Diretrizes de Administração de Propriedades para Capelas e Outras Propriedades da Igreja

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Diretrizes de Administração de Propriedades para Capelas e Outras Propriedades da Igreja"

Transcrição

1 Diretrizes de Administração de Propriedades para Capelas e Outras Propriedades da Igreja

2 Diretrizes de Administração de Propriedades para Capelas e Outras Propriedades da Igreja Publicado por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Salt Lake City, Utah

3 2000, 2011 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados Impresso no Brasil Aprovação do inglês: 11/09 Aprovação da tradução: 11/09 Tradução de Facilities Management Guidelines for Meetinghouses and Other Church Property Portuguese

4 Sumário Introdução...1 Visão Geral....1 Princípios Orientadores...1 Organização....1 Escritórios de Administração de Área....1 Planejamento de Novas Propriedades...1 Construção de Propriedades....1 Funcionamento e Manutenção de Propriedades Já Existentes...1 Responsabilidades da Estaca e da Ala Uso das Capelas....2 Ginástica Aeróbica e Outros Programas de Condicionamento Físico....2 Obras de Arte...2 Evitar Conflitos de Interesses....2 Salão Sacramental...2 Produtos de Limpeza....2 Computadores....2 Copiadoras....2 Bailes....3 Decoração...3 Exibição dos Horários das Reuniões Dominicais...3 Equipamento para Comunicação em Emergências....3 Conservação de Energia e Recursos....3 Taxas....3 Canteiros de Flores nos Terrenos das Capelas....3 Pia Batismal....3 Escola Doméstica...3 Monumentos....3 Acantonamento, Acampamento ou Pernoite....3 Estacionamentos....3 Pianos e Órgãos...3 Recepções e Reuniões Sociais....4 Equipamento de Vídeo e Satélite...4 Área da Copa (na Cozinha)...4 Uso de Propriedade Compartilhada...4 Limpadores de Neve...4 Esportes...4 Propriedade Ociosa da Igreja...4 Cuidados com as Capelas....4 Participação dos Membros...4 Grupo do Supervisor de Manutenção....5 Inspeções de Capelas....5 Armário para Uso dos Membros...5 Manutenção e Reparos de Rotina...5 Plano Anual de Propriedades....5 Capelas Mais Antigas...5 Proteção das Capelas....6 Procedimentos de Emergência...6 Prevenção contra Incêndio Chaves da Capela....6 Dinheiro....6 Informar Danos e Prejuízos....6 Procedimentos de Segurança e Fechamento do Edifício....6 Construção de Capelas....7 Avaliação de Necessidades para Uma Nova Capela....7 Opções para Se Obter Espaço Adicional...7 Maximizar o Uso de Edifícios ao Compartilhar....7 Plano Mestre para Futuras Instalações de Capelas...7 Aquisição de Terrenos para Capelas...7 Compra de Terrenos....7 Doação de Propriedades...7 Construção de Capelas....7 Planos-Padrão Autorizados...7 Desenvolvimento de Projetos....8 Construção do Projeto....8 iii

5 Sumário Entrega de Capela...8 Dedicação...8 Locação de Propriedades....8 Locação de Espaço em Capelas...8 Locação Temporária de Espaço....8 Administração de Propriedades Recreativas....9 Propriedades Recreativas para Acampamentos...9 Novas Propriedades Recreativas para Acampamentos...9 Estacas sem Propriedade Recreativa...9 Venda ou Locação de Propriedades Recreativas Existentes para Acampamentos....9 Administração...10 Isenção de Impostos Finanças...10 Suprimento de Água Potável Equipamentos e Veículos...10 Zeladores Contrato de Comodato com Cláusula de Isenção de Responsabilidade Necessidade de Fundos para Propriedades Recreativas Existentes para Acampamentos...9 Funcionamento e Manutenção....9 iv

6 Introdução Os termos estaca e ala também se referem a distritos e ramos. O termo propriedade (ou propriedades ) se refere à capela, ao estacionamento e aos jardins. Visão Geral Deus abençoou-nos com edifícios maravilhosos nos quais podemos ensinar a verdade viva. Hoje temos capelas espalhadas por todos os continentes. Usemos essas capelas para nutrir nosso povo com a boa palavra de Deus (Jacó 6:7) (Gordon B. Hinckley, na Conferência Geral de abril de 1997; ou A Liahona, julho de 1997, p. 76). As informações contidas neste livreto são suplementares às informações já fornecidas no Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos e no Manual 2: Administração da Igreja. Consulte também esses manuais para obter informações sobre como cuidar de propriedades da Igreja. Princípios Orientadores Apesar destas diretrizes conterem instruções específicas, a maior parte das perguntas sobre as capelas podem ser respondidas ao se aplicarem três princípios básicos. Os líderes locais da Igreja são responsáveis pela capela quanto a seu (sua): 1. Uso. Os membros da Igreja usam as capelas para adorar; aprender verdades do evangelho; realizar ordenanças sagradas; socializarem-se; tocar ou apreciar música, dançar, fazer teatro e atividades esportivas; e aperfeiçoarem-se. 2. Cuidado. Os membros da Igreja, líderes e funcionários da manutenção de propriedades compartilham a responsabilidade de limpar, manter e reparar as capelas. 3. Proteção. As pessoas que usam as capelas da Igreja devem salvaguardá-las e preocupar-se com a segurança dos outros. Organização Escritórios de Administração de Área Os escritórios de administração de área planejam, constroem, operam e mantêm as capelas, e são também o principal contato para assuntos relacionados às propriedades da Igreja. O Departamento de Administração de Propriedades na sede da Igreja desenvolve processos e ferramentas para suporte aos escritórios de administração das áreas no trabalho que fazem. Planejamento de Novas Propriedades Os funcionários do escritório de administração da área mantêm planos para atender às necessidades das capelas em todas as estacas. Pede-se que o presidente da estaca atualize regularmente nesses planos as informações sobre sua estaca. Em relação ao espaço para novas capelas, o presidente da estaca consulta o escritório de administração. Construção de Propriedades O escritório de administração da área atribui a um gerente de projetos a responsabilidade de supervisionar projetos de construção desde o desenvolvimento até a conclusão. Durante a fase de desenvolvimento, a presidência da estaca é incentivada a consultar o supervisor de manutenção sobre assuntos relacionados ao novo edifício. O supervisor de manutenção também providencia constantemente uma atualização sobre o andamento da obra para os líderes locais do sacerdócio. (Ver Construção de Capelas, p. 7.) Funcionamento e Manutenção de Propriedades Já Existentes O presidente da estaca e as pessoas que foram chamadas para auxiliá-lo são responsáveis pelo uso e cuidado de capelas já existentes. Um grupo local de administração de propriedades ajuda cada estaca a operar e manter suas capelas. O presidente da estaca depende do grupo do supervisor de manutenção para realizar reparos e manutenção rotineiras do edifício. O grupo do supervisor de manutenção também assegura que equipamentos e suprimentos estejam disponíveis para os membros usarem ao realizarem tarefas rotineiras de limpeza. Responsabilidades da Estaca e da Ala Ver Propriedades, capítulo 8 do Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, para as responsabilidades da estaca e da ala quanto às propriedades. 1

7 Uso das Capelas As capelas são dedicadas para adoração, instrução religiosa e outras atividades relacionadas à Igreja. Outros usos da capela são desaconselhados; no entanto, durante emergências e desastres, podem ser permitidos. (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, 8.4.4) Em raras ocasiões o presidente da estaca pode autorizar o uso plausível e temporário da capela ou seu terreno para grupos sem fins lucrativos e que não são da Igreja. O uso deve estar em harmonia com o propósito sagrado do edifício e, onde aplicável, com sua isenção de impostos. Não deve conflitar com a agenda de atividades da Igreja, nem tirar dos líderes da Igreja a responsabilidade pelo controle do edifício. Os padrões da Igreja devem sempre ser mantidos na capela e em seu terreno. Os grupos sem fins lucrativos que forem autorizados a usar as propriedades da Igreja devem assinar um Contrato de Comodato com Cláusula de Isenção de Responsabilidade antes do evento. Uma cópia do formulário do acordo encontra-se na página 11 deste livreto. O escritório de administração da área pode copiar e fazer adaptações no acordo para uso local quando necessário. Um certificado de seguro também pode ser necessário. A presidência da estaca pode entrar em contato com o escritório de administração da área para fazer perguntas sobre o seguro. Ginástica Aeróbica e Outros Programas de Condicionamento Físico Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, , Obras de Arte Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos (2010), 8.4.1; Manual 2: Administração da Igreja (2010), Evitar Conflitos de Interesses Os membros de presidências de estacas, bispados e representantes do patrimônio da estaca não devem envolver-se em qualquer transação de negócio que forneça bens, serviços, imóveis, construções ou trabalho de manutenção para qualquer capela dentro dos limites de sua direção eclesiástica designada. Esses líderes não devem usar sua posição na Igreja para influenciar transações de negócios da Igreja. Quaisquer exceções a essa norma devem ser aprovadas por escrito pelo escritório de administração da área ou pelo Departamento de Administração de Propriedades na sede da Igreja. Salão Sacramental Em capelas maiores o salão sacramental é uma sala separada designada para reuniões de adoração. Embora os membros devam mostrar respeito em todas as áreas do edifício, eles devem prestar especial reverência no salão sacramental. Em capelas menores, onde a sala usada para múltiplos propósitos é também usada como salão sacramental, os líderes locais devem enfatizar e ensinar sobre reverência durante as reuniões de adoração. Atividades recreativas não são adequadas no salão sacramental, a menos que ele seja uma área multifuncional. Quando uma sala multifuncional estiver sendo usada para atividades recreativas, não é necessário designar ou isolar uma parte da sala, como sendo mais sagrada que outra parte. Produtos de Limpeza O grupo do supervisor de manutenção fornece todos os produtos, materiais e equipamentos de limpeza necessários para os membros realizarem a designação de limpeza. Os suprimentos são estocados em uma zeladoria ou um armário de uso dos membros em cada capela. Quando possível, os supervisores de manutenção providenciam instruções para os representantes do patrimônio da estaca e representantes do edifício da ala sobre o uso adequado dos produtos, materiais e equipamentos. (Ver Participação dos Membros, p. 4.) Computadores Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, Copiadoras O grupo do supervisor de manutenção é responsável pela compra de copiadoras para o escritório da estaca e as bibliotecas das capelas. Em áreas internacionais, as compras de copiadoras são determinadas pelas diretrizes do escritório de administração, com base nas necessidades das unidades locais. Recomenda-se, sempre que possível, que as copiadoras sejam compradas com contratos de serviço. Quando for necessário um reparo que não esteja incluso no contrato de serviço, o grupo do supervisor de manutenção agenda e paga pelo serviço. Suprimentos como papel e toner são comprados diretamente pelas unidades locais, usando o orçamento da unidade. 2

8 Uso das Capelas Bailes Os bailes podem ser realizados no salão cultural ou nas salas multifuncionais. Depois do baile, os líderes responsáveis pela organização (tais como Rapazes e Moças) certificam-se de que o edifício seja adequadamente limpo e fechado. As capelas e outras propriedades da Igreja não devem ser usadas para bailes de terceiros, inclusive operadoras comerciais. Decoração (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, ) Exibição dos Horários das Reuniões Dominicais Os líderes do sacerdócio podem exibir os horários das reuniões dominicais na entrada principal de cada capela onde possam ser vistos facilmente. A apresentação e exposição do horário deve ser condizente com a imagem solene do edifício da Igreja. Equipamento para Comunicação em Emergências As alas e estacas não devem comprar ou aceitar doações de telefones via satélite ou equipamento de rádio amador para uso em uma emergência ou para instalação na capela. Os líderes são incentivados a identificar as pessoas que talvez já tenham seu próprio equipamento para auxiliar alas e estacas específicas com as necessidades de comunicação. Conservação de Energia e Recursos (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, ) Taxas Não devem ser cobrados taxas ou depósitos dos membros para usarem as capelas para recepções de casamento, funerais, reuniões de família, reuniões missionárias, recitais aprovados ou eventos similares. Canteiros de Flores nos Terrenos das Capelas Unidades locais podem escolher plantar e manter canteiros de flores no terreno das capelas. Todos os custos são cobertos pelo orçamento da unidade. Atividades relacionadas a canteiros de flores devem ser coordenadas com o supervisor de manutenção para garantir o local, a configuração, aparência e manutenção adequados. Pia Batismal Quando a pia batismal não estiver sendo usada, todo o acesso a ela deve permanecer fechado e trancado. A pia deve ser drenada e limpa imediatamente após cada reunião batismal. Um adulto responsável deve estar presente enquanto a pia batismal estiver enchendo e permanecer no local até que ela esteja vazia e segura. Escola Doméstica Embora a Igreja incentive veementemente a educação, as capelas não devem ser usadas como escola, creche ou para a realização de atividades escolares domésticas. A adesão a essa norma promoverá segurança e evitará impostos para a Igreja. Monumentos Estátuas, monumentos, memoriais e outras obras de arte não devem ser expostos nos jardins de uma capela. Essa norma talvez não se aplique a peças desse tipo que já estejam expostas há muitos anos nos jardins de uma capela (também ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, 8.4.1, 8.4.9). Acantonamento, Acampamento ou Pernoite (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, ) Estacionamentos Os estacionamentos da Igreja estão disponíveis para a conveniência dos membros da Igreja e convidados. Algumas vagas reservadas para pessoas com necessidades especiais, conforme exigido pela lei local, estão marcadas. Caminhões de grande porte, residências móveis, trailers de viagem ou veículos similares não são autorizados a passar a noite no estacionamento. Os estacionamentos não podem ser usados para períodos longos, guardar veículos particulares ou comerciais, ou exibir veículos que estão à venda. (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, 8.4.) Pianos e Órgãos Instrumentos musicais são propositadamente colocados em locais específicos para incentivar o máximo uso. O grupo do supervisor de manutenção agenda a afinação e manutenção de pianos e órgãos. Pequenos teclados elétricos e portáteis devem estar seguros quando não estiverem sendo usados. (Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 14.7.) 3

9 Cuidados com as Capelas Recepções e Reuniões Sociais Recepções e pequenas reuniões sociais para membros da Igreja ou seus familiares podem ser realizadas na capela se não interromperem atividades da Igreja agendadas regularmente. Elas não devem acontecer aos domingos ou às segundas-feiras à noite. Recepções e pequenas reuniões sociais podem ser realizadas no salão cultural ou em outras salas, mas não no salão sacramental, a menos que ele seja uma área multifuncional. As pessoas responsáveis pela recepção são responsáveis pela limpeza. Quando as capelas são usadas para recepções e outras pequenas reuniões sociais para membros e suas famílias, os usuários não precisam assinar um Contrato de Comodato com Cláusula de Isenção de Responsabilidade. Equipamento de Vídeo e Satélite Os equipamentos de vídeo e de recepção via satélite da Igreja são utilizados apenas para propósitos não comerciais e relacionados à Igreja, autorizados pela presidência da estaca ou pelo bispado. Todos os equipamentos devem permanecer guardados sob chave quando não estiverem em uso e não podem ser retirados da capela para uso doméstico ou pessoal. Área da Copa (na Cozinha) Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, Uso de Propriedade Compartilhada Os líderes locais não podem dar permissão para uso não relacionado à Igreja das instalações e propriedades da Igreja. Solicitações para tais usos são enviadas por meio do supervisor de manutenção ao escritório de administração da área. Se for concedida a aprovação, as normas e condições serão documentadas em um acordo por escrito. Exemplos de uso de propriedades compartilhadas que exigem aprovação incluem estacionamentos, acesso, portões, faixas de servidão, questões de limites e acordos de preferência de passagem. Limpadores de Neve É fornecido a cada capela, onde for necessário, um equipamento motorizado pertencente à Igreja para limpar neve. Os membros da Igreja podem usar o equipamento para limpar as calçadas da capela. Os líderes devem limitar essa designação a membros maduros e responsáveis, instruindo-os a tomarem as devidas precauções de segurança no uso. Esportes Qualquer esporte que normalmente seja praticado ao ar livre não é adequado ou aprovado como atividade a ser realizada no interior de uma capela. Propriedade Ociosa da Igreja As Propriedades Ociosas da Igreja não podem ser usadas ou ocupadas sem a permissão de um membro da Presidência dos Setenta ou do Presidente da Área. Em algumas circunstâncias, os membros locais podem usar propriedades ociosas da Igreja temporariamente para jardinagem. Cuidados com as Capelas As capelas da Igreja devem receber um cuidado que demonstre seu propósito e sua natureza sagrada. Os líderes locais do sacerdócio, os membros e o grupo do supervisor de manutenção compartilham a responsabilidade de manter a capela e o terreno limpos e organizados. As instruções para as tarefas do membro participante ficam disponíveis com o supervisor de manutenção. Participação dos Membros É pedido aos membros que assumam uma maior responsabilidade no que diz respeito à limpeza e ao cuidado da capela. O propósito principal da participação dos membros é para benefício e bênção de todos eles, inclusive a juventude e os membros menos ativos, provendo oportunidades de serviço. Também reforça e aprofunda o respeito pelas casas de adoração do Senhor. A participação dos membros é organizada e realizada sob a direção da presidência da estaca. O representante do patrimônio da estaca e o representante do edifício da ala são chamados para ajudar a ensinar e coordenar essas responsabilidades. (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, 8.2.) A necessidade de se fazer uma vasta limpeza e outros trabalhos é minimizada quando aqueles que usam as instalações exercitam sabedoria, prudência, cuidado, 4

10 Cuidados com as Capelas consideração e respeito o tempo todo e quando limpam o lugar onde estavam antes de sair. Em cada ala um representante do edifício é chamado para auxiliar o bispado com as necessidades relacionadas ao edifício. O representante do edifício organiza e, onde possível, supervisiona semanalmente as oportunidades de limpeza. Todos os membros devem ter a oportunidade de participar. Tudo isso é feito de maneira mais eficiente ao dar designações em vez de depender de voluntários. Os rapazes e as moças são convidados a participar com as famílias, quóruns ou classes. Algumas tarefas, tais como remover neve, podem ser necessárias no Dia do Senhor. Os jovens não devem ficar responsáveis por trancar o edifício à noite ou operar equipamentos elétricos tais como limpadores de neve ou cortadores de grama. O supervisor de manutenção se reúne, sempre que necessário, com o presidente da estaca e com o representante do patrimônio da estaca para correlacionar a agenda de limpeza e providenciar qualquer suporte necessário. Grupo do Supervisor de Manutenção O supervisor de manutenção é o principal contato para todos os trabalhos e assuntos do edifício. Os líderes do sacerdócio trabalham em estreita cooperação com o supervisor de manutenção para garantir que os edifícios da Igreja sejam cuidados adequadamente e os problemas sejam resolvidos. Abaixo estão algumas das responsabilidades do supervisor de manutenção: Desenvolver e administrar o plano anual de propriedades. Realizar trabalhos agendados, tais como manutenção e limpezas profundas. Realizar trabalhos não agendados, tais como reparos. Apoiar os líderes da estaca e da ala ao implementar e manter o programa de participação dos membros. Inspeções de Capelas Os líderes locais e supervisores de manutenção têm cada um a responsabilidade de certificar-se de que as capelas estão limpas, organizadas e bem preservadas. O supervisor de manutenção realiza uma inspeção regular do edifício de cada capela e reporta os resultados por meio de ferramentas fornecidas pela sede da Igreja. O representante do patrimônio da estaca ou uma pessoa por ele designada faz também regularmente uma pequena inspeção do edifício da capela e reporta os resultados para os líderes locais do sacerdócio e o supervisor de manutenção. A ênfase dessas inspeções é a limpeza, e as inspeções são feitas para auxiliar os líderes do sacerdócio na administração do programa de participação dos membros. Armário para Uso dos Membros Existem armários para uso dos membros ou zeladorias em cada capela, onde equipamentos de limpeza e suprimentos ficam disponíveis para o uso dos membros. O grupo do supervisor de manutenção equipa, estoca e mantém esse armário. (Ver Produtos de Limpeza, p. 2.) Manutenção e Reparos de Rotina Os equipamentos e sistemas da capela necessitam de manutenção rotineira para assegurar o máximo da vida útil de cada componente e prevenir falhas ou quebra prematura. O supervisor de manutenção agenda essas tarefas e supervisiona o conserto ou a troca imediata de peças quebradas ou gastas. Os líderes locais informam ao supervisor de manutenção quando identificam algum conserto que seja necessário. O representante do patrimônio da estaca providencia instruções aos representantes do edifício das alas sobre como reagir a problemas durante as reuniões ou quando o grupo do supervisor de manutenção não estiver disponível. Plano Anual de Propriedades Os supervisores de manutenção propõem e planejam substituições e melhorias pelo menos com um ano de antecedência como parte do plano anual de propriedades. Eles também analisam custos operacionais e determinam o orçamento de funcionamento. Ao desenvolver o plano anual de propriedades, o supervisor de manutenção reúne-se com o presidente da estaca ou uma pessoa designada, para reverem e verificarem os problemas do edifício e as melhorias necessárias. Melhorias e alterações são feitas somente quando é necessário mudar ou modernizar a função de um edifício já existente. A mobília e os componentes da capela são trocados somente quando se encaixam no padrão de troca. Capelas Mais Antigas Quando devidamente mantidas, a maioria das capelas mais antigas continuam a ser atraentes, confortáveis e a retratar a imagem dignificante e reverente desejada sem a necessidade de amplas reformas. Um desgaste razoável é aceitável quando os edifícios mostram sinais de manutenção, limpeza e cuidado adequados. Edifícios mais antigos são exemplos de arquiteturas de sua época e não precisam ser reformados para 5

11 Proteção das Capelas parecerem capelas mais modernas. Entretanto, se circunstâncias excepcionais impuserem modificações, os resultados finais devem estar em harmonia com o estilo original do edifício. Proteção das Capelas Deve ser feito todo o possível para garantir que cada capela esteja segura e protegida. Todas as pessoas que usam as capelas da Igreja devem ser ensinadas sobre os procedimentos adequados de segurança, inclusive como manter a capela segura. Procedimentos de Emergência Os líderes locais do sacerdócio devem desenvolver planos de como reagir em diversas emergências que podem acontecer na capela. Eles devem usar esses planos para treinar outras pessoas em procedimentos e como material de consulta em situações de emergência. Os líderes devem também saber fechar os registros de água, de gás ou de óleo diesel e desligar a energia elétrica. O supervisor de manutenção fornece treinamento para esses procedimentos. Ele deve preparar um diagrama de cada edifício mostrando a localização de telefones, o painel principal de eletricidade, as válvulas para fechar o gás (ou o óleo diesel) e a água, os extintores de incêndio e o kit de primeiros socorros. Prevenção contra Incêndio O risco de incêndio é reduzido quando todas as pessoas que usam a capela tomam precauções sensatas. A lista a seguir inclui algumas sugestões de medidas para prevenção contra incêndio: Manter todos os materiais inflamáveis inclusive madeira, produtos de papel, produtos químicos e outros resíduos fora das salas do aquecedor central de água e do sistema de calefação, áreas de máquinas e espaços de distribuição hidráulica e elétrica. Manter todos os armários, gabinetes e outras áreas de depósito livres de desordem que possa se tornar um propagador de chamas. Evite usar aquecedores portáteis. Não deixe sem supervisão fogões que estão sendo usados para aquecer comida ou ferver água na cozinha. Além disso, normas e regulamentos locais contra incêndio precisam ser seguidos quando forem feitas decorações. O supervisor de manutenção pode providenciar essas informações. Chaves da Capela O grupo do supervisor de manutenção providencia chaves da capela para os líderes da estaca. Os bispados distribuem as chaves aos líderes da ala conforme a orientação da estaca. Cada bispado mantém um registro de quem possui as chaves e dá uma cópia do registro ao representante do patrimônio da estaca. Quando os membros servem em chamados que exigem as chaves da capela, ao serem desobrigados devem devolver todas as chaves. Dinheiro Não se deve deixar dinheiro na capela durante a noite ou exposto sem supervisão a qualquer momento. Informar Danos e Prejuízos Os líderes da estaca e da ala devem relatar imediatamente ao supervisor de manutenção todos os danos à capela ou a pessoas feridas que ocorram em propriedades da Igreja. Se um dano corporal grave ocorrer em propriedade da Igreja, siga as instruções sobre como informar acidentes no Manual 2: Administração da Igreja (2010), Procedimentos de Segurança e Fechamento do Edifício Os líderes da Igreja devem considerar o uso de uma programação estabelecida pela estaca para horários de encerramento das atividades na capela e procedimentos de fechamento do edifício. Esses procedimentos devem ser seguidos todas as noites logo após o horário determinado para o fechamento. Os líderes do sacerdócio podem designar membros em duplas para trancar o edifício, minimizando o perigo para as pessoas. O procedimento de fechamento do edifício inclui certificar-se de que nenhuma pessoa não autorizada permaneça no edifício, desligar todas as luzes e trancar as portas e janelas. Os membros da Igreja que têm acesso à capela fora do horário das reuniões devem fechar e trancar as portas exteriores e todas as janelas, quando entrarem e saírem. As salas de aula ou outras salas que não contenham objetos valiosos não devem ficar trancadas. 6

12 Construção de Capelas Os líderes do sacerdócio devem certificar-se de que os computadores, as copiadoras e os equipamentos audiovisuais estejam guardados em salas ou áreas devidamente trancadas. Além disso, computadores e equipamentos eletrônicos devem ser marcados como propriedade da Igreja e uma lista de números de série e modelos deve ser mantida. Construção de Capelas Avaliação de Necessidades para Uma Nova Capela Os fatores que afetam o planejamento das necessidades de uma futura capela incluem: (1) as características das unidades típicas da Igreja na área, (2) os padrões e as estatísticas de desenvolvimento no passado, (3) o crescimento estimado, (4) as divisões planejadas da unidade e (5) o tamanho, a localização e o grau de utilização do edifício já existente. Opções para Se Obter Espaço Adicional O escritório de administração da área leva em consideração diversas opções para determinar a maneira mais apropriada de atender às necessidades de mais espaço em uma capela. Essas opções incluem: (1) modificar as programações da unidade local, (2) compartilhar espaço com outras unidades em capelas já existentes, (3) reconfigurar espaço já existente na capela, (4) construir uma ampliação em uma capela já existente, (5) alugar um espaço, (6) comprar um edifício ou (7) construir uma nova capela. Os líderes locais não estão autorizados a negociar a compra ou o aluguel de uma propriedade ou assumir qualquer compromisso que obrigue a gastar os fundos gerais da Igreja. Maximizar o Uso de Edifícios ao Compartilhar Todas as capelas dentro de uma distância razoável de uma ala devem ser ocupadas até a sua capacidade designada, antes de ser considerada uma propriedade adicional. Quando necessário, as presidências de estaca, em consulta com um membro da Presidência dos Setenta ou da Presidência de Área, podem designar alas a usarem capelas de estacas adjacentes. Mais de uma estaca pode usar uma sede de estaca, se for necessário. Plano Mestre para Futuras Instalações de Capelas O escritório de administração da área mantém e atualiza regularmente um plano mestre para necessidades de futuras capelas e compras de terrenos necessários. É pedido que cada presidência de estaca forneça regularmente informações atualizadas para o plano mestre. Nessas ocasiões, a presidência da estaca recomenda a compra de futuros terrenos e a construção de novas capelas. Aquisição de Terrenos para Capelas Compra de Terrenos A sede da Igreja ou a equipe do escritório de administração da área, quando aplicável, realiza todas as negociações de compra quando o plano aprovado indicar a necessidade de um novo terreno para uma capela. Doação de Propriedades A Igreja é seletiva em aceitar doações de propriedades. Se alguém quiser doar uma propriedade para a Igreja para uso como terreno para uma capela, os líderes locais do sacerdócio devem contatar o escritório de administração da área. Os líderes locais não aceitam ou emitem recibos de doação de propriedades. Doações de propriedades ou heranças devem ser oferecidas sem condições estipuladas sobre seu uso ou sua disposição. Construção de Capelas Planos-Padrão Autorizados O Comitê de Orçamento e Alocações da Igreja aprova os planos-padrão de modelo de capelas. Uma capela deve apresentar uma imagem solene e reverente ao oferecer instalações adequadas aos membros da Igreja para participarem de programas aprovados pela Igreja. Planos, especificações e procedimentos de funcionamento necessários para apoiar os planos-padrão são produzidos sob a direção e aprovação do Bispado Presidente e o Departamento de Administração de Propriedades. Os edifícios do plano-padrão devem ser construídos sem alterações desnecessárias. (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, ) 7

13 Locação de Propriedades Desenvolvimento de Projetos Quando todos os critérios de construção de uma nova capela forem cumpridos e o projeto proposto para construção, encontrado no plano anual, for validado, financiado e agendado, o projeto da capela entra na fase de desenvolvimento. Em um momento adequado durante o desenvolvimento do projeto, o gerente do projeto, em consulta com o supervisor de manutenção, reúne-se com a presidência da estaca para rever e selecionar uma das opções de estilo disponíveis nos planos-padrão. A opção de fazer uma cerimônia de abertura de terra também pode ser discutida. O supervisor de manutenção fornece à presidência da estaca atualizações periódicas durante todo o processo de desenvolvimento. Construção do Projeto Quando a fase de desenvolvimento do projeto estiver concluída, o escritório de administração da área escolhe o vencedor da licitação do contrato de construção. Com a ajuda do supervisor de manutenção, o gerente do projeto realiza uma reunião pré-construção com os líderes da estaca e a empreiteira. Os que estiverem na reunião examinam o papel que cada um desempenhará, fazem as escolhas finais de cores e mobília e reveem o cronograma do projeto. Entrega de Capela Quando o projeto estiver concluído, o gerente do projeto entrega oficialmente o edifício ou a ampliação ao supervisor de manutenção. Este último planeja e administra uma ampla limpeza e procedimentos de manutenção e realiza todas as outras tarefas necessárias para preparar o edifício para o uso. O supervisor de manutenção realiza uma reunião de orientação e vistoria para os líderes locais. Ele fornece instruções iniciais sobre os vários sistemas do edifício para o representante do patrimônio da estaca e os representantes do edifício da ala. Ele revê os horários de limpeza e a participação dos membros (ver Participação dos Membros, p. 4) e entrega as chaves aos líderes locais. Dedicação O gerente do projeto envia um formulário de Solicitação para Dedicação de Capela ( ) à presidência da estaca, antes do término do projeto de construção. (Ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010, ) Locação de Propriedades Locação de Espaço em Capelas No caso de um novo aluguel para capela, os líderes locais devem consultar o gerente de planejamento da área para determinar as qualificações. Os custos do aluguel são pagos pelo orçamento operacional do grupo do supervisor de manutenção. Para a renovação do aluguel de uma capela, os líderes locais consultam o supervisor de manutenção, que facilitará o pedido. Para aluguéis que durarão um ano ou mais, é usado o formulário de Pedido para Locação de Propriedade. É usado o formulário de Pedido de Locação Temporária de Propriedade quando o aluguel durará menos de um ano. Uma propriedade temporária pode ser alugada nos casos em que capelas existentes não acomodarão alas durante a reforma de uma capela. O escritório de administração da área negocia os termos para todos os contratos de locação. Locação Temporária de Espaço Instalações temporárias podem ser alugadas como despesas da Igreja quando o espaço disponível nas capelas não acomodar adequadamente alguma atividade de estaca, tal como conferências de estaca e regionais, serões, esportes de salão ou atividades multiculturais. Soluções alternativas, inclusive realizar múltiplas sessões ou usar tecnologia (tais como circuito fechado, webcast ou transmissão via satélite), devem ser consideradas antes de se alugar instalações temporárias. Se uma instalação temporária for necessária, os líderes locais consultam o supervisor de manutenção para providenciar o contrato ou acordo necessário. O supervisor de manutenção então envia o contrato e um formulário de Pedido de Locação Temporária de Propriedade para o escritório de administração da área. O pedido deve ser enviado com bastante antecedência. Quando esses procedimentos forem seguidos, as despesas de locação serão pagas com os fundos gerais da Igreja. Instalações alugadas para atividades esportivas ao ar livre são pagas com os fundos locais. 8

14 Administração de Propriedades Recreativas Administração de Propriedades Recreativas As propriedades recreativas da Igreja fornecem um ambiente dedicado ao ar livre para atividades da Igreja. O primeiro propósito das propriedades recreativas é ajudar os membros da Igreja e convidados a sentirem o Espírito enquanto aproveitam recreações seguras e sadias. A Igreja possui três tipos de propriedades recreativas: 1. Áreas com Pavilhão (somente nos Estados Unidos e no Canadá) 2. Campos esportivos multiuso (somente nos Estados Unidos e no Canadá) 3. Propriedades Recreativas para Acampamentos As estacas podem solicitar a aquisição e o desenvolvimento de uma nova propriedade recreativa quando houver uma necessidade para a qual se qualifiquem. Os presidentes de estaca trabalham com a equipe de planejamento do patrimônio da área para enviar pedidos à Presidência de Área ou ao membro da Presidência dos Setenta designado para a área. A propriedade recreativa é desenvolvida de acordo com as características e os planos-padrão estabelecidos pela Igreja. É restrito o uso das propriedades da Igreja por organizações da comunidade, por empreendimentos comerciais e outros. (Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 21.2.) Antes de enviar a solicitação para uma nova área com pavilhão, campo multiuso para esportes ou área recreativa para acampamentos, as unidades locais são incentivadas a usarem instalações públicas e particulares que estejam disponíveis. Onde existirem propriedades da Igreja dentro de uma distância razoável, elas devem ser totalmente utilizadas antes de ser feito um pedido para uma propriedade adicional. As estacas não devem recolher dos membros da Igreja taxas de utilização pelo uso das áreas com pavilhão ou dos campos esportivos. Entretanto, podem-se recolher taxas para a utilização de áreas recreativas para acampamentos a fim de cobrir gastos com manutenção, reparos ou melhorias. Propriedades Recreativas para Acampamentos Novas Propriedades Recreativas para Acampamentos Os pedidos de fundos da Igreja para aquisição ou melhoria de uma propriedade recreativa para acampamentos são enviados por meio do diretor de assuntos temporais. Os fundos gerais da Igreja são solicitados apenas quando os padrões de desenvolvimento e qualificação são satisfeitos. Estacas sem Propriedade Recreativa A Presidência de Área ou um membro da Presidência dos Setenta pode designar estacas sem propriedade recreativa para acampamentos para usar uma propriedade pertencente à Igreja, com base nas necessidades da estaca e na proximidade e no uso de tal propriedade. O uso de campings públicos ou particulares deve ser também levado em consideração. As estacas que não tiverem uma propriedade recreativa designada para acampamentos podem combinar com outras estacas para usar a propriedade delas por uma taxa razoável (ver Finanças, p. 10). Necessidade de Fundos para Propriedades Recreativas Existentes para Acampamentos Um supervisor de manutenção é designado para cada camping e tem responsabilidade direta pelas instalações de todo o acampamento. O processo de provisão de fundos faz parte do processo do plano anual e inclui fundos para substituições e melhorias e para funcionamento e manutenção. Funcionamento e Manutenção As instalações do camping passam por inspeções pelo menos semestralmente para determinar as necessidades atuais de manutenção e para identificar preocupações com a segurança. Áreas de floresta e camping devem também ser inspecionadas após cada evento climático significativo, tais como ventanias, tempestades ou nevascas. Nos Estados Unidos e no Canadá, recursos de inspeção e manutenção estão disponíveis mediante solicitação à seção de Serviços de Recursos Naturais (Natural Resources Services) da sede da Igreja. As propriedades recreativas para acampamentos em locais alugados recebem melhorias e são mantidas em um nível mínimo, a menos que tenha sido feito um contrato de locação de longo prazo que justifique despesas altas. Venda ou Locação de Propriedades Recreativas Existentes para Acampamentos As presidências de estaca que desejam vender ou alugar uma propriedade recreativa existente para acampamentos devem entrar em contato com o escritório de administração da área. As propriedades recreativas para acampamentos não devem ser compradas, vendidas ou alugadas sem aprovação da Igreja. 9

15 Administração de Propriedades Recreativas Administração A Presidência de Área ou um membro da Presidência dos Setenta indica um presidente de estaca agente para supervisionar a administração da propriedade para acampamentos. O presidente de estaca agente deve residir na mesma área eclesiástica onde está localizada a propriedade. Isenção de Impostos A condição de isenção de impostos de propriedades recreativas para acampamentos deve ser preservada. A propriedade não deve ser usada para fins comerciais ou políticos ou para produzir renda maior do que a necessária para o funcionamento, a manutenção ou reparos. Se o governo local de onde a propriedade recreativa está localizada não conceder isenção de impostos à propriedade, a sede da Igreja pagará os impostos. Finanças Nos Estados Unidos e no Canadá, a estaca agente administra as finanças do camping usando uma conta corrente separada de unidade da Igreja e uma conta correspondente para depósitos aberta por meio do Treasury Services na sede da Igreja. As estacas agentes não abrem contas correntes ou de depósitos diretamente nos bancos. A conta corrente é usada para pagar as despesas feitas com o programa de acampamento. A conta de depósito é usada para o recolhimento de taxas de utilização pagas pelos usuários. Em áreas fora dos Estados Unidos e do Canadá, o presidente de estaca agente contata a equipe do departamento financeiro da área para instruções quanto a abertura de contas. O auditor da estaca agente audita o funcionamento da propriedade recreativa para acampamentos usando o formulário Recreation Camp Audit atualizado (PD Formulário de Auditoria de Propriedades Recreativas disponível apenas em inglês). O presidente da estaca agente examina cuidadosamente e aprova todos os rendimentos e despesas. Se uma propriedade recreativa gerar rendimento de recursos naturais, a estaca agente coordena essa atividade por meio do Natural Resources Services [Serviços de Recursos Naturais] da Real Estate Services Division (Divisão de Serviços de Patrimônio) na sede da Igreja (nos Estados Unidos e no Canadá) ou no escritório de área (fora dos Estados Unidos e do Canadá). Todos esses rendimentos são depositados nos fundos gerais da Igreja. Os membros da Igreja podem ajudar a custear a manutenção, os reparos ou as melhorias nas propriedades recreativas ao doar mão de obra, materiais ou o uso de equipamentos. Os líderes da Igreja não devem usar eventos especiais para arrecadação de fundos para pagar despesas relacionadas a melhorias da propriedade recreativa. Suprimento de Água Potável Sistemas de água potável em todas as propriedades da Igreja que retiram seu suprimento de poços ou nascentes particulares (que não sejam do sistema municipal ou comunitário de águas) são construídos, operados e mantidos de acordo com as normas legais e os padrões estabelecidos pela Igreja. A água deve ser amostrada e testada quanto aos padrões de qualidade de água de acordo com os requisitos regulatórios e as melhores práticas de administração. Se a qualidade da água potável não atender a esses padrões, entre em contato com a seção de Serviços de Recursos Naturais (Natural Resources Services) da Igreja para mais informações. Equipamentos e Veículos Geralmente a sede da Igreja não fornece ou mantém equipamentos ou veículos. Quando equipamentos especiais forem necessários, serão alugados à custa da estaca, fornecidos por membros da estaca ou comprados com o orçamento da unidade local e com taxas de utilização. Zeladores No passado, algumas estacas empregavam zeladores nas propriedades recreativas. Essa prática foi descontinuada. Se houver necessidade de um zelador em tempo integral, os presidentes de estaca podem chamar missionários de serviço da Igreja para preencher esse cargo. Esses missionários de serviço da Igreja são designados por imposição de mãos pelo respectivo bispo. Para mais informações sobre como chamar missionários de serviço da Igreja, ver Manual 1: Presidentes de Estaca e Bispos, 2010,

16 Contrato de Comodato com Cláusula de Isenção de Responsabilidade Comodatário: Localização ou descrição da propriedade: A propriedade será utilizada unicamente para: Datas em que a propriedade será utilizada: Horários em que a propriedade será utilizada: Corretora de seguros responsável: Número da apólice: Limite máximo total de cobertura: Diante do presente comodato celebrado com a Associação Brasileira de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ou qualquer de suas afiliadas, (doravante denominada Proprietária ) para a utilização do imóvel supracitado de propriedade da mesma, o Comodatário obriga-se única e exclusivamente por qualquer acidente, prejuízo ou dano, físico ou material, causados a si mesmo, ou a qualquer pessoa por ele convidada ou autorizada, mesmo que tacitamente, a entrar na propriedade, em decorrência, dentre outros fatores, do estado de conservação do imóvel, do uso do mesmo pelo Comodatário, ou de falta ou negligência leve da Proprietária. O Comodatário utilizará a propriedade exclusivamente para os fins descritos acima, estando expressamente proibida a utilização do imóvel para qualquer outro fim. A alteração da finalidade do uso do imóvel somente será permitida mediante o consentimento prévio e por escrito da Proprietária. O Comodatário deverá reparar imediatamente qualquer dano causado ao imóvel ou a seus acessórios, decorrente do uso ou acesso à propriedade por parte do Comodatário ou por terceiros por ele autorizados, mesmo que tacitamente. O Comodatário assume a obrigação de excluir a Proprietária, suas afiliadas, membros, agentes, servidores, empregados, funcionários e representantes (doravante denominados Excluídos ) de toda e qualquer reclamação ou processo, administrativo ou judicial, oriundos de qualquer dano ou lesão a pessoas ou coisas causados inclusive por falta ou negligência leve dos Excluídos, ou relacionados ao estado de conservação do imóvel, bem como ao uso do mesmo pelo Comodatário, ou por terceiros por ele autorizados, mesmo que tacitamente. Caso seja mantida a presença dos Excluídos na reclamação ou nos processos judiciais acima mencionados, o Comodatário obriga-se, desde logo, e sem qualquer discussão, a ressarcir os Excluídos de todos os valores despendidos, ou a adiantar aos mesmos os pagamentos a serem efetuados, em razão de eventuais necessidades de defesa, incluindo despesas judiciais e extrajudiciais, honorários advocatícios e ainda valores relativos a condenações e/ ou determinações administrativas/judiciais, devendo tal obrigação ser cumprida no prazo de 24 (vinte e quatro) horas contadas da solicitação dessa última nesse sentido. O Comodatário declara, sob as penas da lei, que o imóvel é adequado ao uso pretendido, atendendo plenamente às e- xigências e regulamentações construtivas, administrativas e legais. O signatário declara e garante que o seguro indicado acima, contratado pelo Comodatário e tendo entre seus beneficiários a Proprietária, está em pleno vigor, obrigando-se a assim mantê-lo enquanto perdurar o presente comodato. Declara, ainda, o signatário, sob as penas da lei, que assina o presente instrumento na qualidade de procurador e/ou representante legal do Comodatário e que ao assim fazê-lo age dentro dos limites dos poderes que lhe foram conferidos, obrigando e produzindo os devidos efeitos em relação ao Comodatário. Este acordo será regido pelas leis brasileiras. As partes elegem o Foro Central da Comarca de São Paulo para dirimir eventual litígio. Caso algum dispositivo deste acordo seja considerado nulo, os demais dispositivos aqui previstos continuarão em vigor. Em caso de ingresso em juízo para a discussão de qualquer direito relacionado ao presente instrumento, ficará a cargo da parte perdedora, o pagamento dos honorários advocatícios contratados pela parte vencedora, bem como o ressarcimento das demais despesas judiciais e extrajudiciais por ela suportadas. Data: Comodatário: por: Título: 1998, 2009 IRI. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. 2/09. 2/09. Tradução de Hold Harmless Agreement. Portuguese. PD

RootsTech Jornada da Descoberta da Família. Guia de Planejamento: Nível 2

RootsTech Jornada da Descoberta da Família. Guia de Planejamento: Nível 2 RootsTech Jornada da Descoberta da Família Guia de Planejamento: Nível 2 Publicado por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Salt Lake City, Utah 2014 Intellectual Reserve, Inc. Todos os

Leia mais

PADRÕES DE BUIÇÃO. Acordo de. Distribuição. a agir em seu em nosso nome sejam. você solicite. os nossos. & Nephew. Smith.

PADRÕES DE BUIÇÃO. Acordo de. Distribuição. a agir em seu em nosso nome sejam. você solicite. os nossos. & Nephew. Smith. PADRÕES DE CONFORMIDADE ADICIONAIS AO CONTRATO DE DISTRIB BUIÇÃO Estes padrões de conformidade fazem parte dos requisitoss detalhados referidos na cláusula 16.3 do Acordo de Distribuição ("TSA") entre

Leia mais

Guia para o Líder AUTOSSUFICIÊNCIA

Guia para o Líder AUTOSSUFICIÊNCIA PREFÁCIO Há grandes necessidades entre nós. Muitos membros não são autossuficientes e não têm a capacidade de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. 1 Levar

Leia mais

Modelo de Lista de Verificação de Rescisão de Administração

Modelo de Lista de Verificação de Rescisão de Administração Modelo de Lista de Verificação de Rescisão de Administração Da publicação do IREM : Estratégias de Negócios para Administradoras de Imóveis Richard F. Muhlebach, CPM Alan A. Alexander, CPM Em um mundo

Leia mais

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

Fire Prevention STANDARD. LME-12:001905 Upt Rev A

Fire Prevention STANDARD. LME-12:001905 Upt Rev A STANDARD LME-12:001905 Upt Rev A Índice 1 Introdução... 3 2 Requisitos... 3 3 Normas de Operação Segura... 4 3.1 Procedimentos de Evacuação em Incêndio... 4 3.2 Caminhos de Escape Designados... 4 3.3 Pontos

Leia mais

Guia para o Líder AUTOSSUFICIÊNCIA

Guia para o Líder AUTOSSUFICIÊNCIA PREFÁCIO Há grandes necessidades entre nós. Muitos membros não são autossuficientes e não têm a capacidade de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. 1 Levar

Leia mais

Diretrizes para a Implementação de Cooperação Follow-up (F/U)

Diretrizes para a Implementação de Cooperação Follow-up (F/U) Diretrizes para a Implementação de Cooperação Follow-up (F/U) Março de 2003 AGÊNCIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL DO JAPÃO (JICA) Sumário 1. Quais são os Objetivos da Cooperação Follow-up?... 3 2. Quais

Leia mais

Modelo de Lista de Verificação de Nova Administração

Modelo de Lista de Verificação de Nova Administração Modelo de Lista de Verificação de Nova Administração Da publicação do IREM : Estratégias de Negócios para Administradoras de Imóveis Richard F. Muhlebach, CPM Alan A. Alexander, CPM A sua empresa acabou

Leia mais

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE RETENÇÃO DE REGISTROS. Revisado em outubro de 2009

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE RETENÇÃO DE REGISTROS. Revisado em outubro de 2009 FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE RETENÇÃO DE REGISTROS Revisado em outubro de 2009 A. Propósito A Franklin Electric, Co., Inc. e suas subsidiárias e afiliadas (coletivamente, Empresa ) reconhecem

Leia mais

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO DO ESPAÇO PARA EVENTOS Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da cédula de identidade R.G. sob nº 28.266.412-9,

Leia mais

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE. Setembro de 2010

FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE. Setembro de 2010 FRANKLIN ELECTRIC CO., INC. POLÍTICA DE PRIVACIDADE A. Propósito Setembro de 2010 A Franklin Electric Co., Inc. e suas subsidiárias e afiliadas (em conjunto, a Empresa ) têm o compromisso de proteger a

Leia mais

Atividade Prática: Melhores Maneiras de Compartilhar Locais Históricos

Atividade Prática: Melhores Maneiras de Compartilhar Locais Históricos GUIA DO FACILITADOR 1. Apresente a atividade: Quando compartilhar locais históricos, você tem três opções para escolher: Opção A: Solicitar a inclusão em um registro histórico da Igreja. Opção B: Compartilhar

Leia mais

Manual de Usuário. Seguro para Igrejas

Manual de Usuário. Seguro para Igrejas Manual de Usuário Seguro para Igrejas Seguro para Igrejas Mensagem do Diretor A Adventist Risk Management Sul-Americana é uma parceira da Divisão Sul-Americana referente à administração de riscos. Nosso

Leia mais

Edifício New England Manual do Credenciado

Edifício New England Manual do Credenciado Edifício New England Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Centros de Autossuficiência da Estaca. Guia para Líderes do Sacerdócio que Desejam Estabelecer um Centro de Autossuficiência em Sua Estaca

Centros de Autossuficiência da Estaca. Guia para Líderes do Sacerdócio que Desejam Estabelecer um Centro de Autossuficiência em Sua Estaca Centros de Autossuficiência da Estaca Guia para Líderes do Sacerdócio que Desejam Estabelecer um Centro de Autossuficiência em Sua Estaca Visão Geral Centros de Autossuficiência Metropolitano Sob a direção

Leia mais

Edifício Itower Manual do Credenciado

Edifício Itower Manual do Credenciado Edifício Itower Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Contrato de Licença de Software da Novell para o Software Development Kit ("SDK") do SUSE Linux Enterprise 11 SP2

Contrato de Licença de Software da Novell para o Software Development Kit (SDK) do SUSE Linux Enterprise 11 SP2 Contrato de Licença de Software da Novell para o Software Development Kit ("SDK") do SUSE Linux Enterprise 11 SP2 LEIA ESTE CONTRATO COM ATENÇÃO. AO INSTALAR OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZAR O SOFTWARE

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR Seja bem-vindo à Blue Service Assistance, a opção mais vantajosa em assistência e clube de vantagens. É uma enorme satisfação ter você como nosso associado. A Blue Service Assistance está cada vez mais

Leia mais

Feira de História da Família da Estaca DIRETRIZES TÉCNICAS ATUALIZAÇÃO DE MARÇO DE 2014

Feira de História da Família da Estaca DIRETRIZES TÉCNICAS ATUALIZAÇÃO DE MARÇO DE 2014 Feira de História da Família da Estaca DIRETRIZES TÉCNICAS ATUALIZAÇÃO DE MARÇO DE 2014 2014 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados. Impresso nos Estados Unidos da América. Aprovação do

Leia mais

SEÇÃO III DA EQUIPE TÉCNICA

SEÇÃO III DA EQUIPE TÉCNICA RESOLUÇÃO Nº 4/95 O Conselho Universitário da Universidade Federal de Viçosa, órgão superior de administração, no uso de suas atribuições legais, considerando o que consta do Processo nº 94-10326, RESOLVE

Leia mais

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política Global Novartis 1 de março de 2014 Versão HSE 001.V1.PT 1. Introdução Na Novartis, nossa meta é ser líder em Saúde, Segurança e Meio Ambiente (HSE).

Leia mais

101 Maneiras De Fazer O Trabalho Missionário

101 Maneiras De Fazer O Trabalho Missionário 101 Maneiras De Fazer O Trabalho Missionário O Livro de Mórmon é uma ferramenta indispensável para membros realizar o trabalho missionário, por que está escrito com a intenção de convencer "os judeus e

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

Ser um bom senhorio. O que é um senhorio?

Ser um bom senhorio. O que é um senhorio? Ser um bom senhorio O que é um senhorio? O senhorio é o dono de uma propriedade, a qual é arrendada ou alugada a outra pessoa. A pessoa que arrenda a propriedade é o inquilino. O acordo entre o senhorio

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Como Se Cadastrar e Entrar no Site do Novo FamilySearch

Como Se Cadastrar e Entrar no Site do Novo FamilySearch Como Se Cadastrar e Entrar no Site do Novo FamilySearch O novo site do FamilySearch é um aplicativo que oferece uma árvore genealógica, permitindo aos usuários trabalhar com outras pessoas para criar,

Leia mais

Responsabilidade Social 8000

Responsabilidade Social 8000 NORMA INTERNACIONAL SAI SA8000 : 2001 Responsabilidade Social 8000 SA8000 é uma marca registrada da Social Accountability International CÓPIA NÃO AUTORIZADA SEM PERMISSÃO DA SAI, EXCETO QUANDO PERMITIDO

Leia mais

TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS

TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS, QUE CELEBRAM ENTRE SI A UNIÃO FEDERAL, POR INTERMÉDIO DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES E O MUNICÍPIO DE BURI, NO ESTADO DE SÃO PAULO. A união, por

Leia mais

Obrigado irmã Denyszczuk. O papel de mãe: que coisa maravilhosa! Caros irmãos e irmãs. É um privilégio dirigir algumas palavras a vocês nesta noite.

Obrigado irmã Denyszczuk. O papel de mãe: que coisa maravilhosa! Caros irmãos e irmãs. É um privilégio dirigir algumas palavras a vocês nesta noite. ÉLDER MAZZAGARDI Primeiro Conselheiro na Presidência da Área Brasil Certifiquem-se que o Sacerdócio de Melquisedeque esteja funcionando adequadamente nas Alas. Quando os Quóruns de Élderes e do Grupo de

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 034/CUn/2008, de 16 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 034/CUn/2008, de 16 de dezembro de 2008 RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 034/CUn/2008, de 16 de dezembro de 2008 EMENTA: DISPÕE SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇO VOLUNTÁRIO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. O PRESIDENTE DO

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SUMÁRIO

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SUMÁRIO Página: 1 de 13 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1. CERTIFICAÇÃO 2. GERAL 3. SOLICITAÇÃO DE CERTIFICAÇÃO 4. AUDITORIA DA ORGANIZAÇÃO 5. AÇÕES CORRETIVAS IDENTIFICADAS DURANTE AS AUDITORIAS 6. CERTIFICAÇÃO E USO DO LOGOTIPO

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

Dia de Descoberta Familiar da RootsTech DIRETRIZES TÉCNICAS ATUALIZAÇÃO DE OUTUBRO DE 2014

Dia de Descoberta Familiar da RootsTech DIRETRIZES TÉCNICAS ATUALIZAÇÃO DE OUTUBRO DE 2014 Dia de Descoberta Familiar da RootsTech DIRETRIZES TÉCNICAS ATUALIZAÇÃO DE OUTUBRO DE 2014 1. Visão Geral O conteúdo para seu Dia de Descoberta Familiar local será fornecido pela RootsTech, uma conferência

Leia mais

Coberturas Opção 03 Palestras, Reuniões, Seminários e Cursos Similares.

Coberturas Opção 03 Palestras, Reuniões, Seminários e Cursos Similares. COBERTURA BÁSICA N.º 115 - PROMOÇÃO DE EVENTOS ARTÍSTICOS, ESPORTIVOS E SIMILARES CONDIÇÕES ESPECIAIS 1 - RISCO COBERTO 1.1 - O risco coberto é a responsabilização civil do Segurado por DANOS CORPORAIS

Leia mais

G U I A D O RAMO. Publicado por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Salt Lake City, Utah

G U I A D O RAMO. Publicado por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Salt Lake City, Utah G U I A D O RAMO G U I A D O RAMO Publicado por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Salt Lake City, Utah 1993, 1999, 2001 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos reservados Impresso

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH

NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH NORMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRMENICH Norma de Responsabilidade Social Firmenich Atualizado em Março de 2013 Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Como parte do nosso compromisso contínuo com um negócio ético

Leia mais

Tudo sobre a Remoção de Chumbo

Tudo sobre a Remoção de Chumbo Tudo sobre a Remoção de Chumbo O Que Você Precisa Saber para Remover o Chumbo da sua Casa de Forma Segura Programa de Prevenção do Envenenamento Infantil por Chumbo (Childhood Lead Poisoning Prevention

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

Última atualização: 01 de Março de 2015

Última atualização: 01 de Março de 2015 O programa do certificado Dream Vacation Week (DVW) é fornecido pela Worldwide Vacation & Travel, Inc. (WVT), uma empresa da Flórida e subsidiária da Interval Leisure Group, Inc. O uso de um certificado

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO D E CHÁCARA TEMPORÁRIA

CONTRATO DE LOCAÇÃO D E CHÁCARA TEMPORÁRIA CONTRATO DE LOCAÇÃO D E CHÁCARA TEMPORÁRIA Pelo presente instrumento, de um lado, como LOCADOR e assim chamado doravante, FRANCISCO AUGUSTO LOPES, brasileiro, casado, autônomo, portador da cédula de identidade

Leia mais

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!!

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! Como em qualquer segmento, quando fazemos uma licitação muitas vezes nos deparamos com propostas que aparentemente oferecem os mesmos serviços,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA

CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA CONDIÇÕES GERAIS DE COMPRA I. Aplicabilidade Estas Condições Gerais serão aplicáveis a todas as compras efetuadas pela Nefab e suas afiliadas (COMPRADOR) junto aos seus fornecedores (VENDEDOR). Desvios

Leia mais

ACORDO ENTRE O INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACERCA DA SEDE DO IAI

ACORDO ENTRE O INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACERCA DA SEDE DO IAI IAI/LD.2/1995 INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS ACORDO ENTRE O INSTITUTO INTERAMERICANO PARA PESQUISA EM MUDANÇAS GLOBAIS E O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ACERCA DA

Leia mais

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados.

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados. A MBS SERVIÇOS possui o conhecimento necessário e indispensável para oferecer qualidade e agilidade nas realizações dos serviços prestados. Possuímos sede própria com toda infraestrutura necessária para

Leia mais

REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE Janeiro, 2012 1. APRESENTAÇÃO A elaboração deste regulamento tem como propósito definir, claramente, as normas de utilização dos laboratórios de informática, os recursos

Leia mais

A PREVENÇÃO de uma Perda Financeira A RECUPERAÇÃO DE RECEBÍVEIS de um Devedor Inadimplente A INDENIZAÇÃO do Título de Crédito Não Pago

A PREVENÇÃO de uma Perda Financeira A RECUPERAÇÃO DE RECEBÍVEIS de um Devedor Inadimplente A INDENIZAÇÃO do Título de Crédito Não Pago SEGURO DE CRÉDITO SEGURO DE CRÉDITO DOMÉSTICO - Risco Comercial Valendo-se de uma definição bem simples, é o seguro que garante a qualquer empresa (na condição de segurado e portanto após contratar o respectivo

Leia mais

ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA

ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA ISO 9001:2000 Certificate Nº FM37608 INJETORAS MANUAL DE SEGURANÇA ISO 9001:2008 capítulo 3 segurança e procedimentos Seção Conteúdo Pag. 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6 3.7 Segurança Geral Sinais de aviso Sinais

Leia mais

FUNDAÇÃO DE LIONS CLUBS INTERNATIONAL SOLICITAÇÃO DE SUBSÍDIO PADRÃO

FUNDAÇÃO DE LIONS CLUBS INTERNATIONAL SOLICITAÇÃO DE SUBSÍDIO PADRÃO FUNDAÇÃO DE LIONS CLUBS INTERNATIONAL SOLICITAÇÃO DE SUBSÍDIO PADRÃO CRITÉRIOS E REGULAMENTOS DOS SUBSÍDIOS PADRÃO DE LCIF DECLARAÇÃO DE MISSÃO E PRIORIDADES DE FINANCIAMENTO Os subsídios padrão de LCIF

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS DO IBAPE-ES

REGULAMENTO DE HONORÁRIOS DO IBAPE-ES REGULAMENTO DE HONORÁRIOS DO IBAPE-ES CAPÍTULO I - EXPOSIÇÕES DE MOTIVOS O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer valores e formas de compatibilizar os interesses entre contratante e contratado,

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

Convocatória para programa de residências 2015 DISPOSITIVO MÓVEL PARA AÇÕES COMPARTILHADAS

Convocatória para programa de residências 2015 DISPOSITIVO MÓVEL PARA AÇÕES COMPARTILHADAS DISPOSITIVO MÓVEL PARA AÇÕES COMPARTILHADAS Convocatória para programa de residências 2015 Inscrições online em www.jaca.center até às 23:00* do dia 30 de janeiro de 2015 *Horário de Brasília (-2 GMT devido

Leia mais

Centros de História da Igreja REUNIR, PRESERVAR E COMPARTILHAR A HISTÓRIA DA IGREJA GUIAS DE HISTÓRIA DA IGREJA

Centros de História da Igreja REUNIR, PRESERVAR E COMPARTILHAR A HISTÓRIA DA IGREJA GUIAS DE HISTÓRIA DA IGREJA Centros de História da Igreja REUNIR, PRESERVAR E COMPARTILHAR A HISTÓRIA DA IGREJA GUIAS DE HISTÓRIA DA IGREJA Centros de História da Igreja GUIAS DE HISTÓRIA DA IGREJA Publicado por A Igreja de Jesus

Leia mais

Regulamento Interno para Utilização Associação Veper

Regulamento Interno para Utilização Associação Veper Regulamento Interno para Utilização Associação Veper A Associação Veper Os dirigentes do Grupo Veper tinham o sonho de oferecer um benefício a mais aos seus colaboradores, um espaço que oferecesse lazer,

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA SPA Nº 02/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº de / /2012 Unidade Responsável: Departamento de Material e Patrimônio - DMP I FINALIDADE Dispor sobre os procedimentos

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

ROTEIRO DE AUDITORIA DE BENS PATRIMONIAIS

ROTEIRO DE AUDITORIA DE BENS PATRIMONIAIS ROTEIRO DE AUDITORIA DE BENS PATRIMONIAIS 1 - OBJETIVO A Auditoria de Bens Patrimoniais tem por objetivo examinar os controles administrativos e contábeis, a situação e condições, bem como a verificação

Leia mais

EMPRESARIAL MANUAL DE ASSISTÊNCIA

EMPRESARIAL MANUAL DE ASSISTÊNCIA Prezado Segurado, Obrigado por contratar o seguro Empresarial. Ficamos honrados pela sua escolha. Nossa principal motivação é garantir a segurança e tranquilidade aos seus negócios, por isso disponibilizamos

Leia mais

Envio de um profissional para, se possível, abrir a porta de acesso, sem necessidade de arrombamento ou danos.

Envio de um profissional para, se possível, abrir a porta de acesso, sem necessidade de arrombamento ou danos. MONDIAL HOME PROTECTION é um conjunto de serviços oferecido tanto para casas como para apartamentos residenciais, somente disponíveis para pessoas físicas. As principais vantagens do MONDIAL HOME PROTECTION

Leia mais

Sistemas de Processamento de Transações. Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br

Sistemas de Processamento de Transações. Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Sistemas de Processamento de Transações Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Evolução dos sistemas de informação Os dispositivos de computação passaram dos tubos a vácuo, nos anos 50

Leia mais

Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, de Missão e de Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo

Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, de Missão e de Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo Comunicado Data: 25 de junho de 2015 Para: De: Assunto: Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, de Missão e de Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo Escritório do Bispado Presidente

Leia mais

Atestado de Conformidade NR 12

Atestado de Conformidade NR 12 TÜV Rheinland do Brasil TÜV Rheinland é um organismo de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamento, que foi fundada na Alemanha em 1872 com o objetivo de proteger os trabalhadores

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF

MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF MANUAL DE SERVIÇOS 1. PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA FAMILIAR PAF 1.1 SERVIÇOS PRESTADOS Souza & Evangelista Advocacia e Consultoria Jurídica propicia atividades jurídicas privativas de advogados nas vias

Leia mais

Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, Missão e Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo

Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, Missão e Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo Comunicado Data: 19 de março de 2015 Para: De: Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, Missão e Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo Escritório do Bispado Presidente Departamento

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

Se tiver dúvidas ou preocupações sobre a prática de privacidade da Pan-American Life, entre em contato conosco em:

Se tiver dúvidas ou preocupações sobre a prática de privacidade da Pan-American Life, entre em contato conosco em: Políticas de privacidade on-line A Pan-American Life sempre esteve comprometida em manter a confidencialidade, integridade e segurança das informações pessoais confiadas a nós pelos clientes atuais e futuros.

Leia mais

MODALIDADE: SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL EVENTOS RESUMO DAS COBERTURAS E CONDIÇÕES

MODALIDADE: SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL EVENTOS RESUMO DAS COBERTURAS E CONDIÇÕES MODALIDADE: SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL EVENTOS RESUMO DAS COBERTURAS E CONDIÇÕES SEGURADO: Pessoa Jurídica organizadora, participante ou patrocinadora de um evento, feira ou exposição. LIMITE: São

Leia mais

Manual de Instruções DUAL ACTION 0800-6458300 CORTADOR DE CABELOS BLUE ACTION 11/07 297-05/00 072469 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO

Manual de Instruções DUAL ACTION 0800-6458300 CORTADOR DE CABELOS BLUE ACTION 11/07 297-05/00 072469 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO 11/07 297-05/00 072469 REV.1 CORTADOR DE CABELOS BLUE ACTION SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO DUAL ACTION ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800-6458300 Manual de Instruções Cortes curtos 1.Usando o pente de 12 mm (05)

Leia mais

Moradia para aqueles com salário baixo e dificuldades para pagar aluguel. Os requisitos para inscrição variam grandemente.

Moradia para aqueles com salário baixo e dificuldades para pagar aluguel. Os requisitos para inscrição variam grandemente. Informações sobre o cotidiano Moradia >> Transporte >> Eletricidade, combustível e sistema de abastecimento de águas >> Coleta de lixo e reciclagem Em caso de emergência Guia para serviços de consulta

Leia mais

Esta Norma estabelece critérios e procedimentos para o controle dos bens patrimoniais do Sescoop.

Esta Norma estabelece critérios e procedimentos para o controle dos bens patrimoniais do Sescoop. SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO SESCOOP PARANÁ. CONSELHO ADMINISTRATIVO SESCOOP PARANÁ RESOLUÇÃO No. 06 de 14 de fevereiro de 2000 ORIENTA E NORMATIZA O CONTROLE DE BENS PERMANENTES

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

Termos e Condições Gerais para as Vendas da Aalborg Industries

Termos e Condições Gerais para as Vendas da Aalborg Industries Termos e Condições Gerais para as Vendas da Aalborg Industries 1) Validade dos Termos e Condições: 1.1) Os pedidos para fornecimento de produtos, materiais, serviços, ferramentas, pessoal, etc. doravante

Leia mais

Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, Missão e Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo

Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, Missão e Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo Comunicado Data: 13 de agosto de 2015 Para: De: Autoridades Gerais; Setentas de Área; Presidentes de Estaca, Missão e Distrito; Bispos e Presidentes de Ramo Escritório do Bispado Presidente Departamento

Leia mais

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES JANEIRO 2013 ÍNDICE DE CONTEÚDOS Introdução...1 Antes das Três Linhas: Supervisão do Gerenciamento

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO:

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: 1.1 A destinação deste plano de benefício é disponibilizar, ora contratado, diárias de veículo econômico com ar para as pessoas físicas ou jurídicas

Leia mais

b) Instalações de fornecimento de gás; c) Ressarcimento dos danos causados direta ou indiretamente a alimentos e utensílios domésticos;

b) Instalações de fornecimento de gás; c) Ressarcimento dos danos causados direta ou indiretamente a alimentos e utensílios domésticos; CAPITALIZAÇÃO É com grande satisfação que esta Sociedade de Capitalização oferece ao Titular do Título de Capitalização o benefício denominado Reparos Emergenciais, a seguir descritos: 1. DEFINIÇÕES 1.1.

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

ANEXO 1 INSTRUÇÕES ÀS FIRMAS PARA EXECUÇÃO DA REVISÃO EXTERNA PELOS PARES. Introdução.27. Independência e Conflito de Interesses.

ANEXO 1 INSTRUÇÕES ÀS FIRMAS PARA EXECUÇÃO DA REVISÃO EXTERNA PELOS PARES. Introdução.27. Independência e Conflito de Interesses. ANEXO 1 INSTRUÇÕES ÀS FIRMAS PARA EXECUÇÃO DA REVISÃO EXTERNA PELOS PARES ÍNDICE Seção Parágrafo II Instrução às Equipes Revisoras Introdução.27 Independência e Conflito de Interesses.29 Organização da

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND

POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND POLÍTICA DE PRIVACIDADE CONSULTOR HND 1. Princípios Gerais Esta Política de privacidade descreve como o CONSULTOR HND coleta e usa informações pessoais fornecidas no nosso site: www.consultorhnd.com.br.

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE AS MUDANÇAS NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857/2015

ORIENTAÇÕES SOBRE AS MUDANÇAS NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857/2015 ORIENTAÇÕES SOBRE AS MUDANÇAS NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857/2015 SUMÁRIO COMENTÁRIOS SOBRE ALTERAÇÕES NA NR-12 PROMOVIDAS PELA PORTARIA MTE Nº 857 DE 25/06/2015 3 PRINCIPAIS MUDANÇAS PROMOVIDAS

Leia mais

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611

Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 Metalúrgica JORBA Indústria e Comércio Ltda. Av. Emilio Giaquinto, 177 Parque Novo Mundo São Paulo SP CEP: 02181-110 Fone/Fax: (55-11) 2632-2611 CNPJ: 61.460.077/0001-39 / INSCR: 105.657.106.110 Gestão

Leia mais

Descrição de serviço: serviço de assistência básica de hardware para o consumidor

Descrição de serviço: serviço de assistência básica de hardware para o consumidor Service Description Consumer Basic Hardware Service Descrição de serviço: serviço de assistência básica de hardware para o consumidor O seu Sistema. Para efeitos do presente Contrato, um Sistema é identificado

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL.

INSTRUMENTO PARTICULAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL. INSTRUMENTO PARTICULAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL. Pelo presente instrumento particular, as partes abaixo designadas á saber, de um lado na condição de contratada: ÔMEGA ASSIST,

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Frotas (Transportes); 1.2) Proteger o Patrimônio Público contra o uso indevido, bem como atender a legislação em vigor e evitar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

Normas de acomodação em casas de família Alunos internacionais do ensino fundamental ao ensino médio

Normas de acomodação em casas de família Alunos internacionais do ensino fundamental ao ensino médio COLÚMBIA BRITÂNICA Normas de acomodação em casas de família Alunos internacionais do ensino fundamental ao ensino médio MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2015 Introdução Sobre as normas de acomodação em casas de

Leia mais

ESTÁGIO INTERNACIONAL CONTRATO MESTRE Brigham Young University

ESTÁGIO INTERNACIONAL CONTRATO MESTRE Brigham Young University ESTÁGIO INTERNACIONAL CONTRATO MESTRE Brigham Young University Contrato celebrado dia de, 201 ( Data da vigência ) entre a Brigham Young University, empresa sem fins lucrativos e instituição educacional

Leia mais

Código de conduta de parceiros de negócios da Pearson

Código de conduta de parceiros de negócios da Pearson Código de conduta de parceiros de negócios da Pearson Finalidade e escopo Na Pearson (incluindo suas subsidiárias e empresas com controle acionário), acreditamos fortemente que agir de forma ética e responsável

Leia mais

Política de Privacidade de Site

Política de Privacidade de Site Política de Privacidade de Site Esta Política de Privacidade de Site irá informá-lo sobre como usar e divulgar informações que nós e nossos prestadores de serviços recolhemos a partir de suas visitas a

Leia mais

Anunciante(s): são as empresas que fazem Anúncios Publicitários.

Anunciante(s): são as empresas que fazem Anúncios Publicitários. Termos de Uso Este Termo de Uso tem por objetivo informar as responsabilidades, deveres e obrigações que todo Usuário assume ao acessar o Site. O Usuário deve ler com atenção os termos abaixo antes de

Leia mais

Anexo para Dispositivos

Anexo para Dispositivos Contrato IBM Internacional PassportAdvantage Parte 1 Termos Gerais Anexo para Dispositivos Os termos deste Anexo para Dispositivos ("Anexo") entre ("Cliente"), e a IBM BRASIL Indústria, Máquinas e Serviços

Leia mais

seguras para administradores de organizadores do site Cisco WebEx Melhores práticas para reuniões Visão geral da privacidade WebEx

seguras para administradores de organizadores do site Cisco WebEx Melhores práticas para reuniões Visão geral da privacidade WebEx Visão geral da privacidade WebEx As soluções on-line ajudam a permitir que os funcionários globais e as equipes virtuais se reúnam e colaborarem em tempo real como se estivessem trabalhando na mesma sala.

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS

RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS ASSOCIADO: QUADRA: LOTE: FASE DATA DA RESERVA: / / VALOR DA DIÁRIA: R$ 151,50 (Cento E Cinquenta E Um Reais E Cinquenta Centavos) FORMA DE PAGAMENTO: À VISTA (EM DINHEIRO)

Leia mais