23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts"

Transcrição

1 Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica Roberto Lamberts Oficina 09 junho de

2 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Publicação: junho de EDIFÍCIOS ETIQUETADOS CETRAGUA Centro de Tecnologias Sociais para a Gestão da Água Sede da CAIXA Belém Agência CAIXA Curitiba FATENP Faculdade de Tecnologia Nova Palhoça Edifícios 1 e 2 CTCL/SATC Centro Tecnológico do Carvão Limpo 2

3 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Pontuação final do edifício, responsável pelo nível de eficiência. Nível De Eficiência Do Edifício CONDICIONAMENTO DE AR Etiqueta parcial Responsável por 40% da pontuação final 3

4 Cálculo da Carga térmica ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Devem ser calculadas de acordo com normas e manuais de engenharia de comprovada aceitação nacional ou internacional. Carga térmica superior a 350 kw (100 TR) deve-se adotar um sistema de condicionamento de ar central ou justificar o uso de sistemas individuais. ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Declaração de Responsabilidade Técnica Projeto do sistema de condicionamento de ar Instalação do sistema de condicionamento de ar Qualidade do AR Os sistemas de condicionamento de ar devem proporcionar a adequada qualidade do ar interno, conforme norma ABNT NBR

5 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Avaliação Prescritiva Equipamentos avaliados pelo PBE/INMETRO Utilizar tabelas do INMETRO Pré-requisito nível A unidades condensadoras devem estar sombreadas Equipamentos não avaliados pelo PBE/INMETRO Utilizar tabelas 5.1 a 5.7 do RTQ-C Condicionadores de Ar Janela Classes Categoria kj/h 9000 BTU/h Categoria a a Condicionadores de Ar Split EQUIPAMENTOS AVALIADOS Categoria a a Categoria A 2,91 3,02 2,87 2,82 B 2,68 2,78 2,70 2,62 C 2,47 2,56 2,54 2,44 D 2,27 2,35 2,39 2,27 E 2,08 2,16 2,24 2,11 INMETRO - Atualização:16/03/2010 Classes Coeficiente de eficiência energética (W/W) A 3,20 <CEE B 3,00 <CEE 3,20 C 2,80 <CEE 3,00 D 2,60 <CEE 2,80 E 2,39 <CEE 2,60 INMETRO - Atualização:20/05/2010 5

6 Dados cadastrais Dados cadastrais 23/06/2010 PLANILHAS DE DADOS CONDICIONAMENTO DE AR Endereço Imagem representativa do edifício Cidade UF CEP CONDICIONAMENTO DE AR No. ambientes condicionados Área condicionada Endereço Área útil Norma de carga térmica Imagem representativa do UF CEP SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO edifício Cidade Unidades de janela Unidades split Sistema Central Área condicionada Área condicionada Área condicionada Área Área Ambiente Capacidade Tipo Ambiente Capacidade Tipo No. ambientes condicionados condicionada Área Área útil Norma de carga térmica SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO Unidades de janela Unidades split Sistema Central Área condicionada Área condicionada Área condicionada AMBIENTE AMBIENTE ID Área ID Área Unidade Eficiência Capacidade Unidade Eficiência Capacidade acrescentar quantas linhas ou ambientes forem necessários AMBIENTE AMBIENTE Área ID Área ID Unidade Eficiência Capacidade Unidade Eficiência Capacidade acrescentar quantas linhas ou ambientes forem necessários acrescentar quantas linhas forem necessárias Equipamentos Avaliados pelo INMETRO Por ambiente Modelo Capacidade Eficiência Tipo Unidades em m² e Btu/h ou TR Unidades em SI: m², W/W; exceto a capacidade em Btu/h Nível A e B: EQUIPAMENTOS NÃO AVALIADOS Condicionadores de ar: Tabela 5.1 Resfriadores de líquido: Tabela 5.2 Condensadores e Torres de Arrefecimento: Tabela 5.3 Nível A: requisitos listados nos itens a do RTQ-C Nível C: Condicionadores de ar: Tabela 5.4 Resfriadores de líquido: Tabela 5.5 Condensadores e Torres de Arrefecimento: Tabela 5.3 Nível D: Condicionadores de ar: Tabela 5.6 Resfriadores de líquido: Tabela 5.7 Condensadores e Torres de Arrefecimento: Tabela 5.3 6

7 Nível A Tabela 5.1: Eficiência mínima de condicionadores de ar para classificação nos níveis A e B. Tipo de equipamento Condicionadores de ar resfriados a ar Condicionadores de ar resfriados a água Capacidade <19 kw Todos 19 kw e < 40 kw 40 kw e < 70 kw 70 kw e < 223 kw 223 kw Tipo de aquecimento Resistência elétrica Subcategoria ou condição de classificação Split Unitário Eficiência mínima 3,52 SCOP 3,52 SCOP 3,02 COP Outros 2,96 COP Resistência elétrica 2,84 COP Outros 2,78 COP Resistência elétrica Outros Resistência elétrica Outros 2,78 COP 2,84 IPLV 2,72 COP 2,78 IPLV 2,70 COP 2,75 IPLV 2,64 COP 2,69 IPLV Procedimento de teste ARI 210/240 ARI 340/360 <19 kw Todos 3,35 COP ARI 210/ kw e < 40 kw 40 kw e < 70 kw 70 kw Resistência elétrica 3,37 COP Outros 3,31 COP Resistência elétrica 3,22 COP Outros 3,16 COP Resistência elétrica Outros 2,70 COP 3,02 IPLV 2.64 COP 2.96 IPLV ARI 340/360 Nível A Tabela 5.2: Eficiência mínima de resfriadores de líquido para classificação nos níveis A e B. Tipo de equipamento Condensação a ar, com condensador Condensação a ar, sem condensador Condensação a água (compressor alternativo) Condensação a água (compressor do tipo parafuso e scroll) Condensação a água (compressor centrífugo) Todas Todas Todas Capacidade < 528 kw 528 kw e < kw kw < 528 kw* 528 kw e < kw* kw* Eficiência mínima 2,80 COP 3,05 IPLV 3,10 COP 3,45 IPLV 4,20 COP 5,05 IPLV 4,45 COP 5,20 IPLV 4,90 COP 5,60 IPLV 5,50 COP 6,15 IPLV 5,00 COP 5,25 IPLV 5,55 COP 5,90 IPLV 6,10 COP 6,40 IPLV Procedimento de teste ARI 550/590 *Compressores Centrífugos projetados para operar em condições diferentes das condições de teste da Tabela 5.2 (ARI 550/590) devem adotar os limites estabelecidos nas tabelas 5.2 A a C. 7

8 Nível A Tabela 5.3: Eficiência mínima de torres de resfriamento e condensadores para classificação nos níveis A e B e C. Tipo de equipamento Torres de resfriamento com ventiladores helicoidais ou axiais Torres de resfriamento com ventiladores centrífugos Condensadores resfriados a ar Subcategoria ou condição de classificação Temperatura da água na entrada = 35 C Temperatura da água na saída= 29 C TBU do ar externo = 24 C Temperatura da água na entrada = 35 C Temperatura da água na saída= 29 C TBU do ar externo = 24 C Temperatura de condensação = 52 C Fluido de teste R-22 Temperatura de entrada do gás = 88 C Sub-resfriamento = 8 C TBS na entrada = 35 C Desempenho requerido 3,23 l/s kw 1,7 l/s kw Procedimento de teste CTI ATC-105 CTI ATC COP ARI Cálculo detalhado da Carga Térmica REQUISITOS PARA NÍVEL A 2. Controle de Temperatura por Zona Geral O aquecimento ou resfriamento de ar de cada zona térmica deverá ser controlado por termostato. Faixa de temperatura de controle Deadband de 3 C, onde o suprimento da energia para aquecimento e resfriamento seja desligado ou reduzido para o mínimo. 8

9 Aquecimento suplementar REQUISITOS PARA NÍVEL A Bombas de calor com aquecedor auxiliar através de resistência elétrica devem possuir controle que evite sua operação quando a carga de aquecimento possa ser atendida apenas pela bomba de calor. Aquecimento e resfriamento simultâneo Controles do sistema de condicionamento de ar devem impedir qualquer forma de aquecimento e resfriamento simultâneo para controle de umidade. Zonas térmicas com equipamentos distintos para aquecimento e resfriamento devem possuir termostatos interconectados. 3. Sistema de Desligamento Automático Controle que evite que o sistema de condicionamento de ar funcione quando o edifício estiver desocupado: controle por rotina, Sensor de ocupação ou temporizador. 4. Isolamento de zonas REQUISITOS PARA NÍVEL A Sistemas de condicionamento de ar servindo diferentes zonas térmicas destinadas à operação ou ocupação não simultânea devem ser divididos em áreas isoladas. Zona Térmica < m² de área condicionada e não incluindo mais do que um pavimento. 9

10 REQUISITOS PARA NÍVEL A 5. Controles e dimensionamento do sistema de ventilação Razão entre potência e vazão de insuflamento para sistemas com potência total de ventilação superior a 4,4kW deve atender a Tabela 5.8. Controles de tomada de ar externo e ambientes com elevada ocupação - para o caso de ocupação parcial Ciclo economizador - deve ser incluído ou não a partir de um estudo de viabilidade técnica (RCB 0,80). Sistemas de exaustão - Uso de dampers motorizados ou por controle de gravidade para fechar o sistema de exaustão quando não estiver em uso. Acionamento otimizado para os sistemas de insuflamento de ar com capacidade acima de 5 m³/s (18000 m³/h). REQUISITOS PARA NÍVEL A 6. Recuperação de Calor Ventiladores individuais que tenham capacidade de insuflamento de ar nominal de pelo menos l/s (8640 m³/h) e uma taxa de insuflamento de ar externo de pelo menos 70% da vazão total de projeto devem possuir sistema de recuperação de calor com eficácia de pelo menos 50% de recuperação. 10

11 Dados cadastrais 23/06/2010 REQUISITOS PARA NÍVEL A 7. Controles e dimensionamento dos sistemas hidráulicos Para bombeamento com potência superior a 7,5 kw: Sistemas de vazão de líquido variável Isolamento de bombas Controle da temperatura de água gelada e quente (T retorno ou T ext ). 8. Rejeição de Calor Para condensadores a ar, torres de resfriamento abertas, torres de resfriamento com circuito fechado e condensadores evaporativos. Controle de velocidade do ventilador PLANILHAS DE DADOS Ambientes atendidos Modelo tem capacidade insuficiente ou o sistema esteja realizando desgelo? Vazão de ar (l/s) Tipo do ventilador do evaporador (marcar opção) Potência nominal do motor do ventilador de retorno (kw) (caso exista) Temperaturas de projeto: CONDICIONAMENTO DE AR Imagem representativa do edifício Condicionador Capacidade de Refrigeração Nominal (kw) Tipo (marcar opção com um "x") Sistema de aquecimento (marcar opção) Valor do deadband ( C): Existe resistência elétrica suplementar? COP conforme ARI 210/240 Vazão de ar do ventilador de retorno Endereço Cidade Temperatura de insuflamento ( C) Diferença de temperatura ( C) ESPECIFICAÇÕES possui Resistência elétrica Bomba de calor (ciclo reverso) Outro - especificar: Fabricante Preencher para bomba de calor (ciclo reverso) UF Potência nominal do motor do ventilador do evaporador (kw) Temperatura do setpoint ( C) Split condesação a água AQUECIMENTO Caso afirmativo, há controle para garantir que esta resistência opere somente quando o sistema de refrigeração SCOP conforme ARI 210/240 COP conforme ARI 340/360 IPLV conforme ARI 340/360 Unitário condensação a ar Unitário condensação a água Split condesação a ar EFICIÊNCIA (l/s) (caso exista) Perda de pressão do ar no sistema de filtragem quando os filtros estão limpos (Pa) Perda de pressão do ar nas serpentinas de recuperação de calor ou no resfriador/ umidificador de evaporação direta (Pa) (preencher caso exista) Volume de insuflamento de ar nas serpentinas de recuperação de calor ou no resfriador/umidificador de evaporação direta (l/s) (preencher caso exista) Vazão de ar externo (l/s) Área atendida (m²) O condicionador possui ciclo economizador? Vazão constante Condicionadores CEP preencher se capacidade <19kW e cond. a ar preencher se capacidade <19kW e cond. a água preencher se capacidade >= 19kW preencher se capacidade >=70kW 0 Vazão variável Análise do uso de ciclo economizador resultou em RCB=* *preencher no caso do condicionador não possuir ciclo economizador e se desejar obter nível A CONDICIONADORES Modelo Tipo Valor de Deadband Resistência elétrica COP Vazão de Ar Potência do ventilador Temperatura de Setpoint Perda de pressão de ar Vazão de ar externo Ciclo economizador 11

12 Dados cadastrais Dados cadastrais Dados cadastrais Dados cadastrais 23/06/2010 PLANILHAS DE DADOS CONDICIONAMENTO DE AR Chiller Endereço Imagem representativa do edifício Cidade UF CEP Modelo Fabricante Capacidade Nominal (kw) CONDICIONAMENTO DE AR Tipo (marcar opção com um "x") Resfriador condensação a ar com condensador incorporado Torre Resfriador condensação a ar com condensador remoto Resfriador condensação a água com compressor alternativo Resfriador condensação a água com compressor parafuso Endereço Resfriador condensação a água com compressor scroll Imagem Resfriador representativa condensação do edifício a água Cidade com compressor centrífugo UF CEP COP conforme ARI 550/590 IPLV conforme ARI 550/590 O setpoint da água gelada é (marcar opção): Fixo* Variável (ajusta-se automaticamente de acordo com a Modelo temperatura de retorno da água) Fabricante Desempenho (l/s.kw) conforme CTI ATC-105 Variável (ajusta-se automaticamente de acordo com a temperatura ambiente) Tipo (marcar opção com um "x") Torre com ventilador axial ou helicoidal *Se o setpoint for fixo, descrever a razão do uso desta solução: Torre com ventilador centrífugo Relação das potências dos ventiladores Potência do ventilador 1 (kw) Tipo de controle de rotação (marcar opção) não possui 2 velocidades variação contínua Potência do ventilador 2 (kw) Tipo de controle de rotação (marcar opção) não possui 2 velocidades variação contínua Potência do ventilador 3 (kw) Tipo de controle de rotação (marcar opção) não possui 2 velocidades variação contínua acrescentar quantas linhas forem necessárias CHILLER Modelo Tipo COP Setpoint de água gelada: fixo, variável TORRE Modelo Tipo Potência dos ventiladores PLANILHAS DE DADOS CONDICIONAMENTO DE AR Controle e Automação Endereço Imagem representativa do Cidade UF CEP edifício 1. Há controle individual de temperaturas por zona? Sistema de Bombeamento Único. Justificativa: 2. Há controle que impeça o acionamento de resfriamento e aquecimento de forma simultânea? Endereço 3. Há controle de umidade através do uso de reaquecimento? Imagem representativa do edifício Cidade 4. Tipo de automação para acionamento e desligamento do sistema (marcar opção): existe CONDICIONAMENTO DE AR Sistema de programação horária, distinta para diferentes dias da semana, incluindo controle manual que permita a operação extra do sistema por até 2 horas. Sistema com sensor de ocupação capaz Vazão de total desligar (m³/h) o sistema quando Potência nenhum ocupante Total (kw) é detectado em um período determinado Sistema integrado com sistema de segurança Controle e de alarme vazão da (marcar edificação opção): UF CEP Pressão (kpa) 5. O sistema de ar condicionado é equipado com dispositivos possui, pois capazes a vazão de desativar é constante. automaticamente Justificativa: o suprimento de ar condicionado, ar externo e exaustão Possui em controle, áreas isoladas, tipo: quando a operação Mínimo ou ocupação percentual de vazão possível: % destas áreas não é simultânea as demais áreas atendidas pelo mesmos ventiladores? Bomba 1. Justificativa: Tipo (marcar opção): Bomba Reserva Bomba operante 6. Há controle de sistema de ventilação para Modelo áreas de alta ocupação (>1 pessoa/m2), que reduzem Fabricante automaticamente a vazão de ar externo quando Vazão (m³/h): os espaços estão parcialmente Pressão ocupados (kpa): Potência Nominal do Motor (kw): Potência quando opera com 50% da vazão (kw): se aplica, pois a edificação não possui ambiente com alta ocupação, ou a vazão de Bomba ar externo 2 destes ambientes é inferior a 1400 l/s. Tipo (marcar opção): Bomba Reserva Bomba operante 7. Qual o método utilizado para fechar automaticamente Modelo os sistemas de exaustão que não operam continuamente? Fabricante Uso de dampers motorizados Vazão (m³/h): Pressão (kpa): Potência Nominal do Motor (kw): Uso de dampers acionados por gravidade Potência quando opera com 50% da vazão (kw): existe se aplica, pois todos os sistemas de exaustão operam continuamente Bomba 3 8. Há controle para acionamento otimizado dos ventiladores Tipo (marcar com opção): vazão superior a 5000 l/s? Bomba Reserva Bomba operante Modelo Fabricante Vazão (m³/h): Pressão (kpa): Potência Nominal do Motor (kw):. Descreva: 9. Há no projeto zonas térmicas com taxas Potência de insuflamento quando opera de ar com externo 50% superior da vazão a 70% (kw): da vazão de projeto, sendo esta vazão de projeto superior a 2400 l/s? com emprego de recuperador de O calor Sistema com eficiência: possui mais de um resfriador de liquido % operando em paralelo?, sem emprego de recuperador Existe de calor. um sistema Justificativa: para reduzir automaticamente a vazão do sistema de bombeamento quando um resfriador estiver desligado?. Descreva o funcionamento: CONTROLE E AUTOMAÇÃO Questionário sobre a instalação de controles nos sistemas de condicionamento BOMBEAMENTO Modelo Vazão total Potência Pressão Controle de vazão 12

13 Dados cadastrais 23/06/2010 PLANILHAS DE DADOS CONDICIONAMENTO DE AR Condicionadores Tipo Fan Coil Endereço Imagem representativa do edifício Cidade UF CEP Modelo Fabricante Capacidade de Refrigeração Nominal (kw) Sistema de aquecimento (marcar opção) possui Resistência elétrica Água quente Outro - especificar: Valor do deadband ( C): Vazão de ar (l/s) Potência nominal do motor do ventilador do evaporador (kw) Tipo do ventilador (marcar opção) Vazão constante Vazão variável Vazão de ar do ventilador de retorno (l/s) (caso exista) Potência nominal do motor do ventilador de retorno (kw) (caso exista) Temperaturas de projeto Temperatura do setpoint ( C) Temperatura de insuflamento ( C) Diferença de temperatura ( C) 0 Perda de pressão do ar no sistema de filtragem quando os filtros estão limpos (Pa) Perda de pressão do ar nas serpentinas de recuperação de calor ou no resfriador/ umidificador de evaporação direta (Pa) (preencher caso exista) Volume de insuflamento de ar nas serpentinas de recuperação de calor ou no resfriador/umidificador de evaporação direta (l/s) (preencher caso exista) Vazão de ar externo (l/s) O condicionador possui ciclo economizador? Análise do uso de ciclo economizador resultou em RCB=* *preencher no caso do condicionador não possuir ciclo economizador e se desejar obter nível A FAN COIL Modelo Capacidade de refrigeração Sistema de aquecimento Valor de Deadband Vazão de Ar Potência do ventilador Temperatura de Setpoint Perda de pressão de ar Vazão de ar externo Ciclo economizador CONCLUSÕES Frente a etiquetagem: Papel do Projetista Papel do Fabricante Papel do ABRAVA Papel do 13

14 14

CPAS Climatizador Self Contained de Precisão

CPAS Climatizador Self Contained de Precisão CPAS Climatizador Self Contained de Precisão O Climatizador Self Contained de Precisão é uma unidade evaporadora que incorpora compressor, evaporador, ventilador e instrumentação de proteção e controle.

Leia mais

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO 35 4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO Em uma instalação de ar condicionado quando o circuito de refrigeração estiver desligado, teremos uma instalação de ventilação simples, onde são controlados

Leia mais

Circulação do Ar remove o calor Interno... Ciclo Frigorífico

Circulação do Ar remove o calor Interno... Ciclo Frigorífico Circulação do Ar remove o calor Interno... Ciclo Frigorífico Tipos de Expansão : Ciclo Frigorífico * Expansão Direta: O Refrigerante Troca Calor Diretamente com o Ar a ser condicionado. Expansão Direta

Leia mais

Relatório para especificação técnica de Condicionadores de Ar com eficiência energética A

Relatório para especificação técnica de Condicionadores de Ar com eficiência energética A Relatório para especificação técnica Ar com eficiência energética A Marcio José Sorgato Roberto Lamberts Florianópolis, outubro 2014 Introdução O presente relatório visa orientar os gestores públicos na

Leia mais

Eficiência na transferência de calor de processos industriais

Eficiência na transferência de calor de processos industriais 58 Capítulo V Eficiência na transferência de calor de processos industriais Por Oswaldo de Siqueira Bueno* Nas edições anteriores, foram abordadas as perspectivas de economia de energia com a eficiência

Leia mais

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA FINATEC - EDIFÍCIO SEDE ENDEREÇO: LOCALIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO: UNIDADE MOD.: Nº DE SÉRIE: CÓDIGO

Leia mais

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA 1 SEMINÁRIO DE ENGENHARIA DE ENERGIA PUC-MINAS - 20 de Abril de 2007 AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA Marco Tulio Starling de Vasconcellos marcotulio@tuma.com.br - Tel: (31) 2111-0053 www.tuma.com.br

Leia mais

Condensação. Ciclo de refrigeração

Condensação. Ciclo de refrigeração Condensação Ciclo de refrigeração Condensação Três fases: Fase 1 Dessuperaquecimento Redução da temperatura até a temp. de condensação Fase 2 Condensação Mudança de fase Fase 3 - Subresfriamento Redução

Leia mais

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 S DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 1 - Curso de Simulação de Edificações com o EnergyPlus (Edição 1) 8 e 9 de março 15 e 16 de março 5 e 6 de abril 19 e 20 de abril 2 - Curso de Psicrometria

Leia mais

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial ersores de Freqüência na Refrigeração Industrial Os inversores de freqüência possuem um vasto campo de aplicações dentro da área de refrigeração industrial. São utilizados nas bombas de pressurização,

Leia mais

6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais

6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais 6º Seminário Tecnologia de sistemas prediais Os projetos de sistemas prediais elétricos, de ar condicionado e iluminação com foco para atender requisitos de conservação de energia na etiquetagem do PROCEL/

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Gabriela Ferreira da Silva Companhia Paulista de Força e Luz gabrielaf@cpfl.com.br Eficiência

Leia mais

Sistema típico de ar condicionado do tipo água gelada

Sistema típico de ar condicionado do tipo água gelada Sistema típico de ar condicionado do tipo água gelada Válvula de controle Ambiente 2 Sumidouro de calor Bomba d água Ambiente 1 Sistema de ar condicionado do tipo água gelada Classificação: Sistema multi-zona

Leia mais

Condicionamento de Ar

Condicionamento de Ar Condicionamento de Ar Instituto Federal de Brasília Sumário Introdução Tipos de Condicionadores de ar Vantagens e desvantagens Introdução Refrigeração por Compressão de Vapor Introdução Refrigeração por

Leia mais

Evaporadores. Ciclo de refrigeração

Evaporadores. Ciclo de refrigeração Evaporadores Ciclo de refrigeração Evaporadores Função Extrair calor do meio a ser resfriado (ar, água ou outra substância). Processo Mudança de estado do gás refrigerante, da fase líquida para a fase

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome

Leia mais

Compressores. Na refrigeração industrial e no condicionamento de ar são utilizados praticamente todos os tipos e compressores:

Compressores. Na refrigeração industrial e no condicionamento de ar são utilizados praticamente todos os tipos e compressores: Compressores Na refrigeração industrial e no condicionamento de ar são utilizados praticamente todos os tipos e compressores: Alternativos Rotativos de parafusos Rotativos Scroll Rotativos de palhetas

Leia mais

Ar Condicionado. Linha Mini Split. Linha Completa para o Conforto Térmico. piso teto

Ar Condicionado. Linha Mini Split. Linha Completa para o Conforto Térmico. piso teto Ar Condicionado Linha Mini Split VOCÊ CRIA O AMBIENTE, NÓS CRIAMOS O CLIMA. CASSETE piso teto Linha Completa para o Conforto Térmico Cassete Apresentação Os aparelhos Cassete são discretos tanto por seu

Leia mais

3 Projeto do condicionador

3 Projeto do condicionador 3 Projeto do condicionador O projeto de um sistema térmico é um processo que envolve a aplicação de princípios físicos, materiais e dispositivos para controle e gerenciamento de fluxos de calor e massa.

Leia mais

As ações da Abrava no Cenário de Eficiência Energética

As ações da Abrava no Cenário de Eficiência Energética As ações da Abrava no Cenário de Eficiência Energética ABRAVA Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-Condicionado, Ventilação e Aquecimento www.abrava.com.br Representatividade Movimentação em 2000

Leia mais

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento Bombas de Calor 2º Seminário PPGS Carlos Barbosa TT/SPO-TRTR 1 Bombas de Calor Geotérmicas Índice Definições Funcionamento Performance Instalação Fontes de Problemas 2 Definições Definição de bomba de

Leia mais

Customers. The core of our innovation. Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração. Granulação

Customers. The core of our innovation. Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração. Granulação PT Customers. The core of our innovation Alimentação & Transporte Secagem Dosagem Controle de Temperatura Refrigeração Granulação Tecnologias Piovan para Refrigeração: Chillers com compressores scroll

Leia mais

DC Modular Otimizado para consumo mínimo de água

DC Modular Otimizado para consumo mínimo de água DC Modular Otimizado para consumo mínimo de água A água aquecida que retorna do processo ingressa no DryCooler e ao sair é recolhida em um reservatório, sendo bombeada de volta ao processo já na temperatura

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Caderno de Provas REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo

Leia mais

FORM DE MARKETING. Resfriador de Líquido com Condensação a Ar e Compressores Parafuso VERSÃO A FPO 28971AR. R134a. 150-515 TONS (527-1804 kw) 60 Hz

FORM DE MARKETING. Resfriador de Líquido com Condensação a Ar e Compressores Parafuso VERSÃO A FPO 28971AR. R134a. 150-515 TONS (527-1804 kw) 60 Hz FORM DE MARKETING TM Resfriador de Líquido com Condensação a Ar e Compressores Parafuso VERSÃO A FPO 28971AR R134a 150-515 TONS (527-1804 kw) 60 Hz ÍNDICE Introdução...3 Especificações...4 Temperaturas

Leia mais

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração.

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. (A) O movimento de energia de frio dentro de um espaço onde ele é necessário. (B) A remoção de calor

Leia mais

CONTRATO DE MANUTENÇÃO DE SISTEMA DO AR CONDICIONADO DO PAÇO MUNICIPAL, PRAÇA MONTEVIDÉU Nº10. Anexo XII - PROJETO BÁSICO

CONTRATO DE MANUTENÇÃO DE SISTEMA DO AR CONDICIONADO DO PAÇO MUNICIPAL, PRAÇA MONTEVIDÉU Nº10. Anexo XII - PROJETO BÁSICO 1 CONTRATO DE MANUTENÇÃO DE SISTEMA DO AR CONDICIONADO DO PAÇO MUNICIPAL, PRAÇA MONTEVIDÉU Nº10 Anexo XII - PROJETO BÁSICO 1. OBJETO Serviços de manutenção preventiva e corretiva de sistema do ar condicionado

Leia mais

Afinal de contas, as decisões mais importantes de Minas Gerais merecem ser tomadas no melhor clima.

Afinal de contas, as decisões mais importantes de Minas Gerais merecem ser tomadas no melhor clima. A TUMA Desde 1971 no segmento de engenharia térmica e ar condicionado, a TUMA desenvolve projetos com alto nível técnico, visando atender as particularidades de cada cliente e atingir um elevado nível

Leia mais

Oswaldo Bueno Engenharia e Representações Ltda

Oswaldo Bueno Engenharia e Representações Ltda 1 Programa Apresentação Introdução Carga Térmica Sistemas de controle simultâneo de temperatura e de umidade Equipamentos de transporte e de transferência de calor Coeficiente de Desempenho Refrigeração

Leia mais

Sistemas de Climatização

Sistemas de Climatização Sistemas de Climatização PROFESSOR: FÁBIO FERRAZ 1 SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO Climatizar ambientes - processo de tratamento de ar em recintos fechados, de modo a controlar simultaneamente a sua temperatura,

Leia mais

Saiba mais sobre Condicionadores de AR.

Saiba mais sobre Condicionadores de AR. Saiba mais sobre Condicionadores de AR. O ar-condicionado está na vida das pessoas: em casa, no carro e no trabalho. Apesar de ser um alívio contra o calor, este equipamento pode ser um meio de disseminação

Leia mais

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARA PROCESSO DE RETROCOMISSIONAMENTO EM EDIFÍCIOS LOCALIZADOS EM SÃO PAULO

Leia mais

Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO. Série GXG-S Série GSG-S

Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO. Série GXG-S Série GSG-S Gás refrigerante amigável a camada de ozônio HFC134a Chiller Centrífugo Hitachi NOVO Série GXG-S Série GSG-S Chiller Centrífugo Novas Séries GXG-S e GSG-S A nova série de Chiller Centrífugo de Alta Eficiência

Leia mais

MEMORIAL AR CONDICIONADO COMPLEXO PAULO CAVALCANTE

MEMORIAL AR CONDICIONADO COMPLEXO PAULO CAVALCANTE MEMORIAL AR CONDICIONADO COMPLEXO PAULO CAVALCANTE Página 1 de 15 ÍNDICE 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 NORMAS TÉCNICAS 3.0 PARAMETROS DE PROJETO 4.0 DADOS CARGA TÉRMICA 5.0 ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS VRF 5.1

Leia mais

MERCOFRIO 2006 - V CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL

MERCOFRIO 2006 - V CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL MERCOFRIO 2006 - V CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL ANÁLISE COMPARATIVA DA EFICIÊNCIA DE SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO DE AR ATRAVÉS DE SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL.

Leia mais

Relação dos Projetos Aprovados Pela Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL no Ano de 2013

Relação dos Projetos Aprovados Pela Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL no Ano de 2013 Relação dos Projetos Aprovados Pela Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL no Ano de 2013 1. Introdução Este relatório apresenta uma análise físico-financeira dos Projetos de Eficiência Energética

Leia mais

Considerando a necessidade de zelar pela eficiência energética e segurança elétrica dos Condicionadores de Ar;

Considerando a necessidade de zelar pela eficiência energética e segurança elétrica dos Condicionadores de Ar; Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 643, de 30 de novembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

Principais equipamentos utilizados nos sectores dos edifícios e da industria (a ter em consideração na análise energética) L. F.

Principais equipamentos utilizados nos sectores dos edifícios e da industria (a ter em consideração na análise energética) L. F. Principais equipamentos utilizados nos sectores dos edifícios e da industria (a ter em consideração na análise energética) L. F. Roriz 1. Tipo de instalações A análise energética pode ter que cobrir os

Leia mais

Catálogo Técnico 50TC_10-40 UNIDADES ROOFTOP SOMENTE FRIO

Catálogo Técnico 50TC_10-40 UNIDADES ROOFTOP SOMENTE FRIO Catálogo Técnico 50TC_10-40 UNIDADES ROOFTOP SOMENTE FRIO Capacidade Nominal de 35,2 a 140,7 kw (10 a 40 TR) ÍNDICE MEDIDAS DE SEGURANÇA... 1 NOMENCLATURA... 2 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS GERAIS...3 DIMENSIONAL...

Leia mais

FASE III GLOBAL CHILLER. CATÁLOGO TÉCNICO 82 a 358 TR 60Hz

FASE III GLOBAL CHILLER. CATÁLOGO TÉCNICO 82 a 358 TR 60Hz FASE III GLOBAL CHILLER CATÁLOGO TÉCNICO 30HX 80 a 375 TR 60Hz 30GX 82 a 358 TR 60Hz ÍNDICE 1. NOMENCLATURA... 3 2. INTRODUÇÃO... 4 3. CARACTERÍSTICAS... 4 4. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS... 7 5. CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Tecnologia de Sistemas Prediais de Ar Condicionado e a Conservação de Energia

Tecnologia de Sistemas Prediais de Ar Condicionado e a Conservação de Energia Assuntos: 1 Sustentabilidade segundo ASHRAE 90.1 2 Impactos em Arquitetura Prédio Altos 3 Aspectos para Definir Tipo de Sistema de Ar Condicionado TEKNIKA Projetos e Consultoria Ltda Por: Raul José de

Leia mais

PROCESSO N 020601.010253/15-70 CARIMBO CNPJ Nº

PROCESSO N 020601.010253/15-70 CARIMBO CNPJ Nº Ao Governo do Estado de Roraima Secretaria de Estado da Saúde SESAU Gerencia Especial de Cotação GEC MODELO DA PROPOSTA DE PREÇOS PROCESSO N 020601.010253/15-70 CARIMBO ANEXO I 01 Condicionadores de Ar

Leia mais

MODERNIZE SUA PLANTA FABRIL. Máquinas e equipamentos mais modernos são mais eficientes e consomem menos energia.

MODERNIZE SUA PLANTA FABRIL. Máquinas e equipamentos mais modernos são mais eficientes e consomem menos energia. 1 REALIZE UM DIAGNÓSTICO ENERGÉTICO para identificar todas as oportunidades existentes, avaliar a viabilidade, determinar as prioridades e montar um programa para sua implementação 2 MODERNIZE SUA PLANTA

Leia mais

AR CONDICIONADO. Componentes

AR CONDICIONADO. Componentes AR CONDICIONADO AR CONDICIONADO Basicamente, a exemplo do que ocorre com um refrigerador (geladeira), a finalidade do ar condicionado é extrair o calor de uma fonte quente, transferindo-o para uma fonte

Leia mais

MERCOFRIO 2000 CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL

MERCOFRIO 2000 CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL MERCOFRIO 2000 CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL ANÁLISE COMPARATIVA DAS TAXAS TRANSFERÊNCIA DE CALOR EM SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO DO TIPO VOLUME DE AR CONSTANTE

Leia mais

PORTARIA Nº 23, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015

PORTARIA Nº 23, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 PORTARIA Nº 23, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 Estabelece boas práticas de gestão e uso de Energia Elétrica e de Água nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional

Leia mais

A composição padrão do ar atmosférico seco ao nível do mar é definida

A composição padrão do ar atmosférico seco ao nível do mar é definida Tecnologia do Calor Prof. Nisio C. Brum I- INTRODUÇÃO Atualmente por Condicionamento de Ar entende-se o processo de climatização artificial do ar interno a ambientes de uso público, coletivo ou destinado

Leia mais

SPLIT HI WALL NOVO. Conforto, economia para o bolso e design clean Sua vida merece mais

SPLIT HI WALL NOVO. Conforto, economia para o bolso e design clean Sua vida merece mais SPLIT HI WALL INVERTER R-410A NOVO Conforto, economia para o bolso e design clean Sua vida merece mais SPLIT HI WALL INVERTER R-410A NOVO Conforto e economia em sua casa O Split Hi Wall Inverter da Hitachi

Leia mais

AQUASNAP. Para operação do controle utilize o manual de Controle e Solução de Defeitos (30RA/30RH e 30GS Series) Dados Técnicos do Produto

AQUASNAP. Para operação do controle utilize o manual de Controle e Solução de Defeitos (30RA/30RH e 30GS Series) Dados Técnicos do Produto 30RA 012-075 - PRO-DIALOG PLUS Dados Técnicos do Produto RESFRIADORES DE LÍQUIDOS COM CONDENSAÇÃO A AR MÓDULO HIDRÔNICO INCORPORADO. 30RH 012-075 - PRO-DIALOG PLUS BOMBAS DE CALOR A AR - ÁGUA COM MÓDULO

Leia mais

FASE III GLOBAL CHILLER. CATÁLOGO TÉCNICO 30HXF 120 a 375 TR 60Hz 30GXF 152 a 358 TR 60Hz

FASE III GLOBAL CHILLER. CATÁLOGO TÉCNICO 30HXF 120 a 375 TR 60Hz 30GXF 152 a 358 TR 60Hz FASE III GLOBAL CHILLER CATÁLOGO TÉCNICO 30HXF 120 a 375 TR 60Hz 30GXF 152 a 358 TR 60Hz ÍNDICE 1. NOMENCLATURA... 3 2. INTRODUÇÃO... 4 3. CARACTERÍSTICAS... 4 4. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS 30HX - 60Hz...

Leia mais

A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido.

A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido. 16 3 PSICROMETRIA A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido. 3.1 CARTA PSICROMÉTRICA É um ábaco que permite representar graficamente as evoluções

Leia mais

4. Exemplo de aplicação da metodologia

4. Exemplo de aplicação da metodologia 4. Exemplo de aplicação da metodologia Neste capítulo aplica-se a metodologia proposta para o prédio do SENAI-CIMATEC, em Salvador, Bahia. O prédio do SENAI-CIMATEC não pode ser considerado um edifício

Leia mais

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz e 50 Hz

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz e 50 Hz Sistema de Fluxo de Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior 60 Hz e 50 Hz Solução inovadora de conforto A Trane, líder global no fornecimento de sistemas, soluções e serviços HVAC, oferece

Leia mais

1º SIACS SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL AR CONDICIONADO E GESTÃO ENERGÉTICA

1º SIACS SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL AR CONDICIONADO E GESTÃO ENERGÉTICA 1º SIACS SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL AR CONDICIONADO E GESTÃO ENERGÉTICA PALESTRANTE Eng. Tulio Marcus Carneiro de Vasconcellos Formado em Engenharia Mecânica pela UFMG

Leia mais

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES

ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES ANEXO XVII PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E EDIFICAÇÕES Complexo Esportivo de Deodoro Edital 1.10 1. Instalações Hidráulicas e Sanitárias Os serviços de manutenção de instalações hidráulicas e sanitárias,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO FL.: 1/8 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO SISTEMA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

FORMULARIOS ANEXO I E II DO DECRETO 25.899/2015

FORMULARIOS ANEXO I E II DO DECRETO 25.899/2015 FORMULARIOS ANEXO I E II DO DECRETO.99/0 ANEXO 0 GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS ( Subtotal de 9Ptos =.6 % ) Declarada 6 9 Uso de equipamentos economizadores de água ( torneiras com arejadores, spray e/ou

Leia mais

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz Sistema de Fluxo de Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior 60 Hz Solução de Conforto Inovadora A Trane, líder global no fornecimento de sistemas, soluções e serviços HVAC, oferece soluções

Leia mais

Equipamentos primários. L. Roriz

Equipamentos primários. L. Roriz Equipamentos primários L. Roriz Unidades de Arrefecimento Unidades de Arrefecimento de Ar Unidades Produtoras de Água Refrigerada Sistemas de compressão de vapor Sistemas de expansão directa Sistemas utilizando

Leia mais

ISSN 1981-4232. Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Automação Refrigeração ea. engenharia arquitetura R$ 6,00 PÁTIO MALZONI BUSCA O LEED GOLD

ISSN 1981-4232. Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Automação Refrigeração ea. engenharia arquitetura R$ 6,00 PÁTIO MALZONI BUSCA O LEED GOLD + ISSN 1981-4232 Aquecimento Ventilação Ar Condicionado Automação Refrigeração ea engenharia arquitetura R$ 6,00 C lim atização & Refrigeração Ano XI Nº 140 abril de 2012 PÁTIO MALZONI BUSCA O LEED GOLD

Leia mais

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES PROJETOS DE HOSPITAIS SUSTENTÁVEIS EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES É importante destacar os benefícios de um edifício sustentável. Os green buildings podem ser definidos pelas seguintes

Leia mais

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência

Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Solução de Aquecimento de Águas de Elevada Eficiência Gama 04 Gama de 2013 O que é Therma V? 06 O que é Therma V? Vantagens Therma V 08 Elevada Eficiência Energética 10 Programação Semanal 12 Instalação

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 30/2012 MAR Museu de Arte do Rio

ATO CONVOCATÓRIO 30/2012 MAR Museu de Arte do Rio ATO CONVOCATÓRIO 30/2012 MAR Museu de Arte do Rio 1. INTRODUÇÃO Considerando que o Museu de Arte do Rio MAR será uma das âncoras do plano de revitalização da região portuária da cidade e será instalado

Leia mais

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO. GL-T540 Painel de Controle CONTROLADOR ELETRÔNICO DE AR CONDICIONADO GL-T540 Painel de Controle MANUAL PARA OPERADOR Maio 2005 Rev. BI Versão Software: 1.1 SUMMARIO 1) INTRODUÇÃO... 03 1.1) Introdução... 03 1.2) Painel de Controle...

Leia mais

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Contexto Perfil de emissões MCTI Ministério do Meio Ambiente Objetivos Ampliar e aprimorar a participação

Leia mais

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 Este boletim de engenharia busca apresentar informações importantes para conhecimento de SISTEMAS de RECUPERAÇÃO de ENERGIA TÉRMICA - ENERGY RECOVERY aplicados a CENTRAIS

Leia mais

Sistemas de Ar Condicionado

Sistemas de Ar Condicionado Sistemas de Ar Condicionado Eng. Dr. Fúlvio Vittorino IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo Objetivo Processos e equipamentos mecânicos para: Resfriar ou Aquecer; Desumidificar

Leia mais

Concurso Público Federal Edital 06/2015

Concurso Público Federal Edital 06/2015 PROVA Concurso Público Federal Edital 06/2015 Área: Refrigeração e Climatização QUESTÕES OBJETIVAS Conhecimentos Específicos 01 a 30 Nome do candidato: Nº de Inscrição: INSTRUÇÕES 1º) Verifique se este

Leia mais

Características Unidades Exteriores (Condições Eurovent)

Características Unidades Exteriores (Condições Eurovent) LG SINGLE A (1 ) UNIDADE EXTERIOR As unidades exteriores referenciadas UUxxWH marca LG, são unidades bomba de calor (Modo Reversível) de expansão directa a operar com o fluído frigorigénio R410A. A unidade

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÕES CASA DE RUI BARBOSA

MANUAL DE OPERAÇÕES CASA DE RUI BARBOSA MANUAL DE OPERAÇÕES CLIMATIZAÇÃO DA BIBLIOTECA CASA DE RUI BARBOSA Av. São Clemente, Nº134 Botafogo Rio de Janeiro/RJ 1 O presente Manual tem por objetivo descrever e especificar as características operacionais,

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO 2/3 (segundo de três) Período: de 01/03/2010 a 17/05/2010. AS Manutenção de Ar Condicionado Ltda. Tecnoklima

RELATÓRIO DE ESTÁGIO 2/3 (segundo de três) Período: de 01/03/2010 a 17/05/2010. AS Manutenção de Ar Condicionado Ltda. Tecnoklima Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Mecânica Coordenadoria de Estágio do Curso de Engenharia Mecânica CEP 88040-970 - Florianópolis - SC - BRASIL www.emc.ufsc.br/estagiomecanica

Leia mais

A ETIQUETAGEM de Eficiência Energética em Edificações e suas VANTAGENS

A ETIQUETAGEM de Eficiência Energética em Edificações e suas VANTAGENS A ETIQUETAGEM de Eficiência Energética em Edificações e suas VANTAGENS Roberto Lamberts LabEEE Universidade Federal de Santa Catarina estrutura introdução Estado atual da etiquetagem de nível de eficiência

Leia mais

Ar Condicionado Split High Wall 7000BTUs Só Frio Consul Bem Estar

Ar Condicionado Split High Wall 7000BTUs Só Frio Consul Bem Estar Ar Condicionado Split High Wall 7000BTUs Só Frio Consul Bem Estar Características A temperatura vai ficar exatamente como você quer. Com uma unidade interna conectada a outra externa, esse modelo é a escolha

Leia mais

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Produzidos com os melhores componentes disponíveis no mundo e projetados com foco em economia de energia e facilidade de operação e manutenção,

Leia mais

PROJETO ESPLANADA SUSTENTÁVEL. Maio 2012

PROJETO ESPLANADA SUSTENTÁVEL. Maio 2012 PROJETO ESPLANADA SUSTENTÁVEL CAPACITAÇÃO DOS GESTORES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO MÓDULO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Maio 2012 SISTEMAS DE AR CONDICIONADO Oportunidades de melhoria da eficiência dos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela:

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela: ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA COM REPOSIÇÃO PARCIAL DE PEÇAS ORIGINAIS DOS EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO

Leia mais

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Limites da Primeira Lei No estudo da termodinâmica básica vimos que a energia deve ser conservar e que a Primeira Lei enuncia essa conservação. Porém, o cumprimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Pregão Eletrônico Nº 00174/2013(SRP) VIGÊNCIA 26/12/2013 A 25/12/2014 RESULTADO POR FORNECEDOR 05.821.117/0001-50

Leia mais

AR CONDICIONADO SOLAR

AR CONDICIONADO SOLAR ISO 9001 : 2008 Engenharia do Ar Condicionado De 08/04/2013 a 12/04/2013 Capítulo Especial sobre AR CONDICIONADO SOLAR Local: Hotel Windsor Guanabara Av. Presidente Vargas, 392 Centro Rio de Janeiro RJ

Leia mais

ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO

ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC- 005/2006 1 Equipamento : Chillers ANEXO III PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO 1. PROGRAMA DE TRABALHO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Verificar a existência de ruídos e vibrações anormais

Leia mais

ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina

ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina Mobilização / Sensibilização Módulo Eficiência Energética Fevereiro 2012 Fonte: Plano Nacional de Energia 2030 MME, colaboração Empresa de Pesquisa Energética EPE, 2007

Leia mais

BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice Bombas de Calor para A.Q.S. Um novo grau de eficiência Sistemas eficientes de aquecimento de águas 03 Serviços de Apoio

Leia mais

Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações

Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações Carolina R. Carvalho Marcio J. Sorgato LabEEE Universidade Federal de Santa Catarina estrutura introdução Edificações comerciais, de serviços e públicos

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO E CONDICIONAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS DE GRANDE PORTE

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO E CONDICIONAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS DE GRANDE PORTE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO E CONDICIONAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS DE GRANDE PORTE Marcio Visini Carlos AES Eletropaulo marcio.carlos@aes.com João C. de Abreu Guimarães

Leia mais

LANÇAMENTO VALORIZE SEU MOMENTO DE LAZER. AQUECIMENTO DE ÁGUA. O novo grau de conforto. LINHA BOMBA DE CALOR PARA PISCINA

LANÇAMENTO VALORIZE SEU MOMENTO DE LAZER. AQUECIMENTO DE ÁGUA. O novo grau de conforto. LINHA BOMBA DE CALOR PARA PISCINA LANÇAMENTO VALORIZE SEU MOMENTO DE LAZER. AQUECIMENTO DE ÁGUA LINHA BOMBA DE CALOR PARA PISCINA O novo grau de conforto. EFICIÊNCIA COMPROVADA, SATISFAÇÃO GARANTIDA. EFICIÊNCIA Ventilador com alta efi

Leia mais

MANUAL COM DICAS SOBRE CONSUMO DE ENERGIA

MANUAL COM DICAS SOBRE CONSUMO DE ENERGIA SISTEMA SOLAR DE AQUECIMENTO DE ÁGUA a) Quando for adquirir um sistema de aquecimento solar dê sempre preferência aos modelos com o Selo Procel. b) Dimensione adequadamente o sistema (coletores e reservatórios)

Leia mais

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS

PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS PROJETO BRA12G77 - PNUD / MMA PROJETO DEMONSTRATIVO PARA O GERENCIAMENTO INTEGRADO DO SETOR DE CHILLERS MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARA PROCESSO DE RETROCOMISSIONAMENTO EM EDIFÍCIOS LOCALIZADOS EM BRASILIA

Leia mais

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS220 - Condensação a Ar Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS220 - Condensação a Ar Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO MS220 - Condensação SEM ÓLEO AEFICIÊNCIA EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO REFRIGERANTE R134A CONDENSADOR AXIAL Seleção Rápida - Turbotosi com Condensação MODELO CAPACIDADE

Leia mais

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar A América Latina escolheu a REFRISAT Seu processo pede a REFRISAT faz. Desde sua fundação em 1976, a REFRISAT é reconhecida principalmente por sua

Leia mais

EQUIPAMENTOS. Transferência mecânica:

EQUIPAMENTOS. Transferência mecânica: EQUIPAMENTOS Transferência mecânica: Objetivos do equipamento: a) Garantir o acesso seguro à piscina para qualquer pessoa, b) Previnir possíveis riscos de acidente nas transferências ou manipulações, c)

Leia mais

TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL.

TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL. NOVA LINHA TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS DE PASSAGEM LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO O novo grau de conforto. VOCÊ PEDIU E A RHEEM ATENDEU Linha Completa de

Leia mais

1ª RETIFICAÇÃO PREGAO POR REGISTRO DE PRECOS nº. 116 2008 CPL 05 SESP AQUISICAO DE MATERIAL PERMANENTE CONDICIONADOR DE AR

1ª RETIFICAÇÃO PREGAO POR REGISTRO DE PRECOS nº. 116 2008 CPL 05 SESP AQUISICAO DE MATERIAL PERMANENTE CONDICIONADOR DE AR 1ª RETIFICAÇÃO PREGAO POR REGISTRO DE PRECOS nº. 116 2008 CPL 05 SESP AQUISICAO DE MATERIAL PERMANENTE CONDICIONADOR DE AR A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CPL 05 comunica aos interessados que o Pregão

Leia mais

Resfriadores Evaporativos BRISBOX

Resfriadores Evaporativos BRISBOX Características do Produto: Resfriadores Evaporativos BRISBOX BRISBOX Aplicações Resfriadores evaporativos Munters, possuem uma ótima performance energética e podem ser aplicados em: Bingos; Boates; Academias;

Leia mais

Ciclos de Potência a vapor. Ciclo Rankine

Ciclos de Potência a vapor. Ciclo Rankine Ciclos de Potência a vapor Ciclo Rankine BOILER q in 3 TURBINE w out 2 4 CONDENSER w in 1 PUMP q out Ciclo de Carnot T T H 2 3 T H < T C Compressor e turbina trabalham na região bifásica! 1 T L 4 s Ciclo

Leia mais

Conceitos gerais. A movimentação do ar e dos gases de combustão é garantida por: Ventiladores centrífugos Efeito de sucção da chaminé

Conceitos gerais. A movimentação do ar e dos gases de combustão é garantida por: Ventiladores centrífugos Efeito de sucção da chaminé TIRAGEM Definição Tiragem é o processo que garante a introdução do ar na fornalha e a circulação dos gases de combustão através de todo gerador de vapor, até a saída para a atmosfera 00:43 2 Conceitos

Leia mais

Coldex Tosi Ar Condicionado

Coldex Tosi Ar Condicionado Coldex Tosi Ar Condicionado Self Contained Data Aire Series DA Modelo - 6 a 30 TR Fluído Refrigerante R-410a e R-407c DA A D 20 3 2 C Serpentina Auxiliar Tensão Entrada Numero de Fases Capacidade de Refrigeração

Leia mais

Radiador de ar Indústria AC-LN / ACA-LN / ACAF-LN 8-14

Radiador de ar Indústria AC-LN / ACA-LN / ACAF-LN 8-14 Radiador de ar Indústria AC-LN / ACA-LN / ACAF-LN 8-14 Símbolo Gerais Os radiadores de ar da série AC-LN 8-14 podem ser aplicados em todas as áreas nas quais é preciso resfriar óleo ou mistura de água-glicol

Leia mais