Resumo de Eletrodinâmica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumo de Eletrodinâmica"

Transcrição

1 Resumo de Eletrodinâmica i = Corrente Elétrica (A) Δq = quantidade de carga elétrica no fio em movimento (C = coulomb) milicoulomb: microcoulomb: nanocoulomb: n = número de elétrons e = carga elementar de um elétron = 1, C i = intensidade de corrente elétrica (A = ampère) Esta fórmula é usada para a corrente elétrica média ou quando a corrente elétrica for constante: Δt = tempo (s = segundos) Cálculo da carga elétrica quando é fornecido o gráfico da intensidade de corrente pelo tempo: Área do retângulo = Área do triângulo = Área do trapézio = No caso deste exemplo 1: Área do trapézio = N = numericamente: a carga elétrica nada tem haver com uma área. O que ocorre é que a fórmula da área é equivalente a fórmula para calcular a carga elétrica média. Exemplo 2: Note que a unidade de medida da corrente elétrica está em ma = 10-3 A. Pegadinha comum nestes gráficos. Fique atento. Esta figura também é um trapézio. Área do trapézio = Intensidade de corrente média = 1

2 U = DDP = diferença de potencial ou tensão elétrica ou voltagem (V) U = diferença entre os potenciais de dois pontos (V = volt) U AB = V A - V B Exemplo 3 - tomadas: Exemplo 4 ligação da fiação elétrica em uma casa: 2

3 R = Resistência elétrica de um fio ( ) Símbolos do resistor: R = valor da resistência elétrica de um resistor ( = ohm) ou Resistor é um fio fininho que serve para limitar a quantidade de corrente elétrica que atravessa um fio. Além disto ele pode gerar calor e se o fio fino ou filamento ficar em brasa irá gerar luz. Nem só o fio fininho faz a função de um resistor. Todo material condutor de eletricidade pode fazer esta função de resistir a passagem de elétrons. O corpo humano e a água salgada são bons exemplos de outros condutores. Aparelhos que usam resistores: 3

4 1ª Lei de Ohm U = DDP (diferença de potencial) ou tensão elétrica ou voltagem (V = volt) R = resistência elétrica de um resistor ( = ohm) i = intensidade de corrente elétrica (A = ampère) 1kV = 1000V 1k = mA = 0,001A Gráfico de resistor ôhmico: o valor da resistência é constante. Exemplo 5: U=R i 5 = R 0,05 (cte) Gráfico de resistor não ôhmico: o valor da resistência é variável. Exemplo 6: U=R i 2 = R 10 2ª Lei de Ohm R = resistência elétrica de um resistor ( = ohm) = resistividade = depende do tipo de material ( m; cm/mm 2 ; etc) L = comprimento do fio (m; cm; mm; etc) A = área da secção transversal do fio (m 2 ; cm 2 ; mm 2 ; etc) d = diâmetro da secção transversal r = raio da secção transversal Variação da resistência com a temperatura R = resistência elétrica final de um resistor ( = ohm) R o = resistência elétrica inicial de um resistor ( = ohm) = coeficiente de temperatura do material (ºC -1 ) Para metais > 0 (positivo) Para as ligas especiais = 0 (não altera o valor da resistência) Para a grafita e as soluções eletrolíticas < 0 (negativo) Δ = variação de temperatura = final - inicial = resistividade ( m; cm/mm 2 ; etc) o = resistividade inicial ( m; cm/mm 2 ; etc) 4

5 Pot = potência elétrica (W = watt) Fórmula principal: Pot = Potência Elétrica (W) À partir da 1ª Lei de Ohm, nas fórmulas auxiliares: e, chegamos Eel = Energia Elétrica (J ou kwh) Eel = energia elétrica (J = joule = para S.I. Sistema Internacional de Unidades de Medidas) (kwh = quilowatt-hora = para cálculo do valor da conta de luz) Δt = tempo (s = segundos = para S.I.) (h = horas = para conta de luz) J W s S.I. kwh kw h conta de luz 1 kw = 1000 W 1 h = 60 min = 3600 s Eel = energia elétrica (J ou cal) Eel = Q = Energia Elétrica transformada em térmica (J ou cal) Q = quantidade de calor = energia térmica (J ou cal) Q S = quantidade de calor sensível, usado quando varia a temperatura mas sem mudar o estado físico. Q L = quantidade de calor latente, usado quando muda o estado físico, mas sem variar a temperatura. m = massa (g ou kg) c = calor específico (cal/g ºC ou J/kg ºC) L = calor latente (cal/g ou J/kg) Δ = variação da temperatura = final - inicial (ºC) Quando varia a temperatura: Quando varia o estado físico: 1 cal 4,2 J 1 kg = g c água = 1 cal/g ºC ou J/kg ºC c gelo = c vapor = 0,5 cal/g ºC ou J/kg ºC L fusão do gelo = 80 cal/g ou J/kg L ebulição da água = 540 cal/g ou J/kg 5

6 SÉRIE Associação de resistores PARALELO Características: - A corrente elétrica não se divide. - Não existem nós (emenda de 3 ou mais fios). - O valor da resistência elétrica total aumenta. Características: - A corrente elétrica se divide. - Existem nós (emenda de 3 ou mais fios). - O valor da resistência elétrica total diminui. Req = R T = R AB = resistência equivalente ou resistência total ( ) i T = intensidade de corrente elétrica total (A) U T = U AB = DDP ou tensão total (V) R T = R 1 + R 2 + R R N i T = i 1 = i 2 = i 3 = = i N U T = U 1 + U 2 + U U N Dica: Repare que nesta associação do tipo sériiiiiiiiii... o valor do i é sempre igual. i T = i 1 + i 2 + i i N U T = U 1 = U 2 = U 3 = = U N Dica: Repare que nesta associação do tipo paraleluuuu... o valor do u é sempre igual. Regras práticas de cálculo para dois casos particulares de associação em paralelo Para dois resistores (e apenas dois) em paralelo: Para N resistores iguais e em paralelo: (produto pela soma) 6

7 Exemplo 7 No circuito abaixo, após fechar a chave S, calcule: Exemplos de exercícios de associação de resistores: Exemplo 8 - No circuito abaixo, após fechar a chave S, calcule: a) O valor da resistência total. b) A intensidade de corrente elétrica em cada resistor. c) A ddp de cada lâmpada. d) A potência de cada resistor e a potência total. Exemplo 9 - No circuito abaixo, calcule: a) O valor da resistência total. b) A intensidade de corrente elétrica em cada resistor. c) A ddp de cada lâmpada. d) A potência de cada resistor e a potência total. Exemplo 10 - No circuito abaixo, calcule: a) O valor da resistência total. b) A ddp total e de cada resistor. c) A intensidade de corrente elétrica em cada resistor. d) A potência de cada resistor e a potência total. Exemplo 11 - No circuito abaixo U AB = 120V, calcule: a) O valor da resistência total. b) A ddp de cada resistor. c) A intensidade de corrente elétrica total e em cada resistor. d) A potência de cada resistor e a potência total. Dado: 1 k = Exemplo 12 - No circuito abaixo U AB = 70V, calcule: a) O valor da resistência total. b) A ddp de cada resistor. c) A intensidade de corrente elétrica total e em cada resistor. d) A potência de cada resistor e a potência total. a) O valor da resistência total. b) A ddp de cada resistor. c) A intensidade de corrente elétrica total e em cada resistor. d) A potência de cada resistor e a potência total. 7

8 Exemplo 13 - No circuito abaixo U AB = 70V, calcule: Exemplo 14 - No circuito abaixo U AB = 70V, calcule: a) O valor da resistência equivalente entre os pontos A e B. b) A intensidade de corrente elétrica total. c) A ddp e a corrente de cada resistor. d) A potência total. Exemplo 15 - No circuito abaixo, calcule: a) O valor da resistência equivalente entre os pontos A e B. b) A intensidade de corrente elétrica total. c) A ddp e a corrente de cada resistor. d) A potência total. Exemplo 16 - No circuito abaixo calcule o valor da resistência equivalente entre os pontos A e B. a) O valor da intensidade da corrente elétrica e a ddp sobre o resistor 3. b) O valor da ddp e o valor dos resistores 1 e 2. c) O valor da ddp total. d) O valor da resistência equivalente. Exemplo 17 - No circuito abaixo calcule o valor da resistência equivalente e a intensidade da corrente elétrica total. Respostas: 8

9 Aparelhos de medidas elétricas: Amperímetro e Voltímetro Amperímetro = aparelho que serve para medir a intensidade de corrente elétrica. É sempre colocado em série no circuito, pois em sériiiiiiiiiii... o valor de i é igual. Voltímetro = aparelho que serve para medir a ddp ou tensão elétrica ou voltagem. É sempre colocado em paralelo no circuito, pois em paraleluuuuuuu... o valor do U é sempre igual. Atenção: se colocar um amperímetro em paralelo, como sua resistência interna é muito pequena, tendendo a zero, ela causará um curto-circuito. Amperímetro com voltímetro: Atenção: se colocar um voltímetro em série, como sua resistência interna é muito grande, tendendo ao infinito, ele não permitirá a passagem de corrente elétrica. O circuito apenas para de funcionar. Exemplo 18 No circuito da figura, o voltímetro indica o valor de 120V e o amperímetro de 4ª. Determine: Circuito com amperímetro e voltímetro Exemplo 19 No circuito da figura abaixo, a bateria tem uma ddp total de 12V. Determine: a) O valor da resistência elétrica do resistor R 5. b) O valor da intensidade da corrente elétrica que passa pelo resistor R 6. c) O valor da DDP da bateria que o circuito está ligado. d) A energia consumida pelo circuito em 1 minuto. Respostas: a) A resistência elétrica total do circuito. b) As leituras do voltímetro e do amperímetro. c) A ddp e a intensidade de corrente elétrica no resistor entre os pontos X e Y. 9

10 Ponte de Wheatstone A Ponte de Wheatstone serve para descobrir o valor de um resistor desconhecido, tendo 3 resistores conhecidos e um galvanômetro ou um fio de comprimento conhecido e um galvanômetro. O Galvanômetro é um medidor de corrente elétrica de baixa intensidade. Para valer as relações matemática, a condição é que o valor marcado no galvanômetro seja de zero ampères. A relação matemática para esta Ponte de Wheatstone é obtida ao se igualar a multiplicação dos resistores que estão nas diagonais opostas. A relação matemática para a Ponte de Wheatstone com fios é obtida igualando as multiplicações dos resistores com os comprimentos dos fios que estão nas diagonais opostas. Exemplo 20 O galvanômetro da figura abaixo indica zero ampères. Isto significa que a Ponte de Wheatstone esá em equilíbrio e é possível aplicar a sua relação matemática. Determine: a) O valor do resistor R. b) A intensidade de corrente elétrica no resistor de 15. c) A ddp no resistor de 20. d) A corrente elétrica total do circuito. Resposta: 10

11 Gerador Gerador é o elemento que fornece a ddp e corrente elétrica para o circuito. Pode ser uma pilha, uma bateria ou uma tomada que transmite a energia do gerador de uma usina hidrelétrica. Gerador de corrente contínua Gerador de corrente alternada As pilhas ou baterias fornecem uma corrente contínua, ou seja, a corrente elétrica tem um único sentido. A tomada fornece uma corrente alternada, ou seja, a corrente elétrica muda de sentido várias vezes por segundo. No Brasil, esta frequência é de 60Hz, ou seja, a corrente inverte de sentido 60 vezes em um segundo. Receptor Receptor é o elemento que absorve a energia gerada por um gerador. Pode ser um motor ou uma pilha invertida no circuito. Um receptor só funciona se estiver ligado a um gerador, necessariamente. 11

