MÚSICA COMO INSTRUMENTO PSICOPEDAGÓGICO PARA INTERVENÇÃO COGNITIVA. Fabiano Silva Cruz Educador Musical/ Psicopedagogo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MÚSICA COMO INSTRUMENTO PSICOPEDAGÓGICO PARA INTERVENÇÃO COGNITIVA. Fabiano Silva Cruz Educador Musical/ Psicopedagogo"

Transcrição

1 MÚSICA COMO INSTRUMENTO PSICOPEDAGÓGICO PARA INTERVENÇÃO COGNITIVA Fabiano Silva Cruz Educador Musical/ Psicopedagogo

2 APRESENTAÇÃO Fabiano Silva Cruz Graduado em composição e arranjo musical Graduado em educação musical Pós graduado em práticas interpretativas Pós graduado em psicopedagogia Professor de música (infantil ao médio); psicopedagogo clínico; pesquisas sobre reabilitação cognitiva com a música como ferramenta.

3 MÚSICA E DESENVOLVIMENTO - EXPRESSÃO Um indivíduo vive rodeado de sentimentos, instintos, desejos; e as artes, como meio de linguagem intermediária, facilitam a exteriorização desses sentimentos como expressão de sua leitura do mundo. Expressar musicalmente: compreender os signos musicais e saber trabalhar esses em uma linguagem própria. Adquirimos compreensão dos elementos musicais com a experiência de ouvir os objetos sonoros, interiorizando esses elementos.

4 MÚSICA E DESENVOLVIMENTO OS ANOS INICIAIS O ambiente familiar é o primeiro contato da criança com os objetos sonoros; a criança começa a se desenvolver por meio dos sons, os quais ela tem como forma de interação com o ambiente. A natureza musical então potencializada por meio da afetividade, sendo que a expressão como forma de comunicação ao mundo se desenvolve de uma maneira sensível e pessoal de cada indivíduo.

5 Auxilia na alfabetização; Auxilia no desenvolvimento cognitivo e lógico-matemático; Auxilia no desenvolvimento motor; Auxilia na relação intrapessoal, extrapessoal e sócio-cultural.

6 MÚSICA UMA VISÃO Música: um processo de comunicação e expressivo próprio do ser humano. Fenômeno temporal que une passado, presente e futuro em sua execução; o indivíduo trabalhar simultaneamente sua memória e imaginação a partir da compreensão histórica, cultural e social do meio. A dimensão funcional da música é feita pelo seu uso comunicativo transmitindo valores a alguém.

7

8 RELAÇÃO MÚSICA E FATORES HUMANOS Cognitivo: raciocínio prevendo mudanças sonoras, formas musicais, relacionar sons com letras e palavras; aumenta o desenvolvimento auditivo. Afetivo/ emocional: desenvolvimento dos fatores afetivos, expressando com clareza em várias situações; aproxima os laços com familiares, amigos e ambiente que mora e frequenta. Psicomotor: auxilia a desenvolver questões espaciais e temporais. Sócio-cultural: interação com diferentes culturas e pessoas.

9 A música envolve uma integração entre seus elementos (ritmo, melodia, formas) e a funcionalidade do cérebro A estimulação sonora pode refletir em questões fisiológicas como a orientação espaço-temporal, na atenção, na memória, nos pulsos elétricos cerebrais. Atua diretamente na afetividade, controlando nossos impulsos, emoções e motivações. Atua dentro das percepções integradas, trabalhando a audição em conjunto com outros sentidos, levando a lembranças e memórias Sendo considerada como um tipo de linguagem, ajuda nas funções da construção e desenvolvimento da linguagem, seja oral ou corporal

10 O DESENVOLVIMENTO MUSICAL Sensorial (0 a 3 anos) respostas a impressividade do som, particularmente ao timbre Manipulativo (4 a 5 anos) interesse no manuseio de instrumentos; estabelecimento de pulso regular; começo de manipular elementos musicais Expressividade pessoal (4 a 6 anos) aparecimento da expressão pessoal; ideias musicais espontâneas e diversificadas Vernacular (7 a 8 anos) aparecimentos de padrões; organização métrica e rítmica, absorção de ideias musicais de outras fontes Especulativo (9 a 11 anos) compreensão maior dos elementos musicais; exploração das possibilidades estruturais

11 Idiomático (12 a 14 anos) estruturas se tornam mais firmes e reconhecíveis; o controle técnico, expressivo e estrutural é estabelecido de maneira mais confiável Simbólico (15 anos) consciência do poder afetivo da música; reflexões sobre a atuação musical Sistemático capaz de refletir e ser discursiva sobre a experiência musical; pesquisas e estudos de novos sistemas composicionais; teorização musical

12

13 Com o conhecimento do desenvolvimento funcional do cérebro que compreendemos as alterações que o cérebro sofre, como no caso de disfunções cognitivas e comportamentais adquiridas por meio de lesões, doenças ou mal desenvolvimento cerebral Investigação das funções corticais superiores, como a atenção, a memória, a linguagem, a percepção Cérebro: funcionalidade como um todo, onde as áreas são interdependentes e inter-relacionadas; a integração das áreas cerebrais - sistema funcional

14 MÚSICA E AS FUNÇÕES COGNITIVAS Atenção: capacidade de focar a mente a algum aspecto ambiental e/ou conteúdo - Apreciação musical, canto coral, aprendizagem de instrumentos Memória: capacidade de armazenar e processar informações; envolve acontecimentos cognitivos, como compreensão, aprendizado e raciocínio - Jogos musicais, aprendizagem de instrumentos, memórias afetivas e sensoriais Táctil-cinestésica: reconhecimento dos objetos pelo tato; sensações tácteis na localização, intensidade e direção do corpo; coordenação motora fina e grossa - Aprendizagem de instrumentos, percussão corporal, relação música-dança, desenvolvimento auditivo

15 Funções motoras: construção dos movimentos voluntários: tônus muscular, sistema ótico-espacial, regulação verbal do ato motor - Aprendizagem de instrumentos, canto coral, relação música/ dança, percussão corporal Funções superiores: ato de pensar racionalmente e lidar com o meio inserido - Apreciação musical, desenvolvimento auditivo, lembranças musicais, composição musical Orientação: Consciência de si no meio ambiente - Desenvolvimento auditivo, composição Verbais: linguagem verbal, sua programação, compreensão e/ ou expressão da fala - Desenvolvimento auditivo, percepção musical, linguagem musical, canto coral

16 AS INTERVENÇÕES MUSICAIS Estímulos musicais: aumentam ou mantém as capacidades cognitivas e emocionais, como a concentração, a memória, a coordenação, a aprendizagem Adultos: Doenças degenerativas (Alzheimer), dependência química, danos cerebrais, incapacidades físicas devido a acidentes ou doenças, debilitações por doenças terminais Crianças: Dificuldade de aprendizagem, problemas comportamentais, transtornos de desenvolvimento, transtornos causados por doenças, deficiências mentais, dificuldades de socialização e falta de auto-estima. Tratamento individual - formação de grupos

17 Interação humana, música como ferramenta ativa no processo Discurso sonoro-musical: planejamento e intencionalidade, mesmo que inconsciente, para conduzir a alguma mudança; conhecimento mínimo dos elementos musicais e seus fatores O trabalho com a música desenvolve a sociabilização, a autonomia, os limites a linguagem, a organização e a memória, utilizando diversas ferramentas musicais no processo: canções, ritmos, improvisações, composições, historias musicadas

18 Fabiano Silva Cruz Educador musical/ psicopedagogo (Francisco Morato/ Campo Limpo Paulista/ Jundiaí/ São Paulo) WhatsApp (11) Mail: LinkedIn: ?trk=nav_responsive_tab_profile FILIE-SE AO SINDICATO DOS PSICOPEDAGOGOS DO BRASIL

ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES Infantil ao 5º ANO MÚSICA

ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES Infantil ao 5º ANO MÚSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES Infantil ao 5º ANO MÚSICA OBJETIVOS GERAIS Explorar e identificar elementos da música para se expressar e interagir com

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E EDUCAÇÃO

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E EDUCAÇÃO OBJETIVOS: Fomentar a produção e circulação de saberes docentes acerca das diferentes manifestações artísticas e expressivas no campo da Educação. Oferecer possibilidades de formação sensível, reflexiva

Leia mais

SEMED São Luis-Ma.

SEMED São Luis-Ma. A LINGUAGEM MUSICAL E O DESENVOLVIMENTO DAS MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS: UM OLHAR SOBRE A EDUCAÇÃO INFANTIL¹ Kátia Regina dos Santos Castro Coordenadora Pedagógica em Educação Infantil SEMED São Luis-Ma Katia.castro4@gmail.com.br

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

NEURO UR PLA S ICI C DA D DE cére r bro br é um sis i t s e t ma m ab a e b rto t, o que est s á cons con t s a t n a t n e i t n e t ra r ç a ã ç o

NEURO UR PLA S ICI C DA D DE cére r bro br é um sis i t s e t ma m ab a e b rto t, o que est s á cons con t s a t n a t n e i t n e t ra r ç a ã ç o NEUROPLASTICIDADE O cérebro é um sistema aberto, que está em constante interação com o meio e que transforma suas estruturas e mecanismos de funcionamento ao longo do processo de interação. Aprende atuando!

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2018

PLANEJAMENTO ANUAL 2018 PLANEJAMENTO ANUAL 2018 EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ-ESCOLA II DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO (BNCC) Conviver Brincar Participar Explorar Expressar Conhecer-se OBJETIVOS GERAIS: Promover a interação

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Fomentar a produção e circulação de saberes docentes acerca das

Leia mais

Atividades rítmicas e expressão corporal

Atividades rítmicas e expressão corporal Atividades rítmicas e expressão corporal LADAINHAS CANTIGAS BRINQUEDOS CANTADOS FOLCLORE MOVIMENTOS COMBINADOS DE RÍTMOS DIFERENTES RODAS Estas atividades estão relacionados com o folclore brasileiro,

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2018

PLANEJAMENTO ANUAL 2018 PLANEJAMENTO ANUAL 2018 EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ-ESCOLA I DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO (BNCC) Conviver Brincar Participar Explorar Expressar Conhecer-se OBJETIVOS GERAIS: Promover a interação

Leia mais

Designação do Módulo: Técnicas de Animação

Designação do Módulo: Técnicas de Animação Módulo N.º 3258 Designação do Módulo: Técnicas de Animação Planificar e dinamizar a animação com caráter interdisciplinar, como forma de desenvolver competências e autonomias. Expressão livre e animação

Leia mais

INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS. Profª Drª Renira Appa

INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS. Profª Drª Renira Appa INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS Profª Drª Renira Appa OBJETIVO Esclarecer o conceito mais abrangente de inteligência e facilitar uma prática saudável de se autoperceber e estar em estágio de evolução contínua.

Leia mais

Planificação anual da Educação Préescolar

Planificação anual da Educação Préescolar Planificação anual da Educação Préescolar Ano letivo 2015/2016 Introdução A planificação de atividades nasce da intencionalidade educativa do trabalho do educador. Planear atividades não pode ser confundido

Leia mais

A MÚSICA NO ESPAÇO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL

A MÚSICA NO ESPAÇO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A MÚSICA NO ESPAÇO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo Amanda de Melo Jorge 1 Sandra Mantovani Leite 2 Este trabalho é uma parte da pesquisa bibliográfica realizada para o trabalho de conclusão

Leia mais

CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR - VISEU PLANO ANUAL DE ATIVIDADES SALA 1 AREAS OBJETIVOS ESTRATÉGIAS RECURSOS MATERIAS/HUMANOS

CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR - VISEU PLANO ANUAL DE ATIVIDADES SALA 1 AREAS OBJETIVOS ESTRATÉGIAS RECURSOS MATERIAS/HUMANOS AREAS OBJETIVOS ESTRATÉGIAS RECURSOS MATERIAS/HUMANOS SOCIO-AFETIVO PSICO-MOTOR Estabelecer uma relação afetiva com base no seu desenvolvimento global; Favorecer a compreensão da sua relação com os outros;

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Linguagem PROFESSOR Fernanda Fróes CARGA HORÁRIA TURMA / TURNO ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 20 horas

EDUCAÇÃO INFANTIL PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Linguagem PROFESSOR Fernanda Fróes CARGA HORÁRIA TURMA / TURNO ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 20 horas EDUCAÇÃO INFANTIL PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Linguagem PROFESSOR Fernanda Fróes CARGA HORÁRIA TURMA / TURNO ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 20 horas Maternal I A- Matutino 2017 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1º TRIMESTRE

Leia mais

Educação Infantil Proposta Pedagógica H H H

Educação Infantil Proposta Pedagógica H H H Educação Infantil Proposta Pedagógica H H H Em 2006, a Escola Alemã Corcovado iniciou o processo de construção do Currículo por Competências. A Educação Infantil acompanha este processo através da reelaboração

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 CURSO OBJETIVOS Capacitar profissionais através de instrumentos atualizados e inovadores

Leia mais

Currículo Música Fundamental 1 Escola Santi. Professor José Calixto

Currículo Música Fundamental 1 Escola Santi. Professor José Calixto Currículo Música Fundamental 1 Escola Santi Professor José Calixto - 2019 O que é Currículo? Orientações Pensar o currículo como caminho ideal consolidado, mas na prática sempre reconhecer a fluidez que

Leia mais

EMENTAS E CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

EMENTAS E CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS EMENTAS E CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 2017 SUMÁRIO 1. SOBRE O ENSINO BÁSICO DE MÚSICA... 3 2. SOBRE A ETAPA DA MUSICALIZAÇÃO INFANTIL... 3 3. SOBRE A ETAPA DA INICIAÇÃO MUSICAL... 3 4. SOBRE AS PRÁTICAS COMPLEMENTARES...

Leia mais

CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR - VISEU PLANO ANUAL DE SALA SALA 1. Crescer a brincar ANO ESCOLAR 2016/2017

CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR - VISEU PLANO ANUAL DE SALA SALA 1. Crescer a brincar ANO ESCOLAR 2016/2017 Crescer a brincar Educadora de Infância: Daniela Caiado Auxiliares de Ação Educativa: Fátima Soares e Marlene Esteves ANO ESCOLAR 2016/2017 Página 1 de 5 Áreas Objetivos Estratégias Recursos Humanos e

Leia mais

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA SGAS Quadra 906 Conjunto E Brasília - DF Telefone: (61) 3443-7878 Site: www.lasalledf.com.br E-mail: lasalledf@lasalledf.com.br DIRETRIZES CURRICULARES Maternal 3 1º Período Conteúdo

Leia mais

O uso de imagens na educação. Comunicação visual

O uso de imagens na educação. Comunicação visual O uso de imagens na educação Liane Tarouco Comunicação visual A comunicação por meio de imagens e elementos visuais relacionados é denominada comunicação visual 1 O uso de imagens O uso da imagem é um

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2018

PLANEJAMENTO ANUAL 2018 PLANEJAMENTO ANUAL 2018 EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL II DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO (BNCC) Conviver Brincar Participar Explorar Expressar Conhecer-se OBJETIVOS GERAIS: Promover a interação

Leia mais

Inteligência Lingüística:

Inteligência Lingüística: Inteligência Lingüística: Capacidade de lidar bem com a linguagem, tanto na expressão verbal quanto escrita. A linguagem é considerada um exemplo preeminente da inteligência humana. Seja pra escrever ou

Leia mais

Checklist (por referência à CIF)

Checklist (por referência à CIF) Checklist (por referência à CIF) I Perfil de Funcionalidade Funções do Corpo Nota: Assinale com uma cruz (X), à frente de cada categoria, o valor que considera mais adequado à situação de acordo com os

Leia mais

Partir á descoberta!

Partir á descoberta! Partir á descoberta! TEMA:Partir á descoberta! EDUCADORA DE INFÂNCIA: Deolinda Alves AUXILIARES DE AÇÃO EDUCATIVA: Paula Santos e Ondina Gomes ANO ESCOLAR 2018/2019 Página 1 de 7 AREAS OBJETIVOS ESTRATÉGIAS

Leia mais

ATIVIDADES EXTRACURRICULARES 2018

ATIVIDADES EXTRACURRICULARES 2018 ATIVIDADES EXTRACURRICULARES 2018 A Brincadeira na Educação Infantil é uma atividade essencial para as crianças, onde a mesma não tem um valor de passatempo, mas de criar recursos para enfrentar o mundo

Leia mais

CRDA CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM DISORTOGRAFIA E DISCALCULIA

CRDA CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM DISORTOGRAFIA E DISCALCULIA CRDA CENTRO DE REFERÊNCIA EM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Dra. Maria Fernanda C. R. De Campos Neurologia Infantil -UNIFESP Ortografia x Grafia DISORTOGRAFIA E DISCALCULIA Grafia: técnica do uso da linguagem

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E EDUCAÇÃO

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E EDUCAÇÃO OBJETIVOS: Fomentar a produção e circulação de saberes docentes acerca das diferentes manifestações artísticas e expressivas no campo da Educação. Oferecer possibilidade de formação sensível, reflexiva

Leia mais

ANEXO I - DEFICIENCIA INTELECTUAL- AVALIAÇÃO INICIAL

ANEXO I - DEFICIENCIA INTELECTUAL- AVALIAÇÃO INICIAL ANEXO I - DEFICIENCIA INTELECTUAL- AVALIAÇÃO INICIAL I- Dados Gerais 1- Mês e Ano: /. 2-Nome do aluno: 3- Data de nascimento: / /. 4- Endereço residencial: 5- Telefone de contato da família: / / 6- Escola:

Leia mais

CURSOS LIVRES Ballet e Ballet Baby. Futebol O futebol desenvolve: Taekwondo

CURSOS LIVRES Ballet e Ballet Baby. Futebol O futebol desenvolve: Taekwondo CURSOS LIVRES 2019 Ballet e Ballet Baby O ballet clássico consiste em unir a técnica, a música e a atuação nos movimentos. São habilidades que as crianças vão adquirindo pouco a pouco por meio de exercícios

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1.º CEB - 2.º ANO Ano Letivo de 2018/2019

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1.º CEB - 2.º ANO Ano Letivo de 2018/2019 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS Oralidade 20% - escuta para interagir; - compreende enunciados orais; - identifica a intenção comunicativa de enunciados orais; - retém informação essencial. expressa-se

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO SER EM CENA

PESQUISA DE SATISFAÇÃO SER EM CENA PESQUISA DE SATISFAÇÃO SER EM CENA 2013 1 Apresentação Um Questionário de Satisfação foi elaborado pelos diversos setores da Ser em Cena, Teatro, Fonoaudiologia, Psicologia, Coral, Danceability e Administração.

Leia mais

A importância da decodificação de palavras para a compreensão leitora. Por Renata Taborda

A importância da decodificação de palavras para a compreensão leitora. Por Renata Taborda A importância da decodificação de palavras para a compreensão leitora Por Renata Taborda Atualmente a ciência da leitura vem nos fornecendo informações preciosas sobre como aprendemos a ler e escrever.

Leia mais

Desenvolvimento Corporal

Desenvolvimento Corporal Desenvolvimento Corporal Esquema Corporal Esquema corporal é a representação que cada um faz de si mesmo e que lhe permite orientar-se no espaço. Baseado em vários dados sensoriais proprioceptivos e exteroceptivos,

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Educação Especialização em Educação Infantil Professores Carmelito Lopes e Letícia Lopes.

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Educação Especialização em Educação Infantil Professores Carmelito Lopes e Letícia Lopes. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Educação Especialização em Educação Infantil Professores Carmelito Lopes e Letícia Lopes O método Willems Agosto/2014 A participação familiar na vida musical

Leia mais

Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico / 1.º Ano. Português

Critérios de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico / 1.º Ano. Português Oralidade Leitura 30% Escrita Educação Literária Gramática Português Conhecimentos, Capacidades e Peso Descritores do Perfil dos Alunos Atitudes 1 Interação discursiva; Compreensão e Expressão; Vocabulário;

Leia mais

Grelhas de observação e Registo

Grelhas de observação e Registo Grelhas de observação e Registo Legenda - AM (Aprendizagens Musicais): - T (Técnica) - C (Conceitos) - A (Artística) - PD (Produção e Difusão) Legenda - AS (Aprendizagens Sociais): - A (Autonomia Pessoal

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL OBJETIVOS: O objetivo do curso é estudar os processos de aprendizagem e também capacitar profissionais a observar, diagnosticar, planejar e intervir em problemas de aprendizado escolar, por meio de instrumentos

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III, IV e V EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III, IV e V EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO INFANTIL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III, IV e V EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS GERAIS Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, a melhoria

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO REFERENCIAÇÃO

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO REFERENCIAÇÃO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO REFERENCIAÇÃO NÍVEL DE INTERVENÇÃO: ANO LETIVO I - PEDIDO DE AVALIAÇÃO ESPECIALIZADA

Leia mais

I FÓRUM PEDAGÓGICO Da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aos Currículos

I FÓRUM PEDAGÓGICO Da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aos Currículos I FÓRUM PEDAGÓGICO Da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aos Currículos Educação Infantil na BNCC: possibilidades para uma construção curricular Alessandra Jácome Coordenadora de Currículo da Educação

Leia mais

1º e 2º ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais

1º e 2º ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais 1º e 2º ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais Jogos Cooperativos Oficina com práticas diversificadas, como circuito motor, atividades rítmicas, expressivas e jogos cooperativos, que trabalha as competências

Leia mais

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA

COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA SGAS Quadra 906 Conjunto E Brasília - DF Telefone: (61) 3443-7878 Site: www.lasalledf.com.br E-mail: lasalledf@lasalledf.com.br DIRETRIZES CURRICULARES Série: Maternal 2 1º Período

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1.º CEB - 3.º ANO Ano Letivo de 2018/2019

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1.º CEB - 3.º ANO Ano Letivo de 2018/2019 FORMAÇÃO ESPECIFICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS CAPACIDADES/ COMPETÊNCIAS DESCRITORES DE DESEMPENHO PONDERAÇÃO Oralidade 20% O aluno: - escuta para interagir; - compreende enunciados orais; - identifica

Leia mais

Disciplina: Processos Psicológicos Básicos II

Disciplina: Processos Psicológicos Básicos II Disciplina: Processos Psicológicos Básicos II Agora vamos realizar um REVISÃO dos temas estudados na Disciplina Processos Psicológicos Básicos II É esperado, que ao final, você reconheça os conceitos centrais

Leia mais

16/09/2010 CÓRTEX CEREBRAL

16/09/2010 CÓRTEX CEREBRAL CÓRTEX CEREBRAL CÓRTEX CEREBRAL córtex = casca composto por substância cinzenta (2 a 4mm) e substância branca adjacente (que une diferentes áreas) uma das mais importantes áreas do SN é a mais recente

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1.º CEB - 1.º ANO Ano Letivo de 2018/2019

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1.º CEB - 1.º ANO Ano Letivo de 2018/2019 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS Oralidade 20% - escuta para interagir; - compreende enunciados orais; - identifica a intenção comunicativa de enunciados orais; - retém informação essencial. expressa-se

Leia mais

O meu mundo! Plano Anual de Atividades - Berçário CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR - VISEU

O meu mundo! Plano Anual de Atividades - Berçário CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR - VISEU O meu mundo! Educadora de Infância: Sofia Marques Auxiliar da ação educativa: Idalina Alexandre Auxiliar da ação educativa: Manuela Oliveira Página 1 de 5 INTRODUÇÃO O plano de atividades é, como o nome

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO - FORMAÇÃO MODULAR CERTIFICADA

CALENDARIZAÇÃO - FORMAÇÃO MODULAR CERTIFICADA Acção: 3247 Assistência a Crianças no Domicílio - Alimentação da Criança Data Início: 16.Jan.2012 Duração: 25 Nível: 2 Data Fim: 06.Fev.2012 761174 - Acompanhante de Crianças Meses Horário 2012 1 2 3 4

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL PRÉ-ESCOLAR

PLANIFICAÇÃO ANUAL PRÉ-ESCOLAR PLANIFICAÇÃO ANUAL DO PRÉ-ESCOLAR ANO LECTIVO 2011/2012 Introdução A planificação de actividades nasce da intencionalidade educativa do trabalho do educador. Planear actividades não pode ser confundido

Leia mais

Grupo Pet/Artes Música da Universidade Estadual de Montes Claros: Práticas de intervenções para o desenvolvimento do ensino de música nas escolas

Grupo Pet/Artes Música da Universidade Estadual de Montes Claros: Práticas de intervenções para o desenvolvimento do ensino de música nas escolas Grupo Pet/Artes Música da Universidade Estadual de Montes Claros: Práticas de intervenções para o desenvolvimento do ensino de música nas escolas Lívia Danielle C. Fernandes Universidade Estadual de Montes

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Profa Dra Maria Beatriz Martins Linhares Professora Associada

Leia mais

Desafios da inclusão escolar e

Desafios da inclusão escolar e Desafios da inclusão escolar e dificuldades de aprendizagens das pessoas com deficiência Profa. Dra Nadia Aparecida Bossa Profa. Dra. Nadia Aparecida Bossa Autora dos Livros: - Fracasso Escolar: um olhar

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL OBJETIVOS: O objetivo do curso é estudar os processos de aprendizagem. Capacitar profissionais, através de instrumentos científicos, atualizados e inovadores, a observar, diagnosticar, planejar e intervir

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL A Ed. Infantil vem obtendo um espaço importante dentro do contexto educacional desde que passou a ser integrante da Educação Básica. A primeira infância corresponde ao período que vai desde a concepção

Leia mais

Escola: Professora: Série: Idade: Temática: Tema Gerador: Objetivo Geral:

Escola: Professora: Série: Idade: Temática: Tema Gerador: Objetivo Geral: PLANEJAMENTO Escola: Professora: Temática: Tema Gerador: Objetivo Geral: Escola: Professora: Data: Acolhida e apresentação da professora e dos alunos. Conhecendo a sala e escola. Cartaz da rotina do dia.

Leia mais

CURSO: MÚSICA LICENCIATURA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: MÚSICA LICENCIATURA EMENTAS º PERÍODO CURSO: MÚSICA LICENCIATURA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: LINGUAGEM E ESTRUTURAÇÃO MUSICAL I Leitura musical em duas claves de referência: sol e fá na 4º linha. Percepção auditiva. sistemas diatônicos.

Leia mais

Relacionamentos intrapessoal e interpessoal RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NA EDUCAÇÃO. Comprometido. Inteligência Linguística

Relacionamentos intrapessoal e interpessoal RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NA EDUCAÇÃO. Comprometido. Inteligência Linguística RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NA EDUCAÇÃO Relacionamentos intrapessoal e interpessoal Prof. Msc Rita de Cassia Moser Alcaraz Comprometido Envolvimento: ato ou efeito de envolver-se, envoltura 2 relacionamento,

Leia mais

Leila Landgraf Pedagoga/Psicopedagoga Clínico Institucional/Psicóloga e Screener CRP 16/3572

Leila Landgraf Pedagoga/Psicopedagoga Clínico Institucional/Psicóloga e Screener CRP 16/3572 CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS EM SAUDE MENTAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO -Cognição -Memória -Inteligência -APRENDIZAGEM -Escola Inclusiva -Currículo Adaptado -Integração Família, Escola e Terapia Leila

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ANO LECTIVO 2007/ 08 CHECKLIST

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ANO LECTIVO 2007/ 08 CHECKLIST MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ANO LECTIVO 2007/ 08 CHECKLIST Funções do Corpo Nota: Assinale com uma cruz (), à frente de cada categoria, o valor que considera mais adequado

Leia mais

Resolução SE 61/2014 de 11/11/2014 e Instrução CGEB de 14/01/2015 ANEXO I AVALIAÇÃO INICIAL. 4- Endereço residencial:

Resolução SE 61/2014 de 11/11/2014 e Instrução CGEB de 14/01/2015 ANEXO I AVALIAÇÃO INICIAL. 4- Endereço residencial: Resolução SE 61/2014 de 11/11/2014 e Instrução CGEB de 14/01/2015 I- Dados Gerais: 1- Mês e Ano: / ANEXO I AVALIAÇÃO INICIAL 2-Nome do aluno: 3- Data de nascimento: / / 4- Endereço residencial: 5- Telefone

Leia mais

Critérios de Avaliação de Educação Artística - 1º ano Ano letivo: 2018/2019

Critérios de Avaliação de Educação Artística - 1º ano Ano letivo: 2018/2019 Critérios de Avaliação de Educação Artística - 1º ano Ano letivo: 2018/2019 APRENDIZAGENS ESSENCIAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO PERFIL DO ALUNO DOMÍNIOS Níveis de Avaliação DRAMÁTICA/ TEATRO Identifica,

Leia mais

Critérios Específicos de Avaliação

Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO Matemática e Ciências Experimentais DISCIPLINA Ciências Naturais ANO 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 9.º Conhecimentos e Fichas e Exercícios de avaliação Registos de desempenho na aula Aquisição e compreensão

Leia mais

A música como ferramenta educacional indispensável

A música como ferramenta educacional indispensável A música como ferramenta educacional indispensável Segundo BEN & HENTSCHKE (2003), os benefícios de levar a música para o trabalho em sala de aula são: Desenvolve a expressão; Estimula a fala, a escrita

Leia mais

Interpretação e Dizer rimas e lengalengas; Criação e experimentação

Interpretação e Dizer rimas e lengalengas; Criação e experimentação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARQUÊS DE MARIALVA - CANTANHEDE ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR DO 1.º CEB - ATIVIDADES LÚDICO-EXPRESSIVAS - EXPRESSÃO MUSICAL Planificação Anual 1 e 2º Anos 2015/2016 Blocos

Leia mais

PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2015

PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2015 PLANEJAMENTO 1º TRIMESTRE/2015 TURMA: Nível 1 PERÍODO: 23/02 a 22/05 DISCIPLINA/PROFESSOR/A OBJETIVO CONTEÚDOS Viviane Bhoes Identidade e Autonomia * Reconhecer colegas e professores pelo nome; * Ampliar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Expressões 3º ano Ano Letivo 2017/2018

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Expressões 3º ano Ano Letivo 2017/2018 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Ciclo Planificação Anual de Expressões ano Ano Letivo 2017/2018 Expressão Plástica Construções sugeridas Recorte e colagem Cartazes Impressão sugeridas Recorte

Leia mais

PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE COLÉGIO DE APLICAÇÃO. Disciplina: MÚSICA Série: 8º ano

PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE COLÉGIO DE APLICAÇÃO. Disciplina: MÚSICA Série: 8º ano UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE COLÉGIO DE APLICAÇÃO PLANO DE ENSINO Disciplina: MÚSICA Série: 8º ano Professor Responsável: Thais Fernanda Vicente Rabelo Maciel Carga horária Anual: 60 horas Carga horária

Leia mais

Planificação Anual Disciplina - Expressões - 4 º Ano. Ano letivo: 2017/2018. Expressão Físico- Motora

Planificação Anual Disciplina - Expressões - 4 º Ano. Ano letivo: 2017/2018. Expressão Físico- Motora Planificação Anual Disciplina - Expressões - 4 º Ano Ano letivo: 2017/2018 Calendarização Bloco/Conteúdos N.º de aulas Expressão Físico- Motora Ginástica - Realização de habilidades gímnicas básicas em

Leia mais

Fracasso Escolar: um olhar psicopedagógico

Fracasso Escolar: um olhar psicopedagógico Fracasso Escolar: um olhar psicopedagógico Profa. Dra. Nádia Aparecida Bossa Doutora em Psicologia e Educação USP, Mestre em Psicologia da Educação PUC-SP, Neuropsicóloga, Psicopedagoga, Psicóloga, Pedagoga.

Leia mais

Critérios de Avaliação Disciplina: Orquestra de Sopros 2º CICLO

Critérios de Avaliação Disciplina: Orquestra de Sopros 2º CICLO 2º CICLO DOMÍNIO DA CRITÉRIOS GERAIS PERFIL DO ALUNO: DESCRITORES GERAIS INSTRUMENTOS INDICADORES DE % Coordenação psico-motora. Sentido de pulsação/ritmo/harmonia/ fraseado. COGNITIVOS: APTIDÕES CAPACIDADES

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS: A Ed. Infantil vem obtendo um espaço importante dentro do contexto educacional desde que passou a ser integrante da Educação Básica. A primeira infância corresponde ao período que vai desde

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

ENSINO FUNDAMENTAL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS ENSINO FUNDAMENTAL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil de aprendizagens específicas do aluno à saída 1.º Ciclo do Ensino Básico Tendo em atenção as características estruturais e humanas das Escolas

Leia mais

COMO É QUE APRENDES? TIPOS DE APRENDIZAGEM FORMAÇÃO

COMO É QUE APRENDES? TIPOS DE APRENDIZAGEM FORMAÇÃO F2 FORMAÇÃO APRENDES MELHOR ATRAVÉS DA OBSERVAÇÃO, OUVINDO OU PRATICANDO A INFORMAÇÃO QUE RECEBES? Todos somos diferentes quando se trata de aprendizagem e retenção de informação. Existem vários estilos

Leia mais

Planificação Anual Oficina de Teatro. 7.º Ano 3.º Ciclo. 1.º Semestre. Ano letivo: 2017/2018

Planificação Anual Oficina de Teatro. 7.º Ano 3.º Ciclo. 1.º Semestre. Ano letivo: 2017/2018 Planificação Anual Oficina de Teatro 7.º Ano 3.º Ciclo 1.º Semestre Ano letivo: 2017/2018 Calendarização Dimensão Sócio Afetiva N.º de aulas O indivíduo e o grupo. Desenvolver uma relação de pertença e

Leia mais

SUELI MARTINHO PLANEJAMENTO ANUAL DO GRUPO 1

SUELI MARTINHO PLANEJAMENTO ANUAL DO GRUPO 1 SUELI MARTINHO PLANEJAMENTO ANUAL DO GRUPO 1 FEVEREIRO ILHA SOLTEIRA-2017 PLANEJAMENTO ANUAL Objetivos e Metas do CCI O objetivo geral da proposta é valorizar a educação infantil como um instrumento de

Leia mais

AVALIAÇÃO ESPECIALIZADA

AVALIAÇÃO ESPECIALIZADA AVALIAÇÃO ESPECIALIZADA CIF - CJ Aluno: Turma: Ano: Diretora de Turma: 1 Funções do Corpo Nota: Assinale com uma cruz (X), à frente de cada categoria, o valor que considera mais adequado à situação de

Leia mais

Agrupamento de Escolas Diogo Cão, Vila Real Ano letivo de 2018/19 INDICADORES PERFIL DE APRENDIZAGENS

Agrupamento de Escolas Diogo Cão, Vila Real Ano letivo de 2018/19 INDICADORES PERFIL DE APRENDIZAGENS Agrupamento de Escolas Diogo Cão, Vila Real Ano letivo de 2018/19 Critérios de avaliação 5º ano Oferta Complementar DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO INDICADORES PONDERAÇÃO SÓCIO/AFETIVO Atitudes e Valores () Participação/

Leia mais

COGNIÇÃO e DOR. Fabiana Goto. Neuropsicóloga Especialização em Dor HCFMUSP LINEU Laboratório de Investigações em Neurociências IPq HCFMUSP

COGNIÇÃO e DOR. Fabiana Goto. Neuropsicóloga Especialização em Dor HCFMUSP LINEU Laboratório de Investigações em Neurociências IPq HCFMUSP COGNIÇÃO e DOR Programa de Educação Continuada em Fisiopatologia e Terapêutica da Dor Equipe de Controle da Dor da Divisão de Anestesia do Instituto Central do Hospital das Clínicas FMUSP Fabiana Goto

Leia mais

Escola Básica Sande S. Martinho Relatório de avaliação de Atividade

Escola Básica Sande S. Martinho Relatório de avaliação de Atividade Escola Básica Sande S. Martinho Relatório de avaliação de Atividade Tema: Histórias tradicionais Data: 23, 26 e 27 de Maio de 2014 Esta atividade foi realizada no âmbito do projeto Todos juntos podemos

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Linguagem PROFESSOR Marina da Silva CARGA HORÁRIA TURMA / TURNO ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 20 horas

EDUCAÇÃO INFANTIL PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Linguagem PROFESSOR Marina da Silva CARGA HORÁRIA TURMA / TURNO ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 20 horas EDUCAÇÃO INFANTIL PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Linguagem PROFESSOR Marina da Silva CARGA HORÁRIA TURMA / TURNO ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 20 horas Jardim I A - Matutino 2017 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1º TRIMESTRE

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE EXPRESSÕES ARTÍSTICAS (1.º ano)

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE EXPRESSÕES ARTÍSTICAS (1.º ano) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE EXPRESSÕES ARTÍSTICAS (1.º ano) 2018-2019 DOMÍNIOS PONDERAÇÃO COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS DRAMÁTICA / TEATRO. INTERPRETAÇÃO E Identifica, em manifestações performativas, personagens,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1.º Ciclo PLANIFICAÇÃO ANUAL - EXPRESSÕES. Ano letivo 2016/2017

Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1.º Ciclo PLANIFICAÇÃO ANUAL - EXPRESSÕES. Ano letivo 2016/2017 Agrupamento de Escolas de Eugénio de Castro 1.º Ciclo PLANIFICAÇÃO ANUAL - EXPRESSÕES Ano letivo 2016/2017 4.º Ano Disciplina Domínios/Blocos Conteúdos Instrumentos de Avaliação Calendarização EXPRESSÃO

Leia mais

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral:

PLANEJAMENTO Julho. Professor (a): Janete Neusa Perin NOME DO LIVRO: Objetivo geral: PLANEJAMENTO Julho NOME DO LIVRO: Estratégias de outras áreas do conhecimento A BRUXA SALOMÉ Leitura e escrita; Oralidade; Dias da Semana; Rimas. -Desenvolver o gosto pela leitura, valorizando a como fonte

Leia mais

Sala: 3 meses aos 12 meses (Berçário) Educadora: Idalina Barros

Sala: 3 meses aos 12 meses (Berçário) Educadora: Idalina Barros Sala: 3 meses aos 12 meses (Berçário) Educadora: Idalina Barros CALENDARIZAÇÃO TEMAS/CONTEÚDOS OBJETIVOS ATIVIDADES RECURSOS SETEMBRO Adaptação Os primeiros grupos sociais Observar e explorar ativamente

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GASPAR SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SEFOPPE

PREFEITURA MUNICIPAL DE GASPAR SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SEFOPPE PREFEITURA MUNICIPAL DE GASPAR SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SEFOPPE De acordo com o art. 6º do código de ética profissional do psicólogo, este documento é de caráter confidencial e cabe ao profissional que recebê-lo

Leia mais

Cursos do Conservatório Vocacionais. Cursos Profissionais

Cursos do Conservatório Vocacionais. Cursos Profissionais Cursos do Conservatório Vocacionais Piano, Canto, Violino, Guitarra, Saxofone, Harpa e de um modo geral todos os instrumentos de orquestra. Cursos Profissionais A Escola Profissional das Artes da Madeira

Leia mais

Critérios de Avaliação Jardim de Infância

Critérios de Avaliação Jardim de Infância CASA DE INFÂNCIA DE SANTO ANTÓNIO Departamento Curricular de Creche e Jardim de Infância Critérios de Avaliação Jardim de Infância Horta 2016/2017 2 Critérios de Avaliação Jardim de Infância A avaliação

Leia mais

Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA

Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA Departamento de Expressões e 1.º Ciclo CRITÉRIOS AVALIAÇÃO Critérios de Avaliação Documento

Leia mais

Atualização. Perfil de Funcionalidade

Atualização. Perfil de Funcionalidade Agrupamento de Escolas de Montelongo Escola: Atualização do Perfil de Funcionalidade (Informação por referência à CIF-CJ) (Decreto-Lei nº 3/2008 de 7 de janeiro) Identificação do aluno: N.º processo: Ano:

Leia mais

Doutora em Psicologia e Educação USP, Mestre em Psicologia da Educação PUC-SP, Neuropsicóloga, Psicopedagoga, Psicóloga, Pedagoga.

Doutora em Psicologia e Educação USP, Mestre em Psicologia da Educação PUC-SP, Neuropsicóloga, Psicopedagoga, Psicóloga, Pedagoga. Contribuições das Neurociências para a Qualidade e Inclusão na Educação Profa. Dra. Nádia Aparecida Bossa Doutora em Psicologia e Educação USP, Mestre em Psicologia da Educação PUC-SP, Neuropsicóloga,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM DIMENSÃO SÓCIO-AFECTIVA 1. O indivíduo e o Grupo 1. Desenvolver uma relação de pertença e de autonomia no seio do grupo. Conhecimento de si próprio. Conhecimento do outro. Criação de uma relação de grupo

Leia mais