Desenvolvendo aplicações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desenvolvendo aplicações"

Transcrição

1 Desenvolvendo aplicações 22 para a Web Uma aplicação Java pode ser executada sem modificação em qualquer plataforma que tenha a máquina virtual Java instalada. Esta característica faz com que as aplicações Java possam ser transferidas através da Internet para serem executadas nas diferentes máquinas que compõem a rede mundial de computadores. Este capítulo mostra como criar applets, que são programas Java que podem ser executados a partir de navegadores web Applets Os applets são painéis que podem ser embutidos em páginas web e cujo código é executado sob o controle dos navegadores web usados para exibí-las O modo de execução de um applet A execução de um applet é controlada a partir dos métodos init, start, stop e destroy, que são chamados pelo navegador web em resposta a eventos específicos. public void init(). Este método é chamado um única vez para inicializar o applet. Isto ocorre, por exemplo quando a página é carregada pelo navegador pela primeira vez. public void start(). Este método é chamado logo após a execução do método init e, após isso, sempre que a página contendo o applet é visitada (isto ocorre, por exemplo, quando o usuário retorna à página do applet após ter visitado outras páginas). public void stop(). Este método é chamado sempre que o usuário deixa a página que contém o applet.

2 2 Desenvolvendo aplicações para a Internet Figura O ciclo de vida de um applet O usuário deixa a página do applet O usuário visita a página do applet pela primeira vez init() start() Mozilla stop() Mozilla O usuário visita a página do applet start() O usuário termina a execução do navegador destroy() destroy() Mozilla O usuário termina a execução do navegador public void destroy(). execução. Este método é chamado quando o navegador termina sua Os métodos acima são públicos. A própria classe que especifica o applet deve ser definida como pública. A Figura 22.1 mostra a seqüência das chamadas aos métodos init, start, stop e destroy. Esta seqüência é conhecida como ciclo de vida de um applet. Embora concebido para ser executado apenas uma vez, quando o applet é iniciado, a chamada ao método init (bem como as chamadas aos demais métodos do seu ciclo de vida) depende do ambiente de execução. Assim, é possível que certos navegadores em certas situações executem o método init mais de uma vez Construindo applets Todo applet deve ser especificado como uma subclasse de Applet que, por sua vez, é uma subclasse de Panel. Se o applet contém componentes swing, então deve ser especificado como subclasse de JApplet, que é uma subclasse de Applet. A figura 22.2 mostra a hierarquia dessas classes. Ao conceber um applet devemos codificar no método init todas as ações que queremos executar ao iniciar a aplicação. O método start deve conter as ações que queremos executar sempre que o usuário visitar a página do applet, enquanto o método stop deve conter as ações que serão executadas sempre que o usuário deixar a página do applet. O método destroy deve conter as ações que finalizam a aplicação.

3 22.2 Executando applets 3 Figura Hierarquia das classes relacionadas a applets Object Component Container Panel Applet JApplet Exemplo O programa abaixo cria um applet que consiste de um campo de texto editável. A classe que implementa o applet deve ser pública e declarada como subclasse de Applet (linha 3); a declaração import na linha 1 torna possível esta referência. 1 import java.applet.applet; 2 import java.awt.*; 3 public class C22Exemplo1 extends Applet { 4 public void init() { 5 TextField texto = new TextField("Exemplo de Applet"); 6 this.add(texto); 7 } 8 } Neste applet temos apenas o método init no qual um objeto da classe TextField é criado (linha 5) e adicionado ao applet (linha 6). Observe que na linha 6 poderíamos ter usado apenas a chamada add(texto), sem o referente this. Isto porque o método init é sempre executado pelo objeto que implementa o applet que, sendo da classe Container, pode fazer referência direta a add. O gerente de leiaute padrão de um applet da classe Applet é o FlowLayout. Se necessário devemos definir um outro tipo de gerente de leiaute Executando applets O applet do Exemplo 22.1 deve ser executado através de um navegador, como parte de uma página web. Uma alternativa cômoda para testar um applet sem nos preocuparmos com a página na qual ele será inserido é usar o aplicativo appletviewer.

4 4 Desenvolvendo aplicações para a Internet Figura appletviewer exibindo o applet do Exemplo Usando o appletviewer O aplicativo appletviewer faz parte do ambiente padrão Java. Para usá-lo basta digitar o comando: appletviewer ArquivoTag onde ArquivoTag é um arquivo texto contendo um par de tags html identificando o código que implementa o applet. A forma mais simples destas tags é a seguinte: <applet code=" IdentCodApplet " width=" LarguraApplet " height=" AlturaApplet "> </applet> As aspas são obrigatórias, IdentCodApplet identifica o arquivo contendo o código do applet, e LarguraApplet e AlturaApplet definem, em quantidade de pixels, a largura e altura da área que o applet deve ocupar na página web. Qualquer arquivo texto fornecido como parâmetro para o aplicativo appletviewer será processado e sempre que uma tag identificando um applet for encontrada, o applet correspondente será exibido, como se estivesse sendo carregado a partir de uma página web. Geralmente, quando queremos testar um applet que estamos construindo, colocamos em seu próprio código fonte um comentário contendo as tags que permitem a execução do applet através do appletviewer. Exemplo Se colocarmos a seguinte linha de comentário no código fonte do programa do Exemplo 22.1: //<applet code="c22exemplo1.class" width="200" height="50"></applet> ao digitarmos o comando appletviewer C22Exemplo1.java o applet implementado pelo código C22Exemplo1.class será carregado e terá seus métodos init e start executados pelo visualizador. A janela de exibição terá 200 pixels de largura e 50 de altura, como a mostrada na Figura 22.3.

5 22.2 Executando applets 5 O botão Applet na janela do appletviewer exibe um menu que permite carregar e reiniciar a execução do applet, bem como executar seus métodos start e stop. Isso permite simular o comportamento que o applet terá quando executado através de um navegador web Usando um navegador web Os applets quando inseridos em uma página web são executados pelo navegador usado para exibí-la. As páginas web são codificadas através da linguagem de marcação de texto html, que permite tanto a especificação do texto quanto a especificação dos demais elementos que compõem uma página web como, por exemplo, arquivos de imagens, sons, conexão com outras páginas web, etc. Este capítulo não apresenta detalhes da linguagem html. Para testar nossas aplicações basta saber que grande parte dos comandos html são definidos através de pares de tags que iniciam com um rótulo da forma: <rotulo demais elementos da tag > e terminam com um rótulo da forma </rotulo>. Observe que o par que identifica um applet possui esse formato. Por sua vez, a tag <html> define o início de uma página cujo fim é especificado por </html>. Para inserir um applet em uma página web basta colocar as tags que o identificam no corpo de uma página. Exemplo O texto a seguir define a página web mais simples que podemos especificar contendo as tags que identificam o applet do Exemplo <html> <applet code="c22exemplo1.class" width="200" height="50"></applet> </html> Se salvarmos esse texto em um arquivo texto de nome PagTeste.html, por exemplo, e o carregarmos usando um navegador web, teremos o início da execução do applet conforme explicado na Seção A página do exemplo acima, embora funcional, não possui a estrutura esperada para uma página web, que deve ter seu cabeçalho especificado pelas tags <head> e </head>, e seu corpo especificado pelas tags <body> e </body>. Normalmente as páginas web são construídas usando-se editores html que facilitam a especificação dos seus vários elementos, incluindo as tags que identificam os applets.

6 6 Desenvolvendo aplicações para a Internet Figura appletviewer exibindo o applet do Exemplo Outros modos de construir applets Applets tanto podem ser construídos para usar componentes do pacote awt quanto componentes do pacote swing. Podemos também desenhar nossos próprios componentes através das primitivas do contexto gráfico usado pelo método paint Usando o método paint Um applet pode não conter explicitamente o código dos método init, start, stop e destroy. Neste caso, o ambiente executará as ações padrões para carregar, interromper e reiniciar o applet. Exemplo O programa a seguir implementa o applet mostrado na Figura // <applet code="c22exemplo4.class" width="150" height="60"> </applet> 2 import java.applet.*; 3 import java.awt.*; 4 public class C22Exemplo4 extends Applet { 5 public void paint(graphics g) { 6 g.drawrect(0, 0, getsize().width - 1, getsize().height - 1); 7 g.setcolor(color.red); 8 g.drawstring("josefa branca e rosa", 15, 30); 9 } 10 } Este applet possui apenas o método paint, que é chamado pelo ambiente sempre que o applet deve ser mostrado. Isto ocorre, por exemplo, quando o applet é carregado (ao iniciar sua execução e sempre que o usuário retornar à página que o contém) e também ao ser tornado visível após deixar de ser encoberto por alguma outra janela. Na chamada ao método paint o ambiente de execução fornece como argumento o contexto gráfico usado para determinar as características gráficas do componente. Neste caso a área de desenho terá a dimensão especificada para o applet (150 pixels de largura e 60 de altura). O comentário da linha 1 permite a execução deste applet pelo appletviewer. O método getsize é executado pelo objeto que implementa o applet. Logo, a referência

7 22.3 Outros modos de construir applets 7 Figura appletviewer exibindo o applet do Exemplo 22.5 getsize().width produz o valor 150 e a referência getsize().height, o valor 60. Assim, o método drawrect da linha 6 desenha um retângulo cujo vértice superior esquerdo está posicionado na coordenada (0,0), tendo uma largura de 149 e uma altura de 59 pixels. Na linha 8 a cadeia de caracteres Josefa branca e rosa é desenhada a partir da coordenada (15,30). Esta cadeia é desenhada com a cor vermelha, que é a cor corrente após a execução do método setcolor da linha Usando a classe JApplet Se quisermos usar componentes swing para construir applets devemos especificá-los como uma subclasse de JApplet que, por sua vez, é uma subclasse de JFrame. Assim, da mesma forma que ocorre com aplicações swing convencionais, em um applet que estende JApplet o gerente de leiaute e os componentes devem ser adicionados através do componente de conteúdo do applet (e não ao applet diretamente). O gerente de leiaute padrão de um applet swing é o BorderLayout. Exemplo O programa a seguir implementa o applet mostrado na Figura 22.5, que exibe uma lista de números idêntica à lista da Tabela //<applet code="c22exemplo5.class" width="160" height="100"> </applet> 2 import javax.swing.*; 3 import java.awt.*; 4 public class C22Exemplo5 extends JApplet { 5 String[] numeros = {"10","13","22","9","102"}; 6 public void init() { 7 Container conteudo = this.getcontentpane(); 8 conteudo.add(new JList(numeros)); 9 } 10 } O vetor com a lista de números é especificado, na linha 5, como um atributo do objeto que implementa o applet. O componente de conteúdo é obtido na linha 7 e, através dele, na linha 8, é adicionado o componente da classe JList.

8 8 Desenvolvendo aplicações para a Internet Figura appletviewer exibindo o applet do Exemplo Tratando eventos Os eventos são tratados da mesma forma que nas aplicações Java convencionais. Devemos especificar as classes capazes de monitorá-los, criar os monitores e associá-los aos componentes da interface que serão as fontes dos eventos que queremos tratar. Exemplo O programa abaixo especifica um applet que calcula a prestação inicial de um financiamento segundo a tabela price 1. Este applet, mostrado na Figura 22.6, possui três campos de texto para o usuário informar o valor do financiamento, os juros anuais e a quantidade de meses, além de um botão de cálculo usado para calcular o valor da prestação inicial. Dois tipos de eventos são tratados. Primeiro, o clique do mouse. Sempre que o usuário clicar o mouse sobre o botão de cálculo o valor da primeira prestação será atualizado segundo a fórmula: prestação = financiamento juros (1 + juros)período (1 + juros) período 1 Este tipo de evento é tratado implementando-se a classe abstrata MouseAdapter (linhas 33 a 43). O segundo tipo de evento é a obtenção do foco do teclado. Sempre que o usuário clicar ou iniciar a digitação em um dos campos que definem o valor do financiamento, os juros ou a quantidade de meses, o valor da prestação é apagado. Este evento é tratado usando-se o próprio applet para implementar a interface FocusListener. 1 //<applet code="c22exemplo6.class" width="250" height="80"> </applet> 2 import java.awt.*; 3 import javax.swing.*; 4 import java.awt.event.*; 5 public class C22Exemplo6 extends JApplet implements FocusListener { 6 JTextField c_valor = new JTextField(""); 1 Também chamado de Sistema Francês de Amortização, foi concebido pelo matemático Richard Price e tem como característica uma amortização dos juros maior que a do principal durante boa parte do período de financiamento.

9 22.4 Tratando eventos 9 7 JTextField c_juros = new JTextField(""); 8 JTextField c_meses = new JTextField(""); 9 JLabel c_prest = new JLabel(""); 10 JButton b_calcula = new JButton("Prestacao 1:"); 11 public void init() { 12 Container conteudo = getcontentpane(); 13 conteudo.setlayout(new GridLayout(4,2)); 14 conteudo.add(new JLabel("Valor:")); 15 conteudo.add(c_valor); 16 conteudo.add(new JLabel("Juros (aa):")); 17 conteudo.add(c_juros); 18 conteudo.add(new JLabel("Meses:")); 19 conteudo.add(c_meses); 20 conteudo.add(b_calcula); 21 conteudo.add(c_prest); 22 MonitoraMouse monitoraclique = new MonitoraMouse(); 23 b_calcula.addmouselistener(monitoraclique); 24 c_valor.addfocuslistener(this); 25 c_juros.addfocuslistener(this); 26 c_meses.addfocuslistener(this); 27 } 28 public void focusgained(focusevent e) { 29 c_prest.settext(""); 30 } 31 public void focuslost(focusevent e) { 32 } 33 class MonitoraMouse extends MouseAdapter { 34 public void mouseclicked(mouseevent e) { 35 double v = Double.parseDouble(c_valor.getText()); 36 int n = Integer.parseInt(c_meses.getText()); 37 double i = Float.parseFloat(c_juros.getText())/100; 38 i = Math.pow(1 + i,1./12) - 1; 39 double fator = Math.pow(1 + i,n); 40 double prest = (v * i * fator)/(fator - 1); 41 c_prest.settext(double.tostring(prest)); 42 } 43 } 44 } Nas linhas 6 a 10 os componentes da interface são especificados como atributos do applet. O método init define o gerente de leiaute na linha 13, adiciona ao applet os objetos que compõem sua interface (linhas 14 a 21) e define os tratadores de eventos nas linhas 22 a 26. O objeto capaz de tratar os cliques do mouse é criado na linha 22 e associado ao botão de cálculo na linha 23. O objeto capaz de tratar os eventos da classe FocusEvent é o próprio applet, que é adicionado através do referente this aos três campos de texto nas

10 10 Desenvolvendo aplicações para a Internet linhas 24 a 26. Este applet deve implementar todos os métodos definidos na interface FocusListener, mesmo que o corpo de alguns seja vazio (como é o caso do método focuslost nas linhas 31 e 32). A expressão da linha 38 transforma os juros anuais em juros mensais Convertendo aplicações em applets Para converter uma aplicação Java em um applet devemos remover seu método main e inserir os métodos próprios de um applet, além de mudar a forma como as janelas e o seu conteúdo são construídos. Como regra geral temos que: A janela principal da aplicação em vez de estender a classe JFrame passa a estender a classe JApplet. A construção da janela principal e as ações do método main passam a ser executadas pelo método init. Não é necessário criar uma instância da janela principal já que a criação do applet fica a cargo do navegador web. Exemplo O programa abaixo especifica um applet construído a partir do programa do Exemplo //<applet code="c22exemplo7.class" width="150" height="100"> </applet> 2 import java.awt.*; 3 import javax.swing.*; 4 class Velocimetro { 5 protected int valor = 100; 6 void incrvel() { 7 valor++; 8 } 9 void decrvel() { 10 valor--; 11 } 12 int obtemvel() { 13 return valor; 14 } 15 } 16 public class C22Exemplo7 extends JApplet { 17 Velocimetro v = new Velocimetro(); 18 JButton btincr = new JButton("+"); 19 JButton btdecr = new JButton("-"); 20 JLabel rotvalor = new JLabel("100"); 21 public void init() { 22 setbounds(10,10,150,100);

11 22.6 Limitações dos applets Container conteudo = getcontentpane(); 24 conteudo.setlayout(new GridLayout(3,2)); 25 conteudo.add(new JLabel("controle")); 26 conteudo.add(new JLabel(" ")); 27 conteudo.add(btincr); 28 conteudo.add(new JLabel("velocidade")); 29 conteudo.add(btdecr); 30 conteudo.add(rotvalor); 31 rotvalor.sethorizontalalignment(swingconstants.right); 32 } 33 } No exemplo o método main apenas criava um objeto Velocimetro e construía uma instância da classe JanelaPrincipal. Aqui, transformamos a classe JanelaPrincipal na classe C22Exemplo7 que implementa o applet, estendendo JApplet (linhas 16 a 32). O método construtor da classe JanelaPrincipal foi transformado no método init do applet. Este applet apenas mostra os componentes da interface; o tratamento de eventos pode ser feito de modo semelhante ao mostrado no Exemplo Limitações dos applets A execução de applets possui restrições desenvolvidas para permitir que um navegador web possa executar um applet carregado a partir de outras máquinas e ambientes sem comprometer a segurança do sistema no qual está sendo executado. Os applets não podem usar bibliotecas ou invocar métodos que estejam em classes residentes fora dos pacotes padrões da linguagem. O acesso a bibliotecas e pacotes é determinado pela política de segurança de cada visualizador, que geralmente permite acesso apenas aos pacotes java.*. Os applets não podem ler ou gravar arquivos na máquina em que estão sendo executados. Novamente, esta restrição depende da política adotada pelo visualizador. O appletviewer do ambiente Java permite algumas exceções a essa regra. Os applets não podem fazer conexões através da rede, exceto para a máquina na qual eles residem. Os applets não podem executar nenhum programa na máquina em que estão sendo executados. Os applets não podem ler certas propriedades do sistema (especificadas através de objetos da classe Properties). Não podem, por exemplo, identificar o diretório corrente nem os dados que compõem o caminho padrão (CLASSPATH). Podem, entretanto, obter o caractere usado para separar os itens na identificação de arquivos.

12 12 Desenvolvendo aplicações para a Internet Existem modos de contornar algumas limitações. Por exemplo, quanto à gravação de arquivos, um applet pode enviar informações para programas na máquina onde ele reside. Estes programas então gravariam os arquivos necessários. Os applets podem ler arquivos identificados através de URLs, em vez de nomes de arquivos. As janelas que contém applets são identificadas de modo diferenciado, geralmente contém na base o texto Java Applet Window Especificando e usando parâmetros Os applets podem ser parametrizados, com a declaração dos parâmetros e a definição do valor inicial feita através de tags da forma: <param name=" NomeParam " value=" ValorParam "> onde NomeParam e ValorParam são o nome e o valor atribuído ao parâmetro. Essas tags são inseridas entre a tags que identificam o applet. Exemplo A declaração abaixo define três parâmetros para o applet identificado por C22Exemplo6.class: <applet code="c22exemplo6.class" width="250" height="80"> <param name="p_fin" value="130000"> <param name="p_juros" value="9"> <param name="p_meses" value="180"> </applet> Sempre que este applet for carregado os valores , 9 e 180 serão atribuídos aos parâmetros p fin, p juros e p meses, respectivamente. Um applet pode a qualquer tempo obter o valor atribuído a um parâmetro através do método: public String getparameter(string nomeparam). Este método retorna o valor atribuído ao parâmetro de nome nomeparam. O valor é fornecido como uma cadeia de caracteres e deve ser convertido em um tipo apropriado, se necessário. O método retorna o valor null se não existir um parâmetro com o nome nomeparam. Exemplo O método abaixo inicializa as variáveis c valor, c juros e c meses com os valores atribuídos aos parâmetros p fin, p juros e p meses ou com os valores , 12 e 240, caso estes parâmetros não tenham sido declarados.

13 22.7 Especificando e usando parâmetros 13 public void inicializacampos() { String val = getparameter("p_fin"); if (val == null) c_valor = new JTextField("100000"); else c_valor = new JTextField(val); val = getparameter("p_juros"); if (val == null) c_juros = new JTextField("12"); else c_juros = new JTextField(val); val = getparameter("p_meses"); if (val == null) c_meses = new JTextField("240"); else c_meses = new JTextField(val); } Este método pode fazer parte do applet do Exemplo Deste modo, cada página que o referencie pode adotar os valores nele definidos ou especificar, através dos parâmetros p fin, p juros e p meses, seus próprios valores iniciais Especificando diretórios Os visualizadores procuram pelo código de um applet no mesmo diretório em que está a página sendo visualizada (a página que possui a tag do applet). Para carregar um applet armazenado em um outro diretório devemos especificar sua localização através do parâmetro codebase=" LocalApplet ". A identificação do applet será aposta à localização LocalApplet, podendo ser um endereço absoluto, um subdiretório do diretório onde está a página ou um endereço da Internet (especificado através de uma URL). Não pode entretanto conter caracteres de endereçamento relativo (. ou..) Exemplo Considere uma página web armazenada no diretório \user\pessoa. Nesta situação a tag <applet code="aplt.class" width="100" height="20"> <\applet> faz com que o applet seja procurado no diretório \user\pessoa. A tag <applet code="aplt.class" codebase="exem" width="100" height="20"> <\applet> faz com que o applet seja procurado no diretório \user\pessoa\exem. A tag

14 14 Desenvolvendo aplicações para a Internet <applet code="aplt.class" codebase="\progs\teste" width="100" height="20"> <\applet> faz com que o applet seja procurado no diretório \progs\teste. A tag <applet code="aplt.class" codebase="http://wwww.cic.unb.br/progs" width="100" height="20"> <\applet> faz com que o applet seja procurado no diretório \progs do servidor identificado pelo endereço Já a tag <applet code="aplt.class" codebase="../exem" width="100" height="20"> <\applet> é inválida porque usa a referência relativa através dos dois pontos.

Métodos da classe Applet Criando applets Passando parâmetros de uma página HTML Migrando de uma aplicação para uma applet Applets vs.

Métodos da classe Applet Criando applets Passando parâmetros de uma página HTML Migrando de uma aplicação para uma applet Applets vs. Applets Métodos da classe Applet Criando applets Passando parâmetros de uma página HTML Migrando de uma aplicação para uma applet Applets vs. Segurança l Objetivos Migrar de uma aplicação para uma applet

Leia mais

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063)

Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Programação Orientada a Objetos (DPADF 0063) Aula 11 Applets Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Prof. Bruno

Leia mais

Java First-Tier: Aplicações. Construção de Applets. Applets. Applets: Internet Intranet

Java First-Tier: Aplicações. Construção de Applets. Applets. Applets: Internet Intranet Java First-Tier: Aplicações Construção de Applets Grupo de Linguagens de Programação Departamento de Informática PUC-Rio Applets l Programas Java que executam em browsers java enabled JVM que interpreta

Leia mais

Programação Java. Construção de Applets

Programação Java. Construção de Applets Programação Java Construção de Applets Grupo de Linguagens de Programação Departamento de Informática PUC-Rio Applets Programas Java que executam em browsers java enabled JVM que interpreta os bytecodes

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software - CEUT

Especialização em Engenharia de Software - CEUT Até aqui Programação com interfaces gráficas Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Criamos a infra-estrutura para a aplicação bancária classes que representam os tipos de conta classe que implementa regras de

Leia mais

Programação III. Interface Gráfica - Swing. Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Interface Gráfica - Swing

Programação III. Interface Gráfica - Swing. Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Interface Gráfica - Swing Programação III Interface Gráfica Swing Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br Deitel Capítulo 11 : Imagens gráficas e Java 2D Capítulo 12 : Componentes Básicos Capítulo 13 : Componentes Avançados GUI

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Servidor de Aplicações WEB Tomcat Servidor Tomcat Foi desenvolvido

Leia mais

Entender princípios de projeto. Capacitação para construir GUIs. Entender os pacotes que contém componentes de GUI, e as classes e interfaces de

Entender princípios de projeto. Capacitação para construir GUIs. Entender os pacotes que contém componentes de GUI, e as classes e interfaces de Parte I Entender princípios de projeto. Capacitação para construir GUIs. Entender os pacotes que contém componentes de GUI, e as classes e interfaces de tratamentos de eventos. Criar e manipular botões,

Leia mais

CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA A 1 2 3 4 F 1 2 3 4 B 1 2 3 4 G 1 2 3 4 C 1 2 3 4 H 1 2 3 4 D 1 2 3 4 I 1 2 3 4

CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA A 1 2 3 4 F 1 2 3 4 B 1 2 3 4 G 1 2 3 4 C 1 2 3 4 H 1 2 3 4 D 1 2 3 4 I 1 2 3 4 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 16/07/2009 PROGRAMAÇÃO Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO

Leia mais

Módulo 7. Interface Gráfica com o Usuário GUI - Introdução. Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio)

Módulo 7. Interface Gráfica com o Usuário GUI - Introdução. Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio) Módulo 7 Interface Gráfica com o Usuário GUI - Introdução Programação Orientada a Objetos I Java (Rone Ilídio) Interface Gráfica com o Usuário Os elementos gráficos utilizados estão no pacote javax.swing.*

Leia mais

Como usar a documentaçã

Como usar a documentaçã Java 2 Standard Edition Como usar a documentaçã ção da API Java 2 Helder da Rocha www.argonavis.com.br 1 Documentação Aprender a usar a documentação é essencial para quem deseja desenvolver aplicações

Leia mais

Programação Visual em Java

Programação Visual em Java Programação Visual em Java 1 Sumário Introdução Contentores Componentes Layouts Eventos Exemplos 2 Introdução Interfaces gráficas são compostas por: Contentores Janelas, painéis Componentes botões, menus,

Leia mais

Criação de Applets Package: Class Name Base Class: Generate header comments: Can run standalone: Generate Standard methods:

Criação de Applets Package: Class Name Base Class: Generate header comments: Can run standalone: Generate Standard methods: Criação de Applets Após ter sido criado o projeto, ao contrário dos exemplos anteriores onde criávamos uma aplicação na guia General da janela Object Gallery, agora iremos criar uma applet que está contida

Leia mais

Interfaces Gráficas: Interações Complexas

Interfaces Gráficas: Interações Complexas Interfaces Gráficas: 21 Interações Complexas 21.5 O contexto gráfico Os componentes de uma interface gráfica são desenhados na tela do computador a partir de primitivas que permitem a construção de linhas,

Leia mais

8. Interfaces Gráficas de Usuário

8. Interfaces Gráficas de Usuário Vamos discutir como construir aplicações com interface gráfica de usuário (conhecida como GUI - Graphical User Interface). Numa interface gráfica existem botões, caixas de texto, painéis, barras de rolagem,

Leia mais

Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs

Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs Interfaces Gráficas e Eventos - 1 Objectivos:. Construir programas com interfaces gráficas Graphical User Interface (GUI) application programs - Utilizar as classes JFrame, JButton, JLabel, ImageIcon,

Leia mais

Java Foundation Classes Coleção de pacotes para criação de aplicações completas Desktop Interfaces gráficas (GUIs- Graphical User Interface)

Java Foundation Classes Coleção de pacotes para criação de aplicações completas Desktop Interfaces gráficas (GUIs- Graphical User Interface) Interface Gráfica Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos JFC Java Foundation Classes Coleção de pacotes para criação de aplicações completas Desktop Interfaces gráficas

Leia mais

1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo:

1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo: 1) De acordo com o trecho de código escrito na linguagem JAVA, responda a questão abaixo: boolean[][] bool = new boolean[5][5]; for(int v = 0; v < bool.length; v++) { for(int f = 0; f < bool[v].length;

Leia mais

Criação de Applets com o JBuilder Professor Sérgio Furgeri

Criação de Applets com o JBuilder Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Apresentar o processo de criação em uma interface gráfica para a Internet; Fornecer subsídios para que o aluno possa compreender onde aplicar Applets; Demonstrar a criação de uma Applet

Leia mais

CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA A 1 2 3 4 F 1 2 3 4 B 1 2 3 4 G 1 2 3 4 C 1 2 3 4 H 1 2 3 4 D 1 2 3 4 I 1 2 3 4 E 1 2 3 4 J 1 2 3 4

CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA A 1 2 3 4 F 1 2 3 4 B 1 2 3 4 G 1 2 3 4 C 1 2 3 4 H 1 2 3 4 D 1 2 3 4 I 1 2 3 4 E 1 2 3 4 J 1 2 3 4 ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A3 DATA 09/07/2009 PROGRAMAÇÃO Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO

Leia mais

Programação Gráfica em Java.

Programação Gráfica em Java. Programação Gráfica em Java. Objetivo: Ao final da aula o aluno deverá ser capaz de desenvolver a aplicação gráfica ilustrada ao lado. A interface gráfica será simples, composta por elementos de menus.

Leia mais

Técnicas de Programação II

Técnicas de Programação II Técnicas de Programação II Aula 03 GUI e Swing Edirlei Soares de Lima GUI Graphical User Interface A API Java fornece diversas classes destinadas a criação de interfaces gráficas.

Leia mais

Criando documentação com javadoc

Criando documentação com javadoc H Criando documentação com javadoc H.1 Introdução Neste apêndice, fornecemos uma introdução a javadoc ferramenta utilizada para criar arquivos HTML que documentam o código Java. Essa ferramenta é usada

Leia mais

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes

Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução. Carlos Lopes Programação Orientada a Objetos e Java - Introdução Carlos Lopes POO e Java Objetivo: proporcionar uma visão dos conceitos de POO e do seu uso na estruturação dos programas em Java. Classes e objetos em

Leia mais

Interface Gráficas Parte I. Bruno Crestani Calegaro

Interface Gráficas Parte I. Bruno Crestani Calegaro Interface Gráficas Parte I Bruno Crestani Calegaro Conteúdo da Aula GUI, Graphical User Interface, é nada mais que a tela que um programa apresenta para um usuário Até o agora nossos programas foram desenvolvidos

Leia mais

MÓDULO 4 SWING Parte 3

MÓDULO 4 SWING Parte 3 Aplicações de Linguagem de Programação Orientada a Objetos 2ºsem/2011 (Professores: Tiago e Daniele) // Exemplo11 Ação do Mouse import javax.swing.*; import java.awt.*; import java.awt.event.actionevent;

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

Interface Gráfica com o Usuário (GUI) Profa. Isabel Harb Manssour (Material adaptado das aulas da Profa. Luciana Nedel e do Prof.

Interface Gráfica com o Usuário (GUI) Profa. Isabel Harb Manssour (Material adaptado das aulas da Profa. Luciana Nedel e do Prof. Interface Gráfica com o Usuário (GUI) Profa. Isabel Harb Manssour (Material adaptado das aulas da Profa. Luciana Nedel e do Prof. Julio Machado) GUI (Graphical User Interface) Containers e Componentes

Leia mais

Introdução à linguagem Java

Introdução à linguagem Java Universidade da Região da Campanha Semana Acadêmica da Informática Introdução à linguagem Java Alexsander da Rosa http://www.urcamp.tche.br/~alexsand/ Bagé-RS, 03 de novembro

Leia mais

JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Interface Gráfica em Java (GUI)

JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Interface Gráfica em Java (GUI) JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 Interface Gráfica em Java (GUI) 1 2 Introdução Java fornece um forte suporte para a construção de interfaces gráficas através do pacote java.awt GUI inicial do Java:

Leia mais

RESUMO DOS IMPORTANTES

RESUMO DOS IMPORTANTES RESUMO DOS TÓPICOS + IMPORTANTES De instância (non-static) - estão no contexto da classe sem o modificador static De Classe (static) - estão no contexto da classe com o modificador static Local estão no

Leia mais

. (x,y) Programação III. Interface Gráfica - AWT. Interface Gráfica AWT Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br

. (x,y) Programação III. Interface Gráfica - AWT. Interface Gráfica AWT Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br Programação III Interface Gráfica AWT Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br AWT Abstract Windowing ToolKit kit de Ferramentas Abstrato para Janelas Componentes GUI originais Pacote java.awt Deitel Capítulo

Leia mais

Servlets e Applets, funcionamento e comparativo.

Servlets e Applets, funcionamento e comparativo. Servlets e Applets, funcionamento e comparativo. Airon Rabel Teixeira Rua Guarapuava Joinville SC airon@ymail.com Resumo: Este artigo explica de maneira breve o funcionamento de servlets e applets, mostrando

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Alexandre César Muniz de Oliveira Entrada e Saída Parte IV Entrada e Saída Módulo de Interface com o usuário Dividir trabalho Separar processamento de E/S Entrada e Saída

Leia mais

Interface com o Usuário (UI) UIs Desacopladas (2/3) BSI Bacharelado em Sistemas de Informação LOO Linguagens Orientadas a Objetos

Interface com o Usuário (UI) UIs Desacopladas (2/3) BSI Bacharelado em Sistemas de Informação LOO Linguagens Orientadas a Objetos Interface com o Usuário (UI) BSI Bacharelado em Sistemas de Informação LOO Linguagens Orientadas a Objetos Humberto Mossri de Almeida hmossri_cursos@yahoo.com.br Marcelo Nassau Malta nassau_cursos@yahoo.com.br

Leia mais

Pacote Java Swing Parte 1

Pacote Java Swing Parte 1 Pacote Java Swing Parte 1 José Gustavo de Souza Paiva Introdução GUI (Graphical User Interface) Mecanismo amigável ao usuário para interagir com um aplicativo Proporciona a um aplicativo uma aparência

Leia mais

Programação em Rede JDBC

Programação em Rede JDBC Programação em Rede JDBC 1 JDBC - Java Database Connectivity Necessidades : ligar aplicações Java e Applets a DBMS Drivers que suportam SQL um driver JDBC/DBMS deve suportar pelo menos o ANSI SQL92 JDBC

Leia mais

USANDO APPLETS NO NETBEANS (WEB APPLICATION)...E A APPLET CHAMA ALGUM PACOTE EXTERNO (por Luis Alberto M Palhares de Melo Julho/2011)

USANDO APPLETS NO NETBEANS (WEB APPLICATION)...E A APPLET CHAMA ALGUM PACOTE EXTERNO (por Luis Alberto M Palhares de Melo Julho/2011) USANDO APPLETS NO NETBEANS (WEB APPLICATION)......E A APPLET CHAMA ALGUM PACOTE EXTERNO (por Luis Alberto M Palhares de Melo Julho/2011) PASSO 1 Na estrutura do Netbeans vamos ter: Pacote externo (aqui

Leia mais

Aula 11: Interfaces gráficas (1/2): elementos de interface Swing

Aula 11: Interfaces gráficas (1/2): elementos de interface Swing Aula 11: Interfaces gráficas (1/2): elementos de interface Swing Motivação como fazer programas com interface gráfica em Java? solução: uso de pacotes (listados na API) AWT (java.awt.*) Swing (javax.swing.*)

Leia mais

INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos

INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos INTERFACE COM O USUÁRIO (em Java) Programação Orientada a Objetos Chegamos à interface com o usuário. Você já utilizou alguns métodos para dialogar com o usuário, quer enviando mensagens quer lendo dados.

Leia mais

Objetivos do Curso. Você será capaz de:

Objetivos do Curso. Você será capaz de: Objetivos do Curso Ao término do curso você entenderá: Aplicativos Java e applets Tipos de dados primitivos Fluxo de Controle em Java Métodos Outros: exceções, multithreading, multimedia, I/O, redes. Objetivos

Leia mais

Programação Orientada a Objetos II

Programação Orientada a Objetos II Programação Orientada a Objetos II Interfaces Gráficas Componentes Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com www.bolinhabolinha.com Ementa Introdução ao Desenvolvimento de Interfaces Gráficas Herança

Leia mais

Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand

Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand Eclipse IDE Dá-se importância aos antepassados quando já não temos nenhum. Francois Chateaubriand O Eclipse O Eclipse (www.eclipse.org) e uma IDE (integrated development environment). Diferente de uma

Leia mais

Programação Orientada a Objetos em Java. GUI Graphical User Interface

Programação Orientada a Objetos em Java. GUI Graphical User Interface Universidade Federal do Amazonas Departamento de Ciência da Computação IEC481 Projeto de Programas Programação Orientada a Objetos em Java GUI Graphical User Interface Professor: César Melo Slides baseados

Leia mais

Natureza do Software e dos Sistemas

Natureza do Software e dos Sistemas Natureza do Software e dos Sistemas Jorge H C Fernandes Diferença Fundamental entre Engenharia de Software e outras Engenharias! Os materiais são diferentes As teorias fundamentais são diferentes Dificuldades

Leia mais

O programa abaixo exemplifica o uso da classe Image para carregar e mostrar uma imagem localizada em um arquivo.

O programa abaixo exemplifica o uso da classe Image para carregar e mostrar uma imagem localizada em um arquivo. 7. Carregando e mostrando imagens locais Esta aula complementa os estudos de programação de interfaces gráficas em Java mostrando como podemos carregar imagens de arquivos locais ou da Internet para uso

Leia mais

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL

A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL A INTERNET COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO ENSINO DE MECÂNICA COMPUTACIONAL Manoel Theodoro Fagundes Cunha Sergio Scheer Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Centro de Estudos de Engenharia

Leia mais

Tratamento de Eventos

Tratamento de Eventos Tratamento de Eventos Prof. Marcelo Cohen 1. Visão Geral Para implementar a funcionalidade de uma interface gráfica, pode-se fazer uso de uma repetição sem fim: Faz algum processamento Verifica se o mouse

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -INTERFACES GRÁFICAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -INTERFACES GRÁFICAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS -INTERFACES GRÁFICAS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 2. Programação visual com a IDE Netbeans Projetos Tipos de projetos Desenvolvimento

Leia mais

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição

Lista de Contas: Assinatura. Lista de Contas. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição. Listas de Contas: Descrição Lista de Contas Lista de Contas: Assinatura null Quais são os métodos necessários? class ListaDeContas { void inserir (Conta c) { void retirar (Conta c) { Conta procurar (String num) { Listas de Contas:

Leia mais

Programação para Celular com Java

Programação para Celular com Java 1/13 Programação para Celular com Java Objetivo: Capacitar o aluno a desenvolver aplicações com o Sun Java Wireless Toolkit for CLDC. Sumário 1. Introdução:... 2 2. Como criar um novo Projeto?... 2 3.

Leia mais

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedade Utilizada: FontSizeAnimation

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedade Utilizada: FontSizeAnimation JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedade Utilizada: FontSizeAnimation FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Nome do aluno: Paulo Renato S. Veiga Identificação da Turma: 205 Noite Data: 16/05/10 1 Nome da Propriedade

Leia mais

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: imagecomposite FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS

JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: imagecomposite FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS JAVA APLICAÇÕES GRÁFICAS Propriedades Utilizadas: imagecomposite FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Nome do aluno: Diego Silva de Oliveira Identificação da Turma: 070801805 Data: 16/05/2010 imagecomposite

Leia mais

1 Criando um aplicativo visual em Java

1 Criando um aplicativo visual em Java 1 Criando um aplicativo visual em Java Inicie o Netbeans e nele crie um novo projeto, em categorias escolha Java e em projetos escolha Aplicativo Java, na próxima janela escreva o nome do projeto PrimeiroAplicativoVisual

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Wireshark Lab: Iniciando

Wireshark Lab: Iniciando Wireshark Lab: Iniciando Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Conte-me e esqueço. Mostre-me e eu lembro. Envolva-me

Leia mais

Java Laboratório Aula 1. Divisões da Plataforma. Introdução a Plataforma Java. Visão geral da arquitetura da

Java Laboratório Aula 1. Divisões da Plataforma. Introdução a Plataforma Java. Visão geral da arquitetura da Java Laboratório Aula 1 Programação orientada a objetos Profa. Renata e Cristiane Introdução a Plataforma Java O que é Java? Tecnologia Linguagem de Programação Ambiente de Execução (JVM) Tudo isso é a

Leia mais

Roteiro para criação de Applet

Roteiro para criação de Applet Roteiro para criação de Applet 1. Abra um editor de texto qualquer, como o Bloco de notas, e digite o código abaixo: 1. import java.awt.*; 2. import java.awt.event.*; 3. import java.applet.applet; 4. import

Leia mais

Arquitetura de Tratamento de Eventos em Programas com GUI - Graphical User Interface

Arquitetura de Tratamento de Eventos em Programas com GUI - Graphical User Interface Arquitetura de Tratamento de Eventos em Programas com GUI - Graphical User Interface Jorge H. C. Fernandes (jorge@dimap.ufrn.br) UFRN Abril de 2002 Programas com GUI Separação De Abstrações Arquitetura

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO JAVA... 1 A Origem... 2 O Caminho Para a Aprendizagem... 4 Java Como Plataforma... 6 Finalidade... 9 Características... 11 Perspectivas... 13 Exercícios... 14 CAPÍTULO

Leia mais

Programação de Interfaces Gráficas. Aula 1. Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress.

Programação de Interfaces Gráficas. Aula 1. Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress. Programação de Interfaces Gráficas Aula 1 Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress.com "Use o seu tempo para melhorar a si mesmo através dos escritos

Leia mais

JTABLE STUDENT CONTROL JSC Gil Eduardo de Andrade / Emílio Rudolfo Fey Neto

JTABLE STUDENT CONTROL JSC Gil Eduardo de Andrade / Emílio Rudolfo Fey Neto JTABLE STUDENT CONTROL JSC Gil Eduardo de Andrade / Emílio Rudolfo Fey Neto INTRODUÇÃO / DESCRIÇÃO O sistema JTable Student Control - JSC disponibiliza uma interface gráfica em Java que possibilita ao

Leia mais

Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread.

Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread. 5 THREADS Como foi exposto anteriormente, os processos podem ter mais de um fluxo de execução. Cada fluxo de execução é chamado de thread. 5.1 VISÃO GERAL Uma definição mais abrangente para threads é considerá-lo

Leia mais

O que é o Javascript?

O que é o Javascript? O que é o Javascript? JavaScript é uma linguagem para criação de Home-Pages. Funções escritas em JavaScript podem ser embutidas dentro de seu documento HTML. Com JavaScript você tem muitas possibilidades

Leia mais

Java na WEB Servlet. Sumário

Java na WEB Servlet. Sumário 1 Java na WEB Servlet Objetivo: Ao final da aula o aluno será capaz de: Utilizar Servlets para gerar páginas web dinâmicas. Utilizar Servlets para selecionar páginas JSPs. Utilizar Servlets como elemento

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o conceito aplicações orientada a serviços via web Apresentar o papel dos contentores

Leia mais

Manual do Publicador. Wordpress FATEA Sistema de Gerenciamento de Conteúdo Web

Manual do Publicador. Wordpress FATEA Sistema de Gerenciamento de Conteúdo Web Manual do Publicador Wordpress FATEA Sistema de Gerenciamento de Conteúdo Web Sumário Painel de Administração... 3 1 - Inserção de post... 5 2 Publicação de post com notícia na área headline (galeria de

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Capítulo 23. às s Interfaces Gráficas. Introdução. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 23. às s Interfaces Gráficas. Introdução. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 23 Introdução às s Interfaces Gráficas Objetivos do Capítulo Apresentar as duas APIs aplicáveis ao desenvolvimento de interfaces gráficas: o AWT e o Swing. Explorar algumas classes do AWT aplicáveis

Leia mais

RUI ROSSI DOS SANTOS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES EM. Java

RUI ROSSI DOS SANTOS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES EM. Java RUI ROSSI DOS SANTOS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES EM Java 2ª Edição n Sumário VII Sumário CAPÍTULO 1 Introdução ao Java... 1 A Origem... 2 O Caminho Para a Aprendizagem... 4 Java como Plataforma... 6 Finalidade...

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

EMENTA DO CURSO. Tópicos:

EMENTA DO CURSO. Tópicos: EMENTA DO CURSO O Curso Preparatório para a Certificação Oracle Certified Professional, Java SE 6 Programmer (Java Básico) será dividido em 2 módulos e deverá ter os seguintes objetivos e conter os seguintes

Leia mais

Introdução à Programação. Interfaces Gráficas

Introdução à Programação. Interfaces Gráficas Introdução à Programação Interfaces Gráficas Tópicos da Aula Hoje vamos ver conceitos mais avançados de Interfaces Gráficas Elementos de uma GUI Componente Eventos Listeners Padrão Observer Painel Exemplos

Leia mais

Linguagens de Programação

Linguagens de Programação JDBC - Java Database Connectivity Necessidades : ligar aplicações Java e Applets a DBMS Drivers que suportam SQL um driver JDBC/DBMS deve suportar pelo menos o ANSI SQL92 JDBC é constituído por interfaces

Leia mais

Java - Swing. Raphaela Galhardo raphaela@j2eebrasil.com.br http://www.j2eebrasil.com.br http://javarn.dev.java.net

Java - Swing. Raphaela Galhardo raphaela@j2eebrasil.com.br http://www.j2eebrasil.com.br http://javarn.dev.java.net Java - Swing Raphaela Galhardo raphaela@j2eebrasil.com.br http://www.j2eebrasil.com.br http://javarn.dev.java.net Conteúdo Interface com Usuário; Eventos; Swing. Introdução Interface com Usuário Grande

Leia mais

Aplicações Gráficas com AWT

Aplicações Gráficas com AWT Aplicações Gráficas com AWT O AWT fornece um conjunto de elementos de interface gráfica padrão (botões, janelas, menus, campos de edição, campos de seleção e outros) incluindo o sistema de tratamento de

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Desktop

Desenvolvimento de Aplicações Desktop Desenvolvimento de Aplicações Desktop Pacotes: Swing, AWT Janelas de diálogo: JOptionPane Formulários: JFrame Etiquetas: JLabel Caixas de texto simples: JTextField Botões: JButton Menus: JMenuXXX Tratamento

Leia mais

Sumário Introdução à 3a. Edição... 13 Introdução... 17 Dia 1 - Conceitos Iniciais... 19 Dia 2 - Bem-vindo ao Mundo Real... 43

Sumário Introdução à 3a. Edição... 13 Introdução... 17 Dia 1 - Conceitos Iniciais... 19 Dia 2 - Bem-vindo ao Mundo Real... 43 Sumário Introdução à 3a. Edição... 13 Introdução... 17 Dia 1 - Conceitos Iniciais... 19 Um pouco de história... 20 A história de 5 em 5 anos... 21 Sobre a evolução da lógica (parte 1)... 22 Conceito de

Leia mais

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans.

Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. 1 - Criando uma classe em Java Para desenvolver a atividade a atividade desta aula utilizaremos o ambiente de desenvolvimento integrado NetBeans. Antes de criarmos a(s) classe(s) é necessário criar o projeto

Leia mais

XXIV SEMANA MATEMÁTICA

XXIV SEMANA MATEMÁTICA XXIV SEMANA ACADÊMICA DA MATEMÁTICA Minicurso: Produção de Páginas Web para Professores de Matemática Projeto de Extensão: Uma Articulação entre a Matemática e a Informática como Instrumento para a Cidadania

Leia mais

Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Programando GUIs

Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Programando GUIs Computação II - Java Prof. Adriano Joaquim de Oliveira Cruz Aula Prática - Programando GUIs Exercício 1: A Figura 1 foi gerada pelo programa mostrado na Listagem 1. Rode o programa para confirmar esta

Leia mais

Programação Java. Construção de Interfaces com Swing (I)

Programação Java. Construção de Interfaces com Swing (I) Programação Java Construção de Interfaces com Swing (I) Grupo de Linguagens de Programação Departamento de Informática PUC-Rio Abstract Window Toolkit (AWT) Peer-based Delega ao toolkit nativo a criação

Leia mais

Interface Gráfica. Prof. Marcelo Cohen

Interface Gráfica. Prof. Marcelo Cohen Interface Gráfica Prof. Marcelo Cohen 1. Visão geral da interface gráfica em Java A API (Application Programming Interface) para utilizar recursos gráficos é separada em dois componentes principais: AWT

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura do

Leia mais

Tutorial para o Desenvolvimento de Jogos 2D usando a Linguagem Java

Tutorial para o Desenvolvimento de Jogos 2D usando a Linguagem Java Tutorial para o Desenvolvimento de Jogos 2D usando a Linguagem Java Soraia Teixeira Barbosa 1, Carlos Vitor de Alencar Carvalho 2 1 Universidade Severino Sombra, Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Leia mais

ou ainda ser chamado um método que pertença a um objeto, que pertence ao objeto em causa:

ou ainda ser chamado um método que pertença a um objeto, que pertence ao objeto em causa: OBJETOS, CLASSES E MÉTODOS 83 Esta sintaxe também é válida no caso em que existe encadeamento de objetos, uma vez que dentro de um objeto podem existir outros objetos. Nesse caso, continuam a usar-se pontos

Leia mais

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Criando uma Calculadora Primeiramente deve se criar uma estrutura para armazenar os arquivos necessários para o funcionamento da calculadora.

Leia mais

Swing. Page 1. Swing. Prof. Anderson Augustinho Uniandrade

Swing. Page 1. Swing. Prof. Anderson Augustinho Uniandrade Page 1 API A API renderiza/desenha por conta própria todos os componentes visuais, ao invés de delegar essa tarefa ao sistema operacional, como a maioria das outras APIs de interface gráfica trabalham.

Leia mais

EMENTA MÓDULO J2SE - JAVA 2 STANDARD EDITION

EMENTA MÓDULO J2SE - JAVA 2 STANDARD EDITION Objetivo Este curso aborda conceitos sobre Programação Orientada a Objetos e contempla teoria e prática no desenvolvimento de aplicações utilizando a linguagem JAVA. Público-alvo Alunos de cursos técnicos,

Leia mais

INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO Na plataforma Java SE 7, há cerca de 4000 classes e interfaces disponíveis para utilizarmos em nossas aplicações Podemos visualizar a documentação dessas classes e interfaces

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA INTERNET LABORATÓRIO 1 PROF. EMILIO PARMEGIANI

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA INTERNET LABORATÓRIO 1 PROF. EMILIO PARMEGIANI DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA INTERNET LABORATÓRIO 1 PROF. EMILIO PARMEGIANI Exercício 1 Neste exercício trabalharemos com alguns web controls básicos e praticaremos os tipos de dados do C#. Vamos criar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TECNICO EM INFORMATICA DISCIPLINA:

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TECNICO EM INFORMATICA DISCIPLINA: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALAGOAS CURSO TECNICO EM INFORMATICA DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETOS PROFESSOR: REINALDO GOMES ASSUNTO: REVISÃO DA INTRODUÇÃO A ORIENTAÇÃO

Leia mais

Computação II Orientação a Objetos

Computação II Orientação a Objetos Computação II Orientação a Objetos Fabio Mascarenhas - 2014.1 http://www.dcc.ufrj.br/~fabiom/java Classes abstratas Até agora, usamos interfaces toda vez que queríamos representar algum conceito abstrato

Leia mais

JAVA COM BANCO DE DADOS PROFESSORA DANIELA PIRES

JAVA COM BANCO DE DADOS PROFESSORA DANIELA PIRES Conteúdo O Projeto... 2 Criação de Pacotes... 4 Factory:... 6 DAO:... 15 GUI (Graphical User Interface ou Interface Gráfica de Cadastro)... 18 Evento SAIR... 23 Evento CADASTRAR... 24 1 O Projeto Arquivo

Leia mais

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria

Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria 1 Sumário Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria Anexo III Funcionamento detalhado do Sistema Montador de Autoria... 1 1 Sumário... 1 2 Lista de Figuras... 5 3 A Janela principal...

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais