Cartilha de Campanha:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cartilha de Campanha:"

Transcrição

1 Cartilha de Campanha: Segunda Edição

2 PRAZO DAS CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS: De 20 de julho a 5 de agosto. QUANTIDADE DE CANDIDATOS A VEREADOR: REGRA GERAL Partidos e coligações podem registrar até 150% do número de vagas. EXCEÇÃO Municípios com até 100 mil habitantes podem inscrever 200% do número de vagas. LIMITE DE GASTOS DEFINIDO PELO TSE: O TSE definiu limites de gastos para todos os municípios brasileiros, para os candidatos a prefeito e vereador. O limite mínimo, válido para municípios com até dez mil eleitores, é de R$ ,00 (cem mil reais) para prefeito e de R$10.000,00 (para vereador). O candidato poderá usar recursos próprios até o limite de gastos definido pelo TSE, desde que tenha patrimônio para tanto. AS DOAÇÕES DE PESSOAS JURÍDICAS A PARTIDO, COLIGAÇÃO OU CANDIDATO ESTÃO PROIBIDAS E AS PESSOAS FÍSICAS SÓ PODEM DOAR ATÉ O LIMITE DE 10% DOS SEUS RENDIMENTOS BRUTOS DO ANO ANTERIOR. TRATANDO-SE DE PESSOA ISENTA, O VALOR MÁXIMO DE DOAÇÃO ELEITORAL SERÁ DE R$2.812,39, DOIS MIL E OITOCENTOS E DOZE REAIS E TRINTA E NOVE CENTAVOS. O CANDIDATO PODERÁ RECEBER DOAÇÃO ESTIMÁVEL EM DINHEIRO DE PESSOAS FÍSICAS, CONSISTENTE NA UTILIZAÇÃO DE BENS MÓVEIS OU IMÓVEIS DE PROPRIEDADE DO DOADOR, ATÉ O VALOR DE R$80.000,00 (OITENTA MIL REAIS), SEM INCIDIR NO LIMITE DE DOAÇÃO DE 10% SOBRE O RENDIMENTO BRUTO DO ANO ANTERIOR. REGISTRO DAS CANDIDATURAS: De a É importante obter os documentos indispensáveis ao registro com certa antecedência e verificar possíveis pendências, inclusive quanto a multas eleitorais não quitadas, a contas de campanhas anteriores não prestadas e a contas de gestão reprovadas. 1

3 SUBSTITUIÇÃO DE CANDIDATO CONSIDERADO INELEGÍVEL: Estão proibidas as substituições de última hora de candidatos considerados inelegíveis pela Justiça Eleitoral. O último dia para a substituição, ressalvada a substituição posterior apenas em caso de morte, é o dia A decisão da Justiça Eleitoral que indeferir o registro, cassar o diploma ou o mandato de candidato eleito em pleito majoritário enseja a realização de novas eleições, após seu trânsito em julgado, independentemente do percentual de votos anulados. A PROPAGANDA ELEITORAL SÓ É PERMITIDA A PARTIR DE 16 DE AGOSTO: Antes da obtenção do CNPJ, da abertura de conta corrente e da arrecadação de recursos financeiros de campanha não é possível a realização de gastos. Estratégias de marketing, tais como elaboração de logomarcas, símbolos, slogans e materiais de campanha só podem ser contratadas após a obtenção dos recursos financeiros e seu devido trânsito pela conta corrente de campanha. Embora as possibilidades na pré-campanha sejam amplas (pode o précandidato: pedir apoio; dizer que é pré-candidato, o que fez de bom no passado e o que pretende fazer no futuro), os gastos na pré-campanha devem ser baixos e custeados preferencialmente pelos partidos. NÃO TEM SENTIDO ALGUM LIMITAR GASTOS NA CAMPANHA E LIBERAR QUALQUER VOLUME DE GASTOS NA PRÉ- CAMPANHA. A pré-campanha deve ser barata e veiculada por mecanismo de baixo custo, como redes sociais e internet, por exemplo. Abusos do poder econômico e dos meios de comunicação social, como utilização indiscriminada de outdoors, serão punidos pela Justiça Eleitoral. ABUSO DO PODER RELIGIOSO: Nessa eleição a Justiça Eleitoral ficará bastante atenta ao abuso do poder religioso, que consiste em convencer o eleitorado a votar em um determinado candidato por ser ele o escolhido de Deus. Configura esse abuso a exploração do medo, da superstição e da religião dos eleitores para beneficiar partido, coligação ou candidato. Dizer que se não votar em determinado candidato o eleitor vai para o inferno é ilegal (pode ser entendido como coação). 2

4 Os templos religiosos são locais de uso comum, nos quais a lei veda a propaganda eleitoral. Os líderes religiosos, enquanto cidadãos, podem apoiar os candidatos que bem entenderem, mas não podem colocar a máquina administrativa da igreja (recursos financeiros, sedes, colaboradores e veículos) a serviço dos candidatos. PRESTAÇÕES DE CONTAS PELOS PRÓPRIOS CANDIDATOS: É o próprio candidato quem deve prestar suas contas de campanha, tanto na eleição para prefeito quanto na eleição para vereador. Recomenda-se o acompanhamento dessas contas por um contador qualificado, mas o responsável direto será o candidato. As prestações de contas dos candidatos a prefeito deverão ser acompanhadas dos extratos das contas bancárias referentes à movimentação dos recursos financeiros usados na campanha e da relação dos cheques recebidos. As doações em dinheiro, recebidas nas campanhas eleitorais, devem ser informadas no site da Justiça Eleitoral em até 72 horas do seu recebimento. Os partidos, as coligações e os candidatos devem, no dia 15 de setembro, apresentar no mesmo site relatório discriminando as transferências do fundo partidário, os recursos em dinheiro e os estimáveis em dinheiro recebidos, bem como os gastos realizados. SISTEMA SIMPLIFICADO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS: As prestações de contas que apresentarem movimentação financeira máxima de R$20.000,00 poderão ser na forma simplificada. CONDUTAS VEDADAS AOS AGENTES PÚBLICOS: Os agentes públicos não devem prevalecer de seus cargos para alavancar campanhas eleitorais. Não podem utilizar os recursos das Prefeituras e Câmaras Municipais, como funcionários, imóveis e veículos a serviço das campanhas eleitorais. Programas sociais não podem ser implementados, significativamente modificados ou ampliados em ano eleitoral. Deve ser respeitada a impessoalidade na propaganda institucional dos órgãos públicos especialmente no ano eleitoral. Os agentes públicos não podem capitanear as ações sociais do poder público para o candidato. Deve haver clara separação entre a campanha e a atuação de mandato do candidato. 3

5 DATAS RELEVANTES data a partir da qual é vedado fazer na circunscrição do pleito revisão geral da remuneração dos servidores públicos, que exceda a recomposição da perda verificada nesse ano; data a partir da qual é vedado aos agentes públicos realizar publicidade institucional dos órgãos públicos, ressalvada a publicidade de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado e os casos de grave e urgente necessidade pública reconhecida pela Justiça Eleitoral (os sites de internet devem manter apenas os serviços voltados aos cidadãos e as publicações dos atos oficias); as placas de obras públicas devem ser retiradas; só poderão ser publicados os atos oficiais; data a partir da qual é vedado a qualquer candidato comparecer a inaugurações de obras públicas (vale para TODOS os candidatos). Consulte os limites de gastos e as cartilhas completas no nosso site Mais de quatro décadas dedicadas ao estudo do Direito Eleitoral. Alberto Rollo Advogados Associados foi fundado por Alberto Rollo no ano de 1969, após ter ele atuado enquanto funcionário da Justiça Eleitoral junto ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo. Alberto Rollo é um dos pioneiros na advocacia eleitoral paulista e brasileira e levou Alberto Rollo Advogados Associados a ser reconhecido como um dos principais escritórios de advocacia do Brasil especializados na área do Direito Eleitoral, constituído por profissionais estudiosos dos grandes temas desse ramo do direito. Todos os sócios do escritório têm, pelo menos, mais de vinte anos de experiência no direito eleitoral. São doutrinadores do direito eleitoral, com mais de dez obras publicadas e reconhecidas nesse ramo do direito, além de professores e articulistas. São palestrantes que já ministraram cursos em todo o Brasil e advogados com larga experiência em campanhas eleitorais, principalmente na prevenção de problemas nas campanhas e na identificação de irregularidades nas campanhas dos adversários, com a adoção das providências cabíveis. 4

6 Como resultado desse trabalho, nossos advogados são treinados para tomar decisões inteligentes, ágeis e seguras, sempre de acordo com os mais altos padrões éticos, técnicos e de qualidade. Com sede na Vila Mariana em São Paulo, Alberto Rollo Advogados Associados também conta com colaboradores em Brasília e em diversas cidades do interior paulista. A excelência e originalidade dos serviços prestados levou o escritório a uma posição de destaque em território nacional. João Fernando Lopes de Carvalho Inscrito nos quadros da OAB-SP sob n , em Mestre em direito constitucional pela PUC-SP. Professor de direito constitucional e eleitoral. Alberto Luis Mendonça Rollo Inscrito nos quadros da OAB-SP sob n , em Mestre em direito constitucional pela PUC-SP. Professor de direito constitucional e eleitoral da Universidade Mackenzie. Arthur Luis Mendonça Rollo Inscrito nos quadros da OAB-SP sob n , em Doutor e mestre em direitos difusos e coletivos pela PUC-SP. Professor de direitos difusos e coletivos na Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo e de direito eleitoral. 5

7 SOBRE A CARTILHA: ESSA OBRA INTELECTUAL É PROTEGIDA PELA LEI 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998, AUTORIZADA APENAS A SUA REPRODUÇÃO INTEGRAL. 6

8

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 Dr. Felipe Ferreira Lima Diretor do Instituto Egídio Ferreira Lima 1. Introdução: O debate sobre a Reforma Política no Brasil 2. Registro de Candidatura

Leia mais

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral 2012/2014 2016 20/07 a 05/08 Data das Convenções Partidárias 10/06 a 30/06 (Art. 8º da Lei nº. 9.504/97 e 93, 2º da Lei 4.737/65) Prazo de filiação partidária Comunicação de desfiliação partidária Janela

Leia mais

LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE

LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE 6 de agosto de 2014 LUCIENI PEREIRA AUDITORA DO TCU PRESIDENTE DA ANTC ENTIDADE DA REDE MCCE Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral: Conquistas e Desafios para Eleições Limpas PROJETO DE LEI 6.316,

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 1. PRAZOS ELEITORAIS PARA OS PARTIDOS: 1.1 ESCOLHA DOS CANDIDATOS: 20.07.2016 a 05.08.2016 (Lei nº 9.504/1997, art. 8º, caput); 1.2 REGISTRO DE CANDIDATURA:

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL

ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL ELEIÇÕES 2016 COM ÊNFASE NA MINIRREFORMA ELEITORAL Em outubro (02/10) os brasileiros voltam às urnas, dessa vez para votar em Prefeitos e Vereadores. Esta será a primeira eleição depois da minirreforma

Leia mais

ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS NAS CAMPANHAS ELEITORAIS (arts.17 a 27, Lei 9.504/97)

ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS NAS CAMPANHAS ELEITORAIS (arts.17 a 27, Lei 9.504/97) - Gasto eleitoral: todas as despesas com bens ou serviços durante a campanha (art.26). - Limite dos gastos de campanha: deve ser fixado, em lei, até 10 de junho de cada ano eleitoral. Caso não editada,

Leia mais

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO 1 ART. 42 - VEDAÇÕES de 1º de maio a 31 de dezembro: Contrair obrigação de despesa, nos últimos 8 meses, que não possa ser cumprida (paga)

Leia mais

Direitos Eleitoral - Parte 1

Direitos Eleitoral - Parte 1 Direitos Eleitoral - Parte 1 Com base no Código Eleitoral- Lei 4737/65, Lei n. 9.096/95, Lei 13165/2015, entre outras fontes do direito eleitoral e em questões de provas anteriores do Qconcursos.com. 1.

Leia mais

Prestação de Contas Eleitorais Eleições 2016

Prestação de Contas Eleitorais Eleições 2016 Instrutores: Rodrigo Morais (SECEP/TRE-PE) Ronaldo Pontes (SECEP/TRE-PE) 1 Visão Geral do Processo Eleitoral: Convenções Partidárias Registro de Candidatura Propaganda Eleitoral Prestação de Contas Parcial

Leia mais

Dispõe sobre a escolha e registro de candidatos nas eleições de 2016

Dispõe sobre a escolha e registro de candidatos nas eleições de 2016 Dispõe sobre a escolha e registro de candidatos nas eleições de 2016 Possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição; Estar com sua filiação deferida, até o dia 02 de abril de 2016, em qualquer

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS)

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 14,

Leia mais

Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República.

Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República. Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República. Observação: como podemos perceber as mudanças propostas são justamente pra não

Leia mais

GTE DM PT RIBEIRÃO PRETO NORMAS PRÉ-CAMPANHA 2016

GTE DM PT RIBEIRÃO PRETO NORMAS PRÉ-CAMPANHA 2016 GTE DM PT RIBEIRÃO PRETO NORMAS PRÉ-CAMPANHA 2016 REFORMA ELEITORAL: O que muda para as Eleições de 2016 Alterações trazidas pela Lei nº 12.891/2013 e pela Lei nº 13.165/2015 (apresentação AO DIRETÓRIO

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ELEIÇÕES 2012 ORIENTAÇÕES SOBRE NORMAS DO PROCESSO DE ARRECADAÇÃO, GASTOS E A PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ELEIÇÕES 2012.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ELEIÇÕES 2012 ORIENTAÇÕES SOBRE NORMAS DO PROCESSO DE ARRECADAÇÃO, GASTOS E A PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ELEIÇÕES 2012. ELEIÇÕES 2012 ORIENTAÇÕES SOBRE NORMAS DO PROCESSO DE ARRECADAÇÃO, GASTOS E A PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ELEIÇÕES 2012. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL...1 1. NORMATIVOS...3 2. REQUISITOS DE ARRECADAÇÃO...3 3.

Leia mais

PRODUÇÃO INTELECTUAL Denilson Mariano de Brito. REVISORA Marisa Batista Alvarenga Webler. CAPA/EDITORAÇÃO/DIAGRAMAÇÃO: Adriano Ferreira de Mendonça

PRODUÇÃO INTELECTUAL Denilson Mariano de Brito. REVISORA Marisa Batista Alvarenga Webler. CAPA/EDITORAÇÃO/DIAGRAMAÇÃO: Adriano Ferreira de Mendonça 2015 Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins Qualquer parte desta publicação pode ser reproduzida, desde que citada a fonte. Disponível também em: http//www.tre-to.jus.br ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA

Leia mais

REFORMA ELEITORAL LEI n.º /15

REFORMA ELEITORAL LEI n.º /15 REFORMA ELEITORAL LEI n.º 13.165/15 Lei n.º 13.165/15, de 29 de setembro de 2015, altera dispositivos da Lei das Eleições (Lei n.º 9.504/97), da Lei dos Partidos Políticos (Lei n.º 9.096/95) e do Código

Leia mais

Lei /2015: As Regras para a propaganda eleitoral 2016.

Lei /2015: As Regras para a propaganda eleitoral 2016. Lei 13.165/2015: As Regras para a propaganda eleitoral 2016. Calendário eleições 2016. Agosto: -05: último dia para realizações de convenções partidárias. -15: Último dia para os partidos e coligações

Leia mais

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016.

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. Num comunicado enviado ao piauinoticias o presidente Celso informou

Leia mais

PROPAGANDA ELEITORAL. ARTHUR ROLLO

PROPAGANDA ELEITORAL. ARTHUR ROLLO PROPAGANDA ELEITORAL ARTHUR ROLLO arthur@albertorollo.com.br NA PRÉ-CAMPANHA PODE Dizer que é précandidato; Pedir apoio político; Divulgar ações políticas passadas e futuras. NA PRÉ-CAMPANHA panfletos;

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 351, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 351, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 351, DE 2014 Acrescenta o 2º ao art. 15- A da Lei nº 9.096, de 19 de setembro de 1995, acrescenta o 5º ao art. 22 da Lei 9.504 de 30 de setembro de 1997, e altera o inciso XI

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel REGISTRO DE CANDIDATURA Eduardo Rangel 1 Conceito: É a fase inicial do chamado microprocesso eleitoral na qual um partido político ou coligação requer, junto a Justiça Eleitoral, a inscrição de seus candidatos

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ Rua Rodrigues de Aquino, n.º 267, 9º Andar/Sala 903 Edf. Asplan, Centro, João Pessoa/PB - (083) 98761-0375/99989-6277/3021-8444 E-mail: evilsonbraz@ig.com.br / Site:

Leia mais

ELEIÇÕES Março/2016

ELEIÇÕES Março/2016 ELEIÇÕES 2016 Março/2016 ARRECADAÇÃO DE RECEITAS E REALIZAÇÃO DE GASTOS ELEITORAIS & PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CAMPANHA LIMITES DE GASTOS ELEITORAIS Ao TSE, em cada eleição, cabe definir os limites de gastos

Leia mais

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 Nome do Candidato: Nome do pai: Nome da mãe: Partido Político ou Coligação: Cargo a que concorre: ( ) Prefeito ( ) Vice-Prefeito ( ) Vereador Município: Declaro,

Leia mais

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 Modelos de EDITAL DE CONVOCAÇÃO CÉDULA DE VOTAÇÃO ATA DA CONVENÇÃO PALAVRA DO PRESIDENTE Prezados filiados do PSD Pará, O PSD está cada vez mais forte e unido em todo

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 ARRECADAÇÃO E GASTOS DE CAMPANHA ELEITORAL QUAIS OS PRÉ-REQUISITOS QUE DEVEM SER OBSERVADOS PARA ARRECADAÇÃO DE RECURSOS?

ELEIÇÕES 2016 ARRECADAÇÃO E GASTOS DE CAMPANHA ELEITORAL QUAIS OS PRÉ-REQUISITOS QUE DEVEM SER OBSERVADOS PARA ARRECADAÇÃO DE RECURSOS? ELEIÇÕES 2016 ARRECADAÇÃO E GASTOS DE CAMPANHA ELEITORAL QUAIS OS PRÉ-REQUISITOS QUE DEVEM SER OBSERVADOS PARA ARRECADAÇÃO DE RECURSOS? A arrecadação de recursos para campanha eleitoral de qualquer natureza

Leia mais

PROCESSO Nº: PROTOCOLO Nº 75847/2016

PROCESSO Nº: PROTOCOLO Nº 75847/2016 PROCESSO Nº: 418-25.2016.6.20.0029 PROTOCOLO Nº 75847/2016 ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVA À ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NA CAMPANHA ELEITORAL DE 2016. PRESTADOR : GUSTAVO MONTENEGRO

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO E ÉTICA ELEITORAL ELEIÇÕES 2012

MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO E ÉTICA ELEITORAL ELEIÇÕES 2012 ELEIÇÕES 2012 ORIENTAÇÕES AOS AGENTES PÚBLICOS DESINCOMPATIBILIZAÇÃO E CONDUTAS VEDADAS PORTO ALEGRE 2012 APRESENTAÇÃO Considerando a incumbência legal desta Comissão de Acompanhamento e Ética Eleitoral

Leia mais

CONDUTAS VEDADAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

CONDUTAS VEDADAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS CONDUTAS VEDADAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS Elaboração Mauro A. Prezotto OAB/SC 12.082 Renata Guimarães OAB/SC 34.533 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. CONDUTAS VEDADAS... 4 1.1 VISÃO GERAL... 4 1.2. DAS CONDUTAS

Leia mais

LEI Nº 9.249, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1995

LEI Nº 9.249, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1995 LEI Nº 9.249, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1995 Altera a Legislação do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas, bem como da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, e dá outras providências. Art. 13. Para efeito

Leia mais

MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS. KIT DE DISSEMINAÇÃO Parte 3

MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS. KIT DE DISSEMINAÇÃO Parte 3 MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS KIT DE DISSEMINAÇÃO Parte 3 2 Consideramos que no curto espaço de tempo que tivemos para a captação, 45 dias, tivemos um grande sucesso, mas foi fruto de muito esforço com muitos

Leia mais

A mais um CURSO realizado pela

A mais um CURSO realizado pela A mais um CURSO realizado pela Aqui tem qualificação de Verdade! CONTROLE INTERNO Reforma Política: o que podemos melhorar? Dr. Luiz Fernando Pereira PERÍODO 09h00 X 12h00 09/12/2015 15h às 17h Por gentileza

Leia mais

Você pode contribuir para eleições mais justas

Você pode contribuir para eleições mais justas Procuradoria Regional Eleitoral no Estado de SP Defesa da democracia, combate à impunidade. Você pode contribuir para eleições mais justas Os cidadãos e as cidadãs podem auxiliar muito na fiscalização

Leia mais

Slide 1. Slide 2. Slide 3. Legislação aplicável. Principais Inovações

Slide 1. Slide 2. Slide 3. Legislação aplicável. Principais Inovações Slide 1 Movimentação Financeira e Aspectos contábeis sobre a Prestação de Contas eleitoral do ano de 2016. Anderson Pedrosa anderson@contacnet.com.br 1 Slide 2 Lei nº 9.504/97 Legislação aplicável Estabelece

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E CONTÁBEIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

ASPECTOS JURÍDICOS E CONTÁBEIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 PALESTRA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ELEITORAL { ASPECTOS JURÍDICOS E CONTÁBEIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 Minirreforma Eleitoral Principais Normas Eleições 2016 Lei nº 9.504/1997 (normativo geral aplicável às

Leia mais

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE)

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) - Conjunto de normas que rege e organiza as eleições. - Processo eleitoral: do alistamento até a diplomação. Eleições: I. Princípio Majoritário Para os

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 2014

JUSTIÇA ELEITORAL PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 2014 JUSTIÇA ELEITORAL PRESTAÇÃO DE CONTAS - ELEIÇÕES 20 PROCESSO Nº: 81-63.20.6.05.0000 PROTOCOLO Nº 46.934/20 ASSUNTO: PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVA À ARRECADAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS FINANCEIROS NA CAMPANHA

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação 2007/1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DAS DISCIPLINAS CURRICULARES Disciplina: DIREITO ELEITORAL E PARTIDÁRIO Curso: DIREITO Código CR PER Co-Requisito Pré-Requisito

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 103ª Zona Eleitoral - Balneário Camboriú

Poder Judiciário Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 103ª Zona Eleitoral - Balneário Camboriú 1 REPRESENTAÇÃO Nº 462-05.2016.6.24.0103 COLIGAÇÃO MAIS E MELHOR PARA VOCÊ: PSDB, DEM, PV, PRP, SD, PT do B, PTB interpôs REPRESENTAÇÃO ELEITORAL em face de ANTONIEL SILVA TONY, candidato a vereador para

Leia mais

PROVIDÊNCIAS URGENTES A SEREM OBSERVADAS PELOS DIRETÓRIOS ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA ATÉ 05 DE JULHO

PROVIDÊNCIAS URGENTES A SEREM OBSERVADAS PELOS DIRETÓRIOS ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA ATÉ 05 DE JULHO DA: SECRETARIA NACIONAL DE FINANÇAS E PLANEJAMENTO DN/PT PARA: DIRETÓRIOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS ASSUNTO: ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA PARA AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS de 2012 ATENÇÃO! PROVIDÊNCIAS

Leia mais

14. Da Prestação de Contas

14. Da Prestação de Contas 14. Da Prestação de Contas (Art. 28 a 32) Durante a unidade, trabalharemos, em suma: Da Prestação de Contas (Art. 28 a 32). O conteúdo mais relevante será: da Prestação de Contas (Art. 28 a 32). Prestação

Leia mais

DIREITO ELEITORAL CAMPANHA ELEITORAL, PRINCÍPIOS E VISÃO SIMPLIFICADA DOS PROCEDIMENTOS

DIREITO ELEITORAL CAMPANHA ELEITORAL, PRINCÍPIOS E VISÃO SIMPLIFICADA DOS PROCEDIMENTOS DIREITO ELEITORAL CAMPANHA ELEITORAL, PRINCÍPIOS E VISÃO SIMPLIFICADA DOS PROCEDIMENTOS 1) REFORMA POLÍTICA LEI 13.165/2015 Redução do tempo de propaganda ; Influência da proibição de financiamento de

Leia mais

1. DA PROPAGANDA ELEITORAL

1. DA PROPAGANDA ELEITORAL Período de veiculações de propaganda eleitoral: 06 de julho a 03 de outubro de 2014. 1. DA PROPAGANDA ELEITORAL A propaganda eleitoral não pode ultrapassar, por edição, 35 cm no formato tabloide ou revista

Leia mais

Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização

Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização Eleições 2010: calendário eleitoral, com prazos de desincompatibilização Dirigentes sindicais e servidores que pretendem disputar as eleições de 2010 devem ficar atentos às datas e prazos de desincompatibilização.

Leia mais

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965)

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) DIREITO ELEITORAL SUMÁRIO UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) UNIDADE 2 Órgãos da Justiça Eleitoral (TSE, TREs, Juízes Eleitorais e Juntas Eleitorais) 2.1 Composição

Leia mais

CONGRESSO COSEMS RECOMENDAÇÕES PARA O CORRETO ENCERRAMENTO DE GESTÃO

CONGRESSO COSEMS RECOMENDAÇÕES PARA O CORRETO ENCERRAMENTO DE GESTÃO CONGRESSO COSEMS - 2016 RECOMENDAÇÕES PARA O CORRETO ENCERRAMENTO DE GESTÃO FONTES: 1.Recomendações para o encerramento da gestão municipal na saúde CONASEMS - Brasília, 2016 2. Tribunal de Contas do Estado

Leia mais

Relator: Deputado Ronaldo Caiado

Relator: Deputado Ronaldo Caiado Sugestão de Projeto de Lei sobre a proibição de coligações partidárias nas eleições proporcionais, federações partidárias, listas preordenadas pelos partidos nas eleições proporcionais e financiamento

Leia mais

RESOLUÇÃO TSE 23.276 DAS DOAÇÕES

RESOLUÇÃO TSE 23.276 DAS DOAÇÕES RESOLUÇÃO TSE 23.276 DAS DOAÇÕES As doações poderão ser realizadas por pessoas físicas ou jurídicas em favor do candidato, comitê financeiro e/ou partido político, mediante (art.22): I cheques cruzados

Leia mais

eleições municipais 2016

eleições municipais 2016 eleições municipais 2016 agente público no período eleitoral: o que pode e o que não pode Governo do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin Secretaria de Planejamento e Gestão Marcos Antonio Monteiro Subsecretaria

Leia mais

Seminário de Prestação de Contas Eleitorais

Seminário de Prestação de Contas Eleitorais Seminário de Prestação de Contas Eleitorais TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE DEALAGOAS Atuação da Justiça Eleitoral Palestrante: Raquel Helena Paixão Tavares (Assessora de Contas Eleitorais) 2 Fluxo do Processo

Leia mais

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL PROCESSO: PC 7176-90.2010.6.21.0000 PROCEDÊNCIA: PORTO ALEGRE INTERESSADO: PAULO ADALBERTO ALVES FERREIRA DEPUTADO FEDERAL 1351 PT -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE RECOMENDAÇÃO Nº 01/2016 PJE/137ªZE O Ministério Público Eleitoral, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais conferidas pelos artigos 127, caput, e 129, IX, da Constituição Federal e nos

Leia mais

Eleições municipais Reforma eleitoral Principais mudanças Dr. JOSÉ ANTONIO ROSA

Eleições municipais Reforma eleitoral Principais mudanças Dr. JOSÉ ANTONIO ROSA Eleições municipais 2016 Reforma eleitoral Principais mudanças Dr. JOSÉ ANTONIO ROSA OBJETIVOS DA REFORMA A reforma eleitoral Lei. N.º 13.165/2015, alterou substancialmente a Lei 9.504/97- Lei Eleitoral,

Leia mais

CURSO PARA PRÉ-CANDIDATOS LEGISLAÇÃO ELEITORAL 2016

CURSO PARA PRÉ-CANDIDATOS LEGISLAÇÃO ELEITORAL 2016 CURSO PARA PRÉ-CANDIDATOS LEGISLAÇÃO ELEITORAL 2016 ESCOLHA E REGISTRO DE CANDIDATOS PSDB Municipal realiza as Convenções de 20/07 a 05/08 PSDB Municipal ou a Coligação deve registrar seus candidatos na

Leia mais

Guia rápido de permissões e proibições pertinentes à propaganda eleitoral

Guia rápido de permissões e proibições pertinentes à propaganda eleitoral Secretaria Judiciária Coordenadoria de Gestão da Informação Guia rápido de permissões e proibições pertinentes à propaganda eleitoral Tipo Regra Referência legislativa Sancionamento em caso de violação

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL NO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL NO RIO GRANDE DO SUL EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ ELEITORAL RELATOR, EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL Prestação de Contas n.º 1323-61.2014.6.21.0000 Procedência: PORTO ALEGRE/RS Assunto: PRESTAÇÃO DE

Leia mais

Provimento Nº 172/2016

Provimento Nº 172/2016 Provimento Nº 172/2016 Altera o art. 5º do Provimento n. 91/2000, o inciso "g" do art. 2º e o 3º do art. 3º do Provimento n. 94/2000, o parágrafo único do art. 2º, o caput do art. 3º e o 5º do art. 4º

Leia mais

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 Acrescenta o art. 109-A ao Capítulo II do Título IV da Lei Orgânica do Município. A Câmara Municipal de São Paulo PROMULGA: Art. 1º Fica acrescido o art. 109

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

CANDIDATO Eleições 2016

CANDIDATO Eleições 2016 MANUAL DO CANDIDATO Eleições 2016 B G A BONINI GUEDES A D V O C A C I A B G A B O N I N I G U E D E S A D V O C A C I A Apresentação O presente material foi elaborado para auxiliar os candidatos às eleições

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL Promotoria de Justiça da 1ª Zona Eleitoral/MS. RECOMENDAÇÃO Nº 03/2016 PJE/1ª Zona Eleitoral

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL Promotoria de Justiça da 1ª Zona Eleitoral/MS. RECOMENDAÇÃO Nº 03/2016 PJE/1ª Zona Eleitoral RECOMENDAÇÃO Nº 03/2016 PJE/1ª Zona Eleitoral O MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais, na esfera eleitoral, conferidas pelos artigos 127, caput, e 129,

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA SESSÃO: 14/12/06 RELATOR: CONSELHEIRO PRESIDENTE ELMO BRAZ PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº NOTAS TAQUIGRÁFICAS

PRIMEIRA CÂMARA SESSÃO: 14/12/06 RELATOR: CONSELHEIRO PRESIDENTE ELMO BRAZ PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº NOTAS TAQUIGRÁFICAS PRIMEIRA CÂMARA SESSÃO: 14/12/06 RELATOR: CONSELHEIRO PRESIDENTE ELMO BRAZ PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 25584 NOTAS TAQUIGRÁFICAS CONSELHEIRO PRESIDENTE ELMO BRAZ: Tratam os autos de Processo Administrativo

Leia mais

(Do Senhor Marcus Pestana)

(Do Senhor Marcus Pestana) PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Senhor Marcus Pestana) Dispõe sobre o sistema eleitoral para as eleições proporcionais, alterando a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), a Lei nº 9.096,

Leia mais

Prestação de Contas Eleitorais Eleições 2016

Prestação de Contas Eleitorais Eleições 2016 Instrutores: Rodrigo Morais (SECEP/TRE-PE) Ronaldo Pontes (SECEP/TRE-PE) 1 Visão Geral do Processo Eleitoral: Convenções Partidárias Registro de Candidatura Propaganda Eleitoral Prestação de Contas Parcial

Leia mais

Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira. Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012

Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira. Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012 Periscope ao-vivo Direito Eleitoral com Bruno Oliveira Resolução das Questões de Direito Eleitoral do Concurso TRE/SP 2012 QUESTÃO 01 (LC 64/90 - Ações Eleitorais) Um partido político pretende pedir a

Leia mais

Tribunal de Contas do Distrito Federal Luiz Genédio 5ª. Inspetoria de Controle Externo Maio de 2010

Tribunal de Contas do Distrito Federal Luiz Genédio 5ª. Inspetoria de Controle Externo Maio de 2010 Tribunal de Contas do Distrito Federal Luiz Genédio 5ª. Inspetoria de Controle Externo Maio de 2010 Restrições para ano eleitoral Lei de Responsabilidade Fiscal LRF Legislação Eleitoral: Lei nº 9.504/97

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

LIMITE DE GASTOS. Cada partido deve fixar o limite de gastos a ser observado, por candidatura(caso Lei não faça)

LIMITE DE GASTOS. Cada partido deve fixar o limite de gastos a ser observado, por candidatura(caso Lei não faça) Prestação de Contas Eleitoral: Legislação x Prática Contador Ruberlei Bulgarelli Julho 2012 LIMITE DE GASTOS Cada partido deve fixar o limite de gastos a ser observado, por candidatura(caso Lei não faça)

Leia mais

IUS RESUMOS. Características e funções da Justiça Eleitoral. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Características e funções da Justiça Eleitoral. Organizado por: Samille Lima Alves Características e funções da Justiça Eleitoral Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. CARACTERÍSTICAS E FUNÇÕES DA JUSTIÇA ELEITORAL... 3 1. Características e competências da Justiça Eleitoral...

Leia mais

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga.

A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga. A propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito definido na Lei 9.504/97, vedada a veiculação de propaganda paga. Ocorrerá a veiculação apenas nos Municípios em que houver

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 A Comissão Eleitoral Discente do Curso de Direito da UFSM, composta nos termos do art. 45 e do Estatuto

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 3, DE 4 DE MARÇO DE 2010. Dispõe sobre a suspensão da publicidade dos órgãos e entidades do Poder Executivo Federal, no período eleitoral, e dá outras providências. O MINISTRO

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL. Comentários à Lei , de 29 de setembro de 2015

Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL. Comentários à Lei , de 29 de setembro de 2015 Jaime Barreiros Neto REFORMA ELEITORAL Comentários à Lei 13.165, de 29 de setembro de 2015 Barreiros Neto-Reforma Eleitoral-1ed.indb 3 30/05/2016 09:16:57 Capítulo 2 A LEI 13.165/2015 E AS REGRAS RELATIVAS

Leia mais

DIAP Quadro comparativo: PEC do GT da reforma política no Congresso Qua, 13 de Novembro de :43

DIAP Quadro comparativo: PEC do GT da reforma política no Congresso Qua, 13 de Novembro de :43 Departamento Intersindical de Assessoria Parlametar organiza uma tabela comparativa a partir da PEC aprovada pelo Grupo de Trabalho sobre Reforma Política na Camâra dos Deputados. O Grupo de Trabalho sobre

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 530/XII/3 (PSD, CDS-PP) - «LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS ELEIÇÕES E DOS REFERENDOS NACIONAIS»

PROJETO DE LEI N.º 530/XII/3 (PSD, CDS-PP) - «LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS ELEIÇÕES E DOS REFERENDOS NACIONAIS» PROJETO DE LEI N.º 530/XII/3 (PSD, CDS-PP) - «LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS ELEIÇÕES E DOS REFERENDOS NACIONAIS» PROPOSTA DE SUBSTITUIÇÃO REGIME JURÍDICO DA COBERTURA

Leia mais

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e DECRETO N.º 35610 DE 15 DE MAIO DE 2012 Institui o regime FICHA LIMPA como requisito para o ingresso em cargo ou emprego público no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Município do Rio

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL CONSELHO DE USUÁRIOS SAÚDE CAIXA CAPÍTULO I DA FINALIDADE

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL CONSELHO DE USUÁRIOS SAÚDE CAIXA CAPÍTULO I DA FINALIDADE REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL CONSELHO DE USUÁRIOS SAÚDE CAIXA CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 O presente Regulamento tem por objetivo disciplinar o processo eleitoral a ser deflagrado pelo Saúde CAIXA,

Leia mais

PROPAGANDA INSTITUTIONAL EM ANO DE ELEIÇÃO

PROPAGANDA INSTITUTIONAL EM ANO DE ELEIÇÃO PROPAGANDA INSTITUTIONAL EM ANO DE ELEIÇÃO Constituição Art. 37 A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2016 AUXÍLIO TRANSPORTE PARA DESLOCAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E DE NÍVEL TÉCNICO PRESENCIAL FORA DO DOMICÍLIO

CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2016 AUXÍLIO TRANSPORTE PARA DESLOCAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E DE NÍVEL TÉCNICO PRESENCIAL FORA DO DOMICÍLIO CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2016 AUXÍLIO TRANSPORTE PARA DESLOCAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS E DE NÍVEL TÉCNICO PRESENCIAL FORA DO DOMICÍLIO O MUNICÍPIO DE SERTANÓPOLIS, ESTADO DO PARANÁ, CNPJ n. 76.245.034/0001-08,

Leia mais

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi I Direitos políticos, 1 1 Compreensão dos direitos políticos, 1 1.1 Política, 1 1.2 Direito político, direito constitucional e ciência política, 3

Leia mais

Antonio Roque Citadini (*)

Antonio Roque Citadini (*) Artigo Os Cartões de Pagamento na Administração Pública Antonio Roque Citadini (*) Importante registrar que a administração pública no Brasil não é pioneira na implantação e na utilização de cartões de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE E DESPORTO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA EDITAL N 001/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE E DESPORTO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA EDITAL N 001/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE E DESPORTO CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA EDITAL N 001/2015 EDITAL DE ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE-COORDENADOR DO CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

ACÓRDÃO PUBLICADO EM SESSÃO NOS TERMOS DO ART. 57 3º DA RESOLUÇÃO TSE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO DISTRITO FEDERAL

ACÓRDÃO PUBLICADO EM SESSÃO NOS TERMOS DO ART. 57 3º DA RESOLUÇÃO TSE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO DISTRITO FEDERAL ACÓRDÃO PUBLICADO EM SESSÃO NOS TERMOS DO ART. 57 3º DA RESOLUÇÃO 23.405 TSE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO DISTRITO FEDERAL ACÓRDÃO Nº 6013 Classe : 38 REGISTRO DE CANDIDATURA Num. Processo

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA DE ACORDO COM O EDITAL N 1, DE 24 DE NOVEMBRO DE 201, DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO, TRE-SP CONHECIMENTOS BÁSICOS

Leia mais

EDITAL 01/2016/UFRR Comissão Eleitoral Boa Vista, 27 de Junho de 2016.

EDITAL 01/2016/UFRR Comissão Eleitoral Boa Vista, 27 de Junho de 2016. EDITAL 01/2016/UFRR Comissão Eleitoral Boa Vista, 27 de Junho de 2016. EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO PROCESSO ELEITORAL DE ESCOLHA DE UM REPRESENTANTE DOCENTE (E UM SUPLENTE) NO CONSELHO DIRETOR PARA O BIÊNIO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL NO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL NO RIO GRANDE DO SUL EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ ELEITORAL RELATOR, EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL Prestação de Contas n.º 1334-90.2014.6.21.0000 Procedência: PORTO ALEGRE/RS Assunto: PRESTAÇÃO DE

Leia mais

GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL

GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL Resolução 002/2016/TCM/PA Analista de Controle Externo CLEBER MESQUITA VEDAÇÕES E PRAZOS EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO Analista de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Centro de Ciências Naturais e Humanas Av. dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 Fone: (11) 4996.7960 secretariaccnh@ufabc.edu.br

Leia mais

Justiça Eleitoral. Eleição Suplementar de Itatinga - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA

Justiça Eleitoral. Eleição Suplementar de Itatinga - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA Justiça Eleitoral - 1º Turno Resultado da totalização ITATINGA 2 de julho de 217 18:1:58 Gerenciamento 217 Página 2 de 6 2/7/217 18:1:58 Relatório do Resultado da Totalização Resumo Geral do de ITATINGA

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

Captação ilícita de sufrágio

Captação ilícita de sufrágio Captação ilícita de sufrágio Captação ilícita de sufrágio, também conhecida como compra de voto, é o ato do candidato de doar, oferecer, prometer ou entregar ao eleitor, com o fim de conseguir votos, bens

Leia mais

Prestação de Contas Eleitorais 2010

Prestação de Contas Eleitorais 2010 Prestação de Contas Eleitorais 2010 Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Controle Interno e Auditoria Contas Eleitorais e Partidárias pcontas@tre-rs.gov.br Legislação

Leia mais

NORMA DE CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL - NOR 317

NORMA DE CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL - NOR 317 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL. APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 080, de 26/05/2014 VIGÊNCIA: 26/05/2014 NORMA DE CONDUTA EM PERÍODO ELEITORAL - NOR 317 1/7 SUMÁRIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Centro de Matemática, Computação e Cognição Divisão Acadêmica Avenida dos Estados, 5001 Bairro Santa Terezinha Santo André CEP 09210-580 Fone:

Leia mais

DICAS PARA UM VOTO MAIS CONSCIENTE E CRITERIOSO

DICAS PARA UM VOTO MAIS CONSCIENTE E CRITERIOSO ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA ELEIÇÕES 2010 DICAS PARA UM VOTO MAIS CONSCIENTE E CRITERIOSO Elaboração: ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA Assessoria de Imprensa Comissão Justiça e Paz CJP Movimento dos Focolares Contato:

Leia mais

EDITAL Nº 0/2014 EDITAL DE ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE- COORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA BIÊNIO JANEIRO 2015 DEZEMBRO 2016

EDITAL Nº 0/2014 EDITAL DE ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE- COORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA BIÊNIO JANEIRO 2015 DEZEMBRO 2016 EDITAL Nº 0/2014 EDITAL DE ELEIÇÃO DE COORDENADOR E VICE- COORDENADOR DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA BIÊNIO JANEIRO 2015 DEZEMBRO 2016 Abre inscrições, fixa data, horário e critérios para a indicação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO CNPJ n.º /

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE PERNAMBUCO CNPJ n.º / ESPÉCIE: Contrato n.º 75/15 Locação de Imóvel Urbano. PROCESSO: PA n.º 353/15 MODALIDADE: Dispensa n.º 35/15 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei n.º 8.245/91, da Lei n.º 8.666/93 OBJETO: locação do imóvel situado

Leia mais

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PROMOVIDAS NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL (LEI Nº /2015) Módulo I SALVADOR - BA

PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PROMOVIDAS NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL (LEI Nº /2015) Módulo I SALVADOR - BA PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PROMOVIDAS NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL (LEI Nº 13.165/2015) Módulo I SALVADOR - BA PRINCIPAIS ALTERAÇÕES PROMOVIDAS NA LEGISLAÇÃO ELEITORAL (LEI Nº 13.165/2015) 1. CALENDÁRIO ELEITORAL

Leia mais