Capítulo 4: Mário E G Valerio Defeitos em Sólidos NPGFI-UFS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 4: Mário E G Valerio Defeitos em Sólidos NPGFI-UFS - 2011-1"

Transcrição

1 Capítulo 4: Danos Fotolíticos Mário E G Valerio Defeitos em Sólidos NPGFI-UFS

2 Introdução Capítulo dedicado ao efeito das radiação eletromagnética nos materiais. Principal interação é com as nuvens eletrônicas dos átomos/íons dos materiais: Excitação dos estados eletrônicos Ionização Efeitos indiretos para altas densidades de energia (lasers): plasmas, efeitos não-lineares, etc... Energia/momento dos fótons são normalmente insuficientes para produzir diretamente espalhamento dos átomos ou íons. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 2

3 Excitação dos estados eletrônicos: Geração de espécies químicas, normalmente defeitos extrínsecos ou intrínsecos, nos estados excitados; Decaimento via emissão de fótons e fônons; Fenômeno dominante para fótons de baixa energia, com E<E g ; Absorção óptica, fotoluminescência excitação direta de estados eletrônicos de defeitos; Espectroscopia Raman e infravermelho excitação dos estados vibracionais da estrutura. Efeitos não são normalmente estáveis. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 3

4 Ionização: Formação de íons ou mudança de valência dos elementos químicos que compõe o material; Geração de portadores de cargas livres no material; Acontecem para E>E g ; Três fenômenos principais: efeito fotoelétrico, efeito Compton e produção de pares; NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 4

5 aquecimento Excitação dos estados vibracionais e rotacionais Excitação dos estados eletrônicos externos dos defeitos e da matriz (para E>Eg) Excitação dos estados eletrônicos da matriz (para E>Eg) e estados internos de íons leves Ionização do meio via transferência de el tronsda banda de valência para a banda de condução. Excitação dos estados eletrônicos da matriz internos de íons do tio Si, P, Ca, etc... Forte ionização do meio via efeito fotoelétrico. Forte ionização do meio via efeito fotoelétrico das camadas internas dos ions pesados, efeito Compton e para E>1,02MeV, produção de pares NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 5

6 Processos primários de interação dos fótons (E>~1eV) BC 1eV<hν<E g E g <hν<vuv BV Não estáveis decaem após excitação via emissão de fótons ou fônons Tem chance de ser danos estáves se parte dos pares elétron - buraco forem impedidos de se recombinarem. hν~ Raios X NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 6

7 Processos primários de interação dos fótons: estabilização do dano, armadilhamento de portadores BC E a 1eV<hν<E g E g <hν<vuv BV Portadores só ficam armadilhados se E a >>k B T. Em outras palavras, o tempo de vida dos portadores nas armadilhas é governado pela razão E a /k B T. hν~ Raios X Fluorescência de Raios X NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 7

8 Níveis de caroço e absorção de fótons de raios X Borda K NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 8

9 Excitons An exciton is a bound state of an electron and hole which are attracted to each other by the electrostatic Coulomb force. It is an electrically neutral quasiparticle that exists in insulators, semiconductors and some liquids. The exciton is regarded as an elementary excitation of condensed matter that can transport energy without transporting net electric charge. (Liang, W Y (1970). "Excitons". Physics Education 5: 226.) Excitons são gerados por absorção de fótons no UV e raios-x. Custo energético para gerar um exciton: Eexc = Eg Ebind Excitons podem se difundir pelo sólido e o par eletron-buraco pode ser aniquilado longe de onde a radiação foi absorvida. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 9

10 NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 10

11 NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 11

12 Danos fotolíticos em Halogenetos Cristais do tipo AX Halogenetos alcalinos e de prata Defeitos principais gerados: centros de cor (centros F, H, V k ) para T< 20-30K; Para T altas, defeitos podem difundir na rede e formar agregados; Para E>E g, centros de cor são formados via formação de excitons; Eficiência na produção de centros F depende fortemente da rede do AX: Eficiência (distância X-X)/(raio iônico X - ) A medida que a dose aumenta, formação de agregados de centros F torna-se mais provável; Em altas doses agregados linhas de deslocações podem ser formadas devido ao grande número de agregados de centros F. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 12

13 Processo fotográfico: AgBr: Luz produz par e-h + Br + h Br + Ag + e Ag Formação de clusters de Ag 0 na matriz. Se o cluster atinge um tamanho crítico ele fica estável e um ponto escuro é formado onde a luz incidiu. 0 0 NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 13

14 Efeitos indiretos Sputtering induzido por laser, ou Laser Ablation: Laser irradiation may be accompanied by the following chain of physical and chemical processes: absorption of laser radiation, heating the target, heat- and mass transfer on the surface, redistribution of the excitation energy over the internal degrees of freedom, photodecomposition of molecules and possible chemical reactions on the surface, removal (ablation) of material from the surface. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 14

15 The conditions determining the processes, in decreasing order of importance, are: the nature of the surface, the laser wavelength, power and pulse duration, Thermal mechanism involves rapid energy absorption, heating, and subsequent spontaneous removal of material. The energy absorbed by the electrons is transferred to the lattice via electron phonon relaxation. Both thermal and electronic sputtering mechanisms lead to the liberation of atomic-size material from the surface. The thermal mechanism is distinct from a photochemical one in which laser-induced electronic excitations lead directly to bond breaking before an electronic to vibrational energy transfer occurs. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 15

16 NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 16

17 Migração dos defeitos: Quando a absorção de fótons induz mudanças de valência, espécie química gerada pode difundir mais facilmente pela rede. Agregação de defeitos. Ex: formação de metais dentro de sólidos iônicos pode gerar a criação de colóides metálicos. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 17

18 Sinterização a Laser(Laser sintering): Mesmas etapas do fenômeno de sputtering cm a diferença que a quantidade de energia entregue é suficiente para produzir aquecimento rápido mas insuficiente para produzir sputtering. Objetivo é aumentar a temperatura para aumentar a mobilidade das espécies químicas produzindo difusão e coalescência de grãos / crescimento de grãos. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 18

19 Laser-induced breakdown spectroscopy (LIBS): type of atomic emission spectroscopy which uses a highly energetic laser pulse as the excitation source. The laser is focused to form a plasma, which atomizes and excites samples. In principle, LIBS can analyse any matter regardless of its physical state, solid, liquid or gas. Because all elements emit light of characteristic frequencies when excited to sufficiently high temperatures, LIBS can (in principle) detect all elements, limited only by the power of the laser as well as the sensitivity and wavelength range of the spectrograph & detector. In practice, detection limits are a function of a) the plasma excitation temperature, b) the light collection window, and c) the line strength of the viewed transition. LIBS makes use of optical emission spectrometry and is to this extent very similar to arc/spark emission spectroscopy. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 19

20 When the laser is discharged it ablates a very small amount of material, in the range of nanograms to picograms, which generates a plasma plume with temperatures in excess of 100,000 K. During data collection, typically after local thermodynamic equilibrium is established, plasma temperatures range from 5,000 20,000 K. At the high temperatures during the early plasma, the ablated material dissociates (breaks down) into excited ionic and atomic species. During this time, the plasma emits a continuum of radiation which does not contain any useful information about the species present, but within a very small timeframe the plasma expands at supersonic velocities and cools. At this point the characteristic atomic emission lines of the elements can be observed. The delay between the emission of continuum radiation and characteristic radiation is in the order of 10 µs, this is why it is necessary to temporally gate the detector. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 20

21 Photochromism: is the reversible transformation of a chemical species between two forms by the absorption of electromagnetic radiation, where the two forms have different absorption spectra. The absorption band in the visible spectra changes dramatically in strength or wavelength. Single-Crystalline Photochromism of Diarylethenes S. Kobatake * and M. Irie NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 21

22 Photorefractive effect: J. Frejlich (2007). Photorefractive materials: fundamental concepts, holographic recording and materials characterization. ISBN is a nonlinear optical effect seen in certain crystals and other materials that respond to light by altering their refractive index. The effect can be used to store temporary, erasable holograms and is useful for holographic data storage. Photorefractive materials include barium titanate (BaTiO3), lithium niobate (LiNbO3), certain photopolymers, and some multiple quantum well structures. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 22

23 The photorefractive effect occurs in several stages: A photorefractive material is illuminated by coherent beams of light. Interference between the beams results in a pattern of dark and light fringes throughout the crystal. In regions where a bright fringe is present, electrons can absorb the light and be photoexcited from an impurity level into the conduction band of the material, leaving an hole. Once in the conduction band, the electrons are free to move and diffuse throughout the crystal. Since the electrons are being excited preferentially in the bright fringes, the net electron drift is towards the dark-fringe regions of the material. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 23

24 While in the conduction band, the electrons may with some probability recombine with the holes and return to the impurity levels. The rate at which this recombination takes place determines how far the electrons diffuse, and thus the overall strength of the photorefractive effect in that material. Once back in the impurity level, the electrons are trapped and can no longer move unless re-excited back into the conduction band (by light). With the net redistribution of electrons into the dark regions of the material, leaving holes in the bright areas, the resulting charge distribution causes an electric field, known as a space charge field to be set up in the crystal. Since the electrons and holes are trapped and immobile, the space charge field persists even when the illuminating beams are removed. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 24

25 The internal space charge field, via the electrooptic effect, causes the refractive index of the crystal to change in the regions where the field is strongest. This causes a spatially varying refractive index grating to occur throughout the crystal. The pattern of the grating that is formed follows the light interference pattern originally imposed on the crystal. The refractive index grating can now diffract light shone into the crystal, with the resulting diffraction pattern recreating the original pattern of light stored in the crystal. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 25

26 Photovoltaic effect: is the creation of a voltage or a corresponding electric current in a material upon exposure to light. Though the photovoltaic effect is directly related to the photoelectric effect, the two processes are different and should be distinguished. In the photoelectric effect, electrons are ejected from a material's surface upon exposure to radiation of sufficient energy. The photovoltaic effect is different in that the generated electrons are transferred between different bands within the material, resulting in the buildup of a voltage between two electrodes. In most photovoltaic applications the radiation is sunlight and for this reason the devices are known as solar cells. NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 26

27 NPGFI Mário E G Valerio -Cap 4 27

6 Não será permitido o uso de dicionário.

6 Não será permitido o uso de dicionário. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

Espectometriade Fluorescência de Raios-X

Espectometriade Fluorescência de Raios-X FRX Espectometriade Fluorescência de Raios-X Prof. Márcio Antônio Fiori Prof. Jacir Dal Magro FEG Conceito A espectrometria de fluorescência de raios-x é uma técnica não destrutiva que permite identificar

Leia mais

Como o material responde quando exposto à radiação eletromagnética, e em particular, a luz visível.

Como o material responde quando exposto à radiação eletromagnética, e em particular, a luz visível. Como o material responde quando exposto à radiação eletromagnética, e em particular, a luz visível. Radiação eletromagnética componentes de campo elétrico e de campo magnético, os quais são perpendiculares

Leia mais

Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser. Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados

Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser. Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados Roteiro 1. Motivação: - Isótopos: o que são porque um determinado isótopo é mais interessantes que

Leia mais

PROPRIEDADES ELÉTRICAS DOS MATERIAIS. Vera L. Arantes

PROPRIEDADES ELÉTRICAS DOS MATERIAIS. Vera L. Arantes PROPRIEDADES ELÉTRICAS DOS MATERIAIS Vera L. Arantes Propriedades Elétricas Alguns materiais precisam ser altamente condutores. Ex.: fios para conexões elétricas. Ou precisam ser isolantes. Ex.: o encapsulamento

Leia mais

Modelagem e Simulação de Incêndios. Fire dynamics. Carlos André Vaz Junior

Modelagem e Simulação de Incêndios. Fire dynamics. Carlos André Vaz Junior Modelagem e Simulação de Incêndios Fire dynamics Carlos André Vaz Junior INTRODUÇÃO Fire dynamics is a very quantitative and mathematically complex subject. The term fire dynamics came into common use

Leia mais

SOLDA LONGITUDINAL DE TUBO

SOLDA LONGITUDINAL DE TUBO SOLDA LONGITUDINAL DE TUBO AQUECIMENTO INDUTIVO Utilizando Equipamentos de Alta Frequência Politron para Solda Longitudinal de Tubos Equipos de Alta Frecuencia Politron para Soldadura Longitudinal

Leia mais

Identificação de materiais radioativos pelo método de espectrometria de fótons com detector cintilador

Identificação de materiais radioativos pelo método de espectrometria de fótons com detector cintilador Identificação de materiais radioativos pelo método de espectrometria de fótons com detector cintilador 1. Introdução Identificar um material ou agente radiológico é de grande importância para as diversas

Leia mais

Bibliografia. Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos - IFSC

Bibliografia. Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos - IFSC Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos - IFSC SFI 5800 Espectroscopia Física SCM5770 - Caracterização de Materiais por Técnicas de Espectroscopia Bibliografia Prof. Dr. José Pedro

Leia mais

Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems. www.gsd.inesc-id.pt. technology from seed

Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems. www.gsd.inesc-id.pt. technology from seed Efficient Locally Trackable Deduplication in Replicated Systems João Barreto and Paulo Ferreira Distributed Systems Group INESC-ID/Technical University Lisbon, Portugal www.gsd.inesc-id.pt Bandwidth remains

Leia mais

COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA.

COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA. COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA. PAULO RICARDO H. BALDUINO 0 Conteúdo 1. Introdução

Leia mais

Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation

Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation Amplificação da Luz por Emissão Estimulada da Radiação Características da luz laser Monocromática Colimada Coerente EXEMPLOS: Características específicas

Leia mais

ESPECTROMETRIA ATÔMICA. Prof. Marcelo da Rosa Alexandre

ESPECTROMETRIA ATÔMICA. Prof. Marcelo da Rosa Alexandre ESPECTROMETRIA ATÔMICA Prof. Marcelo da Rosa Alexandre Métodos para atomização de amostras para análises espectroscópicas Origen dos Espectros Óticos Para os átomos e íons na fase gasosa somente as transições

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Biopotenciais. Resultam de actividade electroquímica das células excitáveis (tecido nervoso, muscular e glandular)

Biopotenciais. Resultam de actividade electroquímica das células excitáveis (tecido nervoso, muscular e glandular) Biopotenciais Resultam de actividade electroquímica das células excitáveis (tecido nervoso, muscular e glandular) Existe um valor de repouso (potencial de repouso, -50 a -100 mv em relação ao meio exterior)

Leia mais

CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC

CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC Projeto 130117 CECOMTUR EXECUTIVE HOTEL Florianopolis - SC Projeto 130117 Cenario Atual tipo de iluminaçao consumo unitario quantidade consumo Kw/h Tubo fluorescente

Leia mais

INTERAÇÃO DOS RAIOS-X COM A MATÉRIA

INTERAÇÃO DOS RAIOS-X COM A MATÉRIA INTERAÇÃO DOS RAIOS-X COM A MATÉRIA RAIOS-X + MATÉRIA CONSEQUÊNCIAS BIOLÓGICAS EFEITOS DAZS RADIAÇÕES NA H2O A molécula da água é a mais abundante em um organismo biológico, a água participa praticamente

Leia mais

Operação de Instalações Marítimas

Operação de Instalações Marítimas ENIDH, Abril 2011 Sumário 1 Steering Gear 2 Bow Thrust 3 Propeller Servo 1 Steering Gear 2 Bow Thrust 3 Propeller Servo Steering Gear System Comprises two identical hydraulic systems. Each system includes:

Leia mais

Detectores de Partículas. Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009

Detectores de Partículas. Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009 Detectores de Partículas Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009 Sumário Modelo geral de um detector. Medidas destrutivas e não-destrutivas. Exemplos de detectores. Tempo de vôo. Detectores a gás. Câmara de

Leia mais

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH Duolao Wang; Ameet Bakhai; Angelo Del Buono; Nicola Maffulli Muscle, Tendons and Ligaments Journal, 2013 Santiago A. Tobar L., Dsc. Why to determine the

Leia mais

COM POLI(ÁLCOOL VINÍLICO): EFEITO DA FRAÇÃO MOLAR DOS PRECURSORES

COM POLI(ÁLCOOL VINÍLICO): EFEITO DA FRAÇÃO MOLAR DOS PRECURSORES SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DE PONTOS QUÂNTICOS DE CdS ESTABILIZADOS COM POLI(ÁLCOOL VINÍLICO): EFEITO DA FRAÇÃO MOLAR DOS PRECURSORES Fábio P. Ramanery 1, Juan C. González 2, Alexandra A. P. Mansur 1 Herman

Leia mais

Centro Universitário Padre Anchieta

Centro Universitário Padre Anchieta Absorbância Centro Universitário Padre Anchieta 1) O berílio(ii) forma um complexo com a acetilacetona (166,2 g/mol). Calcular a absortividade molar do complexo, dado que uma solução 1,34 ppm apresenta

Leia mais

Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta

Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta XXII Encontro Sergipano de Física Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta Prof. Dr. Milan Lalic Departamento de Física Universidade Federal de Sergipe

Leia mais

Ligações Químicas Ligação Iônica Ligação Metálica

Ligações Químicas Ligação Iônica Ligação Metálica Química Geral e Inorgânica QGI0001 Eng a. de Produção e Sistemas Prof a. Dr a. Carla Dalmolin Ligações Químicas Ligação Iônica Ligação Metálica Periodicidade O átomo é visto como uma esfera, onde só as

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS POR ESPECTROSCOPIA DE FOTOELÉTRONS

CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS POR ESPECTROSCOPIA DE FOTOELÉTRONS CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS POR ESPECTROSCOPIA DE FOTOELÉTRONS Pedro A. P. Nascente DEMa/UFSCar, Via Washington Luis, km 235, CEP 13565-970 São Carlos SP E-mail: nascente@ufscar.br RESUMO Os elétrons de

Leia mais

PDT: ciência; técnica; ficção.

PDT: ciência; técnica; ficção. Boa noite! PDT: ciência; técnica; ficção. Jorge & Ester Nicola A PDT é um exemplo claro de atividade inter e multidisciplinar. Seu estágio atual ainda oferece espaço para a pesquisa pura. Apresenta importância

Leia mais

AS 4 QUESTÕES DA PARTE A SÃO OBRIGATÓRIAS. ESCOLHA 2, E APENAS 2, QUESTÕES DA PARTE B. A PROVA TEM DURAÇÃO MÁXIMA DE 4 HORAS. BOA PROVA.

AS 4 QUESTÕES DA PARTE A SÃO OBRIGATÓRIAS. ESCOLHA 2, E APENAS 2, QUESTÕES DA PARTE B. A PROVA TEM DURAÇÃO MÁXIMA DE 4 HORAS. BOA PROVA. EXAME UNIFICADO DAS PÓS-GRADUAÇÕES EM FÍSICA DO RIO DE JANEIRO Segundo Semestre de 01-13 de julho de 01 AS 4 QUESTÕES DA PARTE A SÃO OBRIGATÓRIAS. ESCOLHA E APENAS QUESTÕES DA PARTE B. A PROVA TEM DURAÇÃO

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

Redes Complexas Aula 3

Redes Complexas Aula 3 Redes Complexas Aula 3 Aula passada Caracterizando redes grandes Grau Distâncias Clusterização Aula de hoje Características de redes reais Centralidade de vértices Betweeness, Closeness Três Importantes

Leia mais

Prof. Marcelo Bariatto FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO FATEC - SP

Prof. Marcelo Bariatto FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO FATEC - SP FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO PAULO FATEC - SP CURSO SUPERIOR DE MATERIAIS, PROCESSOS E COMPONENTES ELETRÔNICOS - MPCE DISPOSITIVOS SEMICONDUTORES II - DS II http://www.lsi.usp.br/~bariatto/fatec/ds2

Leia mais

EXERCÍCIOS ESTRUTURA ELETRONICA

EXERCÍCIOS ESTRUTURA ELETRONICA EXERCÍCIOS ESTRUTURA ELETRONICA Questão 1 O molibdênio metálico tem de absorver radiação com frequência mínima de 1,09 x 10 15 s -1 antes que ele emita um elétron de sua superfície via efeito fotoelétrico.

Leia mais

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm.

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm. A Visão é o sentido predileto do ser humano. É tão natural que não percebemos a sua complexidade. Os olhos transmitem imagens deformadas e incompletas do mundo exterior que o córtex filtra e o cérebro

Leia mais

APSA 2 - Tabela Periódica 10º Ano Novembro de 2011

APSA 2 - Tabela Periódica 10º Ano Novembro de 2011 1. Dada a distribuição eletrónica dos elementos a seguir, indique qual deles apresenta maior e menor raio atómico 3Li: 1s 2 2s 1 7N: 1s 2 2s 2 2p 3 9F: 1s 2 2s 2 2p 5 R: Maior raio Atómico = Li Menor raio

Leia mais

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Campos extraídos diretamente Título Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Huang, Chin-Yu and Lin, Chu-Ti Ano de publicação 2006 Fonte de publicação

Leia mais

Absorção do cromato-dicromato em faixa da região visível do espectro. eletromagnético utilizando cubeta de metacrilato

Absorção do cromato-dicromato em faixa da região visível do espectro. eletromagnético utilizando cubeta de metacrilato Absorção do cromato-dicromato em faixa da região visível do espectro eletromagnético utilizando cubeta de metacrilato Chromate-dichromate absorption in the band of visible region of the electromagnetic

Leia mais

Energia 1. Antonio C. Roque 5910179 Bio8sica I FFCLRP USP

Energia 1. Antonio C. Roque 5910179 Bio8sica I FFCLRP USP Energia 1 Antonio C. Roque 5910179 Bio8sica I FFCLRP USP Formas de energia Energia é um conceito muito importante em 8sica e biologia e certamente vocês já ouviram falar dela. Existem muitas formas de

Leia mais

Resumo. Palavras chave: 1.Tipos de Bloqueadores 2. Proteção-UV 3. Mecanismos de Funcionamento

Resumo. Palavras chave: 1.Tipos de Bloqueadores 2. Proteção-UV 3. Mecanismos de Funcionamento Mecanismos de Funcionamento de Agentes Químicos e Físicos na Proteção Ultravioleta de Artigos Têxteis. Functioning mechanisms of chemical and physical agents on the Ultraviolet Protection of Textiles items.

Leia mais

MEDIÇÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA COM SENSOR DE EFEITO HALL

MEDIÇÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA COM SENSOR DE EFEITO HALL TRABALHO 1 MEDIÇÃO DA CORRENTE ELÉCTRICA COM SENSOR DE EFEITO HALL DESCRIÇÃO DO TRABALHO Pretende se medir a corrente eléctrica (DC) que atravessa um condutor de forma indirecta. A figura que se segue

Leia mais

ANALÍTICA V 2S 2012. Aula 4: 10-12-12 ESPECTROSCOPIA. Prof. Rafael Sousa. Notas de aula: www.ufjf.br/baccan

ANALÍTICA V 2S 2012. Aula 4: 10-12-12 ESPECTROSCOPIA. Prof. Rafael Sousa. Notas de aula: www.ufjf.br/baccan ANALÍTICA V 2S 2012 Aula 4: 10-12-12 ESPECTROSCOPIA Espectrofotometria no UV-Vis Vis - Parte I Prof. Rafael Sousa Departamento de Química - ICE rafael.arromba@ufjf.edu.br Notas de aula: www.ufjf.br/baccan

Leia mais

O sal não é todo igual Salt is not all equal

O sal não é todo igual Salt is not all equal O sal não é todo igual Salt is not all equal Flor de Sal A Flor de Sal é composta por cristais leves e frágeis, em forma de palheta, que se formam na superfície das pequenas salinas, criando uma fina película

Leia mais

User Guide Manual de Utilizador

User Guide Manual de Utilizador 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE User Guide Manual de Utilizador 2014 1Life Simplify it All rights reserved. www.1-life.eu 2 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE ENGLISH USER GUIDE...4 MANUAL DE UTILIZADOR PORTUGUÊS...18

Leia mais

Detectores de Radiação Ionizante

Detectores de Radiação Ionizante Detectores de Radiação Ionizante As radiações ionizantes por si só não podem ser medida diretamente, a detecção é realizada pelo resultado produzido da interação da radiação com um meio sensível (detector).

Leia mais

Neste capítulo trataremos das propriedades gerais de um laser, bem como das características de um laser a fibra de cavidades acopladas.

Neste capítulo trataremos das propriedades gerais de um laser, bem como das características de um laser a fibra de cavidades acopladas. 3 Laser a Fibra Neste capítulo trataremos das propriedades gerais de um laser, bem como das características de um laser a fibra de cavidades acopladas. 3.1 Propriedades Gerais A palavra LASER é um acrônimo

Leia mais

Laboratório de Física - 2011/2012. Propriedades físicas de um filme fino magnético. Centro de Física da Matéria Condensada da UL

Laboratório de Física - 2011/2012. Propriedades físicas de um filme fino magnético. Centro de Física da Matéria Condensada da UL T1 Propriedades físicas de um filme fino magnético Difracção raios X, Microscopia Força Atómica, Magnetometria SQUID Rui Borges Centro de da UL Estudo de um filme fino de óxido magnético depositado por

Leia mais

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho Título: Direção e Taxa (Velocidade) de Acumulação de Capacidades Tecnológicas: Evidências de uma Pequena Amostra de Empresas de Software no Rio de Janeiro, 2004 Autor(a): Eduardo Coelho da Paz Miranda

Leia mais

PMT-5778 (Diagramas de Equilíbrio) 2017 Augusto Camara Neiva AULA 1

PMT-5778 (Diagramas de Equilíbrio) 2017 Augusto Camara Neiva AULA 1 PMT-5778 (Diagramas de Equilíbrio) 2017 Augusto Camara Neiva AULA 1 AULA 1 Apresentação e contextualização. O que é uma fase. De que tipo de diagramas trataremos neste curso? Regra da alavanca e Regra

Leia mais

Prof. Dr. Sidney Lima

Prof. Dr. Sidney Lima QUÍMICA ORGÂNICA III UFPI/2009:2 Espectrometria de Massas Determinação Estruturas Orgânicas: Raios X Coenzima: 1979 oxida C 4 a C 3 O Applications of Mass Spectrometry Pharmaceutical analysis Bioavailability

Leia mais

Introdução aos métodos espectrométricos. Propriedades da radiação eletromagnética

Introdução aos métodos espectrométricos. Propriedades da radiação eletromagnética Introdução aos métodos espectrométricos A espectrometria compreende um grupo de métodos analíticos baseados nas propriedades dos átomos e moléculas de absorver ou emitir energia eletromagnética em uma

Leia mais

Espectroscopia Óptica Instrumentação e Aplicações. CQ122 Química Analítica Instrumental II 2º sem. 2014 Prof. Claudio Antonio Tonegutti

Espectroscopia Óptica Instrumentação e Aplicações. CQ122 Química Analítica Instrumental II 2º sem. 2014 Prof. Claudio Antonio Tonegutti Espectroscopia Óptica Instrumentação e Aplicações CQ122 Química Analítica Instrumental II 2º sem. 2014 Prof. Claudio Antonio Tonegutti Classificação dos métodos de análises quantitativas Determinação direta

Leia mais

ESPECTROSCOPIA MOLECULAR

ESPECTROSCOPIA MOLECULAR Universidade Federal do Pará, Centro de Ciências Exatas e Naturais, Departamento de Física Curso Física Moderna II, Março 22 ESPECTROSCOPIA MOLECULAR Petrus Alcantara Jr. + Departamento de Física, Universidade

Leia mais

Simulação Gráfica e Visão Computacional. Soraia Raupp Musse

Simulação Gráfica e Visão Computacional. Soraia Raupp Musse Simulação Gráfica e Visão Computacional Soraia Raupp Musse Objetivo Analisar exemplos comerciais e do estado-da-arte científicos que utilizam dados reais para aprimorar a qualidade de simulações e animações.

Leia mais

2.1. Efeito de Doppler e efeito de pressão 2.2. Efeito da temperatura 2.3. Instrumentação 2.4. Tipos de interferências

2.1. Efeito de Doppler e efeito de pressão 2.2. Efeito da temperatura 2.3. Instrumentação 2.4. Tipos de interferências ANÁLISE INSTRUMENTAL MESTRADO BIOQUÍMICA 1.ºANO Capítulo 2 2. Espectroscopia de emissão e absorção atómica 2.1. Efeito de Doppler e efeito de pressão 2.2. Efeito da temperatura 2.3. Instrumentação 2.4.

Leia mais

Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas. Milimétricas para Plasmas de Fusão

Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas. Milimétricas para Plasmas de Fusão Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas Milimétricas para Plasmas de Fusão M. Manso e L. Cupido Associação EURATOM / IST, Fusão Nuclear, 1049-001 Lisboa, Portugal. Introdução A produção comercial

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DE CAMPOS MAGNÉTICOS NA SUPERFÍCIE DO SOL, UTILIZANDO LINHAS DE CÁLCIO

DIAGNÓSTICOS DE CAMPOS MAGNÉTICOS NA SUPERFÍCIE DO SOL, UTILIZANDO LINHAS DE CÁLCIO DIAGNÓSTICOS DE CAMPOS MAGNÉTICOS NA SUPERFÍCIE DO SOL, UTILIZANDO LINHAS DE CÁLCIO José Augusto S. S. Dutra, Francisco C. R. Fernandes Universidade do Vale do Paraíba UNIVAP / Instituto de Pesquisa e

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

Automação. Indústria smart. Indústria smart. Lucas Nülle GmbH Página 1/5 www.lucas-nuelle.pt

Automação. Indústria smart. Indústria smart. Lucas Nülle GmbH Página 1/5 www.lucas-nuelle.pt Automação Acquire practical and project-oriented laboratory skills and expertise: Automation trainers, mechatronics trainers, PLC trainers Indústria smart Indústria smart A indústria smart representa,

Leia mais

What is Bullying? Bullying is the intimidation or mistreating of weaker people. This definition includes three important components:1.

What is Bullying? Bullying is the intimidation or mistreating of weaker people. This definition includes three important components:1. weaker people. This definition includes three important components:1. Bullying is aggressive behavior that involves unwanted, negative actions. 2. Bullying involves a pattern of behavior repeated over

Leia mais

ENERGIA e DESENVOLVIMENTO. CCEE Lisboa, em 12 de Outubro de 2016

ENERGIA e DESENVOLVIMENTO. CCEE Lisboa, em 12 de Outubro de 2016 ENERGIA e DESENVOLVIMENTO Jorge Alberto Gil Saraiva CCEE Lisboa, em 12 de Outubro de 2016 Sadi Carnot (1824) The production of motive power in heat engines is due not to an actual consumption of the caloric,

Leia mais

xadrez de 120 minutos, um espectador, na terra, dirá que o jogo demorou 200 minutos. 1. O que acontece aqui?

xadrez de 120 minutos, um espectador, na terra, dirá que o jogo demorou 200 minutos. 1. O que acontece aqui? 1 xadrez de 120 minutos, um espectador, na terra, dirá que o jogo demorou 200 minutos. 1. O que acontece aqui? 20 anos V = 0.8c 12 anos 12 anos a afastar e 12 anos a aproximar 20 anos 12 anos Dois gémeos

Leia mais

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Introdução Introduction Normas Gráficas Este manual fornece os

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PARA A SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PARA A SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PARA A SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO PROVA DE SELEÇÃO AO CURSO DE DOUTORADO EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E SAÚDE PROVA DE INGLÊS O objetivo desta prova é avaliar

Leia mais

Análise de FT-IR para caracterização dosimétrica do Poli (Fluoreto de Vinilideno Hexafluorpropileno) irradiado com altas doses de radiação gama

Análise de FT-IR para caracterização dosimétrica do Poli (Fluoreto de Vinilideno Hexafluorpropileno) irradiado com altas doses de radiação gama Análise de FT-IR para caracterização dosimétrica do Poli (Fluoreto de Vinilideno Hexafluorpropileno) irradiado com altas doses de radiação gama Otávio Souza Rocha Liz 1, Adriana de Souza Medeiros 1 e Luiz

Leia mais

ATLAS DE ACUPUNTURA VETERINáRIA. CãES E GATOS (EM PORTUGUESE DO BRASIL) BY CHOO HYUNG KIM

ATLAS DE ACUPUNTURA VETERINáRIA. CãES E GATOS (EM PORTUGUESE DO BRASIL) BY CHOO HYUNG KIM Read Online and Download Ebook ATLAS DE ACUPUNTURA VETERINáRIA. CãES E GATOS (EM PORTUGUESE DO BRASIL) BY CHOO HYUNG KIM DOWNLOAD EBOOK : ATLAS DE ACUPUNTURA VETERINáRIA. CãES E GATOS Click link bellow

Leia mais

Métodos Físicos de Análise - ABSORÇÃO ATÔMICA. Métodos Físicos de Análise MÉTODOS FÍSICOS DE ANÁLISE

Métodos Físicos de Análise - ABSORÇÃO ATÔMICA. Métodos Físicos de Análise MÉTODOS FÍSICOS DE ANÁLISE Métodos Físicos de Análise - ABSORÇÃO ATÔMICA Prof. Dr. Leonardo Lucchetti Mestre e Doutor em Ciências Química de Produtos Naturais NPPN/UFRJ Depto. de Química de Produtos Naturais Farmanguinhos Fiocruz

Leia mais

Lung Cancer. Risk Factors

Lung Cancer. Risk Factors Lung Cancer The lungs are the organs that help us breathe. They help to give oxygen to all the cells in the body. Cancer cells are abnormal cells. Cancer cells grow and divide more quickly than healthy

Leia mais

Prof a. Jennifer Lowe

Prof a. Jennifer Lowe Prof a. Jennifer Lowe A espectrofotometria - método de análises óptico mais usado nas investigações biológicas e fisico-químicas. O espectrofotômetro - instrumento que permite comparar a radiação absorvida

Leia mais

CENTRAL ANALÍTICA ESPECTROSCOPIA ATÔMICA

CENTRAL ANALÍTICA ESPECTROSCOPIA ATÔMICA CENTRAL ANALÍTICA ESPECTROSCOPIA ATÔMICA Com a descoberta que o átomo possui estrutura; isto é, é composta de partículas menores tais como elétrons os quais são ordenados de acordo a critérios quânticos

Leia mais

Addition of Fields in Line Item Display Report Output for TCode FBL1N/FBL5N

Addition of Fields in Line Item Display Report Output for TCode FBL1N/FBL5N Addition of Fields in Line Item Display Report Output for TCode FBL1N/FBL5N Applies to: Any business user who uses the transactions FBL1N and FBL5N to display line item reports for vendors and customers.

Leia mais

Aula 12 - Correção de erros

Aula 12 - Correção de erros Aula 12 - Correção de erros Prof. Renan Sebem Disciplina de Eletrônica Digital Graduação em Engenharia Elétrica Universidade do Estado de Santa Catarina Joinville-SC Brasil 5 de abril de 2016 ELD0001 Prof.

Leia mais

Computação e Programação 2009 / 2010

Computação e Programação 2009 / 2010 Computação e Programação 2ª Aula de Problemas Instituto Superior Técnico, Dep. de Engenharia Mecânica - ACCAII Exercícios Resolvidos [Livro 1] (Ver referências no slide 20) 3.3 Write a program to convert

Leia mais

ESTUDO DO EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DE TiO 2 POR MEIO DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA DE LUMINESCÊNCIA

ESTUDO DO EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DE TiO 2 POR MEIO DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA DE LUMINESCÊNCIA ESTUD D EFEIT D TRATAMENT TÉRMIC DE Ti 2 PR MEI DA TÉCNICA DE ESPECTRSCPIA DE LUMINESCÊNCIA Rafael Inocêncio de Andrade Bitencourt * IC, Deborah Dibbern Brunelli PQ Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

Métodos Espectroanalítcos. Aula 5 Interferências em FAAS

Métodos Espectroanalítcos. Aula 5 Interferências em FAAS Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Instituto de Ciências Exatas Depto. de Química Métodos Espectroanalítcos Aula 5 Interferências em FAAS Julio C. J. Silva Juiz de Fora, 2013 Processo de dissociação

Leia mais

UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS

UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS RBE. VOL. 7 N. 11990 UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS por C. NOGUEIRA DE SOUZA & L.V.E. CALDAS' RESUMO - Uma câmara de ionização de placas paralelas para

Leia mais

INSTRUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DA PROVA DE PROFICIENCIA EM INGLÊS

INSTRUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DA PROVA DE PROFICIENCIA EM INGLÊS INSTRUÇÃO PARA REALIZAÇÃO DA PROVA DE PROFICIENCIA EM INGLÊS 1) Este caderno contém cinco questões discursivas. Caso apresente defeito de impressão ou falta de questão, o candidato deverá solicitar ao

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 MARCELA BENEVENTE [1], LUCIANA MOURA CAMPOS PARDINI [2], ADRIANA CAMARGO FERRASI [1,3], MARIA INES DE MOURA CAMPOS PARDINI [3], ALINE FARIA GALVANI [3], JOSE JOAQUIM TITTON RANZANI [2] 1. Instituto de

Leia mais

Lucas de Assis Soares, Luisa Nunes Ramaldes, Taciana Toledo de Almeida Albuquerque, Neyval Costa Reis Junior. São Paulo, 2013

Lucas de Assis Soares, Luisa Nunes Ramaldes, Taciana Toledo de Almeida Albuquerque, Neyval Costa Reis Junior. São Paulo, 2013 COMPARATIVE STUDY OF THE ATMOSPHERIC DISPERSION MODELS AND THROUGH THE ANALYSIS OF AIR QUALITY IN THE METROPOLITAN REGION OF GRANDE VITÓRIA Lucas de Assis Soares, Luisa Nunes Ramaldes, Taciana Toledo de

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

ÍNDICE PORTUGUÊS INDEX ENGLISH

ÍNDICE PORTUGUÊS INDEX ENGLISH ÍNDICE PORTUGUÊS 1. Características... 2 2. Conteúdo da Embalagem... 3 3. Como usar o Receptor de TV Digital... 3 4. Tela de Vídeo... 6 5.Requisitos Mínimos... 6 6. Marcas Compatíveis... 8 INDEX ENGLISH

Leia mais

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks

LÍNGUA INGLESA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Reading - Typographic Marks Conteúdo: Reading - Typographic Marks Habilidades: Utilizar as Marcas Tipográficas para facilitar a compreensão e também chamar a atenção do leitor. Typographic Marks O que são marcas tipográficas? As

Leia mais

Espectroscopia de Raios X

Espectroscopia de Raios X Espectroscopia de Raios X 1. Introdução Raios X O conhecimento da estrutura dos materiais, a maioria dos quais são cristalinos no estado sólido, s é fundamental para a caracterização das propriedades físicas

Leia mais

Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção. Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ

Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção. Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ Aula 17/07 X Escola do CBPF - 2015 Conteúdo do Curso Introdução: historia e primeiros detectores Medições diretas

Leia mais

SEMICONDUTORES. Concentração de portadores de carga:

SEMICONDUTORES. Concentração de portadores de carga: Unidade 3 SEMICONDUTORES E g ~ 1 ev E F E = 0 Elétron pode saltar da banda de valência para a banda de condução por simples agitação térmica Concentração de portadores de carga: Para metais: elétrons de

Leia mais

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores THIS PROGRAM AIMS TO TOAST OUR CUSTOMERS WITH THE OPPORTUNITY TO DISCOVER AND EXPLORE THE FAIAL AND S. JORGE ISLANDS. WE HAVE A WIDE RANGE OF CULTURAL

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação Relatório de estágio apresentado à Universidade Católica Portuguesa para obtenção do

Leia mais

ANALÍTICA V 1S 2013. Aula 6: 11-06-13 ESPECTROSCOPIA. Prof. Rafael Sousa

ANALÍTICA V 1S 2013. Aula 6: 11-06-13 ESPECTROSCOPIA. Prof. Rafael Sousa ANALÍTICA V 1S 2013 Aula 6: 11-06-13 ESPECTROSCOPIA Espectrometria de Absorção Atômica - Parte I Prof. Rafael Sousa Departamento de Química - ICE rafael.arromba@ufjf.edu.br Notas de aula: www.ufjf.br/baccan

Leia mais

MAUS TRATOS NA POPULAÇÃO IDOSA INSTITUCIONALIZADA

MAUS TRATOS NA POPULAÇÃO IDOSA INSTITUCIONALIZADA Universidade de Lisboa Faculdade de Medicina de Lisboa MAUS TRATOS NA POPULAÇÃO IDOSA INSTITUCIONALIZADA Catarina Isabel Fonseca Paulos Mestrado em Medicina Legal e Ciências Forenses 2005 Esta dissertação

Leia mais

SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS. Prof. Homero Schiabel

SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS. Prof. Homero Schiabel SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS Prof. Homero Schiabel 6. FORMAÇÃO DE IMAGENS POR RAIOS X A Radiografia 2 fatores fundamentais: padrão de intensidade de raios-x transmitido através

Leia mais

Vaporpunk - A fazenda-relógio (Portuguese Edition)

Vaporpunk - A fazenda-relógio (Portuguese Edition) Vaporpunk - A fazenda-relógio (Portuguese Edition) Octavio Aragão Click here if your download doesn"t start automatically Vaporpunk - A fazenda-relógio (Portuguese Edition) Octavio Aragão Vaporpunk - A

Leia mais

Luiz Antonio de Oliveira Nunes

Luiz Antonio de Oliveira Nunes Luiz Antonio de Oliveira Nunes luizant@ifsc.usp.br 016-33739835 Historia Bacharelado em Física UFPa (Engenharia Elétrica) Mestrado: São Carlos IFSC Doutorado: São Carlos IFSC Pos-doutorado: BELLCORE-USA

Leia mais

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016

Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Prova de Seleção Mestrado LINGUA INGLESA 15/02/2016 Instruções aos candidatos: (1) Preencher somente o número de inscrição em todas as folhas. (2) Usar caneta preta ou azul. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Leia mais

EFEITO COMPTON. J.R. Kaschny

EFEITO COMPTON. J.R. Kaschny EFEITO COMPTON J.R. Kaschny Os Experimentos de Compton Das diversas interações da radiação com a matéria, um destaque especial é dado ao efeito, ou espalhamento, Compton - Arthur Holly Compton (93, Nobel

Leia mais

EFEITO FOTOELÉTRICO. J.R. Kaschny

EFEITO FOTOELÉTRICO. J.R. Kaschny EFEITO FOTOELÉTRICO J.R. Kaschny Histórico 1886-1887 Heinrich Hertz realizou experimentos que pela primeira vez confirmaram a existência de ondas eletromagnéticas e a teoria de Maxwell sobre a propagação

Leia mais

Estrutura do Curso...

Estrutura do Curso... Radiologia Digital Aula 2 Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Estrutura do Curso... 1. Introdução à Radiologia Digital 2. A imagem digital e etapas de PDI 3. Equipamento - Detectores

Leia mais

Alfa/Rio Instituto do Milênio de Nanociências. Magnetometer S600X-IN Cryogenic

Alfa/Rio Instituto do Milênio de Nanociências. Magnetometer S600X-IN Cryogenic Instituto do Milênio de Nanociências Magnetometer S600X-IN Cryogenic Magnetometry: Squid magnetometry (not high field, < 8T) Based on Superconductivity, unbeatable at low fields Vibrating Sample magnetometry

Leia mais

Revista Intellectus Ano VIII Nº. 21

Revista Intellectus Ano VIII Nº. 21 DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS COM DIFERENTES ACUMULADORES ELETROQUÍMICOS DE ENERGIA Comparative study of different batteries technology for photovoltaic systems DIAS JR., Luiz Eduardo Ferreira

Leia mais

Consultoria em Direito do Trabalho

Consultoria em Direito do Trabalho Consultoria em Direito do Trabalho A Consultoria em Direito do Trabalho desenvolvida pelo Escritório Vernalha Guimarães & Pereira Advogados compreende dois serviços distintos: consultoria preventiva (o

Leia mais

FEN- 06723 Processamento Digital de Imagens. Projeto 3 Utilizando filtragem rejeita faixa para tirar ruído de imagem

FEN- 06723 Processamento Digital de Imagens. Projeto 3 Utilizando filtragem rejeita faixa para tirar ruído de imagem FEN- 06723 Processamento Digital de Imagens Projeto 3 Utilizando filtragem rejeita faixa para tirar ruído de imagem Marcelo Musci Mestrado Geomática/UERJ-2004 Abstract Frequency space offers some attractive

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ONDAS, Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica

FUNDAMENTOS DE ONDAS, Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica FUNDAMENTOS DE ONDAS, RADIAÇÕES E PARTÍCULAS Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica Questões... O que é uma onda? E uma radiação? E uma partícula? Como elas se propagam no espaço e nos meios materiais?

Leia mais

c) A corrente induzida na bobina imediatamente após a chave S ser fechada terá o mesmo sentido da corrente no circuito? Justifique sua resposta.

c) A corrente induzida na bobina imediatamente após a chave S ser fechada terá o mesmo sentido da corrente no circuito? Justifique sua resposta. Questão 1 Um estudante de física, com o intuito de testar algumas teorias sobre circuitos e indução eletromagnética, montou o circuito elétrico indicado na figura ao lado. O circuito é composto de quatro

Leia mais

A base da espectrometria de massas

A base da espectrometria de massas A base da espectrometria de massas The father of MS and the first mass spectrometrist to win the Nobel Prize. Pure species and mixtures JJ Thomson's 'Plum Pudding Model' of the atom, a sphere of positive

Leia mais