Manual do Jovem Aprendiz

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual do Jovem Aprendiz"

Transcrição

1 Manual do Jovem Aprendiz

2

3 Seja bem-vindo ao Manual Jovem Aprendiz! Aqui você encontra todas as informações sobre a estrutura e o funcionamento do Programa Jovem Aprendiz CIEDS. Esperamos que, com este manual, você possa conhecer melhor o Programa e esclarecer todas as suas dúvidas. Acredite em seu potencial. Cadastre seu currículo, acompanhe as vagas abertas e comece agora a mudar o seu futuro. CIEDS

4 Sumário CIEDS 5 Programa Jovem Aprendiz 6 Aprendiz 6 Critérios de participação 6 Inscrição 7 Seleção 7 Empresas contratantes 8 Contrato 9 Documentos necessários para contratação 9 Contrato de aprendizagem 9 Extinção do contrato 10 Salário 12 Atividades práticas dentro da empresa 13 Direitos e Deveres do Jovem Aprendiz no CIEDS 14 Contatos 17 Links úteis 17

5 CIEDS O CIEDS é uma instituição social sem fins lucrativos, filantrópica, detentora do título de Utilidade Pública Federal. Em 2015 foi eleita pelo Instituto Global Geneva como a 5 mais importante ONG do Brasil e 103 do mundo. Com o objetivo de criar e articular tecnologias capazes de promover políticas públicas mais efetivas e um investimento social estratégico, o CIEDS desenvolve projetos sociais em 4 eixos de atuação: Educação e Cidadania; Inclusão e Bem Estar; Desenvolvimento Integrado; Empreendedorismo e Desenvolvimento Comunitário. Com sede no Rio de Janeiro, o CIEDS desenvolve projetos em todo o território nacional. No Programa Jovem Aprendiz, o CIEDS tem a função de mediar a relação aprendiz X empresa contratante e selecionar e capacitar os jovens para a entrada no mercado de trabalho.. Manual do Jovem Aprendiz CIEDS 5

6 Programa Jovem Aprendiz O programa Jovem Aprendiz CIEDS é uma importante porta de entrada para o mercado de trabalho porque permite aos jovens entre 14 e 24 anos desenvolver competências específicas através de uma formação técnico-profissional completa, permitindo a ele atuar em diversos segmentos de mercado. Além da formação técnico-profissional o Programa Jovem Aprendiz CIEDS oferece um acompanhamento psicopedagógico ao jovem desde a sua inscrição no programa, além de promover palestras, fóruns e encontros como forma de desenvolver ainda mais seu conhecimento técnico. O curso teórico associado à vivência prática irá preparar os jovens ainda melhor para o mercado de trabalho, transformando-os em profissionais mais seguros e confiantes. Aprendiz Estar na condição de aprendiz significa participar de um processo de inserção no mercado de trabalho, onde o jovem receberá experiência e qualificação, tornando-se mais preparado e competitivo no mercado de trabalho. Critérios de participação Jovens entre 14 anos e 23 anos e 11 meses que estejam matriculados e frequentando a escola ou que tenham concluído o ensino médio na rede pública ou privada. 6

7 Para os casos em que o aprendiz seja pessoa com deficiência, não há limite máximo de idade para a contratação. Não é preciso ter experiência profissional prévia uma vez que a proposta do Programa é justamente qualificar jovens, preparando-os para o mercado de trabalho. Inscrição O jovem deve cadastrar seu currículo, preenchendo todos os campos corretamente, em Cadastre seu currículo na seção Jovem Aprendiz no site do CIEDS. Na seção Vagas Disponíveis o candidato poderá acompanhar as vagas abertas e para quais ele está apto a participar, direcionando assim sua candidatura. Seleção Depois de cadastrar o seu currículo na seção Jovem Aprendiz, no site do CIEDS, o candidato poderá conhecer as vagas disponíveis. Para se candidatar à uma vaga, o candidato deverá enviar um para o endereço que aparece ao final da descrição da vaga. No campo Assunto ele deverá digitar o código da vaga. O CIEDS avaliará o currículo do candidato e os selecionados receberão uma carta de encaminhamento, que deverá ser apresentada, pelo próprio candidato, à empresa contratante. Lá, ele será entrevistado e poderá participar de alguma dinâmica de seleção. Sendo também aprovado pela empresa, o candidato será contratado como Jovem Aprendiz. Manual do Jovem Aprendiz CIEDS 7

8 Empresas contratantes Organizações com 07 (sete) funcionários ou mais são obrigadas a contratar jovens aprendizes de acordo com o percentual exigido pela Lei nº /2000. A cota de jovens aprendizes está fixada entre 5% e 15%, por estabelecimento. O número deve ser calculado sobre o total de empregados cujas funções demandem formação profissional. É facultativa a contratação de aprendizes pelas microempresas (ME), empresas de pequeno porte (EPP), inclusive as que fazem parte do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições, bem como pelas Entidades sem Fins Lucrativos (ESFL) que tenham por objetivo a educação profissional (Art. 14, I e II, do Decreto nº 5.598/05). 8

