Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec"

Transcrição

1 Ademir Ribeiro Dconf/Divec

2 INTRODUÇÃO: Considerando que os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio são componentes fundamentais por permitir ao usuário identificar a qualquer momento, se o extintor de incêndio está pressurizado a uma faixa de pressão adequada e segura à sua utilização; Considerando o alto índice de falhas detectadas nos indicadores de pressão para extintores de incêndio, durante ensaios realizados pelas empresas usuárias do produto; O Inmetro publica a Portaria Inmetro 298, de 27 de Julho de 2010.

3 Portaria Inmetro 298, de 27 de Julho de Art. 1º Aprovar os Requisitos de Avaliação da Conformidade para Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio, disponibilizado no sitio do Inmetro. Art. 2º Cientificar que a Consulta Pública que deu origem aos Requisitos ora aprovados foi divulgada pela Portaria Inmetro n.º 212, de 22 de julho de 2009, publicada no Diário Oficial da União de 23 de julho de 2009, seção 01, página 82. Art. 3º Instituir, no âmbito do SBAC, a certificação compulsória para Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio, a qual deverá ser realizada por Organismo de Certificação de Produto OCP, acreditado pelo Inmetro. Art. 4º Determinar que no prazo de 12 (doze) meses, contados a partir da publicação desta Portaria, os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio deverão ser fabricados e importados somente em conformidade com os Requisitos ora aprovados.

4 SELO DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE O Selo de Identificação da Conformidade, bem como o número do Registro, devem ser impressos no mostrador dos indicadores de pressão certificados. O Selo de Identificação da Conformidade nos indicadores de pressão deve ser aposto de tal forma que: atenda aos requisitos do item deste RAC; não possa ser encoberto pelo mecanismo indicador de pressão em qualquer situação de indicação de pressão; não sobreponha as faixas de indicação da pressão; possua tamanho mínimo que possibilite a leitura, a olho nu, da inscrição Segurança.

5 SELO DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE Número de Registro nos indicadores de pressão deve ser inscrito de tal forma que: não possa ser encoberto pelo mecanismo indicador de pressão em qualquer situação de indicação de pressão; não sobreponha as faixas de indicação da pressão; possua tamanho mínimo que possibilite a leitura, a olho nu, da inscrição Registro nº... onde... corresponderá ao número do Registro.

6 Interpretação da escala de leitura do mostrador dos indicadores de pressão Objetivo: Esclarecer a sistemática adotada para interpretação das faixas de leitura utilizadas nos indicadores de pressão, conforme norma ABNT NBR 9654 Indicador de pressão para extintores de incêndio - especificação. ATENÇÃO: O Indicador de Pressão é fabricado de acordo com a pressão de trabalho do extintor de incêndio, determinado pelo projeto do fabricante do extintor. A partir desta informação são determinadas as demais escalas, conforme explicações a seguir. Visualização do aspecto geral de um indicador de pressão

7 1 Entendendo seus caracteres: Faixa Vermelha A frase RECARREGAR deve constar em todos os mostradores dos indicadores de pressão. O ZERO é um dos extremos da escala. Sua tolerância é de 20%. O caractere 0,83 é uma referência para o fabricante do indicador de pressão que assinala o termino da faixa vermelha, início da faixa verde, isto usado para ensaios internos. A faixa vermelha é a indicação que o extintor deve ser recarregado, ou seja, enviado para a manutenção. Atenção: A angulação da faixa vermelha, bem como as outras é critério do fabricante do indicador de pressão, baseado na pressão de trabalho do extintor do cliente.

8 Faixa Verde Podemos argumentar que a faixa verde, que serve de referência para indicação da pressão de trabalho, é a mais importante, pois esta sinaliza que o extintor está em condições normais de uso. A faixa possui uma amplitude para comportar as variações de temperatura do ambiente que o extintor fica suscetível e também porque, tanto o fabricante do extintor, quanto o fabricante do indicador de pressão tem suas tolerâncias de processo. Logo, enquanto o ponteiro do indicador de pressão estiver dentro desta faixa, indicada pelo fabricante, o extintor está em condições normais de uso.

9 2 Ilustrações da posição do Ponteiro dentro da faixa verde

10 Fundo Branco O fundo banco é solicitação da NBR 9654, mas também pode ser na cor amarela, isto fica a critério do fabricante do extintor. Que tem o intuito maior de estar em contraste com as cores verde e vermelha. indicação alfa numérica 1,37 é a referência para o fim da escala verde. A indicação alfa numérica 2,06 é a referência para o fim de escala, este valor é utilizado para realização de alguns ensaios, como o ensaio de repetibilidade e de verificação de vazamento. A indicação alfa numérica MPa, é a unidade de medida de referência.

11 PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO 1. DEFINIÇÕES: 1.1. Escala - Faixa de operação Faixa determinada pelos valores máximos e mínimos permitidos da pressão de carregamento Lote de fabricação Conjunto de indicadores de pressão, fabricados de forma contínua segundo um mesmo processo produtivo, mesma linha de fabricação, a partir de uma remessa uniforme da matéria prima do mecanismo de marcação de pressão, em período de um dia Pressão de trabalho ou carregamento Pressão de carregamento a 20 C.

12 2. REFERÊNCIAS 2.1. Portaria Inmetro nº 298/2010 Estabelecer os critérios para o programa de avaliação da conformidade para indicador de pressão para extintores de incêndio, com foco na segurança, através do mecanismo de certificação compulsória, atendendo aos requisitos pertinentes da norma ABNT NBR 15808:2010, visando a conformidade construtiva do produto, de modo a proporcionar confiabilidade na indicação da pressão e durabilidade adequada, para que o usuário disponha dessa informação no momento em que precisar utilizar o extintor.

13 2. REFERÊNCIAS 2.2. RAC Regulamento da Avaliação da Conformidade Procedimento documentado que define a forma pela qual o organismo de certificação, deve operacionalizar a Certificação de Conformidade de um determinado produto, processo ou serviço, aos requisitos de normas técnicas ou regulamentos técnicos a eles aplicáveis ABNT NBR 15808:2010 Extintores de Incêndio Portáteis.

14 3. CONDIÇÕES GERAIS 3.1. Em todos os locais de armazenamento, transporte, exposição ou venda de Indicadores de Pressão pra Extintores de Incêndio (artigo 6º da Lei 9933/99) A partir de 28/12/2011, os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio deverão ser comercializados no mercado nacional, por fabricantes e importadores, somente em conformidade com os Requisitos estabelecidos no Regulamento de Avaliação da Conformidade (parágrafo único - art. 4º da Portaria Inmetro 298/2010) A partir de 28/07/2012, os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio deverão ser comercializados no mercado nacional, somente em conformidade com os Requisitos estabelecidos no Regulamento de Avaliação da Conformidade (art. 5º da Portaria Inmetro 298/2010).

15 4. METODOLOGIA 4.1. Produto que não ostentam o Selo de identificação da Conformidade Apreender cautelarmente, notificar a empresa fiscalizada para apresentar o documento fiscal de origem do produto; Lavrar Auto de Infração para a empresa fiscalizada; Se o documento fiscal foi emitido após 28/12/2012 autuar também o fabricante / importador Produtos que ostentam o selo de identificação da conformidade Sem certificação Constatado o uso irregular, apreender cautelarmente, notificar a empresa fiscalizada para apresentar o documento fiscal de aquisição do produto; Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador Não apresentou o documento fiscal, lavrar o Auto de Infração para a empresa fiscalizada, pelo não cumprimento da notificação.

16 4.3. Com Certificação Nota: O Selo de Identificação da Conformidade, especificado no Anexo C deste RAC, deve ser gravado de forma visível, legível e indelével nos mostradores dos indicadores de pressão. ANEXO C SELO DE IDENTIFICAÇÃO DA CONFORMIDADE / Nº DO REGISTRO C.1 O Selo de Identificação da Conformidade, bem como o número do Registro, devem ser impressos no mostrador dos indicadores de pressão certificados. C.2 O Selo de Identificação da Conformidade a ser impresso no mostrador é o modelo compacto, nível 4 a, definido na Portaria Inmetro nº 179, de 18 de junho de 2009.

17 C.3 O Selo de Identificação da Conformidade nos indicadores de pressão deve ser aposto de tal forma que: - atenda aos requisitos do item deste RAC; - não possa ser encoberto pelo mecanismo indicador de pressão em qualquer situação de indicação de pressão; - não sobreponha às faixas de indicação da pressão; - possua tamanho mínimo que possibilite a leitura, a olho nu, da inscrição Segurança. C.4 O número de Registro nos indicadores de pressão deve ser inscrito de tal forma que: - não possa ser encoberto pelo mecanismo indicador de pressão em qualquer situação de indicação de pressão; - não sobreponha as faixas de indicação da pressão; - possua tamanho mínimo que possibilite a leitura, a olho nu, da inscrição Registro nº XXX, onde XXX corresponderá ao número do Registro.

18 C.5 A disposição do Selo de Identificação da Conformidade no mostrador deve obedecer a um dos esquemas constantes nos desenhos apresentados a seguir:

19 Nota: Devido ao reduzido espaço livre para inscrições no mostrador do indicador de pressão, não foi especificado, nos desenhos acima, o posicionamento da frase que faz menção ao Registro. No entanto, a inserção da frase é obrigatória, devendo o fornecedor definir como irá atender ao prescrito em C.1 e C Qualquer irregularidade encontrada no produto, notificar o comerciante a apresentação dos documentos fiscais Apresentado o documento fiscal, autuar o fabricante/importador Não sendo apresentado o documento fiscal, lavrar o Auto de Infração para a empresa fiscalizada pelo não cumprimento da notificação. Enquadramento: Item do RAC aprovado pelo artigo 1º da Portaria Inmetro 298/2010.

20 Irregularidades SGI 3464 Nº Descrição 1 - Indicador de pressão sendo comercializado sem ostentar a identificação da certificação no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade. 2 - Uso indevido - Indicador de pressão sendo comercializado ostentando o selo de identificação da certificação, sem estar devidamente certificado por um Organismo de Certificação de Produtos acreditado pelo Inmetro. 3 - Indicador de pressão sendo comercializado com a seguinte irregularidade: Selo de Identificação da Conformidade encontra-se encoberto pelo mecanismo indicador de pressão. 4 - Indicador de pressão sendo comercializado com a seguinte irregularidade: Selo de Identificação da Conformidade sobrepondo às faixas de indicação da pressão.

21 Irregularidades SGI 3464 Nº Descrição 5 - Indicador de pressão sendo comercializado com a seguinte irregularidade: Ausência do número de Registro no(s) indicador(es) de pressão. 6 - Indicador de pressão sendo comercializado com a seguinte irregularidade: Número de Registro no(s) indicador(es) de pressão encontra-se encoberto pelo mecanismo indicador de pressão. 7 - Indicador de pressão sendo comercializado com a seguinte irregularidade: Número de Registro no(s) indicador(es) de pressão sobrepondo às faixas de indicação da pressão.

22 DESTINAÇÃO DOS PRODUTOS APREENDIDOS Doação: O Órgão poderá realizar a doação dos produtos, desde que se cumpra o determinado no item 8 da Portaria Inmetro 319/2011. Destruição: O Órgão Delegado deverá atender o item 6 da Portaria Inmetro 319/2011, inutilizando os produtos através de várias maneiras como: rolo compressor, quebra dos produtos, entre outros. Feito isso, poderá realizar a doação desses resíduos para ajuda social.

23 "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina". Dipac: Carlos Eduardo: Divec: Ademir Ribeiro: Central de Atendimento ao Consumidor: O B R I G A D O

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - SEGURANÇA EM BRINQUEDOS. Portarias Inmetro 108/2005, 49/2008, 321/2009 e 377/2010 Código 3049

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - SEGURANÇA EM BRINQUEDOS. Portarias Inmetro 108/2005, 49/2008, 321/2009 e 377/2010 Código 3049 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Portarias Inmetro 352/2012, 301/2012 e 164/2012

EQUIPAMENTOS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Portarias Inmetro 352/2012, 301/2012 e 164/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE AGENTE REDUTOR LÍQUIDO DE NOx AUTOMOTIVO ARLA 32 Portaria Inmetro 139/2011 - Código: 3469

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE AGENTE REDUTOR LÍQUIDO DE NOx AUTOMOTIVO ARLA 32 Portaria Inmetro 139/2011 - Código: 3469 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Portaria Inmetro 332/2012 Código 3371

Portaria Inmetro 332/2012 Código 3371 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA PANELAS METÁLICAS. Portarias Inmetro nº 398/2012 e 419/2012 - Código 3815

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO PARA PANELAS METÁLICAS. Portarias Inmetro nº 398/2012 e 419/2012 - Código 3815 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO Julho/2011

Leia mais

CADEIRA DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Portaria n.º 683/2012, 51/2013 e 359/2014 Código SGI - 3816

CADEIRA DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Portaria n.º 683/2012, 51/2013 e 359/2014 Código SGI - 3816 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010, 412/2011 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010, 412/2011 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Treinamento Extintor de Incêndio - 2013. Ademir Ribeiro Dconf/Divec

Treinamento Extintor de Incêndio - 2013. Ademir Ribeiro Dconf/Divec Ademir Ribeiro Dconf/Divec Muitas pessoas podem imaginar que o extintor é um equipamento supérfluo e ultrapassado. Porém estatísticas mostram que cerca de 95% dos incêndios se desenvolveram a partir de

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - EMBALAGENS PARA TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Portarias Inmetro 326/2006, 71/2008 e 452/2008- Códigos 3378 e 3798

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - EMBALAGENS PARA TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Portarias Inmetro 326/2006, 71/2008 e 452/2008- Códigos 3378 e 3798 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS, COM REATOR INTEGRADO. Portaria Inmetro 489/2010 Código 3383

LÂMPADAS FLUORESCENTES COMPACTAS, COM REATOR INTEGRADO. Portaria Inmetro 489/2010 Código 3383 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PNEUS REFORMADOS AUTOMOTIVO e EMPRESAS DE REFORMAS DE PNEUS. Portarias Inmetro 227/2006, 272/2008, 444/2010 e 019/2012

PNEUS REFORMADOS AUTOMOTIVO e EMPRESAS DE REFORMAS DE PNEUS. Portarias Inmetro 227/2006, 272/2008, 444/2010 e 019/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO CABOS DE

Leia mais

COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO Portaria Inmetro 656/2012

COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO Portaria Inmetro 656/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade - Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014.

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS. Portaria Inmetro 38/2007 Código 3332

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS. Portaria Inmetro 38/2007 Código 3332 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DA CONFORMIDADE PARA CABOS PROFIBUS PA - DP

REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DA CONFORMIDADE PARA CABOS PROFIBUS PA - DP Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o Programa de Reconhecimento da Conformidade de Cabos Profibus PA e Profibus DP, atendendo aos requisitos técnicos, visando garantir a segurança na utilização

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Certificação de Serviço de Inspeção de Recipientes de GLP realizado por Empresas Distribuidoras de GLP

Certificação de Serviço de Inspeção de Recipientes de GLP realizado por Empresas Distribuidoras de GLP Página: 1/7 Elaborado por: Eduardo Augusto Di Marzo Verificado por: Karen Martins Aprovado por: Igor Moreno Data Aprovação: 27/04/2015 1 OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares da

Leia mais

Portaria n.º 298, de 27 de julho de 2010

Portaria n.º 298, de 27 de julho de 2010 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 298, de 27 de julho de 2010

Leia mais

BICICLETAS DE USO INFANTIL

BICICLETAS DE USO INFANTIL Página: 1/12 Elaborado por: Maria Lucia Hayashi Verificado por: João Gustavo L. Junqueira Aprovado por: Regina Toscano Data Aprovação: 10/12/2013 1 OBJETIVO Este documento apresenta os critérios complementares

Leia mais

ACESSIBILIDADE EM VEÍCULOS PARA O TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS

ACESSIBILIDADE EM VEÍCULOS PARA O TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC

OBJETO: Regulamento de Avaliação da Conformidade para tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis em posto revendedor. ORIGEM: Inmetro/MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 130, de 31 de julho de 2003. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e 3380

AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. Portarias Inmetro nº 119/2007, 67/2008, 182/2012 e 390/2013 Códigos 3379 e 3380 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia,Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria n.º 158, de 29 de agosto de 2005. O PRESIDENTE

Leia mais

Certificação de Artigos Escolares

Certificação de Artigos Escolares Pág.: 1/44 Elaboração / Revisão Análise Crítica e Aprovação Data Clider Silva Gerente Técnico Fabio Eduardo Barbosa Executivo Sênior 19/09/2014 1. OBJETIVO E ESCOPO DE APLICAÇÃO Estabelecer as diretrizes

Leia mais

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3

SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 Página 1 de 21 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS...2 2. ESCOPO...3 3. MANUTENÇÃO...3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...3 5. DEFINIÇÕES...3 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES...4 7. CONDIÇÕES GERAIS...4 8.

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 075, de 15 de maio de 2003. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 579, de 1º de novembro de 2012. CONSULTA

Leia mais

Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014.

Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 342, de 22 de julho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Ponto Eletrônico - PORTARIA Nº 1.510, DE 21/08/2009

Ponto Eletrônico - PORTARIA Nº 1.510, DE 21/08/2009 Ponto Eletrônico - PORTARIA Nº 1.510, DE 21/08/2009 O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal

Leia mais

Portaria n.º 481, de 07 de dezembro de 2010.

Portaria n.º 481, de 07 de dezembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 481, de 07 de dezembro de

Leia mais

PCP 001 Tanques de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis.

PCP 001 Tanques de Armazenamento Subterrâneo de Combustíveis. rev 06 06/01/2016 Aprovado por PAG 1 / 10 1 OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo estabelecer as condições para a avaliação da conformidade do produto tanque de armazenamento subterrâneo de combustíveis,

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE CORDÕES E CABOS FLEXÍVEIS CONTEMPLADOS PELA PORTARIA INMETRO 139/01

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE CORDÕES E CABOS FLEXÍVEIS CONTEMPLADOS PELA PORTARIA INMETRO 139/01 PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE CORDÕES E CABOS FLEXÍVEIS CONTEMPLADOS PELA PORTARIA INMETRO 139/01 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Definições 4 Responsabilidade 5 Siglas e Abreviaturas 6 Referência

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Art. 5º - Publicar esta Portaria de Consulta Pública no Diário Oficial da União, quando iniciará a sua vigência.

CONSULTA PÚBLICA. Art. 5º - Publicar esta Portaria de Consulta Pública no Diário Oficial da União, quando iniciará a sua vigência. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n º 105, de 02 de junho de 2005 CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item Especificação Unidade QTD

TERMO DE REFERÊNCIA. Item Especificação Unidade QTD TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO 1.1 Aquisição de bebedouro de garrafão de água, conforme especificações e quantitativos constantes neste Termo de Referência e seu respectivo Encarte. 2. ESPECIFICAÇÃO DO

Leia mais

Portaria n.º 262, de 12 de Julho de 2007.

Portaria n.º 262, de 12 de Julho de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 262, de 12 de Julho de 2007.

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO, RECARGA E TESTE HIDROSTÁTICO EM EXTITORES DE INCÊNDIO DO SESC/AR/DF CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Este documento

Leia mais

TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS

TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS SISTEMA DE GESTÃO DA INTEGRIDADE OPERACIONAL TRATAMENTO DE RECLAMAÇÕES, APELAÇÕES, DISPUTAS E DENÚNCIAS PROCEDIMENTO INDUSTRIAL OI-L3-704-SAM-BR(IND)-1764 Revisão: 10 Data de publicação: 17/09/2014 Data

Leia mais

BUREAU VERITAS CERTIFICATION MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MARCAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTO

BUREAU VERITAS CERTIFICATION MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MARCAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTO BUREAU VERITAS CERTIFICATION MANUAL DE UTILIZAÇÃO DAS MARCAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTO Versão 5 Outubro de 2015 INDICE 1 Introdução 2 Utilização das Marcas de Conformidade no Produto 3 Utilização das

Leia mais

Portaria n.º 658, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 658, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 658, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2- Campo de Aplicação: 3- Documento de Referência: 4- Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento:

PROCEDIMENTO ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2- Campo de Aplicação: 3- Documento de Referência: 4- Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento: Página 1 de 8 ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2- Campo de Aplicação: 3- Documento de Referência: 4- Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento: Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 20/08/2007

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 13, DE 22 DE OUTUBRO DE 2009 Dispõe sobre a documentação para regularização de equipamentos médicos das Classes de Risco I e II. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento para Designação de Organismos de Avaliação da Conformidade, em anexo.

Art. 1º Aprovar o Regulamento para Designação de Organismos de Avaliação da Conformidade, em anexo. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 087, de 03 de maio de 2002. O PRESIDENTE DO INSTITUTO

Leia mais

Portaria n.º 535, de 21 de outubro de 2015. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 535, de 21 de outubro de 2015. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 535, de 21 de outubro de 2015. CONSULTA

Leia mais

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014.

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO.

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO PARA AQUECEDORES DE ÁGUA A GÁS, DOS TIPOS INSTANTÂNEOS E DE ACUMULAÇÃO. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Portaria n.º 412, de 24 de outubro de 2011.

Portaria n.º 412, de 24 de outubro de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 412, de 24 de outubro de 2011. O PRESIDENTE

Leia mais

ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS

ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS 1. Introdução Diante da importância do tema Acessibilidade dos veículos de transporte público urbano por ônibus e da necessidade de reestabelecer

Leia mais

Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 14, DE 5 DE ABRIL DE 2011.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 14, DE 5 DE ABRIL DE 2011. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 14, DE 5 DE ABRIL DE 2011.

Leia mais

Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de 2011.

Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 79, de 03 de fevereiro de

Leia mais

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Serviços Ltda. Caso tenha necessidade de orientações sobre o assunto contido nesta

Leia mais

Certificação de reatores eletrônicos para lâmpadas fluorescentes

Certificação de reatores eletrônicos para lâmpadas fluorescentes 1/26 Palavras-chave: Certificação, reatores. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Referências 1 Objetivo Este Procedimento tem como objetivo

Leia mais

Portaria n.º 231, de 30 de junho de 2008. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 231, de 30 de junho de 2008. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 231, de 30 de junho de 2008.

Leia mais

Portaria nº 457, de 01 de dezembro de 2010.

Portaria nº 457, de 01 de dezembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 457, de 01 de dezembro de

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER 1. Introdução A Certificação do Selo Ecológico Falcão Bauer possui caráter voluntário e visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação do diferencial ecológico apresentado

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 32/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 32/2012 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 32/2012 - BNDES Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Antes de adentrarmos ao questionamento é imprescindível esclarecer

Leia mais

Portaria n.º 093, de 12 de março de 2007.

Portaria n.º 093, de 12 de março de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 093, de 12 de março de 2007.

Leia mais

uso in vitro são aceitos os seguintes documentos como comprovação do cumprimento das Boas Práticas de Fabricação e Controle:

uso in vitro são aceitos os seguintes documentos como comprovação do cumprimento das Boas Práticas de Fabricação e Controle: 1. Vamos registrar um contador hematológico. Gostaríamos de saber como registrar os reagentes de uso exclusivo para ele (tampão de diluição, solução de limpeza, lisante). Como devemos classificar estes

Leia mais

COMPLEMENTO DE REGRA DE CERTIFICAÇÃO CADEIRAS DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS

COMPLEMENTO DE REGRA DE CERTIFICAÇÃO CADEIRAS DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Página 1 de 16 Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen C. Martins Aprovado por: Maria Lucia Hayashi Data Aprovação: 02/06/2015 1 - OBJETIVO Estabelecer os requisitos para o Programa

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de Potência. Versão: 5

Manual Técnico. Transformadores de Potência. Versão: 5 Manual Técnico Transformadores de Potência Versão: 5 Índice 2 8 Página 1 1 INTRODUÇÃO Este manual fornece instruções referentes ao recebimento, instalação e manutenção dos transformadores de potência a

Leia mais

Portaria n.º 17, de 11 de janeiro de 2013.

Portaria n.º 17, de 11 de janeiro de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 17, de 11 de janeiro de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013.

Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 5, de 8 de janeiro de 2013. O PRESIDENTE

Leia mais

PRESERVANDO A NOSSA IDENTIDADE

PRESERVANDO A NOSSA IDENTIDADE Abr/2010 Selos de Identificação da 2 PRESERVANDO A NOSSA IDENTIDADE A publicação pelo Inmetro da Portaria 179/2009, definindo a especificação e as condições de uso das marcas, símbolos e selos de identificação

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO. Material elaborado pelo Professor Edison T Rego

PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO. Material elaborado pelo Professor Edison T Rego PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO Material elaborado pelo Professor Edison T Rego SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES Extintores Sistema de proteção mais simples e mais usado Tem como objetivo: Armazenar os agentes

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 245, de 22 de maio de 2015. O PRESIDENTE

Leia mais

Regulamento de Avaliação da Conformidade das Unidades Armazenadoras

Regulamento de Avaliação da Conformidade das Unidades Armazenadoras Regulamento de Avaliação da Conformidade das Unidades Armazenadoras SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Documentos Complementares 3 Siglas e Definições 4 Condições Gerais 5 Mecanismo de Avaliação da Conformidade 6 Alterações

Leia mais

Da Abrangência e dos Objetivos. Das Definições

Da Abrangência e dos Objetivos. Das Definições ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 509, DE 14 DE AGOSTO DE 2008 REGULAMENTO DA CENTRAL DE INTERMEDIAÇÃO DE COMUNICAÇÃO TELEFÔNICA A SER UTILIZADA POR PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA OU DA FALA CIC CAPÍTULO I Da Abrangência

Leia mais

Portaria n 230, de 17 de agosto de 2009.

Portaria n 230, de 17 de agosto de 2009. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n 230, de 17 de agosto de 2009.

Leia mais

Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas com deficiência auditiva ou da fala CIC.

Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas com deficiência auditiva ou da fala CIC. Resolução nº509/08 ANATEL RESOLUÇÃO No 509, DE 14 DE AGOSTO DE 2008 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... 3. 4. Referências... 3. 5. Definições... 3

SUMÁRIO. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... 3. 4. Referências... 3. 5. Definições... 3 Página 1 de 28 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 5 7. Condições gerais... 5 7.1 Autorização

Leia mais

Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial. Inmetro. Avaliação da Conformidade. Gustavo José Kuster

Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial. Inmetro. Avaliação da Conformidade. Gustavo José Kuster Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Avaliação da Conformidade Gustavo José Kuster Avaliação da Conformidade Conceituação ABNT ISO/IEC GUIA 2 Exame sistemático

Leia mais

À Prefeitura Municipal de Rio Verde GO Agência Municipal de Mobilidade e Trânsito - AMT Comissão Permanente de Licitações

À Prefeitura Municipal de Rio Verde GO Agência Municipal de Mobilidade e Trânsito - AMT Comissão Permanente de Licitações À Prefeitura Municipal de Rio Verde GO Agência Municipal de Mobilidade e Trânsito - AMT Comissão Permanente de Licitações Ref.: Impugnação ao Edital Pregão Presencial n.º 08/2016 A EMPRESA CUBO COMÉRCIO

Leia mais

ATO DO CONSELHO DIRETOR INSTRUÇÃO NORMATIVA AGENERSA Nº 47 DE 16 DE MARÇO DE 2015

ATO DO CONSELHO DIRETOR INSTRUÇÃO NORMATIVA AGENERSA Nº 47 DE 16 DE MARÇO DE 2015 ATO DO CONSELHO DIRETOR INSTRUÇÃO NORMATIVA AGENERSA Nº 47 DE 16 DE MARÇO DE 2015 ESTABELECE PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS PELAS CONCESSIONÁRIAS CEG E CEG RIO PARA O CUMPRIMENTO DA LEI ESTADUAL Nº. 6.890,

Leia mais

Regulamento de Certificação de Brinquedos

Regulamento de Certificação de Brinquedos Pág.: 1/31 Elaboração Análise Crítica Aprovação Priscilla Siqueira Marques Representante da Direção Clider Adriane de Sousa Silva Gerente de Certificação Fabio Eduardo de Freitas Barbosa Executivo Sênior

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 189,de 17 de novembro de 2004. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

Portaria n.º 153, de 30 de março de 2011.

Portaria n.º 153, de 30 de março de 2011. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 153, de 30 de março de 2011.

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Certificação de Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado

Certificação de Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado Pág. Nº 1/26 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Descrição do processo de certificação 6 Manutenção da certificação 7 Marcação dos produtos certificados

Leia mais

Portaria n.º 385, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 385, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 385, de 23 de outubro de

Leia mais

PCP 006 Componentes dos Sistemas de Descarga e de Abastecimento de Combustíveis.

PCP 006 Componentes dos Sistemas de Descarga e de Abastecimento de Combustíveis. rev 02 02/02/2016 Aprovado por PAG 1 / 16 1 OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo estabelecer as condições para a avaliação dos componentes dos sistemas de descarga e de abastecimento de combustíveis,

Leia mais

ICMS - A ETERNA DIFICULDADE DE COMPROVAR O INTERNAMENTO DE MERCADORIAS NA ZONA FRANCA DE MANAUS

ICMS - A ETERNA DIFICULDADE DE COMPROVAR O INTERNAMENTO DE MERCADORIAS NA ZONA FRANCA DE MANAUS ICMS - A ETERNA DIFICULDADE DE COMPROVAR O INTERNAMENTO DE MERCADORIAS NA ZONA FRANCA DE MANAUS José Eduardo Tellini Toledo * O Regulamento do ICMS do Estado de São Paulo (RICMS) é claro ao conceder a

Leia mais

Portaria n.º 601, de 17 de dezembro de 2015. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 601, de 17 de dezembro de 2015. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 601, de 17 de dezembro de 2015. CONSULTA

Leia mais

Portaria n.º 314, de 01 de julho de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 314, de 01 de julho de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 314, de 01 de julho de 2014. CONSULTA

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO ATUALIZAÇÃO: OUTUBRO 2009 DISJUNTORES PORTARIA INMETRO 348/2007 e PORTARIA INMETRO 243/2006

Leia mais

Portaria n.º 116, de 14 de março de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 116, de 14 de março de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 116, de 14 de março de 2014. CONSULTA

Leia mais

PRODUTOS ORGÂNICOS SISTEMAS PARTICIPATIVOS DE GARANTIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

PRODUTOS ORGÂNICOS SISTEMAS PARTICIPATIVOS DE GARANTIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PRODUTOS ORGÂNICOS SISTEMAS PARTICIPATIVOS DE GARANTIA Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 2008 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.Todos os direitos reservados. É permitida

Leia mais

1 Objetivos. 2 Categorias de Certificação do SAQ. 3 - Taxa de registro para produtores. 4 Requisitos para Certificação Selo ABIS

1 Objetivos. 2 Categorias de Certificação do SAQ. 3 - Taxa de registro para produtores. 4 Requisitos para Certificação Selo ABIS 1 Objetivos O presente documento estabelece as competências que um organismo de certificação da Gestão da Segurança de Alimentos, conforme a norma ABNT NBR ISO 22000:2006, deve atender para obter e manter

Leia mais

Manual de Uso da Logomarca C- 15

Manual de Uso da Logomarca C- 15 ÉTICA, COMPETÊNCIA E IMPARCIALIDADE Manual de Uso da Logomarca C-15 REGRAS GERAIS Manual de Uso da Logomarca - C-15 - REGRAS GERAIS Revisão 4 26/05/2015, Página 1 Histórico de Alterações REV.0-07/11/2008

Leia mais

ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO

ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO O que é uma Norma Técnica? O que é uma Norma Técnica? Documento estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido, que fornece, para uso repetitivo,

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE LOTE (SISTEMA

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE LOTE (SISTEMA INTERFACE PROCESSO NÚMERO REVISÃO 02 TÍTULO : SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE DATA DE APROVAÇÃO INICIAL 08/04/2013 REVISÃO ATUAL 06/03/2014 APROVAÇÃO FÁBIO CAMPOS FATALLA SÓCIO-GERENTE 2 / 12 1. OBJETIVO Este

Leia mais

O Papel do Inmetro na Produção Integrada PI Brasil. André Luis de Sousa dos Santos, D.Sc. Pesquisador-Tecnologista

O Papel do Inmetro na Produção Integrada PI Brasil. André Luis de Sousa dos Santos, D.Sc. Pesquisador-Tecnologista O Papel do Inmetro na Produção Integrada PI Brasil André Luis de Sousa dos Santos, D.Sc. Pesquisador-Tecnologista 20 de maio de 2011 Inmetro - Principais Atividades Metrologia Científica e Industrial Metrologia

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM PRODUTOS

INSTITUTO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM PRODUTOS PROCEDIMENTO PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE MAMADEIRAS E BICOS DE MAMADEIRAS SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Documentos Complementares 3 Siglas 4 Definições 5 Codificação da Certificação 6 Mecanismo de Avaliação

Leia mais

Portaria n.º 334, de 24 de agosto de 2010. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 334, de 24 de agosto de 2010. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 334, de 24 de agosto de 2010.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA PORTARIA SEFAZ N o 424, de 30 de março de 2010. Anexo I Anexo II Anexo III Dispõe sobre os procedimentos de lacração inicial do dispositivo de armazenamento

Leia mais

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição.

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. De acordo com a Norma NBR 1001, um grande número de fatores influência a freqüência de calibração. Os mais importantes,

Leia mais