Controle da Contaminação in vitro de Explantes de Nim Indiano.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Controle da Contaminação in vitro de Explantes de Nim Indiano."

Transcrição

1 Controle da Contaminação in vitro de Explantes de Nim Indiano. Giuseppe Serra Seca Vieira 1 ; Kicia Karinne Pereira Gomes 2 ; Ana da Silva Ledo 3 ; Arie Fitzgerald Blank 4 Bolsista FAP-SE e estagiário da Embrapa Tabuleiros Costeiros,CP. 44 CEP , Aracaju-SE; Bolsista PIBIC/CNPq convênio Embrapa Tabuleiros Costeiros; Eng. Agr., D. Sc. pesquisadora da Embrapa Tabuleiros Costeiros; Professor da UFS-Departamento de Agronomia, Av. Marechal Rondon s/n CEP São Cristóvão-SE. RESUMO A assepsia do material vegetal é muito importante para a micropropagação, evitando a contaminação e, conseqüente, a perda do material vegetativo e do meio de cultura. O objetivo do presente trabalho foi de estabelecer um método eficiente de assepsia de explantes foliares e caulinares de nim indiano. Explantes caulinares e foliares, obtidos a partir de ramos de plantas adultas, foram submetidos aos diferentes tratamentos de assepsia: T 1 - testemunha; T 2 - solução de NaClO a 2% por 5 minutos sob agitação; T 3 - solução de NaClO a 2% por 10 minutos sob agitação; T 4 - solução de NaClO a 2% por 15 minutos sob agitação; T 5 - solução de NaClO a 2% por 20 minutos sob agitação. Todos os tratamentos foram constituídos de uma prévia imersão em álcool etílico a 70% por dois minutos. Após a assepsia os explantes foram inoculados em meio de cultura de Murashige e Skoog (MS). Foi avaliada a percentagem de explantes contaminados aos 8 dias após a inoculação. Todos os tratamentos, com exceção da testemunha, apresentaram 100% de eficiência na desinfestação dos explantes. Palavras-chave: Azadirachata indica A. Juss, azadirachtina, desinfestação, micropropagação ABSTRACT Control of the in vitro contamination of neem tree explants The desinfection of the explants is very important for the micropropagation, avoiding the contamination and the loss of the explants and culture medium. The objective of the present work was to establish an efficient desinfection method for the stem and leaf explants of neem tree. Stem and leaf explants, obtained from branches of adult plants, were submitted to the

2 different treatments: T 1 - control ; T 2 - immersion in a solution of 2% NaOCl for 5 minutes under agitation; T 3 - immersion in a solution of 2% NaOCl for 10 minutes under agitation; T 4 - immersion in a solution of 2% NaOCl for 15 minutes under agitation; and T 5 - immersion in a solution of 2% NaOCl for 20 minutes under agitation. All the treatments were constituted of an immersion in 70% ethyl alcohol for two minutes before the immersion in a sodium hypochloride solution. After desinfection the explants were inoculated in MS culture medium. The contamination percentage was evaluated at 8 days after the inoculation. All the treatments, except for the control, presented 100% of efficiency in the desinfection of the explants. Keywords: Azadirachata indica A. Juss, azadirachtin, desinfection, micropropagation O nim indiano (Azadirachta indica) é uma espécie arbórea da família Meliaceae, de origem asiática, muito resistente e de rápido crescimento, alcançando normalmente de 10 a 15m de altura. É originário do Sudeste da Ásia e cultivado em diversos países da Ásia, em todos os países da África, na Austrália, América do Sul e Central. É usado há séculos na Ásia, principalmente na Índia, como planta medicinal. Tem diversos outros usos, em especial como antisséptico, curativo e vermífugo (Martinez et al., 1998). Seu uso como inseticida se tornou bem conhecido nos últimos 30 anos, quando seu principal composto, a azadiractina, foi isolado. A molécula da azadiractina é muito complexa e ainda não pôde ser sintetizada; assim, todos os produtos que contêm azadiractina são produzidos utilizando-se o composto extraído da planta. Tais produtos possuem ação repelente, anti-alimentar, reguladora de crescimento, inseticida, acaricida, fungicida e nematicida. Os inseticidas naturais de nim são biodegradáveis e, por não deixarem resíduos tóxicos, conseqüentemente, não contaminam o ambiente. Os extratos de nim são mundialmente aprovados para uso em cultivos orgânicos (Martinez et al., 1998). A micropropagação é um dos mecanismos para a produção de compostos biologicamente ativos. Zypman et al. (1997), realizaram experimentos empregando métodos de cultura de tecidos de nim, para a produção de bioinseticida. A assepsia do material vegetal é de fundamental importância na micropropagação e, sendo efetuada com sucesso, evitará contaminação no meio de cultura por fungos e bactérias, que ocasionam perdas do material vegetativo e do meio de cultura (Rodrigues et al., 2003).

3 Segundo Scalize (2003), é necessário enorme cautela em relação a assepsia, desde o corte do material a campo até a câmara de fluxo laminar. Este trabalho teve o objetivo de estabelecer um protocolo de assepsia de explantes foliares e caulinares de nim indiano. MATERIAL E MÉTODOS Os experimentos foram conduzidos no laboratório de biotecnologia vegetal da Embrapa Tabuleiros Costeiros. Os explantes utilizados foram segmentos caulinares e foliares, obtidos a partir de ramos jovens de plantas adultas. Os explantes foram lavados em água corrente por 10 minutos e submetidos ao procedimento de assepsia em câmara de fluxo laminar com a imersão em álcool etílico a 70% por dois minutos e, em seguida, imersos em solução de NaClO a 2% sob agitação em diferentes tempos: T 1 - testemunha (sem imersão em NaClO); T 2 -cinco minutos; T 3 - dez minutos; T 4 - quinze minutos; e T 5 - vinte minutos. Após a imersão em NaClO, os explantes foram lavados cinco vezes em água destilada e autoclavada. Os explantes foram inoculados em placas de petri com 10 ml de meio MS (Murashige & Skoog, 1962) suplementado com 3% de sacarose e 0,6% de agar. O ph do meio MS foi ajustado para 5,8 e submetido à esterilização em autoclave a 120 C durante 15 minutos. As culturas foram mantidas em sala de crescimento sob escuro total, com temperatura de 26 C ± 2 e umidade relativa do ar em torno de 70%. O delineamento experimental de cada ensaio foi inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e quatro repetições, sendo cada parcela experimental composta de uma placa de petri com seis explantes. Foi avaliada a percentagem de explantes contaminados aos 8 dias após a inoculação. Os dados foram transformados para x+1,0 e submetidos a analise de variância pelo teste F. RESULTADOS E DISCUSSÃO Conforme a análise de variância, não houve diferença significativa entre os tratamentos (Tabela 1) para a percentagem de contaminação aos 8 dias de cultura de segmentos caulinares e foliares de nim indiano. No tratamento onde a assepsia dos segmentos caulinares

4 e foliares foi realizada utilizando-se apenas lavagem em água estéril e imersão em álcool etílico a 70% observou-se 4,25% de contaminação de explantes. Quando se utilizou a imersão em solução dde NaClO a 2% tanto os explantes caulinares quanto as foliares apresentaram-se totalmente livres de contaminantes, independentemente do tempo de imersão. Estes resultados discordam dos obtidos por Scalize (2003), onde discos foliares apresentaram alta taxa de contaminantes, mesmo submetidos a assepsia com álcool 70% por 1minuto e imersão em solução de produto comercial de hipoclorito de sódio a 2,5%, alvejante comercial, a 20% (v/v) juntamente com uma gota de TWEEN 20, durante 20 minutos em agitação intermitente, e lavados com água destilada e estéril, sob condições de câmara asséptica. Isto pode ser explicado pelo fato de que diversos fatores, além da assepsia, podem influenciar no processo de contaminação de explantes, como por exemplo a época do ano de coleta de explantes. De acordo com os resultados obtidos neste trabalho, recomenda-se a imersão dos explantes em solução de NaClO a 2% por cinco minutos. LITERATURA CITADA MARTINEZ, S.S.; LIMA, J. de; BOIÇA Jr., A.L. Avaliação agronômica e fitoquímica de neem, Azadirachta indica, de diferentes procedências em vários locais das regiões Sul e Sudeste do Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 25., 1998, Rio de Janeiro. Resumos... Rio de Janeiro: Sociedade Entomológica do Brasil, p MURASHIGE, T.; SKOOG, F. A Revised medium for rapid growth and biossays with tobacco tissue cultures. Physiologia Plantarum, Copenhagen, v. 15, p , RODRIGUES, T.M.; PAIVA, P.D. de O.; PAIVA, R.; PASQUAL, M. Assepsia de sementes de bromélia imperial para cultivo in vitro. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CULTURA DE TECIDOS DE PLANTAS, 1., Lavras. Anais... Lavras: ABCTP, p SCALIZE, F.E. Indução e detecção de azadirachtina em calos de Azadirachta indica Adr. Juss. (Nim) f. Tese (Mestrado em agronomia) - UNESP, Jaboticabal-SP.

5 ZYPMAN, S.; ZIV, M.; APPLEBAUM, S.; ALTMAN, U. Tissue culture methods and cloning of the neem tree (Azadirachata indica) for bioinsective production. Acta Horticulturae, Leuveni, p , Tabela 1. Resumo da análise de variância da percentagem de explantes contaminados de nim indiano em função de diferentes tratamentos de assepsia. Aracaju-SE, Fontes de GL SQ QM F Variação Tratamento 4 2,1029 0,5257 1,00 ns Erro 15 7,8860 0,5257 CV (%) 62,39 Ns- não significativo pelo teste F a 5% de significância. Tabela 2. Médias da percentagem de contaminação de segmentos de nim indiano em função de diferentes tratamentos de assepsia. Aracaju-SE, Tratamentos Contaminação (%) Segmentos Caulinares Segmentos Foliares Sem imersão em NaClO a 2% 4,25a 4,25a Imersão em NaClO a 2% por 5min. 0,00a 0,00a Imersão em NaClO a 2% por 10min. 0,00a 0,00a Imersão em NaClO a 2% por 15min. 0,00a 0,00a Imersão em NaClO a 2% por 20min. 0,00a 0,00a Médias seguidas de mesma letra na coluna, não diferem entre si pelo teste F a 5% de significância.

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador

Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013, Belo Horizonte Efeito de hipoclorito de sódio na desinfestação de meristemas de bastão-do-imperador Sueli Lourdes Ferreira Tarôco (1), Erivelton

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR. Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento de Plantas - PGMP

MICROPROPAGAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR. Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento de Plantas - PGMP MICROPROPAGAÇÃO DE VARIEDADES DE CANA-DE-AÇÚCAR Paulo Roberto FARIA ; Sérgio Tadeu SIBOV ; Diego José CALDAS 2 ; Victor Fernando Rodrigues da SILVA 2 Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento

Leia mais

PROPAGAÇÃO DO MANGOSTÃO ATRAVÉS DO CULTIVO IN VITRO. Acadêmico PVIC/UEG do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG.

PROPAGAÇÃO DO MANGOSTÃO ATRAVÉS DO CULTIVO IN VITRO. Acadêmico PVIC/UEG do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. PROPAGAÇÃO DO MANGOSTÃO ATRAVÉS DO CULTIVO IN VITRO Valter de Oliveira Neves Júnior1; Zélio de Lima Vieira 1; Leandro Martins Prudente1; Rafael Benetti1; Sebastião Pedro da Silva Neto 2 1 Acadêmico PVIC/UEG

Leia mais

A presença de Outliers interfere no Teste f e no teste de comparações múltiplas de médias

A presença de Outliers interfere no Teste f e no teste de comparações múltiplas de médias A presença de Outliers interfere no Teste f e no teste de comparações múltiplas de médias CHICARELI, L.S 1 ; OLIVEIRA, M.C.N. de 2 ; POLIZEL, A 3 ; NEPOMUCENO, A.L. 2 1 Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em s de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Maria Imaculada Pontes Moreira Lima 1 ; Euclydes Minella 1 ; Martha

Leia mais

Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro na Multiplicação e Alongamento de Eucalyptus Saligna Smith

Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro na Multiplicação e Alongamento de Eucalyptus Saligna Smith Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro na Multiplicação e Alongamento de Eucalyptus Saligna Smith Caroline Ribeiro Tunes 1 e Gessiel Newton Scheidt 2 1 Aluno do Curso de Biotecnologia; Campus

Leia mais

Cultivo in vitro de Salvia hispanica L.

Cultivo in vitro de Salvia hispanica L. Artigo original DOI: 105902/2236117015566 Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 19, n.2, mai-ago. 2015, p. 1555-1560 Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas

Leia mais

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Gabriel Avelar LAGE 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO²; Iul Brinner Expedito de SOUZA³; Marcus Vinicius SANTOS 3 ; Guilherme

Leia mais

FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS

FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS FUNGOS: UMA ANÁLISE EXPERIMENTAL SOBRE OS AGENTES CAUSADORES DE PROBLEMAS AOS PRODUTOS TÊXTEIS Júlia Carla de Queiroz 1, Veronica Rodrigues de Mendonça 2, Ammanda Adhemer Albuquerque Bandeira 3, Etienne

Leia mais

Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro de Jatropha curcas Rosetânia Neves da Conceição 1 e Gessiel Newton Scheidt 2

Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro de Jatropha curcas Rosetânia Neves da Conceição 1 e Gessiel Newton Scheidt 2 Comparação de Diferentes Sistemas de Cultivo in vitro de Jatropha curcas Rosetânia Neves da Conceição 1 e Gessiel Newton Scheidt 2 1 Aluna do Curso de Biotecnologia; Campus de Gurupi; e-mail: rncrose@hotmail.com

Leia mais

INFLUENCIA DE BAP E ANA NA FORMAÇÃO DE CALOS DE Jatropha curcas L. INTRODUÇÃO

INFLUENCIA DE BAP E ANA NA FORMAÇÃO DE CALOS DE Jatropha curcas L. INTRODUÇÃO Página 270 INFLUENCIA DE BAP E ANA NA FORMAÇÃO DE CALOS DE Jatropha curcas L. Wesley Machado 1, Andréa Almeida Carneiro 2 e Gracielle Teodora da Costa Pinto Coelho 3 1 Agrônomo, Pós-graduando em Biotecnologia,

Leia mais

Aclimatização de mudas micropropagadas de violeta africana em diferentes substratos

Aclimatização de mudas micropropagadas de violeta africana em diferentes substratos Aclimatização de mudas micropropagadas de violeta africana em diferentes substratos Cícero Pereira Cordão Terceiro Neto 1 ; Fred Carvalho Bezerra 2 ; Fernando Felipe Ferreyra Hernandez 1 ; José Vagner

Leia mais

INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ

INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ INFLUÊNCIA DA QUEBRA DE DORMÊNCIA NA GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PARICÁ Andredy Murilo Trindade Amorim¹, Oriel Filgueira de Lemos², Camila Beatriz Lima de Souza ³,Dávia Rosane Rodrigues Leite 3

Leia mais

Controle da Lagarta Preta do Girassol (Helianthus annus) com Produtos Naturais

Controle da Lagarta Preta do Girassol (Helianthus annus) com Produtos Naturais Controle da Lagarta Preta do Girassol (Helianthus annus) com Produtos Naturais Control of the black caterpillar of the sunflower with natural products GUIRADO, Nivaldo. Pólo APTA Centro Sul, nguirado@apta.sp.gov.br;

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA E MÉTODOS DE DESINFESTAÇÃO DE EXPLANTES DE PLANTAS ADULTAS DE ERVA-MATE

AVALIAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA E MÉTODOS DE DESINFESTAÇÃO DE EXPLANTES DE PLANTAS ADULTAS DE ERVA-MATE 34 AVALIAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA E MÉTODOS DE DESINFESTAÇÃO DE EXPLANTES DE PLANTAS ADULTAS DE ERVA-MATE Santos, D.C. dos 1 E Wendling, I. 2 RESUMO - Este trabalho objetivou avaliar os efeitos de diferentes

Leia mais

OS EFEITOS ALELOPÁTICOS DO EXTRATO DE PATA DE VACA (Bauhinia forticata BENTH) EM SEMENTES DE SOJA (Glycine max MERR)

OS EFEITOS ALELOPÁTICOS DO EXTRATO DE PATA DE VACA (Bauhinia forticata BENTH) EM SEMENTES DE SOJA (Glycine max MERR) ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 OS EFEITOS ALELOPÁTICOS DO EXTRATO DE PATA DE VACA (Bauhinia forticata BENTH) EM SEMENTES

Leia mais

OBTENÇÃO DE CALOS EM ESTAMINOIDES DE CUPUAÇUZEIRO CULTIVADOS IN VITRO

OBTENÇÃO DE CALOS EM ESTAMINOIDES DE CUPUAÇUZEIRO CULTIVADOS IN VITRO Embrapa Amazônia Oriental. 21 a 23 de agosto de 213, Belém-PA OBTENÇÃO DE CALOS EM ESTAMINOIDES DE CUPUAÇUZEIRO CULTIVADOS IN VITRO Gleyce Kelly de Sousa Ramos 1, Simone de Miranda Rodrigues 2, Oriel Filgueira

Leia mais

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA Cláudia Santos Silva (1), Américo Iorio Ciociola Júnor (2), José Mauro Valente Paes (2),

Leia mais

CICLO BIOLÓGICO E TAXA DE OVIPOSIÇÃO DO ÁCARO VERDE DA MANDIOCA (Mononychellus tanajoa) EM GENÓTIPOS DE Manihot

CICLO BIOLÓGICO E TAXA DE OVIPOSIÇÃO DO ÁCARO VERDE DA MANDIOCA (Mononychellus tanajoa) EM GENÓTIPOS DE Manihot CICLO BIOLÓGICO E TAXA DE OVIPOSIÇÃO DO ÁCARO VERDE DA MANDIOCA (Mononychellus tanajoa) EM GENÓTIPOS DE Verônica de Jesus BOAVENTURA 1 Aloyséia Cristina da Silva NORONHA 2 Alfredo Augusto Cunha ALVES 3

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PROTOCOLOS PARA MICROPROPAGAÇÃO DE ESPÉCIES DE BROMELIACEAE

DESENVOLVIMENTO DE PROTOCOLOS PARA MICROPROPAGAÇÃO DE ESPÉCIES DE BROMELIACEAE DESENVOLVIMENTO DE PROTOCOLOS PARA MICROPROPAGAÇÃO DE ESPÉCIES DE BROMELIACEAE Eldelon de Oliveira Pereira, Ester Ujiie Nogueira, Matheus Fonseca de Souza, Simone Paiva Caetano, Andreia Barcelos Passos

Leia mais

DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO in vitro DE SEMENTES DE IPÊ ROXO

DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO in vitro DE SEMENTES DE IPÊ ROXO DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO in vitro DE SEMENTES DE IPÊ ROXO Talita Cristina Mamedes¹; Saulo Araújo da Silva² 1 Graduanda do curso de Engenharia Florestal, da Universidade Estadual de Goiás, Unidade Universitária

Leia mais

Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro

Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro Substratos para Produção de Mudas de Tomateiro Substrates for Tomato Seedlings Production PEREIRA, Dercio Ceri. UNIOESTE, dcpereirasp@hotmail.com; COSTA, Luiz Antonio de Mendonça. UNIOESTE, lmendo@ig.com.br;

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DO CULTIVO DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum) IN VITRO

PADRONIZAÇÃO DO CULTIVO DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum) IN VITRO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 2008 UFU 30 anos PADRONIZAÇÃO DO CULTIVO DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum) IN VITRO Rafael Rogério Pereira da Silva (1), Universidade

Leia mais

DESINFESTAÇÃO DE SEGMENTOS NODAIS DE EUCALYPTUS DUNNII VISANDO ESTABELECIMENTO IN VITRO

DESINFESTAÇÃO DE SEGMENTOS NODAIS DE EUCALYPTUS DUNNII VISANDO ESTABELECIMENTO IN VITRO DESINFESTAÇÃO DE SEGMENTOS NODAIS DE EUCALYPTUS DUNNII VISANDO ESTABELECIMENTO IN VITRO DISINFESTATION OF NODAL SEGMENTS OF EUCALYPTUS DUNNII AIMING AT ESTABLISHMENT IN VITRO Juliana Rodrigues de Almeida

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi)

USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi) USO DO BIOSSÓLIDO COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE AROEIRA (Schinus terenbinthifolius Raddi) Kelly Dayana Benedet Maas 1 ; Greyce Charllyne Benedet Maas 1 ; Cristiane Ramos Vieira 1, Oscarlina Lucia

Leia mais

PRODUÇÃO DE TENSOATIVOS BIOLÓGICOS. Resumo

PRODUÇÃO DE TENSOATIVOS BIOLÓGICOS. Resumo 1 PRODUÇÃO DE TENSOATIVOS BIOLÓGICOS Acácia Pedrazza Reiche Bolsista de Iniciação Científica, Biologia, Universidade do Rio de Janeiro Judith Liliana. Solórzano Lemos Orientadora, Eng a. Química, D. Sc.

Leia mais

Protocolo para desinfestação, multiplicação e enraizamento in vitro de Spathiphyllum wallisi 1

Protocolo para desinfestação, multiplicação e enraizamento in vitro de Spathiphyllum wallisi 1 Rev. Ciên. Agron., Fortaleza, v. 39, n. 01, p. 107-113, Jan.- Mar., 2008 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará www.ccarevista.ufc.br ISSN 1806-6690 Protocolo para desinfestação, multiplicação

Leia mais

Desinfestação e estabelecimento in vitro de explantes de bananeira Thap maeo (sub grupo AAB) submetidos a concentrações de cloro ativo

Desinfestação e estabelecimento in vitro de explantes de bananeira Thap maeo (sub grupo AAB) submetidos a concentrações de cloro ativo DOI: 10.14295/CS.v6i4.712 Comunicata Scientiae 6(4): 412-417, 2015 Artigo e-issn: 2177-5133 www.comunicatascientiae.com.br Desinfestação e estabelecimento in vitro de explantes de bananeira Thap maeo (sub

Leia mais

PROPAGAÇÃO IN VITRO DO PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 E CONTROLE DO CRESCIMENTO DE FUNGOS NO MEIO DE CULTURA.

PROPAGAÇÃO IN VITRO DO PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 E CONTROLE DO CRESCIMENTO DE FUNGOS NO MEIO DE CULTURA. PROPAGAÇÃO IN VITRO DO PORTA-ENXERTO DE VIDEIRA PAULSEN 1103 E CONTROLE DO CRESCIMENTO DE FUNGOS NO MEIO DE CULTURA. Júlia Thomé1; René A. Nadal e Gabriel Werner Malkiewiez2; Aledson Rosa Torres3; Liliane

Leia mais

EFEITO DE BAP E CINETINA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE IPÊ-ROXO (Handroanthus heptaphyllus (Vell.) Mattos)¹

EFEITO DE BAP E CINETINA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE IPÊ-ROXO (Handroanthus heptaphyllus (Vell.) Mattos)¹ EFEITO DE BAP E CINETINA NA MULTIPLICAÇÃO IN VITRO DE IPÊ-ROXO (Handroanthus heptaphyllus (Vell.) Mattos)¹ PIMENTEL, Nathalia 2 ; HEBERLE, Michele 3 ; KIELSE, Paula 4 ; LENCINA, Kelen H. 5 ; FISCHER,Hardi

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Gado de Corte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Gado de Corte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1983-974X Novembro, 2007 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Gado de Corte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 169 Protocolos para Assepsia de Meristemas

Leia mais

Efeito de diferentes substratos na aclimatação ex vitro de mudas de Violeta Africana (Saintpaulia ionantha Wendl) 1

Efeito de diferentes substratos na aclimatação ex vitro de mudas de Violeta Africana (Saintpaulia ionantha Wendl) 1 REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 4- Número 2-2º Semestre 2004 Efeito de diferentes substratos na aclimatação ex vitro de mudas de Violeta Africana (Saintpaulia ionantha Wendl)

Leia mais

MICROPROPAGAÇÃO CULTIVO IN VITRO DE BROTOS DE BATATA

MICROPROPAGAÇÃO CULTIVO IN VITRO DE BROTOS DE BATATA MICROPROPAGAÇÃO CULTIVO IN VITRO DE BROTOS DE BATATA A batata (Solanum tuberosum, família Solanaceae) é uma planta originária da região andina. No século XVI chegou à Europa onde, depois de vencer a resistência

Leia mais

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE MUSSAENDA (Mussaenda erythrophylla cv. Rosea) 1

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE MUSSAENDA (Mussaenda erythrophylla cv. Rosea) 1 e-issn 1983-463 - www.agro.ufg.br/pat - Pesq. Agropec. Trop., Goiânia, v. 4, n. 2, p. 26-212, abr./jun. 21 PROPAGAÇÃO IN VITRO DE MUSSAENDA (Mussaenda erythrophylla cv. Rosea) 1 Jacqueline Leite Almeida

Leia mais

Controle da população microbiana

Controle da população microbiana Controle da população microbiana Microbiologia Prof a. Vânia Taxa de Morte Microbiana Quando as populações bacterianas são aquecidas ou tratadas com substâncias químicas antimicrobianas, elas normalmente

Leia mais

Introdução do Cultivo de Physalis (Physalis angulata L.) de Base Agroecológica na Região Central do Estado do Rio Grande do Sul.

Introdução do Cultivo de Physalis (Physalis angulata L.) de Base Agroecológica na Região Central do Estado do Rio Grande do Sul. Introdução do Cultivo de Physalis (Physalis angulata L.) de Base Agroecológica na Região Central do Estado do Rio Grande do Sul. LISSNER, Rael Alfredo. Universidade Federal de Santa Maria rael_lissner@yahoo.com.br

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF.

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS METEOROLÓGICOS NAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS E CONVENCIONAIS DO INMET EM BRASÍLIA DF. Sidney Figueiredo de Abreu¹; Arsênio Carlos Andrés Flores Becker² ¹Meteorologista, mestrando

Leia mais

Daniele Aparecida COSTA. Associação Cultural e Educacional de Garça Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal. Carlos Eduardo de Mendonça OTOBONI

Daniele Aparecida COSTA. Associação Cultural e Educacional de Garça Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal. Carlos Eduardo de Mendonça OTOBONI REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO I EDIÇÃO NÚMERO 2 DEZEMBRO DE 2002 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO

USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO USO DE DIFERENTES SUBSTRATOS E FREQUÊNCIA DE IRRIGAÇÃO NO CULTIVO DE TOMATE CEREJA EM SISTEMA HIDROPÔNICO Rodrigo de Rezende Borges Rosa 1 ; Delvio Sandri 2 1 Eng. Agrícola, Discente do Mestrando Engenharia

Leia mais

Controle de oídio em moranga-híbrida.

Controle de oídio em moranga-híbrida. 1 OLIVEIRA, V.R.; GIANASI, L.; MASCARENHAS, M.H.T.; PIRES, N.M.; FILHO, J.A.A.; VIANA, M.C.M.; LARA, J.F.R. Controle de oídio em moranga híbrida. Horticultura Brasileira, v. 20, n.2, julho,2002. Suplemento2.

Leia mais

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau

Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau Alunos: Nota: 1-2 - Data: Obtenção Experimental de Modelos Matemáticos Através da Reposta ao Degrau 1.1 Objetivo O objetivo deste experimento é mostrar como se obtém o modelo matemático de um sistema através

Leia mais

DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO IN VITRO DE SEMENTES DE IPÊ AMARELO 1 RESUMO

DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO IN VITRO DE SEMENTES DE IPÊ AMARELO 1 RESUMO DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO IN VITRO DE SEMENTES DE IPÊ AMARELO 1 RAUBER, Marcelo A. 2 ; MAMBRIN, Ritieli 3 ; ROSA, Daniele P. 3 ; ERPEN, Lígia 3 ; HEBERLE, Michele 4 ; KIELSE, P. 5 ; LENCINA, Kelen

Leia mais

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: 1519-5228 revbiocieter@yahoo.com.br Universidade Estadual da Paraíba Brasil

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: 1519-5228 revbiocieter@yahoo.com.br Universidade Estadual da Paraíba Brasil Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: 1519-5228 revbiocieter@yahoo.com.br Universidade Estadual da Paraíba Brasil Terceiro Neto Pereira Cordão, Cícero; Hernandez Ferreyra, Fernando Felipe; Bezerra

Leia mais

Desinfestação superficial, germinação e regeneração in vitro a partir de sementes de calêndula

Desinfestação superficial, germinação e regeneração in vitro a partir de sementes de calêndula Ciência Rural, Santa Desinfestação Maria, v.41, superficial, n.5, p.761-766, germinação mai, e 2011 regeneração in vitro a partir de sementes de calêndula. ISSN 0103-8478 761 Desinfestação superficial,

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

!!!!!! UNIVERSIDADE!FEDERAL!RURAL!DA!AMAZÔNIA! PRÓ2REITORIA!DE!PESQUISA!E!DESENVOLVIMENTO! TECNOLÓGICO!!!!!!!

!!!!!! UNIVERSIDADE!FEDERAL!RURAL!DA!AMAZÔNIA! PRÓ2REITORIA!DE!PESQUISA!E!DESENVOLVIMENTO! TECNOLÓGICO!!!!!!! UNIVERSIDADEFEDERALRURALDAAMAZÔNIA PRÓ2REITORIADEPESQUISAEDESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Ocupação Atual dos Egressos da Pós-Graduação da UFRA PROPED Belém, Junho de 2015 UNIVERSIDADEFEDERALRURALDAAMAZÔNIA

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica 385 AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO E DO MÓDULO DE ELASTICIDADE DO CONCRETO QUANDO SUBMETIDO A CARREGAMENTO PERMANENTE DE LONGA DURAÇÃO (Dt = 9 dias) Wilson Ferreira Cândido 1,5 ;Reynaldo Machado

Leia mais

Feijão-vagem cultivado sob adubação orgânica em ambiente protegido.

Feijão-vagem cultivado sob adubação orgânica em ambiente protegido. Feijão-vagem cultivado sob adubação orgânica em ambiente protegido. Krolow, I.R.C. ( ;; Filho, L.O. ( ; Vitória, D. R. (2 ; Morselli, T. B (3 ( UFPEL- FAEM Estagiário em Minhocultura - Ivanrk.rk@pop.com.br,

Leia mais

DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PIMENTA-DO-REINO (Piper nigrum L.)

DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PIMENTA-DO-REINO (Piper nigrum L.) DESINFESTAÇÃO E GERMINAÇÃO IN VITRO DE SEMENTES DE PIMENTA-DO-REINO (Piper nigrum L.) Carla Effegem 1, Andréia Barcelos Passos Lima Gontijo 2, Alex Campanharo 3, Ivoney Gontijo 4 1. Graduanda em Agronomia

Leia mais

Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária do Estado da Paraíba S.A. - Emepa, E-mail: ailtonmmoraes@hotmail.com 3

Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária do Estado da Paraíba S.A. - Emepa, E-mail: ailtonmmoraes@hotmail.com 3 DESINFESTAÇÃO E ESTABELECIMENTO IN VITRO DE GEMAS AXILARES DE ABACAXIZEIRO Ailton Melo de Moraes, Francisco de Assis Cardoso Almeida e Jorge Cazé Filho Parte da tese de Doutorado do primeiro autor apresentada

Leia mais

Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada

Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada Nivel de Lisina nas Rações de Frangos de Corte Exigência de Lisina Atualizada Disponível em nosso site: www.lisina.com.br A atualização das exigências dos nutrientes nas formulações de rações é importante

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS INDICADORES DE BALNEABILIDADE EM PRAIAS ESTUARINAS

AVALIAÇÃO DOS INDICADORES DE BALNEABILIDADE EM PRAIAS ESTUARINAS AVALIAÇÃO DOS INDICADORES DE BALNEABILIDADE EM ESTUARINAS Bianca Coelho Machado Curso de Engenharia Sanitária, Departamento de Hidráulica e Saneamento, Centro Tecnológico, Universidade Federal do Pará.

Leia mais

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1

CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 RESTRIÇÃO HÍDRICA EM GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA 77 CONTROLE DA GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE SOJA EM TESTES DE SANIDADE PELO USO DA RESTRIÇÃO HÍDRICA 1 JOSÉ DA CRUZ MACHADO 2 ; JOÃO ALMIR DE OLIVEIRA 3

Leia mais

Cultivando o Saber Volume 7, n.1, p. 14 23, 2014 49. Controle com nim de carrapatos em bovinos

Cultivando o Saber Volume 7, n.1, p. 14 23, 2014 49. Controle com nim de carrapatos em bovinos Cultivando o Saber Volume 7, n.1, p. 14 23, 2014 49 Controle com nim de carrapatos em bovinos Marcos Rogério de Souza Pinto 1 e Vivian Fernanda Gai 2 Resumo: O Trabalho testou a viabilidade no controle

Leia mais

TELAS DE SOMBREAMENTO NO CULTIVO DE HORTALIÇAS FOLHOSAS

TELAS DE SOMBREAMENTO NO CULTIVO DE HORTALIÇAS FOLHOSAS TELAS DE SOMBREAMENTO NO CULTIVO DE HORTALIÇAS FOLHOSAS Andréia Cristina Silva Hirata Eng. Agr., Doutora, Pesquisadora científica do Polo Regional Alta Sorocabana/APTA andreiacs@apta.sp.gov.br Edson Kiyoharu

Leia mais

1111111111111 Ilfi 111111

1111111111111 Ilfi 111111 07000 CPATU 1998 FL-07000 trnpa ISSNO101-5673 'e Empnza 8,nibk. de FUqWsa Agropecuáde Cento de Pnqidn Apto florestal de Amazónia Odantal MinistJ,'lo da Ap,icufture e do Abastecimento Trav. Dr. Enóes Pinheiro

Leia mais

Efeitos Alelopáticos do Azadirachta indica (Nim) na germinação de alface (Lactuca sativa L.)

Efeitos Alelopáticos do Azadirachta indica (Nim) na germinação de alface (Lactuca sativa L.) Efeitos Alelopáticos do Azadirachta indica (Nim) na germinação de alface (Lactuca sativa L.) Júlia Maluf dos SANTOS NETA 1 ; Luciano Donizete GONÇALVES 2 ; Haroldo Silva VALLONE 3 ; Maria Cristina da Silva

Leia mais

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais.

Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. Adubação com composto de farelos anaeróbico na produção de tomate orgânico cultivado sobre coberturas vivas de amendoim forrageiro e grama batatais. RESUMO O trabalho foi conduzido na Área de Pesquisa

Leia mais

EFEITOS DO REUSO DE ÁGUA RESIDUÁRIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO

EFEITOS DO REUSO DE ÁGUA RESIDUÁRIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO EFEITOS DO REUSO DE ÁGUA RESIDUÁRIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE EUCALIPTO DA Moreira 1, JAR Souza 2, WB Carvalho 3 e CVM e Carvalho 4 RESUMO: Neste trabalho objetivou-se analisar os efeitos do reuso de água

Leia mais

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE PORTA-ENXERTO DE MACIEIRA (MALUS PRUNIFOLIA) CV. MARUBAKAIDO: EFEITO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO GIBERÉLICO 1

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE PORTA-ENXERTO DE MACIEIRA (MALUS PRUNIFOLIA) CV. MARUBAKAIDO: EFEITO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO GIBERÉLICO 1 PROPAGAÇÃO IN VITRO DE PORTA-ENXERTO DE MACIEIRA (MALUS PRUNIFOLIA) CV. MARUBAKAIDO: EFEITO DE BENZILAMINOPURINA E ÁCIDO GIBERÉLICO 1 SOUZA, Letiele Bruck de 2 ; COGO, Maurício Ricardo de Melo 2 ; SANTOS,

Leia mais

Efeito da citocinina 6-bencilaminopurina na micropropagação in vitro da mamona utilizando o genótipo BRS nordestina

Efeito da citocinina 6-bencilaminopurina na micropropagação in vitro da mamona utilizando o genótipo BRS nordestina REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 8 - Número 2-2º Semestre 2008 Efeito da citocinina 6-bencilaminopurina na micropropagação in vitro da mamona utilizando o genótipo BRS nordestina

Leia mais

EDITAL 03/PPGFMC/2016

EDITAL 03/PPGFMC/2016 Campus Universitário, Trindade, Bloco D/CCB, Florianópolis, SC, 88049-900, Brasil Tel.: (48) 721-2471 Fax: (48) 721-981 e-mail: ppgf@farmaco.ufsc.br EDITAL 0/PPGFMC/2016 A Coordenação do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A

CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A D E S E M P E N H O D E CULTIVARES DE SOJA I N D I C A D A S P A R A O R I O G R A N D E D O S U L Julho, 2013 RESULTADOS DE 2012 2013 Rendimento e características agronômicas das cultivares, indicadas

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho Agronômico de Híbridos de Sorgo Biomassa Gutemberg de Aquiles Pereira 1, Rafael A. da C. Parrella 2, Nádia

Leia mais

1Caracterização de frutos de diferentes genótipos de maracujazeiro. 2Flávio Flôres Britto 1 ; Cláudio Lúcio Fernandes Amaral 1

1Caracterização de frutos de diferentes genótipos de maracujazeiro. 2Flávio Flôres Britto 1 ; Cláudio Lúcio Fernandes Amaral 1 1Britto, F.F., Amaral, C.L.F. 2015. Caracterização de frutos de diferentes genótipos de maracujazeiro. In: 2 Congresso Brasileiro de Processamento mínimo e Pós-colheita de frutas, flores e hortaliças,

Leia mais

Classificação de alimentos em relação à suas informações nutricionais por meio da Análise Multivariada

Classificação de alimentos em relação à suas informações nutricionais por meio da Análise Multivariada Classificação de alimentos em relação à suas informações nutricionais por meio da Análise Multivariada Lucas Santana da Cunha 1 Sonia Maria de Stefano Piedade 2 1 Introdução A presença de informações nutricionais

Leia mais

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE Arundina bambusifolia Lindl. COM DIFERENTES POTENCIAIS HIDROGENIONICOS. Floresta, MT, Brasil. (keyli_mt@hotmail.

PROPAGAÇÃO IN VITRO DE Arundina bambusifolia Lindl. COM DIFERENTES POTENCIAIS HIDROGENIONICOS. Floresta, MT, Brasil. (keyli_mt@hotmail. PROPAGAÇÃO IN VITRO DE Arundina bambusifolia Lindl. COM DIFERENTES POTENCIAIS HIDROGENIONICOS Keylijane Alves da Silva 1, Vanessa dos Santos de Mello 2, Isane Vera Karsburg 3 1 Bióloga formada pela universidade

Leia mais

Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia

Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia Métodos Estatísticos Avançados em Epidemiologia Análise de Variância - ANOVA Cap. 12 - Pagano e Gauvreau (2004) - p.254 Enrico A. Colosimo/UFMG Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1 / 39 Introdução Existem

Leia mais

Proposta de ajuste de modelos não lineares na descrição de germinação de sementes de café

Proposta de ajuste de modelos não lineares na descrição de germinação de sementes de café Proposta de ajuste de modelos não lineares na descrição de germinação de sementes de café Iábita Fabiana Sousa 1 Joel Augusto Muniz 1 Renato Mendes Guimarães 2 Taciana Villela Savian 3 1 Introdução Um

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES >ATO Nº. 3, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005.

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES >ATO Nº. 3, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SEMENTES E MUDAS SCS - Edifício BARACAT Sala 0 Brasília DF CEP 0.0-00 Fones/Fax: (0) -0 / -880 / -0 e-mail: abrasem@abrasem.com.br TEMÁRIO: Ato nº., de 8 de Novembro 00.

Leia mais

Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954. DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD

Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954. DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 1-7 1 ISSN 0103-9954 DESINFESTAÇÃO E QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE Acacia mearnsii DE WILD DESINFESTATION AND BREAK OF DORMANCY OF SEEDS OF Acacia mearnsii

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2

Manual SAGe Versão 1.2 Manual SAGe Versão 1.2 Equipe de Pesquisadores do Projeto Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Criação da Equipe do Projeto (Proposta Inicial)... 3 2.1. Inclusão e configuração do Pesquisador Responsável (PR)...

Leia mais

Resultado da Intensidade luminosa no desenvolvimento de plantas de agrião (Nasturtium officinale)

Resultado da Intensidade luminosa no desenvolvimento de plantas de agrião (Nasturtium officinale) Resultado da Intensidade luminosa no desenvolvimento de plantas de agrião (Nasturtium officinale) Bruna de Souza Silveira (1),Michelle de Oliveira Santos (1) ;Ana Cardoso Clemente Ferreira Filha de Paula

Leia mais

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1677-0293 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO 08, DEZEMBRO DE 2005. PERIODICIDADE:

Leia mais

MF-0427.R-2 - MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE FÓSFORO TOTAL (DIGESTÃO COM HNO 3 + HClO 4 E REAÇÃO COM MOLIBDATO DE AMÔNIO E ÁCIDO ASCÓRBICO)

MF-0427.R-2 - MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE FÓSFORO TOTAL (DIGESTÃO COM HNO 3 + HClO 4 E REAÇÃO COM MOLIBDATO DE AMÔNIO E ÁCIDO ASCÓRBICO) MF-0427.R-2 - MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE FÓSFORO TOTAL (DIGESTÃO COM HNO 3 + HClO 4 E REAÇÃO COM MOLIBDATO DE AMÔNIO E ÁCIDO ASCÓRBICO) Notas: Aprovado pela Deliberação CECA nº 0424, de 24 de fevereiro

Leia mais

REGRESSÃO LINEAR ENTRE TEMPERATURA E DENSIDADE DA GASOLINA RESUMO

REGRESSÃO LINEAR ENTRE TEMPERATURA E DENSIDADE DA GASOLINA RESUMO REGRESSÃO LINEAR ENTRE TEMPERATURA E DENSIDADE DA GASOLINA Maderson Alves Ferreira Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR madersonalvesferreira@hotmail.com Rosangela A. B. Assumpção Universidade

Leia mais

MOSTRA CIENTÍFICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - NORMAS PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS -

MOSTRA CIENTÍFICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - NORMAS PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS - MOSTRA CIENTÍFICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - NORMAS PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS - Data limite para envio: até 08 de junho de 2014 Modalidades de apresentação: Comunicação Oral e Pôster

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Aula 7 Programação Genética M.e Guylerme Velasco Programação Genética De que modo computadores podem resolver problemas, sem que tenham que ser explicitamente programados para isso?

Leia mais

Área de Atuação 2010/2011:

Área de Atuação 2010/2011: Área de Atuação 2010/2011: Área de Atuação 2012: Culturas mais Importantes: Norte do ES e Sul da Bahia: Café Conillon, Mamão, Melancia, Banana, Cana de Açúcar, Maracujá e Cacau Região Central do ES: Café

Leia mais

Instrução Normativa do Programa de Pós-Graduação em Administração: Mestrado Profissional

Instrução Normativa do Programa de Pós-Graduação em Administração: Mestrado Profissional Instrução Normativa do Programa de Pós-Graduação em Administração: Mestrado Profissional Instrução Normativa PPGA nº 05 de 05/04/2016 Aprova as Normas para Apresentação da Dissertação do Programa de Pós-graduação

Leia mais

Formulário de Encaminhamento de Projeto de Pesquisa em Experimentação Animal

Formulário de Encaminhamento de Projeto de Pesquisa em Experimentação Animal COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA Formulário de Encaminhamento de Projeto de Pesquisa em Experimentação Animal Uso Exclusivo do CEP/URI Campus de Erechim Recebido em / / Número do Projeto Ao encaminhar seu projeto,

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

MEIOS NUTRITIVOS NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE FIGUEIRA

MEIOS NUTRITIVOS NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE FIGUEIRA MEIOS NUTRITIVOS NO ESTABELECIMENTO IN VITRO DE FIGUEIRA Ednamar Gabriela Palú 1 ; Sara Krause 2 ; Lidiane Miranda da Silva 3 ; Viviane Luiza Hunhoff 4 ; Edinéia Zulian Dalbosco 5 1. Técnica Universitária

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO CAFÉ TORRADO E MOÍDO Janeiro 2016 Substituição Tributária do Café Torrado e Moído Introdução Em função das modificações promovidas pela Lei Complementar n.º 147/2014 no Estatuto

Leia mais

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com

Caramuru Alimentos Ltda, Rod. BR 060 Km 388 s/n Zona Rural, C.E.P: 75.901.970 - Rio Verde/GO e-mail: zeronaldo@caramuru.com Teores de óleo e proteína em grãos de soja, com diferentes manejos de percevejo, da colheita ao armazenamento, utilizando a espectroscopia no infravermelho próximo (NIR) 59 Marcelo Alvares de Oliveira

Leia mais

ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS

ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS ACLIMATIZAÇÃO DE CULTIVARES DE ABACAXIZEIRO SOB MALHAS DE SOMBREAMENTO COLORIDAS RAFAEL SOUZA MELO 1 ; JEFFERSON BITTENCOURT VENÂNCIO 2 ; WELLINGTON FARIAS ARAÚJO 3 ; EDVAN ALVES CHAGAS 4 ; NILMA BRITO

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=359>.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=359>. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: . Desempenho agronômico de cultivares de Leucena nos cerrados de Rondônia Newton de Lucena

Leia mais

Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO

Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO Alcançar e manter índices ótimos de produtividade florestal é o objetivo principal do manejo

Leia mais

Pesquisadora da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira Mar, 3250, Aracaju, SE.

Pesquisadora da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira Mar, 3250, Aracaju, SE. Área: Fitopatologia INFLUÊNCIA DE METODOLOGIA DE INOCULAÇÃO E DA CONCENTRAÇÃO DE INÓCULO DE Macrophomina phaseolina NO DESENVOLVIMENTO DA PODRIDÃO-CINZENTA-DO-CAULE EM FEIJÃO-CAUPI Laíze Raphaelle Lemos

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CONTEÚDO DIGITAL PARA O USO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS

IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CONTEÚDO DIGITAL PARA O USO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CONTEÚDO DIGITAL PARA O USO NA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS Júlio César Neis 1 ; Rosangela Aguiar Adam 2 ; Tiago Lopes Gonçalves 3 ; Vera Regina Mazureck

Leia mais

Competição inicial entre plantas de soja e Chloris polydactyla.

Competição inicial entre plantas de soja e Chloris polydactyla. Competição inicial entre plantas de soja e Chloris polydactyla. Arthur Arrobas Martins Barroso 1 ; Alfredo Junior Paiola Albrecht 2. 1 Doutorando do curso de Agronomia (Produção Vegetal), UNESP, Jaboticabal,

Leia mais

INFLUÊNCIA DO PRÉ-TRATAMENTO DA MATÉRIA- PRIMA NA OBTENÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL DE FRUTOS DE AROEIRA-VERMELHA (Schinus terebinthifolius Raddi)

INFLUÊNCIA DO PRÉ-TRATAMENTO DA MATÉRIA- PRIMA NA OBTENÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL DE FRUTOS DE AROEIRA-VERMELHA (Schinus terebinthifolius Raddi) INFLUÊNCIA DO PRÉ-TRATAMENTO DA MATÉRIA- PRIMA NA OBTENÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL DE FRUTOS DE AROEIRA-VERMELHA (Schinus terebinthifolius Raddi) M. G. A. MAGGIERI 1, B. G. SILVA 1 e A. M. F. FILETI 1 1 Universidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS020 LAVAGEM DE REDES DE ÁGUA Revisão: 02 Abr.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS020 LAVAGEM DE REDES DE ÁGUA Revisão: 02 Abr. SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 4. Condições para início dos serviços...3 4.1 Lavagem de redes existentes...3 4.2 Lavagem de redes novas...3 5. Materiais

Leia mais

UMA PLANTA MODELO. Kalanchoe daigremontiana

UMA PLANTA MODELO. Kalanchoe daigremontiana UMA PLANTA MODELO Kalanchoe daigremontiana O gênero Kalanchoe (família Crassulaceae, ordem Saxifragales) apresenta algumas interessantes adaptações a climas áridos e quentes, tais como a abertura noturna

Leia mais

MODELOS INTUITIVOS DE VIGAS VIERENDEEL PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL QUANDO SUJEITAS A APLICAÇÃO DE CARREGAMENTOS

MODELOS INTUITIVOS DE VIGAS VIERENDEEL PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL QUANDO SUJEITAS A APLICAÇÃO DE CARREGAMENTOS Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 266 MODELOS INTUITIVOS DE VIGAS VIERENDEEL PARA O ESTUDO DO DESEMPENHO ESTRUTURAL QUANDO SUJEITAS A APLICAÇÃO DE CARREGAMENTOS

Leia mais

II SEMINÁRIO DE PRÁTICA DE PESQUISA EM PSICOLOGIA Universidade Estadual de Maringá 28 a 30 de Novembro de 2012

II SEMINÁRIO DE PRÁTICA DE PESQUISA EM PSICOLOGIA Universidade Estadual de Maringá 28 a 30 de Novembro de 2012 AS CONCEPÇÕES DE PSICÓLOGOS SOBRE ANGÚSTIA/ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA CLÍNICA Mayara Lúcia Embercics Calazans (Departamento de Psicologia,, Fundação Araucária, PIBIC); Paulo José

Leia mais

SECA DA MANGUEIRA: VIII. RESISTÊNCIA DE PORTA-ENXERTOS DE MANGUEIRA AO FUNGO CERATOCYSTIS FIMBRIATA ELL. & HALST. ( 1 )

SECA DA MANGUEIRA: VIII. RESISTÊNCIA DE PORTA-ENXERTOS DE MANGUEIRA AO FUNGO CERATOCYSTIS FIMBRIATA ELL. & HALST. ( 1 ) SECA DA MANGUEIRA: VIII. RESISTÊNCIA DE PORTA-ENXERTOS DE MANGUEIRA AO FUNGO CERATOCYSTIS FIMBRIATA ELL. & HALST. ( 1 ) IVAN JOSÉ ANTUNES RIBEIRO ( 2-6 ), CARLOS JORGE ROSSETTO ( 3> 6 ) JOSÉ CARLOS SABINO

Leia mais

Polpa de banana e fertilizantes comerciais no cultivo in vitro de orquídea

Polpa de banana e fertilizantes comerciais no cultivo in vitro de orquídea Polpa de banana e fertilizantes comerciais no cultivo in vitro de orquídea Banana pulp and commercial fertilizers in the in vitro cultivation of orchid Mei Ju Su 1, Jenniffer Aparecida Schnitzer 2, Ricardo

Leia mais