SUMÁRIO 6.3 PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUMÁRIO 6.3 PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS"

Transcrição

1 SUMÁRIO 6.3 PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS INTRODUÇÃO RESULTADOS CONSOLIDADOS ATENDIMENTO AOS OBJETIVOS DO PROGRAMA ATENDIMENTO ÀS METAS DO PROGRAMA ATIVIDADES PREVISTAS ATENDIMENTO AO CRONOGRAMA CONSIDERAÇÕES FINAIS EQUIPE TÉCNICA DE TRABALHO ANEXOS i

2 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL 6.3. PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS INTRODUÇÃO O Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos visa apoiar a ampliação da capacidade dos órgãos e entidades públicos no atendimento das demandas locais da população em relação à habitação de interesse social, assistência social, saneamento básico e educação. Desde sua implantação, o Programa 6.3 estruturou estratégias de suporte por meio das reuniões mensais do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos, Sistema de Monitoramento da Suficiência da Qualidade da Prestação dos Serviços Públicos e no assessoramento técnico aos municípios da Área de Influência Direta (AID) da UHE Belo Monte para captação de recursos que foram utilizados nas inversões das políticas públicas de habitação e assistência social. O apoio à gestão dos serviços públicos remonta, desde o início do empreendimento, a ações de fortalecimento da infraestrutura de prestação dos serviços públicos à comunidade na AID. Essas ações se traduziram nos esforços técnicos e financeiros de preparação dos municípios para recepcionar o início das obras. As diretrizes para implementação desse apoio estão consolidadas na Nota Técnica (NT) NE-DS-SSE NTPAI, encaminhada ao IBAMA via CE NE 150/2012-DS. A estratégia de atuação do Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos foi reestruturada por meio da NT NE-DS-SSE , emitida ao IBAMA em 23/10/2013 e aprovada pelo órgão ambiental conforme OF / DILIC/IBAMA, de 06/03/2014. Teve como objetivo adotar o Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos como instância de articulação e capacitação dos municípios no aprimoramento do planejamento e gestão das políticas públicas municipais (educação, assistência social, habitação e saneamento), que guardam relação com os aportes do empreendimento à região. As diretrizes metodológicas contidas na NT acima mencionada foram ratificadas no Relatório Técnico NE-DS-SSE-116-0, encaminhado ao órgão ambiental em 26/11/2014, por meio da utilização dos instrumentos estratégicos contemplados nos três primeiros programas do Plano de Articulação Institucional (PAI), a saber: Oficinas de Planejamento e Gestão (Programa 6.1), Cursos e Consultorias (Programa 6.2), Banco de Dados (Programas 6.2 e 6.3) e Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos (Programa 6.3). Pag

3 RESULTADOS CONSOLIDADOS O Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos manteve-se alinhado à reformulação do PAI para a obtenção de resultados sinérgicos que se deram a partir de articulação entre os representantes das municipalidades e o empreendedor, adotando uma abordagem direcionada ao fortalecimento e apoio aos municípios em áreas focais de atuação do Plano supracitado. As reuniões ocorridas no âmbito do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos constituíram-se em espaço privilegiado para articulação técnica dos gestores municipais, com vistas à implementação de oficinas, capacitações, treinamentos, seminários, apoio a projetos e reuniões de trabalho. Essa dinâmica, além de propiciar o encontro de gestores, permitiu a mobilização coordenada para discutir estratégias e soluções de problemas comuns, que resultou na concepção do Plano de Desenvolvimento Microrregional Sustentável (PDMS). Na implantação do Programa, foram definidos indicadores de avaliação e monitoramento dos resultados, conforme Quadro Quadro Indicadores do Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos Período 2011 a 2014 INDICADOR RESULTADO DA AVALIAÇÃO Número de Reuniões do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos realizadas Número de ações de apoio aos projetos de habitação de interesse social e de assistência social nos municípios: - quantidade de oficinas realizadas; e - quantidade de reuniões realizadas com os técnicos e gestores municipais Número de capacitações realizadas, voltadas para elaboração de projetos e habilidades para pleitos junto a instâncias de financiamento. 23 reuniões 23 oficinas 31 reuniões 05 O Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos concentra um conjunto significativo de decisões estratégicas relativas ao desenvolvimento das políticas públicas municipais, a partir das quais se desenha a atenção às necessidades da população. Conforme sintetizado no Quadro 6.3-1, foram realizadas 23 (vinte e três) reuniões do referido Gabinete entre os representantes dos cinco municípios da AID e a Norte Energia, lembrando-se que o Gabinete é um espaço de diálogo e articulação entre os municípios e o empreendedor, objetivando definir e buscar soluções consensuais para as demandas decorrentes da implantação do empreendimento. Pag

