SINDICATO DAS EMPRESAS DO TRANSPORTE DE CARGAS E LOGÍSTICA DO RIO DE JANEIRO - SINDICARGA - REGULAMENTO ELEITORAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SINDICATO DAS EMPRESAS DO TRANSPORTE DE CARGAS E LOGÍSTICA DO RIO DE JANEIRO - SINDICARGA - REGULAMENTO ELEITORAL"

Transcrição

1 1 Estatuto Social - ANEXO I SINDICATO DAS EMPRESAS DO TRANSPORTE DE CARGAS E LOGÍSTICA DO RIO DE JANEIRO - SINDICARGA - REGULAMENTO ELEITORAL Dispõe sobre o processo eleitoral nos âmbitos da Assembléia Geral e da Diretoria. Capítulo I Do processo eleitoral no âmbito da Assembléia Geral Artigo 1º - Na primeira semana do mês de outubro a cada 03 (três) anos, observados os prazos e demais requisitos previstos nos artigos 37 a 40 do Estatuto Social, o Presidente expedirá o Edital de Convocação da Assembléia Geral Ordinária, a ser realizada na primeira semana de dezembro, ou seja, no prazo de 60 (sessenta) dias a contar da publicação do Edital, para eleger os membros da Diretoria e dos Conselhos Fiscal e Consultivo, cujos mandatos vençam em 31 de dezembro do ano em curso. Artigo 2º - No Edital de Convocação, serão indicados o número de vagas em disputa e a duração dos respectivos mandatos, abrindo-se o prazo improrrogável de 30 (trinta) dias para a inscrição das chapas, que deverão conter os nomes de tantos candidatos quantas sejam as vagas de Diretores e Conselheiros, bem como o aviso de obrigatoriedade do voto, sob pena de multa.

2 2 1º - Os Conselheiros, bem como os Diretores, têm mandato de 03 (três) anos, findo os quais, a Assembléia Geral escolherá, mediante votação, outros ou conceder-lhes-á novo mandato. 2º - Serão indeferidos de plano pelo Presidente os requerimentos apresentados fora de prazo ou que contenham candidatos em número superior ou inferior ao previsto no caput deste artigo. Artigo 3º - Poderão inscrever-se, para disputar as eleições, representantes de sócios efetivos que atenderem às condições de elegibilidade previstas no artigo 75 do Estatuto. 1º - O requerimento de inscrição de chapa, dirigido ao Presidente, será firmado pelo candidato que a encabeçar, sendo instruído com os seguintes documentos: I - ficha de inscrição de cada candidato componente da chapa, contendo sua qualificação completa, acompanhada de cópia de sua Cédula de Identidade (RG) e do seu Cadastro de Pessoa Física (CPF); II - declaração de que preenche todas as condições de elegibilidade previstas neste Estatuto, indicando a empresa, sócia efetiva do SINDICARGA, de que é representante; III - declaração de que deseja candidatar-se ao cargo de Diretor ou membro dos Conselhos Fiscal ou Consultivo, e que conhece as normas que regem o processo eleitoral e autoriza a inclusão de seu nome na chapa. 2º - O requerimento e a ficha de inscrição de que trata o parágrafo anterior serão objeto de modelos aprovados pela Diretoria, que poderão ser retirados pelos interessados na Secretaria da Entidade. 3º - O requerimento e as fichas de inscrição, devidamente assinados, bem como os documentos obrigatórios previstos no 1º deste artigo, serão entregues pessoalmente na Secretaria da Entidade, contra recibo ou remetidos por carta registrada. 4º - É vedada a participação de um mesmo candidato em mais de uma chapa. 5º - Verificando-se a inobservância do disposto no parágrafo anterior, o Presidente concederá prazo de 48 (quarenta e oito) horas para que o interessado manifeste a sua opção por uma das chapas concorrentes. 6º - Inocorrendo manifestação tempestiva do candidato, prevalecerá, dentre as autorizações que houver dado, nos termos do inciso III do 1º deste artigo, a que contiver data mais recente.

3 3 Artigo 4º - Vencido o prazo de inscrição de chapas, o Presidente, ouvida a Tesouraria, examinará cada um dos requerimentos e a respectiva documentação, indeferindo de plano aqueles que não preencherem os requisitos previstos nesta seção e deferindo os demais. 1º - Constatando-se falta de qualquer dos documentos exigidos no 1º ou a inobservância do disposto no 4º do artigo anterior, o Presidente concederá prazo de 03 (três) dias para complemento da documentação ou substituição de nomes, sob pena de indeferimento do registro da chapa. 2º - Do despacho que indeferir o recurso de chapa, caberá recurso à Diretoria, a ser manifestado pelo candidato que a encabeçar, no prazo de 03 (três) dias, a contar da data em que for expedido o fac-símile, ou telegrama de comunicação, sob pena de preclusão. 3º - Recebido o recurso de que trata o parágrafo anterior, o Presidente convocará a Diretoria para julgá-lo no prazo máximo de 05 (cinco) dias, a contar da data em que o recurso for protocolado na Secretaria do SINDICARGA. Artigo 5º - As chapas regularmente registradas serão numeradas, por ordem de entrada dos respectivos requerimentos, na Secretaria do Sindicato, e divulgadas pelo Presidente, pelos mesmos meios utilizados para a divulgação do Edital de Convocação, conforme previsto no artigo 38 do Estatuto Social, abrindo vista de todo o processo eleitoral ao quadro associativo do SINDICARGA e concedendo prazo de 03 (três) dias para eventual impugnação, que apenas poderá ser manifestada por sócio efetivo que esteja quite com a Tesouraria da Entidade. Parágrafo Único - Recebida a impugnação, o Presidente convocará a Diretoria para julgá-la no prazo máximo de 05 (cinco dias), a contar da data em que for protocolada na Secretaria. Artigo 6º - Julgados pela Diretoria os eventuais recursos ou impugnações, ou transcorridos in alibis os prazos para sua interposição, o Presidente determinará à Secretaria a confecção da respectiva cédula única, contendo a composição das chapas registradas, na ordem constante dos requerimentos de inscrição, com os respectivos números e campos próprios para que o eleitor possa assinalar a chapa de sua preferência.

4 4 Artigo 7º - O Presidente determinará, também, à Secretaria, que elabore com antecedência de, pelo menos, 30 (trinta) dias em relação à data prevista para a realização de eleição, ouvida a Tesouraria, a lista de sócios aptos a votar, que será remetida aos candidatos que encabeçarem as chapas registradas, com prazo de 48 (quarenta e oito) horas, a contar do seu recebimento, para a manifestação de qualquer dúvida ou impugnação a respeito da composição da lista de eleitores, sob pena de preclusão. 1º - Estarão aptos a votar os todos os sócios admitidos no quadro social até 06 (seis) meses antes da data do pleito bem como mais de 02 (dois) anos de exercício da atividade, que estiverem quites com os cofres da Entidade na data em que for elaborada a lista de que trata o caput deste artigo. 2º - A lista de que trata o parágrafo anterior identificará, também, os sócios em atraso com suas contribuições, que não poderão se habilitar ao exercício do direito de voto. 3º - A dúvida ou impugnação manifestada, tempestivamente, por qualquer das chapas registradas, tendo por objeto a composição da lista de eleitores, será resolvida de plano e soberanamente pelo Presidente. 4º - Os sócios aptos a votar serão representados na forma do artigo 6º, observado o disposto no artigo 7º e seus incisos, do Estatuto Social. 5º - A condição de representante-procurador provar-se-á através da exibição do respectivo instrumento de mandato, aceitando-se como tal a autorização passada em papel timbrado da empresa representada, firmada por seu sócio ou diretor, dando poderes ao portador para votar em seu nome na Assembléia Geral Ordinária do SINDICARGA. 6º - Admitir-se-á a autorização transmitida por fac-símile, telex ou , desde que seja possível identificar a sua origem e que não haja dúvidas quanto à sua autenticidade. Artigo 8º - No local, dia e hora designados no Edital de Convocação, observado o disposto no 2º do artigo 39 e no artigo 40, o Presidente declarará instalada a Assembléia Geral Ordinária, dando início ao processo de votação. Artigo 9º - O processo de votação será conduzido pela mesa coletora, com competência para resolver eventuais dúvidas, questionamentos ou impugnações, cabendo recurso oral ao Presidente do SINDICARGA, que os decidirá de plano e soberanamente, determinando que o fato seja consignado na ata da Assembléia. 1º - A mesa coletora constituir-se-á de um presidente e dois mesários, de livre escolha do Presidente da Entidade, desde que não sejam candidatos.

5 5 2º - É livre a propaganda eleitoral, antes e durante a eleição, exceto no interior do recinto de votação, desde que não perturbe a boa ordem dos trabalhos, a critério do Presidente. 3º - Cada chapa poderá indicar até 02 (dois) fiscais, desde que não sejam candidatos, para acompanharem os processos de votação e de apuração. Artigo 10 - Os eleitores terão acesso ao recinto de votação, por ordem de chegada, após se identificarem e assinarem a lista de presença, recebendo uma cédula única, rubricada no verso pelo presidente da mesa coletora e por um dos mesários. 1º - De posse da cédula única, cada eleitor dirigir-se-á á cabine de votação, que deverá resguardar o sigilo do voto, assinalará a chapa de sua preferência com um 'x' ou uma cruz, vedada qualquer outra inscrição, sob pena de nulidade. 2º - Em caso de erro, o eleitor poderá solicitar uma outra cédula, em substituição à primeira, hipótese em que esta será inutilizada pela mesa coletora, sem que seja revelado o seu conteúdo. 3º - Concluído o seu voto, o eleitor dobrará a cédula, depositando-a na urna, à vista dos componentes da mesa coletora. 4º - Somente os fiscais regularmente indicados pelas chapas concorrentes terão legitimidade para formular impugnação de voto. 5º - A impugnação de que trata o parágrafo anterior deverá ser apresentada antes de o respectivo voto ser depositado na urna, sob pena de preclusão. 6º - Manifestada regularmente a impugnação, o voto será colhido em separado, utilizando-se, para tanto, envelope especial, no qual a mesa coletora, após encartar a cédula, escreverá o nome do respectivo sócio e, resumidamente, os motivos alegados pelo fiscal impugnante. 7º - Cumprida a formalidade prevista no parágrafo anterior, o envelope especial será depositado na urna. Artigo 11 - Às 18 (dezoito) horas, pontualmente, o Presidente do SINDICARGA declarará encerrada a votação, indagará dos candidatos e dos fiscais se há qualquer impugnação ou protesto a formalizar com relação ao conjunto do processo eleitoral, e resolverá de plano e soberanamente as questões suscitadas, inclusive os casos de votos colhidos em separado, determinando o competente registro dessas ocorrências na ata da Assembléia. Artigo 12 - Em seguida, o Presidente determinará à mesa coletora que proceda à apuração dos votos, sob o acompanhamento dos fiscais designados pelas chapas.

6 6 1º - Neste instante, os votos colhidos em separado, cujas impugnações forem rejeitadas pelo Presidente, serão retirados dos respectivos envelopes especiais e, sem que haja violação de seu conteúdo, devolvidos à urna, para serem apurados juntamente com os demais. 2º - Na apuração, prevalecerá o princípio do máximo aproveitamento da vontade do eleitor, apenas sendo anulado o voto na hipótese do 1º do artigo anterior ou caso ocorra assinalação de mais de uma chapa. Os votos colhidos em separado, cujas impugnações forem acolhidas pelo Presidente, serão considerados nulos, sem que as cédulas sejam retiradas dos respectivos envelopes especiais. 3º - Será considerado voto em branco aquele que não contiver qualquer assinalação. Artigo 13 - Concluída a apuração, o Presidente proclamará o resultado, que levará em conta as quantidades de votos obtidos pelas chapas concorrentes, em relação ao total dos votos válidos. Artigo 14 - Da Assembléia Geral Ordinária será lavrada ata circunstanciada, assinada pelos Presidentes do SINDICARGA e da Mesa Coletora, e pelo Secretário ad hoc, a ser levada a registro perante o Cartório competente. Capítulo II Do processo eleitoral no âmbito da Diretoria Artigo 15 - Depois de eleitos membros da Diretoria, estes reunir-se-ão no prazo máximo de 15 (quinze) dias para escolher o Presidente, o Vice-Presidente e o Diretor Administrativo e Financeiro da Entidade, cujos mandatos terão início no dia 1º de janeiro do ano subseqüente, observadas as condições de elegibilidade previstas no Estatuto. Parágrafo Único - O Presidente em exercício convocará os Diretores eleitos para uma reunião extraordinária, na qual serão votados e eleitos o Presidente, o Vice-Presidente e o Diretor Administrativo e Financeiro da Entidade, com mandato de 03 (três) anos. Artigo 16 - Abrindo os trabalhos, o Presidente determinará à Secretaria que esclareça quem poderá votar e ser votado, observado o disposto neste Estatuto. Parágrafo Único - Não cabe ao Presidente em exercício votar, devendo este tãosomente, presidir a reunião. Os votos ficarão restritos aos Diretores eleitos na Assembléia Geral Ordinária imediatamente anterior.

7 7 Artigo 17 - Perfeitamente definido o colégio eleitoral e esclarecidas todas as dúvidas que a respeito forem suscitadas pelo Plenário, o Presidente franqueará a palavra, pela ordem, aos que a solicitarem, para que sejam indicadas as candidaturas ao cargo de Presidente do SINDICARGA. Artigo 18 Havendo manifesto dissenso nos pronunciamentos referidos no artigo anterior, o Presidente poderá suspender os trabalhos, por até 01 (uma) hora, para que composições sejam realizadas. Artigo 19 Reabrindo os trabalhos, a Mesa informará a composição dos indicados, e o Presidente proporá ao Plenário que a eleição seja realizada pelo sistema simbólico ou, mesmo, por aclamação. Inexistindo oposição por parte de qualquer conselheiro, este sistema será adotado, e o Presidente proclamará eleitos os componentes indicados. Artigo 20 - A ata da reunião ordinária da Diretoria na qual forem realizadas eleições, devidamente assinada pelo Presidente e pelo Secretário ad hoc, será levada a registro perante o Cartório competente. Artigo 21 - Este Regulamento Eleitoral é parte integrante e indissociável do Estatuto Social do SINDICARGA, aprovado nesta data, entrando em vigor, juntamente com ele, revogadas as disposições em contrário. Rio de Janeiro, 02 de dezembro de FRANCISCO CÉZAR HOLANDA DE OLIVEIRA Presidente da Assembléia Geral de Alteração Estatutária JORGE MURILO DOS SANTOS CORRÊA Secretário da Assembléia Geral de Alteração Estatutária MÁRCIA BORGES DA SILVA OAB RJ

Regimento Eleitoral. Capítulo I: Da Convocação das Eleições e Instalação da AGO

Regimento Eleitoral. Capítulo I: Da Convocação das Eleições e Instalação da AGO Regimento Eleitoral Capítulo I: Da Convocação das Eleições e Instalação da AGO Art. 1º As eleições gerais do SiNAENCO serão convocadas com antecedência de até 60 (sessenta) dias da data da eleição pelo

Leia mais

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL ARTIGO 1º - As eleições para a Diretoria e para o Conselho Fiscal da AFBNB, para mandato no triênio 2011 a 2013, realizar-se-á

Leia mais

O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições legais e regimentais; CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO E DO VOTO

O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições legais e regimentais; CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO E DO VOTO RESOLUÇÃO CFB N. 144, DE 05 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre as eleições dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia e dá outras providências. O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES SINDICAIS 2015/2018.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES SINDICAIS 2015/2018. EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES SINDICAIS 2015/2018. O SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO AMAZONAS SINDUSCON/AM, inscrito no CNPJ sob o n.04.535.704/0001-10, com sede na Avenida

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS. Normas e Instruções Disciplinadoras

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS. Normas e Instruções Disciplinadoras Circular Nota Oficial nº 009/2012 Aos Clubes, Liga e Associações Filiadas REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS Normas e Instruções Disciplinadoras Conforme previsão estatutária, constante

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL INSTRUÇÕES PARA AS MESAS RECEPTORAS E APURADORAS DA ELEIÇÃO AOS CARGOS DE REITOR E VICE-REITOR DA UFAC QUADRIÊNIO 2012/2016 APRESENTAÇÃO Senhores membros das Mesas Receptoras e Apuradoras de votos, Ressaltando

Leia mais

MODELO 1 ELEIÇÕES SINDICAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO

MODELO 1 ELEIÇÕES SINDICAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO MODELO 1 ELEIÇÕES SINDICAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO Pelo presente Edital, faço saber que no dia...de...de..., no período de... às... horas, na Sede desta Entidade (endereço ou outros locais, se for o caso),

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º Este regulamento tem por objetivo normatizar o

Leia mais

SINDICATO DOS PERITOS CRIMINAIS DA BAHIA ASBAC

SINDICATO DOS PERITOS CRIMINAIS DA BAHIA ASBAC SINDICATO DOS PERITOS CRIMINAIS DA BAHIA ASBAC REGIMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E CONSELHO FISCAL DA ASBAC Conforme faculta o Artigo 66 do estatuto, a Assembleia Geral aprovou este Regimento

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 002/2013, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

IPREVI HO Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Herval d Oeste

IPREVI HO Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Herval d Oeste EDITAL DE CONVOCAÇÃO IPREVI-HO Nº 001/2014 ASSEMBLÉIA GERAL ELEIÇÕES DOS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL ABRE INSCRIÇÕES E FIXA NORMAS PARA O PROCESSO ELEITORAL DOS CONSELHOS DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

SUMÁRIO CONVENÇÕES MUNICIPAIS DE 2015 INSTRUÇÕES

SUMÁRIO CONVENÇÕES MUNICIPAIS DE 2015 INSTRUÇÕES SUMÁRIO CONVENÇÕES MUNICIPAIS DE 2015 INSTRUÇÕES Calendário da Convenção... 07 Diretórios que poderão realizar Convenção... 09 Filiados que participarão da Convenção... 09 Podem compor a chapa para o Diretório...

