Sumário. Arquitetura do Universo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário. Arquitetura do Universo"

Transcrição

1 Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 A Vídeo: Do Big Bang até ao Sol. Escalas de comprimento, de temperatura e de tempo no Universo. O infinitamente grande e o infinitamente pequeno. Vídeo: Do Big Bang até ao Sol 1

2 Escalas de comprimento: Unidade Astronómica, UA ano-luz, al parsec, pc Escalas de temperatura: Kelvin, K Celcius, C Fahrenheit, F Escalas de tempo: segundo, s minuto, min hora, h dia, d ano, a Comprimento O metro é a unidade de comprimento do Sistema Internacional (SI). Corresponde aproximadamente à décima milionésima parte do comprimento de um quarto de um meridiano terrestre. Atualmente o metro é definido como sendo o comprimento do trajeto percorrido pela 1 luz no vácuo, durante um intervalo de tempo de do segundo (unidade de base ratificada pela 17ª CGPM ). Outras unidades de comprimento que não fazem parte do SI e que podem estar relacionadas com o metro: jarda = 0,914 m palmo = 0,22 m pé = 0,3048 m polegada = 0,0254 m 2

3 Unidade astronómica, UA É distância média da Terra ao Sol e foi estimada pela primeira vez (embora ainda distante do valor atualmente conhecido) por Jean Richer e Giovanni Domenico Cassini em Assim, a distância: da Terra ao Sol é 1,0 UA (por definição); de Mercúrio ao Sol é 0,39 UA; e de Marte ao Sol é 1,5 UA. 3

4 ano-luz, al O ano-luz é uma unidade de medida utilizada pelos astrónomos para exprimir a distância entre estrelas. 1 al = x 365,25 x 24 x 3600 = 9, x m = 9,46 x m = 9,46 x km Por exemplo, a distância da Estrela Polar à Terra é de 680 anos-luz, o que significa que a luz que se vê desta estrela, nas noites de céu limpo, foi emitida há cerca de 680 anos. Esta medida o ano-luz permite-nos, também, saber que o tempo que a luz do Sol leva a chegar à Terra é de 8,3 minutos ou que a nossa galáxia (a Via Láctea) tem cerca de anos-luz de diâmetro. Parsec, pc Utiliza-se na medição das grandes distâncias que separam os corpos celestes. O parsec é definido como a distância à qual um objeto celeste, como, por exemplo, uma estrela, está da Terra, tendo um ângulo de paralaxe de um segundo de arco (ou 1 ). O termo parsec deriva da contração entre parallax (paralaxe) e second (segundo). 1 pc = 3, x m = 3,1 x m = 3,1 x km 4

5 Relação entre: UA, al e pc Temperatura A temperatura é uma grandeza que permite avaliar o grau de calor de um corpo. A temperatura desempenha um papel essencial em quase todos os campos da ciência como, por exemplo, na Química, no estudo das propriedades de muitos materiais. Para medir a temperatura utiliza-se o termómetro e para exprimir os seus valores são utilizadas três escalas distintas, sendo as suas unidades expressas em: Kelvin (K) - é a unidade do Sistema Internacional (SI) Celsius ( C) Fahrenheit ( F) 5

6 Escalas de Temperatura Tempo A necessidade de medir o tempo acompanha o ser humano desde sempre. No passado, eram utilizados na medição do tempo instrumentos como a ampulheta. Atualmente, o tempo mede-se utilizando cronómetros, relógios, etc. No Sistema Internacional, S.I., a unidade (escala) de tempo utilizada é o segundo (s). Esta unidade corresponde à duração de períodos da radiação correspondente à transição entre os 2 níveis hiperfinos do estado fundamental do isótopo 133 do átomo de césio, medidos a 0 K. 6

7 Unidades de Tempo Minuto Unidade de tempo equivalente a 60 segundos (símbolo min). Sexagésima parte de uma hora. Hora Período correspondente à vigésima quarta parte do dia terrestre médio. Intervalo de tempo equivalente a sessenta minutos. Ano Intervalo de tempo que a Terra gasta numa translação completa em volta do Sol. 7

8 TPC APSA 1 O infinitamente grande e o infinitamente pequeno: escalas. 8

Descrevendo Grandezas Físicas. Prof. Warlley Ligório Antunes

Descrevendo Grandezas Físicas. Prof. Warlley Ligório Antunes Descrevendo Grandezas Físicas Prof. Warlley Ligório Antunes Grandezas Físicas Define-se grandeza como tudo aquilo que pode ser comparado com um padrão por meio de uma medição. Exemplo: Este corpo tem várias

Leia mais

Conjuntos Numéricos. É um subconjunto de números naturais que possuem exatamente dois divisores: o número 1 e ele mesmo. { }

Conjuntos Numéricos. É um subconjunto de números naturais que possuem exatamente dois divisores: o número 1 e ele mesmo. { } CURSO: ASTRONOMIA APLICADA À NAVEGAÇÃO PROFESSOR: ALEXANDRE RIBEIRO ANDRADE MÓDULO 1: MATEMÁTICA APLICADA NA ASTRONOMIA NÁUTICA Apostila 1: Sistema de Unidades utilizadas na Navegação e na Astronomia,

Leia mais

O tamanho, idade e conteúdo do Universo.

