AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e 3380

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e 3380"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação da Conformidade - Divec AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e DEFINIÇÕES 1.1. Aquecedores - São aparelhos domésticos para aquecer a água em nossa residência Tipos de Aquecedores - Existem aquecedores elétricos, a gás e solares. Os elétricos são usados em chuveiros e torneiras através da eletricidade. Os aquecedores a gás, que podem ser instantâneos ou de passagem, são semelhantes ao elétrico e aquecem a água através de pequenas chamas de gás. Os solares são compostos de grandes placas, geralmente colocadas no telhado, que reaproveitam a luz do sol para gerar energia e aquecer a água. Atenção: Não estão contemplados neste procedimento os aquecedores de água elétricos e solares Aquecedores de água a gás - Por passagem, onde a água é aquecida gradualmente, à medida que passa pelo aparelho. Por acumulação, onde o aquecimento ocorre através da passagem da água por um sistema de serpentinas, tendo reservatório por acumulação. DICAS: Os de passagem são pequenos, podendo ser instalados nos banheiros ou em algum espaço da área de serviço (preferível), desde que o lugar escolhido deve ter ventilação permanente, além de um espaço para a saída da chaminé que elimina o gás de combustão. Como o nome diz, o aquecimento acontece por meio da passagem da água por um sistema de serpentinas dispostas ao redor de uma câmara de combustão. Não há necessidade de reservatório. No sistema de acumulação, a água também é aquecida passando pelas serpentinas e fica armazenada no reservatório de acumulação ou boiler que é instalado no forro ou em um armário falso. Neste caso a pressão da água é melhor e mais rápida. Em geral, o aquecedor de passagem mais prático, porém, é preciso ajuda técnica para estimar sua capacidade, caso contrário, corre-se o risco de ter um banho com pouca vazão de água quente. 2. REFERÊNCIAS 2.1. Lei /2001 Lei de Eficiência Energética. Estabelece a Política Nacional de Conservação de Energia Decreto nº 4.059/2001 Regulamenta a Lei de Eficiência Energética Portaria Inmetro nº 119/2007 Aprova a revisão do Regulamento de Avaliação da Conformidade para Aquecedores de Água a Gás, dos tipos instantâneos e de Acumulação. (Portaria válida até 12/04/2015) 2.4. Portaria Inmetro nº 67/2008 Determina que as datas estabelecidas no Quadro 02 da Portaria Inmetro n 119, de 30 de março de 2007 sejam prorrogadas para os aquecedores de água à gás, tipo acumulação. (Portaria válida até 12/04/2015) 2.5. Portaria Inmetro nº 491/2010 ou sua sucessora Aprova o procedimento para concessão, manutenção e renovação de Registro de Objeto. Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 1

2 2.6. Portaria Inmetro nº 361/2011 ou sua sucessora Aprova o procedimento para concessão, manutenção e renovação de Registro de Objeto Portaria Inmetro nº 182/2012 Aprova a revisão do Regulamento de Avaliação da Conformidade para Aquecedores de Água a Gás, dos tipos instantâneos e de Acumulação Portaria Inmetro nº 390/2013 Esclarece e adequa os critérios da Portaria nº 182/ Normas Aplicáveis ABNT NBR 8130:2004 Aquecedores de Água a Gás Instantâneo requisitos e métodos de ensaio; ABNT NBR 5899:1995 Aquecedores de Água a Gás Instantâneo terminologia; ABNT NBR 10540:1988 Aquecedores de Água a Gás Tipo Acumulação terminologia; ABNT NBR 10542:1988 Aquecedores de Água a Gás Tipo Acumulação ensaios; ABNT NBR 13103:2006 Instalação de aparelhos a gás para uso residencial requisitos dos ambientes. 3. CONDIÇÕES GERAIS Em todos os locais de armazenamento, transporte, exposição ou venda para Aquecedores de Água a gás, dos tipos instantâneos e de acumulação (artigo 6º da Lei 9933). NOTA: No procedimento de fiscalização de aquecedores de água a gás, foi incluído a atualização das Portarias Inmetro nº 182/2012 com nº390/2013. Tendo em vista que as Portarias Inmetro nº 119/2007 e nº67/2008 continuam em vigor conforme prazos descritos na tabela abaixo, o agente fiscal deve observar os prazos conforme as Portarias durante o período de transição. A Portaria Inmetro nº 182/2012 com nº390/2013, que revoga no dia 13/04/2015 por completo as Portarias Inmetro nº 119 e nº 67/2008. Prazos das Portarias Inmetro nº 119/2007 e nº 67/2008: Aquecedores do tipo instantâneo Aquecedores do tipo Acumulação Atividade Data de início Atividade Data de início Fabricação ou importação 30/06/2007 Fabricação ou importação 30/09/2008 Comercialização por fabricante ou importador. 30/09/2007 Comercialização por fabricante ou Importador. 31/12/2008 Comercialização por varejistas, Comercialização por varejistas, atacadistas, distribuidores e 31/03/2008 atacadistas, distribuidores e lojistas. 31/03/2009 lojistas. Não estão contemplados neste procedimento os aquecedores de água elétricos e solares. Prazos da Portaria Inmetro nº 182/2012: Aquecedores do tipo instantâneo Aquecedores do tipo Acumulação Atividade Data de início Atividade Data de início Fabricação ou importação 13/10/2013 Fabricação ou importação 13/10/2013 Comercialização por fabricante ou importador. 13/04/2014 Comercialização por fabricante ou Importador. 13/04/2014 Comercialização por varejistas, atacadistas, distribuidores e 13/04/2015 Comercialização por varejistas, atacadistas, distribuidores e lojistas. 13/04/2015 lojistas. Não estão contemplados neste procedimento os aquecedores de água elétricos e solares. Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 2

3 Conforme Portaria Inmetro nº 182/2012, os requisitos se aplicam aos aquecedores de água a gás dos tipos Instantâneos ou de acumulação, que utilizam Gás Liquefeito de Petróleo - GLP ou Gás Natural GN e operam até os limites apresentados no quadro a seguir: Tipo de aquecedor Potência kw (kcal/h) Instantâneo 70,0 (60.200) Acumulação até 250 litros 35,0 (30.100) 4. METODOLOGIA 4.1. Produtos que não ostentam a ETIQUETA - ENCE Notificar a firma fiscalizada para apresentar o documento fiscal de aquisição do produto; Lavrar Auto de Infração para o comerciante; NOTA 1 - Verificar se existe uma caixa fechada do produto interditado, para saber se o fabricante está entregando o produto etiquetado. NOTA 2 - Verificar no site do Inmetro (www.inmetro.gov.br/consumidor/tabelas.asp) se o fabricante com o respectivo modelo do aquecedor de água a gás interditado consta na lista de produtos etiquetados Caso atenda algum item acima, notificar o fiscalizado para que solicite ao fabricante a colocação da etiqueta ENCE; Caso não atenda nenhum item acima, Lavrar Auto de Infração para o fabricante e notificar o fiscalizado para devolver o produto ao fabricante/importador; 4.2. Produtos que ostentam a ETIQUETA ENCE sem Autorização Constatado o uso irregular da etiqueta ENCE, notificar apresentar o documento fiscal e devolver o produto ao fabricante/importador; Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador; Não apresentou o documento fiscal, lavrar o Auto de Infração para a empresa fiscalizada Produtos que ostentam a ETIQUETA ENCE com Autorização Proceder à verificação formal pela Portaria 119/2007 O aquecedor deve apresentar, em lugar visível, uma identificação indelével, com as seguintes informações: Nome do fabricante e/ou a marca registrada; a) Designação do tipo: Potência nominal nas condições padrão expressa em kw (kcal/min) Rendimento sobre o PCS % b) Tipo de gás utilizado, podendo neste caso, ser empregada uma identificação em separado; c) Volume do tanque; d) A seguinte inscrição: Este aparelho deve ser instalado com chaminé e em local com ventilação permanente. Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 3

4 Proceder à verificação formal pela Portaria nº182/2012 VER PRAZO DA PORTARIA CONFORME ITEM 3 DESSE PROCEDIMENTO As Portarias Inmetro nº 182/2012 e nº390/2013 acrescentaram no procedimento de fiscalização novos critérios na verificação formal dos aquecedores de água a gás com informações mínimas obrigatórias no produto e na embalagem. Informações, mínimas, obrigatórias no produto são as seguintes: a) Selo de Identificação da Conformidade, neste caso, a ENCE; b) Nome do fornecedor ou sua marca, razão social, nome fantasia (quando constar no CNPJ) e CNPJ do fornecedor detentor do Registro de Objeto; c) Designação do tipo, conforme potência nominal estipulada nas tabelas: - Potência nominal nas condições-padrão em quilowatts (kw) e em quilocalorias por minuto (kcal/min); - Rendimento (%), calculado sobre o Poder Calorífico Superior (PCS); d) Tipo de gás utilizado; e) A seguinte inscrição: Este aparelho só pode ser instalado em locais onde haja ventilação permanente, sendo o uso de chaminé obrigatório. Nota 1: No caso de aquecedores projetados para operar sem a chaminé, devem ser obedecidos os requisitos descritos na seção relativa à sua utilização na norma ABNT NBR Nota 2: As informações indicadas acima devem ser duráveis e estar em local visível, salvo a etiqueta ENCE, que pode ser removida pelo usuário após a aquisição do aparelho. Informações, mínimas, obrigatórias na embalagem. a) Em local adequado e visível, devem estar indicadas a designação do aquecedor e o tipo do gás a ser utilizado; b) Nome do fornecedor ou sua marca, razão social, nome fantasia (quando constar no CNPJ) e CNPJ do fornecedor detentor do Registro de Objeto; c) Modelo do produto; d) Rastreabilidade (número do lote de fabricação e/ou o número de série); e) País de origem ou sua referência; f) Código comercial do produto. Instruções de instalação e de utilização (Comum para as Portarias nº 119/2007 e nº182/2012) O aquecedor deve ser acompanhado de um manual de instruções contendo: a) Manual de instruções contendo todas as informações necessárias para instalação, utilização e de segurança; b) Termo de garantia e relação da rede de assistência técnica; c) As seguintes informações técnicas: Gás recomendado; Potência nominal nas condições padrão (15º C e 101,33 kpa); Potência nominal nas condições de ensaio (próprias do rendimento); Rendimento (%); Especificação das conexões de água e gás; Diâmetro da chaminé; Tempo de acionamento da válvula de segurança para o acendimento; Sistema de segurança descrito de forma clara e inequívoca; Tempo de elevação da temperatura do tanque em 20º C, sem circulação de água; Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 4

5 Pressão máxima de água; Pressão máxima de gás; Capacidade de recuperação do aquecedor (em l/hora para T= 50º C); Local de fixação da placa de identificação; Informação para conversão para outro tipo de gás Na falta de parte ou todas as informações acima nas etiquetas ou classificação diferente da lista de produtos aprovados: Notificar o comerciante para a apresentação do documento fiscal; Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador; Não apresentou o documento fiscal, lavrar o Auto de Infração para a empresa fiscalizada; ETIQUETA ENCE ENCE conforme Portaria nº 119/2007 Etiqueta do aquecedor de água a gás Instantâneo Etiqueta do aquecedor de água de acumulação Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 5

6 ENCE conforme Portaria nº 182/2012 A Portaria Inmetro nº 182/2012, acrescentou na Etiqueta ENCE dos aquecedores de água à gás dos tipos instantâneo e acumulação os requisitos de segurança, OCP responsável e o número do registro do Inmetro. Etiqueta do aquecedor de água a gás Instantâneo Etiqueta do aquecedor de água de acumulação Obs.: Onde contiver a redação XX,X% leia-se XX% (Redação dada pela Portaria INMETRO número 390 de 06/08/2013). Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 6

7 Aquecedores do tipo instantâneo Irregularidades SGI Nº Descrição 07 Ausência do termo de garantia e relação da rede de assistência técnica. 08 Ausência do nome e/ou da marca registrada do fabricante/importador. 09 Ausência da informação técnica "diâmetro da chaminé". 10 Ausência de indicação do volume do tanque. 11 Ausência da informação técnica "potência nominal nas condições padrão (15º C e 101,33kPa)". 12 Ausência da informação técnica "potência nominal nas condições de ensaio (próprias do rendimento)". 13 Ausência da informação técnica "pressão máxima de água", 14 Ausência da informação técnica "pressão máxima de gás", 15 Ausência de indicação do tipo de gás utilizado. 16 Ausência da informação técnica "gás recomendado". 17 Ausência de especificação das conexões de água e gás. 18 Ausência da informação técnica "local de fixação da placa de identificação". 19 Ausência de informação técnica relativa à conversão para outro tipo de gás. 20 Ausência da informação técnica "sistema de segurança descrito de forma clara e inequívoca". 21 Ausência do manual de instruções contendo todas as informações necessárias para instalação, utilização e segurança, 22 Ausência da informação técnica "rendimento (%)". 23 Ausência da informação técnica "tempo de acionamento da válvula de segurança para o acendimento", 24 Ostentando a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), aprovada no SBAC, não autorizados junto ao Inmetro. Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 7

8 Aquecedores do tipo acumulação Irregularidades SGI Nº Descrição 01 Ausência da informação técnica "capacidade de recuperação do aquecedor (em l/hora para T= 50º C)". 02 Ausência da designação do tipo "potência nominal nas condições padrão expressa em kw(kcal/min)" e/ou rendimento sobre o PCS - %". 03 Autorizados junto ao Inmetro, não ostentavam a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), aprovada no âmbito do SBAC. 04 Sem ostentar a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE) aprovada no âmbito do SBAC. 05 Ausência da inscrição "Este aparelho deve ser instalado com chaminé e em local com ventilação permanente. 06 Ausência da informação técnica "tempo de elevação da temperatura do tanque em 20º C, sem circulação de água". 07 Ausência do termo de garantia e relação da rede de assistência técnica. 08 Ausência do nome e/ou da marca registrada do fabricante/importador. 09 Ausência da informação técnica "diâmetro da chaminé". 10 Ausência de indicação do volume do tanque. 11 Ausência da informação técnica "potência nominal nas condições padrão (15º C e 101,33kPa)". 12 Ausência da informação técnica "potência nominal nas condições padrão (15º C e 101,33 kpa)". 13 Ausência da informação técnica "pressão máxima de água". 14 Ausência da informação técnica "pressão máxima de gás". 15 Ausência da informação técnica "gás recomendado". 16 Ausência de identificação do tipo de gás utilizado. 17 Ausência de especificação das conexões de água e gás. 18 Ausência de informação técnica acerca da conversão para outro tipo de gás. 19 Ausência da informação técnica "local de fixação da placa de identificação". 20 Ausência da informação técnica "sistema de segurança descrito de forma clara e inequívoca". 21 Ausência do manual de instruções contendo todas as informações necessárias para instalação, Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 8

9 utilização e segurança. 22 Ausência de informação técnica relativa ao rendimento (%). 23 Ausência de informação técnica relativa ao tempo de acionamento da válvula de segurança para o acendimento. 24 Ostenta a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), aprovada no âmbito do SBAC, porém não estão autorizados junto ao Inmetro. Dconf/Divec ver2 Dezembro/ Página 9

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO.

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO CABOS DE

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO Julho/2011

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Portarias Inmetro 352/2012, 301/2012 e 164/2012

EQUIPAMENTOS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Portarias Inmetro 352/2012, 301/2012 e 164/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS. Portaria Inmetro 38/2007 Código 3332

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS. Portaria Inmetro 38/2007 Código 3332 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - SEGURANÇA EM BRINQUEDOS. Portarias Inmetro 108/2005, 49/2008, 321/2009 e 377/2010 Código 3049

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - SEGURANÇA EM BRINQUEDOS. Portarias Inmetro 108/2005, 49/2008, 321/2009 e 377/2010 Código 3049 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Portaria Inmetro 332/2012 Código 3371

Portaria Inmetro 332/2012 Código 3371 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE CORDÕES E CABOS FLEXÍVEIS CONTEMPLADOS PELA PORTARIA INMETRO 139/01

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE CORDÕES E CABOS FLEXÍVEIS CONTEMPLADOS PELA PORTARIA INMETRO 139/01 PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE CORDÕES E CABOS FLEXÍVEIS CONTEMPLADOS PELA PORTARIA INMETRO 139/01 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Definições 4 Responsabilidade 5 Siglas e Abreviaturas 6 Referência

Leia mais

LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS, COM REATOR INTEGRADO. Portaria Inmetro 489/2010 Código 3383

LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS, COM REATOR INTEGRADO. Portaria Inmetro 489/2010 Código 3383 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO Portaria Inmetro 656/2012

COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO Portaria Inmetro 656/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade - Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA TELHAS CERÃMICAS E TELHAS DE CONCRETO Portaria Inmetro nº 005/2013

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA TELHAS CERÃMICAS E TELHAS DE CONCRETO Portaria Inmetro nº 005/2013 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA PANELAS METÁLICAS. Portarias Inmetro nº 398/2012 e 419/2012 - Código 3815

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA PANELAS METÁLICAS. Portarias Inmetro nº 398/2012 e 419/2012 - Código 3815 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010, 412/2011 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010, 412/2011 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Aquecimento de Água. Linha a Gás de Passagem para Banho. Linha Completa para o Conforto Térmico

Aquecimento de Água. Linha a Gás de Passagem para Banho. Linha Completa para o Conforto Térmico Aquecimento de Água Linha a Gás de Passagem para Banho Linha Completa para o Conforto Térmico Aquecedor de Água Apresentação Aquecedor de água para banho a gás de passagem para uso residencial ou comercial.

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PNEUS REFORMADOS

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PNEUS REFORMADOS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

COMPLEMENTO REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS DOS TIPOS INSTANTÂNEO OU DE ACUMULAÇÃO

COMPLEMENTO REQUISITOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS DOS TIPOS INSTANTÂNEO OU DE ACUMULAÇÃO Página: 1/41 Elaborado por: Wilson Silva Verificado por: Karen Martins Aprovado por: Arnaldo Barbulio Data Aprovação: 06/07/2015 1 - OBJETIVO Este documento estabelece os Requisitos de Avaliação da Conformidade

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - EMBALAGENS PARA TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Portarias Inmetro 326/2006, 71/2008 e 452/2008- Códigos 3378 e 3798

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - EMBALAGENS PARA TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Portarias Inmetro 326/2006, 71/2008 e 452/2008- Códigos 3378 e 3798 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Novo Aquecedor de Água a Gás de Passagem. Aquecedor de Água para Banho. O novo grau de conforto.

Novo Aquecedor de Água a Gás de Passagem. Aquecedor de Água para Banho. O novo grau de conforto. Novo Aquecedor de Água a Gás de Passagem Aquecedor de Água para Banho O novo grau de conforto. SOFISTICAÇÃO Aparelhos na cor branca e novo acabamento em toda a chapa do gabinete, fi caram mais elegantes

Leia mais

Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec

Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec Ademir Ribeiro Dconf/Divec INTRODUÇÃO: Considerando que os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio são componentes fundamentais por permitir ao usuário identificar a qualquer momento, se o extintor

Leia mais

CADEIRA DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Portaria n.º 683/2012, 51/2013 e 359/2014 Código SGI - 3816

CADEIRA DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Portaria n.º 683/2012, 51/2013 e 359/2014 Código SGI - 3816 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE AGENTE REDUTOR LÍQUIDO DE NOx AUTOMOTIVO ARLA 32 Portaria Inmetro 139/2011 - Código: 3469

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE AGENTE REDUTOR LÍQUIDO DE NOx AUTOMOTIVO ARLA 32 Portaria Inmetro 139/2011 - Código: 3469 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Chamamos de sistema individual quando um equipamento alimenta um único aparelho.

Chamamos de sistema individual quando um equipamento alimenta um único aparelho. AULA 11 SISTEMA PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE 1. Conceito e classificação O sistema de água quente em um edificação é totalmente separado do sistema de água-fria. A água quente deve chegar em todos os pontos

Leia mais

TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL.

TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL. NOVA LINHA TRANSFORME SEU BANHO EM UM MOMENTO INESQUECÍVEL. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS DE PASSAGEM LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO O novo grau de conforto. VOCÊ PEDIU E A RHEEM ATENDEU Linha Completa de

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Aquecimento alternativo

Aquecimento alternativo 34_Aquecedor domestico.qxd 17/11/2004 16:34 Page 90 AQUECEDOR DOMÉSTICO DE ÁGUA Divulgação Abrava/DASol Aquecimento alternativo Popularizar o produto é um dos objetivos do setor para 2005 Atualmente podemos

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Sumário 1. OBJETO 2 2. INFORMAÇÕES INICIAIS 2 2.1. Definições 2 2.2. Normas Técnicas Aplicáveis 3 3. DESCRIÇÃO DOS ITENS DA PPU 3 4. DISPOSIÇÕES GERAIS 4 1. OBJETO 1.1 Trata

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA INTERMINISTERIAL N o 298, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, E DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO ATUALIZAÇÃO: OUTUBRO 2009 DISJUNTORES PORTARIA INMETRO 348/2007 e PORTARIA INMETRO 243/2006

Leia mais

PARA SOLICITAR SERVIÇOS DOS POSTOS AUTORIZADOS BUILT, LIGUE PARA OS TELEFONES CONSTANTES NA LISTA DE POSTOS AUTORIZADOS, ACESSE O SITE

PARA SOLICITAR SERVIÇOS DOS POSTOS AUTORIZADOS BUILT, LIGUE PARA OS TELEFONES CONSTANTES NA LISTA DE POSTOS AUTORIZADOS, ACESSE O SITE BUILT - INDUSTRIAL ELETRODOMÉSTICOS LTDA CNPJ: 04.113.146/0004-47 - INDUSTRIA BRASILEIRA Estrada do Coco, Km 10, Galpão 0 - Catu de Abrantes - Camaçari - BA Contatos: (71) 304-0631 - built@built.com.br

Leia mais

Instalações de Gás. Objetivo: Fornecer Gás Combustível com segurança e sem interrupções para residências.

Instalações de Gás. Objetivo: Fornecer Gás Combustível com segurança e sem interrupções para residências. Instalações de Gás Objetivo: Fornecer Gás Combustível com segurança e sem interrupções para residências. Tipos de Gases: Os gases combustíveis oferecidos no Brasil são: GLP (Gás Liquefeito de Petróleo)

Leia mais

Recomendações para instalação de rede interna e de equipamentos a gás.

Recomendações para instalação de rede interna e de equipamentos a gás. Recomendações para instalação de rede interna e de equipamentos a gás. USO DE GÁS NATURAL CANALIZADO NORMAS E LEGISLAÇÃO: ABNT NBR 14570 ABNT NBR 13103 COSCIP código de segurança - decreto estadual nº

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Art. 3º Informar que as críticas e sugestões a respeito da proposta de texto deverão ser encaminhadas para os seguintes endereços:

CONSULTA PÚBLICA. Art. 3º Informar que as críticas e sugestões a respeito da proposta de texto deverão ser encaminhadas para os seguintes endereços: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial- Inmetro Portaria n.º 031, de 24 de fevereiro de 2006. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim INSTALAÇÕES PREDIAIS DE GÁS 2 Objetivo: Fornecer Gás Combustível com segurança e sem

Leia mais

Estamos apresentando nossa proposta em resposta a sua carta convite enviada em 13/05/08.

Estamos apresentando nossa proposta em resposta a sua carta convite enviada em 13/05/08. Rio de Janeiro, 11 de junho de 2008 A Aquastore A/c. Eng.Jano Grossmann End. Bairro. Cid. Rio de Janeiro Est. RJ Tel. (0xx21) 2523-7582 CEL. 9418-6179 e-mail. janog@aquastore.com.br Ref.: Proposta comercial

Leia mais

PNEUS REFORMADOS AUTOMOTIVO e EMPRESAS DE REFORMAS DE PNEUS. Portarias Inmetro 227/2006, 272/2008, 444/2010 e 019/2012

PNEUS REFORMADOS AUTOMOTIVO e EMPRESAS DE REFORMAS DE PNEUS. Portarias Inmetro 227/2006, 272/2008, 444/2010 e 019/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Linha a Gás de Passagem para Banho

Linha a Gás de Passagem para Banho QUECIMENTO DE ÁGU Linha a Gás de Passagem para Banho Made in Japan QUECEDOR DE ÁGU Linha a Gás de Passagem para Banho CRCTERÍSTICS E BENEFÍCIOS Sistema computadorizado. cendimento eletrônico automático

Leia mais

Treinamento Extintor de Incêndio - 2013. Ademir Ribeiro Dconf/Divec

Treinamento Extintor de Incêndio - 2013. Ademir Ribeiro Dconf/Divec Ademir Ribeiro Dconf/Divec Muitas pessoas podem imaginar que o extintor é um equipamento supérfluo e ultrapassado. Porém estatísticas mostram que cerca de 95% dos incêndios se desenvolveram a partir de

Leia mais

Instalações prediais de gases combustíveis água quente. Construção de Edifícios 5. Arquitetura e Urbanismo FAU USP. J.

Instalações prediais de gases combustíveis água quente. Construção de Edifícios 5. Arquitetura e Urbanismo FAU USP. J. Instalações prediais de gases combustíveis água quente Construção de Edifícios 5 Arquitetura e Urbanismo FAU USP J. Jorge Chaguri Jr Para que gás? Principais Normas NBR 15526 NBR 13103 Edifícios prumada

Leia mais

Aquecedores de água a gás

Aquecedores de água a gás Instruções de Instalação e Manuseio Aquecedores de água a gás GWH 160 B GLP/GN AS0ND GWH 250 B GLP/GN AS0ND GWH 325 B GLP/GN AS0ND Para sua segurança: Se cheirar gás: - Não acione qualquer interruptor

Leia mais

NPT 029 COMERCIALIZAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO E UTILIZAÇÃO DE GÁS NATURAL

NPT 029 COMERCIALIZAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO E UTILIZAÇÃO DE GÁS NATURAL Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 029 Comercialização, distribuição e utilização de gás natural CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 5 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2

Leia mais

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA

Leia mais

Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica

Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica Jefferson Alberto Prestes Analista Executivo de Metrologia e Qualidade Inmetro Inmetro Base de dados: 64,9% das pessoas que já ouviram falar

Leia mais

Sistemas de aquecimento de água residencial e o ASBC: Aquecedor Solar de Baixo Custo Por Felipe Marques Santos Aluno do curso de Engenharia de Energia Projeto Coordenado por Prof. Dr. Rogério Gomes de

Leia mais

INSTALAÇÃO DE APARELHOS A GÁS

INSTALAÇÃO DE APARELHOS A GÁS 7 INSTALAÇÃO DE APARELHOS A GÁS 7.1 Tipos de aparelhos a gás 7.2 Localização de aparelhos a gás 7.3 Ventilação do ambiente 7.4 Exaustão dos produtos de combustão 7.5 Exemplos de instalação de aparelhos

Leia mais

Aquecedores de água a gás

Aquecedores de água a gás Instruções de Instalação e Manuseio Aquecedores de água a gás GWH 160 B GLP/GN GWH 250 B GLP/GN GWH 325 B GLP/GN Para sua segurança: Se cheirar gás: - Não acione qualquer interruptor elétrico. - Não use

Leia mais

ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive)

ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive) ErP ( Energy related products) ELD ( Energy labelling Directive) 1 Índice: 1. Introdução: 20:20:20 2. Directiva ErP-EuP 2.1 Diretiva ErP: 2.1.1 Explicação da ErP 2.1.2 Produtos incluídos: LOTs 2.1.3 Calendário

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência.

Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Com inovadora tecnologia de condensação. Mais água quente, mais eficiência. 2 Sistema de Aquecimento Therm 8000 S Therm 8000 S Soluções de aquecimento de água para altas

Leia mais

Portaria n.º 119, de 30 de março de 2007.

Portaria n.º 119, de 30 de março de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 119, de 30 de março de 2007.

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO Julho /

Leia mais

Portaria n.º 239, de 09 de maio de 2012.

Portaria n.º 239, de 09 de maio de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 239, de 09 de maio de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

Eletrônicos. Convencionais. Manual do do Reator. Partida rápida. Fabricamos produtos com certificação: Descarga OCP 0018.

Eletrônicos. Convencionais. Manual do do Reator. Partida rápida. Fabricamos produtos com certificação: Descarga OCP 0018. Eletrônicos Convencionais Manual do do Partida rápida Fabricamos produtos com certificação: Descarga es BV OCP 0018 Índice Eletrônico de Descarga Índice PIS FPN 10 PIS AFP 10 PIS DICRÓICA 11 PID FPN 11

Leia mais

4 ESCOLHA O BOTIJÃO CERTO 2

4 ESCOLHA O BOTIJÃO CERTO 2 1 COMPRE DE REVENDEDOR AUTORIZADO 3 CUIDADOS COM A ENTREGA EM CASA Só o comerciante que tiver autorização (em dia) da ANP pode vender gás de botijão (GLP, gás liquefeito de petróleo). O Código de Defesa

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria INMETRO/DIMEL/Nº 049, de 06 de abril de 2004.

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 313, de 15 de junho de 2012. CONSULTA

Leia mais

CHAPAS A GÁS. Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto

CHAPAS A GÁS. Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto MANUAL DE INSTRUÇÕES CHAPAS A GÁS Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto ALFATEC EQUIPAMENTO E SERVIÇOS LTDA Rua Gerson Ferreira, 31-A - Ramos - CEP: 21030-151 - RJ Tel/Fax: (0xx21) 2564-2001

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO KP-PN 1501 (GLP/GN) LEIA O MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DE INSTALAR AGRADECEMOS A SUA PREFERÊNCIA KOBE. Verão. Inverno. Mín. Máx. Mín.

MANUAL DO USUÁRIO KP-PN 1501 (GLP/GN) LEIA O MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DE INSTALAR AGRADECEMOS A SUA PREFERÊNCIA KOBE. Verão. Inverno. Mín. Máx. Mín. KOBE MANUAL DO USUÁRIO KP-PN 1501 (GLP/GN) KOBE Inverno Verão Mín. Máx. Mín. Máx. CHAMA TEMPERATURA LEIA O MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DE INSTALAR AGRADECEMOS A SUA PREFERÊNCIA ÍNDICE CERTIFICADO DE GARANTIA

Leia mais

Análise financeira da substituição do chuveiro elétrico pelo. Carlos C. da Silva Fernando M. Rodrigues Marques

Análise financeira da substituição do chuveiro elétrico pelo. Carlos C. da Silva Fernando M. Rodrigues Marques Análise financeira da substituição do chuveiro elétrico pelo aquecedor sob a ótica do usuário final Carlos C. da Silva Fernando M. Rodrigues Marques 1 1. Objetivo O presente estudo visa comparar financeiramente,

Leia mais

Portaria n.º 399, de 31 de julho de 2012. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento Técnico da Qualidade para Telha Cerâmica e Telha de Concreto

Portaria n.º 399, de 31 de julho de 2012. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento Técnico da Qualidade para Telha Cerâmica e Telha de Concreto Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 399, de 31 de julho de 2012. CONSULTA

Leia mais

É O COMBATE DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA ELÉTRICA. É OBTER O MELHOR RESULTADO, DIMINUINDO O CONSUMO, SEM PREJUÍZO DE SEU CONFORTO E LAZER.

É O COMBATE DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA ELÉTRICA. É OBTER O MELHOR RESULTADO, DIMINUINDO O CONSUMO, SEM PREJUÍZO DE SEU CONFORTO E LAZER. É O COMBATE DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA ELÉTRICA. É OBTER O MELHOR RESULTADO, DIMINUINDO O CONSUMO, SEM PREJUÍZO DE SEU CONFORTO E LAZER. Na verdade você corre o risco de molhar o medidor e causar Curto-circuito.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN nº 032/DAT/CBMSC) INSTALAÇÕES ESPECIAIS: CALDEIRA ESTACIONÁRIA A VAPOR

INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN nº 032/DAT/CBMSC) INSTALAÇÕES ESPECIAIS: CALDEIRA ESTACIONÁRIA A VAPOR ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA DO CIDADÃO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN nº 032/DAT/CBMSC) INSTALAÇÕES ESPECIAIS:

Leia mais

SISTEMA DE AQUECIMENTO DE ÁGUA A GÁS. Solução para o seu projeto

SISTEMA DE AQUECIMENTO DE ÁGUA A GÁS. Solução para o seu projeto SISTEMA DE AQUECIMENTO DE ÁGUA A GÁS Solução para o seu projeto Manaus (Fábrica) KOMECO. SOLUÇÃO PARA O SEU PROJETO. Palhoça (Matriz) São José (Fábrica) Itajaí (CD) SOLUÇÃO PARA O SEU PROJETO A Komeco

Leia mais

Portaria n.º 314, de 01 de julho de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 314, de 01 de julho de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 314, de 01 de julho de 2014. CONSULTA

Leia mais

Manual de Instruções e Especificações. Instantâneo a Gás EB - 2500. www.equibras.com. www.equibras.com

Manual de Instruções e Especificações. Instantâneo a Gás EB - 2500. www.equibras.com. www.equibras.com *Selo Conp et Váli do s om en t e p ara aque ce dor es GN Manual de Instruções e Especificações PARA USO RESIDENCIAL Aquecedor de Água Instantâneo a Gás Computadorizado Modelo Digital EB - 2500 www.equibras.com

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP. O passo a passo para se obter uma certificação

Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP. O passo a passo para se obter uma certificação Eficiência Energética em Edificações: Contribuições do Gás LP O passo a passo para se obter uma certificação Arthur Cursino IEE/USP Abril/ 2015 Estrutura da Apresentação Regulamento PBE Edifica Introdução:

Leia mais

Dicas para você e sua família

Dicas para você e sua família Dicas para você e sua família Dicas de Segurança O gás natural Você já sabe que o gás natural é mais leve que o ar e se dissipa rapidamente na atmosfera e que as tubulações de gás possuem dispositivos

Leia mais

Gás LP x Energia Elétrica Aquecimento de água. Estudo comparativo feito pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP

Gás LP x Energia Elétrica Aquecimento de água. Estudo comparativo feito pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP x Energia Elétrica Aquecimento de água Estudo comparativo feito pelo Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP Apresentação O projeto Análise de custos de infra-estrutura Análise de custos para o cliente

Leia mais

Aquecedor Solar. Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15

Aquecedor Solar. Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15 Aquecedor Solar Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 1 29/03/2010 15:47:15 Aquecedores de Água a Gás Pisos Condicionadores de Ar Catalogo_Aquecedor_Solar 009.indd 2 29/03/2010 15:47:21 SUA VIDA COM KOMECO

Leia mais

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Consulta Pública e eu, Diretor Presidente, determino a sua publicação: Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública nº 26, de 21 de maio de 2009. D.O.U de 22/05/09 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das

Leia mais

Portaria n.º 20, de 18 de janeiro de 2012.

Portaria n.º 20, de 18 de janeiro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 20, de 18 de janeiro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 19/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Previsão de Carga Especiais NBR-5410 Cargas Especiais? Em geral, são cargas de uso comum em um edifício.

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA INTERMINISTERIAL N o 1.007, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA E DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 032/DAT/CBMSC) CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 032/DAT/CBMSC) CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 032/DAT/CBMSC)

Leia mais

Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014.

Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Orientações Gerais para fabricantes e importadores sobre a Regulamentação de. Equipamentos para aquecimento solar de água

Orientações Gerais para fabricantes e importadores sobre a Regulamentação de. Equipamentos para aquecimento solar de água Orientações Gerais para fabricantes e importadores sobre a Regulamentação de Equipamentos para aquecimento solar de água Atualizado em 03/09/2013 Índice 2 Neste documento, você encontrará as seguintes

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE LÃS ISOLANTES MINERAIS // ABRALISO

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE LÃS ISOLANTES MINERAIS // ABRALISO ABRALISO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS FABRICANTES DE LÃS ISOLANTES MINERAIS ABRALISO É uma organização que representa os fabricantes nacionais de lãs isolantes minerais, basicamente lã de vidro e lã de rocha.

Leia mais

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 130, de 31 de julho de 2003. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

AGRADECIMENTOS. Buscando a sua total satisfação, desenvolvemos diversos modelos de aparelhos para diversas necessidades.

AGRADECIMENTOS. Buscando a sua total satisfação, desenvolvemos diversos modelos de aparelhos para diversas necessidades. KO 1200S G1 AGRADECIMENTOS Parabéns por adquirir um aquecedor de água a gás automático Komeco. Nos sentimos honrados por sua escolha e por participarmos do seu dia a dia. Nossa filosofia é desenvolver

Leia mais

CADERNO DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AR CONDICIONADO 1. DEFINIÇÕES...02 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES...02 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...

CADERNO DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AR CONDICIONADO 1. DEFINIÇÕES...02 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES...02 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... CADERNO DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS AR CONDICIONADO SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES...02 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES...02 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...02 4. CONDIÇÕES DE FABRICAÇÃO...06 5. CONTROLE DE QUALIDADE...07

Leia mais

Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014.

Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 255, de 29 de maio de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado.

Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado. Aquecedor central Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado. Planeje seu uso e habitue-se a ligá-lo apenas o tempo necessário para que você

Leia mais

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013.

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

INTENSIFIQUE CADA MINUTO DO SEU BANHO. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS POR ACUMULAÇÃO. O novo grau de conforto. LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO

INTENSIFIQUE CADA MINUTO DO SEU BANHO. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS POR ACUMULAÇÃO. O novo grau de conforto. LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO TO EN M A Ç N LA INTENSIFIQUE CADA MINUTO DO SEU BANHO. AQUECEDOR DE ÁGUA A GÁS POR ACUMULAÇÃO LINHA AQUECEDOR DE ÁGUA PARA BANHO 00579mn01.indd 1 O novo grau de conforto. 13/02/2015 14:40:57 NOVIDADE

Leia mais

Certificado de Garantia

Certificado de Garantia MANUAL DE INSTRUÇÕES FOGÕES A GÁS Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto ALFATEC EQUIPAMENTO E SERVIÇOS LTDA Rua Gerson Ferreira, 31-A - Ramos - CEP: 1030-151 - RJ Tel/Fax: (0xx1) 5-001

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 86, de 26 de maio de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

O que, por que e como etiquetar.

O que, por que e como etiquetar. O que, por que e como etiquetar. (de acordo com o Regulamento Técnico Mercosul sobre Etiquetagem de Produtos Têxteis, aprovado pela Resolução Conmetro nº 2, de 06 de maio de 2008) Adelgicio Leite Engenheiro

Leia mais

Parâmetros para o correto uso do gás canalizado

Parâmetros para o correto uso do gás canalizado Parâmetros para o correto uso do gás canalizado 2 Os parâmetros para utilização adequada do gás canalizado encontram-se no Decreto Estadual 23.317/97 que aprova o Regulamento de Instalações Prediais -

Leia mais

Portaria n.º 660, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 660, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 660, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 35, de 14 de fevereiro de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

RDC 60. Perguntas e Respostas. RDC nº 60, RDC 60 - PERGUNTAS E RESPOSTAS

RDC 60. Perguntas e Respostas. RDC nº 60, RDC 60 - PERGUNTAS E RESPOSTAS Regulamentação SOBRE AMOSTRAS GRÁTIS DE MEDICAMENTOS RDC 60 Perguntas e Respostas RDC nº 60, de 26 de NOVEmbro de 2009 1 Regulamentação SOBRE AMOSTRAS GRÁTIS RDC 60 Perguntas e Respostas RDC nº 60, de

Leia mais

A maneira mais inteligente de aquecer água.

A maneira mais inteligente de aquecer água. A maneira mais inteligente de aquecer água. A JAMP O uso consciente de energia é um dos princípios que rege as atividades da JAMP, responsável pela introdução no País de soluções inovadoras no campo de

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 275, de 31 de maio de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria n.º 186, de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA

MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA MANUAL DE INSTALAÇÃO HIDRÁULICA Esquema de Instalação Hidráulica RESIDENCIAL Atenção: Modelo meramente ilustrativo em casas térreas. Para sua segurança e garantia do bom funcionamento das tubulações de

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA) (Revisão I) 25/08/2010

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD

ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD Institui e regulamenta o Programa de Uso Racional de Água e Energia Elétrica no âmbito da UFCSPA. O PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais