CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS. Mecânica da Autoclave

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS. Mecânica da Autoclave"

Transcrição

1 CURSO TÉCNICO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS BIOMÉDICOS Mecânica da Autoclave

2 INTRODUÇÃO Grande demanda de pacientes Avanço da medicina, equipamentos sofisticados e complexos Necessidade da manutenção Capacitação técnica e operacional

3 INTRODUÇÃO Divisão da Manutenção MANUTENÇÃO PREDIAL Estrutura física, ar condicionado, elétrica, civil e marcenaria. ENGENHARIA CLÍNICA Manutenção dos equipamentos médicos: bombas, equipamentos, motores,etc.

4 INTRODUÇÃO

5 INTRODUÇÃO Eficiência da Manutenção depende de: Procedimentos Controles Gestão de Processos Busca da Solução Definição do Organograma

6 Planejamento dos Serviços: Eliminar riscos na execução. Minimiza prejuízo operacional/produtivo. Fluxo Inicial da Manutenção Inspeção

7 Função da Inspeção Identificar os serviços à executar Eliminar defeitos que originam demais manutenções Corretiva e Preventiva Registro das ocorrências Processo de Melhoria Contínua

8

9 Função do Controle de Manutenção: Monitorar as etapas da manutenção quanto ao serviço: Que será feito; Quando será executado; Com quais recursos; Qual o tempo gasto; A que custo (R$); Materiais utilizados; Que máquinas, ferramentas e dispositivos necessários

10 AUTOCLAVE Utilizado para esterilizar materiais através do vapor d agua sob pressão Início século XIX Aquecimento à vapor ou por resistência Esterilizar eliminar bactérias ou reduzir colônias. Necessita, validade e armazenamento a temperatura controlada.

11 AQUECIMENTO Vapor Serpentina ou Camisa

12 AQUECIMENTO Elétrico por Resistência

13 Autoclave DESENVOLVIMENTO

14 Autoclave Válvula de Segurança Camisa de Vapor Sensor de Temperatura Bomba de Vácuo

15 Vapor Camisa Externa DESENVOLVIMENTO

16 Vapor Camisa Externa Pré-Vácuo

17 Vapor Camisa Externa Pré-Vácuo Vapor Camisa Interna

18 Vapor Camisa Externa Pré-Vácuo Vapor Camisa Interna Sensor de Temperatura

19 Vapor Camisa Externa Pré-Vácuo Vapor Camisa Interna Sensor de Temperatura Válvula de Aeração

20

21 Perfil para Materiais Sólidos Sensor de temperatura F controla a válvula C Rampa Aquecimento. Fase de exposição Temporizada Abertura liga G e Válvula C fecha C Camisa Interna Desliga G e abre D

22 Variáveis do processo Temperatura Pressão Tempo Pontos Críticos Sensor de temperatura Temporizadores Controlador de pressão

23 Filme: Como Funciona uma Autoclave

24 Componentes Válvula de Segurança Bomba de Vácuo de Anel Líquido

25 Válvula de Segurança Função de aliviar a pressão do sistema até o valor de calibração pré-estabelecido.

26 CAPUZ HASTE CASTELO MOLA GUIA DA HASTE OBTURADOR SEDE CORPO

27 Filme: Funcionamento Válvula de Segurança

28 Bomba de Vácuo de Anel Líquido

29 Aplicação Aspiração de gases Destilação à vácuo (Ind. Farmacêutica, Química e Refinarias) Enchedoras Esterilização (Autoclaves) Secagem Escorva de bombas e sistemas

30 Vedação Fluído Vazio

31 Características Fluxo de água gira o rotor de palhetas Vácuo remove o ar Adiciona energia térmica Reduz a condensação Facilita o processo de secagem Incoveniente Disponibilidade de água abundante a 15 C

32 Bomba de Anel Líquido

33 Filme: Bomba de Vácuo de Anel Líquido

34 Gaxeta DESENVOLVIMENTO

35 Selo Mecânico

36 SÍNTESE EXERCÍCIO APLICADO O Planejador de Manutenção emitiu uma Ordem de Serviço (OS) para executar a inspeção mecânica e instrumentação de um autoclave hospitalar. Quais os pontos de verificação e correções serão necessário?