O tamanho, idade e conteúdo do Universo. O tamanho, idade e conteúdo do Universo. Sumário Nosso endereço cósmico Distâncias e tamanhos no universo: Sistema Solar Estrelas Galáxias Aglomerados de Galáxias Universo Tamanho e idade do Universo Conteúdo

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2009 ROTEIRO GERAL Fenômenos astronômicos no dia-a-dia Movimentos da Terra heliocentrismo

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA A DIA

ASTRONOMIA NO DIA A DIA ASTRONOMIA NO DIA A DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2013 Astronomia no dia a dia Qual é a forma e movimentos da Terra? O Metro e o Segundo

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

Uma viagem da Terra às Estrelas.

Uma viagem da Terra às Estrelas. Uma viagem da Terra às Estrelas. Luís Cunha Depº de Física Universidade do Minho Júpiter e Io vistos da sonda Cassini Tópicos para a sessão 1 Primeira parte da sessão 1 a) As escalas do Cosmos unidades

Leia mais

Biofísica Faculdade de Educação e Artes FEA

Biofísica Faculdade de Educação e Artes FEA Biofísica Faculdade de Educação e Artes FEA Prof. Dr. Sergio Pilling (IP&D/ Física e Astronomia) PARTE A Unidades, Grandezas, Escalas e Graficos. Objetivos: Nomear e conceituar as grandezas fundamentais

Leia mais

Universidade da Madeira Estudo do Meio Físico-Natural I Astronomia Problemas propostos

Universidade da Madeira Estudo do Meio Físico-Natural I Astronomia Problemas propostos Universidade da Madeira Estudo do Meio Físico-Natural I Astronomia Problemas propostos J. L. G. Sobrinho 1,2 1 Centro de Ciências Exactas e da Engenharia, Universidade da Madeira 2 Grupo de Astronomia

Leia mais

O Sistema Solar, a Galáxia e o Universo. Prof Miriani G. Pastoriza Dep de Astronomia, IF

O Sistema Solar, a Galáxia e o Universo. Prof Miriani G. Pastoriza Dep de Astronomia, IF O Sistema Solar, a Galáxia e o Universo Prof Miriani G. Pastoriza Dep de Astronomia, IF O Sistema Solar Matéria do Sis. Solar (%) Sol 99.85 Planetas 0.135 Cometas:0.01 Satélites Meteoróides Meio Interplanetario

Leia mais

LOGO FQA. Unidade 1 de FQA Nível 2. GPS e MCU. Satélites e Movimento Circular Uniforme. Marília Peres e Rosa Pais

LOGO FQA. Unidade 1 de FQA Nível 2. GPS e MCU. Satélites e Movimento Circular Uniforme. Marília Peres e Rosa Pais LOGO FQA Unidade 1 de FQA Nível 2 GPS e MCU Satélites e Movimento Circular Uniforme Marília Peres e Rosa Pais Índice 1 GPS - Sistema de Posicionamento Global 2 3 Coordenadas e Relógios Satélites Geoestacionários

Leia mais

Parte 2. Escola Secundária José Saramago FQA 10º ano 2007/2008 Marília Peres

Parte 2. Escola Secundária José Saramago FQA 10º ano 2007/2008 Marília Peres Parte 2 Escola Secundária José Saramago FQA 10º ano 2007/2008 Marília Peres A expansão do Universo No início do século XX, descobriu-se que: as galáxias, na sua grande maioria afastam-se umas das outras;

Leia mais

Início 15.09.11 03.01.12 10.04.12 Final 16.12.11 23.03.12 08.06.12 Interrupções - 20 22 Fev 2012 -

Início 15.09.11 03.01.12 10.04.12 Final 16.12.11 23.03.12 08.06.12 Interrupções - 20 22 Fev 2012 - TOTAL Outras Atividades Tema B: Terra em Transformação Tema A: Terra no Espaço Departamento de Matemática e Ciências Experimentais PLANIFICAÇÃO 7º Ano de Ciências Físico-Químicas Ano Letivo 2011 / 2012

Leia mais

Escola Básica e Secundária da Calheta Físico-Química 7.º Ano de escolaridade Turmas A e B

Escola Básica e Secundária da Calheta Físico-Química 7.º Ano de escolaridade Turmas A e B Escola Básica e Secundária da Calheta Físico-Química 7.º Ano de escolaridade Turmas A e B Ano letivo 205/206 FICHA DE TRABALHO DISTÂNCIAS NO UNIVERSO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO PONDO EM PRÁTICA OS MEUS CONHECIMENTOS.

