Cap. 23 RDC REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÕES.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cap. 23 RDC REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÕES."

Transcrição

1 Super Apostila Nota11 Cap. 23 RDC REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÕES. Prof. Gustavo Knoplock

2 Sumário 1. Introdução e objetivos dessa apostila Aplicação Objetivo principal Principais características Procedimentos auxiliares Fases da licitação Preparatória Publicação do instrumento convocatório Apresentação de propostas ou lances Julgamento Habilitação Fase recursal Encerramento Regimes de execução Dispensa e inexigibilidade de licitação Condições específicas para a participação no RDC Sanções DICA DE OURO Principais pontos a serem fixados Lista das questões que resolvemos Introdução e objetivos dessa apostila Esse material vai tratar do RDC Regime Diferenciado de Contratações públicas, assunto atual e que vem sendo cobrado nos principais concursos públicos. Mas, antes disso, quero bater um papo inicial com você para apresentar o objetivo desse material. 2

3 O Direito Administrativo é conhecido por ser o ramo não codificado do Direito; isso quer dizer que, enquanto o Direito Civil e o Direito Penal, por exemplo, podem ser condensados no Código Civil e no Código Penal, respectivamente, e o Direito Constitucional está amparado no texto da Constituição Federal, o Direito Administrativo não possui um Código de Direito Administrativo. O estudo do Direito Administrativo exige a leitura de inúmeras leis esparsas, além de depender muito de entendimentos doutrinários (muitas das vezes conflitantes) e da jurisprudência do STF e do STJ. Resultado disso é a quantidade infinita de livros e matérias sobre Direito Administrativo que, a pretexto de procurar esmiuçar cada assunto específico da matéria, acabam por cansar e confundir os alunos que se preparam para concursos públicos, levando-os ao desespero!!! Nesse material, quero aplicar a experiência que adquiri ao longo de quase duas décadas em sala de aula, como professor, e como autor de livros dedicados ao Direito Administrativo, para trazer um novo conceito no estudo da matéria. Minha intenção é criar algo que aumente o resultado do seu estudo, ou seja, consiga ser ao mesmo tempo COMPLETO, CLARO, SUCINTO, PRECISO e EXTREMAMENTE OBJETIVO, com o objetivo de maximizar a absorção do conhecimento e evitar que você precise gastar tempo fazendo resumos e revisões dispendiosas. Ou seja, queremos que ele seja o grande apoio para a proposta do Nota11 de lhe deixar pronto para GABARITAR a prova em um tempo até 10X mais rápido que os materiais e métodos tradicionais do mercado. Vários tópicos dessa apostila foram retirados e/ou baseados no meu livro Manual de Direito Administrativo Editora Método Grupo GEN, que aborda detalhadamente cada tema do estudo do Direito Administrativo. Minha intenção com o presente material, no entanto, é outra: ser mais DIRETO e OBJETIVO, sem perder CONTEÚDO. Mais do que um objetivo, isso é um verdadeiro DESAFIO, que agora vamos passar a encarar juntos... Vamos lá?!!! P.S. Tenha atenção aos grifos. O que está negritado sempre será algo importante! 3

4 2. Aplicação Nível de cobrança em concurso: Todos em que o edital exigir o RDC! (com exceção das 3 últimas hipóteses da lista a seguir) A Lei nº /2011 criou um regime de contratação pública diferenciado dos regimes estabelecidos na Lei nº 8.666/1993 e na Lei nº /2002, para ser usado em situações muito específicas. Inicialmente esse Regime Diferenciado de Contratações RDC foi criado para contratações necessárias à realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, mas acabou sendo estendido a várias outras hipóteses. Além disso, algumas outras leis específicas ainda estabeleceram que o RDC poderia ser usado em outras situações. Atualmente, portanto, o RDC pode ser adotado nas contratações necessárias à realização de: Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016; Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo 2014; Obras de infraestrutura e de contratação de serviços para os aeroportos das capitais dos Estados da Federação distantes até 350 km das cidades sedes dos citados mundiais; Ações do PAC Programa de Aceleração do Crescimento; Obras e serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS; Obras e serviços de engenharia de estabelecimentos penais e de unidades de atendimento socioeducativo; Ações no âmbito da segurança pública; Obras e serviços de engenharia relacionados a melhorias na mobilidade urbana ou ampliação de infraestrutura logística; Locação de bens móveis e imóveis, nos quais o locador realiza prévia aquisição, construção ou reforma substancial do bem especificado pela administração; Ações em órgãos e entidades dedicados à ciência, à tecnologia e à inovação; Obras e serviços de engenharia no âmbito dos sistemas públicos de ensino e de pesquisa, ciência e tecnologia; Contratação de bens e serviços necessários à modernização, construção, ampliação e reforma de aeródromos públicos pela 4

5 Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (Lei nº /2013); Ações relacionadas à reforma, modernização, ampliação ou construção de unidades armazenadoras próprias destinadas às atividades de guarda e conservação de produtos agropecuários em ambiente natural, pela CONAB (Lei nº /2013); Ações de prevenção em áreas de risco de desastres e de resposta e de recuperação em áreas atingidas por desastres (Lei nº /2014). Veja como isso está sendo cobrado 1 (FGV/ADVOGADO - CONDER) A Lei n /11 instituiu o regime diferenciado de contratação pública, o chamado RDC. Tendo em vista o previsto na referida legislação, assinale a alternativa em que o referido regime não será aplicado. a)ações integrantes do programa de aceleração do crescimento. b)serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde. c)contratações relacionadas aos jogos paraolímpicos de d)contratações relacionadas a realização da Copa do Mundo de e)obras de infraestrutura em todos os aeroportos da Federação. Comentários: Todas as letras trazem opções expressamente previstas na lei do RDC, mas com uma pegadinha na letra E, que é o gabarito. Como de costume, o erro está na palavra todos, uma vez que o RDC só pode ser utilizado nas obras de infraestrutura e de contratação de serviços para os aeroportos das capitais dos Estados da Federação distantes até 350 km das cidades sedes dos citados mundiais, e não para quaisquer aeroportos. 2 (ESAF/ANALISTA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO - APO) Visando atender exclusivamente às necessidades dos preparativos para os vindouros eventos esportivos internacionais, o governo federal instituiu, em 2011, o chamado Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC). De 5

6 lá para cá, o que era para ser temporário tomou ares de permanente, na medida em que, àquele Regime, foram incorporados os seguintes propósitos, exceto: a) ações integrantes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). b) obras e serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). c) obras e serviços de engenharia para construção, ampliação e reforma de estabelecimentos penais e unidades de atendimento socioeducativo, bem como ações no âmbito da Segurança Pública. d) licitações e contratos necessários à realização de obras e serviços de engenharia no âmbito dos sistemas públicos de ensino. e) aquisição de equipamento bélico referente à execução do Plano de Reaparelhamento das Forças Armadas. Comentários: As letras A, B, C e D apresentaram situações retiradas literalmente da lista da lei do RDC, com exceção da letra E, que foi inventada pelo examinador. O gabarito é a letra E. 3. Objetivo principal Nível de concurso: Todos em que o edital exigir o RDC! Ampliar a eficiência nas contratações públicas, a partir do incentivo à inovação tecnológica. As normas do RDC em regra afastam as normas relacionadas às licitações públicas da Lei nº 8.666/1993, salvo nas hipóteses em que a Lei do RDC disser o contrário. As normas do RDC em regra não afastam as normas de contratos administrativos da Lei nº 8.666/1993, salvo nas hipóteses em que a Lei do RDC disser o contrário. 6

7 4. Principais características Nível de concurso: Todos em que o edital exigir o RDC! A seguir são apresentadas de forma direta as principais características da sistemática instituída pelo RDC, que depois serão aprofundadas nos itens seguintes. Inversão das fases de habilitação e análise dos preços; Oferecimento de lances; Possibilidade de negociação com o licitante de melhor proposta; Inversão das fases de adjudicação e homologação; Fase recursal única; Procedimento de pré-qualificação permanente de fornecedores; Não divulgação prévia do orçamento; Possibilidade de remuneração variável da contratada conforme seu desempenho; Possibilidade de contratação de mais de uma empresa para executar o mesmo serviço; Catálogo eletrônico de padronização. 5. Procedimentos auxiliares Nível de concurso: Todos em que o edital exigir o RDC! A Lei nº /2011 define que são procedimentos auxiliares das licitações do RDC a pré-qualificação permanente, o cadastramento, o sistema de registro de preços e o catálogo eletrônico de padronização. Os sistemas de cadastramento e de registro de preços previstos no RDC são similares aos relativos aos demais procedimentos licitatórios, na forma estabelecida pela Lei nº 8.666/1993. A pré-qualificação permanente é um procedimento anterior à licitação, permanentemente aberto aos interessados, destinado a identificar fornecedores habilitados e produtos de qualidade; nesse sentido, a Administração poderá realizar licitação exclusivamente entre os préqualificados. 7

8 A pré-qualificação terá validade máxima de um ano, podendo ser atualizada a qualquer tempo. Veja como isso está sendo cobrado 3 (FCC/ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO - TCE-AM) A Lei no /2011, que instituiu o Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC, prevê procedimentos auxiliares das licitações no âmbito do RDC, entre eles, a pré-qualificação permanente. Sobre esse assunto, considere: I. O procedimento de pré-qualificação ficará permanentemente aberto para a inscrição dos eventuais interessados. II. A Administração Pública poderá realizar licitação restrita aos préqualificados, nas condições estabelecidas em regulamento. III. A pré-qualificação poderá ser parcial ou total, contendo alguns ou todos os requisitos de habilitação ou técnicos necessários à contratação, assegurada, em qualquer hipótese, a igualdade de condições entre os concorrentes. IV. A pré-qualificação terá validade de cinco anos, no máximo, podendo ser atualizada a qualquer tempo. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I, II e IV. (B) I e III. (C) III e IV. (D) II e IV. (E) I, II e III. Comentários: Essa questão é muito fácil, retirada literalmente da lei do RDC. Os itens I, II e III estão corretos, previstos expressamente na lei. Apenas o item IV está errado, pois a validade é de no máximo 1 ano, e não 5 anos. O catálogo eletrônico de padronização de compras, serviços e obras é um sistema informatizado, de gerenciamento centralizado, destinado a permitir a padronização dos itens a serem adquiridos pela Administração. 8

9 Esse catálogo poderá ser utilizado nas licitações públicas cujo critério de julgamento seja o menor preço ou o maior desconto, tipos de licitação que serão tratados adiante. A lei do RDC dispõe ainda que o orçamento previamente estimado para a contratação será tornado público apenas e imediatamente após o encerramento da licitação, sem prejuízo da divulgação do detalhamento dos quantitativos e das demais informações necessárias para a elaboração das propostas. Nessa sistemática, o orçamento terá caráter sigiloso e não será informado a nenhum licitante, de forma que as empresas não venham a elevar suas propostas, procurando colar seus preços no valor da Administração. A Administração divulgará apenas as informações necessárias e suficientes à elaboração de propostas pelos licitantes e, caso a proposta de menor preço venha a ficar acima do orçamento disponível, a Administração terá a chance de negociar os preços oferecidos para baixo, de forma a se adequar ao seu orçamento, como veremos adiante. Veja como isso está sendo cobrado 4 (FCC/AUDITOR FISCAL - SEFAZ-PI) O denominado RDC, Regime Diferenciado de Contratações Públicas, introduzido pela Lei no /2011, contempla diferenças importantes em relação ao regime ordinário, previsto pela Lei no 8.666/93, dentre as quais pode-se citar: (A) orçamento previamente estimado para a contratação será tornado público apenas e imediatamente após o encerramento da licitação. (B) possibilidade de participação, na licitação, de pessoa física ou jurídica que tenha elaborado o projeto básico relativo ao objeto do certame. (C) sigilo nas fases de habilitação e pré-qualificação, com divulgação pública apenas após o julgamento das propostas. (D) regime de contratação integrada, para execução de obras e serviços de engenharia, desde que estimados em valor igual ou superior a R$ 1 bilhão. (E) desnecessidade de prévio projeto básico para a contratação de obras e serviços de engenharia sob o regime de empreitada integral. 9

10 Comentários: O gabarito é a letra A, que trata da característica original do RDC de sigilo do orçamento, conforme visto aqui. A letra B está errada porque, em regra, não se admite a participação do autor do projeto na licitação. O erro da letra C é que não pode haver sigilo na fase de habilitação nem no regime de pré-qualificação. A letra D inventou um limite para a utilização da contratação integrada que não existe na lei. Por fim, o erro da letra E é que há a dispensa do projeto básico para a licitação pelo regime de contratação integrada, e não por empreitada integral. Na contratação das obras e serviços, inclusive de engenharia, poderá ser estabelecida remuneração variável vinculada ao desempenho da contratada, com base em metas, padrões de qualidade, critérios de sustentabilidade ambiental e prazo de entrega definidos no instrumento convocatório e no contrato de forma clara e objetiva, a fim de se evitar qualquer análise subjetiva quanto aos serviços prestados pela contratada. A determinação da remuneração deverá ser motivada pela Administração, assegurando-se sempre os direitos ao contraditório e à ampla defesa ao contratado. Outra inovação do RDC é a disposição expressa de que a Administração poderá, quando conveniente, contratar mais de uma empresa para executar o mesmo serviço (desde que não seja serviço de engenharia), controlando de forma separada e individualizada a execução contratual de cada empresa. Veja como isso está sendo cobrado 5 (ESAF/PROCURADOR DA FAZENDA NACIONAL - PGFN) A legislação atinente ao Regime Diferenciado de Contratações Públicas prevê a possibilidade de que os editais de licitação para aquisição de bens estabeleçam diversas exigências, entre as quais não se inclui a de que a) o produto seja de determinada marca, pela necessidade de padronização do objeto. 10

11 b) seja fornecida certificação da qualidade do processo de fabricação de determinado produto. c) seja apresentada, em caso de licitante distribuidor, carta de solidariedade emitida pelo fabricante. d) seja apresentada amostra do bem, ainda na fase de julgamento das propostas. e) sejam oferecidos apenas produtos com registro válido no Sistema de Registro de Preços SRP. Comentários: Essa é mais uma questão literal! A lei do RDC dispõe que o edital da licitação pode estabelecer a marca do produto a ser adquirido (quando houver necessidade de padronização) e pode exigir a apresentação de certificação de qualidade, carta de solidariedade do fabricante e amostra do bem. O gabarito é a letra E, pois o edital não pode determinar que só poderão participar da licitação produtos com registro válido no sistema de registro de preços. 6 (CESPE/ANALISTA JUDICIÁRIO - TJ-AL) O Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC), criado pela Lei n.º /2011 especificamente para reger licitações e contratos nacionais relativos aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, à Copa das Confederações da Federação Internacional de Futebol Associação (FIFA) 2013 e à Copa do Mundo FIFA 2014, foi recentemente estendido para as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal. É característica do regime de contratação integrada A) impossibilidade de execução de todas as etapas da obra pelo contratado. B) entrega de obra incompleta e sem condições de operação. C) possibilidade de aditivos ao contrato na fase de projeto executivo. D) possibilidade de remuneração variável vinculada ao desempenho da contratada. E) o fato de projeto básico e executivo serem objetos de licitações distintas. 11

12 Comentários: O gabarito é a letra D. A possibilidade de remuneração variável da contratada, dependendo do seu desempenho, é de fato uma característica inovadora do RDC. As demais opções apresentaram medidas absurdas e que, obviamente, não têm previsão na lei. 7 (CESPE/ANALISTA JUDICIÁRIO - TJ-AL) As inovações do RDC, em relação à Lei n.º 8.666/1993, incluem a A) criação do sistema de registro de preços. B) previsão de recursos administrativos após as fases de habilitação e de julgamento. C) instituição da pré-qualificação permanente de fornecedores, que permitirá à administração pública realizar licitações com a participação apenas dos pré-qualificados. D) possibilidade de contratação pelo regime de empreitada por preço unitário. E) fase de julgamento de proposta posterior à de habilitação. Comentários: As características e procedimentos descritos nas letras A, B, D e E também estão presentes na lei 8.666/93. A lei prevê o sistema de registro de preços (letra A) e o regime de empreitada por preço unitário (letra D). Da mesma forma, a lei estabelece que primeiro haverá a fase de habilitação e, posteriormente, a fase de julgamento das propostas (letra E) e a possibilidade de recursos em cada uma dessas fases (letra B). O que não existe na lei 8.666, tendo sido criado pelo RDC, é mesmo a préqualificação permanente de fornecedores e, assim, o gabarito é a letra C. 12

13 6. Fases da licitação Nível de concurso: Todos em que o edital exigir o RDC! As licitações deverão ser realizadas preferencialmente sob a forma eletrônica, admitida a presencial e, conforme previsão legal expressa, o procedimento licitatório adotado no RDC observará, nesta ordem, as seguintes fases: 1. Preparatória; 2. Publicação do instrumento convocatório; 3. Apresentação de propostas ou lances; 4. Julgamento; 5. Habilitação; 6. Recursal; 7. Encerramento. A regra é, portanto, que a fase de habilitação seja feita a posteriori, ou seja, após o julgamento das propostas de preços, como ocorre no pregão; nesse caso, haverá uma fase recursal única, após a habilitação, onde serão julgados ambos os recursos (julgamento das propostas e habilitação). Apenas, caso haja essa previsão no edital, a fase de habilitação excepcionalmente antecederá a análise das propostas, havendo duas fases de recurso. O encerramento da licitação, pela autoridade competente, ocorrerá com a adjudicação do objeto e a homologação do procedimento (nessa ordem). PROCEDIMENTO PADRÃO Julgamento Recurso das propostas Habilitação (fase única) Adjudicação Homologação PROCEDIMENTO EXCEPCIONAL Julgamento Habilitação Recurso das propostas Recurso Adjudicação Homologação 13

14 Veja como isso está sendo cobrado 8 (FGV/TÉCNICO DE CONTROLE EXTERNO - TCE-CE) A Lei no 8.666/1993 foi por um longo período a única alternativa para as contratações públicas em geral. Desde sua edição, no entanto, somavam-se críticas dos operadores de direito ao referido regime licitatório, considerado por muitos excessivamente burocrático, impondo à Administração procedimento licitatórios pouco ágeis e muito custosos. No ano de 2000, com a Medida Provisória 2.026, de 4/05/2000, estendeu-se a toda Administração a nova modalidade licitatória denominada pregão, hoje disciplinada pela Lei no /2002 (Lei do Pregão). A partir de 2010 voltou-se a falar na necessidade de reforma da Lei no 8.666/1993, que continuou a ser vista como um dos entraves aos investimentos em infraestrutura. No ano de 2011, foi aprovada a Lei no /2011 que instituiu o Regime Diferenciado de Contratações RDC. Quanto aos referidos regimes jurídicos que, atualmente, coexistem no nosso ordenamento jurídico é correto afirmar: (A) As obras, serviços e aquisições podem ser licitadas, pela Administração, pelo regime da Lei no 8.666/1993, da Lei no /2002 ou pela Lei no /2011; a escolha dentre os referidos regimes é ato discricionário do Administrador, não subordinado à natureza do objeto, às suas peculiaridades, ao valor estimado da contratação e ao critério de julgamento. (B) Tanto nos procedimentos licitatórios na modalidade pregão, do tipo eletrônico ou presencial, como nos procedimentos licitatórios submetidos ao Regime Diferenciado de Contratações RDC a fase de habilitação é posterior à de julgamento das propostas, exceto na hipótese de inversão de fases, possível, por ato motivado e previsão no instrumento convocatório no RDC. (C) O critério de julgamento do maior retorno econômico, adotado exclusivamente para celebração de contratos de eficiência, aplica-se à modalidade licitatória concorrência disciplinada pela Lei no 8.666/1993, desde que haja ato motivado e previsão no instrumento convocatório. (D) As disposições da Lei no 8.666/1993 concernentes à licitação aplicamse subsidiariamente aos procedimentos licitatórios disciplinados pela Lei do Pregão, da mesma forma que também se aplicam, de forma subsidiária, aos procedimentos licitatórios regidos pelo Regime Diferenciado de Contratações RDC. 14

15 (E) A Lei no 8.666/1993 e a Lei no /2002 admitem expressamente que o orçamento estimado para a contratação só seja tornado público após o encerramento da licitação, previsão que também consta da Lei no /2011. Comentários: A lei do pregão inovou em relação à lei em diversos sentidos, criando modalidade de licitação muito mais rápida e eficiente do que aquelas previstas na lei Essas inovações foram mantidas pela nova lei do RDC que trouxe ainda mais outras inovações, assim, na dúvida, uma boa estratégia é imaginar que as regras do RDC são muito mais parecidas com a lei do pregão do que com a lei Por exemplo: na lei 8.666, primeiro vem a fase de habilitação e, depois, a fase de julgamento das propostas de preços; a lei do pregão inverteu isso (primeiro julgamento dos preços e depois habilitação). Qual você acha que é a ordem em regra usada no RDC??? Isso mesmo! Primeiro as propostas de preços e depois a habilitação. Por essa razão, o gabarito é a letra B. 6.1 Fase preparatória É a chamada fase interna da licitação, que envolve todos os procedimentos necessários anteriores à divulgação do instrumento convocatório, tais como a elaboração do anteprojeto e/ou do projeto básico, definição das especificações e quantitativos a serem fornecidos pelo contratado, definição do orçamento estimado da contratação, constituição da comissão de licitação, dentre outros. Na elaboração das especificações dos bens a serem adquiridos, a Administração poderá, excepcionalmente, indicar marca ou modelo, desde que formalmente justificado, quando houver a necessidade de padronização do objeto, ou quando determinada marca ou modelo for a única capaz de atender às necessidades da entidade, ou quando a descrição do objeto a ser licitado puder ser melhor compreendida pela identificação de determinada marca ou modelo aptos a servir como referência, situação em que será obrigatório o acréscimo da expressão ou similar ou de melhor qualidade. 15

16 A comissão de licitação pode ser permanente ou especial, e será composta majoritariamente por servidores ou empregados públicos pertencentes aos quadros permanentes do órgão ou entidade da Administração Pública responsável pela licitação. Os membros da comissão responderão solidariamente por todos os atos praticados pela comissão, salvo em caso de posição individual divergente de determinado membro, devidamente registrada em ata de reunião. 6.2 Publicação do instrumento convocatório Para a publicidade do procedimento, exige-se a publicação do edital no Diário Oficial do ente federativo contratante (ou do ente consorciado de maior nível, no caso de consórcio público), além da divulgação pela internet; é facultada ainda a divulgação direta aos fornecedores, cadastrados ou não e, quando possível, a publicação de extrato em jornal diário de grande circulação. É dispensada a publicação no Diário Oficial para obras de até R$ ,00 e para bens e serviços, inclusive de engenharia, de até R$ ,00. PUBLICIDADE: Obrigatória: Publicação no DO (salvo compras e serviços até R$ ,00 e obras até R$ ,00) Divulgação pela internet (site oficial da Administração) Se possível: Publicação em jornal de grande circulação Facultada: Divulgação direta aos fornecedores, cadastrados ou não 16

17 Os prazos mínimos entre a publicidade da licitação e a data de entrega das propostas serão os seguintes: Aquisição de bens: 5 dias úteis (critérios de julgamento menor preço ou maior desconto) 10 dias úteis (outros critérios) Obras e serviços: 15 dias úteis (critérios de julgamento menor preço ou maior desconto) 30 dias úteis (outros critérios) Licitação pelo critério maior oferta: 10 dias úteis Licitação pelos critérios técnica e preço, melhor técnica ou melhor conteúdo artístico: 30 dias úteis 6.3 Apresentação de propostas ou lances O RDC admite duas formas distintas de apresentação das propostas de preços, denominados por modos de disputa fechado e aberto: Em algumas licitações, as propostas serão apresentadas em envelopes lacrados que serão abertos na presença de todos os licitantes, sendo declarado vencedor aquele cuja proposta seja a mais vantajosa para a Administração (tal como ocorre na concorrência prevista na Lei nº 8.666/1993). Esse procedimento, no RDC, é chamado de disputa no modo fechado. Outras licitações admitirão a apresentação de ofertas por meio de lances públicos e sucessivos; esses lances serão crescentes, até se chegar ao maior lance (quando a Administração aliena algo a quem oferecer o maior preço, tal como ocorre no leilão previsto na Lei nº 8.666/1993) ou serão decrescentes, até se chegar ao menor lance (quando a Administração contrata algo pelo menor preço, tal como ocorre no pregão previsto na Lei nº /2002). Esse procedimento, no RDC, é chamado de disputa no modo aberto. A lei do RDC prevê expressamente que esses modos de disputa poderão ser combinados na forma do regulamento. Nesse sentido, o Decreto nº 7.581/2011, que regulamenta o RDC no âmbito federal, dispõe em seu artigo 24, que: 17

18 Os modos de disputa poderão ser combinados da seguinte forma: I - caso o procedimento se inicie pelo modo de disputa fechado, serão classificados para a etapa subsequente os licitantes que apresentarem as três melhores propostas, iniciando-se então a disputa aberta com a apresentação de lances sucessivos; II - caso o procedimento se inicie pelo modo de disputa aberto, os licitantes que apresentarem as três melhores propostas oferecerão propostas finais, fechadas. Na disputa aberta, quando a diferença entre o melhor lance e o 2º melhor lance chegar a 10% ou mais (em relação ao melhor preço), a disputa poderá ser paralisada e reiniciada, para definição de novos valores. O RDC inovou, ainda, ao criar os chamados lances intermediários, institutos no mínimo curiosos. Basicamente, consiste na possibilidade de a Administração permitir a apresentação de lance igual ou inferior ao maior já apresentado, quando os lances são crescentes (critério do maior preço), ou permitir um lance igual ou maior que o menor já apresentado, quando os lances são decrescentes. O objetivo buscado pelo legislador só pode ser o de incentivar ao máximo a competição entre licitantes, não descartando qualquer oferta apresentada. 6.4 Julgamento Será feito conforme o critério de julgamento (tipo de licitação) estabelecido no instrumento convocatório. Os critérios de julgamento previstos no RDC são os seguintes: menor preço; maior desconto; técnica e preço; melhor técnica; melhor conteúdo artístico; maior oferta de preço; maior retorno econômico. 18

19 Veja como isso está fácil 9 (ESAF/ANALISTA ADMINISTRATIVO - DNIT) São critérios de julgamento passíveis de serem utilizados no âmbito do Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC, exceto: a) Menor preço ou maior desconto. b) Menor retorno econômico. c) Melhor técnica ou conteúdo artístico. d) Maior oferta. e) Técnica e preço. Comentários: O único critério de julgamento que não existe no RDC é o menor retorno econômico, claro! A Administração nunca escolherá a proposta que der o menor retorno econômico para ela, por isso, o gabarito é a letra B. O critério previsto na lei é o do maior retorno econômico! No julgamento pelo maior desconto, o vencedor será aquele que oferecer o maior desconto sobre o preço global fixado no instrumento convocatório. O critério técnica e preço será utilizado exclusivamente para objetos de natureza predominantemente intelectual e de inovação tecnológica ou técnica ou que possam ser executados com diferentes metodologias ou tecnologias de domínio restrito no mercado. Da mesma forma que ocorre na Lei nº 8.666/1993, nesse tipo de licitação haverá uma avaliação ponderada entre as propostas técnicas e de preço apresentadas, a partir dos critérios objetivamente estabelecidos no edital. O julgamento pela melhor técnica ou pelo melhor conteúdo artístico considerará exclusivamente as propostas técnicas ou artísticas apresentadas pelos licitantes com base em critérios objetivos previamente estabelecidos no instrumento convocatório, no qual será definido o prêmio ou a remuneração que será atribuída aos vencedores. Poderá ser utilizado para a contratação de projetos, inclusive arquitetônicos, e trabalhos de natureza técnica, científica ou artística, excluindo-se os projetos de engenharia. O RDC define que o julgamento pela maior oferta de preço será utilizado no caso de contratos que resultem em receita para a administração 19

20 pública, ou seja, quando o vencedor será aquele que pagar mais à Administração. Nesse caso haverá uma simplificação da fase de habilitação, podendo-se para tal exigir o recolhimento de 5% do valor ofertado, a título de garantia. A novidade do RDC é de fato quanto ao julgamento pelo maior retorno econômico, utilizado exclusivamente para a celebração dos chamados contratos de eficiência. No contrato de eficiência o contratado prestará determinados serviços com o objetivo de proporcionar economia à Administração, na forma de redução de despesas correntes. Assim, por exemplo, desejando a Administração reduzir seus gastos com energia elétrica, os licitantes apresentarão seus projetos, incluindo a prestação de serviços diversos, obras, fornecimento e operação de equipamentos, de forma a propiciar redução sobre os gastos atuais. Será vencedora a proposta que oferecer a maior economia para a Administração Pública, decorrente da execução do contrato. O contratado será remunerado com base em percentual da economia gerada, comprometendo-se a gerar um valor estipulado em contrato, denominado economia contratada. Caso a economia efetivamente gerada seja inferior à economia contratada, a diferença (entre a economia gerada e a economia contratada) será descontada da remuneração da contratada. Se a remuneração da contratada for insuficiente para a aplicação do desconto, será aplicada multa à contratada. Se a diferença entre a economia contratada e a economia gerada ficar acima do limite máximo estabelecido em contrato, poderão ser aplicadas ainda outras sanções. Suponhamos, por exemplo, que uma empresa tenha sido contratada para reduzir os gastos com energia elétrica de determinado empreendimento, comprometendo-se a gerar uma economia de 10 milhões de Reais (economia contratada) e que a diferença máxima entre a economia gerada e a economia contratada, estipulada em contrato, seja de 5 milhões de Reais. A partir daí, imaginemos as seguintes hipóteses: 1ª: economia gerada de 9 milhões de Reais e remuneração da contratada de 3 milhões: será descontado 1 milhão da remuneração da empresa; 2ª: economia gerada de 7 milhões de Reais e remuneração da contratada de 2 milhões: como a remuneração da empresa é 20

21 insuficiente para o desconto que deveria ser aplicado (3 milhões), a mesma será então multada; 3ª: economia gerada de 4 milhões de Reais (diferença de 6 milhões para a economia contratada). A empresa nada receberá, será multada e estará sujeita ainda a outras sanções. 6.5 Habilitação Nessa fase são aplicáveis, no que couber, as disposições da seção relativa à habilitação da Lei nº 8.666/1993, ou seja, poderão ser exigidos os documentos de habilitação jurídica, qualificação técnica, qualificação econômico-financeira, regularidade fiscal e trabalhista e o cumprimento do disposto no inciso XXXIII do art. 7º da Constituição Federal, como já estudado em relação à lei geral de licitações. Além disso, poderá ser exigida dos licitantes a declaração de que atendem aos requisitos de habilitação. Outra disposição interessante do RDC é a que estabelece que, ainda que a fase de habilitação seja anterior à análise das propostas, os documentos de habilitação relativos à regularidade fiscal poderão ser exigidos em momento posterior ao julgamento das propostas, e apenas em relação ao licitante mais bem classificado. Após o resultado do julgamento, a Administração poderá negociar condições mais vantajosas com o primeiro colocado e, caso o seu preço ainda permaneça acima do orçamento estimado, essa negociação poderá ser feita com os demais licitantes, na ordem de classificação. 21

22 Em caso de empate entre duas ou mais propostas, serão utilizados os seguintes critérios de desempate, nesta ordem: 1. Disputa final (licitantes empatados poderão apresentar nova proposta fechada); 2. Avaliação do desempenho contratual prévio dos licitantes (desde que exista sistema objetivo de avaliação instituído); 3. Critérios da Lei nº 8.248/1991 (para bens e serviços de informática): 3.1 Bens e serviços com tecnologia desenvolvida no País. 3.2 Bens e serviços produzidos de acordo com processo produtivo básico, na forma a ser definida pelo Poder Executivo. 4. Critérios da Lei nº 8.666/1993: 5. Sorteio 4.1 Bens e serviços produzidos no País; 4.2 Bens e serviços produzidos ou prestados por empresas brasileiras; 4.3 Bens e serviços produzidos ou prestados por empresas que invistam em pesquisa e no desenvolvimento de tecnologia no País; 4.4 Bens e serviços produzidos ou prestados por empresas que comprovem cumprimento de reserva de cargos para pessoa com deficiência; 6.6 Fase recursal Como já dito, haverá uma fase recursal única logo após a fase de habilitação, na qual serão analisados os recursos referentes ao julgamento das propostas e à habilitação do vencedor, salvo quando houver a inversão de fases, ou seja, quando a fase de habilitação seja anterior à fase de julgamento das propostas. Os licitantes que desejarem apresentar recursos quanto ao julgamento das propostas ou habilitação deverão manifestar imediatamente a intenção de recorrer, sob pena de preclusão, podendo apresentar os referidos recursos depois, em até cinco dias úteis. 22

23 Os prazos gerais para recurso (em sentido amplo) são os seguintes: Recurso Hipóteses Prazo Pedido de esclarecimento e impugnação ao edital Recurso hierárquico Aquisição ou alienação de bens Contratação de obras e serviços Pedido de pré-qualificação Fase de habilitação Julgamento das propostas Anulação ou revogação da licitação Inscrição em registro cadastral Rescisão contratual Aplicação de sanções 2 dias úteis antes da data de abertura das propostas 5 dias úteis antes da data de abertura das propostas 5 dias úteis a partir da data da intimação Representação Quando não couber recurso hierárquico 5 dias úteis 6.7 Encerramento O procedimento será encerrado com a adjudicação do objeto e a homologação da licitação (nesta ordem), tal qual ocorre no pregão, pelo que recomendamos a leitura desses tópicos específicos nessa obra. 23

24 7. Regimes de execução Nível de concurso: Todos em que o edital exigir o RDC (principalmente o regime de contratação integrada!!!) As obras e serviços de engenharia poderão ser executados pelos seguintes regimes: Empreitada por preço unitário Empreitada por preço global Empreitada integral Tarefa Contratação integrada Os regimes de empreitada por preço unitário, preço global, integral ou por tarefa são os mesmos previstos na Lei nº 8.666/1993, e, da mesma forma que na referida lei, as licitações só poderão ser realizadas caso tenha sido feito o projeto básico para exame dos licitantes, ficando a empresa contratada responsável pela elaboração do projeto executivo. De forma diversa, no regime de contratação integrada, a licitação ocorrerá sem o projeto básico, ficando a empresa contratada responsável por elaborar ambos os projetos, executar as obras e realizar todas as operações até a entrega final do objeto. Nesse caso, o edital deverá conter apenas um anteprojeto de engenharia, e o valor estimado da contratação poderá ser calculado com base nos valores de mercado ou nos valores pagos pela Administração em obras similares. A contratação integrada só poderá ser utilizada para obras e serviços de engenharia quando haja a possibilidade de execução com diferentes metodologias ou haja a possibilidade de execução com tecnologias de domínio restrito no mercado ou quando o objeto envolva inovação tecnológica ou técnica. Os contratos firmados por contratação integrada não admitem a celebração de termos aditivos, salvo para recomposição do equilíbrio econômicofinanceiro decorrente de caso fortuito ou força maior ou em virtude da alteração do projeto ou das especificações pela Administração. 24

25 Veja como isso está sendo cobrado 10 (FCC/PROCURADOR AUTÁRQUICO - MANAUSPREV) O regime diferenciado de contratações foi instituído no ordenamento jurídico brasileiro pela Lei no /2011 e, além de ter suscitado muitos questionamentos, introduziu sensíveis distinções em relação ao modelo tradicional, regido pela Lei no 8.666/93. Destacam-se, dentre essas diferenças, (A) a proibição de participação no certame para a realização das obras à mesma empresa vencedora da licitação para confecção dos projetos básico e executivo, salvo se comprovar que seria hipótese de inexigibilidade de licitação. (B) a possibilidade, nos casos de objeto que envolva inovação tecnológica, de utilização da modalidade contratação integrada, com dispensa de elaboração de projeto básico para abertura do certame. (C) a possibilidade de licitação sem que a Administração pública contratante elabore o projeto básico e o projeto executivo antes da abertura do certame, podendo fazê-lo na fase posterior à homologação do certame, quando deverá confeccioná-los e entregá-los ao vencedor da licitação. (D) a obrigatoriedade do vencedor do certame ser o responsável pela confecção dos projetos básico e executivo, bem como pela realização da obra, restringindo-se, nessa hipótese, o critério de julgamento do certame ao tipo menor preço. (E) a prescindibilidade de realização de projeto básico para todas as modalidades de contratação previstas na Lei no /2011, bastando ao contratado que confeccione o projeto executivo com base nas informações trazidas pela Administração pública. Comentários: O regime de contratação integrada é aquele no qual a Administração pode realizar a licitação sem ter elaborado nem o projeto básico nem o projeto executivo, deixando a cargo da empresa vencedora da licitação a obrigação de elaborar os dois projetos e executar a obra. Isso só foi dito na letra B, que é o gabarito, e não nas outras opções, que procuram apenas confundir e tentar despistar o candidato! 25

26 11 (FCC/ANALISTA LEGISLATIVO - AL-PE) É correto afirmar que a contratação integrada, disciplinada pela Lei no /2011, denominada Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC (A) aplica-se indistintamente a todas as contratações, de obras ou de serviços, voltadas aos eventos esportivos que proximamente serão realizados no Brasil Copa do Mundo e Olimpíadas, desde que não compreendam a elaboração de projeto básico e executivo. (B) não se aparta das demais modalidades de empreitada de que cuida a Lei no 8.666/1993, exceto por ser, a contratação integrada, voltada às obras dos eventos esportivos que proximamente serão realizados no Brasil Copa do Mundo e Olimpíadas. (C) não se distingue da modalidade de empreitada integral de que cuida a Lei no 8.666/1993, dado que ambas situam-se na categoria denominada turn key, exceto por ser, a contratação integrada, voltada às obras dos eventos esportivos que proximamente serão realizados no Brasil Copa do Mundo e Olimpíadas. (D) é um regime de execução contratual em que há transferência do risco de elaboração dos projetos básico e executivo ao contratado, havendo, ainda, vedação à celebração de aditivos. (E) é um regime de execução contratual em que a Lei de regência veda a recomposição do equilíbrio econômico-financeiro do contrato, constituindose em exceção ao disposto no artigo 37, XXI, da Constituição Federal, mesmo nas hipóteses de caso fortuito ou força maior ou de determinação unilateral da Administração. Comentários: O regime de contratação integrada compreende a elaboração de projeto básico e executivo pelo contratado (ao contrário do que afirma a letra A) e é completamente diferente dos demais regimes (motivo dos erros das letras B e C). O erro da letra E é que, nas hipóteses de caso fortuito, força maior ou alteração do contrato pela Administração, haverá sim a necessidade de revisão do valor contratual para a recomposição do equilíbrio econômicofinanceiro do contrato. O gabarito é, portanto, a letra D, uma vez que, nesse regime, em regra (mas não sempre) é vedada a celebração de termos aditivos. 26

27 8. Dispensa e inexigibilidade de licitação Nível de concurso: Todos em que o edital exigir o RDC! Dispõe a Lei nº /2011 que as hipóteses de dispensa e inexigibilidade de licitação estabelecidas nos artigos 24 e 25 da Lei nº 8.666/1993 aplicam-se, no que couber, às contratações realizadas com base no RDC. Há uma diferença muito importante no caso de contratação, por dispensa de licitação, do remanescente do fornecimento em caso de rescisão contratual. O artigo 24 XI da Lei nº 8.666/1993 determina que essa contratação direta deve ser feita nas condições (inclusive o preço) do vencedor da licitação. O artigo 41 do RDC prevê que a contratação será feita nas condições ofertadas, na licitação, pela empresa convocada. Assim, tomando como exemplo uma empresa contratada X para fornecer 1000 peças a R$ 1,00/peça, onde o segundo colocado na licitação (empresa Y) tivesse apresentado a proposta de R$ 1,10/peça. Caso o contrato com a empresa X seja rescindido, a Administração poderá contratar a empresa Y por dispensa de licitação para fornecer o restante das peças, mas por qual valor? Se a licitação foi feita pela lei 8666, o preço será de R$ 1,00 (o mesmo da empresa X). Se a licitação foi feita pela lei do RDC, o preço será de R$ 1,10 (o preço da empresa Y). 9. Condições específicas para a participação no RDC Nível de concurso: Normalmente nos concursos mais exigentes! Em obediência aos princípios da impessoalidade e isonomia entre os licitantes, dispõe a lei que é vedada a participação direta ou indireta nas licitações de: I - pessoa física ou jurídica que elaborar o projeto básico ou executivo (salvo em contratações integradas); 27

28 II - pessoa jurídica que participar de consórcio responsável pela elaboração do projeto básico ou executivo (salvo em contratações integradas); III - pessoa jurídica da qual o autor do projeto básico ou executivo seja administrador, sócio com mais de 5% do capital votante, controlador, gerente, responsável técnico ou subcontratado (salvo em contratações integradas); IV - servidor, empregado ou ocupante de cargo em comissão do órgão ou entidade contratante ou responsável pela licitação. Considera-se participação indireta a existência de qualquer vínculo de natureza técnica, comercial, econômica, financeira ou trabalhista entre o autor do projeto (pessoa física ou jurídica) e o licitante (incluindo os membros da comissão de licitação) ou o fornecedor dos bens e serviços contratados. É vedada ainda a contratação direta, sem licitação, de pessoa jurídica na qual haja administrador ou sócio com poder de direção que mantenha relação de parentesco, inclusive por afinidade, até o terceiro grau civil com: I - detentor de cargo em comissão ou função de confiança que atue na área responsável pela demanda ou contratação; II - autoridade hierarquicamente superior no âmbito de cada órgão ou entidade da administração pública. 10.Sanções Nível de concurso: Normalmente nos concursos mais exigentes! Aplicam-se ao RDC as sanções administrativas e criminais previstas na Lei nº 8.666/1993; além disso, ficará impedido de licitar e contratar com a Administração pelo prazo de até 5 anos o licitante que: I - convocado dentro do prazo de validade da sua proposta não celebrar o contrato; II - deixar de entregar a documentação exigida para o certame ou apresentar documento falso; III - ensejar o retardamento da execução ou da entrega do objeto da licitação sem motivo justificado; IV - não mantiver a proposta, salvo se em decorrência de fato superveniente, devidamente justificado; 28

29 V - fraudar a licitação ou praticar atos fraudulentos na execução do contrato; VI - comportar-se de modo inidôneo ou cometer fraude fiscal; VII - der causa à inexecução total ou parcial do contrato. 11.DICA DE OURO Agora que acabamos o conteúdo da apostila, é ESSENCIAL que você vá até este capítulo no sistema Nota11 de fichas interativas e pratique! As fichas são neurologicamente formuladas para que esses pontos nunca mais saiam da sua cabeça... Esse será o grande diferencial para que você consiga estar pronto para gabaritar a prova em um tempo até 10X mais rápido que nos materiais e métodos disponíveis no mercado. 12.Principais pontos a serem fixados Quando o RDC pode ser adotado: Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016; Copa das Confederações 2013 e Copa do Mundo 2014; Obras de infraestrutura e de contratação de serviços para os aeroportos das capitais dos Estados da Federação distantes até 350 km das cidades sedes dos citados mundiais; Ações do PAC Programa de Aceleração do Crescimento; Obras e serviços de engenharia no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS; Obras e serviços de engenharia de estabelecimentos penais e de unidades de atendimento socioeducativo; Ações no âmbito da segurança pública; 29

30 Obras e serviços de engenharia relacionados a melhorias na mobilidade urbana ou ampliação de infraestrutura logística; Locação de bens móveis e imóveis, nos quais o locador realiza prévia aquisição, construção ou reforma substancial do bem especificado pela administração; Ações em órgãos e entidades dedicados à ciência, à tecnologia e à inovação; Obras e serviços de engenharia no âmbito dos sistemas públicos de ensino e de pesquisa, ciência e tecnologia; Contratação de bens e serviços necessários à modernização, construção, ampliação e reforma de aeródromos públicos pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (Lei nº /2013); Ações relacionadas à reforma, modernização, ampliação ou construção de unidades armazenadoras próprias destinadas às atividades de guarda e conservação de produtos agropecuários em ambiente natural, pela CONAB (Lei nº /2013); Ações de prevenção em áreas de risco de desastres e de resposta e de recuperação em áreas atingidas por desastres (Lei nº /2014). Principais características: Inversão das fases de habilitação e análise dos preços; Oferecimento de lances; Possibilidade de negociação com o licitante de melhor proposta; Inversão das fases de adjudicação e homologação; Fase recursal única; Procedimento de pré-qualificação permanente de fornecedores; Não divulgação prévia do orçamento; Possibilidade de remuneração variável da contratada conforme seu 30

31 desempenho; Possibilidade de contratação de mais de uma empresa para executar o mesmo serviço; Catálogo eletrônico de padronização. Procedimentos auxiliares: Pré-qualificação permanente Cadastramento Sistema de registro de preços Catálogo eletrônico de padronização. Fases da licitação: 1. Preparatória; 2. Publicação do instrumento convocatório; 3. Apresentação de propostas ou lances; 4. Julgamento; 5. Habilitação; 6. Recursal; 7. Encerramento. PROCEDIMENTO PADRÃO Julgamento Recurso das propostas Habilitação (fase única) Adjudicação Homologação PROCEDIMENTO EXCEPCIONAL Julgamento Habilitação Recurso das propostas Recurso Adjudicação Homologação 31

32 PUBLICIDADE DO PROCEDIMENTO: Obrigatória: Publicação no DO (salvo compras e serviços até R$ ,00 e obras até R$ ,00) Divulgação pela internet (site oficial da Administração) Se possível: Publicação em jornal de grande circulação Facultada: Divulgação direta aos fornecedores, cadastrados ou não Prazos mínimos entre a publicação do edital e a data de entrega das propostas: Aquisição de bens: 5 dias úteis (critérios de julgamento menor preço ou maior desconto) 10 dias úteis (outros critérios) Obras e serviços: 15 dias úteis (critérios de julgamento menor preço ou maior desconto) 30 dias úteis (outros critérios) Licitação pelo critério maior oferta: 10 dias úteis Licitação pelos critérios técnica e preço, melhor técnica ou melhor conteúdo artístico: 30 dias úteis Critérios de julgamento: menor preço maior desconto técnica e preço melhor técnica 32

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal ALTERA DISPOSITIVOS NA LEI Nº.1.303, DE 08 DE JULHO DE 2009, QUE REGULAMENTA NO MUNICIPIO DE CAMPO NOVO DO PARECIS O TRATAMENTO

Leia mais

JUSTIFICATIVA. O artigo 37, inciso XXI da Constituição Federal, impôs como regra a obrigatoriedade de licitar.

JUSTIFICATIVA. O artigo 37, inciso XXI da Constituição Federal, impôs como regra a obrigatoriedade de licitar. PROCESSO: 093/2013. INEXIGIBILIDADE: 006/2013. Ao Senhor Prefeito Municipal. Referência: Contratação da empresa Associação Matogrossense de Prevenção, Assistência e Reabilitação dos Usuários de Drogas

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 16/03/12 As instruções abaixo aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY AVISO PROCESSO SELETIVO São Paulo, 23 de junho de 2014. PROCESSO SELETIVO Nº 003/2014 I. Proponente: Confederação Brasileira de Rugby CNPJ: 50.380.658/0001-44 E-mail: kaiza.cappi@brasilrugby.com.br Endereço:

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY AVISO PROCESSO SELETIVO São Paulo, 23 de junho de 2014. PROCESSO SELETIVO Nº 002/2014 I. Proponente: Confederação Brasileira de Rugby CNPJ: 50.380.658/0001-44 E-mail: kaiza.cappi@brasilrugby.com.br Endereço:

Leia mais

Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco

Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco. IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO

Leia mais

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40 EDITAL PARA SELEÇÃO DE FORNECEDOR - AUDITORIA CONTÁBIL EXTERNA O Centro de Estudos e Pesquisas 28 (Organização Social em Saúde), entidade privada de utilidade pública, inscrito no, torna pública a realização,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI)

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI) 1 EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI) O Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) da Universidade Federal

Leia mais

ENDEREÇO: CIDADE: ESTAD O:

ENDEREÇO: CIDADE: ESTAD O: CARTA CONVITE CONTRATAÇÃO DE SEGURO DE VIDA E ACIDENTES PESSOAIS PARA 600 BOLSISTAS Nº/ANO: 034/2001 CONVIDADO / CGC: TELEFONE / FAX: ENDEREÇO: CIDADE: ESTAD O: Convidamos Vossa Senhoria a apresentar,

Leia mais

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/2016 (retificado conforme publicação no DOU nº 75, de 20/04/2016, página 80)

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/2016 (retificado conforme publicação no DOU nº 75, de 20/04/2016, página 80) FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/2016 (retificado conforme publicação no DOU nº 75, de 20/04/2016, página 80) A FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE FUNASA, por intermédio do Departamento

Leia mais

ANÁLISE DOS CUSTOS DAS OBRAS PÚBLICAS André Mainardes Berezowski Controlador de Recursos Públicos

ANÁLISE DOS CUSTOS DAS OBRAS PÚBLICAS André Mainardes Berezowski Controlador de Recursos Públicos ANÁLISE DOS CUSTOS DAS OBRAS PÚBLICAS André Mainardes Berezowski Controlador de Recursos Públicos Conflito de interesses nas contratações públicas Administrador Público Empresa consultoria Empreiteira

Leia mais

JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO

JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO TERMO: FEITO: REFERÊNCIA: RAZÕES: DECISÓRIO RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA Nº 010/2015-CEL/SEVOP/PMM Contra a DESCLASSIFCAÇÃO da proposta comercial da empresa

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Resposta aos questionamentos efetuados pela empresa TOTVS, temos a informar conforme segue:

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. Resposta aos questionamentos efetuados pela empresa TOTVS, temos a informar conforme segue: Resposta aos questionamentos efetuados pela empresa TOTVS, temos a informar conforme segue: Questionamento 1: Tomando como base a definição de que os Conselhos o Federal e os Regionais foram criados por

Leia mais

REF: Questionamentos do edital de EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 002/2015 PROCESSO SECOM Nº. 371/2014

REF: Questionamentos do edital de EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 002/2015 PROCESSO SECOM Nº. 371/2014 TIM CELULAR S/A CNPJ: 04.206.050/0001-80 - Insc.Estadual: 116.049.102.113 AV. GIOVANNI GRONCHI, NO. 7143, VILA ANDRADE SÃO PAULO (SP) - CEP: 05.724-006 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS (TJAM) COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO (CPL)

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS (TJAM) COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO (CPL) REFERÊNCIA Pedido de Impugnação ao edital do Pregão Eletrônico nº. 018/2016, processo administrativo nº 2015/20602, cujo objeto é a contratação de empresa especializada para o fornecimento e instalação

Leia mais

Título do Case: Categoria: Temática: Resumo: Introdução:

Título do Case: Categoria: Temática: Resumo: Introdução: Título do Case: Diagnóstico Empresarial - Vendendo e Satisfazendo Mais Categoria: Prática Interna. Temática: Mercado Resumo: Na busca por uma ferramenta capaz de auxiliar na venda de mais consultorias

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Estabelece procedimentos relacionados com a instrução de processos de autorização para funcionamento, alterações

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO AUDITORIA GERAL DO ESTADO ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº. 054/2010

ESTADO DE MATO GROSSO AUDITORIA GERAL DO ESTADO ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº. 054/2010 ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº. 054/2010 UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS: NÚCLEO SISTÊMICO: TODAS AS UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS TODOS OS NÚCLEOS SISTÊMICOS FINANCEIRO. PROCESSO DE PAGAMENTO. ASSUNTO: CONSÓRCIO. EXIGÊNCIA DE

Leia mais

02. (FCC MPE-RN/2012). A receita extraorçamentária em 31.12.2011, em reais, era: (A) 50.000,00 (B) 60.000,00 (C) 100.000,00

02. (FCC MPE-RN/2012). A receita extraorçamentária em 31.12.2011, em reais, era: (A) 50.000,00 (B) 60.000,00 (C) 100.000,00 SEMANA 10 - Despesa Pública: Dispêndios orçamentários (Despesa orçamentária) e Extra- Orçamentários; 01. (ESTILO-ESAF/2012) Os dispêndios públicos podem ser de natureza orçamentária ou extraorçamentária.

Leia mais

Adotada Total / Parcial. Fundamento da não adoção. Recomendação. Não adotada. 1. Princípios Gerais

Adotada Total / Parcial. Fundamento da não adoção. Recomendação. Não adotada. 1. Princípios Gerais / 1. Princípios Gerais As instituições devem adotar uma política de remuneração consistente com uma gestão e controlo de riscos eficaz que evite uma excessiva exposição ao risco, que evite potenciais conflitos

Leia mais

05/2016 775707/2012 - MTE/SENAES CAMP

05/2016 775707/2012 - MTE/SENAES CAMP Cotação Prévia de Preço Nº. 05/2016 Convênio Nº 775707/2012 - MTE/SENAES CAMP Projeto: Centro de Formação e Apoio à Assessoria Técnica em Economia Solidária CFES Regional Sul. Critério: Menor Preço e Melhor

Leia mais

1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª

1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª 1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª Fica aditado o Edital de Licitação na modalidade de Tomada de Preço n. 01/2015, do CRFa 3ª, para constar que: 1. O item

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Institui o Estatuto da Metrópole, altera a Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001, e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Esta Lei, denominada

Leia mais

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação

Leia mais

DIREX Elaboração de Orçamentos sob a Égide da Lei 8666/1993 e do Regime Diferenciado de Contratação

DIREX Elaboração de Orçamentos sob a Égide da Lei 8666/1993 e do Regime Diferenciado de Contratação Elaboração de Orçamentos sob a Égide da Lei 8666/1993 e do Regime Diferenciado de Contratação Coordenação-Geral de Custos de Infraestrutura de Transportes Diretoria Executiva Legislação Aplicada Lei 12.462,

Leia mais

SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PROJETO BÁSICO

SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PROJETO BÁSICO 1 SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PROJETO BÁSICO 1 DO OBJETO 1.1 Aquisição de umidificadores de ar destinados a atender às demandas

Leia mais

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas. Novo Mercado de. Renda Fixa

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas. Novo Mercado de. Renda Fixa Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas Novo Mercado de Renda Fixa CAPÍTULO I PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O objetivo deste Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para o Novo Mercado

Leia mais

PROCESSO Nº 1.23.000.001039/2014-06

PROCESSO Nº 1.23.000.001039/2014-06 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 02/2015 PROCESSO Nº 1.23.000.001039/2014-06 VALIDADE: 12 MESES Aos 02 dias do mês de março de 2015, na, Sala de licitações, localizada na Rua Domingos Marreiros, nº 690 Bairro

Leia mais

ASSUNTO: Solicitação de Impugnação de Edital Concorrência SEBRAE/TO Nº 008/2014

ASSUNTO: Solicitação de Impugnação de Edital Concorrência SEBRAE/TO Nº 008/2014 À COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO DO SEBRAE/TO AT. SRA. ODEANE MILHOMEM DE AQUINO Presidente da CPL ASSUNTO: Solicitação de Impugnação de Edital Concorrência SEBRAE/TO Nº 008/2014 Prezada Senhora, IDEIA

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS INTRODUÇÃO Esse documento orienta as aquisições da Agência de Desenvolvimento e Inovação de Guarulhos, doravante denominada AGENDE, inscrita no CNPJ nº

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO CREA-SP ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO CREA-SP ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE. ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE. Dispõe sobre celebração de convênios com entidades de classe para maior eficiência da fiscalização profissional, através da expansão das Anotações de Responsabilidade Técnica

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O PROGRAMA JOVEM APRENDIZ EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O PROGRAMA JOVEM APRENDIZ Dispõe sobre a Seleção Pública Simplificada para o cargo de educadores sociais e Ofícineiro de teatro visando atuação no Programa Jovem

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Dispõe sobre o sistema de franquia empresarial (franchising); revoga a Lei nº 8.955, de 15 de dezembro de 1994; e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O sistema de franquia empresarial

Leia mais

O exame de processos de outorga de concessão deve conter em sua introdução as informações básicas relativas ao tipo de processo.

O exame de processos de outorga de concessão deve conter em sua introdução as informações básicas relativas ao tipo de processo. Tribunal de Contas da União MANUAL PARA INSTRUÇÃO DE PROCESSOS DE LICITAÇÃO PARA OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS E DE LINHAS DE TRANSMISSÃO 1 - INTRODUÇÃO 1.1. CARACTERÍSTICAS GERAIS O exame de

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 Altera o 2º do art. 4º da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, que dispõe sobre o cadastro informativo dos créditos não quitados de órgãos e entidades

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

EMBAIXADA DO BRASIL EM DUBLIN EDITAL Nº 01/2015

EMBAIXADA DO BRASIL EM DUBLIN EDITAL Nº 01/2015 EMBAIXADA DO BRASIL EM DUBLIN EDITAL Nº 01/2015 O Embaixada do Brasil em Dublin faz saber aos interessados, por meio da Comissão de Seleção designada pelo Senhor Embaixador do Brasil em Dublin, que realizará

Leia mais

Cronograma - Seguindo o plano de metas da USP para 2015

Cronograma - Seguindo o plano de metas da USP para 2015 GT - Atividade Docente avaliação, valorização do ensino e carreira / diretrizes gerais. Cronograma - Seguindo o plano de metas da USP para 2015 O documento mestre conceitual que apresentamos tem a função

Leia mais

QUESTIONAMENTO ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 03/2014 - BNDES

QUESTIONAMENTO ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 03/2014 - BNDES QUESTIONAMENTO ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 03/2014 - BNDES Item 1.2 Grupo 1 do termo de referencia No grupo 1 o órgão solicita protocolo ISDN. Solicitamos que seja permitido o protocolo

Leia mais

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a: Escopo

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL E CIVIL

ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL E CIVIL Ementa aula 12 de novembro de 2013. 18 de novembro de 2013. ACADEMIA BRASILEIRA DE DIREITO CONSTITUCIONAL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO EMPRESARIAL E CIVIL Professora: Ana Claudia Finger Mestre em Direito do

Leia mais

Minuta Circular Normativa

Minuta Circular Normativa Minuta Circular Normativa 1. INTRODUÇÃO 1.1. Objetivo a) Estabelecer princípios e diretrizes para orientar as ações de natureza socioambiental nos negócios da Desenbahia e no seu relacionamento com clientes

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY AVISO PROCESSO SELETIVO São Paulo, 05 de junho de 015. PROCESSO SELETIVO Nº 010/015 I. Proponente: Confederação Brasileira de Rugby CNPJ: 50.380.658/0001-44 E-mail: kaisa.cappi@brasilrugby.com.br Endereço:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETO WORKSHOP DE EMPREENDEDORISMO PARA A POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CRIMINALIDE E VIOLÊNCIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETO WORKSHOP DE EMPREENDEDORISMO PARA A POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CRIMINALIDE E VIOLÊNCIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROJETO WORKSHOP DE EMPREENDEDORISMO PARA A POLÍTICA DE PREVENÇÃO À CRIMINALIDE E VIOLÊNCIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MODALIDADE: CONCORRÊNCIA ESPECIAL CRITÉRIO DE JULGAMENTO:

Leia mais

Regulamento de Compras e Contratações de Serviços

Regulamento de Compras e Contratações de Serviços Regulamento de Compras e Contratações de Serviços Capítulo I INTRODUÇÃO Dos Princípios Art.1º- Este regulamento estabelece normas para a aquisição e alienação de bens e para a contratação de obras e serviços

Leia mais

Guerra Fiscal Impactos da Resolução do Senado Federal 13 / 2012. Março de 2013

Guerra Fiscal Impactos da Resolução do Senado Federal 13 / 2012. Março de 2013 Guerra Fiscal Impactos da Resolução do Senado Federal 13 / 2012 Março de 2013 Breve Histórico Benefícios Fiscais Desenvolvimento regional: dever da União (artigo 21, inciso IX, da Constituição Federal)

Leia mais

GESTÃO DO AGRONEGÓCIO

GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Pós-Graduação em GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Ingresso agosto de 2016 Informações: (51) 3218-1355 ernani.neto@espm.br O Curso tem por objetivo capacitar os participantes na utilização de práticas contemporâneas

Leia mais

Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação

Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação Anteprojeto, Projeto Básico, Projeto Executivo e Orçamento para Licitação Introdução Temos como objetivo oferecer conhecimento jurídico necessário para a compreensão do ambiente privado e da administração

Leia mais

EDITAL Nº 124/2013 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 008/2013

EDITAL Nº 124/2013 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 008/2013 EDITAL Nº 124/2013 CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 008/2013 O MUNICÍPIO DE SERAFINA CORRÊA, RS, comunica aos interessados que está procedendo o CHAMAMENTO PÚBLICO, a contar de 21 de junho de 2013, no horário compreendido

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 40/2014 ESCLARECIMENTO N. 1

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 40/2014 ESCLARECIMENTO N. 1 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento n. 1 Referência: Pregão Eletrônico n. 40/2014 Data: 15/10/2014 Objeto: Contratação de pessoa jurídica especializada na prestação de serviços de assistência médica, ambulatorial

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 EDITAL Nº 035/2009 PROGRAMA DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Renda Fixa Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI O produto O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) é um título que gera um direito de crédito ao

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101

NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS NORMATIVOS - NOR 101 ASSUNTO: Elaboração de Instrumentos Normativos MANUAL DE ORGANIZAÇÃO APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 25, de 12/05/2016 COD. VIGÊNCIA: 100 12/05/2016 NORMA DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS 1/10 SUMÁRIO 1 FINALIDADE...

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que

Leia mais

Manual de preenchimento da planilha de cálculo do índice de nacionalização

Manual de preenchimento da planilha de cálculo do índice de nacionalização Manual de preenchimento da planilha de cálculo do índice de nacionalização Atualizado em 02/07/15 Pág.: 1/9 SUMÁRIO Introdução... 3 1. Índice de nacionalização... 3 2. Objetivo da planilha... 4 3. O preenchimento

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto Prestação de serviços de seguro, para o imóvel locado para a Subseção do Conselho Regional de Enfermagem Coren/MS, localizado em Dourados/MS, bem como o acervo de bens, compreendidos

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESF SORRI BAURU MARÇO 2016

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESF SORRI BAURU MARÇO 2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESF SORRI BAURU MARÇO 2016 A SORRI BAURU, por meio de sua Diretoria Executiva, convoca os interessados a participar do processo seletivo para a contratação

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Contratação de serviços gráficos

Contratação de serviços gráficos Projeto básico Contratação de serviços gráficos Secretaria de Comunicação Social Brasília Agosto de 2008 1. OBJETO DA PROPOSTA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Contratação de empresa especializada na prestação

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO 001/2012 A APMI Guarda Mirim de Londrina, visando garantir os princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade consubstanciados no caput do artigo 37 e inciso

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP A Diretoria de Recursos Humanos do SESI-SP abre inscrições para candidatos interessados

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 52.567, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. (publicado no DOE n.º 183, de 24 de setembro de 2015) Dispõe sobre o

Leia mais

ATA DE ANALISE DE IMPUGNAÇÃO

ATA DE ANALISE DE IMPUGNAÇÃO ATA DE ANALISE DE IMPUGNAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO N 055/2016 PREGÃO PRESENCIAL N 044/2016 OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DE CONDICIONADORES DE AR. IMPUGNANTE: ARTEC AR

Leia mais

I mprobidade Administrativa

I mprobidade Administrativa Olá, pessoal! Trago hoje para vocês um pequeno resumo sobre a Lei n 8.429/1992, que trata dos atos de improbidade administrativa, assunto recorrente em provas de concurso público. A seguir, são comentadas

Leia mais

Anúncio de adjudicação de contrato

Anúncio de adjudicação de contrato 1/ 18 ENOTICES_icmartins 27/10/2011- ID:2011-149873 Formulário-tipo 3 - PT União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia 2, rue Mercier, L-2985 Luxembourg Fax (352) 29 29-42670

Leia mais

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 Estabelece normas gerais de consolidação das contas dos consórcios públicos a serem observadas na gestão

Leia mais

Edital nº6-2016 Impressão de produtos editoriais

Edital nº6-2016 Impressão de produtos editoriais São Paulo, 12 de maio de 2016 Edital nº6-2016 Impressão de produtos editoriais O Instituto Pólis pretende selecionar uma empresa gráfica para a impressão de três tipos de publicação: cadernos temáticos,

Leia mais

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL

2. ATOS DO DIRETOR-GERAL 2.1. INSTRUÇÃO NORMATIVA 2. ATOS DO DIRETOR-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA DE 7 DE MARÇO DE 2010 O DIRETOR-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2015. 2B EDITAL Nº 03

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2015. 2B EDITAL Nº 03 ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2015. 2B EDITAL Nº 03 Recife,2015 Sumário Edital nº 03 - Admissão de alunos para os cursos de Pós-Graduação A Devry João Pessoa, estabelecimento de ensino superior,

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 031/2015 24/05/2015

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 031/2015 24/05/2015 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 031/2015 24/05/2015 O SESI Serviço Social da Indústria torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas, observados os requisitos mínimos

Leia mais

EDITAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA INSTITUCIONAIS A SEREM DESENVOLVIDOS NOS CAMPI DO SISTEMA CEFET/RJ EDITAL APP-CAMPI 2014

EDITAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA INSTITUCIONAIS A SEREM DESENVOLVIDOS NOS CAMPI DO SISTEMA CEFET/RJ EDITAL APP-CAMPI 2014 EDITAL DE APOIO A PROJETOS DE PESQUISA INSTITUCIONAIS A SEREM DESENVOLVIDOS NOS CAMPI DO SISTEMA CEFET/RJ 1. INFORMAÇÕES GERAIS EDITAL APP-CAMPI 2014 A Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação (DIPPG) e o

Leia mais

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2016. 1B EDITAL Nº 05

ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2016. 1B EDITAL Nº 05 ADMISSÃO PARA OS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO 2016. 1B EDITAL Nº 05 João Pessoa, 2016 Sumário Edital nº 04 - Admissão de alunos para os cursos de Pós-Graduação A Devry João Pessoa, estabelecimento de ensino

Leia mais

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon Metodologias de PETI Prof. Marlon Marcon PETI O PETI é composto de: Planejamento Estratégico da organização, que combina os objetivos e recursos da organização com seus mercados em processo de transformação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Votorantim

Prefeitura Municipal de Votorantim PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 013/2016 PROJETO DE LEI ORDINÁRIA N.º 006/2016 Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2017 e dá outras providências. ERINALDO ALVES DA SILVA, PREFEITO

Leia mais

Processo de Seleção de Tutores para Vagas Remanescentes do Curso de Especialização em Gestão em Saúde, na modalidade a Distância

Processo de Seleção de Tutores para Vagas Remanescentes do Curso de Especialização em Gestão em Saúde, na modalidade a Distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL/UAB NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DECRETO 5.800/2006 Res. 012/2008 CONSU Resolução CD/FNDE Nº 26/2009,

Leia mais

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MARKETING

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MARKETING UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES PROCESSO SELETIVO DOUTORADO - TURMA 2011 VERSÃO

Leia mais

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento Produtos SOIA FAQ e Treinamento 2 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001 DE 02 DE JANEIRO DE 2014.

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001 DE 02 DE JANEIRO DE 2014. EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001 DE 02 DE JANEIRO DE 2014. atribuições; O PREFEITO MUNICIPAL DE FRAIBURGO, Estado de Santa Catarina, no uso de suas FAZ SABER: Encontram-se

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

1.8. Correspondência eletrônica dirigida ao Polo 46 do MNPEF deve ser endereçada a: aclm@df.ufpe.br, mnpef.caa@ufpe.br

1.8. Correspondência eletrônica dirigida ao Polo 46 do MNPEF deve ser endereçada a: aclm@df.ufpe.br, mnpef.caa@ufpe.br Universidade Federal de Pernambuco Centro acadêmico do Agreste Núcleo Interdisciplinar de Ciências Exatas e Inovação Tecnológica Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física [POLO 46 UFPE/CARUARU] EDITAL

Leia mais

Soluções Inovadoras. FlyFlex. Fly Solution

Soluções Inovadoras. FlyFlex. Fly Solution Soluções Inovadoras FlyFlex Versão 1.00 Fly Solution O Software FlyFlex 1.00 FlyFlex é um software desenvolvido pela empresa Fly Solution para atender a necessidade de gestão de negócios de pequenas e

Leia mais

DECRETO nº 2.303/2012

DECRETO nº 2.303/2012 Prefeitura Municipal de Fontoura Xavier RS. Município criado em 09.07.1965 Lei Federal nº 4974/65 CNPJ nº 87612768/0001-02 Fone Fax (0xx)54.389.1511 e (0xx)54.389.1122 Av. 25 de Abril, 920 Fontoura Xavier

Leia mais

PRÊMIO SER HUMANO ABRH/MA REGULAMENTO 2016 MODALIDADE: GESTÃO DE PESSOAS / ORGANIZAÇÃO

PRÊMIO SER HUMANO ABRH/MA REGULAMENTO 2016 MODALIDADE: GESTÃO DE PESSOAS / ORGANIZAÇÃO Página 1 A. OBJETIVO A.1. O Prêmio Ser Humano ABRH/MA - Modalidade Gestão de Pessoas - Organização, premia os cases ou projetos implantados em organizações, relativos à gestão ou desenvolvimento dos seres

Leia mais

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES Este regulamento contém as regras aplicáveis ao Hackathon Kimberly-Clark Edição Huggies ( Evento ), promovida pela KIMBERLY-CLARK BRASIL INDÚSTRIA E

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO - CGE/MT

ESTADO DE MATO GROSSO CONTROLADORIA-GERAL DO ESTADO - CGE/MT Orientação Técnica 0002/2015 UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: TODAS AS UNIDADES ORÇAMENTÁRIAS INTERESSADO: C/ CÓPIA: ASSUNTO: SECRETÁRIOS DE ESTADO E PRESIDENTES DE AUTARQUIAS,FUNDAÇÕES, EMPRESAS E DEMAIS ENTIDADES

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel SÃO MIGUEL DO OESTE, JUNHO DE 2015. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SULCREDI SÃO MIGUEL 1 ABRANGÊNCIA Esta política orienta o

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 11 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB

REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB MANUAL DE PROCEDIMENTO 2013 REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB Artigo Assunto Página 1 Definições... 225 2 Conselho diretor... 225 3 Eleições e mandatos... 225 4 Deveres do conselho diretor...

Leia mais

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular.

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular. DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO - DETRAN/PB Portaria nº 496/2014-DS João Pessoa, 15 de setembro de 2014. (Publicada no Diário Oficial de 19 de setembro de 2014) Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório

Leia mais

COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH/SES G RUPO DE G ESTÃO DE P ESSOAS NÚCLEO DE SUPORTE À G ESTÃO DE PESSOAS

COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS CRH/SES G RUPO DE G ESTÃO DE P ESSOAS NÚCLEO DE SUPORTE À G ESTÃO DE PESSOAS UNIDADE CENTRAL DE RECURSOS HUMANOS Edital de Abertura de Inscrições Nº 01/2009 CONCURSO DE PROMOÇÃO A Unidade Central de Recursos Humanos, no uso de sua competência atribuída pelo artigo 6º, do Decreto

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração.

CARTA CONVITE Nº 012/2014. Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração. Santos, 17 de outubro de 2014. CARTA CONVITE Nº 012/2014 Confecção, aplicação e instalação de comunicação visual da nova exposição de média duração Museu do Café O Instituto de Preservação e Difusão da

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ODEON CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ODEON CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ODEON CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento tem por objetivo definir os critérios e as condições a serem observados pelo INSTITUTO

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Mangaratiba Gabinete do Prefeito

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Mangaratiba Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 3442, DE 07 OUTUBRO DE 2015. ESTABELECE NORMAS PARA O REQUERIMENTO DE LICENÇA TEMPORÁRIA PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS EM GERAL, NO MUNICÍPIO DE MANGARATIBA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO

Leia mais

SUBGERÊNCIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO

SUBGERÊNCIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS GDP SUBGERÊNCIA DE GESTÃO DE DESEMPENHO REITOR Prof. Lourisvaldo Valentim da Silva VICE-REITORA Profa. Adriana dos Santos Marmori Lima PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2014 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através de concurso, vai conceder apoio à organização

Leia mais

mercado de cartões de crédito, envolvendo um histórico desde o surgimento do produto, os agentes envolvidos e a forma de operação do produto, a

mercado de cartões de crédito, envolvendo um histórico desde o surgimento do produto, os agentes envolvidos e a forma de operação do produto, a 16 1 Introdução Este trabalho visa apresentar o serviço oferecido pelas administradoras de cartões de crédito relacionado ao produto; propor um produto cartão de crédito calcado na definição, classificação

Leia mais