REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS. Normas e Instruções Disciplinadoras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS. Normas e Instruções Disciplinadoras"

Transcrição

1 Circular Nota Oficial nº 009/2012 Aos Clubes, Liga e Associações Filiadas REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS Normas e Instruções Disciplinadoras Conforme previsão estatutária, constante do artigo 15º, parágrafo 2º, a Diretoria da Federação Paulista de Tênis em reunião realizada aos 28 dias do mês de maio de 2012, deliberou elaborar REGULAMENTO ELEITORAL com as normas e instruções disciplinadoras, para serem seguidas especificamente na Assembleia Geral Ordinária Quadrienal Eletiva, a ser realizada no próximo dia 05 de julho de 2012, devidamente registradas em Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas de São Paulo e disponibilizadas no website da Federação na internet. I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º As eleições para os cargos de Presidente, (3) três Vices Presidentes, (3) três membros efetivos e (3) três suplentes do Conselho Fiscal da Federação Paulista de Tênis, serão realizadas em conformidade com o disposto no Estatuto vigente e neste Regulamento. Art. 2º O voto será por chapa, na qual constará o nome dos candidatos, juntamente ao cargo para o qual pretendam ser eleitos. Art. 3º O voto será assegurado às pessoas jurídicas descritas no artigo 3º do Estatuto, associações e clubes, em dia com as suas obrigações e contribuições associativas, sem quaisquer outros débitos junto à Federação, doravante denominados entidades filiadas. Art. 4º Cada entidade filiada deverá ser representada somente por (1) uma pessoa física, nos termos de seu estatuto social, sendo o seu Presidente ou Procurador. Art. 5º Sem prejuízo do disposto no artigo 4º, poderá a entidade filiada ser representada por procurador, portador de procuração em papel timbrado do Clube ou Associação, com fins específicos e sem possibilidades de substabelecimento, com firma reconhecida em Cartório de Notas ou Registro Civil, nos termos de seu estatuto social. Art. 6º Cada entidade filiada terá direito a (1) um voto. Circular Nota Oficial 009/12 Página 1

2 II - DA CONVOCAÇÃO E DO REGISTRO DAS CHAPAS Art. 7º As eleições serão convocadas por meio de Edital de Convocação, com horário e local previamente designados pelo Presidente e da Diretoria. NO EDITAL CONSTARÁ: I) Data da eleição: que ocorrerá no dia 05 de julho de 2012; II) Horário: em primeira convocação as 19h00 horas, e, não havendo quórum, em segunda convocação as 20h00 horas, sendo esta realizada com qualquer número de filiados presentes; III) Prazo para registro das chapas: será até (5) cinco dias antes da realização da eleição, na sede da Federação Paulista de Tênis, e no horário de funcionamento da secretaria da entidade, sendo das 8h30m até as 17h30m, ou seja até: 29/06/2012. IV) cópias do Edital de Convocação serão remetidas por via postal, com aviso de recebimento (AR), às Associações e clubes filiados. V) no mesmo prazo, serão afixadas cópias do Edital de Convocação na sede da FPT. Art. 8º O requerimento de registro da chapa, deverá ser em duas vias, endereçado à Comissão Eleitoral e protocolizada na secretaria da FPT, observado o disposto no parágrafo primeiro (1º) do artigo 15º (décimo quinto) do Estatuto da Federação e será instruído com: I) cópias autenticadas das Carteiras de Identidades; II) declaração dos candidatos, sob as penas da lei, de não se encontrarem incursos em qualquer dos impedimentos a seguir: a) não tiverem definitivamente aprovadas as suas contas de exercício em cargos de administração; b) houverem lesado o patrimônio de qualquer entidade esportiva; c) tiverem sido condenados por crime doloso, enquanto persistirem os efeitos da pena. Art. 9º Será indeferido o registro da chapa que não contenha candidatos efetivos a todos os cargos eletivos ou que não esteja acompanhada dos documentos exigidos no Art. 8º deste Regulamento. 1º Verificando-se irregularidade na documentação apresentada, será o requerente do registro notificado para supri-la no prazo de (24) vinte e quatro horas, desde que anteceda ao pleito eleitoral. Esgotado o prazo e sem a devida correção da irregularidade, o registro será recusado. Circular Nota Oficial 009/12 Página 2

3 2º Do indeferimento do registro do candidato ou da chapa, caberá recurso, sem efeito suspensivo, no prazo de até (24) vinte e quatro horas da data da eleição para a Comissão Eleitoral que proferirá decisão antes da realização da eleição. Art. 10 Encerrado o prazo para registro das chapas, o Presidente da Comissão Eleitoral determinará a imediata lavratura da ata, que mencionará as chapas registradas, e que será por ele assinada juntamente com um candidato de cada chapa. III - DO CREDENCIAMENTO Art. 11 Do local da votação: a Assembleia ocorrerá nas dependências do HOTEL CENTURY PAULISTA, na Rua Teixeira da Silva nº Paraíso - São Paulo/SP; Do horário de credenciamento dos eleitores: terá inicio a partir das 17:30 horas. Parágrafo único: No local da votação (salão do hotel onde se realizará a Assembleia), somente terão acesso ao recinto somente um representante legal de cada entidade filiada da Federação Paulista de Tênis com direito a voto, após a devida conferência de sua legitimidade. Com a apresentação dos documentos necessários, o representante da entidade filiada assinará a lista de presença, oportunidade em que receberá um crachá e uma pulseira de identificação para acesso à Assembleia. O credenciamento será encerrado às 20:00 horas, momento em que se realizará a segunda chamada. IV - DA ASSEMBLEIA Art. 12 Na hora fixada no Edital de Convocação, a Assembleia será instalada pelo Presidente da Federação, ou pelo seu substituto legal, o qual indicará o Presidente da Mesa Diretora dos Trabalhos, bem como o seu Secretário, sendo que essas indicações deverão ser aprovadas pela maioria dos membros da Assembleia. 1º Para maior celeridade ao processo eleitoral (pleito), o Presidente da mesa de trabalho, após leitura do Edital e Aditamento, solicitará aos membros da Assembleia, que decidam se a eleição será por VOTO EM ABERTO ou FECHADO, em escrutínio secreto. Sendo que a ordem de chamada dos representantes dos Clubes votantes, obedecerá a ordem de chegada do credenciamento (Lista de Presenças). 2º No caso do voto em aberto: O eleitor comparecerá junto a mesa de trabalho, assinará a lista de votação e declinará o seu voto em voz alta, que será anotado de imediato no quadro de votação, de forma visível a todos, apurando-se ao final os votos de cada candidato, proclamando-se a chapa vencedora. Circular Nota Oficial 009/12 Página 3

4 3º No caso de voto fechado (secreto): Deverá o eleitor, da mesma forma, assinar a lista de votação, e lhe será disponibilizada cédula de votação, uma por eleitor, com o nome das chapas concorrentes, a qual deverá ser depositada na respectiva urna de votação, junto à mesa. Nesta hipótese, após o encerramento da votação, o Presidente da Mesa, juntamente com o secretário e (1) um representante credenciado de cada chapa, procederão a contagem física dos votos, proclamando-se a chapa vencedora. 4º Em caso de empate entre as chapas mais votadas, será proclamada eleita a chapa com o candidato à Presidente mais idoso, conforme disposto no Estatuto da Federação Paulista de Tênis em seu artigo 14º, parágrafo único. V - DA COMISSÃO ELEITORAL, DA CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DA MESA DE TRABALHO Art. 13 Ficam nomeados os Srs. Gustavo Normanton Delbin, brasileiro, casado, advogado regularmente inscrito na OAB/SP sob o nº , portador do documento de identidade RG nº e inscrito no CPF/MF sob o nº ; Nelson Miyahara, brasileiro, casado, advogado regularmente inscrito na OAB/SP sob o nº , portador do documento de identidade RG nº SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob o nº e Ramon Portas Alfonsin, espanhol, casado, empresário, portador do documento de identidade RNE nº W X e inscrito no CPF/MF sob o nº , para comporem a Comissão Eleitoral, sob a presidência do primeiro nominado. Art. 14 À Comissão Eleitoral competirá: I) confirmar o registro de chapas, após a entrega das fichas e documentos na secretaria da FPT; II) analisar e julgar, de forma soberana, quaisquer reivindicações, reclamações ou sugestões, relativas ao pleito eleitoral, sendo certo que a decisão final da Comissão Eleitoral é irrecorrível, surtindo efeitos imediatos. Parágrafo Único - Os trabalhos da Assembleia poderão ser acompanhados por representantes das chapas designados e credenciados à Comissão Eleitoral até (24) vinte e quatro horas antes da eleição e na proporção de um por chapa registrada. III) Os membros da Comissão Eleitoral atuarão de forma voluntária e não remunerada, para todos os fins a que se destinam. Parágrafo único - Qualquer protesto sobre a votação e apuração será registrado em ata. Circular Nota Oficial 009/12 Página 4

5 Art. 15 Finda a apuração, o secretário fará lavrar a ata dos trabalhos eleitorais, a qual mencionará obrigatoriamente: I) dia, hora e local da abertura e do encerramento dos trabalhos, com os nomes dos componentes da mesa; II) o resultado apurado, especificando o número de votantes, de votos atribuídos a cada chapa, de votos em branco e de votos nulos; III) o registro de protestos e outras ocorrências. Parágrafo Único - A ata será assinada pelos componentes da mesa e, em havendo, pelo representante de cada chapa credenciado, esclarecendo-se o motivo de eventual falta de qualquer assinatura e encaminhada ao Presidente da Comissão Eleitoral. VI - DAS IMPUGNAÇÕES Art. 16 A impugnação de candidaturas poderá ser feita de forma justificada, por qualquer filiado com direito a voto, e apresentada ao Presidente da Comissão Eleitoral até (24) vinte e quatro horas após o término do prazo para a apresentação das chapas. O candidato impugnado poderá apresentar sua defesa ao Presidente da Comissão Eleitoral. Art. 17 Cientificado em (24) vinte e quatro horas o candidato impugnado terá o prazo de (24) vinte e quatro horas para apresentar contrarrazões. Art. 18 Instruído o processo o Presidente da Comissão Eleitoral convocará os demais membros para, no prazo de (24) vinte e quatro horas, decidir a controvérsia, fundamentadamente, comunicando-a aos interessados. VII - DOS RECURSOS Art. 19 O recurso contra o resultado das eleições será dirigido ao Presidente da Comissão Eleitoral, até o prazo de (3) três dias, a contar da data do pleito, pelo candidato a presidente da chapa e entregue em duas vias, na secretaria da Entidade. Art. 20 Protocolado o recurso, cumpre ao Presidente da Comissão Eleitoral notificar o recorrido, para que, querendo, apresente em (2) dois dias contrarrazões, recurso esse que deverá ser julgado pela Comissão Eleitoral. Parágrafo Único - Permanecerá na secretaria da Entidade o traslado de todo o processo eleitoral. Circular Nota Oficial 009/12 Página 5

6 VIII - DO PROCESSO ELEITORAL Art. 21 Cabe à secretaria da FPT, sob orientação da Comissão Eleitoral, organizar o processo eleitoral. Parágrafo Único - São peças do processo eleitoral: I) cópia do Estatuto vigente; II) cópia do Edital de Convocação; III) cópias das folhas do Diário Oficial ou do Jornal em que foram publicados os avisos do Edital de Convocação na integra; IV) requerimento de registro de chapas e cópias dos demais documentos dos candidatos; V) relação dos eleitores; VI) VII) VIII) quadro de anotação, cédulas e urna de votação Lista de presença e de votação; ata dos trabalhos eleitorais; IX) impugnações, recursos, contrarrazões, decisões e informações alusivas ao processo eleitoral; X) resultado da eleição. IX - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art. 22 Proclamada a chapa vencedora, o Presidente da Mesa, declarará encerrados os trabalhos, sendo que a posse dos eleitos será para (1) um mandato de (4) quatro anos, com seu inicio em 01 de janeiro de 2013 e término em 31 de dezembro de São Paulo, 15 de junho de Paulo Roberto Campos Presidente da FPT Circular Nota Oficial 009/12 Página 6

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES SINDICAIS 2015/2018.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES SINDICAIS 2015/2018. EDITAL DE CONVOCAÇÃO DAS ELEIÇÕES SINDICAIS 2015/2018. O SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO AMAZONAS SINDUSCON/AM, inscrito no CNPJ sob o n.04.535.704/0001-10, com sede na Avenida

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 002/2013, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010

REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010 REGULAMENTO PARA AS ELEIÇÕES DIRETAS AOS CONSELHOS EXECUTIVO E FISCAL DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB -, EM 26 DE NOVEMBRO DE 2010 0BSEÇÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - As eleições

Leia mais

SUMÁRIO CONVENÇÕES MUNICIPAIS DE 2015 INSTRUÇÕES

SUMÁRIO CONVENÇÕES MUNICIPAIS DE 2015 INSTRUÇÕES SUMÁRIO CONVENÇÕES MUNICIPAIS DE 2015 INSTRUÇÕES Calendário da Convenção... 07 Diretórios que poderão realizar Convenção... 09 Filiados que participarão da Convenção... 09 Podem compor a chapa para o Diretório...

Leia mais

MODELO 1 ELEIÇÕES SINDICAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO

MODELO 1 ELEIÇÕES SINDICAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO MODELO 1 ELEIÇÕES SINDICAIS EDITAL DE CONVOCAÇÃO Pelo presente Edital, faço saber que no dia...de...de..., no período de... às... horas, na Sede desta Entidade (endereço ou outros locais, se for o caso),

Leia mais

Regimento Eleitoral. Capítulo I: Da Convocação das Eleições e Instalação da AGO

Regimento Eleitoral. Capítulo I: Da Convocação das Eleições e Instalação da AGO Regimento Eleitoral Capítulo I: Da Convocação das Eleições e Instalação da AGO Art. 1º As eleições gerais do SiNAENCO serão convocadas com antecedência de até 60 (sessenta) dias da data da eleição pelo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA GESTÃO 2015-2018 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - A Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária - ANTEFFA

Leia mais

O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições legais e regimentais; CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO E DO VOTO

O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições legais e regimentais; CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO E DO VOTO RESOLUÇÃO CFB N. 144, DE 05 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre as eleições dos Conselhos Regionais de Biblioteconomia e dá outras providências. O Plenário do Conselho Federal de Biblioteconomia no uso das atribuições

Leia mais

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL

ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E PARA O CONSELHO FISCAL DA AFBNB REGULAMENTO ELEITORAL ARTIGO 1º - As eleições para a Diretoria e para o Conselho Fiscal da AFBNB, para mandato no triênio 2011 a 2013, realizar-se-á

Leia mais

Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. São José dos Campos/SP

Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira. São José dos Campos/SP CIRCULAR INFORMATIVA - CHAPAS PROCESSO ELEITORAL - Eleição Diretoria Triênio 2015/2017 O SINDIVAPA informa a Chapa Única inscrita neste processo eleitoral CHAPA Diretoria 2015 a 2017 Presidente Laercio

Leia mais

SINDICATO DAS EMPRESAS DO TRANSPORTE DE CARGAS E LOGÍSTICA DO RIO DE JANEIRO - SINDICARGA - REGULAMENTO ELEITORAL

SINDICATO DAS EMPRESAS DO TRANSPORTE DE CARGAS E LOGÍSTICA DO RIO DE JANEIRO - SINDICARGA - REGULAMENTO ELEITORAL 1 Estatuto Social - ANEXO I SINDICATO DAS EMPRESAS DO TRANSPORTE DE CARGAS E LOGÍSTICA DO RIO DE JANEIRO - SINDICARGA - REGULAMENTO ELEITORAL Dispõe sobre o processo eleitoral nos âmbitos da Assembléia

Leia mais

ATO DELIBERATIVO 27/2015. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e,

ATO DELIBERATIVO 27/2015. O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e, ATO DELIBERATIVO 27/2015 O Conselho Deliberativo da Fundação CELESC de Seguridade Social - CELOS, no uso de suas atribuições e, CONSIDERANDO a necessidade de atualizar as disposições do Ato Deliberativo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA COOPERATIVA DE POUPANÇA E CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DA REGIÃO DE MARINGÁ SICOOB METROPOLITANO TÍTULO I DO OBJETIVO

REGULAMENTO ELEITORAL DA COOPERATIVA DE POUPANÇA E CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DA REGIÃO DE MARINGÁ SICOOB METROPOLITANO TÍTULO I DO OBJETIVO REGULAMENTO ELEITORAL DA COOPERATIVA DE POUPANÇA E CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DA REGIÃO DE MARINGÁ SICOOB METROPOLITANO TÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1 Este Regulamento Eleitoral tem como objetivo disciplinar

Leia mais

DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS

DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS ELEIÇÃO PARA A DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL NACIONAL TRIÊNIO 2016-2019 DISPOSITIVOS ESTATUTÁRIOS CAPÍTULO III DOS DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS/FILIADOS SEÇÃO I DOS DIREITOS Art. 10º - São

Leia mais

EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015.

EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015. EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015. CONVOCA AS ENTIDADES PARA PARTICIPAR DO PROCESSO ELEITORAL PARA A COMPOSIÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE TERESINA BIÊNIO 2016-2017. O Conselho Municipal

Leia mais

CAPÍTULO II: DA COMISSÃO ELEITORAL

CAPÍTULO II: DA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE FÍSICA CAFÍS Edital 01/2012 A Comissão Eleitoral eleita em Assembleia Geral do Curso de Licenciatura em Física realizada

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL 2011 AO CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º Este regulamento tem por objetivo normatizar o

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE ZOOTECNIA CAZ

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE ZOOTECNIA CAZ EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA DO CENTRO ACADÊMICO DO CURSO DE ZOOTECNIA CAZ Edital 01/2014 A Comissão Eleitoral eleita em Assembleia Geral do Curso de Zootecnia realizada no último

Leia mais

ASSEITE-MT Associação das Empresas de Informática e Telecomunicações de Mato Grosso

ASSEITE-MT Associação das Empresas de Informática e Telecomunicações de Mato Grosso ESTATUTO SOCIAL DA ASSEITE-MT Data de Fundação: 12 de agosto de 1985. ÍNDICE GERAL Capítulo I - Identidade Social... 03 Capítulo II Objetivos... 03 Capítulo III Associados... 04 Capítulo IV Rendas... 07

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL. EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL. O Conselho Municipal de Direito da Criança e do Adolescente de Curionópolis - CMDCAC, convoca a ELEIÇÃO dos Membros Titulares e Suplentes da Sociedade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011)

REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) REGIMENTO INTERNO ELEITORAL (Aprovado na AGE de 10.08.2011) I - Das disposições gerais II - Do processo eleitoral A) Da eleição para a Diretoria e o Conselho Fiscal B) Da eleição para o Conselho de Ética

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO DELIBERATIVO AUTÁRQUICO DA AUTARQUIA EDUCACIONAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - AEVSF CAPÍTULO I - OBJETO Artigo 1º. Este Regulamento disciplina o Processo

Leia mais

Estatuto da APG Fiocruz Rio de Janeiro. Capítulo I Da entidade e seus fins

Estatuto da APG Fiocruz Rio de Janeiro. Capítulo I Da entidade e seus fins Estatuto da APG Fiocruz Rio de Janeiro Capítulo I Da entidade e seus fins Artigo 1. A Associação de Pós-Graduandos da Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro (APG-Fiocruz Rio de Janeiro), fundada em 26

Leia mais

CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO ELEITORAL EDITAL Nº 01 DA COMISSÃO ELEITORAL, DE 26 DE MARÇO DE 2012. DIVULGA AS NORMAS E CALENDÁRIO ELEITORAL REFERENTE À CONSULTA PRÉVIA PARA OS CARGOS

Leia mais

RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO.

RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO. RESOLUÇÃO N 002, DE 20 DE MAIO DE 1997, DA CONGREGAÇÃO. Aprova o Regulamento de consulta à comunidade universitária para efeito de escolha do Diretor e Vice- Diretor da FMTM A CONGREGAÇÃO DA FACULDADE

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. Denominação, Prerrogativas e Condições de Funcionamento.

ESTATUTO SOCIAL. Denominação, Prerrogativas e Condições de Funcionamento. ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Denominação, Prerrogativas e Condições de Funcionamento. Art. 1º O Sindicato das Agências de Propaganda do Estado do Ceará, com sede e foro em Fortaleza, Estado do Ceará, e constituído

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA CFBio

CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA CFBio INSTRUÇÃO ELEITORAL QUE REGULAMENTA O PROCESSO PARA ELEIÇÃO E POSSE DOS CONSELHEIROS DO CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA DA 8ª REGIÃO - CRBio-08 (BA, AL, SE), PARA O MANDATO DE 06 DE JANEIRO DE 2015 A 06

Leia mais

IPREVI HO Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Herval d Oeste

IPREVI HO Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Herval d Oeste EDITAL DE CONVOCAÇÃO IPREVI-HO Nº 001/2014 ASSEMBLÉIA GERAL ELEIÇÕES DOS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCAL ABRE INSCRIÇÕES E FIXA NORMAS PARA O PROCESSO ELEITORAL DOS CONSELHOS DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

MANUAL DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÕES

MANUAL DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÕES MANUAL DE NORMAS PARA REALIZAÇÃO DE ELEIÇÕES CAPITULO I DA CONVOCAÇÃO Artigo 1º - Todo processo eleitoral será precedido de edital do presidente da Cooperativa convocando os associados interessados em

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1 REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Além das disposições constantes do Estatuto Social e do Edital de Convocação, as chapas e candidatos individuais interessados em concorrer

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 28 de março de 2014

Reitoria. Universidade do Minho, 28 de março de 2014 Reitoria despacho RT-14/2014 Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 37.º e no n.º 2 do artigo 51.º dos Estatutos da Universidade do Minho, aprovados pelo Despacho Normativo n.º 61/2008, de 5 de dezembro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Nº. 01 REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL ABRAFAC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FACILITIES

REGIMENTO INTERNO Nº. 01 REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL ABRAFAC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FACILITIES REGIMENTO INTERNO Nº. 01 REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL ABRAFAC - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FACILITIES Este Regimento Interno tem por objetivo regulamentar o processo eleitoral da ABRAFAC - Associação

Leia mais

EDITAL DE CONSULTA INFORMAL PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE- DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020

EDITAL DE CONSULTA INFORMAL PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE- DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020 EDITAL DE CONSULTA INFORMAL PARA ESCOLHA DE DIRETOR E VICE- DIRETOR DO CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLÓGICA CETEC/UFRB 2016 2020 A Comissão Especial responsável pela consulta para escolha de Diretor

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1. Objeto

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1. Objeto REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1. Objeto O presente Regulamento estabelece o regime de eleição dos membros que integrarão

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS EMPREGADOS DE NÍVEL UNIVERSITÁRIO DA CEDAE DAS FINALIDADES Art.1º- O presente Regimento Interno elaborado na forma do artigo 35 (Trinta e cinco) do Estatuto tem por

Leia mais

Estatuto CAPPF ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO PROFESSOR PAULO FREIRE TÍTULO I

Estatuto CAPPF ESTATUTO DO CENTRO ACADÊMICO PROFESSOR PAULO FREIRE TÍTULO I Estatuto CAPPF O Estatuto do CAPPF precisou ser modificado para ser adequado ao Código Civil. O novo estatuto foi aprovado em Assembléia dos Estudantes da FEUSP com pauta específica no dia 23 de abril.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL N o 01/2014, DO CONSELHO DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS Regulamenta a eleição

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 28/2008 Regulamenta a Pesquisa Eleitoral junto à Comunidade Universitária visando subsidiar a elaboração da lista

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ADUFAC Seção Sindical do ANDES - SN

ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE ADUFAC Seção Sindical do ANDES - SN EDITAL Nº 001/2015 ELEIÇÃO DA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO DOS DOCENTES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - ADUFAC-SEÇÃO SINDICAL DO ANDES SN, PARA O PERÍODO DE JANEIRO/2016 A JANEIRO/2018. CAPÍTULO I DA ELEIÇÃO

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE REUNIÃO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE REUNIÃO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL NA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - SECOM 3ª Av.nº 390, Plataforma IV, 1ºandar, CAB.CEP: 41.745-005 Salvador - Bahia Brasil Tel e Fax: (71) 311566644/6025- site: www.secom.ba.gov.br

Leia mais

EDITAL Nº 01 DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - CMDCA

EDITAL Nº 01 DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - CMDCA EDITAL Nº 01 DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - CMDCA O (A) PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE GROAÍRAS-CE CMDCA, no uso da atribuição

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO

RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO RESOLUÇÃO Nº 6/2013 (ELEIÇÕES-IBDFAM) ADITIVO Dispõe sobre os procedimentos, critérios, condições de elegibilidade, normas de campanha eleitoral e pressupostos de proclamação dos eleitos nas eleições do

Leia mais

SOCIEDADE PAULISTA DE RADIOLOGIA E DIAGNOSTICO POR IMAGEM

SOCIEDADE PAULISTA DE RADIOLOGIA E DIAGNOSTICO POR IMAGEM 48 SOCIEDADE PAULISTA DE RADIOLOGIA E DIAGNOSTICO POR IMAGEM. CD.o ~ g C.N.P.J NO49.410.145/0001-50 REGIMENTO ELEITORAL Artigo 1 - As eleições para a Diretoria da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico

Leia mais

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E BASE TERRITORIAL

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E BASE TERRITORIAL SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DE SÃO PAULO - SP-URBANUSS (Carta Sindical expedida em 21 de dezembro de 1982) BASE TERRITORIAL - MUNICÍPIO DE SÃO PAULO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CONSELHO REGIONAL DE ÓPTICA E OPTOMETRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO (CROO-SP) CNPJ N 04.851.786/0001-01

ESTATUTO SOCIAL CONSELHO REGIONAL DE ÓPTICA E OPTOMETRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO (CROO-SP) CNPJ N 04.851.786/0001-01 ESTATUTO SOCIAL CONSELHO REGIONAL DE ÓPTICA E OPTOMETRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO (CROO-SP) CNPJ N 04.851.786/0001-01 CAPÍTULO I DA FINALIDADE, SEDE, DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO E PATRIMÔNIO. ART. 1º - O Conselho

Leia mais

2. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

2. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO EDITAL nº 001/2013 - ELEIÇÃO PARA COORDENADOR, VICE- COORDENADOR E REPRESENTANTES DOCENTES E DISCENTES DO CONSELHO DO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA. A FUNDAÇÃO FUNEMAT, pessoa jurídica de direito público

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEITORAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEITORAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEITORAL A Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI), nos termos de seu Estatuto Social, publica através deste edital, as normas para eleição do

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela. ARTIGO 1º 1- Os membros dos órgãos sociais da Real

Regulamento Eleitoral da Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela. ARTIGO 1º 1- Os membros dos órgãos sociais da Real Regulamento Eleitoral da Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela. ARTIGO 1º 1- Os membros dos órgãos sociais da Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vizela, doravante

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇAO DAS ELEIÇOES

EDITAL DE CONVOCAÇAO DAS ELEIÇOES EDITAL DE CONVOCAÇAO DAS ELEIÇOES O Presidente da Comissao Eleitoral, no pleno exercicio de seus encargos e fulcrado no artigo 100 da Carta Estatutaria da Associaçao dos Servidores da Universidade Federal

Leia mais

EDITAL EVZ Nº 08/2014 Edital de Eleição de Diretor e Vice-Diretor da Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG

EDITAL EVZ Nº 08/2014 Edital de Eleição de Diretor e Vice-Diretor da Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA EDITAL EVZ Nº 08/2014 Edital de Eleição de Diretor e Vice-Diretor da Escola de Veterinária

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 488/2002, de 15-05-02. DISPÕE SOBRE A ELEIÇÃO DE DIRETORES DAS ESCOLAS PÚBLICAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE MORMAÇO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Rui Nicolodi, Prefeito Municipal de Mormaço,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO I. DENOMINAÇÃO / SEDE

REGULAMENTO INTERNO I. DENOMINAÇÃO / SEDE I. DENOMINAÇÃO / SEDE Art.º 1.º A Instinto, Associação Protetora de Animais da Covilhã, é uma associação sem fins lucrativos, que se rege pelos Estatutos, pelo presente Regulamento Interno e demais disposições

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL CONSELHO DE DELEGADOS e CONSELHO FISCAL da ASSUFRGS TÍTULO I DAS ELEIÇÕES. CAPÍTULO I Do Sistema Eleitoral

REGIMENTO ELEITORAL CONSELHO DE DELEGADOS e CONSELHO FISCAL da ASSUFRGS TÍTULO I DAS ELEIÇÕES. CAPÍTULO I Do Sistema Eleitoral REGIMENTO ELEITORAL CONSELHO DE DELEGADOS e CONSELHO FISCAL da ASSUFRGS TÍTULO I DAS ELEIÇÕES CAPÍTULO I Do Sistema Eleitoral Art. 1º Todos os órgãos da ASSUFRGS são representativos e as respectivas eleições

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS -SINDIPÚBLICO GOIÁS-

ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS -SINDIPÚBLICO GOIÁS- ESTATUTO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NO SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS -SINDIPÚBLICO GOIÁS- Aprovado em 21 de janeiro de 2014 Estatuto do SINDIPÚBLICO GOIÁS Página 1 TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO, PRERROGATIVAS,

Leia mais

SINDICATO DOS PERITOS CRIMINAIS DA BAHIA ASBAC

SINDICATO DOS PERITOS CRIMINAIS DA BAHIA ASBAC SINDICATO DOS PERITOS CRIMINAIS DA BAHIA ASBAC REGIMENTO ELEITORAL ELEIÇÕES PARA A DIRETORIA E CONSELHO FISCAL DA ASBAC Conforme faculta o Artigo 66 do estatuto, a Assembleia Geral aprovou este Regimento

Leia mais

EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016.

EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016. EDITAL COMISSÃO ELEITORAL CENTRAL Nº 01, DE 24 DE MAIO DE 2016. PROCESSO DE ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DOCENTES, TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO, DISCENTES, E EGRESSOS, PARA COMPOSIÇÃO DO CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP

REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP (APROVADO A 24 DE NOVEMBRO DE 2007 E ALTERADO A 2 DE AGOSTO DE 2008, EM CONSELHO NACIONAL) CAPÍTULO I Disposições Preliminares Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÂO DE CONVENÇÃO MUNICIPAL.

EDITAL DE CONVOCAÇÂO DE CONVENÇÃO MUNICIPAL. EDITAL DE CONVOCAÇÂO DE CONVENÇÃO MUNICIPAL. O Presidente da Comissão Executiva ou Comissão Provisória Municipal do Partido Democrático Trabalhista - PDT do Município de..., do Estado do..., na forma do

Leia mais

SINDICATO RURAL PATRONAL DE TOLEDO ESTATUTO

SINDICATO RURAL PATRONAL DE TOLEDO ESTATUTO SINDICATO RURAL PATRONAL DE TOLEDO ESTATUTO CAPÍTULO I Denominação, Sede, Foro, Jurisdição Objetivos e Prerrogativas 1º. O Sindicato Rural de Toledo, entidade sindical de 1º grau, com sede e foro na cidade

Leia mais

SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PESADA NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ESTATUTO SOCIAL

SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PESADA NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ESTATUTO SOCIAL SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PESADA NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ESTATUTO SOCIAL APROVADO NA ASSEMBLÉIA GERAL DE 19 DE MARÇO DE 2008 CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINS DO SINDICATO Art. 01º- O Sindicato

Leia mais

ASSOREVAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS VALTRA C.N.P.J./M.F.: 49.328.552/0001 12 INSCRIÇÃO ESTADUAL: ISENTA ESTATUTO SOCIAL

ASSOREVAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS VALTRA C.N.P.J./M.F.: 49.328.552/0001 12 INSCRIÇÃO ESTADUAL: ISENTA ESTATUTO SOCIAL ASSOREVAL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS DISTRIBUIDORES AUTORIZADOS VALTRA C.N.P.J./M.F.: 49.328.552/0001 12 INSCRIÇÃO ESTADUAL: ISENTA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E FINALIDADES ARTIGO

Leia mais

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL LTDA. CNPJ/MF nº 02.919.555/0001-67 NIRE 35.215.439.553 34ª ALTERAÇÃO CONTRATUAL PARA TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADE

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL LTDA. CNPJ/MF nº 02.919.555/0001-67 NIRE 35.215.439.553 34ª ALTERAÇÃO CONTRATUAL PARA TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADE OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL LTDA. CNPJ/MF nº 02.919.555/0001-67 NIRE 35.215.439.553 34ª ALTERAÇÃO CONTRATUAL PARA TRANSFORMAÇÃO DE SOCIEDADE OHL CONCESIONES S.L., UNIPERSONAL, sociedade devidamente constituída

Leia mais

Manual de Convenção. Um ano antes da Convenção Data limite de filiação para ser eleito delegado.

Manual de Convenção. Um ano antes da Convenção Data limite de filiação para ser eleito delegado. Manual de Convenção Um ano antes da Convenção Data limite de filiação para ser eleito delegado. Seis meses antes da Convenção Data limite de filiação para votar e ser votado nas Convenções Municipais.

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, CONSELHOS COMUNITÁRIOS Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHOS COMUNITÁRIOS ORGAO COLEGIADO GABINETE DO PREFEITO Tornar os cidadãos parte ativa no exercício do governo, mediante

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL COOPERCITRUS - CREDICITRUS CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO. Disposições Preliminares

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL COOPERCITRUS - CREDICITRUS CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO. Disposições Preliminares ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL COOPERCITRUS - CREDICITRUS CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Disposições Preliminares Art. 1º - A ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA CREDICITRUS,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA. Artigo 1º (Promoção das Eleições)

REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA. Artigo 1º (Promoção das Eleições) REGULAMENTO ELEITORAL DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE BORBA Artigo 1º (Promoção das Eleições) 1 A promoção das eleições é da responsabilidade da Mesa da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS FENILCETONÚRICOS E HOMOCISTINÚRICOS DO PARANÁ E ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E PROFISSIONAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ECUMÊNICA

ASSOCIAÇÃO DOS FENILCETONÚRICOS E HOMOCISTINÚRICOS DO PARANÁ E ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E PROFISSIONAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ECUMÊNICA ASSOCIAÇÃO DOS FENILCETONÚRICOS E HOMOCISTINÚRICOS DO PARANÁ E ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E PROFISSIONAIS DA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ECUMÊNICA REGIMENTO INTERNO DAS ELEIÇÕES PARA INDICAÇÃO DE MEMBROS PARA

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA Artigo 1º (Das Eleições) 1. Os Corpos Sociais Regionais do Clube Galp Energia são eleitos em cada Núcleo Regional para um mandato de três anos, conforme disposto

Leia mais

NORMAS SOBRE ELEIÇÕES DO SISTEMA CFC/CRCs

NORMAS SOBRE ELEIÇÕES DO SISTEMA CFC/CRCs NORMAS SOBRE ELEIÇÕES DO SISTEMA CFC/CRCs 1ª edição 2003 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE SAS - QUADRA 5 - BLOCO J - ED. CFC TELEFONE: (61) 314-9600 FAX: (61) 322-2033 70070-920 - Brasília-DF Site: www.cfc@cfc.org.br

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO NO ESTADO DO PARANÁ

ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO NO ESTADO DO PARANÁ ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO NO ESTADO DO PARANÁ CAPÍTULO I - DAS PRERROGATIVAS, DEVERES E CONDIÇÕES PARA FUNCIONAMENTO DO SINDICATO. Art. 1º - O SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO ESTUDANTIL UNIFICADO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS RIO GRANDE

ESTATUTO DO CENTRO ESTUDANTIL UNIFICADO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS RIO GRANDE ESTATUTO DO CENTRO ESTUDANTIL UNIFICADO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS RIO GRANDE Capítulo I Da denominação, natureza, sede, regimento e duração Artigo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 78, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2008. RESOLVE: REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PROCURADORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DA COMPOSIÇÃO

RESOLUÇÃO Nº 78, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2008. RESOLVE: REGIMENTO INTERNO DO COLÉGIO DE PROCURADORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DA COMPOSIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL DO TRABALHO CONSELHO SUPERIOR (Publicada no DJ, de 28/11/2008, págs. 11/12) (Alterada pela Resolução nº 80, de 24/03/2009) (Alterada pela Resolução nº

Leia mais

REGIMENTO ELEITORAL DO CENTRO

REGIMENTO ELEITORAL DO CENTRO REGIMENTO ELEITORAL DO CENTRO ACADÊMICO FILOSÓFICO CULTURAL DO AMAZONAS TÍTULO I INTRODUÇÃO Art. 1º. Este regimento regulamenta os procedimentos a serem adotados no Processo Eleitoral do Centro Acadêmico

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA E VENDA, LOCAÇÃO, AVALIAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS PRÓPRIOS OU DE TERCEIROS,

ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA E VENDA, LOCAÇÃO, AVALIAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS PRÓPRIOS OU DE TERCEIROS, ESTATUTO DO SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA E VENDA, LOCAÇÃO, AVALIAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS PRÓPRIOS OU DE TERCEIROS, DAS INCORPORADORAS DE IMÓVEIS, LOTEADORAS, DAS EMPRESAS ADMINISTRADORAS DE

Leia mais

(Reconhecida como de Utilidade Pública para o Município de Belém. Lei nº 8.279, de 10.12.2003) REGIMENTO ELEITORAL (COOPANEST-PA)

(Reconhecida como de Utilidade Pública para o Município de Belém. Lei nº 8.279, de 10.12.2003) REGIMENTO ELEITORAL (COOPANEST-PA) 1 REGIMENTO ELEITORAL (COOPANEST-PA) Aprovado em Assembléia Geral do dia 18 de maio de 1994, reformado em Assembléia Geral Extraordinária do dia 13 de fevereiro de 2003, 29 de fevereiro de 2008 e 14 de

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL I - PROCESSO ELEITORAL 1º 1. O processo eleitoral terá a duração máxima de 90 dias. 2. Em eleições regulares, realizadas trienalmente, iniciar- se- á no dia 1 de Outubro desse ano.

Leia mais

Estado de Alagoas Conselho Municipal de Assistência Social Campo Alegre AL

Estado de Alagoas Conselho Municipal de Assistência Social Campo Alegre AL Estado de Alagoas Conselho Municipal de Assistência Social Campo Alegre AL RESOLUÇÃO Nº 001/2016 O Conselho Municipal de Assistência Social, no uso de suas atribuições que lhe confere a lei 318/97, reunido

Leia mais

Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS. Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS

Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS. Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS Associação de Solidariedade Inter - Lions ESTATUTOS Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º Denominação,

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu EDITAL Nº 01/2016 FOZPREV/COMISSÃO ELEITORAL EDITAL DE ABERTURA REGIMENTO ELEITORAL O Diretor Superintendente do FOZPREV, nomeado pela Portaria nº 51.484, de 8 de janeiro de 2013, e a Presidente da Comissão

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO A CASA DO CAMINHO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO 1º. (Denominação)

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO A CASA DO CAMINHO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO 1º. (Denominação) ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO A CASA DO CAMINHO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO 1º (Denominação) A Associação A Casa do Caminho, adiante designada abreviadamente por Associação, é uma associação

Leia mais

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br

Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno. apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br Associação dos Participantes da CBS Nossa união é nossa força. Regimento Interno apcbs@oi.com.br www.apcbs.com.br ÍNDICE SEÇÃO I - DOS SÓCIOS 1 SEÇÃO II - DA ASSEMBLÉIA GERAL 1 SEÇÃO III - DO CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP. Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina

REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP. Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina REGULAMENTO NORMATIVO DA ELEIÇÃO DO DIRETOR DE SAUDE DO TRABALHADORDO SINDSEMP Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina Eleição triênio 2012/2015 A comissão eleitoral reunida no dia 14.08.2013

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO VOLUNTÁRIOS PARA O SERVIÇO INTERNACIONAL - BRASIL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO VOLUNTÁRIOS PARA O SERVIÇO INTERNACIONAL - BRASIL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO VOLUNTÁRIOS PARA O SERVIÇO INTERNACIONAL - BRASIL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - O Regimento Interno da Associação Voluntários para o Serviço Internacional

Leia mais

FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS. TÍTULO I Da Entidade

FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS. TÍTULO I Da Entidade FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS TÍTULO I Da Entidade Artigo 1º - O Diretório Acadêmico de Administração da Faculdade Palotina de Santa Maria,

Leia mais

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Código Eleitoral da Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar - ABIH Art. 01 - O presente Código tem por objetivo assegurar a organização e o funcionamento

Leia mais

EDITAL Nº 0003/2013 CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E LINGUAGEM CAMPUS UNIVERSITÁRIO SINOP

EDITAL Nº 0003/2013 CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E LINGUAGEM CAMPUS UNIVERSITÁRIO SINOP EDITAL Nº 0003/2013 FACULDADE DE EDUCAÇÃO E LINGUAGEM A UNEMAT, pessoa jurídica de direito público da administração indireta, instituída pelo Poder Público Estadual, criada sob a natureza de Fundação Pública,

Leia mais

As disposições do artigo 46 do Estatuto da FUNECE e do artigo 43 do Regimento Geral da UECE;

As disposições do artigo 46 do Estatuto da FUNECE e do artigo 43 do Regimento Geral da UECE; Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência Tecnologia e Educação Superior Universidade Estadual do Ceará UECE Secretaria dos Órgãos de Deliberação Coletiva - SODC RESOLUÇÃO Nº 902/2012 - CONSU, de

Leia mais

ESTATUTO. CAPÍTULO I Da Entidade

ESTATUTO. CAPÍTULO I Da Entidade Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco Coordenação de Sistemas de Informação Diretório Acadêmico de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Avenida Professor Luiz

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS FLORES DE GOIÁS-GO. CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Lei Municipal n.º 08 de 16 de Setembro de 2003

ESTADO DE GOIÁS FLORES DE GOIÁS-GO. CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Lei Municipal n.º 08 de 16 de Setembro de 2003 EDITAL PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO TUTELAR DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE 2016-2020 O DE, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente Edital, que, nos termos da Lei

Leia mais

ESTATUTO DO CENTRO DE ESTUDOS, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO EM SAÚDE COLETIVA.

ESTATUTO DO CENTRO DE ESTUDOS, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO EM SAÚDE COLETIVA. ESTATUTO DO CENTRO DE ESTUDOS, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO EM SAÚDE COLETIVA. Capítulo I Denominação, fins e sede do CEPESC Art. 1º. O Centro de Estudos, Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MÚTUA À SAÚDE SBC CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO E FINALIDADE

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MÚTUA À SAÚDE SBC CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO E FINALIDADE ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MÚTUA À SAÚDE SBC CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. - A ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA MÚTUA À SAÚDE SBC, fundada em 26.11.62 sob denominação de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC EDITAL DE ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA NATUREZA - CCBN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE UFAC EDITAL DE ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA NATUREZA - CCBN EDITAL DE ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DO EDITAL Em cumprimento ao Art. 2º, da Resolução n.º 03, de 07 de outubro de 2011, homologada pela Resolução nº 02, de 2 de dezembro de 2011,

Leia mais

Art. 1 2 A Eleição para os cargos de Delegado Efetivo e Suplente do SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL, reger-se-á pelo Estatuto e por este Regulamento.

Art. 1 2 A Eleição para os cargos de Delegado Efetivo e Suplente do SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL, reger-se-á pelo Estatuto e por este Regulamento. V COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO' DA FAZENDA e dos ÓRGÃOS VINCULADOS À PRESIDÉNCIA DA REPÚBLICA LTDA SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL 1 SI B Ed. CREDFAZ - SCS - Q.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL 01/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL 01/2015 EDITAL 01/2015 A Comissão Eleitoral, no uso das suas atribuições que lhe são conferidas pela Portaria UNIRIO nº 918 de 27 de outubro de 2015, de acordo com a Resolução UNIRIO nº 3745 de 28 de setembro

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL (ALUMNI- ESHTE)

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL (ALUMNI- ESHTE) ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DA ESCOLA SUPERIOR DE HOTELARIA E TURISMO DO ESTORIL (ALUMNI- ESHTE) CAPÍTULO I Da denominação, sede e âmbito de actividade Artigo 1.º Designação 1. É constituída,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA Gabinete do Secretário

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA CULTURA Gabinete do Secretário EDITAL CONCURSO: PRÊMIO SÃO PAULO DE LITERATURA 2016 O Secretário da Cultura, Marcelo Mattos Araujo, torna público que, por um período de 45 (quarenta e cinco) dias, compreendido e entre 29 de março de

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DOS EMPREGADOS EM PROCESSAMENTO DE DADOS, INFORMÁTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ESTADO DO AMAPÁ SINDPD-AP CAPÍTULO I

ESTATUTO DO SINDICATO DOS EMPREGADOS EM PROCESSAMENTO DE DADOS, INFORMÁTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ESTADO DO AMAPÁ SINDPD-AP CAPÍTULO I ESTATUTO DO SINDICATO DOS EMPREGADOS EM PROCESSAMENTO DE DADOS, INFORMÁTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ESTADO DO AMAPÁ SINDPD-AP CAPÍTULO I DO SINDICATO E SEUS FINS Art. 1º O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM

Leia mais

2. Revogar o Regulamento Eleitoral para eleições do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal, gestão 2014/2015; 5. Outros assuntos de interesse social.

2. Revogar o Regulamento Eleitoral para eleições do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal, gestão 2014/2015; 5. Outros assuntos de interesse social. Ct. ANTP/ 024/2014 São Paulo, 7 de fevereiro de 2014 Prezado Associado, A fim de cumprir exigências legais registrárias, ficam os Senhores Associados convocados, na forma do 3º do art. 21 e dos artigos.

Leia mais

CAPÍTULO I Do Objetivo

CAPÍTULO I Do Objetivo RESOLUÇÃO/SEMED n. 037, de 24 de maio de 2013. Dispõe sobre o processo de eleição de Gestores das unidades escolares da Rede Municipal de Ensino de Corumbá, e dá outras providências. A SECRETÁRIA MUNICIPAL

Leia mais

QUARTA REFORMA DO ESTATUTO DO SINDICATO DOS DESPACHANTES DE VEÍCULOS DO ESTADO DO CEARÁ-SINDEVECE CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETIVOS

QUARTA REFORMA DO ESTATUTO DO SINDICATO DOS DESPACHANTES DE VEÍCULOS DO ESTADO DO CEARÁ-SINDEVECE CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETIVOS QUARTA REFORMA DO ESTATUTO DO SINDICATO DOS DESPACHANTES DE VEÍCULOS DO ESTADO DO CEARÁ-SINDEVECE CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETIVOS Art.1º - O Sindicato dos Despachantes Documentalistas do Ceará

Leia mais