PROVA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROVA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS"

Transcrição

1 GEEKIE ENEM III 2ª SÉRIE CADERNO 1 PROVA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS LEIA ATENTAMENTE AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. Este CADERNO DE QUESTÕES contém 60 questões, dispostas da seguinte maneira: a) as questões de número 1 a 30 são relativas à área de Ciências Humanas e suas Tecnologias. b) as questões de número 31 a 60 são relativas à área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias. 2. Con ra se o seu CADERNO DE QUESTÕES contém a quantidade de questões e se essas questões estão na ordem mencionada na instrução anterior. Caso o caderno esteja incompleto, tenha defeito ou apresente qualquer divergência, comunique ao aplicador da sala para que ele tome as providências cabíveis. 5. Reserve os 30 minutos nais para marcar o seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no CADERNO DE QUESTÕES não serão considerados na avaliação. 6. Quando terminar as provas, acene para chamar o aplicador e entregue este CADERNO DE QUESTÕES e o CARTÃO-RESPOSTA. 3. Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 opções. Apenas uma responde corretamente à questão. 4. O tempo disponível para estas provas é de 3 horas. Os resultados da sua avaliação estarão em:

2 CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS QUESTÕES DE 01 A 30 QUESTÃO 1 De tudo que se diz e de tudo que se vê, é nítida as mudanças que as inovações tecnológicas trouxeram e ainda trazem [...]. A diferença é que com o uso da internet, do computador, temos um mundo quase que totalmente virtual, com facilidades, mas também dependência e escravidão. Somos hoje escravos dos programas de computador, da comunicação a distância, dos equipamentos que nos fornecem multifunções. MAJOR, C. R. Os avanços tecnológicos e suas consequências. Disponível em: Acesso em: 2 maio As evoluções científicas e tecnológicas, segundo a discussão do texto, implicam transformações nas condições de vida do ser humano. Nesse sentido, segundo a autora, as inovações A. permitem criar confortos maiores aos povos. B. suportam repassar altos custos aos consumidores. C. podem produzir consequências negativas à humanidade. D. vão promover desenvolvimentos significativos na economia. E. devem permitir o desenvolvimento moral dos seres humanos. QUESTÃO 2 A identidade, a diversidade e a riqueza de uma cultura só se estabelecem pelo contato, e não pela interdição ou o isolamento. Nossa cultura brasileira, por exemplo, tem na formação e na prática de sua identidade a vivência quotidiana de diversas apropriações criativas e acumulativas de diversas influências culturais. Nossa identidade, se é que podemos falar no singular, só é possível pela criação autêntica a partir do uso de diversas influências de origem europeia, indígena e africana. É dessa diversidade que criamos uma diferença. A nossa riqueza está justamente na nossa identidade construída com influências alheias, por apropriações diversas, por mútuas e complexas relações. De acordo com o texto, a identidade social relacionada à cultura brasileira é caracterizada por A. interações cruzadas. B. princípios afastados. C. estabilidades delicadas. D. intercâmbios replicados. E. interpretações compartimentalizadas. QUESTÃO 3 Sentado na mureta de sua casa, o "seo" José Andrada da Silva, patriarca da família, nos leva à dura realidade dos anos 1990, mais precisamente 1996, quando um grupo de famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) ocupou a fazenda Cercadinho, em Itapetininga (SP). Foram mais de dois anos de luta da família Silva, ocupações, marchas a Brasília e acampamentos em estradas para reivindicar direitos previstos na Constituição brasileira, mas negados a milhares de pessoas em todo o país. Alguns bons acordos para comercialização dos produtos do assentamento garantiam a sobrevivência, como os realizados por meio dos programas de compras públicas para fornecimento de alimentos para a merenda escolar. CANTO, R. A experiência do fazer e evoluir. Revista Plantando Águas, n. 2, 2015 (adaptado). O relato de vida apresentado pode ser associado à ação de política pública da A. reforma agrária. B. reforma trabalhista. C. redução dos impostos. D. igualdade de gênero. E. reforma constitucional. LEMOS, A. Cibercultura, cultura e identidade. Em direção a uma "Cultura Copyleft". Contemporânea, v. 2, n. 2, dez Disponível em: Acesso em: 25 ago (adaptado). Página 2

3 QUESTÃO 4 O fundo dos oceanos apresenta uma variedade de formas, assim como o relevo terrestre: são montanhas, áreas planas e depressões que não podemos visualizar, mas que também precisam de classificação e análise. A plataforma continental, por exemplo, é caracterizada por ser um prolongamento submerso do continente com profundidade média de 200 metros, facilitando que o fundo oceânico receba luz solar, o que propicia o desenvolvimento de vegetação marinha e de espécies animais. PAREJO, L. C. Relevo submarino: plataforma, talude e outras unidades. UOL Educação. Disponível em: educacao.uol.com.br. Acesso em: 2 abr Por conta das suas características, as plataformas continentais favorecem A. abalos sísmicos. B. atividade pesqueira. C. erupções vulcânicas. D. extração de minérios. E. movimentação de placas tectônicas. QUESTÃO 5 O sistema flex fuel foi inteiramente desenvolvido nos laboratórios brasileiros da multinacional alemã Bosch e da italiana Magneti Marelli. [...] O Brasil foi um dos pioneiros no uso do etanol em veículos. É também o único que tem carros com motores programados para rodar apenas com etanol ou com qualquer mistura desse combustível e gasolina no caso, os automóveis flex. Na Europa, muitos países acrescentam 5% de etanol anidro (sem água) na gasolina. Há estudos para elevar esse nível para 10%. QUESTÃO 6 A luta secular para elaborar um código de leis escritas foi correta e retrospectivamente considerada o ponto fulcral para quebrar o monopólio do poder da velha aristocracia; daí a tradição grega do antigo "legislador", conhecida, sobretudo, através do Sólon histórico e do legendário Licurgo, e os longos comentários feitos pelos analistas romanos das "Doze Tábuas". Mas a aplicação e a eficácia de todos os códigos dependem da interpretação dos magistrados e dos tribunais e, ao menos que o direito de interpretá los seja "democratizado", a mera existência de leis escritas representará pouca mudança. FINLEY, M. Política no Mundo Antigo. Lisboa: Edições 70, 1997 (adaptado). O texto interpreta práticas de justiça na Grécia Antiga, nas quais a participação popular era intermediada por A. discursos sobre a lei constituídos por elites instruídas. B. leis que controlavam a atuação jurídica da aristocracia. C. pronunciamentos de oradores representantes do povo. D. leituras equivocadas dos códigos jurídicos tradicionais. E. legislações escritas que facilitavam o acesso ao direito. VASCONCELOS, Y. Parceria multinacional. Revista Pesquisa FAPESP, n. 201, nov O texto descreve uma estratégia econômica para o Brasil A. eliminar o uso da gasolina no mercado nacional e internacional. B. economizar água na produção de combustíveis e baratear seu custo. C. ganhar competitividade tecnológica e mercado energético no exterior. D. fechar o mercado interno e alcançar autossustentabilidade para combustíveis. E. privatizar os institutos tecnológicos e vendê los para os países desenvolvidos. Página 3

4 QUESTÃO 7 "[...] a revolução modernizadora de 1964 fundamenta toda a sua doutrina estratégica no binômio do desenvolvimento e da segurança, reconhecido desde logo que, em essência, o primeiro é dominante para a nação brasileira." GEISEL, E. Discursos. Brasília: Assessoria de Imprensa da Presidência da República, O projeto político ideológico enunciado no discurso presidencial conjugou A. crescimento da indústria nacional e destruição das organizações de esquerda. B. investimento do setor agroexportador e subordinação das lideranças sindicais. C. fortalecimento do capital financeiro e institucionalização do aparato repressivo. D. aumento do consumo de artigos supérfluos e supressão das oposições parlamentares. E. incremento da produção de bens não duráveis e restrição das mobilizações populares. QUESTÃO 8 Comentando a Lei da Ficha Limpa e as eleições municipais de 2012, um jornal publicou o seguinte texto: "A Lei da Ficha Limpa já barrou 317 políticos que tentam eleger se para a prefeitura de alguma cidade brasileira. Não é um número tão grande, já que são cerca de 15 mil candidatos a prefeito em todo o Brasil. Mas não deixa de ser um avanço. A Lei da Ficha Limpa, como se sabe, entre outras coisas impede que cidadãos condenados pela Justiça em segunda instância [...] possam disputar eleições. [...] O fato de a Justiça Eleitoral pôr em prática essa lei, que nasceu por iniciativa da população (e não dos políticos), é uma vitória da moralidade. Mais que isso, é uma etapa no amadurecimento da política brasileira". O fato comentado no texto ilustra como, na democracia, a sociedade civil organizada pode A. fazer com que a sociedade acate as decisões dos governantes. B. atuar para que valores éticos sejam cumpridos na prática política. C. derrubar a lei que impede um cidadão de disputar cargos públicos. D. reivindicar limites para a participação popular nas questões estatais. E. lutar para que certas classes sociais sejam beneficiadas pelo Estado. QUESTÃO 9 A ideia de que "gosto não se discute" me parece fundamentalmente errada. Gostos se discutem sim, e diariamente. Mais do que se discutem: em cada período histórico, há gostos em luta, vitórias, derrotas, revanches. Uma ilusão do nosso tempo um tempo de tolerância estética, de permissividade nos valores culturais, de repressão totalitária ao julgamento crítico é pensar que o gosto seja uma questão individual, quase fisiológica, e que ninguém tem de dar palpite sobre a preferência alheia. COELHO, M. Folha de S.Paulo, set No texto, o autor expõe seu ponto de vista, defendendo que o gosto é A. um assunto de especialistas. B. um problema individual. C. uma questão de cunho social. D. uma opinião indiscutível. E. uma aptidão subjetiva. Editorial. Agora São Paulo. Disponível em: Acesso em: 8 jan Página 4

5 QUESTÃO 10 Texto I A população mundial atingiu os sete bilhões em Depois de crescer muito lentamente durante a maior parte da história humana, o número de pessoas na Terra aumentou mais que o dobro nos últimos 50 anos. Disponível em: Acesso em: 13 maio Texto II QUESTÃO 11 A supremacia do Estado não pode manter se por simples automatismo e nem pela pura coação física. A disciplina baseada no medo deve ser acompanhada pela adesão interiorizada e aparentemente voluntária. O Estado necessita ser consagrado e sacralizado pelo consentimento, combinando com este fim mecanismos formais e informais. Uma de suas funções essenciais consiste precisamente em sua contribuição, sempre substancial e frequentemente decisiva, para elaborar, sistematizar e impor coativa e persuasivamente uma concepção do mundo e da sociedade, um sistema de valores e representações coletivas que expressem e justifiquem as relações e estruturas parciais e o sistema geral vigente em um país e suas etapas particulares. KAPLAN, M. T. Formação do Estado nacional. Rio de Janeiro: Editora Eldorado, 1974 (adaptado). De acordo com o texto, a manutenção da supremacia do Estado necessita do consentimento e de sua sacralização, que ele obtém por meio A. do poder político. B. de benefícios sociais. C. da formação ideológica. D. de interesses econômicos. FABIANO. O ser humano e o planeta. Disponível em: Acesso em: 13 maio A crítica exposta na charge demonstra A. a eclosão do emprego de mão de obra emigrante. B. a escassez de alimentos provocada pelo aumento populacional. C. a necessidade de investimento em políticas sustentáveis nas empresas. D. a importância de incentivar o controle de natalidade dos países desenvolvidos. E. o impacto gerado no meio ambiente devido à intensa utilização dos recursos naturais. E. de instrumentos repressivos. QUESTÃO 12 Em 21 de abril de 1792, no Campo de São Domingos, Rio de Janeiro, a justiça de Sua Majestade Dona Maria I mandava executar o réu Joaquim José da Silva Xavier pelo "horroroso crime de rebelião e alta traição" de que foi considerado chefe, já que, na distante capitania de Minas Gerais, atentara "com a mais escandalosa temeridade contra a Real Soberania, e Suprema autoridade da mesma Senhora". SOUZA, L. de M. Norma e conflito: aspectos da história de Minas no século XVIII. Belo Horizonte: Editora UFMG, A partir do texto, a sentença do crime cometido pelo personagem citado e seus associados teve tão dura classificação por A. criticar a carga tributária. B. sonegar os impostos régios. C. atacar os funcionários reais. D. estimular a separação regional. E. explorar os comerciantes locais. Página 5

