Cabe destacar que todo o dinheiro obtido pela associação deve ser usado para cumprir a missão dela; não pode ser dividido entre os associados.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cabe destacar que todo o dinheiro obtido pela associação deve ser usado para cumprir a missão dela; não pode ser dividido entre os associados."

Transcrição

1 Quais sã as vantagens de criar uma assciaçã? A vantagem de criar uma assciaçã é pder agir legalmente em nme dela, mvimentand recurss e firmand cnvênis. Os cnvênis pdem ser firmads cm s órgãs públics e utras instituições de financiament. Enquant a cperativa é adequada para desenvlver uma atividade cmercial, a assciaçã é mais adequada para levar adiante uma atividade scial u de representaçã e/u defesa de interesses ds assciads. Cabe destacar que td dinheir btid pela assciaçã deve ser usad para cumprir a missã dela; nã pde ser dividid entre s assciads. Cm criar uma Assciaçã? 1 pass: Reuniã As pessas interessadas em cnstituir uma assciaçã devem decidir qual vai ser a missã dela (s bjetivs). Depis diss, vã decidir quais atividades desenvlver para alcançar esse(s) bjetiv(s). Além diss, pdem esclher uma cmissã para tratar das prvidências necessárias à criaçã da assciaçã, cm a indicaçã d crdenadr ds trabalhs. Qualquer cnjunt de pessas que se reúna cm interesses cmuns pde cnstituir uma assciaçã. Muitas vezes, grups de mradres, pessas da mesma prfissã, clegas de atividades recreativas e culturais u amigs cm prjets cmuns encntram na criaçã duma assciaçã a frma de se fazerem representar publicamente. Nrmalmente, estas rganizações sã desenvlvidas sem fins lucrativs e quand s sócis pretendem ter lucr ecnômic ptam antes pela criaçã de uma sciedade. Deseja-se avançar cm a cnstituiçã de uma assciaçã, mas nã sabe que fazer, este dssiê dispnibiliza tdas as infrmações. Cm elabrar Estatut? 2 pass: Elabraçã da prpsta de Estatut Scial (e Regiment Intern) O Estatut Scial é dcument que vai permitir frmalizar a criaçã da assciaçã. Nele cnstam s bjetivs da assciaçã, as regras para esclha de seus dirigentes, temp estipulad para mandat, as funções ds diferentes órgãs administrativs, as punições as desvis de cnduta, as frmas de julgament, entre utras diretrizes essenciais a bm funcinament da assciaçã. O regiment intern pde ser escrit neste mesm prcess, qual disciplina funcinament da assciaçã: detalha pnts prevists n Estatut e rganiza prcediments d funcinament. Pde ser alterad sem alterar a Estatut Scial. Os fundadres da assciaçã devem marcar uma reuniã infrmal cm bjetiv de definirem s seguintes aspects: Objet Scial Devem ser determinads s bens e serviçs que a assciaçã vai prestar, bem cm tds s seus bjetivs. Este é um ds aspects mais imprtantes a estabelecer já que a rganizaçã nã pderá desenvlver atividades que nã estejam diretamente relacinadas cm seu bjet scial.

2 Neste sentid, bjet scial tende a ser bastante mais ampl que verdadeir âmbit da assciaçã, deixand espaç para que futuramente s sócis pssam estender a sua atividade sem terem que alterar este pnt n text d estatut. Nme da Assciaçã Os fundadres devem esclher cerca de cinc nmes para a sua assciaçã, pis pde dar-se cas de já existirem rganizações cm a mesma denminaçã. Atualmente, é pssível fazer um teste de cnfundibilidade n site da Direçã- Geral ds Registrs e Ntariad. Através deste serviç nline, pde efetuar-se uma pesquisa pel nme da pessa cletiva que se pretende criar e fica-se, a saber, de imediat se já existe alguma entidade cm a mesma designaçã. Esclher a Sede A sede também deve ser um ds elements a definir, uma vez que tem de estar fixada n text ds estatuts. Nrmalmente, a sede refere-se a lcal nde funcina a administraçã principal da assciaçã, mas pde ser esclhida utra mrada. Outrs Aspects Os estatuts pdem ainda descrever s direits e brigações ds assciads, as cndições de admissã, saída u exclusã de nvs sócis, tal cm as cmpetências ds órgãs da assciaçã, as suas receitas u s terms de extinçã da pessa cletiva. Para redigir s estatuts, s fundadres pdem recrrer a mdels préexistentes que devem alterar cnsante a sua vntade. Cntud, alertams que pde ser útil cnsultar capítul das pessas cletivas d Códig Civil e bter api jurídic para a sua elabraçã. Primeira Assembléia-Geral 3 pass: Assembléia geral de cnstituiçã da assciaçã Esta é a etapa na qual a Assembléia Geral vai: ler e aprvar a prpsta de Estatut Scial ler e aprvar a prpsta de Regiment Intern eleger a Diretria, Cnselh de Administraçã e Cnselh Fiscal (facultativ) É imprtante destacar que a Ata cnstitutiva e Estatut da Assciaçã devem ter api e aval de um advgad. Os fundadres da assciaçã devem cnvcar uma reuniã da Assembleia-Geral cm a antecedência mínima de 15 dias. Esta primeira Assembléia nã pde tmar decisões sem a presença de metade ds seus membrs. A cnvcaçã deve ser através de Edital N decrrer da reuniã deve prceder-se as seguintes trabalhs: Eleiçã ds Elements ds Órgãs Nesta assembléia devem também se eleger s membrs de cada um ds órgãs da assciaçã. As assciações sã cmpstas pr três órgãs: Assembleia-Geral, Administraçã, Cnselh Fiscal. A Assembleia-Geral é dirigida pr uma Mesa, cm três elements eleits (um presidente, um vgal e um secretári), que tem cm funções à destituiçã ds titulares de tds s órgãs da assciaçã, a aprvaçã d plan de atividades, ds estatuts e ds balançs e a extinçã da assciaçã. Já a Administraçã é cnstituída pr três pessas (um presidente, um secretári e um tesureir) e é respnsável pela direçã e gestã da assciaçã.

3 O Cnselh Fiscal, também cm um mínim de três sócis (um presidente, um secretári e um relatr), faz essencialmente cntrle das cntas da assciaçã. As decisões tmadas na reuniã têm de ficar registradas num Livr de Atas. Este dcument pde ser cnstituíd pr flhas sltas numeradas seqüencialmente e rubricadas pels representantes d órgã a que pertence. Cada um ds órgãs deve ter um Livr de Atas própri e pr cada reuniã deve ser elabrada uma ata. O Livr de Atas deve respeitar um term de abertura e tem de ser apresentad num Serviç de Finanças a fim de ser pag respectiv impst de sel. Aprvaçã d Prjet de Estatut O prjet d estatut tem de ser aprvad brigatriamente em Assembleia- Geral. Os estatuts cnsideram-se aprvads pr mairia simples, u seja, 50% mais um ds assciads fundadres presentes tem de vtar a favr. Sabia que... Na Assembleia-Geral pdem participar tds s sócis, a nã ser que s estatuts definam excecões. A cnvcaçã da Assembleia-Geral deve ser feita pela Administraçã pel mens uma vez pr an para aprvaçã ds balançs, embra s estatuts pssam estabelecer mais reuniões brigatórias e mesm determinar as suas datas. Outras reuniões extrardinárias pdem ser cnvcadas pr um grup de sócis cm númer igual à quinta parte d ttal de assciads. Prém, s estatuts pdem definir um númer menr que esse. A reuniã da Assembleia-Geral deve ser marcada pr avis pstal enviad a cada um ds sócis membrs d órgã cm um mínim de it dias de antecedência, indicand dia, a hra, lcal e a rdem ds trabalhs. Tdas as decisões sã tmadas pr mairia absluta de vts assciads presentes, à exceçã de deliberações relacinadas cm a alteraçã as estatuts u cm a dissluçã e prrrgaçã da pessa cletiva que exigem vt favrável de três quarts ds sócis presentes na reuniã. Quais sã s direits e deveres ds membrs da assciaçã? Direits Vtar e ser vtad Participar de tdas as perações da assciaçã Examinar livrs e dcuments Cnvcar a assembléia cas seja necessári Pedir esclareciments a Cnselh de Administraçã Opinar e defender suas idéias Deveres Operar cm a assciaçã Participar das assembléias da assciaçã Acatar a decisã da mairia Vtar nas eleições Cumprir seus cmprmisss cm a assciaçã Manter-se infrmad a respeit da assciaçã Denunciar falhas Para efetuar s pedids, s fundadres precisam d seguinte material: Identidade ds requerentes e ds elements eleits para s crps sciais da assciaçã; Ata da Assembleia-Geral que aprvu s estatuts; Estatuts aprvads; Ambs s dcuments pdem também ser pedids via Internet, através d site da Direcçã-Geral de Registrs e Ntariad. Cas se pte pr esta mdalidade, s requerentes pdem acmpanhar prcess d seu pedid nline.

4 Os certificads de admissibilidade têm a validade de três meses para efeits de celebraçã de escritura pública e cartã prvisóri de identificaçã dura também três meses. Registr d Estatut 4 pass: Registrar Estatut Os estatuts sciais de assciações sã registrads n Cartóri de Registrs Civis de Pessas Jurídicas. Para efetuar registr é necessária a assinatura de um advgad. Legalizaçã da Assciaçã 5 pass: Legalizar a Assciaçã Tend cumprid tds s passs anterires, é já pssível fazer a Escritura Pública. Para fazer esta Escritura será necessária a seguinte dcumentaçã: bter inscriçã na Receita Federal - CNPJ; bter inscriçã na Receita Estadual - Inscriçã Estadual (se fr cas) bter inscriçã n INSS registrar na prefeitura municipal, Alvará de Licença e Funcinament. ATENÇÃO: a Inscriçã Estadual e a Inscriçã n INSS sã necessárias smente às assciações que pretendem praticar ats cmerciais. Dcuments necessáris para cnstituiçã: requeriment em duas (02) vias a ficial d cartóri, slicitand registr ds ats cnstitutivs da sciedade, assinad pel presidente cm firma recnhecida (mdel frnecid n cartóri) três vias (duas riginais e cópia) na íntegra d estatut assinad pel presidente relaçã em duas vias ds membrs fundadres cnstand nacinalidade, prfissã, residência, n. º d CPF u Identidade, assinada pel presidente u secretári (de acrd cm dispsitiv d Art. 120 VI da Lei 6.015/73) - datilgrafad relaçã em duas vias da primeira u atual diretria e cnselh fiscal, cnstand nacinalidade, carg, prfissã, residência, n. º d CPF u identidade e períd de mandat, assinada pel presidente u secretári (datilgrafad) três vias da Ata de Fundaçã (Cnstituiçã e Aprvaçã d Estatut); OBS: Se a ata fr datilgrafada, declarar (na ata) que a mesma é igual a riginal lavrad em livr própri, devend esta declaraçã ser datada e assinada pel presidente u secretári da entidade. estatut deverá ser rubricad em tdas as suas flhas pr advgad inscrit na OAB, cm n. º de sua inscriçã e vist na última página (datilgrafad). Entregar Declaraçã d Iníci da Atividade Ns primeirs 15 dias após registr, a Assciaçã deve entregar a declaraçã de iníci das atividades, na sede scial da entidade e assim regularizar a sua situaçã relativamente a cumpriment das brigações fiscais. Após cnstituírem a assciaçã, s sócis pdem cmeçar a precupar-se cm utras questões. Ter um site na Internet que divulgue a rganizaçã e atraia nv sóci pde ser um ds passs seguintes.

5 Dica: Para pesquisa de cm criar de um dmíni de Internet e nã sabe que fazer cnsulte: Fnte: site: Crefit 8

SOBRE O SENADO FEDERAL E A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO

SOBRE O SENADO FEDERAL E A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO SOBRE O SENADO FEDERAL E A ORGANIZAÇÃO DO ESTADO Quand fi criad Senad? O Senad fi instituíd pela Cnstituiçã d Impéri, utrgada em 1824. A reuniã de instalaçã crreu em mai de 1826, quatr ans depis de prclamada

Leia mais

Guia Boas Práticas. Turismo de Habitação e Turismo no Espaço Rural

Guia Boas Práticas. Turismo de Habitação e Turismo no Espaço Rural Guia Bas Práticas Turism de Habitaçã e Turism n Espaç Rural Guia de Bas Práticas de Turism de Habitaçã e Turism n Espaç Rural 2 1. Índice 2. Siglas 3. Definições 4. Intrduçã 4.1. Objetivs 4.2. Destinatáris

Leia mais

O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: O QUE PROPÕEM AS NOVAS DIRETRIZES NACIONAIS? Zilma de Moraes Ramos de Oliveira zilmaoliveira@uol.com.

O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: O QUE PROPÕEM AS NOVAS DIRETRIZES NACIONAIS? Zilma de Moraes Ramos de Oliveira zilmaoliveira@uol.com. O CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: O QUE PROPÕEM AS NOVAS DIRETRIZES NACIONAIS? Zilma de Mraes Rams de Oliveira zilmaliveira@ul.cm.br 1. APRESENTAÇÃO Uma cisa é certa: a Educaçã Infantil está em grande

Leia mais

UNIFAMMA - UNIÃO DAS FACULDADES METROPOLITANAS DE MARINGÁ PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA

UNIFAMMA - UNIÃO DAS FACULDADES METROPOLITANAS DE MARINGÁ PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA UNIFAMMA - UNIÃO DAS FACULDADES METROPOLITANAS DE MARINGÁ PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Gestã: Aleksandr Mntanha períd: 1 semestre de 2010 I. Intrduçã: Resum Executiv O plan

Leia mais

A d e u s C o n f l i t o, Bem-vindo Desenvolvimento

A d e u s C o n f l i t o, Bem-vindo Desenvolvimento IV GOVERNO CONSTITUCIONAL A d e u s C n f l i t, Bem-vind Desenvlviment Retrat da Gvernaçã d Mandat da AMP (2007-2012) INDICE Intrduçã Cnslidar a Paz e a Estabilidade Nacinal Garantind a Paz e a Segurança

Leia mais

INTEROPERABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PROCEDIMENTOS PARA ADESÃO À iap - PLATAFORMA DE INTEROPERABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

INTEROPERABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PROCEDIMENTOS PARA ADESÃO À iap - PLATAFORMA DE INTEROPERABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INTEROPERABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PROCEDIMENTOS PARA ADESÃO À iap - PLATAFORMA DE INTEROPERABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA versã 3.0 Març de 2011 Agência para a Mdernizaçã Administrativa,

Leia mais

Soluções de Maior Desempenho e de Menor Custo com o IBM InfoSphere Warehouse V10 Guia da Solução IBM Redbooks

Soluções de Maior Desempenho e de Menor Custo com o IBM InfoSphere Warehouse V10 Guia da Solução IBM Redbooks Sluções de Mair Desempenh e de Menr Cust cm IBM InfSphere Warehuse V10 Guia da Sluçã IBM Redbks O acess a infrmações precisas e em temp hábil é fundamental para as empresas que querem melhr atender as

Leia mais

A AMI4 tem por Missão incentivar, desenvolver, regulamentar e promover o uso dos meios interativos para ações de comunicação e marketing através:

A AMI4 tem por Missão incentivar, desenvolver, regulamentar e promover o uso dos meios interativos para ações de comunicação e marketing através: Public Policy ESTATUTO SOCIAL1 CAPÍTULO I Do Grupo, seus fins, sua sede e denominação Artigo Primeiro: A Associação de Mídia Interativa tem sede na Capital de São Paulo à Rua Helena, 309 cj. 92, Estado

Leia mais

Implantação de Rede CAD/CAMlDNC em uma Indústria no Rio de Janeiro

Implantação de Rede CAD/CAMlDNC em uma Indústria no Rio de Janeiro PRODUÇÃO Implantaçã de Rede CAD/CAMlDNC em uma Indústria n Ri de Janeir Heitr Mansur Caulliraux Almaisa Mnteir Suza Miriam Izu Grup de Prduçã Integrada COPPEfUFRJ Prgrama de Engenharia de Prduçã Cidade

Leia mais

Como criar uma ONG. A) LEI DO TERCEIRO SETOR: AS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIPs)

Como criar uma ONG. A) LEI DO TERCEIRO SETOR: AS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIPs) Como criar uma ONG Esta publicação foi editada pela Revista IntegrAção - CETS/EAESP/FGV em abril de 2000. Tem como principal fonte de informação o Programa Estadual de Apoio às ONGs PROAONG, da Secretaria

Leia mais

A cobrança acima foi paga através do Bradesco Net Empresa, dentro das condições especificadas.

A cobrança acima foi paga através do Bradesco Net Empresa, dentro das condições especificadas. Página 1 de 1 fi @ f Bradesc Net Empresa Cmprvante de Pagament Blet de Cbrança Blet N: 00194.44801 30001.941100 00476.380217 1 48730000031738 Favrecid Infrmad: CUSTAS PROCESSUAIS Debitad da: Cnta Crrente

Leia mais

ESTATUTOS DO SINDICATO DOS JORNALISTAS. CAPÍTULO I Dos princípios gerais

ESTATUTOS DO SINDICATO DOS JORNALISTAS. CAPÍTULO I Dos princípios gerais ESTATUTOS DO SINDICATO DOS JORNALISTAS CAPÍTULO I Dos princípios gerais Artigo 1.º O Sindicato dos Jornalistas é uma organização livremente constituída que visa integrar todos os jornalistas que trabalham

Leia mais

Guia Prático para Associações sem Fins Lucrativos

Guia Prático para Associações sem Fins Lucrativos Guia Prático para Associações sem Fins Lucrativos Ficha Técnica Título Guia Prático para Associações sem Fins Lucrativos Edição Câmara Municipal do Seixal Autoras Cristina Fernandes e Paula Castro (Gabinete

Leia mais

DIREITÓRIO ACADÊMICO DE DIREITO

DIREITÓRIO ACADÊMICO DE DIREITO Capítulo I DIREITÓRIO ACADÊMICO DE DIREITO Estatuto do Diretório Acadêmico do curso de Direito da Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul Denominação, Sede, Prazo, Símbolos e Finalidades Art.

Leia mais

Estatuto da Ordem dos Médicos de Angola

Estatuto da Ordem dos Médicos de Angola Estatuto da Ordem dos Médicos de Angola Índice de capítulos: Capítulo I - Da denominação, natureza, sede e âmbito Capítulo II - Dos princípios fundamentais e fins Capítulo III - Da inscrição, deveres e

Leia mais

Como Formalizar uma Vinícola

Como Formalizar uma Vinícola Como Formalizar uma Vinícola Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas- SEBRAE SGAS Quadra 605, Conjunto A - CEP 70200-904 - Brasília - DF Tel.: (+55 61) 3348-7100 / Fax.: (+55 61) 3347-4120

Leia mais

ESTATUTOS. LOULÉ CONCELHO GLOBAL, E.M., Unipessoal, S.A.

ESTATUTOS. LOULÉ CONCELHO GLOBAL, E.M., Unipessoal, S.A. CÂMARA MUNICIPAL DE LOULÉ Código Postal 8104-001 ESTATUTOS LOULÉ CONCELHO GLOBAL, E.M., Unipessoal, S.A. CAPÍTULO I Da Sociedade e do capital social ARTIGO 1.º Denominação A Sociedade adota a denominação

Leia mais

ESTATUTO DO SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS SENGE-MG APROVADO EM ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2009

ESTATUTO DO SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS SENGE-MG APROVADO EM ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2009 ESTATUTO DO SINDICATO DE ENGENHEIROS NO ESTADO DE MINAS GERAIS SENGE-MG APROVADO EM ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2009 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, DOS FINS DO SINDICATO E SEDE

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE ARQUITECTURA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. CAPÍTULO I Disposições Introdutórias. Artigo 1º Natureza

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE ARQUITECTURA DA UNIVERSIDADE DO PORTO. CAPÍTULO I Disposições Introdutórias. Artigo 1º Natureza ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE ARQUITECTURA DA UNIVERSIDADE DO PORTO CAPÍTULO I Disposições Introdutórias Artigo 1º Natureza A Associação de Estudantes da Faculdade de Arquitectura

Leia mais

Resolução CGSIM nº 2 de 01.07.2009

Resolução CGSIM nº 2 de 01.07.2009 Procedimentos para Legalização e Inscrição do MEI Resolução CGSIM nº 2 de 01.07.2009 Perguntas e respostas Atualizado até 15/07/2009 MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL PERGUNTAS E RESPOSTAS (Resolução CGSIM

Leia mais

Espécies de Sociedades de acordo com o novo Código Civil

Espécies de Sociedades de acordo com o novo Código Civil Empresas: Passos para abertura de empresa: 1. Definir qual o tipo de Pessoa Jurídica irá compor: 1.1 Sociedade Se constitui quando duas ou mais pessoas se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para

Leia mais

ASSOCIAÇÃO VIVER BEM. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ASSOCIAÇÃO VIVER BEM. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ASSOCIAÇÃO VIVER BEM Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1. ASSOCIAÇÃO VIVER BEM, neste ato designada simplesmente como Associação, é uma associação civil sem fins econômicos, de duração por tempo

Leia mais

ESTATUTO DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES Aprovado no 11º CONCUT

ESTATUTO DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES Aprovado no 11º CONCUT ESTATUTO DA CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES Aprovado no 11º CONCUT APRESENTAÇÃO A expressão da vontade, da determinação e da organização da imensa parcela da classe trabalhadora se traduz em dois momentos:

Leia mais

MANUAL DE REGISTRO SOCIEDADE ANÔNIMA

MANUAL DE REGISTRO SOCIEDADE ANÔNIMA Presidência da República Secretaria da Micro e Pequena Empresa Secretaria de Racionalização e Simplificação Departamento de Registro Empresarial e Integração MANUAL DE REGISTRO SOCIEDADE ANÔNIMA Atualizado

Leia mais

São Paulo 2ª Edição - 2010

São Paulo 2ª Edição - 2010 Casa Lotérica São Paulo 2ª Edição - 2010 Índice aspectos legais da atividade Atividade desenvolvida...6 AS formas de atuação neste ramo de atividade...8 Empresário e Sociedade Empresária...9 Idade mínima

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGIMENTO GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGIMENTO GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGIMENTO GERAL TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regimento Geral contém as disposições básicas sobre as atividades dos órgãos

Leia mais

São Paulo 2ª Edição - 2010

São Paulo 2ª Edição - 2010 Loja Virtual São Paulo 2ª Edição - 2010 Índice Aspectos legais da atividade Atividade desenvolvida...6 AS formas de atuação neste ramo de atividade...7 Empresário e Sociedade Empresária...8 Idade mínima

Leia mais

SECRETARIA DE PROVISÃO E SUPRIMENTOS DIRETORIA DE LICITAÇÕES EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 01/2013

SECRETARIA DE PROVISÃO E SUPRIMENTOS DIRETORIA DE LICITAÇÕES EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 01/2013 EDITAL DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 01/2013 TIPO: MENOR PREÇO POR ITEM SOB O CRITÉRIO DO MAIOR PERCENTUAL DE DESCONTO OBEJETO: AQUISIÇÃO DE COMBUSTÍVEL, COM FORNECIMENTO CONTÍNUO E FRACIONADO, CONFORME

Leia mais

REGIMENTO DO 54º CONGRESSO DA UNE 03 A 07 DE JUNHO DE 2015

REGIMENTO DO 54º CONGRESSO DA UNE 03 A 07 DE JUNHO DE 2015 Seção I - DO CONGRESSO Art.1º - O Congresso da UNE é a instância máxima de deliberação da União Nacional dos Estudantes. Art. 2º - O 54º Congresso da UNE será realizado entre os dias 03 e 07 de junho de

Leia mais

O QUE É UMA ACE? As ACEs são entidades da classe empresarial que congregam pessoas jurídicas e físicas de todos os setores da atividade econômica:

O QUE É UMA ACE? As ACEs são entidades da classe empresarial que congregam pessoas jurídicas e físicas de todos os setores da atividade econômica: A FACIAP tem grande interesse na constituição de novas ACEs, assim como no desenvolvimento das que já estão atuando. Para encurtar caminhos e auxiliar novas lideranças que estão assumindo as ACEs e para

Leia mais