Nossos Parceiros. Fundação prada de assistência social. Fundação da Profissão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nossos Parceiros. Fundação prada de assistência social. Fundação da Profissão"

Transcrição

1 Nossos Parceiros Fundação prada de assistência social Fundação da Profissão

2 Índice 05 Equipe 12 educandário dom duarte 06 apresentação 22 receitas 07 Princípios organizacionais 23 gestão financeira 08 trabalho desenvolvido 26 apoiadores e parceiros 10 ceí s - Centros de educação infantil 27 voluntariado 28 registros oficiais 29 Endereços das Unidades

3 Equipe DIRETOR GERAL Arcebispo Metropolitano de São Paulo Dom Claudio Hummes ASSISTENTE ECLESIÁSTICO Monsenhor Dario Benedito Bevilacqua DIRETORIA EXECUTIVA (Gestão ) Presidente Maria Luiza d Orey Espírito Santo 1ª Vice-Presidente Ana Carolina Monteiro de Barros Matarazzo 2ª Vice-Presidente Maria Stella Moura Abreu Barroso de Siqueira 3ª Vice Presidente Maria Rita Tostes da Costa Bueno Diretora Secretaria Katalin Willy Diretora Financeira Rosalu Ferraz Fladt Queiroz Diretoras Executivas Maria Dulce Müller Carioba Sigrist Maria Helena Rodrigues Netto Figueiredo DIRETORIA VOLUNTÁRIA Alessandra Lombardi Antonina Vaz Guimarães Leme Carolina Ladeira Elizabeth Wells Thompson Scalamandre Feliciana Toledo Carvalho Dias Giselda Maria Botelho Junqueira Nani Jacqueline Jafet Nasser Lourdes Lopes Dias Soares Lucila Bueno Perdigão Margot Joan Naegeli Prada Margot Leopoldo e Silva de Carvalho Maria Amélia Pereira de Almeida Maria Aparecida Monteiro da Silva Diniz Maria de Lourdes Netto Velloso Maria Gabriela Franceschini Vaz de Almeida Maria Helena Maestre Gios Maria Lucia Madureira Padula Maria Luiza Guedes da Silva Carvalho Maria Therezinha Simões Nazarian Marina Assumpção Lassance Mônica Etchenique Reis Wally Foz CONSELHO EXECUTIVO José Eduardo Dias Soares Reynaldo Quartim Barbosa Figueiredo CONSELHO FISCAL Conselheiros Titulares Carlos Antonio Rossi Rosa Fábio Whitaker Vidigal Rosiane Pecora Conselheiros Suplentes Carlos Lopes Craide João da Cruz Vicente de Azevedo Luiz Otavio Reis de Magalhães COMITÊ IMOBILIÁRIO João da Cruz Vicente de Azevedo Jorge Prada José Eduardo Dias Soares Reynaldo Quartim Barbosa Figueiredo EQUIPE TÉCNICA Superintendente Alvino de Souza e Silva - Comunicação Alessandra Batista Financeiro Idio Fernandes - Informática Gilmar Pereira da Silva - Jurídico Hamilton Chacon - Recursos Humanos Daniel Rocha - Desenvolvimento Institucional - Captação de Recursos Marcia Pastore Suprimentos Wilson Alencar Figueiredo - Diretoria Educandário Dom Duarte Mario Martini - CEI s Centros de Educação Infantil Coordenação Pedagógica Nancy Coutinho - Coordenação Administrativa Satiko Motoyama Narita - Gestora dos Colégios Santa Amália Luiza Andrade e Silva Ferrari Mirza Laranja -

4 apresentação a cidade de São Paulo, onde nasceu a LIGA há 84 anos era pequena e tranqüila. Hoje temos uma das maiores cidades do mundo com realidades complexas e infelizmente enormes problemas sociais. No último levantamento realizado pela Fundação SEAD Sistema Estadual de Análise de Dados (Índice IPVS)* foi aferido que 3 milhões de pessoas vivem abaixo da linha de pobreza. O que exige das organizações sociais modelos de gestões participativas, agéis e dinâmicas. O nosso desafio é responder a este quadro com ética e eficiência. Na sua trajetória histórica a Liga das Senhoras Católicas de São Paulo, sempre fundamentou suas ações em valores essenciais, como Amor e Compaixão que continuam tão necessários hoje, quando de sua fundação. Nosso compromisso é continuar a nossa ação nesses mesmos valores em uma gestão participativa com o objetivo de garantir o futuro do nosso trabalho social. * Índice Paulista de Vulnerabilidade Social Presidente

5 princípios organizacionais MISSÃO CONTRIBUIR COM AÇÕES SOCIOEDUCATIVAS PARA CONSCIENTIZAR CRIANÇAS, JOVENS E ADULTOS DE SUA DIGNIDADE E DE SEU POTENCIAL TRANSFORMADOR VISÃO Tornar-se referência no Terceiro Setor pela excelência nos trabalhos sociais desenvolvidos, por parcerias estratégicas, eficácia e ética na gestão, qualidade e viabilidade econômica dos seus projetos. Otimização do patrimônio, assegurando consistência com a demanda e o compartilhamento, em rede, de conhecimento educacional. VALORES Ética Sustentabilidade Credibilidade Qualidade Ser agente de transformação Responsabilidade METAS ALCANÇADAS EM 2006: Profissionalização da gestão e da estrutura administrativa; Intensificação do relacionamento com a comunidade, governo e órgãos de classe; Maior eficácia operacional; Diminuição do conflito entre uma gestão profissional forte e o espírito de voluntariado; Criação de uma estrutura profissional e centralizada de Captação de Recursos; Capacitação continuada de educadores viabilizando a construção de ações pedagógicas adequadas e desafiadoras, que promovam o desenvolvimento das habilidades das crianças e jovens em busca de indivíduos mais conscientes.

6 TRABALHO DESENVOLVIDO A LIGA DAS SENHORAS CATÓLICAS DE SÃO PAULO é uma organização da sociedade civil de direito privado, de assistência social e fins filantrópicos, reconhecida de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal. A LIGA foi fundada em 1923 e, nestes 84 anos de ação ininterrupta, desenvolve programas de promoção humana e social atendendo crianças, jovens, idosos e famílias em situação de exclusão social, em diversas regiões de São Paulo. Regiões que a Liga abrange A LIGA recebeu por três vezes (1997, 2000 e 2006) o prêmio Bem Eficiente da Kanitz & Associados que reconhece publicamente as 50 entidades beneficentes melhor administradas do Brasil. Em 2006 a premiação teve um significado ainda maior, pois foram homenageadas as melhores organizações sociais da década. A LIGA está na 28ª posição dentre as 400 maiores entidades do Brasil, destacadas no Guia da Filantropia de 2002, também editado pela Kanitz & Associados. A LIGA procura adequar seu trabalho às necessidades e demanda das diversas comunidades que atende. Incorpora metodologias educacionais inovadoras, promove a integração com a comunidade e administra de maneira clara e eficaz, todos os seus recursos. Assim, os eixos de trabalho são: moradia (abrigo) e assistência integral a bebês, crianças e adolescentes abandonados ou de famílias em situação de risco; acompanhamento pós-desabrigamento; guarda em período integral, educação e alimentação para bebês e crianças; educação continuada com suporte escolar, esportes, artes e extensão curricular; formação profissional; atendimento psicossocial e grupos socioeducativos às famílias e à comunidade local; programa de inclusão, melhoria da auto-estima e qualidade de vida para a terceira idade; pólo de prevenção à violência doméstica contra a criança e o adolescente Atualmente, beneficia diretamente pessoas e cerca de 6 mil pessoas indiretamente.

7 Oferece dessa forma, oportunidade de educação de qualidade a centenas de crianças e adolescentes de São Paulo. Um trabalho que nasce da crença de que a educação é, por excelência, o meio de construção e de expressão da verdadeira cidadania. Desenvolve também um projeto educacional voltado para a construção gradual do conhecimento e preparo para o trabalho, em sintonia com os Parâmetros Curriculares Nacional e com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Todo este trabalho é feito por 725 colaboradores e 200 voluntários. A LIGA possui 6 unidades assistidas, sendo: 5 CEI s (CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL) 1 COMPLEXO EDUCACIONAL com 6 pro Curso de cabeleireiro prepara jovens para o mercado de trabalho Início da alfabetização realizada nos CEI s

8 CEÍ S - centros de educação infantil 10 o que é Atendimento em período integral com cinco refeições e atividades que favoreçam o desenvolvimento físico, emocional, intelectual e social para crianças. Este atendimento diferenciado de 9 horas diárias possibilita o acesso da família ao mercado de trabalho. objetivo As cinco creches atualmente denominadas Centros de Educação Infantil (CEI s), desenvolvem uma proposta de educação estruturada em 6 eixos: linguagem oral/escrita; música; artes visuais; movimento; natureza e sociedade; matemática, propostos pelos referenciais curriculares nacionais para a educação infantil. São eles: CEI Primeiros Passos CEI Primavera CEI Santo Antonio CEI São Cesário CEI Casa da Infância do Menino Jesus Atendimentos: 720 crianças Fila de Espera: 520 crianças Faixa etária: de 0 a 6 anos Custo LIGA: R$ 176,31 é o custo médio mensal por criança Convênio: R$ 153,31 é o valor per capita (média) pago pela Secretária Municipal de Educação realizações Encaminhamento da criança para o ensino fundamental com processo de alfabetização concluído. Resgate da importância da participação familiar no desenvolvimento dos filhos e maior conhecimento do trabalho realizado melhorando assim, a integração com os educadores. Educadora do CEI orientando atividade pedagógica Investimento na capacitação das equipes em cursos, palestras e seminários com: - Ateliê de Gravuras - Instituto Tomie Ohtake - Cursos sobre o papel do educador - Instituto Avisa-Lá - Cursos de Matemática e Alfabetização - Escola da Vila - Sensibilização Musical - Instituto Camargo Corrêa - Congresso Saber - Congresso Municipal de Educação

9 Crianças em processo de autonomia na alimentação Ampliação do Universo Cultural dos educadores com visitas: - Sala São Paulo / OSESP - Museu do Imigrante - Instituto Biológico - Museu da Língua Portuguesa Passeios com as crianças à Sala São Paulo, Parque das Hortênsias e Oficina de Recreação na Universidade São Marcos com o objetivo de aumentar o universo cultural e integrá-los à sociedade. Apresentação musical do Conjunto de Câmara da UN ESP Universidade Estadual Paulista para as crianças do CEI Casa da Infância. ECA Estatuto da Criança e do Adolescente Art. 53º A criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho, assegurando-se-lhes: I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; II - direito de ser respeitado por seus educadores; III - direito de contestar critérios avaliativos, podendo recorrer às instâncias escolares superiores; IV - direito de organização e participação em entidades estudantis; V - acesso a escola pública e gratuita próxima de sua residência. Parágrafo Único - É direito dos pais ou responsáveis ter ciência do processo pedagógico, bem como participar da definição das propostas educacionais. Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional lei 9394/96 de dezembro de 1996 Estabelece a s bases da educação nacional, além garantir a todo cidadão o acesso ao sistema educacional. Seção II - Da Educação Infantil Art. 29. A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. Art. 30. A educação infantil será oferecida em: I - creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três anos de idade; II - pré-escolas, para as crianças de quatro a seis anos de idade. Art. 31. Na educação infantil a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental. Higiene básica como aprendizado 11

10 EDUCANDÁRIO DOM DUARTE (EDD) O que é O Educandário Dom Duarte (EDD) é um complexo educacional que ocupa uma área de mais de 470 mil m², localizado no distrito de Raposo Tavares, onde são desenvolvidos os seguintes programas socioeducacionais: Programa Religar Programa Ideal Programa Qualificação Profissional Abrigo Esperança e Passos Núcleo Solidário Programa Crescer PERFIL DA REGIÃO O distrito Raposo Tavares, situa-se na periferia da região oeste do município de São Paulo e abrange 27 bairros. Dos habitantes, o distrito apresenta uma população de pessoas que representam 15,60% da população distribuída nas regiões de alta e muito alta vulnerabilidade (5, 6) 2. Do total da população, 34% são alfabetizados com, no máximo, o ensino fundamental e somente 2,6% da população possui nível superior. Do total de pessoas responsáveis pelos domicílios, nota-se que 30% são mulheres. O número de escolas, creches e postos de saúde da região são insuficientes para o atendimento da demanda, refletindo a baixa escolaridade e conseqüentemente o despreparo para o enfrentamento das condições sociais. O desemprego e a falta de opções de lazer e cultura contribuem ainda mais para a exclusão social. Diante do panorama social do distrito Raposo Tavares, o Educandário Dom Duarte é referência para a comunidade local e contribui para o crescimento sociocultural da população. 2 Conforme descrição do nível de vulnerabilidade medida pelo Índice Paulista de Vulnerabilidade Social da Fundação SEADE, mil refeições servidas ao ano no Refeitório Central do EDD mil m 2 de espaço em prol da comunidade

11 PROGRAMA RELIGAR o que é Promoção de suporte social às famílias da comunidade e dos jovens que freqüentam o EDD na busca de mais autonomia para acompanhar e estimular o desenvolvimento afetivo e cognitivo de seus filhos; fortalecer sua auto-estima e sua estrutura familiar; encontrar alternativas de geração de renda e fortalecer o exercício de sua cidadania de forma significativa e consciente. objetivo Sensibilizar as famílias atendidas para que se apoderem da educação como bem social e forma de inclusão. Busca fortalecer, na comunidade, o compromisso e a responsabilidade nas ações educativas desenvolvidas pelas crianças e jovens. O trabalho no Programa Religar é organizado em seis núcleos com as seguintes ações: Plantão psicossocial: orientação e encaminhamento para a área da saúde, educação e jurídica; Grupo Serenidade (Terceira Idade): melhoria na qualidade de vida do grupo, propiciando um envelhecimento saudável com cursos de: ginástica, fisioterapia preventiva, artesanato, coral e dança; Alfabetização de adultos: oferece oportunidade de inserção do adulto no universo da leitura e escrita; Grupo de convivência: alternativa de geração de renda e fortalecimento do exercício da cidadania para donas de casa; Organização Comunitária: Organização de times de futebol para a integração e aproximação dos pais na vida do seu filho; Realização de eventos culturais e sociais: atividades socioculturais para promoção da integração da comunidade. REALIZAÇÕES 180 encaminhamentos e orientações realizadas durante o ano Trimestralmente são realizados passeios cujo objetivo é a ampliação do universo cultural e maior integração do grupo de Terceira Idade. Reunem-se em média 100 idosos nos passeios realizados durante o ano. Ampliação de uma sala de alfabetização para o período noturno com mais 15 novos alunos. Realização de eventos com o objetivo de aumentar a integraçâo dos participantes, o entretenimento através de atividades culturais e de lazer, e a expansão do convívio saudável para o público atendido e a comunidade em geral. Foram realizados 4 grandes eventos em 2006: Dia internacional da Mulher, Dia da Consciência Negra, Semana Cultural do Idoso e Baile em homenagem à semana do idoso. Aula de ginástica do Grupo Serenidade Atendimentos: 550 núcleos familiares Faixa etária: adultos até a Terceira Idade Convênio: Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social 13

12 AÇÃO FAMÍLIA Viver em Comunidade O que é É o programa criado pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) que chega até a casa das famílias mais vulneráveis da cidade para promover o fortalecimento, a emancipação e a inclusão social. e deveres e o empreendedorismo são valores transversais, que perpassam todas as dimensões do programa. No CRAF são realizadas: visitas domiciliares; reuniões socioeducativas; atendimentos individuais; oficinas de capacitação: culinária, artesanato e informática; atividade de convivência; implantação de comissão local mil pessoas reunidas na Festa de Confraternização do CRAF - Raposo Tavares A Liga das Senhoras Católicas é uma das 19 organizações sociais que gerenciam os Centros de Referência do Ação Família (CRAFs), que atendem as famílias nos distritos onde o Programa foi implantado. Cada CRAF conta com a atuação de uma equipe de profissionais composta por Assistente Social, Psicólogo e Agente de Proteção Social (APS). A família integrada ao programa participa de cursos, palestras, oficinas, eventos para fortalecer as potencialidades da família em três dimensões do programa: Vida em família, Família na comunidade e Vida de direitos e deveres. As dimensões são abordadas a partir de exemplos do dia-a-dia e articuladas com os eixos de saúde, educação, trabalho, justiça, habitação, cultura, lazer e esportes. Além disso, a promoção de direitos Objetivos Assegurar proteção social integral a famílias residentes nos setores com índice de alta e muito altas vulnerabilidade social, de acordo com índice Paulista de Vulnerabilidade Social (IPVS), da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). Desenvolver diferentes capacidades e potencialidades, propiciando ganhos de autonomia e melhoria sustentável da qualidade de vida dos integrantes. Promover ações articuladas com diversas secretarias municipais e demais órgãos, contribuindo para a consolidação da intersetorialidade. Fortalecer e incentivar a participação social e o desenvolvimento comunitário, por meio do acesso à rede de serviços públicos governamentais e não-governamentais de atendimento social. Contribuir para a articulação e a integração de projetos, serviços e benefícios desenvolvidos pelo próprio programa e pelos órgãos conveniados (CRAFs, SAS, Secretarias Municipais, entre ou tros). Facilitar o acesso às políticas sociais, fortalecendo a autonomia das famílias, por meio do sustento próprio e da convivência com a comunidade. Assegurar o atendimento na rede de serviços públicos. Priorizar a inclusão nos programas de transferência de renda.

13 REALIZAÇÕES Iniciado em janeiro de 2006, o programa aumentou do grau de conhecimento da realidade vivida pela comunidade local e fortaleceu a importância do trabalho do EDD para o desenvolvimento das capacidades e potencialidades dos moradores da região. Presença de 2000 pessoas na Confraternização de final de ano, comprovando assim a importância do programa para as famílias beneficiadas. Para mais informações sobre o Programa Ação Família acesse o site: Distrito Raposo Tavares População total: (37,4% em alta ou muito alta vulnerabilidade) Famílias Atendidas: Territórios escolhidos: Favela São Jorge/Arpoador, Favela Jardim Uirapuru, São Jorge e Cambará Situação: A maior parte da região é formada por conjuntos habitacionais e casas erguidas pelos próprios moradores. O serviço de lixo atende todos os bairros e 6,6% dos domicílios não têm esgoto. As ruas são asfaltadas, mas faltam recursos de educação, lazer, leitos de saúde e transporte. Os trabalhadores que ganham até cinco salários mínimos representam 21,3% do mercado formal de trabalho da região e 30% dos responsáveis pelos domicílios são mulheres. PÓLO DE PREVENÇÃO À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE o que é Programa que contribui para capacitação e atendimento às vítimas da violência doméstica e oferece ferramentas para o mapeamento, registro dos atendimentos, encaminhamentos e intervenções às vítimas. objetivo Por meio do trabalho em conjunto das coordenadoras dos programas Religar e Ideal, multiplicar o conhecimento para os demais programas do EDD, oferecendo recursos aos educadores para que possam reconhecer e intervir nestas situações de dano, conseguir registro real do número de ocorrências da região, mudar a atitude das crianças, jovens e suas famílias frente às situações de violência e proporcionar conhecimento efetivo por parte de todos do Estatuto da Criança e do Adolescente. Promoção de Intercâmbio de profissionais para a contínua sensibilização sobre o tema. Melhor identificação dos casos. Presença forte do diálogo na resolução dos conflitos do cotidiano. Acompanhamento e supervisão de casos. Maior conscientização do problema da violência familiar. Fortalecimento das parcerias de encaminhamento (Polícia Militar, Unidade Básica de Saúde) REALIZAÇÕES Atendimento sistemático aos 16 grupos de crianças e jovens do Programa Ideal com atividades semanais monitoradas por um profissional habilitado. 15

14 PROGRAMA IDEAL (Informação Desenvolvimento Educação Artes Lazer) O que é Um espaço de educação complementar à escola formal com atividades culturais, esportivas, sociais, cuidado com a saúde, higiene, alimentação e apoio às famílias. objetivo Ser um local de educação que amplie o conjunto de experiências humanas (conhecer, conviver, fazer, ser) e que promova o desenvolvimento das capacidades biológicas, psíquicas e sociais das crianças e jovens para a formação de indivíduos conscientes, responsáveis por suas escolhas e capazes de modificar o meio em que estão inseridos. Atendimentos: 370 crianças e jovens Faixa etária: de 6 a 15 anos Custo LIGA: R$ 213,22 é o custo médio mensal por criança atendida Convênio: R$ 99,25 é o valor per capita (média) pago pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social REALIZAÇÕES Atendimento personalizado por educadores de referência que trabalham no fortalecimento do vínculo afetivo, social e cultural dos 16 grupos atendidos. Crianças autônomas construindo projetos para viabilizar captação de recursos para passeios. Princípios norteadores do programa A proposta pedagógica do Programa Ideal é baseada nos Quatro Pilares para a educação do séc.xxi, Relatório da Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, escrito por Jacques Delors, que prioriza a importãncia de aprender a conhecer, aprender a conviver, aprender a fazer e aprender a ser; Na Ética proposta por Edgar Morin e no PLAS - Plano de Assistência Social da Cidade de São Paulo, prevista na Lei Orgânica do Município no artigo 221; No ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente: Direito a vida e saúde; liberdade, respeito, dignidade; convivência familiar e comunitária; educação, cultura, esporte e lazer; direitos, prevenção. Relações fortalecidas, presença forte do diálogo na mediação de conflitos. Efetivação da parceria com as famílias no processo de educação das crianças, com 40% de participação nos encontros mensais com temas variados e terapia comunitária. Participação de grupos familiares na gestão do programa. Efetivação de parcerias com ampliação do atendimento aos sábados com aulas de pintura, dança e atendimento de psicologia para famílias. Passeios: Sala São Paulo, Redescobrindo o Centro de São Paulo, 7º Encontro Nacional dos Índios brasileiros em Bertioga, Cemucam e Parque das Hortênsias. 16

15 PROGRAMA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (QP) O que é Cursos profissionalizantes para jovens em 6 diferentes áreas. Ênfase no desenvolvimento da autonomia e do espírito empreendedor, com monitoriamento de empregabilidade e estágios. objetivo Proporcionar capacitação técnica por meio de cursos de habilidades específicas, para jovens de ambos os sexos, tendo em vista o desenvolvimento integral, facilitando o acesso do jovem ao mercado de trabalho. São oferecidos cursos de cabeleireiro, técnicas administrativas, confeitaria, arte culinária, panificação e suporte técnico e manutenção em microcomputadores, permeados por reflexões sobre os fundamentos da formação humana integral, gestão de negócios, informática, atividades culturais (artes plásticas e teatro) e princípios cooperativistas. Atendimentos: 180 jovens Faixa etária: de 15 a 18 anos 232 jovens em fila de espera Custo LIGA: R$ 262,73 é o custo médio mensal por jovem Convênio: R$ 86,80 é o valor per capita (média) pago pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social REALIZAÇÕES Novas parcerias estabelecidas com instituições e empresas para viabilizar a empregabilidade dos jovens. Das 19 empresas procuradas pelo programa, 11 estabeleram acordo e contrataram 31 dos nossos jovens. Aplicação na prática dos conhecimentos adquiridos por meio de atividades de atendimento e recepção; cadastramento de candidatos e efetivação da matrícula; pesquisas para a realização de eventos; confecção de convites; confirmação da presença dos convidados, etc. em eventos, como: Feira do Trabalhador, Mostra Gastronômica, Encontro de ex-alunos e Desfile de Cabelos. Melhor capacidade de expressão e comunicação, possibilitando assim maior desenvoltura e oportunidade na entrevista de trabalho. Princípios norteadores do programa O trabalho proposto é embasado no PLAS Plano de Assistência Social da Cidade de São Paulo, que por sua vez é previsto na Lei Orgânica do Município em seu artigo 221. A Metodologia utilizada no programa é baseada principalmente na teoria de José Bernardo Toro em Os Códigos da Modernidade. O jovem ao iniciar um processo de formação profissional necessita de algumas habilidades básicas, como domínio de leitura e escrita, capacidade de fazer cálculos e resolver problemas, que são os dois primeiros códigos da modernidade segundo o autor. Essas habilidades são testadas na fase de seleção. Os demais códigos da teoria que permeiam o conteúdo programático de todas as atividades do Programa Qualificação Profissional. São: - capacidade de analisar, sintetizar e interpretar dados, fatos e situações; - capacidade de compreender e atuar em seu entorno social; - capacidade de receber criticamente os meios de comunicação; - capacidade para localizar, acessar e usar melhor a informação acumulada; - capacidade de planejar, trabalhar e decidir em grupo. A formação humana integral pede uma educação pluridimensional. Conforme Jacques Delors no seu relatório Educação, Um Tesouro a Descobrir produzido para a UNESCO em 2004, a educação deve ser organizada em torno dos grandes eixos: aprender a ser, aprender a conviver, aprender a fazer e aprender a aprender, que por sua vez não podem acontecer de forma isolada, e sim de forma simultânea. Nesta direção, a articulação dos conhecimentos técnicos e da formação humana são a tônica de todo o programa QP. Em ambos os cursos a metodologia aplicada é a de introduzir da maneira mais realista possível à rotina da área administrativa e de suporte técnico no universo do jovem. Nesta direção as visitas técnicas às empresas e feiras do setor são fundamentais para a vivência do jovem. Segundo o Mapa da Vulnerabilidade Social no Distrito Raposos Tavares existem adolescentes de 15 a 19 anos, de um total da população de habitantes no distrito. 26,54% dos jovens que realizaram curso no QP estão trabalhando. 17

16 ABRIGO ESPERANÇA E PASSOS o que é Programa de abrigamento temporário para crianças e jovens, em situação de risco, cujas famílias sofreram intervenção judicial. objetivo Através do acolhimento em ações pedagógicas promove o restabelecimento dos vínculos familiares e a participação das crianças e dos adolescentes na vida da comunidade. São 4 casas, 3 localizadas dentro da estrutura do Educandário Dom Duarte e uma inserida na comunidade, fora da área do EDD (Abrigo Passos), para propiciar a possibilidade de inserção na sociedade e busca de autonomia para os jovens abrigados com idade acima de 16 anos, cuja possibilidade de retorno à família é muito remota. Atendimentos: 80 crianças e jovens de ambos os sexos Faixa etária: de 0 a 18 anos Custo LIGA: R$ 1.703,65 é o custo médio mensal por criança/jovem abrigado Convênio: R$ 687,50 é o valor per capita (média) pago pela Secretária Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social realizações Participação efetiva no Programa Abrigar do Instituto Camargo Corrêa e na Rede Nossas Crianças da Fundação Abrinq Resgate da história de vida de crianças abrigadas por meio de fotos, cartas, desenhos e expressões diversas transformando sua história em um álbum. Este registra suas experiências e as acompanhará durate toda a sua vida, amenizando um dos maiores problemas de uma criança abrigada: a falta de conhecimento de sua trajetória enquanto abrigada. Troca de cartas entre crianças abrigadas e voluntários com o objetivo da criança expressar e vivenciar sua individualidade. Melhor relacionamento com as famílias: Atendimento às famílias, individualmente, implementado com as visitas domiciliares culminando em grandes vitórias de aproximação de famílias e crianças abrigadas. 18

17 Oficina de Leitura e Escrita e passeios visando estimular nas crianças e jovens o hábito da leitura e da escrita, como por exemplo: Visita aos Museus de Arte Moderna e de Arte Contemporânea e de Língua Portuguesa de São Paulo; Exposição Guimarães Rosa - SESC Pinheiros; Exposição cenográfica infanto-juvenil Ilusão de Verdade; entre outros. Oficina Cultivo em Pequenos espaços e Horta, promovida pelo CECCO- Centro de Convivência e Cooperativa do Parque da Previdência do Butantã que estimulou a cooperação e trabalho em grupo com as crianças e jovens bem como o gosto pela pesquisa. Passeios à praia em Bertioga, Parques (Hopi Hari, Cemucan, Villa Lobos) Zoológico, Circo, Teatro, Cinema, futebol com a comunidade, participação na Copa Jovem Pan de Futebol visando integração e sociabilização. ECA Estatuto da Criança e do Adolescente Art. 92º. As entidades que desenvolvam programas de abrigo deverão adotar os seguintes princípios: I preservação dos vínculos familiares; II integração em família substituta, quando esgotados os recursos e manutenção na família de origem; III atendimento personalizado e em pequenos grupos; IV desenvolvimento de atividades em regime de co-educação; V não desmembramento de grupos de irmãos; VI evitar, sempre que possível, a transferência para outras entidades de crianças e adolescentes abrigados; VII participação na vida da comunidade local; VIII preparação gradativa para o desligamento; IX participação de pessoas da comunidade no processo educativo. Parágrafo único. O dirigente de entidade de abrigo é equiparado ao guardião, para todos os efeitos de direito. 19

18 NÚCLEO SOLIDÁRIO o que é Projeto de convivência e inserção social de jovens sem vínculos familiares egressos da situação de abrigamento do Complexo Educacional Educandário Dom Duarte. O programa, que atende jovens em fase de início de vida autônoma fora da instituição, é uma ação complementar ao abrigo. objetivo Criar condições favoráveis aos jovens para a conquista da sua cidadania e independência. Facilitar, a partir da moradia, a sua inserção social; incentivar as iniciativas dos jovens, aprimorando o seu potencial e suas habilidades; organizar um espaço de troca para a constituição de uma rede de apoio mútuo. Atendimentos: 16 jovens recém desabrigados em 5 núcleos Faixa etária: de 18 a 21 anos REALIZAÇÕES O programa tem um papel decisivo na fase do desabrigamento, por tratar da questão tanto individualmente quanto em grupo. Quebra-se a proteção institucional, a dependência. Cada jovem e cada núcleo passam a mobilizar-se em direção à sua autonomia, através de ações como: busca do próprio sustento; identificação de uma casa para ser alugada; estabelecimento de acordo mútuo entre os participantes; estabelecimento de um contrato de aluguel com os devidos compromissos; gerenciamento dos contratos estabelecidos; um novo momento de responsabilidade social; administração da economia do Núcleo; fortalecimento de vínculos sociais na comunidade em que o Núcleo encontra-se localizado, dentre outros. As novas parcerias estabelecidas, seja com vizinhos, seja com os jovens do Abrigo Passos, aumentam a confiança e a credibilidade recíproca; favorecem o enfrentamento de medos inerentes a este momento de desabrigamento e garantem um espaço de referências. A constituição de novas famílias é consequência do processo de autonomia, dos projetos e sonhos de cada um. Seis jovens já deixaram os Núcleos desde a sua criação. Destes, três constituíram família e outros três passaram a viver em casa alugada, fora do Núcleo. Seis jovens já deixaram o núcleo desde a sua criação 20

19 PROGRAMA CRESCER o que é Programa de acompanhamento dos indicadores de saúde dos freqüentadores do EDD, por meio de avaliação antropométrica, controle de pressão arterial e glicemia, além de informar e conscientizar a comunidade e educadores sobre os conceitos nutricionais básicos. Fornece refeições que têm os componentes básicos de uma dieta saudável e equilibrada. Realiza também visitas periódicas nos lares, controle de estoque e armazenamento, atendimento nutricional individualizado, elaboração do custo de alimentos perecíveis e não-perecíveis, orientação e cardápio de dietas especiais de acordo com a patologia apresentada (para anemia, desnutrição, obesidade, etc). Destacamos o atendimento realizado para K., criança abrigada. objetivo Suprir carência alimentar de crianças, jovens e adultos que integram os diferentes programas socioeducativos do Educandário Dom Duarte. O programa contribui, também, para a aquisição de nova cultura de alimentação saudável. Atendimentos: 581 mil refeições servidas em 2006 Público alvo: pesoas atendidas pelos diversos programa socioeducativos do EDD REALIZAÇÕES cafés da manhã servidos por mês almoços mensais lanches refeições servidas indiretamente (Porcionadas na cozinha central e elaboradas no Abrigo Esperança) Valorização e sensibilização da equipe por meio de treinamentos geraram maior motivação, comprometimento, interesse e prazer na realização da alimentação. K. chegou ao Abrigo Esperança com 11 meses de idade apresentando um quadro visível de abandono e desnutrição grave. Após o diagnóstico médico as equipes de nutrição, educacional e técnica elaboraram um tratamento com ações como: mudança de alimentação com suplementos, tratamento médico com vitaminas e acompanhamento psicológico. Apesar de bem alimentada K. não apresentava aumento de peso. Diante deste quadro e conhecedora de estudos que comprovam que crianças em processo de abandono não reagem por não se sentirem motivadas a viver, a equipe de nutrição, juntamente com educadores, introduziram um tratamento que se mostrou indispensável e eficaz: carinho. Os educadores das equipes técnicas se revezaram para dar colo a ela e em pouco tempo observou-se uma melhora considerável. Atualmente K. tem boa nutrição, mas sua estatura está comprometida, devido a grave desnutrição que sofreu no período conhecido como primeira infância. Hoje é uma criança saudável e feliz, já que desde 2006 está sob a guarda da tia materna juntamente com sua irmã. 21

20 receitas Ao longo de sua existência a LIGA atingiu uma organização singular. Desenvolveu dois tipos de estruturas (unidades provedoras e unidades assistidas) que funcionam em sinergia tendo como meta a ação social e sua continuidade. As unidades provedoras prestam serviços a terceiros e seu superávit é integralmente aplicado nas unidades assistidas e programas socioeducacionais. As Unidades Provedoras geraram em 2006, 31,25% das receitas das Unidades Assistidas. Para conseguir os 68,75% restantes a LIGA recebe doações de colaboradores, mantém parcerias através de projetos com empresas da iniciativa privada, estabelece convênios com o poder público, recebe doações diversas, colaboração por meio de trabalho voluntário e promove eventos e campanhas. São 6 unidades provedoras: Lar Sant Ana Residencial para idosos independentes Recanto Monte Alegre Residencial para idosos dependentes Colégio Santa Amália 1 - Ensino Fundamental e Médio Colégio Santa Amália 2 - Ensino Fundamental Bilíngüe (Inglês) e Ensino Médio Plaza 50 - Flat Residência Residência para Moças - Flat Residência REALIZAÇÕES Aumento das receitas gerando maior remessa para as unidades assistidas e para os programas socioeducacionais Reformas e adequações dos espaços físicos Atualização dos processos administrativos Aula de Técnicas Administrativas do Programa QP, mantida, em parte, pela remessa de receita das Unidades Provedoras 22

RESUMO INSTITUCIONAL 2012

RESUMO INSTITUCIONAL 2012 RESUMO INSTITUCIONAL 2012 A Liga Solidária é uma organização social sem fins lucrativos criada há 89 anos. Atualmente, atende mais de 3.200 pessoas. A ONG desenvolve programas sociais de educação e cidadania

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades Relatório de Atividades 2007 LIGA SOLIDÁRIA Relatório de Atividades 2007 Sede: Rua Capote Valente, 1332 - Pinheiros cep: 05409-003 - São Paulo - SP tel. : (11) 3873.2911 fax: (11) 3862.0679 www.ligasolidaria.org.br

Leia mais

Departamento de Assistência Social DAS Unidade Brasília

Departamento de Assistência Social DAS Unidade Brasília Departamento de Assistência Social DAS Unidade Brasília Programas e Serviços de Atenção à População em Situação de Vulnerabilidade Social, Econômica e Pessoal Brasília, Maio de 2013. Apresentação A Federação

Leia mais

Asilo São Vicente de Paulo

Asilo São Vicente de Paulo Asilo São Vicente de Paulo O Asilo São Vicente de Paulo promove a qualidade de vida e o resgate à dignidade da pessoa idosa. Atualmente é responsável pela garantia dos direitos fundamentais de 150 idosas.

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Espírita. ENDEREÇO: Rua Joaquim Pires de Miranda SN Vila Grimpas Hidrolândia-GO. CEP: 75340-000.

IDENTIFICAÇÃO. Espírita. ENDEREÇO: Rua Joaquim Pires de Miranda SN Vila Grimpas Hidrolândia-GO. CEP: 75340-000. IDENTIFICAÇÃO INSTITUIÇÃO PROPONENTE: PROJETO CRESCER CHICO XAVIER - Obra Social do Centro Espírita Eurípedes Barsanulfo CNPJ: 26 943 563/0001-07 ENDEREÇO: Rua Joaquim Pires de Miranda SN Vila Grimpas

Leia mais

Ressocialização de jovens carentes Um sonho possível

Ressocialização de jovens carentes Um sonho possível Ressocialização de jovens carentes Um sonho possível A Microlins tem a convicção de que um mundo melhor depende de as empresas assumirem o papel de instrumento de transformações sociais. Essa postura é

Leia mais

ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO

ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO ANEXO I PROGRAMA ESTADUAL DE PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA E ESPECIAL, DA REDE SOCIAL SÃO PAULO I- DA PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA. II- DA PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL. III- DO CO-FINANCIAMENTO E DOS REQUISITOS, PARA O

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina Primeiro escritório de inclusão social da América Latina 18 de setembro Nós do Centro: mais uma ação para a comunidade do Grupo Orsa O Grupo Orsa, por meio da Fundação Orsa, inaugura um espaço inovador

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO

PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO PLANO DE AÇÃO E DE APLICAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE REDE CARDUME GUARUJÁ SÃO PAULO ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 LINHAS DE AÇÃO... 4 AÇÕES ESPECÍFICAS... 5 CAMPANHAS... 6

Leia mais

NIAS/FESP - Núcleo Interdisciplinar de Ação Social da FESP Projeto Amar. Camilla Silva Machado Graciano Coordenadora do NIAS/FESP

NIAS/FESP - Núcleo Interdisciplinar de Ação Social da FESP Projeto Amar. Camilla Silva Machado Graciano Coordenadora do NIAS/FESP NIAS/FESP - Núcleo Interdisciplinar de Ação Social da FESP Projeto Amar Camilla Silva Machado Graciano Coordenadora do NIAS/FESP Mestre em Serviço Social pela Faculdade de História, Direito e Serviço Social/UNESP

Leia mais

Projeto Cardume CMDCA

Projeto Cardume CMDCA Projeto Cardume CMDCA Objetivo: Estabelecer rede de proteção integral a criança e ao adolescente,, bem como suas famílias, reunindo ações governamentais e atividades das organizações da sociedade civil,

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO Despacho 2007 Nº PROJETO DE LEI Nº 1099/2007 Considera de utilidade pública o Grupo de Formadores de Educadores Populares GEFEP. Autor: Vereador Eliomar Coelho. DECRETA: A Câmara Municipal do Rio de Janeiro

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007

PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 PORTARIA NORMATIVA INTERMINISTERIAL Nº- 17, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Institui o Programa Mais Educação, que visa fomentar a educação integral de crianças, adolescentes e jovens, por meio do apoio a atividades

Leia mais

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNCIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

PREFEITURA DE MONTES CLAROS SECRETARIA MUNCIPAL DE PLANEJAMENTO E GESTÃO 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 004/2014 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PESSOAL PARA ATENDER A RECENSEAMENTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E A DIVERSOS OUTROS PROGRAMAS E SERVIÇOS

Leia mais

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013

Relat a óri r o Despert r ar r 2 013 Relatório Despertar 2013 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968

O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 O Suas Sistema Único da Assistência Social em perspectiva Valéria Cabral Carvalho, CRESS nº 0897 Luiza Maria Lorenzini Gerber, CRESS nº 0968 Com a Constituição Federal de 1988, a Assistência Social passa

Leia mais

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Programa Viver é Melhor Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Legião da Boa Vontade (LBV) Cidade: Londrina/PR

Leia mais

ANEXO I PLANO DE TRABALHO (ORÇAMENTO BÁSICO) PREFEITURA MUNICIPAL DE IPAUMIRIM/CE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ANEXO I PLANO DE TRABALHO (ORÇAMENTO BÁSICO) PREFEITURA MUNICIPAL DE IPAUMIRIM/CE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ANEXO I PLANO DE TRABALHO (ORÇAMENTO BÁSICO) PREFEITURA MUNICIPAL DE IPAUMIRIM/CE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DAS CRECHES E DA EDUCAÇÃO INFANTIL INTRODUÇÃO Conforme garante

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

UACEP UNIÃO DE AMPARO À COMUNIDADE DE ESCOLAS PÚBLICAS

UACEP UNIÃO DE AMPARO À COMUNIDADE DE ESCOLAS PÚBLICAS UACEP UNIÃO DE AMPARO À COMUNIDADE DE ESCOLAS PÚBLICAS Missão Priorizar o atendimento às crianças, adolescentes, idosos e a família em situação de vulnerabilidade social através do esporte educacional,

Leia mais

1) Socorro e Desastre Itaóca

1) Socorro e Desastre Itaóca 1) Socorro e Desastre Itaóca A Cruz Vermelha Brasileira Filial do Estado de São Paulo deslocou um grupo de voluntários para prestar ajuda aos moradores da cidade de Itaóca, localizada no interior do estado,

Leia mais

SERVI O SOCIAL NOVA JERUSAL M

SERVI O SOCIAL NOVA JERUSAL M SERVI O SOCIAL NOVA JERUSAL M Jardim das Paineiras Campinas/SP - Brasil - CEP.: 13.091-107 Fone.(19) 3255-8350 e-mail: falecom@ssnjcamp.org CNPJ: 67.170993/0001-10 Site: www.ssnjcamp.org SERVI O SOCIAL

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

Apresentação. SUPERINTEDÊNCIA GERAL Magda Fonseca Coutinho. COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA Mércia Corrêa de Oliveira

Apresentação. SUPERINTEDÊNCIA GERAL Magda Fonseca Coutinho. COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA Mércia Corrêa de Oliveira Apresentação SUPERINTEDÊNCIA GERAL Magda Fonseca Coutinho COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA Mércia Corrêa de Oliveira Descritivo: "A educação deve possibilitar ao corpo e à alma toda a perfeição e a beleza que podem

Leia mais

Comunidade Escola - O Espaço da Gente

Comunidade Escola - O Espaço da Gente Mostra Local de: Curitiba Categoria do projeto: Comunidade Escola - O Espaço da Gente Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura Municipal de Curitiba - Secretaria Municipal da Educação - Programa Comunidade

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADE 2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADE 2014 EXECUTADOSFINALIDADES ESTATUTÁRIAS Finalidades Estatutárias: a) Assistência, promoção e valorização das pessoas e grupos de pessoas menos favorecidas, promoção da saúde, desenvolvimento

Leia mais

Comunidades preparadas e comprometidas com a superação de seus desafios.

Comunidades preparadas e comprometidas com a superação de seus desafios. Apresentação O Instituto Camargo Corrêa, criado em dezembro de 2000 para orientar o investimento social privado das empresas do Grupo Camargo Corrêa, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público

Leia mais

desigual São Paulo uma cidade 10.886.518 milhões de habitantes muito 3,4 milhões São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas

desigual São Paulo uma cidade 10.886.518 milhões de habitantes muito 3,4 milhões São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas São Paulo São Paulo: maior concentração de pobreza das Américas uma cidade 10.886.518 milhões de habitantes muito Jornal Folha de São Paulo, 02/12/2007 3,4 milhões desigual de pessoas pobres (até ½ SM

Leia mais

1) Campanha do Agasalho

1) Campanha do Agasalho Junho 2014 1) Campanha do Agasalho Todo ano a Cruz Vermelha de São Paulo realiza a Campanha do Agasalho para ajudar comunidades carentes a enfrentar o frio do inverno em nossa região. Em 2014, os locais

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2008

PLANO DE TRABALHO 2008 PLANO DE TRABALHO 2008 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA ENTIDADE: Casa de Nazaré Centro de Apoio ao Menor 1.2. Endereço: Rua Coronel Timóteo nº 350 1.3. Bairro: Cristal 1.4. Região CORAS: 05 1.5.

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADE 2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADE 2014 EXECUTADOSFINALIDADES ESTATUTÁRIAS Finalidades Estatutárias: a) Assistência, promoção e valorização das pessoas e grupos de pessoas menos favorecidas, promoção da saúde, desenvolvimento

Leia mais

Projeto Pequenas Damas

Projeto Pequenas Damas Mostra Local de: Arapongas Projeto Pequenas Damas Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Associação das Damas de Caridade de Arapongas

Leia mais

experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua.

experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua. Título da experiência: Políticas públicas de apoio à população de rua Uma experiência inovadora como contribuição da sociedade civil: Reintegração Familiar de Crianças e Adolescentes em Situação de Rua.

Leia mais

Projeto Jovem Aprendiz Irmã Scheilla. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Projeto Jovem Aprendiz Irmã Scheilla. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Mostra Local de: Londrina Projeto Jovem Aprendiz Irmã Scheilla Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Núcleo Esoirita Irmã Scheilla

Leia mais

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de:

1. Centro para a Juventude. 199 jovens frequentaram os cursos de: Relatório Despertar 2014 2 Apoiada na crença de que é possível contribuir para o desenvolvimento humano na totalidade dos seus potenciais, a Associação Comunitária Despertar, realiza anualmente ações que

Leia mais

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão

Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão Espaço Criança Esperança São Paulo CEE Oswaldo Brandão OS RECURSOS FINANCEIROS DO ESPAÇO CRIANÇA ESPERANÇA TV GLOBO realiza CAMPANHA CRIANÇA ESPERANÇA com programa na TV UNESCO recebe DOAÇÃO e apóia diferentes

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS E DESPORTO

ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS E DESPORTO ANEXO II REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DO PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICIDA DA SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS E DESPORTO 1 PROJOVEM 1.1 SUPERVISOR REQUISITOS: NÍVEL SUPERIOR ATRIBUIÇÕES: Ser responsável

Leia mais

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Ano 2012

Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Ano 2012 Resultados do Serviço Preparação para o Primeiro Emprego Ano 2012 Administração: Rodrigo Antônio de Agostinho Mendonça Secretária do Bem Estar Social: Darlene Martin Tendolo Diretora de Departamento: Silmaire

Leia mais

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015

LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS. Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110. Ano Letivo - 2014/2015 LISTA DE CANDIDATOS ADMITIDOS E NÃO ADMITIDOS Concurso Oferta de Escola para Contratação de Docente Grupo 110 Ano Letivo - 2014/2015 CANDIDATOS ADMITIDOS: Nº Candidato NOME OSERVAÇÕES 1367130034 Alexandra

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programas Espaço de Convivência da Melhor Idade e LBV Criança: Futuro no Presente!

Mostra de Projetos 2011. Programas Espaço de Convivência da Melhor Idade e LBV Criança: Futuro no Presente! Mostra de Projetos 2011 Programas Espaço de Convivência da Melhor Idade e LBV Criança: Futuro no Presente! Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

LAMSA (Recurso Direto)

LAMSA (Recurso Direto) O Instituto Invepar e as empresas do grupo - Linha Amarela S/A - LAMSA (RJ), Concessionária Litoral Norte - CLN (BA), Concessionária Auto Raposo Tavares - CART (SP), MetrôRio (RJ) e Concessionária Bahia

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROJETO TÉCNICO: ACESSUAS TRABALHO / PRONATEC EQUIPE RESPONSÁVEL: Proteção Social Básica PERÍODO: Setembro

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

HUMAN INTEGRATION AND DEVELOPMENT INSTITUTE INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO HUMANA PROGRAMA CONVIVER

HUMAN INTEGRATION AND DEVELOPMENT INSTITUTE INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO HUMANA PROGRAMA CONVIVER PROGRAMA CONVIVER OBJETIVOS PARCERIAS Participarão do PROGRAMA CONVIVER como parceiros colaboradores e voluntários as entidades: PÚBLICAS FEDERAIS. PÚBLICAS ESTADUAIS. PÚBLICAS MUNICIPAIS. EMPRESÁRIOS.

Leia mais

MANUAL DO VOLUNTÁRIO. Ajudar uma criança é tornar o mundo melhor.

MANUAL DO VOLUNTÁRIO. Ajudar uma criança é tornar o mundo melhor. MANUAL DO VOLUNTÁRIO Ajudar uma criança é tornar o mundo melhor. Apresentação No decorrer do ano de 2010, muitas mudanças estruturais ocorreram na Casa do Bom Menino. Podemos colher alguns frutos positivos

Leia mais

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2004 - ENCERRADOS. Projeto Oficinas de gestão para as associações de moradores do Bairro da Lagoa da Conceição

AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2004 - ENCERRADOS. Projeto Oficinas de gestão para as associações de moradores do Bairro da Lagoa da Conceição AÇÕES DA EXTENSÃO PROJETOS 2004 - ENCERRADOS Projeto Oficinas de gestão para as associações de moradores do Bairro da Lagoa da Conceição Arnaldo José de Lima Bolsista: Fernando César Fiorini Ribas O objetivo

Leia mais

UMA VAGA PARA TODOS PROJETO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL. Rio de Janeiro, março de 2015

UMA VAGA PARA TODOS PROJETO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL. Rio de Janeiro, março de 2015 UMA VAGA PARA TODOS PROJETO DE ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL. Rio de Janeiro, março de 2015 RESUMO Este projeto visa a atender crianças e adolescentes em situação de rua, abandonados ou que necessitam ser

Leia mais

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Fazer laços é ligar, entrelaçar o que está separado. Literal e metaforicamente falando. A inclusão do trabalho sobre o tema da sexualidade

Leia mais

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2008 CAMPANHA * COMPROMISSO PELA CRIANÇA E PELO ADOLESCENTE Carta Aberta aos candidatos e candidatas às Prefeituras e Câmaras Municipais: Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos,

Leia mais

HORTOTERAPIA PARA A MELHOR IDADE

HORTOTERAPIA PARA A MELHOR IDADE Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal HORTOTERAPIA PARA A MELHOR IDADE PROPOSTA DE PARCERIA Brasília, junho de 2011 1 1. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO BENEFICIÁRIA Nome da instituição:

Leia mais

Declarada de Utilidade Pública Federal pela Portaria n. 695 de 31 de julho de 2001.

Declarada de Utilidade Pública Federal pela Portaria n. 695 de 31 de julho de 2001. CNPJ: 01.090.760/0001-98 Endereço: Rua Alexandre Calaza, 243 Vila Isabel- Rio de Janeiro Telefone: 2258-7898 Tipo atendimento: Especializado no Atendimento de Dependentes Químicos Crianças/Faixa Etária:

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2013 - PROGRAMA NOSSAS CRIANÇAS

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2013 - PROGRAMA NOSSAS CRIANÇAS EDITAL PROCESSO SELETIVO 2013 - PROGRAMA NOSSAS CRIANÇAS O seguinte edital tem por objetivo convidar organizações da sociedade civil a participarem do processo de seleção de projetos para obtenção de apoio

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN

PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN PLANO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOEDUCATIVO DO MUNICÍPIO DE ESPÍRITO SANTO/RN ESPÍRITO SANTO/RN, OUTUBRO DE 2014. FRANCISCO ARAÚJO DE SOUZA PREFEITO MUNICIPAL DE ESPÍRITO SANTO/RN ELIZANGELA FREIRE DE

Leia mais

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904

Câmara Municipal de Uberaba A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 A Comunidade em Ação LEI Nº 7.904 Disciplina a Política Municipal de Enfrentamento à Violência Sexual e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

II - ANÁLISE PRELIMINAR DOS DADOS EDUCACIONAIS DE SERGIPE:

II - ANÁLISE PRELIMINAR DOS DADOS EDUCACIONAIS DE SERGIPE: EDUCAÇÃO INFANTIL I - META 1 DO PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES ANEXO I ROTEIRO PARA INSPEÇÃO PERÍODICA 1 DOS SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO Data: / / INSTITUCIONAL PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES Modalidade: ( ) Acolhimento Institucional ( ) Casa Lar 1 - DADOS GERAIS 1.1. Nome

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade

Mostra de Projetos 2011. Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade Mostra de Projetos 2011 Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

Projetos de Extensão Aprovados para 2007. Projetos Interunidades

Projetos de Extensão Aprovados para 2007. Projetos Interunidades s de Extensão Aprovados para 2007 s Interunidades Título Professor Modalidade Desportivo Sócio Cultural FUMEC (FACE/FCH/FCS/FEA) Licène França Arquiteto da família educação ambiental e ações preventivas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO SANTISTA DE PESQUISA PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO. Relatório de Atividades 2010

ASSOCIAÇÃO SANTISTA DE PESQUISA PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO. Relatório de Atividades 2010 ASSOCIAÇÃO SANTISTA DE PESQUISA PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO Relatório de Atividades 2010 2 MISSÃO Busca da melhoria da qualidade de vida tendo por bases o investimento na saúde, educação, na garantia da cidadania,

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL A NOVA HISTÓRIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL A NOVA HISTÓRIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL A NOVA HISTÓRIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL DAS Norte Campinas/SP ASSISTÊNCIA SOCIAL Constituição de 1988 e LOAS Assistência Social inserida como política da Seguridade Social

Leia mais

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto?

Projetos Sociais da Faculdade Campo Real CIDADANIA REAL 1. O que é o projeto? 2. Em que consistem as atividades do projeto? Projetos Sociais da Faculdade Campo Real A promoção da cidadania é qualidade de toda instituição de ensino consciente de sua relevância e capacidade de atuação social. Considerando a importância da Faculdade

Leia mais

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP PROJETO A inserção das Famílias no CAMP APRESENTAÇÃO O CAMP-Gna é uma entidade filantrópica sediada em Goiânia, no Setor Central, onde funciona ininterruptamente há 36 anos. Desde 01 de julho de 1973,

Leia mais

A Educação Integral em Curitiba e Região Metropolitana e o Programa Mais Educação Veronica Branco Universidade Federal do Paraná.

A Educação Integral em Curitiba e Região Metropolitana e o Programa Mais Educação Veronica Branco Universidade Federal do Paraná. A Educação Integral em Curitiba e Região Metropolitana e o Programa Mais Educação Veronica Branco Universidade Federal do Paraná Resumo Este texto aborda a implantação da Educação Integral em Curitiba

Leia mais

Teotônio Vilela II reforma parques pág. 3. Festa da criança no CEI São Rafael pág. 3. Nesta edição: CEI Vila Maria 2. CAA São Camilo II 2

Teotônio Vilela II reforma parques pág. 3. Festa da criança no CEI São Rafael pág. 3. Nesta edição: CEI Vila Maria 2. CAA São Camilo II 2 Abrigos da esperança Os abrigos Ipiranga e Capela do Socorro são referência em educação de crianças e jovens em situação de risco. Ambos atendem a 20 jovens, contam com 17 colaboradores cada e desenvolve

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00147/2013 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB) e Laércio Benko (PHS)

PROJETO DE LEI 01-00147/2013 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB) e Laércio Benko (PHS) PROJETO DE LEI 01-00147/2013 dos Vereadores Floriano Pesaro (PSDB) e Laércio Benko (PHS) Estabelece diretrizes para a Política Municipal de Promoção da Cidadania LGBT e Enfrentamento da Homofobia, e dá

Leia mais

CMDCA PROJETOS COOPERAÇÃO CAPELINHA/MG

CMDCA PROJETOS COOPERAÇÃO CAPELINHA/MG PROJETOS COOPERAÇÃO A trajetória da infância e adolescência em Capelinha, ao longo dos anos, teve inúmeras variações, reflexos das diferentes óticas, desde uma perspectiva correcional e repressiva, visando

Leia mais

Projeto Voz do Batuque

Projeto Voz do Batuque Mostra Local de: Maringá PR Projeto Voz do Batuque Categoria do projeto: I Projetos em Andamento Nome da Instituição/Empresa: Instituto Morena Rosa de Responsabilidade Sócio Ambiental, Cultural e Desenvolvimento

Leia mais

BrazilFoundation abre edital para de projetos e negócios sociais

BrazilFoundation abre edital para de projetos e negócios sociais Financiamento e apoio técnico BrazilFoundation abre edital para de projetos e negócios sociais Estão abertas inscrições online até 30 de novembro para o edital bianual da BrazilFoundation que selecionará

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20%

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20% ALCATEIA Sec NIN NOME NIN NOME Lob 1215050143005 Alice Neto Santos Nascimento 1215050143015 Afonso da Fonseca Machado Lob 1215050143010 Amélia Maria Mesquita Aleixo Alves 1115050143010 Afonso Jesus Dias

Leia mais

PROJETO CRIASOM. 1.2 -Histórico (Como, Onde e Porque Surgiu)

PROJETO CRIASOM. 1.2 -Histórico (Como, Onde e Porque Surgiu) PROJETO CRIASOM 1. DADOS SOBRE A INSTITUIÇÃO 1.1 - Dados Gerais Nome: Mosteiro São Geraldo de São Paulo CNPJ: 61697678/0001-60 Telefone: (11) 2244-1803 Fax: (11) 3744-6835 E-mail: msoh@csasp.g12.com Site:

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projovem em Ação

Mostra de Projetos 2011. Projovem em Ação Mostra de Projetos 2011 Projovem em Ação Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura Municipal Santa Cecilia

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Coral Infantil Dikaion

Mostra de Projetos 2011. Coral Infantil Dikaion Mostra de Projetos 2011 Coral Infantil Dikaion Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação Beneficente

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Derdic / PUC-SP RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2010 Missão 03 Valores Institucionais 03 Escola Especial de Educação Básica 04 Clínica de Audição, Voz e Linguagem Prof. Dr. Mauro Spinelli

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

DIRETORIA DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS, INFORMAÇÕES E DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DEPARTAMENTO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES

DIRETORIA DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS, INFORMAÇÕES E DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DEPARTAMENTO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES Nome: Associação Atlética Educando pelo Esporte AAEPE CNPJ: 02465949/001-92 Endereço: Rua Benedito Bonzon Penteado, 645 Bairro/Loteamento: Jardim Pacaembu CEP: 13.424-485 Telefone: 3433-5085 Socioeducativo

Leia mais

Criança faz arte? ISTA. Gratuito! PROJETO EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA

Criança faz arte? ISTA. Gratuito! PROJETO EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA Criança faz arte? MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA PROJETO ART EIRA ISTA EXPOSIÇÃO I - T - I - N - E - R - A - N - T - E 1 EXPOSIÇÃO DE ARTE PALESTRAS VÍDEOS WEBSITE REDE SOCIAL Gratuito! Elias Rodrigues

Leia mais

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 9

CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 9 CANDIDATOS DA MICRORREGIÃO 9 Nome de urna: Jacque Pache Número: 9011 Experiência na Área da Infância: - conselheira tutelar 2008/2011. - assistente direção: fundação de proteção especial RS. FPE - Coordenadora

Leia mais

Oficinas de tratamento. Redes sociais. Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas

Oficinas de tratamento. Redes sociais. Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas Oficinas de tratamento Redes sociais Centros de Atenção Psicossocial Álcool e drogas Irma Rossa Médica Residência em Medicina Interna- HNSC Médica Clínica- CAPS ad HNSC Mestre em Clínica Médica- UFRGS

Leia mais

Núcleo da Criança e do Adolescente: Uma Proposta de Transetorialidade

Núcleo da Criança e do Adolescente: Uma Proposta de Transetorialidade Núcleo da Criança e do Adolescente: Uma Proposta de Transetorialidade ROBERTO AUGUSTO CARVALHO DE ARAÚJO ELIETE DE OLIVEIRA COELHO NATALINA DE FÁTIMA BERNARDO RONCADA SILVIA BEZ CAMARGO SOARES DE ALVARENGA

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 132

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 132 PROGRAMA Nº - 132 Benefícios Eventuais SUB-FUNÇÃO: 244 ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA Implantar e implementar serviços de Benefícios Eventuais. Operacionalização para concessão dos Benefícios Eventuais - Art.

Leia mais

9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013

9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ESPERANÇA BRASIL OSCIP ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO 9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013 Janeiro de 2014.

Leia mais

10. POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES 10.1 Diretrizes 10.2 Programas Específicos 10.2.1 Programa Bolsa Permanência 10.2.2 Programa de Benefício

10. POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES 10.1 Diretrizes 10.2 Programas Específicos 10.2.1 Programa Bolsa Permanência 10.2.2 Programa de Benefício 10. POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS DISCENTES 10.1 Diretrizes 10.2 Programas Específicos 10.2.1 Programa Bolsa Permanência 10.2.2 Programa de Benefício Eventual 10.2.3 Programa de Moradia E Refeitório Estudantil

Leia mais

Fraternidade Espírita. Protótipo de projeto em fase final de

Fraternidade Espírita. Protótipo de projeto em fase final de Projeto Protótipo de projeto em fase final de elaboração 1 2 PROPOSTA SÓCIO-EDUCATIVA PROGRAMA DE SOCIALIZAÇÃO INFANTO-JUVENIL Projeto Crianças de Luz 1) Dados Cadastrais: Fraternidade Espírita Lar de

Leia mais

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas.

Documento que marca as reformas na atenção à saúde mental nas Américas. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas LEVANTAMENTO DOS MARCOS TEÓRICOS E LEGAIS DO CAPS CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL 1. Marco Teórico NORMATIVAS

Leia mais

JORNADA LITERÁRIA DO VALE HISTÓRICO

JORNADA LITERÁRIA DO VALE HISTÓRICO 1 JORNADA LITERÁRIA DO VALE HISTÓRICO 2 1) APRESENTAÇÃO A OBRA AUXILIAR DA SANTA CRUZ é uma associação civil, de fins não lucrativos, com índole beneficente, educacional, confessional e de assistência

Leia mais

Perguntaram à teóloga alemã. Dorothee Sölle: Como a senhora explicaria a um menino o que é felicidade?

Perguntaram à teóloga alemã. Dorothee Sölle: Como a senhora explicaria a um menino o que é felicidade? Perguntaram à teóloga alemã Dorothee Sölle: Como a senhora explicaria a um menino o que é felicidade? Não explicaria, Daria uma bola para que ele jogasse... ESPORTE EDUCAÇÃO CULTURA QUALIFICAÇÃO PLACAR

Leia mais

Projeto. Amigos da Rede

Projeto. Amigos da Rede PREFEITURA MUNICIPAL DE MAUÁ e Ribeirão Pires Projeto Amigos da Rede Mauá Dez/2009. 1. APRESENTAÇÃO O município de Mauá, que integra a Região metropolitana de São Paulo, realizou sua emancipação a partir

Leia mais

Missão. fortaleçam a segurança no transporte rodoviário e que qualifiquem o capital humano no setor logístico.

Missão. fortaleçam a segurança no transporte rodoviário e que qualifiquem o capital humano no setor logístico. O Instituto Julio Simões foi criado em 2006 com o objetivo de fortalecer o trabalho social que a JSL realizava junto às comunidades do entorno de suas operações. Seguindo a vocação de sua mantenedora de

Leia mais

Programa Lixo e Cidadania

Programa Lixo e Cidadania Programa Lixo e Cidadania São Bernardo do Campo (SP) Elisabeth Grimberg e Sonia Lima in Segurança Alimentar e Nutricional: a contribuição das empresas para a sustentabilidade das iniciativas locais Fechar

Leia mais

Impactos do Programa de Qualidade de Vida na Gestão de Pessoas

Impactos do Programa de Qualidade de Vida na Gestão de Pessoas Hospital do Coração Impactos do Programa de Qualidade de Vida na Gestão de Pessoas Rosa Bosquetti Coordenadora de Enfermagem Unidade Coronariana O Hospital O Hospital O Hospital HCor: missão, visão e valores

Leia mais

DEFESA DE MONOGRAFIA Sala: 101

DEFESA DE MONOGRAFIA Sala: 101 CURSO DE BANCA 1 15/12 (Terça) 17:30h Prof. André Brown de Carvalho, Prof. Carlos Henrique Soares e Profa. Carolina Silveira Machado ALINE SIMÕES BARROS A IMPORTÂNCIA DOS INDICADORES SOCIAIS E ECONÔMICOS

Leia mais

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA.

A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA. A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE NA APAM-ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO A MENINA DE PONTA GROSSA. SILVA, Jessica Da¹. NADAL, Isabela Martins². GOMES, R.C. Ana³. RESUMO: O presente trabalho é referente à prática

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA

ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: BALANÇO DE UMA DÉCADA Área Temática: Direitos Humanos e Justiça Liza Holzmann (Coordenadora da Ação de Extensão) Liza Holzmann 1 Palavras Chave:

Leia mais