6 QUESTÃO 13 Texto I A grande área que compreende o Mar de Aral, um lago de água salgada na Ásia Central, tornou se conhecida como o lugar onde houve o maior desastre ambiental já causado pelo homem. O lago, que já foi considerado o quarto maior do mundo, vem se reduzindo ao longo dos anos e hoje tem apenas um terço do tamanho original. Seu declínio começou nos anos 1970, com projetos conduzidos pela União Soviética. Para tentar salvar a área que sobrou, projetos internacionais de cooperação estão sendo implementados para reabastecer partes do Aral. Apesar dos esforços em grandes áreas do Uzbequistão, o deserto de sal, em que o local se tornou, está fazendo com que a fauna e a flora da região desapareçam. Texto II Disponível em: Acesso em: 28 ago (adaptado). QUESTÃO 14 O intenso crescimento da economia urbano industrial, depois do Plano de Metas, até o final dos anos setenta, foi, do ponto de vista espacial e social, extremamente desequilibrado. Muito concentrado no Rio de Janeiro e, fundamentalmente, em São Paulo, o desenvolvimento da economia ampliou os desequilíbrios regionais, inclusive entre a cidade e o campo. Disponível em: Acesso em: 15 dez (adaptado). No período citado no texto, o descompasso entre cidade e campo se deu, principalmente, durante o processo de A. redistribuição de terras. B. desconcentração industrial. C. expansão da fronteira agrícola. D. incentivo à migração estrangeira. E. crescimento das grandes cidades. QUESTÃO 15 A filosofia, por outro lado, trata de problematizar o porquê das coisas de maneira universal, isto é, na sua totalidade, buscando estruturar explicações para a origem de tudo nos elementos naturais e primordiais (água, fogo, terra e ar), por meio de combinações e movimentos. Enquanto o mito está no campo do fantástico e do maravilhoso, a filosofia não admite contradição, exige lógica e coerência racional e a autoridade destes conceitos não advém do narrador como no mito, mas da razão humana, natural em todos os homens. CARDOSO, O. et al. Filosofia. Curitiba: SEED PR, Imagens disponíveis em: Acesso em: 28 ago (adaptadas). O desastre ambiental do Mar de Aral, apresentado no texto e nas imagens, decorre do uso inadequado de tecnologias de A. irrigação de culturas agrícolas. B. criação extensiva de gado bovino. C. abastecimento de água em cidades. Ao refletir sobre os procedimentos da filosofia, o autor do texto a caracteriza como A. exame do senso comum em busca de respostas. B. análise crítica da realidade através do uso da razão. C. prática de narrativa religiosa com ênfase no narrador. D. uso da imaginação para construção de narrativas míticas. E. emprego do pensamento fantasioso para explicar a realidade. D. exploração de petróleo e gás natural. E. desenvolvimento de armas nucleares. Página 6

7 QUESTÃO 16 Sovietes, comunismo, fascismo, nacional socialismo tudo isso é o mesmo fato, o predomínio da espécie. Isto é, dos baixos instintos, que são de todos, contra a inteligência, que é do indivíduo só. PESSOA, F. Disponível em: Acesso em: 30 mar As ideologias políticas que floresceram no período entreguerras tinham em comum o fortalecimento da(o) A. modelo liberal. B. teoria anarquista. C. política totalitária. D. ideal democrático. E. capital monopolista. QUESTÃO 17 A grande maioria não tinha terras ou possuía uma quantidade insuficiente, deficiência esta aumentada pelo atraso técnico dominante; e a fome geral de terra foi intensificada pelo aumento da população. Os tributos feudais, os dízimos e as taxas tornavam uma produção grande e cada vez maior da renda do camponês, e a inflação reduzia o valor do resto. Pois só a maioria dos camponeses que tinha um constante excedente para vendas se beneficiava dos preços crescentes; o resto, de uma maneira ou de outra, sofria, especialmente em tempos de má colheita, quando dominavam os preços de fome. QUESTÃO 18 O Nordeste cresce mais que o Brasil e ganha poder econômico Ali, onde vive mais de um quarto da população brasileira, a classe média foi engrossada em 20 pontos percentuais na última década, alcançando 42% dos habitantes. A classe A também ganhou agregados e saltou de 5% para 9% desde Com o objetivo de discutir o potencial da região, foi realizado no dia 13 de agosto, em Recife, o primeiro EXAME Fórum Nordeste. Apesar dos desafios estruturais, como logística precária e escassez de mão de obra qualificada, e dos problemas sociais, o otimismo predomina na região. LOUREIRO, M. Exame. Disponível em: Acesso em: 29 ago (adaptado). Segundo o texto, a causa das dificuldades atuais do Nordeste é a A. existência do ciclo da seca. B. migração da população rural. C. insuficiência de políticas públicas. D. desnutrição da população urbana. E. dependência da agricultura rudimentar. HOBSBAWM, E. A Revolução Francesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008 (adaptado). O aspecto que explica a caracterização da sociedade presente no texto é a A. transformação, com a reforma da tributação real. B. reestruturação, com a supressão dos impostos civis. C. limitação, com a insuficiência de áreas produtivas. D. contradição, com a dificuldade de produção acelerada. E. degradação, com a exploração dos cidadãos oprimidos Página 7

8 QUESTÃO 19 A próxima edição do Projeto Clássicos do Cinema em Itaúna acontece no dia 24 de fevereiro. O filme exibido será Tempos Modernos, de Charles Chaplin. A película de 1936 satiriza a sociedade industrial consumista por meio do personagem ingênuo que é massacrado pelo trabalho em uma fábrica. "Clássicos do Cinema" apresenta Tempos Modernos em Itaúna. G1. Disponível em: g1.globo.com. Acesso em: 22 jun A reportagem trata de uma manifestação artística que aborda um período da história no qual ocorre o(a) A. precarização da indústria cinematográfica e jornalística, associada à censura dos governos. B. declínio das propostas liberais e democráticas, associado à intensificação de propagandas políticas. C. incentivo dos governos e suas agências financiadoras, associado ao descrédito da produção capitalista. D. avanço das técnicas de gravação e divulgação de obras, associado ao posicionamento político de artistas. E. desenvolvimento do mercado cinematográfico e musical, associado à necessidade de propaganda política. QUESTÃO 20 Nas imagens, na representação, na arte de governar, tal como havia sido definida até o início do século XVII, no fundo o soberano tinha essencialmente de ser sábio e prudente. É a partir do século XVII, creio eu, que vemos aparecer, como caracterização do saber necessário a quem governa algo totalmente diferente. Quem governa tem de conhecer os elementos que vão possibilitar a manutenção do Estado em sua força ou o desenvolvimento necessário da força do Estado, para que ele não seja dominado pelos outros e não perca sua existência perdendo sua força ou sua força relativa. Foi a partir deste momento que o bom governante precisou saber mais do que leis, ele precisou fundamentalmente conhecer a população a qual governava, pois "governar vai ser essencialmente governar o povo". De acordo com o texto, a partir do século XVII, o governo passou a necessitar A. da legislação da política institucional. B. do conhecimento da realidade social. C. da regulação da dinâmica demográfica. D. do controle dos comportamentos culturais. E. da produção de tecnologias desenvolvimentistas. FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008 (adaptado). Página 8

9 QUESTÃO 21 Texto I Alguns desses casebres abrigavam várias famílias. Para essa espécie de periferia insalubre é que iriam transferir as doenças e endemias expulsas, junto com os humildes, do Centro da cidade destinado a tornar se sadio, ordeiro, asseado e exclusivamente burguês. SEVCENKO, N. A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo: Cosac Naify, Texto II Enquanto a polícia se encarregava de inspecionar e administrar os comportamentos nas ruas e espaços públicos, a fiscalização sanitária penetrava insidiosamente na privacidade dos lares devassando a intimidade dos corpos. Quais casas são possíveis de intervenção, interdição ou demolição, quais indivíduos estão sujeitos ao internamento? Só à autoridade caberia dizê lo, mas para isso precisava espreitar os vãos das casas e examinar compulsoriamente o corpo dos moradores. Nada lhe pode escapar. QUESTÃO 22 Texto I Uns dedicam se, particularmente, ao serviço de Deus; outros garantem, pelas armas, a defesa do Estado; outros ainda a alimentá lo e a mantê lo pelos exercícios da paz. São estas as três ordens ou estados gerais da França: o clero, a nobreza e o terceiro estado. A mais perfeita divisão é aquela que se verifica entre as três espécies. LOYSEAU, C. Tratado das ordens e simples dignidades (1610). Disponível em: elchistoria.blogs.sapo.pt. Acesso em: 12 fev (adaptado). Texto II SEVCENKO, N. A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo: Cosac Naify, Os textos em questão descrevem o cotidiano carioca e seus conflitos internos nas vésperas da Revolta da Vacina. Desse modo, assinale a alternativa que melhor caracteriza esse movimento e suas motivações políticosociais: A. Foi uma rebelião popular de cunho sociorreligioso, liderada por segmentos da Igreja e motivada pelo alto índice de desemprego e pelas precárias condições de vida. B. Foi uma rebelião popular desencadeada pelas políticas de reforma urbana e sanitária no Rio de Janeiro, que oprimiram severamente as classes populares. C. Foi uma rebelião motivada pela crise econômica conhecida como Encilhamento, que piorou as condições de vida das camadas mais pobres. D. Foi uma rebelião iniciada por um pequeno grupo descontente com as ações do governo de Washington Luís, empreendendo uma série de disputas sangrentas envolvendo as camadas populares. E. Foi uma rebelião iniciada pela população contra a política de imigração europeia empreendida pelo governo em detrimento do elevado índice de desemprego após o fim da escravidão. Página 9 Autoria desconhecida. As três ordens, século XVIII. Caricatura francesa. Biblioteca Nacional de Paris. Ambos os textos se referem à mesma sociedade do século XVII. Comparando os, encontra se uma relação de A. oposição, criticando a ordem vigente. B. acusação, denunciando os maus tratos. C. comparação, utilizando o caráter visual. D. instrução, ilustrando a organização social. E. inovação, demonstrando a modernidade estética.

10 QUESTÃO 23 Surrealismo A Paris dos surrealistas é também um pequeno "universo". No maior, o cosmo, as coisas não parecem diferentes. Também ali há encruzilhadas onde sinais espectrais lampejam no trânsito, e inconcebíveis analogias e ligações entre fatos são a ordem do dia. É a região da qual se comunica a lírica poesia do surrealismo. BENJAMIN, W. In: Rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, O movimento artístico descrito surgiu no contexto do entreguerras associado à(ao) O argumento de Taylor, segundo o texto, busca derrubar a noção por ele descrita de que o processo produtivo é A. organizado de acordo com regras flexíveis. B. dividido entre os que pensam e os que fazem. C. equivalente entre uma e outra área de atuação. D. originado no qualificar autônomo da mão de obra. E. gerenciado pelos trabalhadores de uma empresa. QUESTÃO 25 A. ascendência de governos totalitários, acarretando na forte censura do período. B. eclosão de crises políticas, provocando um afastamento da realidade conflituosa. C. choque social e econômico, levando ao questionamento da racionalidade vigente. D. desenvolvimento da ciência e tecnologia, exaltando o ideal de progresso industrial. E. crescimento da riqueza industrial, estimulando a exploração do subconsciente e dos sonhos. QUESTÃO 24 Este livro demonstra que a filosofia básica dos antigos sistemas de administração impunha que a cada trabalhador fosse entregue a responsabilidade de executar seu trabalho quase sem auxílio e orientação. Mas, graças à instrução recebida do chefe, que proponho, o trabalho torna se tão cômodo para o operário que pode parecer que o sistema tende a convertê lo em mero autômato pois os operários observam: "por que não me permitem pensar ou agir?". Porém, não se pode dizer que a vida de um cirurgião seja limitada, e o treinamento do cirurgião tem sido quase idêntico ao tipo de instrução que é ministrado ao operário sob a administração científica. O cirurgião, durante seus primeiros anos de estudo, é submetido à orientação imediata de homens mais experimentados, que lhe mostram como executar sua tarefa. Do mesmo modo, o trabalhador é instruído pelos chefes, sob a administração científica, e tem oportunidade de se aperfeiçoar. TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. São Paulo: Atlas, 1995 (adaptado). BRANCO, A. Filosofia de Botequim. O Esquema. Disponível em: Acesso em: 10 jan O princípio demonstrado na charge que reflete uma proposta defendida pelo filósofo Voltaire é a A. igualdade social. B. autonomia religiosa. C. fraternidade popular. D. pluralidade linguística. E. liberdade de expressão. Página 10

11 QUESTÃO 26 Há dois tipos de leis [jurídicas]: justas e injustas. [...] Nós não temos só a legal, mas a responsabilidade moral de obedecer leis justas. Por outro lado, temos a responsabilidade moral de desobedecer leis injustas. LUTHER KING JR, M. The Negro Is Your Brother. The Atlantic Monthly, v. 212, n. 2, ago (adaptado). A partir da distinção estabelecida no texto entre leis jurídicas e leis morais, Luther King admite que as leis jurídicas A. são códigos imorais de conduta. B. avaliam se a ação do sujeito é ética. C. estão de acordo com as leis morais. D. devem ser transgredidas quando injustas. E. precisam ser obedecidas incondicionalmente. QUESTÃO 27 Verifica se que noções que apontem para uma sociedade mais igualitária podem ser atreladas ao conceito de cidadania. Isso depende da ação dos sujeitos sociais envolvidos no processo e, em grande parte, de sua participação em movimentos sociais. Isto porque sempre foram os movimentos sociais que ampliaram o conceito e a prática da cidadania, tornando a sociedade mais democrática. [...] Neste contexto, os movimentos sociais são importantes enquanto elementos auxiliares na construção da noção de cidadania ativa que rompe, necessariamente, com aquela noção formal, por meio da qual os sujeitos entendem aprendem que os direitos sociais são concedidos e não conquistados. QUESTÃO 28 Múltiplas Europas A Europa está abarrotada de pessoas e nações. Seis décadas atrás, a necessidade de suprimir perigosas forças do nacionalismo levou a um experimento político, econômico e social sem precedentes, conhecido atualmente como a União Europeia. As centenas de milhares de cidadãos que trabalham espalhados na zona do euro e a ausência de controles fronteiriços entre os países membros mostram como o experimento foi bem sucedido em muitos aspectos. Contudo, a ascensão do nacionalismo, alto desemprego e uma crescente frustração com as elites governantes também mostram as limitações do projeto europeu. BOSONI, A. Traveling through multiple Europes. Stratfor. Disponível em: Acesso em: 6 nov A União Europeia (UE) está passando por uma crise política e econômica desde Nesse contexto, um dos principais fatores de instabilidade está relacionado A. à anexação da península da Crimeia pela Federação Russa. B. à diferença da dinâmica econômica entre os paísesmembros. C. ao enfraquecimento da atuação da Otan no continente europeu. D. à expansão do poderio militar alemão rumo ao Leste Europeu. E. ao intervencionismo da política e dos militares americanos na UE. COSTA, L. C. da.; SOUZA, M. A. de. (Org.). Sociedade e cidadania: desafios para o século XXI. Ponta Grossa: Ed. UEPG, De acordo com o texto, há uma relação ativa entre a cidadania e os movimentos sociais. Neste contexto, a noção de cidadania ativa é A. derivada de ações governamentais. B. equiparada à ideia de cidadania formal. C. independente da ação social da população. D. responsável por ampliar a democracia no meio social. E. compreendida como uma série de direitos dados pelo Estado. Página 11

12 QUESTÃO 29 Nos tempos modernos, a ciência não é muito respeitada. A ciência, geralmente, é considerada desumanizadora, dando um tratamento insatisfatório a povos, sociedades e natureza, nela considerados objetos. A alegada neutralidade e isenção de valores da ciência é percebida por muita gente como não autêntica, ideia estimulada pelo fenômeno, cada vez mais comum, do desacordo entre especialistas, em lados opostos de uma discussão politicamente suscetível acerca da substância do fato científico. A destruição e a ameaça de eliminação de nosso meio ambiente resultante de avanços tecnológicos são em geral consideradas algo que compromete a ciência. CHALMERS, A. A fabricação da ciência. São Paulo: Editora Unesp, 1994 (adaptado). Dentre as consequências do desenvolvimento científico mencionadas pelo autor, é exemplo a A. bomba atômica. B. cura do câncer. C. dieta alimentícia. D. vacina contra doenças. E. massificação da internet. A. B. C. Planisfério político. In: Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, ARCHELA, R. S.; THÉRY, H. Orientação metodológica para construção e leitura de mapas temáticos. Disponível em: Acesso em: 25 ago QUESTÃO 30 As representações qualitativas em mapas são empregadas para expressar a existência, a localização e a extensão das ocorrências dos fenômenos, atributos em sua diversidade, que se caracterizam pela sua natureza e espécie, podendo ser classificados por critérios estabelecidos pelas ciências que os estudam. Conforme os fenômenos se manifestam em pontos, linhas ou áreas, no mapa utilizamos, respectivamente, pontos, linhas e áreas. MARTINELLI, M. Mapas da geografia e cartográfica temática. São Paulo: Contexto, Corresponde à descrição sobre representações cartográficas qualitativas o que está exposto em D. E. Atelier de cartographie de Science Po. Disponível em: cartographie.sciences po.fr. Acesso em: 25 ago Condições inadequadas de saneamento. In: Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, População mundial. In: SIMIELLI, M. E. Geoatlas. São Paulo: Moderna, Página 12

13 CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS QUESTÕES DE 31 A 60 QUESTÃO 31 Reciclagem de pneus na estrada do sucesso Combustível alternativo para as indústrias de cimento, os pneus podem ser convertidos em solados de sapatos, dutos pluviais e até pisos para quadras poliesportivas. Há inúmeras formas de reaproveitamento dos pneus, e o estado do Rio já tem 33 pontos de coleta. O uso do asfalto borracha, feito com pneus inservíveis moídos, abre uma nova frente de sucesso. O material que ia para os rios e virava criadouro de mosquitos passa a ter um destino adequado. O Globo, 23 mar (adaptado). O novo destino desse material contribui para o controle de vetores da A. dengue. B. teníase. C. ancilostomíase. D. esquistossomose. E. doença de Chagas. QUESTÃO 32 Aproveitamento de folhas secas para adubação do solo As folhas parcialmente apodrecidas são muito semelhantes ao húmus. Com a degradação, seus nutrientes são absorvidos pelo solo. Para uma decomposição mais fácil das folhas em uma pilha de compostagem, recomenda se que se misture as folhas com esterco. Disponível em: Acesso em: 5 out (adaptado). Além dessa mistura, outra estratégia para aumentar a rapidez de sua decomposição seria A. promover a secagem da mistura. B. esterilizar as folhas previamente. C. separar as folhas do excesso de esterco. D. triturar as folhas antes da compostagem. QUESTÃO 33 O vento é um fator que influencia diretamente no tipo de quebra que a onda vai ter na arrebentação. [...] Durante um ciclo de 24 horas, vão ocorrer alterações nos ventos locais de uma região devido às alterações de temperatura entre continente e o oceano. Estes ventos são denominados como brisa marinha e terrestre. Praias, saiba mais sobre elas. Centro de Estudos do Mar da UFPR. Disponível em: Acesso em: 25 ago Essas brisas são consequência A. da diferença de densidade entre a água e o continente. B. do calor latente da água ser maior que o do continente. C. da diferença de estado físico entre a água e o continente. D. da capacidade térmica da água ser maior que do continente. E. do maior ponto de fusão dos elementos do continente em relação ao da água. QUESTÃO 34 Os espirros ocorrem quando o epitélio respiratório que reveste o nariz fica irritado. A irritação da membrana mucosa estimula as terminações do nervo craniano trigêmeo (ou quinto nervo craniano), que envia uma mensagem ao cérebro para ativar o reflexo de espirro. E o reflexo de espirro é nada desprezível. Este esforço coordenado entre o sistema respiratório, músculo esquelético e nervoso parassimpático resulta num feito impressionante a expulsão de ar do corpo a velocidades que alcançam 150 km por hora. Por que espirramos? Ciência Online. Disponível em: Acesso em: 22 abr (adaptado). Há várias situações em que as pessoas vivenciam o reflexo descrito anteriormente, que tem a função de A. ventilar e aquecer os seios paranasais. B. reequilibrar a pressão interna dos pulmões. C. ativar a musculatura esquelética da respiração. D. eliminar qualquer agente estranho ao organismo. E. expulsar ar parado por muito tempo nos pulmões. E. manter o material à temperatura de ebulição. Página 13

14 QUESTÃO 35 Balanço Um balanço é projetado para suportar crianças de até 40 kg. A velocidade atingida por cada criança no ponto mais baixo da trajetória não ultrapassa os 3,0 m/s. A corda possui um comprimento de 2,0 m. Considere g = 10 m/s². A. a pílula anticoncepcional, pois impede o aumento da testosterona, necessária à fecundação. B. a pílula do dia seguinte, pois é eficaz após o processo de ovulação. C. a "tabelinha", pois é segura e facilita prever o dia mais fértil da mulher. D. a vasectomia, pois esteriliza definitivamente o homem, impedindo o de ejacular. E. o preservativo, pois evita a gravidez indesejada e DSTs. QUESTÃO 37 A construção de minas, sejam elas de carvão, nucleares ou de qualquer outro tipo, quando mal planejada, pode levar a graves implicações sociais e ambientais devido à emissão excessiva de monóxido de carbono e hidrocarbonetos, que resultam numa menor concentração de oxigênio no ar local. As cordas do balanço devem ser projetadas para suportar uma tensão de A. 90 N. B. 180 N. C. 290 N. D. 400 N. Uma mina que apresenta o problema mencionado pode causar, numa cidade próxima, A. risco elevado de incêndios. B. aumento da acidez da água de rios. C. dificuldade de fotossíntese de árvores. D. deterioração de estátuas e monumentos. E. 580 N. QUESTÃO 36 O crescimento da população mundial nunca foi tão pensado como atualmente. O homem com o passar dos tempos viu na procriação uma forma de perpetuar a espécie. Atualmente, assistimos a uma explosão demográfica crescente, trazendo resultados negativos que afetam o planeta, tanto nas questões voltadas à proteção ambiental quanto nos campos econômico e social. O desafio maior da humanidade está em buscar mecanismos efetivos que controlem o grande crescimento populacional neste início de século, como meio de evitar intempéries ainda maiores. GEWEHR, M. F. A explosão demográfica: causas e consequências. Boletim Jurídico. Disponível em: Acesso em: 6 nov (adaptado). Ao que o texto chama de "o desafio maior da humanidade", um mecanismo efetivo para o controle da situação apresentada é Página 14 E. desoxigenação do sangue dos moradores. QUESTÃO 38 Alguns seres vivos possuem um interessante mecanismo em seus organismos: reações químicas utilizam a energia (proveniente dos alimentos) para excitar elétrons de alguns átomos. Quando os elétrons voltam ao estado fundamental, há emissão de luz. Esse fenômeno é chamado de bioluminescência. Revista Eletrônica de Ciências. Disponível em: Acesso em: 25 fev O fenômeno descrito está baseado no modelo atômico defendido por A. Lavoisier. B. Niels Bohr. C. Rutherford. D. John Dalton. E. J. J. Thomson.

15 QUESTÃO 39 Cientistas criam filmes comestíveis para embalagens Imagine colocar uma pizza no forno sem precisar retirar a embalagem plástica. A película que a envolve é composta por tomate e, ao ser aquecida, vai se incorporar à pizza e fazer parte da refeição. Esse material já existe e foi desenvolvido por pesquisadores da Embrapa Instrumentação (SP), que fizeram películas comestíveis de diferentes alimentos como espinafre, mamão, goiaba, tomate, e pode utilizar muitos outros como matéria prima. "Podemos utilizar rejeitos da indústria alimentícia para fabricar o material, isso garante duas características de sustentabilidade: o aproveitamento de rejeitos de alimentos e a substituição de uma embalagem sintética que seria descartada", afirma o chefe geral da Embrapa Instrumentação, o pesquisador Luiz Henrique Capparelli Mattoso, que coordenou a pesquisa. A diferença está na matéria prima. O plástico comestível é feito basicamente de alimento desidratado misturado a um nanomaterial que tem a função de dar liga ao conjunto. Disponível em: Acesso em: 23 jun (adaptado). De acordo com o texto, a produção de embalagens comestíveis é uma grande aplicação tecnológica por A. promover a diminuição da massa das embalagens. B. diminuir a rapidez de decomposição dos alimentos. C. diminuir o volume de resíduos não biodegradáveis. D. dispensar o uso de outras substâncias químicas. E. diminuir o custo das embalagem dos alimentos. QUESTÃO 40 [...] A dica para ajudar a preservar o planeta é entregar as pilhas e os materiais eletrônicos que não são mais utilizados nos locais onde esses produtos são vendidos, como em lojas que comercializam celulares, computadores, máquinas fotográficas, e em supermercados. Outra dica é na hora da compra. É importante dar preferência a pilhas e baterias recarregáveis, já que elas duram mais e acabam gerando menos lixo. [...] O descarte adequado desses objetos, em relação ao seu potencial contaminante, relaciona se à presença de A. ferro. B. tintas. C. vidros. D. plásticos. E. metais pesados. QUESTÃO 41 Pesquisadores brasileiros que estudam a nascente de águas cristalinas de Baía Bonita, na região de Bonito, MS, registraram uma curiosa rede alimentar que envolve plantas terrestres, macacos, peixes, insetos, serpentes, homem e fungos. Esses pesquisadores verificaram que peixes conhecidos por piraputangas (Brycon microlepis) concentram se em regiões dessa nascente onde grupos de macacos prego (Cebus apella) se alimentam de frutos das árvores existentes ao redor da água. Foi possível comprovar que, ao se alimentarem, esses macacos deixam cair na água galhos quebrados e frutos, atraindo rapidamente as piraputangas, que se alimentam desses frutos. SABINO, J.; SAZIMA, I. Ichthyology Explor, Freshwater, v. 10, n. 4, 1999; CANDISANI, L. National Geographic Brasil, out (adaptado). Os macacos prego comportam se, na rede alimentar, como A. produtores. B. decompositores. C. consumidores terciários. D. consumidores primários. E. consumidores secundários. Saiba onde fazer descarte correto de pilhas, baterias e remédios na Bahia. G1. Disponível em: Acesso em: 29 jun Página 15

16 QUESTÃO 42 Disponível em: meioambientetecnologo.blogspot.com.br. Acesso em: 28 jun (adaptado). A disponibilidade cada vez menor de energia para os níveis tróficos mostrados na figura é uma evidência de que a energia é A. reciclada. B. destruída. C. conservada. D. degradada. E. materializada. QUESTÃO 43 Um moinho é instalado na base de uma pequena cachoeira situada dentro de uma fazenda. Esse moinho, por sua vez, está acoplado a um dínamo, que transforma a energia cinética rotacional em energia elétrica. A cachoeira possui 8 metros de altura e apresenta um fluxo de 200 litros de água por segundo, que permanece praticamente constante durante todo o ano. Para a execução do projeto, o dono da fazenda analisa alguns dados adicionais descritos a seguir: Densidade da água = 1 kg/l. 2 Aceleração gravitacional terrestre = 10 m/s. O rendimento energético do referido sistema (moinho + dínamo) é de, aproximadamente, 15%. Considerando que a velocidade inicial da queda da água seja praticamente nula, a potência elétrica, em watts, desenvolvida pelo dínamo é A B C D E Página 16

17 QUESTÃO 44 A figura mostra um esquema desde a extração do petróleo até a utilização da gasolina em veículos. O chá de quebra-pedras é considerado eficaz no tratamento dos cálculos, pois atua sobre os(as) A. formadores de todos os tipos de cálculos. B. componentes químicos mais comuns dos cálculos. C. substâncias químicas que causam dor na região do rim. Disponível em: Acesso em: 3 jun (adaptado). Entre os ícones "gasolina" e "transportes", para que os veículos adquiram energia cinética é necessário que haja energia D. cálculos que não precisam de remédio para serem expelidos. E. principais componentes da estrutura química da planta quebra pedra. A. interna. B. térmica. C. luminosa. D. potencial elástica. E. potencial gravitacional. QUESTÃO 45 Pedras sob controle QUESTÃO 46 Os quelantes ou sequestrantes são importantes matérias primas na produção de cosméticos, pois removem íons que podem alterar sua cor e sua textura. Através da ação dos quelantes, esses íons são removidos da solução e ficam ligados a uma estrutura cíclica bastante estável. Um dos sequestrantes mais comuns na indústria de cosméticos é o EDTA: Nos últimos anos, várias pesquisas científicas praticamente comprovaram os benefícios do uso do chá de quebra pedra para combater cálculos renais. Estudos recentes conduzidos por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) deram um passo significativo nessa direção. Ao contrário do que a sua popular designação dá a entender, o chá de quebra pedra não quebra nada. Ele não faz um cálculo grande se partir em pedaços menores, como muitos acreditam. Seu efeito positivo é um pouco mais sutil, mais preventivo do que curativo, mas não menos eficiente. O chá impede a agregação dos cristais de oxalato de cálcio, o componente químico mais comum das pedras. Sob sua ação, os cristais acabam não aderindo uns aos outros, evitando assim a formação de cálculos de maior dimensão, aqueles que provocam dor na região do rim e são difíceis de ser expelidos sem o auxílio de algum remédio ou tratamento. Na prática, as infusões com Phyllantus param o processo de crescimento das pedras já existentes e evitam a formação de novos cálculos. Disponível em: revistapesquisa.fapesp.br. Acesso em: 29 abr (adaptado). DORNELLAS, E. Tecnologia de Produtos Cosméticos (adaptado). As funções orgânicas presentes na molécula de EDTA são A. ácido carboxílico e amina. B. aldeído e amida. C. cetona e nitrila. D. álcool e amina. E. ácido carboxílico e amida. Página 17

18 QUESTÃO 47 Qual é a planta que cresce mais rápido? O bambu é o campeão. O recorde pertence a uma espécie gigantesca, a Phyllostachys edulis. "No Japão, em 1956, cientistas atestaram que essa planta pode crescer até 1,21 metro em um único dia", afirma o agrônomo Anísio Azzini. O segredo é que o bambu não cresce apenas nas pontas. Ele estica também entre um gomo e outro. Existe uma razão especial para isso: toda planta possui na ponta do caule um tecido responsável por seu crescimento. O bambu leva vantagem porque esse tecido na região dos gomos é diferenciado em relação a outras espécies vegetais. E, assim, produz novas células para o aumento dos gomos. A maioria dos vegetais cresce muito mais devagar, porque apenas as células antigas crescem nesse tecido. Disponível em: Acesso em: 18 nov Para comparar o crescimento dos vegetais, foi necessário pesquisar o tecido A. epidérmico. B. floema. C. meristemático. D. súber. E. xilema. QUESTÃO 48 Como funciona o estetoscópio? Sabe aqueles telefones feitos com duas latinhas e um barbante entre elas? Pois é, o estetoscópio funciona mais ou menos da mesma forma: o aparelho transmite ondas sonoras, impedindo que o som se perca no ar. O barulho dos batimentos do nosso coração e os demais sons produzidos no interior de nosso corpo podem não ser dos mais audíveis naturalmente, mas ainda assim são sons. E qualquer som captado pelo auscultador do estetoscópio aquela parte metálica que o médico encosta no paciente é amplificado através de uma estrutura interna que imita o ouvido humano. O som amplificado segue pelos tubos de condução, passa pela haste metálica e chega aos ouvidos do médico através das olivas auriculares. VASCONCELOS, Y. Mundo Estranho. Disponível em: Acesso em: 27 jun A auscultação é possível, pois as ondas que se propagam por esse aparelho são A. mecânicas. B. transversais. C. bidimensionais. D. unidimensionais. E. eletromagnéticas. QUESTÃO 49 Durante o retorno à superfície, é de extrema importância que um mergulhador mantenha sua respiração constante. Caso o mergulhador prenda sua respiração, este poderá, em casos extremos, ter seus pulmões explodidos. O fato de o mergulhador necessitar manter a respiração constante está diretamente associado à lei de A. Boyle, que relaciona inversamente pressão e volume. B. Charles, que relaciona diretamente pressão e temperatura. C. Dalton, que relaciona diretamente a solubilidade de um gás e a pressão. D. Gay Lussac, que relaciona diretamente temperatura e volume. E. Henry, que relaciona diretamente número de mols e volume. QUESTÃO 50 Pilobolus Kleini O Pilobolus Kleini é um tipo de fungo que surge normalmente em estercos. Durante seu ciclo reprodutivo, é capaz de lançar esporos a distâncias entre 2 m e 3 m. Para isso, em apenas 0,25 milésimo de segundo, cada esporo é acelerado até atingir cerca de 108 km/h (1 m/s = 3,6 km/h). Considere g = 10 m/s² a aceleração da gravidade. Disponível em: Acesso em: 28 jun (adaptado). O número de vezes que a aceleração dos esporos é maior que a aceleração da gravidade é igual a A B C D. 12. E Página 18

19 QUESTÃO 51 Relatório sobre análise em aditivos para radiadores Para o perfeito funcionamento do sistema de arrefecimento de motores de carros, é de fundamental importância que o fluido corrente no sistema não entre em ebulição. A fim de se evitar que tal fato ocorra, é adicionado à solução certa quantidade de monoetilenoglicol (C2H6O 2). A adição de tal substância faz com que a temperatura de ebulição da solução aumente e o fluido possa operar de forma ideal. INMETRO. Programa de análises de produtos: relatório sobre análise em aditivos para radiadores. Disponível em: Acesso em: 29 jan O acréscimo do monoetilenoglicol na solução também provoca A. diminuição do ph. B. diminuição do volume. C. aumento na massa do solvente. D. diminuição da temperatura de fusão. E. aumento da pressão máxima de vapor. QUESTÃO 52 A teoria da abiogênese ou geração espontânea foi uma das ideias mais difundidas durante o século XVIII como proposta para explicar a origem da vida. John Needham, em 1745, afirmou que os seres vivos surgiam por geração espontânea graças a uma força vital. Ele realizou um experimento onde preparou um caldo nutritivo, colocouo em alguns frascos, ferveu por 30 minutos e os vedou com rolha de cortiça. Mesmo assim, depois de alguns dias apareceram alguns microrganismos no caldo. GONÇALVES, F. S. Abiogênese X Biogênese. InfoEscola. Disponível em: Acesso em: 13 jan (adaptado). O aparecimento desses organismos no experimento deveu se A. a seres procariontes, que se multiplicaram durante a fervura. B. a biomoléculas, que se rearranjaram no resfriamento. C. a coacervados nos ingredientes utilizados no caldo. D. a microrganismos com certa resistência ao calor. E. à força vital do caldo nutritivo. QUESTÃO 53 O naftaleno é chamado comercialmente de naftalina e é utilizado para matar traças, que se alimentam de fibras de roupas de algodão e lã. Uma molécula do naftaleno está representada a seguir: (Massa molar do carbono = 12 g/mol; Massa molar do hidrogênio = 1 g/mol) Analisando a estrutura da naftalina, sabe se que a fórmula molecular, o tipo de composto orgânico e a massa molar, respectivamente, são A. C H, alifático, 120 g/mol B. C H, aromático, 120 g/mol C. C H, aromático, 128 g/mol D. C H, aromático, 120 g/mol E. C H, alifático, 128 g/mol QUESTÃO 54 Nos biomas tropicais são frequentes espécies vegetais polinizadas por apenas poucas espécies de abelhas. Essas relações foram moldadas ao longo de processos coevolutivos. Nestes casos, a extinção dos polinizadores específicos pode levar a consequências graves. No Havaí, por exemplo, a extinção de polinizadores nativos já impede a renovação natural da vegetação. NEGRÃO, R. G. et al. Extinção e Impacto Ambiental. Disponível em: Acesso em: 30 dez (adaptado). A perda da capacidade de renovação dessa vegetação se explica pela A. ausência de polinizadores que disseminem novas sementes. B. degeneração genética das plantas por excesso de autopolinização. C. redução na produção de sementes que recompõem áreas desmatadas. D. eliminação da fauna nativa capaz de disseminar sementes no ambiente. E. predação de sementes por insetos polinizadores introduzidos no ambiente. Página 19

20 QUESTÃO 55 [...] Muitas vezes os catadores ficam expostos aos riscos de acidentes com materiais perfurocortantes e têm contato direto com materiais infectantes, demonstrando as condições de trabalho inadequadas que enfrentam. Por outro lado, estudos em várias cidades do Brasil têm demonstrado que a renda dos catadores organizados em cooperativas, na maioria dos casos, supera o salário mínimo, sendo que esses catadores têm remuneração acima da média brasileira. CORNIERI, M. G.; FRACALANZA, A, P. Desafios do lixo em nossa sociedade. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, Com base na situação exposta no texto, o tipo de risco à integridade dos coletores está relacionado diretamente com a coleta do lixo A. comercial. B. doméstico. C. hospitalar. D. industrial. E. nuclear. QUESTÃO 56 Uma pessoa segura uma pequena parte de um papel higiênico, como mostra a figura a seguir: Essa diferença de comportamento do papel higiênico é causada pelo(a) A. peso, que impede que o papel se desloque facilmente. B. atrito, que desgasta o papel na região em que está picotado. C. inércia, que tende a manter os corpos em seu estado original. D. impulso, que segura o rolo de papel higiênico em seu suporte. E. ligação química, que enfraquece com a velocidade do movimento. QUESTÃO 57 Cores dos ônibus Lâmpadas de vapor de sódio são altamente eficientes e utilizadas em sistemas de iluminação pública. Um problema dessas lâmpadas é que elas emitem, com uma intensidade muito forte, luz de coloração predominantemente amarela, de modo que objetos mais afastados da lâmpada fiquem iluminados praticamente apenas com luz dessa cor. À noite, em um ponto de ônibus de uma rodovia, uma pessoa aguarda um ônibus sob a luz de uma lâmpada desse tipo. Nessa rodovia passam três linhas de ônibus, pintados com tintas de pigmentos puros e identificados por três cores diferentes: Linha A Azul Linha B Vermelho Linha C Branco Se a pessoa puxar o papel lentamente, ele vai se desenrolar normalmente. No entanto, se a pessoa der um puxão muito rápido, o papel se rasga na região picotada. Essa diferença de comportamento do papel higiênico é causada pelo(a) A pessoa verá os ônibus das linhas A, B e C, respectivamente, se aproximarem ao longe nas cores A. verde, laranja e amarelo. B. verde, laranja e branco. C. verde, preto e branco. D. preto, preto e amarelo. E. preto, laranja e amarelo. Página 20

21 QUESTÃO 58 Às vezes ser "verde" pode ser doloroso. Esse carregador de celular manual vai lhe dar "mãos de Hulk" antes mesmo de conseguir uma bateria plenamente carregada. Esse conceito é chamado de "você pode dar um jeito nisso" e foi desenhado para que você aperte as duas hastes rapidamente e várias vezes por minuto para conseguir carregar um pouquinho o aparelho ou evitar que a bateria se descarregue rapidamente. QUESTÃO 59 Os primeiros seres vivos possuíam uma organização muito simples, eram procariontes. O processo evolutivo a partir dessas células mais simples originou células de organização mais complexa, chamadas de eucariontes. Uma das hipóteses mais aceitas para o processo evolutivo das células eucariontes defende que as células procariontes teriam englobado células bacterianas, determinando uma relação ecológica chamada de simbiose, pela qual a célula fornece proteção do meio externo e nutriente, além disso o microrganismo favorece maior rendimento e aproveitamento energético através do processo de respiração celular, sendo assim mutuamente vantajosa. MONIZ, P. Origem e evolução das células. Disponível em: Acesso em: 11 ago (adaptado). Diante da hipótese evolutiva apresentada no texto, conclui se que as organelas supostamente derivadas desta associação são A. ribossomo e lisossomo. B. cloroplasto e ribossomo. C. mitocôndria e cloroplasto. D. complexo de Golgi e cloroplasto. E. mitocôndria e complexo de Golgi. O cabinho que liga o gerador ao celular pode ser trocado para se adaptar em outros aparelhos. Disponível em: Acesso em: 5 jul (adaptado). A geração de energia elétrica a partir do sistema indicado fica restrita a aparelhos que A. armazenem energia elétrica. B. funcionem em baixa potência. C. emitam ondas eletromagnéticas. QUESTÃO 60 A síntese da amônia tornou se um processo de extrema importância para a indústria devido à crescente necessidade de atender à demanda de fertilizantes nitrogenados, produto cada vez mais utilizado nas práticas agrícolas. Sua produção é feita por um processo químico conhecido como Haber Bosch, que transforma o nitrogênio do ar em amônia sob ação de catalisador, alta pressão e temperatura. Esta reação é exotérmica, catalisada com o ferro. A equação química do processo está representada a seguir: D. utilizem corrente elétrica contínua. E. possuam elevada resistência elétrica. CARDOSO, A. A.; MACHADO, C. M. D.; PEREIRA, E. A. Biocombustível, o mito do combustível limpo. Química Nova na Escola, n. 28, maio 2008 (adaptado). Para favorecer a formação de amônia, é preciso A. diminuir a pressão do sistema. B. aumentar a pressão do sistema. C. aumentar a temperatura do sistema. D. diminuir a concentração de reagentes. E. aumentar a concentração de produtos. Página 21

Componentes Estruturais. A Ecologia e sua Importância. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem

Componentes Estruturais. A Ecologia e sua Importância. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Interferência Humana provoca desequilíbrios ecológicos Ecossistema

Leia mais

Modelos Atômicos. Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados:

Modelos Atômicos. Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados: Modelos Atômicos Niels Bohr propôs um modelo baseado em postulados: Os elétrons giram, ao redor do núcleo, somente em determinadas órbitas permitidas e com energia quantizada. ONDAS ELETROMAGNÉTICAS Os

Leia mais

FONTES DE ENERGIA PROFESSOR : DANIEL DE PAULA

FONTES DE ENERGIA PROFESSOR : DANIEL DE PAULA FONTES DE ENERGIA PROFESSOR : DANIEL DE PAULA MATRIZ ENERGÉTICA : É O BALANÇO DOS RECURSOS ENERGÉTICOS QUE UM PAÍS TEM OU COMPRA PARA UTILIZAR NO PROCESSO PRODUTIVO. FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS NÃO-RENOVÁVEIS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens

Leia mais

Ecossistema. Ecossistema. Componentes Abióticos. A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais

Ecossistema. Ecossistema. Componentes Abióticos. A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Interferência Humana provoca desequilíbrios ecológicos Ecossistema

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação Disciplina: Geografia Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 1. Mundo contemporâneo: economia e geopolítica: - Processo de desenvolvimento do capitalismo - Geopolítica e economia do pós-segunda

Leia mais

ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA

ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA ESTRUTURA FUNDIÁRIA BRASILEIRA Estrutura Fundiária A estrutura fundiária corresponde ao modo como as propriedades rurais estão dispersas pelo território e seus respectivos tamanhos, que facilita a compreensão

Leia mais

Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio FONTE DE HIDROCARBONETOS

Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio FONTE DE HIDROCARBONETOS Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio FONTE DE HIDROCARBONETOS PETRÓLEO: ECONOMIA E POLÍTICA Energia petróleo fonte de combustível e matéria-prima. Distribuição das reservas de petróleo

Leia mais

CIÊNCIAS. 01) Qualquer metodologia compatível com as atuais tendências construtivistas há de ter, necessariamente, uma participação ativa do aluno.

CIÊNCIAS. 01) Qualquer metodologia compatível com as atuais tendências construtivistas há de ter, necessariamente, uma participação ativa do aluno. CIÊNCIAS 01) Qualquer metodologia compatível com as atuais tendências construtivistas há de ter, necessariamente, uma participação ativa do aluno. Assinale a alternativa CORRETA, quanto ao que se entende

Leia mais

Reações fotoquímicas na atmosfera

Reações fotoquímicas na atmosfera Fotodissociação e fotoionização Fotodissociação e fotoionização na atmosfera terrestre Ozono estratosférico Formação e destruição do ozono estratosférico Substitutos dos clorofluorocarbonetos Qual a importância

Leia mais

BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2

BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 Conceitos Básicos ECOLOGIA Oikos =casa; logos= ciência É a ciência que estuda as relações entre os seres vivos entre si e com o ambiente onde eles vivem Estuda as formas

Leia mais

Relações numéricas. 25 abr. u.m.a, massa atômica, número de massa, massa molecular, massa molar, número de avogadro, volume molar,

Relações numéricas. 25 abr. u.m.a, massa atômica, número de massa, massa molecular, massa molar, número de avogadro, volume molar, Relações numéricas 25 abr u.m.a, massa atômica, número de massa, massa molecular, massa molar, número de avogadro, volume molar, CNTP 01. Resumo 02. Exercício de Aula 03. Exercício de Casa 04. Questão

Leia mais

Escola Básica do 2.º e 3.ºciclos Álvaro Velho. Planeamento Curricular de Físico-Química 7.º ano ANO LETIVO 2015/2016

Escola Básica do 2.º e 3.ºciclos Álvaro Velho. Planeamento Curricular de Físico-Química 7.º ano ANO LETIVO 2015/2016 1.º Período Escola Básica do 2.º e 3.ºciclos Álvaro Velho Planeamento Curricular de Físico-Química 7.º ano I Espaço 1. Universo 2. Sistema Solar 1.1 Constituição do Universo 1.2 Observação do céu 1.3 Evolução

Leia mais

Gabarito CAT 8. 2º Período. Nome: Nº

Gabarito CAT 8. 2º Período. Nome: Nº Gabarito CAT 8 2º Período Nome: Nº 7º ano / Ensino Fundamental Turma: Disciplina : Geografia Data: Professor : Leonardo Bergqvist 1 - Densidade populacional no limite Ultrapassamos os 7 bilhões de pessoas.

Leia mais

O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios. Movimento dos Pequenos Agricultores MPA. Raul Ristow Krauser

O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios. Movimento dos Pequenos Agricultores MPA. Raul Ristow Krauser O desenvolvimento rural brasileiro cenário atual e desafios Movimento dos Pequenos Agricultores MPA Raul Ristow Krauser www.mpabrasil.org.br MUNDO EM CRISE Crise Alimentar: 1 Bilhão de pessoas famintas

Leia mais

Aula: 03 Temática: Componentes Inorgânicos das Células Parte I

Aula: 03 Temática: Componentes Inorgânicos das Células Parte I Aula: 03 Temática: Componentes Inorgânicos das Células Parte I As substâncias inorgânicas existem na natureza, independentemente dos seres vivos, mas algumas delas podem ser encontradas nas células. Acompanhe!

Leia mais

Capítulo 5 Chuva Ácida

Capítulo 5 Chuva Ácida Capítulo 5 Chuva Ácida Conceito Chuva ácida forma-se quando óxidos de enxofre e nitrogênio se combinam com o vapor d água da atmosfera gerando os ácidos sulfúrico e nítrico, que podem ser conduzidos pelas

Leia mais

QUEIMA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EMISSÃO DOS GEE ( RETENÇÃO DE CALOR)

QUEIMA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EMISSÃO DOS GEE ( RETENÇÃO DE CALOR) AQUECIMENTO GLOBAL QUEIMA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EMISSÃO DOS GEE ( RETENÇÃO DE CALOR) CHINA GRANDE EMISSÃO DO GEE DEZ SINAIS DE ALARME DO AQUECIMENTO GLOBAL AUMENTO DO NÍVEL DOS OCEANOS TUVALU refugiados

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA O ENEM 2009

MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA O ENEM 2009 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA O ENEM 2009 EIXOS COGNITIVOS (comuns a todas as áreas de conhecimento) I. Dominar

Leia mais

ENEM Prova resolvida Química

ENEM Prova resolvida Química ENEM 2002 - Prova resolvida Química 01. A chuva em locais não poluídos é levemente ácida. Em locais onde os níveis de poluição são altos, os valores do ph da chuva podem ficar abaixo de 5,5, recebendo,

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS NATURAIS. Aluno (a): 9 ano Turma:

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS NATURAIS. Aluno (a): 9 ano Turma: Escola Estadual AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DE CIÊNCIAS NATURAIS Professor (a) : Data: / /2012 Aluno (a): 9 ano Turma: 1 - O desenvolvimento sustentável pode ser definido como aquele que atende às necessidades

Leia mais

A ampliação da oferta de alimentos é um dos maiores desafios da humanidade para as próximas décadas.

A ampliação da oferta de alimentos é um dos maiores desafios da humanidade para as próximas décadas. 1. A comparação entre modelos produtivos permite compreender a organização do modo de produção capitalista a cada momento de sua história. Contudo, é comum verificar a coexistência de características de

Leia mais

Questões para Acompanhamento da Aprendizagem. Aula-tema 7: População e Meio Ambiente

Questões para Acompanhamento da Aprendizagem. Aula-tema 7: População e Meio Ambiente Questões para Acompanhamento da Aprendizagem Aula-tema 7: População e Meio Ambiente QUESTÃO 01 Julgue as alternativas como Verdadeiras ou Falsas: I. Segundo Malthus, o aumento populacional é exponencial,

Leia mais

Crescimento demográfico da América Anglo-Saxônica e da América Latina

Crescimento demográfico da América Anglo-Saxônica e da América Latina Respostas das sugestões de avaliação Unidade 4 1. a) A população americana se distribui de maneira irregular pelo seu território; ou seja, algumas regiões são mais povoadas que outras. b) Essa distribuição

Leia mais

Com base na leitura da charge e nos conhecimentos sobre a conjuntura econômica mundial, pode-se

Com base na leitura da charge e nos conhecimentos sobre a conjuntura econômica mundial, pode-se Revisão ENEM 1. Observe a charge a seguir. Com base na leitura da charge e nos conhecimentos sobre a conjuntura econômica mundial, pode-se concluir que a) a revolução técnico-científica tem redefinido

Leia mais

C2EF.6 CIÊNCIAS GRACE K. ESTUDO DIRIGIDO- ATMOSFERA

C2EF.6 CIÊNCIAS GRACE K. ESTUDO DIRIGIDO- ATMOSFERA C2EF.6 CIÊNCIAS GRACE K. ESTUDO DIRIGIDO- ATMOSFERA Atmosfera é o nome dado à camada gasosa que envolve os planetas. No caso da atmosfera terrestre ela é composta por inúmeros gases que ficam retidos por

Leia mais

Até 2100 a temperatura média da terra poderá ter um aumento de aproximadamente 10 C.

Até 2100 a temperatura média da terra poderá ter um aumento de aproximadamente 10 C. Pesquisadores de diversos países afirmam que devido à excessiva emissão de dióxido de carbono e outros gases na atmosfera a temperatura média do planeta está aumentando significativamente. Até 2100 a temperatura

Leia mais

QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Prof. Marcelo da Rosa Alexandre

QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL Prof. Marcelo da Rosa Alexandre QUÍMICA ANALÍTICA AMBIENTAL 106213 Prof. Marcelo da Rosa Alexandre INFLUÊNCIA HUMANA SOBRE O MEIO AMBIENTE Industrialização Efeitos sobre habitat e saúde Preocupação ambiental Poluentes no Meio Ambiente

Leia mais

1º Período Conteúdos Habilidades Atividades desenvolvidas

1º Período Conteúdos Habilidades Atividades desenvolvidas 1º Período Conteúdos Habilidades Atividades desenvolvidas UNIDADE 1 O Planeta Terra Tema 1: O planeta onde vivemos; Tema 2: Conhecendo a Terra; Tema 3: Continentes e oceanos; Tema 4: Trabalhando com mapas..

Leia mais

Fontes de energia - Usinas PROF.: JAQUELINE PIRES

Fontes de energia - Usinas PROF.: JAQUELINE PIRES Fontes de energia - Usinas PROF.: JAQUELINE PIRES Usinas termoelétricas ( U = 0) Convertem energia térmica em energia elétrica Vantagens de uma usina termoelétrica A curto prazo, pode fornecer energia

Leia mais

Descarte incorreto de óleo lubrificante gera multa em oficina de Novo Progresso

Descarte incorreto de óleo lubrificante gera multa em oficina de Novo Progresso Descarte incorreto de óleo lubrificante gera multa em oficina de Novo Progresso O descarte incorreto pode gerar danos irreversíveis à saúde e ao meio ambiente. Óleo escorrendo pela rua Além de danos à

Leia mais

[Ano] Energias renováveis e não-renováveis. Universidade Cruzeiro do Sul

[Ano] Energias renováveis e não-renováveis. Universidade Cruzeiro do Sul [Ano] Energias renováveis e não-renováveis Universidade Cruzeiro do Sul www.cruzeirodosul.edu.br Unidade: Energias renováveis e não-renováveis MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Profa. Ms. Márcia

Leia mais

Semana 09. A queima do carvão é representada pela equação química:

Semana 09. A queima do carvão é representada pela equação química: . (Enem 6) O benzeno, um importante solvente para a indústria química, é obtido industrialmente pela destilação do petróleo. Contudo, também pode ser sintetizado pela trimerização do acetileno catalisada

Leia mais

Energia & Sustentabilidade

Energia & Sustentabilidade Energia & Sustentabilidade O que é Energia? O termo energia do grego: "ergos, cujo significado original é trabalho, força em ação. Fontes limpas de energia: a luz do sol; o vento; a água. Energia Elétrica

Leia mais

Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis. Aluna : Ana Cardoso

Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis. Aluna : Ana Cardoso Fontes de Energias Renováveis e Não Renováveis Aluna : Ana Cardoso Fontes de Energias Renováveis As fontes de energia renováveis são aquelas que vem de recursos naturais e que se renovam continuamente

Leia mais

Resolução UNIFESP 2015

Resolução UNIFESP 2015 Resolução UNIFESP 2015 1-Utilizando o aparato indicado na figura, certo volume de solução aquosa de sulfato de cobre(ii) hidratado foi colocado dentro do béquer. Quando o plugue foi conectado à tomada

Leia mais

Rede global de interações

Rede global de interações ECONOMIA INFORMACIONAL E GLOBAL ou Rede global de interações Sociedade em rede ( Manuel Castells ) Informacional: a produtividade e a competitividade ( de empresas, regiões e nações ) dependerão basicamente

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1C

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1C CADERNO DE EXERCÍCIOS 1C Ensino Médio Ciências da Natureza Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Integração do corpo humano e o ambiente H31 2 Fungos e Bactérias H37 3 Ciclo da água e mudanças

Leia mais

TRABALHO E SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

TRABALHO E SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO 1 TRABALHO E SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO O ser humano trabalha quando cria a vida ou melhora as condições de vida. O trabalho transforma a natureza O trabalho também serve a estratificação está

Leia mais

CONTEÚDOS GEOGRAFIA - 4º ANO COLEÇÃO INTERAGIR E CRESCER

CONTEÚDOS GEOGRAFIA - 4º ANO COLEÇÃO INTERAGIR E CRESCER CONTEÚDOS GEOGRAFIA - 4º ANO COLEÇÃO INTERAGIR E CRESCER UNIDADE 1 ORGANIZAÇAO DOS ESPAÇOS TERRITORIAIS 1. Organização dos espaços no país Território e fronteira Organização política do Brasil Regiões

Leia mais

PROFº. SÉRGIO RICARDO CHUVA ÁCIDA

PROFº. SÉRGIO RICARDO CHUVA ÁCIDA PROFº. SÉRGIO RICARDO CHUVA ÁCIDA A Chuva Ácida A medida da acidez da chuva é feita na escala de ph: quanto menor o ph, maior a sua acidez. O ph é igual a sete (7) para material neutro. Veja abaixo, alguns

Leia mais

DISCIPLINA DE CIÊNCIAS

DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DISCIPLINA DE CIÊNCIAS OBJETIVOS: 1º ano Propiciar o contato e a interação dos estudantes com determinado fenômeno para que ele participe da natureza vivenciando e ensinando a preservar o meio em que vive.

Leia mais

Petróleo. O petróleo é um líquido oleoso, menos denso que a água, cuja cor varia segundo a origem, oscilando do negro ao âmbar.

Petróleo. O petróleo é um líquido oleoso, menos denso que a água, cuja cor varia segundo a origem, oscilando do negro ao âmbar. Petróleo e Carvão Petróleo O petróleo é um líquido oleoso, menos denso que a água, cuja cor varia segundo a origem, oscilando do negro ao âmbar. É encontrado no subsolo, em profundidades variáveis e é

Leia mais

SISMICIDADE E ESTRUTURA INTERNA DA TERRA

SISMICIDADE E ESTRUTURA INTERNA DA TERRA SISMICIDADE E ESTRUTURA INTERNA DA TERRA AS PRINCIPAIS CAMADAS DA TERRA # A maior parte do interior da Terra é inacessível às observações diretas. Para conhecer sua constituição interna, é necessário recorrer

Leia mais

Professora Sikandra Silveira

Professora Sikandra Silveira De que materiais são feitos os objetos da imagem? De onde são retirados? MINERAIS E MINÉRIOS Professora Sikandra Silveira MINERAIS E MINÉRIOS Hematita (minério de ferro): Ferro + Oxigênio Galena (minério

Leia mais

soa-transdisciplinar01-energia.pdf

soa-transdisciplinar01-energia.pdf A energia exerce um papel fundamental na formação, existência e transformação das coisas ou da matéria. Ela está presente, entre outros fenômenos, no equilíbrio/desequilíbrio dos átomos, nas trocas celulares,

Leia mais

QUÍMICA. Prof. Larissa Richter. Energia e Meio Ambiente

QUÍMICA. Prof. Larissa Richter. Energia e Meio Ambiente Energia e Meio Ambiente O ser humano atual é extremamente dependente de energia. Por quê? Todos os seus processos tecnológicos, bem como manutenção de serviços dependem da energia elétrica para serem desenvolvidos

Leia mais

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Energia Solar Térmica Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 O Sol Energia Solar Térmica - 2014 Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva

Leia mais

Programação anual. 6.ºa n o

Programação anual. 6.ºa n o Programação anual 6.ºa n o 1. A melhor forma de entender o mundo 2. O planeta Terra no Universo 3. Cartografia: localizar e orientar 4. Cartografia e as diversas formas de representar o espaço 5. Atmosfera

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Geografia Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 1. Mundo contemporâneo: economia e geopolítica: - Processo de desenvolvimento do capitalismo - Geopolítica

Leia mais

CEC- Centro Educacional Cianorte

CEC- Centro Educacional Cianorte CEC- Centro Educacional Cianorte A Industrial e Evolução dos Sistemas de Produção Professor: João Claudio Alcantara dos Santos O que é indústria? É o conjunto de atividades econômicas que têm por fim a

Leia mais

CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DA PETROBRÁS/PRÉ-SAL

CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DA PETROBRÁS/PRÉ-SAL CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DA PETROBRÁS/PRÉ-SAL /CUTBrasil /cut_brasil /cutbrasil /cutbrasil O QUE É PRÉ-SAL? Pré-Sal é uma grande área de reserva petrolífera situada no subsolo oceânico, a cerca

Leia mais

Geografia ação e transformação. Encontre bons resultados em aprendizagem. Conteúdo programático. Junte nossa experiência em fazer bons

Geografia ação e transformação. Encontre bons resultados em aprendizagem. Conteúdo programático. Junte nossa experiência em fazer bons Junte nossa experiência em fazer bons livros à sua competência para ensinar: Encontre bons resultados em aprendizagem. Geografia ação e transformação Conteúdo programático MATERIAL DE DIVULGAÇÃO - ESCALA

Leia mais

DO SOL AO AQUECIMENTO A ENERGIA NO AQUECIMENTO/ ARREFECIMENTO DE SISTEMAS

DO SOL AO AQUECIMENTO A ENERGIA NO AQUECIMENTO/ ARREFECIMENTO DE SISTEMAS DO SOL AO AQUECIMENTO A ENERGIA NO AQUECIMENTO/ ARREFECIMENTO DE SISTEMAS 01-03-2013 Dulce Campos 2 O que é de facto ENERGIA? ENERGIA Ainda não sabemos o que é energia " Ainda não sabemos o que é energia.

Leia mais

Química. Xandão (Renan Micha) Soluções

Química. Xandão (Renan Micha) Soluções Soluções Soluções 1. (FUVEST) Sabe-se que os metais ferro (Fe 0 ), magnésio (Mg 0 ) e estanho (Sn 0 ) reagem com soluções de ácidos minerais, liberando gás hidrogênio e formando íons divalentes em solução.

Leia mais

Gestão sustentável dos recursos. 2.1 Recursos naturais: utilização e consequências

Gestão sustentável dos recursos. 2.1 Recursos naturais: utilização e consequências 2 Gestão sustentável dos recursos 2.1 Recursos naturais: utilização e consequências F I C H A D E T R A B A L H O N. O 7 R e c u r s o s n a t u r a i s : u t i l i z a ç ã o e c o n s e q u ê n c i a

Leia mais

Respostas dos Problemas 1- Respostas: C-A-B-C-B-C Conceitos relacionados: fotossíntese e respiração celular

Respostas dos Problemas 1- Respostas: C-A-B-C-B-C Conceitos relacionados: fotossíntese e respiração celular Respostas dos Problemas 1- Respostas: C-A-B-C-B-C Conceitos relacionados: fotossíntese e respiração celular 2- No processo de fabricação do pão é utilizado o mesmo fungo (Saccharomyces Cerevisae) que é

Leia mais

Ficha Informativa + Segurança

Ficha Informativa + Segurança Ficha Informativa + Segurança Saúde no Trabalho Edição N.º 17 Problemática da Segurança e Saúde Com a introdução de novas tecnologias e processos na economia verde, quais serão as implicações para a Saúde

Leia mais

QUÍMICA. a) linha horizontal. b) órbita. c) família. d) série. e) camada de valência.

QUÍMICA. a) linha horizontal. b) órbita. c) família. d) série. e) camada de valência. 13 QUÍMICA A posição dos elementos na Tabela Periódica permite prever as fórmulas das substâncias que contêm esses elementos e os tipos de ligação apropriados a essas substâncias. Na Tabela Periódica atual,

Leia mais

População, Recursos e Ambiente

População, Recursos e Ambiente Instituto Superior Técnico População, Recursos e Ambiente Prof. Henrique Miguel Pereira Exame - 2 a Época 1 de Fevereiro de 2006 Duração: 2h15m A primeira parte do exame consiste em perguntas de escolha

Leia mais

PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL

PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL PROCEL PRODUÇÃO DE HIDROGÊNIO A PARTIR DA REFORMA DO ETANOL VANDERLEI SÉRGIO BERGAMASCHI E-mail: vsberga@ipen ipen.br PROCEL / IPEN-SP OUTUBRO / 2003 COMBUSTÍVEL PETRÓLEO: VANTAGENS: -LÍQUIDO DE FÁCIL

Leia mais

A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo;

A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo; A agricultura A agricultura: Atividade económica do setor primário; A palavra agricultura significa a cultura do campo; Paisagem agrária: É a forma de cultivo e a divisão dos campos; É condicionada por

Leia mais

Texto da questão. I. A primeira Revolução Industrial aconteceu na Grã-Bretanha, com o algodão.

Texto da questão. I. A primeira Revolução Industrial aconteceu na Grã-Bretanha, com o algodão. Questão 1 No final do século XVIII e durante todo o século XIX aconteceu na Inglaterra a Revolução Industrial. Quais afirmativas são corretas com relação à Revolução Industrial? I. A primeira Revolução

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Ciências 7 o ano Unidade 2 5 Unidade 2 Nome: Data: 1. As cores das flores e o período do dia em que elas abrem são duas adaptações importantes das plantas e que facilitam a sua

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CNII

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CNII SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CNII Título do Podcast Área Segmento Duração Cadeia alimentar, uma sequência linear de alimentação. Ciências Ciências da Natureza II Ensino Fundamental 4 min 13

Leia mais

INTRODUÇÃO À QUÍMICA

INTRODUÇÃO À QUÍMICA INTRODUÇÃO À QUÍMICA O QUE É QUÍMICA? É a ciência que estuda a matéria, suas propriedades, transformações e interações, bem como a energia envolvida nestes processos. QUAL A IMPORTÂNCIA DA QUÍMICA? Entender

Leia mais

POR COMPETÊNCIAS E HABILIDADES. PROF.: Célio Normando

POR COMPETÊNCIAS E HABILIDADES. PROF.: Célio Normando POR COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CADERNO 2 PROF.: Célio Normando CA 1 Compreender as ciências naturais e as tecnologias a elas associadas como construções humanas, percebendo seus papéis nos processos de

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS Prof. Esp. Claudimar Fontinele TEORIA DE MALTHUS Conforme seu estudo, Ensaio sobre o princípio da população, Malthus

Leia mais

COLÉGIO SANTA CRISTINA - DAMAS AULÃO. ENERGIA Do fogo a energia elétrica. Prof. Márcio Marinho

COLÉGIO SANTA CRISTINA - DAMAS AULÃO. ENERGIA Do fogo a energia elétrica. Prof. Márcio Marinho COLÉGIO SANTA CRISTINA - DAMAS AULÃO ENERGIA Do fogo a energia elétrica O fogo O fogo é a rápida oxidação de um material combustível liberando calor, luz e produtos de reação, tais como o dióxido de carbono

Leia mais

1º bimestre 3ª série Contemporânea Revoluções Russas Cap. 42 p Roberson de Oliveira

1º bimestre 3ª série Contemporânea Revoluções Russas Cap. 42 p Roberson de Oliveira 1º bimestre 3ª série Contemporânea Revoluções Russas Cap. 42 p. 404 Roberson de Oliveira 1. As transformações econômicas, sociais e políticas na ordem feudal-czarista Fatores e alguns efeitos: 1. Fatores

Leia mais

Resolução de Questões do ENEM (Manhã)

Resolução de Questões do ENEM (Manhã) Resolução de Questões do ENEM (Manhã) Resoluções de Questões do ENEM (Manhã) 1. As algas marinhas podem ser utilizadas para reduzir a contaminação por metais pesados em ambientes aquáticos. Elas poluentes.

