Adriano Caetano da Silva Rogerio Marques Marcio da Costa Jardim. Empresa Bandeirante de Energia S/A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Adriano Caetano da Silva Rogerio Marques Marcio da Costa Jardim. Empresa Bandeirante de Energia S/A"

Transcrição

1 XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Adriano Caetano da Silva Rogerio Marques Marcio da Costa Jardim EDP Bandeirante Empresa Bandeirante de Energia S/A EDP Bandeirante Esquema de Corte para Alívio de Carga (ECAM) Palavras-chave Automação COS Carga Corte ECAM PCMC Resumo No caso de subfrequência sustentada em instalações específicas de fronteira/suprimento da Rede Básica com as cargas atendidas localmente causada por déficit de geração disponível, existe a necessidade de um reequilíbrio da razão geração x carga para que a frequência de da rede retorne aos patamares normais de operação. Está estipulado pelo ONS através da RO-GC.BR.01 e da IO-GC.BR.01 que todos os Agentes devem implantar e manter operacional seu próprio PCMC - Plano de Corte manual de Carga, disponibilizando até 35% da carga da região atendida em patamares de até 5% de forma a aliviar o carregamento do ponto de fronteira em contingência, quando o mesmo for solicitado pelo CNOS - Centro Nacional de Operação do Sistema do ONS. Para o aumento da confiabilidade do controle dos carregamentos, a EDP Bandeirante desenvolveu o ECAM Esquema de Corte para Alívio Manual em seu sistema supervisório (SCADA) permitindo o controle de suas cargas em instalações da Rede Básica, permitindo o corte, monitoramento, recomposição e emissão de relatórios de forma mais eficaz. 1/6

2 1. Introdução Antes da solicitação do corte efetivo das cargas atendidas, o CNOS irá explorar os recursos de elevação de geração e controle do intercâmbio de energia entre regiões e caso a frequência do sistema permaneça com frequência igual ou inferior a 59,5Hz com perspectiva de redução, o CNOS solicitará, por meio dos Centros Regionais de Operação, o corte manual de carga nas regiões com déficit de potência até a estabilização da frequência em no mínimo 59,7Hz. A RO-GC.BR.01 possibilita que o Agente determine o critério e método do alívio de carga a ser realizado, que poderá ser através de: - Remanejamento de carga entre as instalações da Rede de Operação; - Corte indireto de carga, pela redução intencional do nível de tensão na Rede de Operação e na Distribuição; - Corte direto de carga (manual ou automático). Porém como a IO-GC.BR.01 determina que a redução de carregamento da instalação em contingência se dê em até 5 minutos, a EDP Bandeirante optou por não utilizar o método de corte por redução de tensão. Portanto visando preservar as cargas e causar o menor impacto social possível, a primeira opção é se verificar a possibilidade de transferência de blocos de carga para outra instalação da Rede de Operação que não esteja em contingência e que tenha disponibilidade de receber esse montante de carga sem causar mais riscos para as instalações e para a Rede de Operação e, no caso da não possibilidade de transferência de carga ou transferência insuficiente, o procedimento interno remete ao corte efetivo de cargas. O corte das cargas solicitadas pode ser realizado manualmente através do sistema supervisório (SCADA) de nosso COS, desligando-se estações, transformadores ou alimentadores e também através do desligamento de linhas de subtransmissão, porém sendo necessário para esse tipo de corte a coordenação com o Centro de Operação da Transmissão COT da CTEEP, que é a transmissora local que atende a EDP Bandeirante. Mas, visando uma maior eficácia do PCMC - Plano de Corte Manual de Carga da EDP Bandeirante estabelecido pelo ONS, foi implantado no COS da EDP Bandeirante o ECAM - Esquema de Corte para Alívio de Carga, que através do nosso sistema de supervisão e controle (Sistema SCADA) faz todo o gerenciamento do corte e emissão de relatórios das cargas cortadas. Esse esquema traz uma maior agilidade e facilidade no monitoramento das cargas a serem cortadas, propiciando uma maior eficácia na redução do carregamento da(s) instalação(ções) em contingência, contribuindo para um retorno mais rápido das condições normais de operação e maior confiabilidade da Rede de Operação. 2. Desenvolvimento 2.1. Plano de Corte Para o corte individual, existe na sala de controle do COS uma planilha onde, ao se selecionar o ponto de fronteira de onde se deseja efetuar o corte, é apresentada uma listagem dos alimentadores disponíveis e seu carregamento típico. A partir do montante desejado para corte, através da planilha faz-se uma pré-seleção dos alimentadores ou transformadores a serem desligados e, a partir daí pelo sistema SCADA, efetua-se a abertura dos disjuntores atendendo 2/6

3 assim a redução de carregamento solicitada. A ordem de prioridade dos alimentadores foi elaborada através do cadastro de clientes prioritários da EDP Bandeirante e é atualizada anualmente, portanto os primeiros alimentadores passíveis de corte são os que possuem o menor número possível desses clientes e, para os alimentadores que não possuem clientes prioritários, é adotado o critério de impacto social. Esse critério leva em conta o montante de carga típico do alimentador pelo número de clientes que serão interrompidos. Esse processo atende a necessidade de corte estipulada para estabilização da frequência do sistema, porém seu controle, monitoramento e recomposição pode-se tornar trabalhosos, com oportunidade de melhoria da precisão e no tempo de atuação ECAM Foi desenvolvido na plataforma do sistema supervisório (SCADA) de nosso Centro de Operação do Sistema, a automação para o gerenciamento do corte de carga a ser realizado. Esse esquema possibilita a visualização geral dos alimentadores disponibilizados para corte por ordem de prioridade, juntamente com seu carregamento, em MW, que está passível para corte. Abaixo tem-se a tela principal do ECAM: 3/6

4 Figura 1 - Tela do ECAM O ECAM implantado oferece as seguintes vantagens: - desnecessária a consulta de planilhas externas de corte; - elaboração automática de relatórios dos cortes efetuados; - automação da recomposição das cargas cortadas; - visualização em tempo real das cargas individuais e totais disponíveis para corte e efetivamente cortadas; - informação visual global dos alimentadores e eventuais falhas no sistema; - maior agilidade nas operações Corte de Carga Na tela do ECAM pode-se efetuar ainda o comando manual centralizado sem a necessidade de se acessar os controles 4/6

5 das estações individualmente, facilitando a execução de cortes de menor monta ou complementares. Devido às características de distribuição da carga da EDP Bandeirante e ao histórico de solicitações pelo ONS, a área de concessão foi dividida em duas subáreas, o Alto Tietê e o Vale do Paraíba. Como essas áreas comportam-se como duas regiões de carga para o SIN, na tela do ECAM implantado se pode selecionar a região desejada para corte (Alto Tietê, Vale do Paraíba ou Bandeirante Total) e o montante solicitado de corte. Ao se selecionar o botão para efetuar o corte, o mesmo é feito automaticamente obedecendo-se a sequência de corte pré-estabelecida até se atingir o montante desejado. Abaixo um exemplo de relatório de corte efetuado: Figura 2 - Relatório de Corte 5/6

6 2.4. Recomposição Após a autorização dada pelo ONS, as cargas liberadas para recomposição podem ser religadas individualmente através da tela do ECAM e, analogamente ao processo de corte, pode-se também efetuar a recomposição das cargas selecionando-se a região dessas cargas e o montante a ser recomposto. Percebe-se que alguns dos alimentadores poderiam, antes da ocorrência, estar com seu religamento bloqueado para realização de serviços por equipes em campo e essa condição de segurança é mantida quando da recomposição desses alimentadores. 3. Conclusões A solução implantada trouxe grande agilidade para a efetivação dos cortes solicitados, acompanhamento de cargas disponíveis, recomposição, emissão dos relatórios do corte efetuado e, além disso, a tela do ECAM monitora em tempo real as cargas disponíveis, frequência do SIN e estado real dos disjuntores, disponibilizando essas informações de forma simples e rápida. O ECAM desenvolvido trouxe grandes vantagens para o COS da Bandeirante pois entre suas principais vantagens está o fato de não impedir a realização manual de cortes, inclusive para cargas não relacionadas inicialmente no ECAM. Além de disponibilizar a leitura real da carga disponível para corte e agilizar essas informações em tempo real para o ONS. 4. Referências bibliográficas ONS. PROCEDIMENTOS DE REDE - Módulo 10 - Submódulo RO-GC.BR.01 - Elaboração do Plano de Corte Manual de Carga no Sistema Interligado Nacional, revisão 03, Brasília, 2015 ONS. PROCEDIMENTOS DE REDE - Módulo 10 - Submódulo IO-GC.BR.01 - Gerenciamento da Carga Para Controle de Frequência no Sistema, revisão 07, Brasília, /6

XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Alessandro Pinto Lourenço André Mauricio Ballin Copel Distribuição S.A. Copel Distribuição

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil WOLNEY SILVA NETTO Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia wsnetto@coelba.com.br

Leia mais

COS-ABENGOA EXPERIÊNCIA DA ABENGOA NA IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO DE OPERAÇÃO DE SISTEMA

COS-ABENGOA EXPERIÊNCIA DA ABENGOA NA IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO DE OPERAÇÃO DE SISTEMA 1 Abílio José da Rocha Cardoso Alex de Lima e Silva Francisco de Assis Pereira Marcelo Vargas Rêdes Ricardo Pereira Grumbach Vanessa Alves dos Santos M. Maria ATE Transmissora de Energia S.A. 2 Concessionárias

Leia mais

Definição de Soluções na Construção do Plano de Obras do SDMT - Planejamento Integrado do Sistema Elétrico de Distribuição da Cemig D

Definição de Soluções na Construção do Plano de Obras do SDMT - Planejamento Integrado do Sistema Elétrico de Distribuição da Cemig D XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil BERTONI DOS SANTOS JUNIOR Cicéli Martins Luiz CEMIG Distribuição S.A. CEMIG Distribuição

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA INTEGRADA AOS CENTROS DE OPERAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO (COS E COD) DA RIO GRANDE ENERGIA (RGE)

DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA INTEGRADA AOS CENTROS DE OPERAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO (COS E COD) DA RIO GRANDE ENERGIA (RGE) DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA INTEGRADA AOS CENTROS DE OPERAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO (COS E COD) DA RIO GRANDE ENERGIA (RGE) Este case apresenta a aplicação da solução Elipse E3 na RGE, a partir dos requisitos

Leia mais

Automação Inteligente de Redes - Guarujá

Automação Inteligente de Redes - Guarujá XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Felipe Rover felipe.rover@elektro.com.br Daniel Nascimento daniel.nascimento@elektro.com.br

Leia mais

4. CATEGORIA DO ESQUEMA - Alívio de Cargas. 6. DESCRIÇÃO DA LÓGICA DE FUNCIONAMENTO:

4. CATEGORIA DO ESQUEMA - Alívio de Cargas. 6. DESCRIÇÃO DA LÓGICA DE FUNCIONAMENTO: 1. ECE Nº 5.34.01 2. Esquema de Corte de Carga por sobrecarga nos Transformadores 230/69 kv 2X100MVA da SE Pici II. 3. EMPRESA RESPONSÁVEL. 4. CATEGORIA DO ESQUEMA - Alívio de Cargas. 5. FINALIDADE: Para

Leia mais

São apresentadas a seguir as principais características do comportamento da carga:

São apresentadas a seguir as principais características do comportamento da carga: A diversidade de comportamento dos consumidores de energia elétrica é uma característica que ameniza variações bruscas na curva de carga do sistema. Mas o que pode acontecer se, em todo o país, todos os

Leia mais

SOLUÇÃO SELF-HEALING DA ELIPSE SOFTWARE AGILIZA A RECOMPOSIÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA DA CEMAR

SOLUÇÃO SELF-HEALING DA ELIPSE SOFTWARE AGILIZA A RECOMPOSIÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA DA CEMAR SOLUÇÃO SELF-HEALING DA ELIPSE SOFTWARE AGILIZA A RECOMPOSIÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA DA CEMAR Em fevereiro deste ano (2015), a tecnologia permitiu recuperar, em apenas 10 segundos, 9.463 clientes de um

Leia mais

Empresa Bandeirante de Energia S/A. Empresa Bandeirante de Energia S/A

Empresa Bandeirante de Energia S/A. Empresa Bandeirante de Energia S/A XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil James D. Silva Junior Fabricio Expedito Viana Mauricio Cristiano Ferreira Empresa Bandeirante

Leia mais

EXPLORAÇÃO DE RECURSOS DE AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES

EXPLORAÇÃO DE RECURSOS DE AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES EXPLORAÇÃO DE RECURSOS DE AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES COELBA SÉRGIO EDUARDO LESSA E SILVA INTRODUÇÃO A automação de subestações tem permitido a Coelba operação mais adequada do sistema elétrico, sem aporte

Leia mais

10ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA 21 a 24 de setembro de 2004

10ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA 21 a 24 de setembro de 2004 10ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA 21 a 24 de setembro de 2004 AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA SUPERVISÓRIO DE CARGA EM SUBESTAÇÕES RETIFICADORAS DE SISTEMAS DE TRANSPORTE

Leia mais

Croqui Digital e cadastramento automático de clientes ao sistema Georeferenciado

Croqui Digital e cadastramento automático de clientes ao sistema Georeferenciado XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Fábio José de Carvalho fabio.carvalho@cemig.com.br Lisandro Cunha de Souza lisandro.souza@cemig.com.br

Leia mais

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL

Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA BRASIL Controle e Corte Emergencial de Cargas com Recomposição Automática Através do Sistema SCADA MONTENEGRO, J. C. F. S. (José Carlos de França e Silva Montenegro) BANDEIRANTE BRASIL MARQUES, R. (Rogério Marques)

Leia mais

Mario Augusto Zermiani AES Eletropaulo Metropolitana - Eletr. de São Paulo S.A.

Mario Augusto Zermiani AES Eletropaulo Metropolitana - Eletr. de São Paulo S.A. XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Mario Augusto Zermiani AES Eletropaulo Metropolitana - Eletr. de São Paulo S.A. mario.zermiani@aes.com

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA - CÂMARA DOS DEPUTADOS 10 de abril de 2013

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA - CÂMARA DOS DEPUTADOS 10 de abril de 2013 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA COMISSÃO DE MINAS E ENERGIA - CÂMARA DOS DEPUTADOS 10 de abril de 2013 1 Estrutura da apresentação O SIN - Sistema Interligado Nacional Robustez do SIN Ações em curso para aprimorar

Leia mais

MANUAL Pedidos On-Line

MANUAL Pedidos On-Line MANUAL Pedidos On-Line ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 O QUE É PEDIDOS ON-LINE... 3 QUEM PODE UTILIZAR... 3 COMO OBTER AUTORIZAÇÃO PARA ACESSO... 4 ACESSANDO O PEDIDOS ON-LINE... 5 COMO REGISTRAR UM PEDIDO... 7

Leia mais

Evolução nas Cabines Blindadas com a Nova Regulamentação da Light para ligações de Clientes em Média Tensão. Eng. Alexandre Morais

Evolução nas Cabines Blindadas com a Nova Regulamentação da Light para ligações de Clientes em Média Tensão. Eng. Alexandre Morais Evolução nas Cabines Blindadas com a Nova Regulamentação da Light para ligações de Clientes em Média Tensão Eng. Alexandre Morais Padrão de Cabine Primária para Entrada e Medição em Média Tensão no Rio

Leia mais

Cordilheira Sistema Contábil 2.85a Conciliação Contábil

Cordilheira Sistema Contábil 2.85a Conciliação Contábil LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Gerenciamento de Desligamento e Religação por Falta de Pagamento - WGDL

Gerenciamento de Desligamento e Religação por Falta de Pagamento - WGDL 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Gerenciamento de Desligamento e Religação por Falta de Pagamento - WGDL Adm. João Alan Haddad CEMIG Distribuição S. A jahaddad@cemig.com.br Adm. João Baptista

Leia mais

Gestão sobre deslocamentos improcedentes

Gestão sobre deslocamentos improcedentes XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Márcia Emi Miyashita Marques Christian Vitor Vilas Boas EDP Bandeirante EDP Bandeirante marcia.marques@datametrica.com.br

Leia mais

ONS RE 4/102/2016 ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO DO SIN DURANTE OS JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016 DE 03 A 21 DE AGOSTO DE 2016

ONS RE 4/102/2016 ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO DO SIN DURANTE OS JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016 DE 03 A 21 DE AGOSTO DE 2016 ONS RE 4/102/2016 ACOMPANHAMENTO DA OPERAÇÃO DO SIN DURANTE OS JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016 DE 03 A 21 DE AGOSTO DE 2016 Revisões do relatório Minuta emitida em 22/09/2016 Seção páginas descrição Versão Final

Leia mais

DGA21 SISTEMA FIXO COM SUPERVISÓRIO PARA DETECÇÃO DE GASES NOCIVOS E AMÔNIA IP 65. Manual

DGA21 SISTEMA FIXO COM SUPERVISÓRIO PARA DETECÇÃO DE GASES NOCIVOS E AMÔNIA IP 65. Manual DGA21 SISTEMA FIXO COM SUPERVISÓRIO PARA DETECÇÃO DE GASES NOCIVOS E AMÔNIA IP 65 Manual Apresentação DGA21 Sistema Fixo com Supervisório para Detecção de Gases Nocivos e Amônia foi desenvolvido para atender

Leia mais

Desafio da operação do SIN frente às tempestades severas X estado-da-arte das informações meteorológicas para essa tarefa

Desafio da operação do SIN frente às tempestades severas X estado-da-arte das informações meteorológicas para essa tarefa Desafio da operação do SIN frente às tempestades severas estado-da-arte das informações meteorológicas para essa tarefa Marco Antonio Rodrigues Jusevicius Desafio de operar uma infraestrutura como o SIN

Leia mais

XVI Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI Código da Contribuição Técnica: 287 Brasília, Dezembro de 2004

XVI Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI Código da Contribuição Técnica: 287 Brasília, Dezembro de 2004 XVI Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI - 2004 Código da Contribuição Técnica: 287 Brasília, Dezembro de 2004 TÍTULO DO TRABALHO: CHAVE REVERSORA ESPECIAL 5.100. Porto Alegre,

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DO USO DOS RECURSOS DE GERAÇÃO DISPONÍVEIS PARA O CAG CONTROLE AUTOMÁTICO DE GERAÇÃO

OTIMIZAÇÃO DO USO DOS RECURSOS DE GERAÇÃO DISPONÍVEIS PARA O CAG CONTROLE AUTOMÁTICO DE GERAÇÃO O CAG CONTROLE AUTOMÁTICO DE GERAÇÃO Autores: Roberto Gomes Peres Junior ONS Sérgio Luiz de Azevedo Sardinha ONS Ailton Andrade ONS 2 CONCEITUAÇÃO BÁSICA Margem de regulação: módulo da diferença entre

Leia mais

Ferramentas e Estratégias para Garantir Performance e Segurança na Operação da AES Sul.

Ferramentas e Estratégias para Garantir Performance e Segurança na Operação da AES Sul. XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Ferramentas e Estratégias para Garantir Performance e Segurança na Operação da AES

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2008/2009

RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2008/2009 RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO DO HORÁRIO DE VERÃO 2008/2009 2009/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. ONS NT- 016/2009 RESULTADO PRELIMINAR DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO MANOBRA ENCADEADA PARA RADIALIZAÇÃO DO SISTEMA CPFL

X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO MANOBRA ENCADEADA PARA RADIALIZAÇÃO DO SISTEMA CPFL X EDAO ENCONTRO PARA DEBATES DE ASSUNTOS DE OPERAÇÃO MANOBRA ENCADEADA PARA RADIALIZAÇÃO DO SISTEMA CPFL Fredner Leandro Cardoso CPFL Paulista Campinas SP RESUMO Manobra Encadeada é um sistema de manobras

Leia mais

A Experiência da CTEEP na Utilização de Simuladores de Operação de Sistemas de Energia Elétrica IRAN PEREIRA DE ABREU

A Experiência da CTEEP na Utilização de Simuladores de Operação de Sistemas de Energia Elétrica IRAN PEREIRA DE ABREU A Experiência da CTEEP na Utilização de Simuladores de Operação de Sistemas de Energia Elétrica IRAN PEREIRA DE ABREU O Simulador de Treinamento de Operadores da CTEEP 2 O Simulador de Treinamento de Operadores

Leia mais

Forma de Pagamento. Bematech Unidade de Software Jundiaí Fone/Fax: (11) R. Pedro Alexandrino, 95 Anhangabaú Jundiaí SP CEP:

Forma de Pagamento. Bematech Unidade de Software Jundiaí Fone/Fax: (11) R. Pedro Alexandrino, 95 Anhangabaú Jundiaí SP CEP: Forma de Pagamento O objetivo principal é cadastrar as diversas movimentações de retirada e recebimento existentes no caixa. É através da parametrização informada nessa tela, que o sistema identificará

Leia mais

Atendimento Eletrônico via Internet para Concessionárias

Atendimento Eletrônico via Internet para Concessionárias Atendimento Eletrônico via Internet para Concessionárias Atendimento Eletrônico via Internet. A maneira mais inteligente de agilizar o seu atendimento, fidelizar seus clientes e incrementar suas vendas.

Leia mais

Análise do ilumina sobre o apagão de 10 de novembro de 2009

Análise do ilumina sobre o apagão de 10 de novembro de 2009 Análise do ilumina sobre o apagão de 10 de novembro de 2009 ILUMINA. Análise do ilumina sobre o apagão de 10 de novembro de 2009. Disponível em http://www.ilumina.org.br/zpublisher/materias/noticias_comentadas.asp?id=19494

Leia mais

TUTORIAL RECOLHA DE NOTAS. Recolhimento Eletrônico de NF-e

TUTORIAL RECOLHA DE NOTAS. Recolhimento Eletrônico de NF-e TUTORIAL RECOLHA DE NOTAS Recolhimento Eletrônico de NF-e ÍNDICE Página 3 a 10 Download XML Página 11 a 18 Tutorial Envio Nota Fiscal Abastecimento Página 19 a 27 Tutorial Envio Nota Fiscal Manutenção

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA

AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA 1 Introdução/recordação Sistemas de Potência Os sistemas de potência são divididos em três zonas funcionais para fins de planejamento, operação e análise: geração,

Leia mais

SISTEMA DE MATERIAIS DE RESERVA (SMR)

SISTEMA DE MATERIAIS DE RESERVA (SMR) Nº Comité de Estudio: 11 Nº IV SESEP: CE.11.08e SISTEMA DE MATERIAIS DE RESERVA (SMR) Irineu J. V. Finato ITAIPU BINACIONAL Ricardo Gonzalez Jacques ITAIPU BINACIONAL Edeltraut Eyng Thiel ITAIPU BINACIONAL

Leia mais

9/13/2011. Smart Grid. Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços

9/13/2011. Smart Grid. Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços Smart Grid Oportunidade aproveitamento da capilaridade do sistema elétrico possibilitando novos serviços Objetivo aumento da confiabilidade e qualidade do fornecimento de energia elétrica, a uma melhor

Leia mais

DESCRIÇÃO DA BIBLIOTECA ESPM-Sul

DESCRIÇÃO DA BIBLIOTECA ESPM-Sul 1 INFORMATIZAÇÃO DESCRIÇÃO DA BIBLIOTECA ESPM-Sul A Biblioteca ESPM-Sul utiliza o sistema de gerenciamento da informação Pergamum o qual facilita a descrição, o armazenamento e a recuperação da informação.

Leia mais

SANTA MARIA Empresa Luz e Força Santa Maria S.A. PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO (SMF)

SANTA MARIA Empresa Luz e Força Santa Maria S.A. PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO (SMF) PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO (SMF) JUNHO/2016 SUMÁRIO 1- OBJETIVO 2- REFERÊNCIAS 3- PROCESSO DE MIGRAÇÃO 4- RESPONSABILIDADES DO CONSUMIDOR 5- RESPONSABILIDADES DA

Leia mais

Adequação e Operação do Sistema de Medição para Faturamento - SMF

Adequação e Operação do Sistema de Medição para Faturamento - SMF Adequação e Operação do Sistema de Medição para Faturamento - SMF BRAZIL WINDPOWER O&M 2015 Rio de Janeiro, 02 de setembro de 2015 Dalmir Capetta Agenda Quadro Institucional Sistema de Medição para Faturamento

Leia mais

SBQEE 97 - II Seminário Brasileiro sobre Qualidade da Energia Elétrica. Gestão Informatizada da Operação do Sistema ELETRONORTE

SBQEE 97 - II Seminário Brasileiro sobre Qualidade da Energia Elétrica. Gestão Informatizada da Operação do Sistema ELETRONORTE SBQEE 97 - II Seminário Brasileiro sobre Qualidade da Energia Elétrica Gestão Informatizada da Operação do Sistema ELETRONORTE João Odilon Freitas e Silva Ulisses Gomes Galvão Florisvaldo Martins Luís

Leia mais

Dispositivos de proteção

Dispositivos de proteção Dispositivos de proteção Conceitos básicos e aplicações Giovanni Manassero Junior Depto. de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Escola Politécnica da USP 14 de março de 2013 EPUSP Giovanni Manassero

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor Leonardo Gonsioroski Sistemas Elétricos Pode-se dizer que os sistemas elétricos são divididos em 4 grandes

Leia mais

Painel de Tráfego. iso. Manual de Instruções. IMPORTANTE Leia atentamente os itens deste manual antes de utilizar o programa. iso. Rev.

Painel de Tráfego. iso. Manual de Instruções. IMPORTANTE Leia atentamente os itens deste manual antes de utilizar o programa. iso. Rev. Painel de Tráfego Programa de Monitoramento de Elevadores EMPRESA E TECNOLOGIA 100% BRASILEIRAS iso 9001 imagem ilustrativa Manual de Instruções! IMPORTANTE Leia atentamente os itens deste manual antes

Leia mais

Telemedicina InCor Sistema de Agendamento Eletrônico ÍNDICE

Telemedicina InCor Sistema de Agendamento Eletrônico ÍNDICE 1 Telemedicina InCor Sistema de Agendamento Eletrônico ÍNDICE Conhecendo o sistema 03 Cadastrando uma nova solicitação de reserva 07 Adicionando equipamentos à sua solicitação 10 Adicionando serviços à

Leia mais

TransactionCentre - Módulo Client Web Pré-Autorização

TransactionCentre - Módulo Client Web Pré-Autorização . Introdução A finalidade deste documento é apresentar, passo-a-passo, o processo de Pré- Autorização de produtos para portadores de cartões benefício. No caso de dúvidas ou sugestões, entre em contato

Leia mais

Manual DETECTOR NH (11) (62) (11) (62)

Manual DETECTOR NH (11) (62) (11) (62) Manual DETECTOR NH3 1 APRESENTAÇÃO PHANTOM 2000 Sistema Detector Digital de NH3 foi desenvolvido para atender a NR 36 promovendo assim a avaliação, controle e monitoramento dos riscos existentes nas atividades

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SOPHUS TECNOLOGIA

MANUAL DO USUÁRIO SOPHUS TECNOLOGIA MANUAL DO USUÁRIO SOPHUS TECNOLOGIA SUMÁRIO Apresentação 03 Benefícios 04 Como funciona o Banco de Currículos? 05 Tela inicial do sistema 06 Tela cadastro de currículos 07 Tela cadastro de empresas 08

Leia mais

CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12

CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12 CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12 1. Funções e Características - Interface totalmente em português. - Possui um eficaz sistema de medição de fator de potência da onda fundamental, o que

Leia mais

REVISÃO 1 NT 156/2003. P:\Meus documentos\nota Técnica\NT REVISÃO 1.doc

REVISÃO 1 NT 156/2003. P:\Meus documentos\nota Técnica\NT REVISÃO 1.doc REVISÃO 1 2003/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. NT 156/2003 REVISÃO 1 P:\Meus documentos\nota Técnica\NT 156-2004 REVISÃO 1.doc !"# $%!#&'(# #$)*+,-+-)#-$&.',-+

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO PLANO DE CONTIGÊNCIA PARA OPERAÇÃO DO COD

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO PLANO DE CONTIGÊNCIA PARA OPERAÇÃO DO COD 1/6 1. Objetivo O objetivo desta orientação técnica é estabelecer planos de contingência a serem aplicados nos casos de alteração das condições normais de operação do COD, seja por motivo de concentração

Leia mais

ELIPSE POWER CONFERE MAIOR CONFIANÇA E SEGURANÇA AO CENTRO DE OPERAÇÃO INTEGRADO DA DISTRIBUIÇÃO NA CEMAR

ELIPSE POWER CONFERE MAIOR CONFIANÇA E SEGURANÇA AO CENTRO DE OPERAÇÃO INTEGRADO DA DISTRIBUIÇÃO NA CEMAR ELIPSE POWER CONFERE MAIOR CONFIANÇA E SEGURANÇA AO CENTRO DE OPERAÇÃO INTEGRADO DA DISTRIBUIÇÃO NA CEMAR Este case apresenta a aplicação da plataforma Elipse Power para automatizar a distribuição de energia

Leia mais

INFLUENCE OF ITAIPU HVDC ON POWER SYSTEM DYNAMIC PERFORMANCE

INFLUENCE OF ITAIPU HVDC ON POWER SYSTEM DYNAMIC PERFORMANCE INFLUENCE OF ITAIPU HVDC ON POWER SYSTEM DYNAMIC PERFORMANCE Rui Jovita G. C. da Silva Jose Maria Sanchez Tilleria ITAIPU BINACIONAL Introdução Nos setores de 50 Hz e 60 Hz de Itaipu existem registradores

Leia mais

MANUAL SEFINNET / SEFINNET WEB FLORIANÓPOLIS SC VERSÃO 3.0 ( )

MANUAL SEFINNET / SEFINNET WEB FLORIANÓPOLIS SC VERSÃO 3.0 ( ) MANUAL SEFINNET / SEFINNET WEB FLORIANÓPOLIS SC VERSÃO 3.0 (3.00.0001) SERVIÇOS PRESTADOS - GIF PJ - DES CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA SUMÁRIO 2 Importação dos arquivos BGR 3 Cadastro de Talonários 5 Configuração

Leia mais

Gestão Unificada de Recursos Institucionais GURI

Gestão Unificada de Recursos Institucionais GURI Documentação de Sistemas Gestão Unificada de Recursos Institucionais GURI Módulo de Pedidos de Livros Versão 1.1.1 Última revisão: 19/10/2015 2015 REITORA Ulrika Arns VICE-REITOR Almir Barros da Silva

Leia mais

INDICE DE PADRÃO LIGADO - IDPL

INDICE DE PADRÃO LIGADO - IDPL XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil CELIO ANDERSON MACEDO Eduardo de Oliveira Maciel CEMIG Distribuição S.A. Companhia Energética

Leia mais

1. Transposição de dados de linhas para colunas

1. Transposição de dados de linhas para colunas Como se sabe, o Excel é uma das mais completas ferramentas para se trabalhar com planilhas, gráficos, cálculos e relatórios. Frequentemente adotado no ambiente corporativo para melhor gestão de tarefas,

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 10 de outubro. Olinda - Pernambuco - Brasil

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 10 de outubro. Olinda - Pernambuco - Brasil XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil O Knowhow da Elektro na Integração de IED s na Rede Ethernet e seu benefício para

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO ALUNO

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO ALUNO MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO ALUNO SUMÁRIO Apresentação...03 1. Acesso...04 2. Página Inicial...05 3. Minhas Atividades...07 4. Reinscrição...12 5. Catálogo de Cursos...13 6. Perfil...14 02 APRESENTAÇÃO A solução

Leia mais

MTA Monitor. Manual de Usuário. Transferência de Arquivos. Versão: Última modificação: 11/11/2014

MTA Monitor. Manual de Usuário. Transferência de Arquivos. Versão: Última modificação: 11/11/2014 7/4/2010 MTA 3.0.3 Monitor Transferência de Arquivos Manual de Usuário Versão: 3.0.3 Última modificação: 11/11/2014 Contato Área responsável pelo fornecimento do material: Suporte à Pós-Negociação Telefone:

Leia mais

O Portal Service Desk está disponível no Intrallianz. Para acessá-lo, clique no banner abaixo do menu Minha Intrallianz, opção Portal Service Desk.

O Portal Service Desk está disponível no Intrallianz. Para acessá-lo, clique no banner abaixo do menu Minha Intrallianz, opção Portal Service Desk. Portal Service Desk Manual de Utilização Gestão de Serviços de TI ÍNDICE I. INTRODUÇÃO II. CONCEITOS BÁSICOS DO PORTAL III. PORTAL DO USUÁRIO a. ACESSO b. INÍCIO c. HISTÓRICO DE TICKETS IV. TICKETS a.

Leia mais

Everaldo Faustino da Costa Junior ENERGISA PARAIBA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S/A

Everaldo Faustino da Costa Junior ENERGISA PARAIBA DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S/A XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Fagner Luiz Avelino de Jesus Silva DISTRIBUIDORA DE ENERGIA S/A Everaldo Faustino da Costa

Leia mais

XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 26 de novembro. São Paulo - SP - Brasil

XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 26 de novembro. São Paulo - SP - Brasil XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2010 22 a 26 de novembro São Paulo - SP - Brasil Nova Modalidade de Pagamento nas Agências Comerciais através de Cartão de Débito e Crédito

Leia mais

Telecomunicações: transferência de dados.

Telecomunicações: transferência de dados. CEMIG Um dos maiores e mais sólidos grupos de energia elétrica do Brasil e América Latina, que completa 63 anos em 2015. Principais Atividades Energia: geração, transmissão, distribuição, comercialização

Leia mais

OPERAÇÃO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN DURANTE O PERÍODO DO CARNAVAL 2010

OPERAÇÃO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN DURANTE O PERÍODO DO CARNAVAL 2010 OPERAÇÃO DO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL - SIN DURANTE O PERÍODO DO CARNAVAL 2010 Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua da Quitanda, 196 - Centro 20091-005 Rio de Janeiro RJ Tel (+21) 2203-9400 Fax

Leia mais

COBRANÇA REGISTRADA CONDOMÍNIO SAMI ERP IMOBILIÁRIO

COBRANÇA REGISTRADA CONDOMÍNIO SAMI ERP IMOBILIÁRIO COBRANÇA REGISTRADA CONDOMÍNIO SAMI ERP IMOBILIÁRIO 1. Cadastro de Bancos Acesse o módulo DIVERSOS/ CADASTROS/ DE BANCOS. Este programa cadastra e altera o cadastro dos bancos. O cadastro de banco é utilizado

Leia mais

Edson Wander Souza França CEMIG Distribuição S.A.

Edson Wander Souza França CEMIG Distribuição S.A. XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Edson Wander Souza França CEMIG Distribuição S.A. edsonwsf@cemig.com.br Desenvolvimento de

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Segmentação do Atendimento - Parceiros Credenciados Imobiliárias

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Segmentação do Atendimento - Parceiros Credenciados Imobiliárias XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Segmentação do Atendimento - Parceiros Credenciados Imobiliárias Giovanna Bianchi

Leia mais

Décimo Quinto Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-PR, Brasil 19 a 23 de maio de 2013

Décimo Quinto Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-PR, Brasil 19 a 23 de maio de 2013 PORTAL DA OPERAÇÃO TROCA DE DOCUMENTAÇÃO OPERATIVA COM CLIENTES DO GRUPO A J. A. Carneiro* C. R. Campos** J. M. Barbosa* M. P. Cesconetto* *CPFL Companhia Paulista de Força e Luz **CPFL Companhia Piratininga

Leia mais

2. Os Serviços de Suporte Técnico e Atualização da SOLUÇÃO compreenderão: Recepção e Resolução de Chamados de Suporte.

2. Os Serviços de Suporte Técnico e Atualização da SOLUÇÃO compreenderão: Recepção e Resolução de Chamados de Suporte. Este documento descreve como deverão ser prestados os serviços de suporte técnico e atualização da solução de Gestão do Risco Operacional e Controles Internos, doravante chamada SOLUÇÃO, compreendendo

Leia mais

O Portal Service Desk está disponível no AllianzNet. Para acessá-lo, clique no banner abaixo do menu Minha Intrallianz, opção Portal Service Desk.

O Portal Service Desk está disponível no AllianzNet. Para acessá-lo, clique no banner abaixo do menu Minha Intrallianz, opção Portal Service Desk. Portal Service Desk Manual de Utilização Service Desk Allianz ÍNDICE I. INTRODUÇÃO II. CONCEITOS BÁSICOS DO PORTAL III. PORTAL DO USUÁRIO a. ACESSO b. INÍCIO c. LISTA DE TICKETS IV. TICKETS a. CRIAR TICKETS

Leia mais

ELEKTRO - Eletricidade e ServIços S.A

ELEKTRO - Eletricidade e ServIços S.A XXII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétri SENDI 2016-07 a 10 de novembro Curitiba - PR - Brasil Gustavo Ortenzi ELEKTRO - Eletricidade e ServIços S.A gustavo.ortenzi@elektro.com.br Marco

Leia mais

Definição de uma Subestação (SE) Classificação das Subestações (SEs) Arranjos de Barramentos de uma SE

Definição de uma Subestação (SE) Classificação das Subestações (SEs) Arranjos de Barramentos de uma SE Definição de uma Subestação (SE) Classificação das Subestações (SEs) Arranjos de Barramentos de uma SE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA Conjunto de máquinas, aparelhos e circuitos cuja finalidade é modificar os níveis

Leia mais

Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN

Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN Ministério de Secretaria de Energia Elétrica Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN 7º SENOP Brasília, junho de 2016. 1 Ambiente Institucional 2 Ambiente Institucional

Leia mais

Sistema Aula. Motivos para o acesso ser negado:

Sistema Aula. Motivos para o acesso ser negado: Sumário 1. Acesso ao Sistema Aula. 2. Da Identificação do Módulo Coordenação e respectivos programas. 3. Registro de Ocorrências dos Alunos 4. Tipos de Ocorrências 5. Dossiê do Aluno 6. Registro das informações

Leia mais

MANUAL DE LIQUIDEZ FUNDOS DE INVESTIMENTO. Brainvest Consultoria Financeira LTDA

MANUAL DE LIQUIDEZ FUNDOS DE INVESTIMENTO. Brainvest Consultoria Financeira LTDA MANUAL DE LIQUIDEZ FUNDOS DE INVESTIMENTO Brainvest Consultoria Financeira LTDA ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. POLÍTICAS DO GERENCIAMENTO DO RISCO DE LIQUIDEZ 3 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 6 4. RESPONSABILIDADE

Leia mais

S T E M A I N T E G R A D O A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMINISTRAÇÃO DE SUA EMPRESA Indústria Comércio Serviço

S T E M A I N T E G R A D O A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMINISTRAÇÃO DE SUA EMPRESA Indústria Comércio Serviço S A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMNSTRAÇÃO DE SUA EMPRESA ndústria Comércio Serviço S O GestãoPro foi desenvolvido para atender as empresas que atuam nos setores da indústria, comércio e serviço. O grande diferencial

Leia mais

A Importância do Sistema de Telemedição no Controle de Perdas de Grandes Clientes. Paulo H. A. Cavalcante

A Importância do Sistema de Telemedição no Controle de Perdas de Grandes Clientes. Paulo H. A. Cavalcante A Importância do Sistema de Telemedição no Controle de Perdas de Grandes Clientes Paulo H. A. Cavalcante Coelce - Área de Concessão Coelce - Contextualização Medidores Eletrônicos Clientes de MT/AT; Clientes

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS, EÓLICAS, HIDRELÉTRICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER, OU DOCUMENTO EQUIVALENTE, SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor (NFC-e)

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor (NFC-e) Emissão de Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor (NFC-e) Introdução A emissão de Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor (NFC-e) abrange, exclusivamente, operações comerciais de venda de mercadoria ao consumidor

Leia mais

Manual da Turma Virtual: FREQUENCIA. Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo:

Manual da Turma Virtual: FREQUENCIA. Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo: Manual da Turma Virtual: FREQUENCIA Para acessar a turma virtual com o perfil Docente, siga o caminho indicado abaixo: MENU ALUNOS LANÇAR FREQUÊNCIA Esta funcionalidade tem o objetivo de registrar as frequências

Leia mais

AÇÃO PREVENTIVA Secretaria de Educação

AÇÃO PREVENTIVA Secretaria de Educação 1. Objetivo Esta norma estabelece o procedimento para elaboração e implementação de ações preventivas no Sistema de Gestão da Qualidade da (Seduc). 2. Documentos complementares 2.1 Norma EDSGQN003 Registros

Leia mais

Flex Car Visa Vale Segurança e fidelização de Clientes

Flex Car Visa Vale Segurança e fidelização de Clientes Segurança e fidelização de Clientes Guia rápido Flex Car Visa Vale Cartão benefício utilizado por empresas que disponibilizam aos seus colaboradores valores para o pagamento de despesas em segmentos automotivos

Leia mais

Manual do Monitor Sistema de Monitorias: SiMon

Manual do Monitor Sistema de Monitorias: SiMon UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Manual do Monitor Sistema de Monitorias: SiMon SiMon é um Sistema para Gerenciamento das Monitorias. Com o propósito de facilitar a navegação no site, disponibilizamos este

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 12 ESTUDOS DE CASOS Casos: [1] da Bahia Sul; [2] da Politeno; [3] do Hospital Taquaral; [4] do 7.o Ofício. Os estudos de casos propostos podem ajudar,

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 022/2014 FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A.

AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 022/2014 FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 022/2014 FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Audiência Pública 022/2014 EMENTA: Obter subsídios para Obter subsídios à proposta

Leia mais

Manual de Utilização Sistema MONI

Manual de Utilização Sistema MONI UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE AVALIAÇÃO E APOIO PEDAGÓGICO SeTIC - SUPERINTENDÊNCIA DE GOVERNANÇA ELETRÔNICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 10 de outubro. Olinda - Pernambuco - Brasil

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 10 de outubro. Olinda - Pernambuco - Brasil XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Utilização de Relés Digitais para Comutação de Tensão em Subestações Marcelo Maia

Leia mais

XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 26 de novembro. São Paulo - SP - Brasil

XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 26 de novembro. São Paulo - SP - Brasil XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2010 22 a 26 de novembro São Paulo - SP - Brasil Captura de Imagem (fotos) nos serviços de leitura de medidores em Baixa Tensão. Vanderlei

Leia mais

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS

CENTRAIS GERADORAS TERMELÉTRICAS (BIOMASSA E GÁS NATURAL), EÓLICAS, HIDRÁULICAS E PCH PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO AO ONS DE PARECER OU DOCUMENTO EQUIVALENTE SOBRE ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO PARA FINS DE CADASTRAMENTO NA EPE COM VISTAS À HABILITAÇÃO TÉCNICA AOS LEILÕES DE ENERGIA

Leia mais

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONVERSÃO DE UM COS E VÁRIOS CODs EM UM CENTRO ÚNICO DE OPERAÇÃO NA COSERN AUTORES JOSÉ MIGUEL MELGAR BACHLLER LUIZ JOSÉ QUEIROZ E SILVA EMPRESA:

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 2 Medição. Submódulo 2.1 Coleta e ajuste de dados de medição

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 2 Medição. Submódulo 2.1 Coleta e ajuste de dados de medição Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 2 Medição Submódulo 2.1 Coleta e ajuste de dados de medição 1 Submódulo 2.1 Coleta e ajuste ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO

Leia mais

MELHORIAS GERA PACOTE 2

MELHORIAS GERA PACOTE 2 MELHORIAS GERA PACOTE 2 1. Pagamento e Retirada (Checkout) 1 1.1. Pagamento A Combinar na Retirada 1 1.2.Tela de Pagamento e Retirada (CheckOut) 5 1.3. Opções de Pesquisa 6 1.3.1Pesquisa por Revendedor

Leia mais

Tutoriais Able Business JUNIOR

Tutoriais Able Business JUNIOR Tutoriais Able Business JUNIOR Primeiros Passos Instalação no Servidor... 2 Instalação nos Terminais... 3 Primeiro acesso... 5 Botões... 8 Suporte... 10 Instalação no Servidor 1 - Defina se o sistema será

Leia mais

A REESTRUTURAÇÃO DA OPERAÇÃO NA COMPANHIA DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PAULISTA CTEEP. VANDERLEI SOARES DA COSTA

A REESTRUTURAÇÃO DA OPERAÇÃO NA COMPANHIA DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PAULISTA CTEEP. VANDERLEI SOARES DA COSTA TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PAULISTA CTEEP VANDERLEI SOARES DA COSTA vscosta@cteep.com.br EDSON BUENO ebueno@cteep.com.br JOÃO CARLOS BOLLINI jbollini@cteep.com.br CTEEP COMPANHIA DE TRANSMISSÃO DE

Leia mais

Integração do Arduíno com Elipse Scada para aplicações de força

Integração do Arduíno com Elipse Scada para aplicações de força Integração do Arduíno com Elipse Scada para aplicações de força Com intuito obter uma ferramenta visual para demonstrar as forças exercidas em um sensor de força resistivo. Foi integrado o Arduíno a um

Leia mais

Manual do Visual Practice

Manual do Visual Practice Manual do Visual Practice Cálculo da folha de pagamento No menu Cálculos / Folha normal / rescisão é acessada a tela onde são efetuados os cálculos da folha de pagamento. Pelo botão Cálculo de folha normal

Leia mais

A Experiência da CEMAR na Digitalização de Subestações e a Utilização da Tecnologia GPRS e Canal Redundante

A Experiência da CEMAR na Digitalização de Subestações e a Utilização da Tecnologia GPRS e Canal Redundante A Experiência da CEMAR na Digitalização de Subestações e a Utilização da Tecnologia GPRS e Canal Redundante 1.0 - APRESENTAÇÃO 2.0 - OBJETIVOS DA DIGITALIZAÇÃO 3.0 - HISTÓRICO AUTOMAÇÃO CEMAR 4.0 - DIGITALIZAÇÃO

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA

GESTÃO DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA Desenvolvimento: Lincoln Nakashima Revisão Técnica: Allan Gomes Cuypers Revisão Administrativa: Lidiane Garcia GESTÃO DA INFORMAÇÃO JULHO/2015 Página 1 de 18 Índice Sumário APRESENTAÇÃO... 3 1 Início...

Leia mais

GUIA DE REMATRÍCULA 2016S2

GUIA DE REMATRÍCULA 2016S2 GUIA DE REMATRÍCULA 2016S2 1 - REMATRÍCULA O vínculo acadêmico, nos cursos de Graduação da FACENS - Faculdade de Engenharia de Sorocaba, deve ser renovado semestralmente, conforme data prevista no Calendário

Leia mais