DIAGRAMA DE REDE. OSPFv3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIAGRAMA DE REDE. OSPFv3"

Transcrição

1 DIAGRAMA DE REDE OSPFv3 1) Faça LOGIN no respectivo router (ver dados de autenticação), e entre em modo ENABLE (digitando enable na prompt «>», e introduzindo a respectiva password de enable. A prompt deverá passar a «#». 2) Liste todos os interfaces existentes no router, por via do comando show ip interface brief 3) Entre em modo de configuração, com o comando configure terminal 4) Crie o processo de OSPFv3 no router através do comando ipv6 router ospf 100, e redistribua as rotas para o protocolo por meio do comando redistribute connected

2 5) Adicione iterativamente a cada interface (ver ponto 2) que esteja em estado (up/up) e possua um endereço ipv4 (entre na configuração de cada interface com o comando interface <interface>), o comando ipv6 ospf 100 area 0. (nota: o endereço ipv4 não é obrigatório para que o ipv6 funcione, serve somente para identificar quais os interfaces onde deverá activar este comando). 6) Saia do modo de configuração, digitando CTRL-Z. 7) Verifique a configuração de cada interface. Deverá usar o comando show run interface <interface>. A maioria dos interfaces assumem a designação simplificada f<número>/<número> ou f<número>/<número>/<número>. Deverá verificar que para além do comando ipv6 ospf 100 area 0 que introduziu, cada interface activo dispõe já de um endereço ipv6 (ipv6 address <endereço>) e de um comando ipv6 enable. 8) O comando show ipv6 ospf neighbor mostrará as vizinhanças formadas com outros routers que entretanto activem o protocolo OSPFv3 nos interfaces ligados ao seu router. 9) Após confirmar o estabelecimento de algumas vizinhanças, através do comando show ipv6 route verifique quantas e quais rotas ipv6 o seu router conhece. (nota: faça copy&paste do output do comando para um ficheiro de texto) 10) (Este passo apenas deve ser efectuado quando o formador assim o indicar, pois a sua realização afectará as vizinhanças OSPFv3 dos restantes routers). Entre novamente em modo de configuração (configure terminal) e remova a configuração do protocolo OSPFv3, através do comando no ipv6 router ospf 100. Faça seguidamente CTRL-Z, de forma a sair do modo de configuração. 11) Verifique novamente a configuração de cada interface (ver passo 7). O comando ipv6 ospf 100 area 0 deverá ter sido removido automaticamente da configuração de cada interface. 12) Repita o comando do passo 8. Agora que já não dispõe de nenhuma vizinhança OSPFv3, compare o output do comando (show ipv6 route) com o output previamente obtido no passo 9. Deverá ver que agora o conjunto de rotas ipv6 é mais reduzido (pode agora existir apenas menos uma rota). 13) Mantenha a sua ligação ao router, uma vez que será necessário para o próximo exercício prático.

3 BGP4+ 1) Entre em modo de configuração, com o comando configure terminal 2) Crie o processo de BGP no router através do comando router bgp 6500<x>. Cada router terá o seu próprio número de sistema autónomo (que variará entre e 65008). 3) Crie o segmento de configuração address-family ipv6 unicast 4) Crie vizinhanças de BGP com os seguintes endereços (excluindo o próprio): 2001:690:1F00:1::1 2001:690:1F00:1::2 2001:690:1F00:1::3 2001:690:1F00:1::4 2001:690:1F00:1::5 2001:690:1F00:1::6 2001:690:1F00:1::7 2001:690:1F00:1::8 5) Cada vizinhança é criada através dos seguintes três comandos (endereços ipv6 indicados no ponto anterior): neighbor <endereço ipv6> remote-as 6500<y> neighbor <endereço ipv6> next-hop-self neighbor <endereço ipv6> activate O <y> refere-se ao número do vizinho. 6) Declarar a rede 2001:690:1F00:BBB<x>::/64, que será anunciada a todos os vizinhos, com os comandos: network 2001:690:1F00:BBB<x>::/64 ipv6 route 2001:690:1F00:BBB<x>::/64 null0 7) Saia do modo de configuração, digitando CTRL-Z. 8) Com o comando show bgp ipv6 unicast summary é possível verificar que vizinhanças estão activas. Cada vizinhança só ficará activa quando a configuração for efectuada em cada um dos restantes routers. 9) De forma a visualizar que rotas são anunciadas em cada vizinhança o comando a utilizar será show bgp ipv6 unicast neighbor <endereço ipv6> routes 10) Após indicação do formador, entrar novamente em modo de configuração, e remover a rota anunciada através do comando no ipv6 route 2001:690:1F00:BBB<x>::/64 null0. É necessário também remover toda a configuração de BGP, por intermédio de no router bgp 6500<x>. 11) Faça CTRL-Z, de forma a sair do modo de configuração, exit de forma a terminar a ligação ao router.