12 Gerador: A corrente elétrica entra pelo e sai pelo + Equações de Gerador e Receptor Receptor: A corrente elétrica entra pelo + e sai pelo A ddp útil nos terminais do gerador (U) é o resultado de toda ddp gerada (E) pela fem menos o que o próprio gerador gastou com sua resistência interna (U resistência = r i). A ddp total nos terminais do receptor (U`) é o resultado da ddp útil pela fcem (E`) mais o que o próprio receptor gastou com sua resistência interna (U`resistência = r` i). U útil gerado = U total do gerador - U dissipado pelo resistor U = E r i U = ddp útil (diferença de potencial) (V) E = fem = força eletro motriz = ddp total gerada pela bateria (V) r = resistência interna do gerador ( ) R = resistência externa ao gerador ( ) i = corrente elétrica do circuito (A) Para o circuito externo, a ddp útil do gerador é a mesma consumida pelo resistor externo, assim: U = R i Uma vez que a ddp útil é a mesma para o gerador e para o circuito externo (resistor), podemos igualar: U = U R i = E - r i R i + r i = E Lei de Pouillet: U total gasto = U útil do receptor + U dissipado pelo resistor U` = E` + r` i U` = ddp total (diferença de potencial) (V) E` = fcem = força contra eletro motriz = ddp útil gasta pelo receptor (V) r` = resistência interna do receptor ( ) Uma vez que a ddp útil do gerador é a mesma para o receptor mais o resistor, podemos igualar: U`receptor + U resistor = U gerador E` + r` i + R i = E - r i r` i +R i + r i = E E` Lei de Pouillet: Onde:, ou seja, a ddp gerada tem que ser maior que a ddp consumida ou recebida. 12

13 Para vários geradores e receptores associados em série: Associação de geradores e receptores Lei de Pouillet: Onde:, ou seja, a ddp total gerada tem que ser maior que a ddp total consumida ou recebida. Gerador U = E - r i Gráficos de Gerador, Receptor e Resistor Receptor U` = E` + r` i Resistor U = R i Sempre é uma função do 1º grau decrescente. Os valores de E e r são constantes. Exemplo 21 - U = 36-3 i, ou seja, E = 36V e r = 3. Sempre é uma função do 1º grau crescente. Os valores de E` e r` são constantes. Exemplo 22 - U = i, ou seja, E` = 36V e r` = 3. Sempre é uma função do 1º grau crescente que tem início na origem do sistema de coordenadas cartesianas. O valor de R é constante. Exemplo 23 - U = 3 i, ou seja, R = 5. Observação: - Quando i = 0, o valor de U é a própria fem E. Isto significa que os terminais do gerador estão abertos ou desconectados. - Quando o valor de E = 0, o valor de i é i cc = E/r. Chamamos este i de i cc, ou seja, corrente de curto circuito. Ocorre quando os terminais do gerador estão ligados diretamente em curto-circuito. 13

14 Gerador Potência de Gerador e Receptor (W) Receptor P t = P u + P d P t = Potência gerada ou potência total P t = E i P u = Potência útil ou potência a ser utilizada fora do gerador ou potência dissipada pelo resistor externo ao gerador. P u = U i = R i 2 P d = Potência dissipada na forma de calor pela própria resistência interna do gerador. P d = r i 2 P t = P u + P d P t = Potência consumida ou potência total P t = U` i P u = Potência útil ou potência a ser utilizada pelo motor em funcionamento. Transforma a energia elétrica em cinética pelo magnetismo P u = E` i P d = Potência dissipada na forma de calor pela própria resistência interna do receptor. Geralmente os fios do enrolamento do motor geram esta resistência. P d = r` i 2 Ocorre quando o valor da corrente elétrica vale metade da corrente de curto-circuito. Assim: ( ) Potência Útil Máxima do Gerador (W) equação do 2º grau parábola ( ) Gerador Rendimento do Gerador e Receptor( ) Receptor 14

15 Leis de Kirchhoff Lei dos Nós A somatória das correntes elétricas que chegam em um nó são iguais a somatória das correntes elétricas que saem dos nós. Lei das Malhas A somatória de todas as ddps em uma malha é sempre igual a zero. Lembrando: U=R i Sentido da ddp para ser considerado em cada aparelho: Gerador: o sentido da ddp é sempre do para o + Receptor: o sentido da ddp é sempre do para o + Resistor: o sentido da ddp é sempre opôs ao da corrente elétrica. Exemplo 24 Dado o circuito abaixo, determine: a) Os valores de i 1, i 2 e i 3. b) A ddp entre os pontos AB, AC, AD e AE. Respostas: 15

16 Carga elétrica (C): Corrente elétrica (A): RESUMÃO Associação de resistores em sériiiiiiiiiii... (o i é igual): R T = R 1 + R 2 + R R N i T = i 1 = i 2 = i 3 = = i N Gerador: U = E r i U = R i Δq = área do gráfico i x t DDP (V): U AB = V A - V B 1ª Lei de Ohm: 2ª Lei de Ohm ( ): U T = U 1 + U 2 + U U N Associação de resistors em paraleluuuu (o U é igual): i T = i 1 + i 2 + i i N U T = U 1 = U 2 = U 3 = = U N Para dois resistores em paralelo: P t = P u + P d ; P t = E i P u = U i = R i 2 ; P d = r i 2 Para N resistores iguais em paralelo: Receptor: U` = E` + r` i Variação da resistência elétrica com a temperatura: Ponte de Wheatstone: ou Potência elétrica (W): ; ou Energia elétrica (J ou kwh): Leis de Kirchhoff: P t = P u + P d ; P t = U` i P u = E` i; P d = r` i 2 Energia elétrica transformada em térmica (quantidade de calor) (J ou cal): ou ou Associação de geradores com receptores: By Prof. Nilton Sihel imagem obtidas na internet e adaptada para esta apostila 16

Resumo de Eletrodinâmica

Resumo de Eletrodinâmica Resumo de Eletrodinâmica i = Corrente Elétrica (A) Δq = quantidade de carga elétrica no fio em movimento (C = coulomb) milicoulomb: microcoulomb: nanocoulomb: n = número de elétrons e = carga elementar

Leia mais

Q t. A corrente elétrica corresponde ao fluxo de elétrons. Os elétrons vão para o polo positivo de um gerador (pilha ou bateria)

Q t. A corrente elétrica corresponde ao fluxo de elétrons. Os elétrons vão para o polo positivo de um gerador (pilha ou bateria) Eletrodinâmica A eletrodinâmica está presente em praticamente todos os lugares da vida moderna. As instalações elétricas e suas lâmpadas, aquecedores fazem parte do cotidiano do homem moderno. Para exames

Leia mais

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA REVISÃO ENEM Eletrodinâmica CORRENTE ELÉTRICA Corrente elétrica em um condutor é o movimento ordenado de suas cargas livres devido a ação de um campo elétrico estabelecido no seu interior pela aplicação

Leia mais

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C

AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C AULA 02 PRIMEIRA LEI DE OHM APOSTILA 1 FSC-C DIFERENÇA DE POTENCIAL (DDP) CRIAR UMA DIFERENÇA ENTRE DOIS PONTOS. NUM DOS PONTOS HÁ EXCESSO E NO OUTRO FALTA DE ELETRONS QUANTO MAIOR A DIFERENÇA, MAIOR VAI

Leia mais

2 Eletrodinâmica. Corrente Elétrica. Lei de Ohm. Resistores Associação de Resistores Geradores Receptores. 4 Instrumento de Medidas Elétricas

2 Eletrodinâmica. Corrente Elétrica. Lei de Ohm. Resistores Associação de Resistores Geradores Receptores. 4 Instrumento de Medidas Elétricas 2. Eletrodinâmica Conteúdo da Seção 2 1 Conceitos Básicos de Metrologia 4 Instrumento de Medidas Elétricas 2 Eletrodinâmica Corrente Elétrica Resistência Elétrica Lei de Ohm Potência Elétrica Resistores

Leia mais

ELETRODINÂMICA. Prof. Patricia Caldana

ELETRODINÂMICA. Prof. Patricia Caldana ELETRODINÂMICA Prof. Patricia Caldana Ao se estudarem situações onde as partículas eletricamente carregadas deixam de estar em equilíbrio eletrostático passamos à situação onde há deslocamento destas cargas

Leia mais

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica Num condutor metálico em equilíbrio eletrostático, o movimento dos elétrons livres é desordenado. Em destaque, a representação de

Leia mais

Apostila de Física 25 Corrente Elétrica

Apostila de Física 25 Corrente Elétrica Apostila de Física 25 Corrente Elétrica 1.0 Definições Gerador elétrico: Mantém entre seus terminais (pólos) uma diferença de potencial elétrico. Pólo positivo Maior potencial. Pólo negativo Menor potencial.

Leia mais

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo ELETRICIDADE Eletrodinâmica Eletrostática Eletromagnetismo Átomo Núcleo Prótons carga positiva (+e). Nêutrons carga neutra. Eletrosfera Eletrons carga negativa (-e). Carga Elétrica Elementar e = 1,6 x

Leia mais

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp:

Exercícios 6 1. real 2. Resp: 3. o sentido convencional Resp: 4. Resp: 5. (a) (b) (c) Resp: (b) (c) Resp: Exercícios 6 1. A corrente elétrica real através de um fio metálico é constituída pelo movimento de: a) Cargas positivas do maior para o menor potencial. b) Cargas positivas. c) Elétrons livres no sentido

Leia mais

Potência e Energia Elétrica

Potência e Energia Elétrica Potência e Energia Elétrica Para qualquer máquina, em particular, para os aparelhos elétricos, definimos potência como a taxa de transformação ou conversão de energia na forma de calor outra forma de energia,

Leia mais

CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES)

CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES) CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES) Prof. Helton Luiz 2012 O QUE É NECESSÁRIO PARA QUE UM APARELHO ELÉTRICO FUNCIONE? Um brinquedo Um rádio Uma lanterna Uma lâmpada Estes aparelhos só

Leia mais

ELETRÔNICA X ELETROTÉCNICA

ELETRÔNICA X ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA X ELETROTÉCNICA ELETRÔNICA É a ciência que estuda a forma de controlar a energia elétrica por meios elétricos nos quais os elétrons têm papel fundamental. Divide-se em analógica e em digital

Leia mais

EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA

EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA EXERCÍCIOS - ELETRODINÂMICA Prof. Patricia Caldana 1. Uma corrente elétrica de intensidade igual a 5 A percorre um fio condutor. Determine o valor da carga que passa através de uma secção transversal em

Leia mais

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO t RESOLÇÃO COMECE DO BÁSICO SOLÇÃO CB. 01 Para ser resistor ôhmico o gráfico deve ser linear. Neste caso, a linearidade se observa no trecho BC. SOLÇÃO CB. 0 ' r '. i ( Equação 10 7 r'.4 4r 48 do receptor)

Leia mais

Lista de Exercícios de Corrente

Lista de Exercícios de Corrente Disciplina: Física F Professor: Joniel Alves Lista de Exercícios de Corrente 1) Um capacitor de placas paralelos, preenchido com ar, tem uma capacitância de 1 pf. A separação de placa é então duplicada

Leia mais

U = U 1 + U 2 + U 3. I = i 1 = i 2 = i 3. R eq = R 1 + R 2 + R 3. R eq = resistência equivalente (Ω) U = ddp da associação (V)

U = U 1 + U 2 + U 3. I = i 1 = i 2 = i 3. R eq = R 1 + R 2 + R 3. R eq = resistência equivalente (Ω) U = ddp da associação (V) Acesse. www.professorarnon.com Eletricidade Básica. Associação de Resistências em Série Vários resistores estão associados em série quando são ligados um em seguida do outro, de modo a serem percorridos

Leia mais

INSTITUTO SÃO JOSÉ - RSE LISTA PREPARATÓRIA PARA PROVA DO TERCEIRO TRIMESTRE

INSTITUTO SÃO JOSÉ - RSE LISTA PREPARATÓRIA PARA PROVA DO TERCEIRO TRIMESTRE 1. (Unesp) Mediante estímulo, 2 10 íons de K atravessam a membrana de uma célula nervosa em 1,0 milisegundo. Calcule a intensidade dessa corrente elétrica, sabendo-se que a carga elementar é 1,6 10 ª C.

Leia mais

Sendo n o número de elétrons que constituem a carga elétrica Q e a carga elétrica elementar, temos: Q = n.e.

Sendo n o número de elétrons que constituem a carga elétrica Q e a carga elétrica elementar, temos: Q = n.e. AULA Nº 0 CORRENTE ELÉTRICA a) Corrente elétrica É todo movimento ordenado de cargas elétricas b) Intensidade média da corrente elétrica Seja Q o valor absoluto da carga elétrica que atravessa a secção

Leia mais

RESISTORES ELÉTRICOS I) RESUMO DE RESISTOR

RESISTORES ELÉTRICOS I) RESUMO DE RESISTOR RESISTORES ELÉTRICOS I) RESUMO DE RESISTOR Diferentemente dos receptores, os resistores elétricos são dispositivos que convertem energia elétrica exclusivamente em energia térmica. Algumas vezes nos circuitos

Leia mais

Unidades de medida. Tensão, corrente, potência, Medidores de potência. Corrente contínua

Unidades de medida. Tensão, corrente, potência, Medidores de potência. Corrente contínua Unidades de medida. Tensão, corrente, potência, Medidores de potência. Corrente contínua Força eletromotriz (f.e.m) e diferença de potencial (d.d.p) Força eletromotriz (FEM), geralmente denotada como E

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuito Elétrico Está associado à: Presença de corrente elétrica: agente que transfere energia da fonte (pilha) para o aparelho (lâmpada). O que é necessário para se

Leia mais

ELETRICIDADE APLICADA RESUMO DE AULAS PARA A 1ª PROVA

ELETRICIDADE APLICADA RESUMO DE AULAS PARA A 1ª PROVA ELETRICIDADE APLICADA RESUMO DE AULAS PARA A 1ª PROVA Eletricidade Aplicada I 1ª Aula Apresentação CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO P 1, P 2 = Prova de teoria (0 10) P lab = Prova de laboratório (0-10) Rel = Somatória

Leia mais

Notas de Aula ELETRICIDADE BÁSICA

Notas de Aula ELETRICIDADE BÁSICA Notas de ula ELETICIDDE ÁSIC Salvador, gosto de 2005. . Conceitos ásicos Fundamentais Estrutura tômica figura.0 é a representação esquemática de um átomo de ohr. Elétron () Núcleo( ou 0) Este átomo é composto

Leia mais

Δt, quando. R. 1 Nessas condições, a relação entre as

Δt, quando. R. 1 Nessas condições, a relação entre as 1. (Unesp 016) As companhias de energia elétrica nos cobram pela energia que consumimos. Essa energia é dada pela expressão E V i t, em que V é a tensão que alimenta nossa residência, a intensidade de

Leia mais

CAPÍTULO 2 PARÂMETROS E RELAÇÕES BÁSICAS

CAPÍTULO 2 PARÂMETROS E RELAÇÕES BÁSICAS CAPÍTULO 2 PARÂMETROS E RELAÇÕES BÁSICAS Versião 2.0 Direitos Reservados PROCOBRE 2009 INTRODUÇÃO Para diagnosticar o comportamento de uma instalação elétrica é necessário medir os seus parâmetros elétricos,

Leia mais

Energia envolvida na passagem de corrente elétrica

Energia envolvida na passagem de corrente elétrica Eletricidade Supercondutividade Baixando-se a temperatura dos metais a sua resistividade vai diminuindo Em alguns a resistividade vai diminuindo com a temperatura, mas não se anula Noutros a resistividade

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ELETRICIDADE

EXERCÍCIOS DE ELETRICIDADE EXERCÍCIOS DE ELETRICIDADE Revisão de Eletricidade (Física) do Ensino Médio A - Corrente e Tensão Elétrica 1. Numa seção reta de um condutor de eletricidade, passam 12 C a cada minuto. Nesse condutor,

Leia mais

Eletricidade básica. Aula 06: Circuitos em série

Eletricidade básica. Aula 06: Circuitos em série Eletricidade básica Aula 06: Circuitos em série Fonte elétrica As fontes elétricas são fundamentais na compreensão da eletrodinâmica, pois elas que mantém a diferença de potencial (ddp) necessária para

