PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, BAHIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, BAHIA"

Transcrição

1 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, BAHIA 19 de Julho de 2012 CONVÊNIO: MINISTÉRIO DAS CIDADES PREFEITURA MUNICIPAL Convênio entre Ministério das Cidades e a Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães. Contratação da Cosmos Engenharia e Planejamento. 1

2 A COSMOS ENGENHARIA A COSMOS ENGENHARIA 2

3 A COSMOS ENGENHARIA PRINCIPAIS CLIENTES: A COSMOS ENGENHARIA 3

4 OBJETIVO GERAL DO PMSB Promover a saúde, a qualidade de vida e do meio ambiente, assim como organizar a gestão e estabelecer as condições para a prestação dos serviços de saneamento básico, de forma que cheguem a todo cidadão, integralmente, sem interrupção e com qualidade. OBJETIVO ESPECÍFICOS DO PMSB Propor soluções para o Saneamento Básico através da análise e construção de propostas alternativas para a gestão dos serviços públicos de saneamento e tecnologias de infraestrutura urbana; Promover a participação da comunidade e dos diversos segmentos da sociedade em todo processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico. 4

5 O QUE É SANEAMENTO BÁSICO: É o conjunto de medidas que visa preservar ou modificar as condições do meio ambiente com a finalidade de prevenir doenças e promover a saúde, melhorar a qualidade de vida da população e à produtividade do indivíduo e facilitar a atividade econômica. (Instituto Trata Brasil, 2012) 5

6 COMPONENTES DO SANEAMENTO BÁSICO Abastecimento de Água Potável; Esgotamento Sanitário; Limpeza Urbana e Manejo de Resíduos Sólidos (lixo); e Drenagem e Manejo de Águas Pluviais Urbanas. COMPONENTES DO SANEAMENTO BÁSICO ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL: ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA Fonte:http://portaldoprofessor.mec.go v.br/fichatecnicaaula.html?aula=893 Constituído pelas atividades, infraestruturas e instalações necessárias ao abastecimento público de água potável, desde a captação até as ligações prediais e respectivos instrumentos de medição (Lei /2007, Artº 3º) 6

7 COMPONENTES DO SANEAMENTO BÁSICO ESGOTAMENTO SANITÁRIO Constituído pelas atividades, infraestruturas e instalações operacionais de coleta, transporte, tratamento e disposição final adequados dos esgotos sanitários, desde as ligações prediais até o seu lançamento final no meio ambiente (Lei /07, Art 3º) ESTAÇÃO DE TRATAMENTO E ESGOTO- ETE og/desentupidora-esgoto-sustentabilidade/ COMPONENTES DO SANEAMENTO BÁSICO LIMPEZA URBANA E MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (LIXO) ATERRO SANITÁRIO conjunto de atividades, infraestruturas e instalações operacionais de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destino final do lixo doméstico e do lixo originário da varrição e limpeza de logradouros e vias públicas (Lei /07, Art 3º) 7

8 COMPONENTES DO SANEAMENTO BÁSICO DRENAGEM E MANEJO DAS ÁGUAS PLUVIAIS URBANAS conjunto de atividades, infra-estruturas e instalações operacionais de drenagem urbana de águas pluviais, de transporte, detenção ou retenção para o amortecimento de vazões de cheias, tratamento e disposição final das águas pluviais drenadas nas áreas urbanas (Lei /07, Art 3º) SISTEMA DE DRENAGEM DE ÁGUA PLUVIAIS Fonte: ETAPAS DO PLANO 1ª ETAPA 2ª ETAPA Formação do Comitê de Coordenação e Comitê Executivo; e Elaboração do Plano de Mobilização Social;E Lançamento do Plano. Diagnóstico Técnico Participativo (o que temos). 8

9 ETAPAS DO PLANO 3ª ETAPA Prognósticos e alternativas para universalização dos serviços de saneamento básico 4ª ETAPA Concepção dos programas, projetos e ações necessárias para atingir os objetivos e as metas do PMSB. ETAPAS DO PLANO 5ª ETAPA 6ª ETAPA Mecanismos e procedimentos de controle social e dos instrumentos para o monitoramento e avaliação sistemática da eficiência, eficácia e efetividade das ações programadas Relatório do Plano Municipal de Saneamento Básico. 9

10 1 ª ETAPA: Formação do Comitê de Coordenação e Comitê Executivo. Comitê Executivo Atribuições: Executar todas as atividades previstas neste Termo de Referência apreciando as atividades de cada fase da elaboração do PMSB e de cada produto a ser entregue, submetendo-os à avaliação do comitê de coordenação. 1 ª ETAPA: Formação do Comitê de Coordenação e Comitê Executivo. Comitê de Coordenação: Atribuições: Discutir, avaliar e aprovar o trabalho produzido pelo Comitê Executivo; Criticar e sugerir alternativas, buscando promover a integração das ações de saneamento inclusive do ponto de vista de viabilidade técnica, operacional, financeira e ambiental. 10

11 1 ª ETAPA: Lançamento do Plano Apresentação do processo de elaboração do Plano; Apresentação do Plano de Mobilização Social; Apresentação da Equipe Envolvida. Função Profissional 1 Formação Acadêmica Engenheiro Civil, Sanitarista ou ambiental EQUIPE TÉCNICA Experiência Experiência em estudos e projetos de Sistema de Abastecimento e Água e Esgoto Sanitário Nome Fernando De Almeida Dultra Engenheiro Sanitarista e Civil Mestre em processo produtivo e meio Ambiente Profissional 2 Profissional 3 Profissional 4 Engenheiro Civil, Sanitarista ou ambiental Engenheiro Civil, Sanitarista ou ambiental Engenheiro Civil Experiência em estudos ambientais e licenciamento na área de saneamento básico Especialista em planejamento e gestão de resíduos sólidos com experiência Especialista em planejamento urbano, sistema viário, drenagem urbana, uso e ocupação do solo e estudos demográficos João Augusto Barreto Sampaio Engenheiro Sanitarista, Civil e de Segurança, Especialista em Meio Ambiente Danilo Gonçalves dos S. Sobrinho Engenheiro Sanitarista e Ambiental Edgar Álvares Neto Engenheiro Civil 11

