CONTROLE DE UM SERVO MOTOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTROLE DE UM SERVO MOTOR"

Transcrição

1 CONTROLE DE UM SERVO MOTOR Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização e o projeto de um circuito de controle simples de um servo motor. A parte experimental inclui atividades de familiarização de um servo motor e depois de implementação de um circuito digital para controle de sua posição. OBJETIVOS Após a conclusão desta experiência, os seguintes tópicos devem ser conhecidos pelos alunos: Funcionamento de um servo motor; Modulação PWM; Circuito de controle. 1. PARTE TEÓRICA Um servo motor é um motor elétrico cuja principal diferença com outros motores é seu controle de posicionamento. É muito usado em aplicações, como automodelismo e aeromodelismo, onde o controle preciso de posicionamento de partes do equipamento é essencial para seu funcionamento. A figura 1 ilustra seu uso em aeromodelos. Figura 1.1 Exemplo de aplicação de servo motores. Internamente, como ilustrado na figura 1.2, um servo motor é composto por diversos elementos: Motor responsável pelo acionamento das engrenagens e eixo principal do servo motor; Engrenagens responsáveis pela redução da rotação do motor e aumento do torque; Encaixe de saída conexão de saída para controle; Potenciômetro usado para monitorar a posição do servo motor; Circuito de controle base do funcionamento do servo motor, monitora a saída do potenciômetro e a ativação do motor interno para manter a posição determinada pela entrada. Figura 1.2 Organização interna de servo motores. Controle de um Servo Motor - semestral (2014) 1

2 O controle do servo motor é obtido por um sinal de entrada que apresenta níveis de tensão TTL e que especifica a sua posição. O formato deste sinal segue a modulação PWM (Pulse Width Modulation ou Modulação por largura de pulso), conforme ilustrado na figura 1.3. Uma informação é codificada em modulação PWM através da largura do pulso em nível alto em relação ao período total de oscilação, ou seja, através do seu fator de forma (duty cycle). Figura 1.3 Modulação PWM e Fator de forma. A modulação PWM tem diversas aplicações. Uma aplicação simples é usá-lo para controlar a intensidade luminosa de um led, conhecida como dimmer de leds. Ao mudar a razão em que o sinal fica em nível alto é possível controlar o tempo em que o led fica iluminado e, assim, com uma frequência de oscilação adequada, temos a sensação de que é possível mudar sua intensidade luminosa. Em um servo motor, a posição é controlada com um sinal com período de 50 Hz e pulsos com largura de 1 até 2 ms, conforme ilustrado na figura 1.4. Variando-se a largura do pulso a posição pode ser variada em até 180º. Figura 1.4 Sinais de controle de um servo motor. A conexão do servo motor pode adotar alguns padrões diferentes, dependendo do fabricante. A figura 1.5 mostra a conexão do fabricante JR. Contudo, todas as conexões apresentam três sinais: TERRA ou VCC ou + (5V) Sinal de controle: sinal PWM com nível de tensão compatível com TTL. Figura 1.5 Conexões de um servo motor. Controle de um Servo Motor - semestral (2014) 2

3 2. PARTE EXPERIMENTAL 2.1. Atividades Pré-Laboratório Nesta experiência será projetado um circuito de controle de um servo motor com formas de onda conforme apresentado na figura 1.4. A especificação da interface do circuito de controle é apresentada na figura 2.1. posição (C1-C0) entra (B1) clock Controle de um servo Controle PWM Figura 2.1 Interface do circuito de controle de um servo motor. O sinal de controle PWM do servo motor é gerado a partir de dois sinais de entrada: posição: sinal de 2 bits que permite especificar a posição do servo motor. Os valores de entrada permitem ajustar o servo para a posição mínima (01), central (10) e máxima (11). entra: a mudança do sinal de controle é acionada apenas com a borda de subida deste sinal. clock: sinal de clock de 2KHz de entrada. DICA: A geração do sinal de controle PWM pode ser realizada de várias formas. A primeira usa um contador módulo 40 1 e o acionamento da saída em nível alto é baseado na comparação da contagem com certos valores pertencentes a um determinado intervalo. Por exemplo, durante a contagem do contador módulo 40, a geração de um sinal PWM com fator de forma de 25% pode ser realizada com a saída em nível alto durante os primeiros 10 valores de contagem. Uma alternativa é adotar o seguinte diagrama de transição de estados (figura 2.2). Figura 2.2 Um diagrama de transição de estados para o controle PWM. Com base no contador módulo 40, enquanto a contagem for menor que determinado valor, a saída fica em nível ALTO. A partir deste valor, a saída fica em nível baixo até o final do ciclo de contagem. Este valor deve ser calculado para gerar o fator de forma desejado. a) Documente o funcionamento do projeto. Incluir cartas de tempo com a geração de diversas saídas com os diferentes fatores de forma. b) Procure minimizar o número de componentes para facilitar a montagem do projeto. 1 Para obter um período de 20 ms e um clock de entrada de 2 KHz (com ciclo de 0,5 ms), devemos usar um contador módulo 40 (20 ms = 40 x 0,5 ms). Controle de um Servo Motor - semestral (2014) 3

4 2.2. Montagem do Circuito de Controle de um Servo Motor c) Montar o circuito de controle de um servo motor projetado no painel de montagem, usando as chaves C0 e C1 para determinar a posição e o botão B1 para o sinal entra. Use um clock de 2 KHz de um gerador de sinais. Observação: Se necessário, use leds e displays do painel para o teste e depuração do circuito. d) Executar os testes necessários para mostrar o correto funcionamento do circuito. e) Capture as formas de onda no osciloscópio Familiarização com um Servo Motor Antes de conectarmos o circuito de controle com o servo motor, realizaremos uma atividade de familiarização. f) Localize o cabo de controle e identifique os sinais de controle do servo motor. Apresente no relatório, as cores que identificam cada sinal. g) Ajuste o gerador de sinais para gerar um sinal PWM com nível TTL e largura de pulso variando de 1 a 2 ms. Visualize e controle a largura de pulso com auxílio de um osciloscópio. h) Alimente o servo motor no painel de montagens experimentais e ligue o sinal de controle na saída do gerador de sinais. CUIDADO para que a saída não tenha pulsos que fiquem fora do intervalo de 1 a 2 ms. i) Varie a largura do pulso em nível alto e verifique o comportamento do servo motor Controle de um Servo Motor Neste item, o circuito de controle deverá ser ligado ao servo motor. j) Ligue a saída do circuito projetado na entrada de controle do servo motor. k) Varie a posição com o acionamento das chaves e verifique o comportamento do servo. l) (DESAFIO) O professor poderá especificar uma modificação ao projeto do circuito de controle. Implemente esta modificação e documente o projeto e as atividades experimentais Atividades Pós-Laboratório m) Responder as questões abaixo. 1. Explique como seria um sistema de controle de um sistema composto por dois servo motores? 2. Como o circuito de controle do servo motor pode garantir que o sinal PWM não apresente pulsos com largura forma dos limites de funcionamento correto do servo? Explique. 3. Apresente possíveis aplicações do circuito da experiência. Controle de um Servo Motor - semestral (2014) 4

5 3. BIBLIOGRAFIA Fairchild Semiconductor. TTL Data Book. Mountain View, California, FREGNI, E.; SARAIVA, A. M. Engenharia do Projeto Lógico Digital: Conceitos e Prática. Editora Edgard Blücher Ltda, TOCCI, R. J.; WIDMER, N. S.; MOSS, G. L. Digital Systems: principles and applications. 11 th ed., Prentice-Hall, WAKERLY, J. F. Digital Design Principles & Practices. 4 th edition, Prentice Hall, MATERIAL DISPONÍVEL Circuitos Integrados TTL: 7400, 7404, 7408, 7432, 7485, 7486, 74138, 74157, 74161, EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS 1 painel de montagens experimentais. 1 fonte de alimentação fixa, 5V 5%, 4A. 1 osciloscópio digital. 1 multímetro digital. Histórico de Revisões E.T.M./2014 versão inicial. Controle de um Servo Motor - semestral (2014) 5

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2012 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais

Sistema de Aquisição de Dados

Sistema de Aquisição de Dados Sistema de Aquisição de Dados Versão 2013 RESUMO Nesta experiência será desenvolvido o projeto de um sistema de aquisição e armazenamento de dados analógicos em formato digital. O sinal de um sensor de

Leia mais

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS

EPUSP PCS 2021/2308/2355 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS GERADOR DE SINAIS E.T.M./2007 (adaptação) E.T.M./2011 (revisão) RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com o problema da conversão de sinais digitalizados em sinais analógicos, o conversor

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays Versão 202 RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre displays ou mostradores. São discutidas as formas de multiplexá-los de modo a reduzir a quantidade

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Displays

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Displays Displays Versão 2015 1. Displays em Circuitos Digitais É inegável a importância de displays, pois são muito utilizados nos mais variados equipamentos de todas as áreas, como por exemplo, de instrumentação

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays Versão 20 RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre displays ou mostradores. São discutidas as formas de multiplexá-los de modo a reduzir a quantidade de

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays D.T. e J.R.B./200 (revisão) E.T.M./2003 (revisão da parte experimental) E.T.M./200 (revisão) E.T.M./2006 (revisão) RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre

Leia mais

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: RGM: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADORES ASSÍNCRONOS O objetivo desse projeto extra é aplicar os conceitos vistos em aula

Leia mais

Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05

Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05 Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Frequencímetro

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital. Frequencímetro Frequencímetro Versão 2012 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com duas classes de componentes: os contadores e os registradores. Para isto, serão apresentados alguns exemplos de

Leia mais

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO:

DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: DATA: HORÁRIO DE ENTRADA: HORÁRIO DE SAÍDA: BANCADA: RGM: NOMES DOS COMPONENTES DO GRUPO DE TRABALHO: PROJETO - CONTADOR SÍNCRONO O objetivo desse projeto extra é aplicar os conceitos vistos em aula teórica

Leia mais

Potenciometer [Potenciômetro] - Ligado ao eixo de saída do servo, monitora a posição do mesmo.

Potenciometer [Potenciômetro] - Ligado ao eixo de saída do servo, monitora a posição do mesmo. Servomotores Este pequeno tutorial tem como finalidade auxiliar no entendimento de um dos componentes básico utilizados na construção de robôs móveis. www.sumoderobos.org Compilado por André Santos Agosto

Leia mais

CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL

CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL CONVESÃO ANALÓGICO-DIGITAL J..A./2001 (revisão) E.T.M./2004 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) ESUMO Esta experiência tem o objetivo de apresentar o processo de conversão de sinais analógicos para valores

Leia mais

Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento

Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento 1 2 3 Figura 1 - Diagrama de um sistema de controle de temperatura que requer conversão analógico-digital para permitir o uso de técnicas de processamento digital - (Sistemas Digitais: Princípios e Aplicações

Leia mais

AD / DA. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1 M-1116A

AD / DA. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1 M-1116A AD / DA M-1116A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1 Conteúdo 1. Objetivos 3 2. Experiência

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital CALCULADORA SIMPLES

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital CALCULADORA SIMPLES CALCULADORA SIMPLES E.T.M./2003 (revisão e adaptaçào) M.D.M. e E.T.M./2006 (revisão) E.T.M./2008 (revisão) E.T.M./20 (revisão) RESUMO Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital CALCULADORA SIMPLES

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital CALCULADORA SIMPLES CALCULADORA SIMPLES E.T.M./23 (revisão e adaptaçào) M.D.M. e E.T.M. (revisão) E.T.M./28 (revisão) RESUMO Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de soma binária para o desenvolvimento

Leia mais

CALCULADORA SIMPLES COM ULA

CALCULADORA SIMPLES COM ULA CALCULADORA SIMPLES COM ULA Versão 2013 RESUMO 1 Esta experiência tem por objetivo a utilização de circuitos integrados de operações lógicas e aritméticas para o desenvolvimento de circuitos que executam

Leia mais

Somadores Binários E.T.M./2005 (revisão)

Somadores Binários E.T.M./2005 (revisão) Somadores Binários E.T.M./2005 (revisão) RESUMO Esta experiência tem por objetivo a familiarização com somadores binários, notadamente os paralelos, que realizam a soma simultânea de todos os bits de dois

Leia mais

Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 INTRODUÇÃO

Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 INTRODUÇÃO Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 Curso Técnico em Eletrônica Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM Prof. Ariovaldo Ghirardello INTRODUÇÃO Os controles de potência,

Leia mais

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Agosto/2004 V2 INTRODUÇÃO Este guia foi preparado para auxilio às aulas de laboratório para o curso de Engenharia

Leia mais

CIRCUITOS COM COMPONENTES DISCRETOS

CIRCUITOS COM COMPONENTES DISCRETOS IRUITOS OM OMPONENTES DISRETOS D.T. e J.R../2001 (revisão) E.T.M./2003 (revisão da parte experimental) E.T.M./2004 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) RESUMO Nesta experiência são apresentados circuitos com

Leia mais

AFERIDOR E PROGRAMADOR DE BANCADA MICROSAD STC-BR

AFERIDOR E PROGRAMADOR DE BANCADA MICROSAD STC-BR MANUAL DE OPERAÇÃO AFERIDOR E PROGRAMADOR DE BANCADA MICROSAD STC-BR STC-BR REV-002 Atenção: Modificações futuras serão reportadas através das Informações de Serviço (I.S.). Este documento é propriedade

Leia mais

Introdução ao Laboratório Digital

Introdução ao Laboratório Digital Introdução ao Laboratório Digital Versão 2007 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um contato inicial com o Laboratório Digital. Além de apresentar algumas informações gerais sobre a disciplina, são

Leia mais

Objetivo A presente prática tem por objetivo verificar na prática os diferentes modos de disparo dos TRIACs.

Objetivo A presente prática tem por objetivo verificar na prática os diferentes modos de disparo dos TRIACs. Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica Laboratório de Engenharia Elétrica V TE067 Prof. James Alexandre Baraniuk Equipe: Data: / / EXPERIMENTO PRÁTICO COM TRIAC Objetivo A presente

Leia mais

ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA)

ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA) ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA) 1. Introdução 1.1 Inversor de Frequência A necessidade de aumento de produção e diminuição de custos faz surgir uma grande infinidade de equipamentos desenvolvidos

Leia mais

Flip-Flops (Aplicações) Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara

Flip-Flops (Aplicações) Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Flip-Flops (Aplicações) Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 2h/60h Pulsos Digitais Pulso positivo: executa sua função quando está em nível alto Pulso negativo: executa sua função quando

Leia mais

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações.

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. A partir de agora, iremos conhecer o hardware do Arduino e suas caracteristicas

Leia mais

EPUSP PCS 2011 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS

EPUSP PCS 2011 Laboratório Digital GERADOR DE SINAIS GERADOR DE SINAIS Versão 2015 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização com o problema da conversão de sinais digitalizados em sinais analógicos, o conversor digital-analógico de 8 bits

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

LEE 2006/07. Guia de Laboratório. Trabalho 3. Circuitos Dinâmicos. Resposta no Tempo

LEE 2006/07. Guia de Laboratório. Trabalho 3. Circuitos Dinâmicos. Resposta no Tempo Análise de Circuitos LEE 2006/07 Guia de Laboratório Trabalho 3 Circuitos Dinâmicos Resposta no Tempo INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Paulo Flores

Leia mais

Painel Luminoso com LEDs

Painel Luminoso com LEDs Painel Luminoso com LEDs Versão 2007 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e na implementação do circuito de controle de um painel luminoso composto por LEDs (diodos emissores de luz). Através da

Leia mais

LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital

LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital 2014.02 LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital Nome do Aluno(a) I PRIMEIROS CONTATOS COM A I.1- Introdução Na primeira parte das atividades deste roteiro o aluno entrará

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS

CARACTERIZAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS CARACTERIZAÇÃO DE PORTAS LÓGICAS Versão 2012 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um estudo dos elementos básicos do nosso universo de trabalho, ou seja, as portas lógicas. Para isto serão efetuados

Leia mais

Parte # 4 - Registradores e Contadores

Parte # 4 - Registradores e Contadores CEFET Departamento de Engenharia Elétrica - DEPEL GELE 7163 Eletrônica Digital Parte # 4 - Registradores e Contadores 1 GELE 7163 Eletrônica Digital 2 Referências : Notas de Aula. Mendonça, Alexandre e

Leia mais

Boletim Técnico R&D 03/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006L 14 de março de 2008

Boletim Técnico R&D 03/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006L 14 de março de 2008 Boletim Técnico R&D 03/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006L 14 de março de 2008 O objetivo deste boletim é mostrar as características do driver MPC6006L. Tópicos abordados neste boletim: APRESENTAÇÃO

Leia mais

Índice. Utilizando o integrado 555... 03. Operação monoestável (Temporizador)... 06. Operação astável (Oscilador)... 07

Índice. Utilizando o integrado 555... 03. Operação monoestável (Temporizador)... 06. Operação astável (Oscilador)... 07 Utilizando o CI 555 Índice Utilizando o integrado 555... 03 Operação monoestável (Temporizador)... 06 Operação astável (Oscilador)... 07 O circuito integrado 556... 10 Aplicações úteis... 11 Gerador de

Leia mais

Amplificadores Operacionais

Amplificadores Operacionais Análise de Circuitos LEE 2006/07 Guia de Laboratório Trabalho 2 Amplificadores Operacionais INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Paulo Flores 1 Objectivos

Leia mais

EXPERIÊNCIA 5 OSCILOSCÓPIO DIGITAL

EXPERIÊNCIA 5 OSCILOSCÓPIO DIGITAL EXPERIÊNCIA 5 OSCILOSCÓPIO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO TEÓRICA 1.1 VERIFICAÇÃO FUNCIONAL Esta rápida verificação deve ser executada para comprovar se o instrumento está funcionando corretamente. Ligue o instrumento

Leia mais

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: 1. Introdução 1.1

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21 Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21 7ª Experiência Síntese de Circuitos Sequenciais Síncronos 1. Objetivos

Leia mais

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital

Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Universidade Federal de Uberlândia Práticas de laboratório de Eletrônica Digital Prof. Dr. Alan Petrônio Pinheiro Faculdade de Engenharia Elétrica Curso de Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações (campus

Leia mais

MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO

MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO Capa Industria e Comércio Ltda MFG-4200 GERADOR DE FUNÇÃO DIGITAL MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 01 2. DESCRIÇÃO DOS PAINÉIS... 01 3. DESCRIÇÃO ELÉTRICA... 02 4. ESPECIFICAÇÕES.... 02 5. INSTALAÇÃO...

Leia mais

Caracterização de Portas Lógicas

Caracterização de Portas Lógicas Caracterização de Portas Lógicas Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um estudo dos elementos básicos do nosso universo de trabalho, ou seja, as portas lógicas. Para isto serão efetuados

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Circuito integrado 555 e suas aplicações

Circuito integrado 555 e suas aplicações Circuito integrado 555 e suas aplicações Introdução Um circuito integrado popular é o versátil 555. Introduzido pela em 1973 pela Signetcs, este circuito integrado tem aplicações que variam de equipamentos

Leia mais

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 555 M-1108A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./ Imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Experiência

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

Comunicação Serial Assíncrona

Comunicação Serial Assíncrona Comunicação Serial Assíncrona Versão 2016 RESUMO O objetivo desta experiência é projetar circuitos digitais para comunicação serial de dados (transmissão de dados) com um terminal de dados, utilizando

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE COORDENADORIA DE ELETRÔNICA CONTADORES

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE COORDENADORIA DE ELETRÔNICA CONTADORES INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SERGIPE COORDENADORIA DE ELETRÔNICA CONTADORES Relatório técnico apresentado como requisito parcial para obtenção de aprovação na disciplina de Sistemas Digitais.

Leia mais

LC428. Manual do Usuário

LC428. Manual do Usuário LC428 Manual do Usuário R 1.Descrição Geral: O conversor LC428 possui 8 entradas as quais podem ser projetadas para aceitar sensores tipo PT100, termopar, ou sinais padrão tipo 0 a 10V ou 4 a 20 ma e saída

Leia mais

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox 1- Scilab e a placa Lab_Uino A placa Lab_Uino, é uma plataforma aberta para aprendizagem de sistemas microprocessados. Com a utilização de um firmware especifico a placa Lab_Uino é reconhecido pelo sistema

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com.

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com. Ponte levadiça digital... Projeto semestral primeira fase de 2003 Engenharia de Computação 4 período Em breve aqui novos projetos... Página inicial Pré-projeto Projeto FOTOS e Vídeos Funcionamento Esboços

Leia mais

ROTEIRO DE LABORATÓRIO

ROTEIRO DE LABORATÓRIO ROTEIRO DE LABORATÓRIO Laboratório 47 48 Laboratório Laboratório 49 ÍNDICE. ORIENTAÇÕES GERAIS, 5. PARA O PROFESSOR, 5. PARA O ALUNO, 5. TIPOS DE LABORATÓRIO,6.. Tipo Hardware, 6 Dispositivos para as Entradas,

Leia mais

Servos - Analo gicos e Digitais - Funcionamento, uso e diferenças entre eles!

Servos - Analo gicos e Digitais - Funcionamento, uso e diferenças entre eles! Servos - Analo gicos e Digitais - Funcionamento, uso e diferenças entre eles! É importante lembrar que esta matéria serve para qualquer tipo de servo utilizado em aeromodelismo. Figura 1 Um dos diversos

Leia mais

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital SOMADORES DECIMAIS

EPUSP PCS 2011/2305/2355 Laboratório Digital SOMADORES DECIMAIS SOMADORES DECIMAIS Versão 2012 RESUMO Nesta experiência será estudado um circuito aritmético de soma decimal a partir dos somadores binários de 4 bits (por exemplo, o circuito integrado 74283). A parte

Leia mais

Painel Luminoso com LEDs

Painel Luminoso com LEDs Painel Luminoso com LEDs Edson T. Midorikawa/2006 RESUMO Esta experiência consiste no projeto e na implementação do circuito de controle de um painel luminoso composto por LEDs (diodos emissores de luz).

Leia mais

ADC0804 (CONVERSOR A/D)

ADC0804 (CONVERSOR A/D) ADC0804 (CONVERSOR A/D) Getulio Teruo Tateoki O conversor Analógico Digital ADC0804é um Circuito Integrado da National Semicondutores, capaz de converter uma amostra analógica entre 0 e 5V, em um valor

Leia mais

CAPÍTULO 14 MONOESTÁVEIS E ASTÁVEIS

CAPÍTULO 14 MONOESTÁVEIS E ASTÁVEIS 1 CAPÍTULO 14 MONOESTÁVEIS E ASTÁVEIS INTRODUÇÃO Basicamente tem-se dois tipos de multivibradores: os monoestáveis e os astáveis ou osciladores. Como o próprio nome indica, um monoestável tem somente um

Leia mais

EPUSP PCS 3335/3635 Laboratório Digital. Circuito em VHDL

EPUSP PCS 3335/3635 Laboratório Digital. Circuito em VHDL Circuito em VHDL Versão 2017 RESUMO Esta experiência tem como objetivo um contato inicial com o desenvolvimento do projeto de um circuito digital simples em VHDL e sintetizado para uma placa de desenvolvimento

Leia mais

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 2: Osciloscópio e curvas do diodo. Alunos: 2-3-

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 2: Osciloscópio e curvas do diodo. Alunos: 2-3- Campus SERRA COORDENADORIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Disciplinas: ELETRÔNICA BÁSICA e ELETRICIDADE GERAL Professores: Vinícius Secchin de Melo Wallas Gusmão Thomaz Roteiro para experiências de laboratório

Leia mais

Manual do instalador Box Input Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Input.

Manual do instalador Box Input Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Input. Pág. 1/10 Apresentação Equipamento para detecção de acionamentos e monitoração de sensores. Comunicação com outros dispositivos por rede CAN. Possui seis entradas digitais optoacopladas com indicação de

Leia mais

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides 1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides CONTROLE DE FLUSHING AUTOMÁTICO LCF 12 Modo Periódico e Horário www.lubing.com.br (19) 3583-6929 DESCALVADO SP 1. Instalação O equipamento deve

Leia mais

EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II

EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II Projeto de Interface Paralela de Saída 1 Objetivo do Laboratório II 1. projetar e implementar um decodificador de endereços para

Leia mais

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro 1 INTRODUÇÃO A interferência sonora consiste em um recebimento de duas ou mais ondas de fontes diferentes. Neste caso, teremos uma região do espaço na

Leia mais

Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia básica. Objetivos da Disciplina

Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia básica. Objetivos da Disciplina Circuitos Digitais Cap. 1 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Circuitos Digitais Tópicos Digitais I- Engenharia Elétrica -UFPI Programa da disciplina, i metodologia de ensino, avaliações e bibliografia

Leia mais

Velocímetro Digital para Bicicletas

Velocímetro Digital para Bicicletas Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia Elétrica Velocímetro Digital para Bicicletas Gildenir Soares Batista da Silva Instrumentação Eletrônica, 2009.2 Luciano Fontes Cavalcanti

Leia mais

ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO DA EXPERIÊNCIA 05 OSCILOSCÓPIO

ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO DA EXPERIÊNCIA 05 OSCILOSCÓPIO ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO DA EXPERIÊNCIA 05 OSCILOSCÓPIO 1 Introdução O osciloscópio é basicamente um dispositivo de visualização gráfico que mostra sinais elétricos no tempo. O osciloscópio pode ser

Leia mais

Manual do instalador Box Output AC Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Output AC.

Manual do instalador Box Output AC Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Output AC. Pág. 1/10 Apresentação Equipamento para acionamento de cargas em corrente alternada 110/220V. Comunicação com outros dispositivos por rede CAN. 6 entradas digitais para acionamento local ou remoto. 6 entradas/saídas

Leia mais

Conheça o 4017 (ART062)

Conheça o 4017 (ART062) 1 de 11 20/02/2013 18:14 Conheça o 4017 (ART062) Este artigo não é novo, mas sua atualidade se manterá por muito tempo, o que jusitifica o fato dele ser um dos mais acessados desse site. De fato, o circuito

Leia mais

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Entradas Digitais Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores

ni.com Série de conceitos básicos de medições com sensores Série de conceitos básicos de medições com sensores Medições de posição e frequência Renan Azevedo Engenheiro de Produto, DAQ & Teste NI Henrique Sanches Marketing Técnico, LabVIEW NI Pontos principais

Leia mais

MANUAL. Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

MANUAL. Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 1 P/N: AKDMP5-1.7A DRIVER PARA MOTOR DE PASSO MANUAL ATENÇÃO Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 2 SUMÁRIO

Leia mais

GUIA DO TRABALHO SOBRE APARELHOS DE MEDIDA

GUIA DO TRABALHO SOBRE APARELHOS DE MEDIDA GUIA DO TRABALHO SOBRE APARELHOS DE MEDIDA OBJECTIVO Familiarização com os instrumentos a usar nos trabalhos práticos posteriores (osciloscópio, painel didáctico, gerador de sinais, fonte de alimentação

Leia mais

Circuitos Digitais Cap. 6

Circuitos Digitais Cap. 6 Circuitos Digitais Cap. 6 Prof. José Maria P. de Menezes Jr. Objetivos Flip-Flops e Dispositivos Correlatos Latch com portas NAND Latch com portas NOR Sinais de Clock e Flip-Flops com Clock Flip-Flop S-C

Leia mais

Experimento 2 Gerador de funções e osciloscópio

Experimento 2 Gerador de funções e osciloscópio Experimento 2 Gerador de funções e osciloscópio 1. OBJETIVO O objetivo desta aula é introduzir e preparar o estudante para o uso de dois instrumentos muito importantes no curso: o gerador de funções e

Leia mais

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 1 P/N: AKDMP16-4.2A DRIVER PARA MOTOR DE PASSO MANUAL ATENÇÃO: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista EXPERIMENTO 1 INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO A. Introdução O Quartus II é um software utilizado para

Leia mais

Suelen Fernanda Cendron RESUMO

Suelen Fernanda Cendron RESUMO GERADOR DE FUNÇÕES DE BAIXO CUSTO PARA SER UTILIZADO NO APRENDIZADO DAS COMPONENTES CURRICULARES DE FORMAÇÃO BÁSICA DO CURSO DE ELETROELETRÔNICA E MATERIAL DIDÁTICO Suelen Fernanda Cendron RESUMO Gerador

Leia mais

Bloco 3 do Projeto: Comparador com Histerese para Circuito PWM

Bloco 3 do Projeto: Comparador com Histerese para Circuito PWM Bloco 3 do Projeto: Comparador com Histerese para Circuito PWM O circuito de um PWM Pulse Width Modulator, gera um trem de pulsos, de amplitude constante, com largura proporcional a um sinal de entrada,

Leia mais

CAPÍTULO 5 CONTADORES NA FORMA DE CIRCUITO INTEGRADO

CAPÍTULO 5 CONTADORES NA FORMA DE CIRCUITO INTEGRADO 1 CAPÍTULO 5 CONTADORES NA FORMA DE CIRCUITO INTEGRADO INTRODUÇÃO Devido a necessidade geral de contadores, já existem muitos contadores de forma de CI's. Na série TTL 74 os mais simples são o 74LS90,

Leia mais

Interface com Sensor Ultrassônico de Distância

Interface com Sensor Ultrassônico de Distância Interface com Sensor Ultrassônico de Distância Versão 2016 RESUMO Esta experiência tem por objetivo desenvolver um circuito que realiza a interface com o sensor ultrassônico de distância HC-SR04. A implementação

Leia mais

SEQUENCIADOR COM 10 LEDs

SEQUENCIADOR COM 10 LEDs SEQUENCIADOR COM 10 LEDs Este projeto cria um sequenciador de 10 linhas a partir de um oscilador formado por um CI 555. O oscilador 555 envia um pulso para a entrada de um contador de década (CI 7490),

Leia mais

Unidade Lógica e Aritmética

Unidade Lógica e Aritmética Unidade Lógica e Aritmética J.L.R.B. e P.S.C./2001 (revisão) E.T.M./2002 (revisão e adaptação) E.T.M./2003 (revisão) E.T.M./2005 (revisão) E.T.M./2008 (revisão) E.T.M./2011 (revisão) RESUMO Esta experiência

Leia mais

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO

CONTROLE PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO PARA SEMÁFOROS DE UM CRUZAMENTO Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como principal objetivo ilustrar a utilização de circuitos biestáveis, através do projeto de um circuito de controle das luzes de

Leia mais

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador WSI250 - HI Tecnologia W i re l e s s S i g n a l I n t e r fa c e O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador WSI250 da HI tecnologia

Leia mais

SISTEMA DE APONTAMENTO

SISTEMA DE APONTAMENTO Introdução SISTEMA DE APONTAMENTO Alunos: Lucas Castro Faria Carolina do Amaral Galhardo Orientador: Hans Ingo Weber Foi feito um estudo para aquisição de dados através da placa NI USB-6229, usando o programa

Leia mais

WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S. A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE DE MOTORES CA - MANUAL DO PROFESSOR

WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S. A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE DE MOTORES CA - MANUAL DO PROFESSOR WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S. A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE DE MOTORES CA - MANUAL DO PROFESSOR CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE

Leia mais

Linhas de Transmissão

Linhas de Transmissão Linhas de Transmissão 1. Objetivo Medir a capacitância, indutância e a impedância num cabo coaxial. Observar a propagação e reflexão de pulsos em cabos coaxiais. 2. Introdução Uma linha de transmissão

Leia mais

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva Encoder Magnético Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior Leonardo Maciel Santos Silva Yuri Faria Amorim Índice Resumo... 03 1. Introdução... 04 2. Desenvolvimento...

Leia mais

Ponte de Wien Oscilador de quadratura Oscilador duplo T Oscilador Colpitt Etc.

Ponte de Wien Oscilador de quadratura Oscilador duplo T Oscilador Colpitt Etc. Amplificadores operacionais como Osciladores Em muitas aplicações é necessário gerar um sinal, que pode ter as mais diversas formas, retangular, senoidal, triangular, etc. Entretanto, o único sinal disponível

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA SÉRIE DE EXERCÍCIO #A (1) CONVERSOR A/D APROXIMAÇÃO SUCESSIVA (SAR) A figura

Leia mais

Guia de Instalação Rápida PLC KL320. Keylogix, abrindo portas para a automação industrial. KEYLOGIX

Guia de Instalação Rápida PLC KL320. Keylogix, abrindo portas para a automação industrial. KEYLOGIX Guia de Instalação Rápida PLC KL320 Keylogix, abrindo portas para a automação industrial. KEYLOGIX 1. Cuidados Iniciais Prezado cliente, você está recebendo o PLC KL320, um Controlador Lógico Programável,

Leia mais

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1 SEMICONDUCTOR III Semiconductor III Semicondutor III M-1105A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos

Leia mais

HXM 500. Módulo de Expansão Híbrido para as famílias ZAP900/ZAP91X. Apresentação. Diagrama esquemático. Dados Técnicos

HXM 500. Módulo de Expansão Híbrido para as famílias ZAP900/ZAP91X. Apresentação. Diagrama esquemático. Dados Técnicos Módulo de Expansão Híbrido para as famílias ZAP900/ZAP91X Apresentação O módulo HXM500 é uma placa de expansão híbrida desenvolvida para as famílias de controladores ZAP900 e ZAP91X. Disponibiliza 17 pontos

Leia mais

Capítulo I Portas Lógicas Básicas

Capítulo I Portas Lógicas Básicas Capítulo I Portas Lógicas Básicas 1 Introdução Em qualquer sistema digital 1 a unidade básica construtiva é o elemento denominado Porta Lógica. Este capítulo descreve as portas lógicas usuais, seu uso

Leia mais

Projeto Dirigido: Genius

Projeto Dirigido: Genius Projeto Dirigido: Genius Genius era um brinquedo muito popular na década de 80 e que buscava estimular a memorização de cores e sons. Com um formato semelhante a um objeto voador não identificado, possuía

Leia mais

Exercícios DAC/ADC e Trabalhos

Exercícios DAC/ADC e Trabalhos Exercícios DAC/ADC e Trabalhos Aula 02 - DAC / ADC Heitor Medeiros Florencio 1 heitorm@dca.ufrn.br 1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia de Computação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL FÍSICA EXPERIMENTAL III

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL FÍSICA EXPERIMENTAL III UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL FÍSICA EXPERIMENTAL III Distribuição de Potencial e Campo Elétrico Conceitos: Potencial e Campo Elétricos Equipotenciais e

Leia mais