AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ ESCOLA BÁSICA 2/3 DE QUINTA DA LOMBA PERFIL DO ALUNO ÁREA CURRICULAR CIÊNCIAS NATURAIS. 2º Ciclo.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ ESCOLA BÁSICA 2/3 DE QUINTA DA LOMBA PERFIL DO ALUNO ÁREA CURRICULAR CIÊNCIAS NATURAIS. 2º Ciclo."

Transcrição

1 AGRUPAMENTO ESCOLAS DE SANTO ANDRÉ ESCOLA BÁSICA 2/3 DE QUINTA DA LOMBA PERFIL DO ALUNO NA ÁREA CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS 2º Ciclo (5º e 6º anos) Ano letivo

2 Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 5.º e 6.º anos DISTRIBUIÇÃO DOS DOMÍNIOS E DOS SUBDOMÍNIOS POR ANO DE ESCOLARIDADE Anos Domínios Subdomínios 5.º - A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES A importância das rochas e do solo na manutenção da vida A importância da água para os seres vivos A importância do ar para os seres vivos - DIVERSIDADE DE SERES VIVOS E SUAS INTERAÇÕES COM O MEIO Diversidade nos animais Diversidade nas plantas - UNIDADE NA DIVERSIDADE DE SERES VIVOS Célula unidade básica de vida Diversidade a partir da unidade níveis de organização hierárquica 6.º - PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nas plantas Transmissão de vida: reprodução no ser humano Transmissão de vida: reprodução nas plantas - AGRESSÕES DO MEIO E INTEGRIDADE DO ORGANISMO Microrganismos Higiene e problemas sociais

3 5.º ANO A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES A importância das rochas e do solo na manutenção da vida 1. Compreender a Terra como um planeta especial 1.1. Indicar três fatores que permitam considerar a Terra um planeta com vida Distinguir ambientes terrestres de ambientes aquáticos, com base na exploração de documentos diversificados Enumerar as subdivisões da Biosfera Caraterizar três habitats existentes na região onde a escola se localiza Relacionar os impactes da destruição de habitats com as ameaças à continuidade dos seres vivos Sugerir medidas que contribuam para promover a conservação da Natureza. 2. Compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida 2.1. Apresentar a definição de solo Indicar três funções do solo Identificar os componentes e as propriedades do solo, com base em atividades práticas laboratoriais Descrever o papel dos agentes biológicos e dos agentes atmosféricos na génese dos solos Relacionar a conservação do solo com a sustentabilidade da agricultura Associar alguns métodos e instrumentos usados na agricultura ao avanço científico e tecnológico. 3. Compreender a importância das rochas e dos minerais 3.1. Apresentar uma definição de rocha e de mineral Distinguir diferentes grupos de rochas, com base em algumas propriedades, utilizando chaves dicotómicas simples Reconhecer a existência de minerais na constituição das rochas, com base na observação de amostras de mão Referir aplicações das rochas e dos minerais em diversas atividades humanas, com base numa atividade prática de campo na região onde a escola se localiza. A importância da água para os seres vivos 4. Compreender a importância da água para os seres vivos 4.1. Representar a distribuição da água no planeta (reservatórios e fluxos), com recurso ao ciclo hidrológico Referir a disponibilidade de água doce (à superfície e subterrânea) na Terra, a partir de informação sobre o volume total de água existente.

4 4.3. Identificar propriedades da água, com base em atividades práticas laboratoriais Apresentar exemplos que evidenciem a existência de água em todos os seres vivos, através da consulta de documentos diversificados Descrever duas funções da água nos seres vivos Explicar a importância da composição da água para a saúde do ser humano, a partir da leitura de rotulagem Referir o papel do flúor na saúde oral. 5. Compreender a importância da qualidade da água para a atividade humana 5.1. Classificar os tipos de água própria para consumo (água potável e água mineral) e os tipos de água imprópria para consumo (água salobra e água inquinada) Descrever a evolução do consumo de água em Portugal, com base em informação expressa em gráficos ou tabelas Propor medidas que visem garantir a sustentabilidade da água própria para consumo Indicar três fontes de poluição e de contaminação da água Explicar as consequências da poluição e da contaminação da água Distinguir a função da Estação de Tratamento de Águas da função da Estação de Tratamento de Águas Residuais. A importância do ar para os seres vivos 6. Compreender a importância da atmosfera para os seres vivos 6.1. Referir as funções da atmosfera terrestre Identificar as propriedades do ar e de alguns dos seus constituintes, com base em atividades práticas Nomear os principais gases constituintes do ar Referir três atividades antrópicas que contribuem para a poluição do ar Determinar a evolução da qualidade do ar, incluindo o Índice de Qualidade do Ar, com base em dados da Agência Portuguesa do Ambiente Sugerir cinco medidas que contribuem para a preservação de um índice elevado de qualidade do ar.

5 DIVERSIDADE DE SERES VIVOS E SUAS INTERAÇÕES COM O MEIO Diversidade nos animais 7. Interpretar as caraterísticas dos organismos em função dos ambientes onde vivem 7.1. Apresentar exemplos de meios onde vivem os animais, com base em documentos diversificados Descrever a importância do meio na vida dos animais Apresentar um exemplo de animal para cada tipologia de forma corporal Categorizar os diferentes tipos de revestimentos dos animais, com exemplos Referir as funções genéricas do revestimento dos animais Identificar os órgãos de locomoção dos animais, tendo em conta o meio onde vivem. 8. Compreender a diversidade de regimes alimentares dos animais tendo em conta o respetivo habitat 8.1. Apresentar exemplos de animais que possuam distintos regimes alimentares Descrever adaptações morfológicas das aves e dos mamíferos à procura e à captação de alimento, com base em documentos diversificados Comparar os comportamentos dos animais na obtenção de alimento com as caraterísticas morfológicas que possuem. 9. Compreender a diversidade de processos reprodutivos dos animais 9.1. Resumir as etapas do ciclo de vida de um animal Associar a reprodução dos seres vivos com a continuidade dos mesmos Categorizar os tipos de reprodução existentes nos animais Exemplificar rituais de acasalamento, com base em documentos diversificados Nomear as células que intervêm na fecundação Distinguir animais ovíparos, de ovovivíparos e de vivíparos Indicar dois exemplos de animais que passem por metamorfoses completas durante o seu desenvolvimento. 10. Conhecer a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas e comportamentais dos animais Descrever a influência da água, da luz e da temperatura no comportamento dos animais, através do controlo de variáveis em laboratório Apresentar três exemplos de adaptações morfológicas e comportamentais dos animais à variação de três fatores abióticos (água, luz e temperatura).

6 11. Compreender a importância da proteção da biodiversidade animal Apresentar uma definição de biodiversidade Indicar exemplos da biodiversidade animal existente na Terra, com base em documentos diversificados Descrever três habitats que evidenciem a biodiversidade animal existente na região onde a escola se localiza Exemplificar ações do ser humano que podem afetar a biodiversidade animal Discutir algumas medidas que visem promover a biodiversidade animal Concluir acerca da importância da proteção da biodiversidade animal. Diversidade nas plantas 12. Conhecer a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas das plantas Descrever a influência da água, da luz e da temperatura no desenvolvimento das plantas Testar a influência da água e da luz no crescimento das plantas, através do controlo de variáveis, em laboratório Associar a diversidade de adaptações das plantas aos fatores abióticos (água, luz e temperatura) dos vários habitats do planeta, apresentando exemplos. 13. Compreender a importância da proteção da diversidade vegetal Indicar exemplos de biodiversidade vegetal existente na Terra, com base em documentos diversos Descrever três habitats que evidenciem a biodiversidade vegetal existente na região onde a escola se localiza Exemplificar ações antrópicas que podem afetar a biodiversidade vegetal Propor medidas que visem promover a biodiversidade vegetal Concluir acerca da importância da proteção da biodiversidade vegetal.

7 UNIDADE NA DIVERSIDADE DE SERES VIVOS Célula unidade básica de vida 14. Aplicar a microscopia na descoberta do mundo invisível Descrever o contributo de dois cientistas para a evolução do microscópio ótico, destacando a importância da tecnologia no avanço do conhecimento científico Identificar os constituintes do microscópio ótico composto Realizar observações diversas usando o microscópio ótico, de acordo com as regras de utilização estabelecidas Esquematizar as observações microscópicas realizadas, através de versões simplificadas de relatórios Interpretar as caraterísticas da imagem observada ao microscópio ótico composto Discutir a importância do microscópio eletrónico, com base em imagens e poderes de resolução. 15. Compreender que a célula é a unidade básica da vida Apresentar uma definição de célula Distinguir diferentes tipos de células, relativamente à morfologia e ao tamanho, com base na observação microscópica de material biológico Identificar os principais constituintes da célula, com base na observação microscópica de material biológico Comparar células animais com células vegetais Apresentar dois exemplos de seres unicelulares e dois exemplos de seres pluricelulares Descrever os níveis de organização biológica. Diversidade a partir da unidade níveis de organização hierárquica 16. Compreender a importância da classificação dos seres vivos Apresentar uma definição de espécie Distinguir classificações práticas de classificações racionais dos seres vivos Indicar as principais categorias taxonómicas Identificar animais e plantas, até ao Filo, recorrendo a chaves dicotómicas simples.

8 6.º ANO PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais 1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura 1.1. Apresentar um conceito de alimento Enunciar os tipos de nutrientes quanto à sua função Descrever as necessidades nutritivas ao longo da vida Exemplificar ementas equilibradas, com base na Pirâmide de Alimentação Mediterrânea Discutir, criticamente, ementas fornecidas Indicar alimentos de acordo com os riscos e os benefícios para a saúde humana Interpretar informação veiculada nos mídia, que pode condicionar os hábitos alimentares Explicar a informação contida em rótulos alimentares Indicar as vantagens e as desvantagens do uso de alguns aditivos para a saúde humana Reconhecer a importância da ciência e da tecnologia na evolução dos produtos alimentares e na sua conservação Explorar benefícios e riscos de novos alimentos. 2. Conhecer o processo digestivo do ser humano 2.1. Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema digestivo e das suas glândulas anexas Identificar os tipos de dentes, de acordo com a sua função Descrever as transformações dos alimentos, ocorridas na boca Reconhecer a importância dos movimentos do tubo digestivo e dos sucos digestivos na transformação dos alimentos Nomear os produtos da digestão ao longo do tubo digestivo Descrever os processos da absorção e da assimilação dos nutrientes Indicar o destino dos produtos da digestão não absorvidos Referir comportamentos que promovem o bom funcionamento do sistema digestivo. 3. Relacionar os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros 3.1. Identificar os órgãos do tudo digestivo de uma ave granívora, com base numa atividade prática Legendar esquemas representativos da morfologia dos órgãos do tubo digestivo de um ruminante Comparar a tipologia dos órgãos digestivos das aves e dos ruminantes com a do ser humano Associar os regimes alimentares das aves granívoras, dos animais ruminantes e dos omnívoros às caraterísticas do seu tubo digestivo.

9 4. Compreender a relação existente entre a respiração externa e a respiração celular 4.1. Distinguir a respiração externa da respiração celular Comparar a composição do ar inspirado com a do ar expirado, com base em documentos diversificados e em atividades práticas laboratoriais Indicar as trocas gasosas, ocorridas nas células, através de exercícios de inquérito científico. 5. Compreender a importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas 5.1. Identificar os órgãos respiratórios envolvidos na respiração branquial e na respiração pulmonar, através de atividades práticas Relacionar o habitat dos animais com os diferentes processos respiratórios Descrever a função dos órgãos respiratórios dos animais. 6. Compreender a estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano 6.1. Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema respiratório humano Descrever o mecanismo de ventilação, com recurso a atividades práticas Relacionar as caraterísticas morfológicas dos alvéolos pulmonares com as trocas gasosas alveolares Caraterizar as trocas gasosas ocorridas ao nível dos alvéolos pulmonares e dos tecidos Referir o papel do sangue nas trocas gasosas Indicar as principais causas das doenças respiratórias mais comuns, com destaque para a exposição ao fumo do tabaco e para a poluição do ar interior 6.7. Reconhecer a importância das regras de higiene no equilíbrio do sistema respiratório. 7. Compreender a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano 7.1. Descrever aspetos morfológicos e anatómicos do coração de um mamífero, numa atividade prática laboratorial Legendar esquemas representativos da morfologia e da anatomia do coração humano Relacionar a estrutura dos três tipos de vasos sanguíneos com a função que desempenham Indicar a estrutura do sangue e a função dos principais constituintes Comparar resultados de análises sanguíneas com os valores de referência Descrever a circulação sistémica e a circulação pulmonar Distinguir sangue venoso de sangue arterial Descrever as principais etapas do ciclo cardíaco Relacionar os estilos de vida com as doenças cardiovasculares Indicar alguns cuidados que contribuem para o bom funcionamento do sistema cardiovascular Demonstrar os procedimentos de deteção de ausência de sinais de ventilação e de circulação numa pessoa, e de acionamento do sistema integrado de emergência médica.

10 8. Compreender a estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano 8.1. Descrever o papel da função excretora na regulação do organismo Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema urinário Descrever a função dos órgãos que constituem o sistema urinário Indicar os produtos de excreção da respiração celular Justificar a importância da circulação sanguínea na função excretora Descrever a formação, a constituição e o papel da urina Indicar alguns cuidados a ter com o sistema urinário. 9. Conhecer o papel da pele na função excretora humana 9.1. Legendar esquemas representativos da morfologia da pele Descrever a formação, a constituição e o papel do suor Referir a função da pele na eliminação de excreções do corpo Indicar alguns cuidados a ter com a pele. Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nas plantas 10. Compreender a importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas Enunciar uma definição de fotossíntese Indicar fatores que influenciam o processo fotossintético, com base em atividades práticas laboratoriais Referir a função dos cloroplastos Distinguir seiva bruta de seiva elaborada Descrever a circulação da seiva bruta, através de uma atividade prática laboratorial Relacionar os produtos da fotossíntese com a respiração celular das plantas. 11. Compreender a importância das plantas como fonte de nutrientes, de matériaprima e de renovação do ar atmosférico Indicar diferentes órgãos das plantas onde ocorre a acumulação de reservas alimentares Identificar alguns glícidos e lípidos em órgãos das plantas, através de atividades práticas laboratoriais Descrever diferentes utilizações das plantas na sociedade atual, com base em pesquisa orientada Referir a importância da transpiração para as plantas Indicar a função dos estomas Relacionar as trocas gasosas ocorridas nas plantas com a renovação do ar atmosférico Descrever o modo como a desflorestação e os incêndios alteram o Índice de Qualidade do Ar Indicar três medidas de proteção da floresta.

11 Transmissão de vida: reprodução no ser humano 12. Compreender a puberdade como uma fase do crescimento humano Distinguir, dando exemplos, caracteres sexuais primários de caracteres sexuais secundários Relacionar o amadurecimento dos órgãos sexuais com as manifestações anatómicas e fisiológicas que surgem durante a puberdade, nos rapazes e nas raparigas 13. Conhecer os sistemas reprodutores humanos Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema reprodutor feminino e do sistema reprodutor masculino Descrever a função dos órgãos que constituem o sistema reprodutor feminino e o sistema reprodutor masculino Relacionar, esquematicamente, o ciclo menstrual com a existência de um período fértil. 14. Compreender o processo da reprodução humana Caraterizar o processo da fecundação Distinguir fecundação de nidação Enumerar os principais anexos embrionários e as suas funções Reconhecer a importância dos cuidados de saúde na primeira infância. Transmissão de vida: reprodução nas plantas 15. Compreender o mecanismo de reprodução das plantas com semente Descrever a função dos órgãos que constituem uma flor Enunciar a importância dos agentes de polinização Descrever o processo da fecundação Distinguir, dando exemplos, frutos carnudos de frutos secos Indicar a importância da dispersão das sementes para a distribuição espacial das plantas Enunciar as condições necessárias à germinação de uma semente, através da realização de atividades práticas

12 AGRESSÕES DO MEIO E INTEGRIDADE DO ORGANISMO Microrganismos 16. Compreender o papel dos microrganismos para o ser humano Descrever o contributo de dois cientistas para a descoberta de microrganismos Relacionar a evolução do microscópio com a descoberta de novos microrganismos Indicar nomes de grupos de microrganismos Distinguir microrganismos patogénicos de microrganismo úteis ao ser humano, com a apresentação de exemplos Descrever a influência de alguns fatores do meio no desenvolvimento de microrganismos, através de atividades práticas. 17. Compreender as agressões causadas por alguns agentes patogénicos Enunciar uma doença provocada por bactérias, por fungos, por protozoários e por vírus no ser humano Indicar mecanismos de barreira naturais do corpo humano à entrada de agentes patogénicos Referir o modo como atuam os mecanismos de defesa interna do organismo humano Indicar três regras de higiene que contribuem para a prevenção de doenças infeciosas Explicar a importância das vacinas Discutir o uso adequado de antibióticos e de medicamentos de venda livre. Higiene e problemas sociais 18. Compreender a influência da higiene e da poluição na saúde humana Enumerar alguns cuidados de higiene corporal diária Citar medidas de higiene mental e normas de higiene alimentar Identificar exemplos de diferentes tipos de poluição do ar interior, com destaque para os poluentes evitáveis, como o fumo ambiental do tabaco Indicar alguns exemplos de diferentes tipos de poluição do ar exterior, da água e do solo Descrever as consequências da exposição a poluentes do ar interior e exterior, da água e do solo na saúde individual, nos seres vivos e no ambiente Enumerar medidas de controlo da poluição e de promoção de ambientes saudáveis.

13 PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS - 5º Ano Domínios Subdomínios Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Nível 5 Terra como um planeta especial. compreender a Terra como um planeta especial. Compreende a Terra como um planeta especial. facilidade a Terra como um planeta especial. Terra como um planeta especial. A importância das rochas e do solo na manutenção da vida Não compreende que o solo é um material terrestre de suporte de vida. compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreende que o solo é um material terrestre de suporte de vida. facilidade que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreende claramente que o solo é um material terrestre de suporte de vida. A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES A importância da água para os seres vivos importância das rochas e dos minerais. importância da água para os seres vivos. importância da qualidade da água para a atividade humana. compreender a importância das rochas e dos minerais. compreender a importância da água para os seres vivos compreender a importância da qualidade da água para a atividade humana. Compreende a importância das rochas e dos minerais. Compreende a importância da água para os seres vivos Compreende a importância da qualidade da água para a atividade humana. facilidade a importância das rochas e dos minerais. facilidade a importância da água para os seres vivos. facilidade a importância da qualidade da água para a atividade humana. importância das rochas e dos minerais. importância da água para os seres vivos. importância da qualidade da água para a atividade humana.

14 A importância do ar para os seres vivos importância da atmosfera para os seres vivos. compreender a importância da atmosfera para os seres vivos. Compreende a importância da atmosfera para os seres vivos. facilidade a importância da atmosfera para os seres vivos. importância da atmosfera para os seres vivos. Não interpreta as caraterísticas dos organismos em função dos ambientes onde vivem. interpretar as caraterísticas dos organismos em função dos ambientes onde vivem. Interpreta as caraterísticas dos organismos em função dos ambientes onde vivem. Interpreta com facilidade as caraterísticas dos organismos em função dos ambientes onde vivem. Interpreta claramente as caraterísticas dos organismos em função dos ambientes onde vivem. diversidade de regimes alimentares dos animais tendo em conta o respetivo habitat. compreender a diversidade de regimes alimentares dos animais tendo em conta o respetivo habitat. Compreende a diversidade de regimes alimentares dos animais tendo em conta o respetivo habitat. facilidade a diversidade de regimes alimentares dos animais tendo em conta o respetivo habitat. diversidade de regimes alimentares dos animais tendo em conta o respetivo habitat. DIVERSIDADE DE SERES VIVOS E SUAS INTERAÇÕES COM O MEIO Diversidade nos animais diversidade de processos reprodutivos dos animais. compreender a diversidade de processos reprodutivos dos animais. Compreende a diversidade de processos reprodutivos dos animais. facilidade a diversidade de processos reprodutivos dos animais. diversidade de processos reprodutivos dos animais. Não conhece a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas e comportamentais dos animais. conhecer a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas e comportamentais dos animais. Conhece a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas e comportamentais dos animais. Conhece com facilidade a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas e comportamentais dos animais. Conhece claramente a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas e comportamentais dos animais. importância da proteção da biodiversidade animal. compreender a importância da proteção da biodiversidade animal. Compreende a importância da proteção da biodiversidade animal. facilidade a importância da proteção da biodiversidade animal. importância da proteção da biodiversidade animal.

15 Diversidade nas plantas Não conhece a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas das plantas. importância da proteção da diversidade vegetal. conhecer a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas das plantas. compreender a importância da proteção da diversidade vegetal. Conhece a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas das plantas. Compreende a importância da proteção da diversidade vegetal. Conhece com facilidade a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas das plantas. facilidade a importância da proteção da diversidade vegetal. Conhece claramente a influência dos fatores abióticos nas adaptações morfológicas das plantas. importância da proteção da diversidade vegetal. UNIDADE NA DIVERSIDADE DE SERES VIVOS Célula unidade básica de vida Não aplica a microscopia na descoberta do mundo invisível. Não compreende que a célula é a unidade básica da vida. aplicar a microscopia na descoberta do mundo invisível. compreender que a célula é a unidade básica da vida. Aplica a microscopia na descoberta do mundo invisível. Compreende que a célula é a unidade básica da vida. Aplica com facilidade a microscopia na descoberta do mundo invisível. facilidade que a célula é a unidade básica da vida. Aplica claramente a microscopia na descoberta do mundo invisível. Compreende claramente que a célula é a unidade básica da vida. Diversidade a partir da unidade níveis de organização hierárquica importância da classificação dos seres vivos. compreender a importância da classificação dos seres vivos. Compreende a importância da classificação dos seres vivos. facilidade a importância da classificação dos seres vivos. importância da classificação dos seres vivos.

16 PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS - 6º Ano Domínios Subdomínios Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Nível 5 importância de uma alimentação equilibrada e segura. compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura. Compreende a importância de uma alimentação equilibrada e segura. facilidade a importância de uma alimentação equilibrada e segura. muita facilidade a importância de uma alimentação equilibrada e segura. Não conhece o processo digestivo do ser humano. conhecer o processo digestivo do ser humano. Conhece o processo digestivo do ser humano. Conhece com facilidade o processo digestivo do ser humano. Conhece claramente o processo digestivo do ser humano. PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais Não relaciona os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros. relacionar os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros. Relaciona os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros. Relaciona com facilidade os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros. Relaciona com muita facilidade os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros. relação existente entre a respiração externa e a respiração celular. compreender a relação existente entre a respiração externa e a respiração celular. Compreende a relação existente entre a respiração externa e a respiração celular. facilidade a relação existente entre a respiração externa e a respiração celular. relação existente entre a respiração externa e a respiração celular. importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas. compreender a importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas. Compreende a importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas. facilidade a importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas. muita facilidade a importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas.

17 estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano. compreender a estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano. Compreende a estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano. facilidade a estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano. claramente a estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano. estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano. compreender a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano. Compreende a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano. facilidade a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano. muita facilidade a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano. estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano. compreender a estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano. Compreende a estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano. facilidade a estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano. estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano. Não conhece o papel da pele na função excretora humana. conhecer o papel da pele na função excretora humana. Conhece o papel da pele na função excretora humana. Conhece com facilidade o papel da pele na função excretora humana. Conhece com muita facilidade o papel da pele na função excretora humana. Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nas plantas importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas. importância das plantas como fonte de nutrientes, de matéria-prima e de renovação do ar atmosférico. compreender a importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas. compreender a importância das plantas como fonte de nutrientes, de matériaprima e de renovação do ar atmosférico. Compreende a importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas. Compreende a importância das plantas como fonte de nutrientes, de matériaprima e de renovação do ar atmosférico. facilidade a importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas. facilidade a importância das plantas como fonte de nutrientes, de matériaprima e de renovação do ar atmosférico. importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas. muita facilidade a importância das plantas como fonte de nutrientes, de matériaprima e de renovação do ar atmosférico.

18 puberdade como uma fase do crescimento humano. compreender a puberdade como uma fase do crescimento humano. Compreende a puberdade como uma fase do crescimento humano. facilidade a puberdade como uma fase do crescimento humano. puberdade como uma fase do crescimento humano. Transmissão de vida: reprodução no ser humano Não conhece os sistemas reprodutores humanos. conhecer os sistemas reprodutores humanos. Conhece os sistemas reprodutores humanos. Conhece com facilidade os sistemas reprodutores humanos. Conhece com muita facilidade os sistemas reprodutores humanos. Não compreende o processo da reprodução humana. compreender o processo da reprodução humana. Compreende o processo da reprodução humana. facilidade o processo da reprodução humana. Compreende claramente o processo da reprodução humana. Transmissão de vida: reprodução nas plantas Não compreende o mecanismo de reprodução das plantas com semente. compreender o mecanismo de reprodução das plantas com semente. Compreende o mecanismo de reprodução das plantas com semente. facilidade o mecanismo de reprodução das plantas com semente. muita facilidade o mecanismo de reprodução das plantas com semente. AGRESSÕES DO MEIO E INTEGRIDADE DO ORGANISMO Microrganismos Higiene e problemas sociais Não compreende o papel dos microrganismos para o ser humano. s agressões causadas por alguns agentes patogénicos. s agressões causadas por alguns agentes patogénicos. compreender o papel dos microrganismos para o ser humano. compreender as agressões causadas por alguns agentes patogénicos. compreender as agressões causadas por alguns agentes patogénicos. Compreende o papel dos microrganismos para o ser humano. Compreende as agressões causadas por alguns agentes patogénicos. Compreende a influência da higiene e da poluição na saúde humana. facilidade o papel dos microrganismos para o ser humano. facilidade as agressões causadas por alguns agentes patogénicos. Compreende facilidade as agressões causadas por alguns agentes patogénicos. Compreende claramente o papel dos microrganismos para o ser humano. muita facilidade as agressões causadas por alguns agentes patogénicos. Compreende claramente as agressões causadas por alguns agentes patogénicos.

19 Atitudes e Valores Perfil de aprendizagem Metas de aprendizagem da disciplina Capacidades Conhecimentos Departamento Ciências Experimentais Grupo 230 CRITÉRIOS GERAIS de AVALIAÇÃO PARÂMETROS de AVALIAÇÃO Domínios Parâmetros de avaliação Instrumentos Classificação (ponderação) Adquirir, compreender e aplicar conhecimentos. Fichas de avaliação. (1) Fichas de trabalho. Questões-aula. 50% Dominar técnicas experimentais. Realizar trabalhos individuais e/ou em grupo. Participar oralmente utilizando vocabulário específico da disciplina. Trabalhos de pesquisa em grupo e/ou individuais. Trabalhos práticos/experimentais em sala de aula. Relatórios. Grelhas de observação direta. 30% 80% Nota: Sempre que não exista avaliação para um destes instrumentos, a percentagem será revertida para os outros instrumentos. Ser assíduo e pontual. Cumprir normas de funcionamento da aula. Revelar responsabilidade. (2) Revelar autonomia. Grelhas de observação direta. Caderno diário. 20% (1) Será realizada pelo menos uma ficha de avaliação por período. (2) Para avaliar o parâmetro da responsabilidade do aluno tem-se em conta: realização dos trabalhos de casa, caderno diário e apresentação dos materiais necessários.

20 Domínio Atitudes e valores Parâmetros de avaliação Ponderação Parcial (%) Departamento Ciências Experimentais Grupo 230 Ciências Naturais 2º Ciclo Descritores do Ensino Básico Pontualidade/Assiduidade 2% Nº de faltas dadas pelo aluno Responsabilidade Trabalhos de casa Caderno diário Cumprimento das normas de funcionamento da aula Autonomia 5% Nº de trabalhos de casa realizados pelo aluno 5% Material 2% 4% 2% Níveis de consecução (%) Em função da % do nº de faltas dadas Em função da % do nº de tpc realizados O aluno não apresenta caderno diário 0 O aluno não tem o caderno diário organizado 1-49 O aluno tem o caderno diário razoavelmente organizado O aluno tem o caderno diário bem organizado O aluno tem o caderno diário muito bem organizado O aluno nunca tem o material necessário 0 O aluno raramente tem o material necessário 1-49 O aluno nem sempre tem o material necessário O aluno tem frequentemente o material necessário O aluno tem sempre o material necessário O aluno nunca cumpre as normas de funcionamento 0 O aluno raramente cumpre as normas de funcionamento 1-49 O aluno nem sempre cumpre as normas de funcionamento O aluno cumpre frequentemente as normas de funcionamento O aluno cumpre sempre as normas de funcionamento O aluno nunca realiza as atividades propostas de forma autónoma. 0 O aluno raramente realiza as atividades propostas de forma autónoma O aluno nem sempre realiza as atividades propostas de forma autónoma O aluno realiza frequentemente as atividades propostas de forma autónoma O aluno realiza sempre as atividades propostas de forma autónoma Ponderação total 20%

21 Definição de níveis de consecução relativos aos parâmetros de avaliação Nível 1: Revela muitas dificuldades: na aquisição de conhecimentos; na compreensão de conhecimentos; na aplicação de conhecimentos em novas situações. Não demonstra empenho nem interesse na aprendizagem; Perturba as aulas; Não realiza as tarefas propostas na aula e para casa; Pouco pontual/assíduo; Não participa nem revela interesse em atividades relacionadas com a disciplina. Nível 2: Revela muitas dificuldades: na aquisição de conhecimentos; na compreensão de conhecimentos; na aplicação de conhecimentos em novas situações. Demonstra pouco empenho e interesse na aprendizagem; Distrai-se frequentemente nas aulas; Raramente realiza as tarefas propostas na aula e para casa; Pouco pontual/assíduo; Participa pouco e revela pouco interesse em atividades relacionadas com a disciplina. Nível 3: Revela algumas dificuldades: na aquisição de conhecimentos; na compreensão de conhecimentos; na aplicação de conhecimentos em novas situações. Demonstra algum empenho e interesse na aprendizagem; Acompanha o diálogo nas aulas; Realiza quase sempre as tarefas propostas na aula e para casa; É pontual/assíduo; Participa e revela interesse em atividades relacionadas com a disciplina. Nível 4: Revela facilidade: na aquisição de conhecimentos; na compreensão de conhecimentos; na aplicação de conhecimentos em novas situações, Demonstra empenho e interesse na aprendizagem; Acompanha e intervém nas aulas; Realiza sempre as tarefas propostas na aula e para casa; É pontual/assíduo; Participa e revela interesse em atividades relacionadas com a disciplina.

22 Nível 5: Revela muita facilidade: na aquisição de conhecimentos; na compreensão de conhecimentos; na aplicação de conhecimentos em novas situações; Demonstra empenho e interesse na aprendizagem; Acompanha e dinamiza as aulas; Realiza sempre as tarefas propostas na aula e para casa e faz trabalhos de pesquisa com qualidade; É pontual/assíduo; Participa sempre e revela muito interesse em atividades relacionadas com a disciplina. Nota: Todos estes parâmetros definidos servem como referência para a atribuição de níveis. ATRIBUIÇÃO de NÍVEIS 1 Avaliação global dos parâmetros com um total entre 0 e 19 % 2 Avaliação global dos parâmetros com um total entre 20 e 49 % 3 Avaliação global dos parâmetros com um total entre 50 e 69% 4 Avaliação global dos parâmetros com um total entre 70 e 89 % 5 Avaliação global dos parâmetros com um total entre 90 e 100 % Fichas de Avaliação e Níveis Percentagem (%) Nomenclatura Nível 0 a 19 1 Insuficiente 20 a a 69 Suficiente 3 70 a 89 Bom 4 90 a 100 Muito Bom 5

Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual

Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual 2015-2016 CIÊNCIAS NATURAIS METAS

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/201 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programas e Metas Curriculares do Ensino Básico 2º CICLO CIÊNCIAS NATURAIS º ANO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJETO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º Ano

ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJETO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º Ano ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LETIVO 2014 / 2015 PROJETO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º Ano DOMÍNIO: A TERRA UM PLANETA ESPECIAL Onde existe vida? O que é a Biosfera? 1 Compreender

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS 5ºANO

PERFIL DE APRENDIZAGENS 5ºANO 5ºANO No final do 5º ano, o aluno deverá ser capaz de: DISCIPLINA DOMÍNIO DESCRITOR Compreender a Terra como um planeta especial Indicar três fatores que permitam considerar a Terra um planeta com vida.

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos. Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo:

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos. Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: 2016-17 / Nº aulas Conteúdos Metas Aulas previstas A importância

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo:

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 5ºAno Ano letivo: 2015-16 Período Conteúdos INTRODUÇÃO Onde existe vida? Primeira

Leia mais

6º ANO DE ESCOLARIDADE

6º ANO DE ESCOLARIDADE PLANIFICAÇÃO 2016/2017 ENSINO BÁSICO (2º CICLO) - PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO DE ESCOLARIDADE 1.º PERÍODO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) ATIVIDADES

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo:

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2016-17 Período / Nº Aulas Conteúdos Metas Aulas previstas 1ºPeríodo

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Escola EB1 João de Deus COD. 242 937 Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD. 346 779 Critérios de Avaliação Perfil de Aprendizagens Específicas (Aprovados em Conselho Pedagógico a 20 de junho de

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO CIÊNCIAS DA NATUREZA - 2º CICLO (PROVA 02) O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico, a realizar em 2015 pelos alunos que

Leia mais

2º ciclo 6º ano Planificação Anual CIÊNCIAS NATURAIS CONTEÚDOS E METAS CURRICULARES ANO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS

2º ciclo 6º ano Planificação Anual CIÊNCIAS NATURAIS CONTEÚDOS E METAS CURRICULARES ANO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS 6º ANO Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 2º ciclo 6º ano Planificação Anual 2015-2016 CIÊNCIAS NATURAIS METAS CURRICULARES

Leia mais

Metas de Aprendizagem

Metas de Aprendizagem ESCOLA E B 2,/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS e TECNOLOGIAS 2016/2017 PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 6ºANO, 2º CICLO Pedrógão Grande

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 5.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 5.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Diversidade de seres vivos e suas interações com o meio, o aluno deve ser capaz de: Interpretar as características dos

Leia mais

Metas de Aprendizagem 1º período (16 de setembro a 17 de dezembro)

Metas de Aprendizagem 1º período (16 de setembro a 17 de dezembro) Pedrógão Grande ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS e TECNOLOGIAS 2015/2016 PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 5ºANO, 2º

Leia mais

ROTA DE APRENDIZAGEM Ciências Naturais - 6.º Ano

ROTA DE APRENDIZAGEM Ciências Naturais - 6.º Ano Projeto 1 Os alimentos como veículo de nutrientes. ROTA DE APRENDIZAGEM 2016-2017 Ciências Naturais - 6.º Ano Objetivos gerais: Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura; conhecer

Leia mais

Domínios Conteúdos Objetivos Cotação

Domínios Conteúdos Objetivos Cotação Agrupamento de Escolas de Samora Correia INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS 2016 Prova 02 2ºCiclo do Ensino Básico - 6º ano (Decreto-Lei n.º 17/2016 de 4 de abril e Despacho

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (Ciências Naturais) 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo)

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 CIÊNCIAS NATURAIS (2º ciclo) (2º ciclo) 5º ano Compreender a como um planeta especial. Compreender que o solo é um material terrestre de suporte de vida. Compreender a importância das rochas e dos minerais. Compreender a importância

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Informações aos Encarregados de Educação do trabalho a realizar no: 5º Ano Ciências Naturais Ano Letivo 2015/2016 1. Aulas previstas: Aulas (*) 5º1ª 5º2ª 5º3ª 5º4ª 1º Período: 21 de Setembro - 17 de Dezembro

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 Terra, um planeta com vida Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta com vida conhecida no Sistema Solar 1.1. Identificar a posição

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO. Calendarização /2011

CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO. Calendarização /2011 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS JOÃO AFONSO CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO Calendarização - 20/2011 Período Data N.º semanas Número de tempos 8 minutos) por ano de escolaridade

Leia mais

Domínio 1: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Subdomínio 1: Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais

Domínio 1: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Subdomínio 1: Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D R. V I E I R A D E C A R V A L H O D E P A R T A M E N T O D E M A T E M Á T I C A E C I Ê N C I A S E X P E R I M E N T A I S P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A

Leia mais

Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012

Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012 Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS TROCAS NUTRICIONAIS ENTRE O ORGANISMO E O MEIO Nos animais: Alimentos como veículo de nutrientes Como

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Ano letivo 01/016 CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período : Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS 1.1. Importância de uma alimentação equilibrada e segura Alimentos e nutrientes;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LECTIVO 2014 / 2015 PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano DOMÍNIO: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 6º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 6º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1, 2, / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 6º Ano A N O L E C T I V O D E 2

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Período 1ºPeríodo Nº Aulas previstas 37 aulas Conteúdos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE 1. OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura Nutrientes - o que são Funções dos nutrientes ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE Apresentar

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio dos Processos vitais comuns aos seres vivos o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância de uma alimentação equilibrada

Leia mais

VIVER MELHOR NA TERRA 1º PERÍODO. Apresentação. - Indicadores do estado de saúde de uma população. - Medidas de acção para a promoção da saúde.

VIVER MELHOR NA TERRA 1º PERÍODO. Apresentação. - Indicadores do estado de saúde de uma população. - Medidas de acção para a promoção da saúde. p.1/8 VIVER MELHOR NA TERRA 40 1º PERÍODO OBSERVAÇÃO: Apresentação SAÚDE INDIVIDUAL COMUNITÁRIA E - Indicadores do estado de saúde de uma população. - Medidas de acção para a promoção da saúde. - Conhecer

Leia mais

2º Ciclo do Ensino Básico 2ª FASE

2º Ciclo do Ensino Básico 2ª FASE ESCOLA BÁSICA 2,3 PROFESSOR JOÃO FERNANDES PRATAS Matriz do Exame de Equivalência à Frequência _2010_/_2011_ Disciplina Ciências da Natureza Duração da prova - _90_minutos 2º Ciclo do Ensino Básico 2ª

Leia mais

Metas Curriculares Ciências Naturais Ensino Básico 5.º, 6.º, 7.º e 8.º anos (Versão para discussão pública)

Metas Curriculares Ciências Naturais Ensino Básico 5.º, 6.º, 7.º e 8.º anos (Versão para discussão pública) Metas Curriculares Ciências Naturais Ensino Básico 5.º, 6.º, 7.º e 8.º anos (Versão para discussão pública) Jorge Bonito (Coordenador) Margarida Morgado Marta Silva Dulce Figueira Marta Serrano José Mesquita

Leia mais

ESCOLA EB2,3 PADRE ANTÓNIO LUÍS MOREIRA

ESCOLA EB2,3 PADRE ANTÓNIO LUÍS MOREIRA ESCOLA EB2,3 PADRE ANTÓNIO LUÍS MOREIRA METAS CURRICULARES DE CIÊNCIAS NATURAIS 5º ANO DOMÍNIO: A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES Subdomínio:A importância das rochas e do solo na manutenção

Leia mais

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO Ciências da Natureza 2º Ciclo 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico, a realizar em 2013 pelos alunos que se encontram

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 9º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 9º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 9º Ano COMPETÊNCIAS TEMAS/UNIDADES CONTEÚDOS 1º Período Aulas Previstas 28 Definir saúde segundo a O.M.S. Identificar medidas individuais promotoras de saúde.

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 8.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 8.º Ano Projeto 1 Condições que permitem a vida na Terra Ciências Naturais Compreender o ambiente! Tempo Previsto: 1 quinzena 1.ª Fase: Posição da Terra no Sistema Solar 2.ª Fase: Condições da Terra que permitem

Leia mais

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais (Curso Vocacional 9ºK) 9ºAno

Planificação Anual GR Disciplina Ciências Naturais (Curso Vocacional 9ºK) 9ºAno Planificação Anual GR 520 - Disciplina Ciências Naturais (Curso Vocacional 9ºK) 9ºAno Estratégias / Processos de operacionalização 1º Módulo 6 - Manual virtual A avaliação final da disciplina 18 1. Saúde

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Ano letivo 2014/2015

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Ano letivo 2014/2015 CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO Turmas A e B PLANIFICAÇÃO 1º PERÍODO CONTEÚDOS OBJECTIVOS/METASCURRICULARES CONCEITOS TERRA UM PLANETA COM - Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 6.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 6.º Ano Ciências Naturais Projeto 1 Os alimentos como veículo de nutrientes. Tempo Previsto: 3 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Alimentação saudável e segura 2.ª Fase: O Processo digestivo de ser humano 3.ª Fase:

Leia mais

EsEscola Básica 2.3 de Pedro de Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 6º Ano Planificação Anual de Ciências da Natureza

EsEscola Básica 2.3 de Pedro de Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 6º Ano Planificação Anual de Ciências da Natureza EsEscola Básica 2.3 Pedro Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 6º Ano Planificação Anual Ciências da Natureza Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividas Recursos Avaliação Preparar e organizar o trabalho a

Leia mais

1.º Período 42 aulas. Tempos lectivos previstos. Materiais Recursos. Temas / Conteúdos Competências Específicas Sugestões Metodológicas

1.º Período 42 aulas. Tempos lectivos previstos. Materiais Recursos. Temas / Conteúdos Competências Específicas Sugestões Metodológicas Agrupamento de Escolas À Beira Douro Escola Básica e Secundária À Beira Douro - Medas 1.º Período 42 aulas Unidade 1 - Vida na Terra Introdução - Onde existe Vida? - Primeira abordagem ao conceito de Biosfera.

Leia mais

C R I T É R I O S E C O M P E T Ê N C I A S

C R I T É R I O S E C O M P E T Ê N C I A S D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1, 2, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS C R I T É R I O S E C O M P E T Ê N C I A S

Leia mais

Ano Lectivo de 2006/2007. Ano de escolaridade/turma: 6º. Professores: Rui Gaspar Hugo Coelho

Ano Lectivo de 2006/2007. Ano de escolaridade/turma: 6º. Professores: Rui Gaspar Hugo Coelho REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RABO DE PEIXE EB 2,3 RUI GALVÃO DE CARVALHO Ano Lectivo de 2006/2007 Ano de

Leia mais

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: Ciências da Natureza

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: Ciências da Natureza Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: Ciências da Natureza 2º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate.

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate. ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: Ciências Naturais Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS AULAS

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010/ 2011 Ciências Naturais 9º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL POR PERÍODO 1º Período Objectivos / Competências Compreender que a saúde envolve o bem estar físico,

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 8º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 8º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 8º Ano COMPETÊNCIAS TEMAS/UNIDADES CONTEÚDOS 1º Período SUSTENTABILIDADE NA TERRA 28 Compreender o significado dos conceitos: espécie, população, comunidade,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO Planeamento Curricular referente ao 1 º Período Ano e Turma 5º Disciplina Ciências Naturais Prof. (a) N.º Aulas Previstas Domínio: ÁGUA, O AR, AS ROCHAS

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

1. INTRODUÇÃO. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA MATRIZ EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Planificação Anual de Ciências Naturais 5º ano

Planificação Anual de Ciências Naturais 5º ano Planificação Anual de Ciências Naturais 5º ano 1º Período ( 17 semanas) Ano Lectivo 2012/2013 Apresentação. Regras de trabalho na aula. Ficha diagnóstica. 3 Introdução Onde existe vida? Primeira abordagem

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO Período Nº semanas Nº de aulas Previstas 1º 13 37 2º 10 32 3º 9 27 TOTAL 96 Domínios Subdomínios

Leia mais

Programa de Oportunidade II de Ciências da Natureza 2011/2012

Programa de Oportunidade II de Ciências da Natureza 2011/2012 1º Período 0. Introdução ao novo ano lectivo: - As regras de trabalho na disciplina; - Como deve comportar-se e agir na sala de aula; - A que grupo de trabalho pertence e qual será o seu representante;

Leia mais

Guia de exploração de recursos multimédia

Guia de exploração de recursos multimédia Guia de exploração de recursos multimédia Poupe tempo na preparação e dinamização das suas aulas. Diversifique abordagens, de acordo com as necessidades das suas turmas. Avalie de forma fácil e completa.

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais. 1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura 1.1. Apresentar um conceito de

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 5º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 5º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1, 2, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) º Ano A N O L E C T I V O D E 2

Leia mais

Critérios de Avaliação PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS. (Aprovado em Conselho Pedagógico de 18 de julho de 2016)

Critérios de Avaliação PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS. (Aprovado em Conselho Pedagógico de 18 de julho de 2016) A SUSTENTABILIDADE NA TERRA Terra um planeta com vida Escola EB1 João de Deus COD. 242 937 Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD. 346 779 Critérios de Avaliação PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS

Leia mais

Ciências Naturais 5º ano

Ciências Naturais 5º ano Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B.,3 Dr. António Chora Barroso Ciências Naturais 5º ano Planificação a Longo Prazo 013/014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar

Leia mais

Informação Prova de Exame de Equivalência à Frequência de Ciências Naturais

Informação Prova de Exame de Equivalência à Frequência de Ciências Naturais Informação Prova de Exame de Equivalência à Frequência de Ciências Naturais Prova de Ciências Naturais - 6º ano 2.º Ciclo do Ensino Básico Prova Escrita Código 02 abril / 2015 5 Páginas 1. Introdução O

Leia mais

Tipo de Prova: ESCRITA

Tipo de Prova: ESCRITA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ÓSCAR LOPES, MATOSINHOS 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Prova 10 3.º Ciclo do Ensino Básico(Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de

Leia mais

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais

Ano lectivo 2010 / 2011 Conteúdos programáticos essenciais Ano de escolaridade: 7º ano Área curricular disciplinar de Ciências Naturais A Terra no Espaço Terra - Um Planeta com Vida. - Condições que permitem a existência de vida. - A Terra como um Sistema. Ciência,

Leia mais

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 5º ANO 2014/2015

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 5º ANO 2014/2015 PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 5º ANO 2014/2015 Domínio Subdomínio Objetivo Geral Descritores Conteúdos Atividades Recursos Avaliação Calendarização ORGANIZAÇÃO DO ANO LETIVO - INTRODUÇÃO 1. Compreender

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ BELCHIOR VIEGAS ANO LETIVO 2016/17

CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ BELCHIOR VIEGAS ANO LETIVO 2016/17 CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ BELCHIOR VIEGAS ANO LETIVO 2016/17 PERÍODO Nº AULAS PREVISTAS 1º Período 38 DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS I SAÚDE INDIVIDUAL E COMUNITÁRIA A- SAÚDE E QUALIDADE

Leia mais

3º Ciclo (7º, 8º e 9 º Anos) Calendarização 2010/11

3º Ciclo (7º, 8º e 9 º Anos) Calendarização 2010/11 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS JOÃO AFONSO PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 3º Ciclo (7º, 8º e 9 º Anos) Conteúdos/ Metas de Aprendizagem Calendarização

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA PLANIFICAÇÃO ANUAL Professor: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências da Natureza Ano: 6 Turma: A Ano lectivo: 2011/2012

Leia mais

Planificação a longo prazo 2014/2015

Planificação a longo prazo 2014/2015 Planificação a longo prazo 2014/2015 1º Período Tema organizador: Viver melhor na Terra Conteúdos Nº de aulas Apresentação 1 1. Trocas nutricionais entre o organismo e o meio 9 1.1. Os alimentos como veículos

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: Ciências ÁREA DE ENSINO: FUNDAMENTAL I SÉRIE\ ANO: 4º ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: Ciências ÁREA DE ENSINO: FUNDAMENTAL I SÉRIE\ ANO: 4º ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 A VIDA SOB MICROSCÓPIO *Conhecer a história do microscópio *Conhecer doenças causadas por microrganismos *conhecer que os seres vivos são formados por células *Conhecendo microscópio e sua utilidade.

Leia mais

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA

Domínio: TERRA UM PLANETA COM VIDA SISTEMA TERRA: DA CÉLULA À BIODIVERSIDADE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 7.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra em transformação o aluno deve ser capaz de: Compreender a diversidade das paisagens geológicas (meta 1); Compreender

Leia mais

Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo

Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L 9º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L 9º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1,, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L 9º Ano A N O L E C T I V O D E 0 1 1 / 0 1

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra-

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- Tema / Capítulos Competências/Objectivos Estratégias / Actividades Recursos/ Materiais Avaliação Aulas previstas (45 min) Tema I Ecossistemas

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano Projeto 1 Onde existe Vida? Tempo Previsto: 4 quinzenas (do 1ºPeríodo) Ciências Naturais A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 1.ª Fase: Terra um planeta com vida 2.ª Fase: A importância

Leia mais

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (9.º ANO) 2016/2017 Docentes: João Mendes e Vanda Messenário

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (9.º ANO) 2016/2017 Docentes: João Mendes e Vanda Messenário PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (9.º ANO) 2016/2017 Docentes: João Mendes e Vanda Messenário Metras Curriculares Estratégias Tempo Avaliação Saúde individual e comunitária 1. Compreender a importância da

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Ciências da Natureza Ensino Básico 2008/2009 Programação de Ciências da Natureza - 6º Ano

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Ciências da Natureza Ensino Básico 2008/2009 Programação de Ciências da Natureza - 6º Ano Competências 1º Período - Apresentação; - Manual escolar e sua utilização; - Recordar ao aluno, o ambiente e condições de trabalho da disciplina; - Proporcionar ao aluno, o conhecimento das regras pelas

Leia mais

- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS

- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Informação - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS 2016 Prova 02 Escrita ------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 2.º

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS 7ºANO

PERFIL DE APRENDIZAGENS 7ºANO Ciências Naturais Terra em Transformação PERFIL DE APRENDIZAGENS 7ºANO No final do 7.º ano, o aluno deverá ser capaz de: DISCIPLINA DOMÍNIO DESCRITOR Identificar paisagens constituídas por rochas magmáticas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR 520 PLANIFICAÇÃO

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISICPLINAR 520 PLANIFICAÇÃO ANO: 12º NÍVEL: Biologia ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 1º PERÍODO 45 UNIDADE 1 REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÂO DA FERTILIDADE 1- REPRODUÇÃO HUMANA Gametogénese e fecundação Controlo Hormonal Desenvolvimento embrionário

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde Escola Básica 1/JI do Casal do Sapo Ano Letivo /2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde Escola Básica 1/JI do Casal do Sapo Ano Letivo /2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde Escola Básica 1/JI do Casal do Sapo Ano Letivo - 201/201 Planificação de Ciências Naturais 9º ano de escolaridade

Leia mais

Conteúdo Descritivo. Saúde e qualidade de vida da população

Conteúdo Descritivo. Saúde e qualidade de vida da população Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Disciplina: Ciências Naturais PLANIFICAÇÃO ANUAL DO 9º ANO Conteúdo Descritivo Nº de aulas previstas [5'] 1º PERÍODO 36 Apresentação/ acolhimento / considerações

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio da Terra em transformação o aluno deve ser capaz de: Compreender a diversidade das paisagens geológicas (meta 1); Compreender

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O 6º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O 6º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB, 2, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O 6º Ano A N O L E C T I V O D E 2 0 / 2 0 2 DISCIPLINA

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Ano letivo 2014/2015

Agrupamento de Escolas de Moura Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) Ano letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO 1º PERÍODO Saúde 1. Saúde individual e comunitária Compreender o conceito de saúde Epidemia Tempos previstos ( 50 min): 8 Compreender o conceito de qualidade de vida Pandemia 1.1. Indicadores

Leia mais

Ciências Naturais 8. o ano de escolaridade

Ciências Naturais 8. o ano de escolaridade Ciências Naturais 8. o ano de escolaridade SUBDOMÍNIO Sistema Terra: da célula à biodiversidade OBJETIVO: 3. Compreender a célula como a unidade básica da biodiversidade existente na Terra Qual é a unidade

Leia mais

Escola Básica Integrada 1,2,3 / JI Vasco da Gama

Escola Básica Integrada 1,2,3 / JI Vasco da Gama Escola Básica Integrada 1,2,3 / JI Vasco da Gama INFORMAÇÕES PARA A PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE CIÊNCIAS NATURAIS - 2º CICLO Ano Letivo: 2012 /2013, 1ª fase Objeto de avaliação: O Exame de Equivalência

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES: CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES: CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES: CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO Domínios / Subdomínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA. Sistema Terra: da célula

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM

PLANIFICAÇÃO ANUAL. AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2016/2017. PLANIFICAÇÃO ANUAL 3ºCiclo. Ciências Naturais 9ºano Documentos Orientadores: Metas Curriculares de Ciências Naturais de 9º ano, Projeto

Leia mais

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014 C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 2 - Fone (45) 3252-336 - Fax (45) 3379-5822 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ DISCIPLINA: PROFESSOR(A): E-MAIL: Ciências

Leia mais

Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de BIOLOGIA

Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de BIOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Departamento Curricular: Matemática e Ciências Experimentais Grupo Disciplinar: Biologia e Geologia Planificação da disciplina de Biologia e Geologia - 10 º Ano Componente de BIOLOGIA

Leia mais

Domínios/Subdomínio de aulas. de aulas. Terra em Transformação

Domínios/Subdomínio de aulas. de aulas. Terra em Transformação Código 4039 750-90 - Sines Ano letivo: 06/07 Departamento:Matemática e Ciências Experimentais Grupo disciplinar: 50 Disciplina: Ciências Naturais Docentes: Abílio Ferreira, Ana Diniz e Irene Serrão Manual

Leia mais

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Promover o pensamento de uma forma criativa e crítica, relacionando evidências e explicações, confrontando diferentes

Leia mais

ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS. 1. Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade de vida da população

ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS. 1. Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade de vida da população PLANIFICAÇÃO Escola Básica e Secundária de Velas ANO LETIVO: 2014/2015 ANO: 9º ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS COMPETÊNCIAS- CHAVE C1; C3; C5; C8 C1; C3; C5; C7; C8 C1; C3; C4; C5 DOMÍNIOS/ CONTEÚDOS METAS CURRICULARES

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 CICLO: 2º ANO DE ESCOLARIDADE: 6º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da

Leia mais

2.º Ciclo do Ensino Básico (Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril)

2.º Ciclo do Ensino Básico (Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril) INFORMAÇÃO-PROVA CIÊNCIAS NATURAIS 2ºciclo 2016 Prova: Código 02 2.º Ciclo do Ensino Básico (Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril) O presente documento divulga informação relativa à prova de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Competências essenciais Conteúdos Materiais N.º de aulas (45 min.) Compreender que a vida dos seres é assegurada pela realização de funções

Leia mais

PLANIFICAÇÕES 2016/2017

PLANIFICAÇÕES 2016/2017 PLANIFICAÇÕES 2016/2017 ENSINO REGULAR PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO DE ESCOLARIDADE DOMÍNIO: VIVER MELHOR NA TERRA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES)

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO

PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO Provas 1º Bimestre 2012 CIÊNCIAS 4º ANO Identificar o Sol, os planetas e seus satélites

Leia mais

1.1 Apresentar o conceito de saúde e o conceito de qualidade de vida, segundo a Organização Mundial de Saúde.

1.1 Apresentar o conceito de saúde e o conceito de qualidade de vida, segundo a Organização Mundial de Saúde. DISCIPLINA: Ciências Naturais ANO DE ESCOLARIDADE: 9.º Ano 2016/2017 METAS CURRICULARES PROGRAMA DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS 1º PERÍODO VIVER MELHOR NA TERRA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MATOSINHOS ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS DE MATOSINHOS CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Ano lectivo 2010/2011

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MATOSINHOS ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS DE MATOSINHOS CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Ano lectivo 2010/2011 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MATOSINHOS ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS DE MATOSINHOS CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Ano lectivo 2010/2011 CAPÍTULOS CONTEÚDOS INDICADORES DE APRENDIZAGEM Apresentação 1 Visão

Leia mais