37 SÍNTESE

38 SÍNTESE

39 SÍNTESE Ordem de Serviço Execução

40 SÍNTESE Referência Bibliográfica NBR11816:2003 Esterilização Esterilizadores a vapor com vácuo para produtos de saúde NBR-ISO11134:2001 Esterilização de produtos hospitalares Requisitos para validação e controle de rotina Esterilização por calor úmido Portaria do Ministério de Trabalho n 3214/78 NR13:1997 Caldeiras e Vasos de Pressão ASME:1998 Boiler e Válvulas de Pressão Boas Práticas de Fabricação (BPF)

EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica

EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica EQUIPAMENTO ESTERILIZADOR - Autoclave Horizontal - Especificação Técnica Descrição Geral: Equipamento esterilizador horizontal automático para esterilização por vapor saturado de alta temperatura com duas

Leia mais

Análise do desempenho

Análise do desempenho Validação de Equipamentos em CME Análise do desempenho Conforme a RDC 15 Validação de Equipamentos em CME APRESENTAÇÃO Luciano Manoel - Especialista em processos de Qualificação de Equipamentos, com experiência

Leia mais

Pr i n c í pi o da e s t e r i l i z aç ão po r c a lo r ú m i d o -

Pr i n c í pi o da e s t e r i l i z aç ão po r c a lo r ú m i d o - Pr i n c í pi o da e s t e r i l i z aç ão po r c a lo r ú m i d o - Como funciona uma autoclave Gerson R. Luqueta In t r o d u ç ão Nos últimos tempos, a polêmica em torno da esterilidade dos artigos

Leia mais

Curso Básico de Instrumentação

Curso Básico de Instrumentação Curso Básico de Instrumentação Ementa O treinamento aborda os fundamentos de controle de processos visando preparar profissionais com formação técnica para atuar em projetos de instrumentação no setor

Leia mais

Av. Amador Aguiar, 2047 Jaraguá - São Paulo - SP Tel. (11) 3942-1884 FAX: (11) 3942-1885

Av. Amador Aguiar, 2047 Jaraguá - São Paulo - SP Tel. (11) 3942-1884 FAX: (11) 3942-1885 Av. Amador Aguiar, 2047 Jaraguá - São Paulo - SP Tel. (11) 3942-1884 FAX: (11) 3942-1885 SOLUÇÕES PARA VÁLVULAS DE SEGURANÇA DE PRESSÃO/ALÍVIO O Teste online Valbrac atua no teste de válvulas de segurança

Leia mais

NR 13 NORMA REGULAMENTADORA 13

NR 13 NORMA REGULAMENTADORA 13 NR 13 NORMA REGULAMENTADORA 13 CUSTOS VISÍVEIS MÃO DE OBRA MATERIAIS SERVIÇOS DE TERCEIROS C U S T O S I N V I S I V E I S CUSTO DE MANUTENÇÃO / CUSTOS TOTAIS CUSTO DE MANUTENÇÃO / FATURAMENTO CUSTOS

Leia mais

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso

Vasos de Pressão. Ruy Alexandre Generoso Vasos de Pressão Ruy Alexandre Generoso VASOS DE PRESSÃO DEFINIÇÃO: São equipamentos que contêm fluidos sob pressão, cujo produto P x V seja superior a 8. Em que: Pressão (Kpa) Volume (m 3 ) VASOS DE PRESSÃO

Leia mais

Esterilizador a vapor com vácuo - aspectos mecânicos e de instrumentação necessários para obtenção de um artigo estéril.

Esterilizador a vapor com vácuo - aspectos mecânicos e de instrumentação necessários para obtenção de um artigo estéril. Esterilizador a vapor com vácuo - aspectos mecânicos e de instrumentação necessários para obtenção de um artigo estéril. Por Gerson R. Luqueta Objetivo: O presente artigo tem como objetivo apresentar aos

Leia mais

27 Sistemas de vedação II

27 Sistemas de vedação II A U A UL LA Sistemas de vedação II Ao examinar uma válvula de retenção, um mecânico de manutenção percebeu que ela apresentava vazamento. Qual a causa desse vazamento? Ao verificar um selo mecânico de

Leia mais

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n. ANEXO I da NR-20 1 e 2.... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.º 9: a) o inventário e características dos inflamáveis

Leia mais

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta VALIDAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME NORMATIZAÇÃO (ênfase em processos de esterilização) VALIDAÇÃO DO PROCESSO DEFINIÇÃO Procedimento documentado para obtenção, registro e interpretação de resultados desejados

Leia mais

SV74 Válvula de Segurança em Aço Carbono

SV74 Válvula de Segurança em Aço Carbono Página 1 de 5 BR Rev.00 Descrição SV74 Válvula de Segurança em Aço Carbono A série SV74 de válvulas de segurança em aço carbono é construída em confirmidade com a Seção I e VIII da ASME Boiler and Pressure

Leia mais

CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Caldeiras a Vapor São equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior á atmosférica,

Leia mais

Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES. Desenvolvido por:

Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES. Desenvolvido por: Manual de instruções RECICLADOR AUTOMOTIVO RECIGASES Desenvolvido por: Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. FUNÇÕES BÁSICAS... 4 3. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 5 4. CONDIÇÕES DE SEGURANÇA... 7 5. COMPONENTES

Leia mais

CHECK LIST PARA AQUISIÇÃO DE AUTOCLAVE À VAPOR

CHECK LIST PARA AQUISIÇÃO DE AUTOCLAVE À VAPOR Informações Principais Registro no Ministério da Saúde Capacidade em Litros Dimensões externas (L X A X P) Peso do equipamento Dimensões da câmara (L X A X P) Dispõe de jaqueta Tipo de aço da câmara Tipo

Leia mais

CONTEÚDO: Capítulo 4. Válvulas Industriais. Email: vendas@jefferson.ind.br Fone: 016 3622-5744/3622-9851 Site: www.jefferson.ind.

CONTEÚDO: Capítulo 4. Válvulas Industriais. Email: vendas@jefferson.ind.br Fone: 016 3622-5744/3622-9851 Site: www.jefferson.ind. CONTEÚDO: Capítulo 4 Válvulas Industriais Email: vendas@jefferson.ind.br Fone: 016 3622-5744/3622-9851 Site: 1 VÁLVULAS DEFINIÇÃO: DISPOSITIVOS DESTINADOS A ESTABELECER, CONTROLAR E INTERROMPER O FLUXO

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM AQUECIMENTO SOLAR ABRAVA/DASOL 2011 MÓDULO 2 Projetista SAS Pequeno Porte Passo a Passo de Instalação ABRAVA -São Paulo,Maio de 2011 Luciano Torres Pereira Leonardo Chamone Cardoso

Leia mais

Soluções para produção de Oxigênio Medicinal

Soluções para produção de Oxigênio Medicinal Soluções para produção de Oxigênio Medicinal Page1 O propósito da BHP é de fornecer ao hospital uma usina de oxigênio dúplex e enchimento de cilindros para tornar o hospital totalmente independente do

Leia mais

A foto mostra o Climatizador Vesper com o deslocamento de ar em banda larga espalhando a névoa evaporativa com ampla dispersão.

A foto mostra o Climatizador Vesper com o deslocamento de ar em banda larga espalhando a névoa evaporativa com ampla dispersão. Climatização Ambiental Apresentação Os climatizadores Vesper utilizam os Ventiladores Vesper que são fabricados há mais de 50 anos e dispoem dos mais variados modelos e tipos que vão de 46 cm a 1 (um)

Leia mais

CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO

CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO Construindo Juntos! Seu trabalho fortalece a indústria NR-13 CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO 1/7 NR-13 Caldeiras e Vasos de Pressão 13.1 Caldeiras a Vapor Disposições Gerais 13.2 Instalação de Caldeiras a

Leia mais

Comunicado Técnico nº 5

Comunicado Técnico nº 5 Comunicado Técnico nº 5 O Uso do Vapor e das Caldeiras na Gestão da Umidade nas Algodoeiras Giancarlo Goldoni Jr. 1. O que é vapor? O vapor pode ser definido como um gás resultante da mudança de estado

Leia mais

Manual de Instalação, Operação e Manutenção Válvulas Gaveta, Globo e Retenção Informações Gerais Precauções e Recomendações Manuseio e Armazenamento

Manual de Instalação, Operação e Manutenção Válvulas Gaveta, Globo e Retenção Informações Gerais Precauções e Recomendações Manuseio e Armazenamento Informações Gerais Para garantir a qualidade e a vida útil de uma válvula é necessário verificar a instalação, aplicação, bem como o seu material de acordo com o fluido que será utilizado e uma manutenção

Leia mais

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO

14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO 14 ASPECTOS BÁSICOS PARA SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROCESSO Há certos parâmetros que são desejados em todos os tipos de equipamentos de processo, como: FUNCIONALIDADE EFICÁCIA CONFIABILIDADE

Leia mais

Relatório de Qualificação Térmica

Relatório de Qualificação Térmica Página 1 Relatório de Qualificação Térmica Cliente: Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças Equipamento: Autoclave a Vapor Identificação/TAG: 13.00165 Local de Instalação: C.M.E. Faixa de Trabalho:

Leia mais

Dispositivos Médicos: Requisitos para a esterilização por óxido de etileno

Dispositivos Médicos: Requisitos para a esterilização por óxido de etileno Dispositivos Médicos: Requisitos para a esterilização por óxido de etileno A eficácia do processo de esterilização de um dispositivo médico é avaliada com base numa série de experiências e protocolos que

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS

AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS AVALIAÇÃO DAS EMISSÕES DE HCFC-22 DOS SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO COMERCIAL EM SUPERMERCADOS Eng. Eduardo Linzmayer RESUMO Avaliação e levantamento das emissões de fluidos nos sistemas de refrigeração; Importância

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE PRESSÃO Conhecendo e Comparando Padrões

CALIBRAÇÃO DE PRESSÃO Conhecendo e Comparando Padrões CALIBRAÇÃO DE PRESSÃO Conhecendo e Comparando Padrões WIKA Referência Mundial em produtos para medição, controle e calibração de pressão e temperatura, a WIKA está presente em mais de 75 países, fornecendo

Leia mais

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA ANEXO II PLANILHAS PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E FOLHAS DE REGISTRO PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA FINATEC - EDIFÍCIO SEDE ENDEREÇO: LOCALIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO: UNIDADE MOD.: Nº DE SÉRIE: CÓDIGO

Leia mais

NEOTECHA. Sistema de Amostragem de Tanque, para amostragem representativa sem interrupção do processo. Sistema de Amostragem de Tanque - Sapro

NEOTECHA. Sistema de Amostragem de Tanque, para amostragem representativa sem interrupção do processo. Sistema de Amostragem de Tanque - Sapro NEOTECHA Sistema de Amostragem de Tanque, para amostragem representativa sem interrupção do processo Características gerais com adaptador da seringa O sistema de amostragem garante sempre uma amostra verdadeiramente

Leia mais

ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS - END Ensaios realizados em materiais, acabados ou semi acabados, para verificar a existência ou não de descontinuidades ou defeitos, através de princípios físicos definidos, sem

Leia mais

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial.

Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. Atuando no mercado brasileiro, fabricando equipamentos nas áreas de caldeiraria e serralheria industrial. A trabalha dentro de normas. Como: NBR, ASME, DIN, API e etc. Nosso galpão industrial comporta

Leia mais

1ª RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 413/2014 - CPL 04 SESACRE

1ª RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 413/2014 - CPL 04 SESACRE 1ª RETIFICAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 413/2014 - CPL 04 SESACRE OBJETO: Aquisição de Equipamentos, Mobiliários, Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos, para atender as Necessidades

Leia mais

Manual do Usuário. Produto LUBE-SEAL. Versão: LUBE-SEAL Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos

Manual do Usuário. Produto LUBE-SEAL. Versão: LUBE-SEAL Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos Manual do Usuário Produto Versão: Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. TERMOS E CONVENÇÕES 4 2. INFORMAÇÕES GERAIS 5 2.1. Dados do

Leia mais

vendas1@juntasamf.com.br

vendas1@juntasamf.com.br À Sr( a) Ref.: Apresentação para Cadastro de Fornecedor Prezados Senhores, Vimos através desta, apresentar a Juntas AMF Ind. e Com. de Peças Ltda., uma empresa que já se tornou referencia no mercado de

Leia mais

Como funciona uma autoclave. Introdução. Materiais Necessários. A autoclave

Como funciona uma autoclave. Introdução. Materiais Necessários. A autoclave Intro 01 Introdução A autoclave A autoclave é um aparelho muito utilizado em laboratórios de pesquisas e hospitais para a esterilização de materiais. O processo de autoclavagem consiste em manter o material

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Autoclave, coforme edital. Quantidade: 4 Unidade de Medida: Unidade

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Autoclave, coforme edital. Quantidade: 4 Unidade de Medida: Unidade PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Eldorado do Sul Número: PR 190/2012 Número do Processo: PR 190/2012 Unidade de Compra: Secretaria da Saúde Proposta(s) Item: 0001 Descrição: Autoclave, coforme

Leia mais

AUTOCLAVE HORIZONTAL HOSPITALAR AUTOMÀTICA, ELÉTRICA, COM CAPACIDADE MÌNIMA DE 520 LITROS B3.

AUTOCLAVE HORIZONTAL HOSPITALAR AUTOMÀTICA, ELÉTRICA, COM CAPACIDADE MÌNIMA DE 520 LITROS B3. AUTOCLAVE HORIZONTAL HOSPITALAR AUTOMÀTICA, ELÉTRICA, COM CAPACIDADE MÌNIMA DE 520 LITROS B3. Descrição Básica: Autoclave horizontal, automática com comando microprocessado, elétrica, com câmara dupla

Leia mais

1 st Internacional Workshop Advances in Cleaner Production IV Semana Paulista de P+L

1 st Internacional Workshop Advances in Cleaner Production IV Semana Paulista de P+L 1 st Internacional Workshop Advances in Cleaner Production IV Semana Paulista de P+L Centro SENAI de Produção Mais Limpa Cleaner Production Center - CPC 21-23 de Novembro de 2007 São Paulo O objetivo do

Leia mais

COMPRESSORES DE AR ELÉTRICO COM VASO DE PRESSÃO

COMPRESSORES DE AR ELÉTRICO COM VASO DE PRESSÃO COMPRESSORES DE AR ELÉTRICO COM VASO DE PRESSÃO I. CUIDADOS NA INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO Antes de operar o compressor de ar elétrico com vaso de pressão, assegure-se de que sua instalação tenha sido executada

Leia mais

Rafael da Conceição Santana

Rafael da Conceição Santana Rafael da Conceição Santana Rua Xavantes, 23 (11) 4376-2011 / ( (11) 99501-4586 Brasileiro rafael- 29 anos Bairro: Bussocaba james@ig.com.br 06056-440 Osasco SP Solteiro Formação: Universidade Bandeirante

Leia mais

Turbocompressor modelo ABS HST 20

Turbocompressor modelo ABS HST 20 Turbocompressor modelo ABS HST 20 Principais Aplicações O turbocompressor modelo ABS HST 20 é altamente adequado para as seguintes áreas de aplicação: Aeração de água, efluentes ou outros líquidos Flotação

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 QUESTÃO 26 Sobre os Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço, de

Leia mais

Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado.

Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado. Aquecedor central Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado. Planeje seu uso e habitue-se a ligá-lo apenas o tempo necessário para que você

Leia mais

Equipamentos que realizam a troca de calor entre dois fluidos que estão a diferentes temperaturas e separados através de uma parede sólida

Equipamentos que realizam a troca de calor entre dois fluidos que estão a diferentes temperaturas e separados através de uma parede sólida Trocadores de calor Equipamentos que realizam a troca de calor entre dois fluidos que estão a diferentes temperaturas e separados através de uma parede sólida Os fluidos podem ser ambos fluidos de processo

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DA STEAM BOILER

CARACTERÍSTICAS DA STEAM BOILER STEAM BOILER CARACTERÍSTICAS DA STEAM BOILER Identificação Marca: HOT AIR Modelo: STEAM BOILER Fabricante: COVILHÃ S BRASIL IND. E COMÉRCIO Ltda. Endereço: AV. IRMÃOS PICARELLI, n 235 CENTRO SOCORRO SP

Leia mais

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor.

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Objetivos Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Descrição Neste módulo são abordados os princípios de funcionamento do motor Ciclo Otto,

Leia mais

Lubrificação III. Após a visita de um vendedor de lubrificante. Outros dispositivos de lubrificação

Lubrificação III. Após a visita de um vendedor de lubrificante. Outros dispositivos de lubrificação A U A UL LA Lubrificação III Introdução Após a visita de um vendedor de lubrificante ao setor de manutenção de uma indústria, o pessoal da empresa constatou que ainda não conhecia todos os dispositivos

Leia mais

Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA

Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA Termoquímica Energia e Trabalho Energia é a habilidade ou capacidade de produzir trabalho. Mecânica; Elétrica; Calor; Nuclear; Química. Trabalho Trabalho mecânico

Leia mais

Springer - Carrier. Índice

Springer - Carrier. Índice Índice Página 1 - Diagnóstico de Defeitos em um Sistema de Refrigeração... 8 1.1 - Falha: Compressor faz ruído, tenta partir, porém não parte... 8 1.2 - Falha: Compressor funciona, porém não comprime...

Leia mais

Trocadores de calor a placas. A otimização da troca térmica

Trocadores de calor a placas. A otimização da troca térmica Trocadores de calor a placas A otimização da troca térmica Um amplo conhecimento para otimizar seus processos As atividades da Alfa Laval têm um único objetivo: oferecer a você cliente tecnologias que

Leia mais

bombas dosadoras a motor Por acionamento hidráulico

bombas dosadoras a motor Por acionamento hidráulico Dosadoras a Motor bombas dosadoras a motor Por acionamento hidráulico Serie 600 Serie 500 Há opção de duplo diafragma cabeçotes duplex e válvulas EZE- Serie 700 CLEAN TM consulte-nos! Detalhamento de sistema

Leia mais

AUTOCLAVE HORIZONTAL HOSPITALAR AUTOMÀTICA, ELÉTRICA, COM CAPACIDADE MÍNIMA DE 300 LITROS - B.

AUTOCLAVE HORIZONTAL HOSPITALAR AUTOMÀTICA, ELÉTRICA, COM CAPACIDADE MÍNIMA DE 300 LITROS - B. AUTOCLAVE HORIZONTAL HOSPITALAR AUTOMÀTICA, ELÉTRICA, COM CAPACIDADE MÍNIMA DE 300 LITROS - B. Descrição Básica: Autoclave horizontal, automática com comando microprocessado, elétrica, com câmara dupla

Leia mais

A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO

A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS A Unidade HOSPITAL UNIMED-RIO Projeto Hospital UNIMED - RIO Construído em uma área de 30 mil m² o Hospital UNIMED RIO foi inaugurado em Dez / 2012 O Hospital tem como seus principais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela:

TERMO DE REFERÊNCIA. 2.1 A manutenção preventiva para os aparelhos de Ar Condicionado do tipo janela: ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA COM REPOSIÇÃO PARCIAL DE PEÇAS ORIGINAIS DOS EQUIPAMENTOS DE REFRIGERAÇÃO

Leia mais

15/08/2010. www.baumer.com.br. Eng. Gerson R. Luqueta

15/08/2010. www.baumer.com.br. Eng. Gerson R. Luqueta Autoclaves para laboratório de microbiologia de alimentos: critérios técnicos para aquisição, utilização e manutenção para a garantia da qualidade laboratorial Proibida a reprodução total ou parcial sem

Leia mais

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica Roberto Lamberts Oficina 09 junho de 2010 1 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Publicação: junho de 2009. EDIFÍCIOS ETIQUETADOS CETRAGUA

Leia mais

CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO

CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO Instituto de Qualidade e Metrologia Ltda Rio de Janeiro - RJ QUALIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS AUTOCLAVES E ESTUFAS CONCEITOS E ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA IDENTIFICAÇÃO DA NECESSIDADE DA QUALIFICAÇÃO Instituto

Leia mais

Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2. Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE. Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2

Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2. Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE. Esterilização a Vapor - O papel do Técnico 2 Guarda, 8 e 9 de Fevereiro de 2013. Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE 1 Manutenção Definição de manutenção: Manutenção é toda acção de controle e monitorização do equipamento. Manutenção não aumenta

Leia mais

DISSOLUÇÃO DA FERRITA DELTA EM AÇO INOXIDÁVEL ENDURECIDO POR PRECIPITAÇÃO

DISSOLUÇÃO DA FERRITA DELTA EM AÇO INOXIDÁVEL ENDURECIDO POR PRECIPITAÇÃO 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO Alexandre Afonso Alves de Moura Marcos Paulo Pereira de Toledo Ricardo Breviglieri Alves Castilho DISSOLUÇÃO DA FERRITA DELTA EM AÇO INOXIDÁVEL

Leia mais

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca

Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca Lista de cargos e funções disponíveis no Consórcio Ipojuca 1. INSPETOR CONTROLE DE QUALIDADE- Atuar com inspeção de processos / final, ensaios de rotina, controle de qualidade e verificação de falhas na

Leia mais

PCEP (Programa de Controle de Energias Perigosas) Norma OSHA 1910.147

PCEP (Programa de Controle de Energias Perigosas) Norma OSHA 1910.147 Norma OSHA 1910.147 Criada nos Estados Unidos em 1990 (Controle de Energias Perigosa), objetivo evitar a ocorrência de aproximadamente 100 mortes e 60.000 lesões anuais decorrentes de acidentes em serviços

Leia mais

Respire fundo. E drible a Fibrose Cística.

Respire fundo. E drible a Fibrose Cística. MANUAL DO NEBULIZADOR Respire fundo. E drible a Fibrose Cística. Veja como utilizar e cuidar corretamente do seu Compressor e Nebulizador. Eu sou o compressor. Eu sou o Nebulizador, sou o grande goleador.

Leia mais

VÁLVULA GLOBO DE CONTROLE SÉRIE 10

VÁLVULA GLOBO DE CONTROLE SÉRIE 10 VÁLVULA GLOBO DE CONTROLE SÉRIE 10 EXCELÊNCIA EM CONTROLE DE FLUXO 1 Válvula Globo de Controle Série 10 Características gerais As válvulas globo de controle de sede simples da série 10, produzidas pela

Leia mais

Válvula Globo De Passagem Reta (Tipo Y) DN 8 (1/4 ) a 80 (3 )

Válvula Globo De Passagem Reta (Tipo Y) DN 8 (1/4 ) a 80 (3 ) Válvula Globo De Passagem Reta (Tipo Y) DN 8 (/ ) a 8 ( ) A Válvula Globo Oblíqua metálica SED (também chamada de "passagem reta" ou tipo Y ), consiste de um corpo metálico de / vias tipo globo inclinado

Leia mais

A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso.

A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso. A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso. A próxima turma do curso VÁLVULAS INDUSTRIAIS está programada para o período de 16 a 19 de setembro de 2013, no Rio de

Leia mais

Armazenamento de energia

Armazenamento de energia Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica 3 º. trimestre, 2015 A energia solar é uma fonte de energia dependente do tempo. As necessidades de energia

Leia mais

Válvula Globo com Fole de Vedação Norma DIN

Válvula Globo com Fole de Vedação Norma DIN Válvula Globo com Fole de Vedação Norma DIN Aplicação Para bloquear e controlar manualmente vapor saturado, ar, gases, óleo térmico, amônia, água quente, vácuo e líquidos neutros. Características Fole

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD

ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD ORDEM DE SERVIÇO Nº 004/2015 - PROAD Institui e regulamenta o Programa de Uso Racional de Água e Energia Elétrica no âmbito da UFCSPA. O PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE

Leia mais

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento Bombas de Calor 2º Seminário PPGS Carlos Barbosa TT/SPO-TRTR 1 Bombas de Calor Geotérmicas Índice Definições Funcionamento Performance Instalação Fontes de Problemas 2 Definições Definição de bomba de

Leia mais

MODELO Em linha WEENKEND PÁLIO 16 V STRADA IDEA PALIO PALIO UNO

MODELO Em linha WEENKEND PÁLIO 16 V STRADA IDEA PALIO PALIO UNO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Administração Superintendência de Serviços Administrativos Grupo de Trabalho Port.Conjunta SAEB/SEFAZ/SEPLAN/CASA CIVIL/PGE Nº01 DE 2009 TABELA TEMPÁRIA DE SERVIÇO

Leia mais

Neste capítulo abordaremos alguns métodos de elevação artificial de petróleo, seu funcionamento, suas características e suas propriedades.

Neste capítulo abordaremos alguns métodos de elevação artificial de petróleo, seu funcionamento, suas características e suas propriedades. CAPÍTULO 3 MÉTODOS DE ELEVAÇÃO ARTIFICIAL DE PETRÓLEO. Neste capítulo abordaremos alguns métodos de elevação artificial de petróleo, seu funcionamento, suas características e suas propriedades. BOMBEIO

Leia mais

MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS. G:Manuais/Manuais atualizados/ta

MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS. G:Manuais/Manuais atualizados/ta MANUAL DE FUNCIONAMENTO FILTROS INDUSTRIAIS TA G:Manuais/Manuais atualizados/ta Rev.01 ESQUEMA HIDRÁULICO 1 - INTRODUÇÃO 1.1. - FINALIDADE DESTE MANUAL Este manual proporciona informações teóricas e de

Leia mais

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS 10º Congresso Brasileiro de Enfermagem en Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e ESterilização- 2011 A SEGURANÇA DA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE CIRÚRGICO: FLUXO DE OPME NORMAS E CONDUTAS

Leia mais

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo.

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo. BOLETIM DE GARANTIA (N o 05 / 2013) Código de erro do Cassete e Piso-Teto No. TIPO DESCRIÇÃO Flash Blink Código Nota 1 Falha 2 Falha 3 Falha 4 Falha 5 Falha 6 Falha Placa acusa erro no sensor de temperatura

Leia mais

AUTOCLAVE VERTICAL MODELO 415

AUTOCLAVE VERTICAL MODELO 415 AUTOCLAVE VERTICAL MODELO 415 Revisão: 03/05 Edição: 02/05 Ref.: 415.400.550 ÍNDICE 1 - Identificação do Equipamento... 01 2 - Características Técnicas... 01 3 - Partes e Acessórios... 03 4 - Precauções,

Leia mais

ME-27 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DE PONTO DE FULGOR PELO APARELHO TAG FECHADO

ME-27 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DE PONTO DE FULGOR PELO APARELHO TAG FECHADO ME-27 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DE PONTO DE FULGOR PELO APARELHO TAG FECHADO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...3 4. DEFINIÇÃO...4

Leia mais

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Energia Solar Térmica Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Componentes de Sistemas Solares Térmicos Energia Solar Térmica - 2014

Leia mais

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção Registros e Válvulas - 05/09/2012 - MT-RV-01-01/05 Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção Registro de Agulha Macho 1/4 NPT Ref. RMSS 1/4 NPT-HR-HPE (HPTFE)-DS Características: HR - Haste Não

Leia mais

Refrigerating Specialties

Refrigerating Specialties Refrigerating Specialties Cuidando de suas necessidades em Refrigeração A Parker (R/S) é a principal fornecedora de componentes de refrigeração para as indústrias alimentícias e de bebidas. Líder mundial

Leia mais

Desfrute do melhor que a natureza tem para lhe oferecer e aproveite o conforto que a energia do sol pode lhe proporcionar.

Desfrute do melhor que a natureza tem para lhe oferecer e aproveite o conforto que a energia do sol pode lhe proporcionar. 1 A Kisol tem a missão de divulgar e incentivar a sustentabilidade, através do uso de energias renováveis, fornecendo soluções que superem as expectativas dos seus clientes. A realização de um mundo melhor,

Leia mais

VALIDAÇÃO DE PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO

VALIDAÇÃO DE PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO VALIDAÇÃO DE PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO A VAPOR ÚMIDO Profª. Drª.Thereza Christina Vessoni Penna Professora Titular do Departamento de Tecnologia Bioquímico Farmacêutica Faculdade de Ciências Farmacêuticas

Leia mais

todos os equipamentos enquadrados como caldeiras conforme item 13.4.1.1;

todos os equipamentos enquadrados como caldeiras conforme item 13.4.1.1; Item nº TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO 13.2.1 a) todos os equipamentos enquadrados como caldeiras conforme item 13.4.1.1; todos os equipamentos enquadrados como caldeiras conforme item 13.4.1.1 e 13.4.1.2;

Leia mais

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação MANUAL TÉCNICO Série: FBME Aplicação Desenvolvida para trabalhar com líquidos limpos ou turvos, em inúmeras aplicações, tais como indústrias químicas, petroquímicas, papel, polpa, siderúrgica, mineração,

Leia mais

COLETÂNEA DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE I - PRÁTICAS IMEDIATAS E PERMANENTES PARA PROMOVER O USO RACIONAL DA ENERGIA ELÉTRICA:

COLETÂNEA DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE I - PRÁTICAS IMEDIATAS E PERMANENTES PARA PROMOVER O USO RACIONAL DA ENERGIA ELÉTRICA: COLETÂNEA DESAFIO DA SUSTENTABILIDADE I - PRÁTICAS IMEDIATAS E PERMANENTES PARA PROMOVER O USO RACIONAL DA ENERGIA ELÉTRICA: 1 Sobre a utilização de aparelhos de ar condicionado: a) Desligar o aparelho

Leia mais

Brasil AccuTEST Systems, Brasil Vitória Espírito Santo - Brasil www.accutestsystems.com

Brasil AccuTEST Systems, Brasil Vitória Espírito Santo - Brasil www.accutestsystems.com Escritórios Centrais AccuTEST Systems, Inc. 76 Veterans Drive Suite 660 Holland Michigan USA 49423 Tel 616 394 1401 Fax 616 394 1402 www.accutestsystems.com Brasil AccuTEST Systems, Brasil Vitória Espírito

Leia mais

Flavio Xavier www.flaviocursos.com.br TÉCNICO EM INJEÇÃO ELETRÔNICA Página 197. Atuador de marcha lenta FORD (eletropneumático)

Flavio Xavier www.flaviocursos.com.br TÉCNICO EM INJEÇÃO ELETRÔNICA Página 197. Atuador de marcha lenta FORD (eletropneumático) Flavio Xavier www.flaviocursos.com.br TÉCNICO EM INJEÇÃO ELETRÔNICA Página 197 Atuador de marcha lenta FORD (eletropneumático) Flavio Xavier www.flaviocursos.com.br TÉCNICO EM INJEÇÃO ELETRÔNICA Página

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Gestão da Energia e Sustentabilidade

Conceitos Básicos sobre Gestão da Energia e Sustentabilidade Conceitos Básicos sobre Gestão da Energia e Sustentabilidade Energia: Power (Poder) ou Fraqueza? Eficiência Energética o paradigma A estrutura do trilema : Energia não é Eletricidade Energia: Eletricidade,

Leia mais

M A T E R I A I S D E L A B O R A T Ó R I O. Prof. Agamenon Roberto

M A T E R I A I S D E L A B O R A T Ó R I O. Prof. Agamenon Roberto M A T E R I A I S D E L A B O R A T Ó R I O Prof. Agamenon Roberto Prof. Agamenon Roberto MATERIAS DE LABORATÓRIO 2 TUBO DE ENSAIO: Tubo de vidro fechado em uma das extremidades, empregado para fazer reações

Leia mais

MANUTENCAO DA AUTOCLAVE

MANUTENCAO DA AUTOCLAVE Ufcd 4564 Gestão da manutencão introducão Nota: 17 Formador: MANUTENCAO DA AUTOCLAVE AUTOCLAVE Ɵ 1000 x 3000 3.400 mm 2.000 kg Introdução Nesta ufcd foi-nos proposto pelo formador construir um manual de

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA EQUIPAMENTOS DE ANESTESIA E SISTEMAS RESPIRATÓRIOS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA EQUIPAMENTOS DE ANESTESIA E SISTEMAS RESPIRATÓRIOS ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA EQUIPAMENTOS DE ANESTESIA E SISTEMAS RESPIRATÓRIOS ROTEIRO DE INSPEÇÃO Data da Inspeção / / Equipe Técnica: Finalidade de Inspeção: 1- IDENTIFICÃO DA UNIDADE 1- Nome Fantasia do

Leia mais

COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS

COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS EMPRESA PARANAPANEMA JULHO - 2013 COBRE INTRODUÇÃO - Fundamental no desenvolvimento das primeiras civilizações, o cobre mantém-se como o melhor e mais indicado material

Leia mais

NR - 13 Caldeiras e Vasos de Pressão

NR - 13 Caldeiras e Vasos de Pressão 1. Introdução 2. Tipos a. Aquotubular b. Flamotubular c. Mistas 3. Partes internas a. Economizadores b. Paredes dágua c. Superaquecedores d. Feixes tubulares e. Válvulas 4. Partes Externas a. Desaeradores

Leia mais

經 濟 局 DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA. 通 告 Aviso. 商 標 之 保 護 Protecção de Marca. 申 請 Pedido

經 濟 局 DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA. 通 告 Aviso. 商 標 之 保 護 Protecção de Marca. 申 請 Pedido 13092 28 2015 7 15 澳 門 特 別 行 政 區 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU 政 府 機 關 通 告 及 公 告 AVISOS E ANÚNCIOS OFICIAIS 經 濟 局 DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA 通 告 Aviso 商 標 之 保 護 Protecção de Marca 申 請

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BOMBAS DE ENGRENAGENS INTERNAS SÉRIE FBEI

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BOMBAS DE ENGRENAGENS INTERNAS SÉRIE FBEI MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BOMBAS DE ENGRENAGENS INTERNAS SÉRIE FBEI CÓD: MAN001-10 REVISÃO: 00 27/09/2010 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 1. PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO...6 2. IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO...6

Leia mais

Trabalha nos diversos setores da indústria no Brasil, dentre os quais se destaca:

Trabalha nos diversos setores da indústria no Brasil, dentre os quais se destaca: HSO Hidráulica e Pneumática Ltda, e uma empresa constituída de engenheiros, técnicos e projetistas especializados nos setores de hidráulica e pneumática. Atuam fortemente na engenharia e desenvolvimento,

Leia mais