4 Nessas reuniões, em oportunidades específicas, foram apresentados e discutidos dados e indicadores socioeconômicos de educação, saúde e assistência social, em interface com o Programa de Monitoramento dos Aspectos Socioeconômicos (7.4). Essas apresentações foram o ponto de partida para que os gestores se apropriassem das informações, da técnica de sua sistematização, do estabelecimento do vínculo entre a informação e a realidade por eles administrada e da importância da manutenção de atualização das mesmas junto ao Sistema de Planejamento e Gestão, enquanto insumos para o aperfeiçoamento e desenvolvimento na gestão das políticas públicas. As oficinas de planejamento e gestão consistiram no instrumento de capacitação e treinamento para utilização dos dados no Sistema de Planejamento e Gestão. O alinhamento desses esforços auxiliou no início de um processo contínuo de incentivo à multiplicação do conhecimento e domínio da técnica em todos os níveis da administração pública municipal. Apresentou-se, ainda, editais abertos e linhas de financiamento em áreas estratégicas (educação, saúde, meio ambiente, infraestrutura, assistência social, etc.) com vistas à elaboração de projetos para obtenção de recursos pelos municípios. O detalhamento completo das discussões de cada reunião do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos encontra-se no Anexo Planilha detalhada das reuniões do Gabinete. Nas atividades de apoio técnico aos municípios para proposição de projetos junto a instâncias de financiamento, os instrumentos utilizados, tais como oficinas de planejamento e gestão (Programa 6.1), reuniões, orientações, assessoria técnica e capacitações desencadearam resultados práticos, conforme Quadro Pag

5 Quadro Resultados do apoio técnico aos municípios APOIO TÉCNICO MUNICÍPIO RESULTADO Realização de oficina de Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal (SINCOV) e reuniões de acompanhamento de propostas cadastradas Reuniões e atividade de campo Realização de oficinas e reuniões sobre habitação de interesse social e projeto social habitacional Realização de oficina e reuniões de habitação de interesse social Realização de oficina e reuniões de habitação de interesse social Realização de oficinas de assistência social Formatação e alimentação de Banco de Dados Anapu Altamira Altamira Vitória do Xingu Brasil Novo Senador José Porfírio Anapu Altamira, Anapu, Brasil Novo, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu Altamira, Anapu, Brasil Novo, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu Cadastramento de projeto em linha de recursos para obras de assistência social do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), que resultou em obtenção de recurso para construção de um Centro de Referência de Assistência Social. Anexo Resumo da proposta cadastrada no SICONV Elaboração de mapeamento das entidades sociais para complementar requisitos técnicos de projeto de vigilância socioassistencial, cujos recursos foram obtidos pela Secretaria Municipal de Trabalho e Promoção Social (SEMUTS) junto ao Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX). Anexo Cópia do protocolo no município Acompanhamento de dois projetos do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) em Altamira, um em Vitória do Xingu e um em Brasil Novo (elaboração de minutas de documentação para compor os projetos sociais e checklist de requisitos do agente financiador). Anexo Cópia do protocolo da minuta do projeto social Atualização do Plano Municipal de Habitação de Interesse Social Fortalecimento, com a retomada das atividades, do Conselho Municipal de Habitação. Anexo Cópia do Decreto com nomeação de novo conselheiros Elaboração do Guia de Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Anexo Cópia do Guia de SUAS Entrega e treinamento de técnicos municipais para utilização de banco de dados com informações decorrentes dos indicadores do Programa 7.4. Pag

6 Dessa forma, cumpre-se a meta de materialização de apoio técnico aos municípios para a proposição de projetos junto a instâncias de financiamento, valendo observar que a efetiva apresentação de projetos depende da vontade pública dos agentes municipais ATENDIMENTO AOS OBJETIVOS DO PROGRAMA O fortalecimento das municipalidades para o planejamento e gestão das políticas públicas locais, referentes ao atendimento das demandas locais da população em relação às necessidades de habitação, saneamento, educação, saúde e assistência social, conforme definido no Projeto Básico Ambiental (PBA), se materializa com a execução das atividades de apoio técnico e espaço de articulação e diálogo. O exemplo dessas ações são as reuniões do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos, onde são apresentados dados e indicadores socioeconômicos, visando à suficiência da infraestrutura e a qualidade da prestação dos serviços públicos. O quadro a seguir demonstra o atendimento aos objetivos do Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos, conforme previsão no PBA. Pag

7 OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS STATUS DE ATENDIMENTO ALTERAÇÕES DE ESCOPO OU PRAZO JUSTIFICATIVA PARA O STATUS E ALTERAÇÕES Visa a ampliar a capacidade dos organismos públicos no atendimento das demandas locais da população em relação às necessidades de habitação, saneamento ambiental, energia, transporte, comunicação, educação, saúde, cultura, esporte e lazer e de segurança pública com eficácia e eficiência. - O objetivo central do Programa 6.3 consiste em apoiar os municípios na articulação das políticas públicas setoriais, de tal forma que os aportes realizados pela Norte Energia possam ser otimizados, conforme orientação da Nota Técnica NE-DS-SSE de Revisão do PAI de 23/10/13 pela CE 419/2013 e aprovado pelo OF / DILIC/IBAMA de 06/03/2014. Desta forma, tem-se utilizado o Gabinete de Gestão como instância de articulação que, somada às capacitações nos municípios, atua como agente facilitador da compreesão de realidade e pontos focais de necessidade de desenvolvimento das políticas públicas setoriais, considerados os investimentos da Norte Energia. As informações do sistema de monitoramento sobre a suficiência da infraestrutura e qualidade dos serviços públicos se integram a estes instrumentos para subsidiar melhorias de planejamento e gestão municipal.

8 ATENDIMENTO ÀS METAS DO PROGRAMA Apresenta-se, a seguir, o quadro consolidado das atividades e ações em cumprimento das metas estabelecidas no PBA para o Programa 6.3. Pag

9 META STATUS DE ATENDIMENTO ALTERAÇÕES DE ESCOPO OU PRAZO JUSTIFICATIVA PARA O STATUS E ALTERAÇÕES Prover os municípios diretamente afetados e outros órgãos governamentais dos instrumentos necessários para: Detalhamento em cada ação, conforme a seguir. Realizar ações municipais de regularização fundiária e habitacional, desde o início da instalação do canteiro de obras; Por meio das reunião do Gabinete são apresentadas opções de cadastramento de propostas para regularização fundiária. As atividades relacionadas específicamente ao empreendimento foram tratadas no âmbito dos Projetos de Regularização Fundiária (4.1.1 e 4.4.1) do PBA. No âmbito do apoio à habitação de interesse social foram realizadas oficinas e reuniões com as municipalidades para tratar de projetos do Programa Minha Casa Minha Vida, sendo acompanhados três projetos em Altamira, um em Vitória do Xingu, um em Brasil Novo e um em Anapu. Implementar política habitacional capaz de suprir as necessidades de moradia decorrentes do afluxo populacional atraído pela instalação da UHE Belo Monte, em diálogo com o processo de elaboração do Plano Diretor do Município, com início no período de instalação do canteiro de obras; Foi prestado apoio técnico para proposta de alteração da Lei Orgânica de Altamira, no aspecto habitacional. Foram realizadas oficinas específivas para acompanhar os projetos de habitação de interesse social existentes nos municípios. São repassadas orientações, elaborados check lists e apresentadas minutas de projetos sociais, com vistas a auxiliar o fortalecimento das políticas municipais de habitação na região. Ampliar os serviços de abastecimento de água, esgoto sanitário, drenagem pluvial e coleta de lixo a todo o Município com início no período de instalação do canteiro de obras e continuidade ao longo da construção e operação do empreendimento, em diálogo com o processo de elaboração do Plano Diretor do Município; São apresentados e discutidos no âmbito do Gabinete temas referentes ao saneamento, com foco no apoio prestado às municipalidades na elaboração dos Planos Municipais de Saneamento e adoção de modelo de gestão dos serviços; resíduos sólidos e saneamento, com apresentação de editais para apresentação de propostas para aquisição de equipamentos; implantação da coleta seletiva e aquisição de utensílios sanitários e ligações domiciliares. Foram, ainda, realizadas capacitações voltadas para o Sistema de Saneamento e Gestão e Operacionalização de Resíduos Sólidos no Programa 6.2.