4 OSPFv3 1) Faça LOGIN no respectivo router (ver dados de autenticação). 2) Liste todos os interfaces existentes no router, por via do comando show configuration interfaces 3) Entre em modo de configuração, com o comando edit 4) Entre no segmento da configuração do OSPFv3 através do comando edit protocols ospf3 5) Adicione iterativamente a cada interface (ver ponto 2) que possua um endereço ipv4, o comando set area interface fe-1/0/<x>.0 (nota: o endereço ipv4 não é obrigatório para que o ipv6 funcione, serve somente para identificar quais os interfaces onde deverá activar este comando). 6) Active as alterações através do comando commit e saia do modo de configuração, digitando exit duas vezes. 7) O comando show ospf3 neighbor mostrará as vizinhanças formadas com outros routers que entretanto activem o protocolo OSPFv3 nos interfaces ligados ao seu router. 8) Após confirmar o estabelecimento de algumas vizinhanças, através do comando show route table inet6.0 verifique quantas e quais rotas ipv6 o seu router conhece. (nota: faça copy&paste do output do comando para um ficheiro de texto) 9) (Este passo apenas deve ser efectuado quando o formador assim o indicar, pois a sua realização afectará as vizinhanças OSPFv3 dos restantes routers). Entre novamente em modo de configuração (edit) e remova a configuração do protocolo OSPFv3, através do comando delete protocols ospf3. Repita o passo 6), de forma a sair do modo de configuração. 10) Repita o comando do passo 7. Agora que já não dispõe de nenhuma vizinhança OSPFv3 e compare o output do comando (show route table inet6.0) com o output previamente obtido no passo 8. Deverá ver que agora o conjunto de rotas ipv6 é mais reduzido (pode agora existir apenas menos uma rota). 11) Mantenha a sua ligação ao router, uma vez que será necessário para o próximo exercício prático.

5 BGP4+ 1) Entre em modo de configuração, com o comando edit 2) Entre no segmento da configuração do BGP através do comando edit protocols bgp group AS6500<x>. Cada router terá o seu próprio número de sistema autónomo. Use set local-as 6500<x> para definir o seu sistema autónomo. Os sistemas autónomos dos 8 equipamentos variarão portanto entre e ) Declare que o grupo apenas é relativo ao protocolo ipv6, com o comando set family inet6 any 4) Crie vizinhanças de BGP com os seguintes endereços (excluindo o próprio): 2001:690:1F00:1::1 2001:690:1F00:1::2 2001:690:1F00:1::3 2001:690:1F00:1::4 2001:690:1F00:1::5 2001:690:1F00:1::6 2001:690:1F00:1::7 2001:690:1F00:1::8 5) Cada vizinhança é criada através dos seguintes três comandos (endereços ipv6 indicados no ponto anterior): set neighbor <endereço ipv6> local-address <endereço ipv6 próprio> set neighbor <endereço ipv6> peer-as 6500<y> set neighbor <endereço ipv6> export OUT O <y> refere-se ao número do vizinho. 6) Declarar a rede 2001:690:1F00:BBB<x>::/64, que será anunciada a todos os vizinhos, com os comandos: exit edit routing-options set rib inet6.0 static route 2001:690:1F00:BBB<x>::/64 discard exit set policy-options policy-statement OUT term 1 from prefix-list OWN set policy-options policy-statement OUT term 1 then accept set policy-options prefix-list OWN 2001:690:1F00:BBB<x>::/64 7) Active as alterações através do comando commit e saia do modo de configuração, digitando exit duas vezes. 8) Com o comando show bgp summary é possível verificar que vizinhanças estão activas. Cada vizinhança só ficará activa quando a configuração for efectuada em cada um dos restantes routers. 9) De forma a visualizar que rotas são anunciadas em cada vizinhança o comando a utilizar será show route advertising-protocol bgp <endereço ipv6 do vizinho>

6 10) Após indicação do formador, entrar novamente em modo de configuração (edit), e remover a rota anunciada através do comando delete routing-options rib inet6.0 static route 2001:690:1F00:BBB<x>::/64. É necessário também remover toda a configuração de BGP, por intermédio de delete protocols bgp group AS6500<x> e delete policy-options. 11) Faça commit e posteriormente exit, de forma a sair do modo de configuração, e exit novamente para terminar a ligação ao router.

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste exercício deve conseguir completar as seguintes

Leia mais

Exercício 2 ibgp. 1. Primeiro, crie uma interface de loopback em cada roteador que será utilizada para estabelecer as sessões ibgp.

Exercício 2 ibgp. 1. Primeiro, crie uma interface de loopback em cada roteador que será utilizada para estabelecer as sessões ibgp. Exercício 2 ibgp Objetivo: Configurar as sessões ibgp com o intuito de repassar as rotas aprendidas externamente para todos os roteadores do AS e também para divulgar as rotas para as redes dos clientes.

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste laboratório deve conseguir completar a seguintes

Leia mais

Guia de Laboratório de Redes Encaminhamento OSPF

Guia de Laboratório de Redes Encaminhamento OSPF Guia de Laboratório de Redes Encaminhamento OSPF 1 Introdução Este trabalho tem como objectivo familiarizar os alunos com os protocolos de encaminhamento dinâmico RIP e OSPF e a utilização de rotas estáticas.

Leia mais

Protocolos em Redes de Dados 2000-2001 Ficha de Laboratório Número 4 BGP

Protocolos em Redes de Dados 2000-2001 Ficha de Laboratório Número 4 BGP Protocolos em Redes de Dados 2000-2001 Ficha de Laboratório Número 4 BGP Luís Pires e Luís Rodrigues 12 de Dezembro de 2000 Agradecimento Os encaminhadores utilizados neste trabalho foram amavelmente cedidos

Leia mais

Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes (GTER39) Conexão com PTT's utilizando Vyatta/Vyos/EdgeMAX

Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes (GTER39) Conexão com PTT's utilizando Vyatta/Vyos/EdgeMAX Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes (GTER39) Conexão com PTT's utilizando Vyatta/Vyos/EdgeMAX Elizandro Pacheco www.pachecotecnologia.net Elizandro Pacheco

Leia mais

FormaçãoIPv6-RCTS. Componente Prática Parte II

FormaçãoIPv6-RCTS. Componente Prática Parte II FormaçãoIPv6-RCTS Componente Prática Parte II Parte II Gestão, Encaminhamento, Segurança, Aplicações e Transição Prática #1 Fazer Login via SSH na respectiva VMx e transferir por FTP primeiro em IPv4 e

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga RIP O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Exemplo de configuração do refletor da rota de BGP do IPv6

Exemplo de configuração do refletor da rota de BGP do IPv6 Exemplo de configuração do refletor da rota de BGP do IPv6 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações de exemplo Verificar Informações

Leia mais

Laboratório 2.3.4 Configurando a Autenticação OSPF

Laboratório 2.3.4 Configurando a Autenticação OSPF Laboratório 2.3.4 Configurando a Autenticação OSPF Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a área OSPF (Open Shortest Path First). Configurar e verificar o roteamento OSPF. Introduzir a

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Antes de começar a configurar o seu switch, você deve estabelecer suas conexões. Existem dois tipos de conexões: através da porta de console e através da porta Ethernet. A porta

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto - 29 Agosto 08 Configuração de Sistema (Linux)

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto - 29 Agosto 08 Configuração de Sistema (Linux) Moçambique 26 Agosto - 29 Agosto 08 Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Exercício Prático: Configuração de Sistema (Linux) Objectivos Neste exercício deverá completar as seguintes

Leia mais

Ligação à RCTS com peering BGP sobre routers baseados em servidores Linux

Ligação à RCTS com peering BGP sobre routers baseados em servidores Linux Ligação à RCTS com peering BGP sobre routers baseados em servidores Linux Implementação na rede da ex-utl Jorge Matias Israel Lugo 11/02/2015 Jornadas FCCN 2015 1 Sumário Motivação Computador vs router

Leia mais

Encaminhamento exterior BGP-4

Encaminhamento exterior BGP-4 Encaminhamento exterior BGP-4 (quarto trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Topologia genérica (OSPF e BGP) Objectivo e descrição sumária Os

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga OSPF O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Configuração de Routers com IPv6 #2 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Configuração de Router IPv6 #2

Leia mais

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco 2014/1 Roteiro de Aula Correção Exercícios Aula Anterior O que é o Roteador? Componentes

Leia mais

Exercício 1 OSPF. Cenário inicial: Todos os equipamentos já estão com os endereços IPv4 e IPv6 configurados em suas interfaces físicas.

Exercício 1 OSPF. Cenário inicial: Todos os equipamentos já estão com os endereços IPv4 e IPv6 configurados em suas interfaces físicas. Exercício 1 OSPF Objetivo: Habilitar os protocolos OSPFv2 e OSPFv3 nos quatro roteadores do ISP para que haja conectividade entre todos os equipamentos do provedor através de suas interfaces físicas. Neste

Leia mais

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR.

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. Neste senário temos um roteador de internet que vai ser nosso gateway do MK1,

Leia mais

Configurar o desaparecimento do IPv6 com o null0 da relação

Configurar o desaparecimento do IPv6 com o null0 da relação Configurar o desaparecimento do IPv6 com o null0 da relação Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações de exemplo Verificar

Leia mais

Handson Cisco IOS VPN. (Guião CE1)

Handson Cisco IOS VPN. (Guião CE1) Handson Cisco IOS VPN (Guião CE1) Esquema de Rede Esquema Endereçamento Nome Interface IP Máscara Descrição CE1 Serial 0/0/0 191.18.24.2 255.255.255.252 Ligação Service Provider FastEthernet 0/0 192.168.1.1

Leia mais

Compreendendo o endereço local de link do IPv6

Compreendendo o endereço local de link do IPv6 Compreendendo o endereço local de link do IPv6 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Verificando a configuração

Leia mais

VLANs and IP networks. 1. Computadores ligados ao Switch

VLANs and IP networks. 1. Computadores ligados ao Switch LAB-VLANs 1 VLANs and IP networks Manuel P. Ricardo João Neves Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto LAB-VLANs 2 1. Computadores ligados ao Switch Bancada x, computador y Computadores gnuxy

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº6

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº6 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº6 Configuração básica de um router Configuração do protocolo de routing RIP 1 Objectivo

Leia mais

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 2 Roteamento Estático 1 Rotas Estáticas a Rotas Flutuantes

Leia mais

Formação para Sistemas Autônomos. Boas Práticas BGP. Formação para Sistemas Autônomos

Formação para Sistemas Autônomos. Boas Práticas BGP. Formação para Sistemas Autônomos Boas Práticas BGP Licença de uso do material Esta apresentação está disponível sob a licença Creative Commons Atribuição Não a Obras Derivadas (by-nd) http://creativecommons.org/licenses/by-nd/3.0/br/legalcode

Leia mais

Laboratório 2.3.1 Configurando o Processo de Roteamento OSPF

Laboratório 2.3.1 Configurando o Processo de Roteamento OSPF Laboratório 2.3.1 Configurando o Processo de Roteamento OSPF Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a área 0 OSPF. Configurar e verificar o roteamento OSPF (Open Shortest Path First) Fundamentos

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº2 Configuração de TCP/IP numa rede de computadores Utilização de Ipconfig, Ping e Tracert

Leia mais

Estudo de Caso de Sistema Autônomo (AS) com Conexão a PTT Local, Remoto e Provedores de Trânsito

Estudo de Caso de Sistema Autônomo (AS) com Conexão a PTT Local, Remoto e Provedores de Trânsito Estudo de Caso de Sistema Autônomo (AS) com Conexão a PTT Local, Remoto e Provedores de Trânsito Antonio Galvao de Rezende Filho Eduardo Ascenço Reis GTER29 20100515 GTER29

Leia mais

Configurar o buraco negro provocado telecontrole do IPV6 com IPv6 BGP

Configurar o buraco negro provocado telecontrole do IPV6 com IPv6 BGP Configurar o buraco negro provocado telecontrole do IPV6 com IPv6 BGP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações de Apoio Configurar Diagrama de Rede Configuração relevante

Leia mais

Flowspec em ação. Experiência de uso na RNP. Raniery Pontes Junho de 2007

Flowspec em ação. Experiência de uso na RNP. Raniery Pontes Junho de 2007 Flowspec em ação Experiência de uso na RNP Raniery Pontes Junho de 2007 Intro Visão geral de flow specifications (flowspec) Necessidades da RNP no campo de filtros dinâmicos Configurando (Junos) Um DOS

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste laboratório deve conseguir completar a seguintes

Leia mais

TRANSPORTE DE PREFIXOS VIA VPNV4

TRANSPORTE DE PREFIXOS VIA VPNV4 TRANSPORTE DE PREFIXOS VIA VPNV4 Nesse artigo vou descrever as configurações para utilizar o transporte de prefixos. Neste senário nosso objetivo é transportar o prefixo de nosso Switch de acesso pela

Leia mais

Laboratório 11.2.2b Listas de acesso simples e estendidas

Laboratório 11.2.2b Listas de acesso simples e estendidas Laboratório 11.2.2b Listas de acesso simples e estendidas 262-294 CCNA 2: Roteadores e Roteamento, Conc. Básicos v 3.1 - Laboratório 11.2.2b Copyright 2003, Cisco Systems, Inc. Objetivo Situação Neste

Leia mais

Exercício 5 - Conectando-se a um PTT

Exercício 5 - Conectando-se a um PTT Exercício 5 - Conectando-se a um PTT Objetivo: Conectar o Sistema Autônomo a um PTT a partir do PoP-02. Serão abordados tópicos referentes as boas práticas de configuração e participação em um PTT, além

Leia mais

IPv6 Essencial. Porquê? 14/04/15

IPv6 Essencial. Porquê? 14/04/15 IPv6 Essencial Pedro Ribeiro Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) pribeiro@net.ipl.pt Porquê? * IPv4 tem mais de 40 anos! * Pensado para redes de kilobits/s

Leia mais

Configurar OSPFv3 como o protocolo PE-CE com técnicas de prevenção do laço

Configurar OSPFv3 como o protocolo PE-CE com técnicas de prevenção do laço Configurar OSPFv3 como o protocolo PE-CE com técnicas de prevenção do laço Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações de Apoio Configurar Diagrama de Rede Configuração

Leia mais

Telefone sem fios Manual de configuração Office

Telefone sem fios Manual de configuração Office Telefone sem fios Manual de configuração Office Índice Configurar o Office sem fios 5 Configurar o seu telefone sem fios 5 Configurar a base do telefone 5 Associar o telefone à base 8 Configurar uma conta

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste exercício completará as seguintes tarefas: Analisar

Leia mais

Redes de Computadores. Guia de Laboratório Configuração de Redes

Redes de Computadores. Guia de Laboratório Configuração de Redes Redes de Computadores LEIC-T 2012/13 Guia de Laboratório Configuração de Redes Objectivos O objectivo do trabalho consiste em configurar uma rede simples usando o sistema Netkit. O Netkit é um emulador

Leia mais

Consulte a exposição. Qual declaração descreve corretamente como R1 irá determinar o melhor caminho para R2?

Consulte a exposição. Qual declaração descreve corretamente como R1 irá determinar o melhor caminho para R2? 1. Que duas declarações descrevem corretamente os conceitos de distância administrativa e métrica? (Escolha duas.) a) Distância administrativa refere-se a confiabilidade de uma determinada rota. b) Um

Leia mais

Notas para Utilizadores de Wireless LAN

Notas para Utilizadores de Wireless LAN Notas para Utilizadores de Wireless LAN Leia este manual atentamente antes de utilizar o equipamento e mantenha-o à mão para consulta futura. Notas para Utilizadores de Wireless LAN Este manual explica

Leia mais

Exercício 6 Engenharia de Tráfego

Exercício 6 Engenharia de Tráfego Exercício 6 Engenharia de Tráfego Objetivo: Configurar as sessões ebgp entre o roteador mikrotik_borda e os roteadores do PTT-01 e entre o roteador cisco e o roteador da Operadora-03. Essa segunda sessão

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede I AULA 07 Roteamento Dinâmico / Protocolo RIP Prof: Jéferson Mendonça de Limas Protocolos de Roteamento Dinâmico Em 1969 a ARPANET utilizava-se de algoritmos

Leia mais

Encaminhamento interior OSPF

Encaminhamento interior OSPF Encaminhamento interior OSPF (terceiro trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Topologia genérica (OSPF e BGP) Objectivo e descrição sumária Os

Leia mais

Laboratório 1.1.4b Configuração do PAT

Laboratório 1.1.4b Configuração do PAT Laboratório 1.1.4b Configuração do PAT Objetivo Configurar um roteador para que use PAT (Port Address Translation, tradução de endereços de porta) para converter endereços IP internos, normalmente privados,

Leia mais

Packet Tracer - Conexão a uma LAN com e sem fio Topologia

Packet Tracer - Conexão a uma LAN com e sem fio Topologia Packet Tracer - Conexão a uma LAN com e sem fio Topologia 2014 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Este documento contém informações públicas da Cisco. Página 1 de 5 Tabela de Endereçamento

Leia mais

Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal

Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway

Leia mais

A informação neste documento é baseada na versão do Cisco IOS 15.0(1)S e na versão do Cisco IOS XR.

A informação neste documento é baseada na versão do Cisco IOS 15.0(1)S e na versão do Cisco IOS XR. Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Rotas local do Cisco IOS Rotas manualmente configuradas do host Rotas local do Cisco IOS XR Roteamento da Multi-topologia Conclusão Introdução

Leia mais

Guia de início rápido BlackBerry Enterprise 4.0 para Microsoft Exchange. Versão 1.0

Guia de início rápido BlackBerry Enterprise 4.0 para Microsoft Exchange. Versão 1.0 Guia de início rápido BlackBerry Enterprise 4.0 para Microsoft Exchange Versão 1.0 Vodafone Portugal 2005 Índice 1 Introdução à solução BlackBerry 3 2 Gestão e activação de utilizadores 3 2.1 Adicionar

Leia mais

CISCO PACKET TRACER. Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br)

CISCO PACKET TRACER. Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br) CISCO PACKET TRACER Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br) INTRODUÇÃO Packet Tracer v5.3 é um simulador de redes desenvolvido pela Cisco Systems ; Capaz de simular o funcionamento

Leia mais

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor.

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Como configurar o SSL para VPN Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Dividiremos o tutorial em cinco partes: Parte A: Como criar uma conta de SSL. Parte B: Como configurar a segurança

Leia mais

REDES PARA TODOS RIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br

REDES PARA TODOS RIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br REDES PARA TODOS RIP rffelix70@yahoo.com.br Operação RIP RIP V.01 O RIP usa dois tipos de mensagem especificados no campo Command: Mensagem de solicitação e Mensagem de resposta. Redes e Roteamento RIP

Leia mais

Solução de baixo custo para BGP usando Mikrotik Router OS GTER 31. Bruno Lopes Fernandes Cabral

Solução de baixo custo para BGP usando Mikrotik Router OS GTER 31. Bruno Lopes Fernandes Cabral <bruno@openline.com.br> usando Mikrotik Router OS Bruno Lopes Fernandes Cabral GTER 31 São Paulo SP 13 de maio de 2011 O que é RouterOS? Distribuição Linux voltada para roteamento e wireless Simples porém

Leia mais

7.1 AS DE TRÂNSITO NO PTT. autor: Rinaldo Vaz rinaldopvaz@gmail.com 1

7.1 AS DE TRÂNSITO NO PTT. autor: Rinaldo Vaz rinaldopvaz@gmail.com 1 7.1 AS DE TRÂNSITO NO PTT autor: Rinaldo Vaz rinaldopvaz@gmail.com 1 7.1 - AS de trânsito no PTT Vamos iniciar estabelecendo as sessões BGP de R1 com o PTT- RS1, PTT-RS2 e PTT-LG, em seguida repetir o

Leia mais

2

2 Sobre a licença Para cada novo uso ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença desta obra. No caso de criação de obras derivadas, os logotipos do CGI.br, NIC.br, IPv6.br e

Leia mais

Acesso à Internet a partir de uma VPN MPLS usando uma tabela de roteamento global

Acesso à Internet a partir de uma VPN MPLS usando uma tabela de roteamento global Acesso à Internet a partir de uma VPN MPLS usando uma tabela de roteamento global Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Material de Suporte Convenções Configurar Diagrama de

Leia mais

Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não

Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não comercial e uso exclusivo pelos instrutores no curso CCNA

Leia mais

FormaçãoIPv6-RCTS. Componente Prática Parte I

FormaçãoIPv6-RCTS. Componente Prática Parte I FormaçãoIPv6-RCTS Componente Prática Parte I Parte I Introdução, Endereçamento, Autoconfiguração e DNS Prática #1 Visitar o site: http://ipv6-tracker.fccn.pt Verificar instituições com dados inseridos

Leia mais

Manual de Configuração

Manual de Configuração Manual de Configuração Acesso Wireless 802.1x da UAC Centro de Informática Universidade dos Açores Versão 2.0 20 de Julho de 2007 Introdução Este manual descreve o processo de configuração de um terminal

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 2 - Introdução aos Roteadores 1 Objetivos do Capítulo Descrever a finalidade e operação básica do IOS; Identificar vários recursos do IOS; Identificar

Leia mais

Configurações iniciais para o OSPF em um enlace ponto a ponto

Configurações iniciais para o OSPF em um enlace ponto a ponto iniciais para o OSPF em um enlace ponto a ponto Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções OSPF sobre um link de ponto a ponto com os endereços IP de Um ou Mais Servidores

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

Configurando o Roteador Prof. Isaías Lima. Carregar o arquivo de texto para configurar outro roteador usando o HyperTerminal.

Configurando o Roteador Prof. Isaías Lima. Carregar o arquivo de texto para configurar outro roteador usando o HyperTerminal. Laboratório / ECO Configurando o Roteador Prof. Isaías Lima Objetivos: Capturar a configuração atual de um roteador para um arquivo de texto ASCII com o HyperTerminal do Windows XP. Editar ou modificar

Leia mais

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Equipamento compacto e de alto poder de processamento, ideal para ser utilizado em provedores de Internet ou pequenas empresas no gerenciamento de redes e/ou no balanceamento

Leia mais

Guia de Instalação do Software

Guia de Instalação do Software Guia de Instalação do Software Este manual explica como instalar o software através de uma ligação USB ou de rede. A ligação de rede não se encontra disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF.

Leia mais

Exemplo de configuração para ibgp e ebgp, com ou sem um endereço de loopback

Exemplo de configuração para ibgp e ebgp, com ou sem um endereço de loopback Exemplo de configuração para ibgp e ebgp, com ou sem um endereço de loopback Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede configuração de ibgp

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede I Aula 03 Configuração Básica Cisco IOS Prof: Jéferson Mendonça de Limas O que é um Roteador? O roteador é composto de: CPU (Processador) RAM ROM Sistema

Leia mais

Sobre a licença Para cada novo uso ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença desta obra. No caso de criação de obras derivadas, os logotipos do CGI.br, NIC.br, IPv6.br e

Leia mais

CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO

CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO CURSO AVANÇADO DE BGP DESIGN COM ROTEADORES CISCO Instrutor: Rinaldo Vaz Analista de Redes Responsável técnico pelo AS 28135 Versão do material: 1.0 1.1 INTRODUÇÃO autor: Rinaldo Vaz rinaldopvaz@gmail.com

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM OUTLINE CONFIGURAR O SETUP CONFIGURAR O DNS O obje0vo passa por criar um cenário com as seguintes redes: Uma rede para 6 servidores (Rede 0-172.16.0.0/29);

Leia mais

REDES MPLS BGP PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM

REDES MPLS BGP PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM REDES MPLS BGP PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Introdução ao BGP Sistema Autonômo Fundamentos do BGP Sessão BGP Cabeçalho BGP Mensagem BGP Tabelas BGP Estados do BGP Border Gateway Protocol (BGP)

Leia mais

Os endereços seguem a regra N.X/24, onde N é o número da rede e X o número do router. No caso dos SR7, o número do router será 7X.

Os endereços seguem a regra N.X/24, onde N é o número da rede e X o número do router. No caso dos SR7, o número do router será 7X. Laborato rio # Routing Objectivo Pretende-se nesta aula que os alunos tomem contacto com o funcionamento dos diferentes mecanismos de routing, para isso iremos montar uma rede com o protocolo OSPF a distribuir

Leia mais

PRÁTICA. Múltiplas rotas até o mesmo destino com custos definidos em função da velocidade

PRÁTICA. Múltiplas rotas até o mesmo destino com custos definidos em função da velocidade PRÁTICA Múltiplas rotas até o mesmo destino com custos definidos em função da velocidade Cenário 10Mbps Qual o melhor caminho? Observando o desenho veja que o caminho entre o computador PC0 e o Servidor

Leia mais

Roteamento na Internet

Roteamento na Internet Roteamento na Internet IntraAS RIP OSPF InterAS BGP RIP Protocolo de informação de roteamento (Routing Information Protocol) Definido nas RFCs 1058 (versão 1) e 2453 (versão 2) RIPng IPv6 Protocolo de

Leia mais

Configurando uma VPN MPLS Básica

Configurando uma VPN MPLS Básica Configurando uma VPN MPLS Básica Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Produtos Relacionados Convenções Configurar Diagrama de Rede Procedimentos de Configuração Configurações

Leia mais

Laboratório 3.2.3 Verificando a Configuração Básica de EIGRP

Laboratório 3.2.3 Verificando a Configuração Básica de EIGRP Laboratório 3.2.3 Verificando a Configuração Básica de EIGRP Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a rede. Configurar e verificar o funcionamento do EIGRP (Enhanced Interior Gateway Routing

Leia mais

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco Instituto Federal do Ceará IFCE Campus de Canindé Prof. DSc. Rodrigo Costa - rodrigo.costa@ifce.edu.br Introdução à Tecnologia Cisco Definições Básicas Mercado em Redes Componentes Básicos Funcionamento

Leia mais

Semestre 4 do CCNA Prova final baseada em habilidades Treinamento do aluno Diretrizes para o instrutor Visão geral e administração da prova

Semestre 4 do CCNA Prova final baseada em habilidades Treinamento do aluno Diretrizes para o instrutor Visão geral e administração da prova Semestre 4 do CCNA Prova final baseada em habilidades Treinamento do aluno Diretrizes para o instrutor Visão geral e administração da prova Esta prova deve ser utilizada nas aulas regulares do CCNA ministradas

Leia mais

Eduroam - Windows 7. 1º Passo. O primeiro passo a fazer será ligar-se a rede eduroam-guest. http://suporte.ipp.pt/ippnet/ajuda/aplicativos/secw2.

Eduroam - Windows 7. 1º Passo. O primeiro passo a fazer será ligar-se a rede eduroam-guest. http://suporte.ipp.pt/ippnet/ajuda/aplicativos/secw2. 1º Passo O primeiro passo a fazer será ligar-se a rede eduroam-guest. De seguida, é necessário instalar o programa SecureW2, fazendo o download do site do IPP. http://suporte.ipp.pt/ippnet/ajuda/aplicativos/secw2.exe

Leia mais

Guia de Instalação de Software

Guia de Instalação de Software Guia de Instalação de Software Este manual explica como instalar o software através de uma ligação USB ou de rede. A ligação de rede não se encontra disponível para os modelos SP 200/200S/203S/203SF/204SF.

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº 4

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº 4 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº 4 Configuração Básica de um Switch; Configuração de VLANs 1 Objectivo Criar e verificar

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT Dinâmico e Estático

Laboratório - Configuração de NAT Dinâmico e Estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

manual do usuário PHONE ACT Version 1.0

manual do usuário PHONE ACT Version 1.0 PHONE ACT Version 1.0 ACF 012001 Version 1.0 PHONE ACT CONTEÚDO DO KIT FLIP (Terminal FLIP) ESPECIFICAÇÃO Fonte de energia elétrica AC/DC Cabo de Rede PHONE ACT Manual do Usuário Cancelar Discagem Rápida

Leia mais

Configurando uma VPN MPLS básica

Configurando uma VPN MPLS básica Configurando uma VPN MPLS básica Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Produtos Relacionados Convenções Configurar Diagrama de Rede Procedimentos de configuração Configurações

Leia mais

Esta fase só se configura uma única vez.

Esta fase só se configura uma única vez. Fase 0 Esta fase só se configura uma única vez. É necessário iniciar o serviço de configuração automática com fios para tal devem ser realizados os seguintes passos: No VISTA Começar por carregar em Painel

Leia mais

DSL-500B Configuração modo Router PPPoE

DSL-500B Configuração modo Router PPPoE DSL-500B Configuração modo Router PPPoE 1- Antes de iniciar qualquer procedimento de configuração verifique se os cabos estão conectados conforme o diagrama de instalação abaixo: Se você possui uma tomada

Leia mais

Trabalho de VLANs e Redes IP

Trabalho de VLANs e Redes IP Trabalho de VLANs e Redes IP FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2008/09 José Ruela Bancada de trabalho Configuração inicial Inicialmente todos os computadores gnuxy devem estar configurados na mesma

Leia mais

Protocolos em Redes de Dados. Enquadramento histórico. Modo de funcionamento FEC. Antecedentes IP Switching Tag Switching. Exemplo de.

Protocolos em Redes de Dados. Enquadramento histórico. Modo de funcionamento FEC. Antecedentes IP Switching Tag Switching. Exemplo de. Multiprotocol Label Switching Aula 07 FCUL 2005-20056 Objectivo: Conciliar as tecnologias baseadas em comutação (switching) com o encaminhamento IP. Aplicações: Aumentar o desempenho. Engenharia de tráfego.

Leia mais

Aula 08 MPLS 2004-2005 FCUL. Protocolos em Redes de Dados. Luís Rodrigues. Enquadramento. Modo de funcionamento. Antecedentes MPLS.

Aula 08 MPLS 2004-2005 FCUL. Protocolos em Redes de Dados. Luís Rodrigues. Enquadramento. Modo de funcionamento. Antecedentes MPLS. Aula 08 FCUL 2004-2005 Multiprotocol Label Switching Objectivo: Conciliar as tecnologias baseadas em comutação (switching) com o encaminhamento IP. Aplicações: Aumentar o desempenho. Engenharia de tráfego.

Leia mais

ZSRest e ZSPos Multiposto

ZSRest e ZSPos Multiposto ZSRest e ZSPos Multiposto 1 2 Este manual serve para o ajudar na configuração multiposto do ZSRest e ZSPos. Após a Instalação do ZSRest e ZSPos, é necessário configurar uma porta estática no SQL Server.

Leia mais