Fusões & Aquisições no pós-crise

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fusões & Aquisições no pós-crise"

Transcrição

1 TRANSACTION SERVICES Fusões & Aquisições no pós-crise IBRADEMP, Seminário de Fusões & Aquisições Belo Horizonte, 12 de Maio 2010 ADVISORY DRAFT

2 Transactions & Restructuring O grupo de Transactions & Restructuring da KPMG abriga diversas práticas para suporte a clientes em processos de fusões e aquisições. Desde uma rápida diligência, estudos de mercado, elaboração e revisão de plano de negócios, avaliação econômico-financeira, apoio a empresas em dificuldades, reestruturação financeira e de dívidas, investigação de fraudes, perícia contábil e assistência em litígios. KPMG Transactions & Restructuring Tax Audit Corporate Finance Transaction Services Restructuring Services Forensic & Litigation Independent investment banking advice M&A advice Valuations and fairness opinions Structured and project financing Debt advisory services Private Equity services IPO sponsorship & advice Strategy + M&A support throughout the transaction Due Diligence Strategy advice Operations Business modeling Integration/Separation Vendor assistance Assisting under-performing companies Restructuring planning Cash management Contingency planning Investor assistance Lender assistance Insolvency services Fraud investigations Fraud investigations Dispute resolution, expert witness and litigation support Forensic technology Fraud risk management Competition Corporate intelligence Transaction structuring 2008 KPMG Transaction and Forensic Services Ltda, a Brazil member firm of KPMG International, a Swiss cooperative. All rights reserved. KPMG and the KPMG logo are registered trademarks of KPMG International, a Swiss cooperative.

3 Operações de fusão e aquisição no Brasil Número de Operações no Brasil Operações Crise Russa Estouro da bolha da internet / Atentado de 11/Set Moratória da Argentina + Eleições Crise Financeira Colapso do Lehman Brothers Domestic CrossBorder Fonte: KPMG, 2009 As transações de cross-border envolvem empresas estrangeiras, sejam com adquirente ou alvo. No período destacado as transações estritamente nacionais respondem por 44%, em média. Os períodos de queda no volume de operações coincidem com crises macroeconômicas. 2

4 Operações de F&A no Brasil e no mundo F&A Brasil e mundo Fôlego curto US$ Bilhões US$ Bilhões F&A Mundo Brasil Fonte: Bloomberg Num mundo cada vez mais globalizado, a atividade de F&A no Brasil tem seguido a tendência mundial, afinal transações internacionais representam uma grande parte dos negócios fechados no Brasil. 3

5 Volume de crédito concedido às empresas americanas Crédito e atividade de F&A nos EUA US$ Bilhões Empréstimos privados para indústria e comércio Volume F&A Fonte: FED, Bloomberg As incertezas e o encarecimento do crédito levou a uma retração da disponibilidade de crédito nos EUA e no mundo. O volume de operações de F&A no país segue a mesma tendência, afinal grande parte das aquisições são financiadas direta ou indiretamente. 4

6 As operações de F&A e o crescimento do PIB Operações de F&A no Brasil e variação do PIB Forte recuperação do setor industrial, particularmente automóveis Crescimento puxado pelas exportações Demanda aquecida pelo aumento da massa salarial, crédito e poder de compra das classes C/D 7,00% 6,00% 5,00% Operações ,00% 3,00% 2,00% % ao ano 200 1,00% 100 0,00% ,00% PIB Real Operações Fonte: Banco Central do Brasil, KPMG As incertezas que emergem em períodos de baixo crescimento postergam investimentos e operações de F&A. Além disto, a disponibilidade de crédito, baixa em períodos de pouco crescimento, dificultam as operações. Assim o crescimento do PIB está positivamente correlacionado com o volume de operações de F&A. 5

7 Países envolvidos nas operações Onde brasileiros estão investindo? Transações envolvendo a remessa para o exterior de capital nacional, 2009 US 34% Other 24% Fonte: KPMG, 2009 AR 9% FR 6% GB 6% CH 5% CL 4% DE 4% JP 4% UY 4% Transações envolvendo a entrada de capital estrangeiro no Brasil, 2009 US 41% Other 20% Fonte: KPMG, 2009 FR 10% GB 6% DE 6% ES 5% CN 4% JP 4% NL 4% Quem investe no Brasil? As empresas norte-americanas são as mais acionadas em transações de F&A envolvento empresas brasileiras, sejam como adquirente ou alvo. 6

8 Operações por setor Setores com maior número de operações entre 2007 e 2009 Mineração Açúcar e Álcool Seguros Metalurgia e Siderurgia Instituições Financeiras Educação Produtos Químicos e Petroquimicos Companhias Energéticas Telecomunicações e Mídia Shopping Centers Serviços para Empresas Publicidade e Editoras Imobiliário Alimentos, Bebidas e Fumo Tecnologia da Informação Fonte: KPMG, 2009 Operações O setor de Tecnologia da Informação teve grande ascensão e transformação nos últimos anos, as empresas buscam acordos para manter a competitividade. O setor exige constante inovação, empresas utilizam F&A para encontrar seus próximos produtos e serviços, além de buscar sinergias. O setor de Alimentos apresenta ampla expansão, particularmente as indústrias avícolas, de carnes e laticínios. O Brasil apresenta baixos custos de produção, a busca pelo mercado externo exige consolidação. 7

9 Concentração setorial Razão entre o número de operações entre 2007 e 2009 e o número de empresas no setor Serviços Portuários e Aeroportuários Metalurgia e Siderurgia Telecomunicações e Mídia Peças Automotivas Ferroviário Aviação Eletroeletrônico Seguros Produtos Químicos e Farmacêuticos Companhias Energéticas Montadoras de Veículos Cimento Açúcar e Álcool Petróleo e Gás Produtos Químicos e Petroquimicos 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% Nota: Fonte: Percentual calculado como o somatório das operações de F&A entre 2007 e 2009 dividido pelo total de empresas do setor conforme último Senso de Empresas realizado pelo IBGE em 2006 KPMG, IBGE % A indústria Química é um caso típico de oligopólio concentrado, é capital-intensiva, tem elevadas barreiras à entrada e substancial agregação de valor ao longo da cadeia produtiva. O setor está exposto à competição internacional, os conglomerados buscam ganhos de escala em operações de F&A. O setor de Açúcar a Álcool têm se internacionalizado, a crise financeira trouxe dificuldade para algumas usinas, originando oportunidades de aquisição. As recentes F&A no setor de Cimento demonstram a tendência de reforço oligopolista, via ampliação da escala de produção e criação de barreiras à entrada. 8

10 Tipo de operações no Brasil Operações por tipo de arranjo em 2009 Incorporação Fusão 5% 7% Joint- Ventures 6% Cisão 1% Aquisição de controle Compra de participação Aquisições 51% Compras 30% Fonte: Transações divulgadas na imprensa, PwC As operações de Aquisição são aquelas envolvendo transferência de controle - quando a adquirente detém mais da metade das ações da empresa alvo. Esta modalidade foi a opção em 51% das operações de As operações de Compra não envolvem transferência de controle, são assim classificadas quando a adquirente obtém menos da metade da companhia alvo. Este arranjo foi aplicado em 30% dos casos. 9

11 Por que o Brasil se mostra atrativo no pós-crise? Ao contrário de outras regiões no mundo, a economia brasileira voltou a crescer após um único quarto de crescimento negativo em O PIB e a Renda Disponível devem manter o ritmo de crescimento em 2010 e a taxa de desemprego deve cair ainda mais. Após uma pequena queda em 2009 o PIB brasileiro é projetado para manter o crescimento e atingir mais de R$1,3 trilhões em Mantendo uma taxa de crescimento de 4,6% entre 2010 e 2012 Alinhado ao crescimento do PIB a Renda Disponível é projetada para crescer à taxa de 1,5% ao ano, enquanto a taxa de desemprego deve declinar a uma taxa de 3% ao ano. PIB Brasil, P CAGR = 3,6% Projeção CAGR = 4,6% Renda disponível e desemprego, Brasil P Projeção R$ bi ,0% ,0% ,1% 983 5,0% ,1% 5,0% 4,5% 4,7% 9,8% 10,0% 9,3% 4,5% 4,4% ,9% 7,9% 3,0% 7,6% 7,1% 6,8% 6,8% 6,7% 6,5% 3,1% 600-0,3% 400 1,0% ,0% P 2011P 2012P 2013P 2014P P 2011P 2012P 2013P 2014P PIB Variação % Renda disponível Taxa de desemprego Fonte: Economist Intelligent Unit, 03/2010 PIB Real a preços de 1990 Fonte: Economist Intelligent Unit, 03/2010 R$ bi 20,0% 18,0% 16,0% 14,0% 12,0% 10,0% 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% 0,0% 10

12 Por que o Brasil se mostra atrativo no pós-crise? A população crescentee o aumento na demanda tornam o Brasil um país atrativo para investidoresestrangeiros. A população brasileira é projetada para atingir 196 milhões em 2010, mantendo uma taxa de crescimento annual de 1,2% até O Consumo Privado é projetado pra crescer 7,8% ao ano. Ultrapassando a inflação, que é projetada em 4%ao ano em População Brasileira, P Consumo Privado Vs Inflação Projeção Projeção CAGR = 7,8% CAGR = 1,2% % Milões de Pessoas CAGR = 1,4% R$ bi CAGR = 7,8% ,7% 6,9% 4,2% 3,6% ,9% 4,7% 4,4% 4,4% 4,3% 4,3% 16% 14% 12% 10% 8% 6% 4% 2% P 2011P 2012P 2013P 2014P P 2011P 2012P 2013P 2014P Consumo Privado Inflação Fonte: Economist Intelligent Unit, 03/2010 Fonte: Economist Intelligent Unit, 03/2010 0% 11

13 Principais operações de 2009 e seus motivadores (1) Adquirente Alvo Valor Estimado Perdigão Sadia R$ 10 bi Citações "A nova companhia teria um importante ganho de escala, um variado mix de produtos, grande poder de barganha junto aos fornecedores e até poderia ser mais flexível em sua política de preços Banco do Brasil Vivendi Banco Votorantim GVT Holding R$ 4,2 bi R$ 4,1 bi Rafael Cintra, Link Investimentos (05/2009) "fortalecer sua atuação no financiamento a veículos, mercado em que o Banco Votorantim atua com destacada especialização e rápido crescimento Nota Banco do Brasil (01/2009) Vivendi, uma empresa líder e de presença global nos mercados de comunicação e entretenimento, trará conhecimento e sinergias para nossas atividades, atuais e futuras, consolidando nossa posição no mercado como operadora de telecomunicações de maior crescimento no mercado brasileiro e abrindo novas oportunidades de negócios para nós". Amos Genish, GVT (09/2009) Hypermarcas Neo Química, Inal, Pom Pom, Jontex R$ 2,7 bi Em suas aquisições a Hypermarcas busca expandir e diversificar mercados, particularmente aqueles ainda fragmentados. Os alvos são freqüentemente empresas familiares ou em dificuldades financeiras. Aquisição de marcas estabelecidas reduz o custo de mídia. Melhorias operacionais buscam ganhos de escala. Apresentação Institucional Hypermarcas (12/2009) 12

14 Principais operações de 2009 e seus motivadores (2) Adquirente Alvo Valor Estimado BTG UBS US$ 2,5 bi VCP Aracruz US$ 1,4 bi Citações "A venda da atividade brasileira é consistente com a política do UBS para reduzir seu perfil de risco, fortalecer seu balanço e restringir seu foco de negócio Nota UBS Pactual (04/2009) "É uma aposta no Brasil. André Esteves, BTG (04/2009) Segundo Calfat, espera-se uma sinergia com a fusão de aproximadamente R$ 4,5 bilhões ao longo de dez anos, baseados no aumento de escala, na melhoria de práticas e na redução de riscos financeiros e de governança. Raul Calfat, Votorantim Industrial (01/2009) Cosan NovAmérica R$ 1,4 bi Bradesco Banco Ibi R$ 1,4 bi "Estaremos presentes em muitos pontos de venda com o Açúcar União, Da Barra e as outras três marcas do grupo. A operação logística para o varejo vai ficar mais unificada. Marcos Lutz, Cosan (03/2009) "Não queremos fazer aquisições ou associações que necessitem de desembolso de capital. Paulo Diniz, Cosan (03/2009) "O Bradesco é um dos maiores emissores de cartões do país e já possui longa experiência em acordos com varejistas, e, com essa operação, pretende também incrementar o relacionamento com clientes em um segmento caracterizado por elevadas taxas de crescimento" Nota Bradesco (06/2009) 13

15 Ondas de fusão e aquisição setoriais no Brasil Operações nos setores selecionados Operações Estabilização econômica favoreceu entrada de capitais externos, evolução tecnológica foi determinante para manter competitividade. Queda do monopólio da Petrobrás associada às licitações de campos entre deram origem a oligopólios. Crescimento da renda disponível e IPO s viabilizaram onda de aquisições Fonte: KPMG, 2009 Petróleo e Gás Supermercados Shopping Centers As ondas de fusões e aquisições setoriais resultam de mudanças no ambiente econômico, tecnológico e regulatório que exigem realocação de capitais. Uma onda de F&A emerge da combinação de movimentos setoriais. 14

16 Curricula Vitae Augusto Sales, Sócio AUGUSTO SALES Sócio KPMG Transactions & Restructuring Av. Almirante Barroso 52, 9º andar Rio de Janeiro, RJ Brasil Tel Fax Cell Função e especialização Augusto é sócio-líder da prática de Strategic & Commercial Intelligence Formação, Títulos e Certificações MBA, Escola de Negócios IBMEC, Rio de Janeiro Graduado em contabilidade pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio de Janeiro Antecedentes Augusto é sócio de Transactions & Restructuring (fusões e aquisições e restruturações) da KPMG e responsável por liderar o grupo de Strategic & Commercial Intelligence (estratégia, operações e inteligência competitiva) da KPMGno Brasil. Ele tem mais de 15 anos de experiência na prestação de assessoria financeira a clientes em fusões e aquisições, privatizações e oferta públicas e privadass. Ele liderou projetos de due diligence financeira e comercial para diversas transações transnacionais para compradores locais/internacionais e financeiros/estratégicos em negócios grandes e complexos. Antes de ingressar no grupo de Transaction Services no Brasil, trabalhou em Nova York assessorando as empresas a abrir seu capital no mercado norte-americano (NYSE) e trabalhou no Brazilian Desk assessorando clientes com interesse no Brasil. Como sócio de SCI no Brasil, Augusto é responsável pelas iniciativas de Entrada no Mercado, Due Diligence Estratégica/Comercial, Operações, Assessoria em Integrações/Separações, Modelagem de Negócios e Melhoria Operacional. Experiência profissional e na indústria Augusto possui experiência em diversas indústrias, incluindo serviços financeiros, seguros, energia e recursos naturais, agricultura e bens de consumo. Na KPMG, seus projetos centram-se principalmente na due diligence financeira e comercial, incluindo auxílio para entrada no mercado, ajuda em due diligence de planos de negócio e projetos de inteligência competitiva. Ele auxiliou recentemente uma das maiores empresas automotivas japonesas que estava buscando adquirir um negócio de seguros no Brasil. Ajudou o cliente a entender a viabilidade das projeções da empresa-alvo, entendendo as principais características do mercado e posição financeira da empresa. Auxiliou um grupo de seguros baseado na Europa a avaliar o potencial de mercado, riscos e oportunidades para a América Latina, incluindo um estudo detalhado sobre a Argentina, México, Panamá, Honduras e El Salvador. O exercício incluiu uma revisão dos planos de negócios preparados internamente. Auxiliou um banco de investimento internacional interessado em investir no mercado de produção de arroz brasileiro. Para auxiliar o cliente em sua avaliação da oportunidade, realizou um estudo para entender as principais características do mercado, tamanho e crescimento projetado, impulsionadores da demanda e determinadas questões operacionais que davam apoio ao plano de negócios da Empresa-Alvo. Forneceu ajuda relacionada à entrada no mercado para uma empresa global diversificada em sua entrada no mercado de produtos de construção brasileiro. Clientes representativos Ashmore, Bunge, Cargill, Deutsch Bank, Goldman Sachs, Experian, Macquarie, Mitsubishi, Mitsui, UBS, Vale (CVRD), 15

17 Disclaimer The information contained herein is of a general nature and is not intended to address the circumstances of any particular individual or entity. Although we endeavor to provide accurate and timely information, there can be no guarantee that such information is accurate as of the date it is received or that it will continue to be accurate in the future. No one should act upon such information without appropriate professional advice after a thorough examination of the particular situation. Service offerings are subject to legal and regulatory restrictions. Some of the services included herein may not be available to KPMG's financial statement audit or other attest service clients KPMG Transaction and Forensic Services Ltda, a Brazil member firm of KPMG International, a Swiss cooperative. All rights reserved. KPMG and the KPMG logo are registered trademarks of KPMG International, a Swiss cooperative. 16

Fusões e Aquisições. Coletiva de Imprensa 2011 15/02/2012. Classificação da Informação: Pública

Fusões e Aquisições. Coletiva de Imprensa 2011 15/02/2012. Classificação da Informação: Pública Fusões e Aquisições Coletiva de Imprensa 2011 15/02/2012 Principais Características da Metodologia de Fusões e Aquisições 2 Fusões e Aquisições Metodologia A partir de 2010, os critérios da metodologia

Leia mais

2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos.

2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos. 2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos. 2.1. Fusões e aquisições globais Com a globalização e a necessidade de escalas cada vez maiores de operação, as grandes empresas ultrapassaram fronteiras

Leia mais

Fusões e Aquisições. Fusões e aquisições movimentam R$ 43 bi no primeiro semestre. Destaque. Fusões e Aquisições

Fusões e Aquisições. Fusões e aquisições movimentam R$ 43 bi no primeiro semestre. Destaque. Fusões e Aquisições Fusões e Boletim Ano VIII Nº 9 Primeiro Semestre de 03 Fusões e aquisições movimentam R$ 3 bi no primeiro semestre Fusões e Anúncios Fusões,, OPAs e Reest. Societárias R$ bilhões N o º Semestre/ 3 3,0

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras.

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras. Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras Ouro Preto - MG 13 de maio de 2014 ANY TAX ADVICE IN THIS COMMUNICATION

Leia mais

Perspectivas sobre consolidação de mercados Estratégia de investimentos e o movimento de fusões e aquisições. Pesquisa 2015

Perspectivas sobre consolidação de mercados Estratégia de investimentos e o movimento de fusões e aquisições. Pesquisa 2015 Perspectivas sobre consolidação de mercados Estratégia de investimentos e o movimento de fusões e aquisições Pesquisa 2015 Índice Momento de superar desafios e criar oportunidades... 3 Alternativas para

Leia mais

V Fórum Abisolo. Desafios e Oportunidades da Governança Corporativa. Agosto/2013

V Fórum Abisolo. Desafios e Oportunidades da Governança Corporativa. Agosto/2013 V Fórum Abisolo Desafios e Oportunidades da Governança Corporativa Agosto/2013 0 0 Governança Corporativa Sistema pelo qual as empresas são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo o relacionamento

Leia mais

Fusões e Aquisições no Brasil* Novembro de 2008

Fusões e Aquisições no Brasil* Novembro de 2008 Corporate Finance Fusões e Aquisições no Brasil* Novembro de 2008 * Relatório elaborado pela área de Corporate Finance da PwC O número acumulado de transações até novembro de 2008 diminuiu 7% em relaçãoa2007,masaindaé19%maiordoque2006.

Leia mais

Vinci Partners Apresentação

Vinci Partners Apresentação Vinci Partners Apresentação Gestora totalmente independente Fundada em 2009 por ex-profissionais seniores do UBS Pactual que ocuparam cargos relevantes nesta instituição; Equipe experiente e coesa Administrada

Leia mais

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 1 Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 Brasil: Fundamentos Macroeconômicos (1) Reservas International

Leia mais

AGROINDÚSTRIA. Fusões e aquisições no setor de alimentos BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 1. CRESCIMENTO INTERNO VERSUS

AGROINDÚSTRIA. Fusões e aquisições no setor de alimentos BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 1. CRESCIMENTO INTERNO VERSUS AGROINDÚSTRIA BNDES FINAME BNDESPAR ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 Fusões e aquisições no setor de alimentos 1. CRESCIMENTO INTERNO VERSUS CRESCIMENTO EXTERNO O acirramento da concorrência

Leia mais

Advisory FORENSIC NO BRASIL. Forensic. kpmg.com/br

Advisory FORENSIC NO BRASIL. Forensic. kpmg.com/br 1 Advisory FORENSIC NO BRASIL Forensic kpmg.com/br 2 A área de Forensic da KPMG no Brasil oferece serviços completos de assessoria em investigação, compliance, gerenciamento de riscos e suporte técnico

Leia mais

FUSÕES E AQUISIÇÕES: CARACTERIZAÇÃO E EVOLUÇÃO NO BRASIL NO PERÍODO DE 1992 A 2007

FUSÕES E AQUISIÇÕES: CARACTERIZAÇÃO E EVOLUÇÃO NO BRASIL NO PERÍODO DE 1992 A 2007 FUSÕES E AQUISIÇÕES: CARACTERIZAÇÃO E EVOLUÇÃO NO BRASIL NO PERÍODO DE 1992 A 2007 Ana Claudia Giannini Borges (UNESP) agiannini@fcav.unesp.br Vera Mariza Henriques de Miranda Costa (UNIARA) verammcosta@uol.com.br

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Building, Construction & Real Estate

Building, Construction & Real Estate KPMG no Brasil Building, Construction & Real Estate FINANCIAL SERVICES kpmg.com/br Quem somos Constituída na Suíça e com sede em Amsterdã, a KPMG International Cooperative (KPMG International) é uma rede

Leia mais

Oportunidades do Private Equity no Brasil

Oportunidades do Private Equity no Brasil Oportunidades do Private Equity no Brasil Leonardo L. Ribeiro Swisscam 4 de agosto de 2010 Confidencial Agenda Tópicos 1. O que é Private Equity? 2. Mercado brasileiro 3. Transações recentes 4. Caso 5.

Leia mais

Perspectivas para Atividade de M&A no Brasil Agosto de 2010

Perspectivas para Atividade de M&A no Brasil Agosto de 2010 Perspectivas para Atividade de M&A no Brasil Agosto de 2010 Seminário Tendências Mega Fusões e aquisições e defesa da concorrência Rogério Gollo rogerio.gollo@br.pwc.com 11 3674 2333 Apresentação elaborado

Leia mais

Menores, mas com potencial de gigantes

Menores, mas com potencial de gigantes Menores, mas com potencial de gigantes 12 KPMG Business Magazine Empresas do mercado empreendedor ganham força com a expansão do consumo nos países emergentes O ano de 2008 foi um marco na história econômica

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 1. Considerações Gerais Os Estados Unidos, maior potência mundial e tecnológica, apresenta projeções cada vez mais otimistas. Desde 2008, no estouro da crise

Leia mais

O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo

O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo histórico de sucesso no mercado de capitais brasileiro

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil Análise Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 30 de outubro de 2003 A Redução do Fluxo de Investimento

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

A locomotiva de concreto

A locomotiva de concreto A locomotiva de concreto 16 KPMG Business Magazine Construção civil supera período de estagnação, mas ainda há gargalos que podem comprometer o ritmo de investimentos A construção civil no Brasil não para

Leia mais

Copa do Mundo no Brasil

Copa do Mundo no Brasil Copa do Mundo no Brasil Oportunidades para todos kpmg.com.br Estádio Jornalista Mário Filho Maracanã, Rio de Janeiro - RJ Copa do Mundo no Brasil Uma Copa do Mundo de sucesso pode ser construída a partir

Leia mais

Março de 2012. Destaques dos Investimentos Brasileiros no Exterior. Destaques dos Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil

Março de 2012. Destaques dos Investimentos Brasileiros no Exterior. Destaques dos Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil Março de 2012 Destaques dos Investimentos Brasileiros no Exterior Retorno do Investimento Brasileiro Direto Líquido se acentua no ano: Os dados apurados no mês de março, de US$ 5,0 bilhões, acentuaram

Leia mais

Infraestrutura no Brasil

Infraestrutura no Brasil www.pwc.com.br Infraestrutura no Brasil Como agregar valor e gerenciar a complexidade de ativos de capital, programas ou portfólios de médio a grande porte (greenfield ou brownfield). O contexto de infraestrutura

Leia mais

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi

Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi São Paulo, 04 de novembro de 2015 SETEMBRO DE 2015 Acumulado de IED até setembro é de US$ 41,8 bi Ao final do terceiro trimestre de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Área de Mercado de Capitais BNDES Desenvolvendo a Governança Corporativa Eduardo Rath Fingerl Diretor 02/06/2006 www.bndes.gov.br 1 de 23 Atuação

Leia mais

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007

M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 15 de maio de 2007 M A C R O C H I N A Ano 2 Nº 8 1 de maio de 27 Síntese gráfica trimestral do comércio bilateral e do desempenho macroeconômico chinês Primeiro trimestre de 27 No primeiro trimestre de 27, a economia chinesa

Leia mais

O Desenvolvimento Hoteleiro no Interior do Brasil

O Desenvolvimento Hoteleiro no Interior do Brasil O Desenvolvimento Hoteleiro no Interior do Brasil Panorama e Oportunidades Apresentado por O Desenvolvimento Hoteleiro No Interior do Brasil A economia brasileira, caracterizada pelos setores de agricultura,

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

Brazil and Latin America Economic Outlook

Brazil and Latin America Economic Outlook Brazil and Latin America Economic Outlook Minister Paulo Bernardo Washington, 13 de maio de 2009 Apresentação Impactos da Crise Econômica Situação Econômica Brasileira Ações Contra-Cíclicas Previsões para

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

sobre as transações no setor de saúde

sobre as transações no setor de saúde 10 Minutos sobre as transações no setor de saúde Valor global de fusões e aquisições cresce e reverte tendência Destaques O valor total das transações no setor de saúde aumentou 4% em relação à segunda

Leia mais

Atravessando a Crise Mundial

Atravessando a Crise Mundial 1 Atravessando a Crise Mundial LIDE Ministro Guido Mantega Fevereiro de 2009 1 2 Agravamento da Crise Mundial Crise Financeira externa não foi suficientemente equacionada Recessão global vai tomando corpo

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Conteúdo. 1 Institucional 03. 2 Nossos Serviços 07. 3 Atuação 10. 4 Credenciais 14. 5 Equipe 22

Conteúdo. 1 Institucional 03. 2 Nossos Serviços 07. 3 Atuação 10. 4 Credenciais 14. 5 Equipe 22 Conteúdo 1 Institucional 03 2 Nossos Serviços 07 3 Atuação 10 4 Credenciais 14 5 Equipe 22 2 1. Institucional Institucional Somos uma consultoria com foco em finanças corporativas. Temos soluções às decisões

Leia mais

O Processo de Due Diligence: Realizando Aquisições com Segurança

O Processo de Due Diligence: Realizando Aquisições com Segurança O Processo de Due Diligence: Realizando Aquisições com Segurança Luiz Felipe Silva Veloso Superintendência de Aquisições Maio de 2008 1/XX O PROCESSO DE AQUISIÇÃO OPORTUNIDADES Mercado competitivo Globalizado

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Resultado da Pesquisa Corporate Recovery

Resultado da Pesquisa Corporate Recovery CORPORATE RECOVERY Resultado da Pesquisa Corporate Recovery ADVISORY Resultado da Pesquisa Corporate Recovery 3 Apresentação A KPMG tem a satisfação de lhe entregar a primeira edição da Pesquisa de Mercado

Leia mais

Perspectiva de crescimento para América Latina Paulo Funchal

Perspectiva de crescimento para América Latina Paulo Funchal Perspectiva de crescimento para América Latina Paulo Funchal Foco na América Latina Grant Thornton International Business Report (IBR) Grant Thornton Global Dynamism Index (GDI) The Economist Intelligence

Leia mais

Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000

Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000 Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000 VALOR 1000 é uma publicação anual do jornal Valor Econômico Copyright 2004 Prosperare SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO PANORAMA

Leia mais

INTEGRAÇÃO NA CADEIA PRODUTIVA COM USO DE

INTEGRAÇÃO NA CADEIA PRODUTIVA COM USO DE Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo - SDC Departamento de Cooperativismo e Associativismo - DENACOOP INTEGRAÇÃO NA CADEIA PRODUTIVA COM USO DE CONSÓRCIO Raul de Oliveira Fontoura

Leia mais

O outro lado da dívida

O outro lado da dívida O outro lado da dívida 18 KPMG Business Magazine A crise de endividamento na Europa abalou a economia global como a segunda grande onda de choque após a ruptura da bolha imobiliária nos Estados Unidos,

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Contexto

Leia mais

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho O cenárioeconômicoe as MPE Brasília, 1º de setembro de 2010 Luciano Coutinho O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira pode crescer acima de 5% a.a. nos próximos cinco

Leia mais

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil consolida um mercado de consumo de massa e promove o surgimento de uma nova

Leia mais

A TRINITY INVESTIMENTOS assessora investidores individuais, institucionais e corporativos na prospecção, identificação, qualificação e condução de

A TRINITY INVESTIMENTOS assessora investidores individuais, institucionais e corporativos na prospecção, identificação, qualificação e condução de FATO RELEVANTE Do ponto de vista da Teoria de Finanças, as oportunidades de investimento em PE/VC permitem que o mercado se torne mais completo, melhorando a relação risco/retorno, alterando a fronteira

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015.

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015. PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 31MARÇO 2015. Cotação (31/03/15) PLAS3 - R$ 0,18 Valor de mercado em 31/03/15 (MARKET CAP BOVESPA) R$ 45 milhões Campinas, SP, 27 de abril de 2015 Plascar Participações Industriais

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais

A nova onda de inovação Novas projetos e tecnologias para o Brasil

A nova onda de inovação Novas projetos e tecnologias para o Brasil A nova onda de inovação Novas projetos e tecnologias para o Brasil Stephan Keese, Sócio São Paulo, 22 de agosto de 2011 1 O Brasil Brasil oferece oferece forte forte perspectiva perspectiva de de crescimento

Leia mais

BRASIL Comércio Exterior

BRASIL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC BRASIL Comércio Exterior Novembro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

ões A A Visão dos Fundos de Investimento (PE/VC) Belo Horizonte, 12 maio 2010.

ões A A Visão dos Fundos de Investimento (PE/VC) Belo Horizonte, 12 maio 2010. Seminário IBRADEMP MG sobre Fusões e Aquisições ões A A Visão dos Fundos de Investimento (PE/VC) Belo Horizonte, 12 maio 2010. Histórico 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

Introdução. Um 2013 difícil

Introdução. Um 2013 difícil Aetecno MBA Blogs Revista Rankings Últimas Notícias Contato Login H O M E I N T R O D U Ç Ã O R A N K I N G D A S 5 0 0 S E T O R E S A N Á L I S E E R A N K I N G S M E T O D O L O G I A Introdução Home

Leia mais

Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi

Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi São Paulo, 31 de agosto de 2015 JULHO DE 2015 Volume de IED acumulado no ano é de US$ 32,7 bi Entre janeiro e julho de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram US$

Leia mais

ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS As recentes divulgações dos principais indicadores de desempenho da economia brasileira mostram

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Economia, Estado da Indústria e Perspectivas. Apresentação para: SIMPESC. Joinville Março de 2010

Economia, Estado da Indústria e Perspectivas. Apresentação para: SIMPESC. Joinville Março de 2010 INDÚSTRIA PETROQUÍMICA E DE PLÁSTICOS Economia, Estado da Indústria e Perspectivas Apresentação para: SIMPESC Joinville Março de 2010 MaxiQuim Assessoria de Mercado Criada em 1995 Base em Porto Alegre

Leia mais

A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015

A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015 A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015 A RETOMADA DOS INVESTIMENTOS E O MERCADO DE CAPITAIS Sumário I. O MERCADO DE TÍTULOS DE DÍVIDA PRIVADA NO BRASIL II. A AGENDA

Leia mais

BRASIL: SUPERANDO A CRISE

BRASIL: SUPERANDO A CRISE BRASIL: SUPERANDO A CRISE Min. GUIDO MANTEGA Setembro de 2009 1 DEIXANDO A CRISE PARA TRÁS A quebra do Lehman Brothers explicitava a maior crise dos últimos 80 anos Um ano depois o Brasil é um dos primeiros

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

NORDESTE: DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR EM 2009

NORDESTE: DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR EM 2009 O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE-ETENE INFORME SETORIAL INDÚSTRIA E SERVIÇOS NORDESTE: DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR EM 2009 Ano IV No 2 O nosso

Leia mais

Grant Thornton Soluções integradas para o seu negócio

Grant Thornton Soluções integradas para o seu negócio Our partner to Grant Thornton Soluções integradas para o seu negócio 120+ where our Audit, Tax and and Advisory professional work together $4.2bn revenues 2012 2015 Grant Thornton Brazil Ltd. All rights

Leia mais

Capital de Risco para projetos de Energia

Capital de Risco para projetos de Energia Workshop Internacional sobre Geração de Eletricidade com Gás de Lixo em São Paulo Capital de Risco para projetos de Energia São Paulo, 25 de junho de 2001 1 Fontes de recursos para Projetos e Empresas

Leia mais

Brasil, passado e presente em perspectiva E o que esperar para os próximos anos?

Brasil, passado e presente em perspectiva E o que esperar para os próximos anos? Brasil, passado e presente em perspectiva E o que esperar para os próximos anos? Sinduscon 23 de abril de 2014 A nossa conversa de hoje Brasil nos anos recentes Aspectos de desenvolvimento A primeira década

Leia mais

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira continuarácrescendo firmemente nos

Leia mais

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil www.pwc.com/br 10º Estudo da Gestão de TI no Brasil Sumário executivo Maio de 2011 PwC Índice Introdução Resultados Conclusão 3 5 11 1 1. Introdução A 10º edição do Estudo da Gestão de Tecnologia da

Leia mais

BCS Expertise para preencher

BCS Expertise para preencher BCS Expertise para preencher papéis-chave do projeto Serviço Symantec que ajuda a Suportar seu Negócio Hugo Saadi Serviços de Informática Itaú BBA Agenda Overview Institucional Business Critical Services

Leia mais

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos:

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos: Setor Siderúrgico 1 O setor siderúrgico brasileiro passou por profundas transformações na década de 90, tendo como principal elemento de mudança o processo de privatização do setor, que desencadeou, num

Leia mais

E-BUSINESS: O USO CORPORATIVO DA INTERNET

E-BUSINESS: O USO CORPORATIVO DA INTERNET ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Junho/2000 N o 15 E-BUSINESS: O USO CORPORATIVO DA INTERNET INTRODUÇÃO As empresas que, de alguma forma, estão envolvidas

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Outubro 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Outubro 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Outubro 2014 A Evolução do Funding e as Letras Imobiliárias Garantidas Filipe Pontual Diretor Executivo da ABECIP O crédito imobiliário

Leia mais

DESEMPENHO RECENTE DO COMÉRCIO VAREJISTA

DESEMPENHO RECENTE DO COMÉRCIO VAREJISTA ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Dezembro/98 N o 20 DESEMPENHO RECENTE DO COMÉRCIO VAREJISTA O comércio é a ponta da cadeia produtiva e é o primeiro

Leia mais

Raio-X dos Investimentos

Raio-X dos Investimentos Destaques dos Investimentos Brasileiros no Exterior: Investimento líquido brasileiro no exterior foi negativo: No mês de abril de 2010 os investidores brasileiros internalizaram US$ 365 milhões. Entretanto,

Leia mais

Mercado em Foco: Chile

Mercado em Foco: Chile Mercado em Foco: Chile EXPOMIN, 2014 Breve estudo com informações sobre as perspectivas de negócios da economia do Chile. Apresentamos também uma análise do comércio exterior de máquinas e equipamentos

Leia mais

Em 2014, IED registra queda de 2,3%

Em 2014, IED registra queda de 2,3% São Paulo, 04 de fevereiro de 2015. Dezembro de 2014 Em 2014, IED registra queda de 2,3% O total de investimentos estrangeiros diretos (IED) que ingressou no Brasil em 2014 foi de US$ 62,5 bilhões, uma

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL APRESENTAÇÃO ÀS COMISSÕES DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA E DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL APRESENTAÇÃO ÀS COMISSÕES DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA E DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO CAIXA ECONÔMICA FEDERAL APRESENTAÇÃO ÀS COMISSÕES DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA E DE ASSUNTOS ECONÔMICOS DO SENADO CCJ Maria Fernanda Ramos Coelho Brasília, 24 de novembro de 2010. POR QUE A CAIXA

Leia mais

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros 1 Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros Tomás Awad Analista senior da Itaú Corretora Muito se pergunta sobre como ficariam os bancos num cenário macroeconômico

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Junho 2009

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Junho 2009 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Junho 2009 O papel do private equity na consolidação do mercado imobiliário residencial Prof. Dr. Fernando Bontorim Amato O mercado imobiliário

Leia mais

Teleconferência 2T14. 18 de agosto de 2014

Teleconferência 2T14. 18 de agosto de 2014 Teleconferência 18 de agosto de 2014 1T14 x Estabilidade da Carteira de Créditos, próxima a R$ 10,5 bilhões; Nível de liquidez imediata mantido dentro de parâmetros confortáveis; Redução dos NPLs, tanto

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

Carga horária Carga horária de 24 horas presenciais.

Carga horária Carga horária de 24 horas presenciais. 1 Características Sobre o curso O curso Avaliação de Empresas apresenta as mais eficientes ferramentas e técnicas de análise do valor das empresas, discutindo quais fatores influenciam a sua criação. São

Leia mais

FUSÕES E AQUISIÇÕES: SINERGIA E CRIAÇÃO DE VALOR

FUSÕES E AQUISIÇÕES: SINERGIA E CRIAÇÃO DE VALOR FUSÕES E AQUISIÇÕES: SINERGIA E CRIAÇÃO Principais Vantagens Principais fontes de sinergia Principais cuidados Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante Associados,

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

A LOCAMERICA SEMINOVOS

A LOCAMERICA SEMINOVOS A LOCAMERICA A Locamerica é uma companhia especializada em locação de frotas customizadas para empresas. Desde 13 no mercado, a locadora ocupa o segundo lugar no ranking das maiores do setor em número

Leia mais

Nossa atuação. Absoluta Confidencialidade e Descrição

Nossa atuação. Absoluta Confidencialidade e Descrição Apresentação 2015 Nós somos uma empresa de Investimentos, desde 1989, serviços e produtos para a área financeira e um Banco de Negócios. Originalmente, nossas atividades estavam concentradas em produtos

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

II Seminário Capital Empreendedor do Nordeste

II Seminário Capital Empreendedor do Nordeste II Seminário Capital Empreendedor do Nordeste Fundos de Private Equity e Venture Capital OS CAMINHOS DO CAPITAL EMPREENDEDOR Uma empresa dos Grupos Bradesco e Espírito Santo 1 Outubro/2009 Índice 1. Brasil:

Leia mais

Financiamento da Infraestrutura Nacional Banco de do Transportes

Financiamento da Infraestrutura Nacional Banco de do Transportes Unidade Serviços em Infraestrutura Apresentação para o Conselho Diretor 12.05.2015 Financiamento da Infraestrutura Nacional Banco de do Transportes Brasil Outubro/2015 1 Dentre 140 países, o Brasil é o

Leia mais

&203/(;2$872027,92 EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO EXTERIOR DO COMPLEXO AUTOMOTIVO. Angela M. Medeiros M. Santos João Renildo Jornada Gonçalves*

&203/(;2$872027,92 EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO EXTERIOR DO COMPLEXO AUTOMOTIVO. Angela M. Medeiros M. Santos João Renildo Jornada Gonçalves* EVOLUÇÃO DO COMÉRCIO EXTERIOR DO COMPLEXO AUTOMOTIVO Angela M. Medeiros M. Santos João Renildo Jornada Gonçalves* * Respectivamente, gerente e economista da Gerência Setorial de Indústria Automobilística

Leia mais

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Apresentação e discussão dos resultados do Setor Financeiro 1º Congresso Latino-Americano de Educação Financeira São Paulo,21 de outubro

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais