TREINAMENTOS DIÁRIOS DE TRABALHO DO ÚLTIMO TRIMESTRE NOV09

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TREINAMENTOS DIÁRIOS DE TRABALHO DO ÚLTIMO TRIMESTRE NOV09"

Transcrição

1 TREINANTOS DIÁRIOS DE TRABALHO DO ÚLTIMO TRISTRE NOV09 Nº Data Treinamentos Margem Público alvo 207/09 04/nov 208/09 03/nov 209/09 03/nov 210/09 03/nov 211/09 04/nov 212/09 04/nov 213/09 04/nov 214/09 05/nov 215/09 05/nov 216/09 05/nov 217/09 05/nov 218/09 05/nov Aspectos e Impactos Ambientais Educação Educação Educação Educação Educação Educação Educação Educação Educação Educação Educação Mecânica Oficina Industrial Rudolf Christian ,5 15 Topografia Casa de Força Luiz Fernandes ,25 2,75 Topografia Casa de Força Luiz Fernandes ,25 3,5 Topografia Topografia Luiz Fernandes ,25 4,5, Soldadores e Concretagem Armação Luiz Fernandes ,25 3,75 Casa de Força Luiz Fernandes ,25 3,75 5 Casa de Força Edileno ,25 6 Casa de Força Carla Pequini ,25 7,25 Casa de Força Carla Pequini ,25 8 Casa de Força Carla Pequini ,25 8,5 Casa de Força Luiz Fernandes ,25 5 Casa de Força Luiz Fernandes ,25 3,75.

2 Nº Data Treinamentos Margem Público alvo 219/09 06/nov 220/09 06/nov 221/09 09/nov 222/09 09/nov 223/09 09/nov 224/09 09/nov 226/09 10/nov 227/09 11/nov 228/09 11/nov 229/09 12/nov 230/09 16/nov 231/09 16/nov e Coleta Seletiva PORTO 232/09 VELHO, 17/nov RO 233/09 18/nov Tel Programa - Fax de 3216 Educação /09 18/nov Oficina Mecânica, Soldadores, Borracharia, e Elétrica Oficina Mecânica, Soldadores, Elétrica Oficina Mecânica Luiz Fernandes ,25 Oficina Mecânica Luiz Fernandes ,25 Luiz Fernandes ,25 5,75 8,25 6,75 Luiz Fernandes ,25 6 Luiz Fernandes ,25 Luiz Fernandes ,25 Mecânica Industrial Carla Pequini ,25 4,5 Estacionamentos Estacionamentos Carla Pequini ,25 Elétrica e Cívil Felódromo Montagem Industrial Terra e Rocha Terra e Rocha (escavação e perfuração) Carla Pequini e Rudolf Christian 0,75 3,75 9, Cibramento Carla Pequini ,25 3 Tenda de Perfuração Terra e Rocha (escavação) Luiz Fernandes ,25 5,25 Luiz Fernandes ,25 5 Topografia Canteiro Pioneiro Luiz Fernandes ,25 Luiz Fernandes ,25 4,75 6,75 Luiz Fernandes ,25 5

3 Nº Data Treinamentos Margem Público alvo 235/09 19/nov 236/09 19/nov 237/09 20/nov 220/09 06/nov 221/09 09/nov 222/09 09/nov 223/09 09/nov 224/09 09/nov 226/09 10/nov 227/09 11/nov 239/09 11/nov Aspesctos e Impactos Ambientais Duraç ão Duraçã o (horas Embutidos Embutidos Luiz Fernandes ,25 3,25 Rampa de Armação Oficina Mecânica, Soldadores, Elétrica Rampa de Armação Luiz Fernandes ,25 3,75 Luiz Fernandes ,25 7,5 Oficina Mecânica Luiz Fernandes ,25 8,25 Luiz Fernandes ,25 6,75 Luiz Fernandes ,25 6 Luiz Fernandes ,25 0,75 Luiz Fernandes ,25 3,75 Mecânica Industrial Carla Pequini ,25 4,5 Estacionamentos Estacionamentos Carla Pequini ,25 9,25 Motoristas e Operadores da Guaporé Pátio da Guaporé Rudolf Christian ,32 2,34

4 DEZ09 Nº Data Treinamentos Margem Público alvo 240/09 11/dez 241/09 12/dez 242/09 15/dez 243/09 16/dez 244/09 17/dez 245/09 18/dez Destinação Final para Resíduos Destinação dos Resíduos A Parcela de cada um com a minimização de Impactos Negativos Renovando Conceitos e Ações Disposição correta de Resíduos Sólidos Manutenção e Limpeza de SAO Motoristas e Operadores de Maquinas Terraplanagem Rudolf Christian ,32 Rudolf Christian ,5 7 Sondagem Sondagem Rudolf Christian ,5 7 Integrantes da Área de Serviços Sociais 10,56 Rudolf Christian ,32 5,12 Sala da Área de Serviços Sociais Rampa de Lavagem e Rudolf Christian ,5 3,5 Rudolf Christian ,5 9,5

5 JAN10 Nº Data Treinamentos Margem Público alvo 001/10 20/jan 002/10 21/jan 003/10 25/jan 004/10 26/jan 005/10 27/jan 006/10 28/jan 007/10 28/jan Kit Mitigador / Ações Emergenciais Aspecto e Impacto, Coleta Seletiva Educação Ambiental Funcionamento e manutenção do separador de água e óleo Aspecto e Impacto Limpeza e manutenção de SAO Utilização do Kit Mitigação Operadores do Operadores do Funcionários WANMIX / Subcontratados Equipe de Colaboradores da Operadores e ajudantes do setor Mecânicos ENGEROCHA Lavagem de Betoneira Rudolf Christian ,5 15 Rudolf Christian ,32 1,6 Eduardo Macedo ,41 6,15 Rampa de Lavagem Eduardo Macedo ,41 6,97 Civil / Rudolf Christian ,5 9 Canteiro ENGEROCHA Rudolf Christian ,75 3,75 Eduardo Macedo , /10 29/jan Coleta Seletiva Colaboradores do almoxarifado Almoxarifado Rudolf Christian ,32 12,48 009/10 30/jan Utilização do Kit Mitigação Colaboradores embarcações Atracadouro das Chalanas Eduardo Macedo ,5 9

6 Resultados dos trabalhos de educação ambiental Cursos Horas Nº participantes

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio s 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluentes 2.0 Brigada de incêndio 2.1 Limpeza da área s 2.2 Destinação dos resíduos 3.0 Estação de tratamento de esgoto - ETE Tratamento

Leia mais

Anomalias Prazo para atendimento. Anomalias atendidas dentro do prazo. atendidas, fora do prazo de atendimento

Anomalias Prazo para atendimento. Anomalias atendidas dentro do prazo. atendidas, fora do prazo de atendimento do não, não que 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área A limpeza da área é realizda pela própria equipe de colaboradores do setor. 1.2 1.4 Bebedouro limpeza do filtro, área De acordo com o ET-A-EQ-04 a frequência

Leia mais

2.3. Projeto de Saneamento do Canteiro de Obras. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

2.3. Projeto de Saneamento do Canteiro de Obras. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PCH Dores de Guanhães PROGRAMAS AMBIENTAIS 2.3 Projeto de Saneamento do Canteiro de Obras CAPA PCH Dores de Guanhães ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 1 1.1.1. Efluentes Líquidos

Leia mais

ODEBRECHT. Projeto Básico do Canteiro. Projeto Básico do Canteiro RESP. TÉC. APROV. CERTIFICAÇÃO DCNS CREA ELAB. VISTO:

ODEBRECHT. Projeto Básico do Canteiro. Projeto Básico do Canteiro RESP. TÉC. APROV. CERTIFICAÇÃO DCNS CREA ELAB. VISTO: N o Revisões Responsável Data Visto MARINHA DO BRASIL ESTALEIRO E BASE NAVAL (CONTRATO 4/28-6/) ODEBRECHT PROJETO GERENCIAMENTO Projeto Básico do Canteiro Projeto Básico do Canteiro NÚMERO DO DOCUMENTO:

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015

USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015 USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015 O EMPREENDIMENTO LOCALIZAÇÃO POTÊNCIA MUNICÍPIOS RIO BACIA HIDROGRÁFICA TURBINAS POTÊNCIA INSTALADA Itaúba/MT (Margem Esquerda

Leia mais

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 A cidade de Cajazeiras, localizada no estado da Paraíba (PB), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros de obras que

Leia mais

19 Relatório. Fotográfico. Infraestrutura Vila Residencial Altamira - Jatobá. Vila Jatobá - Vista Aérea. Vila Jatobá - Vista Aérea

19 Relatório. Fotográfico. Infraestrutura Vila Residencial Altamira - Jatobá. Vila Jatobá - Vista Aérea. Vila Jatobá - Vista Aérea Infraestrutura Vila Residencial Altamira - Jatobá Vila Jatobá - Vista Aérea Vila Jatobá - Vista Aérea Vila Jatobá - Vista Aérea 138 Infraestrutura Vila Residencial Altamira - São Joaquim Vila São Joaquim

Leia mais

GESTÃO NO CANTEIRO DE OBRAS

GESTÃO NO CANTEIRO DE OBRAS 25/09/2012 GESTÃO NO CANTEIRO DE OBRAS ENG O. LEONARDO MENDES LEAL DA PAIXÃO AGENDA Definição. Fase de Planejamento. FasesOperacionais. a) Fase de Implantação; b) Fase Funcional; c) Fase de Desmontagems

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Parede de Concreto 29/04/2015 1 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA OBJETIVO - reduzir o déficit habitacional 2009 MCMV Início do Programa 2010 MCMV I 1.000.000 de unid. contratadas 2011/14 MCMV II 2.400.000

Leia mais

Custos Totais de Implantação do Empreendimento PLANILHA 01 AEROPORTO

Custos Totais de Implantação do Empreendimento PLANILHA 01 AEROPORTO Custos Totais de Implantação do PLANILHA 01 AEROPORTO 1. Custo de aquisição do terreno, reassentamentos (com toda infraestrutura) e outras ações de caráter indenizatório. 2. Estudos ambientais 3. Projetos

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO. Planejamento e Gestão de logística; Mecanização de mão de obra.

CATÁLOGO TÉCNICO. Planejamento e Gestão de logística; Mecanização de mão de obra. CATÁLOGO TÉCNICO A LOKMAX oferece soluções aos seus clientes com o desenvolvimento de trabalhos pioneiros e desafiadores, atuando principalmente nos segmentos de: Planejamento e Gestão de logística; Mecanização

Leia mais

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio s ultrapassam o Justificativas para não 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluentes 2.0 Brigada de incêndio 2.1 Limpeza da área 2.2 Destinação dos resíduos s ultrapassam

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS CIVIS PERÍODO OUTUBRO DE 2015

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS CIVIS PERÍODO OUTUBRO DE 2015 PERÍODO OUTUBRO DE 2015 Andamento das Obras Execução dos barracões e Mobilização de canteiro de obras quantidade a executar 70% - quantidade acumulada ao final do período 70%; Durante o período executaremos

Leia mais

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC PLANO DE OUTORGA ANEXO V CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES E APARELHAMENTO Abril/2014 Sumário

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2OO6

RELATÓRIO DE GESTÃO 2OO6 AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO PAULO/GUARULHOS /GOV. ANDRÉ FRANCO MONTORO - SBGR Objeto: Implantação, adequação, ampliação e revitalização do sistema de pátios e pistas; recuperação e revitalização do

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO DO CARGO

PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO DO CARGO DENOMINAÇÃO DO CARGO: AUXILIAR DE CARPINTARIA : ESCOLARIDADE: Fundamental Incompleto Auxiliar em todas as atividades de carpintaria tais como: corte, armação, instalação e reparação de peças de madeira.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana. Novembro de 2010. Anexo 6.3-2 Plano de Gerenciamento e Disposição de Resíduos

LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana. Novembro de 2010. Anexo 6.3-2 Plano de Gerenciamento e Disposição de Resíduos EIIA Não excluir esta página LT 500 kv Mesquita Viana 2 e LT 345 kv Viana 2 Viana Novembro de 2010 Coordenador: Consultor: 2422-00-EIA-RL-0001-00 Rev. nº 00 Preencher os campos abaixo Revisão Ortográfica

Leia mais

2.3. Projeto de Saneamento do Canteiro de Obras. Revisão 00 NOV/2013. PCH Fortuna II Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

2.3. Projeto de Saneamento do Canteiro de Obras. Revisão 00 NOV/2013. PCH Fortuna II Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 2.3 Projeto de Saneamento do Canteiro de Obras NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 1 1.1.1. Efluentes Líquidos Domésticos... 1 1.1.1.1. Fossa

Leia mais

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluente 2.0 Paiol 2.1 Limpeza da área 2.2 Destinação dos resíduos 3.0 Aterro sanitário 3.1 Organização da área 3.2 Pátio de estoque Acúmulo

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil Canteiro

Leia mais

Formulário para licenciamento de POSTOS DE LAVAGEM, OFICINAS MECÂNICAS E SIMILARES

Formulário para licenciamento de POSTOS DE LAVAGEM, OFICINAS MECÂNICAS E SIMILARES PREFEITURA MUNICIPAL DE ARROIO DO MEIO Formulário para licenciamento de POSTOS DE LAVAGEM, OFICINAS MECÂNICAS E SIMILARES DMA 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR Nome / Razão Social: CNPJ CPF End. n Bairro

Leia mais

II.9.4. PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS TRABALHADORES

II.9.4. PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS TRABALHADORES II.9.4. PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS TRABALHADORES 1. Introdução e justificativa A atividade a ser desenvolvida no Bloco BM-CAL-13 prevê a perfuração marítima de um a quatro poços de óleo e/ou gás

Leia mais

Tecnologia dos Processos Construtivos Residenciais Aula1. Profª. Angela A. de Souza

Tecnologia dos Processos Construtivos Residenciais Aula1. Profª. Angela A. de Souza Tecnologia dos Processos Construtivos Residenciais Aula1 CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTRUÇÕES EDIFICAÇÕES OBRAS VIÁRIAS OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL OBRAS HIDRÁULICAS SISTEMAS INDUSTRIAIS OBRAS URBANIZAÇÃO ETAPAS

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO NEGRO

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO NEGRO SRMM Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Região Metropolitana de Manaus UGPSUL Unidade Gestora do Programa de Desenvolvimento e Integração da Região Sul da Cidade de Manaus PONTE ESTAIADA SOBRE

Leia mais

Anexo 3.3-4 Listas de Presença dos Treinamentos Realizados no Período

Anexo 3.3-4 Listas de Presença dos Treinamentos Realizados no Período 6 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 3.3-4 Listas de Presença dos Treinamentos Realizados no Período (EM

Leia mais

EMISSÕES DE CO2 USO DE ENERGIA RESÍDUOS SÓLIDOS USO DE ÁGUA 24% - 50% 33% - 39% 40% 70%

EMISSÕES DE CO2 USO DE ENERGIA RESÍDUOS SÓLIDOS USO DE ÁGUA 24% - 50% 33% - 39% 40% 70% USO DE ENERGIA EMISSÕES DE CO2 USO DE ÁGUA RESÍDUOS SÓLIDOS 24% - 50% 33% - 39% 40% 70% Certificado Prata Ouro Platina Prevenção de Poluição nas Atividades de Construção: Escolha do terreno Densidade

Leia mais

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03

1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 1. Canteiro de Obra Campo Grande 03 A cidade de Campo Grande, localizada no estado do Rio Grande do Norte (RN), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros

Leia mais

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Fevereiro/2015. Mão-de-Obra

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Fevereiro/2015. Mão-de-Obra Direta MOD000050 Agente Operador de Tráfego h 11,37 MOD000100 Agente Operador de Tráfego Sênior h 13,81 MOD000150 Ajudante de instalação e manutenção de equipamentos (Caldeira, Gerador, Subestação, Redes,

Leia mais

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Sumário A Empresa - Petrobras A Exploração e Produção de Óleo e Gás Gestão Ambiental

Leia mais

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009 - PBA Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-16 / RJ-151 4.2.6 Programa de Treinamento Ambiental dos Trabalhadores Elaborado por: SEOBRAS Data: 18/11/2009 Revisão Emissão Inicial INDÍCE 4.2 Plano Ambiental

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MANUTENÇÃO E LIMPEZA DE CONDICIONADORES DE AR

PROCEDIMENTO DE MANUTENÇÃO E LIMPEZA DE CONDICIONADORES DE AR Página 1 de 5 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 18/12/09 Elaboração Emissão Aprovada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO ELABORAÇÃO

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) PCAI Programa de Controle Ambiental Intrínseco SÍTIO BELO MONTE (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Foto 01: Aterro do acesso interno (próximo à nova central de britagem): Neste

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS E VIAS URBANAS: TERRAPLENAGEM. a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia.

CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS E VIAS URBANAS: TERRAPLENAGEM. a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia. CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS E VIAS URBANAS: TERRAPLENAGEM Objetivo: a conformação do relevo terrestre para implantação de obras de engenharia. Terraplenagem mecanizada: requer grandes investimentos em equipamentos

Leia mais

Anexo VI VALOR INICIAL DO CONTRATO

Anexo VI VALOR INICIAL DO CONTRATO 1 CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE RIO DO SUL SC PLANO DE OUTORGA Anexo VI VALOR INICIAL DO CONTRATO Janeiro/2013 2 ANEXO V Valor Inicial do Contrato

Leia mais

Até aqui, os comentários foram extraídos do nosso livro Manual do ISS de São Paulo. A parte seguinte, porém, não consta dessa obra.

Até aqui, os comentários foram extraídos do nosso livro Manual do ISS de São Paulo. A parte seguinte, porém, não consta dessa obra. Comentários às ressalvas na lista de serviços Ricardo J. Ferreira Conforme a Lei Complementar nº 116/03, ressalvadas as exceções expressas na lista, os serviços nela mencionados não ficam sujeitos ao Imposto

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

01 - SERVIÇOS INICIAIS

01 - SERVIÇOS INICIAIS 01 - SERVIÇOS INICIAIS Levantamento Topográfico Levantamento planialtimétrico e cadastral de área urbana, para representação gráfica em escala entre 1:100 e 1:250 com curva de nível de 1m de equidistância

Leia mais

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Maio/2014. Mão-de-Obra

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Maio/2014. Mão-de-Obra PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenaria FGV Direta MOD000050 Agente Operador de Tráfego Júnior 9,91 MOD000100 Agente Operador de Tráfego Sênior 13,37 MOD000150 Ajudante de instalação

Leia mais

Gestão de Resíduos da Escola Politécnica da USP. Welson Gonçalves Barbosa Jr.

Gestão de Resíduos da Escola Politécnica da USP. Welson Gonçalves Barbosa Jr. RECICLAGEM E VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Gestão de Resíduos da Escola Politécnica da USP Welson Gonçalves Barbosa Jr. Dados sobre a Escola Politécnica 8 prédios. Mais de 500 professores Quase 500 funcionários

Leia mais

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Junho/2015. Mão-de-Obra

PCRJ SCO-Sistema de Custos de Obras e Serviços de Engenharia FGV Relação de Itens Elementares - Mês Junho/2015. Mão-de-Obra Direta MOD000050 Agente Operador de Tráfego Júnior h 11,95 MOD000100 Agente Operador de Tráfego Sênior h 14,51 MOD000150 Ajudante de instalação e manutenção de equipamentos (Caldeira, Gerador, Subestação,

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo: TORRE 5 100% executado 98% executado - Revestimento fachada; 100% concluído - Aplicação de textura; 100% concluído - Execução do telhado; 100%

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Emissão de nota fiscal de serviço conjugada com descrição de produtos e serviços no município de

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Emissão de nota fiscal de serviço conjugada com descrição de produtos e serviços no município de Emissão de nota fiscal de serviço conjugada com descrição de produtos e serviços no município de Lavras-MG 05/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária AEROPORTO INTERNACIONAL DE FOZ DO IGUAÇU/CATARATAS

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária AEROPORTO INTERNACIONAL DE FOZ DO IGUAÇU/CATARATAS OBJETIVO Demonstrar a importância do Plano de Obras e Serviços para execução da obra de fechamento das valas de drenagem do Aeroporto de Foz do Iguaçu/Cataratas ROTEIRO PLANEJAMENTO: - Descrição da obra;

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO T01 - ARQUITETO B C A D D D A A E D D C B D D A E C E A B C A D A B D E C E T02 - ENGENHEIRO AGRIMENSOR B C A D D D A A E D B A C C D A E D D A C B A E C D E B C E T03 - ENGENHEIRO CIVIL B C A D D D A

Leia mais

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE

RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE RESIDENCIAL MIRANTE DO PARQUE 1 Estrutura Acabamento externo SUMÁRIO DO PROJETO TORRE 5: 100% executado 95% executado - Revestimento fachada; - 100% concluído - Aplicação de textura; - 95% concluído -

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA

A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA A MELHORIA CONTÍNUA PARA O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA Compromisso da Diretoria A GTECC tem como foco atender às expectativas do cliente de forma planejada, oferecendo soluções de Engenharia, Construção

Leia mais

RESPONSÁVEIS P (proprietários) G (gestores) U (usuários)

RESPONSÁVEIS P (proprietários) G (gestores) U (usuários) FICHA 6 - BOAS RÁTICAS Esta lista de verificação pretende identificar as boas práticas em termos BOAS RÁTICAS ESTÃO DO CONSMO DE ENERIA estão simples do consumo de energia elétrica (consumo, análises e

Leia mais

Implantação de modelo sustentável para centrais dosadoras de concreto

Implantação de modelo sustentável para centrais dosadoras de concreto Implantação de modelo sustentável para centrais dosadoras de concreto Redução do volume de resíduos com o uso de estabilizador de pega em centrais dosadoras de concreto Luiz de Brito Prado Vieira Outubro/2010

Leia mais

FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA

FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPECÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES CÁLCULO TARIFÁRIO SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO FLUXO DE CAIXA PARA DETERMINAÇÃO DA TARIFA

Leia mais

Plano Ambiental da Construção (PAC)

Plano Ambiental da Construção (PAC) Pag.: 1/84 RELATÓRIO DE ATIVIDADES Nº 01 Agosto/Dezembro 2011 Plano Ambiental da Construção (PAC) Subprograma de Controle Ambiental de Ações Construtivas (PAC1) 64_2426-00-PBA-RL-0001-00_06.4.1 Janeiro/2012

Leia mais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais 05/08/2014 Pergunte à CPA ISS Regras Gerais Apresentação: Samyr Henrique Muniz Qbar ISS Legislação básica Art. 156, III da C.F./88 Lei Complementar 116/2003 (lista de serviços) Lei Ordinária de cada município

Leia mais

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS DESENHO DE ESTRUTURAS INTRODUÇÃO A estrutura de concreto armado é resultado da combinação entre o concreto e o aço. Porém, para a sua execução, não é suficiente apenas a presença desses dois materiais;

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2015

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2015 RELATÓRIO DE ANDAMENTO DA OBRA PERÍODO NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2015 Andamento das Obras Civis Serviços concluídos até 15/12/15: Projetos executivos; Laudo de vizinhança relatório preventivo para minimizar

Leia mais

TERRAPLENAGEM KOHLER LTDA. Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville

TERRAPLENAGEM KOHLER LTDA. Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville Guabiruba/SC, Junho de 2010 Índice Índice página 02 Layout do canteiro página

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Campo Grande, 11/04/2013

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Campo Grande, 11/04/2013 Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Campo Grande, 11/04/2013 Organizadores Parceiros UFV LINHAS DE AÇÃO I. Qualidade de vida no trabalho II. Melhores práticas de produção

Leia mais

2013 2014 2015 2016 2017 J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 01/07

2013 2014 2015 2016 2017 J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J 01/07 ESTALEIRO EISA ALAGOAS S.A. - CRONOGRMA DE CONSTRUÇÃO 45,96 meses 1 LICENÇA AMBIENTAL 29,51 meses 1.1 LICENÇA PRÉVIA 0 meses 1.2 LICENÇA DE INSTALAÇÃO 5,33 meses 1.2.1 PROJETOS EXECUTIVOS 4 meses 1.2.2

Leia mais

PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO IT Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULTURA IT 154- MOTORES E TRATORES PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

Leia mais

KIT HIDRÁULICO CARREGA TUDO

KIT HIDRÁULICO CARREGA TUDO KIT HIDRÁULICO CARREGA TUDO MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. APRESENTAÇÃO PARABÉNS! Você acaba de adquirir um produto Lycos. Desenvolvido e fabricado para atender todos os requisitos de ergonomia

Leia mais

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I

TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I TEC 159 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES I Aula 9 Fundações Parte 1 Cristóvão C. C. Cordeiro O que são? São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS Operação

GUIA DE BOAS PRÁTICAS Operação GUIA DE BOAS PRÁTICAS Operação GTT NÁUTICO NACIONAL - GBP-001 Relator: Cláudio Brasil do Amaral SEGMENTAÇÃO MARINA Barcos de recreio PONTO DE FUNDEIO Tender do navio Barcos de Turismo Barcos de recreio

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARBALHA EDITAL Nº. 02/2014 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº01/2014

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARBALHA EDITAL Nº. 02/2014 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº01/2014 EDITAL Nº. 02/2014 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº01/2014 O MUNICÍPIO DE BARBALHA, Estado de Ceará, através da COMISSÃO EXECUTIVA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO, designada

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. ETA (Estação de Tratamento de Água)

Mostra de Projetos 2011. ETA (Estação de Tratamento de Água) Mostra de Projetos 2011 ETA (Estação de Tratamento de Água) Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: II - Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: Transtupi Transporte Coletivo Ltda.

Leia mais

Compromisso com o Mundo Sustentável

Compromisso com o Mundo Sustentável Compromisso com o Mundo Sustentável Está em nossa Visão Ser um empresa global e sustentável até 2012. Para nossa empresa ser sustentável, é fundamental a busca de resultados financeiros e o comprometimento

Leia mais

I niciando em 1988 suas atividades no ramo metalúrgico, atualmente é sinônimo de vanguarda nos HISTÓRICO

I niciando em 1988 suas atividades no ramo metalúrgico, atualmente é sinônimo de vanguarda nos HISTÓRICO HISTÓRICO I niciando em 1988 suas atividades no ramo metalúrgico, atualmente é sinônimo de vanguarda nos segmentos de mercado em que atua. Nosso parque fabril é dividido em duas unidades, somando uma área

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Publicada no DOU nº 136, de 17/07/2002, págs. 95-96

RESOLUÇÃO N o 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Publicada no DOU nº 136, de 17/07/2002, págs. 95-96 RESOLUÇÃO N o 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 Publicada no DOU nº 136, de 17/07/2002, págs. 95-96 Correlações: Alterada pela Resolução nº 448/12 (altera os artigos 2º, 4º, 5º, 6º, 8º, 9º, 10 e 11 e revoga os

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA Resolução nº 307, de 5 de Julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações

Leia mais

PROJETOS REALIZADOS: Projeto NOVAS TÉCNICAS de ESCAVAÇÃO E REVESTIMENTO em TÚNEIS ou ESCAVAÇÕES SINGULARES

PROJETOS REALIZADOS: Projeto NOVAS TÉCNICAS de ESCAVAÇÃO E REVESTIMENTO em TÚNEIS ou ESCAVAÇÕES SINGULARES Desde 1952 até hoje, pioneiros na nossa atividade PROJETOS REALIZADOS: Projeto NOVAS TÉCNICAS de ESCAVAÇÃO E REVESTIMENTO em TÚNEIS ou ESCAVAÇÕES SINGULARES De forma geral, a empresa OSSA pretende inovar

Leia mais

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br PETOBRAS VITÓRIA. Vitória - ES - 2005

11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br PETOBRAS VITÓRIA. Vitória - ES - 2005 PETOBRAS VITÓRIA Vitória - ES - 2005 MEMORIAL O partido tem como premissa a ocupação do território não considerando-o como perímetro, e sim como volume, ou seja, apreende deste sítio, sua estrutura geomorfológica.

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

A Empresa. Mais de 6,0 mil unidades habitacionais entregues. Hoje em construção são mais de 4100 unidades

A Empresa. Mais de 6,0 mil unidades habitacionais entregues. Hoje em construção são mais de 4100 unidades A Empresa Completou 20 anos em Março 2015 Aproximadamente 500 mil m² de área construída Experiência em obras habitacionais, comerciais e industriais 01 A Empresa Atuação regional no interior do estado

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade Manual de Cargos - Horistas

Sistema de Gestão da Qualidade Manual de Cargos - Horistas 717020 Ajudante sem exigência sem exigência Trabalhar em equipe; responsabilidade; iniciativa; Preparam canteiros de obras, limpando a área e compactando solos. Efetuam manutenção de primeiro nível, limpando

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002)

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Correlações: Alterada pela Resolução nº 469/15

Leia mais

T20. Lavadora Industrial com operador a bordo

T20. Lavadora Industrial com operador a bordo T20 Lavadora Industrial com operador a bordo Obtenha resultados superiores na limpeza mesmo dos ambientes mais difíceis, utilizando um sistema de limpeza potente, a tecnologia ec-h2o, além dos recursos

Leia mais

AS REGRAS ABAIXO SÃO PARA SEU CONFORTO E SEGURANÇA

AS REGRAS ABAIXO SÃO PARA SEU CONFORTO E SEGURANÇA AS REGRAS ABAIXO SÃO PARA SEU CONFORTO E SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES E UTILIZAÇÃO DA GARAGEM 1. Somente o LOCATÁRIO poderá se utilizar da vaga objeto deste contrato, para estacionamento da embarcação particular,

Leia mais

ESTRADAS E AEROPORTOS. Prof. Vinícius C. Patrizzi

ESTRADAS E AEROPORTOS. Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS Prof. Vinícius C. Patrizzi MÁQUINAS MOTRIZES E OPERATRIZES 1. INTRODUÇÃO: Execução da Terraplanagem: Objetivos das obras de terras - Implantar ou alargar caminhos, disciplinar os

Leia mais

TREINAPORT TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

TREINAPORT TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL TREINAPORT TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Treinamento em Equipamentos de Movimentação. A TREINAPORT disponibiliza diversos treinamentos para formação e reciclagem na operação em equipamentos de

Leia mais

Certificação de Proteção ao Meio Ambiente, Saúde e Segurança para Fornecedores

Certificação de Proteção ao Meio Ambiente, Saúde e Segurança para Fornecedores Certificação de Proteção ao Meio Ambiente, Saúde e Segurança para Fornecedores A Cisco Systems, Inc. (Cisco) tomará todas as medidas práticas e razoáveis para garantir a segurança do local de trabalho

Leia mais

APRESENTAÇÃO AO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - NOTA SALVADOR - 19/11/13

APRESENTAÇÃO AO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - NOTA SALVADOR - 19/11/13 APRESENTAÇÃO AO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE - NOTA SALVADOR - 19/11/13 BENEFICIÁRIOS BENEFICIÁRIOS CRÉDITO DO ISS PAGO 30% 10% 5% REGISTRO DE NOTAS SEM IDENTIFICAÇÃO DO COMPRADOR PARTICIPAÇÃO EM

Leia mais

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA MADEIREIRA Desdobro Primário da Madeira

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA MADEIREIRA Desdobro Primário da Madeira PROJETO DE IMPLANTAÇÃO INDÚSTRIA MADEIREIRA Desdobro Primário da Madeira 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1. Tipo e Características do solo: 1.2. Topografia: 1.3. Cobertura Vegetal: 1.4. Descrição do acesso: 1.5.

Leia mais

FACILITY SERVICES. Apresentação

FACILITY SERVICES. Apresentação FACILITY SERVICES Apresentação FACILITY SERVICES A NFH é uma empresa de Facility Services Tem como objetivo, um crescimento sustentável, através de uma prestação de serviços de rigor e transparência.

Leia mais

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009. 4.2.5 Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009. 4.2.5 Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos - PBA Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151 4.2.5 Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Elaborado por: SEOBRAS Data: 18/11/2009 Revisão Emissão Inicial INDÍCE 4.2 Plano Ambiental de Construção

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia 4 1 INTRODUÇÃO Esse relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo acadêmico Joel Rubens da Silva Filho no período do estágio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia

Leia mais

2.4.0 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E SERVIÇOS RELACIONADOS

2.4.0 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E SERVIÇOS RELACIONADOS Listagem Categorias Criticas Portugal Esta é a listagem de categorias de produto/serviço consideradas criticas pelas empresas que compõem a omunidade RePro em Portugal. Caso tenha inscrito ou pretenda

Leia mais

NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público

NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público NADSON XAVIER SOARES Gerente do Setor Público Instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de operações de crédito consciente e de longo

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: Diagnóstico do Cenário atual de Três Lagoas MS.

RESÍDUOS SÓLIDOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: Diagnóstico do Cenário atual de Três Lagoas MS. RESÍDUOS SÓLIDOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL: Diagnóstico do Cenário atual de Três Lagoas MS. Ana Cláudia Santos da Silva Graduanda em Engenharia Ambiental e Sanitária Faculdades Integradas de Três Lagoas - AEMS

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Maio / 2014 OBRA:

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Maio / 2014 OBRA: RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: Maio / 2014 OBRA: Informações da Obra: Att. Aos clientes do Vallentina Vasconcelos Residence. A Iguatemi Construções Ltda. tem a satisfação em informar aos seus clientes sobre

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CAMPUS CAMPO MOURÃO ENGENHARIA CIVIL JOÃO ANTONIO PAZINATTO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Relatório de Estágio Curricular

Leia mais

T.L.C - Cronograma Plano de Execução. Logística de Montagem Carros Torpedo

T.L.C - Cronograma Plano de Execução. Logística de Montagem Carros Torpedo T.L.C - Cronograma Plano de Execução Logística de Montagem Carros Torpedo Logística de Montagem Carros Torpedo Identificação das Áreas e Zonas de Montagem T.L.C ASSEMBLY Escolha da Área de Montagem do

Leia mais

SINDUSCON São Paulo/SP 17 de Dezembro 2010

SINDUSCON São Paulo/SP 17 de Dezembro 2010 BOAS PRÁTICAS NO GERENCIAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS CANTEIROS DE OBRAS SINDUSCON São Paulo/SP 17 de Dezembro 2010 Cledson Macedo de Carvalho A Odebrecht concentra sua atuação Em 22 países em quatro

Leia mais

SEGURANÇA NA OFICINA MECÂNICA

SEGURANÇA NA OFICINA MECÂNICA SEGURANÇA NA OFICINA MECÂNICA Falta de exigência dos empresários e de conscientização de alguns mecânicos são os principais fatores que desmotivam o uso dos equipamentos de segurança nas oficinas e, conseqüentemente,

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 02) WILLIAN ABREU

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 02) WILLIAN ABREU FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 02) INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Conjunto de atividades que visa a realização de obras de

Leia mais

CONTRAPARTIDAS DOS MUNICÍPIOS

CONTRAPARTIDAS DOS MUNICÍPIOS CONTRAPARTIDAS DOS MUNICÍPIOS O Ciência Móvel: Vida e Saúde para Todos é oferecido gratuitamente pelo Museu da Vida/COC/Fundação Oswaldo Cruz Fiocruz, Fundação Cecierj e seus patrocinadores à população.

Leia mais

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS EXTERRAN SERVIÇOS DE ÓLEO E GÁS REV. CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: Setor : SMS RELATÓRIO SMS CONTRATO N TAG-TRANSPORTADORA ASSOCIADA DE GÁS OPERAÇÃO DA ARQ. MAG.: RL_ 8 SMS DE JANEIRO_1 SITUAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

Leia mais

Qtde. Vagas Acabador de mármore e granito. *Sexo *Idade

Qtde. Vagas Acabador de mármore e granito. *Sexo *Idade 02/07/2014 Ocupação Descrição Experiência Pedido do empregador *Sexo *Idade Escolaridade Cursos Nº da Vaga Qtde. Vagas Acabador de mármore e granito para polimento em granitos, MÁRMORES e ardosia 12 meses

Leia mais