Profa. Dra. Deusa Maria R. Boaventura. Projeto 1 A FORMA DA CIDADE E OS SEUS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Profa. Dra. Deusa Maria R. Boaventura. Projeto 1 A FORMA DA CIDADE E OS SEUS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS."

Transcrição

1 Profa. Dra. Deusa Maria R. Boaventura. Projeto 1 A FORMA DA CIDADE E OS SEUS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS. 1. DIMENSÕES ESPACIAIS NA MORFOLOGIA URBANA A forma urbana: A noção de forma aplica-se a conjuntos urbanos de diversas grandezas e complexidades. Fala-se de forma física para uma praça, uma rua, um bairro, uma cidade e até para uma área metropolitana As escalas urbanas Dimensão e escalas sempre estão implícitas nas formas urbanas. - As formas urbanas são constituídas pela composição de diferentes unidades espaciais e elementos morfológicos. 1

2 Dimensão territorial a escala da cidade. É onde existe a articulação de diferentes formas à dimensão urbana, diferentes bairros ligados entre si. Bairros, grandes infra-estruturas viárias, grandes zonas verdes. Quanto à forma as cidades podem ser lineares, radiocêntricas, em malha ortogonal, radiais e etc Dimensão urbana a escala do bairro É onde existe verdadeiramente á área urbana, ou a parte da cidade. Elementos morfológicos a serem considerados: praças, quarteirões, monumentos, jardins áreas verdes. 2

3 A escala Dimensão setorial: a escala da rua É quando se considera a menor unidade, ou porção do espaço urbano, com forma própria. Elementos morfológicos considerados: edifícios,rua, praça, traçado, árvores e demais vegetações, desenho do solo e mobiliário 2. ELEMENTOS MORFOLÓGICOS DO ESPAÇO URBANO 2.1- O solo Topografia Revestimentos e pavimentação: meio-fio, passeios empedrados, as faixas asfálticas, os ladrilhos e etc Mobiliário urbano: painéis, anúncios, placas, tótens, bancos, bancas, quiosques, canteiros, árvores, telefones... 3

4 2.2. O edifício Através dele se constitui o espaço urbano e se organizam os diferentes espaços identificáveis e a própria forma urbana: a rua, a praça, o beco, as vielas, as avenidas, etc. Os edifícios agrupam-se em diferentes tipos, decorrentes de suas funções e formas, estabelecendo relações biunívocas com as formas urbanas. Ex 1. quanto a forma: casa térrea, sobrados, edifícios com pilotis, casa com pátio central, igrejas de naves retangulares, igrejas de plantas centrais, edifícios residenciais com áreas de lazer, edifícios com ou sem afastamentos laterais, edifícios com telhados, com coberturas planas e et. Ex. 2. edifícios comerciais, edifícios residenciais, edifícios comerciais e residenciais, edifícios administrativos, edifícios institucionais, edifícios religiosos, de lazer, industriais e outros 4

5 2.3. O lote O edifício não pode ser desligado do lote ou superfície que ocupa A forma do lote é condicionante da forma do edifício e, consequentemente, da forma da cidade.. Até os anos vinte e trinta do século passado ele foi o lugar do edifício e um meio e instrumento de planificação e separação entre o espaço público e o privado. Mas no urbanismo moderno o lote deixa, por assim dizer, de existir, uma vez que os edifícios não ocupam ao solo definido pela sua projeção vertical. Ex. As super- quadras de Brasília 5

6 6

7 2.4. O quarteirão: é um conjunto de edifícios agrupados entre si, ou sistema fechado e separado dos demais; no caso das cidades tradicionais é o espaço delimitado pelo cruzamento de vias e subdividido em lotes para a construção de edifícios. Em termos hierárquicos, pode-se dizer que ele é um elemento superior ao lote, e identifica-se com coma definição do espaço urbano. O quarteirão agrega e organiza os outros elementos da estrutura urbana: o lote e o edifício, o traçado e a rua, e as relações que estabelecem com os espaços públicos, semipúblicos e privados A fachada - Nas cidades tradicionais, a relação com o espaço urbano vai se processar pelas fachadas. Entalado entre duas empenas, cada edifício dispõe apenas da fachada para a comunicação com o espaço urbano.. São as fachadas que vão exprimir as características distributivas (programas, funções, organizações), o tipo edificado, as características e linguagens arquitetônicas o estilo, a expressão estética, a época. A fachadas é o invólucro visível da massa construída, e é também o cenário que define o espaço urbano. O edifício e o tecido da cidade. - O quarteirão - A ruptura com o quarteirão 7

8 A linguagem dos edifícios 8

9 Arquitetura Moderna Os elementos da arquitetura moderna são as janelas, as portas, os diferentes artefatos, a cobertura, a estrutura e etc. Características: O plano é a base da nova plástica Continuidade entre interior e exterior Ausência de ornamentos Num primeiro momento renúncia a cor e a textura. Após a segunda guerra mundial este elementos são aceitos principalmente nos trabalhos de Aalto. Repertório de formas não ligadas ao passado. A dissociação da estrutura e das paredes leva a formulação, por parte de Le Corbusier dos cinco pontos da arquitetura: a planta livre, a fachada livre, terraço jardim, pilotis e janela em fita. Estrutura pontual e não mural Gropius, Le Corbusier, Mies Van Der Rohe, F. Ll Wright 9

10 Lina Bo Bardi, Lúcio Costa e Reidy 3. O traçado / a rua O traçado é um dos elementos mais claramente identificáveis tanto na forma de uma cidade como no gesto de a projetar.. Regula a disposição dos edifícios e quarteirões, liga os vários espaços e partes da cidade. O traçado e a rua existem como elementos morfológicos nos vários níveis ou escalas da forma urbana. 10

11 As praças - São elementos morfológicos das cidades ocidentais e distingue-se de outros espaços, que são resultado acidental de alargamento ou confluência de traçados pela organização espacial e intencionalidade do desenho. É o lugar intencional do encontro, da permanência, dos acontecimentos, das práticas sociais, de manifestações da vida urbana e comunitária e de prestígio, e comumente, de funções estruturantes e arquiteturas significativas. O largo do mercado, a adro fronteiriço à igreja, ou outros espaços vazios Praça Charles de Gaulle 11

12 O monumento Obra de arquitetura ou escultura destinada a transmitir à posteridade a recordação de um grande feito; ou obra de arquitetura considerável pela sua dimensão ou magnificiência. 12

Planejamento Urbano. Prof. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira

Planejamento Urbano. Prof. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira Planejamento Urbano Prof. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira Definindo alguns conceitos que, pelo menos em parte, se sobrepõem: 1. Cidade e Município; cidade e campo 2. Planejamento urbano e planejamento

Leia mais

RESIDÊNCIA BROOKLIN. Implantação e Partido Formal

RESIDÊNCIA BROOKLIN. Implantação e Partido Formal RESIDÊNCIA BROOKLIN Local: SÃO PAULO, SP Ano: 2004-2005 Escritório: SIAA Autora: Amanda Monteiro dos Santos, Wilton Medeiros e Ana Elísia da Costa Implantação e Partido Formal A Residência Brooklin localiza-se

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA POR SE

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

Figura 1: Implantação da casa no Derby O Norte Oficina de criação. Fonte: Jéssica Lucena, 2015.

Figura 1: Implantação da casa no Derby O Norte Oficina de criação. Fonte: Jéssica Lucena, 2015. CASA NO DERBY Local Recife - PE Ano 2007-08 Escritório O Norte Oficina de Criação Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e Partido Formal A Casa no Derby é uma residência unifamiliar de uso

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Mundi - Centro de Formação Técnica Unidade Vitória da Conquista BA Professor: Philipe do Prado Santos Curso Técnico de Edificações

Leia mais

CASA NO PEIXE GORDO ANÁLISE: CASA NO PEIXE GORDO. Implantação e Partido Formal

CASA NO PEIXE GORDO ANÁLISE: CASA NO PEIXE GORDO. Implantação e Partido Formal CASA NO PEIXE GORDO Local: Peixe Gordo - CE Ano: 2012 Escritório Arquitetos Associados Autoras: Juliana Colombo e Ana Elísia da Costa ANÁLISE: CASA NO PEIXE GORDO Implantação e Partido Formal Localizada

Leia mais

E S TA R S O C I A L PRAÇA MAJOR JOAQUIM DE QUEIROZ

E S TA R S O C I A L PRAÇA MAJOR JOAQUIM DE QUEIROZ E S TA R S O C I A L PRAÇA MAJOR JOAQUIM DE QUEIROZ UFRGS FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO INTRODUÇÃO AO PROJETO ARQUITETÔNICO I LINGUAGENS GRÁFICAS I LUÍSA BERTUOL KOGLER TURMA C 2014/2 A P R E

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA GRANDES VAZIOS URBANOS, GRANDES LOTES, MARCADA PELA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA GRANDES VAZIOS URBANOS, GRANDES LOTES, MARCADA PELA JARDIM CLOSET SUÍTE MASTER ESCRITÓRIO SUÍTE 02 SUÍTE 01 SALA DE TELEVISÃO GARAGEM QUARTO DE HÓSPEDE SALA DE ESTAR/JANTAR SALA DE TELEVISÃO SUÍTE 01 WC SUÍTE 02 WC CLOSET SUÍTE MASTER WC DECK CIRCULAÇÃO

Leia mais

CASA BARRA DO UNA. Figura 2: Declividade do terreno e implantação da Casa Barra do Una SIAA Arquitetos Fonte: RODRIGUES, Web G. P., 2015.

CASA BARRA DO UNA. Figura 2: Declividade do terreno e implantação da Casa Barra do Una SIAA Arquitetos Fonte: RODRIGUES, Web G. P., 2015. CASA BARRA DO UNA Local: Barra do Una - São Sebastião, SP. Ano: 2004 Escritório: SIAA Autores: Web Gabner P. Rodrigues, Wilton Medeiros e Ana Elísia da Costa Implantação e Partido Formal Localizada na

Leia mais

CASA EM TIBAU. Implantação e Partido Formal. Local: Tibau do Sul, RN Ano: Autoras: Brena M. de Oliveira, Cristina Piccoli, Ana Elísia da Costa

CASA EM TIBAU. Implantação e Partido Formal. Local: Tibau do Sul, RN Ano: Autoras: Brena M. de Oliveira, Cristina Piccoli, Ana Elísia da Costa CASA EM TIBAU Local: Tibau do Sul, RN Ano: 2011 Escritório Yuri Vital Autoras: Brena M. de Oliveira, Cristina Piccoli, Ana Elísia da Costa Implantação e Partido Formal A casa em Tibau, também conhecida

Leia mais

estrutura- modulação- espaço

estrutura- modulação- espaço concepção da forma arquitetônica_2. [2012_01] 9 quadrados: estrutura- modulação- espaço O exercício constitui na elaboração de uma composição tridimensional a partir da manipulação de uma estrutura independente

Leia mais

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano

Arte no Brasil Colonial. Arquitetura e urbanismo. 8º ano Arte no Brasil Colonial Arquitetura e urbanismo 8º ano - 2013 A arte no Brasil colonial (1500 a 1808) foi marcada pela forte influência européia. O principal estilo que surge neste período é o BARROCO,

Leia mais

Praça da Liberdade: Uma história de Arquitectura e Urbanismo no Porto

Praça da Liberdade: Uma história de Arquitectura e Urbanismo no Porto Rafael Santos Silva Praça da Liberdade: 1700-1932 Uma história de Arquitectura e Urbanismo no Porto Volume ll Faculdade de Letras da Universidade do Porto Índice Introdução 3 1. Cartografia 4 2. Arquitecturas

Leia mais

DESENHOS QUE COMPÕEM O PROJETO ARQUITETÔNICO

DESENHOS QUE COMPÕEM O PROJETO ARQUITETÔNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE ENGENHARIA NÚCLEO DE EXPRESSÃO GRÁFICA Desenho Arquitetônico UNIDADE 2 DESENHOS QUE COMPÕEM O PROJETO ARQUITETÔNICO DESENHO ARQUITETÔNICO O desenho arquitetônico

Leia mais

TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou

TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou gleba, e o logradouro público. Alvará: Documento que licencia

Leia mais

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES

A ARQUITETURA MODERNA NO BRASIL E SEUS PRINCIPAIS REPRESENTANTES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO Curso: Técnico em Edificações Disciplina: ICCC I Introdução à Construção Civil I Professora:

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico DESENHO ARQUITETÔNICO I O Projeto Arquitetônico O que é um projeto arquitetônico? É uma representação em um plano das projeções de uma edificação. Possui três fases: 1. Fase preliminar - Estudo da viabilidade

Leia mais

Modernismo. Rafaela Fiorini, Francisco Miguez e Tatiana Scholz 2ºA

Modernismo. Rafaela Fiorini, Francisco Miguez e Tatiana Scholz 2ºA Modernismo Rafaela Fiorini, Francisco Miguez e Tatiana Scholz 2ºA O Modernismo Cidade limpa, sintética, funcional e racional; construções como ferramenta social econômica. Negação do ornamento; rejeição

Leia mais

PURP 53 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO AP9 UP2 PARQUE DA CIDADE SARAH KUBITSCHEK ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA

PURP 53 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO AP9 UP2 PARQUE DA CIDADE SARAH KUBITSCHEK ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA AP9 UP2 Folha 1 / 6 AP9 AP9 UP2 UP2 PARQUE DA CIDADE SARAH KUBITSCHEK ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA Folha 2 / 6 VALOR PATRIMONIAL A ATRIBUTOS DE CONFIGURAÇÃO URBANA: TECIDO (MALHA / PARCELAMENTO DO SOLO

Leia mais

Professora: Jordana Costa

Professora: Jordana Costa Professora: Jordana Costa Cartografia Cartografia, segundo a ABNT é definida como: A arte de levantamento, construção e edição de mapas e cartas de qualquer natureza. Função principal: Representar a realidade

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA CROQUIS DO ARQUITETO.

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA CROQUIS DO ARQUITETO. FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA WALDEMAR

Leia mais

RESIDENCIA KS. Implantação e Partido formal

RESIDENCIA KS. Implantação e Partido formal RESIDENCIA KS Local Natal Ano 2012 Escritório Arquitetos Associados Autoras: Ana Elísia da Costa e Luísa Medeiros dos Santos Implantação e Partido formal A Residência KS é uma residência urbana, desenvolvida

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA INTRODUÇÃO A presente memória descritiva e justificativa diz respeito aos projetos-tipo

Leia mais

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS MUNICÍPIO DE MATOSINHOS Câmara Municipal PLANO DE PORMENOR PARA O TERRENO ENTRE A AV. DOS COMBATENTES DA GRANDE GUERRA E A RUA NOGUEIRA PINTO - LEÇA DA PALMEIRA R E G U L A M E N TO NOGUEIRA PINTO LEÇA

Leia mais

AULA - 3. ATELIÊ DE PROJETOS II Código da Disciplina CCE0041 PROJETOS DE REFERÊNCIA.

AULA - 3. ATELIÊ DE PROJETOS II Código da Disciplina CCE0041 PROJETOS DE REFERÊNCIA. ATELIÊ DE PROJETOS II Código da Disciplina CCE0041 PROJETOS DE REFERÊNCIA. AULA - 3 e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ CATHEDRAL FOLD ATELIÊ DE PROJETOS - II Localização:

Leia mais

CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS. 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais

CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS. 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais Elementos Estruturais 64 CAPÍTULO 4 4. ELEMENTOS ESTRUTURAIS 4.1 Classificação Geométrica dos Elementos Estruturais Neste item apresenta-se uma classificação dos elementos estruturais com base na geometria

Leia mais

RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR FLEXÍVEL

RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR FLEXÍVEL RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR FLEXÍVEL DUNA: RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR FLEXÍVEL Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN Centro de Tecnologia CT Curso de Arquitetura e Urbanismo CAU Trabalho Final

Leia mais

ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA (a partir de 1944)

ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA (a partir de 1944) ARQUITETURA MODERNA BRASILEIRA (a partir de 1944) Lúcio Costa e Oscar Niemeyer TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA IV Profa. Dra. Deusa Maria R. Boaventura Profa. Isabela Ferrante A ARQUITETURA DE OSCAR NIEMEYER

Leia mais

Figura 1: Implantação Casa Cafezal FGMF. Fonte: Banco de dados LPPM, 2014.

Figura 1: Implantação Casa Cafezal FGMF. Fonte: Banco de dados LPPM, 2014. CASA CAFEZAL Local Campinas - SP Ano 2011/2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e Partido Formal A casa, localizada em um condomínio fechado na cidade de Campinas/SP,

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO.

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. Artigo 1º Aplicação 1. O presente Plano de Pormenor, adiante designado

Leia mais

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40;

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40; ALTERAÇÃO AO LOTEAMENTO URBANO DA ÁREA DA CERÂMICA DE MORTÁGUA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA A proposta de alteração ao Loteamento que se apresenta surge na sequência da modificação das condições

Leia mais

LEGISLAÇÃO URBANA DE JUIZ DE FORA

LEGISLAÇÃO URBANA DE JUIZ DE FORA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL LEGISLAÇÃO URBANA DE JUIZ DE FORA Prof. Ms.

Leia mais

DESENHO URBANO. Fonte: Profa. Eloisa Dezen-Kempter. Profª Elizabeth Correia. Prof. Fernando Luiz Antunes Guedes. Fonte: Profa. Eloisa Dezen-Kempter

DESENHO URBANO. Fonte: Profa. Eloisa Dezen-Kempter. Profª Elizabeth Correia. Prof. Fernando Luiz Antunes Guedes. Fonte: Profa. Eloisa Dezen-Kempter DESENHO URBANO 2016 Profª Elizabeth Correia Prof. Fernando Luiz Antunes Guedes Fonte: Profa. Eloisa Dezen-Kempter Fonte: Profa. Eloisa Dezen-Kempter conceito Disciplina que trata da dimensão físico-ambiental

Leia mais

LE CORBUSIER Conceitos, importância e principais obras

LE CORBUSIER Conceitos, importância e principais obras LE CORBUSIER Conceitos, importância e principais obras Foto de Le Corbusier SUMÁRIO 1-Dados pessoais 2-Conceitos do arquiteto 3-Importância Cinco pontos da nova arquitetura 4- Principais obras 5-Conclusão

Leia mais

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira rcastro@agro.ufg.br NOÇÕES DE DESENHO ARQUITETÔNICO 1. CONCEITO: (...) a representação de um projeto. Desenho arquitetônico consiste na representação geométrica das diferentes

Leia mais

Poluição Visual. SMAM Equipe de Controle e Combate à Poluição Visual

Poluição Visual. SMAM Equipe de Controle e Combate à Poluição Visual Poluição Visual SMAM Equipe de Controle e Combate à Poluição Visual Paisagem Urbana É o Bem Público resultante da contínua e dinâmica interação entre os elementos naturais, edificados ou criados e o próprio

Leia mais

AULA 1 INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DA ARQUITETURA EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

AULA 1 INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DA ARQUITETURA EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AULA 1 INTRODUÇÃO URBANISMO_ 2015 EDI 64 ARQUITETURA E U FUNDAMENTOS DA ARQUITETURA Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille APRESENTAÇÃO: Professora Alunos Plano Disciplina e Avaliação Material (escalímetro,

Leia mais

situação e ambiência códice AII-F01-PA denominação Fazenda Pau Grande localização Rodovia RJ 125 Estrada Paty do Alferes, Km-11 Distrito de Avelar

situação e ambiência códice AII-F01-PA denominação Fazenda Pau Grande localização Rodovia RJ 125 Estrada Paty do Alferes, Km-11 Distrito de Avelar Parceria: denominação Fazenda Pau Grande códice AII-F01-PA localização Rodovia RJ 125 Estrada Paty do Alferes, Km-11 Distrito de Avelar município Paty do Alferes época de construção século XVIII estado

Leia mais

HTAU I Projetos Arquitetônicos 01 Conjunto Nacional David Libeskind Panta do pavimento térreo Fonte: Luciana Tombi Brasil

HTAU I Projetos Arquitetônicos 01 Conjunto Nacional David Libeskind Panta do pavimento térreo Fonte: Luciana Tombi Brasil Conjunto Nacional David Libeskind 1954 Panta do pavimento térreo Fonte: Luciana Tombi Brasil Conjunto Nacional David Libeskind 1954 Corte Transversal Conjunto Nacional David Libeskind 1954 nbjolpuc.wordpress.com

Leia mais

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB AP 10 UP 8 Folha 1 / 6 AP 10 UP 8 Folha 2 / 6 DISPOSITIVOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO VALOR PATRIMONIAL PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO A ATRIBUTOS DE CONFIGURAÇÃO URBANA: TECIDO (MALHA

Leia mais

o patrimônio urbano e o desenvolvimento da cidade

o patrimônio urbano e o desenvolvimento da cidade 121 o patrimônio urbano e o desenvolvimento da cidade estudo de caso: subprefeitura da lapa maria lucia bressan pinheiro agnes helena chiuratto objetivo 122 Tentar conciliar a preservação do patrimônio

Leia mais

DECRETO Nº DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015

DECRETO Nº DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015 DECRETO Nº 39748 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2015 Determina o tombamento definitivo do edifício que abrigou o Colégio Arte e Instrução, situado na Avenida Ernani Cardoso, nºs 225, 229, 233 e 237,Cascadura XV

Leia mais

ATELIÊ DE PROJETO I CCE0004

ATELIÊ DE PROJETO I CCE0004 ATELIÊ DE PROJETO I CCE0004 Prof. Aline Cancela anc.estacio@gmail.com A.01 APRESENTAÇÃO EMENTA Introdução à arquitetura: projeto e pesquisa; Conceitos fundamentais do projeto arquitetônico; Elaboração

Leia mais

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL ESPAÇO URBANO: vias de circulação (hierarquias)

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA COORDENAÇÃO DA MEMÓRIA CULTURAL EQUIPE DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL

SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA COORDENAÇÃO DA MEMÓRIA CULTURAL EQUIPE DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL CRITÉRIOS E DIRETRIZES PARA INSTALAÇÃO DE VEÍCULOS DE DIVULGAÇÃO EM IMÓVEIS TOMBADOS, INVENTARIADOS E LOCALIZADOS EM ÁREAS ESPECIAIS DE INTERESSE CULTURAL JUSTIFICATIVA Objetivando estabelecer critérios

Leia mais

Albergue da Juventude Cidade Baixa Passeio Arena Cidade Baixa Clarissa Correa de Oliveira IMPLANTAÇÃO MAQUETE FÍSICA

Albergue da Juventude Cidade Baixa Passeio Arena Cidade Baixa Clarissa Correa de Oliveira IMPLANTAÇÃO MAQUETE FÍSICA Um novo conceito em Hospitalidade Urbana Albergue da Juventude Cidade Baixa Passeio Arena Cidade Baixa Clarissa Correa de Oliveira O presente trabalho propõe um ideal albergue da juventude para a cidade

Leia mais

CASA LP. Implantação e Partido Formal. Local: São Paulo Ano: 2012 Escritório: METRO Arquitetos Associados Autoria: Mariana Samurio

CASA LP. Implantação e Partido Formal. Local: São Paulo Ano: 2012 Escritório: METRO Arquitetos Associados Autoria: Mariana Samurio CASA LP Local: São Paulo Ano: 2012 Escritório: METRO Arquitetos Associados Autoria: Mariana Samurio Implantação e Partido Formal A casa LP está localizada na cidade de São Paulo e possui um caráter urbano,

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO GABARITO DISCURSIVA- COMPONENTE ESPECÍFICO ARQUITETURA E URBANISMO QUESTÃO 28 O edifício administrativo da Larkin, projetado por Frank Lloyd Wright em 1904, e o edifício administrativo da Seagram, projetado

Leia mais

Conforto Ambiental 3 - Iluminação. Arquitetura é o jogo correto e magnífico das formas sob a luz»aar Le Corbusier (1940)

Conforto Ambiental 3 - Iluminação. Arquitetura é o jogo correto e magnífico das formas sob a luz»aar Le Corbusier (1940) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA Conforto Ambiental 3 - Iluminação Arquitetura é o jogo correto e magnífico das formas sob a luz»aar Le Corbusier

Leia mais

AULA 3. (Continuação) Parte II EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

AULA 3. (Continuação) Parte II EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AULA 3 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA URBANISMO_ 2015 EDI 64 ARQUITETURA E U (Continuação) Parte II Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille ESQUADRIAS/ABERTURAS PORTAS Representar a(s) folha(s) da esquadria procurando

Leia mais

DESENHO BÁSICO AULA 01. Desenho Técnico. Desenho. História do Desenho Técnico. Desenho Artístico Desenho Técnico

DESENHO BÁSICO AULA 01. Desenho Técnico. Desenho. História do Desenho Técnico. Desenho Artístico Desenho Técnico desenho de planta-baixa DESENHO BÁSICO AULA 01 Introdução ao Desenho Técnico Desenho Desenho Artístico Desenho Técnico Desenho Técnico Ramos do Desenho Técnico Mecânico Desenho Não-Projetivo: peças máquinas

Leia mais

CASA PARA UM CASAL SEM FILHOS

CASA PARA UM CASAL SEM FILHOS CASA PARA UM CASAL SEM FILHOS FUNCIONAL CIRCULAÇÃO E ACESSOS IDENTIFICAR COMO AS RELAÇÕES DE ACESSO E CIRCULAÇÃO OCORREM NO INTERIOR DO LOTE, IDENTIFICAR O(S) ACESSO(S) EXTERIOR - INTERIOR E A COMO SE

Leia mais

Oficina QUAPÁ-SEL Euro-ELECS

Oficina QUAPÁ-SEL Euro-ELECS Oficina QUAPÁ-SEL Euro-ELECS Projeto Temático Os sistemas de espaços livres na constituição da forma urbana contemporânea no Brasil: produção e apropriação QUAPÁ-SEL Temas e atividades de trabalho das

Leia mais

Requisitos gerais para a ocupação do espaço público com suporte publicitário/mobiliário urbano

Requisitos gerais para a ocupação do espaço público com suporte publicitário/mobiliário urbano Requisitos gerais para a ocupação do espaço público com suporte publicitário/mobiliário urbano Permite a instalação de um equipamento com inscrição de mensagens publicitárias de natureza comercial, sem

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

AULA - 3. ATELIÊ DE PROJETOS II Código da Disciplina CCE0041 PROJETOS DE REFERÊNCIA.

AULA - 3. ATELIÊ DE PROJETOS II Código da Disciplina CCE0041 PROJETOS DE REFERÊNCIA. ATELIÊ DE PROJETOS II Código da Disciplina CCE0041 PROJETOS DE REFERÊNCIA. AULA - 3 e-mail: prof.clelia.fic@gmail.com http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Prêmio Architizer (2014) ATELIÊ DE PROJETOS -

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA DIRETORIA DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL

ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA DIRETORIA DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL PARECER TÉCNICO Nº35/14-GEPET ASSUNTO: Vistoria realizada no edifício do Mercado Público Municipal de Lages - SC REQUERENTE: Fundação Cultural de Lages Data: 17/06/14 O presente Parecer Técnico refere-se

Leia mais

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 3 II. LOCALIZAÇÃO 3 III. ENQUADRAMENTO PDM 3 VII. CEDÊNCIAS E INFRAESTRUTURAS 3 V. PROPOSTA 3 VI. ÍNDICES URBANÍSTICOS 4 VII.

Leia mais

Museu de História de Ningbo, China

Museu de História de Ningbo, China Museu de História de Ningbo, China Fendas nos espaços internos e terraços externos oferecem vistas da cidade, dos campos de arroz e do relevo do entorno. Em um distrito da cidade de Ningbo, na China, funciona

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA ESQUADRIAS/PANOS

Leia mais

SÃO SILVESTRE DE LISBOA

SÃO SILVESTRE DE LISBOA PRESSUPOSTOS A medição da São Silvestre de Lisboa teve por base os seguintes pressupostos: Durante a competição os atletas não podem utilizar os passeios e/ou zonas para estacionamento de viaturas, se

Leia mais

PDM Lisboa Revisão do PDM HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: Rede. vias arteriais. Rede estruturante (1º nível) Primária ou Fundamental.

PDM Lisboa Revisão do PDM HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: Rede. vias arteriais. Rede estruturante (1º nível) Primária ou Fundamental. HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: PDM Lisboa 1994 Revisão do PDM Rede Primária ou Fundamental vias arteriais vias principais Rede estruturante (1º nível) Rede de Distribuição Principal (2º nível) Rede Secundária

Leia mais

ÁGORAS GREGAS FÓRUNS ROMANOS PIAZZE ITALIANAS PLACES ROYALES FRANCESAS PLAZAS MAYORES ESPANHOLAS SQUARES INGLESAS

ÁGORAS GREGAS FÓRUNS ROMANOS PIAZZE ITALIANAS PLACES ROYALES FRANCESAS PLAZAS MAYORES ESPANHOLAS SQUARES INGLESAS Evolução e Projeto ÁGORAS GREGAS FÓRUNS ROMANOS PIAZZE ITALIANAS PLACES ROYALES FRANCESAS PLAZAS MAYORES ESPANHOLAS SQUARES INGLESAS A PRAÇA COMO ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA E LAZER DOS HABITANTES URBANOS. Ágora

Leia mais

Figura 1: Implantação da Casa das Pérgolas Deslizantes FGMF Fonte: Revista Monolito, 21ª edição, ano 2014

Figura 1: Implantação da Casa das Pérgolas Deslizantes FGMF Fonte: Revista Monolito, 21ª edição, ano 2014 CASA DAS PÉRGOLAS DESLIZANTES Local Bauru Ano 2012-14 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e Partido Formal A casa das Pérgolas Deslizantes é uma residência unifamiliar

Leia mais

Procedimentos. de projetos

Procedimentos. de projetos Procedimentos para aprovação de projetos 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo

Leia mais

Pedido de Colocação de Publicidade

Pedido de Colocação de Publicidade Exmo. Sr. Presidente Câmara Municipal de Valença Identificação do Requerente Nome/Designação Morada/Sede em, concelho de, Código Postal C:C. Nº válido NIF, Telefone,Telemóvel Email. Autoriza o envio de

Leia mais

LEGISLAÇÃO URBANA DE JUIZ DE FORA

LEGISLAÇÃO URBANA DE JUIZ DE FORA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE URBANISMO - ENGENHARIA CIVIL LEGISLAÇÃO URBANA DE JUIZ DE FORA Prof. Ms.

Leia mais

SEMINÁRIO DA DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO IAU_USP Prefeitura Municipal de Araraquara Secretaria da Cultura Coordenadoria Executiva de Acervos e

SEMINÁRIO DA DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO IAU_USP Prefeitura Municipal de Araraquara Secretaria da Cultura Coordenadoria Executiva de Acervos e SEMINÁRIO DA DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO IAU_USP Prefeitura Municipal de Araraquara Secretaria da Cultura Coordenadoria Executiva de Acervos e Patrimônio Histórico Juliana Oliveira_8503221 Levantamento

Leia mais

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia Representação Desenho Arquitetônico Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia OS ELEMENTOS DO DESENHO ARQUITETÔNICO Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais,

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRA4003 EDITAL Nº 006/2010 1. Perfil: AL CORUMBÁ II 2010 3. Qualificação educacional: Profissional com nível superior em Arquitetura e Urbanismo 4. Experiência

Leia mais

Centro Universitário Estácio/FIC Curso de Arquitetura e Urbanismo Unidade Via Corpvs

Centro Universitário Estácio/FIC Curso de Arquitetura e Urbanismo Unidade Via Corpvs Centro Universitário Estácio/FIC Curso de Arquitetura e Urbanismo Unidade Via Corpvs Disciplina: HISTÓRIA DA ARTE E DA ARQUITETURA III - CCE0894 Carga horária: 40h/a Semestre/ano: 2016.2 Profa.: Larissa

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo INTRODUÇÃO PLANEJAMENTO URBANO é um campo do conhecimento auxiliado por várias disciplinas como: Geografia,

Leia mais

Aldeia de Banrezes Levantamento do Existente 1 / USO 1.1. original 1.2. actual 2. TIPOLOGIA

Aldeia de Banrezes Levantamento do Existente 1 / USO 1.1. original 1.2. actual 2. TIPOLOGIA Aldeia de Banrezes Levantamento do Existente 1 / 6 Edificação 1 N Vias Caminhos de terra batida Curso de Água Planta de Localização Escala 1:5000 1. USO 1.1. original habitação 1.2. actual armazém 2. TIPOLOGIA

Leia mais

Universidade Fernando Pessoa Curso de Arquitectura e Urbanismo

Universidade Fernando Pessoa Curso de Arquitectura e Urbanismo Universidade Fernando Pessoa Curso de Arquitectura e Urbanismo COMPOSIÇÃO II TRABALHO I alzira frade unta unicipal Biblioteca ábalos & herreros, projectaram edifício (1995-2002),biblioteca de Usera- Madrid,

Leia mais

RUÍNAS DA MEMÓRIA Coleção André Luiz Joanilho BR PRNDPH ALJ.FT. Arranjo, Descrição e Produção: Laureci Silvana Cardoso

RUÍNAS DA MEMÓRIA Coleção André Luiz Joanilho BR PRNDPH ALJ.FT. Arranjo, Descrição e Produção: Laureci Silvana Cardoso 0008 RUÍNAS DA MEMÓRIA Coleção André Luiz Joanilho BR PRNDPH ALJ.FT Arranjo, Descrição e Produção: Laureci Silvana Cardoso RUÍNAS DA MEMÓRIA Do esquecimento quase não se fala, afinal, é esquecimento. É

Leia mais

I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU

I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU PROVA BA 2º SEMESTRE AU I - Prova BA Turmas do 2º Semestre: Avaliação sobre conteúdos do 1º Semestre AM2AU, BM2AU, CM2AU, AT2AU, AN2AU e BN2AU Projeto de Arquitetura e Urbanismo I 1. Espaço Público e Espaço

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA RUI CARNEIRO, DE GRANDE FLUXO.

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA RUI CARNEIRO, DE GRANDE FLUXO. AVENIDA RUY CARNEIRO PARÂMETRO DESCRIÇÃO IMAGEM SÍNTESE FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES

Leia mais

CASA ATELIER. Implantação e Partido Formal. Local Itanhangá, Rio de Janeiro Ano 2002 Escritório Carla Juaçaba Arquitetura

CASA ATELIER. Implantação e Partido Formal. Local Itanhangá, Rio de Janeiro Ano 2002 Escritório Carla Juaçaba Arquitetura CASA ATELIER Local Itanhangá, Rio de Janeiro Ano 2002 Escritório Carla Juaçaba Arquitetura Implantação e Partido Formal A Casa Atelier, idealizada por Carla Juaçaba juntamente com Mário Fraga, é um refúgio

Leia mais

Aula 3 : Desenho Arquitetônico

Aula 3 : Desenho Arquitetônico Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IADB79 - Desenho Técnico Aplicado à Engenharia Civil Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 3 : Desenho Arquitetônico Introdução:

Leia mais

UNI FIAM FAAM INTRODUÇÃO AO PROJETO DE URBANISMO

UNI FIAM FAAM INTRODUÇÃO AO PROJETO DE URBANISMO UNI FIAM FAAM INTRODUÇÃO AO PROJETO DE URBANISMO INTRODUÇÃO AO PROJETO DE URBANISMO Professores: Helena e Ana Cecília 2 semestre 2010 turma: 018 102 A08 Daniele Tavares RA: 4221679 Renata Pereira RA: 5386069

Leia mais

Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design ( ) professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design ( ) professor Rafael Hoffmann Conteúdo 5 - Design Gráfico Brasileiro O design antes do design (1808-1950) professor Rafael Hoffmann (...) uma cultura visual distintamente brasileira entrelaçada com os estilos internacionais do final

Leia mais

FICHA DE INVENTÁRIO. 1.IDENTIFICAÇÃO Designação- Imóvel Local/Endereço- Beco da Anarda, nº1 Freguesia- Sé Nova Concelho- Coimbra Distrito- Coimbra

FICHA DE INVENTÁRIO. 1.IDENTIFICAÇÃO Designação- Imóvel Local/Endereço- Beco da Anarda, nº1 Freguesia- Sé Nova Concelho- Coimbra Distrito- Coimbra .IDENTIFICAÇÃO Local/Endereço- Beco da Anarda, nº FICHA DE INVENTÁRIO Enquadramento O Beco da Anarda constitui uma ruela estreita, muito íngreme, que liga o Largo da Matemática à Rua Dr. João Jacintho.

Leia mais

RERRATIFICAÇÃO DO POLÍGONO DE TOMBAMENTO DO MUNICÍPIO DE OLINDA E SEU ENTORNO Nº 1155/79.

RERRATIFICAÇÃO DO POLÍGONO DE TOMBAMENTO DO MUNICÍPIO DE OLINDA E SEU ENTORNO Nº 1155/79. RERRATIFICAÇÃO DO POLÍGONO DE TOMBAMENTO DO MUNICÍPIO DE OLINDA E SEU ENTORNO Nº 1155/79. Elaborada pelo Escritório Técnico de Olinda da 4ª DR/SPHAN/Pró-Memória e pela Fundação Centro de Preservação dos

Leia mais

PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE MAFRA ANEXO III FICHAS DE PROJETO PARA A ARU MAIO 2016

PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE MAFRA ANEXO III FICHAS DE PROJETO PARA A ARU MAIO 2016 PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ARU DE MAFRA Maio 2016 PROGRAMA ESTRATÉGICO DE REABILITAÇÃO URBANA DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE MAFRA ANEXO III FICHAS DE PROJETO PARA A ARU MAIO 2016

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA CASA FATIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de

Leia mais

SEM O EXCESSO DE COMUNICAÇÃO NA CIDADE, ALÉM DE RUAS MAIS AGRADÁVEIS, O SEU NEGÓCIO VAI APARECER.

SEM O EXCESSO DE COMUNICAÇÃO NA CIDADE, ALÉM DE RUAS MAIS AGRADÁVEIS, O SEU NEGÓCIO VAI APARECER. SEM O EXCESSO DE COMUNICAÇÃO NA CIDADE, ALÉM DE RUAS MAIS AGRADÁVEIS, O SEU NEGÓCIO VAI APARECER. Mogi das Cruzes chega aos seus 450 anos com um jeito de cidade antiga, aconchegante, mas com a força e

Leia mais

PASSEIOS PÚBLICOS: CUIDADOS NA CONSTRUÇÃO E PAVIMENTAÇÃO 1

PASSEIOS PÚBLICOS: CUIDADOS NA CONSTRUÇÃO E PAVIMENTAÇÃO 1 PASSEIOS PÚBLICOS: CUIDADOS NA CONSTRUÇÃO E PAVIMENTAÇÃO 1 Júlia Regina Magni 2, Bruna Thays Uhde 3, Tarcisio Dorn De Oliveira 4. 1 Trabalho desenvolvido na disciplina de Urbanismo do curso de Engenharia

Leia mais

Análise Territorial do Conjunto Habitacional do Monte Verde Florianópolis - SC

Análise Territorial do Conjunto Habitacional do Monte Verde Florianópolis - SC Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Arquitetura e Urbanismo Disciplina : Teoria Urbana Acadêmicas: Ana Luiza Tomasi, Natália Moneró, Greice Merin Moresco, Thiele Londero. Análise Territorial

Leia mais

Ana Sofia Ferreira Ribeiro

Ana Sofia Ferreira Ribeiro Ana Sofia Ferreira Ribeiro Património Vernacular Construído O beiral, o espigueiro e a eira: formas, usos e contextos Catálogo Dissertação realizada no âmbito do Mestrado em História da Arte Portuguesa

Leia mais

1º TRABALHO CURRICULAR PROJECTO DE UMA MORADIA UNIFAMILIAR CASA HORIZONTAL -ESTUDO PRELIMINAR- ESTUDO DA ÁREA ENVOLVENTE DO TERRENO PROPOSTO

1º TRABALHO CURRICULAR PROJECTO DE UMA MORADIA UNIFAMILIAR CASA HORIZONTAL -ESTUDO PRELIMINAR- ESTUDO DA ÁREA ENVOLVENTE DO TERRENO PROPOSTO 1º TRABALHO CURRICULAR PROJECTO DE UMA MORADIA UNIFAMILIAR CASA HORIZONTAL -ESTUDO PRELIMINAR- ESTUDO DA ÁREA ENVOLVENTE DO TERRENO PROPOSTO COQUEIROS LUANDA - ANGOLA LOCALIZAÇÃO LOCALIZAÇÃO LUANDA LOCALIZAÇÃO

Leia mais

MUNICIPIO DE BRAGANÇA

MUNICIPIO DE BRAGANÇA MUNICIPIO DE BRAGANÇA Concessão de Licença/Autorização de Publicidade Caso o requerente pretenda requerer o licenciamento da publicidade, terá que formalizar o pedido com a Câmara Municipal de Bragança.

Leia mais

AGENDA MUNICIPAL CULTURA DESPORTO LAZER OUTUBRO 2015

AGENDA MUNICIPAL CULTURA DESPORTO LAZER OUTUBRO 2015 AGENDA MUNICIPAL CULTURA DESPORTO LAZER OUTUBRO 2015 Para receber a Agenda Municipal em formato digital no seu correio electrónico, ou receber informações no telemóvel dos espetáculos que irão decorrer,

Leia mais

USP/SRF/GIM Gestão de Imóveis. Av. D. João II, lote º Parque das Nações Lisboa

USP/SRF/GIM Gestão de Imóveis. Av. D. João II, lote º Parque das Nações Lisboa Av. D. João II, lote 1.12.03 8º Parque das Nações 1999-001 Lisboa +351 210471516 ESPAÇO COMERCIAL MONTE BURGOS (MATOSINHOS) RUA ANTÓNIO RAMALHO Espaço Comercial, Rua António Ramalho - Monte Burgos (Matosinhos)

Leia mais

AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO

AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO Folha 1/3 Nome do Arquivo: 1. OBJETIVOS Estabelecer sistemática de aprovação de projetos para que se enquadrem nas normas estabelecidas, dentro do Regulamento Interno e Restrições Urbanísticas (Cap. VIII

Leia mais

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a).

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Anexo A 96 DIRECTIVIDADE ATRATIVIDADE CONFORTO COERÊNCIA SEGURANÇA Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Nível de segurança social do entorno

Leia mais

THEATRO BERNARDO GUIMARÃES

THEATRO BERNARDO GUIMARÃES THEATRO BERNARDO GUIMARÃES Localizado na Avenida Dr. Américo Luz, n.º 143, está o Theatro Bernardo Guimarães que foi construído no final do século passado, por volta de 1.890, data aproximada, uma vez

Leia mais

2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas

2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas 2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas Fazemos leitura espacial quase todo o tempo! Seja quando estamos parados ou quando nos movimentamos. Nosso olho observa e analisa tudo que vemos

Leia mais