Leia mais

Sistema Internacional de Unidades de acordo com DL 238/94 (19/9), DR 2/95 (3/1) e DL 254/02 (22/11)

Sistema Internacional de Unidades de acordo com DL 238/94 (19/9), DR 2/95 (3/1) e DL 254/02 (22/11) Sistema Internacional de s de acordo com DL 238/94 (19/9), DR 2/95 (3/1) e DL 254/02 (22/11) Compilação, adaptação e verificação: Manuel Matos FEUP, Dezembro 2003 0. Introdução O presente texto vem na

Leia mais

Revisão de conceitos. Grandezas Algarismos significativos Unidades de medida

Revisão de conceitos. Grandezas Algarismos significativos Unidades de medida Revisão de conceitos Grandezas Algarismos significativos Unidades de medida Grandezas Físicas Define-se grandeza como tudo aquilo que pode ser comparado com um padrão por meio de uma medição. Exemplo:

Leia mais

2 A culpa é da barreira!

2 A culpa é da barreira! A U A UL LA A culpa é da barreira! A torcida vibra. Daquela distância é gol na certa, é quase um pênalti. O árbitro conta os passos regulamentares. A regra diz: são 10 passos (9,15 metros) para a formação

Leia mais

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 14 de Abril de 2010 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final

Leia mais

06-01-2012. Sumário. O Sistema Solar. Principais características dos planetas do Sistema Solar 05/01/2012. 23 e 24

06-01-2012. Sumário. O Sistema Solar. Principais características dos planetas do Sistema Solar 05/01/2012. 23 e 24 Sumário Os planetas do Sistema Solar e as suas principais características. (BI dos Planetas do Sistema Solar). Atividade Prática de Sala de Aula Características dos planetas. Preenchimento de tabelas,

Leia mais

SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES (SI)

SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES (SI) Grandezas e Unidades de Base Grandeza física de base (símbolo) Unidade de base (símbolo) Dimensão de base Definição da unidade de base comprimento (l) metro (m) L 1 m é o comprimento do trajecto da luz,

Leia mais

Ciclo: 3º Ano: 7º Disciplina: Físico-Química. Atividades / Estratégias. Nº aulas previstas. Avaliação

Ciclo: 3º Ano: 7º Disciplina: Físico-Química. Atividades / Estratégias. Nº aulas previstas. Avaliação código 171608 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DOMINGOS JARDO Direção Regional de Educação de Lisboa Ciclo: º Ano: 7º Disciplina: Físico-Química Conteúdos I - O Universo 1. O que existe no Universo 1.1 Estrutura

Leia mais

9 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

9 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 1 9 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Final Nacional Prova teórica 11 de abril de 2014, início: 16:45 Duração máxima 120 minutos Notas: Leia atentamente todas as questões. Todas as respostas devem

Leia mais

METROLOGIA Escala e Paquímetro. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

METROLOGIA Escala e Paquímetro. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. METROLOGIA Escala e Paquímetro Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Regras de Arredondamento Quando o algarismo seguinte ao último algarismo a ser conservado for inferior a 5, o último algarismo a ser conservado

Leia mais

O Alfabeto Grego. Símbolos Matemáticos Recomendados

O Alfabeto Grego. Símbolos Matemáticos Recomendados Antônio Cardoso Neto Página 1 O Alfabeto Grego Nome Minúscula Maiúscula Nome Minúscula Maiúscula Alfa α Α Nü ν Ν Beta β Β Csi ξ Ξ Gama γ Γ Omicron ο Ο Dhelta δ Pi π Π Épsilon ε Ε Ro ρ Ρ Zeta ζ Ζ Sigma

Leia mais

ASTRONOMIA APLICADA À NAVEGAÇÃO

ASTRONOMIA APLICADA À NAVEGAÇÃO CURSO ASTRONOMIA APLICADA À NAVEGAÇÃO CARGA HORÁRIA: 160 HORAS PROJETO: IMPORTÂNCIA DA ASTRONOMIA NA NAVEGAÇÃO PROGRAMA: EU E O MAR PROFESSOR RESPONSÁVEL: ALEXANDRE RIBEIRO ANDRADE COORDENADORA DO PROJETO:

Leia mais

15 O sistema solar e seus planetas

15 O sistema solar e seus planetas A U A UL LA Atenção O sistema solar e seus planetas Leia com atenção as notícias abaixo, que apareceram em jornais de diferentes épocas. ANO DE 1781 CIENTISTAS DESCOBREM NOVO PLANETA De há quase 2.000

Leia mais

7 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

7 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 7 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova Teórica Final 25 de Maio de 2012 10:00 (Açores) Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final da

Leia mais

PAUTA DO DIA. Acolhida Revisão Interatividades Intervalo Avaliação

PAUTA DO DIA. Acolhida Revisão Interatividades Intervalo Avaliação PAUTA DO DIA Acolhida Revisão Interatividades Intervalo Avaliação REVISÃO 1 Astronomia Ciência que estuda os astros e os fenômenos relacionados a eles. REVISÃO 1 Relaciona os fenômenos celestes aos fatos

Leia mais

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 14 de Abril de 2009 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final

Leia mais

UNIDADES EM QUÍMICA UNIDADES SI COMPRIMENTO E MASSA

UNIDADES EM QUÍMICA UNIDADES SI COMPRIMENTO E MASSA UNIDADES EM QUÍMICA O sistema métrico, criado e adotado na França durante a revolução francesa, é o sistema de unidades de medida adotada pela maioria dos paises em todo o mundo. UNIDADES SI Em 1960, houve

Leia mais

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t

TERMOMETRIA TERMOLOGIA. Escalas Termométricas. Dilatação Superficial. Dilatação Linear. A = Ao. β. t. L = Lo. α. t TERMOMETRIA TERMOLOGIA Temperatura grandeza escalar associada ao grau de vibração térmica das partículas de um corpo. Equilíbrio térmico corpos em contato com diferentes temperaturas trocam calor, e após

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

Aula Inaugural. Introdução à Astrofísica. Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com)

Aula Inaugural. Introdução à Astrofísica. Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com) Aula Inaugural Introdução à Astrofísica Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com) Livros recomendados:!! 1 - An Introduction to Modern Astrophysics, Bradley W. Carroll & Dale A. Ostlie, Second

Leia mais

Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas. Tempo e Relógios. Baseado no trabalho de: Ana Sofia Cunha m1892 Christian Lopes a15132 UBI, 2008

Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas. Tempo e Relógios. Baseado no trabalho de: Ana Sofia Cunha m1892 Christian Lopes a15132 UBI, 2008 Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Tempo e Relógios 1 Baseado no trabalho de: Ana Sofia Cunha m1892 Christian Lopes a15132 UBI, 2008 O papel do tempo 2 Crucial na ordenação de eventos Tempo Real?

Leia mais

DISCIPLINA DE FÍSICA. Capítulo 1 Sistemas de unidades

DISCIPLINA DE FÍSICA. Capítulo 1 Sistemas de unidades DISCIPLINA DE FÍSICA Curso de Engenharia de Civil ano lectivo: 2010-2011 1º semestre 1.1 Medidas e Unidades Capítulo 1 Sistemas de unidades O estudo e compreensão da natureza, dos fenómenos naturais e

Leia mais

Capítulo 8. ESTRELAS : Distâncias e Magnitudes

Capítulo 8. ESTRELAS : Distâncias e Magnitudes Observatórios Virtuais Fundamentos de Astronomia Cap. 8 (Gregorio-Hetem & Jatenco-Pereira Capítulo 8 ESTRELAS : Distâncias e Magnitudes Tendo estudado de que forma as estrelas emitem sua radiação, e em

Leia mais

Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense Universidade Federal Fluminense Curso de Formação continuada em Astronomia Para professores de Educação Básica Prof. Dr. Tibério Borges Vale Projeto de Extensão O uso da Astronomia como elemento didático

Leia mais

R. Boczko R. Boczko IAG - USP

R. Boczko R. Boczko IAG - USP R. Boczko R. Boczko IAG - USP Escalas de Distância e de Tempo usadas em Astronomia 11 1 4 R. Boczko IAG-USP Abrangência da Astronomia -3-2 -1 Metro 1 5 1 15 2 25 Micro mundo (tempo) -44-4 -3-2 -1 1 = 1

Leia mais

UNIDADE 2: ASTRONOMIA

UNIDADE 2: ASTRONOMIA UNIDADE 2: ASTRONOMIA ARISTÓTELES (384-322 a.c.) Afirmou que a Terra era redonda devido à sombra esférica deixada por ela durante o eclipse lunar. ERATÓSTENES (273-194 a.c.) Mediu a circunferência da Terra

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ BELCHIOR VIEGAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ BELCHIOR VIEGAS Planificação Anual FÍSICO- QUÍMICA - 3º CICLO 7º ANO Ano letivo 2015/2016 Calendarização Subdomínio Nº de aulas previstas Domínio: Espaço Metas Curriculares Subdomínios: 1. Conhecer e compreender a constituição

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

Termologia. Ramo da física que estuda o. relacionados.

Termologia. Ramo da física que estuda o. relacionados. Termologia Termologia Ramo da física que estuda o calor e os fenômenos relacionados. TEMPERATURA ATemperatura é uma grandeza física que mede o nível de agitaçãodas partículas (átomos ou moléculas) que

Leia mais

A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES?

A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES? A NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA É SIMPLES? 2005 Curso de Capitão o Amador: PROGRAMA E INSTRUÇÕES GERAIS PARA O EXAME DE CAPITÃO O exame para a categoria de Capitão Amador constará de uma prova escrita, com duração

Leia mais

Introdução aos conceitos de medidas. Prof. César Bastos

Introdução aos conceitos de medidas. Prof. César Bastos Introdução aos conceitos de medidas. Prof. César Bastos Prof. César Bastos 2009 pág. 1 Medidas 1.1 Sistema Internacional de Unidades Durante muito tempo cada reino estabelecia suas unidades (padrões) de

Leia mais

PLASTOFLEX tintas e plásticos ltda. GUIA PARA CONSULTA

PLASTOFLEX tintas e plásticos ltda. GUIA PARA CONSULTA GUIA PARA CONSULTA VIII TABELAS ÚTEIS SÉRIE GALVÂNICA DE ALGUNS METAIS E LIGAS Esta série galvânica de alguns metais e ligas usados na prática, foi elaborada de forma que os metais de comportamento mais

Leia mais

- A mecânica é a parte da Física que estuda os movimentos; - Estuda o movimento dos corpos sem abordar as causas desse movimento. RESPONDA!

- A mecânica é a parte da Física que estuda os movimentos; - Estuda o movimento dos corpos sem abordar as causas desse movimento. RESPONDA! CAPÍTULO 11 O MOVIMENTO COM VELOCICADE CONSTANTE - A mecânica é a parte da Física que estuda os movimentos; - Ela pode ser dividida em: A) CINEMÁTICA - Estuda o movimento dos corpos sem abordar as causas

Leia mais

Tópicos que serão explorados na aula

Tópicos que serão explorados na aula Tópicos que serão explorados na aula 1. Padrão de Comprimento 2. Natureza da Luz 3. Tipos de Interferômetros a Laser 4. Aplicações em Engenharia Mecânica 4.1. Metrologia (Deslocamento, Erros de Retilineidade,

Leia mais

Fenômenos de transferência

Fenômenos de transferência Tratam da movimentação de uma grandeza física de um ponto para outro do espaço e dão corpo à disciplina Fenômenos de Transporte: Fenômenos de transferência Transporte de quantidade de movimento; Transporte

Leia mais

03) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura.

03) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura. PROVA DE ÍIA º ANO - 1ª MENAL - 1º RIMERE IPO A 1) Assinale verdadeira (V) ou falsa () para as seguintes afirmativas. () alor é a energia interna em trânsito entre dois ou mais corpos devido ao fato de

Leia mais

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta CARTOGRAFIA Sistemas de Coordenadas Prof. Luiz Rotta SISTEMA DE COORDENADAS Por que os sistemas de coordenadas são necessários? Para expressar a posição de pontos sobre uma superfície É com base em sistemas

Leia mais

F031 - Tópicos em Astronomia e Astrofísica. Parte 1: Propriedades das Estrelas. Prof. Ernesto Kemp UNICAMP IFGW DRCC kemp@ifi.unicamp.

F031 - Tópicos em Astronomia e Astrofísica. Parte 1: Propriedades das Estrelas. Prof. Ernesto Kemp UNICAMP IFGW DRCC kemp@ifi.unicamp. F031 - Tópicos em Astronomia e Astrofísica Parte 1: Propriedades das Estrelas Prof. Ernesto Kemp UNICAMP IFGW DRCC kemp@ifi.unicamp.br Considerações sobre Astrofísica: A astrofísica é uma CIÊNCIA, e para

Leia mais

Escola E.B. 2,3 D. Afonso III Ano Letivo: 2014/2015

Escola E.B. 2,3 D. Afonso III Ano Letivo: 2014/2015 Escola E.B. 2,3 D. Afonso III Ano Letivo: 2014/2015 Plano Curricular de Ciências Físico-Químicas - 3º Ciclo 7º Ano Domínio Subdomínios Metas Nº de Aulas Previstas ESPAÇO 7º Ano Universo 1. Conhecer e compreender

Leia mais

X Olimpíada Santa Cecília de Ciências da Natureza, Matemática e Redação 6º ANO

X Olimpíada Santa Cecília de Ciências da Natureza, Matemática e Redação 6º ANO 6º ANO 3933_3ªET/14-Circular Olimp.(6º)CP_ARIS369 6º ANO Olimpíada Santa Cecília de Ciências, na(s) seguinte(s) disciplina(s): ( ) ( ) Ciências ( ) Redação Ciências de 05, e terá a duração de 4 As provas

Leia mais

REVISÃO E CONTROLE DO FUNCIONAMENTO DOS FORNOS DE CURA TÊXTIL

REVISÃO E CONTROLE DO FUNCIONAMENTO DOS FORNOS DE CURA TÊXTIL REVISÃO E CONTROLE DO FUNCIONAMENTO DOS FORNOS DE CURA TÊXTIL As tintas de plastisol curam somente a uma temperatura e tempo determinados; falando em termos analíticos, podemos então dizer que a cura do

Leia mais

Unidade IX: Gravitação Universal

Unidade IX: Gravitação Universal Página 1 de 5 Unidade IX: Gravitação Universal 9.1 Introdução: Até o século XV, o homem concebia o Universo como um conjunto de esferas de cristal, com a Terra no centro. Essa concepção do Universo, denominada

Leia mais

Diferentes padrões para uma mesma medida.

Diferentes padrões para uma mesma medida. Diferentes padrões para uma mesma medida. Antes de iniciarmos o assunto desta atividade, veremos como se deu a evolução das medidas utilizadas pelo homem e depois trataremos das proporções do Homem Vitruviano.

Leia mais

Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Ciências Físico-Químicas Teste Intermédio Ciências Físico-Químicas Caderno 2 Duração do Teste: 40 min (Caderno 1) + 10 min (pausa) + 40 min (Caderno 2) 19.05.2011 9.º Ano de Escolaridade

Leia mais

1) Unidades de Medida

1) Unidades de Medida CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO Conceitos Fundamentais Cedtec 2007/2 Sem equivalente na Apostila 1 Pressão e NívelN 1) Unidades de Medida É necessário saber trabalhar com unidades de medida no Sistema Internacional

Leia mais

Unidade IX: Gravitação Universal

Unidade IX: Gravitação Universal Colégio Santa Catarina Unidade IX: Gravitação Universal 143 Unidade IX: Gravitação Universal 9.1 Introdução: Até o século XV, o homem concebia o Universo como um conjunto de esferas de cristal, com a Terra

Leia mais

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis A origem do Universo A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo naturalizado estadunidense,

Leia mais

2. Compreender a classificação dos materiais em substâncias e misturas.

2. Compreender a classificação dos materiais em substâncias e misturas. ESCOLA E.B. 2,3 DE ANTÓNIO FEIJÓ Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Ciências Físico-Químicas 7.º ano Ano letivo 2015/201 Distribuição dos temas específicos da disciplina de ciências Físico-Químicas,

Leia mais

AULA 03 ESCALAS E DESENHO TOPOGRÁFICO

AULA 03 ESCALAS E DESENHO TOPOGRÁFICO Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Agrícola Disciplina: Topografia Básica Facilitadores: Nonato, Julien e Fabrício AULA 03 ESCALAS E DESENHO TOPOGRÁFICO

Leia mais

ASTRONOMIA. A coisa mais incompreensível a respeito do Universo é que ele é compreensível Albert Einstein

ASTRONOMIA. A coisa mais incompreensível a respeito do Universo é que ele é compreensível Albert Einstein ASTRONOMIA A coisa mais incompreensível a respeito do Universo é que ele é compreensível Albert Einstein ASTRONOMIA A LUZ PROVENIENTE DE ESTRELAS DISTANTES PROVA QUE O UNIVERSO É ANTIGO? Vivemos num universo

Leia mais

O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES

O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES Adaptado de Roberto A. Stempniak 1. Introdução Estas notas têm por finalidade expor resumidamente algumas das características mais importantes do Sistema Internacional

Leia mais

Prova final teórica. 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia. 05 de Junho de 2010 15:00. Duração máxima 120 minutos

Prova final teórica. 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia. 05 de Junho de 2010 15:00. Duração máxima 120 minutos 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova final teórica 05 de Junho de 2010 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final da prova 1.

Leia mais

NÍVEL II OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2013. Ensino Médio - 1ª e 2ª séries. 1ª FASE 18 de maio de 2013

NÍVEL II OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2013. Ensino Médio - 1ª e 2ª séries. 1ª FASE 18 de maio de 2013 OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2013 1ª FASE 18 de maio de 2013 NÍVEL II Ensino Médio - 1ª e 2ª séries O UNIVERSO EM ESCALA PLANETÁRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 01) Esta prova destina-se exclusivamente

Leia mais

Medidas e Grandezas em Física

Medidas e Grandezas em Física CMJF - Colégio Militar de Juiz de Fora - Laboratório de Física Medidas e Grandezas em Física MEDIDAS EM FÍSICA Uma das maneiras de se estudar um fenômeno é estabelecer relações matemáticas entre as grandezas

Leia mais

TRIGONOMETRIA CICLO TRIGONOMÉTRICO

TRIGONOMETRIA CICLO TRIGONOMÉTRICO TRIGONOMETRIA CICLO TRIGONOMÉTRICO Arcos de circunferência A e B dividem a circunferência em duas partes. Cada uma dessas partes é um arco de circunferência (ou apenas arco). A e B são denominados extremidades

Leia mais

CAPÍTULO 3 INSPEÇÃO E METROLOGIA

CAPÍTULO 3 INSPEÇÃO E METROLOGIA CAPÍTULO 3 INSPEÇÃO E METROLOGIA 3.1. INSPEÇÃO Conjunto de procedimentos técnicos com a finalidade de classificar o produto ou lote de produtos em aceito ou rejeitado. Pode ser efetuada em: Produtos acabados

Leia mais

QUÍMICA TECNOLÓGICA I

QUÍMICA TECNOLÓGICA I Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG QUÍMICA TECNOLÓGICA I Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira flaviana.tavares@ufvjm.edu.br Alquimia

Leia mais

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Comitê Científico e Didático. Processo de Seleção para Olimpíadas Internacionais de 2011

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Comitê Científico e Didático. Processo de Seleção para Olimpíadas Internacionais de 2011 Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica Comitê Científico e Didático Processo de Seleção para Olimpíadas Internacionais de 2011 Prova Final RECOMENDAÇÕES GERAIS Respire fundo. Pense. Explique

Leia mais

Escola Secundária de José Saramago FQA 10º ano Marília Peres. resto do Universo também

Escola Secundária de José Saramago FQA 10º ano Marília Peres. resto do Universo também Escola Secundária de José Saramago FQA 10º ano Marília Peres Nós somos Química e o Nós somos Química e o resto do Universo também 1 Introdução «A coisa mais incompreensível acerca do nosso Universo é que

Leia mais

16 Comprimento e área do círculo

16 Comprimento e área do círculo A UA UL LA Comprimento e área do círculo Introdução Nesta aula vamos aprender um pouco mais sobre o círculo, que começou a ser estudado há aproximadamente 4000 anos. Os círculos fazem parte do seu dia-a-dia.

Leia mais

Quando você receber a nova edição do Caderno do Aluno, veja o que mudou e analise as diferenças, para estar sempre bem preparado para suas aulas.

Quando você receber a nova edição do Caderno do Aluno, veja o que mudou e analise as diferenças, para estar sempre bem preparado para suas aulas. Caro Professor, Em 009 os Cadernos do Aluno foram editados e distribuídos a todos os estudantes da rede estadual de ensino. Eles serviram de apoio ao trabalho dos professores ao longo de todo o ano e foram

Leia mais

ESCOLA SALESIANA DE MANIQUE TESTE DE AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS ANO LECTIVO 2010/2011

ESCOLA SALESIANA DE MANIQUE TESTE DE AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS ANO LECTIVO 2010/2011 ESCOLA SALESIANA DE MANIQUE TESTE DE AVALIAÇÃO DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS ANO LECTIVO 2010/2011 Nome: 7.º Ano Turma Nº: Encarregado de Educação: Classificação: Professor: 1. Observe a figura seguinte,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2,3 DE PEDROUÇOS ANO LETIVO 2012/2013. PLANIFICAÇÃO DIDÁTICA Ciências Físico-Químicas 7º Ano

ESCOLA BÁSICA 2,3 DE PEDROUÇOS ANO LETIVO 2012/2013. PLANIFICAÇÃO DIDÁTICA Ciências Físico-Químicas 7º Ano ESCOLA BÁSICA, DE PEDROUÇOS ANO LETIVO 0/0 PLANIFICAÇÃO DIDÁTICA Ciências Físico-Químicas 7º Ano Domínio / Subdomínio Meta Final Metas Intermédias Tempos Letivos Avaliação Terra no Espaço Universo O aluno

Leia mais

Apostila de Noções de Mecânica

Apostila de Noções de Mecânica INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Apostila de Noções de Mecânica Metrologia Apostila de introdução à metrologia. Disciplina: Noções de Mecânica, Curso Técnico em

Leia mais

RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE. Capítulo 3 Meteorologia Básica e Aplicações (Vianello e Alves)

RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE. Capítulo 3 Meteorologia Básica e Aplicações (Vianello e Alves) RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE Capítulo 3 Meteorologia Básica e Aplicações (Vianello e Alves) INTRODUÇÃO A Radiação Solar é a maior fonte de energia para a Terra, sendo o principal elemento meteorológico,

Leia mais

Metas Objetivos/Descritores de Desempenho. 1. Conhecer e compreender a constituição do Universo, localizando a Terra, e O que existe no Universo.

Metas Objetivos/Descritores de Desempenho. 1. Conhecer e compreender a constituição do Universo, localizando a Terra, e O que existe no Universo. Agrupamento de Escolas de Freixo 3.º Ciclo Disciplina Ciências Físico-Químicas Ano 7.º Domínios/Subdomínios Metas Objetivos/Descritores de Desempenho Atividades/ Conteúdos Aulas Previstas 1. Conhecer e

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23)

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Planificação de Ciências Físico Químicas 7º ano 2014/2015 Tema Conteúdos Metas de aprendizagem Operacionalização Avaliação Terra no espaç o O Universo 1. O que existe no Universo 1.1.Origem e evolução

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE FÍSICO-QUÍMICA 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE FÍSICO-QUÍMICA 7.º ANO DE FÍSICO-QUÍMICA 7.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: o Conhecer e compreender a constituição do Universo, localizando a Terra, e reconhecer o papel da observação e dos instrumentos

Leia mais

Introdução à astronomia O Sistema Solar

Introdução à astronomia O Sistema Solar Introdução à astronomia O Sistema Solar Introdução a astronomia A Lua A Terra Viver na Terra Introdução a Astronomia Astronomia é a ciência que estuda os astros e os fenômenos celestes. Universo é o conjunto

Leia mais

Sérgio Rui de Almeida Fialho. Relatório de Atividade Profissional Mestrado em Ciências Formação Contínua de Professores: Física e Química

Sérgio Rui de Almeida Fialho. Relatório de Atividade Profissional Mestrado em Ciências Formação Contínua de Professores: Física e Química Sérgio Rui de Almeida Fialho Relatório de Atividade Profissional Mestrado em Ciências Formação Contínua de Professores: Física e Química UMinho 2012 Relatório de Atividade Profissional Sérgio Rui de Almeida

Leia mais

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse

Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor (a) Supervisor (a): Ary Pereira Bolsistas: Ana Moser e Débora Leyse Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Departamento de Geografia Programa Institucional de Iniciação à docência (PIBID) Escola Estadual Jerônimo Gueiros Professor

Leia mais

ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA METROLOGIA

ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA METROLOGIA ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA METROLOGIA 1-1 - ENCARREGADO DE MONTAGEM MECÂNICA METROLOGIA 2 PETROBRAS Petróleo Brasileiro S.A. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610, de 19.2.1998.

Leia mais

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor.

Movimentos da Terra. 4) Número de aulas: São seis etapas que serão divididas em aulas a critério do professor. Movimentos da Terra 1) Objetivo Geral Aplicar os conhecimentos sobre os movimentos da Terra e da Lua para o cotidiano, e mais especificamente, para a economia de energia elétrica como o horário de verão

Leia mais

Docente: Prof. Doutor Ricardo Cunha Teixeira Discentes: Carlos Silva Sara Teixeira Vera Pimentel

Docente: Prof. Doutor Ricardo Cunha Teixeira Discentes: Carlos Silva Sara Teixeira Vera Pimentel Docente: Prof. Doutor Ricardo Cunha Teixeira Discentes: Carlos Silva Sara Teixeira Vera Pimentel Sem a Matemática, não poderia haver Astronomia; sem os recursos maravilhosos da Astronomia, seria completamente

Leia mais

Ordens de Grandeza. Dada a abragência da Física atual micro-macro cosmo, é no entanto importante compreender números nessas ordens.

Ordens de Grandeza. Dada a abragência da Física atual micro-macro cosmo, é no entanto importante compreender números nessas ordens. Ordens de Grandeza Porque usamos as potências de 10: Se nos disserem que o raio do átomo de hidrogênio é igual a 0,000.000.005 cm ou que uma dada célula tem cerca de 2.000.000.000.000 de átomos dificilmente

Leia mais

Versão 1. Identifica, claramente, na folha de respostas, a versão do teste (1 ou 2) a que respondes.

Versão 1. Identifica, claramente, na folha de respostas, a versão do teste (1 ou 2) a que respondes. Teste Intermédio de Matemática Versão 1 Teste Intermédio Matemática Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 11.05.2010 3.º iclo do Ensino ásico 9.º ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de Janeiro

Leia mais

XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar

XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar XI OLIMPÍADA REGIONAL DE CIÊNCIAS-2009 O Sistema Solar Gabarito Primeira Fase Cruzadinha 3 6 1 V Ê N U S E 2 L U A 8 1 S N M 3 E S P E C T R O S C O P I A Q 2 R R U T E 4 É I 4 E C L Í P T I C A 7 N R

Leia mais

9 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

9 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 9 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 5 de Março de 2014 15:00 (Continente e Madeira) / 14:00 (Açores) Duração máxima 120 minutos Notas: Leia atentamente todas as questões.

Leia mais

Abril Educação Fontes de energia, calor e temperatura Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Abril Educação Fontes de energia, calor e temperatura Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Abril Educação Fontes de energia, calor e temperatura Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 Como podemos relacionar o calor, a agitação térmica e o equilíbrio térmico? Questão 2 O

Leia mais

Departamento de Astronomia - Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Astronomia - Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento de Astronomia - Universidade Federal do Rio Grande do Sul FIS02010-A - FUNDAMENTOS DE ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A 3.a PROVA - 2012/1 - Turma C NOME: I.Nas questões de 1 a 20, escolhe a alternativa

Leia mais

FÍSICA. Do grego physis = natureza. E-mail: contato@profmueller.net. Site: www.profmueller.net

FÍSICA. Do grego physis = natureza. E-mail: contato@profmueller.net. Site: www.profmueller.net FÍSICA Do grego physis = natureza Objetivo da Física A Física, como ciência, tem como objetivo descrever e explicar os fenômenos físicos da natureza, ou seja, aqueles que não alteram a estrutura da matéria.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 1º Período Terra no Espaço O que existe no universo 1. Estrutura e formação do Universo. 1.1 Descrição sumária da descrição do Universo, identificando as principais estruturas: estrelas, sistemas planetários,

Leia mais

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais

Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento. Bons Estudos!

Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento. Bons Estudos! EXERCÍCIO DE REVISÃO - GEOGRAFIA 6º ano Profª. Ms. Graziella Fernandes de Castro Queridos alunos, Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento.

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE I

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE I Aula: 6.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE I 2 O universo 3 Galáxias São conjuntos de sistemas estelares que contêm mais de 100 bilhões de estrelas, poeira e gases. Via Láctea Constelação Agrupamento aparente

Leia mais

Claudia Regina Campos de Carvalho. Módulo I

Claudia Regina Campos de Carvalho. Módulo I Módulo I 1) Dúvidas ou Problemas ao longo do curso deverão ser resolvidas diretamente com o professor responsável (Profa. Claudia R. C. de Carvalho) que estará disponível na sala dos professores ou sala

Leia mais

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano.

As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. PROFESSORA NAIANE As estações do ano acontecem por causa da inclinação do eixo da Terra em relação ao Sol. O movimento do nosso planeta em torno do Sol, dura um ano. A este movimento dá-se o nome de movimento

Leia mais