Prefeitura Municipal de Irauçuba. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB do Município de Irauçuba - CE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prefeitura Municipal de Irauçuba. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB do Município de Irauçuba - CE"

Transcrição

1 Prefeitura Municipal de Irauçuba Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB do Município de Irauçuba - CE Relatório Mensal Simplificado de Atividades RELATÓRIO 2 Fevereiro/2015

2 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE IRAUÇUBA - CE RELATÓRIO 2 - RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ATIVIDADES EQUIPE TÉCNICA PRINCIPAL Catiane Sebben Selung Jackson Casali Fernanda Bottin Engenheira Civil Engenheiro Especialista em Gestão Ambiental Assistente Social CREA/RNP CREA/RNP CRAS 3814 Lohan Lindermann Estagiário de Engenharia Ambiental - PMSB IRAUÇUBA - CE 2

3 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE IRAUÇUBA - CE RELATÓRIO 2 - RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ATIVIDADES EQUIPE DE APOIO Robison Fumagalli Lima Darcivana F. Squena José Wellington Jucá de Queiroz Fernandes Engenheiro Florestal Engenheira Ambiental Engenheiro Sanitarista e Ambiental CREA/RNP CREA/RNP CREA/RNP Ademir Costa de Borba Advogado OAB Marcos Fernando Zanella Advogado OAB/SC Marcos Fernando Zanella Contador CRC /0-1 Luzitania Boff Pedagoga /DEMEC/SC Michel Antônio Adorne Administrador CRA Samara Mazon Bióloga CRBio /03-D Eni Ferreira Auxiliar Administrativo - Felipe Forest Técnico em Geoprocessamento - Guilherme Rothes Sociólogo - PMSB IRAUÇUBA - CE 3

4 IDENTIFICAÇÃO CADASTRAL Razão Social: Prefeitura Municipal de Irauçuba CNPJ: / Endereço: Av. Paulo Bastos, nº 1370 Município: Irauçuba CE Fone/fax: (88) Administrador: Prefeito Municipal José Elisnaldo Mota Pinto ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PMSB Responsável: Cerne Ambiental Ltda EPP CNPJ: /01 Endereço: Av. Nereu Ramos 75D, Sala 1035A, Centro Município/UF: Chapecó SC Fone/fax: (49) Home Page PMSB IRAUÇUBA - CE 4

5 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 6 2. PERÍODO DE REALIZAÇÃO 6 3. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 6 4. METODOLOGIA 8 5. INSTRUMENTOS 8 6. AVALIAÇÃO DA EQUIPE 9 7. ANEXOS 10 PMSB IRAUÇUBA - CE 5

6 1. APRESENTAÇÃO A Lei Federal nº , de 5 de janeiro de 2007, prevê que os municípios elaborem seus Planos Municipais de Saneamento Básico. Atendendo a exigência da lei, o município de Irauçuba-CE, iniciou o processo de elaboração do plano, e para isso conta com a assessoria da empresa Cerne Ambiental. Para a elaboração do plano, além de uma equipe técnica especializada, a empresa consultora segue as diretrizes constantes no Termo de Referência, documento elaborado pela Prefeitura Municipal de Irauçuba-CE. No Termo de Referência há a exigência da apresentação de relatório mensal simplificado das atividades desenvolvidas. Nesse sentido, o documento que se apresenta, chama-se Relatório de Atividades Mensal 2, que compreende o período dos meses de fevereiro e março. Neste documento estão descritas as atividades realizadas nesse período, metodologia e instrumentais utilizados, bem como avaliação da equipe técnica, apresentando elementos facilitadores e dificultadores nesse processo. 2. PERÍODO DE REALIZAÇÃO O relatório aqui apresentado é referente ao período de 08 de fevereiro a 07 de Março de DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Conforme cronograma, a equipe da Cerne Ambiental, realizou oficina com o Comitê de Coordenação e Comitê Executivo no dia 10 de fevereiro, às nove horas, na sala de reuniões do Sindicato Rural. A oficina foi ministrada pela Engenheira Civil Sra. Catiane Sebben Selung, Engenheiro Químico Sr. Jackson Casali e Engenheiro Sanitarista e Ambiental Sr. José Wellington Jucá de Queiroz Fernandes. Nessa oficina, que está detalhado no Relatório da Oficina 1, foi abordada a importância da PMSB IRAUÇUBA - CE 6

7 elaboração do PMSB, apresentação do Plano de Mobilização Social, apresentação do Plano de Trabalho e cronograma das atividades. Durante o período em que a equipe da Cerne Ambiental esteve no município de Irauçuba (de 09 a 13 de fevereiro), os técnicos realizaram várias visitas a diferentes pontos do município, a fim de conhecer melhor a realidade vivenciada pela população. Nessas visitas, os técnicos observaram aspectos do abastecimento de água, esgotamento sanitário, organização e destinação dos resíduos sólidos e o sistema de manejo de águas pluviais. Realizaram visitas na zona urbana e rural, além dos açudes, visitaram os demais pontos de captação de água bem como lixões do município e locais onde se dá a destinação final dos esgotos sanitários. Com o intuito de organizar o diagnostico do município os técnicos também realizaram visitas institucionais em busca de informações e dados referente às secretarias, escolas, unidades básicas de saúde, além dos formatos de cobrança de água, luz, coleta de resíduos etc. Após retorno da equipe a sede da empresa Cerne Ambiental, trabalhou-se com os dados coletados, bem como se aguardou retorno das instituições de Irauçuba, para complementar as informações solicitadas para a composição do diagnostico municipal. No dia 24 de fevereiro, o engenheiro químico, Jackson Casali, se deslocou novamente para o município de Irauçuba para a continuidade da coleta de dados. Nesse período foi entregue o Plano de Mobilização Social e Relatório mensal de atividades, além das ART S dos técnicos. O técnico participou de reunião ordinária do Projeto Alianças da Cidadania, no dia 27 de fevereiro, que contou com a presença de todas as associações das comunidades do município. Na oportunidade, o engenheiro químico explanou sobre o Plano Municipal de Saneamento Básico, sua importância no planejamento de ações para a melhoria da qualidade vida da população, cronograma de atividades e convocou a todos os presentes para participar de todas as etapas da elaboração do plano. Na oportunidade foi entregue um questionário básico aos presentes para PMSB IRAUÇUBA - CE 7

8 que os mesmos pudessem expor como se dá todo o sistema de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo dos resíduos sólidos e das águas pluviais. Durante o mês a equipe se deteve em organizar os dados já coletados, buscou mais informações e realizou-se contato com as instituições que se comprometeram em repassar dados necessários para composição do diagnostico. 4. METODOLOGIA Nessa fase de elaboração do plano, utilizamos metodologia dialogada na reunião com o Comitê de Coordenação e Comitê Executivo, permitindo a participação e contribuição dos presentes na atividade. Da mesma forma, utilizouse linguagem simples na reunião do Projeto Alianças da Cidadania, com o objetivo de sensibilizar a população para participação na elaboração do PMSB. As visitas técnicas realizadas proporcionaram uma melhor visualização da situação do município em relação ao saneamento básico. Para subsidiar analises posteriores foram fotografadas todas as localidades visitadas Também foram realizados contatos com moradores e técnicos que atuam no município, a fim de verificar como a população se organiza em períodos de estiagem e como armazenam a água em períodos de chuva. Além disso verificou-se e constatou-se através de visitas a destinação de resíduos sólidos e esgotamento sanitário. Os técnicos também realizaram contato/visita à instituições para coleta de dados como: a prefeitura, a Cagece, SiSAR, Coelce, UBS s. 5. INSTRUMENTOS Os instrumentos utilizados nessa etapa de elaboração do PMSB foram: oficina, participação em reunião, visitas técnicas, contato com moradores e técnicos municipais. PMSB IRAUÇUBA - CE 8

9 Com os dados coletados a equipe, analisou as informações e inseriu esses dados no documento do diagnostico técnico-participativo. Considerando que não foram recebidos todos os dados requeridos, foi realizado contato telefônico e por para solicitação do envio das informações, considerando os prazos a serem cumpridos. 6. AVALIAÇÃO DA EQUIPE A equipe avaliou que a primeira oficina realizada com o Comitê de Coordenação e Comitê Executivo foi muito positiva, atingindo seu objetivo de sensibilização e mobilização para participação dos presentes na elaboração do plano. Avalia-se que foi importante também a participação na reunião do Projeto Alianças da Cidadania, o qual foi estratégico para a mobilização social das comunidades em relação a importância do saneamento ambiental para a melhoria da qualidade de vida. Um dos aspectos dificultador no processo de elaboração do diagnostico técnico-participativo é o não envio de dados, por parte de algumas instituições, para a composição desse documento. Essa situação pode comprometer a qualidade do documento, bem como o comprometimento do cronograma de execução para a elaboração do PMSB. A equipe destaca como desafio a situação da falta de água vivenciada pela população do município. Essa realidade se agrava devido ao ecossistema local, que é frágil e não permite a precipitação de chuvas. Verifica-se o avançado processo de desertificação da região o que faz com que, inclusive, o solo acabe, aos poucos ficando infértil. PMSB IRAUÇUBA - CE 9

10 7. ANEXOS PMSB IRAUÇUBA - CE 10

11 PMSB IRAUÇUBA - CE 11

Prefeitura Municipal de Irauçuba. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB de Irauçuba - CE

Prefeitura Municipal de Irauçuba. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB de Irauçuba - CE Prefeitura Municipal de Irauçuba Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB de Irauçuba - CE Relatório Mensal Simplificado de Atividades RELATÓRIO 4 Abril/2015 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE IRAUÇUBA

Leia mais

Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS

Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Relatório da Reunião de Planejamento Audiência Pública do Diagnóstico

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO MUNICÍPIO DE NOVA AURORA Estado do Paraná MÊS DE AGOSTO DE 2013 RELATÓRIO 08 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Palhoça

Prefeitura Municipal de Palhoça Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico de Palhoça Capítulo Resíduos Sólidos Urbanos e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS RELATÓRIO DAS ETAPAS

Leia mais

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação PLANALTO ALEGRE - SC

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação PLANALTO ALEGRE - SC Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação PLANALTO ALEGRE - SC Fevereiro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3 4. Metodologia

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICIPIO DE REGENERAÇÃO - (PMSB)

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICIPIO DE REGENERAÇÃO - (PMSB) PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICIPIO DE REGENERAÇÃO - (PMSB) RELATÓRIO DO COMITÊ DE COORDENAÇÃO Aos 05 dias do mês de Julho de 2013, às 09:00h, reuniram-se na sede da Prefeitura Municipal

Leia mais

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação JUPIÁ - SC

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação JUPIÁ - SC Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação JUPIÁ - SC Fevereiro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3 4. Metodologia utilizada

Leia mais

Prefeitura Municipal de Cruz. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB

Prefeitura Municipal de Cruz. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB Prefeitura Municipal de Cruz Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB Relatório da Reunião de Planejamento VOLUME 3 ETAPA IV, V, VI e VIII Setembro/2015 IDENTIFICAÇÃO CADASTRAL Razão Social: Prefeitura

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTINHO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTINHO PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTINHO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PMSB RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO PRODUTO J DEZEMBRO 2014 Saltinho, Dezembro 2014. - SC PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO- PMSB

Leia mais

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação NOVA ITABERABA - SC

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação NOVA ITABERABA - SC Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação NOVA ITABERABA - SC Fevereiro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3 4. Metodologia

Leia mais

REUNIÃO AMOSC. Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS

REUNIÃO AMOSC. Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS REUNIÃO AMOSC Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Pauta da Reunião 1. Apresentação da Empresa Contratada; 2. Apresentação do Plano de Trabalho (metodologia a ser adotada na

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO n. 04

RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO n. 04 RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO n. 04 ABASTECIMENTO DE ÁGUA ESGOTAMENTO SANITÁRIO DRENAGEM URBANA MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Equipe Técnica: Jesse Rodrigues de Arruda Barros Eng. Sanitarista e Ambiental

Leia mais

Prefeitura Municipal de Palhoça

Prefeitura Municipal de Palhoça Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB de Palhoça - SC DEFINIÇÃO DAS UNIDADES DE PLANEJAMENTO VOLUME 1 ETAPA 4 Março / 2015 Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal

Leia mais

Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS

Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS OURO VERDE - SC PRODUTO 11 Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3

Leia mais

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação AMAI - SC PONTE SERRADA Fevereiro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3 4. Metodologia

Leia mais

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS AMAI

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS AMAI Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos - PMGIRS AMAI VARGEÃO - SC AGENDAS DE IMPLEMENTAÇÃO DO PMGIRS E MONITORAMENTO PRODUTO 10 Setembro de 2014 PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO n. 02

RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO n. 02 RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO n. 02 ABASTECIMENTO DE ÁGUA ESGOTAMENTO SANITÁRIO DRENAGEM URBANA MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Equipe Técnica: Jesse Rodrigues de Arruda Barros Eng. Sanitarista e Ambiental

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V I R E L A T Ó R I O D O P L A N O D E E X E C U Ç Ã O Novembro/2013 S u m á r i o Sumário 2 1. Apresentação 3 2. Plano de Execução

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V O L U M E 0 0 I n f o r m a ç õ e s T é c n i c a s Dezembro/2013 I n f o r m a ç õ e s T é c n i c a s R e q u e r e n t e Requerente

Leia mais

Saneamento Cachoeira Alta - GO

Saneamento Cachoeira Alta - GO ANEXO III INFORMAÇÕES PRELIMINARES DO MUNICÍPIO E DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL Nome do Município/UF Cachoeira Alta- GO População 10.553habitantes Caracterização do sistema de saneamento Breve descrição

Leia mais

Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS

Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS Relatório da Oficina das Agendas de Implementação e Monitoramento do PMGIRS NOVO HORIZONTE - SC PRODUTO 11 Outubro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade

Leia mais

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação

Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação Relatório da Oficina sobre Projeto de Mobilização Social PMS e Legislação AMAI - SC XANXERÊ Fevereiro de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 4 3. Relato da atividade 4 4. Metodologia

Leia mais

Modelo de gestão SISAR. Novo Hamburgo, 03 de Dezembro de 2013

Modelo de gestão SISAR. Novo Hamburgo, 03 de Dezembro de 2013 Modelo de gestão SISAR Novo Hamburgo, 03 de Dezembro de 2013 DADOS POPULACIONAIS Brasil População Total 190.755.799 hab. Ceará População Total 8.452.381 hab. População Urbana 84,35% 160.914.804 hab. População

Leia mais

Informativo Fundos Solidários nº 15

Informativo Fundos Solidários nº 15 Informativo Fundos Solidários nº 15 COMITE NACIONAL DE FINANÇAS SOLIDARIA Nos dias 23 e 24 de fevereiro do corrente ano o Comite Nacional de Finanças solidaria realizou sua primeira reunião de 2015 para

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, BAHIA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, BAHIA PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, BAHIA 19 de Julho de 2012 CONVÊNIO: MINISTÉRIO DAS CIDADES PREFEITURA MUNICIPAL Convênio entre Ministério das Cidades e a Prefeitura Municipal

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura.

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura. VI-039 - SANEAMENTO BÁSICO: UMA ANÁLISE ESTRUTURAL DO BAIRRO PEDRA DO LORDE EM JUAZEIRO-BA, COMO AÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET CONEXÕES DE SABERES - SANEAMENTO AMBIENTAL. Roberta Daniela da

Leia mais

ATA I AUDIÊNCIA PÚBLICA DIAGNÓSTICO PMSB DE URUBURETAMA

ATA I AUDIÊNCIA PÚBLICA DIAGNÓSTICO PMSB DE URUBURETAMA ATA I AUDIÊNCIA PÚBLICA DIAGNÓSTICO PMSB DE URUBURETAMA Aos 29 de Abril de 2013, às 10:05 h, no Plenário da Câmara Municipal de Uruburetama, na Praça Soares Bulção, Centro, foi realizada a Primeira Audiência

Leia mais

Plano de Saneamento Básico

Plano de Saneamento Básico Plano de Saneamento Básico Marcelo de Paula Neves Lelis Rio de Janeiro, 09/06/2011 Saneamento Básico A Lei 11.445/07, em seu Art. 3 º, define Saneamento Básico como sendo o conjunto de serviços, infra-estruturas

Leia mais

Relatório da Oficina sobre o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos do Município GALVÃO - SC

Relatório da Oficina sobre o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos do Município GALVÃO - SC Relatório da Oficina sobre o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos do Município GALVÃO - SC Março de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade 3 4. Metodologia utilizada

Leia mais

PADRÃO DO SISTEMA DE GESTÃO

PADRÃO DO SISTEMA DE GESTÃO Emitente QUALIDADE E GESTÃO Revisão: 00 Pág. 1/5 Nome Data Elaboração Verificação Aprovação Núcleo de Gestão e Qualidade. Núcleo de Gestão e Qualidade Alta Direção (subprefeito, coordenadores, chefe de

Leia mais

SISTEMA ESTADUAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - SEHIS

SISTEMA ESTADUAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - SEHIS SISTEMA ESTADUAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - SEHIS A Lei Estadual 8.320 de 03/09/2007, instituiu o Sistema Estadual de Habitação de Interesse Social SEHIS, o Conselho Estadual de Habitação de Interesse

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013)

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013) Estudo de caso: Diagnóstico do sistema de manejo de resíduos sólidos domiciliares

Leia mais

MOBILIZAÇÃO SOCIAL COM O AUXÍLIO DA CARTILHA O MUNICÍPIO QUE QUEREMOS: ENTENDA POR QUE SANEAMENTO É BÁSICO E SUA PARTICIPAÇÃO É MUITO IMPORTANTE

MOBILIZAÇÃO SOCIAL COM O AUXÍLIO DA CARTILHA O MUNICÍPIO QUE QUEREMOS: ENTENDA POR QUE SANEAMENTO É BÁSICO E SUA PARTICIPAÇÃO É MUITO IMPORTANTE MOBILIZAÇÃO SOCIAL COM O AUXÍLIO DA CARTILHA O MUNICÍPIO QUE QUEREMOS: ENTENDA POR QUE SANEAMENTO É BÁSICO E SUA PARTICIPAÇÃO É MUITO IMPORTANTE Aline Paez Silveira (1) Graduada em Engenharia Ambiental

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

MUNICÍPIO DE LONDRINA Plano Municipal de Saneamento Básico Participação da Sociedade e Ampla Divulgação dos Estudos e Propostas

MUNICÍPIO DE LONDRINA Plano Municipal de Saneamento Básico Participação da Sociedade e Ampla Divulgação dos Estudos e Propostas 2.4.12 Plenária Temática - Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário Data realização: 04/12/2009. Horário: 14h. Local: Auditório do Centro Municipal de Referência de Assistência Social (CRAS) - Avenida

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

Padrões Sociais e Ambientais de REDD+ no Programa ISA Carbono do SISA : Ações e Resultados. Rio Branco, 10 de Maio de 2013

Padrões Sociais e Ambientais de REDD+ no Programa ISA Carbono do SISA : Ações e Resultados. Rio Branco, 10 de Maio de 2013 Padrões Sociais e Ambientais de REDD+ no Programa ISA Carbono do SISA : Ações e Resultados Rio Branco, 10 de Maio de 2013 Processo dos PSA REDD+ em nivel de país 10 etapas 1. Conscientização / Capacitação

Leia mais

Proponente/Agente Promotor: Prefeitura Municipal de Salto do Jacuí - RS. 1.000.000,00 Contrapartida

Proponente/Agente Promotor: Prefeitura Municipal de Salto do Jacuí - RS. 1.000.000,00 Contrapartida TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI

Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI Relatório da Oficina sobre o Planejamento das Ações do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS AMAI ABELARDO LUZ - SC Agosto de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social Revisão 00 NOV/2013 Coordenador da Equipe Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE VICENTE DUTRA/RS

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE VICENTE DUTRA/RS TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

Relatório da Oficina sobre o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos do Município GUATAMBU - SC

Relatório da Oficina sobre o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos do Município GUATAMBU - SC Relatório da Oficina sobre o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos do Município GUATAMBU - SC Março de 2014 1 SUMÁRIO 1. Identificação 3 2. Objetivo da Atividade 3 3. Relato da atividade2 3 4. Metodologia utilizada

Leia mais

Edital Nº 001/2013 COTAÇÃO PRÉVIA TIPO MELHOR TÉCNICA

Edital Nº 001/2013 COTAÇÃO PRÉVIA TIPO MELHOR TÉCNICA Edital Nº 001/2013 COTAÇÃO PRÉVIA TIPO MELHOR TÉCNICA Dispõe sobre o cadastramento e seleção de Consultores para atuar nos projetos desenvolvidos pela entidade, no âmbito do Desenvolvimento Sustentável,

Leia mais

Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca. Palestrante: Nicola Rossano Costa

Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca. Palestrante: Nicola Rossano Costa Tema: Aprovação de Loteamentos Município de Franca Palestrante: Nicola Rossano Costa Leis Municipais Plano diretor Lei Complementar nº 050/2003 e posteriores alterações Plano viário Lei complementar nº

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2 MINISTÉRIO DA CULTURA Diretoria de Infraestrutura Cultural Secretaria Executiva Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 700m 2 1. Objetivos A Praça do PAC é de

Leia mais

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico.

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Seminário Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Danilo Gonçalves

Leia mais

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Workshop Saneamento Básico Fiesp Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Presidente da Funasa Henrique Pires São Paulo, 28 de outubro de 2015 Fundação Nacional de

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 DIRETORIA EXECUTIVA/SECRETARIA EXECUTIVA Anexo 6 EIXOS DE ATUAÇÃO Representação Política Desenvolvimento Regional Assessoria Técnica Capacitação Processos Internos

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS TURÍSTICOS

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS TURÍSTICOS MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS TURÍSTICOS Curitiba 2004 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ Governador Roberto Requião Vice-governador Orlando Pessuti SECRETARIA DE ESTADO DO TURISMO Secretário

Leia mais

ATA AUDIÊNCIA PÚBLICA DIAGNÓSTICO PMSB DE CHORÓ

ATA AUDIÊNCIA PÚBLICA DIAGNÓSTICO PMSB DE CHORÓ ATA AUDIÊNCIA PÚBLICA DIAGNÓSTICO PMSB DE CHORÓ Aos 25 de Fevereiro de 2013, às 10:00h na Câmara Municipal, Rua Coronel João Paracampos, s/n, Centro, foi realizada a Primeira Audiência Pública sobre Plano

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO Legislação Conceitos Atores Mobilização Social Reavaliação Prazos 1 LEGISLAÇÃO Constituição Federal Art. 23 É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE COLETA SELETIVA

PLANO MUNICIPAL DE COLETA SELETIVA MUNICÍPIO DE CANOAS AMBIETICA ASSESSORIA AMBIENTAL LTDA PRODUTO: INDICADORES DA COLETA SELETIVA PLANO MUNICIPAL DE COLETA SELETIVA Setembro, 2015. DADOS DO CONTRATO PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/RS Rua

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE 0 PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTANHA ES SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE PRORAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PEA PLANO DE AÇÃO Montanha ES 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 02 2. JUSTIFICATIVA... 03 3. OBJETIVO GERAL...

Leia mais

O Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social em Guarulhos-SP: desenvolvimento e contribuições

O Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social em Guarulhos-SP: desenvolvimento e contribuições O Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social em Guarulhos-SP: desenvolvimento e contribuições Autora: Vânia Maria Nunes dos Santos Outros autores: Marcos Tsutomu Tamai, Erotides Lacerda Choueri

Leia mais

Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos

Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos SEMINÁRIO REGIONAL DE SANEAMENTO RURAL Apresentação do Modelo SISAR: envolvimento da população, gestão compartilhada, pagamentos dos serviços e resultados obtidos Campinas(SP), 23 de Junho 2015 Mobilização

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA 1. Título: Coordenador do Projeto CMRV - Acre Local: Rio Branco, Acre 2. Introdução: TERMOS DE REFERÊNCIA Um sistema de monitoramento, relatoria e verificação (MRV) é um componente essencial para o desenvolvimento

Leia mais

DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO

DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO Este roteiro de elaboração do Documento Técnico do Projeto tem por objetivo subsidiar a apresentação de propostas para desenvolvimento do Programa Luta pela Cidadania, que

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS PIAU - MG. ETAPA II Diagnóstico Municipal de Resíduos Sólidos

PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS PIAU - MG. ETAPA II Diagnóstico Municipal de Resíduos Sólidos 2013 PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PMGIRS PIAU - MG ETAPA II Diagnóstico Municipal de Resíduos Sólidos 0 OBJETO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ASSESSORIA AOS

ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ASSESSORIA AOS ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ASSESSORIA AOS TRABALHADORES RURAIS E MOVIMENTOS POPULARES CNPJ: 03.256.366/0001-14 Inscrição Municipal: 1.3842-142 Endereço: Rua Dom Antônio Monteiro, Nº 257 Bairro

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PMSB FUNASA CREA/MG AGOSTO 2013 MÓDULO I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS OFICINAS SEGUNDA-FEIRA (TARDE)

CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DO PMSB FUNASA CREA/MG AGOSTO 2013 MÓDULO I CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS OFICINAS SEGUNDA-FEIRA (TARDE) SEGUNDA-FEIRA (TARDE) 13:00/14:00 Apresentação 1 - PMSB Introdução aos trabalhos. Grupos. Apresentar os participantes. Explorar a sensibilidade, princípio de percepção e integração do grupo. Formalizar

Leia mais

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ

Análise de Projeto Técnico Social APT MUNICÍPIO DE SÃO SEPÉ TE-SER Social Consultoria e Assessoria de Projetos Ltda. Rua Upamaroti, 1129/121 Bairro Cristal Porto Alegre/RS CEP: 90.820-140 CNPJ: 08.798.484/0001-78 Inscrição Municipal: 510.834.26 Análise de Projeto

Leia mais

TÍTULO: A Gestão de Clientes geradores de efluentes não domésticos para garantir o bom funcionamento do sistema de esgotamento em bacia de drenagem.

TÍTULO: A Gestão de Clientes geradores de efluentes não domésticos para garantir o bom funcionamento do sistema de esgotamento em bacia de drenagem. TÍTULO: A Gestão de Clientes geradores de efluentes não domésticos para garantir o bom funcionamento do sistema de esgotamento em bacia de drenagem. Nome do Autor: Engº Renan Moraes Sampaio, engenheiro

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE ALTO RIO DOCE - MG

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE ALTO RIO DOCE - MG PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE ALTO RIO DOCE - MG ATO CONVOCATÓRIO Nº 20/2014 Produto 2 Plano de Comunicação e Mobilização Social (PCMS) AGO/2015 SHS Consultoria e Projetos de Engenharia Ltda.-

Leia mais

O uso do ArcGIS Online como ferramenta de gestão e controle social do saneamento municipal

O uso do ArcGIS Online como ferramenta de gestão e controle social do saneamento municipal O uso do ArcGIS Online como ferramenta de gestão e controle social do saneamento municipal Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado SEA PSAM Programa de Saneamento Ambiental dos Muniípios

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO José Maria Villac Pinheiro (1) Engenheiro pela Universidade de São Paulo USP Escola de Engenharia de São Carlos EESC. Especialização

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

SOFTWARE SINEPAS Sistema Nacional de Elaboração de Planos de Saneamento. Quais as vantagens e Como adquirir

SOFTWARE SINEPAS Sistema Nacional de Elaboração de Planos de Saneamento. Quais as vantagens e Como adquirir 1 SOFTWARE SINEPAS Sistema Nacional de Elaboração de Planos de Saneamento Quais as vantagens e Como adquirir 1- O QUE É O SINEPAS O SINEPAS- Sistema Nacional de Elaboração de Planos de Saneamento é considerado

Leia mais

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região.

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região. Agenda 21 Comperj Iniciativa voluntária de relacionamento da Petrobras para contribuir para que o investimento na região retorne para a população, fomentando a formação de capital social e participação

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

Foco: sustentabilidade com ações na área de educação.

Foco: sustentabilidade com ações na área de educação. GOVERNANÇA A Fundação Bunge é uma organização comprometida com o desenvolvimento sustentável. Foco: sustentabilidade com ações na área de educação. Missão: contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Instituto Nordeste Cidadania - INEC Projeto 1. Nome do Projeto: Leitura e cidadania

Instituto Nordeste Cidadania - INEC Projeto 1. Nome do Projeto: Leitura e cidadania Instituto Nordeste Cidadania - INEC Projeto 1. Nome do Projeto: Leitura e cidadania 2. Apresentação: Em 1999, com o apoio do Banco do Nordeste, é lançado o Projeto: Leitura e Cidadania, que tem como principal

Leia mais

A REALIZAÇÃO DE REUNIÕES PÚBLICAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO. Laysa Deiró de Lima Izis de Oliveira Alves

A REALIZAÇÃO DE REUNIÕES PÚBLICAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO. Laysa Deiró de Lima Izis de Oliveira Alves A REALIZAÇÃO DE REUNIÕES PÚBLICAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO Laysa Deiró de Lima Izis de Oliveira Alves Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do São Francisco

Leia mais

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DAS VELHAS

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DAS VELHAS DELIBERAÇÃO CBH RIO DAS VELHAS Nº 001, de 05 de fevereiro de 2014 Estabelece procedimentos para o acompanhamento e a avaliação de projetos hidroambientais, planos e projetos municipais de saneamento, para

Leia mais

Plano Municipal de Saneamento Básico - PMSB

Plano Municipal de Saneamento Básico - PMSB Plano Municipal de Saneamento Básico - PMSB CRUZ CE Reunião de Planejamento ETAPA IV (Produto D) ETAPA V (Produto E) ETAPA VI (Produto F) ETAPA VIII (Produto H) ETAPAS DO PMSB ETAPA I (Produto A) - Formação

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL LEVANTAMENTO DAS MEDIDAS REALIZADAS RELATÓRIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CPA 2011/12 Porto Velho RO 2011/2012 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Profª Drª. Nelice Milena Batistelli

Leia mais

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013 PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.2 Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já realizadas... 2 2. Justificativa... 6 3. Objetivos... 8 4. Área de abrangência...

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

COORDENADORIA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO. Seminário Internacional de BH Dezembro/2008 BRASIL

COORDENADORIA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO. Seminário Internacional de BH Dezembro/2008 BRASIL COORDENADORIA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO Seminário Internacional de BH Dezembro/2008 BRASIL Projeto de Formação do OP Guarulhos Objetivos gerais: Contribuir para a ampliação da visão dos representantes

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 5-CEPE/UNICENTRO, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010. Aprova o Curso de Especialização em Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento, modalidade modular, a ser ministrado no Campus CEDETEG, da UNICENTRO.

Leia mais

FORMAÇÃO DE AGENTES DE ATER. Cursos para Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural da Amazônia Oriental

FORMAÇÃO DE AGENTES DE ATER. Cursos para Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural da Amazônia Oriental MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO - MDA SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR - SAF DEPARTAMENTO DE ASSISTENCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL - DATER COMISSÃO EXECUTIVA DO PLANO DA LAVOURA CACAUEIRA CEPLAC

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 198 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Ambiental ATUAÇÃO O curso de Engenharia Ambiental da UFV

Leia mais

OFICINA DE REESTRUTURACÃO DA REABRI Data: 14 de Maio de 2010 UNIDAVI - Rio do Sul

OFICINA DE REESTRUTURACÃO DA REABRI Data: 14 de Maio de 2010 UNIDAVI - Rio do Sul OFICINA DE REESTRUTURACÃO DA REABRI Data: 14 de Maio de 2010 UNIDAVI - Rio do Sul Moderação: Graciane Regina Pereira e Katiuscia Wilhelm Kankerski 13h Apresentação dos objetivos e da metodologia de trabalho.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012

EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012 EDITAL DE SELEÇÃO - REDES DA MARÉ Nº 01/2012 A Redes da Maré seleciona tecedores para o Programa Criança Petrobras (PCP) na Maré. Antes de se candidatar, conheça bem os valores e atuação da instituição.

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS

EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS Silvia Mayumi Shinkai de Oliveira (1) Graduada em Administração Pública pela UNESP Araraquara (SP) e pós graduada (latu sensu) em

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Meta e Estratégias. Meta

EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Meta e Estratégias. Meta EDUCAÇÃO AMBIENTAL Meta e Estratégias Meta Universalizar a educação socioambiental em todos os níveis e modalidades de ensino, como uma prática inter, multi e transdisciplinar, contínua e permanente nos

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012 EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012 Aviso de Divulgação de Seleção de Instrutor Pleno para as atividades de incubação de empreendimentos produtivos. REF: CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

NEP-MA e SEDUC promoverão capacitações para a melhoria contínua

NEP-MA e SEDUC promoverão capacitações para a melhoria contínua JANEIRO 2014 NEP-MA e SEDUC promoverão capacitações para a melhoria contínua A equipe do NEP-MA reuniu-se com a supervisora de gestão escolar da Silvia Leda e com a superintendente de Recursos Humanos,

Leia mais

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013 NATAL/RN NOV/2013 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RSS Documento que aponta e descreve ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos nos estabelecimentos assistenciais de saúde Considerando as Características

Leia mais

Relatório Trimestral

Relatório Trimestral ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA TEREZINHA PB CNPJ Nº 08.882.524/000165 Relatório Trimestral 1. IDENTIFICAÇÃO Programa: MINHA CASA MINHA VIDA Sub 50 Oferta Pública Modalidade: Produção de

Leia mais

Etapa 01 Proposta Metodológica

Etapa 01 Proposta Metodológica SP Etapa 01 Proposta Metodológica ConsultGEL - Rua: : José Tognoli, 238, Pres., 238, Pres. Prudente, SP Consultores Responsáveis, SP Élcia Ferreira da Silva Fone: : (18) 3222 1575/(18) 9772 5705 João Dehon

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2 MINISTÉRIO DA CULTURA Diretoria de Infraestrutura Cultural Secretaria Executiva Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2 1. Objetivos A Praça do PAC é de

Leia mais