PROJETO NOVA INDÚSTRIA PARANÁ FIEP SESI GERAR. Participação. Curitiba, setembro de 2006.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO NOVA INDÚSTRIA PARANÁ FIEP SESI GERAR. Participação. Curitiba, setembro de 2006."

Transcrição

1 PROJETO NOVA INDÚSTRIA PARANÁ FIEP SESI GERAR Participação Curitiba, setembro de 2006.

2 2 1. APRESENTAÇÃO O Sistema FIEP - Federação das Indústrias do Estado do Paraná e o SESI Serviço Social da Indústria, as Agências de Desenvolvimento Regional e a OSCIP GERAR apresentam o Projeto NOVA INDÚSTRIA, que será implantado em dez regiões do Estado Paraná, a saber: ADR Sudoeste, ADR Terra Roxa Investimentos, ADR Guarapuava, ADR Vale do Ribeira e Guaraqueçaba, ADR Instituto de Desenvolvimento Regional, ADR ADETEC, ADR Oeste do Paraná, ADR Campos Gerais, ADR Irati e ADR Araucária. O NOVA INDÚSTRIA é um programa de Geração de Emprego, Renda e Apoio ao Desenvolvimento Regional criado pela OSCIP GERAR para oferecer condições para a comunidade empreender pela sua própria participação, estimulando, ampliando e fortalecendo a criação de Micro e Pequenas Empresas da área industrial, através de ações conjuntas entre Iniciativa Privada, Terceiro Setor, Poder Público, Instituições Financeiras e vários outros parceiros baseado na: Valorização e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora; Eficácia na Gestão Empresarial; Despertar da Auto Estima para a Cidadania. A metodologia consiste em apoiar o desenvolvimento de micro e pequenas empresas, articulando as forças vivas da sociedade que possam contribuir com o empreendedor. Para isso Agentes de Desenvolvimento e Coordenadores Locais do Programa são capacitados e auxiliam os empreendedores em todo o processo mesmo após a empresa aberta. As ações iniciam com Palestras de Motivação, Seminários nos Bairros levantando os vazios econômicos e as potencialidades locais, Articulação com Lideranças, Cursos de Empreendedorismo e Gestão de Negócios, Oficinas de Qualificação Profissional, Elaboração de Planos de Negócio, Abertura de Empresa, Tecnologia, Aproximação de Incentivos, Orientação ao Crédito, Associativismo, Marketing e Acompanhamento Empresarial. Além disso, são promovidas Feiras e Eventos visando a comercialização dos produtos e serviços e o aprimoramento do empreendedor. Serão priorizados projetos envolvendo coletividade, arranjos e cadeias produtivas das regiões escolhidas, voltados para empreendimentos na área da indústria. O Projeto NOVA INDÚSTRIA é uma ação concreta na direção do atingimento do oitavo dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, TODO MUNDO TRABALHANDO PELO DESENVOLVIMENTO. O desafio está em perceber as oportunidades, tirar proveito delas e promover o desenvolvimento local. É preciso sonhar, ousar e empreender promovendo o desenvolvimento local e melhorando a qualidade de vida da população, proposta assumida pela FIEP, SESI, ADRs, Prefeituras Municipais e vários parceiros como as Instituições Financeiras e de Ensino. 2

3 3 2. EXPERIÊNCIA ANTERIOR A OSCIP GERAR tem em sua equipe pessoas que idealizaram e implantaram projeto chamado Bairros em Ação, no Município de Guarapuava (160 mil habitantes) o qual já tem mais de três anos de existência e por onde passaram mais de 8 mil pessoas, das quais foram capacitadas, auxiliando na criação e desenvolvimento de mais de 800 empresas. O Município cresceu 40% a mais que a média do Estado. Esta metodologia foi aperfeiçoada e multiplicada em mais de 100 municípios no Paraná, sendo o mais adiantado em Arapongas (100 mil habitantes). Neste município 1991 pessoas participaram em menos de um ano de programa, 138 pessoas participaram de treinamentos de Empreendedorismo e Gestão, 107 participaram de treinamentos de Liderança Comunitária, com 58 Planos de Negócios em andamento e 13 Cursos de Qualificação Profissional. Apesar do pouco tempo o programa já é referência para quem quer iniciar ou ampliar seu pequeno negócio, conseguindo todo o apoio necessário para viabilizar seu empreendimento. Com isso estão surgindo 116 empreendimentos, 126 estão sendo acompanhados, gerando 399 postos de trabalho diretos. 3. OBJETIVOS O PROJETO NOVA INDÚSTRIA visa promover o desenvolvimento sustentável com ações contínuas e integradas nas diversas comunidades urbanas e rurais dos Municípios envolvidos, com a finalidade de: Descobrir, valorizar e aprimorar o Ser Humano Empreendedor e Cidadão; Apoiar os empreendedores que queiram instalar sua indústria e também aqueles que são industriais e que necessitam de auxílio; Contribuir para a geração de trabalho e renda; Melhorar a qualidade de vida da população; Atender o 8º. Objetivo de Desenvolvimento do Milênio; Trabalhar em conjunto com as ADRs articulando parcerias e desenvolvendo ações em prol do empreendedorismo local; Priorizar e apoiar projetos coletivos e incentivar as cadeias produtivas correlatas. 4. REGIÕES ESCOLHIDAS Serão convidadas as ADRs e os municípios que as compõem e que demonstrem interesse em aderir ao Projeto NOVA INDÚSTRIA, assumindo a contrapartida de 3

4 4 estrutura local e de pessoal necessária. Alguns municípios participam em mais de uma região, sendo identificados com cores. Os municípios a serem convidados são: SUDOESTE 1 Ampére Barracão Bela Vista do Caroba Boa Esperança do Iguaçu Bom Jesus do Sul Bom Sucesso do Sul Capanema Chopinzinho Clevelândia Coronel Domingos Soares Coronel Vivida Cruzeiro do Iguaçu Dois Vizinhos Enéas Marques Flor da Serra do Sul Francisco Beltrão Honório Serpa Itapejara D'oeste Manfrinópolis Mangueirinha Mariópolis Marmeleiro Nova Esperança do Sudoeste Nova Prata do Iguaçu Palmas Pato Branco Pérola D'oeste Pinhal de São Bento Planalto Pranchita Realeza Renascença Salgado Filho Salto do Lontra Santa Izabel do Oeste Santo Antônio do Sudoeste São João São Jorge D'oeste Saudade do Iguaçu Sulina Verê Vitorino TOTAL

5 TERRA ROXA 43 Rolândia INVESTIMENTOS 44 Apucarana Arapongas Cambé Cambira Ibiporã Jandaia do Sul Londrina Mandaguari Marialva Maringá Paiçandu Sarandi TOTAL GUARAPUAVA 56 Boa Ventura de São Roque Campina do Simão Candói Cantagalo Foz do Jordão Goioxim Laranjeiras do Sul Marquinho Mato Rico Palmital Pinhão Pitanga Porto Barreiro Reserva do Iguaçu Rio Bonito do Iguaçu Santa Maria do Oeste Turvo Virmond TOTAL VALE DO RIBEIRA 74 Adrianópolis E 75 Antonina GUARAQUEÇABA 76 Bocaiúva do Sul Campina Grande do Sul Cerro Azul Doutor Ulisses Guaraqueçaba Guaratuba Itaperuçu Matinhos TOTAL

6 INSTITUTO DE 84 Ângulo DESENVOLVIMENTO 85 Astorga REGIONAL 86 Atalaia Colorado Doutor Camargo Floraí Floresta Florida Iguaraçu Itagujê Itambé Ivatuba Lobato Mandaguaçu Mandaguari Marialva Maringá 100 Munhoz de Mello Nossa Senhora das Graças Nova Esperança Ourizona Paiçandu Presidente Castelo Branco Santa Fé Santa Inês Santo Inácio São Jorge do Ivaí Sarandi Uniflor TOTAL ADETEC Apucarana Arapongas Cambé 112 Cornélio Procópio Ibiporã 113 Jataizinho Londrina Rolândia TOTAL OESTE DO PARANÁ 114 Céu Azul Diamante do Oeste Entre Rios D Oeste Foz do Iguaçu Guairá Itaipulândia 8.501

7 7 120 Marechal Cândido Rondon Maripá Matelândia Medianeira Mercedes Missal Nova Santa Rosa Ouro Verde do Oeste Pato Bragado Quatro Pontes Ramilandia Santa Helena Santa Tereza do Oeste Santa Terezinha do Itaipu São José das Palmeiras São Miguel do Iguaçu São Pedro do Iguaçu Serranópolis do Iguaçu Terra Roxa Vera Cruz do Oeste TOTAL CAMPOS GERAIS 141 Carambeí Castro Imbau Ipiranga Ivai Jaguariaíva Ortigueira Palmeira Piraí do Sul Ponta Grossa Reserva Sengés Telemaco Borba Total IRATI 155 Guamiranga Imbituva Inácio Martins Irati Prudentopolis Rebouças Rio Azul São João do Triunfo Teixeira Soares Total

8 8 ARAUCÁRIA 164 Araucária Lapa Contenda Total TOTAL GERAL 166 MUNICÍPIOS / POPULAÇÃO: METAS E IMPACTO SOCIAL Segundo dados do Sebrae (2002), as micro e pequenas empresas são responsáveis por 52,8% dos empregos e o programa incentiva a criação e o desenvolvimento delas, procurando fornecer os instrumentos necessários que garantam a sua viabilidade. Dentre os seus resultados, destacam-se o aumento da renda familiar, melhora da qualidade de vida, garantia de uma alimentação adequada, e mais além, a dignidade do cidadão de poder se manter e a sua família, sem a dependência do estado. O PROGRAMA NOVA INDÚSTRIA prevê uma série de ações que ocorrem diretamente nas comunidades, estimando-se: AÇÃO Quantidade Participantes Capacitação de Agentes e Coordenadores Locais Palestras de Motivação Seminários nos Bairros Criando Oportunidades Treinamento de Empreendedorismo e Gestão de Negócios Oficinas de Qualificação profissional Elaboração de Planos de Negócios 796 O envolvimento das ADRs e de outros atores nacionais, estaduais, regionais e locais e a utilização de metodologia participativa adotada garantem a continuidade após cessar a intervenção do Sistema FIEP e da OSCIP GERAR. 6. METODOLOGIA EMPREGADA O Projeto que denominamos NOVA INDÚSTRIA é um conjunto de ações que ocorrem diretamente nos Bairros e Distritos de cada um dos municípios pertencentes às ADRs e que tenham aderido ao projeto. Essas ações visam à identificação, motivação e 8

9 9 desenvolvimento de empreendedores que pretendem abrir o seu próprio negócio ou que já são empreendedores formais ou informais e pretendem melhorar, ampliar e fazer render mais bem como, a identificação de oportunidades de negócios, preenchendo os vazios econômicos nos Bairros e agregando valor às matérias primas existentes. Seu foco de atuação é o desenvolvimento do ser empreendedor dos bairros e distritos como um dos alavancadores do processo de desenvolvimento, proporcionando melhorias de forma integrada e sustentável, baseado na Valorização e Desenvolvimento da Cultura Empreendedora, Eficácia na Gestão Empresarial e o Despertar da Auto Estima para a Cidadania. As atividades do PROJETO NOVA INDÚSTRIA são implementadas apoiada pela seguinte estrutura: Uma Coordenação Geral, Seis Coordenações Regionais e Uma Coordenação Local em cada município. A coordenação geral conta com a equipe de Superintendentes, Técnicos e Auxiliares para realização das ações do Programa. Localmente contará com um Coordenador por município e um ou mais Agentes, conforme o número de empreendimentos a serem atendidos, sendo estes os responsáveis pelo andamento do programa, com o assessoramento da OSCIP GERAR e dos parceiros. Existem também os agentes multiplicadores ou Instrutores, profissionais normalmente de universidades ou instituições de ensino que são capacitados para ministrarem os cursos de Empreendedorismo e Gestão de Negócios. E a elaboração de Planos de Negócio será feita por uma equipe da FIEP e das ADRs que serão capacitadas para tal, agindo como multiplicadores. O acompanhamento das empresas é feito pelo agente local. Para atender a demanda com eficácia haverá uma sede da Coordenação Geral em Curitiba, seis sedes regionais e sedes locais, ou seja, uma em cada município. A sede da Coordenação Geral e as sedes regionais darão suporte aos agentes e coordenadores locais e servirão de centro de referência para quem quer empreender. A maioria das ações acontecem nas comunidades, em salões paroquiais, sedes de associações de bairros, escolas e no horário que melhor convém a população abrangida, e muitas vezes acontecem a noite ou em finais de semana. Primeiramente articula-se com as parcerias locais e lideranças comunitárias. Estas são os braços do Programa. Como não é possível para o Agente estar em todas as comunidades, ele conta com as lideranças e parceiros na divulgação do programa e mobilização do público alvo para participar das ações. Também devem ser realizadas visitas às comunidades e contatos telefônicos para estimular a participação da população. O segredo é envolver as comunidades fazendo com que elas assumam o programa como sendo seu, opinando sobre o que poderia ser desenvolvido em sua região e de que forma poderia ajudar. 9

10 Em resumo as principais ações do Projeto NOVA INDÚSTRIA são: Passos: 13. Marketing e Feiras 14. Acompanhamento Empresarial 01. Articulação com parceiros 02. Mobilização da Comunidade 03. Palestras de Motivação 12. Orientação ao crédito 11. Organização de Arranjos e cadeias produtivas 10. Apoio ao associativismo 09. Assessoria Técnica: incentivos, Abertura empresas, tecnologia Metodologia GERAR 08. Qualificação Profissional 04. Seminário Criando Oportunidades 05. Análise, triagem oportunidades e organização apoio 06. Treinamento Empreendedorismo e Gestão 07. Elaboração de Planos de Negócios As ações são implantadas da seguinte forma: 1. Articulação com parceiros Contato com parceiros para que possam participar de duas formas: com as ações que realizam e que podem ser estendidas para os municípios atingidos pelo projeto ou, dentro da Metodologia Gerar, quais ações podem vir a colaborar. A intenção é integrar os vários esforços e agentes locais e estaduais para que articulados promovam ações com mais eficácia e obtenham resultados significativos. 2. Mobilização da comunidade e envolvimento lideranças Os agentes locais e parceiros como a Pastoral da Criança, agentes de saúde e outros têm um papel fundamental na mobilização. Além disso, lideranças comunitárias serão identificadas através de contatos e reuniões e sensibilizadas para que participem do Projeto e sejam agentes de desenvolvimento, ajudando nas ações e na mobilização, na construção e levantamento de demandas e oportunidades dos possíveis empreendedores. É um novo modo de promover o desenvolvimento que possibilita o surgimento de comunidades mais sustentáveis, capazes de suprir suas necessidades imediatas, de descobrir ou despertar suas vocações locais, de desenvolver suas potencialidades específicas e de fomentar o intercâmbio externo.

11 11 3. Palestras de motivação Estas palestras têm como objetivo a sensibilização e demonstração do contexto do projeto na sua forma de atuação sobre cada município, bem como, instigar os participantes sobre o momento de expor suas idéias de negócio e o seu papel na comunidade. Trabalha-se muito com o resgate da auto-estima, e quando necessário são realizadas outras palestras com este enfoque. A palestra de motivação compõe a estrutura metodológica do projeto, utilizando técnicas e dinâmicas interpessoais, dentro de um contexto motivacional. Os Agentes e Lideranças locais fazem a mobilização do público alvo que é o mesmo do projeto. A Coordenação Regional da Oscip Gerar faz a supervisão orientando e acompanhando os Agentes na realização da palestra de motivação. Os objetivos abordados são noções sobre desenvolvimento local sustentado e empreendedorismo, motivação e auto-estima, sensibilização e demonstração do contexto da Metodologia Gerar e incentivo a participação efetiva da comunidade. Nesta oportunidade faz-se o cadastro dos participantes e divulgação das próximas ações. 4. Seminários nos bairros Criando Oportunidades Através de seminários nos bairros, procura-se despertar para o comportamento empreendedor, vivenciar o conceito de planejamento, levantar e discutir idéias de oportunidades de negócios bem como, vazios econômicos e projetos coletivos, agregando valor às matérias primas existentes, aproximando e motivando as lideranças do bairro a participar e integrar a comunidade. Os Seminários nos Bairros Criando Oportunidades tem metodologia vivencial onde os Agentes, Parceiros e Lideranças fazem a mobilização do público alvo. A Coordenação Regional da Oscip Gerar faz a supervisão orientando e acompanhando os Agentes na realização dos Seminários. Estima-se realizar pelo menos dois seminários por município e a carga horária dos seminários é de aproximadamente 3 horas. Os objetivos abordados são: sensibilização e abordagem sucinta do projeto, empreendedorismo, liderança como agente de transformação, levantamento dos vazios econômicos e potencialidades locais e mobilização das pessoas a participar das ações. Nesta oportunidade faz-se o cadastro dos participantes e divulgação das próximas ações. Ao levantar as oportunidades de negócio o Coordenador municipal/local encaminhará para as ADRs que farão a compilação buscando trabalhar com arranjos e processos coletivos, otimizando as ações e custos. Empreendimentos semelhantes farão parte de um mesmo projeto. 5. Análise e triagem das oportunidades e organização do processo de apoio Os coordenadores municipais encaminham as oportunidades levantadas para as Agências ADRs de sua região. É realizada uma análise e triagem das oportunidades. Serão priorizadas aquelas que são comuns a vários municípios, coletivos e que podem trabalhar em rede. Após a seleção será organizado o processo de apoio, caso a caso. 11

12 6. Treinamento de empreendedorismo e gestão Despertar a Cultura Empreendedora através de treinamentos para possibilitar que o empreendedor vivencie na prática a gestão dos negócios, marketing, administração financeira e elaboração de plano de negócio para aprimorar sua viabilidade e/ou melhoria do seu próprio negócio, possibilitando, desta forma, o desenvolvimento da cultura empreendedora para o sucesso nos negócios. 7. Elaboração de planos de negócios Para os interessados em iniciar a sua própria empresa, bem como, para empresas em atividade, são elaborados planos de negócios que possibilitam analisar a viabilidade econômica-financeira de novas idéias ou de ampliação. 8. Qualificação profissional As oficinas de capacitação profissional são realizadas conforme a demanda manifestada nas comunidades e priorizadas de forma que o participante possa empreender com o auto-emprego. O Projeto realiza oficinas profissionalizantes utilizando as estruturas existentes, abrangendo jovens e adultos, num aprendizado contínuo. Estes treinamentos são sempre focados nos empreendimentos. 9. Assessoria técnica O agente trabalhará integrado a parceiros e receberá uma série de informações para poder assessorar os empreendedores na estruturação de seu negócio. Quando a necessidade é tecnologia, assistência técnica, institutos de pesquisa, universidades ou órgãos governamentais estarão articulados visando atender a demanda necessária para o projeto, contemplando preferencialmente toda uma cadeia produtiva. O agente estará informado a respeito de programas e incentivos disponíveis no Município, Estado e Governo Federal, aos quais o empreendedor terá acesso correlacionando com o seu negócio. Também os incentivos municipais para instalação e ampliação de empresas deverão ser oferecidos aos empreendedores. O Agente fará levantamentos sobre os incentivos municipais e obterá junto à coordenação estadual e geral informações sobre incentivos em outros níveis. Visando criar facilidades para os futuros empreendedores e para micro-empresários já instalados o Projeto deverá oferecer através do Conselho Regional de Contabilidade ou dos próprios contadores do município um apoio que contemple: Orientação sobre forma societária, abertura desburocratizada e rápida de empresas, apresentação de balanços simplificados e fiscalização orientativa. O CRC pode ser o facilitador motivando e mobilizando os contadores a participarem na orientação sem ônus para o projeto. 10. Apoio ao associativismo São realizadas reuniões com a comunidade para discutir, organizar e viabilizar idéias de projetos coletivos, associativismo e cooperativismo. A cultura da cooperação é uma filosofia baseada em conceitos e valores humanísticos como solidariedade, confiança e organização funcional de grupos. Tem como propósito substituir o individualismo pela ação coletiva. Levar os conceitos da cultura da cooperação às comunidades principalmente às mais carentes é criar condições para que elas, cada vez mais, articulem-se umas com as outras em associações, cooperativas, consórcios e outros tipos de enlaces

13 13 organizacionais, visando a obtenção de níveis de produtividade, qualidade e, principalmente, a flexibilidade tão necessária para enfrentar as turbulências, descontinuidades e incertezas dos novos tempos, tornando-se competitivas. 11. Organização de Cadeias Produtivas A intenção é organizar Cadeias Produtivas nos municípios envolvidos aproveitando as potencialidades locais e buscando ampliar a produção, promovendo a competitividade e a sustentabilidade dos micro e pequenos negócios, estimulando processos locais de desenvolvimento. Objetiva também criar condições para inserir empresas de micro e pequeno porte em cadeias produtivas de um determinado setor. A proposta do trabalho em cadeias produtivas é a de promover a interação entre empresas e instituições públicas e da sociedade local e usar o poder de compra dessas instituições como indutor da competitividade. Esse tipo de organização de empresas requer para seu êxito uma forte consciência de complementaridade, alcançando os ganhos de eficiência e de escala por meio da atuação coletiva. 12. Orientação ao crédito O Projeto oferece orientação ao crédito e acompanha o empreendedor em todo o processo de obtenção do crédito, através dos agentes locais. Está previsto que o financiamento seja através de parcerias como Agência de Fomento, Caixa e Banco do Brasil. 13. Marketing e feiras O Projeto oferece aos empreendedores apoio para o desenvolvimento de uma estratégia de comercialização colaborando inclusive com a elaboração de logomarca, rótulos e embalagens. Com o propósito de gerar oportunidades de mercado para os produtos dos empreendedores do Projeto, são realizados eventos e feiras. Um convênio com os Supermercados e Hotéis da região poderá ser firmado para que priorizem a compra dos produtos produzidos pelos empreendedores do projeto. Outros parceiros como a Conab podem ser articulados visando abertura de mercado. 14. Acompanhamento Empresarial O Projeto dispõe de agentes locais que atuam diretamente no acompanhamento e assessoria de todos os empreendimentos participantes do projeto, auxiliando na busca de recursos, estruturação do negócio, busca de mercado, fornecedores e clientes, e também na discussão de novas idéias e alternativas. Os agentes participam de todas as ações, juntamente com a coordenação regional, geral e os parceiros promotores, iniciando pelo resgate da auto-estima, levantamento das potencialidades, articulação com lideranças comunitárias, treinamento sobre empreendedorismo, gestão de negócios e profissionalização até estudo de viabilidade técnica, processo de abertura de empresas (contadores), acesso ao crédito e marketing. Cada Agente acompanha cerca de 20 empresas e a coordenação local é responsável pela supervisão dos agentes e pelo acompanhamento geral dos resultados. 13

14 15. Ações Complementares O Projeto prevê ações complementares como Treinamento de Lideranças Comunitárias, Treinamentos de Associativismo, Palestras Técnicas as quais dependem de parcerias a serem viabilizadas. 7. AVALIAÇÃO DE RESULTADOS Como mecanismo de acompanhamento o Projeto NOVA INDÚSTRIA terá os Agentes municipais, subordinados ao Coordenador municipal, que farão o acompanhamento técnico no Município/Localidade. Por sua vez serão acompanhados pelos Coordenadores Regionais e Técnicos da Coordenação Geral. Para mensuração dos resultados o projeto terá um software de acompanhamento alimentado via internet diretamente pelos agentes municipais. Nos Municípios onde não houver possibilidade de informatização, é necessário o preenchimento de formulários específicos. 8. PARCERIAS E ALIANÇAS Responsabilidades: Sistema FIEP / SESI Ser o responsável pelo Projeto; Financiar o Projeto; Disponibilizar espaço para a Coordenação Regional da OSCIP-GERAR dentro das estruturas regionais da FIEP; Indicar pessoas, em cada regional, para acompanhar o Projeto; Disponibilizar pessoas para serem capacitadas na elaboração dos planos de negócios nas diversas ADRs; Orientar a Elaboração dos planos de negócios; Oferecer os cursos profissionalizantes; Acompanhar e monitorar os resultados; Impressão de apostilas

15 Oscip GERAR Implantar o Projeto; Disponibilizar a metodologia; Oferecer todos os profissionais necessários para a execução do Projeto; Ministrar os cursos de matemática básica e empreendedorismo; Elaborar os planos de negócios; ADRs Oferecer sede regional com infra-estrutura; Indicar pessoas em cada regional para acompanhar o projeto; Contribuir com a articulação de parcerias; Auxiliar no diagnóstico das oportunidades de negócio e do levantamento dos arranjos produtivos a serem trabalhados. Prefeitura Municipal ou outra Entidade local Oferecer estrutura local e meio de locomoção dos agentes; Disponibilizar coordenador e agentes; Contribuir com a execução e o alcance dos resultados do Projeto.

Curitiba - Matrícula na Educação Básica

Curitiba - Matrícula na Educação Básica Alunos Matriculados por Município na Educação Básica do Paraná - Série Temporal 2007-2013 O presente estudo, baseado nas informações do Censo Escolar do MEC/Inep, incluindo os dados de 2013 recém divulgados,

Leia mais

Total de homens Total de mulheres

Total de homens Total de mulheres Nome do população população 4100103 Abatiá 8.259 3.911 3.842 5.721 2.032 7.753 4100202 Adrianópolis 7.007 3.296 3.078 2.060 4.314 6.374 4100301 Agudos do Sul 7.221 4.306 3.964 2.822 5.448 8.270 4100400

Leia mais

CÓDIGOS DO PARANÁ. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001

CÓDIGOS DO PARANÁ. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 CÓDIGOS DO PARANÁ Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 UF MUNICÍPIO CÓDIGO DE ÁREA PR ABATIÁ 43 PR ADRIANÓPOLIS 41 PR AGUDOS DO SUL 41 PR ALMIRANTE TAMANDARÉ 41 PR ALTAMIRA DO PARANÁ 42 PR ALTO

Leia mais

1. 1. DISTRIBUIÇÃO GOGRÁFICA DOS IMÓVIS Almirante Tamandaré 6/6/2006 25493/04 2. Altônia 22/1/2014 7785/12 3. Alto Paraná 22/7/2013 837/2012 4. Alto Piquiri 30/1/2016 8515/2013 5. Andirá 11/12/2010 675/2010

Leia mais

ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL SEGUNDO OS MUNICÍPIOS DO PARANÁ - 1991/2000 continua 1991 2000 MUNICÍPIO. Ranking no estado.

ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL SEGUNDO OS MUNICÍPIOS DO PARANÁ - 1991/2000 continua 1991 2000 MUNICÍPIO. Ranking no estado. www.ipardes.gov.br ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL SEGUNDO OS S DO PARANÁ - 1991/2000 PARANÁ 0,711 0,678 0,778 0,678 (1) 7 0,787 0,747 0,879 0,736 (1) 6 Abatiá 0,651 0,717 0,664 0,571 235 0,710

Leia mais

TABELA DE MUNICÍPIOS COM PARTICIPAÇÃO NO ÍNDICE AMBIENTAL VALORES REPASSADOS NO EXERCÍCIO DE 2000

TABELA DE MUNICÍPIOS COM PARTICIPAÇÃO NO ÍNDICE AMBIENTAL VALORES REPASSADOS NO EXERCÍCIO DE 2000 VALORES REPASSADOS NO EXERCÍCIO DE 2000 Esta tabela identifica os Municípios com participação no Índice Ambiental relativo às informações do ano base de 1998, que compôs o cálculo do Índice de Participação

Leia mais

Núcleo Regional de Toledo

Núcleo Regional de Toledo Núcleo Regional de Toledo Municípios participantes Anahy Assis Chateaubriand Boa Vista da Apar. Braganey Cafelândia Campo Bonito Cap. Leônidas Marques Cascavel Catanduvas Céu Azul Corbélia Diamante do

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 096/2000-CEPE/UNICENTRO

R E S O L U Ç Ã O Nº 096/2000-CEPE/UNICENTRO R E S O L U Ç Ã O Nº 096/2000-CEPE/UNICENTRO Aprova o Projeto de Qualificação para o desenvolvimento do Associativismo e Cooperativismo e ficam convalidadas as etapas já realizadas. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Frota Total de Veículos 2012-2014

Frota Total de Veículos 2012-2014 Evolução da frota de veículos existentes na cidade. Tipos de veículos: automóvel, bonde, caminhão, caminhão trator, caminhonete, camioneta, chassi plataforma, ciclomotor, micro-ônibus, motocicleta, motoneta,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED ETAPA 19 - EDUCAÇÃO DO CAMPO EDITAL N.º 90/2011 DG/SEED Cargo de Professor do Ensino Fundamental - Séries Finais do Ensino Fundamental e Médio para atuação nas/nos Escolas/Colégios do Campo da Rede Estadual

Leia mais

CIA DE CIMENTO ITAMBE DIRETORIA COMERCIAL DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA

CIA DE CIMENTO ITAMBE DIRETORIA COMERCIAL DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA CIA DE CIMENTO ITAMBE DIRETORIA COMERCIAL DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA REGIÕES - PARANÁ Ensacado Região Cidade Truck - 14,5t Carreta - 32t Granel 1 CURITIBA 2 2 2 ITAPERUÇU 3 3 3 2 CAMPO MAGRO 3 3 3 RIO BRANCO

Leia mais

PARANÁ ABATIA ADRIANOPOLIS AGUDOS DO SUL ALTAMIRA DO PARANA VILA ALTA ALTO PARANA ALTO PIQUIRI ALTONIA AMAPORA AMPERE ANAHY ANDIRA ANGULO ANTONINA

PARANÁ ABATIA ADRIANOPOLIS AGUDOS DO SUL ALTAMIRA DO PARANA VILA ALTA ALTO PARANA ALTO PIQUIRI ALTONIA AMAPORA AMPERE ANAHY ANDIRA ANGULO ANTONINA PARANÁ ABATIA ADRIANOPOLIS AGUDOS DO SUL ALTAMIRA DO PARANA VILA ALTA ALTO PARANA ALTO PIQUIRI ALTONIA AMAPORA AMPERE ANAHY ANDIRA ANGULO ANTONINA ANTONIO OLINTO APUCARANA ARAPONGAS ARAPOTI ARARUNA ARAUCARIA

Leia mais

Ofício Circular nº 015/2013-CGMP Curitiba, 29 de maio de 2013.

Ofício Circular nº 015/2013-CGMP Curitiba, 29 de maio de 2013. Ofício Circular nº 015/2013-CGMP Curitiba, 29 de maio de 2013. Senhor(a) Procurador(a) de Justiça Senhor(a) Promotor(a) de Justiça Senhor (a) Servidor (a) Tem o presente a finalidade de apresentar-lhe,

Leia mais

Campanha de Vendas SuperAção Cresol 2014

Campanha de Vendas SuperAção Cresol 2014 Campanha de Vendas SuperAção Cresol 2014 1. PERÍODO A campanha SuperAção Cresol 2014 será realizada no período de 01/03/2014 a 31/12/2014. 2. OBJETIVO DA CAMPANHA Esta campanha busca aumentar o volume

Leia mais

Situação dos FMDCA Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente no Estado do Paraná

Situação dos FMDCA Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente no Estado do Paraná Situação dos FMDCA Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente no Estado do Paraná Documento elaborado pelo CAOPCAE/MPPR a partir de arquivos disponibilizados na internet pela Secretaria

Leia mais

FACULDADE ESTADUAL DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE UNIÃO DA VITÓRIA FAFI (09 PROJETOS APROVADOS)

FACULDADE ESTADUAL DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE UNIÃO DA VITÓRIA FAFI (09 PROJETOS APROVADOS) Municípios onde acontecem as atividades do Programa de Extensão Universidade Sem Fronteiras, relacionados às respectivas Instituições proponentes dos projetos aprovados FACULDADE ESTADUAL DE FILOSOFIA,

Leia mais

Aperfeiçoamento Metodológico do Sistema de Previsão de Safras no Brasil (GeoSafras. Projeto GeoSafras (CONAB/PNUD)

Aperfeiçoamento Metodológico do Sistema de Previsão de Safras no Brasil (GeoSafras. Projeto GeoSafras (CONAB/PNUD) Aperfeiçoamento Metodológico do Sistema de Previsão de Safras no Brasil (GeoSafras (GeoSafras)) Projeto GeoSafras (CONAB/PNUD) Caracterização da Evolução de Plantios no Estado do Paraná Safra de Verão

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DO ESPORTE - PARANÁ ESPORTE - JUSTIÇA DESPORTIVA 54º JOGOS ABERTOS DO PARANÁ FASE FINAL - TOLEDO

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DO ESPORTE - PARANÁ ESPORTE - JUSTIÇA DESPORTIVA 54º JOGOS ABERTOS DO PARANÁ FASE FINAL - TOLEDO GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DO ESPORTE - PARANÁ ESPORTE - JUSTIÇA DESPORTIVA 54º JOGOS ABERTOS DO PARANÁ FASE FINAL - TOLEDO TERMO DE DECISÃO O TRIBUNAL ESPECIAL DE JUSTIÇA DESPORTIVA, por ocasião

Leia mais

Subsídios para construção dos critérios de priorização RELAÇÃO DAS COMARCAS POR ENTRÂNCIA E POR ORDEM ALFABÉTICA. Hab./Promotor Defasagem Apoio

Subsídios para construção dos critérios de priorização RELAÇÃO DAS COMARCAS POR ENTRÂNCIA E POR ORDEM ALFABÉTICA. Hab./Promotor Defasagem Apoio Subsídios para construção dos critérios de priorização RELAÇÃO DAS POR ENTRÂNCIA E POR ORDEM ALFABÉTICA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA Membros jurídico 1 ALMIRANTE TAMANDARE 2 3 40.377 2 2 2 2 ARAUCARIA

Leia mais

TABELA - OFÍCIOS DE DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO ORDEM DESCRESCENTE SEGUNDO O ART. 98, 2º, ADCT/CF

TABELA - OFÍCIOS DE DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO ORDEM DESCRESCENTE SEGUNDO O ART. 98, 2º, ADCT/CF TABELA - OFÍCIOS DE DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO ORDEM DESCRESCENTE SEGUNDO O ART. 98, 2º, ADCT/CF (DISTRIBUIÇÃO PERCENTUAL DA POPULAÇÃO COM RENDA DE ATÉ 3 SALÁRIOS MÍNIMOS) Mesorregião Seção Judiciária

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA CENTRO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA CENTRO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA TRIBUNAL DE JUSTIÇA CENTRO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE 2013 COMO FAZ TODOS OS ANOS, O TRIBUNAL IMUNIZARÁ SEUS FUNCIONÁRIOS ATIVOS CONTRA A GRIPE A E A GRIPE SAZONAL - VACINA TRIVALENTE

Leia mais

ELABORAÇÃO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ANTONIO CARLOS CORDEIRO DA SILVA EQUIPE TÉCNICA ARIETE DE FREITAS ROSA MARIA BRUNETTI APOIO TÉCNICO

ELABORAÇÃO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ANTONIO CARLOS CORDEIRO DA SILVA EQUIPE TÉCNICA ARIETE DE FREITAS ROSA MARIA BRUNETTI APOIO TÉCNICO ELABORAÇÃO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ANTONIO CARLOS CORDEIRO DA SILVA EQUIPE TÉCNICA ARIETE DE FREITAS ROSA MARIA BRUNETTI APOIO TÉCNICO ANDRÉIA PUSTILNICK LIDIA RIBEIRO DO NASCIMENTO REPROGRAFIA SERGIO

Leia mais

01 - MESORREGIÃO GEOGRÁFICA NOROESTE PARANAENSE

01 - MESORREGIÃO GEOGRÁFICA NOROESTE PARANAENSE www.ipardes.gov.br 01 - MESORREGIÃO GEOGRÁFICA NOROESTE PARANAENSE 01 - Microrregião Geográfica Paranavaí Alto Paraná Amaporã Cruzeiro do Sul Diamante do Norte Guairaçá Inajá Itaúna do Sul Jardim Olinda

Leia mais

Variação Nominal 2014 (R$) 2015 (R$)

Variação Nominal 2014 (R$) 2015 (R$) EFEITURA Prefeitura Municipal de Curitiba - 6.346.677.306,99 6.742.950.033,42 6,2% 232.408.902,89 245.892.721,14 5,8% 1.099.851.341,85 1.232.689.762,66 12,1% Prefeitura Municipal de Londrina - 1.311.641.806,25

Leia mais

PERCENTUAL DE FAMÍLIAS TOTALMENTE ACOMPANHADAS NAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE BOLSA FAMÍLIA 2012-2014

PERCENTUAL DE FAMÍLIAS TOTALMENTE ACOMPANHADAS NAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE BOLSA FAMÍLIA 2012-2014 Fonte: Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome MDS. Nota: Verde Melhor em relação à média do Estado / Vermelho Pior em relação à média do Estado. Abatiá 100,00 97,03 97,33 Adrianópolis 98,44

Leia mais

ATIVIDADES REALIZADAS PELO PROCON-PR E PELOS PROCONS INTEGRADOS AO SISTEMA ESTADUAL EM 2012

ATIVIDADES REALIZADAS PELO PROCON-PR E PELOS PROCONS INTEGRADOS AO SISTEMA ESTADUAL EM 2012 ATIVIDADES REALIZADAS PELO PROCON-PR E PELOS PROCONS INTEGRADOS AO SISTEMA ESTADUAL EM 2012 Com o objetivo de implementar e executar a política estadual de proteção, orientação, defesa e educação do consumidor,

Leia mais

01 - REGIÃO GEOGRÁFICA NOROESTE PARANAENSE

01 - REGIÃO GEOGRÁFICA NOROESTE PARANAENSE www.ipardes.gov.br 01 - REGIÃO GEOGRÁFICA NOROESTE PARANAENSE Alto Paraíso (1) Alto Paraná Alto Piquiri Altônia Amaporã Brasilândia do Sul Cafezal do Sul Cianorte Cidade Gaúcha Cruzeiro do Oeste Cruzeiro

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ CONCURSO PÚBLICO SANEPAR Relação Candidato/Vaga

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ CONCURSO PÚBLICO SANEPAR Relação Candidato/Vaga INSITOS ANALISTA - ADMINISTRADOR / ECONOMISTA / CONTADOR ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA - ADVOGADO ANALISTA

Leia mais

População Analfabeta Residente com 15 anos e mais

População Analfabeta Residente com 15 anos e mais SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DA DIVERSIDADE COORDENAÇÃO DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS, ADULTOS E IDOSOS PROGRAMA PARANÁ ALFABETIZADO ÍNDICES DE ANALFABETISMOS

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

CURITIBA E REGIÃO SUPERMERCADISTAS. Colombo SUPERMERCADO ZONTA SUP. OVERSUPER 1. 1 Paranaguá SUP. SIÃO LTDA 1. Matinhos PIEGEL PÃES E CONVENIENCIAS

CURITIBA E REGIÃO SUPERMERCADISTAS. Colombo SUPERMERCADO ZONTA SUP. OVERSUPER 1. 1 Paranaguá SUP. SIÃO LTDA 1. Matinhos PIEGEL PÃES E CONVENIENCIAS CAMPANHA DE OLHO NA VALIDADE CURITIBA E REGIÃO SUPERMERCADISTAS LOJAS CIDADES SUP. CONDOR Campo Largo Lapa SUP. TISSI 3 SUP. OVERSUPER Colombo SUPERMERCADO ZONTA MINI MERCADO CIVIS (Sup. Compre Bem) Almirante

Leia mais

FROTA DE VEÍCULOS LICENCIADOS NO ESTADO DO PARANÁ POR MUNICÍPIO NO ANO DE 2013

FROTA DE VEÍCULOS LICENCIADOS NO ESTADO DO PARANÁ POR MUNICÍPIO NO ANO DE 2013 FROTA DE VEÍCULOS LICENCIADOS NO ESTADO DO PARANÁ POR MUNICÍPIO NO ANO DE 2013 MUNICÍPIO ABATIA 1.980 ADRIANOPOLIS 1.255 AGUDOS DO SUL 2.376 ALMIRANTE TAMANDARE 27.168 ALTAMIRA DO PARANA 783 ALTO PARAISO

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED EDITAL N.º 166/2012-GS/SEED O Diretor-Geral da Secretaria de Estado da Educação, no uso das atribuições que lhe confere a Resolução n.º 334/2011 SEED/GS, de 14/02/2011, resolve TORNAR PÚBLICO o presente

Leia mais

ANEXO TABELAS, QUADROS E MAPAS

ANEXO TABELAS, QUADROS E MAPAS ANEXO TABELAS, QUADROS E MAPAS 72 TABELA A.1.1 - DISTRIBUIÇÃO DOS OCUPADOS DE 10 A 13 ANOS POR SETORES E RELAÇÃO DE SUA ATIVIDADE COM A DO PAI OU RESPONSÁVEL, SEGUNDO SETOR - 2000 ATIVIDADE IGUAL À DO

Leia mais

Paraná é o Estado com o maior número de salas de situação da dengue

Paraná é o Estado com o maior número de salas de situação da dengue Governo do Estado do Paraná Secretaria de Estado da Saúde (SESA) Superintendência de Vigilância em Saúde Sala de Situação em Saúde SITUAÇÃO DA DENGUE, CHIKUNGUNYA e ZIKA VÍRUS NO PARANÁ 2015/2016 Informe

Leia mais

Situação do Relatório Anual de Gestão/2013 - SARGSUS

Situação do Relatório Anual de Gestão/2013 - SARGSUS Estado: PARANA Região : 1ª RS Paranaguá ANTONINA GUARAQUECABA GUARATUBA MATINHOS MORRETES PARANAGUA PONTAL DO PARANA PMS - 2014 PAS - 2014 Relatorio Gerencial Relatório Anual de Gestão Municipal - 2012/2013

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde Curso de Medicina Veterinária Rafael Bernardon

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde Curso de Medicina Veterinária Rafael Bernardon UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde Curso de Medicina Veterinária Rafael Bernardon TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (T.C.C.) CURITIBA 2007 APRESENTAÇÃO Este Trabalho

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS GABINETE DA SECRETÁRIA RESOLUÇÃO Nº 436/2014 - GS/SEJU

SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS GABINETE DA SECRETÁRIA RESOLUÇÃO Nº 436/2014 - GS/SEJU RESOLUÇÃO Nº 436/2014 - GS/SEJU A SECRETÁRIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS, no uso das atribuições que lhe conferem o artigo 45, inciso XIV da Lei nº 8.485, de 03 de junho de 1987

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

2009-2012 MEIOS DE HOSPEDAGEM. SETU/Dados e Estudos Turísticos - Meios de Hospedagem do Paraná 1

2009-2012 MEIOS DE HOSPEDAGEM. SETU/Dados e Estudos Turísticos - Meios de Hospedagem do Paraná 1 2009-2012 MEIOS DE HOSPEDAGEM SETU/Dados e Estudos Turísticos - Meios de Hospedagem do Paraná 1 Governador do Estado Carlos Alberto Richa Secretário de Estado do Turismo Jackson Pitombo Diretora Presidente

Leia mais

O SECRETARIO DE ESTADO DA SAUDE

O SECRETARIO DE ESTADO DA SAUDE RESOLUÇÃO SESA Nº 177/2015 (Publicada no Diário Oficial do Estado nº 9452, de 15/05/15) Autoriza o repasse do Fundo Estadual de Saúde para os Fundos Municipais de Saúde, destinado ao Incentivo Financeiro

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

SITUAÇÃO DA GRIPE A (H1N1) NO PARANÁ - 2012 BOLETIM INFORMATIVO - 03/2012 Atualizado em 02/07/2012 às 18h

SITUAÇÃO DA GRIPE A (H1N1) NO PARANÁ - 2012 BOLETIM INFORMATIVO - 03/2012 Atualizado em 02/07/2012 às 18h Governo do Estado do Paraná (SESA) Sala de Situação em Saúde SITUAÇÃO DA GRIPE A (H1N1) NO PARANÁ - 2012 BOLETIM INFORMATIVO - 03/2012 Atualizado em 02/07/2012 às 18h A informa que o Paraná teve 381 casos

Leia mais

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014 A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014 Política Estadual de Saúde Mental 1995 - Lei Estadual nº 11.189 Segue os princípios e diretrizes do SUS e da

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Rede de Proteção. Criança e adolescente. Direitos Humanos. Violência

PALAVRAS-CHAVE Rede de Proteção. Criança e adolescente. Direitos Humanos. Violência 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA (X) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

PRÊMIO EXCELÊNCIA EM GESTÃO COLÉGIO SESI

PRÊMIO EXCELÊNCIA EM GESTÃO COLÉGIO SESI PRÊMIO EXCELÊNCIA EM GESTÃO COLÉGIO SESI Caros Colaboradores dos Colégios Sesi, Finalmente divulgamos a todos o resultado do primeiro indicador do Prêmio Excelência em Gestão, iniciando nossa caminhada

Leia mais

Apresentação. Quem somos. Números de 2011. Missão. Visão. Diretrizes

Apresentação. Quem somos. Números de 2011. Missão. Visão. Diretrizes Apresentação Um mundo melhor não é só o de faz de conta, um mundo melhor é o que podemos construir agora, de fato. O Instituto Mundo Melhor trabalha de mãos dadas com mais de 100 parceiros e desenvolve

Leia mais

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS

CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS CONHEÇA OS NOSSOS PROJETOS APRESENTAÇÃO Em Dezembro de 2004 por iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná o CPCE Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial nasceu como uma organização

Leia mais

2009-2011 MEIOS DE HOSPEDAGEM

2009-2011 MEIOS DE HOSPEDAGEM 2009-2011 MEIOS DE HOSPEDAGEM Governador do Estado Carlos Alberto Richa Secretário de Estado do Turismo Faisal Saleh Diretor Presidente da Paraná Turismo Marcos Venício Alves Meyer Aeroporto Afondo Pena

Leia mais

Programas 2013. Abril de 2013

Programas 2013. Abril de 2013 Programas 2013 Abril de 2013 A nova SUDENE -Lei Complementar n 125, de 03 de janeiro de 2007 -Decreto n 6.219/2007 Autarquia especial, administrativa e financeiramente autônoma,... vinculada ao Ministério

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

TELEVISANDO O FUTURO. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

TELEVISANDO O FUTURO. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) TELEVISANDO O FUTURO Mostra Local de: Maringá Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Instituto GRPCOM Cidade: Área de Abrangência:

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CLASSE CONTÁBIL

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CLASSE CONTÁBIL PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CLASSE CONTÁBIL PROGRAMA DE VOLUNTARIADO DA CLASSE CONTÁBIL 1. Apresentação O Programa de Voluntariado da Classe Contábil, componente do plano de metas estratégicas do Conselho

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO TOTAL DOS MUNICÍPIOS DO PARANÁ PARA O PERÍODO 2016-2030 - ALGUNS RESULTADOS 1

PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO TOTAL DOS MUNICÍPIOS DO PARANÁ PARA O PERÍODO 2016-2030 - ALGUNS RESULTADOS 1 PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO TOTAL DOS S DO PARANÁ PARA O PERÍODO 2016-2030 - ALGUNS RESULTADOS 1 A projeção da população dos municípios do Paraná disponibilizada pelo IPARDES em sua base de dados (BDEweb) 2

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA

MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA MEU NEGÓCIO É RECICLAR A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS - BAHIA NO APOIO AO MOVIMENTO DE CATADORES DE RUA Patrícia Cristina de Lima Moreira (1) Assistente Social (UNIT), Assistente Social do Serviço

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Programa Escola Aberta

Programa Escola Aberta Programa Escola Aberta O Programa Escola Aberta foi criado a partir de um acordo de cooperação técnica entre Ministério da Educação e a Unesco, implantado em 2004. No Estado do Paraná tem seu início no

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais

SITUAÇÃO DA DENGUE NO PARANÁ 2014/2015 Informe técnico 09 Período 2014/2015 Semana 31/2014 a 07/2015 Atualizado em 23/02/2015 às 17h

SITUAÇÃO DA DENGUE NO PARANÁ 2014/2015 Informe técnico 09 Período 2014/2015 Semana 31/2014 a 07/2015 Atualizado em 23/02/2015 às 17h Governo do Estado do Paraná Secretaria de Estado da Saúde (SESA) Superintendência de Vigilância em Saúde Sala de Situação em Saúde SITUAÇÃO DA DENGUE NO PARANÁ 2014/2015 Informe técnico 09 Período 2014/2015

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO

PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO 4: Cultura e Desenvolvimento Sub-eixo: Fomento à Criação / Produção, Difusão / Distribuição / Comercialização e Consumo / Fruição

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

Projetos de Captação de Recursos do Ministério Público do Trabalho

Projetos de Captação de Recursos do Ministério Público do Trabalho Plano de Gestão 2015-2017 Projetos de Captação de Recursos do Ministério Público do Trabalho Superintendência de Planejamento e Gestão Outubro/2015 Introdução Os recursos oriundos de multas ou indenizações

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias

Leia mais

CIDADE SEDE Piraí do Sul* Telêmaco Borba* Candói. Guarapuava Irati Paulo Frontin* Porto Barreiro. Porto Vitória. Rio Azul* União da Vitória

CIDADE SEDE Piraí do Sul* Telêmaco Borba* Candói. Guarapuava Irati Paulo Frontin* Porto Barreiro. Porto Vitória. Rio Azul* União da Vitória PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO 1: Implementação do Sistema Nacional de Cultura Sub-eixo: Marcos Legais, Participação e Controle Social e Funcionamento dos Sistemas

Leia mais

CARLOS ALBERTO RICHA CASA CIVIL EDUARDO FRANCISCO SCIARRA DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO MARCOS ELIAS TRAAD DA SILVA

CARLOS ALBERTO RICHA CASA CIVIL EDUARDO FRANCISCO SCIARRA DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO MARCOS ELIAS TRAAD DA SILVA CARLOS ALBERTO RICHA GOVERNADOR CASA CIVIL EDUARDO FRANCISCO SCIARRA SECRETÁRIO CHEFE CASA CIVIL DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO MARCOS ELIAS TRAAD DA SILVA DIRETOR GERAL ELABORAÇÃO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DA 1ª CONFERÊNCIA INTERMUNICIPAL DE CULTURA DE PATO BRANCO E REGIÃO DA 14ª DE CULTURA

RELATÓRIO DA 1ª CONFERÊNCIA INTERMUNICIPAL DE CULTURA DE PATO BRANCO E REGIÃO DA 14ª DE CULTURA 1 RELATÓRIO DA 1ª CONFERÊNCIA INTERMUNICIPAL DE CULTURA DE PATO BRANCO E REGIÃO DA 14ª DE CULTURA I - FICHA DE QUALIFICAÇÃO DO ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELO EVENTO: 1. MUNICÍPIO / ESTADO: PATO BRANCO - PR 2.

Leia mais

RECOLHIMENTO DE VALORES AO FUNDO ESPECIAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO

RECOLHIMENTO DE VALORES AO FUNDO ESPECIAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO RECOLHIMENTO DE VALORES AO FUNDO ESPECIAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO MANUAL DE ORIENTAÇÃO Manual de Orientação ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 FINALIDADE DO FUNDO...3 RECEITAS...4 PROCEDIMENTOS...6 CUSTAS PELA INTERVENÇÃO

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA INFORMATIVO DEZEMBRO DE 2013 Acesse também: www.mariana.gov.br MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA Promover a criação de um ambiente favorável para valorizar a micro e pequena empresa,

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

RESUMO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO SESCOOP/AM

RESUMO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO SESCOOP/AM RESUMO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO SESCOOP/AM MISSÃO DO SESCOOP Promover o desenvolvimento do Cooperativismo de forma integrada e sustentável, por meio da formação profissional, da promoção social e

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Disseminar a cultura empreendedora e inovadora em Santa Maria Ações de disseminação da Cultura Empreendedora Ações de trabalho conjunto entre Universidades e Comunidade Divulgação do trabalho pelo CEI

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes

Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Experiência: Projeto Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior Redeagentes Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (através do

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

RESUMO DOS CONCURSOS PÚBLICOS REALIZADOS

RESUMO DOS CONCURSOS PÚBLICOS REALIZADOS RESUMO DOS CONCURSOS PÚBLICOS REALIZADOS Advogado CARGO ÓRGÃO DATA INSCRITOS CLASSIFICADOS Câmara Municipal de Ponta Grossa Abril/95 43 10 Advogado Prefeitura Municipal Ponta Grossa Maio/92 29 10 Agente

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA Edital 01/2009

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA Edital 01/2009 Almirante Tamandaré Oficial de Promotoria 44 1 Alto Paraná Oficial de Promotoria Altônia Oficial de Promotoria 10 1 Andirá Oficial de Promotoria Antonina Oficial de Promotoria Apucarana Oficial de Promotoria

Leia mais

Superintendência de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Primária

Superintendência de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Primária Superintendência de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Primária MARÇO/2014 Política Nacional de Atenção Básica Portaria n. 2488, de 21 de outubro de 2011. Das Funções na Rede de Atenção à Saúde Decreto

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 072-MA

FICHA PROJETO - nº 072-MA FICHA PROJETO - nº 072-MA Mata Atlântica Grande Projeto TÍTULO: Vereda do Desenvolvimento Sustentável da Comunidade de Canoas: um Projeto Demonstrativo da Conservação da Mata Atlântica. 2) MUNICÍPIOS DE

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13 Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018 L RECyT, 8.11.13 Delineamento do Programa - Quadro Fundamentação Geral Programa público, plurianual, voltado para o fortalecimento

Leia mais

POTENCIAL DO SETOR DE TI, E O DESENVOLVIMENTO DOS APL s

POTENCIAL DO SETOR DE TI, E O DESENVOLVIMENTO DOS APL s POTENCIAL DO SETOR DE TI, E O DESENVOLVIMENTO DOS APL s POR LUÍS MÁRIO LUCHETTA VICE- PRESIDENTE DE ARTICULAÇÃO POLÍTICA DA ASSESPRO NACIONAL 29.10.2009. QUEM É ASSESPRO Associação das Empresas Brasileiras

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO 1: Implementação do Sistema Nacional de Cultura

PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO 1: Implementação do Sistema Nacional de Cultura PROPOSTAS DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE CULTURA EIXO 1: Implementação do Sistema Nacional de Cultura Sub-eixo: Fortalecimento e Operacionalização dos Sistemas de Financiamento Píblico

Leia mais