Leia mais

SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA, MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS.

SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA, MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS. SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA, MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS. Nos últimos vinte anos fala-se com mais intensidade da crise energética, em sua dupla vertente: 1. O esgotamento dos combustíveis fósseis.

Leia mais

ECONOMIA = oikos (casa) + nomos (norma, lei) Ciência social que estuda como o indivíduo e a sociedade decidem utilizar recursos produtivos.

ECONOMIA = oikos (casa) + nomos (norma, lei) Ciência social que estuda como o indivíduo e a sociedade decidem utilizar recursos produtivos. Definindo Economia ECONOMIA = oikos (casa) + nomos (norma, lei) Ciência social que estuda como o indivíduo e a sociedade decidem utilizar recursos produtivos escassos na produção de bens e serviços, de

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA MAIS ROTEIRO DE AVALIAÇÕES 2º TRIMESTRE ATIVIDADE AVALIATIVA AV2 1º ANO ENSINO MÉDIO

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA MAIS ROTEIRO DE AVALIAÇÕES 2º TRIMESTRE ATIVIDADE AVALIATIVA AV2 1º ANO ENSINO MÉDIO CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA MAIS ROTEIRO DE AVALIAÇÕES 2º TRIMESTRE ATIVIDADE AVALIATIVA AV2 1º ANO ENSINO MÉDIO FÍSICA PROFESSOR CARLOS ALÍPIO Os princípios da dinâmica Forças de atrito Trabalho Energia,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA 2º e 3º CICLOS INFANTE D. PEDRO BUARCOS. Currículo da disciplina de Ciências Físico Químicas. 8ºAno de escolaridade

ESCOLA BÁSICA 2º e 3º CICLOS INFANTE D. PEDRO BUARCOS. Currículo da disciplina de Ciências Físico Químicas. 8ºAno de escolaridade ESCOLA BÁSICA 2º e 3º CICLOS INFANTE D. PEDRO BUARCOS Currículo da disciplina de Ciências Físico Químicas 8ºAno de escolaridade BLOCO 1 A ENERGIA (Tema: Terra em Transformação) Unidade Conteúdo Nº de FONTES

Leia mais

Impactos Ambientais Urbanos

Impactos Ambientais Urbanos Impactos Ambientais Urbanos Impactos locais e regionais CHUVA ÁCIDA Queima de combustíveis fósseis e carvão. Principais poluentes carros e indústrias. Resulta da combinação da água com dióxido de enxofre

Leia mais

Rede Salesiana de Escolas Colégio Salesiano DOM BOSCO Natal RN 7 ano INDUSTRIA E ENERGIA NO BRASIL

Rede Salesiana de Escolas Colégio Salesiano DOM BOSCO Natal RN 7 ano INDUSTRIA E ENERGIA NO BRASIL Rede Salesiana de Escolas Colégio Salesiano DOM BOSCO Natal RN 7 ano INDUSTRIA E ENERGIA NO BRASIL NATAL- RN 2015 INTRODUÇÃO Companhia Siderúrgica Nacional, construída entre os anos de 1942 e 1947, empresa

Leia mais

BIOLOGIA SEGUNDA ETAPA

BIOLOGIA SEGUNDA ETAPA BIOLOGIA SEGUNDA ETAPA - 1997 QUESTÃO 01 Conforme reportagem publicada no jornal "Folha de São Paulo" (março de 1996), a Ilha de Lençóis, situada no Maranhão e com uma população de 400 habitantes, apresenta

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 Terra, um planeta com vida Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta com vida conhecida no Sistema Solar 1.1. Identificar a posição

Leia mais

ECOLOGIA DEFINIÇÃO: ESTUDO DAS RELAÇÕES DOS SERES VIVOS ENTRE SI E COM O MEIO AMBIENTE. IMPORTÂNCIA DA ECOLOGIA

ECOLOGIA DEFINIÇÃO: ESTUDO DAS RELAÇÕES DOS SERES VIVOS ENTRE SI E COM O MEIO AMBIENTE. IMPORTÂNCIA DA ECOLOGIA ECOLOGIA DEFINIÇÃO: ESTUDO DAS RELAÇÕES DOS SERES VIVOS ENTRE SI E COM O MEIO AMBIENTE. IMPORTÂNCIA DA ECOLOGIA RACIONALIZAÇÃO DOS DESMATAMENTOS E DA EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS CONTROLE DA POLUIÇÃO

Leia mais

FÍSICA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

FÍSICA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. FAÇA LETRA LEGÍVEL. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FÍSICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém oito questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de doze páginas,

Leia mais

Prof: Francisco Sallas

Prof: Francisco Sallas Prof: Francisco Sallas Classificado como hidrocarboneto aromático. Todos os aromáticos possuem um anel benzênico (benzeno), que, por isso, é também chamado de anel aromático. É líquido, inflamável, incolor

Leia mais

QUÍMICA. Questão 01. Questão 02

QUÍMICA. Questão 01. Questão 02 Questão 01 QUÍMICA A fenil-etil-amina é considerada um componente responsável pela sensação do bem-estar decorrente da ingestão do chocolate, que contém, também, substâncias inorgânicas. Na tabela a seguir

Leia mais

ATIVIDADE AVALIATIVA

ATIVIDADE AVALIATIVA Climatologia 2. Atmosfera Terrestre ATIVIDADE AVALIATIVA Valor: 1,0 Tempo para responder: 15min 1) Qual a importância da concentração dos gases que compõe a atmosfera terrestre, em termos físicos e biológicos?

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA DE HISTÓRIA - ENSINO FUNDAMENTAL

MATRIZ DE REFERÊNCIA DE HISTÓRIA - ENSINO FUNDAMENTAL D1 Identificar a constituição de identidades culturais em diferentes contextos Identificar as diferentes representações sociais e culturais no espaço paranaense no contexto brasileiro. Identificar a produção

Leia mais

Principais fontes e combustíveis utilizados na geração de energia elétrica

Principais fontes e combustíveis utilizados na geração de energia elétrica Principais fontes e combustíveis utilizados na geração de energia elétrica Wildson W de Aragão Físico Professor de Física de Escolas de Ensino Médio e Cursos Pré Vestibular da rede particular de Ensino

Leia mais

Características dos seres vivos

Características dos seres vivos Necessidades Básicas dos Seres Vivos Módulo 1 AULA 3 Professora: Andréa Rodrigues Características dos seres vivos Composição química mais complexa Organização celular Capacidade de nutrição Reação a estímulos

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Ciências 2º Bimestre - Ensino Fundamental II ROTEIRO DE ESTUDOS Nome: Nº.: Série: 6º Professora Cristiane Carvalho / /16 INSTRUÇÕES: Leia os enunciados com atenção

Leia mais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 2013 8.º ANO TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta

Leia mais

FÍSICA. kg. s N m. Analisando a alternativa C, nota-se que: . s. = s = J. Resolução. O sistema está inicialmente em repouso (Q 0

FÍSICA. kg. s N m. Analisando a alternativa C, nota-se que: . s. = s = J. Resolução. O sistema está inicialmente em repouso (Q 0 FÍSICA Resolução Obtendo a unidade SI da grandeza definida pelo enunciado, resulta: m. t G = d. p u(g) = kg. s N m. m = kg. s. m = s m kg. s 3 Analisando a alternativa C, nota-se que: J. s W = J. s J s

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS P2-4º BIMESTRE 6º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Identificar os principais poluentes atmosféricos; Identificar

Leia mais

Troca de materiais entre os componentes bióticos e abióticos dos ecossistemas.

Troca de materiais entre os componentes bióticos e abióticos dos ecossistemas. Troca de materiais entre os componentes bióticos e abióticos dos ecossistemas. CICLO do FÓSFORO CICLO SEDIMENTAR APATITA Ca 3 (PO 4 ) 2 erosão de rochas fosfatadas CICLO RÁPIDO CICLO LENTO PICO DO FÓSFORO

Leia mais

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA Nome: Nº Ano: 6º Data: / /2012 Bimestre: 2 Professor: Vanildo Disciplina: Química Orientações para estudo: O que estudar (Conteúdo) Transformações e energia. Fenômenos físicos

Leia mais

Geologia Geral. Discussão I. user 02/03/05. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra. Título aqui 1

Geologia Geral. Discussão I. user 02/03/05. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra. Título aqui 1 Geologia Geral Investigando o Interior de Terra. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra; 2 - Terremotos; 3 - Magnetismo terrestre. 1 Dimensões, composição e estrutura interna da Terra A maior

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA ENERGIA: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E CONSTEXTO ATUAL ENERGIAS NÃO RENOVÁVEIS 1 PETRÓLEO

Leia mais

Ciências 7º Ano 2015 Materiais para estudo: Apostila de E.A e PowerPoint

Ciências 7º Ano 2015 Materiais para estudo: Apostila de E.A e PowerPoint Ciências 7º Ano 2015 Materiais para estudo: Apostila de E.A e PowerPoint Mau uso dos recursos naturais; Consumismo desenfreado; A globalização; A industrialização; O crescimento populacional; Comunidades

Leia mais

a = 2, Física Questão 53 - Alternativa D Devido ao tempo de reação, o carro percorre uma distância , antes de

a = 2, Física Questão 53 - Alternativa D Devido ao tempo de reação, o carro percorre uma distância , antes de Física 53. No instante t =, o motorista de um carro que percorre uma estrada retilínea, com velocidade constante de m/s, avista um obstáculo m a sua frente. O motorista tem um tempo de reação t = s, após

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 3º EM Biologia A Josa Av. Dissertativa 25/05/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

Energia e Evolução da Atividade Industrial

Energia e Evolução da Atividade Industrial Energia e Evolução da Atividade Industrial Energia e Evolução da Atividade Industrial 1. Cresce geração de energia eólica no Brasil A capacidade de geração de energia eólica no Brasil aumentou 77,7% em

Leia mais

As linhas políticas do MTST:

As linhas políticas do MTST: As linhas políticas do MTST: Resolução final do I Encontro Nacional (2011) Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto QUEM SOMOS? O MTST é um movimento que organiza trabalhadores urbanos a partir do local em

Leia mais