O que dizem os pais da nova classe média sobre escolas de rede? Aluno: Marco Antonio Filho Orientador: Isabel Lélis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O que dizem os pais da nova classe média sobre escolas de rede? Aluno: Marco Antonio Filho Orientador: Isabel Lélis"

Transcrição

1 O que dizem os pais da nova classe média sobre escolas de rede? Aluno: Marco Antonio Filho Orientador: Isabel Lélis Introdução Esse trabalho baseia-se na análise dos dados do questionário aplicado aos pais de duas unidades educacionais de uma rede de ensino que atende à nova classe média, uma localizada na Zona Norte e a outra na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Objetivos e metodologia O objetivo do texto foi o de trazer as percepções dos pais de quinta e nona série do ensino fundamental sobre os motivos da escolha da escola, a gestão das escolas, o grau de participação das famílias junto aos estabelecimentos de ensino. Trata-se de um recorte de uma pesquisa institucional O trabalho docente em escolas da nova classe média, um objeto esquecido`` coordenada pela professora Isabel Lélis. Dividimos os achados obtidos com os questionários dos pais nos seguintes blocos, Identificação com a escola, escolha da escola, participação na vida escolar e perfil sociocultural dos pais e ao final apresentamos comentários que os pais fizeram com relação à escola. A pesquisa, contou com a contribuição de 133 pais, sendo 94 da escola localizada na zona norte e 39 na zona oeste da cidade do Rio de janeiro. Principais achados 1- Identificação com a Escola Ambos responsáveis demonstraram, em sua maioria, que o fato da escola ser bem conceituada socialmente teve grande importância na escolha. Aspectos com relação à convivência, à chamada boa companhia, também foi um fator crucial para colocar seus filhos na escola. Considerando as características das escolas o que ficou mais evidente em termos de preferência por esta rede de ensino foi a aprovação no vestibular, a boa qualidade do ensino, a garantia da aprendizagem dos conteúdos, o material pedagógico, a exigência de uma boa disciplina e bom comportamento, as aulas de reforço, a infraestrutura material 1

2 (espaço, instalações). Além desses aspectos,pesou também o fato da escola privada não participar de greves como também a boa frequência dos professores. O que atraiu esses pais, foi também a flexibilização com relação à mensalidade, ou seja, eles pagam uma mensalidade adaptada à renda mensal das famílias. A chamada nova classe média tem na mobilidade social uma grande aposta e para tanto busca a escolarização do filho como meio de melhoria das condições de vida do ponto de vista econômico. São famílias que estudaram em escolas públicas, algumas cursaram universidades privadas, são na maioria trabalhadores ou pequenos empresários, com jornadas de trabalho, longas e pouco tempo para lazer. Privilegiam a aquisição de bens de consumo, mas os capitais econômico e cultural são restritos e limitados. Podem ser nomeados como classe dos batalhadores não definida apenas por variáveis de renda, pois não trata-se de uma classe homogênea. Esse extrato social é o grande responsável pelo extraordinário desenvolvimento econômico brasileiro dos últimos anos que se deu, fundamentalmente, pela perspectiva do mercado interno. (SOUZA 2011). 2. Escolha da Escola O relacionamento dos responsáveis com a escola também foi tomado como um importante suporte à escolha desses estabelecimentos de ensino, dada a preocupação com o respeito à individualidade do aluno, e a abertura ao diálogo. Segundo Boudon, as escolhas escolares se dão em função das coesões sociais ou escolares que são vinculadas ao meio e são moduladas pela composição social que intervém nos projetos escolares mais ou menos ambiciosos dos jovens dos diversos grupos sociais, em função dos custos ligados à probabilidade de obter benefícios esperados de suas escolhas.(burdon.apud, Alves 2010). A proximidade de casa é outro dado importante, no conjunto de razões que levam os pais a matricularem seus filhos estes colégios. Essa proximidade da escola é vista como condição para garantir o sucesso escolar, já que não há problemas com a locomoção, permitindo o aluno um tempo ideal para a aprendizagem. Alguns pais dotados de maior senso crítico procuram conhecer melhor a escola para saber o que será passado para seu filho em termos dos conteúdos de ensino. 2

3 De acordo com as perguntas, dentre elas as que contemplam aspectos curriculares, os responsáveis de ambas as unidades, em sua grande maioria têm preocupação com a promoção do valor ao esforço, ao espírito crítico, a entrada futura no mercado de trabalho e aos resultados no Enem. No que diz respeito à realização pessoal dos filhos, os pais acreditam, em grande parte, isso reflete o percentual de 80% dos entrevistados, que a escola promove a cidadania e autonomia, o respeito às regras, o respeito ao próximo. Mais da metade dos entrevistados concordam que a escola deve proporcionar felicidade aos estudantes. Com relação a frequência de respostas, considerando os 133 respondentes, 71 deles fizeram essa afirmação. Os dados apontam ainda que os pais têm preocupação com relação à proximidade da Gestão, visto que essa aproximação pode garantir mensalidades mais baixas. Essa possibilidade de negociação do valor da mensalidade somada aos outros benefícios que a escola apresenta, dentre eles a proximidade do lar à escola foram os principais aspectos positivos que os pais e responsáveis apontaram em suas respostas. 3. Participação na vida escolar Nas duas unidades os pais responderam que não comparecem à escola sempre, vão quando são chamados. E possuem a característica de procurarem com mais frequência a escola para resolver questões sobre boletins, participar de reunião e conversar com os professores. De modo que ir à escola para participar de atividades culturais, não faz parte da rotina ou não é uma prioridade dos responsáveis da Zona Norte, o maior percentual é às vezes com (50%), e os demais dividem-se entre nunca (17%) e sempre (30,9%). Seguindo a mesma ordem de avaliação de respostas, os pais da Zona Oeste, apresentamse mais presentes a comunidade escolar em dias festivos e culturais. Para esclarecer, o percentual de às vezes é de (33,3%), e os demais dividem-se entre nunca (5,1%), com uma queda acentuada de em torno 11 pontos percentuais e sempre (56,4%). Para nós isso se refere a intenções não só de contemplar a escola como um ambiente que proporciona conhecimentos estritamente curriculares, os pais da Zona Oeste, ao aderirem a essas atividades culturais demonstram interesse numa escola que propicie aos filhos ampliação do repertório cultural. 3

4 De um modo geral os responsáveis dos alunos das duas escolas demonstram interesse nas questões curriculares, nos comunicados que a escola emite e nos resultados registrados nos boletins. É perceptível ao olharmos os dados que o contato com a escola quase sempre se dá pela atenção dada à escolarização dos filhos, isto é, saber como estão prosseguindo e é visível nas respostas dadas nos questionários que poucos propõem sugestões à escola, em razão de (43,6%) dos pais da Zona Norte afirmarem que não dão sugestões e nunca solicitaram entrevista e (30,8%) dos da Zona Oeste estão na mesma realidade. O acompanhamento às tarefas escolares não aparece em número expressivo como esperávamos, pois os mesmos pais que afirmam ter forte a cobrança de altas notas são os mesmos que se omitem com relação ao cumprimento das lições, trabalhos feitos em casa. E com relação à frequência de estudo em casa, os pais de ambas as unidades se dividiram ao afirmarem que seus filhos estudam diariamente, duas ou três vezes por semana, havendo também aqueles que assumem que os filhos estudam de véspera. Não ficou claro se os filhos participam de aulas de apoio dentro da escola, se esta possibilidade ocorre através de professores particulares por iniciativa das famílias. É interessante que a escola também assume um papel de entrar em contato, principalmente, para conversar com os pais sobre assuntos mais delicados como indisciplina/ relacionamento entre alunos, problemas de saúde, resultados da avaliação etc. Mas, no geral mais de (90%) dos pais de ambas as unidades responderam que a escola nunca entrou em contato. Ao serem perguntados se a escolarização do filho impõe sacrifícios à família, dos 94 respondentes, 47 pessoas, ou seja, (50%) da Zona Norte apresentaram índices que indicam maiores dificuldades financeiras. O investimento na escola entre famílias em uma faixa de R$301,00 a R$1080,00, impõe mais sacrifícios do que nas famílias dos estudantes da escola da Zona Oeste que tem (79,5%) que afirmaram que a escolarização não impõe sacrifícios à família. A autora Fátima Alves nos ajuda a refletir quando diz que A natureza e a intensidade dos investimentos de caráter escolar variam também em função da manutenção da posição social atual ou da possibilidade de ascensão. Isso justifica a hipótese de que mesmo aparentemente os responsáveis que têm menor capital econômico insistem em manter seus filhos nessa escola, pois perseguem o objetivo de ascenderem socialmente. De forma diversa, famílias da escola da Zona Oeste com maior capital econômico e cultural, 4

5 buscam conservar-se nessa posição social. Quanto à pergunta sobre premiação o que fazem quando os filhos tiram notas baixas, as opções foram: colocar de castigo, falar com o professor, com o coordenador ou a prêmios em caso de melhora. A procura pela instituição de ensino é o dado mais frequente em ambas as partes. E a premiação também não é um caso recorrente em amas as realidades. Isto é (61,7%) dos pais da Zona Norte negaram essa possibilidade e (59%) dos outros respondentes também negaram. Ou seja, este é um aspecto positivo, pois a postura dos pais demonstra que a ligação entre escola e família gerará melhores resultados. 3. Gestão escolar É sabido que a gestão de uma escola há muito, não se resume à administração, mas sim a toda a dinâmica da organização, isto é, à equipe administrativa, à equipe pedagógica, alunos, pais, funcionários e a comunidade. A realidade cotidiana coloca desafios e todos devem estar integrados ao processo de desenvolvimento que se instaura e pode criar uma cultura institucional forte baseada em um trabalho coletivo. À luz dessa compreensão do que é uma Gestão Escolar, buscamos interpretar e, de algum modo, compreender as convergências e divergências face à essa questão por pais das duas unidades de ensino. Ao serem perguntados sobre a confiança na gestão os pais da escola do bairro da zona Norte mostraram-se divididos concordando em parte e plenamente com a direção enquanto os da Zona Oeste em sua grande maioria demonstraram plena confiança na direção. Na pergunta posterior, a frequência de respostas foi muito parecida, com relação, ao grau de concordância face as atividades inovadoras que a direção proporciona. Desse modo, é possível verificar que tanto Zona Norte quanto Oeste as famílias estão divididas, entre concordo em parte e concordo quanto a item confiança. Mas o concordo é predominante já que na Zona Norte é de (59,6%) e Zona Norte (76,9%). Sobre a preocupação da equipe gestora face ao rendimento de seus filhos, os pais da escola da Zona Oeste se mostraram mais confiantes enquanto os pais da escola da Zona Norte mais uma vez se dividiram, revelando um número expressivo de discordância e mesmo confiança face à direção no quesito rendimento acadêmico dos filhos. 5

