Constituição de Empresas e Vendas na Alemanha 1ª Edição

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Constituição de Empresas e Vendas na Alemanha 1ª Edição"

Transcrição

1 Assim se faz... Constituição de Empresas e Vendas na Alemanha 1ª Edição

2 ÍNDICE I. Introdução 2 II. A constituição de uma empresa 3 1. Informações gerais 3 2. O estabelecimento de uma filial 4 3. A constituição de uma empresa e a escolha certa de sua forma jurídica 5 4. A constituição de uma sociedade de pessoas 5 5. A sociedade limitada e em comandita simples (GmbH & Co. KG) uma forma mista 7 6. A constituição de sociedades de responsabilidade limitada ao capital social 8 7. A escolha certa da sede da empresa A escolha do nome da empresa 14 III. A venda e distribuição de bens e serviços Marketing e preparação no mercado A escolha do sistema de distribuição Algumas formas de distribuição 20

3 IV. Contratos de distribuição Noções básicas Contratos de distribuição internacionais Quadro jurídico Problemas típicos dos contratos de distribuição e vendas Alguns tipos de contratos 28 V. Kaye Scholer LLP 31 Junho de 2011 A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo agradece a Kaye Scholer (Germany) LLP pela parceria e patrocínio desta publicação. Publicado pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo.

4 2 I. PREFÁCIO O Brasil é um dos parceiros comerciais da Alemanha mais importantes na América do Sul. Em contrapartida, a estatística do comércio de 2010 mostra que a Alemanha é o quarto parceiro comercial mais importante do Brasil. Nesse ano de 2010 foram exportados bens no valor de 7,0 bilhões de euros, incluindo minerais brutos e produtos agrícolas e, ainda, - e em crescimento - a produção de bens da área de serviços profissionais para a Alemanha. A atividade empresarial na Alemanha pode ser registrada de diversas maneiras: através da constituição de uma filial, da constituição de uma empresa independente ou da contratação de um parceiro para a distribuição do produto, como, por exemplo, de um agente comercial. Constituição de Empresas e Vendas na Alemanha expressa mais do que o título a princípio sugere. Pois, o cultivo de relações comerciais com a Alemanha leva automaticamente ao acesso para o mercado interno da União Européia. Muitas disposições legais nacionais estão sendo substituídas ou complementadas por regras do Direito Europeu. Esta brochura traz uma seleção de temas, que para o empresário - ao entrar nos mercados alemão e europeu, e, em especial, ao constituir uma empresa para vender produtos ou oferecer serviços na Alemanha ou além de suas fronteiras - pode desempenhar um papel importante. A presente obra não trata do assunto de maneira exaustiva, de modo que algumas matérias importantes, como o Direito do Estrangeiro, o Direito do Trabalho ou o Direito Aduaneiro não foram aqui abordados. Essas primeiras observações não substituem aconselhamentos jurídico e fiscal qualificados destinado à solução de um caso concreto. Especialmente devido ao grande número de regras a ser observadas, não se deve desprezar uma assessoria jurídica desde o começo.

5 3 II. A CONSTITUIÇÃO DE UMA EMPRESA Quem quer abrir uma empresa na Alemanha tem que superar muitos entraves burocráticos - Até a poucos anos a Alemanha ainda tinha que lutar contra esse preconceito. Hoje em dia a constituição de uma empresa na Alemanha é descomplicada e rápida, graças à considerável diminuição da burocracia: o processo de constituição e de registro dura em média apenas 4,5 dias, de modo que a Alemanha se encontra bem abaixo da média européia de 7,7 dias. 1. Informações gerais As empresas na Alemanha têm de ser registradas em registros públicos antes do início de suas atividades comerciais. Os registros mais importantes são o Registro de Sociedades Comerciais (Handelsregister) e o Registro do Comércio (Gewerberegister). O Registro de Sociedades Comerciais é mantido pelo tribunal civil local do município e qualquer pessoa pode consultá-lo. Os dados empresariais podem ser consultados online por internet já desde As empresas que realizam negócios comerciais têm que estar registradas no Registro de Sociedades Comerciais. Todas as sociedades de capital e as sociedades comerciais de pessoas que ultrapassam determinado volume de negócios no ano devem ser registradas. O pedido de inscrição no Registro de Sociedades Comerciais é feito por documento elaborado, autenticado e registrado por tabelião de notas. O valor dos emolumentos deste e das taxas para o registro depende do tipo de sociedade e do número de sócios; os custos geram no total em torno de cerca de 750,00 a 1.000,00 euros para a criação de uma sociedade comum por quotas de responsabilidade limitada. Apesar de o princípio da liberdade de comércio prevalecer na Alemanha, todo empresário deve comunicar e inscrever a sociedade antes de iniciar a pretendida atividade comercial na Secretaria do Comércio (Gewerbeamt) do município onde a empresa terá sua

6 4 sede. Mais informações sobre a inscrição na Secretaria do Comércio e outras exigências da Administração Pública estão disponíveis em qualquer Câmara de Comércio. 2. O estabelecimento de uma filial Em vez de constituir uma subsidiária independente da empresamãe brasileira já existente ou uma nova empresa independente é conveniente constituir uma sucursal da sociedade brasileira como filial adicional, sediada na Alemanha, especialmente no início das atividades no mercado alemão e europeu. Uma filial não tem personalidade jurídica própria, permanecendo, assim, parte jurídica e organizacional da empresa principal. Esta é naturalmente responsável pelas obrigações da filial, mas sujeita às restrições do Direito brasileiro, aplicável à sede principal no Brasil. O Direito alemão conhece duas formas de sucursais, cujas diferenças variam, principalmente conforme o grau de independência com relação à empresa principal: 2.1 Filiais independentes Esta sucursal é apenas internamente dependente da empresa principal e, no mais, participa dos negócios de forma independente. O relacionamento com os clientes está normalmente subordinado ao Direito alemão e a empresa brasileira contrai as obrigações das operações feitas pela filial. A filial independente deve ser criada pela empresa principal registrada no Brasil e passa a existir a partir do início de suas atividades na Alemanha. É necessário, geralmente, que a inscrição no Registro de Sociedades Comerciais alemão seja feito por um tabelião e, além disso, seja feita a inscrição na Secretaria do Comércio competente.