Leia mais

ASSOREVAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS VALTRA C.N.P.J./M.F.: 49.328.552/0001 12 INSCRIÇÃO ESTADUAL: ISENTA ESTATUTO SOCIAL

ASSOREVAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS VALTRA C.N.P.J./M.F.: 49.328.552/0001 12 INSCRIÇÃO ESTADUAL: ISENTA ESTATUTO SOCIAL ASSOREVAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS VALTRA C.N.P.J./M.F.: 49.328.552/0001 12 INSCRIÇÃO ESTADUAL: ISENTA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E FINALIDADES ARTIGO

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. DISPÕE SOBRE A ELEIÇÃO DE DIRETORES DAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE MORMAÇO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço,

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010

REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010 REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010 0BSEÇÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - As eleições

Leia mais

Art. 1 2 A Eleição para os cargos de Delegado Efetivo e Suplente do SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL, reger-se-á pelo Estatuto e por este Regulamento.

Art. 1 2 A Eleição para os cargos de Delegado Efetivo e Suplente do SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL, reger-se-á pelo Estatuto e por este Regulamento. V COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO' DA FAZENDA e dos ÓRGÃOS VINCULADOS À PRESIDÉNCIA DA REPÚBLICA LTDA SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL 1 SI B Ed. CREDFAZ - SCS - Q.

Leia mais

2. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

2. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO EDITAL nº 001/2013 - ELEIÇÃO PARA COORDENADOR, VICE- COORDENADOR E REPRESENTANTES DOCENTES E DISCENTES DO CONSELHO DO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA. A FUNDAÇÃO FUNEMAT, pessoa jurídica de direito público

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1 REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Além das disposições constantes do Estatuto Social e do Edital de Convocação, as chapas e candidatos individuais interessados em concorrer

Leia mais

Eleição e competências das Comissões de Ética Médica - Resolução: 1657 de 19/12/2002

Eleição e competências das Comissões de Ética Médica - Resolução: 1657 de 19/12/2002 Eleição e competências das Comissões de Ética Médica - Resolução: 1657 de 19/12/2002 Ementa: Estabelece normas de organização, funcionamento e eleição, competências das Comissões de Ética Médica dos estabelecimentos

Leia mais

EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015.

EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015. EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015. CONVOCA AS ENTIDADES PARA PARTICIPAR DO PROCESSO ELEITORAL PARA A COMPOSIÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE TERESINA BIÊNIO 2016-2017. O Conselho Municipal

Leia mais

CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01 DA COMISSÃO ELEITORAL, DE 26 DE MARÇO DE 2012. DIVULGA AS NORMAS E CALENDÁRIO ELEITORAL REFERENTE À CONSULTA PRÉVIA PARA OS CARGOS

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA COOPERATIVA DE POUPANÇA E CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DA REGIÃO DE MARINGÁ SICOOB METROPOLITANO TÍTULO I DO OBJETIVO

REGULAMENTO ELEITORAL DA COOPERATIVA DE POUPANÇA E CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DA REGIÃO DE MARINGÁ SICOOB METROPOLITANO TÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO ELEITORAL DA COOPERATIVA DE POUPANÇA E CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DA REGIÃO DE MARINGÁ SICOOB METROPOLITANO TÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1 Este Regulamento Eleitoral tem como objetivo disciplinar

Leia mais

MANUAL DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÕES

MANUAL DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÕES MANUAL DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÕES CAPITULO I DA CONVOCAÇÃO Artigo 1º - Todo processo eleitoral será precedido de edital do presidente da Cooperativa convocando os associados interessados em

Leia mais

Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. São José dos Campos/SP

Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. São José dos Campos/SP CIRCULAR INFORMATIVA - CHAPAS PROCESSO ELEITORAL - Eleição Diretoria Triênio 2015/2017 O SINDIVAPA informa a Chapa Única inscrita neste processo eleitoral CHAPA Diretoria 2015 a 2017 Presidente Laercio

Leia mais

REGRAS Processo Eleitoral ANPEI

REGRAS Processo Eleitoral ANPEI REGRAS Processo Eleitoral ANPEI 1. DA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL: Conforme definido no Art. 40, as eleições serão realizadas em conformidade com o disposto neste Estatuto Social e de acordo com

Leia mais

SOCIEDADE PAULISTA DE RADIOLOGIA E DIAGNOSTICO POR IMAGEM

SOCIEDADE PAULISTA DE RADIOLOGIA E DIAGNOSTICO POR IMAGEM 48 SOCIEDADE PAULISTA DE RADIOLOGIA E DIAGNOSTICO POR IMAGEM. CD.o ~ g C.N.P.J NO49.410.145/0001-50 REGIMENTO ELEITORAL Artigo 1 - As eleições para a Diretoria da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ADUFAC Seção Sindical do ANDES - SN

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ADUFAC Seção Sindical do ANDES - SN EDITAL Nº 001/2015 ELEIÇÃO DA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - ADUFAC-SEÇÃO SINDICAL DO ANDES SN, PARA O PERÍODO DE JANEIRO/2016 A JANEIRO/2018. CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA CFBio

CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA CFBio INSTRUÇÃO ELEITORAL QUE REGULAMENTA O PROCESSO PARA ELEIÇÃO E POSSE DOS CONSELHEIROS DO CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA DA 8ª REGIÃO - CRBio-08 (BA, AL, SE), PARA O MANDATO DE 06 DE JANEIRO DE 2015 A 06

Leia mais

DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS

DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS ELEIÇÃO PARA A DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL NACIONAL TRIÊNIO 2016-2019 DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS CAPÍTULO III DOS DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS/FILIADOS SEÇÃO I DOS DIREITOS Art. 10º - São

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE ZOOTECNIA CAZ

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE ZOOTECNIA CAZ EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE ZOOTECNIA CAZ Edital 01/2014 A Comissão Eleitoral eleita em Assembleia Geral do Curso de Zootecnia realizada no último

Leia mais

CAPÍTULO II: DA COMISSÃO ELEITORAL

CAPÍTULO II: DA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE FÍSICA CAFÍS Edital 01/2012 A Comissão Eleitoral eleita em Assembleia Geral do Curso de Licenciatura em Física realizada

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES Art.1º- O presente Regimento Interno elaborado na forma do artigo 35 (Trinta e cinco) do Estatuto tem por

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 28 de março de 2014

Reitoria. Universidade do Minho, 28 de março de 2014 Reitoria despacho RT-14/2014 Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 37.º e no n.º 2 do artigo 51.º dos Estatutos da Universidade do Minho, aprovados pelo Despacho Normativo n.º 61/2008, de 5 de dezembro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação SOCIEDADE AMIGOS DO CURIÓ (SAC) Fundada em 23 de julho de 1980 Rua Prof. Osmarino de Deus Cardoso, 101 CEP 88.036-598 Trindade Florianópolis SC CNPJ 75.329.243/0001-71 www.sacurio.com.br / saccurio@brturbo.com.br

Leia mais

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Código Eleitoral da Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Art. 01 - O presente Código tem por objetivo assegurar a organização e o funcionamento

Leia mais

Região Autónoma dos Açores ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ALMAGREIRA MODELO DE REGIMENTO DE ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CAPITULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA

Região Autónoma dos Açores ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ALMAGREIRA MODELO DE REGIMENTO DE ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CAPITULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA Região Autónoma dos Açores ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ALMAGREIRA MODELO DE REGIMENTO DE ASSEMBLEIA DE FREGUESIA CAPITULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato 1. Os membros

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº 539-35.2015.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº 539-35.2015.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº 539-35.2015.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Gilmar Mendes Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre pesquisas eleitorais para o pleito

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA-GERAL DE LICITAÇÕES ATENÇÃO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA-GERAL DE LICITAÇÕES ATENÇÃO 1 ATENÇÃO As empresas interessadas em participar deste Convite, deverão passar um fax para a Coordenadoria Geral de Licitação (24) 3339-9038/3339-9071, confirmando a retirada deste edital pela internet.

Leia mais

ATO DELIBERATIVO 27/2015. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e,

ATO DELIBERATIVO 27/2015. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e, ATO DELIBERATIVO 27/2015 O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e, CONSIDERANDO a necessidade de atualizar as disposições do Ato Deliberativo

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO NO ESTADO DO PARANÁ

ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO NO ESTADO DO PARANÁ ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO NO ESTADO DO PARANÁ CAPÍTULO I - DAS PRERROGATIVAS, DEVERES E CONDIÇÕES PARA FUNCIONAMENTO DO SINDICATO. Art. 1º - O SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO

Leia mais

As disposições do artigo 46 do Estatuto da FUNECE e do artigo 43 do Regimento Geral da UECE;

As disposições do artigo 46 do Estatuto da FUNECE e do artigo 43 do Regimento Geral da UECE; Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência Tecnologia e Educação Superior Universidade Estadual do Ceará UECE Secretaria dos Órgãos de Deliberação Coletiva - SODC RESOLUÇÃO Nº 902/2012 - CONSU, de

Leia mais

LEI Nº 3.793 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1998

LEI Nº 3.793 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1998 LEI Nº 3.793 DE 30 DE DEZEMBRO DE 1998 DISPÕE SOBRE APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO DAS JUNTAS ADMINISTRATIVAS DE RECURSOS DE INFRAÇÕES JARI DO MUNICÍPIO DE CUIABÁ MT. O prefeito Municipal de Cuiabá-MT,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº INSTRUÇÃO Nº CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Gilmar Mendes Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre pesquisas eleitorais para as eleições de 2016. O Tribunal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 78, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2008. RESOLVE: REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PROCURADORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DA COMPOSIÇÃO

RESOLUÇÃO Nº 78, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2008. RESOLVE: REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PROCURADORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DA COMPOSIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR (Publicada no DJ, de 28/11/2008, págs. 11/12) (Alterada pela Resolução nº 80, de 24/03/2009) (Alterada pela Resolução nº

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO.

RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO. RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO. Aprova o Regulamento de consulta à comunidade universitária para efeito de escolha do Diretor e Vice- Diretor da FMTM A CONGREGAÇÃO DA FACULDADE

Leia mais

ORDEM DOS MEDICOS DE ANGOLA REGULAMENTO GERAL DOS COLEGIOS DE ESPECIALIDADE SECÇÃO I. Da DEFINIÇÂO, dos CONCEITOS, dos OBJECTIVOS e da CONSTITUIÇÃO

ORDEM DOS MEDICOS DE ANGOLA REGULAMENTO GERAL DOS COLEGIOS DE ESPECIALIDADE SECÇÃO I. Da DEFINIÇÂO, dos CONCEITOS, dos OBJECTIVOS e da CONSTITUIÇÃO ORDEM DOS MEDICOS DE ANGOLA REGULAMENTO GERAL DOS COLEGIOS DE ESPECIALIDADE SECÇÃO I Da DEFINIÇÂO, dos CONCEITOS, dos OBJECTIVOS e da CONSTITUIÇÃO Art.º 1 1º A Ordem dos Médicos reconhece os seguintes

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011)

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) I - Das disposições gerais II - Do processo eleitoral A) Da eleição para a Diretoria e o Conselho Fiscal B) Da eleição para o Conselho de Ética

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1. Objeto

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1. Objeto REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1. Objeto O presente Regulamento estabelece o regime de eleição dos membros que integrarão

Leia mais

ASSEITE-MT Associação das Empresas de Informática e Telecomunicações de Mato Grosso

ASSEITE-MT Associação das Empresas de Informática e Telecomunicações de Mato Grosso ESTATUTO SOCIAL DA ASSEITE-MT Data de Fundação: 12 de agosto de 1985. ÍNDICE GERAL Capítulo I - Identidade Social... 03 Capítulo II Objetivos... 03 Capítulo III Associados... 04 Capítulo IV Rendas... 07

Leia mais

EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016.

EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016. EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016. PROCESSO DE ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DOCENTES, TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO, DISCENTES, E EGRESSOS, PARA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO

Leia mais

Ano 2015, Número 242 Brasília, quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 Página 2

Ano 2015, Número 242 Brasília, quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 Página 2 Ano 2015, Número 242 Brasília, quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 Página 2 PRESIDÊNCIA (NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA) SECRETARIA JUDICIÁRIA Coordenadoria de Acórdãos e Resoluções Resolução PUBLICAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE CAPÍTULO 1 DAS FINALIDADES DE REGIMENTO INTERNO DA CEUA Art. 1 A Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) da Fundação Universidade Federal de

Leia mais

Título I Do Colegiado e Seus Fins. Título II Da Constituição do Colegiado

Título I Do Colegiado e Seus Fins. Título II Da Constituição do Colegiado Regimento Interno do Colegiado do Curso de Graduação em Ciência da Computação da Faculdade Federal de Rio das Ostras do Pólo Universitário de Rio das Ostras Título I Do Colegiado e Seus Fins Art. 1º. O

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, CONSELHOS COMUNITÁRIOS Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHOS COMUNITÁRIOS ORGAO COLEGIADO GABINETE DO PREFEITO Tornar os cidadãos parte ativa no exercício do governo, mediante

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS -SINDIPÚBLICO GOIÁS-

ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS -SINDIPÚBLICO GOIÁS- ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS -SINDIPÚBLICO GOIÁS- Aprovado em 21 de janeiro de 2014 Estatuto do SINDIPÚBLICO GOIÁS Página 1 TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, PRERROGATIVAS,

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL. EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL. O Conselho Municipal de Direito da Criança e do Adolescente de Curionópolis - CMDCAC, convoca a ELEIÇÃO dos Membros Titulares e Suplentes da Sociedade

Leia mais

NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS AO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2 O SEMESTRE DE 2013

NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS AO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2 O SEMESTRE DE 2013 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS COORDENADORIA DE INGRESSO DISCENTE NORMAS PARA O PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS AO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO Dá nova redação ao artigo 86 e revoga o 1º do artigo 247 e o inciso XII do artigo 187, todos do Regimento Interno do TCE/RO, relativos à vista, carga e devolução de processos

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA-GERAL DE LICITAÇÕES ATENÇÃO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO COORDENADORIA-GERAL DE LICITAÇÕES ATENÇÃO 1 ATENÇÃO As empresas interessadas em participar deste Convite, deverão passar um fax para a Coordenadoria Geral de Licitação (24) 3339-9038/3339-9071 ou email cgl@vr.rj.gov.br, confirmando a retirada

Leia mais

CÂMARA PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA DO RIO DE JANEIRO C.N.P.J. 42.519.785/0001-53 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I

CÂMARA PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA DO RIO DE JANEIRO C.N.P.J. 42.519.785/0001-53 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I 1 CÂMARA PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA DO RIO DE JANEIRO C.N.P.J. 42.519.785/0001-53 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Denominação, Sede, Natureza Jurídica, Duração e Fins Artigo 1º A CÂMARA PORTUGUESA DE

Leia mais

Jeep Clube de Brasília. Estatuto Social

Jeep Clube de Brasília. Estatuto Social Jeep Clube de Brasília Estatuto Social CAPÍTULO I DA ASSOCIAÇÃO NATUREZA E FINS Art. 1º O JEEP CLUBE DE BRASÍLIA, com a sigla JCB, fundado em 17 de junho de 1989, é uma sociedade civil sem fins lucrativos,

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo REGULAMENTO DO CENTRO DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DA CÂMARA PORTUGUESA DE COMÉRCIO NO BRASIL SÃO PAULO Artigo 1º O Centro de Arbitragem 1.1. O Centro de Mediação e Arbitragem da Câmara Portuguesa de Comércio

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA 1ª REGIÃO-RJ. CAPÍTULO I Constituição e Jurisdição

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA 1ª REGIÃO-RJ. CAPÍTULO I Constituição e Jurisdição REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA 1ª REGIÃO-RJ CAPÍTULO I Constituição e Jurisdição Art. 1º - O Conselho Regional de Economia da 1ª Região tem sede e foro na cidade do Rio de Janeiro e

Leia mais

Tenham entre 18 e 35 anos completos.

Tenham entre 18 e 35 anos completos. De acordo com Portaria publicada no Diário Oficial da União em 15 de agosto 2012 EDITAL Bolsa de Aperfeiçoamento TÉCNICO E ARTÍSTICO em Música O Presidente da Fundação Nacional de Artes Funarte, no uso

Leia mais

Regimento de Assembleia de Freguesia Santa Margarida da Coutada CAPÍTULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA. Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato

Regimento de Assembleia de Freguesia Santa Margarida da Coutada CAPÍTULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA. Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato Regimento de Assembleia de Freguesia Santa Margarida da Coutada CAPÍTULO I DOS MEMBROS DA ASSEMBLEIA Artigo 1 Natureza e âmbito do mandato 1. Os membros da Assembleia de Freguesia representam os habitantes

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO Dispõe sobre os procedimentos, critérios, condições de elegibilidade, normas de campanha eleitoral e pressupostos de proclamação dos eleitos nas eleições do

Leia mais

SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES

SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES SUCESSÃO DO CONSELHO FISCAL E COORDENAÇÃO COLEGIADA DO SINTET-UFU Biênio 2016-2018 REGIMENTO ELEITORAL PROCEDIMENTOS PRELIMINARES Art.1º. De acordo com os Art. 39, 40 e 50 do Estatuto Social do Sindicato

Leia mais

ALPHAVILLE TÊNIS CLUBE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

ALPHAVILLE TÊNIS CLUBE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ALPHAVILLE TÊNIS CLUBE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Este Regimento Interno tem por finalidade a regulamentação do funcionamento e operacionalização das matérias atribuídas ao Conselho

Leia mais

2. Revogar o Regulamento Eleitoral para eleições do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal, gestão 2014/2015; 5. Outros assuntos de interesse social.

2. Revogar o Regulamento Eleitoral para eleições do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal, gestão 2014/2015; 5. Outros assuntos de interesse social. Ct. ANTP/ 024/2014 São Paulo, 7 de fevereiro de 2014 Prezado Associado, A fim de cumprir exigências legais registrárias, ficam os Senhores Associados convocados, na forma do 3º do art. 21 e dos artigos.

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu EDITAL Nº 01/2016 FOZPREV/COMISSÃO ELEITORAL EDITAL DE ABERTURA REGIMENTO ELEITORAL O Diretor Superintendente do FOZPREV, nomeado pela Portaria nº 51.484, de 8 de janeiro de 2013, e a Presidente da Comissão

Leia mais

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais E S T A T U T O

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais E S T A T U T O MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Prazo E S T A T U T O Art. 1º - A Mercantil do Brasil

Leia mais

Os sócios da Liga são ordinários ou honorários, designando-se por «Amigos».

Os sócios da Liga são ordinários ou honorários, designando-se por «Amigos». CAPÍTULO I (Denominação, natureza e fins) Artigo 1º 1 A Liga dos Amigos do Hospital Geral de Santo António é uma associação apolítica e inconfessional com sede na Cidade do Porto, Largo Professor Abel

Leia mais

Sindicato dos Contabilistas de São Paulo (Ex-Instituto Paulista de Contabilidade - Fundado em 1919) ÓRGÃO DE PROFISSÃO LIBERAL

Sindicato dos Contabilistas de São Paulo (Ex-Instituto Paulista de Contabilidade - Fundado em 1919) ÓRGÃO DE PROFISSÃO LIBERAL CAPÍTULO I DOS FINS DO SINDICATO Art. 1º O SINDICATO DOS CONTABILISTAS DE SÃO PAULO, fundado em 19 de julho de 1919, com a denominação de INSTITUTO PAULISTA DE CONTABILIDADE, tendo adotado a atual denominação

Leia mais

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA STJD ATLETISMO DO BRASIL REGIMENTO INTERNO

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA STJD ATLETISMO DO BRASIL REGIMENTO INTERNO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA STJD ATLETISMO DO BRASIL REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO SUPERIOR TRIBUNAL Art. 1º. Ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Atletismo do Brasil STJD/AtB, unidade

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE REUNIÃO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE REUNIÃO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - SECOM 3ª Av.nº 390, Plataforma IV, 1ºandar, CAB.CEP: 41.745-005 Salvador - Bahia Brasil Tel e Fax: (71) 311566644/6025- site: www.secom.ba.gov.br

Leia mais

RESOLUÇÃO 23.190 INSTRUÇÃO Nº 127 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral.

RESOLUÇÃO 23.190 INSTRUÇÃO Nº 127 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. RESOLUÇÃO 23.190 INSTRUÇÃO Nº 127 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe sobre pesquisas eleitorais (Eleições de 2010).

Leia mais

REGULAMENTO PROCESSUAL DA BSM

REGULAMENTO PROCESSUAL DA BSM REGULAMENTO PROCESSUAL DA BSM O Conselho de Supervisão da BM&FBOVESPA SUPERVISÃO DE MERCADOS (BSM), no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social da entidade e após a autorização da Comissão

Leia mais

ABDEPP/Freinet ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO, ESTUDOS E PESQUISAS DA PEDAGOGIA FREINET.

ABDEPP/Freinet ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO, ESTUDOS E PESQUISAS DA PEDAGOGIA FREINET. ABDEPP/Freinet ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO, ESTUDOS E PESQUISAS DA PEDAGOGIA FREINET. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FORO ART. 1 o - Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FREI OTHMAR Trav. Prof. José Agostinho, s/n. Santíssimo CEP 68010-230 - Santarém - Pará

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FREI OTHMAR Trav. Prof. José Agostinho, s/n. Santíssimo CEP 68010-230 - Santarém - Pará ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FREI OTHMAR Trav. Prof. José Agostinho, s/n. Santíssimo CEP 68010-230 - Santarém - Pará REGIMENTO ELEITORAL PARA ESCOLHA DE DIRETORIA DO GRÊMIO ESDANTIL DA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, vinculado ao Instituto

Leia mais

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE EXTRAÇÃO DE MÁRMORES, CALCÁRIOS E PEDREIRAS NO ESTADO DO PARANÁ. ESTATUTO. Capitulo I

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE EXTRAÇÃO DE MÁRMORES, CALCÁRIOS E PEDREIRAS NO ESTADO DO PARANÁ. ESTATUTO. Capitulo I SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE EXTRAÇÃO DE MÁRMORES, CALCÁRIOS E PEDREIRAS NO ESTADO DO PARANÁ. ESTATUTO Capitulo I Art.1º - O SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE EXTRAÇÃO DE MÁRMORES, CALCÁRIOS E PEDREIRAS NO ESTADO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL (Aprovado pela Resolução CONDEL n o 027/2015, de 2/9/2015)

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL (Aprovado pela Resolução CONDEL n o 027/2015, de 2/9/2015) REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL (Aprovado pela Resolução CONDEL n o 027/2015, de 2/9/2015) CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Art. 1 o Este Regimento Interno do Conselho Fiscal CONFI estabelece as normas que complementam

Leia mais

QUARTA REFORMA DO ESTATUTO DO SINDICATO DOS DESPACHANTES DE VEÍCULOS DO ESTADO DO CEARÁ-SINDEVECE CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETIVOS

QUARTA REFORMA DO ESTATUTO DO SINDICATO DOS DESPACHANTES DE VEÍCULOS DO ESTADO DO CEARÁ-SINDEVECE CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETIVOS QUARTA REFORMA DO ESTATUTO DO SINDICATO DOS DESPACHANTES DE VEÍCULOS DO ESTADO DO CEARÁ-SINDEVECE CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETIVOS Art.1º - O Sindicato dos Despachantes Documentalistas do Ceará

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997.... Da Propaganda Eleitoral no Rádio e na Televisão...

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997.... Da Propaganda Eleitoral no Rádio e na Televisão... LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. Da Propaganda Eleitoral no Rádio e na Televisão Art. 45. A partir de 1º de julho do ano da eleição, é vedado às emissoras de

Leia mais

CAPÍTULO I. Da Denominação, Sede, Duração e Fins

CAPÍTULO I. Da Denominação, Sede, Duração e Fins CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Duração e Fins Artigo 1 - A Associação dos Auditores Fiscais da Prefeitura Municipal de Campinas é uma sociedade civil, com sede e foro na Cidade de Campinas, na rua General

Leia mais

REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP. Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina

REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP. Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina Eleição triênio 2012/2015 A comissão eleitoral reunida no dia 14.08.2013

Leia mais

CIRCULAR Nº 027/2005 ISS PRESTADORES ESTABELECIDOS FORA DE SÃO PAULO CADASTRAMENTO NA CAPITAL - OBRIGATORIEDADE

CIRCULAR Nº 027/2005 ISS PRESTADORES ESTABELECIDOS FORA DE SÃO PAULO CADASTRAMENTO NA CAPITAL - OBRIGATORIEDADE São Paulo, 21 de Novembro de 2.005 DE: ASSESSORIA JURÍDICA PARA: ASSOCIADOS CIRCULAR Nº 027/2005 ISS PRESTADORES ESTABELECIDOS FORA DE SÃO PAULO CADASTRAMENTO NA CAPITAL - OBRIGATORIEDADE Para conhecimento,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

SINDICATO RURAL PATRONAL DE TOLEDO ESTATUTO

SINDICATO RURAL PATRONAL DE TOLEDO ESTATUTO SINDICATO RURAL PATRONAL DE TOLEDO ESTATUTO CAPÍTULO I Denominação, Sede, Foro, Jurisdição Objetivos e Prerrogativas 1º. O Sindicato Rural de Toledo, entidade sindical de 1º grau, com sede e foro na cidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XXXXXXXXX INSTRUÇÃO Nº 959-11.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº XXXXXXXXX INSTRUÇÃO Nº 959-11.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº XXXXXXXXX INSTRUÇÃO Nº 959-11.2013.6.00.0000 CLASSE 19 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Dispõe sobre a cerimônia de assinatura

Leia mais

DELIBERAÇÃO JUCESP N.º 04, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2000.

DELIBERAÇÃO JUCESP N.º 04, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2000. DELIBERAÇÃO JUCESP N.º 04, DE 01 DE NOVEMBRO DE 2000. O Plenário da Junta Comercial do Estado de São Paulo, por proposta de seu Presidente, em sessão do Colégio de Vogais de 01/11/00 de 2000; Considerando

Leia mais

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s d e G u i a - P o m b a l

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s d e G u i a - P o m b a l 2014/2018 ÍNDICE ÍNDICE...2 PREÂMBULO...3 Capítulo I...3 Disposições Gerais...3 Artigo 1.º - Âmbito de aplicação...3 Artigo 2.º - Objeto...3 Artigo 3.º - Composição...3 Artigo 4.º - Designação dos representantes...3

Leia mais

Sindicato dos Despachantes Aduaneiros ESTATUTO SOCIAL CAPITULO I SEÇÃO I DOS OBJETIVOS

Sindicato dos Despachantes Aduaneiros ESTATUTO SOCIAL CAPITULO I SEÇÃO I DOS OBJETIVOS Sindicato dos Despachantes Aduaneiros ESTATUTO SOCIAL CAPITULO I SEÇÃO I DOS OBJETIVOS Art.1 O SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS, sucessor do SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS DE PARANAGUÁ, por

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO DE JANEIRO EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO DE JANEIRO EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016 EDITAL DE CHAMADA PARA CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIO Nº 001/2016 1.INTRODUÇÃO 1.1 O COREN/RJ, com sede na Avenida Presidente Vargas, nº 502, 3º, 4º, 5º e 6º andares, Centro, Rio de Janeiro/RJ, torna público que

Leia mais

O mandato dos Conselheiros de Administração é de 03(três) anos, sendo que suas posses ocorrerão na primeira reunião do órgão, subseqüente à eleição.

O mandato dos Conselheiros de Administração é de 03(três) anos, sendo que suas posses ocorrerão na primeira reunião do órgão, subseqüente à eleição. São Paulo, 26 de outubro de 2005. Prezado(a) Associado(a) Assuntos: 1) Eleições gerais para renovação de 1/3 (um terço) do Conselho de Administração; 2) Eleições gerais para renovação da Diretoria Executiva.

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Institui o Regulamento dos cursos de Pós-graduação lato sensu em da Escola de Direito de Brasília EDB, mantida pelo Instituto Brasiliense de Direito

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 9-CEPE-CAD/UNICENTRO, DE 21 DE MAIO DE 2009. Aprova o Regulamento do Protocolo Geral da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 10 DE JUNHO DE 2015, DA COMISSÃO ELEITORAL.

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 10 DE JUNHO DE 2015, DA COMISSÃO ELEITORAL. 1 RESOLUÇÃO Nº 04, DE 10 DE JUNHO DE 2015, DA COMISSÃO ELEITORAL. EMENTA: FIXA O QUE DEVE SER CUMPRIDO E O QUE DEVE SER PROIBIDO DURANTE O DIA DAS ELEIÇÕES - 2015 - DO SINTAF-CE. O PRESIDENTE DA COMISSÃO

Leia mais

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E BASE TERRITORIAL

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E BASE TERRITORIAL SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DE SÃO PAULO - SP-URBANUSS (Carta Sindical expedida em 21 de dezembro de 1982) BASE TERRITORIAL - MUNICÍPIO DE SÃO PAULO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Setembro de 2012 I - DA ELEIÇÃO ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE DA FIOCRUZ - 2012 REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1º - A eleição do presidente da Fiocruz será autorizada e acompanhada pelo

Leia mais