CALCULADORA SIMPLES COM ULA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CALCULADORA SIMPLES COM ULA"

Transcrição

1 CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2012 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam operações aritméticas básicas. A parte experimental inclui o projeto de uma calculadora simples que executa as operações de soma e subtração, além de multiplicação e divisão por 2 para valores em complemento de dois, utilizando o circuito integrado (ULA de 4 bits). 1. PARTE TEÓRICA 1.1. Soma / Subtração Usando Complemento de Dois Sabe-se que numa operação aritmética em complemento de dois, não se corrige o resultado como no caso da notação em complemento de um. É necessário, porém, somar-se 1 ao complemento bit a bit do número: (Complemento de 2) = (Complemento de 1) + 1. Numa subtração, portanto, costuma-se forçar um vem-um na coluna de bits menos significativos dos operandos: Exemplos: 7-3 = = -2 1 vem-um forçado 1 vem-um forçado (complemento de 1) (complemento de 1) (complemento de 2) Numa soma de dois números de mesmo sinal (positivos ou negativos), a complementação não é necessária e, portanto, não há vem-um forçado. Exemplo: -2 + (-3) = (complemento de 2) (complemento de 2) (complemento de 2) A figura 1.1 mostra um circuito de soma/subtração em complemento de 2 usando um somador binário. 1 Esta experiência foi baseada nas experiências Somadores binários e Calculadora Simples, desenvolvidas para o Laboratório Digital. Calculadora Simples com ULA (2012) 1

2 X Y ou Y' 4 4 SUBTR = Figura Circuito de Soma / Subtração em Complemento de 2 com somador binário Multiplicação e Divisão S As operações de multiplicação e divisão podem ser implementadas em um circuito digital através de um processo iterativo que envolve diversos passos computacionais (Midorikawa, 2004) (Tocci & Widmer, 2007). Por exemplo, a figura 1.2 abaixo ilustra um exemplo de multiplicação multiplicando multiplicador 0000 valor inicial do produto parcial soma multiplicando, bit do multiplicador é desloca para a direita soma multiplicando, bit do multiplicador é desloca para a direita só desloca para a direita, bit do multiplicador é soma multiplicando, bit do multiplicador é desloca para a direita produto Figura 1.2 Exemplo de Multiplicação Binária. Embora estas operações sejam complexas, certas situações podem levar a simplificações no circuito digital que as implementa. Uma destas situações é a da divisão por dois, onde, no caso de números positivos sem sinal, a operação pode ser implementada apenas por um deslocamento de bits de uma posição à direita. Exemplos: 6 / 2 = 3 5 / 2 = desloca à direita de uma posição desloca à direita de uma posição O mesmo pode ser aplicado para a multiplicação de números inteiros positivos por dois, onde esta operação pode facilmente ser implementada com um deslocamento de bits de uma posição à esquerda. Calculadora Simples com ULA (2012) 2

3 1.3. Unidade Lógica e Aritmética (ULA) A Unidade Lógica e Aritmética (ULA) é um circuito combinatório responsável pela execução de somas, subtrações e funções lógicas, em um sistema digital. Na figura 1.3 é mostrado um esquema simplificado de uma ULA. A B S F Figura Esquema Simplificado de uma ULA. A operação que deve ser executada com os dados (A e B) é determinada pelos sinais de controle (S) e o resultado é obtido na saída (F). A complexidade da ULA é proporcional à complexidade do sistema em que será utilizada; assim, sistemas simples permitem ULAs simples, e sistemas sofisticados exigem ULAs sofisticadas. Uma vez estabelecido o porte do sistema, existe também o compromisso entre velocidade e preço. Por exemplo, as calculadoras eletrônicas exigem ULAs que permitem operações complexas, porém com velocidade de operação baixa, reduzindo-se o custo; já os computadores de grande porte exigem velocidade de operação elevada, aumentando o custo da ULA. Atualmente têm-se várias alternativas de circuitos integrados que incluem uma ULA. Entre elas estão o 74181, e 74LS881. A seguir será apresentada uma descrição de uma ULA integrada, o circuito integrado Circuito Integrado uma ULA de 4 bits O circuito integrado MSI é uma ULA de 4 bits que tem possibilidade de executar 16 operações aritméticas binárias e 16 operações lógicas. A figura 1.4 apresenta um diagrama simplificado deste circuito integrado. M A 3 A 2 A 1 S 3 S 2 S 1 S 0 Cn F3 F2 F1 A 0 B3 B2 B1 B F0 G T A = B C n+4 Figura Diagrama Simplificado da ULA As tabelas I e II a seguir apresentam a descrição dos pinos e as operações da ULA. Calculadora Simples com ULA (2012) 3

4 Tabela I - Descrição dos pinos da ULA Pinos Tipo Descrição A 0 a A 3 e B 0 a B 3 Entrada Dados C n Entrada Bit de "vem um" S 0 a S 3 Entrada Seleção da operação Modo de operação: M Entrada M=0 - para operações aritméticas M=1 - para operações lógicas F 0 a F 3 Saída Dados (resultado) C n+4 Saída Bit de "vai-um" G e T Saídas Utilizadas para expansão utilizando carry look-ahead A=B Saída Indica igualdade das duas entradas Tabela II - Sinais e Operações da ULA Seleção Funções Funções Aritméticas ( M = 0 ) Lógicas S 3 S 2 S 1 S 0 ( M = 1 ) C n = 1 (sem carry) C n = 0 (com carry) F = A F = A F = A F = (AORB) F = A OR B F = (A OR B) F = A B F = AORB F = AORB F = 0 F = -1 (*) F = F = A.B F = A + A B F = A + A B F = B F = (A OR B) + A B F = (A OR B) + A B F = A B F = A - B - 1 F = A - B F = A B F = A B- 1 F = A B F = AORB F = A + A.B F = A + A.B F = (A B) F = A + B F = A + B F = B F = AORB+ A. B F = AORB+ A. B F = A. B F = A. B - 1 F = A. B F = 1 F = A + A F = A + A F = AORB F = (A OR B) + A F = (A OR B) + A F = A OR B F = AORB+ A F = AORB+ A F = A F = A - 1 F = A * (-1) 10 é representado por (1111) 2 em C2. As saídas G e T são os sinais "gerador de vai-um", correspondentes ao bit mais significativo e, utilizandose o circuito integrado 74182, look-ahead carry generator, permitem a expansão da largura da palavra a ser manipulada. Calculadora Simples com ULA (2012) 4

5 As operações de subtração são executadas em complemento de dois (C2). Por exemplo, (-1) é representado por (1111). As operações lógicas são executadas bit a bit. Por exemplo, se a operação AND é aplicada às entradas A = 1011 e B = 0110, resulta F = O resultado de uma operação de comparação é apresentado na saída A = B. Para tanto, deve-se executar a operação A - B - 1 com C n = 1; se as duas entradas são iguais, a saída A = B toma o valor 1. Esta saída tem a configuração open-colector para que seja possível implementar uma função wired-and dentre duas ou mais saídas deste tipo pertencentes a diferentes ULAs, quando se deseja expandir a largura da palavra a ser manipulada. A saída C n+4 representa o sinal de vai-um do último bit da palavra. Ela pode ser usada para propagar o vai-um para o próximo estágio quando não há preocupação com a velocidade do circuito. O sinal C n+4 também pode ser usado em conjunto com a saída A = B para indicar as condições A>B e A<B. OBSERVAÇÃO: Na realidade, em se tratando de um circuito combinatório, a ULA pode trabalhar com operandos representados em lógica positiva ou negativa. A Tabela II acima mostra o significado dos bits de seleção de operações quando se considera o uso de lógica positiva. Consulte o manual (datasheet) do componente para o caso do uso de lógica negativa. Calculadora Simples com ULA (2012) 5

6 2. PARTE EXPERIMENTAL 2.1. Especificação do Projeto Projetar o circuito da Calculadora Simples com ULA, onde a figura 2.1 ilustra os sinais de entrada e saída do circuito. D 3 D 2 D 1 D 0 I 2 I 1 I 0 Execute Calculadora Simples com ULA S 3 S 2 S 1 S 0 Figura 2.1 Circuito da Calculadora Simples com ULA. O circuito deve realizar uma função, determinada pela entrada I (3 bits), sobre o dado de entrada D de 4 bits e o conteúdo do registrador interno A de 4 bits. A tabela 2.1 apresenta as funções a serem implementadas. O resultado deve ser armazenado em A apenas no acionamento do sinal EXECUTE. O circuito da Calculadora Simples com ULA deve trabalhar com valores de 4 bits em notação de complemento de dois. Tabela 2.1 Tabela de funções da Calculadora Simples com ULA. Código I 2 I 1 I 0 Função Soma (A A+D) 1 Subtração (A A-D) 0 Multiplicação por 2 (A A 2) 1 Divisão por 2 (A A 2) 0 Carga de valor (A D) 1 Reset (A 0) 0 Reservado 1 Reservado Para o projeto do circuito devem ser usados componentes básicos como portas lógicas, decodificadores, multiplexadores, somadores binários, registradores, deslocadores e flip-flops Montagem e Depuração do Circuito Nesta etapa, o grupo deve planejar os procedimentos de montagem modular, testes e depuração dos módulos do circuito da Calculadora Simples com ULA. a) A montagem deve ser realizada e testes iniciais devem ser planejados pelo grupo. b) O grupo deve propor um roteiro para a demonstração do correto funcionamento deste circuito. Calculadora Simples com ULA (2012) 6

7 2.3. Programas de Teste do Circuito Completo Agora o grupo deve desenvolver programas para realizar algumas computações abaixo. c) Executar a seguinte sequência de instruções: RESET CARGA 6 em A Subtrai Divide por 2 Qual deve ser o resultado final em A após a execução desta sequência? d) Desenvolver um plano de execução para os seguintes cálculos: i. F = (A + B) - C ii. F = ((A * 2) B) + C iii. F = (A + B C) / 2 e) Elaborar uma tabela contendo todos os sinais que devem ser ativados para a execução de cada plano. f) Executar cada plano para pelo menos um conjunto de valores positivos e negativos. Perguntas: 1. Explique como a operação de multiplicação por 2 poderia ser implementado usando a ULA. 2. Mostre como outras operações (p.ex. operações lógicas) poderiam ser acrescentadas no circuito. 3. Como seria o projeto do circuito da Calculadora se ao invés de uma ULA, fosse usado um somador binário? 3. BIBLIOGRAFIA FREGNI, Edson e SARAIVA, Antonio M. Engenharia do Projeto Lógico Digital: Conceitos e Prática. Editora Edgard Blucher Ltda, WAKERLY, John F. Digital Design Principles & Practices. 4 th edition, Prentice Hall, Fairchild Semiconductor. TTL Data Book. Mountain View, California, MIDORIKAWA, E. T. Multiplicador binário. Apostila de Laboratório Digital, versão de PCS/EPUSP. Somadores binários. Apostila de Laboratório Digital, PCS/EPUSP. Calculadora simples. Apostila de Laboratório Digital, Texas Instruments. TTL Logic Data Book, TOCCI, R. J.; WIDMER, N. S.; MOSS, G. L. Digital Systems: principles and applications. 11th ed., Prentice-Hall, MATERIAL DISPONÍVEL Circuitos Integrados TTL: 7400 portas NAND de 2 entradas 7402 portas NOR de 2 entradas 7404 portas inversoras 7408 portas AND de 2 entradas 7410 portas NAND de 3 entradas 7420 portas NAND de 4 entradas 7474 flip-flops tipo D 7486 portas XOR multiplexadores de 2 para registrador de 4 bits ULA de 4 bits contador síncrono up/down de 4 bits registrador deslocador bidirecional de 4 bits registrador deslocador de 4 bits Calculadora Simples com ULA (2012) 7

8 5. EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS 1 painel de montagens experimentais. 1 fonte de alimentação fixa, 5V ± 5%, 4A. 1 osciloscópio digital. 1 multímetro digital. 1 gerador de pulsos. Histórico de Revisões E.T.M./2003 revisão e adaptação. M.D.M. e E.T.M./2005 revisão. E.T.M./2008 revisão. E.T.M./2012 versão inicial com ULA. Calculadora Simples com ULA (2012) 8

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2013 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais

CONTROLE DE UM SERVO MOTOR

CONTROLE DE UM SERVO MOTOR CONTROLE DE UM SERVO MOTOR Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização e o projeto de um circuito de controle simples de um servo motor. A parte experimental inclui atividades

Leia mais

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS GERADOR DE SINAIS E.T.M./2007 (adaptação) E.T.M./2011 (revisão) RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com o problema da conversão de sinais digitalizados em sinais analógicos, o conversor

Leia mais

Sistema de Aquisição de Dados

Sistema de Aquisição de Dados Sistema de Aquisição de Dados Versão 2013 RESUMO Nesta experiência será desenvolvido o projeto de um sistema de aquisição e armazenamento de dados analógicos em formato digital. O sinal de um sensor de

Leia mais

Somadores Binários E.T.M./2005 (revisão)

Somadores Binários E.T.M./2005 (revisão) Somadores Binários E.T.M./2005 (revisão) RESUMO Esta experiência tem por objetivo a familiarização com somadores binários, notadamente os paralelos, que realizam a soma simultânea de todos os bits de dois

Leia mais

Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento

Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento 1 2 3 Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento digital - (Sistemas Digitais: Princípios e Aplicações

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays Versão 202 RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre displays ou mostradores. São discutidas as formas de multiplexá-los de modo a reduzir a quantidade

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays D.T. e J.R.B./200 (revisão) E.T.M./2003 (revisão da parte experimental) E.T.M./200 (revisão) E.T.M./2006 (revisão) RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre

Leia mais

Circuitos Digitais Cap. 5

Circuitos Digitais Cap. 5 Circuitos Digitais Cap. 5 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Objetivos Aritmética Digital Adição Binária Subtração Binária Representação de números com sinal Complemento de 2 Negação Subtração como soma

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IFSC - Campus São José. CST em Telecomunicações ELETRÔNICA DIGITAL CONTADORES. Marcos Moecke

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IFSC - Campus São José. CST em Telecomunicações ELETRÔNICA DIGITAL CONTADORES. Marcos Moecke MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO IFSC - Campus São José CST em Telecomunicações ELETRÔNICA DIGITAL CONTADORES Marcos Moecke São José - SC, 29 SUMÁRIO 5. CONTADORES... 5. CONTADORES ASSÍNCRONOS 5. C 5.2 C ASSÍNCRONOS......

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DA DISCIPLINA 1 2 Curso: Engenharia Elétrica Código: 20 3 4 Modalidade(s): Bacharelado Currículo(s): 2005/1 5 Turno(s):

Leia mais

Experimento 06 Unidade Aritmética

Experimento 06 Unidade Aritmética Murilo Soares Pereira, RA: 298468 Pedro Henrique de Freitas, RA: 321443 Experimento 06 Unidade Aritmética Prof. Takashi Utsonomiya Universidade Federal de São Carlos São Carlos - SP Sumário 3 1 Resumo

Leia mais

5º Experimento: Somador Binário de números com sinal

5º Experimento: Somador Binário de números com sinal Capítulo 1 5º Experimento: Somador Binário de números com sinal 1.1 Objetivos Usar uma porta XOR de duas entradas para realizar a função unária de negação. Usar um somador binário para somar números sem

Leia mais

ROTEIRO DE LABORATÓRIO

ROTEIRO DE LABORATÓRIO ROTEIRO DE LABORATÓRIO Laboratório 47 48 Laboratório Laboratório 49 ÍNDICE. ORIENTAÇÕES GERAIS, 5. PARA O PROFESSOR, 5. PARA O ALUNO, 5. TIPOS DE LABORATÓRIO,6.. Tipo Hardware, 6 Dispositivos para as Entradas,

Leia mais

Experimento 03 Circuito Decodificador e Multiplex

Experimento 03 Circuito Decodificador e Multiplex Murilo Soares Pereira, RA: 298468 Pedro Henrique de Freitas, RA: 321443 Experimento 03 Circuito Decodificador e Multiplex Prof. Takashi Utsonomiya Universidade Federal de São Carlos São Carlos - SP Sumário

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Displays

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Displays Displays Versão 2015 1. Displays em Circuitos Digitais É inegável a importância de displays, pois são muito utilizados nos mais variados equipamentos de todas as áreas, como por exemplo, de instrumentação

Leia mais

MÓDULO N.º 1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO HORAS / TEMPOS CONTEÚDOS OBJETIVOS AVALIAÇÃO

MÓDULO N.º 1 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO HORAS / TEMPOS CONTEÚDOS OBJETIVOS AVALIAÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011 CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS SISTEMAS DIGITAIS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES 10º 12 PLANIFICAÇÃO MODULAR MÓDULO N.º 1

Leia mais

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Agosto/2004 V2 INTRODUÇÃO Este guia foi preparado para auxilio às aulas de laboratório para o curso de Engenharia

Leia mais

CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL

CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL CAPÍTULO 6 ARITMÉTICA DIGITAL Introdução Números decimais Números binários positivos Adição Binária Números negativos Extensão do bit de sinal Adição e Subtração Overflow Aritmético Circuitos Aritméticos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DEE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DEE P L A N O D E E N S I N O DEPARTAMENTO: Engenharia Elétrica DISCIPLINA: Eletrônica Digital SIGLA: ELD0001 PRÉ-REQUISITOS: ALB0001 CARGA HORÁRIA TOTAL: 108 h/aula TEORIA: 72 h/aula PRÁTICA: 36 h/aula CURSO:

Leia mais

A Figura 1 mostra uma organização do NEANDER com uma UAL de 6 funções. Figura 1: Organização para o NEANDER.

A Figura 1 mostra uma organização do NEANDER com uma UAL de 6 funções. Figura 1: Organização para o NEANDER. Disciplina: Arquitetura de Computadores Turma: 3CC Data: 18/12/12 Nota: Professor: Renato E. N. de Moraes Semestre: 2012-2 Valor: 2,0 pt Aluno: Trabalho 01 - Projeto Neander O computador NEANDER foi criado

Leia mais

Aritmética Binária e. Bernardo Nunes Gonçalves

Aritmética Binária e. Bernardo Nunes Gonçalves Aritmética Binária e Complemento a Base Bernardo Nunes Gonçalves Sumário Soma e multiplicação binária Subtração e divisão binária Representação com sinal Sinal e magnitude Complemento a base. Adição binária

Leia mais

Disciplina: : ELETRÔNICA DIGITAL

Disciplina: : ELETRÔNICA DIGITAL Disciplina: : ELETRÔNICA DIGITAL Professor: Júlio César Madureira Silva Julho 2011 1 Ementa: 1. Sistemas de numeração Numeração decimal Numeração binária Numeração octal Numeração

Leia mais

Introdução. A Informação e sua Representação (Parte III) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação

Introdução. A Informação e sua Representação (Parte III) Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Introdução à Computação A Informação e sua Representação (Parte III) Prof.a Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo joseana@computacao.ufcg.edu.br

Leia mais

ULA- Unidade Lógica Aritmética. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h

ULA- Unidade Lógica Aritmética. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara. Carga Horária: 60h ULA- Unidade Lógica Aritmética. Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 60h Sumário Unidade Lógica Aritmetrica Registradores Unidade Lógica Operações da ULA Unidade de Ponto Flutuante Representação

Leia mais

ANO LETIVO 2015 / 2016

ANO LETIVO 2015 / 2016 1 30 40 21-9-2015 03-11-2015 Sistemas de Numeração Conhecer a estrutura de um Sistema de Numeração e os principais Sistemas de Numeração Efetuar a conversão de números entre os vários sistemas de numeração.

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Frequencímetro

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Frequencímetro Frequencímetro Versão 2012 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com duas classes de componentes: os contadores e os registradores. Para isto, serão apresentados alguns exemplos de

Leia mais

ULA Sinais de Controle enviados pela UC

ULA Sinais de Controle enviados pela UC Solução - Exercícios Processadores 1- Qual as funções da Unidade Aritmética e Lógica (ULA)? A ULA é o dispositivo da CPU que executa operações tais como: Adição Subtração Multiplicação Divisão Incremento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INF01118 - Técnicas Digitais para Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INF01118 - Técnicas Digitais para Computação UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INF01118 - Técnicas Digitais para Computação Prof. Fernanda Gusmão de Lima Kastensmidt (turmas DEF) Exercícios Área 2 Lembre-se que o

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays Versão 20 RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre displays ou mostradores. São discutidas as formas de multiplexá-los de modo a reduzir a quantidade de

Leia mais

CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL

CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL CONVESÃO ANALÓGICO-DIGITAL J..A./2001 (revisão) E.T.M./2004 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) ESUMO Esta experiência tem o objetivo de apresentar o processo de conversão de sinais analógicos para valores

Leia mais

Descrição de circuitos algebricamente, álgebra de Boole e circuitos lógicos, teorema de boole e De Morgan. Simplificação e projeto.

Descrição de circuitos algebricamente, álgebra de Boole e circuitos lógicos, teorema de boole e De Morgan. Simplificação e projeto. EMENTA: Ferramentas para simulação e projeto de sistemas digitais. Equipamentos e componentes para montagem de sistemas digitais. Equipamentos para mensuração e teste na implementação de sistemas digitais.

Leia mais

Portas lógicas e circuitos digitais. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007

Portas lógicas e circuitos digitais. Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Portas lógicas e circuitos digitais Sistemas da Computação Prof. Rossano Pablo Pinto, Msc. rossano at gmail com 2 semestre 2007 Tópicos Portas Circuito somador Circuito subtrator flip-flops (registradores)

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital SOMADORES DECIMAIS

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital SOMADORES DECIMAIS SOMADORES DECIMAIS Versão 2012 RESUMO Nesta experiência será estudado um circuito aritmético de soma decimal a partir dos somadores binários de 4 bits (por exemplo, o circuito integrado 74283). A parte

Leia mais

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros

Aula 04. Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Aula 04 Código BCD, Códigos Alfa-numéricos e Sistemas de Detecção de Erros Prof. Otávio Gomes otavio.gomes@ifmg.edu.br sites.google.com/a/ifmg.edu.br/otavio-gomes/ 1 Bytes A maioria dos microcomputadores

Leia mais

Eletrônica Digital para Instrumentação

Eletrônica Digital para Instrumentação G4 Eletrônica Digital para Instrumentação Prof. Márcio Portes de Albuquerque (mpa@cbpf.br) Prof. Herman P. Lima Jr (hlima@cbpf.br) Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Ministério da Ciência e Tecnologia

Leia mais

Projeto da Cálculadora Eletrônica

Projeto da Cálculadora Eletrônica UNIVESIDADE ESTADUAL DE FEIA DE SANTANA LOUIVAL OLIVEIA DA SILVA Projeto da Cálculadora Eletrônica Feira de Santana, 10 de unho de 2004 UNIVESIDADE ESTADUAL DE FEIA DE SANTANA LOUIVAL OLIVEIA DA SILVA

Leia mais

Marcos da Arquitetura de Computadores (1)

Marcos da Arquitetura de Computadores (1) Marcos da Arquitetura de Computadores (1) Marcos da Arquitetura de Computadores (2) Gerações de computadores Geração Zero Computadores Mecânicos (1642 1945) Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Segunda

Leia mais

Parte # 4 - Registradores e Contadores

Parte # 4 - Registradores e Contadores CEFET Departamento de Engenharia Elétrica - DEPEL GELE 7163 Eletrônica Digital Parte # 4 - Registradores e Contadores 1 GELE 7163 Eletrônica Digital 2 Referências : Notas de Aula. Mendonça, Alexandre e

Leia mais

Exemplo de Subtração Binária

Exemplo de Subtração Binária Exemplo de Subtração Binária Exercícios Converta para binário e efetue as seguintes operações: a) 37 10 30 10 b) 83 10 82 10 c) 63 8 34 8 d) 77 8 11 8 e) BB 16 AA 16 f) C43 16 195 16 3.5.3 Divisão binária:

Leia mais

Codificação 1. Introdução. C 2 R r {! + codificação

Codificação 1. Introdução. C 2 R r {! + codificação Codificação 1. Introdução A unidade básica de memória é o digito binário (bit). Para representar diferentes em memória é necessário que o bit armazene pelo menos 2 valores. A informação pode ser armazenada

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular Ficha da Unidade Curricular Curso: Engenharia Electrotécnica/Informática Ano Lectivo: 2010/11 Unidade Curr.: Sistemas Digitais Ano Curricular: 1 Créditos: 6 Responsável: João Paulo Coelho Regime: Anual

Leia mais

Aula 8 Circuitos Integrados

Aula 8 Circuitos Integrados INTRODUÇÃO À ENGENHRI DE COMPUTÇÃO PONTIFÍCI UNIVERSIDDE CTÓLIC DO RIO GRNDE DO SUL FCULDDE DE ENGENHRI ula Circuitos Integrados Introdução Portas Lógicas em Circuitos Integrados Implementação de Funções

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Circuitos Digitais - ECA. Prof. Dr. Fabian Vargas.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Circuitos Digitais - ECA. Prof. Dr. Fabian Vargas. Prof. Dr. Fabian Vargas Índice 1. Portas Lógicas 1.1 Introdução 1.2 Diagramas de Tempo 1.3 Análise Booleana de Circuitos Lógicos Básicos 2. Circuitos Combinacionais 2.1. Introdução aos Circuitos Combinacionais

Leia mais

Organização Básica do Computador

Organização Básica do Computador Organização Básica do Computador Modelo de Von Neumann MEMÓRIA ENTRADA ARITMÉTICA LÓGICA SAÍDA CONTROLE Modelo de Von Neumann Introduziu o conceito do computador controlado por programa armazenado. Todo

Leia mais

Circuitos Digitais Cap. 6

Circuitos Digitais Cap. 6 Circuitos Digitais Cap. 6 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Objetivos Flip-Flops e Dispositivos Correlatos Latch com portas NAND Latch com portas NOR Sinais de Clock e Flip-Flops com Clock Flip-Flop S-C

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE UMA UCP HIPOTÉTICA M++ INTRODUÇÃO

CONSTRUÇÃO DE UMA UCP HIPOTÉTICA M++ INTRODUÇÃO CONSTRUÇÃO DE UMA UCP HIPOTÉTICA M++ INTRODUÇÃO O seguinte artigo apresenta uma UCP hipotética construída no software simulador DEMOWARE Digital Works 3.04.39. A UCP (Unidade Central de Processamento)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CEFET/SC - Unidade de São José. Curso Técnico em Telecomunicações CONTADORES. Marcos Moecke

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CEFET/SC - Unidade de São José. Curso Técnico em Telecomunicações CONTADORES. Marcos Moecke MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - Unidade de São José Curso Técnico em Telecomunicações CONTADORES Marcos Moecke São José - SC, 25 SUMÁRIO 5. CONTADORES... 5. CONTADORES ASSÍNCRONOS... CONTADOR ASSÍNCRONO CRESCENTE...

Leia mais

Circuitos Sequenciais. Sistemas digitais

Circuitos Sequenciais. Sistemas digitais Circuitos Sequenciais Sistemas digitais Agenda } Introdução } Latchs (trava) } Latch NAND e Latch NOR } Flip-Flop Set-Reset (FF S-R) } FF S-R Latch NAND, FF S-R Latch NOR, FF S-R Latch NAND com Clock }

Leia mais

Capítulo VIII Registradores de Deslocamento e Contadores

Capítulo VIII Registradores de Deslocamento e Contadores Capítulo VIII Registradores de Deslocamento e Contadores 1 Introdução Vimos no capítulo anterior que flip-flops são dispositivos capazes de memorizar o seu estado (SET ou RESET). Neste capítulo estudaremos

Leia mais

SISTEMAS DIGITAIS CIRCUITOS COMBINATÓRIOS TÍPICOS

SISTEMAS DIGITAIS CIRCUITOS COMBINATÓRIOS TÍPICOS CIRCUITOS COMBINATÓRIOS TÍPICOS Setembro de CIRCUITOS COMBINATÓRIOS TÍPICOS - SUMÁRIO: DESCODIFICADORES CODIFICADORES MULTIPLEXERS DEMULTIPLEXERS SOMADORES / SUBTRACTORES COMPARADORES Setembro de CIRCUITOS

Leia mais

Sistemas de Numeração. Engenharia da Computação 3 Período Alex Vidigal Bastos

Sistemas de Numeração. Engenharia da Computação 3 Período Alex Vidigal Bastos UNIPAC Sistemas Digitais Sistemas de Numeração Engenharia da Computação 3 Período Alex Vidigal Bastos 1 Agenda Objetivos Introdução Sistema Binário Sistema Octal Sistema Hexadecimal Aritméticas no Sistema

Leia mais

Unidade Central de Processamento

Unidade Central de Processamento Unidade Central de Processamento heloar.alves@gmail.com Site: heloina.com.br 1 CPU A Unidade Central de Processamento (UCP) ou CPU (Central Processing Unit), também conhecida como processador, é responsável

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva

Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva Arquitetura de Computadores Introdução Ivan Saraiva Silva Sumário Introdução Bibliografia Recomendada O que é um computador Organização de um Computador Modelo de Von Neumann IAS Máquina de Von Neuman

Leia mais

Um circuito comparador permite determinar se dois números binários são iguais, e não o sendo, qual deles é o maior.

Um circuito comparador permite determinar se dois números binários são iguais, e não o sendo, qual deles é o maior. Circuitos comparadores ESTV-ESI-Sistemas Digitais-Circuitos MSI e LSI (2) 1/11 Um circuito comparador permite determinar se dois números binários são iguais, e não o sendo, qual deles é o maior. Comparador

Leia mais

Sistemas de Numeração

Sistemas de Numeração Arquitectura de Computadores I Engenharia Informática (11537) Tecnologias e Sistemas de Informação (6616) Sistemas de Numeração Nuno Pombo / Miguel Neto Arquitectura Computadores I 2014/2015 1 Conversão

Leia mais

Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e Organização de Memória

Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e Organização de Memória Introdução Arquitetura de Computadores Circuitos Combinacionais, Circuitos Sequênciais e O Nível de lógica digital é o nível mais baixo da Arquitetura. Responsável pela interpretação de instruções do nível

Leia mais

Eletrônica Digital 1 Módulo1 Capítulo 1 Sistemas Numéricos. Prof. Nilton Costa Junior

Eletrônica Digital 1 Módulo1 Capítulo 1 Sistemas Numéricos. Prof. Nilton Costa Junior Eletrônica Digital 1 Módulo1 Capítulo 1 Sistemas Numéricos Prof. Nilton Costa Junior Sistemas Numéricos Existem vários sistemas numéricos: Decimal Binário Octal Hexadecimal Sistema Decimal representado

Leia mais

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: RGM: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS O objetivo desse projeto extra é aplicar os conceitos vistos em aula

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS

CARACTERIZAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS CARACTERIZAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS Versão 2012 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um estudo dos elementos básicos do nosso universo de trabalho, ou seja, as portas lógicas. Para isto serão efetuados

Leia mais

Flip-Flops. Slide 1. Flip-flop NOR SR cruzado. Reiniciar Configurar Reter Não usado. Flip-flop NAND SR cruzado. Reiniciar Configurar Reter Não usado

Flip-Flops. Slide 1. Flip-flop NOR SR cruzado. Reiniciar Configurar Reter Não usado. Flip-flop NAND SR cruzado. Reiniciar Configurar Reter Não usado Slide 1 Flip-flop NOR SR cruzado Flip-Flops Reiniciar Configurar Reiniciar Configurar Reter Não usado Flip-flop NAND SR cruzado Reiniciar Configurar Reiniciar Configurar Reter Não usado 6.071 Lógica Digital

Leia mais

Aula 6 Aritmética Computacional

Aula 6 Aritmética Computacional Aula 6 Aritmética Computacional Introdução à Computação ADS - IFBA Representação de Números Inteiros Vírgula fixa (Fixed Point) Ponto Flutuante Para todos, a quantidade de valores possíveis depende do

Leia mais

Palavras- chave: Unidade lógico-aritmética.cmos. VLSI. Circuito integrado.

Palavras- chave: Unidade lógico-aritmética.cmos. VLSI. Circuito integrado. unidade LÓGICO-ARITMÉTICA COM ARQuITETuRA RISC DE 8 BITS PROJETADA NA TECNOLOGIA CMOS 350NM PARA APLICAÇÃO NA EDuCAÇÃO, NA ENGENhARIA E NA CIÊNCIA DA COMPuTAÇÃO Alexandre Maniçoba de Oliveira 1 héctor

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: ICO Aula N : 09 Tema: Unidade Central de

Leia mais

Operações aritméticas

Operações aritméticas Circuitos Lógicos Operações aritméticas Prof.: Daniel D. Silveira Horário: 4a.f e 6a.f de 10h às 12h 1 Adição binária A soma binária ocorre da mesma forma que a decimal:» A operação sobre os dígitos na

Leia mais

Conversor Analógico /Digital

Conversor Analógico /Digital O que é: Um sistema eletrônico que recebe uma tensão analógica em sua entrada e converte essa tensão para um valor digital em sua saída. Processo de conversão Consiste basicamente em aplicar uma informação

Leia mais

3. Arquitetura Básica do Computador

3. Arquitetura Básica do Computador 3. Arquitetura Básica do Computador 3.1. Modelo de Von Neumann Dar-me-eis um grão de trigo pela primeira casa do tabuleiro; dois pela segunda, quatro pela terceira, oito pela quarta, e assim dobrando sucessivamente,

Leia mais

Conceitos básicos do

Conceitos básicos do Conceitos básicos Conceitos básicos do Este artigo descreve os conceitos de memória eletrônica. Apresentar os conceitos básicos dos flip-flops tipo RS, JK, D e T, D Apresentar o conceito da análise de

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Sistema Binário Hardware de Computadores O sistema binário é um sistema de numeração posicional em que todas as quantidades são representadas, utilizando-se como base as cifras: zero e um (0 e 1). Os computadores

Leia mais

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO:

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: RGM: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADOR SÍNCRONO O objetivo desse projeto extra é aplicar os conceitos vistos em aula teórica

Leia mais

CIRCUITOS COM COMPONENTES DISCRETOS

CIRCUITOS COM COMPONENTES DISCRETOS IRUITOS OM OMPONENTES DISRETOS D.T. e J.R../2001 (revisão) E.T.M./2003 (revisão da parte experimental) E.T.M./2004 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) RESUMO Nesta experiência são apresentados circuitos com

Leia mais

Caracterização de Portas Lógicas

Caracterização de Portas Lógicas Caracterização de Portas Lógicas Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um estudo dos elementos básicos do nosso universo de trabalho, ou seja, as portas lógicas. Para isto serão efetuados

Leia mais

Componentes do Computador e. aula 3. Profa. Débora Matos

Componentes do Computador e. aula 3. Profa. Débora Matos Componentes do Computador e modelo de Von Neumann aula 3 Profa. Débora Matos O que difere nos componentes que constituem um computador? Princípios básicos Cada computador tem um conjunto de operações e

Leia mais

Circuitos Combinacionais. Sistemas digitais

Circuitos Combinacionais. Sistemas digitais Circuitos Combinacionais Sistemas digitais Agenda } Codificador X Decodificador } Código BCD 8421, código BCH, código 9876543210 } Display de 7 segmentos } Multiplexador X Demultiplexador } Comparadores

Leia mais

Apostila para Eletrônica ELETRÔNICA DIGITAL I

Apostila para Eletrônica ELETRÔNICA DIGITAL I Apostila para Eletrônica ELETRÔNICA DIGITAL I Prof. Reinaldo Bolsoni Eletrônica Digital I 1/37 ÍNDICE 1 - SISTEMA NUMÉRICO... 3 1.1 - SISTEMA BINÁRIO...3 Conversão Decimal para Binário...4 Conversão Binário

Leia mais

Painel Luminoso com LEDs

Painel Luminoso com LEDs Painel Luminoso com LEDs Versão 2007 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e na implementação do circuito de controle de um painel luminoso composto por LEDs (diodos emissores de luz). Através da

Leia mais

DISCIPLINA: Sistemas Digitais

DISCIPLINA: Sistemas Digitais DISCIPLINA: Sistemas Digitais Vigência: a partir de 2007/1 Período Letivo: 4º semestre Carga Horária Total: 45h Código: EE.212 Ementa: Implementação Física. Tecnologia de CIs programáveis. FPGA. Atraso

Leia mais

Capítulo DOIS Sistemas de numeração em computação

Capítulo DOIS Sistemas de numeração em computação Capítulo DOIS Sistemas de numeração em computação 2. Introdução Em todas as fórmulas usadas a seguir, B representa a base do sistema de numeração, n representa a quantidade de dígitos disponíveis para

Leia mais

3 Sistemas de Numeração:

3 Sistemas de Numeração: 3 Sistemas de Numeração: Os computadores eletrônicos têm como base para seu funcionamento a utilização de eletricidade. Diferente de outras máquinas que a presença ou ausência de eletricidade apenas significam

Leia mais

Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador

Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador Capítulo 2 Sistemas Numéricos e a Representação Interna dos Dados no Computador 2.0 Índice 2.0 Índice... 1 2.1 Sistemas Numéricos... 2 2.1.1 Sistema Binário... 2 2.1.2 Sistema Octal... 3 2.1.3 Sistema

Leia mais

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: 1. Introdução 1.1

Leia mais

2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos. 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos 1. Números Decimais. Objetivos.

2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos. 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos 1. Números Decimais. Objetivos. Objetivos 2. Sistemas de Numeração, Operações e Códigos Revisar o sistema de numeração decimal Contar no sistema de numeração binário Converter de decimal para binário e vice-versa Aplicar operações aritméticas

Leia mais

Introdução ao Laboratório Digital

Introdução ao Laboratório Digital Introdução ao Laboratório Digital Versão 2007 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um contato inicial com o Laboratório Digital. Além de apresentar algumas informações gerais sobre a disciplina, são

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Código: 260128 Crédito: 2.2.0 Pré-requisito: Introdução a Lógica (260.102) Carga Horária: 60h Bacharelado em Ciência da Computação

PLANO DE ENSINO. Código: 260128 Crédito: 2.2.0 Pré-requisito: Introdução a Lógica (260.102) Carga Horária: 60h Bacharelado em Ciência da Computação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Centro de Ciências da Natureza Departamento de Informática e Estatística Disciplina: Circuitos Digitais Professor: Ivan Saraiva Silva Telefone: (86)

Leia mais

Lista dos circuitos integrados utilizando transistores TTL da série 7400.

Lista dos circuitos integrados utilizando transistores TTL da série 7400. Lista dos circuitos integrados utilizando transistores TTL da série 7400. 7400: Quatro portas NAND de duas entradas 7401: Quatro portas NAND de duas entradas com coletor aberto 7402: Quatro portas NOR

Leia mais

Caderno de Laboratório

Caderno de Laboratório Cod. Disc: TURMA: GRUPO: NOME: Sistemas Digitais Caderno de Laboratório Aula Introdutória Aula a 4 PROF. MSc. MÁRIO OLIVEIRA ORSI PROF. MSc. CARLOS ALEXANDRE FERREIRA DE LIMA Fevereiro 23 AULA Introdutória.

Leia mais

Aula 11: Blocos Digitais Básicos Decodificador e Multiplexador

Aula 11: Blocos Digitais Básicos Decodificador e Multiplexador Aula 11: Blocos Digitais Básicos Decodificador e Multiplexador Circuitos Digitais Rodrigo Hausen CMCC UFABC 4 e 6 de março de 2013 http://compscinet.org/circuitos Rodrigo Hausen (CMCC UFABC) Aula 11: Blocos

Leia mais

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como principal objetivo ilustrar a utilização de circuitos biestáveis, através do projeto de um circuito de controle das luzes de

Leia mais

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO Versão 2013 RESUMO Esta experiência tem como principal objetivo ilustrar a utilização de circuitos biestáveis, através do projeto de um circuito de controle das luzes de

Leia mais

Painel Luminoso com LEDs

Painel Luminoso com LEDs Painel Luminoso com LEDs Edson T. Midorikawa/2006 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e na implementação do circuito de controle de um painel luminoso composto por LEDs (diodos emissores de luz).

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Aritmética Computacional Slide 1 Sumário Unidade Lógica e Aritmética Representação de Números Inteiros Aritmética de Números Inteiros Representação de Números

Leia mais

Colégio Metrópole. Curso Técnico Instrumentação e Automação Industrial

Colégio Metrópole. Curso Técnico Instrumentação e Automação Industrial Colégio Metrópole Curso Técnico Instrumentação e Automação Industrial Eletrônica Digital Professor: David Maciel 1 Colégio Metrópole VIASHOPPING BARREIRO - 4º Piso Inverno Tel.: 3322-8941 e-mail: metropole@colegiometropole.com.br

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE COORDENADORIA DE ELETRÔNICA CONTADORES

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE COORDENADORIA DE ELETRÔNICA CONTADORES INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE COORDENADORIA DE ELETRÔNICA CONTADORES Relatório técnico apresentado como requisito parcial para obtenção de aprovação na disciplina de Sistemas Digitais.

Leia mais

CAPÍTULO 5 CONTADORES NA FORMA DE CIRCUITO INTEGRADO

CAPÍTULO 5 CONTADORES NA FORMA DE CIRCUITO INTEGRADO 1 CAPÍTULO 5 CONTADORES NA FORMA DE CIRCUITO INTEGRADO INTRODUÇÃO Devido a necessidade geral de contadores, já existem muitos contadores de forma de CI's. Na série TTL 74 os mais simples são o 74LS90,

Leia mais

Estrutura de um Computador

Estrutura de um Computador SEL-0415 Introdução à Organização de Computadores Estrutura de um Computador Aula 7 Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira MODELO DE VON NEUMANN PRINCÍPIOS A arquitetura de um computador consiste de

Leia mais

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva Encoder Magnético Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior Leonardo Maciel Santos Silva Yuri Faria Amorim Índice Resumo... 03 1. Introdução... 04 2. Desenvolvimento...

Leia mais

D C S /C / EE E I/ I U / FC F G

D C S /C / EE E I/ I U / FC F G Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Introdução à Computação Conceitos Básicos B de Eletrônica Digital (Parte I) Prof. a Joseana Macêdo Fechine Régis de Araújo

Leia mais

PUC Rio. Curso Superior de Tecnologia em Processamento de Dados (TPD/P15) ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

PUC Rio. Curso Superior de Tecnologia em Processamento de Dados (TPD/P15) ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES PUC Rio Curso Superior de Tecnologia em Processamento de Dados (TPD/P15) Atualizado em ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Rui Mano E mail Internet: rmano@tpd.puc rio.br CONCEITOS DE LÓGICA DIGITAL CIRCUITOS

Leia mais

Circuitos Lógicos Aula 23

Circuitos Lógicos Aula 23 Circuitos Lógicos Aula 23 Rodrigo R. Paim ECI, LAND - UFRJ 09/06/2011 Circuitos Lógicos Aula 23 Aula Passada Aritmética Binária Representação binária com sinal Complemento a 2 Adição e Subtração Multiplicação

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática UFG 1S/2004 Representação de Dados e Aritimética Computacional Roteiro Números inteiros sinalizados e nãosinalizados Operações

Leia mais