Até 2100 a temperatura média da terra poderá ter um aumento de aproximadamente 10 C.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Até 2100 a temperatura média da terra poderá ter um aumento de aproximadamente 10 C."

Transcrição

1 Pesquisadores de diversos países afirmam que devido à excessiva emissão de dióxido de carbono e outros gases na atmosfera a temperatura média do planeta está aumentando significativamente. Até 2100 a temperatura média da terra poderá ter um aumento de aproximadamente 10 C. Imagine a cidade onde você vive 10 C mais quente! Lugares como o Rio de Janeiro, onde a temperatura fácil mente chega aos 40 C poderão atingir mais de 50 C! Imagine ter que suportar uma temperatura superior a 50 C durante o verãodetodososanos!

2 O desmatamento das vegetações naturais é outro grande crime cometido por nossa espécie. Estudos científicos comprovam que a alteração da paisagem natural pode afetar seriamente o clima de uma região. Temos várias provas disso e cito como exemplo o nordeste brasileiro, que antes da colonização portuguesa possuía um rico ecossistema e vários cursos d água. Os portugueses desmataram quase toda a região e hoje grande parte do nordeste brasileiro é deserto. Para se ter uma noção da enorme destruição causada pelo homem basta pensar no volume de florestasquetínhamoshá100anosatrásenoquetemoshoje. Em 1850, o território onde hoje se encontra Belo Horizonte, uma das cem maiores metrópoles do mundo, era uma bela paisagem natural povoada por inúmeras espécies. Hoje, no mesmo território se encontra uma selva, mas de cimento e asfalto. O caso de Belo Horizonte não é único. Lugares que hoje são enormes cidades eram lindas florestas há poucos anos atrás. Com base nesses dados, podemos concluir que se tudo continuar assim, daqui a 100 anos a maior parte do globo terrestre poderá ser um grande deserto!

3 É evidente o mal que nós da espécie humana causamos ao nosso próprio planeta. Há alguns milhares de anos atrás vivíamos em comunhão com todo o planeta, mas desde que começamos a nos preocuparmos com nosso próprio conforto passamos a destruir os demais seres vivos. Agora estamos próximos de destruirmos a nós mesmos! O planeta já não suporta mais! A cada ano que se passa alterações drásticas ocorrem. Se a humanidade não tomar providências enérgicas, poderá pagaromalquefazhámilharesdeanoscomaprópriaextinção!

4 Segundo estimativas da ONU, a população do mundo deve continuar crescendo até 2050, mais ou menos, atingindo o máximo de 11 bilhões de pessoas. A partir daí ela vai estabilizar e começar a cair um pouco,chegandoaofinaldoséculoemmaisoumenosnovebilhões. Isso porque, apesar da pressão das altas taxas de natalidade de muitos países subdesenvolvidos(áfrica e Oriente Médio), muitos países estão baixando suas respectivas taxas de natalidade, e esse movimento está predominando no mundo, inclusive no Brasil. A taxa de natalidade do Brasil, que na década de 70 chegava a 5 filhos por mulher, hoje está porvoltade2,7filhos. Empaísesdesenvolvidos,comoItáliaeJapão,ataxadenatalidadejáé tão baixa que não é suficiente nem para repor a população atual, ou seja, a população desses países está encolhendo, pois morre mais gente do que nasce!

5 Um dos maiores problemas enfrentados por esses países, e futuramente também será nosso, será o déficit na previdência, já que não nasce gente suficiente para entrar no mercado de trabalho para contribuir com a previdência, e por outro lado muita gente envelhece e se aposenta, vivendo mais graças a tecnologia atual, exigindo altas saídas de dinheiro do sistema. Vai ser necessário mais investimento na tecnologia de produção de alimentos. Os transgênicos podem aumentar a produção, diminuir a poluição do uso de agrotóxicos criando plantas mais resistentes à praga, que produzam mais frutos, aumentar a produção de carne e leite do gado, etc. Haverá uma pressão maior pelo uso da água potável, devido a poluição das fontes existentes. Neste ponto o Brasil está bem colocado estrategicamente, pois possui a maior reserva mundial de água doce, porém pode não ser suficiente se não preservarmos essa reserva e evitarmos a poluição. Outro problema será a questão energética, será necessário descobrir alternativas ao petróleo, como o biodiesel, o hidrogênio, e até a energia nuclear. Fonte:

Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e

Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e O Meio Ambiente Desde a escola ouvimos uma antiga definição de que meio ambiente era chamado de tudo o que é vivo, ou seja, todas as coisas que vivem neste planeta e estão ligadas a vida dos seres humanos.

Leia mais

ATIVIDADES REVISÃO. Prova trimestral -2º trimestre 2011

ATIVIDADES REVISÃO. Prova trimestral -2º trimestre 2011 ATIVIDADES REVISÃO Prova trimestral -2º trimestre 2011 1. Uma diferença entre sucessão ecológica primária e sucessão ecológica secundária é a) o tipo de ambiente existente no início da sucessão. b) o tipo

Leia mais

Possibilidade de vida em Planetas

Possibilidade de vida em Planetas Prof. Thiago Formação atmosfera no planeta Terra; Equilíbrio climático; Substância fundamental na manutenção da vida. Possibilidade de vida em Planetas (97%) são água do mar. (3%) são água doce. (1,8%)

Leia mais

10º ANO FÍSICA - Módulo Inicial Situação energética Mundial e degradação de energia

10º ANO FÍSICA - Módulo Inicial Situação energética Mundial e degradação de energia 10º ANO FÍSICA - Módulo Inicial Situação energética Mundial e degradação de energia PROBLEMAS ENERGÉTICOS DA ACTUALIDADE O avanço científico e tecnológico da nossa sociedade provocou o aumento acelerado

Leia mais

Derretimento de gelo nas calotas polares Aumento do nível dos oceanos Crescimento e surgimento de desertos Aumento de furacões, tufões e ciclones

Derretimento de gelo nas calotas polares Aumento do nível dos oceanos Crescimento e surgimento de desertos Aumento de furacões, tufões e ciclones O Sr. ROBERTO BRITTO (PP-BA) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, venho a esta tribuna falar sobre o Aquecimento Global. Todos os dias acompanhamos na televisão,

Leia mais

Mudanças Climáticas e Desertificação: Implicações para o Nordeste. Antonio R. Magalhães Agosto 2007

Mudanças Climáticas e Desertificação: Implicações para o Nordeste. Antonio R. Magalhães Agosto 2007 Mudanças Climáticas e Desertificação: Implicações para o Nordeste Antonio R. Magalhães Agosto 2007 ROTEIRO Introdução Definições Cenários Impactos Adaptação e Mitigação Vulnerabilidade Desenvolvimento

Leia mais

ENERGIA. Em busca da sustentabilidade

ENERGIA. Em busca da sustentabilidade ENERGIA Em busca da sustentabilidade Características de uma boa fonte de combustível i) Fornecer grande quantidade de energia por unidade de massa ou volume (Rendimento); ii) Facilmente disponível; iii)

Leia mais

Sistema FIEAM A IMPORTÂNCIA DO MODELO DE DESENVOLVIMENTO ZFM PARA A AMAZÔNIA OCIDENTAL.

Sistema FIEAM A IMPORTÂNCIA DO MODELO DE DESENVOLVIMENTO ZFM PARA A AMAZÔNIA OCIDENTAL. Sistema FIEAM A IMPORTÂNCIA DO MODELO DE DESENVOLVIMENTO ZFM PARA A AMAZÔNIA OCIDENTAL. Criação da Zona Franca de Manaus (1957) Em 6 de junho de 1957 a lei nº 3.173, foi sancionada pelo presidente Juscelino

Leia mais

Biodiesel Proveniente do Sebo PÁG.

Biodiesel Proveniente do Sebo PÁG. Biodiesel Proveniente do Sebo 13 JBS Biodiesel ISO 9001/2008 14 JBS Biodiesel ISO 9001/2008 Mercado Brasileiro de Sebo 15 MATÉRIAS-PRIMAS UTILIZADAS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL (PERFIL NACIONAL) É fato

Leia mais

RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A REFORMA ANTECIPADA NA SEGURANÇA SOCIAL

RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A REFORMA ANTECIPADA NA SEGURANÇA SOCIAL Respostas às questões mais frequentes sobre a pensão antecipada na Segurança Social Pág. 1 RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A REFORMA ANTECIPADA NA SEGURANÇA SOCIAL Trabalhadores empregados e desempregados

Leia mais

TURMAS DE INFORMÁTICA E MUNDO DO TRABALHO 2006.1

TURMAS DE INFORMÁTICA E MUNDO DO TRABALHO 2006.1 TURMAS DE INFORMÁTICA E MUNDO DO TRABALHO 2006.1 APRESENTAM... O TURISMO NO BRASIL E NO MUNDO A partir de 1950 a atividade turística obteve uma considerável elevação. A ampliação do transporte aéreo, marítimo

Leia mais

TESTES PARA O SIMULADO COC

TESTES PARA O SIMULADO COC TESTES PARA O SIMULADO COC 1-) Para obter certo resultado, Rodrigo deverá pensar em um número natural, multiplicá-lo por 2, subtrair 3 do resultado e, finalmente, subtrair o quadrado do número pensado.

Leia mais

Abril de 2008. Daniela Alexandra Diogo

Abril de 2008. Daniela Alexandra Diogo O Abril de 2008 Daniela Alexandra Diogo 16 1 Ambos os métodos podem criar severos danos ambientais, portanto, devem ser muito bem controlados. Conclusão Com este trabalho aprendemos que a água é muito

Leia mais

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS

PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS PEQUENAS EMPRESAS E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS TENDÊNCIAS E PRÁTICAS ADOTADAS PELAS EMPRESAS BRASILEIRAS EMENTA O presente estudo tem por finalidade abordar o comportamento recente das pequenas empresas na

Leia mais

MÉTODO DE ARUK DIMON

MÉTODO DE ARUK DIMON MÉTODO DE ARUK DIMON Sinopse : Aruk Dimon é um cientista inventor marroquino, nascido no ano de 3435. Hoje ele possui 44 anos de idade. Aruk Dimon ficou famoso por ter descoberto a tecnologia dos órgãos

Leia mais

Clima, Vegetações e Impactos

Clima, Vegetações e Impactos Clima, Vegetações e Impactos 1. Observe o climograma de uma cidade brasileira e considere as afirmativas relacionadas a este. I. O clima representado é denominado equatorial, em cuja área está presente

Leia mais

Domínios Florestais do Mundo e do Brasil

Domínios Florestais do Mundo e do Brasil Domínios Florestais do Mundo e do Brasil Formações Florestais: Coníferas, Florestas Temperadas, Florestas Equatoriais e Florestas Tropicais. Formações Herbáceas e Arbustivas: Tundra, Pradarias Savanas,

Leia mais

Recursos energéticos e os desafios ambientais

Recursos energéticos e os desafios ambientais Recursos energéticos e os desafios ambientais Recursos naturais Tudo que o homem retira da natureza que lhe tem proveito. Classificação Renováveis São recursos que podem ser repostos. Classificação Não-renováveis

Leia mais

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015 HIV/AIDS - 215 3/11/215 Página 1 de 6 1. Descrição da doença A AIDS é uma doença causada pelo vírus do HIV, que é um retrovírus adquirido principalmente por via sexual (sexo desprotegido) e sanguínea,

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano TEORIAS DEMOGRÁFICAS Prof. Esp. Claudimar Fontinele TEORIA DE MALTHUS Conforme seu estudo, Ensaio sobre o princípio da população, Malthus

Leia mais

A crise financeira e o. setor de energia

A crise financeira e o. setor de energia A crise financeira e o setor de energia PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos MARÇO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 2009 Câmara dos Deputados.

Leia mais

Data: /11/2014 Bimestre: 4. Nome: 6 ANO Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /11/2014 Bimestre: 4. Nome: 6 ANO Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /11/2014 Bimestre: 4 Nome: 6 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 9 1- (0,5) A agricultura é uma atividade econômica relacionada às condições

Leia mais

Informe 05/2015 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Roc has Ornamentais

Informe 05/2015 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Roc has Ornamentais Informe 5/215 Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais de Janeiro a Maio de 215 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 8.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 8.º Ano Projeto 1 Condições que permitem a vida na Terra Ciências Naturais Compreender o ambiente! Tempo Previsto: 1 quinzena 1.ª Fase: Posição da Terra no Sistema Solar 2.ª Fase: Condições da Terra que permitem

Leia mais

Ambiente de Marketing

Ambiente de Marketing Ambiente de Marketing Mercado: Mercado deve ser definido com base na existência de uma necessidade; Se não há necessidade, não há mercado; Condições básicas para que exista um mercado: Que o consumidor

Leia mais

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação.

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação. Questão 01) As causas responsáveis pela ocorrência das estações do ano (outono, inverno, primavera e verão) sobre a superfície terrestre são: a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento

Leia mais

Tipos de transmissão. Sendo o calor a transmissão de energia térmica, podemos ter três diferentes formas de ocorrência: Transmissão por CONDUÇÃO

Tipos de transmissão. Sendo o calor a transmissão de energia térmica, podemos ter três diferentes formas de ocorrência: Transmissão por CONDUÇÃO Tipos de transmissão Sendo o calor a transmissão de energia térmica, podemos ter três diferentes formas de ocorrência: Transmissão por CONDUÇÃO Transmissão por CONVECÇÃO Transmissão por IRRADIAÇÃO Transmissão

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

Tema Energia térmica Tópico 8 O efeito estufa e o clima na Terra

Tema Energia térmica Tópico 8 O efeito estufa e o clima na Terra CECIMIG-FaE/UF Secretaria de Estado da Educação - Tema Energia térmica Tópico 8 O efeito estufa e o clima na Terra Curso de Imersão Física 2007 Eixo II: Transferência, transformação e conservação da energia

Leia mais

Sinais da. Boa Nutrição. Alice Silveira Granado. CRN 3 : 17638 Nutricionista

Sinais da. Boa Nutrição. Alice Silveira Granado. CRN 3 : 17638 Nutricionista ç Sinais da ç Boa Nutrição Alice Silveira Granado CRN 3 : 17638 Nutricionista Crescimento Adequado Funcionamento Regular do Intestino Dentes Fortes e Saudáveis Bom Apetite Boa Imunidade Peso Adequado Pele

Leia mais

O CAMPO E A CIDADE CLC6 URBANIDADE E RURALIDADE PAULO CARVALHUÇO

O CAMPO E A CIDADE CLC6 URBANIDADE E RURALIDADE PAULO CARVALHUÇO O CAMPO E A CIDADE CLC6 URBANIDADE E RURALIDADE PAULO CARVALHUÇO Instituto de Emprego e Formação Profissional Centro de Formação e Reabilitação Profissional de Alcoitão 1 O Campo e a Cidade Actualmente,

Leia mais

O CONCEITO DO ENDIVIDAMENTO E AS CONSEQUÊNCIAS DA INADIMPLÊNCIA

O CONCEITO DO ENDIVIDAMENTO E AS CONSEQUÊNCIAS DA INADIMPLÊNCIA O CONCEITO DO ENDIVIDAMENTO E AS CONSEQUÊNCIAS DA INADIMPLÊNCIA Fevereiro 2016 INTRODUÇÃO 79,0% dos brasileiros têm concepção equivocada sobre o que é estar endividado 20,2% Compreende o significado real

Leia mais

André Urani (aurani@iets.inf.br)

André Urani (aurani@iets.inf.br) Um diagnóstico socioeconômico do Estado de a partir de uma leitura dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE (1992-4) André Urani (aurani@iets.inf.br) Maceió, dezembro de 5 Introdução

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 27 SUCESSÃO ECOLÓGICA

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 27 SUCESSÃO ECOLÓGICA BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 27 SUCESSÃO ECOLÓGICA Alterações nas condições ambientais Substrato aberto Organismos se estabelecem Novos organismos se estabelecem Estabilização da comunidade e das condições

Leia mais

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO

ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO REVISÃO ENEM ESCALAS TERMOMÉTRICAS E DILATAÇÃO Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas de um corpo. Quanto maior for o grau de agitação molecular,

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Vittorio Medioli) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO. (Do Sr. Vittorio Medioli) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Vittorio Medioli) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, relativa à redução de emissões de gases de efeito estufa. Senhor Presidente: Nos termos do art. 113, inciso I e 1

Leia mais

Biogás. Página 1 de 5

Biogás. Página 1 de 5 Biogás O atual sistema económico conduz à produção de grandes quantidades de resíduos agrícolas, industriais e domésticos, os quais, podem conter componentes importantes e valiosos, revelando-se ainda

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 8º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o

Leia mais

Floresta, Clima e Negociaçõ. ções Internacionais rumo a Copenhagen

Floresta, Clima e Negociaçõ. ções Internacionais rumo a Copenhagen Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Colóquio Mudanças Climáticas e Convenções Internacionais sobre o Meio Ambiente Floresta, Clima e Negociaçõ ções Internacionais rumo a Copenhagen Carlos Rittl

Leia mais

Suzana Kahn. Políticas Climáticas e seus Impactos em Investimentos em Infraestrutura 23 maio 2016

Suzana Kahn. Políticas Climáticas e seus Impactos em Investimentos em Infraestrutura 23 maio 2016 Políticas Climáticas e seus Impactos em Investimentos em Infraestrutura 23 maio 2016 Suzana Kahn Professora COPPE/UFRJ Coordenadora do Fundo Verde /UFRJ Presidente do Comitê Científico do Painel Brasileiro

Leia mais

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores análise aos dados do Recenseamento Geral da Habitação 1981, 1991, 2001 & 2011 Vasco Silva Lisboa, 1 Dezembro 2014 1 RESUMO Com base nos dados recolhidos

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Ciências 7 o ano Unidade 2 5 Unidade 2 Nome: Data: 1. As cores das flores e o período do dia em que elas abrem são duas adaptações importantes das plantas e que facilitam a sua

Leia mais

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos

Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Tecnologia EM no Manejo de Resíduos Sólidos Os Microorganismos Benéficos podem fazer muito mais do que bons vinhos e queijos, eles também podem ajudar no manejo dos resíduos sólidos. O EM 1 tem uma ampla

Leia mais

ACABAR COM OS MITOS O ESSENCIAL EM PONTOS

ACABAR COM OS MITOS O ESSENCIAL EM PONTOS ACABAR COM OS MITOS O ESSENCIAL EM 10 PONTOS 1 2 3 A FRANÇA ESTÁ EM DECLÍNIO A França é a 5ª potência econômica mundial e a 2ª europeia em termos de PIB, com um mercado de 65 milhões de consumidores (FMI

Leia mais

conheça O SISTEMA DE FREIOS

conheça O SISTEMA DE FREIOS r o d e s e m p r e. r o d e c o m a v o l v o. conheça O SISTEMA DE FREIOS DO VOLVO VM olá! nessa edição vamos estudar a fundo a questão do freio a disco nos novos volvo vm. EDIÇÃO 2003 REVISADA 18 Você