12 EQUIPE TÉCNICA Função Profissional 5 Profissional 6 Profissional 7 Formação Acadêmica Economista ou Estatístico Sociólogo Assistente Social Experiência Experiência em elaboração de metodologias de monitoramento, modelagem e ou formulação de indicadores Experiência em educação ambiental, processos de participação, mobilização e comunicação social, Nome Antonio Luiz de C.Fernandes Economista Ruy Aguiar Dias Sociólogo Kelly Rosane Oliveira Assistente Social Profissional 9 Advogado Experiência em regulamentação de serviços públicos, código de postura e legislação ambiental. Marcus Vinicius de Almeida e Marinho Advogado 2ª ETAPA: Diagnóstico Técnico Participativo (o que temos). Levantamento de dados primários e secundários necessários para construção do diagnóstico atual da prestação dos serviços do município (o que temos); Identificar impactos da situação de saneamento nas condições de vida, utilizando sistema de indicadores sanitários epidemiológicos, ambientais e socioeconômicos e apontar as causas das deficiências detectadas. 12

13 3ª ETAPA: Prognósticos e alternativas para universalização dos serviços (O que queremos). Elaborar um Cenário de Referência para definição do horizonte de tempo das ações a serem implementadas. Definir estratégias e o prognóstico, de forma integrada, para o Abastecimento de Água, para coleta e tratamento dos Esgotos Sanitários, a Drenagem das Águas Pluviais e para os Resíduos Sólidos; 4ª ETAPA: Concepção dos programas, projetos e ações necessárias para atingir os objetivos e as metas do PMSB A programação da implantação dos programas, projetos e ações deverá ser desenvolvida considerando metas em horizontes temporais distintos: a. Imediatos ou emergenciais até 3 anos; b. Curto prazo entre 4 a 8 anos; c. Médio prazo entre 9 a 12 anos; d. Longo prazo entre 13 a 20 anos. 13

14 5ª ETAPA: Mecanismos e procedimentos de controle social e dos instrumentos para o monitoramento e avaliação sistemática Procedimentos para o monitoramento e a avaliação dos objetivos e metas; Indicadores técnicos, operacionais e financeiros da prestação dos serviços; Indicadores de impactos na qualidade de vida, na saúde, e nos recursos naturais; Avaliação, fiscalização e monitoramento do Plano; Mecanismos para a divulgação e acesso do plano no município, assegurando o pleno conhecimento da população. 6ª ETAPA: Elaboração do Relatório Final Realização de uma Audiência Pública para apresentação de todo conteúdo do Plano com objetivo de dirimir dúvidas, debater as críticas e as sugestões para o relatório final e posterior encaminhamento para Câmara Municipal. Será disponibilizada a Minuta do PMSB para Sociedade Civil, Câmara de Vereadores, Ministério Público e em outros meios de comunicação para receber contribuições para aprimoramento do Plano. 14

15 CRONOGRAMA DO PLANO PRODUTOS MESES FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN Produto 1: (A)Formação dos Comitês Coordenação e Executivo; (B) Elaboração do Plano de Mobilização Social. Produto 2: Diagnóstico da situação da prestação dos serviços de saneamento básico e seus impactos nas condições de vida e no ambiente natural, caracterização institucional da prestação dos serviços e capacidade econômico-financeira e de endividamento do Município. Produto 3: Prognósticos e alternativas para universalização dos serviços de saneamento básico. Objetivos e Metas. Produto 4: Concepção dos programas, projetos e ações a serem implementados para o alcance dos objetivos e metas. Definição das ações para emergência e contingência. Produto 5: Mecanismos e procedimentos de controle social e dos instrumentos para o monitoramento e avaliação sistemática da eficiência, eficácia e efetividade das ações programadas com a elaboração do Sistema Municipal de Informações do Saneamento Básico SMISB. Produto 6: Relatório Final do PMSB ELABORAÇÃO DO PMSB Comitê Executivo Horizonte do Plano: 20 anos Equipe da Prefeitura Cosmos Engenharia Elaboração do PMSB Comitê De Coordenação Execução e Revisão do PMSB Grupo Gestor 15

16 PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL É o documento técnico-gerencial que detalhará todo o processo de planejamento das ações que serão realizadas no município definidos seus objetivos, metas e escopo da mobilização, além do cronograma e das principais atividades desenvolvidas durante a elaboração do PMSB envolvendo a participação plural e representativa dos segmentos sociais interessados em partilhar um projeto de futuro coletivo. (PLAMSAN, 2011, p.05) MOBILIZAÇÃO SOCIAL Segundo Toro e Werneck (1996, p.5): Mobilizar é convocar vontades para um propósito determinado, para uma mudança na realidade. 16

17 CONTROLE SOCIAL É a participação da sociedade civil nos processos de planejamento, acompanhamento, monitorização e avaliação das ações da gestão pública e na execução das políticas e programas públicos. (MDS, 2009). OBJETIVOS DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO GERAL Promover a participação da comunidade e dos diversos segmentos da sociedade, de forma efetiva e continuada, em todo processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico. ESPECÍFICOS Divulgar o processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico de Luís Eduardo Magalhães; Envolver a população na discussão das potencialidades e dos problemas referentes ao saneamento básico e suas implicações; Sensibilizar a comunidade envolvida para a responsabilidade coletiva na preservação e na conservação dos recursos ambientais. 17

18 METAS DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO 1.Formação do Comitê de Coordenação e Comitê Executivo. 2.Lançamento do Plano Municipal de Saneamento Básico e apresentação do Plano de Mobilização Social aos munícipes. 3.Reuniões técnicas entre os Comitês de Coordenação e Executivo. 4.Levantamento de Informações e Identificação de Cenários através de visitas técnicas institucionais. METAS DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO 5. Oficinas de Trabalho para a construção do Diagnóstico e Prognóstico Participativo (A realidade que temos e a realidade que queremos). 6. Seminários de mobilização nas Escolas Públicas e Privadas com temas de cunho educativo. 7. Educomunicação 18

19 SETORES DE MOBILIZAÇÃO SETOR DE MOBILIZAÇÃO SM 01 - SM 02 - LOCALIDADE Galinhos Muriçoca Vila Buriti Vereda Alegre Assentamento Vila I Assentamento Vila II Assentamento Vila III Assentamento Vila IV SETORES DE MOBILIZAÇÃO SETOR DE MOBILIZAÇÃO SM 03 SM 04 LOCALIDADE Alto Horizonte Novo Paraná Jardins das Acácias, Oliveira e Alvorada e Jardim Paraíso, Emburana (zona rural) 19

20 SETORES DE MOBILIZAÇÃO SETOR DE MOBILIZAÇÃO SM 05 SM 06 LOCALIDADE Santa Cruz, Bela Vista (zona rural) Mimoso I, II e III Cidade universitária REALIZAÇÃO DOS SEMINÁRIOS Nº ESTABELECIMENTOS DE ENSINO DIRETOR ENDEREÇO 1 Escola Municipal Ângelo Bosa Av. Ayrton Sena Qd. 14 a Vanuza Maria B. Vieira 17 Santa Cruz 2 Escola Municipal Cezer Rejani Aparecida F. Rua Baurú nº 1169 Jd Pelissari Gorgen Acácias 3 Escola Municipal José Rua Paraíba nº Salete Valentin Gorgen Cardoso de Lima Centro 4 Escola Municipal Ottomar Fernanda Rita M. Rua Pernambuco nº 1241 Schwengber Gusmão Mimoso I 5 Colégio Mimoso do Oeste Rua Glauber Rocha (particular) NI número 02 6 Colégio Estadual Mimoso do Oeste ZONA URBANA NI Rua Paraná número Centro Nº DE ALUNOS TOTAL NI NI 20

21 REALIZAÇÃO DOS SEMINÁRIOS ZONA RURAL Nº ESTABELECIMENTOS DE ENSINO DIRETOR ENDEREÇO Nº DE ALUNOS TOTAL 1 Escola Municipal. Ivanilde Telma Zona Rural - Muriçoca 55 dos Santos Cedro 2 Escola M. Fábio Johner Ana Maria Santos Zona Rural - Bela 85 Souza Vista FLUXO GERAL 21

22 CRONOGRAMA DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO Atividades Elaboração do Plano de Mobilização Social; Formação do Comitê Executivo e de Coordenação; Realização de 4 (quatro) reuniões com Comitê de Coordenação e Executivo Lançamento do PMSB e apresentação do Plano de Mobilização Social para a sociedade civil; Levantamento de Informações e Identificação de Cenários através de visitas técnicas Institucionais; Realização de 6 (sete) Oficinas de Mobilização contemplando todos os Setores de Mobilização definidos neste Plano; Realização de 8 (oito) Seminários de Mobilização nas Escolas Públicas e Privadas com temas de cunho educativo; Realização visitas institucionais e/ou domiciliares por cada setor de mobilização; Relatório das atividades do Plano de Mobilização Social Audiência Pública; Encaminhamento do Projeto de Lei à Câmara de Vereadores. MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN OBRIGADO! Escritório Local: Rua Ruy Barbosa, 1250 sala 101. Centro (77) para dúvidas e sugestões Contato Cosmos Engenharia (71)

23 PARTICIPE DA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIAPAL DE SANEAMENTO BÁSICO! Contato Cosmos Engenharia (71)

cüxyx àâüt `âç v ÑtÄ wx Tvtâû c\

cüxyx àâüt `âç v ÑtÄ wx Tvtâû c\ ATO DE SANÇÃO N.º 003/2010. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ACAUÃ, ESTADO DO PIAUÍ, no uso de suas atribuições legais, sanciona por meio do presente, o Projeto de Lei do Executivo de N.º 002/2010, Ementa: Dispõe

Leia mais

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico.

Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Seminário Política e Planejamento do Saneamento Básico na Bahia: Desafios e Perspectivas da Implementação Abordagens metodológicas na Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. Danilo Gonçalves

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRE LEI Nº 354/2014 Dispõe sobre a Política Municipal de Saneamento Básico, cria o Conselho Municipal de Saneamento Básico e o Fundo Municipal de Saneamento de Básico, e dá outras providências. A Prefeita

Leia mais

Plano de Saneamento Básico

Plano de Saneamento Básico Plano de Saneamento Básico Marcelo de Paula Neves Lelis Rio de Janeiro, 09/06/2011 Saneamento Básico A Lei 11.445/07, em seu Art. 3 º, define Saneamento Básico como sendo o conjunto de serviços, infra-estruturas

Leia mais

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina da USP - FMUSP Núcleo de Pesquisa em Direito

Leia mais

ou Regionais CARTILHA DE SANEAMENTO EXIGÊNCIA LEGAL Instituto Trata Brasil

ou Regionais CARTILHA DE SANEAMENTO EXIGÊNCIA LEGAL Instituto Trata Brasil Exigência Planos Legal Municipais ou Regionais EXIGÊNCIA LEGAL CARTILHA DE SANEAMENTO Instituto Trata Brasil Planos Municipais ou Regionais Julho / 2009 1 CARTILHA DE SANEAMENTO APRESENTAÇÃO: Esse documento

Leia mais

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Piracicaba, 07 de Agosto de 2013 Atuação da CAIXA Missão: Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

Gestão de águas urbanas: conquistas, desafios e oportunidades

Gestão de águas urbanas: conquistas, desafios e oportunidades Associação Brasileira de Recursos Hídricos Gestão de águas urbanas: conquistas, desafios e oportunidades Vladimir Caramori CTEC/UFAL Fortaleza, novembro de 2010 Gestão das águas urbanas Tema complexo reconhecido

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V O L U M E 0 0 I n f o r m a ç õ e s T é c n i c a s Dezembro/2013 I n f o r m a ç õ e s T é c n i c a s R e q u e r e n t e Requerente

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO

MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS E REGIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DO CONSÓRCIO PRÓ-SINOS PRODUTO 4 CONCEPÇÃO DOS PROGRAMAS, PROJETOS E AÇÕES NECESSÁRIAS. AÇÕES PARA

Leia mais

informa Infraestrutura Extra janeiro de 2014

informa Infraestrutura Extra janeiro de 2014 janeiro de 2014 informa Infraestrutura Extra Em 24 de junho de 2011, foi promulgada a Lei nº 12.431 ( Lei 12.431 ), que criou as chamadas Debêntures de Infraestrutura, estabelecendo os requisitos mínimos

Leia mais

VISÃO Ser referência estadual em integração microrregional, visando o desenvolvimento sustentável

VISÃO Ser referência estadual em integração microrregional, visando o desenvolvimento sustentável VISÃO Ser referência estadual em integração microrregional, visando o desenvolvimento sustentável MISSÃO Fomentar o desenvolvimento sustentável dos Municípios da microrregião, através do fortalecimento

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE PASSO DO SOBRADO - RS

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE PASSO DO SOBRADO - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO DO SOBRADO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE PASSO DO SOBRADO - RS TOMO I PROPOSTA METODOLÓGICA PLANO DE TRABALHO CRONOGRAMA/PLANEJAMENTO

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV)

PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV) PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV) II Workshop Construindo o diagnóstico dos RCCV e RSS

Leia mais

Gerenciamento do Saneamento Municipal em um só órgão água, esgoto, drenagem pluvial e resíduos sólidos (limpeza pública).

Gerenciamento do Saneamento Municipal em um só órgão água, esgoto, drenagem pluvial e resíduos sólidos (limpeza pública). Gerenciamento do Saneamento Municipal em um só órgão água, esgoto, drenagem pluvial e resíduos sólidos (limpeza pública). Janimayri Forastieri de Almeida (1) Assessora de Meio Ambiente do SAAE São Lourenço.

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V I R E L A T Ó R I O D O P L A N O D E E X E C U Ç Ã O Novembro/2013 S u m á r i o Sumário 2 1. Apresentação 3 2. Plano de Execução

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO MUNICÍPIO DE NOVA AURORA Estado do Paraná MÊS DE AGOSTO DE 2013 RELATÓRIO 08 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental

P.42 Programa de Educação Ambiental ANEXO 2.2.3-1 - ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PMRS) DE PARANAÍTA/MT O roteiro apresentado foi elaborado a partir do Manual de Orientação do MMA Ministério do Meio Ambiente

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

Saneamento Cachoeira Alta - GO

Saneamento Cachoeira Alta - GO ANEXO III INFORMAÇÕES PRELIMINARES DO MUNICÍPIO E DO PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL Nome do Município/UF Cachoeira Alta- GO População 10.553habitantes Caracterização do sistema de saneamento Breve descrição

Leia mais

Prefeitura Municipal de Irauçuba. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB do Município de Irauçuba - CE

Prefeitura Municipal de Irauçuba. Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB do Município de Irauçuba - CE Prefeitura Municipal de Irauçuba Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB do Município de Irauçuba - CE Relatório Mensal Simplificado de Atividades RELATÓRIO 2 Fevereiro/2015 PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA URBANA E MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM UM BAIRRO DE PERIFERIA DE SALVADOR - BAHIA

Leia mais

O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro

O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES, AÇÃO URBANA E FUNDAÇÃO BENTO RUBIÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO: POLÍTICAS PÚBLICAS E O DIREITO À CIDADE O Quadro de Desigualdades Habitacionais e o Saneamento no Rio de Janeiro Ana

Leia mais

MINUTA DE PROJETO DE LEI

MINUTA DE PROJETO DE LEI MINUTA DE PROJETO DE LEI DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL E O PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE PENÁPOLIS O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PENÁPOLIS, no uso de suas atribuições

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS PREFEITURA MUNICIPAL DE TUCURUÍ PARÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE TUCURUÍ SEMMA / TUCURUÍ PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESIDUOS SOLIDOS URBANOS APRESENTAÇAO O presente documento consolida o diagnóstico

Leia mais

RELATÓRIO 02. SAPUCAÍ-MIRIM, 29 de Novembro de 2013. Empreendimento realizado com recursos da Cobrança PCJ

RELATÓRIO 02. SAPUCAÍ-MIRIM, 29 de Novembro de 2013. Empreendimento realizado com recursos da Cobrança PCJ RELATÓRIO 02 PLANO DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO E DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICIPIO DE SAPUCAÍ-MIRIM-MG CONTRATO Nº 26/2013 SAPUCAÍ-MIRIM,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013)

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA EM RESÍDUOS SÓLIDOS III SIMPÓSIO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS III SIRS (2013) Estudo de caso: Diagnóstico do sistema de manejo de resíduos sólidos domiciliares

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

Saneamento Básico e Saúde

Saneamento Básico e Saúde Conferência Nacional de Segurança Hídrica Uberlândia - MG Saneamento Básico e Saúde Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae A Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO Legislação Conceitos Atores Mobilização Social Reavaliação Prazos 1 LEGISLAÇÃO Constituição Federal Art. 23 É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Habitação e Saneamento Departamento de Saneamento

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado da Habitação e Saneamento Departamento de Saneamento TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (PMSB) - DIRETRIZES E PARÂMETROS - OUTUBRO/2011 1 SUMÁRIO 1- Introdução... 4 2 - Definições... 5 3. - Justificativa... 6 4. -

Leia mais

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de Florianópolis Diretoria Central de Licitações, Contratos e Convênios ANEXO I

Estado de Santa Catarina Prefeitura Municipal de Florianópolis Diretoria Central de Licitações, Contratos e Convênios ANEXO I Estado de Santa Catarina ANEXO I CONCORRÊNCIA N.º 666/SADM/DLCC/2008 TERMO DE REFERÊNCIA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS Florianópolis, Julho

Leia mais

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SETEMBRO, 2014 INSTRUMENTOS LEGAIS RELACIONADOS À CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA E DO PLANO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei n. 12.305/2010 POLÍTICA NACIONAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORRENTINA Estado da Bahia

PREFEITURA MUNICIPAL DE CORRENTINA Estado da Bahia LEI COMPLEMENTAR Nº 031/2015. De 15 de dezembro de 2015 DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (PMSB), SEUS INSTRUMENTOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO DO MUNÍCIPIO DE CORRENTINA,

Leia mais

II-149 TRATAMENTO CONJUNTO DO LIQUIDO LIXIVIADO DE ATERRO SANITÁRIO E ESGOTO DOMESTICO NO PROCESSO DE LODOS ATIVADOS CONVENCIONAL

II-149 TRATAMENTO CONJUNTO DO LIQUIDO LIXIVIADO DE ATERRO SANITÁRIO E ESGOTO DOMESTICO NO PROCESSO DE LODOS ATIVADOS CONVENCIONAL II-149 TRATAMENTO CONJUNTO DO LIQUIDO LIXIVIADO DE ATERRO SANITÁRIO E ESGOTO DOMESTICO NO PROCESSO DE LODOS ATIVADOS CONVENCIONAL Ernane Vitor Marques (1) Especialista em Engenharia Sanitária e Meio Ambiente

Leia mais

1 Abastecimento de água potável

1 Abastecimento de água potável Objetivo Indicador Métrica Propostas Prazo Entraves Índice de atendimento urbano de água Planilha de Objetivos, Indicadores e GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: Que até 2020 Santa Maria esteja

Leia mais

tratamento e disposição final adequados dos esgotos sanitários, desde as ligações prediais até o lançamento final no meio ambiente (BRASIL, 2007).

tratamento e disposição final adequados dos esgotos sanitários, desde as ligações prediais até o lançamento final no meio ambiente (BRASIL, 2007). II-156 - AVALIAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO NOS BAIRROS JARDIM NOVO ENCONTRO, MARIA GORETTI E PIRANGA EM JUAZEIRO-BA, COMO AÇÃO DO PET CONEXÕES DE SABERES - SANEAMENTO AMBIENTAL - UNIVASF Julliana Melo

Leia mais

Seminário Articulação dos Planos Plurianuais e Agendas de Desenvolvimento Territorial Oficina: Cidades (Saneamento)

Seminário Articulação dos Planos Plurianuais e Agendas de Desenvolvimento Territorial Oficina: Cidades (Saneamento) MP - Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos MCidades - Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Seminário Articulação dos Planos Plurianuais e Agendas de Desenvolvimento Territorial

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CORDISBURGO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CORDISBURGO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CORDISBURGO Produto 1 Plano de Trabalho, Programa de Mobilização Social e Programa de Comunicação Social OUTUBRO/ 2014 Volume I APRESENTAÇÃO O presente documento

Leia mais

1 Abastecimento de água potável

1 Abastecimento de água potável Objetivo Indicador Métrica Propostas Prazo Entraves Índice de atendimento urbano de água Planilha de Objetivos, Indicadores e GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: Que até 2020 Santa Maria esteja

Leia mais

O uso do ArcGIS Online como ferramenta de gestão e controle social do saneamento municipal

O uso do ArcGIS Online como ferramenta de gestão e controle social do saneamento municipal O uso do ArcGIS Online como ferramenta de gestão e controle social do saneamento municipal Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado SEA PSAM Programa de Saneamento Ambiental dos Muniípios

Leia mais

PROGRAMA COOPERAÇÃO TÉCNICA FUNASA. www.funasa.gov.br www.facebook.com/funasa.oficial twitter.com/funasa

PROGRAMA COOPERAÇÃO TÉCNICA FUNASA. www.funasa.gov.br www.facebook.com/funasa.oficial twitter.com/funasa PROGRAMA COOPERAÇÃO TÉCNICA FUNASA Funasa Programa de Cooperação Técnica Visa criar condições de sustentabilidade para o adequado atendimento populacional. Ênfase será conferida à qualificação dos investimentos

Leia mais

26º. Encontro Técnico AESABESP DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ- AP.

26º. Encontro Técnico AESABESP DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ- AP. 26º. Encontro Técnico AESABESP Izanilde Barbosa da Silva Elivania Silva de Abreu DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO DE MACAPÁ- AP. São Paulo-SP INTRODUÇÃO O Brasil é um pais

Leia mais

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS. Associação dos Municípios do Alto Irani - AMAI

Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS. Associação dos Municípios do Alto Irani - AMAI Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Associação dos Municípios do Alto Irani - AMAI BOM JESUS - SC PLANO DE TRABALHO PARA A ELABORAÇÃO DO PMGIRS Fevereiro de 2014 1 Sumário 1.

Leia mais

ROM LIMPEZA TEXTO CTR-258/13

ROM LIMPEZA TEXTO CTR-258/13 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPIVARI PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI RELATÓRIO V RELATÓRIO DE OBJETIVOS E METAS ROM LIMPEZA URBANA E MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS TOMOO IV TEXTO

Leia mais

RELATÓRIO 01 CONTRATO Nº 26/2013. PINHALZINHO, 08 de Outubro de 2013. Empreendimento realizado com recursos da Cobrança PCJ

RELATÓRIO 01 CONTRATO Nº 26/2013. PINHALZINHO, 08 de Outubro de 2013. Empreendimento realizado com recursos da Cobrança PCJ RELATÓRIO 01 PLANO DE TRABALHO PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO (PMSB) E PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICIPIO DE PINHALZINHO-SP CONTRATO Nº 26/2013 PINHALZINHO,

Leia mais

Ana Carolina Santana Lilian Paixão Natacha Caxias Samara França Dayana Cravo

Ana Carolina Santana Lilian Paixão Natacha Caxias Samara França Dayana Cravo Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental Ana Carolina Santana Lilian Paixão Natacha Caxias Samara França Dayana Cravo O saneamento básico, segundo

Leia mais

Fernando de Almeida Dultra Cosmos Engenharia. 17 de julho de 2015

Fernando de Almeida Dultra Cosmos Engenharia. 17 de julho de 2015 Experiências de Elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico no Estado da Bahia: dificuldades apresentadas, desafios e perspectivas Fernando de Almeida Dultra Cosmos Engenharia 17 de julho de 2015

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPADINHA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPADINHA PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPADINHA Secretaria Municipal de Saúde - SEMUS PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE CHAPADINHA PLANO DE TRABALHO DO PMSB São Luís 2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE CHAPADINHA Secretaria

Leia mais

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Workshop Saneamento Básico Fiesp Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Presidente da Funasa Henrique Pires São Paulo, 28 de outubro de 2015 Fundação Nacional de

Leia mais

III-006 PROPOSTA DE GESTÃO INTEGRADA E COMPARTILHADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, PARA DOIS MUNICÍPIOS DE SERGIPE

III-006 PROPOSTA DE GESTÃO INTEGRADA E COMPARTILHADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, PARA DOIS MUNICÍPIOS DE SERGIPE III-006 PROPOSTA DE GESTÃO INTEGRADA E COMPARTILHADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS, PARA DOIS MUNICÍPIOS DE SERGIPE José Daltro Filho (1) Engenheiro Civil (UFBA,1975); Doutor em Engenharia (Hidráulica/Saneamento-EESC-USP,

Leia mais

Audiência Pública. Piedade. 20 de Junho de 2013

Audiência Pública. Piedade. 20 de Junho de 2013 Audiência Pública Piedade 20 de Junho de 2013 Objetivo do Encontro Audiência Pública sobre o Convênio com o Governo do Estado, Contrato de Programa com a Sabesp e Plano Municipal de Saneamento do município

Leia mais

3º Encontro Internacional de Saneamento Básico FIESP Saneamento Básico: Recuperar o tempo Perdido

3º Encontro Internacional de Saneamento Básico FIESP Saneamento Básico: Recuperar o tempo Perdido 3º Encontro Internacional de Saneamento Básico FIESP Saneamento Básico: Recuperar o tempo Perdido Saneamento Básico e Qualidade de Vida Engº Gustavo Zarif Frayha Especialista em Infraestrutura Sênior Chefe

Leia mais

Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos. Porto Alegre, 21 de agosto de 2015.

Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos. Porto Alegre, 21 de agosto de 2015. Planos de Resíduos Sólidos: conteúdo mínimo, implantação e deficiências. Compatibilidade dos contratos Porto Alegre, 21 de agosto de 2015. CONTEÚDO 1. Políticas e Planos de Saneamento Básico e de Resíduos

Leia mais

ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO DE BARRA - BA

ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO DE BARRA - BA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO DE BARRA - BA ATO CONVOCATÓRIO 025/2014 CONTRATO 004/2015 P3 Prognósticos e Alternativas para Universalização dos Serviços Setembro 2015 TOMO ÚNICO REVISÃO 02

Leia mais

PLANO DE SANEAMENTO AMBIENTAL

PLANO DE SANEAMENTO AMBIENTAL PLANO DE SANEAMENTO AMBIENTAL Município de Dois Irmãos Município de Dois Irmãos RS- RS Agosto, 2012 Agosto, 2012 Oficina Jogos Cooperativos: Bairro São João 02/06/2012 02/06/201 REFLEXÃO ABRANGÊNCIA RESÍDUOS

Leia mais

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda Secretaria Nacional de Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL COMO ESTRATÉGIAS PARA UNIVERSALIZAR O SANEAMENTO Marcelo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DE BRASIL NOVO, MEDICILÂNDIA, URUARÁ E PLACAS PROJETO042/2014

Leia mais

PNQS IGS 2015. Premio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento

PNQS IGS 2015. Premio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento PNQS Premio Nacional da Qualidade em Saneamento Inovação da Gestão em Saneamento IGS 2015 Metodologia de referência para concepção e gestão dos Planos Municipais de Saneamento Básico ORGANOGRAMA Presidência

Leia mais

recuperação ambiental de áreas rurais e periurbanas - Projeto Piloto da Câmara Técnica de Comunidades

recuperação ambiental de áreas rurais e periurbanas - Projeto Piloto da Câmara Técnica de Comunidades Uso de efluentes de tratamento de esgotos para a recuperação ambiental de áreas rurais e periurbanas - Projeto Piloto da Câmara Técnica de Comunidades Isoladas VI SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

Leia mais

1 Abastecimento de água potável

1 Abastecimento de água potável Índice de atendimento urbano de água Planilha de Objetivos, Indicadores e GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: Que até 2020 Santa Maria esteja entre os melhores Municípios do Rio Grande do Sul,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTINHO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTINHO PREFEITURA MUNICIPAL DE SALTINHO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PMSB RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO PRODUTO J DEZEMBRO 2014 Saltinho, Dezembro 2014. - SC PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO- PMSB

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO LEI N.º 1.774, DE 24 DE ABRIL DE 2008. Dispõe sobre aprovação e instituição do Plano Municipal de Saneamento destinado à execução dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário no município

Leia mais

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP OUTUBRO, 2002 ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP - APU INTRODUÇÃO A Associação

Leia mais

RELATÓRIO 01 CONTRATO Nº 25/2013 R.156.056.077.13. Jaguariúna, 08 de Outubro de 2013. Empreendimento realizado com recursos da Cobrança PCJ

RELATÓRIO 01 CONTRATO Nº 25/2013 R.156.056.077.13. Jaguariúna, 08 de Outubro de 2013. Empreendimento realizado com recursos da Cobrança PCJ RELATÓRIO 01 PLANO DE TRABALHO PARA ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO (PMSB) E PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA CONTRATO Nº 25/2013 R.156.056.077.13

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO

MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO MUNICÍPIO DE SÃO LEOPOLDO ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS E REGIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DO CONSÓRCIO PRÓ-SINOS PRODUTO 4 CONCEPÇÃO DOS PROGRAMAS, PROJETOS E AÇÕES NECESSÁRIAS. AÇÕES PARA

Leia mais

PLANO MUNICIPAL INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO PMISB DE SÃO LUÍS MA

PLANO MUNICIPAL INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO PMISB DE SÃO LUÍS MA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL EXTRAORDINÁRIA DE PROJETOS ESPECIAIS PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL E MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DA BACIA DO BACANGA PLANO MUNICIPAL INTEGRADO

Leia mais

ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE BETÂNIA ASSESSORIA JURÍDICA. III elaborar projetos de lei, decretos e demais atos normativos;

ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE BETÂNIA ASSESSORIA JURÍDICA. III elaborar projetos de lei, decretos e demais atos normativos; ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE BETÂNIA Integram-se a estrutura administrativa da Prefeitura Municipal de Betânia, os seguintes órgãos: DR. EDILSON XAVIER DE OLIVEIRA ASSESSORIA JURÍDICA I representar

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PRODUTO E RELATÓRIO DOS PROGRAMAS, PROJETOS E AÇÕES

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PRODUTO E RELATÓRIO DOS PROGRAMAS, PROJETOS E AÇÕES PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PRODUTO E RELATÓRIO DOS PROGRAMAS, PROJETOS E AÇÕES JULHO/2015 FOLHA DE REVISÃO Rev. Data Elaboração Verificação Aprovação Descrição da Revisão 0 07/2015 PREFEITURA

Leia mais

Plano Municipal de Saneamento Básico: processos e conteúdos. Heliana Kátia Tavares Campos

Plano Municipal de Saneamento Básico: processos e conteúdos. Heliana Kátia Tavares Campos Plano Municipal de Saneamento Básico: processos e conteúdos Heliana Kátia Tavares Campos Fotos: Fundação Vale Publicado pela Fundação Vale. Fundação Vale 2013 Coordenação editorial: Setor de Ciências Humanas

Leia mais

Plano Municipal de Saneamento Básico TOCANTINS. Relatório Síntese

Plano Municipal de Saneamento Básico TOCANTINS. Relatório Síntese Plano Municipal de Saneamento Básico TOCANTINS Relatório Síntese Dezembro de 2014 Projeto: Elaboração do PMSB dos Municípios inseridos na Bacia do Rio Paraíba do Sul: Carangola, Divinésia, Divino, Guiricema,

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Palavras-chave: Políticas Públicas, Saneamento Básico; Lei 11.445

Palavras-chave: Políticas Públicas, Saneamento Básico; Lei 11.445 POLÍTICAS PÚBLICAS E O SANEAMENTO BÁSICO EM NATAL: UMA ANÁLISE DA LEI 11.445 Resumo Eugênio Ribeiro Silva (Departamento de Geografia UFRN) Neffer André Torma Rodrigues (Departamento de Geografia UFRN)

Leia mais

Agenda Regional de Desenvolvimento Sustentável Eixo 4: Gestão Regional Integrada

Agenda Regional de Desenvolvimento Sustentável Eixo 4: Gestão Regional Integrada Agenda Regional de Desenvolvimento Sustentável Eixo 4: Gestão Regional Integrada 1 O Projeto Litoral Sustentável 1ª Fase (2011/2012): Diagnósticos municipais (13 municípios) Diagnóstico regional (Já integralmente

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE SANTA MARIA PLAMSAB

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE DIFERENTES MODELOS DE PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO: um estudo no Estado da Bahia

CARACTERÍSTICAS DE DIFERENTES MODELOS DE PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO: um estudo no Estado da Bahia CARACTERÍSTICAS DE DIFERENTES MODELOS DE PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO: um estudo no Estado da Bahia ALINE LINHARES LOUREIRO PATRÍCIA CAMPOS BORJA LUIZ ROBERTO

Leia mais

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO EM ATENDIMENTO AO CONVÊNIO CASAN BACIA DA LAGOA DO PERI

MONITORAMENTO HIDROLÓGICO EM ATENDIMENTO AO CONVÊNIO CASAN BACIA DA LAGOA DO PERI RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES MONITORAMENTO HIDROLÓGICO EM ATENDIMENTO AO CONVÊNIO CASAN BACIA DA LAGOA DO PERI ABRIL/2006 CONVÊNIO 09.02.06.00.100.925/2000 CASAN Companhia Catarinense de Águas e Saneamento

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

Relatório Técnico de Vistoria Nº 601/ 2013 - NAT / AMBIENTAL

Relatório Técnico de Vistoria Nº 601/ 2013 - NAT / AMBIENTAL Relatório Técnico de Vistoria Nº 601/ 2013 - NAT / AMBIENTAL INTERESSADO: PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE SABOEIRO OBJETO DA VISTORIA: SANEAMENTO BÁSICO MUNICÍPIO: SABOEIRO OFÍCIO Nº: 245/2013/CAOMACE/PGJ/CE

Leia mais

Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS

Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Prefeitura Municipal de Palhoça Plano Municipal de Saneamento Básico PMSB e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Relatório da Reunião de Planejamento Audiência Pública do Diagnóstico

Leia mais

REUNIÃO AMOSC. Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS

REUNIÃO AMOSC. Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS REUNIÃO AMOSC Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PMGIRS Pauta da Reunião 1. Apresentação da Empresa Contratada; 2. Apresentação do Plano de Trabalho (metodologia a ser adotada na

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2013

RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2013 RELATÓRIO ANUAL DA QUALIDADE DA ÁGUA 2013 A Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia - SAAE, com sede na Praça Roberto Gomes Pedrosa, 11 - Centro - Atibaia - SP, Telefone 4414-3500 e atendimento ao

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental III-032 - PROPOSTA ALTERNATIVA PARA A COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NA CIDADE DE CAMPO GRANDE/MS, VALORIZANDO A PARTICIPAÇÃO DOS CATADORES. Ana Luzia de Almeida Batista Martins Abrão (1)

Leia mais

Lei nº 10200 DE 08/01/2015

Lei nº 10200 DE 08/01/2015 Lei nº 10200 DE 08/01/2015 Norma Estadual - Maranhão Publicado no DOE em 12 jan 2015 Dispõe sobre a Política Estadual de Gestão e Manejo Integrado de Águas Urbanas e dá outras providências. O Governador

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPIVARI PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI RELATÓRIO VIII RELATÓRIO FINAL DO COMPÊNDIO DO PMSB

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPIVARI PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI RELATÓRIO VIII RELATÓRIO FINAL DO COMPÊNDIO DO PMSB PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPIVARI PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI RELATÓRIO VIII RELATÓRIO FINAL DO COMPÊNDIO DO PMSB LIMPEZA URBANA E MANEJO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS TOMO IV TEXTO

Leia mais

Empresas de Saneamento Básico Operando Sistemas de Aterros Sanitários. Uma proposta da SABESP em conformidade a Lei 11.445/2007.

Empresas de Saneamento Básico Operando Sistemas de Aterros Sanitários. Uma proposta da SABESP em conformidade a Lei 11.445/2007. Empresas de Saneamento Básico Operando Sistemas de Aterros Sanitários. Uma proposta da SABESP em conformidade a Lei 11.445/2007. (1) B e n i g n o J o s é d e S o u z a N e t o Contador pela Sociedade

Leia mais

Índice de atendimento por Sistemas de Abastecimento de Água

Índice de atendimento por Sistemas de Abastecimento de Água 81 Índice de atendimento por Sistemas de Abastecimento de Água 26,42% 73,58% CORSAN Outros Sistemas Gráfico 1: Percentual da população atendida pelo SAA - CORSAN. Assim, observa-se que 73,58% da população

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE XINGUARA, Estado do Pará, faz saber que a câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte lei.

O PREFEITO MUNICIPAL DE XINGUARA, Estado do Pará, faz saber que a câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte lei. DO DO PARÁ LEI Nº 877/13 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013. Institui a Política Municipal de Saneamento Básico, e o Plano de Saneamento Básico (PMSB) do Município de Xinguara-Pa e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado.

PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado. PMGIRS e suas interfaces com o Saneamento Básico e o Setor Privado. Ribeirão Preto, 08 de junho de 2011 Semana do Meio Ambiente AEAARP Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto

Leia mais

Saneamento Básico e Infraestrutura

Saneamento Básico e Infraestrutura Saneamento Básico e Infraestrutura Augusto Neves Dal Pozzo Copyright by Augusto Dal Pozzo DADOS HISTÓRICOS Até a década de 70 soluções locais e esparsas para os serviços de saneamento; Década de 70 criação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura.

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura. VI-039 - SANEAMENTO BÁSICO: UMA ANÁLISE ESTRUTURAL DO BAIRRO PEDRA DO LORDE EM JUAZEIRO-BA, COMO AÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET CONEXÕES DE SABERES - SANEAMENTO AMBIENTAL. Roberta Daniela da

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria das Cidades

Governo do Estado do Ceará Secretaria das Cidades NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 01 TOMADA DE PREÇOS Nº 20130004 - CIDADES OBJETO: LICITAÇÃO DO TIPO TÉCNICA E PREÇO PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DO ATERRO

Leia mais

ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA. Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco do Sul, localizado na rua Horacy

ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA. Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco do Sul, localizado na rua Horacy ATA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA Aos 03 de fevereiro de 2015, às 15h00, na sala do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco do Sul, localizado na rua Horacy Santos, nº 264 - Centro, presentes o Dr. RAFAEL OSVALDO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICIPIO DE REGENERAÇÃO - (PMSB)

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICIPIO DE REGENERAÇÃO - (PMSB) PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICIPIO DE REGENERAÇÃO - (PMSB) RELATÓRIO DO COMITÊ DE COORDENAÇÃO Aos 05 dias do mês de Julho de 2013, às 09:00h, reuniram-se na sede da Prefeitura Municipal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL. Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto.

PREFEITURA MUNICIPAL. Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto. PREFEITURA MUNICIPAL Secretaria de Planejamento e Habitação Departamento de Meio Ambiente Secretaria de Educação, Cultura e Desporto Julho - 2012 ABRANGÊNCIA RESÍDUOS SÓLIDOS ESGOTAMENTO SANITÁRIO ABASTECIMENTO

Leia mais

ANEXO XIV PLANO DE SANEAMENTO

ANEXO XIV PLANO DE SANEAMENTO ANEXO XIV PLANO DE SANEAMENTO SUMÁRIO 1 2013 SUMÁRIO 2 SUMÁRIO SUMÁRIO... 3 1. APRESENTAÇÃO... 19 2. MARCO LEGAL... 23 2.1. Fundamentação... 23 2.2. Princípios... 27 2.2.1. Princípios Constitucionais...

Leia mais