7 5 2.2 Filiais dependentes Em contrapartida, a filial dependente representa somente um departamento da sede principal e não pode participar de forma independente de negócios jurídicos, ou seja, não faz negócios próprios, não dirige sua própria empresa, nem faz seu faturamento próprio. Assim, não é necessária a sua inscrição no Registro de Sociedades Comerciais, mas, ainda assim, é imprescindível fazer a sua inscrição na Secretaria do Comércio. 3. A constituição de uma pempresa e a escolha certa de sua forma jurídica O Direito alemão oferece uma variedade de maneiras para se constituir uma sociedade comercial, seja de capital ou de pessoas. É possível a criação da chamada forma mista, que tem ambos os elementos da sociedade de capital e da sociedade de pessoas; em geral cria-se, neste caso, uma sociedade de pessoas, cuja sócia principal é uma sociedade de capital com responsabilidade pessoal pela sociedade de pessoas. A escolha da forma jurídica da empresa na Alemanha é livre, tanto para investidores nacionais, como para os estrangeiros, e somente depende do objetivo comercial, do volume do investimento existente e das possibilidades legais e, especialmente, tributárias. Essa decisão não deve ser tomada sem uma detalhada consulta jurídica. 4. A constituição de uma sociedade de pessoas As sociedades de pessoas não são pessoas jurídicas autônomas, mas sim uma associação de pessoas, que age através de cada um de seus sócios. Assim, cada sócio tem, em princípio, responsabilidade ilimitada, ou seja, ele responde com o patrimônio total da sociedade e com seus bens pessoais. Somente excepcionalmente, e depois

8 6 da inscrição no Registro de Sociedades Comerciais, é que a responsabilidade sobre o patrimônio privado pode ficar restrita a um valor determinado desse patrimônio. Para a criação de uma sociedade de pessoas é necessário, pelo menos, dois sócios; não há valor mínimo de constituição de capital. As formas jurídicas de sociedade de pessoas na Alemanha são a sociedade civil (GbR: Gesellschaft bürgerlichen Rechts), a sociedade comercial aberta (OHG: Offene Handelsgesellschaft) e a sociedade comandita (KG: Kommanditgesellschaft). 4.1 A sociedade civil (GbR) A GbR (sociedade civil) é uma sociedade não-comercial, cujos sócios comprometem-se reciprocamente a promover a realização de um objetivo comum pela forma fixada no contrato social. Ela é apropriada, em particular, para a realização de um novo negócio. No caso de execução de uma atividade comercial, é necessária a sua inscrição na Secretaria do Comércio do local. Não é necessária a sua inscrição no Registro de Sociedades Comerciais. Se, porém, no caso concreto, a receita anual da sociedade civil ultrapassar o valor de ,00 euros e seus lucros ultrapassarem o valor de ,00 euros, então se supõe que o negócio empresarial é comercial, sendo que, assim, a sociedade civil passa automaticamente a ser uma empresa comercial aberta (OHG), que deverá ser inscrita no Registro de Sociedades Comerciais. 4.2 A sociedade comercial aberta (OHG) No caso de sociedades de pessoas, na qual se inclui a sociedade comercial aberta (Offene Handelsgesellschaft - OHG), a ligação de cada sócio com o negócio comercial vem em primeiro plano. Esse tipo de sociedade é especialmente indicado para as pequenas e médias empresas. A sociedade comercial aberta (OHG) deve ser inscrita no Registro de Sociedades Comerciais, cujo procedimento geralmente é feito por um tabelião.

9 7 4.3 A sociedade comandita (KG) Com grande flexibilidade financeira, a sociedade comandita (Kommanditgesellschaft - KG) é uma forma jurídica que mais se parece com a sociedade comercial aberta (OHG), na qual pelo menos um sócio tem responsabilidade ilimitada, ou seja, responsabilidade com seus bens pessoais (sócio comanditado - Komplementär), enquanto os outros sócios podem ter sua responsabilidade restrita ao valor de sua quota (sócio comanditário - Kommanditist). Os atos de gestão somente podem ser deliberados pelo sócio comanditado. Esta limitação de responsabilidade deve ser inscrita no Registro de Sociedades Comerciais. 5. A sociedade limitada e em comandita simples (GmbH & Co. KG) uma forma mista A sociedade mista de responsabilidade limitada e sociedade em comandita (Gesellschaft mit beschränkter Haftung & Compagnie Kommanditgesellschaft - GmbH & Co. KG) é uma forma especial de sociedade em comandita e, portanto, uma sociedade de pessoas. Ela difere da sociedade em comandita simples pelo fato de que o sócio com responsabilidade pessoal (sócio comanditado) não ser pessoa natural, mas sim uma sociedade limitada (GmbH) que apenas responde com seu proprio capital social. O objetivo desse tipo de forma mista de sociedade é excluir ou diminuir os riscos da responsabilidade dos sócios da sociedade em comandita (KG). Essa sociedade mista, bem como a sociedade em comandita, é representada pelo sócio comanditado, aqui, portanto, pela sociedade limitada (GmbH). Para efeitos fiscais, a sociedade mista de responsabilidade limitada e sociedade em comandita (GmbH & Co. KG) é considerada uma sociedade de pessoas (e não de capital) e conseqüentemente não incide sobre ela o imposto de renda de pessoa jurídica, nem o imposto de corporações. Apenas a renda das quotas dos sócios é tributada.

10 8 6. A constituição de sociedades de responsabilidade limitada ao capital social A aqui chamada sociedade de capital é constituída preferencialmente por empresas de médio e grande porte. Esse tipo de sociedade baseia-se em um contrato social de Direito privado e tem personalidade jurídica própria. A responsabilidade de uma sociedade de capital é basicamente restrita ao patrimônio da sociedade. Para a criação de uma sociedade de capital não há a exigência de número mínimo de sócios. No momento de sua constituição é necessária a capitalização de um valor mínimo do capital social exigido por lei, que também pode ser realizado em bens. É necessário, ainda, um contrato social escrito e público, que contenha pelo menos o seguinte: a denominação a sede o objeto social o valor do capital social o valor de cada quota do capital social os sócios da sociedade O processo de constituição da sociedade pode ser resumido nas seguintes etapas: elaboração do contrato social formalisar o ato pelo tabelião realização do valor mínimo previsto em lei do capital social inscrição no Registro de Sociedades Comerciais competente inscrição na Secretaria do Comércio do local Esse procedimento pode ser consideravelmente abreviado com a aquisição de sociedades já existentes (Mantelgesellschaften) ou sociedades de fachada (Vorratsgesellschaften) (veja 6.4).

11 9 Segundo o Direito Tributário alemão, a sociedade de capitais é tributada como sujeito passivo independente e sua renda está sujeita ao pagamento de Imposto de Corporações de 15%, e sobre este Imposto mais 5,5% de Imposto de Solidariedade (Solidaritätszuschlag); Imposto de Renda de Capital Social sobre dividendos (Kapitalertragssteuer) de 25%; Imposto do Comércio (cada município estipula a alíquota); e Imposto de Circulação de Mercadorias (Umsatzsteuer) de 7% ou 19%. 6.1 A sociedade de responsabilidade limitada (GmbH) A sociedade de responsabilidade limitada no Direito alemão (Gesellschaft mit beschränkter Haftung - GmbH) é muito parecida com a sociedade limitada (Ltda.) brasileira e é o tipo de sociedade mais usado para as sociedades de capital na Alemanha. Para a sua criação na Alemanha - diferentemente de no Brasil - é necessária apenas uma pessoa (a chamada Ltda. de um homem só Ein-Mann- GmbH ). Também é necessário um capital social de pelo menos ,00 euros. Os sócios da sociedade limitada podem ser pessoas físicas ou jurídicas, ou, ainda, sociedades comerciais de pessoas como a sociedade comercial aberta (OHG), a sociedade comandita (KG) e a sociedade civil (GbR). A sociedade limitada (GmbH) é constituída com a inscrição do contrato social escrito e público (feito por tabelião) no Registro de Sociedades Comerciais competente. O registro só é possível se pelo menos ¼ das quotas de cada sócio no capital social e a metade do total do capital social forem realizadas, por tanto, no valor de pelo menos ,00 euros. Antes da elaboração do contrato social por tabelião, trata-se de uma sociedade em vias de criação (Vorgründungsgesellschaft). Nesta fase seus sócios respondem pelas obrigações assumidas com seus bens pessoais. No período compreendido após o registro do con-

12 10 trato social por tabelião no Cartório de Notas e antes da inscrição da sociedade limitada no Registro de Sociedades Comerciais a empresa passa a se chamar sociedade limitada em constituição ( GmbH i.g. ou Vor-GmbH ). Também esta sociedade já pode exercer atividades comerciais e, neste caso, a Vor-GmbH responde com seu capital social e, desde que este não esteja integralizado, juntamente com os sócios-fundadores e seus bens pessoas até o valor de suas quotas do capital social, e até o limite do valor já realizado. Os custos para a constituição de uma sociedade limitada consistem, em particular, nas custas do tabelião pela redação da minuta do contrato social, pelo seu trabalho pela inscrição no Registro de Sociedades Comerciais. Os custos para a constituição de uma sociedade limitada padrão variam em torno de 750,00 a 1.000,00 euros. 6.2 A sociedade empresarial de responsabilidade limitada ( Haftungsbeschränkte Unternehmensgesellschaft Mini-GmbH ) Desde novembro de 2008 pode-se constituir além da tradicional sociedade limitada (GmbH) a sociedade empresarial de responsabilidade limitada (haftungsbeschränkte Unternehmensgesellschaft - UG (haftungsbeschränkt)), também chamada de Mini-Ltda. ( Mini- GmbH ). Ela é uma forma especial da sociedade limitada (GmbH), cuja principal diferença é a possibilidade de sua constituição com capital social menor. Teoricamente é suficiente o valor nominal de 1,00 euro de capital social, que somente podem ser realizados em dinheiro e nunca em bens. É muito importante que sejam observadas as regras legais sobre a capitalização e a falência, por isso, uma assessoria jurídica é imprescindível. Para simplificar e economizar custos na constituição de uma sociedade empresarial de responsabilidade limitada (UG (haftungsbeschränkt)) o legislador alemão criou protocolos-padrão especiais (tambem para a criacão de uma GmbH) que podem ser utilizados na constituição dessa sociedade, desde que a nova sociedade consista de, no máximo, três sócios, que tenha apenas um diretor-geral

13 11 e que não estipule nenhuma regra divergente das disposições previstas no protocolo-padrão. Os custos de constituição de uma sociedade empresarial de responsabilidade limitada (UG (haftungsbeschränkt)) giram em torno de 300,00 euros. O verdadeiro capital da sociedade empresarial de responsabilidade limitada (UG (haftungsbeschränkt)) deve ser atingido ao longo dos negócios. A sociedade é obrigada a constituir uma reserva legal que tenha o valor de pelo menos ¼ da renda líqüida anual. A sociedade empresarial de responsabilidade limitada (UG (haftungsbeschränkt)) será, então, transformada em sociedade limitada, logo que seu capital social atingir o valor de ,00 euros. 6.3 A sociedade anônima (AG) A sociedade anônima (Aktiengesellschaft AG ) alemã comparase com a sociedade anônima (S. A.) do Brasil e é uma sociedade de capitais com personalidade jurídica própria como a sociedade limitada (GmbH), cuja forma é muito escolhida, em particular, por grandes empresas com necessidade de elevado capital social. Para a constituição dessa sociedade é necessário que pelo menos uma pessoa receba as ações da sociedade em troca de dinheiro. O valor mínimo previsto em lei para o capital social de uma sociedade anônima alemã (AG) é de ,00 euros. O capital social pode ser dividido em partes (ações) livremente transferíveis e passíveis de comercialização em bolsa de valores, sendo que o capital social é realizado através da aquisição de ações por um ou mais fundadores. A sociedade anônima (AG) tem três órgãos: A Diretoria (Vorstand), responsável pela direção da sociedade anônima (AG) e pela gestão da empresa, representando a sociedade perante terceiros; O Conselho de Administração (Aufsichtsrat), votado pela assembléia geral, consiste de pelo menos três membros, que, por sua vez, elege a Diretoria; Assembléia Geral Ordinária de Acionistas (Hauptversammlung), que elege o Conselho de Administração.

14 12 Como a sociedade limitada (GmbH), a sociedade anônima passa por três fases durante sua constituição: Até a elaboração do contrato social trata-se de uma sociedade em vias de criação (Vorgründungsgesellschaft), denominada Konsortium (consórcio). Nesta fase de constituição os fundadores são responsáveis solidários. No período entre a inscrição da escritura pública do contrato social no Registro Civil de Sociedades e de inscrição no Registro de Sociedades Comerciais a sociedade anônima em constituição ( Vor-AG ou AG i.g.) já pode exercer suas atividades comerciais. Os sóciosfundadores são, neste caso, responsáveis pelas obrigações até o limite do valor do capital social, desde que este já esteja realizado. Somente após a inscrição no Registro de Sociedades Comerciais a sociedade anônima (AG) é considerada constituída. 6.4 Constituição eficiente de sociedades através de sociedades já existentes (Mantelgesellschaften) ou de sociedades de fachada (Vorratsgesellschaften) Para diminuir o processo muitas vezes demorado de elaboração do estatuto social da sociedade até o registro final de sociedades de capital e também os riscos de responsabilidade dos sócios-fundadores, pode-se para a formação de sociedade de capital adquirir na Alemanha a chamada sociedade já existente (Mantelgesellschaft) ou a chamada sociedade de fachada (Vorratsgesellschaft). A sociedade já existente (Mantelgesellschaft), muitas vezes chamada de Empresa-Casaco (Firmenmantel) é uma sociedade limitada (GmbH) ou uma sociedade anônima (AG) já existente, que não exerce atividades comerciais, mas ainda tem personalidade jurídica. Já a sociedade de fachada (Vorratsgesellschaft) é uma nova sociedade de capital, que será constituída, mas que mesmo após sua constituição não exercerá atividades operacionais. Enquanto a sociedade já existente (Mantelgesellschaft) pode receber benefícios legais de ordem civil e comercial, e, especial, em matéria fiscal, principalmente no que diz respeito à utilização de seus prejuízos deixados, a sociedade de fachada (Vorratsgesellschaft) é

15 13 considerada uma casca vazia, que é preenchida com a nova atividade comercial. Sua vantagem está na segurança trazida pela nova constituição, pois não há a possibilidade de exigências antigas referentes a negócios co-merciais do passado. Os custos de aquisição (capital social mais o preço de compra-evenda) de uma sociedade de fachada (Vorratsgesellschaft) no caso de uma sociedade limitada (GmbH) estão por volta de ,00 euros e no caso de uma sociedade anônima (AG) ficam em torno de ,00 euros. Os custos de aquisição de uma sociedade já existente (Mantelgesellschaft) giram em torno do valor do saldo dos lucros da empresa mais um acréscimo, como, por exemplo, o valor das ações cotadas na bolsa de valores, no caso de uma sociedade anônima (AG). Antes da aquisição de uma sociedade já existente (Mantelgesellschaft) ou de uma sociedade de fachada (Vorratsgesellschaft) é imprescindível um aconselhamento jurídico. 7. A escolha certa da sede da empresa Igualmente como a forma jurídica, também é de grande importância a escolha certa da localização da sede da sociedade a ser constituída. Além dos critérios fundamentais como a da proximidade aos clientes, da concorrência, da proximidade a estradas e a estações de trem e a aeroporto e das conveniências do local, da mão de obra local e dos requisitos administrativos, o valor da alíquota do imposto do comércio (Gewerbesteuer) pode ser um critério essencial de escolha, desde que não seja necessário abrir uma loja no centro comercial de uma cidade grande. O imposto do comércio, pouco conhecido e não encontrado nem de forma similar no exterior, é um imposto que é fixado pelos municípios na Alemanha e é cobrado das empresas com sede em seu território. O mínimo legal da alíquota é de 200 pontos porcentuais. Em geral, as alíquotas de grandes cidades são superiores às de cidades no interior do País. Os municípios tentam justamente promover

16 14 a instalação de empresas em seus territórios através da fixação do valor da alíquota desse imposto. O seguinte caso famoso comprova que o critério imposto do comércio pode ter grande relevância na escolha do local da sede da sociedade: Até mesmo a Bolsa de Valores alemã deslocou em 2008 a sua sede de Francoforte-no-Meno (onde o imposto do comércio tem a alíquota de 460 pontos porcentuais) para o Município vizinho chamado Eschborn (onde o imposto do comércio tem a alíquota de apenas 280 pontos porcentuais), situado a apenas 10 km de distância da antiga sede, a fim de economizar alguns milhões de euros por ano de encargos fiscais. Foi dessa maneira que ela seguiu o exemplo de muitas outras grandes empresas alemãs. O Município de Eschborn tornou- se, assim, um dos municípios mais ricos da Alemanha! Exemplo: Uma empresa com sede em Frankfurt am Main paga sobre a renda de ,00 euros um imposto do comércio no valor de ,00 euros. Se sua sede fosse localizada em Eschborn, ela pagaria um imposto de comércio no valor de apenas 9.800,00 euros. 8. A escolha certa da sede da empresa Finalmente é de grande importância, além da escolha do tipo de empresa e da localização de sua sede, a escolha e o uso do nome da empresa. Ambos os países Brasil e Alemanha são membros da Convenção Internacional de Paris para a proteção da propriedade industrial de 1883 (Convenção de Paris), comprometendo-se não apenas à proteção de marcas registradas, mas também de nomes comerciais, independentemente de registro. Conseqüentemente a futura empresa a ser constituída na Alemanha deve receber um nome que não vá colidir com direitos nacionais ou europeus de marcas já existentes, a fim de evitar, no futuro, conflitos posteriores com o respectivo detentor do nome antigo.

17 15 No caso do uso de um nome que pertença à empresa-mãe no Brasil e já tenha sido registrada como marca, pode-se obter através do auxílio de acordos internacionais, como a Convenção de Marcas de Madri, o seu registro como marca alemã ou européia. É recomendada, de qualquer forma, uma prévia pesquisa nos registros de marcas competentes e também no Registro de Sociedades de Comerciais alemão antes da designação do nome. III. A VENDA E DISTRIBUIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 1. Marketing e preparação no mercado 1.1 A apresentação da empresa A concepção da apresentação da empresa na internet (Website) é, especialmente para as empresas internacionais, imprescindível nos dias de hoje. Deve-se, portanto, a partir das primeiras considerações a respeito da constituição da sociedade e da procura de um nome da empresa (veja II. 8), também avaliar se é vantajoso criar um site alemão ou europeu paralelo ao já existente no Brasil, ou se é conveniente criar um site completamente novo para a sociedade alemã, a fim de atingir os clientes do novo mercado. Para a escolha do nome do novo domínio na Internet também devem ser observadas as leis sobre marcas e denominações comerciais. Também o nome de um domínio na Internet pode violar os direitos de marcas ou denominações já registradas por terceiros, o que pode ocasionar a oposição legal do antigo proprietário contra o seu uso. Também aqui se recomenda uma pesquisa prévia no registro de marcas alemão e europeu e também no Registro Comercial de Sociedades alemão. O registro de um domínio, dentre os mais cotados domínios, com o final.de é feito diretamente na central de registro de domínios chamada DENIC eg (Deutsches Network Information Center-Centro Alemão de Informações da Rede) ou através de um prestador de serviços de domínios. A simples informação se um domínio ainda

18 16 está vago ou não poder ser feita diretamente no site da empresa DENIC através de sua website pelo domaincheck. O domínio europeu.eu vale para os 27 países-membros da União Européia e somente pode ser registrada através do Registro único dos finais.eu. Uma lista de sites oficiais de registro pode ser encontrada na página de internet da EURid, que é o portal de registro europeu de nomes de domínio na Internet (European Registry of Internet Domain Names, As informações lá encontradas também estão disponíveis em Português. Para a apresentação da empresa na internet em si é muito importante que sejam cumpridos, na Alemanha, os requisitos legais, como, por exemplo, a inserção no site de um Impressum, que é um tipo de ficha técnica do proprietário da homepage, onde deve ser colocado o endereço completo da empresa apresentada, o prenome e sobrenome do diretor-responsável, todos os dados importantes da empresa como números de telefone e fax e endereço de , e o número de identificação do contribuinte do imposto de vendas. Em caso de vendas de pro-dutos através do homepage da sociedade deverão ser observados outros requisitos (veja III. 3. 5). 1.2 Nome do produto A distribuição de bens e serviços é feita geralmente sob o nome da empresa ou através de marca própria, que é o nome do produto. Se um produto brasileiro for comercializado na Alemanha e na Europa sob o mesmo nome que no Brasil, deve ser feita uma pesquisa prévia para evitar, assim, a possibilidade de conflitos com marcas ou denominações já existentes de outras empresas. Caso já exista no Brasil o registro de marca, este pode ser estendido para o sistema de registro internacional da Alemanha ou da Europa. Também se pode registrar uma nova marca alemã ou européia. Também neste caso é aconselhável fazer logo de início uma pesquisa de marcas para evitar a possibilidade de colisão com outras marcas, pois o registro de uma nova marca na Secretaria de Marcas e Patentes alemã (Deutsches Patent- und Markenamt DPMA, correspondente ao Ins-

19 17 tituto Nacional da Propriedade Intelectual no Brasil) ou na Instituto de Harmonização do Mercado Interno (marcas, desenhos e modelos) em Alicante, Espanha, leva pelo menos alguns meses, e, no caso de impugnação ou oposição de terceiros, o registro pode demorar muitas vezes mais de um ano. 1.3 Aprovação e rotulagem de produtos A segurança do produto: Se forem importadas mercadorias do Brasil para a distribuição na Alemanha ou na Europa, há a necessidade, para uma série de grupos de produtos, que sejam marcadas com a rotulagem CE para que possam ser comercializados ou colocados em funcionamento. A rotulagem CE foi criada para proteger no âmbito do Espaço Econômico Europeu, compreendido pelos 27 países-membros da União Européia, inclusive Islândia, o Liechtenstein e Noruega e garantir ao usuário final a utilização de produtos seguros. O responsável pela rotulagem é o próprio produtor. Se o produto for produzido no Brasil ou em outro país fora da Europa é necessário a nomeação de um representante residente na Alemanha ou num outro país da União Européia para a identificação regular do produto. Quais os grupos de produtos que sofrem esses requisitos de rotulagem e de segurança deverão ser investigados pelo próprio fabricante. Também aqui se recomenda uma consultoria jurídica, pois a violação das regras de rotulagem pode trazer conseqüências jurídicas no âmbito do Direito Penal. Origem do produto: As mercadorias importadas de países não pertencentes à União Européia não necessitam trazer a indicação de sua origem. No entanto, é recomendado etiquetar o produto, por exemplo, com a expressão Made in Brazil (ou em alemão: Hergestellt in Brasilien ), especialmente por que está em vias de ser decretado um regulamento novo da União Européia, prevendo para o futuro que certos produtos em suas respectivas embalagens deverão trazer determinada indicação. Trata-se, entre outros, de produtos de couro e peles, produtos têxteis, inclusive de vestuário, calçados, produtos

20 18 de cerâmica e de vidro, jóias e móveis. Se essa regra for desde já observada, a empresa poderá até economizar os custos posteriores de mudança na rotulagem. 1.4 Publicidade Na Alemanha e na Europa prevalece o direito de liberdade de publicidade. No entanto, a extensão, a natureza e a forma de publicidade sofrem limites, por um lado, do Direito do Consumidor e, por outro, dependendo do próprio tipo de produto. Em todo caso, são aplicadas as disposições legais do país onde o bem ou o serviço será oferecido. Como ainda não existe um Direito europeu completamente unificado sobre publicidade, a empresa a ser constituída deve se informar antes dos limites legais em vigor referentes à publicidade, para evitar, assim, maus investimentos e sanções legais. Na Alemanha, a Lei contra a Concorrência Desleal (Gesetz gegen unlauteren Wettbewerb - UWG) é a base das regras legais estabelecidos no que concerne à propaganda desleal. Ela prevê pretensões e direitos aos concorrentes e a associações de consumidores que querem se opor à publicidade desleal de concorrentes. Além disso, há uma série de regras legais especiais na Alemanha e às vezes em todo o território da União Européia que proíbem, por exemplo, para determinados produtos, tais como, produtos farmacêuticos ou produtos com tabaco, fazer em público qualquer tipo de propaganda ou de promoção do produto, sem que sejam respeitadas determinadas regras de informação. Para proteger os consumidores o número de produtos afetados é constantemente ampliado. Recomenda-se em face das regras rigorosas na área da concorrência desleal, e especialmente antes da primeira apresentação no mercado europeu, que a propaganda dos produtos e da propria sociedade a ser constituída submetam-se a um exame jurídico. Em especial é muito importante analisar a denominação do produto quando se trata de alimentos e itens domésticos.

Profa. Joseane Cauduro. Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO

Profa. Joseane Cauduro. Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO Profa. Joseane Cauduro Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO Introdução A unidade I aborda: empresa e empresário; formação das sociedades; tipos de sociedades. Objetivos da disciplina: apresentar aos estudantes

Leia mais

Código de Conduta. Código de Conduta Schindler 1

Código de Conduta. Código de Conduta Schindler 1 Código de Conduta Código de Conduta Schindler 1 2 Código de Conduta Schindler Código de Conduta da Schindler Os colaboradores do Grupo Schindler no mundo inteiro devem manter o mais alto padrão de conduta

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS RELATIVAS À CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE REGULAMENTO-QUADRO DO BCE RELATIVO AO MECANISMO ÚNICO DE SUPERVISÃO

PERGUNTAS E RESPOSTAS RELATIVAS À CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE REGULAMENTO-QUADRO DO BCE RELATIVO AO MECANISMO ÚNICO DE SUPERVISÃO PERGUNTAS E RESPOSTAS RELATIVAS À CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE REGULAMENTO-QUADRO DO BCE RELATIVO AO MECANISMO ÚNICO DE SUPERVISÃO 1 QUANDO É QUE O BCE ASSUMIRÁ A SUPERVISÃO DOS BANCOS? O BCE assumirá

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado com sede na Rua Sampaio Viana, 44 - Paraíso,

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre Brasil University of New South Wales Sydney Austrália Universidade do Povo Macau - China

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre Brasil University of New South Wales Sydney Austrália Universidade do Povo Macau - China CONVENÇÃO SOBRE A LEI APLICÁVEL AOS CONTRATOS DE COMPRA E VENDA INTERNACIONAL DE MERCADORIAS (Concluída em 22 de dezembro de 1986) Os Estados-Partes da presente Convenção, Desejando unificar as regras

Leia mais

CÓDIGO DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO FRANCHISING

CÓDIGO DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO FRANCHISING CÓDIGO DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO DO FRANCHISING PREFÁCIO OBJETIVO E PRINCÍPIOS GERAIS DEFINIÇÕES Franchising ou Sistema de Franquia Franquia Master Franquia Franqueador Franqueado Fornecedor do Sistema de

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

Abertura de empresas na Alemanha

Abertura de empresas na Alemanha Marcia Zeitoune Janzen, LL.M. Advogada WZR Hamburg Lehmweg 17, 20251 Hamburg Alemanha Telefon +49(40) 480 639-93 Telefax +49(40) 480 639-92 E-Mail: Marcia.Janzen@wzr-legal.com -1- I. Introdução II. Abertura

Leia mais

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Introdução 5 INTRODUÇÃO A seguir, são descritos os comportamentos e princípios gerais de atuação esperados dos Colaboradores da Endesa

Leia mais

O sócio que ceder suas quotas continua responsável pelas obrigações sociais até dois anos depois de modificado o contrato social:

O sócio que ceder suas quotas continua responsável pelas obrigações sociais até dois anos depois de modificado o contrato social: AULA 2 4. Tipos societários 4.1 Sociedade Simples Se a sociedade simples não optar por outra forma essa é a forma que será a ela aplicada. Esse tipo é também subsidiário aos outros tipos sociais, ou seja,

Leia mais

TRANSPARÊNCIA E RIGOR NA NOVA LEI DE LICITAÇÕES DA PUBLICIDADE DE ÓRGÃO PÚBLICO

TRANSPARÊNCIA E RIGOR NA NOVA LEI DE LICITAÇÕES DA PUBLICIDADE DE ÓRGÃO PÚBLICO TRANSPARÊNCIA E RIGOR NA NOVA LEI DE LICITAÇÕES DA PUBLICIDADE DE ÓRGÃO PÚBLICO Por João Luiz Faria Netto A nova lei conta com normas principais e obrigatórias para a contratação de agências de publicidade

Leia mais

Administrando os canais de distribuição (aula 2)

Administrando os canais de distribuição (aula 2) 13 Aula 2/5/2008 Administrando os canais de distribuição (aula 2) 1 Objetivos da aula Explicar como os profissionais de marketing usam canais tradicionais e alternativos. Discutir princípios para selecionar

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

Agência de Propaganda

Agência de Propaganda Agência de Propaganda Um assinante do Consultor Municipal fez a seguinte consulta: As empresas de propaganda e marketing são consideradas agências? E qual seria a base de cálculo do ISS? Por ser um assunto

Leia mais

COMO ADERIR A UMA FRANQUIA SEM ENTRAR EM UMA FRIA

COMO ADERIR A UMA FRANQUIA SEM ENTRAR EM UMA FRIA COMO ADERIR A UMA FRANQUIA SEM ENTRAR EM UMA FRIA Palestrante: Gustavo Posser de Moraes (Graduado em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul, possui MBA em Direito da Empresa e da Economia pela

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito

Leia mais

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO Termo de Constituição de Consórcio 1 As Partes: A empresa (Nome da Empresa)..., com sede na cidade de..., (Endereço)..., com CNPJ n o..., Inscrição Estadual...,

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

SOCIEDADES COMERCIAIS

SOCIEDADES COMERCIAIS Legislação Societária / Direito Comercial Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 11 SOCIEDADES COMERCIAIS Sociedade comercial é a pessoa jurídica de direito privado, nãoestatal, que tem por objeto social

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 -

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 - ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 - PROPOSTAS DE DELIBERAÇÕES QUE O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUBMETE À DECISÃO DA ASSEMBLÉIA GERAL DE ACIONISTAS 22 / 23 de junho

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N o 6.099, DE 12 DE SETEMBRO DE 1974. Dispõe sobre o tratamento tributário das operações de arrendamento mercantil e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

CONTRATOS DE COLABORAÇÃO III. I - Noções gerais:

CONTRATOS DE COLABORAÇÃO III. I - Noções gerais: CONTRATOS DE COLABORAÇÃO III I - Noções gerais: - Na cadeia de circulação de mercadorias vamos encontrar, inicialmente, aqueles que se dedicam a extrair bens propiciados pela natureza, como o agricultor,

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS

TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS TRIBUTAÇÃO DE JUROS, DIVIDENDOS E MAIS-VALIAS NO CHIPRE LEIS E DECRETOS Lei (alterada) do Imposto sobre os Rendimentos de 2005 Lei (alterada) da Contribuição Especial para a Defesa de 2004 Lei (alterada)

Leia mais

CONTRATO PARA A GESTÃO DE CURSOS DE LINGUA ITALIANA DO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI SAN PAOLO

CONTRATO PARA A GESTÃO DE CURSOS DE LINGUA ITALIANA DO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI SAN PAOLO 1 CONTRATO PARA A GESTÃO DE CURSOS DE LINGUA ITALIANA DO ISTITUTO ITALIANO DI CULTURA DI SAN PAOLO (A) Istituto Italiano di Cultura di San Paolo, com sede na Av. Higienópolis, 436 São Paulo SP, CEP 01238-000,

Leia mais

CÓDIGO DE DEONTOLOGIA EUROPEU DO FRANCHISING

CÓDIGO DE DEONTOLOGIA EUROPEU DO FRANCHISING CÓDIGO DE DEONTOLOGIA EUROPEU DO FRANCHISING O presente Código de Deontologia Europeu do Franchising corresponde à versão actualizada do Código inicialmente elaborado em 1972 pela Federação Europeia da

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Setembro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

Direito Societário na Alemanha 1ª Edição

Direito Societário na Alemanha 1ª Edição Assim se faz... Direito Societário na Alemanha 1ª Edição ÍNDICE I. Visão Geral 2 1. Sociedades de capitais 2 2. Sociedades de pessoas 3 II. Sociedade de Responsabilidade Limitada (GmbH) 4 1. Criação, entrada

Leia mais

CONCESSÃO TN BRASIL REDE TN BRASIL

CONCESSÃO TN BRASIL REDE TN BRASIL CONCESSÃO TN BRASIL Conheça a nova revolução digital, e saiba como a Rede TN Brasil pode ser o melhor investimento e garantia da maior lucratividade segura e sustentável no menor tempo. REDE TN BRASIL

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

LAR O SEU NEGÓCIO O SEU NEGÓCIO LAR O SEU NEGÓCIO LAR. POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAs BEM- ESTAR

LAR O SEU NEGÓCIO O SEU NEGÓCIO LAR O SEU NEGÓCIO LAR. POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAs BEM- ESTAR BEM- ESTAR BEM- ESTAR POLÍTICA DE PRIVACIDADE BEM- ESTAR PARA SITES DE EAs POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAs Com o objectivo de criar visibilidade para os produtos Amway, para a Oportunidade de

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910

VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 VULCABRAS AZALEIA S.A. Companhia Aberta CNPJ 50.926.955/0001-42 NIRE 35.300.014.910 MANUAL DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA VULCABRAS AZALEIA S. A. DE 31 DE JANEIRO DE 2011. O

Leia mais

Vantagens e Benefícios das parcerias internacionais

Vantagens e Benefícios das parcerias internacionais Vantagens e Benefícios das parcerias internacionais Nicola Minervini Santa Catarina, 02-05/12/2014 Sumario Desafios da empresa Ferramentas para a competitividade O porque das alianças Formas de alianças

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

VALE-TRANSPORTE. São beneficiários do vale-transporte os trabalhadores em geral, tais como:

VALE-TRANSPORTE. São beneficiários do vale-transporte os trabalhadores em geral, tais como: VALE-TRANSPORTE 1. Introdução O vale-transporte foi instituído pela Lei nº 7.418 de 16.12.85, regulamentada pelo Decreto nº 92.180/85, revogado pelo de nº 95.247, de 17.11.87, consiste em benefício que

Leia mais

2ª ATIVIDADE: (TRABALHO MANUSCRITO): COMENTÁRIO LIVRE EM 10 LINHAS REFERENTE A UMA PESQUISA LEGISLATIVA.

2ª ATIVIDADE: (TRABALHO MANUSCRITO): COMENTÁRIO LIVRE EM 10 LINHAS REFERENTE A UMA PESQUISA LEGISLATIVA. MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. Vide dicas MDE: Material Didático Estácio. 1ª ATIVIDADE: Pesquisar um tema referente a matéria na biblioteca e redigir um artigo nos

Leia mais

Sítio de Sons Associação Cultural

Sítio de Sons Associação Cultural Sítio de Sons Associação Cultural Estatutos * CAPÍTULO PRIMEIRO (Da denominação, sede, objecto e afins) Artigo primeiro (Da denominação, natureza jurídica, lei aplicável e duração) UM A Associação adopta

Leia mais

QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015

QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015 QUAL É A ESTRUTURA SOCIETÁRIA IDEAL? Vanessa Inhasz Cardoso 17/03/2015 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Há vários tipos de estruturas societárias possíveis; Análise da realidade de cada empresa; Objetivos dos

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL DE CORRÊA RIBEIRO S/A COMÉRCIO E INDÚSTRIA CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E PRAZO DE DURAÇÃO: Denominação Artigo 1º - Corrêa Ribeiro S/A Comércio e Indústria é uma sociedade

Leia mais

DIREITO DE EMPRESA SOCIEDADES

DIREITO DE EMPRESA SOCIEDADES DIREITO DE EMPRESA SOCIEDADES Prof. Cristiano Erse www.erse.com.br CONCEITO GERAL Sociedade, de acordo com CC em seu art. 981, é o contrato em que pessoas reciprocamente se obrigam a contribuir com bens

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Somos um escritório jurídico que reúne especialistas nos mais diversos ramos do direito empresarial. Priorizamos a ética nas relações com os clientes e nos dedicamos muito ao

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO Entre [ ]., com sede em [ ], matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ], com o número de matrícula e pessoa coletiva

Leia mais

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77 Nota do autor, xix 1 Empresa, 1 1 Empreender, 1 2 Noções históricas, 2 3 Teoria da empresa, 3 4 Registro, 8 4.1 Redesim, 10 4.2 Usos e práticas mercantis, 14 4.3 Empresário rural, 15 5 Firma individual,

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013.

RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 296, DE 2013. Dispõe sobre as regras e os critérios para operação do seguro de garantia estendida, quando da aquisição de

Leia mais

1. Organizações e Propriedades

1. Organizações e Propriedades 1. Organizações e Propriedades Conteúdo 1. Organizações 2. Propriedades 3. Formas de Propriedades Privadas 4. Alguns Conceitos 5. Propriedades Públicas 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração

Leia mais

ACORDO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E O GOVERNO DA ROMÉNIA SOBRE PROMOÇÃO E PROTECÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS

ACORDO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E O GOVERNO DA ROMÉNIA SOBRE PROMOÇÃO E PROTECÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS Decreto n.º 23/94 de 26 de Julho Aprova o Acordo entre o Governo da República Portuguesa e o Governo da Roménia sobre Promoção e Protecção Recíproca de Investimentos Nos termos da alínea c) do n.º 1 do

Leia mais

RESOLUÇÃO 942 / 99. Assunto: Aprovação das "NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA", e revogação da Resolução nº 823/94, de 13.4.94.

RESOLUÇÃO 942 / 99. Assunto: Aprovação das NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA, e revogação da Resolução nº 823/94, de 13.4.94. RESOLUÇÃO 942 / 99 Assunto: Aprovação das "NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA", e revogação da Resolução nº 823/94, de 13.4.94. Referência: INFORMAÇÃO PADRONIZADA SD/CCE - 01 /99, de

Leia mais

Resolução nº 194 RESOLUÇÃO Nº 194-ANTAQ, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004.

Resolução nº 194 RESOLUÇÃO Nº 194-ANTAQ, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004. RESOLUÇÃO Nº 194-ANTAQ, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004. APROVA A NORMA PARA A HOMOLOGAÇÃO DE ACORDO OPERACIONAL ENTRE EMPRESAS BRASILEIRAS E ESTRANGEIRAS DE NAVEGAÇÃO PARA TROCA DE ESPAÇOS NO TRANSPORTE MARÍTIMO

Leia mais

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell

SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell SUSE LINUX Enterprise Server (SLES) 10 Contrato de Licença de Software da Novell LEIA ESTE CONTRATO COM ATENÇÃO. AO INSTALAR OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZAR O SOFTWARE (INCLUINDO SEUS COMPONENTES),

Leia mais

AULA 5 SOCIEDADE LIMITADA

AULA 5 SOCIEDADE LIMITADA AULA 5 SOCIEDADE LIMITADA Introdução A sociedade decorre de um contrato entre pessoas que contribuem com bens e serviços para o exercício de determinada atividade visando a partilha de resultados. A Sociedade

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA O presente conjunto de Condições Gerais de Venda da GLUAL HIDRÁULICA se aplica a todas as entregas e a todos os serviços. ARTIGO 1. INFORMAÇÕES GERAIS ARTIGO 2. - OFERTAS E PEDIDOS ARTIGO 3. ESTUDOS, PLANTAS

Leia mais

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49 Nota do autor, xv Parte I - Teoria Geral da Empresa, 1 1 Introdução ao Direito de Empresa, 3 1.1 Considerações gerais, 3 1.2 Escorço histórico: do direito comercial ao direito de empresa, 4 1.3 Fontes

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL:

PROPRIEDADE INTELECTUAL: PROPRIEDADE INTELECTUAL: LEGISLAÇÃO - 2 Profa. Dra. Suzana Leitão Russo Prof. Gabriel Francisco Silva Profa. Dra. Ana Eleonora Almeida Paixão Art. 1º Esta Lei regula direitos e obrigações relativos à propriedade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, REPRESENTANTES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS ABRAPRE ABRE BRASIL CNPJ

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, REPRESENTANTES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS ABRAPRE ABRE BRASIL CNPJ REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROFISSIONAIS LIBERAIS, REPRESENTANTES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS ABRAPRE ABRE BRASIL CNPJ nº 13.649.902/0001-03 DA ASSOCIAÇÃO Artigo 1º - A Associação Brasileira

Leia mais

.: DAI - Divisão de Atos Internacionais

.: DAI - Divisão de Atos Internacionais 1 von 6 31.05.2010 10:06.: DAI - Divisão de Atos Internacionais DECRETO Nº 2.579, DE 6 DE MAIO DE 1998. Promulga o Acordo Básico de Cooperação Técnica, celebrado entre o Governo da República Federativa

Leia mais

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO

TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO TERMO DE ADESÃO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERMEDIAÇÃO São partes deste Instrumento, VAIVOLTA.COM SERVIÇOS DE INTERNET SA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 15.529.518/0001-94, com sede na Rua Frei Caneca,

Leia mais

EXTRATO DE CONTRATO PARA REPRESENTAÇÃO DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGURO

EXTRATO DE CONTRATO PARA REPRESENTAÇÃO DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGURO EXTRATO DE CONTRATO PARA REPRESENTAÇÃO DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGURO TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração;

a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração; ALTERAÇÃO DE SOCIEDADE EMPRESÁRIA: *ELEMENTOS DA ALTERAÇÃO CONTRATUAL a) Título (Alteração contratual), recomendando-se indicar o nº de seqüência da alteração; b) Preâmbulo; c) Corpo da alteração: Nova

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAS. POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAs

POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAS. POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAs POLÍTICA DE PRIVACIDADE PARA SITES DE EAS 1 Com o objectivo de criar visibilidade para os produtos Amway, para a Oportunidade de Negócio Amway e para apoiar os EAs e Clientes Vip na construção do seu negócio,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

MODELO DE CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL

MODELO DE CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL MODELO DE CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL Descarregue exemplo de CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL em formato Word. Preencha os espaços em branco e escolha as cláusulas

Leia mais

Doing Business em São Tomé e Príncipe

Doing Business em São Tomé e Príncipe Doing Business em Raul da Mota Cerveira Índice INVESTIMENTO PRIVADO PRESENÇA EM STP IMPOSTOS IMPOSTOS - IRC IMPOSTOS - IRC - LUCROS IMPOSTOS - IRS OUTROS IMPOSTOS CAMBIAL DIREITOS FUNDIÁRIOS CONTRATAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 03, DE 9 DE FEVEREIRO DE 1999.

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 03, DE 9 DE FEVEREIRO DE 1999. INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 03, DE 9 DE FEVEREIRO DE 1999. O Ministro de Estado da Agricultura e do Abastecimento, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição

Leia mais

Doing Business in Brazil

Doing Business in Brazil INVESTIR NO BRASIL Doing Business in Brazil Alfeu Pinto Sócio Boccuzzi e Associados 12 de Abril de 2012 Visão Geral sobre o Brasil Área territorial População PIB Regime cambial brasileiro/reservas Forma

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 7 Instrução Normativa SRF nº 213, de 7 de outubro de 2002 DOU de 8.10.2002 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL

TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL Direito Societário É subárea do direito empresarial que disciplina a forma de exercício coletivo de atividade econômica empresária; Importante observação sobre as questões da primeira fase da OAB: 25%

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.º 06343/2006/RJ COGAM/SEAE/MF Rio de Janeiro, 22 de agosto de 2006 Referência: Ofício nº 3971/2006/SDE/GAB, de 11 de agosto

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA 1. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A sociedade limitada é o tipo societário de maior presença na economia brasileira.

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DESPORTIVA DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO

REGIMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DESPORTIVA DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO REGIMENTO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM DESPORTIVA DO TRIBUNAL ARBITRAL DO DESPORTO Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º (Definição) O (CAD) é um dos órgãos integrantes do Tribunal Arbitral do Desporto

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo PROCEDIMENTOS GERAIS PARA O REGISTO DE EMPRESAS EM PORTUGAL As sociedades estrangeiras podem praticar as suas actividades em Portugal através da constituição de uma representação permanente no território

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS. Estratégias

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS. Estratégias INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. 1 Variáveis das de Internacionalização Segundo

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA Ana Carolina Rovida de Oliveira Especialista em Direito da Economia e Empresarial I INTRODUÇÃO A estabilização

Leia mais

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015.

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015. COIFFEUR BRASIL Termo e Condições de Uso v.1 Publicação dia 03 de Junho de 2015. Qualquer pessoa que se utilize dos serviços denominados Coiffeur Brasil (registrada sob CNPJ 20.402.266/0001 78 e localizada

Leia mais

opções de crédito para sua empresa

opções de crédito para sua empresa para sua empresa sumário introdução... 3 cartão bndes... 6 Introdução... 7 Custos operacionais... 8 Recebimentos... 9 Distribuidores... 9 Exemplos de operação...10 Revendedor compra com o Cartão BNDES

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA E CREDENCIAMENTO DE PARTICIPANTE ATIVO.

CONTRATO DE COMPRA E VENDA E CREDENCIAMENTO DE PARTICIPANTE ATIVO. CONTRATO DE COMPRA E VENDA E CREDENCIAMENTO DE PARTICIPANTE ATIVO. De um lado, a empresa: CENTER CORP. GESTÃO E NEGÓCIOS LTDA; com Matriz situada a Rua Rio Grande do Sul 904/201 Poços de Caldas / MG. CEP

Leia mais

Joint Venture Considerações gerais 1

Joint Venture Considerações gerais 1 Joint Venture Considerações gerais 1 Características Aliança estratégica entre duas ou mais empresas 2, de diferentes naturezas (públicas ou privadas), nacionalidades e finalidades, para realizar um projeto

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

Código de Conduta COERÊNCI. Transformando Visão em Valor.

Código de Conduta COERÊNCI. Transformando Visão em Valor. Código de Conduta COERÊNCI Transformando Visão em Valor. Índice Prefácio... 3 Ética empresarial da HOCHTIEF: Princípios... 5 Conflitos de interesse... 7 Confidencialidade... 8 Regras sobre controle de

Leia mais

MODELO DE CONTRATO DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL

MODELO DE CONTRATO DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL MODELO DE CONTRATO DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL INTERNACIONAL Descarregue exemplo de CONTRATO DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL INTERNATIONAL em formato Word. Preencha os espaços em branco e escolha as cláusulas

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES

REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES ADITIVO (03) AO TERMO DE CONVÊNIO 3756/10 que entre si celebram a FUNDAÇÃO SOCIAL DE CURITIBA e a VIDA PROMOÇÃO SOCIAL (VPS) A ASSOCIAÇÃO VIDA PROMOÇÃO SOCIAL

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

BANCO CENTRAL EUROPEU

BANCO CENTRAL EUROPEU 22.2.2014 Jornal Oficial da União Europeia C 51/3 III (Atos preparatórios) BANCO CENTRAL EUROPEU PARECER DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 19 de novembro de 2013 sobre uma proposta de diretiva do Parlamento

Leia mais

Módulo Operações na Logística. Objetivos. Questões

Módulo Operações na Logística. Objetivos. Questões Módulo Operações na Logística 1. O Direito, a lei e a Logística 2. Os Direitos do Consumidor 3. Atividade Empresarial e a Logística 4. As Obrigações Tributárias Prof. Mardônio da Silva Girão Objetivos

Leia mais

1.2 O licenciado tem conhecimento que, tecnicamente, a utilização do software de licença é apenas possível em conjunto com o hardware do TEGRIS.

1.2 O licenciado tem conhecimento que, tecnicamente, a utilização do software de licença é apenas possível em conjunto com o hardware do TEGRIS. CONDIÇÕES DE LICENÇA STREAMING / TELEMEDI CINE SYSTEM Nota prévia O licenciado prevê a utilização do Sistema de Integração OP "TEGRIS", desenvolvido pela Maquet GmbH (doravante referida como: Maquet),

Leia mais

sobre Instrumentos Financeiros

sobre Instrumentos Financeiros A Informação que deve ser Prestada pelos Intermediários Financeiros sobre Instrumentos Financeiros CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 A Informação que deve ser prestada pelos

Leia mais

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO 1 INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO CAPITULO I - DA DENOMINAÇÃO, DOS FINS, DA SEDE E DO PRAZO Art. 2º Para a consecução dos seus

Leia mais

ACORDO SOBRE PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA AS MIGRAÇÕES.

ACORDO SOBRE PRIVILÉGIOS E IMUNIDADES CELEBRADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA E A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL PARA AS MIGRAÇÕES. Resolução da Assembleia da República n.º 30/98 Acordo sobre Privilégios e Imunidades Celebrado entre o Governo da República Portuguesa e a Organização Internacional para as Migrações, assinado em Lisboa

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Criamos o que as pessoas amam antes que elas saibam o que querem Hoje nossos franqueados

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre F.., residente em.com o número de contribuinte, [ou 1 ] F..., com sede em,, com o capital social de. euros, matriculada na Conservatória

Leia mais

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Quem Somos Somos uma sociedade de advogados dedicada à assistência e orientação jurídica as empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado com sede na Rua Sampaio Viana, 44 - Paraíso,

Leia mais

Obrigações CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1

Obrigações CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 O que são obrigações As obrigações são instrumentos financeiros que representam um empréstimo contraído junto dos investidores pela entidade

Leia mais

Fundação Altran para a Inovação Prémio 2012 Portugal. Regras

Fundação Altran para a Inovação Prémio 2012 Portugal. Regras Fundação Altran para a Inovação Prémio 2012 Portugal Tecnologia e Inovação ao serviço da inclusão social Regras I/ Contexto Criada em Junho de 1996, a Fundação Altran para a Inovação (doravante denominada

Leia mais

Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras

Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras CONVENÇÃO DE NOVA YORK Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras Decreto nº 4.311, de 23/07/2002 Promulga a Convenção sobre o Reconhecimento e a Execução

Leia mais

LEI Nº 2.168, DE 11 DE JANEIRO DE 1954

LEI Nº 2.168, DE 11 DE JANEIRO DE 1954 CÂMARA DOS DEPUTADOS Centro de Documentação e Informação LEI Nº 2.168, DE 11 DE JANEIRO DE 1954 Estabelece normas para instituição do seguro agrário. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Faço saber que o CONGRESSO

Leia mais