Leia mais

BIOMAS BRASILEIROS BRASIL

BIOMAS BRASILEIROS BRASIL BIOMAS BRASILEIROS BRASIL BIOMAS BRASILEIROS Aziz Ab Sáber (1924) Floresta Tropical pluvial-úmida Tropical:próxima ao Equador, estabilidade climática Pluvial: chuvas intensas e regulares ao longo do ano

Leia mais

DEPUTADO SIMÃO SESSIM PP/RJ. discurso.) - Senhor presidente, senhoras e senhores deputados, o jornal

DEPUTADO SIMÃO SESSIM PP/RJ. discurso.) - Senhor presidente, senhoras e senhores deputados, o jornal DEPUTADO SIMÃO SESSIM PP/RJ D02082006 O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) - Senhor presidente, senhoras e senhores deputados, o jornal o Globo de 25 de junho de 2006, publicou reportagem

Leia mais

II Congresso Caciopar O Papel da Iniciativa Privada no Desenvolvimento Territorial

II Congresso Caciopar O Papel da Iniciativa Privada no Desenvolvimento Territorial II Congresso Caciopar O Papel da Iniciativa Privada no Desenvolvimento Territorial As Cadeias Propulsivas e sua relação com as demais Atividades do Território Carlos Aguedo Paiva A Pergunta O Oeste Paranaense

Leia mais

Education at a Glance: Indicadores OCDE 2012

Education at a Glance: Indicadores OCDE 2012 COUNTRY NOTE Education at a Glance: Indicadores OCDE 2012 BRASIL Dúvidas podem ser enviadas para: Andreas Schleicher, Assessor do Secretário-Geral sobre Política de Educação, Vice-Diretor de Educação E-mail:

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Telemóvel e a Sociedade 1 de 7 Na minha opinião o uso do telemóvel é indispensável visto que a comunicação instantânea em qualquer lugar e a qualquer hora hoje em dia é imprescindível para a maior parte

Leia mais

O IMPACTO AMBIENTAL DEVIDO A POLÍTICA DE CRESCIMENTO DA FROTA DE VEÍCULOS. Curso de Graduação Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação/UNICAMP

O IMPACTO AMBIENTAL DEVIDO A POLÍTICA DE CRESCIMENTO DA FROTA DE VEÍCULOS. Curso de Graduação Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação/UNICAMP O IMPACTO AMBIENTAL DEVIDO A POLÍTICA DE CRESCIMENTO DA FROTA DE VEÍCULOS AUGUSTO RONCHINI XIMENES 1 ; ALEXANDRE GIRARDELLO MERLI 1* ; EDUARDO MONTEAGUDO DE CAMPOS 1 ; JOÃO VÍCTOR PIÑÓN PEREIRA DIAS 1

Leia mais

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 Novo padrão de consumo Mar 00 Sep 00 Mar 01 Sep 01 Mar 02 Sep 02 Mar 03 Sep 03 Mar 04 Sep 04 Mar 05 Sep 05 Mar 06 Sep 06 Mar 07 Sep 07 Mar 08

Leia mais

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA Cláudia Santos Silva (1), Américo Iorio Ciociola Júnor (2), José Mauro Valente Paes (2),

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES ROAD SHOW LEILÃO 700MHz INDICADORES DE AMBIENTE 2 POPULAÇÃO BRASILEIRA divisão demográfica Região Norte 16,9 milhões de habitantes Região Nordeste 55,8 milhões de habitantes

Leia mais

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio O Brasil avançou muito em relação ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e pavimentou o caminho para cumprir as metas até 2015.

Leia mais

Educação Financeira no Brasil - abertura

Educação Financeira no Brasil - abertura Educação Financeira no Brasil - abertura Investimentos Fevereiro 2014 Pesquisa do SPC Brasil traça perfil dos brasileiros em relação a investimento; maioria prefere consumir a poupar. O brasileiro não

Leia mais

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão

Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão IP/07/721 Bruxelas, 30 de Maio de 2007 Comissão avalia o impacto do financiamento para as regiões e lança um debate sobre a próxima ronda da política de coesão A política de coesão teve um efeito comprovado

Leia mais

DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR - 1

DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR - 1 DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR - 1 Objetivo Contexto Introduzir os conceitos de calor e temperatura, mostrando a diferença entre ambos. No dia-a-dia estamos constantemente entrando em contato com

Leia mais

Visite:

Visite: Visite: http://mensagensdefenocelular.com.br/ Introdução: Um objetivo tão nobre como o de perder a gordura abdominal é antes de tudo, um passo importantíssimo para se conquistar mais saúde e qualidade

Leia mais

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C.

TERMOQUÍMICA Folha 3.2 Prof.: João Roberto Mazzei 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. 01- (ufrs-2004) Considere as seguintes reações, na temperatura de 25 C. H (g) + 1/2 O (g) ë H O(Ø) (ÐH) H (g) + 1/2 O (g) ë H O(s) (ÐH) A diferença entre os efeitos térmicos, (ÐH) - (ÐH), é igual a) a

Leia mais

Planetas são:

Planetas são: Características dos planetas (Pp. 71 a 78) Planetas do Sistema Solar Planeta Planeta anão Mercúrio Vénus Terra Marte Júpiter Saturno Úrano Neptuno Atenção às Páginas do MANUAL Manual Espaço Manual Pg.

Leia mais

A urbanização e a transição da fecundidade: o Brasil é um caso exemplar?

A urbanização e a transição da fecundidade: o Brasil é um caso exemplar? A urbanização e a transição da fecundidade: o Brasil é um caso exemplar? George Martine 1 José Eustáquio Diniz Alves 2 Suzana Cavenaghi 3 As transições urbana e demográfica são dois fenômenos fundamentais

Leia mais

Todas as crianças, tenham ou não deficiências, têm direito a educação. enhuma criança deve ser considerada ineducável.

Todas as crianças, tenham ou não deficiências, têm direito a educação. enhuma criança deve ser considerada ineducável. TRECHOS DA PALESTRA DE MARIA AMELIA VAMPRÉ XAVIER, DA SEADS E DA FEDERAÇÃO ACIO AL DAS APAES, O ROTARY CLUBE-AEROPORTO, EM 3 DE OVEMBRO DE 2009 SOBRE O TEMA: A SITUAÇÃO DAS CRIA ÇAS O MU DO E SEU DIREITO

Leia mais

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios.

O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. O envelhecimento da população é um dos maiores triunfos da humanidade. É também um dos nossos maiores desafios. Características demográficas do envelhecimento Vera Andrade, 2014 Pirâmide Etária Pirâmide

Leia mais

A aposta em investimento em energias renovaveis em STP

A aposta em investimento em energias renovaveis em STP A aposta em investimento em energias renovaveis em STP I. Apresentação da HET - Service Lda. II. Situação das energias renováveis III.Possibilidade de Investimentos em E.R. Privado Estatal IV.Barreiras

Leia mais

F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água

F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água Comentários sobre os Indicadores de Cobertura até 6 F.17 Cobertura de redes de abastecimento de água Limitações: Requer informações adicionais sobre a quantidade per capita, a qualidade da água de abastecimento

Leia mais

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP Eng a. Morgana Pizzolato, Dr a.

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP Eng a. Morgana Pizzolato, Dr a. DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade CGEP Eng a. Morgana Pizzolato, Dr a. Modelo de desenvolvimento atual produção agrícola e pecuária derrubando as matas, destruindo os solos e contaminando as

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DO BANCO DO BRASIL

COMENTÁRIO DA PROVA DO BANCO DO BRASIL COMENTÁRIO DA PROVA DO BANCO DO BRASIL Prezados concurseiros, segue abaixo os comentários das questões de matemática propostas pela CESPE no último concurso para o cargo de escriturário do Banco do Brasil

Leia mais

Carlos Neto Felipe Matheus Rodrigo Palis

Carlos Neto Felipe Matheus Rodrigo Palis Carlos Neto Felipe Matheus Rodrigo Palis Mas como ocorre o clima na Terra? Será que é por causa do movimento elíptico em torno do Sol? Ou será pela inclinação da Terra? Mas inclinação em relação a que?

Leia mais

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte

Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT. DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Confederação Nacional do Transporte - CNT Diretoria Executiva da CNT DESPOLUIR Programa Ambiental do Transporte Promoção SEST / SENAT Conteúdo Técnico ESCOLA DO TRANSPORTE JULHO/2007 Plante Árvores O

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ Leitura do texto introdutório

Leia mais

Vivendo em grupo. Que sugestão você daria a dona Rosa para que as galinhas não se bicassem?...

Vivendo em grupo. Que sugestão você daria a dona Rosa para que as galinhas não se bicassem?... A UU L AL A Vivendo em grupo Todos os dias, pela manhã e à tarde, dona Rosa chamava suas galinhas para lhes dar comida. Elas vinham correndo e, assim que chegavam, dona Rosa começava a jogar o milho ou

Leia mais

REDD NO BRASIL UM ENFOQUE AMAZÔNICO PARTE 1: EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O PAPEL

REDD NO BRASIL UM ENFOQUE AMAZÔNICO PARTE 1: EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O PAPEL REDD NO BRASIL UM ENFOQUE AMAZÔNICO PARTE 1: EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O PAPEL DA AMAZÔNIA BRASILEIRA Grupo de Estudo em REDD Amapá Jaqueline Homobono EMISSÕES POR DESMATAMENTO TROPICAL E O

Leia mais

Alterações Climáticas os possíveis efeitos no Algarve

Alterações Climáticas os possíveis efeitos no Algarve CCV Faro Março 2013 Alterações Climáticas os possíveis efeitos no Algarve Cristina Veiga-Pires Portugal Espanha Mar Mediterrânico Golfo de Cádiz Alterações climáticas Global? Alterações Climáticas os possíveis

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ROTEIRO Esta aula tem por base o Capítulo 2 do livro de Taha (2008): Introdução O modelo de PL de duas variáveis Propriedades

Leia mais

Mineração brasileira perspectivas e desafios. Geólogo Elmer Prata Salomão

Mineração brasileira perspectivas e desafios. Geólogo Elmer Prata Salomão Mineração brasileira perspectivas e desafios Geólogo Elmer Prata Salomão SUMÁRIO A MINERAÇÃO VISTA PELA SOCIEDADE O NOVO MARCO LEGAL DA MINERAÇÃO A EXPLORAÇÃO MINERAL NO BRASIL 2 A MINERAÇÃO VISTA PELA

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2011

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2011 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2011 Altera o art. 6.º da Constituição Federal para introduzir, no rol dos direitos sociais, o direito ao acesso à Rede Mundial de Computadores (Internet). As Mesas

Leia mais

Estudos. População e Demografia

Estudos. População e Demografia População e Demografia Prof. Dr. Rudinei Toneto Jr. Guilherme Byrro Lopes Rafael Lima O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde 1991, divulga anualmente uma base com a população dos

Leia mais

Mogno Africano Khaya ivorensis, senegalensis e anthoteca. (43)

Mogno Africano Khaya ivorensis, senegalensis e anthoteca.  (43) Mogno Africano Khaya ivorensis, senegalensis e anthoteca www.ibflorestas.org.br contato@ibflorestas.org.br (43) 3324-7551 Mogno Substrato Africano Principais Florestal espécies Khaya ivorensis Khaya senegalensis

Leia mais

01_16.p1.pdf 20.05.08 14:21:37 01_16.p1.pdf 20.05.08 14:21:37 enda V OIBIDA PR

01_16.p1.pdf 20.05.08 14:21:37 01_16.p1.pdf 20.05.08 14:21:37 enda V OIBIDA PR Venda PROIBIDA Autora: Patrícia Engel Secco Coordenação editorial: Sílnia N. Martins Prado Ilustração: Edu A. Engel Realização: Fundação Educar DPaschoal www.educardpaschoal.org.br Fone: (19) 3728-8129

Leia mais

Passos para comprar imóveis com segurança. Carlos Maciel Imóveis

Passos para comprar imóveis com segurança. Carlos Maciel Imóveis Passos para comprar imóveis com segurança Carlos Maciel Imóveis Introdução A aquisição de um imóvel é sempre um momento de muita alegria, mas também de muita atenção. Afinal, muito mais do que uma simples

Leia mais

ECOLOGIA. Conceitos fundamentais e relações alimentares

ECOLOGIA. Conceitos fundamentais e relações alimentares ECOLOGIA Conceitos fundamentais e relações alimentares A ECOLOGIA estuda as relações dos seres vivos entre si e deles com o ambiente onde vivem. Assunto da atualidade: crescimento exagerado da população

Leia mais

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED 2011 Mudanças Agricultura e Florestas REDD plus após a decisão da COP16: como fomentar projetos

Leia mais

PRISE II GABARITO COMENTADO PELO ELITE PARÁ

PRISE II GABARITO COMENTADO PELO ELITE PARÁ PORTUGUÊS 1- A - E 3- C 4- B 5- A 6- E 7- C LITERATURA 8- C 9- A 10- A 11- E 1- B 13- D 14- C HISTÓRIA 15- B 16- A 17- B 18- D 19- E 0- B GEOGRAFIA - C 3- A 4- D 5- C 6- C 7- A 8- E MATEMÁTICA 9. D Solução:

Leia mais

APOSTILA DE CIÊNCIAS NATURAIS

APOSTILA DE CIÊNCIAS NATURAIS Escola Municipal APOSTILA DE CIÊNCIAS NATURAIS Nome Turma Professor (a) 1- Vamos ler a informação: A matéria forma tudo o que existe no mundo. Esta matéria pode ser transformada por uma força chamada energia.

Leia mais

Questões utilizadas nas aulas de terça (15/10)

Questões utilizadas nas aulas de terça (15/10) Matemática Matemática financeira 3 os anos João/Blaidi out/13 Nome: Nº: Turma: Questões utilizadas nas aulas de terça (15/10) 1. (Fgv 013) Para o consumidor individual, a editora fez esta promoção na compra

Leia mais

Identificação. v Nome: Data: / / SIMULADO Nº 08

Identificação. v Nome: Data: / / SIMULADO Nº 08 Identificação v Nome: Data: / / SIMULADO Nº 08 1. A atmosfera terrestre é composta pelos gases nitrogênio (N 2 ) e oxigênio (O 2 ), que somam cerca de 99%, e por gases traços, entre eles o gás carbônico

Leia mais

EMPREENDEDORISMO FEMININO

EMPREENDEDORISMO FEMININO EMPREENDEDORISMO FEMININO Março 2013 0 APRESENTAÇÃO As mulheres representam 51% da população brasileira e em Minas Gerais já são aproximadamente 10 milhões. A participação do empreendedorismo feminino

Leia mais

Estado. Observado. Estrutura strutura da Salinidade alinidade dos Oceanosceanos. Médio

Estado. Observado. Estrutura strutura da Salinidade alinidade dos Oceanosceanos. Médio Estado Médio Observado Estrutura strutura da Salinidade alinidade dos Oceanosceanos Introdução O entendimento dos fluxos de calor e água doce é fundamental para a compreensão da distribuição de temperatura

Leia mais

Temperatura Pressão atmosférica Umidade

Temperatura Pressão atmosférica Umidade O CLIMA Elementos do clima Temperatura Pressão atmosférica Umidade São responsáveis por caracterizar os climas. TEMPERATURA Corresponde à quantidade de calor. Pressão atmosférica Força que o peso do ar

Leia mais

Propriedades dos Elementos

Propriedades dos Elementos Ficha de Trabalho Propriedades dos Elementos 1. Relativamente aos elementos dos grupos 1 e 17 da Tabela Periódica, nos quais se incluem, respectivamente, o lítio e o flúor, seleccione a afirmação correcta.

Leia mais

Mercado dos Combustíveis em Portugal

Mercado dos Combustíveis em Portugal Mercado dos Combustíveis em Portugal António Comprido Secretário-Geral 1 Agenda Organização e funcionamento Evolução do consumo dos combustíveis em Portugal Formação de preços 2 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO

Leia mais

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br

Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil. urielrotta@pensa.org.br Rede de Negócios: um panorama da cadeia do leite no Brasil Uriel Antonio Superti Rotta urielrotta@pensa.org.br O SAG do leite no Brasil O sistema agroindustrial do leite reúne importantes segmentos da

Leia mais

Geografia População (Parte 1)

Geografia População (Parte 1) Geografia População (Parte 1) 1. População Mundial: Define-se população mundial como o número total de humanos vivos no planeta num dado momento. Em 31 de Outubro de 2011 a Organização das Nações Unidas

Leia mais

Estudo aponta influência do código de barras e da tecnologia na decisão de compra do consumidor e na estratégia do varejo

Estudo aponta influência do código de barras e da tecnologia na decisão de compra do consumidor e na estratégia do varejo Estudo aponta influência do código de barras e da tecnologia na decisão de compra do consumidor e na estratégia do varejo Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil revela resultado da terceira edição

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE, DE, DE 2013. Senhor Presidente, JUSTIFICATIVA:

PROJETO DE LEI Nº, DE, DE, DE 2013. Senhor Presidente, JUSTIFICATIVA: A Sua Excelência o Senhor Vereador JUARES CARLOS HOY Presidente da Câmara Municipal de Canoas PROJETO DE LEI Nº, DE, DE, DE 2013. Senhor Presidente, O Vereador Pedro Bueno, Vice-líder da Bancada do Partido

Leia mais

Tópicos em Gestão da Informação II

Tópicos em Gestão da Informação II Tópicos em Gestão da Informação II Aula 05 Variabilidade estatística Prof. Dalton Martins dmartins@gmail.com Gestão da Informação Faculdade de Informação e Comunicação Universidade Federal de Goiás Exercício

Leia mais

20 Dicas Eficazes Para Dirigir Sem Medo Que Você Pode Aplicar Ainda Hoje.

20 Dicas Eficazes Para Dirigir Sem Medo Que Você Pode Aplicar Ainda Hoje. 20 Dicas Eficazes Para Dirigir Sem Medo Que Você Pode Aplicar Ainda Hoje. Agradecimento Quero agradecer pelo seu interesse no meu ebook. Vamos juntos te levar até o seu objetivo. Uma Excelente Leitura!

Leia mais

OS IMPACTOS DO CONSUMO DE BELEZA NAS FINANÇAS

OS IMPACTOS DO CONSUMO DE BELEZA NAS FINANÇAS OS IMPACTOS DO CONSUMO DE BELEZA NAS FINANÇAS Agosto 2016 OS IMPACTOS DO CONSUMO DE BELEZA NAS FINANÇAS 43,7% Admitem o hábito de gastar mais do que costumam com cuidados de beleza para se sentirem melhor,

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA 5ºAno 1.5 CIÊNCIAS 4º período 10 de dezembro de 2015 Cuide da organização da sua prova. Escreva de forma legível. Fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado na correção.

Leia mais