122 Curso avançado de ProCesso Civil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "122 Curso avançado de ProCesso Civil"

Transcrição

1 122 Curso avançado de ProCesso Civil 130 De conformidade Curso com o Avançado art. 98 da de CF, Processo são também Civil órgãos da Justiça dos Estados e do Distrito Federal os Juizados Especiais Cíveis e Criminais (inciso I), providos por juízes togados, ou togados e leigos (criados pela Lei 9.099, I), providos por juízes togados, ou togados e leigos (criados pela Lei 9.099, de ) e os Juízes de paz (inciso II). de ) e os Juízes de paz (inciso II). Na esfera da jurisdição penal há também o Tribunal do Júri, previsto no Na esfera da jurisdição penal há também o Tribunal do Júri, previsto no inciso XXXVIII do art. 5.º da CF. inciso XXXVIII do art. 5.º da CF. Quadro Sinótico Quadro Sinótico 1 1 Doutrina Complementar Araújo Cintra, Grinover e Dinamarco (Teoria geral..., 23. ed., p. 183) sustentam doutrina complementar que às normas de organização judiciária incumbe estabelecer regras sobre a constituição Araújo Cintra, dos Grinover órgãos da e jurisdição, Dinamarco diferentemente (Teoria geral..., das 23. normas ed., p. processuais, 183) sustentam disciplinam que às normas o exercício de organização da jurisdição, judiciária da ação incumbe e da exceção estabelecer pelos regras sujeitos sobre do que processo, a constituição ditando dos as órgãos formas da do jurisdição, procedimento diferentemente e estatuindo das sobre normas o relacionamento processuais, entre que disciplinam esses sujeitos. o No exercício sentir desses da jurisdição, autores, as da regras ação e processuais da exceção são pelos normas sujeitos sobre do a processo, atuação da ditando justiça, as formas enquanto do procedimento as regras de e organização estatuindo sobre judiciária o relacionamento são normas sobre entre a esses administração sujeitos. No da sentir justiça. desses Afirmam autores, tais as autores, regras processuais utilizando são palavras normas de um sobre antigo a atuação processualista da justiça, brasileiro, enquanto que as organização regras de organização judiciária é judiciária o regime legal são normas sobre a orgânica administração do Poder da justiça. Judiciário. Afirmam tais autores, utilizando palavras da constituição Arruda de um antigo Alvim (Manual..., processualista vol. brasileiro, 1, 11. ed., que p. organização 256) sustenta judiciária que, como é o regra regime geral, legal é da possível constituição afirmar-se orgânica que do as Poder leis de Judiciário. organização judiciária visam disciplinar as Arruda condições Alvim materiais (Manual..., para vol. o 1, exercício 11. ed., p. da 256) função sustenta jurisdicional, que, como atribuindo regra geral, funções é possível e competência afirmar-se que aos as órgãos leis de monocráticos organização judiciária ou colegiados, visam regrando disciplinar sua as própria condições constituição, materiais para e, ainda, o exercício regulam da função a organização, jurisdicional, classificação, atribuindo disciplina funções e atribuições dos serviços auxiliares da Justiça. Assevera também que a organização judiciária estadual disciplina também os requisitos essenciais ao 1. funcionamento As linhas correspondem dos órgãos, à estrutura quer no recursal. que tange à pessoa dos seus ocupantes e à 1. As linhas correspondem à estrutura recursal.

2 Organização Judiciária 131 ligação (estatutária ou não), entre o agente e o órgão, quer no que diz respeito aos vários auxiliares da Justiça. Ainda segundo seu sentir, pode-se concluir que a organização judiciária é essencial, pois, na sua falta, o Poder Judiciário não poderia materialmente funcionar. Tal organização, como é curial, varia em parte, dependentemente da estrutura, necessidades e possibilidades do próprio Estado federado (p. 235). José Frederico Marques (Manual..., vol. 1, 9. ed., p. 151) afirma que as leis relativas à organização judiciária estão divididas em dois planos: leis federais e leis estaduais. As primeiras, em seu dizer, podem ter por objetivo: 1) a estruturação orgânica da magistratura nacional, ex vi do art. 93 da Constituição da República; 2) a organização judiciária da Justiça do Trabalho, da Justiça Eleitoral e da Justiça Militar (arts. 113, 121 e 124, parágrafo único, da Constituição da República); 3) a organização judiciária da justiça federal ordinária (Tribunais Regionais Federais e juízes federais), ex vi dos arts. 22, XVII, e, 107, parágrafo único [atual 1.º, renumerado pela EC n. 45/2004], da Constituição da República; 4) a organização judiciária do Distrito Federal e dos Territórios (art. 22, XVII, da Constituição da República). Às leis estaduais de organização judiciária, cuja iniciativa cabe aos Tribunais de Justiça, cabe a organização da justiça dos respectivos Estados, observados os princípios constitucionais (art. 125 e 1.º da Constituição Federal). E conclui, a esse respeito: Donde existir: 1) organização judiciária das justiças especiais; 2) organização judiciária da justiça federal ordinária; 3) organização judiciária do Distrito Federal e dos Territórios; 4) organização judiciária dos Estados. E sobrepairando a todas as leis referentes a esses quatro setores normativos sobre organização judiciária, a Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Lei Complementar 35, de 14 de março de 1979), a ser substituída pela lei complementar referida no art. 93 da Constituição de 1988, de iniciativa do Supremo Tribunal Federal, que disporá sobre o Estatuto da Magistratura. Bibliografia Fundamental Antonio Carlos de Araújo Cintra, Ada Pellegrini Grinover e Cândido Rangel Dinamarco, Teoria geral do processo, 23. ed., São Paulo, Malheiros, Arruda Alvim, Manual de direito processual civil, 11. ed., São Paulo, Ed. RT, 2007, vol. 1. José Frederico Marques, Manual de direito processual civil, 9. ed., atual. Ovídio Rocha Barros Sandoval, Campinas, Millennium, 2003, vol. 1. Complementar Adhemar Ferreira Maciel, Considerações sobre as causas do emperramento do judiciário, RePro 97/17. Ailton Stropa Garcia, Desburocratização do Poder Judiciário, RePro 60/89. Aldacy Rachid Coutinho, Relação de trabalho: uma questão da competência da Justiça do Trabalho anotações sobre os servidores públicos, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, 2005.

3 132 Curso Avançado de Processo Civil Alexandre Freitas Câmara, Lições de direito processual civil, 16. ed., Rio de Janeiro, Lumen Juris, 2007, vol. 1. Alfredo de Araújo Lopes da Costa, Manual elementar de direito processual civil, 3. ed., atual. Sálvio de Figueiredo Teixeira, Rio de Janeiro, Forense, Amir José Finocchiaro Sarti, A competência da Justiça Federal do Cível, RJ 264/5. Ana Luíza Barreto de Andrade Fernandes Nery, Observações iniciais sobre o Conselho Nacional de Justiça, RePro 134/122. André de Albuquerque Cavalcanti Abbud, O processo e os novos rumos do Judiciário: desafios e tendências, RePro 142/268. André Ramos Tavares, Reforma do judiciário no Brasil pós-99: (des)estruturando a justiça: comentários completos à Emenda Constitucional n. 45/04, São Paulo, Saraiva, Angela Cristina Pelicioli, O Poder Judiciário e a nova perspectiva do princípio da separação dos poderes, in Pedro Manoel Abreu e Pedro Miranda de Oliveira (coords.), Direito e processo: estudos em homenagem ao Desembargador Norberto Ungaretti, Florianópolis, Conceito, Cândido Rangel Dinamarco, Instituições de direito processual civil, 5. ed., São Paulo, Malheiros, 2005, vol. 1. Carlos Alberto Chiarelli, O poder judiciário e a nova Constituição, Porto Alegre, Ajuris, Carlos Bastide Horbach e Beatriz Bastide Horbach, A organização judiciária alemã, RePro 226/323. Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, O Conselho Nacional de Justiça e a administração do Poder Judiciário, RePro 141/263., O Tribunal de Contas e o Poder Judiciário, RDCI 55/341. Carlos Mario da Silva Velloso, Do poder judiciário: organização e competência, RDA 200/01., O Poder Judiciário como poder político no Brasil do século XX, RJ 283/5. Cassio Scarpinella Bueno, Curso sistematizado de direito processual civil, São Paulo, Saraiva, 2007, vol. 1. Celio Borja, Reforma do poder judiciário, São Paulo, Confederação Nacional do Comércio, Celso Agrícola Barbi, Comentários ao Código de Processo Civil, 10. ed., Rio de Janeiro, Forense, 1997, vol. 1. Clèmerson Merlin Clève, Poder judiciário: autonomia e justiça, RT 691/34. Domingos Franciulli Netto, Reforma do Poder Judiciário. Controle externo. Súmula Vinculante, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Donaldo Armelin, Uma visão da crise atual do Poder Judiciário, RePro 137/245. Eduardo Chemale Selistre Peña, Reforma do judiciário: a polêmica em torno da adoção das súmulas vinculantes e a solução oferecida pelas súmulas impeditivas de recursos, RePro 120/77. Edward Carlyle Silva, Direito processual civil, Rio de Janeiro, Impetus, Egas D. Moniz de Aragão, Estatística judiciária, RePro 110/9. Elpidio Donizetti Nunes, Curso didático do direito processual civil, 8. ed., Rio de Janeiro, Lumen Juris, Erik Frederico Gramstrup, Conselho Nacional de Justiça e controle externo: roteiro geral, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, 2005.

4 Organização Judiciária 133 Ernane Fidélis dos Santos, Manual de direito processual civil, 12. ed., São Paulo, Saraiva, 2007, vol. 1. Eugenio Raúl Zaffaroni, O poder judiciário, São Paulo, Ed. RT, Fábio Cardoso Machado e Rafael Bicca Machado (coords.), A reforma do poder judiciário, São Paulo, Quartier Latin, Fernando Machado e José Augusto Dias de Castro, A reforma do poder judiciário e a súmula impeditiva de recursos, in Fábio Cardoso Machado e Rafael Bicca Machado (coords.), A reforma do poder judiciário, São Paulo, Quartier Latin, Flávia de Almeida Montingelli Zanferdini, A crise da justiça e do processo e a garantia do prazo razoável, RePro 112/240. Francisco C. Pontes de Miranda, Comentários ao Código de Processo Civil, 3. ed., Rio de Janeiro, Forense, 1995, t. II. Fredie Didier Junior, Curso de direito processual civil: teoria geral do processo e processo do conhecimento, 7. ed., Salvador, JusPodivm, Galeno Lacerda, O juiz e a justiça no Brasil, RePro 61. Gisele Lemke, A reforma do poder judiciário, GenesisProc 12/244. Gisele Santos Fernandes Góes, Direito processual civil: processo de conhecimento, São Paulo, Ed. RT, Hélio Tornaghi, Comentários ao Código de Processo Civil, 2. ed., São Paulo, Ed. RT, 1976, vol. 1. Horário Wanderlei Rodrigues, Poder Judiciário e Emenda Constitucional n. 45, Coord. Pedro Manoel Abreu e Pedro Miranda de Oliveira, Direito e processo: estudos em homenagem ao Desembargador Norberto Ungaretti, Florianópolis, Conceito, Ivan Aparecido Ruiz, Primeiras impressões acerca da competência prevista no art. 114 da CF/1988, de acordo com a reforma constitucional (EC n. 45, de ), Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Ives Gandra Da Silva Martins, Poder Legislativo e Poder Judiciário?, JP 1/49. João Batista Lopes, Efetividade do processo e reforma do Código de Processo Civil: como explicar o paradoxo do processo moderno justiça morosa?, RePro 105/128., Reforma do Judiciário e efetividade do processo civil, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, José Alfredo de Oliveira Baracho, Democracia e poder judiciário, RFDUFMG 32/31. José Augusto Delgado, Organização política do Brasil. O poder judiciário. Instrumento da política. Identificação do poder judiciário na democracia representativa. A organização e o funcionamento do Poder Judiciário em todas as instâncias, JP 10/21. José Carlos Moreira Alves, O poder judiciário no Brasil, RMP 11/15. José de Albuquerque Rocha, Democratização do Judiciário, GenesisProc 12/260. José Eduardo Carreira Alvim, Elementos de teoria geral do processo, Rio de Janeiro, Forense, 1995., Elementos de teoria geral do processo, 7. ed., Rio de Janeiro, Forense, José Mauricio Pinto de Almeida, O poder judiciário brasileiro e sua organização, Curitiba, Juruá, José Néri da Silveira, A independência do Poder Judiciário e dos magistrados, RTDP 4/199. José Renato Nalini, A reforma do Estado: proposta concreta para um novo Judiciário, RT 724/115.

5 134 Curso Avançado de Processo Civil José Rubens Costa, Tratado de processo de conhecimento, São Paulo, J. Oliveira, Juvêncio Vasconcelos Viana, Nova sistemática do processo à luz da Reforma do Poder Judiciário (EC n. 45/2004), RDDP 42/69. Leonardo Greco, A reforma do Poder Judiciário e o acesso à Justiça, RDDP 27/67. Luís Gastão Franco de Carvalho, O Poder Judiciário na Constituição de 1988, RT 647/244. Luís Roberto Barroso, Constitucionalidade e legitimidade da criação do Conselho Nacional de Justiça, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Luiz Alberto Martins de Oliveira, Independência do judiciário: garantia do estado democrático, Brasília, Senado Federal, Luiz Flávio Gomes, Poder judiciário: controle interno e externo e revisão constitucional, RA 43/46. Luiz Fux, Curso de direito processual civil, 3. ed., Rio de Janeiro, Forense, Luiz Guilherme da Costa Wagner Junior, Processo civil: curso completo, Belo Horizonte, Del Rey, Luiz Guilherme Marinoni e Sérgio Cruz Arenhart, Teoria geral do processo, 2. ed., São Paulo, Ed. RT, 2007, vol. 1. Luiz Machado Bisneto, O sistema de organização judiciária inglês, RePro 200/195. Luiz Roberto Sabatto, Judiciário controle externo aspectos constitucionais mecanismo admissível nos países que adotam a bipartição do poder inconstitucionalidade no Brasil experiência francesa origem evolução desmantelamento do Judiciário infiltração política esforço de recuperação Brasil na contramão da história, RT 820/91. Luiz Rodrigues Wambier, Teresa Arruda Alvim Wambier e José Miguel Garcia Medina, Breves comentários à nova sistemática processual civil, 3. ed., São Paulo, Ed. RT, Marcelo Abelha Rodrigues, Elementos de direito processual civil, 3. ed., São Paulo, Ed. RT, 2000, vol. 1. Marco Afonso Borges, Os poderes, os deveres e as faculdades do juiz no processo, RePro 95/171. Marcus Vinicius Furtado Coêlho, O judiciário hoje e os objetivos da reforma processual civil, RePro 126/119. Marcus Vinicius Rios Gonçalves, Novo curso de direito processual civil, 4. ed., São Paulo, Saraiva, 2007, vol. 1. Mário Helton Jorge, O Conselho Nacional de Justiça e o controle externo administrativo, financeiro e disciplinar do Poder Judiciário: violação do pacto federativo, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Maurício Antonio Ribeiro Lopes, A reforma do poder judiciário, RePro 89/62. Mauro Spalding, O servidor público federal e a ampliação da competência da Justiça do Trabalho, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Misael Montenegro Filho, Curso de direito processual civil, 4. ed., São Paulo, Atlas, 2007, vol. 1. Moacyr Amaral Santos, Primeiras linhas de direito processual civil, 25. ed., atual. Aricê Moacyr Amaral Santos, São Paulo, Saraiva, 2007, vol. 1. Modesto Carvalhosa, Controle externo do poder judiciário, RA 43/42. Mônica Jacqueline Sifuentes, O Poder Judiciário no Brasil e em Portugal: reflexões e perspectivas, RePro 98/133, RIL 142/325.

6 Organização Judiciária 135 Nelson Nery Jr., Alguns aspectos da competência da Justiça do Trabalho, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Nelson Rodrigues Netto, Qual o juízo competente para a minha ação?, RePro 146/359. Nilton Bussi, Emenda constitucional para o Poder Judiciário, Genesis RDPC 4/91. Oscar Dias Corrêa, Breves ponderações sobre a crise do poder judiciário, RePro 98/153. Ovídio A. Baptista da Silva, A função dos tribunais superiores, Coord. Fábio Cardoso Machado e Rafael Bicca Machado, A reforma do Poder Judiciário, São Paulo, Quartier Latin, 2006., Curso de processo civil, 6. ed., São Paulo, Ed. RT, 2002, vol. 1. Paula Bajer Fernandes Martins da Costa, Sobre a importância do Poder Judiciário na configuração do sistema da separação dos poderes instaurado no Brasil após a Constituição de 1988, RDCI 30/240. Pedro A. Batista Martins, O poder judiciário e a arbitragem: quatro anos da Lei 9.307/96 (4 partes), RDBMA 9/315 a 13/350. Pedro Lessa, Do poder judiciário, Rio de Janeiro, Francisco Alves, Pedro Madalena, Judiciário e planejamento, RJ 226/53. Petrônio Calmon Filho (org.), Reforma constitucional do poder judiciário, São Paulo, IBDP, Raimundo Dantas, A reforma do Poder Judiciário e a nova Justiça do Trabalho, Reforma do Judiciário: primeiras reflexões sobre a Emenda Constitucional n. 45/2004, São Paulo, Ed. RT, Regis Fernandes de Oliveira, O papel do juiz e do poder judiciário na sociedade moderna, RT 824/61. Ricardo Arnaldo Malheiros Fiuza, O poder judiciário nas constituições dos países da comunidade de língua portuguesa, RePro 98/219., O poder judiciário no Brasil, Belo Horizonte, Del Rey, Ricardo Lewandowski, A modernização do Poder Judiciário, Consulex 240/6. Sálvio de Figueiredo Teixeira, O Judiciário brasileiro e as propostas de um novo modelo, RJ 262/5. Sérgio Bermudes, A reforma do judiciário pela Emenda Constitucional n. 45, Rio de Janeiro, Forense, 2005., Introdução ao processo civil, 4. ed., Rio de Janeiro, Forense, Sidnei Agostinho Beneti, O juiz e o serviço judiciário, RePro 55/127., Doutrina de precedentes e organização judiciária, Processo e Constituição: estudos em homenagem ao Professor José Carlos Barbosa Moreira, Coord. Luiz Fux, Nelson Nery Jr. e Teresa Arruda Alvim Wambier, São Paulo, Ed. RT, Sydney Sanches, O advogado e o Poder Judiciário, RT 648/240. Sílvio Nazareno Costa, Súmula vinculante e reforma do judiciário, Rio de Janeiro, Forense, Theotonio Negrão, Reforma do processo e da organização judiciária, RT 629/280., Uma nova estrutura para o Judiciário, RT 639/242. Thereza Alvim, A organização judiciária e o Código de Processo Civil, RePro 3/32. Vladimir Passos de Freitas, Corregedorias do Poder Judiciário, São Paulo, Ed. RT, William Lopes da Fonseca, O controle social do Poder Judiciário, a independência da magistratura e o caráter político da função jurisdicional, RT 841/87., A reforma do poder judiciário e do direito processual brasileiro, RT 829/62.

7 Capítulo 5 COMPETÊNCIA Sumário: 5.1 Conceito 5.2 Competência internacional: Competência exclusiva; Competência concorrente 5.3 Critérios para a determinação da competência: Fontes normativas da competência 5.4 A importância dos critérios 5.5 Utilização dos critérios 5.6 Critério territorial 5.7 Critério funcional 5.8 Critérios objetivos: Valor; Matéria 5.9 Competência relativa Regime jurídico Formas de impugnação 5.10 Competência absoluta Regime jurídico Formas de impugnação 5.11 Causas modificativas da competência 5.12 Conexão e continência 5.13 Prevenção. 5.1 Conceito É preciso estabelecer, desde logo, a diferença entre jurisdição e competência, de modo que se compreenda este último conceito que, embora seja extremamente vinculado ao de jurisdição, deste é substancialmente diferenciado. Jurisdição é a função do Estado, decorrente de sua soberania, de resolver os conflitos, na medida em que a ela sejam apresentados, em lugar daqueles que no conflito estão envolvidos, através da aplicação de uma solução contida no sistema jurídico. Enquanto se trate de uma das formas de exercício do poder do Estado, a jurisdição é una. Como função do poder estatal, a jurisdição é exercida sobre todos os súditos do Estado, de forma abrangente sobre todo o território nacional. Esse exercício em todo o território da Nação implica necessidade de organização e de divisão de trabalho entre os membros que compõem o Poder Judiciário, o que faz com que a função de exercer a jurisdição seja distribuída entre diversos órgãos, a partir de alguns critérios.

8 Competência 137 São justamente as normas de competência que atribuem concretamente a função de exercer a jurisdição aos diversos órgãos da jurisdição, pelo que se pode conceituá-la como instituto que define o âmbito de exercício da atividade jurisdicional de cada órgão dessa função encarregado. Daí não ser feliz a imagem criada por alguns autores, no sentido de que a competência seria a medida da jurisdição, como se os órgãos do Poder Judiciário exercessem apenas parte da jurisdição. Na verdade, quando, a partir das regras de competência, se determina que um determinado órgão do Poder Judiciário deva exercer a jurisdição, este o fará integralmente. Importante ressaltar, neste passo, que competência é atribuição do órgão jurisdicional e não do agente Competência internacional A primeira observação que se deve inexoravelmente fazer é a de que, na verdade, aqui se está diante de um problema de jurisdição e não de competência, como diz a lei. Isto porque, como vimos no item anterior, as regras de competência são aquelas segundo as quais há uma espécie de divisão de trabalho entre os órgãos de um mesmo Poder Judiciário. Todos têm jurisdição: o que as normas de competência fazem é determinar em que momento e sob quais circunstâncias devem exercê-la. Não se pode, a não ser por uma analogia imperfeita, usar a expressão competência para tratar dos fenômenos abaixo descritos. A jurisdição é uma das funções do poder do Estado que, ao lado das funções legislativa e de administração, compõem a estrutura democrática de exercício dos poderes inerentes à soberania. Cada Estado, no contexto internacional, é detentor de soberania, razão pela qual a jurisdição, como expressão do poder dela decorrente, encontra natural barreira nas jurisdições dos demais Estados. Em razão disso, há regras que disciplinam a necessidade de convivência da jurisdição, ou seja, da atividade jurisdicional de um Estado diante de atividade de mesma índole nos demais Estados. O legislador brasileiro criou um sistema de normas para disciplinar essa matéria, com base em critérios capazes de definir, em razão de opção legislativa, os limites da jurisdição estrangeira em face da jurisdição nacional. Definiu também o legislador brasileiro hipóteses em que somente se admitem decisões proferidas por juízos nacionais Regra mantida no PNCPC, art No PNCPC, as regras atinentes à jurisdição e à cooperação internacional estão previstas nos arts. 21 a 25. Caberá também à autoridade brasileira processar e julgar as ações de

9 138 Curso Avançado de Processo Civil Competência exclusiva O art. 89 do CPC 3 dispõe a respeito de algumas ações em que o juiz brasileiro (isto é, o Poder Judiciário brasileiro) é o único competente para conhecer e julgar. Segundo essa regra, será competente o juiz brasileiro (isto é, estará habilitado ao exercício da jurisdição), com exclusão de qualquer outro, para julgar ações que digam respeito a imóveis situados no território brasileiro, e para proceder a inventário e partilha de bens que estejam localizados no Brasil, mesmo que o falecido seja estrangeiro e tenha residido fora do território nacional. Note-se que, com a Lei /2007, se todos os herdeiros forem capazes e não tiverem divergências quanto ao inventário e à partilha, esses atos podem ser realizados junto a tabelião, mediante escritura pública (conforme nova redação do art. 982). Mas, mesmo nessas hipóteses que ora são de competência extrajudicial, continua existindo a proibição de que o inventário e partilha de bens aqui localizados faça-se por autoridade (judicial ou extrajudicial) estrangeira. Isto significa, na ordem prática, que, no Brasil, não se reconhece sentença acerca destas matérias proferida por juiz estrangeiro Competência concorrente O art. 88 do CPC 4 trata daquilo que a doutrina denomina de competência concorrente, pois dispõe sobre casos em que não houve a exclusão do juiz estrangeiro, tanto podendo, pois, ser instaurada ação a respeito desses casos perante juiz brasileiro quanto diante de juiz estrangeiro. Essas ações são aquelas em que o réu, independentemente de sua nacionalidade, tenha domicílio no Brasil (inciso I), aquelas a respeito de obrigação que deva ser cumprida no Brasil (inciso II), e as ações decorrentes de fato praticado no Brasil (inciso III). Nestas hipóteses, o Código determina que não há litispendência (art ). Isto quer dizer que o fato de certa ação estar em curso em país estranalimentos (quando o credor tiver seu domicílio ou residência no Brasil ou o réu mantiver vínculos pessoais ou reais no Brasil), relações de consumo (quando o credor tiver domicílio ou residência no Brasil) e nos casos em que as partes, tácita ou expressamente, escolherem a jurisdição brasileira. Ainda, há um capítulo próprio no PNCPC que trata da cooperação jurídica internacional (arts. 26 a 41 regida por tratado ou via diplomática), cujos pedidos serão executados por carta rogatória, ação de homologação de sentença estrangeira e auxílio direto (art. 28). 3. Regra prevista no PNCPC, art. 23, acrescentando-se, ainda, a competência exclusiva da autoridade brasileira para proceder, em matéria de sucessão hereditária, à confirmação de testamento particular. 4. Regra mantida no PNCPC, art Regra prevista no PNCPC, art. 24, com ressalva às disposições em contrário estabelecidas em tratados internacionais e em acordos bilaterais em vigor no país. Esse dispositivo

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO OBJETIVOS DA DISCIPLINA PROGRAMA DA DISCIPLINA 1 PLANO DE ENSINO TEORIA GERAL DO PROCESSO (JUR1060) CARGA HORÁRIA 60h/a (teórica) CRÉDITOS 4 2º semestre/2015-1 Professora Mestra Waleska Mendes Cardoso OBJETIVOS DA DISCIPLINA Compreender que a intervenção

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Direito Processual Civil

Leia mais

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito processual civil. 42. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2005. v. 1.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Curso de Direito processual civil. 42. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2005. v. 1. ÁREA 5 DIREITO PROCESSUAL CIVIL, I, II, III, IV, V e VI DIREITO PROCESSUAL CIVIL I Sujeitos do processo. Litisconsórcio. Intervenção de terceiros. Petição inicial. Causa de pedir. Pedido. Citação. Atos

Leia mais

AQUISIÇÕES MARÇO/ABRIL

AQUISIÇÕES MARÇO/ABRIL AQUISIÇÕES MARÇO/ABRIL NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de direito penal: parte geral e parte especial. 7.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011. 1151 p. AZEVEDO, Álvaro Villaça. Estatuto da família

Leia mais

DISCIPLINA: Direito Processual Civil IV. CH total: 72h. SEMESTRE DE ESTUDO: 8º Semestre

DISCIPLINA: Direito Processual Civil IV. CH total: 72h. SEMESTRE DE ESTUDO: 8º Semestre DISCIPLINA: Direito Processual Civil IV CH total: 72h SEMESTRE DE ESTUDO: 8º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CÓDIGO: DIR137 1. EMENTA: Aspectos gerais da execução. Liquidação de sentença. Execução de

Leia mais

Curso: Direito Carga Horária: 80 Departamento: Direito Processual Civil Área: Público PLANO DE ENSINO

Curso: Direito Carga Horária: 80 Departamento: Direito Processual Civil Área: Público PLANO DE ENSINO Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Prática Jurídica I Curso: Direito Carga Horária: 80 Departamento: Direito Processual Civil Área: Público PLANO DE ENSINO EMENTA Petição inicial. Requisitos.

Leia mais

CURSO DE DIREITO PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

CURSO DE DIREITO PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA CURSO DE DIREITO PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA 1) IDENTIFICAÇÃO Código DIR269 Nome DIREITO PROCESSUAL CIVIL I Créditos 04 Carga horária total 68 horas/aula (17 aulas) Semestre letivo 1.º/2012 Professor

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINA: NPJ II NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA II FAMÍLIA - 1ª Instância (3 Créditos) (Grade 2008) PERÍODO: 6 SEMESTRE Noturno/Matutino

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINA: NPJ I NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA I Jurisdição Civil Especial de 1ª Instância PERÍODO: SEMESTRE Noturno/Matutino DEPARTAMENTO:

Leia mais

Curso de Direito. Prof. Me. Heitor Miranda Guimarães

Curso de Direito. Prof. Me. Heitor Miranda Guimarães 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DOM BOSCO Curso de Direito Prof. Me. Heitor Miranda Guimarães Disciplinas na UCDB: - Direito Processual Civil I, II, III, IV e V - Estágio Supervisionado (NUPRAJUR - 9.º e 10.º

Leia mais

PLANO DE CURSO 2010/2

PLANO DE CURSO 2010/2 Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL II PROFESSOR: BRUNO ALBINO RAVARA TURMA: 2º ANO INTEGRAL PLANO DE CURSO

Leia mais

AS REGRAS DE DIVISÃO DO ÔNUS DA PROVA DEVEM LI- MITAR OS PODERES INSTRUTÓRIOS DO JUIZ?

AS REGRAS DE DIVISÃO DO ÔNUS DA PROVA DEVEM LI- MITAR OS PODERES INSTRUTÓRIOS DO JUIZ? REVISTA DA ESMESE, Nº 04, 2003 - DOUTRINA - 117 AS REGRAS DE DIVISÃO DO ÔNUS DA PROVA DEVEM LI- MITAR OS PODERES INSTRUTÓRIOS DO JUIZ? Flávia Moreira Pessoa, Juíza do Trabalho Substituta (TRT 20ª Região),

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no3.355 de 05/12/02-DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Direito Processual Civil IV Código:DIR-000 CH Total: 60h Pré-requisito: Direito Processual

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS ANEXO 23 DO EDITAL 143/2011-PRH CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR NÃO-TITULAR DEPARTAMENTO DE DIREITO PRIVADO E PROCESSUAL Área de conhecimento: DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROGRAMA DE PROVA 1. Métodos alternativos

Leia mais

DISCIPLINA: Direito Processual Civil II SEMESTRE DE ESTUDO: 6º Semestre. CH total: 72h

DISCIPLINA: Direito Processual Civil II SEMESTRE DE ESTUDO: 6º Semestre. CH total: 72h DISCIPLINA: Direito Processual Civil II SEMESTRE DE ESTUDO: 6º Semestre TURNO: Matutino / Noturno CH total: 72h CÓDIGO: DIR130 1. EMENTA: Direito probatório. Audiência de instrução e julgamento. Antecipação

Leia mais

PLANO DE CURSO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO: DIREITO PROCESSUAL COLETIVO

PLANO DE CURSO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO: DIREITO PROCESSUAL COLETIVO PLANO DE CURSO DIREITO PROCESSUAL CIVIL BRASILEIRO: DIREITO PROCESSUAL COLETIVO MARCELO ZENKNER Professor da Faculdade de Direito de Vitória, Espírito Santo, Brasil UNIDADES CONTEÚDOS OBJETIVOS TÉCNICA

Leia mais

DESCRIÇÃO DE DISCIPLINA

DESCRIÇÃO DE DISCIPLINA Do Processo de Conhecimento 44 horas/aula O Processo de Conhecimento: Jurisdição Da Ação Das Partes Dos atos Processuais Da Propositura da Ação - Meios de Defesa IncidentesProcessuais Da Formação e Extinção

Leia mais

CURSO DE DIREITO. B. Quanto ao momento: principal ou adesivo. C. Quanto à fundamentação: livre ou vinculada

CURSO DE DIREITO. B. Quanto ao momento: principal ou adesivo. C. Quanto à fundamentação: livre ou vinculada CURSO DE DIREITO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO MÓDULO: TÓPICOS GERAIS DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL II PROFª DRª MONICA LUCIA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE DUARTE MARIZ-NÓBREGA EMENTA: Teoria Geral dos Recursos e

Leia mais

20/04/2005 TRIBUNAL PLENO V O T O. Senhor Presidente, que a requisição de bens e/ou serviços, nos

20/04/2005 TRIBUNAL PLENO V O T O. Senhor Presidente, que a requisição de bens e/ou serviços, nos 20/04/2005 TRIBUNAL PLENO MANDADO DE SEGURANÇA 25.295-2 DISTRITO FEDERAL V O T O O SENHOR MINISTRO CELSO DE MELLO: Ninguém ignora, Senhor Presidente, que a requisição de bens e/ou serviços, nos termos

Leia mais

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito

Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Escola Paulista de Direito EPD Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito O NOVO CONCEIITO DE SENTENÇA Especialização: Direito Civil e Processual Civil Especializandos: Thiago Martinelli de Vergueiro

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL II PROFESSOR: RAPHAEL BOLDT DE CARVALHO TURMA: 6 AM PLANO DE CURSO 2012/2

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Processual Civil I

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Processual Civil I COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Processual Civil I Código: DIR- 364 Pré-requisito: Teoria Geral do Processo Período

Leia mais

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM Programa de Capacitação em Poder Judiciário.

Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM Programa de Capacitação em Poder Judiciário. Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENFAM Programa de Capacitação em Poder Judiciário (aperfeiçoamento) 1. Identificação do Requerente Escola: Escola Superior da Magistratura

Leia mais

Sugiro a seguinte ordem:

Sugiro a seguinte ordem: BIBLIOGRAFIAS Para concursos jurídicos em geral, a primeira providência do candidato é conhecer o Direito constitucional e Teoria geral do direito. Para isso é importante ler o texto constitucional integralmente,

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA Lista de Compra de Livros - 1º Semestre de 2016

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA Lista de Compra de Livros - 1º Semestre de 2016 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA Lista de Compra de Livros - 1º Semestre de 01 Cód. AUTOR TÍTULO EDITORA Tomo Vol. Ed./Ano Solicit. QTD. Compra_ 01 1 Organizador Constituição da República Federativa do

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS ÍNDICE Código Disciplina Página DIR 02-07411 Direito Constitucional I 2 DIR 02-07417 Direito Constitucional II 3 DIR 02-00609 Direito Constitucional III 4 DIR 02-00759 Direito

Leia mais

O Novo Processo Civil Brasileiro

O Novo Processo Civil Brasileiro FACULDADE 7 DE SETEMBRO CURSO DE DIREITO Grupo de Estudo e Pesquisa O Novo Processo Civil Brasileiro Professor Daniel Gomes de Miranda 20 de janeiro de 2014 SUMÁRIO TEMA... 3 JUSTIFICATIVA... 3 OBJETIVOS...

Leia mais

EMPRESAS DE PEQUENO PORTE. IMPOSSIBILIDADE DE DEMANDAREM NO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL. ABORDAGEM CONSTITUCIONAL

EMPRESAS DE PEQUENO PORTE. IMPOSSIBILIDADE DE DEMANDAREM NO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL. ABORDAGEM CONSTITUCIONAL EMPRESAS DE PEQUENO PORTE. IMPOSSIBILIDADE DE DEMANDAREM NO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL. ABORDAGEM CONSTITUCIONAL 9 FÁBIO COSTA SOARES 3 INTRODUÇÃO Trata-se de breve estudo sobre a norma do artigo 74 da Lei

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/02 Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL IV EXECUÇÃO CIVIL PROFESSOR: LUIZ GUSTAVO TARDIN

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2013

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2013 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2013 Disciplina: Direito Processual Civil II Departamento V Direito Processual Civil Docente Responsável: Profa. Iris Pedrozo Lippi Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo:

Leia mais

FGV DIREITO RIO GRADUAÇÃO Coordenação de Ensino

FGV DIREITO RIO GRADUAÇÃO Coordenação de Ensino DISCIPLINA: TÓPICOS EM PROCESSO CIVIL PÚBLICO E PRIVADO PROFESSOR: CLAUDIA RIBEIRO PEREIRA NUNES CARGA HORÁRIA: 60h DISCIPLINA ELETIVA EMENTA Bloco I Fundamentos dos Procedimentos do CPC Bloco II Análise

Leia mais

COMUNICADO. Fonte de Consulta. BARROSO, Luís Roberto. Curso de direito constitucional contemporâneo. 2ª edição. São Paulo: Saraiva, 2010.

COMUNICADO. Fonte de Consulta. BARROSO, Luís Roberto. Curso de direito constitucional contemporâneo. 2ª edição. São Paulo: Saraiva, 2010. ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESPÍRITO SANTO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO COMUNICADO A MESA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO. Reconhecimento renovado pela portaria MEC nº 608 de 19.11.13, DOU de 20.11.13 PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO. Reconhecimento renovado pela portaria MEC nº 608 de 19.11.13, DOU de 20.11.13 PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Reconhecimento renovado pela portaria MEC nº 608 de 19.11.13, DOU de 20.11.13 Componente Curricular: Direito Processual Civil III Código: DIR-465 CH Total: 60 horas Pré-requisito:

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida,

Leia mais

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO CAS Nº 32/2010 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA.

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO CAS Nº 32/2010 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. RESOLUÇÃO CAS Nº 32/2010 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS FEMA. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR, face ao disposto no Artigo

Leia mais

7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AMICO, Carla Campos. Inovações decorrentes da Lei n. 11.464/07. Boletim do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, n.º 176. São Paulo, 2007. BANDEIRA, Leonardo Costa. Do

Leia mais

AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS. RETIFICAÇÃO AO EDITAL Nº. 003/2015

AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS. RETIFICAÇÃO AO EDITAL Nº. 003/2015 RETIFICAÇÃO AO EDITAL Nº. 003/2015 No Edital nº. 003/2015, publicado no Diário Oficial do Estado nº. 2459 de 05/02/15, em Anexo IV Temas para prova didática, à fls. 11-13: 1. No anexo IV Temas para prova

Leia mais

1. Poder Judiciário - Manual. 2. Organização Judiciária. I. Título.

1. Poder Judiciário - Manual. 2. Organização Judiciária. I. Título. Tribunal de Justiça Estado de Mato Grosso do Sul 2011 3 Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul 2011 Parque dos Poderes - Bloco 13 CEP 79031-902 - Campo Grande - MS Telefone: (67) 3314-1300

Leia mais

. PROFESSOR (A) RESPONSÁVEL: ALEXANDRE LEOPOLDINO POLONIATO PLANO DE CURSO

. PROFESSOR (A) RESPONSÁVEL: ALEXANDRE LEOPOLDINO POLONIATO PLANO DE CURSO FIBRA Faculdade do Instituto Brasil Instituto Brasil de Ciência e Tecnologia Ltda I.B.C.T. BR 060/153, km 97, nº 3.400, B. São João, Anápolis/GO, CEP 75.133-050 Fone: (62) 3313-3500 Site: www.fibra.edu.br

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINA: NPJ I NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA I Jurisdição Comum Civil de 1ª Instância PERÍODO: SEMESTRE Noturno/Matutino DEPARTAMENTO:

Leia mais

O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO

O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO Prof. Claudiney Alessandro Gonçalves Professor do Curso de Direito da Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de

Leia mais

AQUISIÇÕES DE LIVROS 2013/2

AQUISIÇÕES DE LIVROS 2013/2 Anotações ao estatuto da advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil. BINI, Claudio; GUIMARO JUNIOR, Orlando; ATHAYDE, João Baptista de Souza Negreiros. Anotações ao estatuto da advocacia e da Ordem dos

Leia mais

REPERCUSSÃO GERAL DA QUESTÃO CONSTITUCIONAL

REPERCUSSÃO GERAL DA QUESTÃO CONSTITUCIONAL 1 REPERCUSSÃO GERAL DA QUESTÃO CONSTITUCIONAL Wilcinete Dias Soares 1 Resumo: O presente artigo, tem como objetivo, analisar o instituto da repercussão geral da questão constitucional no recurso extraordinário,inovação

Leia mais

Possibilitar ao estudante o conhecimento das noções básicas do processo civil, a partir do estudo sistematizado de seus principais institutos.

Possibilitar ao estudante o conhecimento das noções básicas do processo civil, a partir do estudo sistematizado de seus principais institutos. PROGRAMA DE DISCIPLINA I. Curso: DIREITO II. Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (D-20) Área: Ciências Sociais Período: Quarto Turno: matutino Ano: 2013.1 Carga Horária: 72 H; Créd.: 04 III. Pré-Requisito:

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador RENAN CALHEIROS

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador RENAN CALHEIROS PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem Presidencial nº 82, de 2012 (nº 403, 10 de setembro de 2012, na origem), que submete à aprovação do Senado Federal

Leia mais

EDITAL Nº 05/2012. Processo seletivo para a contratação de Professor

EDITAL Nº 05/2012. Processo seletivo para a contratação de Professor EDITAL Nº 05/2012 Processo seletivo para a contratação de Professor Artigo 1º - A Faculdade Guanambi, mantido pela CESG Centro de Educação Superior de Guanambi, com sede à Avenida Barão do Rio Branco,

Leia mais

Ementas das disciplinas do 4º período. DISICIPLINA: DIREITO EMPRESARIAL II (SOC. EMPRESARIAIS) C/H: 80h/a

Ementas das disciplinas do 4º período. DISICIPLINA: DIREITO EMPRESARIAL II (SOC. EMPRESARIAIS) C/H: 80h/a 1 DISICIPLINA: DIREITO EMPRESARIAL II (SOC. EMPRESARIAIS) C/H: 80h/a Teoria geral do direito societário. Sociedade empresária. Constituição das sociedades contratuais. Sociedades contratuais menores. Sociedade

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o EMENTA: 1. TEORIA GERAL DA EXECUÇÃO 2. PARTES NO PROCESSO DE EXECUÇÃO 3. COMPETÊNCIA 4. REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA REALIZAR QUALQUER EXECUÇÃO 5. FASE DE CUMPRIMENTO DE SENTENÇA 5.1 CUMPRIMENTO DE SENTENÇA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 017/2013 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO E/OU SUBSTITUTO A Universidade Federal do Acre,

Leia mais

XXXII ENCONTRO DO COPEDEM Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais de Magistratura CARTA DE FOZ DO IGUAÇU

XXXII ENCONTRO DO COPEDEM Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais de Magistratura CARTA DE FOZ DO IGUAÇU XXXII ENCONTRO DO COPEDEM Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais de Magistratura CARTA DE FOZ DO IGUAÇU O COLÉGIO PERMANENTE DE DIRETORES DE ESCOLAS ESTADUAIS DA MAGISTRATURA, reunido na

Leia mais

LISTA DE LIVROS NOVOS

LISTA DE LIVROS NOVOS LISTA DE LIVROS NOVOS ADMINISTRAÇÃO Autor: CHIAVENATO, Idalberto Título: Introdução à teoria geral da administração Edição: 4. ed Local: Barueri Editora: Manole. DIREITO ADMINISTRATIVO Título: Licitações

Leia mais

Quadro Efetivo de Orientadores e Linhas de Pesquisa 2007 2º Semestre CURSO DE DIREITO

Quadro Efetivo de Orientadores e Linhas de Pesquisa 2007 2º Semestre CURSO DE DIREITO Quadro Efetivo de Orientadores e Linhas de Pesquisa 2007 2º Semestre CURSO DE DIREITO PROFESSOR ORIENTADOR TITULO DISCIPLINAS LINHAS DE PESQUISA 1. Adriana da Costa Ricardo Schier Mestre 1. Direito Administrativo

Leia mais

ADITIVO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007

ADITIVO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 ADITIVO AO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N 001/2007 O Presidente da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João del-rei FAUF e o Prefeito Municipal de Ibirité, Antonio Pinheiro Júnior, faz saber

Leia mais

Nasceu a 15 de agosto de 1948, em Faxinal dos Guedes - SC, filho de

Nasceu a 15 de agosto de 1948, em Faxinal dos Guedes - SC, filho de Ministro Teori Albino Zavascki Traços Biográficos Nasceu a 15 de agosto de 1948, em Faxinal dos Guedes - SC, filho de Severino Zavascki e Maria Fontana Zavascki. Viúvo, possui três filhos: Alexandre Prehn

Leia mais

Inventário e Partilha - Judicial e Extrajudicial

Inventário e Partilha - Judicial e Extrajudicial 185 Inventário e Partilha - Judicial e Extrajudicial Considerações e Análise Comparativa Luiz Claudio Silva Jardim Marinho 1 INTRODUÇÃO O presente estudo objetiva trazer algumas breves considerações sobre

Leia mais

O ACESSO À JUSTIÇA POR MEIO DA DEFENSORIA PÚBLICA

O ACESSO À JUSTIÇA POR MEIO DA DEFENSORIA PÚBLICA ANAIS - I Congresso Norte Mineiro de Direito Constitucional - Outubro de 2015 ISSN 2447-3251- Montes Claros, MG-p. 1 O ACESSO À JUSTIÇA POR MEIO DA DEFENSORIA PÚBLICA BISPO, Bruno Henrique Câmara Acadêmico

Leia mais

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA RIBEIRO 5 ALEXANDRE FERREIRA DE MENEZES 6 ADALBERTO GOMES DA SILVA

Leia mais

AQUISIÇÕES FEVEREIRO E MARÇO 2014 Indicação de professores e alunos no 2º semestre de 2013

AQUISIÇÕES FEVEREIRO E MARÇO 2014 Indicação de professores e alunos no 2º semestre de 2013 AQUISIÇÕES FEVEREIRO E MARÇO 2014 Indicação de professores e alunos no 2º semestre de 2013 GRECO, Rogério. Código penal comentado. 8.ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014. GRECO, Rogério. Curso de

Leia mais

Direito Processual do Trabalho

Direito Processual do Trabalho Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito do Trabalho Direito Processual do Trabalho Carga Horária: 64 h/a 1- Ementa O curso

Leia mais

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Almancil, Loulé Horário n.º: 27-18 horas 2013-10-09 Grupo de Recrutamento: 420 - Geografia LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Ordenação Graduação

Leia mais

Ementas das disciplinas do 3º período

Ementas das disciplinas do 3º período 1 Disciplina: Direito Empresarial I (Teoria Geral) C/H: 080 H/A Teoria Geral. O Direito Comercial. Evolução Histórica. Fontes. Atividade empresarial. Regime Jurídico da livre iniciativa. Registro de empresa.

Leia mais

TRANSFERÊNCIA FDV 2011/1 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 3º PERÍODO

TRANSFERÊNCIA FDV 2011/1 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 3º PERÍODO Disciplina: TEORIA GERAL DO DIREITO 3º PERÍODO Pressupostos político-sociais do conhecimento jurídico-dogmático moderno. Dogmática Jurídica enquanto Teoria da Norma Jurídica. Dogmática Jurídica enquanto

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO

INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO INSTITUTO BRASILEIRO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Av. Brig. Luiz Antonio, 290 7º conjs. 71/72 01318-902 São Paulo SP Fone/fax: 3105-8206 Expediente das 13 às 18h E-mail: ibdt@ibdt.com.br DIREITO TRIBUTÁRIO Curso

Leia mais

A apreciação das provas no processo do trabalho

A apreciação das provas no processo do trabalho A apreciação das provas no processo do trabalho Ricardo Damião Areosa* I. Introdução Segundo Aroldo Plínio Gonçalves, processualista mineiro e juiz do trabalho, Nulidade é a conseqüência jurídica prevista

Leia mais

Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Ciências Penais

Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Ciências Penais Faculdade de Direito Milton Campos Reconhecida pelo Ministério da Educação Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Ciências Penais Direito Processual Penal (Ritos) Carga Horária: 28 H/A 1 -Ementa A atual

Leia mais

1º Ciclo 1ª Categoria. 5.º Campeonato Regional de Jogos Matemáticos. Classificação Nome Escola 1º 9 Vasco Batista. 2º 2 Rodrigo de Carvalho F.

1º Ciclo 1ª Categoria. 5.º Campeonato Regional de Jogos Matemáticos. Classificação Nome Escola 1º 9 Vasco Batista. 2º 2 Rodrigo de Carvalho F. 1º 9 Vasco Batista Matriz 2º 2 Rodrigo de Carvalho F. Junior y 3º 7 Beatriz Cunha São Roque 4º 1 Isabel Maria C. R. da Ponte Medina y 5º 5 Maria João Cabral 6º 4 Ângela Oliveira 7º 6 Letícia Rego 8º 3

Leia mais

(querela nullitatis) Ação de nulidade da sentença. Capítulo X

(querela nullitatis) Ação de nulidade da sentença. Capítulo X Capítulo X Ação de nulidade da sentença (querela nullitatis) A decisão judicial existente pode ser impugnada, basicamente, por dois meios de impugnação: o recurso e a ação rescisória. Esses meios servem

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE/2013. Curso DIREITO

PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE/2013. Curso DIREITO Disciplina DIREITO ELEITORAL Professor(a) Curso DIREITO Turno/Horário NOTURNO 5ª 19h00-20h40 Turma: GILBERTO KENJI FUTADA Carga Horária Semanal 02h Carga Horária Semestral 36h Teórica Prática Total Teórica

Leia mais

A contestação no Projeto do Novo Código de Processo Civil. Autor: João Pedro Ruppert Krubniki - jprkrubniki@gmail.com

A contestação no Projeto do Novo Código de Processo Civil. Autor: João Pedro Ruppert Krubniki - jprkrubniki@gmail.com A contestação no Projeto do Novo Código de Processo Civil Autor: João Pedro Ruppert Krubniki - jprkrubniki@gmail.com Orientadora: Adriana Timóteo dos Santos Zagurski - Professora do departamento de direito

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

ESPÉCIES DE TUTELA JURISDICIONAL

ESPÉCIES DE TUTELA JURISDICIONAL ESPÉCIES DE TUTELA JURISDICIONAL Maria Cristina Zainaghi Resumo: Neste trabalho pretendemos trazer, em breve relato, as espécies de provimento jurisdicionais, inclusive abordando as tutelas diferenciadas,

Leia mais

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 08 18 14 18 14 4 2 2 Complementação Total Acumulado 08 26 42 60 76 80

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares 08 18 14 18 14 4 2 2 Complementação Total Acumulado 08 26 42 60 76 80 Intificação Plano Ensino Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I Ano/semestre: 2012-01 Carga horária: Total: 80H Semanal: 4H Professor: DANIEL BRIGE Período/turno 3º MAT (A e B) E NOT (A)

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES 23

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES 23 DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕES 23 23.1. Conceito. Fundamento: conforme a dicção do art. 2.002, os herdeiros que receberam doações do ascendente comum, estão obrigados a conferir seus valores, para

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 Introdução ao Direito Processual

Leia mais

A repercussão geral como pressuposto de admissibilidade no recurso extraordinário

A repercussão geral como pressuposto de admissibilidade no recurso extraordinário 1 A repercussão geral como pressuposto de admissibilidade no recurso extraordinário Alencar Frederico (*) Sumário. 1. Introdução; 1.1. Generalidades sobre o recurso extraordinário; 1.2. Os requisitos comuns

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO S/A EPTC CONCURSO PÚBLICO 01/2007

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO S/A EPTC CONCURSO PÚBLICO 01/2007 CARGO: ADVOGADO PROGRAMA RETIFICADO EM 12/12/2007 DIREITO ADMINISTRATIVO 1. Direito Administrativo: conceito, abrangência, origem e evolução histórica. 2. Administração Pública: conceito, abrangência.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE DIREITO PROF. JACY DE ASSIS DIRETORIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE DIREITO PROF. JACY DE ASSIS DIRETORIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE DIREITO PROF. JACY DE ASSIS DIRETORIA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR SUBSTITUTO EDITAL 089/2011 Curso: Direito Área Prática Civil e Trabalhista

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO DIREITO DO TRABALHO BARROS, Alice Monteiro de. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo: LTr BOMFIM, Vólia. Direito do Trabalho. São Paulo: Método. DELGADO. Maurício Godinho. Curso de Direito do Trabalho..Direito

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO CURADOR ESPECIAL: INCAPAZ CONFLITO DE INTERESSES ISABEL SE OH (13/0050911) LUÍZA MALHEIRO (13/0032344)

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO CURADOR ESPECIAL: INCAPAZ CONFLITO DE INTERESSES ISABEL SE OH (13/0050911) LUÍZA MALHEIRO (13/0032344) UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE DIREITO CURADOR ESPECIAL: INCAPAZ CONFLITO DE INTERESSES ISABEL SE OH (13/0050911) LUÍZA MALHEIRO (13/0032344) BRASÍLIA, 19 DE OUTUBRO DE 2014. EMENTA Relativa ao

Leia mais

IBMEC/MG GRADUAÇÃO EM DIREITO PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE GRUPO DE ESTUDOS JUNTO À GRADUAÇÃO

IBMEC/MG GRADUAÇÃO EM DIREITO PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE GRUPO DE ESTUDOS JUNTO À GRADUAÇÃO IBMEC/MG GRADUAÇÃO EM DIREITO PROJETO DE DESENVOLVIMENTO DE GRUPO DE ESTUDOS JUNTO À GRADUAÇÃO ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO: TEORIA GERAL DO PROCESSO E DIREITO PROCESSUAL CIVIL COORDENAÇÃO: FLÁVIO QUINAUD PEDRON;

Leia mais

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL IMPOSSIBILIDADE JURÍDICA DO TRIBUNAL DO JURI NA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Jonas Guedes 1 Resumo: O tema abordado no presente artigo versará sobre a impossibilidade jurídica do Tribunal do Júri na Justiça

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Dr. Francisco José Rodrigues de Oliveira Neto. Segunda 10:10 h / terça 10:10 h

PLANO DE ENSINO. Dr. Francisco José Rodrigues de Oliveira Neto. Segunda 10:10 h / terça 10:10 h UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DEPARTAMENTO DE DIREITO Campus Universitário - Trindade - Caixa Postal 476 88040-900 - Florianópolis - Santa Catarina Fone: (048) 3721-9815

Leia mais

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS

CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL LISTA PROVISÓRIA DE ALUNOS SELECIONADOS CURSO: ANIMADOR SOCIOCULTURAL Adriana da Conceição Palhares Lopes Alexandra Rodrigues Barbosa Ana Salomé Lopes Queirós Andreia Dias da Costa Bianca Patricia Gonçalves Ramos Carina Filipa Monteiro Rodrigues

Leia mais

EDITAL PARA EXTRAORDINÁRIO APROVEITAMENTO NOS ESTUDOS 2011/2:

EDITAL PARA EXTRAORDINÁRIO APROVEITAMENTO NOS ESTUDOS 2011/2: FACULDADE DE DIREITO DA FUNDAÇÃO ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO Credenciada pela Portaria MEC n. 3.640, de 17/10/2005 DOU de 20/10/2005. CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO PÚBLICO Atendendo o disposto

Leia mais

TRÂNSITO EM JULGADO PARCIAL E AÇÕES RESCISÓRIAS MÚLTIPLAS. por FERNANDA FONKERT RAMOS. ORIENTADOR: Luciano Vianna Araújo 2009.2

TRÂNSITO EM JULGADO PARCIAL E AÇÕES RESCISÓRIAS MÚLTIPLAS. por FERNANDA FONKERT RAMOS. ORIENTADOR: Luciano Vianna Araújo 2009.2 PUC DEPARTAMENTO DE DIREITO TRÂNSITO EM JULGADO PARCIAL E AÇÕES RESCISÓRIAS MÚLTIPLAS por FERNANDA FONKERT RAMOS ORIENTADOR: Luciano Vianna Araújo 2009.2 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

COISA JULGADA INCONSTITUCIONAL

COISA JULGADA INCONSTITUCIONAL COISA JULGADA INCONSTITUCIONAL Por Marcelo Moura 1 1. Coisa Julgada - conceito Como ato estatal, imperativo, o pronunciamento jurisdicional definitivo produz os efeitos que a lei prescreve. Como um desses

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕSES 13

DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕSES 13 DIREITO CIVIL DIREITO DAS SUCESSÕSES 13 13.1. Interação do conceito: o legado é uma deixa testamentária dentro do acervo transmitido pelo autor da herança; o legado deve ser instituído por testamento,

Leia mais

Fornecer ao estudante uma visão global do processo de execução, no Brasil, especialmente da execução para a cobrança de crédito.

Fornecer ao estudante uma visão global do processo de execução, no Brasil, especialmente da execução para a cobrança de crédito. 1 de 7 06/02/2015 15:58 Detalhes da Disciplina Código JUR3313 Nome da Disciplina DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Carga Horária 60 Créditos 4 Ementa Objetivos Gerais Teoria Geral da Execução. Execução de Títulos

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE VIDEIRA SC CONCURSO PÚBLICO EDITAL 02/2009 ANEXO III CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE VIDEIRA SC CONCURSO PÚBLICO EDITAL 02/2009 ANEXO III CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS NÍVEL SUPERIOR E SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA A PROVA DE ADVOGADO Conhecimento Técnico Profissional Direito Previdenciário 1. Seguridade Social. Origem e evolução legislativa no Brasil. Conceituação.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO LICENCIATURA EM DIREITO (Língua Portuguesa) DIREITO E PROCESSO CRIMINAL (4.º Ano) COORDENADOR CIENTÍFICO: Professor Doutor Jorge de Figueiredo Dias ASSISTENTES:

Leia mais

Dados Básicos. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 0024552-06.2012.8.26.0100 Tipo: Acórdão CSM/SP Data de Julgamento: 07/02/2013 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:02/04/2013 Estado: São Paulo Cidade: São Paulo

Leia mais

Noções de Direito Internacional Privado Aula 01-2º Bimestre - 2015/B

Noções de Direito Internacional Privado Aula 01-2º Bimestre - 2015/B # Noções Introdutórias Noções de Direito Internacional Privado Aula 01-2º Bimestre - 2015/B Direito Internacional O direito internacional privado é o ramo do Direito, que visa regular os conflitos de leis

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/1 DISCIPLINA: DIREITO CONSTITUCIONAL II PROFESSOR: SERGIO ROBERTO LEAL DOS SANTOS TURMA: 4º

Leia mais

BIBLIOTECA CIÊNCIAS JURÍDICAS - NOVAS AQUISIÇÕES

BIBLIOTECA CIÊNCIAS JURÍDICAS - NOVAS AQUISIÇÕES BIBLIOTECA CIÊNCIAS JURÍDICAS - NOVAS AQUISIÇÕES 2014 Tributário SABBAG, Eduardo. Manual de direito tributário. 5.ed. São Paulo: Saraiva, 2013. CASSONE, Vittorio. Direito Tributário. 23.ed.São Paulo: atlas,2012.

Leia mais

VALOR DOS DIREITOS HUMANOS NO SISTEMA JURÍDICO BRASILEIRO

VALOR DOS DIREITOS HUMANOS NO SISTEMA JURÍDICO BRASILEIRO VALOR DOS DIREITOS HUMANOS NO SISTEMA JURÍDICO BRASILEIRO LUIZ FLÁVIO GOMES Professor Doutor em Direito penal pela Universidade de Madri, Mestre em Direito penal pela USP, Professor de Direito Penal na

Leia mais

A DEFESA DO DEVEDOR NO MICROSSISTEMA PROCESSUAL DO JUI- ZADO ESPECIAL CÍVEL E A LEI N 11.232/05

A DEFESA DO DEVEDOR NO MICROSSISTEMA PROCESSUAL DO JUI- ZADO ESPECIAL CÍVEL E A LEI N 11.232/05 A DEFESA DO DEVEDOR NO MICROSSISTEMA PROCESSUAL DO JUI- ZADO ESPECIAL CÍVEL E A LEI N 11.232/05 MARCO AURÉLIO MARTINS ROCHA ADVOGADO, ESPECIALISTA EM DIREITOS REAIS, JUIZ LEIGO A existência de título executivo

Leia mais

I ATOS E PORTARIAS DA DIREÇÃO DO FORO. 1) Portarias. 2) Ordens de Serviço

I ATOS E PORTARIAS DA DIREÇÃO DO FORO. 1) Portarias. 2) Ordens de Serviço PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1º GRAU SEÇÃO JUDICIÁRIA DA BAHIA Boletim Interno Informativo Nº 231/2005 Salvador, 30 de dezembro de 2005 (sexta-feira). TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO Presidente:

Leia mais

UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito

UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito 563 UMA CRÍTICA À TEORIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: A possibilidade jurídica do pedido como questão de mérito Rafael Arouca Rosa (UNESP) Introdução Dentre as mudanças propostas no anteprojeto do novo Código

Leia mais