PERCEPÇÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DE MAQUETES NA EDUCAÇÃO INTERATIVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERCEPÇÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DE MAQUETES NA EDUCAÇÃO INTERATIVA"

Transcrição

1 PERCEPÇÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DE MAQUETES NA EDUCAÇÃO INTERATIVA DIAS, A. C. 1 ; CAVERSAN, B. 1 ; SILVA, K. A. da. 1 ; SILVA, J. F. da. 1 ; SILVA, C. V. da. 2 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas da FAP 2 Docente da Faculdade de Apucarana RESUMO Nos dias atuais os alunos tem contato com um mundo cheio de experiências trazidas principalmente pela internet. Essa modernidade deve ser acompanhada em sala de aula, com a utilização de recursos visuais, como por exemplo, a utilização de maquete, no qual o aluno pode observar e assimilar melhor o conteúdo. Esta simples metodologia pode tornar as aulas mais interessantes do que quando o conteúdo é apresentado apenas de forma expositiva, onde o professor é o centro das atenções. PALAVRA-CHAVE: Maquete; Recursos Visuais; Modernidade. ABSTRACT Nowadays students have contact with a world full of experiences brought mainly by the internet. This modernity must be accompanied in the classroom, with the use of visuals, such as the use of model in which students can observe and assimilate better content. This simple methodology can make lessons more interesting than when the content is presented only for expository form, where the teacher is the center of attention. KEYWORDS: Maquette; Visual Means; Modernity. INTRODUÇÃO A utilização de maquetes como ferramenta pedagógica é uma ótima opção para o auxilio na exposição e fixação de assuntos. Muitos professores ainda usam metodologias retrógradas utilizando extensivamente quadro-negro, copia e

2 atividades. Na maneira expositiva percebe-se falta de estímulo por parte dos alunos em aprender ou fazer questionamentos durante a aula. O uso da maquete deve ser introduzido em sala de aula começando na educação infantil. Montando um espaço que a criança compreenda melhor a realidade, colocando o grande em um espaço pequeno e assim tornando a aprendizagem mais fácil. Com as crianças, por exemplo, podemos montar uma pequena cidade e explicar que ali é a representação de uma grande capital, com casas, mercados, lojas, ruas, carros, hospitais, etc. Assim quando a criança entra no ensino fundamental ela já tem uma base do que a maquete vai ajudar na explicação da aula, tornando assim a aula mais interessante e com mais participação. No ensino médio pode-se pedir para que os alunos construam maquetes sobre o foi discutido em sala de aula. Dessa forma o aluno vai ter que revisar o que foi falado e consequentemente vai assimilar melhor o conteúdo. A maquete em si tem o papel particular de fixação nas disciplinas de ciências e biologia, pois podemos representar aquilo que não vemos sem a utilização de aparelhos, como o microscópio. A atual pesquisa teve como principal objetivo o de aplicar questionários sobre a importância de se usar maquetes no ensino de ciências e biologia. Estes foram aplicados com professores e alunos de duas Instituições de Ensino na cidade de Ortigueira, Paraná. A pesquisa foi realizada em uma escola de Educação Infantil, Escola Municipal Ernesto Soares dos Santos e em um colégio de ensino Fundamental e Médio, Colégio Estadual Dr. Teotônio Vilella. Ao todo foram entrevistados 13 professores e 95 alunos. REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS Dentre as diversas metodologias diferenciadas merece destaque o uso das tecnologias e entre elas as maquetes que são representações de uma ideia, objeto, acontecimento, processo ou sistema criado com um objetivo específico. Permite assim, materializar uma ideia ou um conceito tornando-os assim diretamente assimiláveis (GILBERT, BOULTER & ELMER, 2000; ORLANDO et al., 2009).

3 Para SABINO (2009) existem vários tipos de maquetes, com estruturas tridimensionais utilizadas para demonstrar como um fenômeno real pode acontecer de forma simples. CONCLUSÃO Com esse pensamento de quanto é importante a apresentação de uma maquete em sala de aula, objetivou-se realizar uma pesquisa quantitativa com professores e alunos de uma escola da educação infantil e ensino fundamental (anos iniciais) e em um colégio de ensino fundamental (anos finais) e ensino médio. As perguntas realizadas para os professores estão representadas na Tabela 1, e as perguntas realizadas com os alunos estão representadas na Tabela 2. Tabela 1: Perguntas realizadas com professores. 1) Você utiliza maquete em sala de aula? 2) Percebe-se rendimento no aprendizado do aluno? 3) A dinâmica aplicada em sala de aula é sempre a mesma? Tabela 2: Perguntas realizadas com alunos. 1) Você sabe o que é uma maquete? 2) Você já viu uma maquete? 3) O professor já utilizou maquete em sala de aula? 4) O uso da maquete foi importante no aprendizado? Pode-se perceber que os professores que apresentaram maquete em suas aulas pontuaram para um maior rendimento, e os que responderam que não utilizam deixaram em branco este questionamento (Tabela 3).

4 Os alunos que sabiam o que é uma maquete e que já viram a utilização desta pelo professor, responderam que esta é muito importante no aprendizado, os alunos que nunca viram uma maquete deixaram em branco. Dos 80 alunos que sabem o que é uma maquete só 62 já viram em alguma prática pedagógica do professor (Tabela 4). Tabela 3: Respostas dos professores. PERGUNTA SIM NÃO Tabela 4: Respostas dos alunos. PERGUNTA SIM NÃO Assim pode-se concluir que de acordo com os questionamentos, 54% dos professores entrevistados já utilizaram maquetes em suas práticas e todos afirmaram que percebem um melhor aprendizado dos alunos quando usam este tipo de método para o ensino. A maioria dos alunos (65%) afirmou que alguns de seus professores já utilizaram maquete em sala de aula. Inclusive estes alunos tiveram maior interesse em responder a pesquisa. Já os alunos que não sabiam sobre maquetes tiveram bastante curiosidade para descobrir do que se tratava esta metodologia de ensino. Esta pesquisa deverá ser estendida a outros colégios da cidade e região devido à importância do assunto abordado e a dificuldade de alguns professores em desenvolver diferentes ideias nas suas práticas pedagógicas que possam envolver o aluno no maravilhoso e gratificante processo de ensino e aprendizagem. REFERÊNCIAS

5 GILBERT, J.K ; BOULTER, C.J. & ELMER, R. Positioning Models in Science Education and in Design and Technology Education. In J. K. Gilbert & C. J. Boulter (Eds.), Developing Models in Science Education p. 3-17, ORLANDO, T.C. Planejamento montagem e aplicação de modelos didáticos para abordagem de biologia celular e molecular no ensino médio por graduandos deciências biológicas. Revista brasileira de ensino de bioquímica e biologia molecular, Minas Gerais, p. 1, SABINO, G.; FERNANDO C.A.; SABINO,C.V. S. Proposta de uma metodologia para o ensino da estrutura e função das proteínas na disciplina Bioquímica. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular, p 35, 2009.

CONSTRUÇÃO DE MAQUETES COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO- APRENDIZAGEM: CONTRIBUIÇÕES PARA FORMAÇÃO INICIAL DE PEDAGOGOS

CONSTRUÇÃO DE MAQUETES COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO- APRENDIZAGEM: CONTRIBUIÇÕES PARA FORMAÇÃO INICIAL DE PEDAGOGOS CONSTRUÇÃO DE MAQUETES COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO- APRENDIZAGEM: CONTRIBUIÇÕES PARA FORMAÇÃO INICIAL DE PEDAGOGOS Autor: Claudio Wagner Locatelli Mestrando do Programa de Ensino, História e Filosofia das

Leia mais

PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO

PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO BITTENCOURT, Evandro dcb2eb@joinville.udesc.br Universidade

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA ABORDAGEM SOBRE AS PRÁTICAS EDUCATIVAS APLICADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA ABORDAGEM SOBRE AS PRÁTICAS EDUCATIVAS APLICADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA ABORDAGEM SOBRE AS PRÁTICAS EDUCATIVAS APLICADAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II HOMEN, V. M. S. 1 ; SILVA, R. F. 2 1- Discente do curso de Ciências Biológicas da FAP- Faculdade de Apucarana.

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA MONITORIAINTEGRADACOMO AGENTE PROMOTOR NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E PROFISSIONAL DO FORMANDO NO DBG/CB-UFRN.

A EXPERIÊNCIA DA MONITORIAINTEGRADACOMO AGENTE PROMOTOR NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E PROFISSIONAL DO FORMANDO NO DBG/CB-UFRN. Eixo temático: Educação e Ciências Exatas e Naturais A EXPERIÊNCIA DA MONITORIAINTEGRADACOMO AGENTE PROMOTOR NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E PROFISSIONAL DO FORMANDO NO DBG/CB-UFRN. Daniella Regina Arantes Martins

Leia mais

CONFECÇÃO E AVALIAÇÃO DE MAQUETE PARA EDUCAÇÃO INTERATIVA EM BIOLOGIA CELULAR E TECIDUAL NO PROGRAMA PROJOVEM URBANO

CONFECÇÃO E AVALIAÇÃO DE MAQUETE PARA EDUCAÇÃO INTERATIVA EM BIOLOGIA CELULAR E TECIDUAL NO PROGRAMA PROJOVEM URBANO CONFECÇÃO E AVALIAÇÃO DE MAQUETE PARA EDUCAÇÃO INTERATIVA EM BIOLOGIA CELULAR E TECIDUAL NO PROGRAMA PROJOVEM URBANO Mirna dos Santos Dias Silva 1, Joana Cristina N. de Menezes Faria 2 1.Pós-Graduanda

Leia mais

LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COMO ESPAÇOS PARA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COMO ESPAÇOS PARA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA Revista F@pciência, Apucarana-PR, ISSN 1984-2333, v.7, n. 11, p. 117 122, 2010. 117 LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COMO ESPAÇOS PARA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL DE ALUNOS

Leia mais

MODELO DE MEMBRANA PLASMÁTICA COM MATERIAL RECICLÁVEL

MODELO DE MEMBRANA PLASMÁTICA COM MATERIAL RECICLÁVEL MODELO DE MEMBRANA PLASMÁTICA COM MATERIAL RECICLÁVEL SOUZA, A.G. 1 ; SILVA, G.F. 1 ; MARTINS, S.C. 1 ; SILVA, C. V. 2 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2 Mestre docente da Faculdade de Apucarana

Leia mais

História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo

História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo História e ensino da tabela periódica através de jogo educativo Caroline Gomes Romano e-mail: carolgromano@hotmail.com Ana Letícia Carvalho e-mail: anale.carvalho03@gmail.com Isabella Domingues Mattano

Leia mais

Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015

Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015 Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015 Subprojeto... Colégio Estadual Professor Waldemar Amoretty Machado Supervisora: Gisele Machado Brites Rodrigues Bolsistas: Ariani, Camila Simões, Kamile

Leia mais

USO DE ANIMAIS E PLANTAS COMO INSTRUMENTO DE TRABALHO EM SALA DE AULA

USO DE ANIMAIS E PLANTAS COMO INSTRUMENTO DE TRABALHO EM SALA DE AULA USO DE ANIMAIS E PLANTAS COMO INSTRUMENTO DE TRABALHO EM SALA DE AULA MORAIS, Luciane dos Santos Discente da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva LAMARI, Luciano Brunelli Docente da Faculdade

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA APROPRIAÇÃO DE PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM CAMPINA GRANDE-PB.

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA APROPRIAÇÃO DE PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM CAMPINA GRANDE-PB. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DA APROPRIAÇÃO DE PROBLEMAS AMBIENTAIS LOCAIS COM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM CAMPINA GRANDE-PB. Maria Célia Cavalcante de Paula e SILVA Licenciada em Ciências Biológicas pela

Leia mais

CONFECÇÃO DE MODELOS BIOLÓGICOS PARA ALUNOS CEGOS NO SEGUNDO SEGMENTO

CONFECÇÃO DE MODELOS BIOLÓGICOS PARA ALUNOS CEGOS NO SEGUNDO SEGMENTO CONFECÇÃO DE MODELOS BIOLÓGICOS PARA ALUNOS CEGOS NO SEGUNDO SEGMENTO BÁRBARA BALZANA MENDES PIRES barbarabalzana@gmail.com INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAP-UERJ) VIVIANE LOUREIRO

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO

OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO José Jailson Lima Bezerra (1); Joseclécio Dutra Dantas (2) (1) Discente. Licenciatura em Ciências

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A IMPORTÂNCIA DA PLURALIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A IMPORTÂNCIA DA PLURALIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A IMPORTÂNCIA DA PLURALIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL Marques, J 1, 2,* ; Queiroz, T. V. 1,2 ; Ennes, M. R. 1,2 ; Dornfeld, C. B. 1,3. ¹Universidade Estadual Paulista (UNESP),

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos PERFIL DOS DISCENTES DA PRIMEIRA TURMA DO CURSO PRÉ-VESTIBULAR SOCIAL TEOREMA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA Raíza Texeira Griffo Vasconcelos (UENF) raizagriffo@gmail.com Talita Vieira Barros (UENF) tv.barros@yahoo.com.br

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES Tamiris Andrade Nascimento (Mestranda do Programa Educação Cientifica e Formação de Professores da Universidade

Leia mais

CONSTRUINDO O SISTEMA NERVOSO HUMANO: UTILIZAÇÃO DE MODELOS E MODELAGENS COMO PRÁTICA ALTERNATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS.

CONSTRUINDO O SISTEMA NERVOSO HUMANO: UTILIZAÇÃO DE MODELOS E MODELAGENS COMO PRÁTICA ALTERNATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS. CONSTRUINDO O SISTEMA NERVOSO HUMANO: UTILIZAÇÃO DE MODELOS E MODELAGENS COMO PRÁTICA ALTERNATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS. Brayan Paiva Cavalcante¹; Clécio Danilo Dias da Silva²; Dalvan Henrique Luiz Romeiro³;

Leia mais

TRABALHANDO EXPERIMENTOS DE BAIXO CUSTO NA ÁREA DA FÍSICA NO ENSINO MÉDIO. Francisco Carlos Vieira da Silva 2 Nórlia Nabuco Parente 3 RESUMO

TRABALHANDO EXPERIMENTOS DE BAIXO CUSTO NA ÁREA DA FÍSICA NO ENSINO MÉDIO. Francisco Carlos Vieira da Silva 2 Nórlia Nabuco Parente 3 RESUMO TRABALHANDO EXPERIMENTOS DE BAIXO CUSTO NA ÁREA DA FÍSICA NO ENSINO MÉDIO Antonio Carolino de Oliveira Filho 1 Francisco Carlos Vieira da Silva 2 Nórlia Nabuco Parente 3 RESUMO O processo de ensino-aprendizagem

Leia mais

Larissa Vilela de Rezende Lucas Fré Campos

Larissa Vilela de Rezende Lucas Fré Campos ENSINANDO REGRA DE TRÊS SIMPLES COM MATERIAL DOURADO EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE LAVRAS Resumo Larissa Vilela de Rezende Lucas Fré Campos UFLA/DEX, larissavilela@outlook.com.br UFLA/DEX, lucas_fre@matematica.ufla.br

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS UTILIZANDO RECURSOS AUDIOVISUAIS COMO ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Thayna Rhayssa Batista da Silva¹, Joaklebio Alves da Silva, Luiz Antonio de Sales 1. thaynarbs@bol.com.br

Leia mais

PROJETO DE TUTORIA DE FÍSICA I DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA UFMG)

PROJETO DE TUTORIA DE FÍSICA I DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA UFMG) PROJETO DE TUTORIA DE FÍSICA I DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA UFMG) Daniele Macedo Soares dannyele_macedo@hotmail.com Universidade Federal de Minas Gerais Campus Montes Claros Avenida Universitária,

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO Luciano Bernardo Ramo; Maria Betania Hermenegildo dos Santos Universidade Federal da Paraíba. luciano_bernardo95@hotmail.com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1 Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 Ana Luiza Araujo COSTA anaepietro26@gmail.com Maria Simone

Leia mais

O USO DE SMARTPHONE NO ENSINO DE CIÊNCIAS: ESTUDO DE CASO.

O USO DE SMARTPHONE NO ENSINO DE CIÊNCIAS: ESTUDO DE CASO. O USO DE SMARTPHONE NO ENSINO DE CIÊNCIAS: ESTUDO DE CASO. Marco Antonio de Abreu Viana Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) marco.viana@ifrn.edu.br Fernando Cesar de Abreu Viana Instituto Federal

Leia mais

Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu

Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu Centro Pastoral, Educacional e Assistencial Dom Carlos - CPEA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 06/2013 VIZIVALI A FACULDADE

Leia mais

INCLUSÃO SOCIAL DE SURDOS PELA CIÊNCIA: DESENVOLVIMENTO DE UMA ABORDAGEM EXPERIMENTAL DE ENSINO

INCLUSÃO SOCIAL DE SURDOS PELA CIÊNCIA: DESENVOLVIMENTO DE UMA ABORDAGEM EXPERIMENTAL DE ENSINO INCLUSÃO SOCIAL DE SURDOS PELA CIÊNCIA: DESENVOLVIMENTO DE UMA ABORDAGEM EXPERIMENTAL DE ENSINO CRUZ 1, Anne Izbelle Soares; SILVA 2, Palloma Farias; RODRIGUES-MASCARENHAS 3, Sandra. Centro de Biotecnologia/

Leia mais

AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR

AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR AVALIAÇÃO SOBRE A COLETA SELETIVA EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE APUCARANA PR MONARO, G.V 1 ; SILVA, C.V da 2. 1-Graduando em Ciências Biológicas na FAP- Faculdade de Apucarana 2-Mestre e docente da FAP- Faculdade

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

EXPERIMENTAÇÃO EM SALA DE AULA: RESISTORES

EXPERIMENTAÇÃO EM SALA DE AULA: RESISTORES EXPERIMENTAÇÃO EM SALA DE AULA: RESISTORES Patrick Antonio Morelo UNICENTRO PIBID/CAPES morelo@mail.com Wycaro Elias Domingues de Deus UNICENTRO PIBID/CAPES wycarodomingues18@gmail.com Tania Toyomi Tominaga

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

DANÇA E EDUCAÇÃO FÍSICA: UM CONTEÚDO REALMENTE CONTEXTUALIZADO NAS AULAS?

DANÇA E EDUCAÇÃO FÍSICA: UM CONTEÚDO REALMENTE CONTEXTUALIZADO NAS AULAS? DANÇA E EDUCAÇÃO FÍSICA: UM CONTEÚDO REALMENTE CONTEXTUALIZADO NAS AULAS? FERNANDA DIAS BRANDÃO Licenciada em Educação Física pela UNISUAM Rio de Janeiro, RJ, Brasil fedufisica@hotmail.com Resumo O estudo

Leia mais

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO 63 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS APLICADAS AO ENSINO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO CARLOS FERNANDO DE ARAUJO JR 1 ÁDERSON GUIMARÃES PEREIRA 2 RESUMO O trabalho procura demonstrar que a aplicação das tecnologias

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS

JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS Sousa, N. D. C. (1) ; Macêdo, M. A. M. (1) ; Santos, K. N. C. (1) ; Oliveira, A. M. (1) ; Teixeira, R. C. S. (1) ; Rocha, J. R. S. (1) nayaradannielle@gmail.com

Leia mais

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA EM GENÉTICA: UMA EXPERIENCIA COM UM GRUPO DE EDUCANDOS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ENSINO MÉDIO (PORTO NACIONAL-TO).

APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA EM GENÉTICA: UMA EXPERIENCIA COM UM GRUPO DE EDUCANDOS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ENSINO MÉDIO (PORTO NACIONAL-TO). APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA EM GENÉTICA: UMA EXPERIENCIA COM UM GRUPO DE EDUCANDOS EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ENSINO MÉDIO (PORTO NACIONAL-TO). Débora Bandelero dos Santos 1, Juliane Maia Ribeiro 1, Nathália

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS-PIBID 2º SEMESTRE 2013. Bolsistas: Jaqueline Kovalechucki Ricardo Rossa

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS-PIBID 2º SEMESTRE 2013. Bolsistas: Jaqueline Kovalechucki Ricardo Rossa UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS-PIBID 2º SEMESTRE 2013. Bolsistas: Jaqueline Kovalechucki Ricardo Rossa CURITIBA 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. LOCALIZAÇÃO DO COLÉGIO...4-5

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO CURSO ONLINE DE NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA PARA OS DISCENTES DOS CURSOS PRESENCIAIS DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS CONTÁBEIS.

CONTRIBUIÇÕES DO CURSO ONLINE DE NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA PARA OS DISCENTES DOS CURSOS PRESENCIAIS DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS CONTÁBEIS. CONTRIBUIÇÕES DO CURSO ONLINE DE NIVELAMENTO EM MATEMÁTICA PARA OS DISCENTES DOS CURSOS PRESENCIAIS DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Flávio de Paula Soares Carvalho. (UNIPAM E-mail: flavioscarvalho@unipam.edu.br)

Leia mais

TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO AUTOR(ES): THAIS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA PARA AUXILIO NA EDUCAÇÃO MUSICAL

DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA PARA AUXILIO NA EDUCAÇÃO MUSICAL DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA PARA AUXILIO NA EDUCAÇÃO MUSICAL Mário Giusti Prof. Cristóvam Emílio Herculani Tecnologia em Informática para a Gestão de Negócios Faculdade de Tecnologia de Garça (Fatec)

Leia mais

MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO

MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO CARO ALUNO, Seja Bem-Vindo às Escolas e Faculdades QI! Desejamos a você uma excelente jornada de estudos e evolução, tanto no campo profissional, como pessoal. Recomendamos

Leia mais

O Jogo na Educação Matemática

O Jogo na Educação Matemática O Jogo na Educação Matemática Adjair José Desplanches Rua: Antonio Gongola, 193 Boa Vista CEP: 82560-560 Curitiba PR. adjairjd@terra.com.br Telefone: (0**41) 3357-0050 Maria Aparecida dos Santos Rua Íris,

Leia mais

CIDADANIA: o que é isso?

CIDADANIA: o que é isso? CIDADANIA: o que é isso? Autora: RAFAELA DA COSTA GOMES Introdução A questão da cidadania no Brasil é um tema em permanente discussão, embora muitos autores discutam a respeito, entre eles: Ferreira (1993);

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E HQS NO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E HQS NO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E HQS NO ENSINO FUNDAMENTAL Daiane Aparecida Begname 1 Priscila Paschoalino Ribeiro 2 RESUMO O presente trabalho de extensão visou incentivar o uso de Histórias em Quadrinhos no ensino

Leia mais

PERFIL DE ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CICLO II A RESPEITO DO USO DE RECURSOS DE INFORMÁTICA PELO PROFESSOR PARA AUXÍLIO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO

PERFIL DE ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CICLO II A RESPEITO DO USO DE RECURSOS DE INFORMÁTICA PELO PROFESSOR PARA AUXÍLIO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE

Leia mais

A importância da Informática na Educação

A importância da Informática na Educação A importância da Informática na Educação AGUIAR, Juliana Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG - Rua das Flores, 740 Bairro Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Componente Curricular: BIOLOGIA Série:

Leia mais

DIFICULDADES PARA O APRENDIZADO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS

DIFICULDADES PARA O APRENDIZADO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS DIFICULDADES PARA O APRENDIZADO DE RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS Sergio Gavazza gavazza@ugf.br Universidade Gama Filho, Curso de Engenharia Civil Rua Manoel Vitorino, 369 - Piedade CEP: 20748-900 - Rio de

Leia mais

A PESQUISA NA MUDANÇA DA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

A PESQUISA NA MUDANÇA DA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL A PESQUISA NA MUDANÇA DA SALA DE AULA DE MATEMÁTICA: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Leandro Carlos de Souza Gomes(1); Universidade Estadual da Paraíba, leandrouepb@hotmail.com; RESUMO: Essa pesquisa

Leia mais

O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA

O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA Ana Lhayse Feitoza Albuquerque analhayse@hotmail.com Beatriz Correia Neri de Araújo beatrizneri00@hotmail.com Thays Emanuela

Leia mais

Infográfico da fatura de energia elétrica em prol da Eficiência Energética

Infográfico da fatura de energia elétrica em prol da Eficiência Energética Infográfico da fatura de energia elétrica em prol da Eficiência Energética André Luis Boaventura Nathália Aparecida Lopes João Ricardo Neves Ana Maria Osório Araya Resumo A motivação para essa pesquisa

Leia mais

JOGANDO COM A MATEMÁTICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

JOGANDO COM A MATEMÁTICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA RESUMO JOGANDO COM A MATEMÁTICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Farias, Airan FAP airanzinh@hotmail.com Omodei, Letícia Barcaro Celeste FAP leticia.celeste@fap.com.br Agência Financiadora: FUNPESQ Este trabalho

Leia mais

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO André Luís Mattedi Dias mattedi@uefs.br Jamerson dos Santos Pereira pereirajamerson@hotmail.com Jany Santos Souza Goulart janymsdesenho@yahoo.com.br

Leia mais

Curso de planilhas eletrônicas na modalidade EAD: Um relato de experiência

Curso de planilhas eletrônicas na modalidade EAD: Um relato de experiência ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO Curso de planilhas eletrônicas na modalidade EAD: Um relato de experiência Luis Henrique Chiczta (luischiczta@gmail.com) Diolete Marcante Latti Cerutti (diolete@uepg.br) Adilson

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

CADEIA ALIMENTAR: ATIVIDADE DIDÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE PARNAÍBA-PI

CADEIA ALIMENTAR: ATIVIDADE DIDÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE PARNAÍBA-PI CADEIA ALIMENTAR: ATIVIDADE DIDÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE PARNAÍBA-PI Thaynara Fontenele de Oliveira (Universidade Federal do Piauí UFPI/CMRV) Email: thaynarafontenele@outlook.com Maria das

Leia mais

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA

JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA JOGO DIDÁTICO COMO INSTRUMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DA TABELA PERIÓDICA Vera Lucia Rocha da Silva (Universidade Federal do Piauí - UFPI/ CMRV) Email: veraelimaocommel@hotmail.com

Leia mais

II ENCONTRO DE DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO PIBID UENP: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

II ENCONTRO DE DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO PIBID UENP: DESAFIOS E PERSPECTIVAS CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIMENTAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA PELA EQUIPE PIBID DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MASSAN, C. A.¹; SILVA, J. M.¹; MARINHO, B. P.¹; BRIGANTI, S.¹; FONSECA, C. A.¹; MORETTI, A. R.¹; MARINHO, F.

Leia mais

Projeto Escola Solar

Projeto Escola Solar Projeto Escola Solar Projeto Escola Solar Por Walder Antonio Teixeira Introdução O que vem a ser uma Escola Solar? Demos o nome de Escola Solar para o nosso projeto, pois utilizamos a prática com energia

Leia mais

EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA E RISCOS SOCIOAMBIENTAIS: EXPERIÊNCIAS EM ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA E RISCOS SOCIOAMBIENTAIS: EXPERIÊNCIAS EM ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA III Congresso Internacional III Congresso Internacional, I Simpósio Ibero-Americano e VIII Encontro Nacional de Riscos Guimarães EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA E RISCOS SOCIOAMBIENTAIS: EXPERIÊNCIAS EM ATIVIDADES

Leia mais

Período Ampliado, muito mais educação para seu filho e tranquilidade para você

Período Ampliado, muito mais educação para seu filho e tranquilidade para você Período Ampliado, muito mais educação para seu filho e tranquilidade para você Período Integral Programa organizado de forma que a jornada estendida se torne agradável e acolhedora. O Período Ampliado

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI Kássia Hellem Tavares da Silva (*), Lorrane de Castro Miranda, Israel

Leia mais

O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE

O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE Nazaré do Socorro Moraes da Silva Universidade do Estado do Para/UEPA Secretaria Executiva de Educação/SEDUC nazaresocorro@hotmail.com Elise Cristina Pinheiro

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores

Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores Pedagogical games workshop of ecology teaching and environmental education as

Leia mais

Desenvolvimento de um Aplicativo Visando à Educação Ambiental.

Desenvolvimento de um Aplicativo Visando à Educação Ambiental. Desenvolvimento de um Aplicativo Visando à Educação Ambiental. Guilherme José Vicente Ferbek gui.ferbek10@gmail.com IFES - Alegre Paulicia Sabatini Vila p.sabatini12@gmail.com IFES - Alegre Resumo:O presente

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A EFICIÊNCIA DO USO DE UM AMBIENTE VIRTUAL NO ENSINO DE PADRÕES E SEQUÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID

REFLEXÕES SOBRE A EFICIÊNCIA DO USO DE UM AMBIENTE VIRTUAL NO ENSINO DE PADRÕES E SEQUÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID REFLEXÕES SOBRE A EFICIÊNCIA DO USO DE UM AMBIENTE VIRTUAL NO ENSINO DE PADRÕES E SEQUÊNCIAS: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID Aline Cordeiro da Silva 1 acs_uepb@hotmail.com Izailma Nunes de Lima 2 izailmanunes@gmail.com

Leia mais

IMAGENS 3D VIRTUAIS NO ENSINO DE CIÊNCIAS: RECONSTRUÇÕES DE UM MODELO ANALÓGICO DO OLHO HUMANO EM APLICATIVO MULTIMÍDIA 1

IMAGENS 3D VIRTUAIS NO ENSINO DE CIÊNCIAS: RECONSTRUÇÕES DE UM MODELO ANALÓGICO DO OLHO HUMANO EM APLICATIVO MULTIMÍDIA 1 IMAGENS 3D VIRTUAIS NO ENSINO DE CIÊNCIAS: RECONSTRUÇÕES DE UM MODELO ANALÓGICO DO OLHO HUMANO EM APLICATIVO MULTIMÍDIA 1 Welerson R. MORAIS (CEFET-MG) 2 Ronaldo L. NAGEM (CEFET-MG) 3 Resumo O uso de imagens

Leia mais

O Programa de Desenvolvimento Educacional e suas Interfaces

O Programa de Desenvolvimento Educacional e suas Interfaces 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro

Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro Ricardo Carvalho de Figueiredo Universidade Federal de Minas Gerais Professor Assistente Doutorando em Artes EBA/UFMG

Leia mais

TÍTULO: COMO INTERLIGAR OS LIVROS DE LITERATURA INFANTIL COM OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS TRABALHADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

TÍTULO: COMO INTERLIGAR OS LIVROS DE LITERATURA INFANTIL COM OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS TRABALHADOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL? Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: COMO INTERLIGAR OS LIVROS DE LITERATURA INFANTIL COM OS CONTEÚDOS MATEMÁTICOS TRABALHADOS NA

Leia mais

CONHECER E NEGOCIAR COM CLIENTES: uma experiência de gincana das cores

CONHECER E NEGOCIAR COM CLIENTES: uma experiência de gincana das cores CONHECER E NEGOCIAR COM CLIENTES: uma experiência de gincana das cores Autores: IVANISE MARIA BOMFIM SOARES e AZENILDA DE PAULA CABRAL Conhecer e Negociar com Clientes: Uma Experiência de Gincana das Cores,

Leia mais

Sonara Gonçalves Silva 1. Karen Pirola 2. Júlia Raquel Peterle Pereira 3. Maria Geralda Oliver Rosa 4

Sonara Gonçalves Silva 1. Karen Pirola 2. Júlia Raquel Peterle Pereira 3. Maria Geralda Oliver Rosa 4 Avaliação do uso de jogos didáticos como auxílio para o ensino de Química: uma experiência didática do PIBID na Escola Irmã Maria Horta Sonara Gonçalves Silva 1 Karen Pirola 2 Júlia Raquel Peterle Pereira

Leia mais

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 1 GT2 O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Renato Fares Khalil Marco Aurélio Bossetto José Fontebasso Neto.br Orientadora: Profa. Dra. Irene Jeanete Lemos

Leia mais

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS

O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS O SOFTWARE EUCLIDEAN REALITY AUXILIANDO NA CONSTRUÇÃO DO TEOREMA DE PITÁGORAS Vânia de Moura Barbosa Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco vanibosa@terra.com.br Introdução Um dos primeiros questionamentos

Leia mais

AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE

AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE ARTE Juliana Stedille 1 Richelly de Macedo Ramos 2 Edi Jussara Candido Lorensatti 3 Resumo Este artigo busca verificar quais os procedimentos adotados por professores da disciplina

Leia mais

III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS

III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO 1. Há quanto tempo você participa do Programa de bolsa-auxílio do Instituto Girassol? Até 1 ano 3 De 1 a 2 anos 8 De 2 a 3 anos 3 De 2 a 3 anos 21% Até 1 ano 22%

Leia mais

Palavras-Chave: Educação; Estágio Supervisionado; Prática de Regência; Realidade da Educação.

Palavras-Chave: Educação; Estágio Supervisionado; Prática de Regência; Realidade da Educação. PERCEPÇÕES ESTABELECIDAS ATRAVÉS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL Il: A SALA DE AULA E SUAS ESPECIFICIDADES Tarcisio Santos Souza- UESC tarcisio_palito@hotmail.com Deborah Laís

Leia mais

AUTORES: CASTRO, M. S.; SANTANA N. F. O.; BILMAIA R. A.

AUTORES: CASTRO, M. S.; SANTANA N. F. O.; BILMAIA R. A. TÍTULO: AS DIFICULDADES E AS COMPLEXIDADES ENCONTRADAS NA ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DENTRO DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO E O RELACIONAMENTO COM O DESENVOLVIMENTO INFANTIL RESUMO AUTORES: CASTRO, M.

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Etec Padre José Nunes Dias Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Padre José Nunes Dias Código: 075 Município: Monte Aprazível Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias

Leia mais

USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA

USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA USO DO LABORATÓRIO DE INFOMÁTICA NAS DE MATEMÁTICA Resumo: Neste mini-curso os participantes terão a oportunidade de conhecer uma metodologia, bem como também construir e trabalhar com a mesma, na tentativa

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PARANÁ GOVERNO DO ESTADO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS - DPPE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE Anexo I Professor PDE FORMULÁRIO DE ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Modelos didáticos de ciências: construção de um laboratório móvel

Modelos didáticos de ciências: construção de um laboratório móvel Modelos didáticos de ciências: construção de um laboratório móvel Introdução A ideia de estudar ciências nos dias atuais está longe do que realmente é ciências. A imagem criada pelos alunos que um cientista

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE ALMEIDA 1, Leonardo Rodrigues de SOUSA 2, Raniere Lima Menezes de PEREIRA

Leia mais

UMA AÇÃO INCLUSIVA FRENTE ÀS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS UTILIZADAS POR PESSOAS CEGAS

UMA AÇÃO INCLUSIVA FRENTE ÀS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS UTILIZADAS POR PESSOAS CEGAS UMA AÇÃO INCLUSIVA FRENTE ÀS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS UTILIZADAS POR PESSOAS CEGAS Carlene da Penha Santos - Graduanda/ UFPB Luzia Domiciano da Silva - Graduanda/ UFPB OBJETIVO Aproximar os alunos ditos

Leia mais

Palavras-chave: Ensino de ciências; metodologias; Ensino Fundamental.

Palavras-chave: Ensino de ciências; metodologias; Ensino Fundamental. METODOLOGIAS E PRÁTICAS DE ENSINO DE CIÊNCIAS APLICADAS EM ALUNOS DO 7º ANO DE UMA ESCOLA NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA PR Cristiane Valus Faculdade Internacional de Curitiba (FACINTER) 1 cristiane_valus@hotmail.com

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA COLETA SELETIVA NA FAP SILVA V. L. da 1 ; SOUZA T. R. 1 ; RIBEIRO J. S. G. 1 ; CARDOSO C. F. 1 ; SILVA, C. V. da 2. 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO MÉDIO UMA EXPERIÊNCIA NO PIBID/CAPES/IFCE

JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO MÉDIO UMA EXPERIÊNCIA NO PIBID/CAPES/IFCE JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO MÉDIO UMA EXPERIÊNCIA NO PIBID/CAPES/IFCE Myrlene Oliveira Nascimento myrlene.oliveira@yahoo.com.br Janaína Marques e Melo janaina_gauss@yahoo.com.br Luiza Santos Pontello lpontello@yahoo.com.br

Leia mais