9 Contrato Documentos necessários para contratação Após ser selecionado pela empresa contratante e pelo CIEDS, o Jovem Aprendiz deverá comparecer à unidade de atendimento do CIEDS e apresentar 02 (duas) cópias dos seguintes documentos: RG CPF Declaração escolar de matrícula ou conclusão caso seja estudante Comprovante de residência Carteira de Trabalho RG do responsável legal e presença (caso menor). Certificado de reservista (homens de 18 a 24 anos) 02 Fotos 3x4 Caso o jovem aprendiz seja menor de idade, ele deverá fazer sua inscrição no programa Jovem Aprendiz CIEDS acompanhado do responsável legal. Contrato de aprendizagem O contrato de aprendizagem é um contrato de trabalho especial, com duração máxima de 24 meses, em que o empregador se compromete a assegurar ao jovem, inscrito em programa de aprendizagem, formação técnico-profissional compatível com o seu desenvolvimento físico, moral e psicológico, e o aprendiz, por sua vez, a executar com zelo e diligência as tarefas necessárias a essa formação. Não é permitido a empresa contratante alterar a modalidade do contrato. Quando o contrato de aprendizagem chegar ao seu termo final, o adolescente/jovem poderá ser contratado por prazo indeterminado. Manual do Jovem Aprendiz CIEDS 9

10 É de direito do jovem aprendiz benefícios como: vale-transporte e vale-alimentação, ambos concedidos pela empresa contratante; férias, que deverá coincidir com as férias escolares; e recolhimento de contribuição sindical. A jornada de trabalho se dará conforme o contrato. Nos dias de folga das atividades teóricas, o aprendiz pode cumprir a jornada integral de trabalho. O aprendiz tem direito ao seguro desemprego desde que sejam preenchidos os seguintes requisitos legais, segundo o Art. 428 da CLT: a) ter recebido salários relativos a cada um dos 6 (seis) meses imediatamente anteriores à data da dispensa; b) não estar recebendo qualquer benefício previdenciário de prestação continuada, previsto no Regulamento dos Benefícios da Previdência Social, excetuado o auxílio acidente e o auxílio suplementar previstos na Lei nº 6.367, de 19 de outubro de 1976, bem como o abono de permanência em serviço previsto na Lei nº 5.890, de 8 de junho de 1973; c) não estar em gozo do auxílio desemprego; d) não possuir renda própria de qualquer natureza suficiente a sua manutenção e a de sua família. Extinção do contrato O contrato será extinto nos seguintes casos, previstos pelo Art. 428 da CLT: 1. Desempenho insuficiente ou inadaptação do aprendiz atestado; 2. Falta disciplinar grave; 3. Rescisão por justa causa; Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador (Art. 482 da CLT): a) ato de improbidade; b) incontinência de conduta ou mau procedimento; 10

11 c) negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalhou o empregado, ou forma prejudicial ao serviço; d) condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da execução da pena; e) desídia no desempenho das respectivas funções; f) embriaguez habitual ou em serviço; g) violação de segredo da empresa; h) ato de indisciplina ou de insubordinação; i) abandono de emprego; j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem; l) prática constante de jogos de azar. Único: Constitui igualmente justa causa para dispensa de empregado a prática, devidamente comprovada em inquérito administrativo, de atos atentatórios contra a segurança nacional. 4. Ausência injustificada à escola que implique a perda do ano letivo. No encerramento antecipado do contrato, conforme artigo 28 do Decreto 5.598/05, a empresa contratante deverá solicitar ao CIEDS o Laudo de Avaliação, segundo estabelece o artigo 29 do Decreto 5.598/05. O CIEDS emitirá o Laudo de Avaliação após receber da empresa contratante a justificativa de encerramento antecipado do Contrato de Aprendizagem. Caso a Coordenação Pedagógica do CIEDS considere que o jovem pode melhorar seu desempenho, o CIEDS irá sugerir à empresa que implemente ações conjuntas de melhoria e avaliação dos resultados alcançados. Manual do Jovem Aprendiz CIEDS 11

12 Caso a empresa decida pela rescisão do contrato, é necessário que ela encaminhe para o CIEDS uma cópia da rescisão ou da carta de demissão para o fechamento do prontuário do aprendiz. A documentação deverá ser entregue no máximo em 10 (dez) dias úteis. Salário A lei garante ao aprendiz o direito ao salário mínimo-hora, observando-se, caso exista, o piso estadual. No entanto, o salário pode ser maior que o mínimo (Art. 428, 2º, da CLT e art. 17, parágrafo único do Decreto nº 5.598/05), caso a empresa contratante deseje. Além das horas destinadas às atividades práticas, deverão ser computadas no salário também as horas destinadas às aulas teóricas, o descanso semanal remunerado e feriados. O cálculo do salário do aprendiz deve ser realizado de acordo com a seguinte fórmula: Salário Mensal = Salário-hora x horas trabalhadas semanais x semanas do mês x 7/6. Não são realizados descontos no salário do aprendiz (Art. 462 da CLT), salvo quando este resultar de adiantamentos, de dispositivos de lei ou de convenção ou acordo coletivo que lhes seja aplicável. Caso falte às aulas frequentemente e não apresente comprovante de ausência, o jovem será descontado da folha de pagamento, tanto o dia que faltou quanto o descanso semanal remunerado (domingo). 12

13 Atividades práticas dentro da empresa A empresa selecionará um monitor que fará a coordenação de exercícios práticos e acompanhamento das atividades do aprendiz na empresa para garantir a formação integral do jovem de acordo com os conteúdos estabelecidos no curso em que foi matriculado. Manual do Jovem Aprendiz CIEDS 13

14 Contatos Em caso de qualquer dúvida, dirija-se a Unidade de Atendimento Jovem Aprendiz, procure a Coordenação Pedagógica ou envie uma mensagem acessando a página Fale Conosco do site do CIEDS. Unidade de Atendimento Jovem Aprendiz Rua Conselheiro Saraiva, número 28, 8º andar, Centro RJ Fale Conosco CIEDS Links úteis CIEDS: Ministério do Trabalho: portal.mte.gov.br/portal-mte 14

15 Manual do Jovem Aprendiz CIEDS 15

16

CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES

CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES OBRIGATORIEDADE DA CONTRATAÇÃO Estabelecimentos de qualquer natureza são obrigados a contratar aprendizes. Estabelecimento é todo complexo de bens organizado para o exercício

Leia mais

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes Menor Aprendiz Perguntas Frequentes A aprendizagem é regulada pela CLT e passou por um processo de modernização com a promulgação das Leis nºs. 11.180/2005, 10.097/2008 e 11.788/2008. O Estatuto da Criança

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE CONTRATO DE APRENDIZAGEM Termo que deverá ser assinado entre EMPRESA E APRENDIZ com a presença do responsável legal. (Delegacia Regional do Trabalho Imprimir em Papel Timbrado

Leia mais

OBJETIVOS. Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional;

OBJETIVOS. Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional; OBJETIVOS Associar o início da vida no mercado de trabalho com a conclusão de um curso profissional; Fornecer conhecimento teórico e prático; Ampliar o acesso ao mercado de trabalho antecipadamente; Permitir

Leia mais

Contratação e Modelo de Contrato

Contratação e Modelo de Contrato Contratação e Modelo de Contrato Deveres da Empresa Firmar contrato especial de aprendizagem com o adolescente e inscrevê-lo em curso de aprendizagem desenvolvido por uma entidade qualificada de ensino

Leia mais

DIREITOS DO TRABALHADOR ADOLESCENTE

DIREITOS DO TRABALHADOR ADOLESCENTE DIREITOS DO TRABALHADOR ADOLESCENTE 1 Aprendizagem 2 LEGISLAÇÃO Consolidação das Leis do Trabalho (art. 428 e seguintes da CLT) Lei 10.097/2000 Decreto 5.598, de 01/12/2005 Portarias n.ºs 615; 616/2007

Leia mais

Tire suas dúvidas sobre a Lei do Aprendiz

Tire suas dúvidas sobre a Lei do Aprendiz Tire suas dúvidas sobre a Lei do Aprendiz 1-O que é um aprendiz? É um adolescente/jovem que tem que entre 14 e 24 anos de idade e que esteja matriculado em um Programa de Aprendizagem numa ONG, Escola

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 030/2013.

PROJETO DE LEI N.º 030/2013. PROJETO DE LEI N.º 030/2013. Institui o Programa Menor Aprendiz no âmbito do Município de Bela Vista de Minas e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Bela Vista de Minas, Estado de Minas Gerais,

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa MENOR APRENDIZ O QUE ÉPRECISO SABER PARA CONTRATAR MENOR APRENDIZ 1) O que é aprendizagem? Segundo definição do ECA, aprendizagem é a formação técnico profissional

Leia mais

Como é calculado o salário do aprendiz?

Como é calculado o salário do aprendiz? Como é calculado o salário do aprendiz? 1º PASSO - Cálculo da hora nua: Hora nua = salário mínimo / 150 horas (n. de horas/mês) * 150 = 30 horas semanais x 5 semanas Ex.: 424,00 / 150 = 2,826 Salário base

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Lei n.º 1.392, de 17 de novembro de 2011. "AUTORIZA O PODER EXECUTIVO MUNICIPAL A CRIAR O PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTRATAÇÃO DE MENOR APRENDIZ PELO MUNICIPIO DE JACIARA, NOS TERMOS DA PRESENTE LEI E DÁ

Leia mais

Aspectos Jurídicos no Uso de Dispositivos Pessoais no Ambiente Corporativo. Dra. CRISTINA SLEIMAN. Dra. Cristina Sleiman Diretora Executiva

Aspectos Jurídicos no Uso de Dispositivos Pessoais no Ambiente Corporativo. Dra. CRISTINA SLEIMAN. Dra. Cristina Sleiman Diretora Executiva Comissão de Direito eletrônico E Crimes de Alta Tecnologia Aspectos Jurídicos no Uso de Dispositivos Pessoais no Ambiente Corporativo Dra. CRISTINA SLEIMAN Dra. Cristina Sleiman Diretora Executiva SP,

Leia mais

LEI DO APRENDIZ. Art. 1 - Nas relações jurídicas pertinentes à contratação de aprendizes, será observado o disposto neste Decreto.

LEI DO APRENDIZ. Art. 1 - Nas relações jurídicas pertinentes à contratação de aprendizes, será observado o disposto neste Decreto. LEI DO APRENDIZ Regulamenta a contratação de aprendizes e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista

Leia mais

Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro

Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro COORDENAÇÃO GFIPATI Aprendizagem, Legislação e Prática: I - Cotas de Aprendizagem; II Cadastro Nacional de Aprendizagem; III Fiscalização

Leia mais

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4.

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4. Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4 2 Denominação, 6 3 Conceito e divisão da matéria, 8 4 Posição enciclopédica, 9 5 Fontes,

Leia mais

Aprendizagem Aspectos Legais. Kênia Propodoski Auditora-Fiscal do Trabalho Coordenadora do Projeto de Aprendizagem da SRTE/MT

Aprendizagem Aspectos Legais. Kênia Propodoski Auditora-Fiscal do Trabalho Coordenadora do Projeto de Aprendizagem da SRTE/MT Aprendizagem Aspectos Legais Kênia Propodoski Auditora-Fiscal do Trabalho Coordenadora do Projeto de Aprendizagem da SRTE/MT 2011 Base legal da aprendizagem: Art. 7, inc. XXXIII da CF; Arts. 428 a 433

Leia mais

Manual da Aprendizagem

Manual da Aprendizagem Manual da Aprendizagem Preparado pelo Centro Social Betesda (CSB) INTRODUÇÃO Aprendizagem é uma ação promovida para incentivar a aplicação prática da Lei 10.097, que regulariza o trabalho de adolescentes

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 01/2015

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 01/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 01/2015 A Prefeitura Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, através do Centro de Integração Empresa Escola - CIEE e com autorização do Prefeito Municipal Exmo. Srº

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA PETROBRAS JOVEM APRENDIZ

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA PETROBRAS JOVEM APRENDIZ PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA PETROBRAS JOVEM APRENDIZ A Sociedade de Estudos Múltiplos, Ecológica e de Artes Sociedade Semear, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de

Leia mais

Fim do contrato por prazo determinado: este contrato termina no fim do prazo ou quando finda a obra para a qual foi o empregado contratado.

Fim do contrato por prazo determinado: este contrato termina no fim do prazo ou quando finda a obra para a qual foi o empregado contratado. Legislação Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 25 RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO Na doutrina não há unanimidade no uso dos termos qualificadores do término do contrato de trabalho, são empregadas

Leia mais

Mini Curso de Setor de Recursos Humanos

Mini Curso de Setor de Recursos Humanos Mini Curso de Setor de Recursos Humanos Carlos Antônio Maciel Luciano Nóbrega Cerqueira Maio/Junho 2009 1 SUMÁRIO 1 Admissões 2 Elaboração da Folha de Pagamento 3 Rescisões Contratuais 4 Obrigações Acessórias

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÃO E PROCESSO SELETIVO PROGRAMA ADOLESCENTE APRENDIZ

EDITAL DE INSCRIÇÃO E PROCESSO SELETIVO PROGRAMA ADOLESCENTE APRENDIZ A Chocolates Garoto S/A compreendendo a importância do Programa de Aprendizagem abre inscrições para filhos(as), irmãos(ãs), sobrinhos(as), primos(as) e comunidade indicada por seus colaboradores e prestadores

Leia mais

EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DATAPREV PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL

EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DATAPREV PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL EMPRESA DE TECNOLOGIA E INFORMAÇÕES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DATAPREV PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL CNPJ: 42.422.253/0014-18 ENDEREÇO: SETOR DE AUTARQUIAS SUL, QUADRA 01, BLOCOS E/F - BRASÍLIA-DF CEP: 70.070-931

Leia mais

Proteção ao Trabalhador Menor

Proteção ao Trabalhador Menor Proteção ao Trabalhador Menor O trabalhador menor ganhou proteção legal para o desempenho de suas atividades, razão que lhe assiste por se encontrar num processo de amadurecimento físico, mental, moral,

Leia mais

JOVEM APRENDIZ. Resultado do Aprofundamento dos Estudos. Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação

JOVEM APRENDIZ. Resultado do Aprofundamento dos Estudos. Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Resultado do Aprofundamento dos Estudos Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Introdução A formação técnico-profissional de jovens é de grande importância para sua inserção

Leia mais

APRENDIZAGEM aprendizagem

APRENDIZAGEM aprendizagem APRENDIZAGEM APRENDIZAGEM A aprendizagem é um instituto que cria oportunidades tanto para o aprendiz quanto para as empresas, pois prepara o jovem para desempenhar atividades profissionais e ter capacidade

Leia mais

Anexo 05 CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ

Anexo 05 CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ Anexo 05 EMPREGADOR: CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ MSMT..., pessoa jurídica de direito privado, com endereço na Av./Rua..., nº... Bairro..., cidade..., CEP..., inscrita no C.N.P.J...,, neste ato representada

Leia mais

SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA. Cargos/Funções: Comprador Pleno e Assistente Administrativo

SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA. Cargos/Funções: Comprador Pleno e Assistente Administrativo SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO SPDM MATRIZ Nº 108/2013 PROCESSO SELETIVO DE PROFISSIONAIS PARA TRABALHAREM NA SEDE ADMINISTRATIVA DO PROJETO

Leia mais

APRENDIZAGEM --------------------------------------------------------- REFERÊNCIAS NORMATIVAS e ORIENTAÇÕES

APRENDIZAGEM --------------------------------------------------------- REFERÊNCIAS NORMATIVAS e ORIENTAÇÕES APRENDIZAGEM --------------------------------------------------------- REFERÊNCIAS NORMATIVAS e ORIENTAÇÕES Aprendizagem Cria oportunidades tanto para o aprendiz quanto para a empresa, pois prepara o jovem

Leia mais

LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000

LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000 LEI N o 10.097, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000 Mensagem de veto Altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto- Lei n o 5.452, de 1 o de maio de 1943. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - ABANDONO DE EMPREGO

- GUIA DO EMPRESÁRIO - ABANDONO DE EMPREGO - GUIA DO EMPRESÁRIO - ABANDONO DE EMPREGO Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/8 NOTA: Para todos os efeitos os textos deste artigo são fundamentos na legislação

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL A Centrais Elétricas de Carazinho S.A. - ELETROCAR, CNPJ nº. 88.446.034/0001-55, torna pública a realização de processo seletivo para o preenchimento de 04 (quatro) vagas

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Ética e Legislação em Publicidade e Propaganda Profª. Cláudia Holder Nova Lei de Estágio (Lei nº 11.788/08) Lei

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

Aprendiz Paulista. Compreendendo o Programa. Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho

Aprendiz Paulista. Compreendendo o Programa. Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho Aprendiz Paulista Compreendendo o Programa Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho Manual do Aprendiz Paulista Esclarecimento das dúvidas sobre o Programa São Paulo - 2009 2 Governador José Serra

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO. O que devo saber? Índice

CONTRATO DE TRABALHO. O que devo saber? Índice CONTRATO DE TRABALHO O que devo saber? Índice Assunto Resposta nº? Acidente de Trabalho 8, 22, 23 Acordo de compensação de horário 26 Admissão de empregado 1, 3, 4 Atestado médico 6, 7, 9 Aviso prévio

Leia mais

Manual de Orientações às Empresas

Manual de Orientações às Empresas Manual de Orientações às Empresas Aprendizagem Profissional Comercial em Serviços Administrativos em Instituições de Saúde Carga horária: 1.333 horas Fevereiro 2014 Fls: [ 1 ] / [ 14] Prezado(a) Senhor(a)

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

PORTARIA UNIDA Nº. 15/2015, de 18 de Julho de 2015.

PORTARIA UNIDA Nº. 15/2015, de 18 de Julho de 2015. PORTARIA UNIDA Nº. 15/2015, de 18 de Julho de 2015. O Diretor Geral da Faculdade Unida de Vitória, no uso das atribuições conferidas pelo Regimento Interno resolve regulamentar os procedimentos gerais

Leia mais

A quem se destina a aprendizagem industrial

A quem se destina a aprendizagem industrial Instituto da Aprendizagem Política pública de Estado, convergência de políticas de inserção do jovem no mercado de trabalho, resultado de ações multilaterais e internacionais de combate à exploração do

Leia mais

ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS

ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS ASSESPRO ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E Internet - RS DESTAQUE E PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO PARA O PROJETO DE LEI 993/07. Artigo 1º, 1º constante no PL 993: CAPITULO

Leia mais

APRENDIZ E ESTAGIÁRIO

APRENDIZ E ESTAGIÁRIO APRENDIZ E ESTAGIÁRIO Aprendiz é aquele que mediante contrato de aprendizagem ajustado por escrito e por prazo determinado, em que o empregador se compromete a assegurar ao maior de 14 e menor de 24 anos,

Leia mais

ÍNDICE I APRESENTAÇÃO... 2 OBJETIVOS DO PROGRAMA GERAL... 3 ESPECÍFICOS... 3 III CONTRATO DE TRABALHO... 4 IV CARGA HORÁRIA... 5

ÍNDICE I APRESENTAÇÃO... 2 OBJETIVOS DO PROGRAMA GERAL... 3 ESPECÍFICOS... 3 III CONTRATO DE TRABALHO... 4 IV CARGA HORÁRIA... 5 ÍNDICE I APRESENTAÇÃO... 2 II OBJETIVOS DO PROGRAMA GERAL... 3 ESPECÍFICOS... 3 III CONTRATO DE TRABALHO... 4 IV CARGA HORÁRIA... 5 V DIREITOS DO APRENDIZ... 5 VI DEVERES DO APRENDIZ... 6 VII FREQUÊNCIA...

Leia mais

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008)

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) 1. O que é o estágio? Resposta: Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação

Leia mais

O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000

O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000 O CONTRATO DE APRENDIZAGEM E AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA LEI 10.097/2000 Grasiele Augusta Ferreira Nascimento 1 Introdução Um dos temas mais debatidos em Direito do Trabalho refere-se à proteção ao

Leia mais

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e;

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e; RESOLUÇÃO CSA 02/2009 REFERENDA A PORTARIA DG 02/2008 QUE APROVOU A INSERÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NÃO OBRIGATÓRIOS NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS OFERTADOS PELAS FACULDADES INTEGRADAS SÉVIGNÉ.

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP Capítulo I DA NATUREZA E SUAS FINALIDADES Art. 1º O estágio baseia-se na Lei nº. 11.788, sancionada em 25 de setembro de 2008. Parágrafo

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTOS DOS CONSELHOS ESCOLARES PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE ENSINO

SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE ENSINO SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE ENSINO EDITAL Nr 256-15-DE/CBMSC (Processo Nr 293-15-DE) SELEÇÃO PARA O MÓDULO DE INSTRUÇÃO GERAL PARA

Leia mais

BOLSA PDSE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR

BOLSA PDSE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR Program a de Pós-Graduação em Enfermagem SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE BOLSA PDSE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE RESERVA Edital nº 03/2013

PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE RESERVA Edital nº 03/2013 PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE RESERVA Edital nº 03/2013 O Instituto Brasileiro de Administração Pública e Apoio Universitário IBAP-RJ torna público a realização do Processo Seletivo para Cadastro

Leia mais

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 023/ 2015 DSEI XAVANTE

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 023/ 2015 DSEI XAVANTE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 023/ 2015 DSEI XAVANTE A SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, entidade sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do

Leia mais

Gerência Executiva de Comunicação Corporativa, Inteligência Competitiva e Sustentabilidade

Gerência Executiva de Comunicação Corporativa, Inteligência Competitiva e Sustentabilidade Gerência Executiva de Comunicação Corporativa, Inteligência Competitiva e Sustentabilidade Edital Processo Seletivo Programa Formare Aprendiz Santos Brasil 2016 1 Edital Processo Seletivo Programa Formare

Leia mais

SERVIÇOS OFERECIDOS PELA AGÊNCIA DO SINE-UERJ

SERVIÇOS OFERECIDOS PELA AGÊNCIA DO SINE-UERJ SERVIÇOS OFERECIDOS PELA AGÊNCIA DO SINE-UERJ Cadastramento de trabalhadores em geral, inclusive para primeiro emprego e deficientes. Cadastramento de empregadores e vagas. Emissão de carteira de trabalho

Leia mais

CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E INSTRUTORIA

CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E INSTRUTORIA CREDENCIAMENTO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA E INSTRUTORIA PERGUNTAS FREQUENTES Este guia com perguntas e respostas foi desenvolvido para possibilitar um melhor entendimento

Leia mais

A NOVA LEI DE ESTÁGIO DE ESTUDANTES

A NOVA LEI DE ESTÁGIO DE ESTUDANTES A NOVA LEI DE ESTÁGIO DE ESTUDANTES (11.788, DE 25/09/2008) Definição Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo

Leia mais

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 007/ 2015 DSEI TAPAJÓS

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 007/ 2015 DSEI TAPAJÓS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 007/ 2015 DSEI TAPAJÓS A SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, entidade sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do

Leia mais

Manual de Orientações às Empresas. Programa Aprendizagem: Gestão e Negócios. Manual de Orientações às Empresas. Carga horária: 1.

Manual de Orientações às Empresas. Programa Aprendizagem: Gestão e Negócios. Manual de Orientações às Empresas. Carga horária: 1. Manual de Orientações às Empresas Programa Aprendizagem: Gestão e Negócios Carga horária: 1.333 horas Fls: [ 1 ] / [ 12] Prezado(a) Senhor(a) O Senac São Paulo está empenhado em reafirmar, em todas as

Leia mais

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 035/2015 DSEI CUIABÁ CADASTRO DE RESERVA A SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, entidade sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de

Leia mais

PROGRAMA DE APREDIZAGEM NO IFRN

PROGRAMA DE APREDIZAGEM NO IFRN MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APREDIZAGEM NO IFRN

Leia mais

Departamento de Estágios FACCAMP. Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio

Departamento de Estágios FACCAMP. Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio Departamento de Estágios FACCAMP Procedimentos Básicos para assinatura de Convênio e Contrato de Estágio OBRIGAÇÕES DO ESTAGIÁRIO. Solicitar na Secretaria Geral da FACCAMP declaração de autorização para

Leia mais

Manual de Orientações às Empresas

Manual de Orientações às Empresas Manual de Orientações às Empresas Aprendizagem Profissional Comercial em Serviços de Restaurante e Bar Carga horária: 1.333 horas Fevereiro 2014 Fls: [ 1 ] / [ 15] Prezado(a) Senhor(a) O Senac São Paulo

Leia mais

Lei da Aprendizagem 10.097/2000. Visite nosso site: www.cepro.org.br

Lei da Aprendizagem 10.097/2000. Visite nosso site: www.cepro.org.br Lei da Aprendizagem 10.097/2000 Visite nosso site: www.cepro.org.br HISTÓRICO DO CENTRO PROFISSIONALIZANTE RIO BRANCO 1946 1997 Lar Escola Rotary (LER)- uma escola rural Mudança do nome para Centro de

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 0 ÍNDICE NATUREZA E FINALIDADE 2 COORDENAÇÃO DOS CURSOS 2 COORDENAÇÃO DIDÁTICA 2 COORDENADOR DE CURSO 2 ADMISSÃO AOS CURSOS 3 NÚMERO

Leia mais

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) Estabelece Diretrizes Nacionais para a

Leia mais

ECA, 01/12/2005, - 21! 14 18 414 21, 5.598/05), 432 21, 1º,

ECA, 01/12/2005, - 21! 14 18 414 21, 5.598/05), 432 21, 1º, Esclarecimentos 1. Ao longo de todo o edital, é informado que o processo licitatório obedecerá integralmente a Lei Complementar nº 123/2006 (Microempresas e Empresas de Pequeno Porte). Sugerimos a exclusão

Leia mais

CONTRATO DE APRENDIZAGEM - Considerações. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/09/2012. Sumário:

CONTRATO DE APRENDIZAGEM - Considerações. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/09/2012. Sumário: CONTRATO DE APRENDIZAGEM - Considerações Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 06/09/2012. Sumário: 1 - Introdução 2 - Contrato de Aprendizagem 2.1 - Validade do Contrato de Aprendizagem

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE GERENTE DE UBSF EDITAL DE INSCRIÇÕES E INSTRUÇÕES ESPECIAIS

PROCESSO SELETIVO DE GERENTE DE UBSF EDITAL DE INSCRIÇÕES E INSTRUÇÕES ESPECIAIS PROCESSO SELETIVO DE GERENTE DE UBSF EDITAL DE INSCRIÇÕES E INSTRUÇÕES ESPECIAIS A Associação Saúde da Família ASF faz saber que realizará processo seletivo para cargo de Gerente nas Unidades Básicas de

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT.

RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. RESOLUÇÃO N. 176/04-CEE/MT. Estabelece Diretrizes para a organização e a realização de Estágio de alunos da Educação Profissional de Nível Técnico e do Ensino Médio, inclusive nas modalidades de Educação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO N 04-2010 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL

PROCESSO SELETIVO N 04-2010 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PROCESSO SELETIVO N 04-2010 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL A unidade nacional do Sescoop Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO LEI N.º 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio

Leia mais

REGULAMENTO DA INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES DA 14ª OFICINA DE PRODUÇÃO DE VÍDEO GERAÇÃO FUTURA

REGULAMENTO DA INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES DA 14ª OFICINA DE PRODUÇÃO DE VÍDEO GERAÇÃO FUTURA REGULAMENTO DA INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES DA 14ª OFICINA DE PRODUÇÃO DE VÍDEO GERAÇÃO FUTURA O Canal Futura acredita que a juventude brasileira tem um importante papel a desempenhar

Leia mais

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI

Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Saúde Indígena Convênios SPDM-MS/SESAI PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 032/ 2015 DSEI ALTAMIRA CADASTRO DE RESERVA A SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, entidade sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional

Leia mais

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica Francisco Aparecido Cordão Conselheiro da Câmara de Educação Básica do CNE facordao@uol.com.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014. Série. Número 27 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 16/2014 Aprova o Regulamento do Programa Jovem

Leia mais

A aprendizagem é regulada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) no capítulo referente ao menor (do art. 424 ao art. 433)

A aprendizagem é regulada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) no capítulo referente ao menor (do art. 424 ao art. 433) ASSINATURA DE CTPS MENOR cadastrada em: 02/10/09 14:23 APRENDIZAGEM Manual prático Sumário 1 - Introdução 2 - Obrigatoriedade de matricular e contratar aprendizes 3 - Matrícula em curso profissionalizante

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE BRASÍLIA PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO NOTA Nº E-042/2013

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE BRASÍLIA PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO NOTA Nº E-042/2013 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE BRASÍLIA PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO NOTA Nº E-042/2013 A EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS, empresa

Leia mais

A Legislação Brasileira e a Responsabilidade Social das Empresas. A Lei do Aprendiz

A Legislação Brasileira e a Responsabilidade Social das Empresas. A Lei do Aprendiz A Legislação Brasileira e a Responsabilidade Social das Empresas A Lei do Aprendiz Primeira Edição Novembro de 2007 LSA Social A Legislação Brasileira e a Responsabilidade Social das Empresas Lopes da

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XX/XXXX/CS-IFB MINUTA

RESOLUÇÃO Nº XX/XXXX/CS-IFB MINUTA RESOLUÇÃO Nº XX/XXXX/CS-IFB MINUTA Aprova o Regulamento do Programa de Aprendizagem Profissional (Programa Jovem Aprendiz) do Instituto Federal de Brasília - IFB. O presidente do Conselho Superior do INSTITUTO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA PETROBRAS JOVEM APRENDIZ

PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA PETROBRAS JOVEM APRENDIZ PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA PETROBRAS JOVEM APRENDIZ A Sociedade de Estudos Múltiplos, Ecológica e de Artes Sociedade Semear, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de

Leia mais

SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA CARGOS/FUNÇÕES: APRENDIZ

SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA CARGOS/FUNÇÕES: APRENDIZ SPDM ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO SPDM INFORMATIVO Nº 018/014 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA SEDE ADMINISTRATIVA

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE ESTÁGIO

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE ESTÁGIO DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE ESTÁGIO 1. O que é o estágio? Resposta: Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE ALAGOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR. NOTA nº E-029/2014

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE ALAGOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR. NOTA nº E-029/2014 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE ALAGOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA nº E-029/2014 A EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS, empresa

Leia mais

Fundatec Estágios. Veículo: Site da Casa Civil Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11788.htm

Fundatec Estágios. Veículo: Site da Casa Civil Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11788.htm Fundatec Estágios A Fundatec informa seus clientes sobre a sanção da Lei de Estágios, aprovada ontem pelo Presidente da República. Seguem as principais notícias veiculadas hoje nas mídias nacionais. Segue

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

Página 1 de 5 O ART. 429, CLT E A COTA APRENDIZ Márcio Archanjo Ferreira Duarte 1. INTRODUÇÃO A figura da aprendizagem adveio originalmente do Decreto nº. 13.064, de 12 de junho de 1918, que aprovava naquela

Leia mais

CARTILHA - CONTRATAÇÃO APRENDIZES

CARTILHA - CONTRATAÇÃO APRENDIZES CARTILHA - CONTRATAÇÃO APRENDIZES Todas as respostas fundamentam-se em dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho, da Lei 10.097/00, do Decreto 5.598/05 e das Instruções Normativas nº 26/01 e 26/02

Leia mais

a. Registro na CTPS na função pretendida

a. Registro na CTPS na função pretendida CRITÉRIOS PARA OBTENÇÃO DO ATESTADO DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL, NAS FUNÇÕES REGULAMENTADAS PELA LEI 6533/78, DECRETO 82385/78 QUADRO ANEXO - ITEM II CINEMA Tendo em vista que o exercício das profissões

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL Nº 001/2015

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL Nº 001/2015 CONVÊNIO Nº: 812779/2014 - SDH/PR PROCESSO LICITATÓRIO Nº: 004/2015 OBJETO: Contratação de 01(um)apoio administrativo A Associação Fábrica Cultural, entidade

Leia mais

ESTATUTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE

ESTATUTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE ESTATUTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE Data de emissão Janeiro 2005 Data de revisão Janeiro 2005 Autor GabIGT Acesso Público ÍNDICE Págs. 1. Quem é considerado trabalhador estudante? 3 2. Como se pode beneficiar

Leia mais