TÉCNICO DE LABORATÓRIO MATERIAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÉCNICO DE LABORATÓRIO MATERIAIS"

Transcrição

1 CONCURSO PÚBLICO (Edital nº. 138/2011, de 12 de dezembro de 2011) TÉCNICO DE LABORATÓRIO MATERIAIS DIAMANTINA DATA: 11/03/2012 INSTRUÇÕES AOS CANDIDATOS: 1. Abra este caderno de prova somente quando autorizado. 2. Esta prova contém 35 (trinta e cinco) questões de Conhecimentos Gerais valendo 1,0 (um) ponto cada e 15 (quinze) questões de Conhecimentos Específicos valendo 3,0 (três) pontos cada. 3. O tempo máximo permitido para a realização da prova será de 4 (quatro) horas incluindo o preenchimento da folha de respostas. 4. Responda as questões e marque a opção desejada na folha de respostas, usando caneta (tinta azul ou preta). 5. Para cada questão existe somente uma resposta. 6. Prova sem consulta. 7. Não será admitido nenhum tipo de rasura na folha de respostas. As questões rasuradas ou em branco ou com dupla marcação serão consideradas nulas para o candidato. 8. É proibido o uso de régua, máquinas calculadoras, telefones celulares ou outros similares. 9. Iniciada as provas, os candidatos somente poderão deixar a sala, e a esta retornar, exclusivamente para uso de sanitários ou bebedouros, devidamente acompanhados por fiscal do concurso. 10. Os candidatos somente poderão deixar o estabelecimento de aplicação das provas após às 10:00 horas. 11. Ao final da prova, entregue ao aplicador este caderno e a folha de respostas, devidamente preenchida, assinada e conferida.

2 CONHECIMENTOS GERAIS LÍNGUA PORTUGUESA A Carteira [...] De repente, Honório olhou para o chão e viu uma carteira. Abaixar-se, apanhá-la e guardála foi obra de alguns instantes. Ninguém o viu, salvo um homem que estava à porta de uma loja, e que, sem o conhecer, lhe disse rindo: Olhe, se não dá por ela; perdia-a de uma vez. É verdade, concordou Honório envergonhado. Para avaliar a oportunidade desta carteira, é preciso saber que Honório tem de pagar amanhã uma dívida, quatrocentos e tantos mil-réis, e a carteira trazia o bojo recheado. A dívida não parece grande para um homem da posição de Honório, que advoga; mas todas as quantias são grandes ou pequenas, segundo as circunstâncias, e as dele não podiam ser piores. Gastos de família excessivos, a princípio por servir a parentes, e depois por agradar à mulher, que vivia aborrecida da solidão; baile daqui, jantar dali, chapéus, leques, tanta cousa mais, que não havia remédio senão ir descontando o futuro. Endividou-se. Começou pelas contas de lojas e armazéns; passou aos empréstimos, duzentos a um, trezentos a outro, quinhentos a outro, e tudo a crescer, e os bailes a darem-se, e os jantares a comerem-se, um turbilhão perpétuo, uma voragem. Tu agora vais bem, não? dizia-lhe ultimamente o Gustavo C..., advogado e familiar da casa. Agora vou, mentiu o Honório. A verdade é que ia mal. Poucas causas, de pequena monta, e constituintes remissos; por desgraça perdera ultimamente um processo, em que fundara grandes esperanças. Não só recebeu pouco, mas até parece que ele lhe tirou alguma cousa à reputação jurídica; em todo caso, andavam mofinas nos jornais. D. Amélia não sabia nada. Não contava nada à mulher, bons ou maus negócios. Não contava nada a ninguém. Fingia-se tão alegre como se nadasse em um mar de prosperidades. Quando o Gustavo, que ia todas as noites à casa dele, dizia uma ou duas pilhérias, ele respondia com três e quatro; e depois ia ouvir os trechos de música alemã, que D. Amélia tocava muito bem ao piano, e que o Gustavo escutava com indizível prazer, ou jogavam cartas, ou simplesmente falavam de política. Um dia, a mulher foi achá-lo dando muitos beijos à filha, criança de quatro anos, e viu-lhe os olhos molhados; ficou espantada, e perguntou-lhe o que era. Nada, nada. Compreende-se que era o medo do futuro e o horror da miséria. Mas as esperanças voltavam com facilidade. A ideia de que os dias melhores tinham de vir dava-lhe conforto para a luta. Estava com trinta e quatro anos; era o princípio da carreira: todos os princípios são difíceis. E toca a trabalhar, a esperar, a gastar, pedir fiado ou emprestado, para pagar mal, e a más horas. A dívida urgente de hoje são uns malditos quatrocentos e tantos mil-réis de carros. Nunca demorou tanto a conta, nem ela cresceu tanto, como agora; e, a rigor, o credor não lhe punha a faca aos peitos; mas disse-lhe hoje uma palavra azeda, com um gesto mau. Por isso, quer pagar-lhe hoje mesmo e não vê-lo novamente. Eram cinco horas da tarde. Tinha-se lembrado de ir a um agiota, mas voltou sem ousar pedir nada. Ao enfiar pela Rua da Assembléia é que viu a carteira no chão, apanhou-a, meteu no bolso, e foi andando. Fragmento do conto A carteira de Machado de Assis. Disponível no site 1

3 As questões de 1 a 10 devem ser respondidas com base no texto. Leia-o atentamente, antes de respondê-las. Questão 1 Segundo o narrador, Honório, ao ver a carteira, a) aproveitou-se da situação de ter sido informado que sua carteira havia caído no chão. b) ficou envergonhado porque um homem testemunhou que havia pego a carteira de outro. c) foi ligeiro em apanhá-la, mesmo encabulado, após o comentário de um desconhecido. d) ignorou tê-la encontrado, mas decidiu apanhá-la, tão logo fora advertido pelo homem. Questão 2 Em relação ao protagonista, assinale a alternativa que ultrapassa a informação contida no texto: a) Casado com D. Amélia, não media esforços para agradar sua amada esposa. b) Embora endividado, mantinha um padrão de vida bem acima de suas posses. c) Era um pai afetuoso e zelava pela sua amizade com o advogado Gustavo C. d) Era um advogado de sucesso que passava sua vida a agradar seus familiares. Questão 3 São fatores que induziram a decisão do Honório de ficar com a carteira, EXCETO: a) a carteira encontrada estava com muito mais dinheiro do que ele necessitava. b) a esposa dele era agradada com festas, jantares, outros gastos dispendiosos. c) as dívidas não eram recentes, e, sim, já estavam acumuladas há muito tempo. d) as quantias que recebia no escritório não cobriam os empréstimos e dívidas. Questão 4 Sobre o modo de composição desse fragmento de texto, verifica-se que: a) a história é narrada em primeira pessoa, sendo o personagem principal quem conta os fatos. b) os três parágrafos iniciais e o último parágrafo remetem a um mesmo momento do enredo. c) o sétimo parágrafo remete a um tempo psicológico vivido pelo narrador onisciente. d) o penúltimo parágrafo faz menção ao estado de espírito de um amigo do protagonista. Questão 5 Leia estes trechos: I. Tu agora vais bem, não? dizia-lhe ultimamente... [linha 15] II.... a mulher foi achá-lo dando muitos beijos à filha [...] viu-lhe os olhos molhados... [linhas 27 e 28] III.... não lhe punha a faca aos peitos; mas disse-lhe... [linhas 35 e 36] IV.... quer pagar-lhe hoje mesmo e não vê-lo novamente. [linhas 36 e 37] 2

4 Na narrativa, os pronomes que fazem referência a Honório são os sublinhados nos trechos a) I e II, apenas. b) III e IV, apenas. c) I, II e III, apenas. d) II, III e IV, apenas. Questão 6 Assinale a alternativa em que a palavra entre parênteses NÃO pode ser substituída pela palavra em destaque, por alterar o sentido do trecho. a) Poucas causas, de pequena monta, e constituintes remissos [linha 17] (tardios) b) [...] ele lhe tirou alguma cousa à reputação jurídica [linha 19] (posição) c) Gustavo [...] dizia uma ou duas pilhérias [linha 23] (anedotas) d) [...] mas disse-lhe hoje uma palavra azeda, com um gesto mau [linha 36] (amarga) Questão 7 Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) diante das afirmativas a seguir. ( ) A expressão De repente [linha 1] apresenta uma circunstância temporal ao enunciado que introduz a narrativa. ( ) A expressão a princípio [linha 10] não pode ser substituída por em princípio porque gera alteração de sentido no contexto da narrativa. ( ) O termo voragem [linha 14], no contexto, significa volubilidade, instabilidade, inconstância, versatilidade, variedade. ( ) O termo prosperidades [linha 22] se opõe a progresso, desenvolvimento, e significa derrocadas, no contexto da narrativa. A sequência CORRETA é: a) V V V V. b) V V F F. c) F F V F d) F F F V. Questão 8 Observe as considerações sobre pontuação assinaladas em trechos do texto e marque a alternativa em que a sugestão infringe uma norma da gramática tradicional. a) Pode-se substituir a vírgula do trecho Agora vou, mentiu o Honório. [linha 16] por travessão, com o seguinte resultado: Agora vou mentiu o Honório. b) Devem-se manter as vírgulas entre os termos do trecho Gustavo escutava com indizível prazer, ou jogavam cartas, ou simplesmente falavam de política. [linha 25] c) Pode-se inserir vírgula depois de hoje [linha 34], com o seguinte resultado: A dívida urgente de hoje, são uns malditos quatrocentos e tantos mil-réis de carros. d) Deve-se manter a vírgula [linhas 37 e 38] no trecho Tinha-se lembrado de ir a um agiota, mas voltou sem ousar pedir nada. 3

5 Questão 9 O conector mas pode ser substituído pela conjunção entre parênteses, sem haver alteração de sentido do texto original, em a)... mas todas as quantias são grandes ou pequenas... [linhas 8 e 9] (e) b)... mas até parece que ele lhe tirou alguma cousa... [linha 19] (contudo) c) Mas as esperanças voltavam com facilidade. [linhas 30 e 31] (Entretanto) d)... mas voltou sem ousar pedir nada. [linha 38] (porquanto) Questão 10 Leia estes trechos: Ninguém o viu, salvo um homem que estava à porta de uma loja [linha 2] todas as quantias são grandes ou pequenas, segundo as circunstâncias, e as dele não podiam ser piores. [linhas 8 e 9] Os termos em destaque nesses trechos evidenciam, respectivamente, uma a) adição e adversidade. b) exclusão e concessão. c) contradição e conclusão. d) exceção e conformidade. 4

6 NOÇÕES GERAIS DE INFORMÁTICA Questão 11 Todos os itens abaixo são dispositivos de saída, EXCETO a) Impressora. b) Scanner. c) Monitor. d) Caixas de som. Questão 12 Com relação ao gerenciamento de arquivos no computador, assinale a opção INCORRETA: a) O Windows Explorer é um gerenciador de arquivos. b) JPG e BMP são exemplos de extensões para arquivos de imagem. c) Na execução da operação copiar e colar o sistema operacional utiliza um espaço de memória temporária denominada área de transferência. d) Um diretório é um arquivo de grandes dimensões. Questão 13 Assinale a afirmativa CORRETA sobre Internet a) A rede sem fio não sofre com interferências eletromagnéticas. b) Internet é sinônimo de World Wide Web. c) O endereço IP é o código numérico utilizado para identificar os computadores de uma rede. d) A Intranet utiliza mecanismos diferentes da Internet. Questão 14 Considere as seguintes afirmativas referentes a ferramentas de software para automação de escritórios: I- O BrOffice é um software livre com funcionalidade similar ao pacote Microsoft Office. II- Uma planilha criada no Excel pode ser transferida para um slide do PowerPoint. III-A ferramenta Access gerencia uma base de dados relacional. IV-O PowerPoint é indicado na preparação de um conjunto de slides para uma palestra. Marque a opção CORRETA. a) Todas estão corretas. b) Somente três estão corretas. c) Somente duas estão corretas. d) Somente uma está correta. Questão 15 Vírus de computador é um programa escrito por programadores mal intencionados. É preciso saber como eles agem para sua detecção e eliminação com um programa antivírus. Sobre vírus de computador, é INCORRETO afirmar que a) alguns não têm a finalidade de fazer estragos no computador, apenas duplicam-se ou exibem mensagens. b) infectam arquivos executáveis, como processadores de texto, planilhas, jogos ou programas do sistema operacional. c) anexam-se a programas especiais em áreas do disco rígido chamadas de registros de inicialização e registros mestres de inicialização. d) alguns são programados para danificar o disco rígido e o monitor de vídeo. 5

7 NORMAS QUE REGEM O SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Questão 16 De acordo com a Constituição da República, são direitos individuais, EXCETO: a) Aposentadoria. b) Direito de herança. c) Liberdade de associação para fins lícitos. d) Irretroatividade da lei penal, salvo para beneficiar o réu. Questão 17 É competência privativa da União, sobre a organização do Estado: a) Planejar e promover a defesa permanente contra as calamidades públicas, especialmente as secas e as inundações. b) Combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização, promovendo a integração social dos setores desfavorecidos. c) Intervir nos Estados que não aplicarem o mínimo exigido da receita estadual na manutenção e desenvolvimento do ensino e nas ações e serviços públicos de saúde. d) Legislar sobre direito civil, comercial, penal, processual, eleitoral, agrário, marítimo, aeronáutico, espacial e do trabalho. Questão 18 São direitos dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais: a) Jornada de trabalho não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais. b) Seguro contra acidentes de trabalho. c) Direito de greve. d) Adicional por tempo de serviço. Questão 19 De acordo com a Lei nº 8.112/90, aos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais é DEFESO: a) Parcelar as férias em até três etapas, desde que assim requeridas pelo servidor, e no interesse da administração pública. b) Ausentar-se do serviço durante o expediente, sem prévia autorização do chefe imediato. c) Gozar licença por motivo de doença em pessoa da família. d) Ausentar-se do serviço por 1 (um) dia, para doação de sangue. Questão 20 De acordo com a Lei nº 8.112/90, assinale a alternativa CORRETA: a) Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. b) Reversão é o aproveitamento obrigatório do servidor em disponibilidade em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. c) Reintegração é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado quando inabilitado em estágio probatório relativo a outro cargo. d) Recondução é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupado, ou no cargo resultante de sua transformação, quando invalidada a sua demissão por decisão administrativa ou judicial. 6

8 Questão 21 Sobre a aposentadoria de servidores titulares de cargos efetivos da União, assinale a alternativa CORRETA: a) Os aposentados voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo de dez anos de efetivo exercício no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, perceberão proventos proporcionais ao tempo de contribuição. b) Os aposentados compulsoriamente, aos setenta anos de idade, perceberão proventos integrais. c) Os aposentados por invalidez permanente perceberão proventos proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei. d) Os aposentados voluntariamente, que contarem 35 anos de serviço, perceberão proventos correspondentes ao vencimento ou remuneração da classe imediatamente superior. Questão 22 São hipóteses de aplicação da pena de demissão ao servidor público, EXCETO: a) Praticar usura sob qualquer de suas formas. b) Acumular ilegalmente cargos, empregos ou funções públicas. c) Proceder de forma desidiosa. d) Exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. Questão 23 De acordo com a Lei nº 9.784/99, que regula o processo administrativo no âmbito da Administração Pública Federal, assinale a alternativa INCORRETA: a) Administrado é o servidor público e quem, embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo, emprego ou função pública. b) Órgão é a unidade de atuação integrante da estrutura da Administração direta e da estrutura da Administração indireta. c) Entidade é a unidade de atuação dotada de personalidade jurídica. d) Autoridade é o servidor ou agente público dotado de poder de decisão. Questão 24 Nos termos da Lei nº /95, que dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-administrativos em Educação, no âmbito das Instituições Federais de Ensino vinculadas ao Ministério da Educação, considere as seguintes afirmativas: I- O desenvolvimento do servidor na carreira dar-se-á pela mudança de nível de capacitação e de padrão de vencimento, exclusivamente, mediante Progressão por Capacitação Profissional. II- O Incentivo à Qualificação somente integrará os proventos de aposentadorias e as pensões quando os certificados considerados para a sua concessão tiverem sido obtidos até a data em que se deu a aposentadoria ou a instituição da pensão. III- Progressão por Mérito Profissional é a mudança para o padrão de vencimento imediatamente subsequente, a cada ano de efetivo exercício, desde que o servidor apresente resultado fixado em programa de avaliação de desempenho, observado o respectivo nível de capacitação. IV- Progressão por Capacitação Profissional será posicionado no nível de capacitação subsequente, no mesmo nível de classificação, em padrão de vencimento na mesma posição relativa a que ocupava anteriormente, mantida a distância entre o padrão que ocupava e o padrão inicial do novo nível de capacitação. 7

9 Diante dessas afirmativas, assinale a alternativa CORRETA: a) são corretas as afirmativas I e III b) são corretas as afirmativas II e IV c) são corretas as afirmativas III e IV d) são corretas as afirmativas I, II e IV Questão 25 São condutas vedadas pelo Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal: a) Utilizar os avanços técnicos e científicos ao seu alcance ou do seu conhecimento para atendimento do seu mister. b) Exercer com estrita moderação as prerrogativas funcionais que lhe sejam atribuídas. c) Ser, em função de seu espírito de solidariedade, conivente com erro ou infração ao Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil ou ao Código de Ética de sua profissão. d) Facilitar a fiscalização de todos atos ou serviços por quem de direito. 8

10 RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO O número de desempregados em abril de 2011 nas seis maiores regiões metropolitanas do país nas quais é medido o índice nacional foi de 1,5 milhão, que é um valor 10,1% inferior a abril de Isso significa que nos últimos 12 meses o número absoluto de desempregados no Brasil reduziu. O número de pessoas ocupadas em abril de 2011 nas mesmas seis cidades foi de 22,3 milhões, igualmente estável em relação a março, mas 2,3% superior a abril de O Brasil gerou cerca de 492 mil novos empregos entre abril de 2010 e abril de Segundo o IBGE, a renda média dos trabalhadores brasileiros em abril de 2011 foi de R$ 1,54 mil, valor 2% inferior ao de março de 2011, mas 2% superior ao do mesmo mês de Nos meses entre janeiro de 2010 e fevereiro de 2011 a taxa percentual de desemprego no Brasil variou conforme o gráfico da figura 1, sendo o eixo x os meses entre 01/2010 a 02/2011. Figura 1: Valores do desemprego percentual entre 01/2010 a 02/2011 No gráfico da figura 2 é apresentada a série de variação percentual na taxa de desemprego entre 2003 e Figura 2: Valor percentual do desemprego entre 2003 e 2010 (texto adaptado de Os gráficos foram obtidos de 9

11 Com base nessas informações, respondas as questões 26 a 29. Questão 26 No primeiro parágrafo do texto foi dito que no Brasil, entre abril de 2010 e abril de 2011, o número de desempregados reduziu. A partir do que foi informado nesse parágrafo, o valor para o número de desempregados que foi reduzido entre abril de 2010 e abril de 2011 foi de: a) b) c) d) Questão 27 Com base no texto, o salário médio no Brasil em abril de 2011, abril de 2010 e março de 2011 possuíam, respectivamente, os valores. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta. a) R$ 1540,00, R$ 1571,43 e R$ 1509,80 b) R$ 1540,00; R$ 1509,20 e R$ 1570,80 c) R$ 1540,00; R$ 1570,80 e R$ 1509,20 d) R$ 1540,00; R$ 1509,80 e R$ 1571,43 Questão 28 O gráfico da Figura 1 mostra os valores do desemprego (percentual) entre 01/2010 e 02/2011. A partir desse gráfico, podemos afirmar que o valor médio do desemprego entre os meses 03/2010 e 09/2010 está: a) entre 6,46 e 6,99 b) entre 5,99 e 6,45 c) entre 7,00 e 7,50 d) entre 7,51 e 8,00 Questão 29 O gráfico da Figura 2 mostra a taxa de desemprego entre os anos de 2003 e Ele mostra claramente uma tendência de queda. Para poder modelar esse comportamento, um aluno fez um quadro com valores aproximados, considerando os anos de 2006, 2007, 2008 e 2010: Ano Taxa Desemprego (%) Com base nesse quadro, a função que melhor representa o comportamento da variação da taxa de desemprego percentual (eixo y) pelos anos (eixo x) é: a) f(x) = ax+b, com a<0 b) f(x) = ax+b, com a >0 c) f(x) = ax², com a>0 d) f(x) = ax^2, com a <0 10

12 As questões 30 e 31 são baseadas no gráfico da Figura 3. Nele estão representadas duas retas a e b e os pontos do plano cartesiano (0,0), (0,2) e (1,0), sendo que a notação (x,y) indica as coordenadas x e y de um ponto no plano. Figura 3: Gráficos no plano cartesiano, com retas que se cruzam Questão 30 No gráfico da Figura 3, a reta a cruza o eixo y no ponto (0,2) e o eixo x no ponto (1,0). Com base nessas informações, podemos concluir que a equação da reta a pode ser dada por: a) y=2x+2 b) y=-2x+2 c) y=-x+1 d) y=x+1 Questão 31 No gráfico da Figura 3, o ponto de interseção entre as retas a e b é dado pela coordenada (x,y), que vale: a) (1,1/2) b) (½,1) c) (2/3,2/3) d) (½,1/2) Questão 32 4 x 10 ⁴ 2 x 10 3 x= 5 x ,6 x 10 1 Se x é dado pela expressão acima, então x vale: a) 0,1 b) 0,001 c) 0,0001 d) 0,01 11

13 Questão 33 Figura 4: Retângulo com área hachurada Na Figura 4 tem-se um retângulo de lados a e b e um segmento de reta AB que o divide em duas partes iguais, uma hachurada e outra não. Considerando b=a 2 o perímetro da área hachurada será dado por : a) a b) a 1 3 c) 2a d) a 2 3 Questão 34 Um retângulo de área igual a 10 possui um lado igual a 2 / 5 do outro. O perímetro desse retângulo vale: a) 10 b) 5 c) 14 d) 12 Questão 35 Para que a equação x 2 bx 4=0 tenha duas raízes reais e iguais, o valor de b deve ser: a) 0 b) 2 ou -2 c) 3 ou -3 d) 4 ou -4 12

14 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO DE LABORATÓRIO/MATERIAIS Questão 36 Relativamente à "Segurança em instalações e serviços em eletricidade", segundo a NR 10, do Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil, qual das seguintes afirmativas é CORRETA. a) Instalação Liberada para Serviços (BT/AT): condição que garante a não energização do circuito através de recursos e procedimentos apropriados, sob controle dos trabalhadores envolvidos nos serviços. b) Baixa Tensão (BT): tensão superior a 50 volts em corrente alternada ou 120 volts em corrente contínua e igual ou inferior a 1000 volts em corrente alternada ou 1500 volts em corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra. c) Zona de Risco: local com potencialidade de ocorrência de atmosfera explosiva. d) Zona Controlada: entorno de parte condutora energizada, não segregada, acessível inclusive acidentalmente, de dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão, cuja aproximação só é permitida a profissionais autorizados e com a adoção de técnicas e instrumentos apropriados de trabalho. Questão 37 Relativamente ao "Transporte manual de sacos", segundo a NR 11, do MTE do Brasil, as seguintes afirmativas estão corretas, EXCETO: a) Fica estabelecida a distância máxima de 60,00m (sessenta metros) para o transporte manual de um saco. b) Esta atividade é definida como aquela realizada de maneira contínua ou descontínua, na qual o peso da carga é suportado, integralmente, por um só trabalhador, desconsiderando o levantamento e sua deposição. c) É vedado o transporte manual de sacos, através de pranchas, sobre vãos superiores a 1,00m (um metro). d) As pranchas de que trata o item c deverão ter a largura mínima de 0,50m (cinquenta centímetros). Questão 38 Qual das alternativas tem as correspondências corretas entre nomes dos materiais e suas definições? I) Cimento asfáltico II) Agregado III) Cal pozolânica IV) Gesso A - B - C - D - Termo genérico de uma família de aglomerantes simples, constituídos basicamente de sulfatos mais ou menos hidratados e anidros de cálcio; são obtidos pela calcinação da gipsita natural, constituída de sulfato hidratado de cálcio, geralmente acompanhado de certa proporção de impurezas. Cimento de oxicloretos, preparado por mistura de magnésia calcinada com cloreto de zinco e óxido de zinco com cloreto de magnésia. Material particulado, coesivo, de atividade química nula, constituído de misturas de partículas cobrindo extensa gama de tamanhos. Um material termoplástico variando a consistência de firme a duro em temperaturas normais, e que deve ser aquecido até atingir a condição de fluido, conveniente ao seu emprego. 13

15 a) I) C II) A III) D IV) B b) I) A II) B III) C IV) D c) I) B II) C III) D IV) A d) I) D II) C III) B IV) A Questão 39 Assinale a combinação de opções que está CORRETA sobre a correspondência entre os fenômenos listados a seguir e suas descrições: I) Resistência à compressão. II) Resistência à tração. III) Resistência à abrasão. IV) Esmagamento. A) Exerce-se paralela ou perpendicularmente ao veio da pedra. Os ensaios são feitos com corpos-de-prova cúbicos com 4cm de lado. B) Depende da direção do esforço, relativamente ao veio da pedra. Faz-se um ensaio diametral, em que um corpo-de-prova cilíndrico é submetido a um esforço perpendicular ao eixo do cilindro. C) É a capacidade que o agregado tem de não se alterar quando manuseado (carregamento, basculamento, transporte). D) Ocorre quando se submete o agregado a um esforço de compressão causando o fraturamento dos grãos, assim como um arredondamento de pontas e arestas. a) I) A - II) B - III) C - IV) D b) I) B - II) D - III) A - IV) C c) I) A - II) C - III) B - IV) D d) I) C - II) B - III) D - IV) A Questão 40 Leia as afirmativas e assinale a alternativa CORRETA. I - Componentes são metais puros ou compostos que compõe uma liga. II - Limite de solubilidade concentração mínima de átomos de soluto que pode se dissolver no solvente para formar uma solução sólida. III - Fase porção homogênea de um sistema que possui características físicas e químicas uniformes. IV - Um sistema está em equilíbrio quando sua energia livre se encontra num valor máximo para uma combinação de temperatura, pressão e composição. a) Todas as afirmativas são falsas. b) Somente as afirmativas II) e IV) são verdadeiras. c) Somente as afirmativas I) e III) são verdadeiras. d) Todas as afirmativas são verdadeiras. 14

16 Questão 41 Concernente às afirmativas assinale a alternativa CORRETA. I) Fadiga é uma falha, em níveis de tensão relativamente baixos, de estruturas submetidas a tensões flutuantes e cíclicas. II) Fluência é uma deformação permanente dependente do tempo que ocorre sob tensão; para maioria dos materiais, só é importante a temperaturas elevadas. III) Dureza é a medida de resistência de um material a uma deformação de sua superfície por indentação ou por abrasão. IV) A temperatura abaixo da transição vítrea, a velocidade de fluência dos termoplásticos é relativamente baixa devido à limitada mobilidade das cadeias moleculares. a) Somente as afirmativas III) e IV) são falsas. b) Todas as afirmativas são falsas. c) Somente as afirmativas I) e II) são verdadeiras. d) Todas as afirmativas são verdadeiras. Questão 42 Abaixo há quatro tipos de vidros comumente usados em experimentos de laboratório. Qual das combinações é a alternativa CORRETA para suas características. I) Borossilicato. II) Vitrocerâmica. III) Sílica fundida. IV) Sílico-cálcico A - B - C - D - Facilmente fabricado; resistente a choques térmicos (usado em vidraria para fornos). Resistente a choques térmicos e ataques químicos (usado em vidraria para fornos). Elevada temperatura de fusão, coeficiente de expansão muito pequeno (resistente a choques). Produtos planos, recipientes, objetos prensados e soprados. a) I) B - II) A - III) C IV) D b) I) A - II) C - III) B IV) D c) I) C - II) D - III) A IV) B d) I) D - II) C - III) A IV) B Questão 43 Com relação às três definições a seguir, escolha a alternativa em que a correspondência com as descrições dos processos é CORRETA: I) Laminação processo de deformação que consiste em se passar uma peça metálica sobre rolos: uma redução na espessura resulta das tensões de compressão exercidas pelos rolos. II) Extrusão uma peça metálica é puxada através de uma matriz que possui orifício cônico, mediante aplicação de uma força de tração pelo lado de saída do material. Resulta em uma redução na área da seção reta transversal e aumento correspondente no comprimento. III) Estiramento uma barra metálica é forçada através de um orifício em uma matriz pela ação de uma força de compressão aplicada sobre um êmbolo. A peça que emerge possui a forma desejada e uma área de seção transversal reta reduzida. IV) Estampagem processo de enformação de metais, sendo utilizado para transformar chapas finas em peças com formas côncavas. 15

17 a) Somente as afirmativas I) e IV) são verdadeiras. b) Somente as afirmativas II) e III) são verdadeiras. c) Todas as afirmativas são falsas. d) Todas as afirmativas são verdadeiras. Questão 44 Para o corpo-de-prova de tração cilíndrico representado na figura, se a força aplicada (F) for igual a 6280 kgf e o raio da seção transversal for igual a 10mm, a tensão em MPa atuante na seção transversal será, aproximadamente: F F a) 1000 b) 20 c) 200 d) 5 Questão 45 Qual é a afirmativa INCORRETA com relação ao ensaio de dureza Brinell. a) Fornece um número de dureza que representa o quociente entre a carga aplicada e a área produzida pela impressão. b) Utiliza um penetrador constituído por uma esfera de aço com diâmetro compatível com a carga utilizada e o material ensaiado. c) Utiliza um penetrador piramidal de diamante. d) Fornece um número de dureza que pode ser relacionado com o limite de resistência à tração convencional do material. 16

18 Questão 46 Para o gráfico representado na figura, obtido em um ensaio de tração convencional, é INCORRETO afirmar que T2 T1 T3 T4 a) o material está deformado plastica e elasticamente quando submetido à tensão T 2. b) os limites de escoamento e de resistência à tração correspondem respectivamente às tensões T 3 e T 1. c) quando o material atinge a tensão T 1 inicia-se o fenômeno da estricção. d) o material está deformado plasticamente quando submetido à tensão T 4. Questão 47 Constituem exemplos de fatores que diminuem a resistência à fadiga de um material metálico: a) Meio ambiente isento de agentes corrosivos e bom acabamento superficial do material. b) Presença de entalhes, rasgos, superfícies rugosas, variações bruscas de seção ou de outros concentradores de tensão no material. c) Realização de tratamentos de endurecimento superficial (como cementação e nitretação) no material. d) Introdução de tensões residuais de compressão na superfície do material. Questão 48 Assinale a afirmativa INCORRETA com relação ao ensaio de impacto Charpy em aços carbono comuns: a) Pode ser utilizado para se avaliar se o material tende a se comportar de maneira dúctil ou frágil a uma determinada temperatura quando submetido a esforços dinâmicos. b) O resultado do ensaio é uma medida relativa da energia absorvida pelo corpo de prova em condições dinâmicas. c) A temperatura e o teor de carbono do material não interferem no resultado do ensaio. d) À medida que se aumenta o teor de carbono de aços recozidos, estes tornam-se mais frágeis e a energia absorvida na fratura por impacto diminui. 17

19 Questão 49 Assinale a alternativa CORRETA relativa aos tratamentos térmicos dos aços carbono comuns: a) O tratamento de esferoidização (ou coalescimento) é normalmente realizado em aços com alto teor de carbono e resulta em uma baixa dureza e alta ductilidade no material. b) No tratamento de recozimento, após aquecimento, a amostra é resfriada rapidamente, por exemplo, com jatos de água. c) Após o tratamento de têmpera o material apresenta uma baixa dureza e uma alta ductilidade. d) O tratamento de revenimento é realizado antes do tratamento de têmpera e objetiva uma redução da tenacidade do material. Questão 50 Assinale a afirmativa INCORRETA no que se refere ao procedimento de preparação de amostras para exame ao microscópio óptico: a) Quando necessário, a aplicação de um reagente químico adequado na superfície da amostra é realizada logo após sua operação inicial de corte em serra mecânica. b) As amostras de tamanho reduzido normalmente são fixadas em materiais como baquelite para facilitar a operação de polimento. c) O polimento da amostra inicia-se normalmente com lixas mais grossas, prossegue com lixas mais finas e termina em panos quando se aplica uma leve camada de abrasivo. d) Quando a superfície tiver um aspecto especular e praticamente sem riscos perceptíveis, estará em condições de ser examinada ao microscópio para observação de ocorrências visíveis sem ataque químico. 18

20

MECÂNICA (SUBÁREA: PROCESSOS DE FABRICAÇÃO, MECÂNICA, TRATAMENTO TÉRMICO DE MATERIAIS, ENSAIOS DESTRUTIVOS E NÃO DESTRUTIVOS) GABARITO

MECÂNICA (SUBÁREA: PROCESSOS DE FABRICAÇÃO, MECÂNICA, TRATAMENTO TÉRMICO DE MATERIAIS, ENSAIOS DESTRUTIVOS E NÃO DESTRUTIVOS) GABARITO CONCURSO PÚBLICO DOCENTE IFMS EDITAL Nº 002/2013 CCP IFMS MECÂNICA (SUBÁREA: PROCESSOS DE FABRICAÇÃO, MECÂNICA, TRATAMENTO TÉRMICO DE MATERIAIS, ENSAIOS DESTRUTIVOS E NÃO DESTRUTIVOS) Uso exclusivo do

Leia mais

TM229 - Introdução aos Materiais

TM229 - Introdução aos Materiais TM229 - Introdução aos Materiais Propriedades mecânicas 2009.1 Ana Sofia C. M. D Oliveira Propriedades mecânicas Resistência - Tração - Escoamento - Compressão - Flexão - Cisalhamento - Fluência - Tensão

Leia mais

CADERNO DE PROVA 15 DE SETEMBRO DE 2012 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

CADERNO DE PROVA 15 DE SETEMBRO DE 2012 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA 1 Cada candidato receberá: CADERNO DE PROVA 15 DE SETEMBRO DE 2012 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA - 01 (um) Caderno de Prova de 10 (dez) páginas, contendo 25 (vinte e cinco) questões de múltipla

Leia mais

Materiais em Engenharia. Aula Teórica 6. Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza)

Materiais em Engenharia. Aula Teórica 6. Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza) Aula Teórica 6 Ensaios mecânicos (continuação dos ensaios de tracção, ensaios de compressão e de dureza) 1 ENSAIO DE TRACÇÃO A partir dos valores da força (F) e do alongamento ( I) do provete obtêm-se

Leia mais

MINISTÉRIO)DA)EDUCAÇÃO) ) INSTITUTO)FEDERAL)DE)EDUCAÇÃO,)CIÊNCIA)E) TECNOLOGIA)DO)SUDESTE)DE)MINAS)GERAIS)

MINISTÉRIO)DA)EDUCAÇÃO) ) INSTITUTO)FEDERAL)DE)EDUCAÇÃO,)CIÊNCIA)E) TECNOLOGIA)DO)SUDESTE)DE)MINAS)GERAIS) MINISTÉRIODAEDUCAÇÃO INSTITUTOFEDERALDEEDUCAÇÃO,CIÊNCIAE TECNOLOGIADOSUDESTEDEMINASGERAIS CONCURSOPÚBLICOPARAPROVIMENTODECARGOEFETIVODEDOCENTES ÁREA:EngenhariaMecânica

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

Soldabilidade de Metais. Soldagem II

Soldabilidade de Metais. Soldagem II Soldabilidade de Metais Soldagem II Soldagem de Ligas Metálicas A American Welding Society (AWS) define soldabilidade como a capacidade de um material ser soldado nas condições de fabricação impostas por

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TRATAMENTOS TÉRMICOS E TERMOQUÍMICOS

GLOSSÁRIO DE TRATAMENTOS TÉRMICOS E TERMOQUÍMICOS 1 NITRAMET TRATAMENTO DE METAIS LTDA PABX: 11 2192 3350 nitramet@nitramet.com.br GLOSSÁRIO DE TRATAMENTOS TÉRMICOS E TERMOQUÍMICOS Austêmpera Tratamento isotérmico composto de aquecimento até a temperatura

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Resistência do Concreto

Leia mais

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º

Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º PROVIMENTO ART. 8º Capítulo 12 PROVIMENTO ART. 8º Significa o preenchimento de um cargo público, consubstanciado mediante ato administrativo de caráter funcional, pois o ato é que materializa ou formaliza

Leia mais

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP LEGISLAÇÃO DE PESSOAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais Lei nº. 8.112/90 Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

CONCEITOS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

CONCEITOS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho CONCEITOS Materiais e Processos de Produção ESTRUTURA DA MATÉRIA ÁTOMOS PRÓTONS NÊUTRONS ELÉTRONS MOLÉCULAS ESTADOS DA MATÉRIA TIPO DE LIGAÇÃO ESTRUTURA (ARRANJO) IÔNICA COVALENTE METÁLICA CRISTALINO AMORFO

Leia mais

Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação

Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer. Aristóteles 24/Novembro/2014 1 Produtos e Aplicações Cabos de

Leia mais

Ensaio de fadiga. Em condições normais de uso, os produtos. Nossa aula. Quando começa a fadiga

Ensaio de fadiga. Em condições normais de uso, os produtos. Nossa aula. Quando começa a fadiga A U A UL LA Ensaio de fadiga Introdução Nossa aula Em condições normais de uso, os produtos devem sofrer esforços abaixo do limite de proporcionalidade, ou limite elástico, que corresponde à tensão máxima

Leia mais

PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS METAIS

PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS METAIS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS METAIS CMA CIÊNCIA DOS MATERIAIS 2º Semestre de 2014 Prof. Júlio

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO POVO LEI Nº516/2012- DE 09 DE ABRIL DE 2012 Altera a Lei Municipal nº 280, de 30 de março de 2004, que dispõe sobre o Estatuto Geral do Servidores Públicos do Município de São José do Povo. JOÃO BATISTA DE

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Mecânica A respeito das bombas centrífugas é correto afirmar: A. A vazão é praticamente constante, independentemente da pressão de recalque. B. Quanto

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Tecnologia Mecânica

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP. Tecnologia Mecânica CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET-SP Tecnologia Mecânica Tratamentos térmicos e termo-químicos Recozimento Normalização Têmpera Revenimento Cementação Nitretação Tratamentos Térmicos

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL 1 CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL LEI Nº 5.106, DE 3 DE MAIO DE 2013 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre a carreira Assistência à Educação do Distrito Federal e dá outras providências.

Leia mais

Disciplina CIÊNCIA DOS MATERIAIS A. Marinho Jr. Materiais polifásicos - Processamentos térmicos

Disciplina CIÊNCIA DOS MATERIAIS A. Marinho Jr. Materiais polifásicos - Processamentos térmicos Tópico 7E Materiais polifásicos - Processamentos térmicos Introdução Já vimos que a deformação plástica de um metal decorre da movimentação interna de discordâncias, fazendo com que planos cristalinos

Leia mais

Aço é uma liga metálica composta principalmente de ferro e de pequenas quantidades de carbono (em torno de 0,002% até 2%).

Aço é uma liga metálica composta principalmente de ferro e de pequenas quantidades de carbono (em torno de 0,002% até 2%). ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 3 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos. 31 de março, 2003. AÇOS PARA ARMADURAS 3.1 DEFINIÇÃO E IMPORTÂNCIA Aço é uma liga metálica composta principalmente

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 33,de 22 de janeiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

Comparação entre Tratamentos Térmicos e Método Vibracional em Alívio de Tensões após Soldagem

Comparação entre Tratamentos Térmicos e Método Vibracional em Alívio de Tensões após Soldagem Universidade Presbiteriana Mackenzie Comparação entre Tratamentos Térmicos e Método Vibracional em Alívio de Tensões após Soldagem Danila Pedrogan Mendonça Orientador: Profº Giovanni S. Crisi Objetivo

Leia mais

PROPRIEDADES DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO

PROPRIEDADES DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO COMPORTAMENTO FÍSICO No estado fresco inicial Suspensão de partículas diversas pasta de cimento agregados aditivos ou adições Endurecimento progressivo na fôrma produtos da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem

Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem Este processo é empregado para produzir peças de diferentes tamanhos e formas, constituído de materiais variados (ferrosos

Leia mais

Propriedades Mecânicas dos Aços DEMEC TM175 Prof Adriano Scheid

Propriedades Mecânicas dos Aços DEMEC TM175 Prof Adriano Scheid Propriedades Mecânicas dos Aços DEMEC TM175 Prof Adriano Scheid Tensão Propriedades Mecânicas: Tensão e Deformação Deformação Elástica Comportamento tensão-deformação O grau com o qual a estrutura cristalina

Leia mais

Facear Concreto Estrutural I

Facear Concreto Estrutural I 1. ASSUNTOS DA AULA Durabilidade das estruturas, estádios e domínios. 2. CONCEITOS As estruturas de concreto devem ser projetadas e construídas de modo que, quando utilizadas conforme as condições ambientais

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 02

PROVA ESPECÍFICA Cargo 02 18 PROVA ESPECÍFICA Cargo 02 QUESTÃO 41 As afirmativas a seguir tratam das características de alguns dos tratamentos térmicos aplicados aos aços. Verifique quais são verdadeiras (V) ou falsas (F) e marque

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Forjamento: O forjamento, um processo de conformação mecânica em que o material é deformado por martelamentoou prensagem, é empregado para a fabricação

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 Forjamento Ferreiro - Uma das profissões mais antigas do mundo. Hoje em dia, o martelo e a bigorna foram substituídos por máquinas e matrizes

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO

ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 2 CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 2 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos Março de 2004 CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO Como foi visto no capítulo anterior, a mistura em proporção adequada

Leia mais

PROGRAMA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

PROGRAMA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL LÍNGUA PORTUGUESA Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica Emprego das classes de palavras Emprego do sinal indicativo de crase Sintaxe da oração e

Leia mais

Em aços trabalhados mecanicamente, é usual a presença de uma

Em aços trabalhados mecanicamente, é usual a presença de uma Figura 2.13: Amostra do aço SAF 2205 envelhecida a 850ºC por 30 minutos. Ferrita (escura), austenita (cinza) e sigma (sem ataque). Nota-se morfologia lamelar de sigma e austenita, no centro da micrografia.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS

ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS ERRATA SEPLAG/ SEDF PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E ORIENTADOR EDUCACIONAL NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO AUTOR: IVAN LUCAS Na página 115, onde se lê: 31. Pelo menos cinquenta por cento dos cargos em

Leia mais

2 Processo de Laminação

2 Processo de Laminação 2 Processo de Laminação O processo de laminação atua na forma do material, modificando-lhe a sua geometria. Para isso, há necessidade da influência de agentes mecânicos externos; que são os meios de se

Leia mais

CAPACIDADE ELÉTRICA. Unidade de capacitância

CAPACIDADE ELÉTRICA. Unidade de capacitância CAPACIDADE ELÉTRICA Como vimos, a energia elétrica pode ser armazenada e isso se faz através do armazenamento de cargas elétricas. Essas cargas podem ser armazenadas em objetos condutores. A capacidade

Leia mais

5 DISCUSSÃO. 5.1 Influência dos resfriadores no fundido. Capítulo 5 77

5 DISCUSSÃO. 5.1 Influência dos resfriadores no fundido. Capítulo 5 77 Capítulo 5 77 5 DISCUSSÃO 5.1 Influência dos resfriadores no fundido. A finalidade do uso dos resfriadores no molde antes da fundição das amostras Y block foi provocar uma maior velocidade de resfriamento

Leia mais

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos F.02 Espelhos Planos e Esféricos 2º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Lista 04 Questão 01) Obedecendo às condições de Gauss, um espelho esférico fornece, de um objeto retilíneo de

Leia mais

- PLACA DE CHOQUE: É construída com material Aço 1045, podendo levar um tratamento térmico para alcançar uma dureza de 45-48 HRC, se necessário.

- PLACA DE CHOQUE: É construída com material Aço 1045, podendo levar um tratamento térmico para alcançar uma dureza de 45-48 HRC, se necessário. Estampagem A estampagem é o processo de fabricação de peças, através do corte ou deformação de chapas em operação de prensagem geralmente a frio. A conformação de chapas é definida como a transição de

Leia mais

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA:

Principais diferenças entre CARGO EFETIVO, CARGO EM COMISSÃO e FUNÇÃO DE CONFIANÇA: Prof.: Clayton Furtado LEI 8.112/90 clayton_furtado@yahoo.com.br 1ª AULA 1 - Introdução: a. Histórico: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA

Leia mais

- Estudo técnico - Art. 67...

- Estudo técnico - Art. 67... Aposentadoria especial para diretores, coordenadores e assessores pedagógicos - Estudo técnico - A Lei nº 11.301, de 10 de maio de 2006, publicada no Diário 0ficial da União de 11 de maio do mesmo ano,

Leia mais

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 3 Ensaio de Dureza. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 3 Ensaio de Dureza. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Ensaios Mecânicos de Materiais Aula 3 Ensaio de Dureza Tópicos Abordados Nesta Aula Ensaio de Dureza. Dureza Brinell. Dureza Rockwell. Dureza Vickers. Definições de Dureza Dureza - propriedade mecânica

Leia mais

QUESTÃO 24 PETROBRÁS / 2008

QUESTÃO 24 PETROBRÁS / 2008 QUESTÃO 24 PETROBRÁS / 2008 Um esforço axial de tração gera os valores máximos de tensão (A) normal na seção transversal e de cisalhamento em um plano a 45 o. (B) normal na seção transversal e de cisalhamento

Leia mais

ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Caderno 02

ASSISTÊNCIA TÉCNICA. Caderno 02 ASSISTÊNCIA TÉCNICA Caderno 02 Julho/2004 CONFORMAÇÃO DOS AÇOS INOXIDÁVEIS Comportamento dos Aços Inoxidáveis em Processos de Estampagem por Embutimento e Estiramento 1 Estampagem Roberto Bamenga Guida

Leia mais

2 Revisão Bibliográfica

2 Revisão Bibliográfica 2 Revisão Bibliográfica Neste capítulo são apresentados trabalhos relacionados ao comprimento de ancoragem e a resistência de aderência do CFC-substrato de concreto. São mostradas de forma resumida as

Leia mais

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 11 Ensaio de Fadiga. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Ensaios Mecânicos de Materiais. Aula 11 Ensaio de Fadiga. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Ensaios Mecânicos de Materiais Aula 11 Ensaio de Fadiga Tópicos Abordados Nesta Aula Ensaio de Fadiga. Propriedades Avaliadas do Ensaio. Tipos de Corpos de Prova. Introdução Quando são aplicados esforços

Leia mais

Estruturas Metálicas. Módulo I. Normas e Matérias

Estruturas Metálicas. Módulo I. Normas e Matérias Estruturas Metálicas Módulo I Normas e Matérias NORMAS DE ESTRUTURA ABNT NBR 8800/2008 PROJETO E EXECUÇÃO DE ESTRUTURAS DE AÇO EM EDIFICIOS - ABNT NBR 6120/1980 Cargas para o cálculo de estruturas de edificações

Leia mais

ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO

ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...

Leia mais

NBR 7480/1996. Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado

NBR 7480/1996. Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado NBR 7480/1996 Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado OBJETIVO Fixar as condições exigíveis na encomenda, fabricação e fornecimento de barras e fios de aço destinados a armaduras

Leia mais

O recurso argumenta que a opção D também poderia ser assinalada como correta.

O recurso argumenta que a opção D também poderia ser assinalada como correta. DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO TOCANTINS CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO E NÍVEL SUPERIOR Analista em Gestão Especializado Administração Disciplina: Conhecimentos

Leia mais

CORTE DOS METAIS. Prof.Valmir Gonçalves Carriço Página 1

CORTE DOS METAIS. Prof.Valmir Gonçalves Carriço Página 1 CORTE DOS METAIS INTRODUÇÃO: Na indústria de conformação de chapas, a palavra cortar não é usada para descrever processos, exceto para cortes brutos ou envolvendo cortes de chapas sobrepostas. Mas, mesmo

Leia mais

Propriedades dos Materiais CAP 3

Propriedades dos Materiais CAP 3 Universidade Federal do Ceará Resistência dos Materiais I Propriedades dos Materiais CAP 3 Profa. Tereza Denyse de Araújo Março/2010 Roteiro de aula Ensaio de Cisalhamento Ensaio de Torção Falhas de Materiais

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING

BOLETIM TÉCNICO PROCESSO MIG BRAZING O PROCESSO Consiste na união de aços comuns, galvanizados e aluminizados, utilizando um processo de aquecimento à arco elétrico (MIG), adicionando um metal de adição a base de cobre, não ocorrendo a fusão

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br A isenção da contribuição previdenciária dos servidores públicos (abono de permanência) Luís Carlos Lomba Júnior* O presente estudo tem como objetivo traçar breves considerações

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA. Objetivo Metodologia Introdução. Método Experimental Resultados Experimentais Conclusão Grupo de Trabalho

UNIVERSIDADE SANTA. Objetivo Metodologia Introdução. Método Experimental Resultados Experimentais Conclusão Grupo de Trabalho UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA ENGENHARIA MECÂNICA INDUSTRIAL Análise dos Parâmetros que Influenciaram a Falha dos Parafusos Calibrados Aço1045 A do Acoplamento de Engrenagem da Mesa Giratória ria do Laminador

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A L 0 H mola apoio sem atrito B A figura acima mostra um sistema composto por uma parede vertical

Leia mais

RECURSO ADVOGADO QUESTÃO 09 Instituto de Previdência

RECURSO ADVOGADO QUESTÃO 09 Instituto de Previdência Candidato: Paul Benedict Estanislau Cargo: 1001 - Advogado Número de Inscrição: 127672 À Comissão Avaliadora dos Recursos da UNIVALI Departamento de Processo Seletivo da UNIVALI RECURSO ADVOGADO QUESTÃO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 420. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI COMPLEMENTAR Nº 420. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI COMPLEMENTAR Nº 420 Dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para os militares do Estado do Espírito Santo e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber

Leia mais

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02

AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 AULA 02 ROTEIRO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 5º; 37-41; 205 214; 227 229 LEI 8.069 DE 13/07/1990 ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE E C A PARTE 02 CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA SEÇÃO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

Dureza de materiais metálicos

Dureza de materiais metálicos Dureza de materiais metálicos Podemos considerar a dureza de um material de engenharia como sendo a propriedade mecânica de resistir à penetração ou riscamento na sua superfície. No caso dos materiais

Leia mais

CAPÍTULO 10 PROPRIEDADES MECÂNICAS DE MATERIAIS

CAPÍTULO 10 PROPRIEDADES MECÂNICAS DE MATERIAIS 231 CAPÍTULO 10 PROPRIEDADES MECÂNICAS DE MATERIAIS Sumário Objetivos deste capítulo...232 10.1 Introdução...232 10.2 Conceitos de tensão e deformação...233 10.3 Discordâncias e sistemas de escorregamento...233

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 9 (pág. 102) AD TM TC Aula 10 (pág. 102) AD TM TC Aula 11 (pág. 104) AD TM TC Aula 12 (pág. 106) AD TM TC Aula 13 (pág. 107) AD TM TC Aula 14 (pág.

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

Tratamento térmico. A.S.D Oliveira

Tratamento térmico. A.S.D Oliveira Tratamento térmico Porque fazer Tratamentos Térmicos? Modificação de propriedades sem alterar composição química, pela modificação da microestrutura Sites de interesse: www.infomet.com.br www.cimm.com.br

Leia mais

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90

OAB. Direito Administrativo. Prof. Rodrigo Canda LEI 8.112/90 LEI 8.112/90 Art. 5o São requisitos básicos para investidura em cargo público: I - a nacionalidade brasileira; II - o gozo dos direitos políticos; III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO Nº 03 PVC

BOLETIM TÉCNICO Nº 03 PVC A tabela a seguir lista valores típicos de algumas propriedades físicas, mecânicas, térmicas e elétricas de compostos de PVC rígidos e flexíveis. Os valores são simplesmente de caráter informativo e são

Leia mais

TM703 Ciência dos Materiais PIPE Pós - Graduação em Engenharia e Ciências de Materiais

TM703 Ciência dos Materiais PIPE Pós - Graduação em Engenharia e Ciências de Materiais TM703 Ciência dos Materiais PIPE Pós - Graduação em Engenharia e Ciências de Materiais Carlos Mauricio Lepienski Laboratório de Propriedades Nanomecânicas Universidade Federal do Paraná Aulas 7 1º sem.

Leia mais

ME-9 MÉTODOS DE ENSAIO ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA DE SOLOS

ME-9 MÉTODOS DE ENSAIO ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA DE SOLOS ME-9 MÉTODOS DE ENSAIO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...3 4. APARELHAGEM...4 5. ENERGIAS DE COMPACTAÇÃO...7 6. EXECUÇÃO DO

Leia mais

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO:

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSOR: Erich/ André DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2 a EM Circule a sua turma: Funcionários: 2 o A 2ºB Anchieta:2 o NOME COMPLETO:

Leia mais

UERJ CRR FAT Disciplina ENSAIOS DE MATERIAIS A. Marinho Jr

UERJ CRR FAT Disciplina ENSAIOS DE MATERIAIS A. Marinho Jr Tópico 05 ENSAIOS MECÂNICOS - DUREZA Parte A - Dureza Brinell Introdução A dureza de um material é uma propriedade difícil de definir, que tem diversos significados dependendo da experiência da pessoa

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO FRESCO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes CONCRETO FRESCO Conhecer o comportamento

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

UDDEHOLM NIMAX UDDEHOLM NIMAX

UDDEHOLM NIMAX UDDEHOLM NIMAX UDDEHOLM NIMAX Uma ferramenta confiável e eficiente é essencial para se obter bons resultados. O mesmo se aplica na busca da alta produtividade e disponibilidade. Quando se escolhe um aço ferramenta muitos

Leia mais

ENEM 2014 - Caderno Cinza. Resolução da Prova de Matemática

ENEM 2014 - Caderno Cinza. Resolução da Prova de Matemática ENEM 014 - Caderno Cinza Resolução da Prova de Matemática 136. Alternativa (C) Basta contar os nós que ocupam em cada casa. 3 nós na casa dos milhares. 0 nós na casa das centenas. 6 nós na casa das dezenas

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT

Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT Queridos alunos, vencem o desafio os 3 primeiros alunos a enviar as respostas corretas para o meu e-mail, mas tem que acertar todas... ;-) Vou começar a responder os e-mails

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 08) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 08) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS (Perfil 08) «21. A grafia incorreta do resultado da medição propicia problemas de legibilidade, informações desnecessárias e sem sentido. Considerando

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC

DIREITO ADMINISTRATIVO ESQUEMATIZADO INSS FCC CARGOS: Técnico do INSS www.beabadoconcurso.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. - 1 - APOSTILA ESQUEMATIZADA SUMÁRIO UNIDADE 1 Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União (Lei n 8.112/90) 1.1

Leia mais

Material para Produção Industrial Ensaio de Dureza

Material para Produção Industrial Ensaio de Dureza Material para Produção Industrial Ensaio de Dureza Prof.: Sidney Melo 8 Período 1 O que é Dureza Dureza é a propriedade de um material que permite a ele resistir à deformação plástica, usualmente por penetração.

Leia mais

Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Agregados para concreto Os agregados constituem um componente importante no concreto, contribuindo com cerca de 80% do peso e 20% do custo de concreto

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I DA CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA SEFAZ Seção I Dos Princípios Básicos LEI N. 2.265, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Estabelece nova estrutura de carreira para os servidores públicos estaduais da Secretaria de Estado da Fazenda SEFAZ. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO

Leia mais

MATERIAIS PARA ENGENHARIA DE PETRÓLEO - EPET069 - Conformação dos Metais

MATERIAIS PARA ENGENHARIA DE PETRÓLEO - EPET069 - Conformação dos Metais MATERIAIS PARA ENGENHARIA DE PETRÓLEO - EPET069 - Conformação dos Metais CONFORMAÇÃO DOS METAIS Fundamentos da Conformação Plástica Diagrama Tensão x Deformação CONFORMAÇÃO DOS METAIS Fundamentos da Conformação

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 42, DE 16 DE JUNHO DE 2009 (Alterada pelas Resoluções nºs 52, de 11 de maio de 2010 e 62, de 31 de agosto de 2010) Dispõe sobre a concessão de estágio

Leia mais

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Dispositivo Prazo Referência Art. 12 Art. 13 1º Até 2 anos Validade do concurso público - podendo ser prorrogado

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. GERÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. GERÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS PROJETO BÁSICO PS/TGE/009/2005. CONTRAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REALIZAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO. 1 - Objeto Contratação de empresa especializada em realização de concurso público destinado ao preenchimento

Leia mais

Prova do Nível 1 (resolvida)

Prova do Nível 1 (resolvida) Prova do Nível (resolvida) ª fase 0 de novembro de 0 Instruções para realização da prova. Verifique se este caderno contém 0 questões e/ou qualquer tipo de defeito. Se houver algum problema, avise imediatamente

Leia mais

ENSAIO DE MATERIAIS. Profº Diógenes Bitencourt

ENSAIO DE MATERIAIS. Profº Diógenes Bitencourt ENSAIO DE MATERIAIS Profº Diógenes Bitencourt BASES TECNOLÓGICAS Diagrama Tensão-Deformação; Ensaio de Tração; Ensaio de Compressão; Ensaio de Cisalhamento; Ensaio de dureza Brinell; Ensaio de dureza Rockwell;

Leia mais

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora.

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora. Brocas A broca é uma ferramenta de corte geralmente de forma cilíndrica, fabricada com aço rápido, aço carbono, ou com aço carbono com ponta de metal duro soldada ou fixada mecanicamente, destinada à execução

Leia mais

Trefilação O processo de trefilação é a deformação mecânica de um metal através da passagem do material por uma matriz de formato cônico, diminuindo

Trefilação O processo de trefilação é a deformação mecânica de um metal através da passagem do material por uma matriz de formato cônico, diminuindo Trefilação O processo de trefilação é a deformação mecânica de um metal através da passagem do material por uma matriz de formato cônico, diminuindo a seção do material, sem perda nem adição do metal.

Leia mais

Disciplina: Materiais para produção industrial Prof.: Sidney Melo

Disciplina: Materiais para produção industrial Prof.: Sidney Melo Disciplina: Materiais para produção industrial Prof.: Sidney Melo 1 Introdução Aço é uma liga metálica formada essencialmente por ferro e carbono, com percentagens deste último variáveis entre 0,008 e

Leia mais

REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM

REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM REVESTIMENTOS DUROS RESISTENTES AO DESGASTES DEPOSITADOS POR SOLDAGEM Para maior facilidade de análise e prevenção, procura-se geralmente identificar o(s) mecanismo(s) predominante(s) de remoção de material.

Leia mais

CAPÍTULO V CISALHAMENTO CONVENCIONAL

CAPÍTULO V CISALHAMENTO CONVENCIONAL 1 I. ASPECTOS GERAIS CAPÍTULO V CISALHAMENTO CONVENCIONAL Conforme já foi visto, a tensão representa o efeito de um esforço sobre uma área. Até aqui tratamos de peças submetidas a esforços normais a seção

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Concurso Público n.º 01/2015. Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE IOMERÊ

MANUAL DO CANDIDATO. Concurso Público n.º 01/2015. Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE IOMERÊ MANUAL DO CANDIDATO Concurso Público n.º 01/2015 Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE IOMERÊ Orientações e Instruções para a Realização das Provas 1. Do horário de comparecimento para a realização das

Leia mais

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE

a) os módulos das velocidades angulares ωr NOTE E ADOTE 1. Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é perpendicular à superfície gerada pelo anel e o sentido está

Leia mais