6 Quanto ao tópico outros, relativo a críticas à instituição,um dos pais da zona norte apresentou preocupação com relação à formação continuada dos professores e na Zona Oeste o mesmo número de pais citou a inadequação do uso do uniforme.. Com relação aos professores, o grau de desconfiança dos pais da escola da zona norte face ao trabalho que realizam chama a atenção, visto que, praticamente o total se dividiu em quase (50%) em concordo em parte e concordo, diferentemente da Zona Oeste que demonstra mais confiança no corpo docente. Porém, ao ser abordada a temática da inovação proporcionada pelos professores em ambas as escolas os pais se dividiram. Pais da escola da Zona Norte parecem estar mais sensíveis ao que deva ser um professor ou gestão mais qualificada, enquanto os da Zona Oeste, confiam na decisão da coordenação. Mais uma vez os pais da Zona Norte e Oeste se identificam mostrando-se divididos e críticos à gestão escolar, especialmente quanto à mobilização dos professores face às aprendizagens dos alunos. Aparentemente os professores da Zona Norte são menos assíduos e pontuais no trabalho cotidiano do que os da zona oeste, o que não significa desrespeito aos professores. 5. Perfil cultural e profissional do responsável Este item tem por objetivo apresentar, o nível de formação dos responsáveis das respectivas escolas analisadas,o que pode ajudar a esclarecer algumas questões, em vista dos posicionamentos e críticas dos respondentes. Os responsáveis de alunos da escola da zona norte, em sua maioria concluíram o ensino médio (quantos), mas também há pais que concluíram tanto o nível superior como possuem pós-graduação quantos), sendo uma minoria que em minoria apresenta alto grau de instrução. Também há um conjunto menor de pais que só chegaram até o segundo segmento do ensino fundamental. Quanto aos pais da zona oeste, possuem em grande parte o nível superior completo, obtendo um grau de estudos maior, como por exemplo, a pós-graduação. Se os compararmos aos responsáveis da escola da zona norte, os dados apontam que o nível de instrução é superior, pois apresentou-se um baixo índice de responsáveis que só concluíram a educação básica. 6

7 Quando passamos ao item do hábito da leitura, os pais da Barra apresentam maior frequência de leitura, talvez mais praticada em função da natureza da ocupação/profissão que exercem Porém, mesmo em menor número, se comparado aos responsáveis da escola da Barra, ainda há, na escola da zona norte uma grande maioria de famílias que diz ler, mesmo que a leitura seja esporádica. O hábito de ler entre os pais de ambas as unidades são, em sua maioria, pouco frequente, visto que os percentuais de respostas aos questionários são próximos. Contudo, percebemos que a rotina de leitura, cotidiana, é adotada por uma pequena parcela dos responsáveis das unidades. Ou seja, a leitura em seu caráter de fruição, isto é, o prazer de ler, tem seu espaço. Constatamos, que mesmo que não haja uma leitura diária de jornal, há contato com este veículo de informação em ambas as unidades. Principalmente na unidade da zona norte, que conta com um numero mais elevado. Chama-nos a atenção o fato de que o contato é maior com os jornais do que com os livros. Isso, provavelmente, se dá pela facilidade de acesso à imprensa escrita. O fato se repete quando observamos as revistas de informação geral a que tem acesso. Nesse caso, os pais da Barra são os que possuem maior contato com esse tipo de material, enquanto a maioria dos responsáveis da escola da zona norte lê esporadicamente. Os pais de ambas as unidades afirmaram que possuem o hábito de ler conteúdos disponíveis na internet, ou seja, ler no formato digital. É inferior a porcentagem dos responsáveis que afirmam ler diariamente. Não se sabe se a leitura dos conteúdos on-line está, ligada as questões de formato do texto; tamanho da notícia; grande variedade de artigos ou financeira. Quer dizer, se por ser mais em conta, o acesso é mais frequente. Quando verificamos a familiaridade com diferentes idiomas - forte indicador da construção do habitus cultural, o (...) processo de construção dos habitos individuais (...) é mediado pela coexistência de distintas instâncias produtoras de valores culturais e referências identitá- rias. (SETTON,2002). A habilidade em outros idiomas está ligada à frequência em cursos extras ou devido ao contato direto com a língua. Os responsáveis da escola da zona oeste afirmaram que possuem um bom domínio em Inglês, Espanhol e, apenas um deles, em Francês. Já os da 7

8 zona norte, tem um bom domínio do Espanhol, porém responderam que possuem dificuldades em Inglês e Francês. O conhecimento de outra língua, é o que vai ser o indicador cultural mais destacado, já que o fato de falar uma outra língua permite a ampliação da visão de mundo pelo acesso a um conjunto de informações. Com relação ao perfil profissional, encontramos três grandes grupos: Do lar, tempo parcial e tempo integral. Vale ressaltar que nesse grupo também há pensionistas, estudantes e desempregados que compõem os grupos em número menor. Esses três grupos foram os que mais nos chamaram atenção, pois o número de responsáveis do lar e de tempo parcial da zona oeste são os que trabalham em atividades regulamentadas., Com relação às ocupações dos pais, constatamos que grande parte dos responsáveis da escola da zona norte são funcionários públicos e de carteira assinada. Há também uma parcela considerável de autônomos e sem registro. Muitas dessas ocupações são técnicas, necessitam de uma formação específica, o que pode explicar o grande número de responsáveis que só possuem o ensino médio. Os pais da escola da zona oeste em sua maioria são empresários e autônomos com registro. Essas ocupações indicam as razões pelas quais muitos desses responsáveis ocupam altos cargos, e os que não os têm, ocupam um empregos com algum prestígio social, como, por exemplo, dentista, professor, etc.; A maioria é constituída de funcionários do setor privado. As religiões dos pais da escola da zona norte mais presentes nas respostas dos q uestionários foram, a católica com um grande número de praticantes, seguida da espírita, e depois a evangélica. Só não sabemos se aqueles que responderam cristãs e protestantes, se definem dessa forma pela falta de esclarecimento. Há ainda um silêncio quanto à adesão a uma matriz religiosa africana. Ela é ocultada em função do preconceito existente. Os respondentes da escola da zona oeste declararam-se, católicos, mais uma vez, em sua grande maioria, seguido do espiritismo e, depois.do kardecismo, modalidade do espiritismo. Em ambas as unidades, os responsáveis responderam que possuem mais de três aparelhos de TV. Os pais de alunos da escola da zona norte tem em sua maioria um ponto de TV por assinatura em cada aparelho televisor, porém suspeitamos que nos outros aparelhos possam ser utilizados a TV a cabo comunitária, visto que apresentam preço mais 8

9 acessível. Já os responsáveis da escola da zona oeste também um ponto por aparelho, porém não seguem o costume de TV por assinatura comunitária. Ao serem indagados sobre a posse de rádios, na escola da zona norte a maioria não os possui. Acreditamos que isso se ocorra pela facilidade atual de acesso a outros meios de entretenimento ou por ouvirem músicas nos aparelhos telefônicos. Enquanto a maioria dos pais da escola da zona oeste possui, pelo menos, um rádio em casa, é de se supor que ainda cultive o hábito de ouvir CD s. Em ambas os bairros quando, os respondentes, foram perguntados se possuem carro, eles responderam que possuem pelo menos um em casa. O mesmo se aplica aos tópicos sobre vídeo cassete, DVD, geladeiras e máquinas de lavar. Na pergunta sobre a quantidade de computadores que possuem em casa, a maioria dos respondentes das duas escolas que possui apenas um. Porém, quando foram perguntados sobre outros aparelhos como Notebook s, netbook s e Tablet s os pais da escola da zona norte afirmam possuir um, enquanto os da escola da zona oeste possuem mais de um por membro da família.percebemos que há uma troca dos desktop s por aparelhos móveis, sendo esta uma resposta que indicaria a preferência por noticias online. Há ainda um item que trata da conexão com a internet nas casas, sendo que pais da escola da zona oeste afirmam possuir computador, smartphone e etc. Em relação ao número de banheiros, os responsáveis da escola da zona norte responderam que possuem apenas um, enquanto os da escola da zona oeste possuem em sua maioria, três ou mais. Quanto à moradia, a maioria dos pais da escola da zona norte possui casa própria, incluindo herança de imóveis. Já os da escola da zona oeste também tem na sua maioria casa própria, paga, havendo um número pequeno de famílias que pagam financiamento pelos seus imóveis. Vale dizer que o numero de imóveis alugados também foi encontrado no conjunto dos respondentes. Com relação ao número de empregados, os responsáveis alegam não terem nenhum serviçal Os pais da escola da zona oeste possuem diaristas. No que se refere aos salários, grande parte dos pais da escola da zona norte ganha entre quatro e cinco salários, seguidos de um a três salários mínimos. A porcentagem pais 9

10 da zona oeste que ganha de quatro a cinco salários mínimos é muito superior ao da zona norte Questões levantadas no final dos questionários De um modo geral, os responsáveis da escola da zona norte em sua grande maioria, não fizeram comentários. A minoria dos pais, porém usou esse espaço para desabafar, reclamar e sugerir mudanças. Uma parcela responsabiliza o professor pelo baixo desempenho do aluno, e ainda complementa essa critica,responsabilizando a direção que deveria ser mais observadora e presente. Ou seja, para esse pequeno número de pais, a direção deveria se fazer mais presente nas atividades, tanto dos professores, quanto dos alunos. Por vezes, as reclamações, também são relacionadas às questões de falta de limpeza do do espaço das escolas Os responsáveis da escola da zona oeste na sua maioria não teceram críticas à escola. Porém, os pais que o fizeram foram contundentes em alguns aspectos. Os pontos mais abordados são; o grande número de alunos por sala, a dificuldade dos professores em gerirem as aulas. Apesar de, serem poucos comentários, e repetitivos, essas duas falas apareceram com maior recorrência. Esses responsáveis apontaram a necessidade de diminuir as turmas, pois, afirmam que os professores não conseguem trabalhar com turmas grandes, tornando-se pouco prazeroso o espaço da sala de aula. O comentário que mais nos chamou à atenção foi o seguinte: Gostaria muito de ver as escolas diminuindo o número de alunos por sala, aumentado o direcionamento do ensino com mais qualidade, aumentando o salário do professor para ele poder focar mais nos alunos que eles já tem e não precisar ter que dar aula demais e assim planejar melhor suas aulas para prender atenção de nossos filhos em suas aulas e conhecer mais profundamente cada aluno para ajudá-los em suas dificuldades e estimulá-los a crescer e aprender. Não gosto que meu filho seja analisado, ou aprovado/reprovado por meros números, provas, mas gostaria de ver a escola abordando outros aspectos importantes para a construção de uma pessoa e incentivando o crescimento do aluno como um todo. Conhecendo cada um de seus alunos e havendo uma boa interação com os pais e ajudando estes a conhecerem a si mesmos.`` Essa fala resume as opiniões dos pais em relação à escola, já que os mesmo querem zelar pela boa educação do filho. Ao mesmo tempo, evidencia a razão pela qual os responsáveis matricularam seus filhos nesta escola que compõe uma rede de ensino. 10

11 Conclusões Um primeiro aspecto que se destaca é a de que os pais encontram nessas escolas privadas segurança, mas também assinalam que há muitas deficiências na gestão e na estrutura organizacional. Esse aspecto, só apareceu com mais força quando ficaram livres para falar, o que não significa que não confiem na gestão. Quanto à escolha da escola percebe-se que os pais da escola da zona norte buscam essa escola como uma forma de mobilidade social. A esse respeito, Carvalho assinala: Pesquisas sobre escolhas familiares mostram que os critérios não são determinados apenas pelos projetos familiares e representações sobre a escola. O volume e a estrutura dos diferentes tipos de capital (econômico, cultural, social) adquiridos pelas famílias ocupam uma posição de destaque interferindo no processo de escolha do estabelecimento de ensino para seus filhos.a desigualdade, tanto na posse quanto nas formas de apropriação de tais capitais pelas famílias dos diferentes grupos sociais, vai interferir não só na determinação dos critérios de escolha, como, sobretudo, revelar as condições de escolha de escola de cada família, delimitando os horizontes possíveis (Souza,2011) O que mais nos chamou também a atenção foi o fato de que essas famílias pertencem à classe média, ou seja, o nível sócio econômico deles é o mesmo que o dos professores de escolas públicas A matrícula em escolas privadas que atendiam a clientela de nível socioeconômico equivale ao do corpo discente de escolas municipais e configurase como oportunidades para famílias de classes populares que buscam um diferencial de qualidade, uma vez que cobram mensalidades relativamente baixas, ou possuem um sistema de bolsas de estudo. (Alves,2010) A flexibilização da mensalidade, as bolsas, não são apenas benefícios, mas também compromisso com a escola, isto é com a rede, já que a escola vai estar investindo nesse tipo de clientela. Portanto, esse diferencial tem um objetivo funciona como troca de favores, pois a escola abate a mensalidade, mas o aluno precisa manter altas médias, para participar dos times da escola nos jogos intercolegiais. Com relação a esse aspecto,ball (2004) afirma que A educação é, em vários sentidos, uma oportunidade de negócios. Um aspecto que nos chamou a atenção foi a preocupação desses pais com a formação para o mercado de trabalho, ou seja, o que mais importa para eles independe do 11

12 bairro onde está localizada a escola é a formação de um profissional qualificado para trabalhar e se destacar com relação aos outros candidato. Por essa razão, escolheram uma escola bem conceituada no ENEM que possui um bom índice de aprovação. Esta seria uma solução para esses extratos sociais que vieram de camadas inferiores da sociedade. Esperam que seus filhos conquistem capital cultural, não medem esforços, entendendo que o retorno da educação de seu filho será a longo prazo.. Souza (2011) vê essa classe social como o grande valete econômico do país, argumento também defendido por Quadros, na medida em que foi o extrato que mais cresceu economicamente no pais e que possui grande consumo. Para Quadros (2010) é muito difícil estratificar a sociedade pelo nível de consumo pois o este não muda a estrutura social.` O que esses dados parecem mostrar é que há uma estratificação que ocorre dentro da própria rede de ensino, sendo que as diferenças mostradas têm origem sociedade O termo estratificação educacional diz respeito à relação entre origem social e resultados escolares e, também, aos mecanismos por meio dos quais esta relação é estabelecida`` (Ibid, ALVES). Referências bibliográficas CURY, Augusto. Pais inteligentes formam sucessores, não herdeiros. São Paulo: Saraiva,2014 SETTON, Maria da Graça Jacintho. A teoria do habitus em Pierre Bourdieu: uma leitura contemporânea. Revista Brasileira de Educação.[online]. 2002, n.20, pp ISSN SOUZA, Jessé. Ralés, batalhadores e uma nova classe média. Entrevista_ UNISINOS, São Paulo, Disponível em Acesso em: 21 abr QUADROS,Waldir. Afinal, quem é a nova classe média? Entrevista_ UNISINOS, São Paulo, Disponível em Acesso em: 23 jul

TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico

TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico DESTAQUES 2007 O Estudo sobre Comércio Eletrônico da TIC Domicílios 2007 apontou que: Quase a metade das pessoas que já utilizaram a internet declarou ter realizado

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Érika Cristina Mashorca Fiorelli, UNESP - Presidente Prudente-SP, SESI/SP; Ana

Leia mais

Eixo 1 - Ensino. As questões respondidas pelos discentes sobre a temática do ensino somam oito interrogações, as quais seguem em análise:

Eixo 1 - Ensino. As questões respondidas pelos discentes sobre a temática do ensino somam oito interrogações, as quais seguem em análise: Relatório de análise de dados O presente relatório trata da análise dos resultados provenientes de informações obtidas por meio dos questionários da autoavaliação referentes ao curso de graduação em Dança

Leia mais

Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil

Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil Relatório de Pesquisa de Opinião Pública Nacional Metodologia Pesquisa de opinião pública tipo quantitativa Universo: Cadastro de pessoas do IBDD

Leia mais

Relatório de Trabalho Estatístico Laboratório de Estatística DEST- CCE - UFES

Relatório de Trabalho Estatístico Laboratório de Estatística DEST- CCE - UFES CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA LABORATÓRIO DE ESTATÍSTICA Av. Fernando Ferrari, S/N - Goiabeiras 29060-900 - Vitória ES Brasil E-mail: lestat@cce.ufes.br Fone: (27) 3352470 Fax:

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online.

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Assunto E-commerce Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Quantidade de entrevistas realizadas: 1.652 mulheres Perfil: 18 a 50 anos Mercado: Brasil

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

Avaliação dos hábitos de estudos, culturais e nível de inclusão digital dos alunos da UNIGRANRIO. Fevereiro/2012

Avaliação dos hábitos de estudos, culturais e nível de inclusão digital dos alunos da UNIGRANRIO. Fevereiro/2012 Avaliação dos hábitos de estudos, culturais e nível de inclusão digital dos alunos da UNIGRANRIO Fevereiro/2012 UM POUCO SOBRE O ALUNO Etnia segundo classificação do ENADE Amarelo (de Origem Oriental)

Leia mais

RELATÓRIO SOCIOECONÔMICO DE AVALIAÇÃO DOS CALOUROS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE GESTÃO EM MARKETING

RELATÓRIO SOCIOECONÔMICO DE AVALIAÇÃO DOS CALOUROS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE GESTÃO EM MARKETING RELATÓRIO SOCIOECONÔMICO DE AVALIAÇÃO DOS CALOUROS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE GESTÃO EM MARKETING FEVEREIRO DE 2011 Relatório Socioeconômico da Faculdade Montes Belos Para elaborarmos o perfil

Leia mais

Atitudes pela Educação Novembro de 2014

Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Atitudes pela Educação Novembro de 2014 Realização: Instituto Paulo Montenegro IBOPE Inteligência Parceiros da pesquisa: Todos Pela Educação Fundação Itaú Social Fundação Maria Cecília Souto Vidigal Fundação

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

Oito em cada dez brasileiros não sabem como controlar as próprias despesas, mostra estudo do SPC Brasil

Oito em cada dez brasileiros não sabem como controlar as próprias despesas, mostra estudo do SPC Brasil Oito em cada dez brasileiros não sabem como controlar as próprias despesas, mostra estudo do SPC Brasil Mais de um terço dos brasileiros desconhecem o valor das contas que vencem no próximo mês. Falta

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO SOBRE A REDE PARTICULAR DE ENSINO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ESCOLAS PARTICULARES DEZEMBRO - 2005 DIVULGAÇÃO JANEIRO

PESQUISA DE OPINIÃO SOBRE A REDE PARTICULAR DE ENSINO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ESCOLAS PARTICULARES DEZEMBRO - 2005 DIVULGAÇÃO JANEIRO IBOPE PESQUISA DE OPINIÃO SOBRE A REDE PARTICULAR DE ENSINO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ESCOLAS PARTICULARES DEZEMBRO - 2005 DIVULGAÇÃO JANEIRO - 2006 Proibida reprodução total ou parcial sem autorização expressa

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento

As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento As Tecnologias de Informação e Comunicação para Ensinar na Era do Conhecimento Nirave Reigota Caram Universidade Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: nirave.caram@usc.br Comunicação Oral Pesquisa em Andamento

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. RESUMO Nós, jovens brasileiros, é uma continuidade do conhecido Este jovem brasileiro, sucesso do portal por 6 edições consecutivas.

Leia mais

Coletiva de Imprensa Apresentação de resultados São Paulo, 23 de maio de 2013

Coletiva de Imprensa Apresentação de resultados São Paulo, 23 de maio de 2013 Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação Pesquisa TIC Educação 2012 Pesquisa sobre o uso das TIC nas escolas brasileiras Coletiva de Imprensa Apresentação de resultados

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Resumo ISSN 2316-7785 PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Stephanie Abé abe.stephanie1@gmail.com Ana Caroline Pierini karolpierini@gmail.com Luana Kuister Xavier

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Escola de Gestores. Orientações para elaboração da proposta de intervenção

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Escola de Gestores. Orientações para elaboração da proposta de intervenção UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Escola de Gestores Orientações para elaboração da proposta de intervenção ELEMENTOS QUE COMPÕEM O TCC -PROJETO DE INTERVENÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 3. PROPOSTA

Leia mais

Cinco em cada dez empreendedores de serviços abriram a própria empresa sem qualquer experiência, mostra SPC Brasil

Cinco em cada dez empreendedores de serviços abriram a própria empresa sem qualquer experiência, mostra SPC Brasil Cinco em cada dez empreendedores de serviços abriram a própria empresa sem qualquer experiência, mostra SPC Brasil Levantamento realizado em todas as capitais revela que os empreendedores do setor de serviços

Leia mais

f/radar 14ª edição internet móvel, cidadania e consumo no Brasil

f/radar 14ª edição internet móvel, cidadania e consumo no Brasil f/radar 14ª edição internet móvel, cidadania e consumo no Brasil f/nazca + datafolha abril 2014 A computação social aumenta as possibilidades da inteligência coletiva e, por sua vez, a potência do povo

Leia mais

AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante

AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante AVALIE ENSINO MÉDIO 2013 Questionário do Estudante Caro Estudante, O Projeto Avalie pretende conhecer melhor o perfil do estudante do Ensino Médio da Bahia, por isso a sua participação representa a garantia

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

Melhores Empresas para Estagiar 2008

Melhores Empresas para Estagiar 2008 Melhores Empresas para Estagiar Realização: CIEE / IBOPE Inteligência / ABRH-SP Outubro/ Metodologia As empresas interessadas inscrevem-se no prêmio através do site O cadastro é validado pelo IBOPE a partir

Leia mais

BBC English Basic. Anhanguera

BBC English Basic. Anhanguera BBC English Basic Anhanguera Assuntos abordados O que é Objetivo Metodologia Ferramentas de Aprendizagem Nivelamento Avaliação Certificação Contrato do Aluno Atendimento e suporte Financeiro Faturamento

Leia mais

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA/FACESA INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS SEGMENTO: ALUNOS Data 2008 CURSO: Enfermagem / TURNO: Matutino SEMESTRE: Primeiro BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS P1. Sexo A) ( ) Feminino

Leia mais

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação Pesquisa Semesp 2009 Índice de Imagem e Reputação Uma ferramenta estratégica para a qualidade de mercado Desvendar qual é a real percepção de seus públicos estratégicos com relação à atuação das instituições

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB.

A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB. A EDUCAÇÃO DO CAMPO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO ASSENTAMENTO SÃO FRANCISCO III.SOLÂNEA/PB. Otaciana da Silva Romão (Aluna do curso de especialização em Fundamentos da Educação UEPB), Leandro

Leia mais

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores;

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores; CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA MANTENEDOR DA ESCOLA DE ENSINO SUPERIOR FABRA Cred. Pela Portaria Ministerial nº 2787 de 12/12/2001 D.O.U. 17/12/2001 Rua Pouso Alegre, nº 49 Barcelona Serra/ES CEP 29166-160

Leia mais

RELATÓRIO SOCIOECONÔMICO DOS CALOUROS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM RECURSOS HUMANOS

RELATÓRIO SOCIOECONÔMICO DOS CALOUROS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM RECURSOS HUMANOS RELATÓRIO SOCIOECONÔMICO DOS CALOUROS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM RECURSOS HUMANOS FEVEREIRO DE 2011 Tabela 01 Estado civil: Solteiro 28 82 Casado 5 15 Viúvo Divorciado 1 3 Desquitado União estável

Leia mais

Gestão Democrática da Educação

Gestão Democrática da Educação Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Departamento de Articulação e Desenvolvimento dos Sistemas de Ensino Coordenação Geral de Articulação e Fortalecimento Institucional dos Sistemas de

Leia mais

Enquete para Pais ou Responsáveis

Enquete para Pais ou Responsáveis MEXT Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão Avaliação Nacional do Desempenho Escolar e Condições do Aprendizado em 2013 Pesquisa detalhada Enquete para Pais ou Responsáveis

Leia mais

VII CENSO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UERJ

VII CENSO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO- UERJ NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA NIESC/PRODEMAN SUB-REITORIA DE GRADUAÇÃO- SR-1 DEPARTAMENTO DE ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA - DEP Prezado

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R

Leia mais

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (enumere as modalidades conforme interesse):

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (enumere as modalidades conforme interesse): INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS BARBACENA ANEXO I FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (enumere as modalidades conforme

Leia mais

EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA

EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA ISSN 2177-9139 EXPLORANDO O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL POR MEIO DA MODELAGEM MATEMÁTICA. Caroline Conrado Pereira 1 caroline_conrado@ymail.com Centro Universitário Franciscano, Rua Silva Jardim, 1175 Santa

Leia mais

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (Marque com X as modalidades solicitadas):

Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (Marque com X as modalidades solicitadas): INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS RIO POMBA ANEXO I FORMULÁRIO SOCIOECONÔMICO Modalidades a serem solicitadas pelo aluno (Marque com X as modalidades

Leia mais

Empresas de Minas diminuem investimento

Empresas de Minas diminuem investimento Ano 5 Nº 1 JANEIRO 2015 Empresas de Minas diminuem investimento No ano de 2014 mais da metade das empresas mineiras realizaram investimentos, no entanto, desde o início da pesquisa em 2010, o percentual

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

Escola Bilíngüe. O texto que se segue pretende descrever a escola bilíngüe com base nas

Escola Bilíngüe. O texto que se segue pretende descrever a escola bilíngüe com base nas Escola Bilíngüe É uma escola unique Diana Mandelert Diana Cerdeira Apresentação O texto que se segue pretende descrever a escola bilíngüe com base nas informações obtidas na página da escola na Internet,

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

. 61. BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE

. 61. BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE CAPÍTULO BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 61 7 Funcionamento do programa As etapas qualitativa e quantitativa da pesquisa mostraram enorme desconhecimento das famílias beneficiadas com relação às regras

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO...

RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO... Roteiro para elaboração de relatório parcial de estágio RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO Estudante: Orientador: Local / / SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 3 REFERÊNCIAS Identificação

Leia mais

Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina. Síntese dos resultados Meses Situação da família

Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina. Síntese dos resultados Meses Situação da família Núcleo de Pesquisas Pelo segundo mês consecutivo cai o endividamento e a inadimplência em Santa Catarina Os dados levantados pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores (PEIC) de Santa

Leia mais

A ESCOLA MUNICIPAL DE JATAÍ E O DESAFIO NA CONSOLIDAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS

A ESCOLA MUNICIPAL DE JATAÍ E O DESAFIO NA CONSOLIDAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS A ESCOLA MUNICIPAL DE JATAÍ E O DESAFIO NA CONSOLIDAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS SILVA, Thaysa Pereira; RAIMANN, Elizabeth Gottschalg Universidade Federal de Goiás/ Campus Jataí; thaysapsilva@hotmail.com

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias para a Educação Básica Coordenação Geral de Materiais Didáticos PARA NÃO ESQUECER:

Leia mais

Formulário de inscrição para Unidades Escolares:

Formulário de inscrição para Unidades Escolares: Presidência da República Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Secretaria de Políticas de Ações Afirmativas 1. Contextualização: Formulário de inscrição para Unidades Escolares: a) Descreva

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE E AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM GRADUAÇÃO PRESENCIAL

RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE E AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM GRADUAÇÃO PRESENCIAL RELATÓRIO GERENCIAL AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE E AMBIENTE VIRTUAL DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL 2º SEMESTRE 2014 CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 1) Como funciona o vestibular da UFPA? PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 A partir do Processo Seletivo 2014 (PS 2014), a UFPA passa a adotar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como única fase do vestibular.

Leia mais

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 Este encarte Tendências aborda as manifestações populares que tomaram as grandes cidades brasileiras em junho

Leia mais

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11

O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1. Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 O ENSINO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DOS JOVENS E ADULTOS EM UMA ABORDAGEM CTS 1 Educação Matemática na Educação de Jovens e Adultos GT 11 Ana Luiza Araujo COSTA anaepietro26@gmail.com Maria Simone

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010

RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010 RELATÓRIO DE ATIVIDADE CURSO DE INICIAÇÃO POLÍTICA ETEC-CEPAM - 2010 Autoria: Prof. Dr. Introdução Entre os dias 08 e 10 de dezembro de 2010 ocorreu na sede da Etec-Cepam a primeira edição do curso de

Leia mais

PROGRAMA SOCIOASSISTENCIAL ESTUDANTIL

PROGRAMA SOCIOASSISTENCIAL ESTUDANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS CAMPUS MANAUS CENTRO PROGRAMA SOCIOASSISTENCIAL ESTUDANTIL CADASTRO

Leia mais

COMO É O SISTEMA DE ENSINO PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO CANADÁ

COMO É O SISTEMA DE ENSINO PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO CANADÁ COMO É O SISTEMA DE ENSINO PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO CANADÁ Uma das principais preocupações de casais que pretendem morar no Canadá levando os filhos diz respeito à educação das crianças e adolescentes

Leia mais

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior

A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior UNIrevista - Vol. 1, n 2: (abril 2006) ISSN 1809-4651 A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino superior Marilú Mourão Pereira Resumo Fisioterapeuta especialista em neurofuncional

Leia mais

ORIENTADOR EDUCACIONAL

ORIENTADOR EDUCACIONAL ORIENTADOR EDUCACIONAL 01. A discussão sobre a Organização do Trabalho na Escola permitiu que fosse determinada uma das atribuições inerentes à Orientação Educacional que é: (A) organizar as turmas homogêneas,

Leia mais

Enquete. Dia dos Professores

Enquete. Dia dos Professores Enquete Dia dos Professores No dia 15 de outubro será comemorado o dia do professor. Muito se fala que a profissão, apesar de muito importante, perdeu seu glamour e prestígio, sendo incapaz de atrair a

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras TIC Educação

Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras TIC Educação Pesquisa TIC Educação 2010 Coletiva de Imprensa Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras TIC Educação São Paulo, 09 de Agosto de 2011 CGI.br Comitê Gestor

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu.

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu. CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: INDICATIVOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE E DA ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO NUM CURSO DE PEDAGOGIA G1 Formação de Professores

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Associação Jaguariunense de Jovens Aprendizes

Associação Jaguariunense de Jovens Aprendizes O Questionário abaixo se destina à avaliação sócio-econômica cultural do candidato e, portanto, deve ser respondido com absoluta fidedignidade. Para isso, os candidatos poderão contar com o auxílio dos

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

EDITAL Nº. 001/2011 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PAE DO IFSP CAMPUS SÃO CARLOS

EDITAL Nº. 001/2011 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PAE DO IFSP CAMPUS SÃO CARLOS 1. ABERTURA EDITAL Nº. 001/2011 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PAE DO IFSP CAMPUS SÃO CARLOS 1.1 O Diretor Geral do Campus São Carlos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo,

Leia mais

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças.

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças. TEXTOS PARA O PROGRAMA EDUCAR SOBRE A APRESENTAÇÃO DA PEADS A IMPORTÂNCIA SOBRE O PAPEL DA ESCOLA Texto escrito para o primeiro caderno de formação do Programa Educar em 2004. Trata do papel exercido pela

Leia mais

PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros

PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros Janeiro 2015 1. INTRODUÇÃO Quatro em cada dez consumidores consideram-se desorganizados financeiramente, mas sete em cada dez

Leia mais

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO ISSN 2316-7785 PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO RESUMO Karen Rodrigues Copello Universidade Federal de Santa Maria karen_keruso@hotmail.com Debora Silvana Soares Universidade

Leia mais

ENSINO MÉDIO DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. Processo de Admissão

ENSINO MÉDIO DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. Processo de Admissão ENSINO MÉDIO PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ESTUDANTES PARA 2015 PROPOSTAS PEDAGÓGICAS A fase da escolha de qual carreira seguir acontece, normalmente, durante o ensino médio. Tendo de vivenciar mudanças

Leia mais

5 Conclusão e Considerações Finais

5 Conclusão e Considerações Finais 5 Conclusão e Considerações Finais Neste capítulo são apresentadas a conclusão e as considerações finais do estudo, bem como, um breve resumo do que foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores,

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO Registro na Extensão Nº: Em / / FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO 1 - Identificação: 1.1 - Título 1 : 1.2 - Área Temática Principal (assinalar apenas uma área temática, aquela que melhor define o problema

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO (Leia com bastante atenção toda a ficha, antes de responder)

FICHA DE INSCRIÇÃO (Leia com bastante atenção toda a ficha, antes de responder) Nome do Aluno: FICHA DE INSCRIÇÃO (Leia com bastante atenção toda a ficha, antes de responder) O Programa Bom Aluno tem como alvo bons alunos, que querem estudar e progredir academicamente e pessoalmente.

Leia mais

A Formação Continuada a distância como suporte para a prática do docente da modalidade de ensino de jovens e adultos* 1

A Formação Continuada a distância como suporte para a prática do docente da modalidade de ensino de jovens e adultos* 1 A Formação Continuada a distância como suporte para a prática do docente da modalidade de ensino de jovens e adultos* 1 Geucineia de Souza Pencinato Joyce Vieira Fettermann Universidade Estadual do Norte

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

Edital DESAFIO FAI / Edição 2015

Edital DESAFIO FAI / Edição 2015 Edital DESAFIO FAI / Edição 2015 1 Do Concurso 1.1 O Desafio FAI tem caráter educativo, sendo a participação voluntária e gratuita. 1.2 Não envolve qualquer modalidade de sorteio ou pagamento, nem é vinculado

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária

Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária Apresentação Mestrado em Educação Superior Menção Docência Universitária A Vice-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pósgraduação da Universidad Arturo Prat del Estado de Chile, ciente da importância dos estudos

Leia mais

Projeto Acelerando o Saber

Projeto Acelerando o Saber Projeto Acelerando o Saber Tema: Valorizando o Ser e o Aprender Lema: Ensinar pra Valer Público Alvo: Alunos do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino contemplando o 3º ano a 7ª série. Coordenadoras:

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

PROPOSTA E ROTEIRO DO VÍDEO INSTITUCIONAL DA UNEB/COITÉ

PROPOSTA E ROTEIRO DO VÍDEO INSTITUCIONAL DA UNEB/COITÉ PROPOSTA E ROTEIRO DO VÍDEO INSTITUCIONAL DA UNEB/COITÉ 1. PROPOSTA DO VIDEO: Mostrar como se organiza o campus XIV/UNEB em seus diversos setores, e além de enfatizar a importância da Universidade para

Leia mais

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Acreditamos ser relevante abordar de forma rápida o contexto atual da Educação Física Escolar

Leia mais