DETERMINANTES DA PENETRAÇÃO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARANÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DETERMINANTES DA PENETRAÇÃO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARANÁ"

Transcrição

1 DETERMINANTES DA PENETRAÇÃO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARANÁ RESUMO: Autoria: Leandro Iantas Moralejo, Erica P. Stupka, Marcelo Tardelli, Marcia Cassitas Hino As discussões a respeito da importância de se ampliar as possibilidades da população se beneficiar do uso das redes de acesso à internet em banda larga para o desenvolvimento do país tem se intensificado e é um ponto comum nas agendas de políticas públicas. Em diversos países, o poder público tem empreendido ações com o intuito de se massificar o acesso à banda larga entre a população. O objetivo desse artigo é analisar os principais fatores relativos ao desenvolvimento econômico e social que afetam a penetração do serviço de acesso à internet banda larga nos municípios paranaenses. 1

2 INTRODUÇÃO A internet surgiu a partir de um projeto militar nos Estados Unidos (ARPA: Advanced Research Projects Agency) no período áureo da Guerra Fria no início da década de sessenta com o objetivo de instrumentalizar o país com uma tecnologia que possibilitasse a manutenção de canais para a troca e compartilhamento de informações de forma descentralizada em caso de uma guerra nuclear, onde cada computador seria apenas um ponto de conexão e que se impossibilitado de operar não comprometeria o fluxo das informações. Com base nesse conceito surgia então em 1969 a ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), primeira rede nacional de computadores. Durante a década de setenta, com o surgimento daquilo que a história denomina Coexistência Pacífica entre as duas potências e não havendo mais iminência de um ataque inimigo, o governo dos Estados Unidos passou progressivamente a permitir o acesso não só a pesquisadores como também os alunos de universidades americanas a rede. Com o passar do tempo seu uso passou a ser público propiciando o surgimento daquilo que conhecemos por Sociedade da Informação, modificando as atividades econômicas existentes e possibilitando o surgimento de novas atividades como o comércio eletrônico. Nesse sentido é importante destacar que já em 1992 o senador Al Gore se referia a internet como a Superhighway of Information. O interesse mundial, aliado ao interesse comercial que visualizava o potencial de ganhos financeiros da internet possibilitou o boom e sua popularização a partir da década de No Brasil a internet teve seu início ligado Rede Nacional de Pesquisa (RNP), projeto lançado em 1989 pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, e se tornou funcional a partir do ano de 1991 com a inauguração do primeiro backbone, que é a infraestrutura que conecta todos os pontos de uma rede, ficando inicialmente restrita aos meios acadêmicos. As primeiras iniciativas para disponibilizar a internet ao público começaram em 1995 novamente com o Ministério da Ciência e Tecnologia no sentido de abrir o backbone e definir os parâmetros para a operação de empresas privadas provedoras de acesso aos usuários. A partir da disponibilização de acesso a internet ao público em geral o número de acessos a cresceu continuamente levando a necessidade de uma infraestrutura mais veloz e segura. Percebendo que serviços de acesso a internet mais veloz tenderiam a se expandir de forma contínua e expressiva, em 2001 a Anatel regulamentou a prestação do serviço de internet em banda larga através da resolução no 272 de 9 de agosto de 2001 criando dessa forma o Serviço de Comunicação Multimídia SCM. Desde então tanto o número de empresas autorizadas a prestar o serviço de acesso a banda larga como o número de acessos cresceram de forma contínua. 1 QUADRO TEÓRICO EMPÍRICO É cada vez mais reconhecida a importância das comunicações em banda larga como um dos principais motores para o desenvolvimento social, econômico e científico e são, há muito, balizadores das políticas públicas e arcabouços regulatórios de todos os países desenvolvidos, comprometidos com o crescente bem estar e evolução de sua população. De acordo com Picot e Wernick (2007), a importância econômica e social das comunicações em banda larga está ficando 2

3 cada vez mais evidente uma vez que o acesso a internet de alta velocidade com sua próxima geração de serviços de informação é considerado uma precondição necessária para o crescimento econômico e para a competitividade. Segundo Nunes (2006) o aumento do desempenho da internet proporcionada pelos serviços de banda larga possibilita a avanço dos serviços existentes na web e a criação de novos serviços. Segundo Jiang (2009), a penetração da banda larga é uma particularidade das políticas de infraestrutura de telecomunicações e até mesmo países com elevado grau de desenvolvimento econômico também tem a preocupação de universalizar o acesso à internet em banda larga. O governo dos Estados Unidos, através da Federal Communications Commission (FCC) lançou em 2009 um plano para tornar o serviço de internet banda larga mais acessível. De forma similar programas com o objetivo de expandir o acesso a internet banda larga foram implementados na Espanha pelo Ministério de Indústria, Comércio e Turismo e na Austrália através do Department of Broadband, Communications and the Digital Economy. No Brasil, o governo lançou o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) que tem por objetivo promover a inclusão digital e ampliar o acesso da população à internet em banda larga através de um conjunto de mecanismos que envolvem desde estímulo do investimento privado, definição de aspectos regulatórios e de redução de carga tributária, além de ações do governo nas esferas federal, estadual e municipal. Em relação ao Plano Nacional de Banda Larga, torna-se relevante mencionar estudo de De Souza et al. (2009), segundo o qual, devido a limitações estruturais, o mercado brasileiro de banda larga não chegará ao patamar de densidade socialmente desejado sem que haja ações externas. Por este motivo, o estudo recomenda que a implementação um programa nacional de massificação do uso e do acesso à infraestrutura de telecomunicações em banda larga sugerindo quatro instrumentos de política pública. O primeiro é o fomento à competição e ao desenvolvimento tecnológico. O segundo são os instrumentos legais e regulatórios para atribuição de novas concessões de TV por assinatura, distribuição de novas frequências e efetiva implementação da desagregação de redes de acesso. O terceiro diz respeito ao investimento público por meio da desoneração fiscal de equipamentos e serviços. Finalmente, a capacitação deve ser considerada para utilização, geração de conteúdo, suporte e manutenção. O empenho dos governos em massificar o uso de internet banda larga tem como pano de fundo uma motivação econômica. De acordo com Koutroumpis (2009), diversos os estudos empíricos sobre o impacto da infraestrutura de telecomunicações no crescimento econômico apontam para uma ligação positiva entre as duas variáveis, sendo possível inferir que qualquer processo produtivo implica em necessidade de trocar informações, algo impulsionado pela infraestrutura de telecomunicações. Em linha similar estudos como o de Qiang, Rossoto e Kimura (2009), do Banco Mundial, destacam a importância das redes de telecomunicação em banda larga enquanto fator de aceleração do desenvolvimento econômico, com destaque para a influência transformadora sobre atividades econômicas. Macedo e Carvalho (2010) conduziram estudos similares no Brasil, buscando relacionar a penetração da internet banda larga nos municípios com indicadores econômicos, sociais e perfil econômico concluindo que quanto maior for o grau de desenvolvimento do munícipio maior será sua demanda por acesso a internet em banda larga. Devido a importância das redes de banda larga sobre o desempenho econômico, torna-se relevante estudar quais fatores estão relacionados ao aumento da difusão do serviço para o caso do estado do Paraná. Assim, este estudo busca relacionar a penetração do serviço de acesso à internet em banda larga nos municípios brasileiros com alguns indicadores de desenvolvimento 3

4 econômico e social como: i) PIB per capita do município; ii) tamanho da população; iii) distribuição do PIB municipal entre as áreas de agricultura, indústria e de serviços; v) indicadores sociais do nível de desenvolvimento do município, referentes a saúde, educação e emprego e renda e iv) indicadores relacionados a infraestrutura dos municípios paranaenses como o grau de urbanização, a oferta de Banda Larga Popular (PNBL), o número de Telecentros Públicos e Comunitários instalados, o número de prestadoras de internet fixa em banda larga e o número de telefones fixos em serviço. Considerando os argumentos relacionais a importância das redes de banda larga para o desenvolvimento econômico e social sugerimos as seguintes hipóteses: Hipótese 1: Maior desenvolvimento econômico representado pelo PIB per capita do município aumenta a penetração do serviço de acesso a internet em banda larga Hipótese 2: Municípios que apresentam maior parcela do PIB municipal relacionado ao setor de serviços, seguido pelo setor industrial e por último o agropecuário apresentam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Hipótese 3: Maior grau de urbanização do município aumenta a penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Hipótese 4: Maior desenvolvimento humano do município em relação ao emprego e renda aumenta a penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Hipótese 5: Municípios com oferta de Banda Larga Popular (PNBL) e Telecentros Públicos e Comunitários instalados favorecem a maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Hipótese 6: Municípios com maior número de usuários de outros serviços de telecomunicações como TV por assinatura e telefone fixo apresentam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Hipótese 7: Municípios com maior população apresentam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Hipótese 8: Quanto maior o grau de competição entre prestadoras do serviço de banda larga e número de prestadoras de serviço de acesso a internet banda larga maior será o aumento de penetração do serviço de acesso a internet banda larga. 2 METODOLOGIA DE PESQUISA Este trabalho, de natureza fundamentalmente quantitativa, foi realizado com o objetivo de analisar os possíveis fatores vinculados ao grau de penetração do serviço de banda larga nos municípios do estado do Paraná. A hipótese inicial foi a de que em municípios com melhor desenvolvimento econômico e humano o grau de penetração do serviço de acesso a banda larga seria maior. Para tanto foram utilizadas as seguintes variáveis resposta e explicativas: VARIÁVEL RESPOSTA: Como variável resposta foi utilizado o número de acessos per capta a banda larga por município, provenientes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de 2012, sendo considerados os acessos compreendendo todas as faixas de velocidade e todas as tecnologias disponíveis para se calcular a densidade de acessos por mil habitantes, que é a variável 4

5 dependente. Do ponto de vista de regulamentação, a Anatel classifica o serviço de acesso à internet em Banda Larga como Serviço de Comunicação Multimídia (SCM). As informações relativas ao acesso à banda larga estão disponíveis para a totalidade de municípios paranaenses sendo que, de acordo com os dados da Anatel, todos os 399 municípios possuem acesso à banda larga em VARIÁVEIS EXPLICATIVAS: Foram utilizadas as seguintes variáveis explicativas nesse estudo: 1) PIB municipal per capta, distribuição do PIB municipal entre os setores agropecuário, industrial e de serviços e grau de urbanização dos municípios: foram utilizados os dados referentes ao PIB municipal per capta assim como a sua distribuição entre os setores entre os setores agropecuário, industrial e de serviços oriundos do IBGE de 2009, pois são os mais recentes disponíveis em nível municipal. Foram utilizados ainda na construção dos modelos uma variável para medir o grau de urbanização dos municípios do Paraná disponibilizados pelo Ipardes, que mede o percentual da população residente em áreas urbanas. 2) IPDM (Índice Ipardes de Desenvolvimento Humano) e percentual da população alfabetizada: o indicador de desenvolvimento humano utilizado foi o IPDM, desenvolvido pelo Ipardes em 2009 e mede o desempenho da gestão e ações públicas dos municípios paranaenses considerando três eixos: emprego e renda, saúde e educação. A opção pela utilização deste indicador de desenvolvimento humano deu-se por conta de sua disponibilidade em todos os 399 municípios paranaenses, além de ser o mais recente disponível nas três categorias. Para medir o desenvolvimento humano foi adicionada ainda a variável de percentual da população alfabetizada, disponibilizada pelo IBGE. Esse indicador também está disponível para a totalidade dos municípios paranaenses. 3) Índice Herfindahl-Hirschman (HHI) relativo ao grau de competição entre empresas: o uso do número de prestadoras do serviço de banda larga em atuação no município por si só não expressa em sua totalidade o real grau de competição entre elas. Por exemplo, se existissem três empresas competindo no mesmo mercado, mas uma delas detivesse 98% deste, e as outras duas, apenas 1% cada, na prática haveria um monopólio. Para levar isto em conta, além do número de prestadoras, foi calculado, para cada município, o Índice Herfindahl-Hirschman (HHI) de concentração de mercado, como descrito em Hirschman (1964), para avaliar tanto o grau de competição entre empresas como entre tecnologias. 4) Usuários de TV por assinatura e telefones fixos em serviço: buscou-se com a inclusão dessas variáveis relacionar a influência que a familiaridade com tecnologia poderia trazer no acesso a banda larga. Os dados são provenientes do Ministério das Comunicações de 2012, havendo disponibilidade da informação para todos os 399 municípios paranaenses. 5) Disponibilidade do serviço de banda larga popular (PNBL) e o número de Telecentros Públicos e Comunitários instalados: buscou-se com a inclusão dessas variáveis medir o grau de influência que as políticas públicas tem no aumento de acessos a banda larga nos municípios paranaenses. Os dados são provenientes do Ministério das Comunicações de 2012, havendo disponibilidade da informação para todos os 399 municípios paranaenses. (Tabela 01) Descrição das variáveis explicativas: 5

6 Variavel Explicativa Sigla Descricao X 1 CALC_GRAU_URBA Grau de Urbanização % dos municípios X 2 CALC_PER_POP_ALFA % da população alfabetizada X 3 NUM_ASSIN_TV Número de usuários de TV por assinatura X 4 NUM_TEL_FIXOS Número de telefones fixos em serviço X 5 OFER_BL_POP Disponibilidade do serviço de banda larga popular (PNBL) X 6 LOG_TELECENTROS_PUBLI Número de Telecentros Públicos e Comunitários instalados X 7 HHI_TECNOLOGIAS HHI índice de concentração do mercado relativo à competição entre empresas X 8 NUM_PRESTADORAS Número de prestadoras de serviço de acesso a banda larga X 9 FRAÇÃO_PIB_AGRONEGOCIO_2009 Fração do PIB municipal em 2009, decorrente de atividades do setor agropecuário X 10 FRAÇÃO_PIB_INDUSTRIA_2009 Fração do PIB municipal em 2009, decorrente de atividades do setor industrial X 11 FRAÇÃO_PIB_COMERCIO_2009 Fração do PIB municipal em 2009, decorrente de atividades do setor de serviços X 12 IPDM_EDUC_2009 IPDM indicador referente ao item educação em 2009 X 13 IPDM_RENDA_EMPR_2009 IPDM indicador referente ao item emprego e renda em 2009 X 14 IPDM_SAUDE_2009 IPDM indicador referente ao item saúde em 2009 X 15 PIB_PER_CAPITA_2009 PIB per capta (em R$) X 16 POP_2009 População Y 1 NUM_ACESSOS_PER_CAPTA Variavel Resposta A análise se limitou aos dados disponíveis, não considerando outros fatores que afetam a demanda e qualidade do serviço que não puderam ser incluídos como, por exemplo, a segmentação dos dados pela faixa de velocidade de transmissão de dados, que a Anatel classifica de 0kbps a 64kbps, de 64kbps a 512kbps, de 512 a 2Mbps, de 2Mbps a 34Mbps e acima de 34Mbps. Muito embora se possa argumentar que o usuário possa permanecer conectado a internet durante períodos mais longos para compensar a velocidade mais lenta, ou mesmo de forma contínua com o mesmo custo, a velocidade de transmissão de dados seguramente se configura em um fator limitante no uso de internet banda larga. De acordo com a União Internacional de Telecomunicações UIT a velocidade mínima para se considerar o acesso a banda larga é de 256 kbps, mesmo critério utilizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Outras variáveis importantes, também não consideradas na pesquisa, por limitação de dados, foram os preços cobrados pelos serviços de acesso a banda larga, já que estes afetam diretamente a sua demanda e como a familiaridade com tecnologia pode influenciar no uso de internet banda larga, como o percentual de computadores por habitante ou mesmo a quantidade de linhas de telefones celulares por município. Para se adaptar a disponibilidade de dados, empregou-se uma análise de regressão em cross-section de dados da demanda por acesso à banda larga por município. A análise em crosssection tem por fim estabelecer relações entre as variáveis buscando verificar (i) como se comporta o sinal dos coeficientes da regressão, se são positivos ou negativos e (ii) se as variáveis explicativas possuem significância estatística suficiente para estabelecer relações de forma coerente com a variável resposta. Como método de regressão foi utilizado o método dos momentos generalizados (GMM), mediante o uso de variáveis instrumentais com correção de heterocedasticidade de Newey-West, combinando diferentes variáveis explicativas para a construção de cenários distintos, conforme listado a seguir: 6

7 Modelo 1: Foram utilizadas as variáveis de alocação do PIB municipal entre os setores agropecuário, industrial e de serviços, variáveis dos indicadores de desenvolvimento humano nas áreas de educação, emprego e renda e saúde, população, PIB per capita, grau de urbanização do município e número de prestadoras de serviço de acesso a banda larga presentes no município. Modelo 2: Semelhante ao modelo 1, mas com a exclusão do número de prestadoras e a inclusão da variável de competição entre empresas prestadoras do serviço de banda larga. Modelo 3: Semelhante ao modelo 2, mas com a inclusão do número de usuários de TV por assinatura e telefones fixos em serviço. Modelo 4: Semelhante ao modelo 2, mas com a inclusão da disponibilidade do serviço de banda larga popular (PNBL) e o número de Telecentros Públicos e Comunitários instalados. Modelo 5: Foram incluídas todas as variáveis disponíveis. Modelo 6: Foram incluídas todas as variáveis disponíveis menos o número de prestadoras de serviço de acesso a banda larga presentes no município. Modelo 7: Similar ao modelo 6, porém somente considerando municípios com pelo menos 15 mil habitantes. Modelo 8: Similar ao modelo 6, porém somente considerando municípios com menos de 15 mil habitantes. Modelo 9: Similar ao modelo 5, porém excluindo-se o número de prestadoras de serviço de acesso a banda larga presentes no município e o indicador de desenvolvimento humano referente a emprego e renda. Modelo 10: Similar ao modelo 5, porém excluindo-se variável de competição entre empresas prestadoras do serviço de banda larga e o indicador de desenvolvimento humano referente a emprego e renda. Modelo Stepwise: qualquer procedimento para seleção ou exclusão de variáveis de um modelo é baseado em um algoritmo que checa a importância das variáveis, incluindo ou excluindo-as do modelo se baseando em uma regra de decisão. A importância da variável é definida em termos de uma medida de significância estatística do coeficiente associado à variável para o modelo. 3 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS Com base nos valores dos coeficientes de regressão dos modelos utilizados nesse estudo, podem ser feitas algumas considerações: Hipótese 1: Maior desenvolvimento econômico representado pelo PIB per capita do município aumenta a penetração do serviço de acesso a internet em banda larga A variável PIB per capta apresentou significância em todos os modelos, indicando que quanto maior a riqueza do município maior será o grau de penetração do serviço de banda larga pois a população possuirá maior poder de compra. Hipótese 2: Municípios que apresentam maior parcela do PIB municipal relacionado ao setor de serviços, seguido pelo setor industrial e por último o agropecuário apresentam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. 7

8 Um dos objetivos com a realização desse estudo foi o de se estabelecer se o perfil econômico do município poderia estar relacionado ao grau de penetração do serviço de banda larga. A percepção inicial era de que em municípios preponderantemente vinculados as atividades relacionadas aos setores industrial e de serviços haveria um maior grau de penetração do servido de acesso a banda larga. Os valores dos coeficientes de regressão dos modelos utilizados nesse estudo relacionados aos setores agropecuário, industrial e de serviços corroboram essa percepção e apresentam maior grau de importância para o setor de serviços, seguido pelo setor industrial e por último o agropecuário. Isso ficou evidenciado em todos os modelos. Hipótese 3: Maior grau de urbanização do município aumenta a penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. A variável grau de urbanização dos municípios, que mede o percentual da população residente em áreas urbanas, também apresentou significância apontando para quanto maior o grau de urbanização do município maior é o grau de penetração do serviço de acesso a banda larga. Uma das explicações para esse fenômeno é o fato de que o serviço de acesso a banda larga se concentra fundamentalmente em áreas urbanas em detrimento de áreas rurais. Hipótese 4: Maior desenvolvimento humano do município em relação ao emprego e renda aumenta a penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. O outro objetivo desse estudo, relacionado ao aspecto de desenvolvimento humano dos municípios era estabelecer qual das três variáveis teria maior influência no grau de penetração do serviço de banda larga nos municípios. A percepção inicial era de uma maior influência dos indicadores de emprego e renda, educação e saúde, nessa ordem. Os valores dos coeficientes de regressão dos modelos utilizados nesse estudo relacionados aos três indicadores novamente corroboram essa percepção e apresentam maior grau de importância para a variável emprego e renda, seguida por educação e por último saúde. Esse resultado difere do resultado do estudo realizado por Macedo e Carvalho (2010) que aponta como variável de maior influência o indicador de desenvolvimento na área da saúde. Isso talvez tenha ocorrido pelo fato do estudo de Macedo e Carvalho ser realizado a nível nacional, onde o indicador de desenvolvimento na área de saúde varia significativamente de região para região do país, podendo dessa forma ter um grau de influência maior. Por sua vez, a percepção é de que o grau de desenvolvimento na área da saúde para o estado do Paraná seja mais alto que o restante do país, o que torna o poder de compra da população, diretamente relacionados a emprego e renda, variável de maior influência. A variável percentual da população alfabetizada também sem mostrou significativa nos modelos em que foi utilizada. Hipótese 5: Municípios com oferta de Banda Larga Popular (PNBL) e Telecentros Públicos e Comunitários instalados favorecem a maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. Os resultados dos modelos atenderam parcialmente às expectativas de que a oferta de Banda Larga Popular (PNBL) e Telecentros Públicos e Comunitários instalados favorecem a maior penetração de acesso a internet em banda larga pois apenas a variável Telecentros Públicos e Comunitários instalados apresentou relação com a variável resposta nos os modelos que ela foi selecionada. Hipótese 6: Municípios com maior número de usuários de outros serviços de telecomunicações como TV por assinatura e telefone fixo apresentam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. 8

9 Os resultados dos modelos não confirmam a expectativa de que com maior número de usuários de outros serviços de telecomunicações como TV por assinatura e telefone fixo os municípios apresentariam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga Hipótese 7: Municípios com maior população apresentam maior penetração do serviço de acesso a internet em banda larga. A variável população apresentou consistência e confirmou a expectativa inicial de que quanto maior for a população do município, maior seria a penetração do serviço de acesso a banda larga. Esse comportamento é explicado pela relação custo benefício das prestadoras de serviço de acesso a banda larga e economia de escala, pois com um mesmo nível de investimento é possível atingir um público maior, quanto maior for a população do município. Hipótese 8: quanto maior o grau de competição entre prestadoras do serviço de banda larga e número de prestadoras de serviço de acesso a internet banda larga maior será o aumento de penetração do serviço de acesso a internet banda larga. Para avaliar como o grau de competição entre as empresas prestadoras de serviço de acesso a internet banda larga foi calculado para cada município, o HHI de concentração do mercado relativo à competição entre empresas. Foi observado em todos os modelos com o coeficiente da variável HHI negativo. Isso permite concluir que quanto maior for a diversidade de prestadoras de serviço de acesso a banda larga presentes no município mais favorecimento haverá ao aumento de penetração do serviço. Quanto ao número de prestadoras de serviço de acesso a banda larga, esperava-se um valor de beta alto e positivo, pois se há muitas operadoras de serviço no município isso é um indicador claro de que ali há muita demanda pelo serviço. Isso ficou evidenciado nos modelos. 3 CONCLUSÃO Com base nos coeficientes de regressão apresentados podemos concluir que quanto maior o nível de desenvolvimento econômico e humano do município, maior será o grau de penetração do serviço de acesso a banda larga. Sob a perspectiva de desenvolvimento econômico também ficou comprovado que municípios onde o setor de serviços possua maior relevância apresentam maior grau de penetração do serviço de acesso a banda larga. Outro fator que correspondeu as expectativas iniciais, porém sob a perspectiva do nível de desenvolvimento humano foi a maior influência dos indicadores de emprego e renda, seguido por educação, em detrimento a saúde. Essa conclusão, quando comparada a estudos realizados utilizando-se como base todos os municípios do Brasil fundamenta a tese de que quanto maior o nível de desenvolvimento humano menor será a influência da variável saúde para o grau de penetração do serviço de acesso a banda larga. A significância apresentada pelas variáveis de densidade de acesso domiciliar a banda larga densidade e grau de urbanização dos municípios também ressaltou a importância de aspectos relacionados a disponibilidade de infraestrutura no uso de banda larga pela população. O estudo realizado se limitou aos dados sobre indicadores disponíveis e dessa forma outros fatores influenciadores não puderam ser incluídos como, por exemplo, (i) segmentação dos dados pela faixa de velocidade de transmissão de dados, variável que possui peso significativo quando considerada a qualidade e eficácia do serviço e (ii) os preços cobrados pelos serviços de acesso a banda larga, já que afetam diretamente a sua demanda. Entretanto, o modelos apontam 9

10 como fator determinante para o maior ou menor uso de internet banda larga o maior poder de compra da população, representado pelo PIB per capta. BIBLIOGRAFIA ÁVILA, F. S. Banda larga no Brasil: uma análise da elasticidade preço-demanda com base em microdados. Monografia (Graduação no curso de Economia) Universidade de Brasília. Brasília, BENKLER, Y. Next generation connectivity: a review of broadband Internet transitions and policy from around the world. The Berkman Center for Internet & Society at Harvard University, October, CERNO, L.; AMARAL, T. Demand for internet access and usage in Spain: governance of communication networks, Série Contributions to Economics, Brigitte Preissl and Jürgen Müller (Orgs.). Parte 4, p , Physica-Verlag HD, CETIC. Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação. Pesquisa sobre o uso das tecnologias da informação e da comunicação no Brasil 2005 a FCC. Federal Communications Commission. Instructions for local telephone competition and broadband reporting form (FCC form 477) FERRO, E; GARCIA, J. R. G; HELBIG, N. Digital divide and broadband access: the case of an Italian region. In: YOGESH K, D.; PAPAZAFEIROPOULOU, A.; CHOUDRIE, J. (Orgs.). Handbook of research on global diffusion of broadband data. Capítulo IX, p. 160, Idea Group Inc (IGI), GUEDES, E. M.; PASQUAL, D. de; PITOLI, A.; OLIVA, B. Avaliação dos impactos da cisão das operações de STFC e SCM em empresas distintas. Tendências Consultoria Integrada, jul (Nota Técnica). HIRSCHMAN, A. O. The paternity of an index. The American Economic Review, American Economic Association, v. 54, n. 5, p. 761, set IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Base de dados com o PIB dos Municípios no Ano de IDA, T. Broadband economics: lessons from Japan. Discrete choice analysis: methodology and case studies. Cap. 4, p , Taylor & Francis, IPDM. Índice Ipardes de Desenvolvimento Municipal Ipardes Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social.. 10

11 KATZ, R. L. Estimating broadband demand and its economic impact in Latin America. In: Acorn-Redecom Conference. Cidade do México, 22 e 23 de maio, KOUTROUMPIS, P. The Economic impact of broadband on growth: a simultaneous approach. Telecommunications Policy, Elsevier, n. 33, p , Oct LIMA, M. V. M.; BOUERI, R. Aplicação de funções de distância para o cálculo de índices de bem-estar e a evolução do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) para os estados brasileiros. Brasília: Ipea, 2008 (Textos para Discussão, n. 1401). MADDEN, G. G.; SIMPSON, M. Residential broadband subscription demand: an econometric analysis of Australian choice experiment data. Applied Economics, n. 29, p , BRASIL. Ministério das Comunicações. Um plano nacional para banda larga. Brasília, MACEDO, H.R.; CARVALHO, A. X. Y. Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso a internet banda larga nos municípios brasileiros. Brasília: Ipea, 2010 (Textos para Discussão, n. 1503). MITYCT. Ministério de Industria, Turismo y Comercio. La banda ancha de un mega formará parte del servicio universal en QIANG, C. Z. W.; ROSSOTTO, C. M.; KIMURA, K. Economic impacts of broadband. In: ICAD 2009 Information and Communications for Development. Extending reach and increasing impact. Washington, DC: The World Bank, p. 35 a 50, cap. 3, USDOJ. Departamento de Justiça dos Estados Unidos. The Herfindahl-Hirschman Index. WOHLERS, M. A. et al. Banda larga no Brasil: por que ainda não decolamos? Brasília: Ipea, dez (Radar, Tecnologia, Produção e Comércio Exterior, n. 5). 11

ANÁLISE DE POSSÍVEIS DETERMINANTES DA PENETRAÇÃO DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

ANÁLISE DE POSSÍVEIS DETERMINANTES DA PENETRAÇÃO DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS 1503 ANÁLISE DE POSSÍVEIS DETERMINANTES DA PENETRAÇÃO DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS Hildebrando Rodrigues Macedo Alexandre Xavier Ywata de Carvalho 1 5 0 3 TEXTO

Leia mais

Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso à internet em Banda Larga nos municípios brasileiros *1

Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso à internet em Banda Larga nos municípios brasileiros *1 Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso à internet em Banda Larga nos municípios brasileiros *1 Hildebrando Rodrigues Macedo **2 Alexandre Xavier Ywata de Carvalho ***3 Resumo

Leia mais

Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso à internet em Banda Larga nos municípios brasileiros *1

Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso à internet em Banda Larga nos municípios brasileiros *1 Análise de possíveis determinantes da penetração do serviço de acesso à internet em Banda Larga nos municípios brasileiros *1 Hildebrando Rodrigues Macedo **2 Alexandre Xavier Ywata de Carvalho ***3 Resumo

Leia mais

ANÁLISE DOS IMPACTOS DA OFERTA DE TV A CABO SOBRE A PENETRAÇÃO

ANÁLISE DOS IMPACTOS DA OFERTA DE TV A CABO SOBRE A PENETRAÇÃO ANÁLISE DOS IMPACTOS DA OFERTA DE TV A CABO SOBRE A PENETRAÇÃO DE BANDA LARGA NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS * Carlos Manuel Baigorri** Thiago Cardoso H. Botelho*** Alexandre L. Henriksen**** 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Análise de Regressão Sobre Indicadores da Economia e da Difusão do Serviço o de Acesso àinternet em Banda Larga no Brasil

Análise de Regressão Sobre Indicadores da Economia e da Difusão do Serviço o de Acesso àinternet em Banda Larga no Brasil Análise de Regressão Sobre Indicadores da Economia e da Difusão do Serviço o de Acesso àinternet em Banda Larga no Brasil Dissertação de Mestrado Aluno: Hildebrando Rodrigues Macedo Orientador: Prof. PhD

Leia mais

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011 Pesquisa TIC Provedores 2011 Coletiva de Imprensa Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil São Paulo, 30 de novembro de 2011 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo de

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois

Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois Caio Bonilha Telebras 1 Câmara dos Deputados, 06/12/2011 Mercado de Banda Larga no Brasil Conexões Banda Larga por região 9% 2% 17% 63% 9% Norte Nordeste

Leia mais

Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite

Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite Sindicato Nacional das Empresas de Telecomunicações por Satélite SINDISAT Suporte: TELECO - Inteligência em Telecomunicações Brasília,

Leia mais

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo Data:17 de Julho de 2009 Índice 01 Evolução da Internet - História (comercialização dos Backbones)

Leia mais

Workshop de Telecomunicações da FIESP

Workshop de Telecomunicações da FIESP Workshop de Telecomunicações da FIESP A Qualidade da Banda Larga no Brasil Alexandre Barbosa Cetic.br São Paulo 27 de agosto de 15 Trajetória do CETIC.br Países da América Latina e PALOPs 1995 5 12 q Produção

Leia mais

PARECER Nº, DE 2014. RELATOR: Senador LINDBERGH FARIAS

PARECER Nº, DE 2014. RELATOR: Senador LINDBERGH FARIAS PARECER Nº, DE 2014 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, sobre o Projeto de Resolução do Senado nº 15, de 2014, da Senadora Gleisi Hoffmann, que estabelece alíquotas máximas do Imposto sobre Operações Relativas

Leia mais

João Maria de Oliveira* Calebe de Oliveira Figueiredo** 1 INTRODUÇÃO

João Maria de Oliveira* Calebe de Oliveira Figueiredo** 1 INTRODUÇÃO Análise dos Determinantes da Demanda por Conexões de Banda Larga Fixa no Brasil João Maria de Oliveira* Calebe de Oliveira Figueiredo** 1 INTRODUÇÃO Diversos estudos comprovaram a importância do acesso

Leia mais

Audiência Pública "Plano Nacional de Banda Larga

Audiência Pública Plano Nacional de Banda Larga Audiência Pública "Plano Nacional de Banda Larga Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal 09 de março de 2010 Plenário nº 03 da Ala Senador Alexandre Costa Imagine

Leia mais

Banda larga no Brasil por que ainda não decolamos?

Banda larga no Brasil por que ainda não decolamos? 9 1 Introdução Banda larga no Brasil por que ainda não decolamos? Rodrigo Abdala Filgueiras de Sousa João Maria de Oliveira Luis Claudio Kubota Márcio Wohlers de Almeida Qual seria o impacto econômico

Leia mais

Análise de Regressão Sobre Indicadores da Economia e da Difusão do Serviço de Acesso à Internet em Banda Larga no Brasil

Análise de Regressão Sobre Indicadores da Economia e da Difusão do Serviço de Acesso à Internet em Banda Larga no Brasil Universidade de Brasília - UnB Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação FACE Departamento de Economia ECO Centro de Investigação em Economia e Finanças

Leia mais

BANDA LARGA E SUA POSSÍVEL RELAÇÃO SOBRE INDICADORES DE DESEMPENHO ESCOLAR

BANDA LARGA E SUA POSSÍVEL RELAÇÃO SOBRE INDICADORES DE DESEMPENHO ESCOLAR BANDA LARGA E SUA POSSÍVEL RELAÇÃO SOBRE INDICADORES DE DESEMPENHO ESCOLAR BROADBAND AND ITS POSSIBLE RELATIONSHIP ON SCHOOL PERFORMANCE INDICATORS Hildebrando Rodrigues Macedo 1 RESUMO Foi feita uma análise

Leia mais

PROGRAMA BANDA LARGA POPULAR

PROGRAMA BANDA LARGA POPULAR PROGRAMA BANDA LARGA POPULAR Outubro/2009 1 1. Objetivo 2. Benefícios 3. Programa 4. Impacto 2 OBJETIVO Facilitar o acesso da população do Estado de São Paulo ao serviço de Internet em banda larga por

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 1495

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 1495 TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 1495 AUMENTO DA PENETRAÇÃO DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA E SEU POSSÍVEL IMPACTO ECONÔMICO: ANÁLISE ATRAVÉS DE SISTEMA DE EQUAÇÕES SIMULTÂNEAS DE OFERTA E DEMANDA

Leia mais

ACESSO À INTERNET BANDA LARGA RÁPIDA: CARACTERIZAÇÃO DAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS

ACESSO À INTERNET BANDA LARGA RÁPIDA: CARACTERIZAÇÃO DAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS ACESSO À INTERNET BANDA LARGA RÁPIDA: CARACTERIZAÇÃO DAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS João Maria de Oliveira 1 1 INTRODUÇÃO Diversos estudos já comprovaram a importância das tecnologias da informação e comunicação

Leia mais

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações CONFIDENCIAL A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações José Antônio Guaraldi Félix Presidente da NET Serviços de Comunicação S.A. São Paulo, 29 de setembro de 2009 SUMÁRIO

Leia mais

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 1494

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 1494 TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 1494 AUMENTO DO ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NO BRASIL E SUA POSSÍVEL RELAÇÃO COM O CRESCIMENTO ECONÔMICO: UMA ANÁLISE DE DADOS EM PAINEL Hildebrando Rodrigues Macedo Alexandre

Leia mais

Universalização de acesso à internet de alto desempenho. Presidência da Anatel

Universalização de acesso à internet de alto desempenho. Presidência da Anatel Universalização de acesso à internet de alto desempenho Presidência da Anatel Brasília/DF Outubro/2012 Panorama Global CRESCIMENTO DA BANDA LARGA NO MUNDO - O Brasil foi o quinto país que mais ampliou

Leia mais

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga Instituto de Inovação com TIC O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga [ Flávia Fernandes Julho/2010] Banda Larga Internet A Internet supera a produtividade combinada do telefone, transporte e eletricidade

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

ANÁLISE DE TRÁFEGO EM REDES MUNI-WI

ANÁLISE DE TRÁFEGO EM REDES MUNI-WI Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM ANÁLISE DE TRÁFEGO EM REDES MUNI-WI Aluno: Luís Alberto Moreira Matricula:

Leia mais

Considerações sobre o Programa Nacional de Banda Larga (Pnbl)

Considerações sobre o Programa Nacional de Banda Larga (Pnbl) Artigos Considerações sobre o Programa Nacional de Banda Larga (Pnbl) Paulo Sisnando Rodrigues de Araújo é servidor do Tribunal de Contas da União. INTRODUÇÃO O acesso à internet em banda larga é uma das

Leia mais

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro II LATIN AMERICAN PUBLIC POLICY FORUM ON INTERNET, E- COMMERCE AND MOBILE TECHNOLOGIES Economic, Social and Cultural Impact on Latin America's Development Keynote speech by Senator Walter Pinheiro Discussion

Leia mais

INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB

INTERNET E PROGRAMAÇÃO WEB História da Internet A Internet surgiu a partir de pesquisas militares do governo dos Estados Unidos nos períodos áureos da Guerra Fria. Na década de 1960, quando dois blocos ideológicos e politicamente

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga

Programa Nacional de Banda Larga Programa Nacional de Banda Larga Metas e eixos de ação Comissão de Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 31 de agosto de 2011 Dados de acesso à Internet em

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. João Maia)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. João Maia) PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Do Sr. João Maia) Dispõe sobre o serviço de comunicação eletrônica de massa e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1 Para fins desta lei e da sua regulamentação,

Leia mais

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Rede Nacional de Pesquisa Ministério da Ciência e Tecnologia Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 04 DE NOVEMBRO DE 2014 crescimento do setor de telecomunicações

Leia mais

A disciplina jurídica da banda larga no Brasil à luz das experiências estadunidense e europeia.

A disciplina jurídica da banda larga no Brasil à luz das experiências estadunidense e europeia. A disciplina jurídica da banda larga no Brasil à luz das experiências estadunidense e europeia. Victor Epitácio Cravo Teixeira Mestrando em Direito Universidade de Brasília UnB Objetivo Analisar o tratamento

Leia mais

Senado Federal. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA

Senado Federal. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA 4 de novembro de 2014 Flávia Lefèvre Guimarães flavia@lladvogados.com.br Lei Geral de Telecomunicações

Leia mais

O uso da radiofrequência para a inclusão social: alternativas para o regime jurídico da radiofrequência no Brasil

O uso da radiofrequência para a inclusão social: alternativas para o regime jurídico da radiofrequência no Brasil O uso da radiofrequência para a inclusão social: alternativas para o regime jurídico da radiofrequência no Brasil IV Acorn-Redecom Conference Brasília, 14 de maio de 2010 Gabriel Boavista Laender Universidade

Leia mais

ser alcançada através de diferentes tecnologias, sendo as principais listadas abaixo: DSL (Digital Subscriber Line) Transmissão de dados no mesmo

ser alcançada através de diferentes tecnologias, sendo as principais listadas abaixo: DSL (Digital Subscriber Line) Transmissão de dados no mesmo 1 Introdução Em 2009, o Brasil criou o Plano Nacional de Banda Larga, visando reverter o cenário de defasagem perante os principais países do mundo no setor de telecomunicações. Segundo Ministério das

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Mario Dias Ripper F&R Consultores Brasília, 02 de setembro de 2014. PGMU III Geografia Características do Brasil

Leia mais

Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite. Sindicato Nacional das Empresas de Telecomunicações por Satélite SINDISAT

Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite. Sindicato Nacional das Empresas de Telecomunicações por Satélite SINDISAT Sugestão de Política Pública para o Atendimento Rural via Satélite Sindicato Nacional das Empresas de Telecomunicações por Satélite SINDISAT Rio de Janeiro, 16 de Agosto de 2011 2 Referência Internacional

Leia mais

O Brasil e a Internet Ubíqua: Avanços e Perspectivas

O Brasil e a Internet Ubíqua: Avanços e Perspectivas ARTIGO O Brasil e a Internet Ubíqua: Avanços e Perspectivas AUTORES Antonio Eduardo Ripari Neger Presidente da Associação Brasileira de Internet (ABRANET). Engenheiro formado pela Unicamp, advogado formado

Leia mais

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Rogério Santanna dos Santos Brasília, 29 de Setembro de 2009 Mercado Banda Larga - Operadoras Empresas 2007 (x1000) 2008 (x1000) % Crescimento Ano 2007 Telefonica

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

Trilha 3 Banda larga no Brasil e inclusão digital: o que fazer?

Trilha 3 Banda larga no Brasil e inclusão digital: o que fazer? e inclusão digital: o que fazer? Coordenador da Trilha Eduardo Fumes Parajo (CGI.br, Abranet) Oradores iniciais indicados pelo setores do CGI.br: 3º Setor Beá Tibiriçá (Coletivo Digital) e Paulo Lima (Saúde

Leia mais

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Recife, outubro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

ABRIL DE 2012. Provedores de Internet no Brasil: Inclusão Digital e Infraestrutura Ano 4 Número 1

ABRIL DE 2012. Provedores de Internet no Brasil: Inclusão Digital e Infraestrutura Ano 4 Número 1 ABRIL DE 2012 Provedores de Internet no Brasil: Inclusão Digital e Infraestrutura Ano 4 Número 1 SUMÁRIO EXECUTIVO Apresentação A inclusão digital no Brasil depende fundamentalmente da expansão da infraestrutura

Leia mais

Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema. Inovação e Empreendedorismo. Data: 02/04/2014 Versão 1.0

Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema. Inovação e Empreendedorismo. Data: 02/04/2014 Versão 1.0 Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema Inovação e Empreendedorismo Data: 02/04/2014 Versão 1.0 1. INTRODUÇÃO Os relatórios considerados para esta síntese foram: I Fórum

Leia mais

Análise dos impactos da liberação de outorgas de tv a cabo sobre o mercado de banda larga no brasil

Análise dos impactos da liberação de outorgas de tv a cabo sobre o mercado de banda larga no brasil Análise dos impactos da liberação de outorgas de tv a cabo sobre o mercado de banda larga no brasil Resumo: O presente avalia os impactos da retirada das limitações à prestação de serviço de TV a cabo

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS 366 ESPELHO DE AUTOR DA Chico D'angelo 24970001 Compartilhamento de infra estrutura para banda larga (unbundling) 0751 - Expandir a infraestrutura e os

Leia mais

UMA ANÁLISE DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NO BRASIL E SEU IMPACTO NO CRESCIMENTO ECONÔMICO

UMA ANÁLISE DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NO BRASIL E SEU IMPACTO NO CRESCIMENTO ECONÔMICO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO CENTRO DE ESTUDOS EM REGULAÇÃO DE MERCADOS UMA ANÁLISE DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA NO BRASIL

Leia mais

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Maio, 2014 1 Índice 1. Introdução 3 2. Cenário do acesso

Leia mais

SENADO FEDERAL CCT. 07 de abril de 2009. Carlos Andre Albuquerque Diretor Presidente

SENADO FEDERAL CCT. 07 de abril de 2009. Carlos Andre Albuquerque Diretor Presidente SENADO FEDERAL CCT 07 de abril de 2009 Carlos Andre Albuquerque Diretor Presidente MMDS: Um serviço voltado para a convergência Aspectos Regulatórios Serviços oferecidos Éuma das modalidades de Serviços

Leia mais

Igor Vilas Boas de Freitas

Igor Vilas Boas de Freitas 18ª Reunião Extraordinária da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática. 26 de maio de 2010 Igor Vilas Boas de Freitas Consultor Legislativo do Senado Federal 1. Quais são os

Leia mais

O P apel do Governo Federal nas Cidades Digitais

O P apel do Governo Federal nas Cidades Digitais O P apel do Governo Federal nas Cidades Digitais Mercado Mundial de Banda Larga Fonte: I DC/ Barômetro Cisco Mercado de Banda Larga no Brasil Distribuição Geográfica Dez/ 2007 7,49 milhões conexões crescimento

Leia mais

Painel III - Alternativas para Universalização da Banda Larga

Painel III - Alternativas para Universalização da Banda Larga Painel III - Alternativas para Universalização da Banda Larga Secretaria de Telecomunicações Roberto Pinto Martins 29-09-2009 i Banda Larga no Cenário Internacional Contexto da Banda Larga Banda Larga

Leia mais

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios Prof. José Carlos Vaz EACH-USP 1 1. A importância da democratização do acesso à TI A desigualdade no acesso à tecnologia é um fator adicional

Leia mais

Macedo, Hildebrando Rodrigues; de Carvalho, Alexandre Xavier Ywata

Macedo, Hildebrando Rodrigues; de Carvalho, Alexandre Xavier Ywata econstor www.econstor.eu Der Open-Access-Publikationsserver der ZBW Leibniz-Informationszentrum Wirtschaft The Open Access Publication Server of the ZBW Leibniz Information Centre for Economics Macedo,

Leia mais

Comentários à Consulta Pública do Ministério das Comunicações sobre o atual modelo de prestação de serviços de telecomunicações

Comentários à Consulta Pública do Ministério das Comunicações sobre o atual modelo de prestação de serviços de telecomunicações Comentários à Consulta Pública do Ministério das Comunicações sobre o atual modelo de prestação de serviços de telecomunicações São Paulo, 29 de dezembro de 2015. 1 INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Sumário 1. Perfil do país 2. Dados Setoriais 3. Programa Nacional de Banda Larga 4. Marco Civil da Internet Perfil do País 30,0% Taxa de analfabetismo (população com mais de 15 anos de idade) 20,0% 10,0%

Leia mais

Direitos dos Consumidores de Telecomunicação. Fórum Alô Brasil. 26 de abril de 2011

Direitos dos Consumidores de Telecomunicação. Fórum Alô Brasil. 26 de abril de 2011 Direitos dos Consumidores de Telecomunicação Fórum Alô Brasil 26 de abril de 2011 Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Instituto criado em 1987 Atuante na defesa dos direitos do consumidor Independente

Leia mais

Uma Nota Sobre a Oferta de EILD e Fechamento Vertical do Mercado de Banda Larga no Brasil

Uma Nota Sobre a Oferta de EILD e Fechamento Vertical do Mercado de Banda Larga no Brasil ISSN 0034-7140 DOI 10.5935/0034-7140.20150023 Revista Brasileira de Economia, 69(4), 489 502 Uma Nota Sobre a Oferta de EILD e Fechamento Vertical do Mercado de Banda Larga no Brasil Carlos Baigorri, *

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Indicadores sócio-econômicos. Campos Gerais. Paraná.

PALAVRAS-CHAVE Indicadores sócio-econômicos. Campos Gerais. Paraná. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( x ) TRABALHO

Leia mais

Acesso à Internet e direitos do consumidor: balanço e perspectivas

Acesso à Internet e direitos do consumidor: balanço e perspectivas Acesso à Internet e direitos do consumidor: balanço e perspectivas Mesa 1: Acesso à banda larga: onde chegamos com o PNBL e o que temos pela frente Brasília, 3 de Junho de 14 CGI.br Comitê Gestor da Internet

Leia mais

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET er@ da informação impacto nos serviços Edmundo Antonio Matarazzo Superintendência de Universalização agosto

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 26/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 26/11/2002). Acesso à Internet Este tutorial apresenta as formas de acesso a Internet disponíveis para o usuário brasileiro, e apresenta os números atuais da Internet no Brasil. (Versão revista e atualizada do tutorial

Leia mais

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade

Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Plano Brasil Maior e o Comércio Exterior Políticas para Desenvolver a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Contexto

Leia mais

Limites Regulatórios do Acesso Fixo sem Fio: possibilidades convergentes para a interatividade de novas mídias

Limites Regulatórios do Acesso Fixo sem Fio: possibilidades convergentes para a interatividade de novas mídias Limites Regulatórios do Acesso Fixo sem Fio: possibilidades convergentes para a interatividade de novas mídias Márcio Iorio Aranha Seminário Direito, Globalização e Sociedade em Rede. Discurso jurídico

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES

UMA REFLEXÃO SOBRE A REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES Uma reflexão sobre a rede mundial de computadores 549 UMA REFLEXÃO SOBRE A REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES por Guilherme Paiva de Carvalho * CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet,

Leia mais

Secretaria para Assuntos Estratégicos

Secretaria para Assuntos Estratégicos Secretaria para Assuntos Estratégicos DO DESAFIO A REALIDADE Nosso desafio: 399 municípios conectados por uma internet rápida, que oportuniza a aproximação da gestão pública com o cidadão. O projeto Rede399

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações 29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17de abril de 2012 Agenda Serviços de Telecomunicações: Convergência de Plataformas, Redes e Outorgas Premissas

Leia mais

Banda Larga não é luxo

Banda Larga não é luxo Pesquisas recentes mostram que o acesso à internet ainda está longe de ser universal no Brasil, apesar de ser considerado um direito básico pelas organizações civis Banda Larga não é luxo Juliana Krapp

Leia mais

09 de Outubro de 2000 Vienna, Virginia, EUA

09 de Outubro de 2000 Vienna, Virginia, EUA Teligent, Inc. 8065 Leesburg Pike, Suite 400 Vienna, Virginia 22182 Voice: 703.762.5100 Fax: 703.762.5200 http://www.teligent.com 09 de Outubro de 2000 Vienna, Virginia, EUA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

2. VoIP Meeting IP News. 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307. 0307 fds01@terra.com.

2. VoIP Meeting IP News. 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307. 0307 fds01@terra.com. 2. VoIP Meeting IP News 20 de Julho de 2010 Hotel Atlante Plaza Recife - PE Fernando Schulhof (11) 3057-0307 0307 fds01@terra.com.br VOIP Conceito: Voice Over IP (Voz sobre IP) Anatel: Não regulamenta

Leia mais

Políticas de acesso universal à banda larga: propostas para o Brasil. VII Conferência ACORN-REDECOM, Cidade do México 17-18 de maio de 2013

Políticas de acesso universal à banda larga: propostas para o Brasil. VII Conferência ACORN-REDECOM, Cidade do México 17-18 de maio de 2013 Políticas de acesso universal à banda larga: propostas para o Brasil VII Conferência ACORN-REDECOM, Cidade do México 17-18 de maio de 2013 Agenda } Introdução } Metodologia } Modelos } Modelo 1 Desoneração

Leia mais

Políticas de Massificação da Banda Larga

Políticas de Massificação da Banda Larga Políticas de Massificação da Banda Larga 59º Painel Telebrasil 1 de setembro de 2015 Banda larga no Brasil expande ano a ano Em julho de 2015, chegamos a: 221,3 milhões de acessos em banda larga 196,4

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET Autores: OROMAR CÓRDOVA GILBERTO ALVES LOBATO COPEL Companhia Paranaense

Leia mais

Ministério das Comunicações 2015

Ministério das Comunicações 2015 Ministério das Comunicações 2015 O MINISTÉRIO - Secretaria de Telecomunicações Políticas para expansão dos serviços de telecomunicações, prioritariamente o acesso à banda larga - Secretaria de Comunicação

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Manaus, janeiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Proporção de

Leia mais

ITU Regional Human Capacity Development Forum. TIC e Desenvolvimento Econômico e Social

ITU Regional Human Capacity Development Forum. TIC e Desenvolvimento Econômico e Social ITU Regional Human Capacity Development Forum TIC e Desenvolvimento Econômico e Social O mundo passa por um momento de profundas transformações...... as comunicações são parte dessas transformações. Políticas

Leia mais

Banda Larga rural e urbana

Banda Larga rural e urbana Banda Larga rural e urbana Edital de Licitação 004/2012/PVCP/SPV-Anatel (450 MHz e 2,5 GHz) Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados Anatel Brasília/DF Abril/2012 Premissas e objetivos

Leia mais

Jovino Francisco Filho Secretaria de Telecomunicações

Jovino Francisco Filho Secretaria de Telecomunicações GOVERNO FEDERAL AÇÕES PÚBLICAS PARA IMPLEMENT TAÇÃO DE BANDA LARGA BRASIL. Jovino Francisco Filho Secretaria de Telecomunicações BANDA LARGA INFRAESTRUTURA PARA REDUÇÃO DAS DISPA ARIDADES REGIO ONAIS BANDA

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado 2 o Trimestre/2006 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco da Banda Larga Introdução Você está recebendo a nova edição do Barômetro Cisco da Banda Larga,

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Marabá, abril de 2014 Ministério das Comunicações Evolução da penetração

Leia mais

A Situação da Banda Larga no Brasil

A Situação da Banda Larga no Brasil A Situação da Banda Larga no Brasil Avaliação do diagnóstico realizado pelo IPEA Junho 2010 2010 Teleco e SindiTelebrasil. All rights reserved. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DIAGNÓSTICO DA BANDA LARGA NO

Leia mais

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet Conceitos básicos Formas de conexão Correio Eletrônico WWW Principais navegadores para Internet Para compreender a Internet faz-se necessário o conhecimento de conceitos simples e que muitas vezes causam

Leia mais

Larga Brasil 2005-2010

Larga Brasil 2005-2010 Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Junho de 2010 Preparado para Meta de Banda Larga em 2010 no Brasil: 15 milhões de conexões Elaborado por IDC Copyright 2010 IDC. Reproduction

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009

CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009 CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009 Proposta de Alteração do Regulamento sobre Condições de Uso de 2.690 MHz. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições

Leia mais

Comissão Especial PL nº 1.481/2007. AUDIÊNCIA PÚBLICA 13 de Maio de 2008. Vilson Vedana Presidente do Conselho Consultivo da Anatel

Comissão Especial PL nº 1.481/2007. AUDIÊNCIA PÚBLICA 13 de Maio de 2008. Vilson Vedana Presidente do Conselho Consultivo da Anatel Comissão Especial PL nº 1.481/2007 AUDIÊNCIA PÚBLICA 13 de Maio de 2008 Vilson Vedana Presidente do Conselho Consultivo da Anatel 1 O QUE É O CONSELHO CONSULTIVO DA ANATEL Art.33 da Lei nº 9.472, de 1997:

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010

Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Junho/2008 Preparado para Meta de Banda Larga em 2010 no Brasil: 15 milhões de conexões Mauro Peres, Country Manager IDC Brasil Copyright 2008

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

TIC DOMICÍLIOS 2012. Panorama da Inclusão digital no Brasil. Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação no Brasil

TIC DOMICÍLIOS 2012. Panorama da Inclusão digital no Brasil. Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação no Brasil Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação TIC DOMICÍLIOS 12 Panorama da Inclusão digital no Brasil Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação no

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA ANATEL NÚMERO 241 INTRODUÇÃO

CONSULTA PÚBLICA ANATEL NÚMERO 241 INTRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA ANATEL NÚMERO 241 INTRODUÇÃO A Associação GSM, por meio desta, apresenta por escrito as suas contribuições à Consulta Pública da ANATEL número 241 e respeitosamente solicita que as mesmas

Leia mais

Desafios para a construção" de uma rede de telecomunicações governamental no Estado

Desafios para a construção de uma rede de telecomunicações governamental no Estado Desafios para a construção" de uma rede de telecomunicações governamental no Estado Cristiane Lima Guadagnin Cardoso I Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC Maio 2015. 1 AGENDA

Leia mais

Inovação em Banda Larga. Marco Antonio Folegatti Gerente Geral da América do Sul Telecom Networks

Inovação em Banda Larga. Marco Antonio Folegatti Gerente Geral da América do Sul Telecom Networks Inovação em Banda Larga Marco Antonio Folegatti Gerente Geral da América do Sul Telecom Networks A banda larga beneficia a todos Melhoria na qualidade de vida com FTTH Exemplos em países em desenvolvimento

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

Relatório Final. Discente: Dâmaris Regina Dias Guimarães da Rocha 12/0050251

Relatório Final. Discente: Dâmaris Regina Dias Guimarães da Rocha 12/0050251 Relatório Final Análise do arcabouço institucional jurídico de Costa Rica, Panamá e Honduras por meio do LICS model para fins de comparação de suas conformações institucionais Discente: Dâmaris Regina

Leia mais