10 META STATUS DE ATENDIMENTO ALTERAÇÕES DE ESCOPO OU PRAZO JUSTIFICATIVA PARA O STATUS E ALTERAÇÕES Promover a qualidade da educação em todos os níveis, com início no período de instalação do canteiro de obras e continuidade ao longo da construção e operação do empreendimento; No âmbito do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos são apresentados e discutidos dados atualizados de educação, com base nas informações do Programa de Monitoramento Socioeconômico. Além disso, para cada município, foi formatado, entregue e está sendo realizado o segundo treinamento do banco de dados, constando, dentre outras informações, dados de educação (número de matrículas, professores e escolas). Salienta-se que ações específicas são realizadas no âmbito do Projeto de Recomposição / Adequação das Infraestrutura e Serviços de Educação (4.8.1.). Fomentar a implantação de cursos de educação profissional em todos os níveis, com início no período de instalação do canteiro de obras e continuidade ao longo da construção e operação do empreendimento; Meta atendida no âmbito do Programa de Capacitação de Mão de Obra (3.3), do Plano Ambiental de Construção, no que se refere aos trabalhadores dos canteiros de obra. No universo da população em geral, o Programa 6.4 realiza capacitações para qualificar a população, com o objetivo da apropriação local das muitas possibilidades do novo ambiente econômico da AID, como cooperativismo/associativismo, desenvolvimento regional e local, dentre outros. Importa dizer que as diretrizes de atuação do Programa 6.4, cujos públicos se inserem no âmbito da AID, são tratadas nas reuniões do Gabinete de Apoio á Gestão dos Serviços Públicos. Meta atendida no âmbito do Plano de Saúde Pública (Plano 8) do PBA. Ampliar e modernizar os serviços de saúde, com início no período de instalação do canteiro de obras e continuidade ao longo da construção e operação do empreendimento; Consoante as atividades específicas do Plano 8, as questões de saúde são apresentadas e discutidas, em interface com o Programa de Monitoramento dos Aspectos Socioeconômicos, nas reuniões do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos. Melhorar a mobilidade de pessoas e cargas, com início no período de instalação do canteiro de obras e continuidade ao longo da construção e operação do empreendimento e Meta com atendimento em andamento no âmbito do Plano de Requalificação Urbana (5) do PBA. São realizadas atividades de fortalecimento para elaboração de Plano Municipal de Mobilidade Urbana. No âmbito do Gabinete, por meio de suas reuniões, são tratados assuntos referentes à mobilidade urbana, que já configurou tema de oficina (Programa 6.1) decorrente destas reuniões. Além disso, foi ministrado curso sobre mobilidade também decorrente de decisão consensual dos municípios no âmbito das reuniões do Gabinete. Aumentar a sensação de segurança, com início no período de instalação do canteiro de obras e continuidade ao longo da construção e operação do empreendimento. Meta com atendimento em andamento por meio de apoio financeiro aos órgãos de segurança, que têm a missão constitucional de proporcionar a segurança pública.

11 ATIVIDADES PREVISTAS Em continuidade à metodologia utilizada no desenvolvimento das atividades do Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos, focada no fortalecimento das municipalidades para o monitoramento e gerenciamento de indicadores de políticas públicas locais, apresenta-se, a seguir, o detalhamento das atividades a serem ainda levadas a termo. Será realizada uma reunião mensal, com finalização prevista para setembro de 2015, onde serão apresentados dados atualizados do Programa de Monitoramento dos Aspectos Socioeconômicos (7.4) relativos à educação, saúde e assistência social e apresentação de editais abertos e linhas de financiamento para proposição de projetos pelos municípios para captação de recursos. No desenvolvimento das ações referentes ao apoio técnico aos municípios para proposição de projetos junto a instâncias de financiamento, será prestado apoio ao cadastramento de propostas para captação de projetos de habitação de interesse social, assistência social, educação, saúde, meio ambiente e outros que possam potencializar a funcionalidade de equipamentos e estruturas entregues aos municípios no cumprimento dos compromissos do PBA ATENDIMENTO AO CRONOGRAMA Apresenta-se a seguir o cronograma indicativo das ações já realizadas e a ocorrerem no âmbito do Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos, conforme indicações feitas nos itens anteriores deste relatório. Pag

12 PACOTE DE TRABALHO: 6.3 Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos Atividades l Produtos Item CRONOGRAMA DO PACOTE DE TRABALHO 6 PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL 6.3 Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos 1 Montagem do Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos 2 Plano de trabalho detalhado das atividades 3 Contratação da Equipe técnica permanente 4 5 Implantação do sistema de monitoramento sobre a suficiência da infraestrutura e a qualidade de prestação dos serviços públicos Desenvolvimentos de projetos para a expansão da infraestrutura e melhoria da qualidade dos serviços públicos 6 Monitoramento e avaliação Descrição T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T ] T4 Desvio do rio pelo vertedouro (sítio Pimental) Início enchimento Reservatório Xingu - emissão prevista LO qq Enchimento Reservatório Intermediário q T1 T2 T3 T4 Início geração comercial CF Principal T1 q Finalização obras civis e início geração comercial da 18ª UG CF Principal T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 q T Informação do PBA Alteração proposta pela NORTE ENERGIA no documento NE-DS-SSE-0017-NTPAI enviada ao IBAMA em 4/4/2012 Realizado/Andamento Previsto até o fim do produto

13 CONSIDERAÇÕES FINAIS As atividades previstas no Programa de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos foram realizadas em conformidade com as diretrizes e metas do PBA e NT NE-DS-SSE O Gabinete de Apoio à Gestão dos Serviços Públicos cumpriu importante papel de aproximar e articular os gestores municipais, de modo contínuo, na compreensão do compartilhamento dos problemas municipais e na busca de soluções dos mesmos. Ao longo das 23 (vinte e três) reuniões realizadas até dezembro de 2014, foram tratadas questões relacionadas a várias políticas públicas, ao desenvolvimento microrregional, ao compartilhamento de saberes e à ampliação de um espaço privilegiado de interlocução que ficará como legado do empreendimento, expresso como cultura que poderá prevalecer e prosseguir na instância denominada Fórum Microrregional de Desenvolvimento Sustentável (FMDS). Importa observar que, por meio das capacitações, oficinas, reuniões e atividades de apoio técnicos aos municípios, foi possível organizar rotinas de atendimento e gestão das políticas sociais locais de assistência social e habitação de interesse social. Além disso, os resultados apresentados neste relatório e a evolução dos indicadores demonstram o cumprimento das metas previstas no PBA, consoante as diretrizes da NT NE-DS-SSE Pag

14 EQUIPE TÉCNICA DE TRABALHO PROFISSIONAL FORMAÇÃO FUNÇÃO REGISTRO ÓRGÃO DE CLASSE CADASTRO TÉCNICO FEDERAL - CTF Mário Augusto Cintra Ramos História Coordenador Técnico Maria Alice Matos Gomes Direito Coordenadora de campo Jeanette Santos Freitas Jornalista Técnico em Comunicação RP-04930JP Josenilda Fima de Araújo Serviço Social e licenciatura em Geografia Técnico em Assistência social CRESS/PA Marcela Aparecida Borges Lacerda Arquitetura Arquiteta urbanística CAU-A Mário Augusto Guerzoni Figueiredo Engenharia Ambiental Técnico em Engenharia Ambiental CREA-MG 96470D Thiago Higino Lopes da Silva Direito Técnico Jurídico OAB/MG Thiago Silva do Nascimento Biologia e Ensino técnico em tecnologia da informação Técnico Tecnologia Informação em da ANEXOS Anexo Planilha detalhada das reuniões do Gabinete Anexo Resumo da proposta cadastrada no Siconv-Anapu Anexo Cópia do protocolo no município-altamira Anexo Cópia do protocolo da minuta do projeto social-brasil Novo Anexo Cópia do Decreto com a nomeação dos novos conselheiros de Anapu Conselho Municipal de Habitação Anexo Cópia do Guia de SUAS Anexo Cópia do andamento da proposta no Siconv Pag

6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL

6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL O processo de implantação do Plano de Articulação Institucional (PAI) foi objeto de releitura, a partir da emissão do Ofício 02001.009795/2013-60 GABIN/PRESI/IBAMA,

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Fortuna II Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Fortuna II Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.1 Programa de Gerenciamento Ambiental NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 2 2. Justificativa... 4 3. Objetivos... 4 4. Área de Abrangência...

Leia mais

SUMÁRIO 6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS

SUMÁRIO 6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS SUMÁRIO 6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL... 6.4-1 6.4. PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA

MOC 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA 10. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DE ATIVIDADES - COMUNIDADE NOSSA SENHORA APARECIDA EIXO Macroação ATIVIDADES Compor a equipe técnica com experiências no trabalho de desenvolvimento de comunidade. Identificar

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá

Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Compromissos com o Meio Ambiente e a Qualidade de Vida Agenda Socioambiental para o Desenvolvimento Sustentável do Amapá Eu, ( ) (sigla do partido) me comprometo a promover os itens selecionados abaixo

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental

Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental Governo do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Educação Secretaria do Meio Ambiente Órgão Gestor da Política Estadual de Educação Ambiental PROJETO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Leia mais

6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS

6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS 6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS Constantes do PBA 1 - Garantir a capacitação de prestadores de serviço e produtores inscritos no Cadastro

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.1 Programa de Gerenciamento Ambiental NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 2 2. Justificativa... 4 3. Objetivos... 5 4. Área de Abrangência...

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI PLANO DE TRABALHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PCS Plano de Trabalho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 2.1. Objetivos Específicos... 1 3. PÚBLICO ALVO... 2 4. METAS... 2 5.

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Ministério das Cidades MCidades

Ministério das Cidades MCidades Ministério das Cidades MCidades Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ODS São Paulo, 02 de junho de 2014 Roteiro 1. O processo de urbanização no Brasil: histórico. 2. Avanços institucionais na promoção

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 07/13 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO - RAG ORIENTAÇÕES GERAIS Introdução O Planejamento é um instrumento de gestão, que busca gerar e articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas de

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

FEM. Flávio Figueiredo Secretário Executivo SEPLAG/PE

FEM. Flávio Figueiredo Secretário Executivo SEPLAG/PE FEM Flávio Figueiredo Secretário Executivo SEPLAG/PE FEM Criado em 18 de março de 2013 através da Lei 14.921 Art. 1º Fica instituído o Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal - FEM, mecanismo

Leia mais

Anexo 2 5 Manual de Treinamento, Conscientização e Competência voltado ao Sistema de Gestão Ambiental

Anexo 2 5 Manual de Treinamento, Conscientização e Competência voltado ao Sistema de Gestão Ambiental CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 2 5 Manual de Treinamento, Conscientização e Competência voltado ao Sistema de Gestão Ambiental MANUAL GERENCIAL Superintendência de Recursos Humanos

Leia mais

Gestão de Resíduos Secos IV CMMA

Gestão de Resíduos Secos IV CMMA 1 Resultados da IV Conferência Municipal do Meio Ambiente de São Paulo, 30 e 31 de agosto e 1º de setembro de 2013. Reelaboração Participativa do Plano de Gestão de Resíduos Sólidos - PGIRS / SP - texto

Leia mais

Trabalho Social nos Empreendimentos De Saneamento Básico

Trabalho Social nos Empreendimentos De Saneamento Básico Trabalho Social nos Empreendimentos De Saneamento Básico Brasília, 01 de Dezembro de 2015 Definição O Trabalho Social: 1) compreende um conjunto de estratégias, processos e ações, 2) é realizado a partir

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ Setembro/2010 APRESENTAÇÃO Este documento denominado Metodologia é o primeiro produto apresentado

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2008/2011. Fórum das Agências Reguladoras Intercâmbio Interno de Experiências em Planejamento e Gestão Abril/2009.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2008/2011. Fórum das Agências Reguladoras Intercâmbio Interno de Experiências em Planejamento e Gestão Abril/2009. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2008/2011 Fórum das Agências Reguladoras Intercâmbio Interno de Experiências em Planejamento e Gestão Abril/2009. Premissas para a Construção do Planejamento Estratégico Início

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

GESTÃO DOS RESÍDUOS SECOS

GESTÃO DOS RESÍDUOS SECOS PROPOSTAS PARA REELABORAÇÃO PARTICIPATIVA DO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGIRS do MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Texto de referência TEMA GESTÃO DOS RESÍDUOS SECOS 1 O processo de preparação

Leia mais

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda

Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda Secretaria Nacional de Mesa Redonda Universalização do saneamento e mobilização social em comunidades de baixa renda PLANEJAMENTO E CONTROLE SOCIAL COMO ESTRATÉGIAS PARA UNIVERSALIZAR O SANEAMENTO Marcelo

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 DIRETORIA EXECUTIVA/SECRETARIA EXECUTIVA Anexo 6 EIXOS DE ATUAÇÃO Representação Política Desenvolvimento Regional Assessoria Técnica Capacitação Processos Internos

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

AÇÃO INTERSECRETARIAL

AÇÃO INTERSECRETARIAL AÇÃO INTERSECRETARIAL Programas Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS) Fortalecimento da ação integrada entre os setores de meio ambiente, saúde e desenvolvimento social, com enfoque multidisciplinar em saúde

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

PMS-MT Cartilha. Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes. Governança Funcionamento do Programa

PMS-MT Cartilha. Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes. Governança Funcionamento do Programa PMS-MT Cartilha Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes Fortalecimento da gestão ambiental municipal Contexto e benefícios Tarefas Regularização ambiental e fundiária

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: BRA/ 09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Workshop Saneamento Básico Fiesp Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Presidente da Funasa Henrique Pires São Paulo, 28 de outubro de 2015 Fundação Nacional de

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi PAC Programa de Aceleração do Crescimento Retomada do planejamento no país Marcel Olivi PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO Lançado em 22/01/2007 o programa é constituído por Medidas de estímulo

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO

INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO INSTITUTO FEDERAL BAIANO CAMPUS URUÇUCA PLANO DE TRABALHO QUADRIÊNIO 2014-2018 EURO OLIVEIRA DE ARAÚJO Euro Oliveira de Araújo, graduado em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual da Bahia.

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE HABITAÇÃO - SEHAB

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE HABITAÇÃO - SEHAB PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL NO RESIDENCIAL MORADA DOS CANÁRIOS CAMAÇARI PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Camaçari, 10 de julho de 2015. 1. ANTECEDENTES

Leia mais

RELATÓRIO SINTÉTICO DOS PROJETOS. CT 05: Monitoramento e Acompanhamento das Condicionantes da UHE Belo Monte.

RELATÓRIO SINTÉTICO DOS PROJETOS. CT 05: Monitoramento e Acompanhamento das Condicionantes da UHE Belo Monte. RELATÓRIO SINTÉTICO DOS PROJETOS CT 05: Monitoramento e Acompanhamento das Condicionantes da UHE Belo Monte. Mês: Abril de 2015 Sumário Sumário... 2 Projeto PDRSX-2011/027... 3 Projeto PDRSX-2013/162...

Leia mais

RELATÓRIO CONSOLIDADO SEMESTRAL RCS PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO PARA NÃO INDÍGENAS - PCNI

RELATÓRIO CONSOLIDADO SEMESTRAL RCS PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO PARA NÃO INDÍGENAS - PCNI Diretoria Socioambiental Brasília, Distrito Federal RELATÓRIO CONSOLIDADO SEMESTRAL RCS PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO PARA NÃO INDÍGENAS - PCNI UHE BELO MONTE EMPRESA NORTE ENERGIA SA NÚMERO/CÓDIGO DO DOCUMENTO

Leia mais

Anexo 7.4-3 Nota Técnica Revisão de indicadores Socioeconômicos

Anexo 7.4-3 Nota Técnica Revisão de indicadores Socioeconômicos 6 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 7.4-3 Nota Técnica Revisão de indicadores Socioeconômicos NM263-7.4-46-NT-017

Leia mais

Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS

Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS O Cadastro Único e a Gestão do SUAS: Essa ferramenta auxilia no processo de planejamento das ações socioassistenciais?

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos.

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. Q A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. É uma alusão à essência e ao compromisso da Secretaria

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV)

PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV) PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV) II Workshop Construindo o diagnóstico dos RCCV e RSS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

ambientais e sociedade em geral dos municípios, e entre estes e a realidade da gestão ambiental local e regional.

ambientais e sociedade em geral dos municípios, e entre estes e a realidade da gestão ambiental local e regional. TR Nº TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE PESSOA JURÍDICA PARA CRIAÇÃO E PRODUÇÃO DE VÍDEO INSTITUCIONAL EDUCATIVO SOBRE OS CONCEITOS, A LEGISLAÇÃO, OS PROCEDIMENTOS E AS METODOLOGIAS

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PCH Dores de Guanhães Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social Revisão 00 NOV/2013 Coordenador da Equipe Carlos Eduardo Alencar Carvalho CRBio 37538/4-D

Leia mais

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS

GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS GESTÃO ESTADUAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DESAFIOS E PERSPECTIVAS SETEMBRO, 2014 INSTRUMENTOS LEGAIS RELACIONADOS À CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA E DO PLANO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei n. 12.305/2010 POLÍTICA NACIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Seminário Articulação dos Planos Plurianuais e Agendas de Desenvolvimento Territorial Oficina: Cidades (Saneamento)

Seminário Articulação dos Planos Plurianuais e Agendas de Desenvolvimento Territorial Oficina: Cidades (Saneamento) MP - Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos MCidades - Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Seminário Articulação dos Planos Plurianuais e Agendas de Desenvolvimento Territorial

Leia mais

SUMÁRIO 5.2.19 PROJETO DE SANEAMENTO

SUMÁRIO 5.2.19 PROJETO DE SANEAMENTO SUMÁRIO 5.2.19 PROJETO DE SANEAMENTO 5. PLANO DE REQUALIFICAÇÃO URBANA... 5.2.19-1 5.1. PROGRAMA DE INTERVENÇÃO EM VITÓRIA DO XINGU... 5.2.19-1 5.2.19. PROJETO DE SANEAMENTO... 5.2.19-1 5.2.19.1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Programas 2013. Abril de 2013

Programas 2013. Abril de 2013 Programas 2013 Abril de 2013 A nova SUDENE -Lei Complementar n 125, de 03 de janeiro de 2007 -Decreto n 6.219/2007 Autarquia especial, administrativa e financeiramente autônoma,... vinculada ao Ministério

Leia mais

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 ELABORAÇÃO DE PLANOS DE SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA PARA EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS ORGANIZADOS EM REDES DE COOPERAÇÃO NOS TERRITÓRIOS DA MATA SUL/PE, MATA

Leia mais

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local -

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local - Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Assistente Técnico Local - No âmbito do Programa Pará - Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial de Políticas para

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária

Mostra de Projetos 2011. Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária Mostra de Projetos 2011 Projeto de Implantação da Rede de Proteção Social de Araucária Mostra Local de: Araucária. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

com parceiros na produção de informações e conhecimento, compartilhamento de trabalhos com vistas a alavancar os resultados e abolir duplicidades.

com parceiros na produção de informações e conhecimento, compartilhamento de trabalhos com vistas a alavancar os resultados e abolir duplicidades. TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Contratação de consultoria especializada para desenvolvimento dos serviços técnicos necessários à elaboração da metodologia para a estruturação da Rede de Parceiros para o

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD

PROGRAMA PROREDES BIRD ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PROGRAMA PROREDES BIRD TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL PARA APOIO TÉCNICO À GESTÃO DOS PROJETOS DE RESTAURAÇÃO

Leia mais

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados

OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados OPERAÇÕES URBANAS CONSORCIADAS Instrumentos de viabilização de projetos urbanos integrados DEAP/SNAPU/MCIDADES Maio/2015 Contexto brasileiro Necessidade de obras públicas para requalificação e reabilitação

Leia mais

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS PORTO ALEGRE EM AÇÃO É ESPORTE E EDUCAÇÃO O esporte não é educativo a priori, é o educador que precisa fazer dele ao mesmo tempo um objeto e meio

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região.

Visa, como objetivo final, a promoção do desenvolvimento sustentável da região. Agenda 21 Comperj Iniciativa voluntária de relacionamento da Petrobras para contribuir para que o investimento na região retorne para a população, fomentando a formação de capital social e participação

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB)

A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) A SECRETARIA NACIONAL DE TRANSPORTE E DA MOBILIDADE URBANA (SEMOB) ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. SEMOB 2. POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA 3. PPA DA UNIÃO 2012-2015 4. PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO

Leia mais

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade. Ele deve identificar e analisar as características físicas, as atividades predominantes

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir:

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir: Termo de Referência 1. Objeto Contratação de empresa especializada em gestão de saúde para execução de atividades visando a reestruturação do modelo de atenção à saúde, objetivando diagnosticar novas proposituras

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1)

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO (Anexo 1) Prezado(a) Professor(a), Visando orientar e otimizar as informações que deverão constar no projeto, elencamos, abaixo, os itens imprescindíveis para compreensão e apresentação da sua proposta ao Prêmio

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

SELO SÃO PAULO AMIGO DO IDOSO

SELO SÃO PAULO AMIGO DO IDOSO SELO SÃO PAULO AMIGO DO IDOSO CEPAM 12/11/2014 Comitê Intersecretarial / Desenvolvimento Social 1 Uma CIDADE AMIGA DO IDOSO estimula o envelhecimento ativo ao otimizar as oportunidades de saúde, participação

Leia mais

Foco: sustentabilidade com ações na área de educação.

Foco: sustentabilidade com ações na área de educação. GOVERNANÇA A Fundação Bunge é uma organização comprometida com o desenvolvimento sustentável. Foco: sustentabilidade com ações na área de educação. Missão: contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESCOLAS PRIORITÁRIAS - 2014

PLANO DE AÇÃO ESCOLAS PRIORITÁRIAS - 2014 DOCUMENTO ORIENTADOR CGEB Nº 02 DE 2014 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA PLANO DE AÇÃO ESCOLAS PRIORITÁRIAS - 2014 SÃO PAULO MARÇO DE 2014 Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador Guilherme

Leia mais

SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA

SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA 4. PLANO DE ATENDIMENTO À POPULAÇÃO ATINGIDA... 4.6.2-2 4.6. PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO SOCIAL... 4.6.2-2 4.6.2. PROJETO

Leia mais

Programa de Capacitação Gerente Municipal de Convênios e Contratos - GMC

Programa de Capacitação Gerente Municipal de Convênios e Contratos - GMC Programa de Capacitação Gerente Municipal de Convênios e Contratos - GMC Programa de Capacitação - Gerente Municipal de Convênios e Contratos 1 Gerente Municipal de Convênios e Contratos OBJETIVOS GERAIS:

Leia mais

Etapa 01 Proposta Metodológica

Etapa 01 Proposta Metodológica SP Etapa 01 Proposta Metodológica ConsultGEL - Rua: : José Tognoli, 238, Pres., 238, Pres. Prudente, SP Consultores Responsáveis, SP Élcia Ferreira da Silva Fone: : (18) 3222 1575/(18) 9772 5705 João Dehon

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior - SECITECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior - SECITECE Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior - SECITECE TERMO DE REFERÊNCIA Suporte Técnico Especializado em Inovação Sênior- Pessoa Física, visando apoiar a COTEC/SECITECE

Leia mais

INTREGRAPE PROJETO APE

INTREGRAPE PROJETO APE INTREGRAPE PROJETO APE Ações Preventivas na Escola Atua no fortalecimento e desenvolvimento do Eixo-Saúde no Programa Escola da Família, sistematizando ações de organização social, que qualifique multiplicadores

Leia mais

REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE (CTIS)

REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE (CTIS) Página 1 de 12 GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PÚBLICA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA E INFORMÁTICA

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais