Nacional , ,31 311,68 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , ,78 269,73 Analista-Tributário da Receita Federal 7.624, ,34 115,74 do de Gestão , ,43 251,24 O mesmo ocorre quando a comparação é feita no final da tabela 3, já que há casos em que a diferença é superior a 200% (duzentos por cento), como por exemplo quando a comparação é realizada entre o PECFAZ e as carreiras do, Fazenda Nacional e Auditor- Fiscal da Receita Federal do. (ver tabela 02). Tabela 02 - Comparação entre a remuneração dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível superior - final da tabela Analista do Banco Central do , ,00 207,03 Nível superior do quadro do , ,60 160, , ,00 207,03 Pesquisa do Fazenda Nacional , ,00 223,19 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , ,00 223,19 Analista-Tributário da Receita Federal , ,00 87,75 do de Gestão , ,00 207,03 Apesar da diferença ser menor, observa-se que ela existe também no caso dos servidores que fazem parte do nível intermediário, seja em relação às remunerações iniciais, como também em relação aos salários no final das tabelas. (ver tabelas 03 e 04). 3 Por final da tabela, entende-se como sendo as últimas remunerações que compõem a tabela salarial de cada uma das carreiras analisadas. 4

5 Tabela 03 - Comparação entre a remuneração dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível Intermediário - início da tabela 2.590,42 Técnico do Banco Central do 4.896, ,83 89, ,42 Nível Intermediário do quadro do 4.536, ,15 75,13 Tabela 04 - Comparação entre a remuneração dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível Intermediário - final da tabela 3.147,11 Técnico do Banco Central do 7.538, ,89 139, ,11 Nível Intermediário do quadro do 6.388, ,49 103,00 Do mesmo modo que essa diferença é bastante evidente no caso dos servidores ativos, verifica-se que também ocorre em relação aos servidores aposentados. Em alguns casos, a discrepância chega a ser ainda mais expressiva, em razão de algumas carreiras perceberem subsídios 4, ao passo que a estrutura remuneratória da carreira do PECFAZ é composta por vencimento básico e gratificação em 50 pontos (metade dos pontos máximos possível de ser alcançado pelos servidores ativos). A título de exemplo, as tabelas 05 e 06 ilustram as disparidades existentes no caso dos servidores aposentados e pensionistas que fazem parte do nível superior. Tabela 05 - Comparação entre a remuneração dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores aposentados Nível Superior - início da tabela Analista do Banco Central do Nível superior do quadro do Pesquisa do Fazenda Nacional , ,43 349, , ,36 205, , ,43 349, , ,31 426,73 4 No caso dos subsídios, o valor da remuneração é semelhante tanto em relação aos servidores ativos como também aposentados e pensionistas. 5

6 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , ,78 373,06 Analista-Tributário da Receita Federal 7.624, ,34 176,03 do de Gestão , ,43 349,41 (1) As gratificações das carreiras analisadas acima foram consideradas em 50 pontos no caso dos servidores aposentados. (2) Algumas carreiras acima tem remuneração na forma de subsídios, inclusive no caso dos servidores aposentados. Tabela 06 - Comparação entre remuneração dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores aposentados Nível Superior - final da tabela 6 Analista do Banco Central do , ,50 284,08 Nível superior do quadro do , ,60 161, , ,50 284,08 Pesquisa do Fazenda Nacional , ,50 304,30 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , ,50 304,30 Analista-Tributário da Receita Federal , ,50 134,87 do de Gestão , ,50 284,08 (1) As gratificações das carreiras analisadas acima foram consideradas em 50 pontos no caso dos servidores aposentados. (2) Algumas carreiras acima tem remuneração na forma de subsídios, inclusive no caso dos servidores aposentados. Evolução das remunerações Conforme anteriormente já salientado, nos últimos anos, verificou-se a existência de elevação dos patamares remuneratórios de várias carreiras no âmbito do setor público, inclusive no caso do Poder Executivo. Vale registrar que, quanto às carreiras analisadas nesse estudo, o mesmo ocorreu de fato. No entanto, levando-se em consideração o período de 2002 a 2009, nota-se que o crescimento em termos monetários (em R$) foi bastante expressivo no caso de algumas carreiras especificamente. É bem verdade que, em determinados anos, dependendo da carreira analisada, os salários ficaram estacionados. Apesar disso, verifica-se que, no geral, ocorreram elevações das remunerações em praticamente todos os anos. Tal retrospecto foi desenvolvido tanto em relação a cada ano especificamente, como também, levou-se em conta a diferença remuneratória ocorrida no período compreendido entre 2002 e 2009, seja quanto às remunerações no inicio das tabelas, como também no que tange às remunerações no final de cada tabela (ver tabelas 07 a 10).

7 Tabela 07 Evolução das remunerações dos servidores do PECFAZ e outras carreira do Poder Executivo servidores ativos Nível Superior - início da tabela 2002 a 2009 Dez/2009 Dez/2008 Dez/2007 Dez/2006 Dez/2005 Dez/2004 Dez/2003 Dez/2002 Analista do Banco Central , , , , , , , ,59 do Nível superior do quadro do 9.667, , , , , , , ,03 Pesquisa do , , , , , , , ,03 Fazenda , , , , , , , ,50 Nacional Auditor-Fiscal da Receita Federal do , , , , , , , ,43 Analista- Tributário da Receita 8.250, , , Federal do de Gestão , , , , , , , ,03 PECFAZ 2.841, , , , , ,15 729,49 (1) No caso da carreira PECFAZ, considerou-se no período de 2006 a 2008 as remunerações dos servidores do PGPE e no período de 2002 a 2005, levou-se em conta os salários da tabela do PCC (Plano de Classificação de Cargos). Tabela 08 Variação das remunerações dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível Superior - início da tabela 2002 a 2009 Remuneração em Remuneração em Diferença (em R$) Dez/2009 Dez/2002 Analista do Banco Central do , , ,06 Nível superior do quadro do 9.667, , ,75 Pesquisa do , , ,62 Fazenda Nacional , , ,03 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , , ,26 Analista-Tributário da Receita Federal do 8.250, de Gestão , , ,62 PECFAZ 729, ,73 (1) No caso da carreira PECFAZ, considerou-se no período de 2006 a 2008 as remunerações dos servidores do PGPE e no período de 2002 a 2005, levou-se em conta os salários da tabela do PCC (Plano de Classificação de Cargos). (3) Quanto à carreira de Analista-Tributário, não foi feita a verificação pois passou a vigorar a partir de

8 Tabela 09 Evolução das remunerações dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível Superior - final da tabela 2002 a 2009 Dez/2009 Dez/2008 Dez/2007 Dez/2006 Dez/2005 Dez/2004 Dez/2003 Dez/2002 Analista do Banco Central , , , , , , , ,84 do Nível superior do quadro do , , , , , , , ,06 Pesquisa do , , , , , , , ,06 Fazenda , , , , , , , ,05 Nacional Auditor-Fiscal da Receita Federal do , , , , , , , ,91 Analista- Tributário da Receita Federal , , , do de Gestão , , , , , , , ,06 PECFAZ 4.624, , , , , , ,61 (1) No caso da carreira PECFAZ, considerou-se no período de 2006 a 2008 as remunerações dos servidores do PGPE e no período de 2002 a 2005, levou-se em conta os salários da tabela do PCC (Plano de Classificação de Cargos). Tabela 10 Variação das remunerações dos servidores do PECFAZ e do Poder Executivo servidores ativos Nível Superior - final da tabela 2002 a 2009 Remuneração em Remuneração em Diferença (em R$) Dez/2009 Dez/2002 Analista do Banco Central do , , ,16 Nível superior do quadro do , , ,54 Pesquisa do , , ,94 Fazenda Nacional , , ,95 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , , ,09 Analista-Tributário da Receita Federal do , de Gestão , , ,94 PECFAZ 1.959, ,39 (1) No caso da carreira PECFAZ, considerou-se no período de 2006 a 2008 as remunerações dos servidores do PGPE e no período de 2002 a 2005, levou-se em conta os salários da tabela do PCC (Plano de Classificação de Cargos). (3) Quanto à carreira de Analista-Tributário, não foi feita a verificação pois passou a vigorar a partir de

9 Situações remuneratórias previstas para 2010 As informações vistas até então correspondem à situação remuneratória das carreiras no contexto atual, sendo que as tabelas remuneratórias divulgadas no site do Ministério do Planejamento, traziam informações relativas a No entanto, as legislações já aprovadas estabelecem novos reajustes para o ano de 2010 (julho). Sendo assim, os novos valores previstos encontram-se abaixo na tabela 11. Tabela 11 Remunerações previstas de algumas carreiras do Poder Executivo servidores ativos Nível Superior - início e final da tabela 2010 Remuneração inicial JULHO/2010 Remuneração final JULHO/2010 Analista do Banco Central do , ,45 Nível superior do quadro do , ,73 Pesquisa do , ,45 Fazenda Nacional , ,00 Auditor-Fiscal da Receita Federal do , ,00 Analista-Tributário da Receita Federal do 7.996, ,00 de Gestão , ,45 Fonte: Boletim Estatístico de Pessoal do Ministério do Planejamento (várias publicações). Tabela de s Servidores Públicos Considerações finais O presente estudo teve por objetivo tratar do aspecto remuneratório dos servidores da carreira do PECFAZ (Plano Especial de Cargos do Ministério da Fazenda). Para tanto, foram realizadas várias comparações entre a situação salarial atual desses servidores com a de outras carreiras no âmbito do Poder Executivo na qual exista certa similaridade em termos de funções desempenhadas. Concluiu-se, deste modo, que os salários dos servidores fazendários, tanto ativos como também aposentados e pensionistas, encontram-se bastante defasados, o que requer, assim, que a estrutura remuneratória de tais servidores seja urgentemente debatida. Para tanto, segue anexa tabela que procura, justamente, estabelecer a equalização salarial buscando a realidade dos servidores do Ministério da Fazenda. (Ver estudo anexo) 9

Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário mínimo de 2013 será de R$ 678,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário mínimo de 2013 será de R$ 678,00 Nota Técnica Número 118 dezembro 2012 Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário mínimo de 2013 será de Salário mínimo de 2013 será de A partir de 1º de janeiro de 2013, o valor do salário mínimo

Leia mais

Número 106 Dezembro de 2011 Revista e atualizada em Janeiro de Política de Valorização do Salário Mínimo:

Número 106 Dezembro de 2011 Revista e atualizada em Janeiro de Política de Valorização do Salário Mínimo: Número 106 Dezembro de 2011 Revista e atualizada em Janeiro de 2012 Política de Valorização do Salário Mínimo: Considerações sobre o valor a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2012 Breve Histórico da

Leia mais

Nota Técnica Número 86 Janeiro de 2010 (revisada e atualizada) Política de Valorização do Salário Mínimo:

Nota Técnica Número 86 Janeiro de 2010 (revisada e atualizada) Política de Valorização do Salário Mínimo: Nota Técnica Número 86 Janeiro de 2010 (revisada e atualizada) Política de Valorização do Salário Mínimo: Considerações sobre o valor a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2010 A Campanha de Valorização

Leia mais

Site Sistema PED. Projeto Sistema PED 2012

Site Sistema PED. Projeto Sistema PED 2012 CONSOLIDAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO PED E DESENHO DE NOVOS INDICADORES E LEVANTAMENTOS Site Sistema PED Projeto Sistema PED 2012 Meta C: Aprimorar sistema de divulgação e disponibilização das informações

Leia mais

Considerações sobre a proposta do governo para o PCC (Plano de Classificação de Cargos)

Considerações sobre a proposta do governo para o PCC (Plano de Classificação de Cargos) DIEESE - DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SÓCIOECONÔMICOS Subseção do DIEESE na CONDSEF SCS-Qd.2 Bl C n.164 6 o andar Ed.Wady Cecílio II Brasília DF CEP 70.302-915 Fone:(061) 322-7747

Leia mais

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa Março de 2016 Número 156 Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa (Atualização das NTs 131, de novembro de 2013 e 144, de Fevereiro de 2015) 1 Imposto de Renda Pessoa Física:

Leia mais

Boletim de Indicadores Fiscais. Estado do Maranhão. Poder Executivo 2º Quadrimestre de 2013

Boletim de Indicadores Fiscais. Estado do Maranhão. Poder Executivo 2º Quadrimestre de 2013 Boletim de Indicadores Fiscais Estado do Maranhão Poder Executivo 2º Quadrimestre de 2013 novembro/2013 Introdução Este boletim tem por objetivo analisar os indicadores da Lei de Responsabilidade Fiscal

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00 Nota Técnica Número 153 - Dezembro de 2015 Atualizada em janeiro de 2016 Política de Valorização do Salário Mínimo: valor para 2016 é fixado em R$ 880,00 Salário mínimo de 2016 é de R$ 880,00 A partir

Leia mais

Resultados- Junho OUTUBRO 2011

Resultados- Junho OUTUBRO 2011 Resultados- Junho 2011 - OUTUBRO 2011 Crescimento do volume e receita nominal das vendas; evolução da massa de rendimentos dos ocupados; volume de crédito e inadimplência; dados sobre emprego formal, como

Leia mais

Ano V Nº 19 Maio de 2011

Ano V Nº 19 Maio de 2011 V Nº 19 Maio de 2011 Estudo comparativo do valor e do reajuste do vale refeição pago aos Servidores do TJMG com o salário mínimo, a cesta básica e o IPCA-IBGE SIND SERV da Justiça de Segunda Instância

Leia mais

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa Janeiro de 2017 Número 169 Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa (Atualização das NTs 144 de novembro de 2013 e 156 de março de 2016) 1 Imposto de Renda Pessoa Física:

Leia mais

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa

Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa Março de 2016 Número 156 Imposto de renda pessoa física: propostas para uma tributação mais justa (Atualização das NTs 131, de novembro de 2013 e 144, de Fevereiro de 2015) 1 Imposto de Renda Pessoa Física:

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo:

Política de Valorização do Salário Mínimo: Número 166 Janeiro 2017 Atualizada em 11/01 Política de Valorização do Salário Mínimo: Depois de 20 anos, reajuste fica abaixo da inflação (INPC) Salário Mínimo de 2017 é de R$ 937,00 A partir de 1º de

Leia mais

Número 13 julho Geração de empregos no setor bancário diminui 83,3% em relação ao mesmo período do ano anterior

Número 13 julho Geração de empregos no setor bancário diminui 83,3% em relação ao mesmo período do ano anterior Número 13 julho 2012 Geração de empregos no setor bancário diminui 83,3% em relação ao mesmo período do ano anterior Geração de empregos no setor bancário diminui 83,3% em relação ao mesmo período do ano

Leia mais

Número 15 dezembro Geração de empregos entre janeiro e setembro no setor bancário é 84,2% inferior à observada no mesmo período do ano anterior

Número 15 dezembro Geração de empregos entre janeiro e setembro no setor bancário é 84,2% inferior à observada no mesmo período do ano anterior Número 15 dezembro 2012 Geração de empregos entre janeiro e setembro no setor bancário é 84,2% inferior à observada no mesmo período do ano anterior Geração de empregos entre janeiro e setembro no setor

Leia mais

As mudanças metodológicas na PMC e PMS. Número 180 Maio

As mudanças metodológicas na PMC e PMS. Número 180 Maio As mudanças metodológicas na PMC e PMS Número 180 Maio - 2017 As mudanças metodológicas na PMC e PMS Desde janeiro de 2017, as pesquisas conjunturais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

BOLETIM TRABALHO NO COMÉRCIO Mulher Comerciária: Trabalho e Família

BOLETIM TRABALHO NO COMÉRCIO Mulher Comerciária: Trabalho e Família BOLETIM TRABALHO NO COMÉRCIO Mulher Comerciária: Trabalho e Família No ano do centenário da Declaração do Dia Internacional da Mulher e diante da importância feminina para a categoria comerciária, o DIEESE

Leia mais

Estudo Técnico: Evolução do ICMS no Estado do Rio Grande do Norte no período 2000-2013

Estudo Técnico: Evolução do ICMS no Estado do Rio Grande do Norte no período 2000-2013 DIEESE ESCRITÓRIO REGIONAL Rua João Pessoa, 265 Ed. Mendes Carlos, Centro 2º andar Natal - RN e-mail: errn@dieese.org.br PABX: (84) 3211-2609 Estudo Técnico: Evolução do ICMS no Estado do Rio Grande do

Leia mais

Estudo Técnico nº 175/ :

Estudo Técnico nº 175/ : SUBSEÇÃO DIEESE- CONDSEF SDS, Bloco L, N.º 30, 5º Andar Edifício Miguel Badya Brasília/DF E-mail: sucondsef@dieese.org.br Telefone / Fax (0xx61) 2103-7200 Estudo Técnico nº 175/2014 1 : Balanço das Greves

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Abril 2012 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico O saldo de empregos no Brasil correspondeu a 111.746 postos formais O Recife

Leia mais

Roberto Anacleto Subseção DIEESE CNTM/FS 01/08/2017

Roberto Anacleto Subseção DIEESE CNTM/FS 01/08/2017 Informe Conjuntural Junho/2017 Saldo da Movimentação de Emprego no Setor Metalúrgico - Brasil Roberto Anacleto Subseção DIEESE CNTM/FS 01/08/2017 De acordo com dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados

Leia mais

NÚMERO 8 OUT/2005 NOTA TÉCNICA. Salário Mínimo Constitucional

NÚMERO 8 OUT/2005 NOTA TÉCNICA. Salário Mínimo Constitucional NÚMERO 8 OUT/2005 NOTA TÉCNICA Salário Mínimo Constitucional Salário Mínimo Constitucional Esta Nota Técnica foi elaborada, originalmente, pela equipe do DIEESE, para subsidiar a Subcomissão 4, da Comissão

Leia mais

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA

Combustíveis e seus reajustes. Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes Número 19 abril 2006 NOTA TÉCNICA Combustíveis e seus reajustes O aumento do álcool, neste 1º trimestre de 2006, assustou os consumidores. Muitos deles, com veículos bicombustíveis,

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA RELEASE JUNHO DE 2011 DADOS CAGED Convênio Nº 004/2011 SETRE-BA e DIEESE Julho de 2011 EXPEDIENTE DA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE DO GOVERNO DO ESTADO

Leia mais

Número 166 Janeiro de Política de Valorização do Salário Mínimo:

Número 166 Janeiro de Política de Valorização do Salário Mínimo: Número 166 Janeiro de 2017 Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário Mínimo é fixado em R$ 937,00 para 2017 Salário Mínimo é fixado em R$ 937,00 para 2017 A partir de 1º de janeiro de 2017, o

Leia mais

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Recife

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Recife JULHO DE 2012 PÁGINA 2 BOLETIM INFORMATIVO JULHO/2012 Nesta edição 1 No Brasil,

Leia mais

Nota Técnica Número 03 fevereiro 2013

Nota Técnica Número 03 fevereiro 2013 SINDIFERN Nota Técnica Número 03 fevereiro 2013 Arrecadação de ICMS no Estado do Rio Grande do Norte: uma análise da evolução em anos recentes Introdução O presente estudo dedica-se a informação e análise

Leia mais

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus. Setembro 2011

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus. Setembro 2011 Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus Setembro 2011 PÁGINA 2 BOLETIM INFORMATIVO SET/11 Nesta edição 1 O saldo de emprego em setembro é de 209 mil postos. 2 Em Manaus, o saldo de

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA. RELEASE Agosto de 2013 DADOS CAGED Contrato nº. 165/2012 SETRE-BA e DIEESE

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA. RELEASE Agosto de 2013 DADOS CAGED Contrato nº. 165/2012 SETRE-BA e DIEESE OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DA BAHIA RELEASE Agosto de 2013 DADOS CAGED Contrato nº. 165/2012 SETRE-BA e DIEESE Setembro de 2013 EXPEDIENTE DA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE DO GOVERNO DO

Leia mais

Assunto: Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos Servidores do MPU.

Assunto: Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos Servidores do MPU. Ofício nº 1340/2009/Sindjus Brasília, 18 de setembro de 2009. A Sua Excelência o Senhor Procurador Roberto Gurgel Procurador-Geral da República Brasília, DF Assunto: Plano de Cargos, Carreira e Remuneração

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo:

Política de Valorização do Salário Mínimo: Nota Técnica Número 143 janeiro 2015 Política de Valorização do Salário Mínimo: Salário Mínimo de 2015 fixado em R$ 788,00 Salário Mínimo de 2015 será de R$ 788,00 A partir de 1º de janeiro de 2015, o

Leia mais

Assimetrias entre as Carreiras Exclusivas de Estado

Assimetrias entre as Carreiras Exclusivas de Estado Assimetrias entre as Carreiras Exclusivas de Estado Finalizado 2016, com a publicação da MP nº 765, de 29.12.2016, encerram-se os PLs de negociação da Receita Federal do Brasil e Polícia Federal. Com isso,

Leia mais

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus. Outubro 2011

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus. Outubro 2011 Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus Outubro 2011 PÁGINA 2 BOLETIM INFORMATIVO OUT/11 Nesta edição 1 O saldo de emprego no Brasil em outubro é de 126.143l postos. 2 O saldo de outubro

Leia mais

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal. 3º Quadrimestre Poder Judiciário

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal. 3º Quadrimestre Poder Judiciário Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal 3º Quadrimestre - 2014 Poder Judiciário Julho de 2015 Pág. 02 Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do DF - poder Judiciário Introdução

Leia mais

O saldo de empregos no Brasil ultrapassa meio milhão em 2011

O saldo de empregos no Brasil ultrapassa meio milhão em 2011 Expediente da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Governo do Estado da Bahia Governador Jaques Wagner Vice-Governador Otto Alencar Secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte Nilton

Leia mais

Política de Valorização do Salário Mínimo: Valor para 2014 será de R$ 724,00

Política de Valorização do Salário Mínimo: Valor para 2014 será de R$ 724,00 Nota Técnica Número 132 dezembro 2013 Política de Valorização do Salário Mínimo: Valor para 2014 será de Salário Mínimo de 2014 será de A partir de 1º de janeiro de 2014, o valor do Salário Mínimo passa

Leia mais

O saldo de empregos no Brasil é o segundo maior em janeiro

O saldo de empregos no Brasil é o segundo maior em janeiro Expediente da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte do Governo do Estado da Bahia Governador Jaques Wagner Vice-Governador Otto Alencar Secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte Nilton

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE OSASCO

OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE OSASCO OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE OSASCO BOLETIM INFORMATIVO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL DE OSASCO JUNHO DE 2011 Contrato de Prestação de Serviços Nº. 068/2009 e 1º Termo Aditivo Nº. 010/2011 - Prefeitura

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Relações de Trabalho no Serviço Público Coordenação-Geral de Negociação e Relações Sindicais. TERMO DE ACORDO N Define os Termos do Acordo resultante

Leia mais

Relatório Informativo: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas RAIS 2008

Relatório Informativo: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas RAIS 2008 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPINAS Relatório Informativo: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas RAIS 2008 Termo de Contrato Nº. 65/2009 2009 EXPEDIENTE DA SECRETARIA

Leia mais

Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Janeiro a Março de 2006

Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Janeiro a Março de 2006 Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Janeiro a Março de 2006 Convênio MTE/SPPE/CODEFAT 098/2005 RELATÓRIO TRIMESTRAL DE SUPERVISÃO DAS BASES DE DADOS E DESEMPENHO

Leia mais

15,76% 15,76% 47,29% 88,25%

15,76% 15,76% 47,29% 88,25% Reajuste Necessário 2006 a 2018 De 06-2006 Até 05-2015 De 06-2006 Até 12-2018 Total Inflação - ICV DIEESE 70,51% 117,91% REAJUSTE EM JANEIRO DE 2013, 2014 e 2015-5% A CADA ANO 15,76% 15,76% 47,29% 88,25%

Leia mais

LEI Nº. 006/2012. III. Grupo Hierárquico II, Nível Fundamental II, será reajustado com um percentual de 6,5% (seis e meio) por cento;

LEI Nº. 006/2012. III. Grupo Hierárquico II, Nível Fundamental II, será reajustado com um percentual de 6,5% (seis e meio) por cento; LEI Nº. 006/2012 Autoriza o Poder Executivo a alterar os valores a título de remuneração dos servidores exercentes de cargos de carreira e cargos em comissão lotados no Executivo Municipal, sendo estendido

Leia mais

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal de Manaus Dezembro 211 Foto: Valéria Bolognini PÁGINA 2 BOLETIM INFORMATIVO DEZ/11 O saldo acumulado no Brasil em 211 foi de 1.566 mil vagas. Segundo o

Leia mais

Número 45 Junho de 2007 Edição Revista e Atualizada (dez/07) O fator previdenciário e os trabalhadores

Número 45 Junho de 2007 Edição Revista e Atualizada (dez/07) O fator previdenciário e os trabalhadores Número 45 Junho de 2007 Edição Revista e Atualizada (dez/07) O fator previdenciário e os trabalhadores O fator previdenciário e os trabalhadores Apresentação O Plano de Aceleração do Crescimento (PAC)

Leia mais

Número 66 Abril de 2008. Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução do salário

Número 66 Abril de 2008. Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução do salário Número 66 Abril de 2008 Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução do salário 1 Argumentos para a discussão da redução da jornada de trabalho no Brasil sem redução

Leia mais

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED

Síntese de indicadores. nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores nº 1 setembro 2012 CAGED Síntese de indicadores CAGED Apresentação A partir deste mês, os Observatórios do Trabalho do DIEESE passam a divulgar a Síntese de Indicadores, com resultados

Leia mais

DESEMPENHO DOS BANCOS EM 2012

DESEMPENHO DOS BANCOS EM 2012 DESEMPENHO DOS BANCOS EM 2012 Baixo crescimento do crédito nos bancos privados e elevado provisionamento caracterizaram o desempenho do setor bancário em 2012 NO ano em que o Governo Federal iniciou uma

Leia mais

O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO E O SEU IMPACTO NAS CONTAS MUNICIPAIS 1

O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO E O SEU IMPACTO NAS CONTAS MUNICIPAIS 1 O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO E O SEU IMPACTO NAS CONTAS MUNICIPAIS 1 Resumo Todos os municípios brasileiros, a exemplo do que tem ocorrido nos últimos anos, sofrerão o impacto do reajuste do salário mínimo

Leia mais

EVOLUÇÃO DA REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO GOVERNO FEDERAL

EVOLUÇÃO DA REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO GOVERNO FEDERAL EVOLUÇÃO DA REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DO GOVERNO FEDERAL 1995-2015 Este estudo apresenta a evolução do valor real da remuneração dos

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Ano 3 - nº 10 Agosto de 2011 PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO CAGED registra criação de 11.978 novos postos de trabalho no setor bancário no primeiro semestre de 2011 De janeiro a junho de 2011 foram gerados

Leia mais

Proposta para Reestruturação Salarial das Carreiras do Incra. Julho de 2015

Proposta para Reestruturação Salarial das Carreiras do Incra. Julho de 2015 Proposta para Reestruturação Salarial das Carreiras do Incra Julho de 2015 Considerando As ambiciosas metas estabelecidas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) de, por exemplo, assentar todas

Leia mais

Número 131 - novembro de 2013. Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa

Número 131 - novembro de 2013. Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa Número 131 - novembro de 2013 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa 1 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas Para Uma Tributação Mais Justa É sabido que a política

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Maio 2012 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Em abril, o saldo de empregos formais no Brasil foi de 216.974 novos postos

Leia mais

A OCUPAÇÃO NO COMÉRCIO NO FINAL DO ANO

A OCUPAÇÃO NO COMÉRCIO NO FINAL DO ANO Ano 1 - nº 2 - dezembro 2008 A OCUPAÇÃO NO COMÉRCIO NO FINAL DO ANO O período de festas (Natal e Ano Novo) e o pagamento do 13º salário provocam o aumento das vendas do Comércio no final do ano, elevando

Leia mais

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º semestre de 2013

DESEMPENHO DOS BANCOS 1º semestre de 2013 DESEMPENHO DOS BANCOS 1º semestre de 2013 Elevado corte de postos de trabalho nos bancos privados foi destaque no 1º semestre de 2013 N O primeiro semestre de 2013, os seis maiores bancos do país 1 tiveram

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa

Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa Fevereiro de 2015 Número 144 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas para uma Tributação Mais Justa (Atualização da NT 131, de novembro de 2013) 1 Imposto de Renda Pessoa Física: Propostas Para Uma Tributação

Leia mais

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Rio Grande do Norte ABRIL DE 2011

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Rio Grande do Norte ABRIL DE 2011 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Rio Grande do Norte ABRIL DE 2011 Contrato Nº. 011/2010 e 1º Termo Aditivo SETHAS / DIEESE GOVERNO DO

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Ano 3 - nº 8 Fevereiro de 2011 PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Expansão do emprego no setor bancário ultrapassa 5% em 2010, mas rotatividade tem efeito negativo sobre os salários Em 2010, foram gerados 24.032

Leia mais

Programa Moderfrota (Modernização da Frota de Máquinas e Equipamentos Agrícolas) Breves Informações

Programa Moderfrota (Modernização da Frota de Máquinas e Equipamentos Agrícolas) Breves Informações Ano I Nº 7 Março de 2005 Programa Moderfrota (Modernização da Frota de Máquinas e Equipamentos Agrícolas) Breves Informações Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos DIEESE

Leia mais

Obs.: os textos não refletem necessariamente a posição do Ministério do Trabalho e Emprego.

Obs.: os textos não refletem necessariamente a posição do Ministério do Trabalho e Emprego. Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Trabalho e Emprego Luiz Marinho Secretário de Políticas Públicas de Emprego Remígio Todeschini Diretor do Departamento de Emprego e Salário

Leia mais

A reforma tributária e a renúncia fiscal aos bancos. Número 72 Agosto de 2008

A reforma tributária e a renúncia fiscal aos bancos. Número 72 Agosto de 2008 A reforma tributária e a renúncia fiscal aos bancos Número 72 Agosto de 2008 Com a recente iniciativa do governo federal de encaminhar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC-233/2008) que altera o sistema

Leia mais

Obs.: os textos não refletem necessariamente a posição do Ministério do Trabalho e Emprego.

Obs.: os textos não refletem necessariamente a posição do Ministério do Trabalho e Emprego. Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Trabalho e Emprego Luiz Marinho Secretário de Políticas Públicas de Emprego Remígio Todeschini Diretor do Departamento de Emprego e Salário

Leia mais

Os servidores ocupantes de cargos efetivos dos Quadros de Pessoal do INSS e do MPS integram as seguintes carreiras e cargos específicas:

Os servidores ocupantes de cargos efetivos dos Quadros de Pessoal do INSS e do MPS integram as seguintes carreiras e cargos específicas: CARREIRAS DA AREA DE PREVIDÊNCIA E AFINS: DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL. I. CARREIRAS E CARGOS DE ESPECIALISTAS DA AREA DE PREVIDENCIA SOCIAL DO MPS E DO INSS. Os servidores ocupantes de cargos efetivos

Leia mais

1-Inflação acumulada desde junho de 2006 até maio de

1-Inflação acumulada desde junho de 2006 até maio de A Diretoria do SITRAEMG SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDEAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS solicitou-me a elaboração do presente Estudo, composto de três itens 1 : 1-Inflação acumulada desde junho

Leia mais

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Rio Grande do Norte MAIO DE 2011

Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Rio Grande do Norte MAIO DE 2011 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DO RIO GRANDE DO NORTE Boletim informativo do Mercado de Trabalho Formal do Rio Grande do Norte MAIO DE 2011 Contrato Nº. 011/2010 e 1º Termo Aditivo SETHAS / DIEESE GOVERNO DO

Leia mais

De Até De Até De Até Total Inflação - ICV DIEESE 60,60% 71,90% 77,12% 92,19% 105,13% 118,94%

De Até De Até De Até Total Inflação - ICV DIEESE 60,60% 71,90% 77,12% 92,19% 105,13% 118,94% Reajuste Necessário 2006 a 2018 Total Inflação - ICV DIEESE 60,60% 71,90% 77,12% 92,19% 105,13% 118,94% REAJUSTE EM JANEIRO DE 2013, 2014 e 2015-5% A CADA ANO, 15,76% 15,76% 22,13% 28,24% 34,39% 39,77%

Leia mais

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF:

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: Número 107 Fevereiro de 2012 Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: A necessária atualização e as mudanças de pesos em um índice de preços Pesquisas de Orçamentos Familiares - POF: a necessária atualização

Leia mais

RESOLUÇÃO N 001/2013-CMS

RESOLUÇÃO N 001/2013-CMS RESOLUÇÃO N 001/2013-CMS QUE DISPÕE SOBRE A ESTRUTURA ADMINISTRATIVA, QUADRO DE PESSOAL E DE CARGOS EM COMISSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTANA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE SUPERVISÃO DA ANÁLISE E DIVULGAÇÃO DOS INDICADORES: OUTUBRO A DEZEMBRO DE 2006

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE SUPERVISÃO DA ANÁLISE E DIVULGAÇÃO DOS INDICADORES: OUTUBRO A DEZEMBRO DE 2006 RELATÓRIO TRIMESTRAL DE SUPERVISÃO DA ANÁLISE E DIVULGAÇÃO DOS INDICADORES: OUTUBRO A DEZEMBRO DE 2006 Objetivo A: Supervisionar a Execução das PED s nas Regiões Metropolitanas Convênio MTE/SPPE/CODEFAT

Leia mais

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal Poder Judiciário 2º Quadrimestre

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal Poder Judiciário 2º Quadrimestre Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal 2014 Poder Judiciário 2º Quadrimestre Novembro de 2014 1 Introdução O segundo quadrimestre de 2014 - período fiscal 1 l que vai de setembro

Leia mais

JUSTIFICATIVA A MINUTA DE PROJETO DE LEI SOBRE GRATIFICAÇÃO DE PRODUTIVIDADE PREVISTA NA LEI COMPLEMENTAR 078/2011.

JUSTIFICATIVA A MINUTA DE PROJETO DE LEI SOBRE GRATIFICAÇÃO DE PRODUTIVIDADE PREVISTA NA LEI COMPLEMENTAR 078/2011. JUSTIFICATIVA A MINUTA DE PROJETO DE LEI SOBRE GRATIFICAÇÃO DE PRODUTIVIDADE PREVISTA NA LEI COMPLEMENTAR 078/2011. Conforme acordado na última reunião realizada com o Secretário da Fazenda do Estado do

Leia mais

Balanço das negociações dos reajustes salariais em 2007

Balanço das negociações dos reajustes salariais em 2007 Balanço das negociações dos reajustes salariais em 2007 Balanço das negociações dos reajustes salariais em 2007 A análise dos reajustes salariais negociados em 2007 aponta para a manutenção da tendência

Leia mais

Número 34 Setembro de As medidas governamentais para a habitação

Número 34 Setembro de As medidas governamentais para a habitação Número 34 Setembro de 2006 As medidas governamentais para a habitação As medidas governamentais para a habitação O governo anunciou, no dia 12/09/2006 1, um conjunto de medidas destinado, de um lado, a

Leia mais

Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Julho a Setembro de 2006

Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Julho a Setembro de 2006 Relatório Trimestral de Supervisão das Bases de Dados Desempenho das Atividades: Julho a Setembro de 2006 Convênio MTE/SPPE/CODEFAT 098/2005 RELATÓRIO TRIMESTRAL DE SUPERVISÃO DAS BASES DE DADOS E DESEMPENHO

Leia mais

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal. 3º Quadrimestre Poder Executivo

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal. 3º Quadrimestre Poder Executivo Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal 3º Quadrimestre - 2014 Poder Executivo Março de 2015 Pág. 02 Introdução A arrecadação nos estados e no Distrito Federal em 2014 ocorreu

Leia mais

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO

PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO PROJETO DE APOIO À IMPLANTAÇÃO DA ESCOLA E DO BACHARELADO DE CIÊNCIAS DO TRABALHO Etapa/Fase nº 3 Produto 1 Eixo 1 Sítio da Escola reformulado Relatório de execução Convênio MTE/SPPE/CODEFAT nº. 077/2010

Leia mais

Mercado de Trabalho Formal do Recife

Mercado de Trabalho Formal do Recife Boletim Informativo Outubro 2012 Mercado de Trabalho Formal do Recife Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Em setembro/12 o saldo de empregos formais no Brasil foi de 150.334 postos

Leia mais

TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DA FASC

TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DA FASC TABELA DE REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES DA FASC A presente publicação visa o atendimento ao contido no 6º, do art. 39 da Constituição Federal, com nova redação dada pelo art. 5º, da Emenda Constitucional

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Ano 4 - nº 12 Março de 2012 PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Emprego Bancário registra expansão de 4,88% em 2011 De janeiro a dezembro de 2011, foram gerados 23.599 novos postos de trabalho nos bancos. O saldo

Leia mais

Notas sobre o Salário Mínimo e imposto de renda. Número 17 março 2006 NOTA TÉCNICA

Notas sobre o Salário Mínimo e imposto de renda. Número 17 março 2006 NOTA TÉCNICA Notas sobre o Salário Mínimo e imposto de renda Número 17 março 2006 NOTA TÉCNICA Notas sobre o salário mínimo e imposto de renda Impactos dos reajustes E m 2005, as Centrais Sindicais 1 deram continuidade

Leia mais

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal Poder Judiciário

Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal Poder Judiciário Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do Distrito Federal 2016 Poder Judiciário Maio de 2017 Pág. 02 Boletim de Indicadores Fiscais dos Estados e do DF - poder Judiciário Introdução O panorama 1

Leia mais

Objetivo Específico III

Objetivo Específico III O TRABALHADOR BRASILEIRO E A SAÚDE SUPLEMENTAR: RELAÇÕES DE CONSUMO FASE II ATIVIDADES DE CAPACITAÇÃO Objetivo Específico III Oficina Preparatória para discussão do conteúdo dos Seminários de Capacitação

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.669, DE 15 DE MAIO DE 2009. Aprova tabelas de vencimento e de subsídio dos servidores das categorias funcionais integrantes das carreiras do Plano de Cargos, Empregos

Leia mais

TAXA DE JUROS E OS LIMITES DO CRESCIMENTO

TAXA DE JUROS E OS LIMITES DO CRESCIMENTO NÚMERO 10 Nov/2005 ANÁLISE DE CONJUNTURA TAXA DE JUROS E OS LIMITES DO CRESCIMENTO Análise de Conjuntura Taxa de juros e os limites do crescimento Taxa de juros e os limites do crescimento A conjuntura

Leia mais

Criação do Novo Quadro da Saúde da Prefeitura do Município de São Paulo. 05 de Setembro de 2014

Criação do Novo Quadro da Saúde da Prefeitura do Município de São Paulo. 05 de Setembro de 2014 Criação do Novo Quadro da Saúde da Prefeitura do Município de São Paulo 05 de Setembro de 2014 Como se Organizam atualmente no Quadro da Saúde? Não há nível básico; Especialista em Saúde; Especialista

Leia mais

Programação fiscal Ministério da Fazenda Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

Programação fiscal Ministério da Fazenda Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão Programação fiscal 2017-2018 Ministério da Fazenda Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão 1 EVOLUÇÃO DAS METAS FISCAIS 2017 2018 2019 2020 R$ bilhões Discriminação Atual Proposta Atual Proposta

Leia mais

Estudo Técnico nº 160/2014 1 :

Estudo Técnico nº 160/2014 1 : SUBSEÇÃO DIEESE- CONDSEF SDS, Bloco L, N.º 30, 5º Andar Edifício Miguel Badya Brasília/DF E-mail: sucondsef@dieese.org.br Telefone / Fax (0xx61) 2103-7200 Estudo Técnico nº 160/2014 1 : Proposta de antecipação

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Ano 3 - nº 11 Novembro de 2011 PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Caged registra criação de 18.167 novos postos de trabalho no setor bancário De janeiro a setembro de 2011 foram gerados 18.167 novos postos de

Leia mais

O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas

O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas O aumento dos Senadores e Deputados Federais e seu impacto nas outras esferas A Constituição Federal em seu art. 29, inciso VI, estabelece que os subsídios dos Vereadores estão vinculados aos subsídios

Leia mais

Março de 2016 Número 155. Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas

Março de 2016 Número 155. Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas Março de 2016 Número 155 Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas Inflação: comportamento dos preços administrados na vida das famílias paulistanas Em 2015, a taxa

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO

PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Ano 2 - nº 7 - Dezembro de 2010 PESQUISA DE EMPREGO BANCÁRIO Criação de postos acelera no terceiro trimestre e eleva saldo de empregos de 2010 para 17.067 No terceiro trimestre, foram gerados 8.071 novos

Leia mais

O AUMENTO DOS SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS E SEU IMPACTO NAS OUTRAS ESFERAS

O AUMENTO DOS SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS E SEU IMPACTO NAS OUTRAS ESFERAS 12 O AUMENTO DOS SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS E SEU IMPACTO NAS OUTRAS ESFERAS Estudos Técnicos/CNM Dezembro de 2014 A Constituição Federal em seu art. 29, inciso VI, estabelece que os subsídios dos

Leia mais

Qualificação Social e Profissional

Qualificação Social e Profissional ANUÁRIO DO SISTEMA PÚBLICO DE EMPREGO, TRABALHO E RENDA 2010-2011 Qualificação Social e Profissional Secretaria de Políticas Públicas de Emprego - SPPE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do

Leia mais

Número 39 Novembro de Quem são os ocupados que ganham salário mínimo

Número 39 Novembro de Quem são os ocupados que ganham salário mínimo Número 39 Novembro de 2006 Quem são os ocupados que ganham salário mínimo Quem são os ocupados que ganham salário mínimo? 1. Introdução Os debates sobre salário mínimo, com freqüência, suscitam uma questão:

Leia mais

Número 65 Abril de O fator previdenciário e seus impactos sobre os trabalhadores

Número 65 Abril de O fator previdenciário e seus impactos sobre os trabalhadores Número 65 Abril de 2008 O fator previdenciário e seus impactos sobre os trabalhadores O fator previdenciário e seus impactos sobre os trabalhadores Apresentação Em junho de 2007, no contexto das negociações

Leia mais

Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais

Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais Quadro Comparativo da Remuneração dos Auditores Fiscais da RFB e dos Auditores Fiscais de Tributos Diretoria de Estudos Técnicos do Sindifisco Nacional Brasília-DF, agosto de 2015 Diretoria Executiva Nacional

Leia mais

BALANÇO DOS PISOS SALARIAIS NEGOCIADOS EM 2007 Convênio SE/MTE N. 04/2003-DIEESE

BALANÇO DOS PISOS SALARIAIS NEGOCIADOS EM 2007 Convênio SE/MTE N. 04/2003-DIEESE SISTEMA DE INFORMAÇÕES PARA ACOMPANHAMENTO DAS NEGOCIAÇÕES COLETIVAS NO BRASIL META II RELATÓRIOS BALANÇO DOS PISOS SALARIAIS NEGOCIADOS EM 2007 Convênio SE/MTE N. 04/2003-DIEESE 2007 Presidente da República

Leia mais

A. Necessidade de Ajuste 44,5. B. Ajustes na Receita 14,5

A. Necessidade de Ajuste 44,5. B. Ajustes na Receita 14,5 Medidas de Receita R$ bilhões A. Necessidade de Ajuste 44,5 B. Ajustes na Receita 14,5 Tributação sobre Fundos de Investimentos 6,0 Reintegra 2,6 Reoneração da Folha 4,0 Elevação na Contribuição ao Regime

Leia mais