Leia mais

FÍSICA. Prof. SÉRGIO GOUVEIA PROMILITARES AFA/EFOMM/EN MÓDULO 6 SUMÁRIO

FÍSICA. Prof. SÉRGIO GOUVEIA PROMILITARES AFA/EFOMM/EN MÓDULO 6 SUMÁRIO SUMÁRIO 1. A DDP ENTRE DOIS PONTOS DE UM CONDUTOR 3. ENERGIA E POTÊNCIA SORVIDAS NUM TRECHO DE CIRCUITO PELA PASSAGEM DE CORRENTE _ 4 3. O EFEITO JOULE (EMISSÃO DE CALOR POR CONDUTOR) 5 4. RESISTOR 6 5.

Leia mais

ELETRODINÂMICA A) 4, B) 6, C) 2, D) 1,0.10-3

ELETRODINÂMICA A) 4, B) 6, C) 2, D) 1,0.10-3 QUESTÃO 01 No circuito mostrado no diagrama, todos os resistores são ôhmicos, o gerador e o amperímetro são ideais e os fios de ligação têm resistência elétrica desprezível. A intensidade da corrente elétrica

Leia mais

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra Circuitos Elétricos DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: NOTA: ASS: - Circuito Simples: Esquema: Bateria: Corrente elétrica i Resistência: i = corrente elétrica V = d.d.p.

Leia mais

3 Médio Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor

3 Médio Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor Nome Nº Ano/Série Ensino Turma 3 Médio Disciplinas Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Valor Física Carlos A8/TI 2º/201]6 02/08/2016 5,0 Introdução: Querido(a) aluno(a), Este material foi

Leia mais

Energia e fenómenos elétricos

Energia e fenómenos elétricos Energia e fenómenos elétricos 1. Associa o número do item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II. Estabelece a correspondência correta entre as grandezas elétricas e os seus significados.

Leia mais

Física Eletrodinâmica Médio [20 Questões]

Física Eletrodinâmica Médio [20 Questões] Física Eletrodinâmica Médio [20 Questões] 01 - (FCM MG) A figura abaixo mostra uma resistência de imersão (ebulidor) mergulhada num recipiente com água, interligada num amperímetro ideal; os terminais

Leia mais

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm

Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica, potência, resistores e leis de Ohm Corrente elétrica Num condutor metálico em equilíbrio eletrostático, o movimento dos elétrons livres é desordenado. Em destaque, a representação de

Leia mais

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1

CIRCUITOS ELETRICOS I: RESISTORES, GERADOR E 1ª LEI DE OHM CIÊNCIAS DA NATUREZA: FÍSICA PROFESSOR: DONIZETE MELO Página 1 Diretoria Regional de Ensino de Araguaína Colégio Estadual Campos Brasil Tocantins - Brasil Um circuito elétrico pode ser definido como uma interligação de componentes básicos formando pelo menos um caminho

Leia mais

Resistores e Associação de Resistores

Resistores e Associação de Resistores Resistores e Associação de Resistores Gabarito Parte I: O esquema a seguir ilustra a situação: Como mostrado, a resistência equivalente é Ω. Aplicando a lei de Ohm-Pouillet: = R eq i 60 = i i = 15 A. a)

Leia mais

Cap06: Resistores Os resistores são elementos de circuito cuja principal propriedade é a resistência elétrica.

Cap06: Resistores Os resistores são elementos de circuito cuja principal propriedade é a resistência elétrica. Cap06: Resistores Os resistores são elementos de circuito cuja principal propriedade é a resistência elétrica. 6.1 considerações iniciais 6.2 Resistencia elétrica. Lei de Ohm. 6.3 Lei de Joule. 6.4 Resistividade

Leia mais

Corrente elétrica pode ser entendida como sendo a quantidade de elétrons que atravessa a secção de um condutor em um segundo.

Corrente elétrica pode ser entendida como sendo a quantidade de elétrons que atravessa a secção de um condutor em um segundo. Corrente, Tensão, Resistência, Potência e Freqüência. Conceitos Básicos Mesmo pensando somente em Informática, temos que conhecer algumas grandezas elétricas básicas. Essas grandezas são: Corrente, tensão,

Leia mais

GERADOR ELÉTRICO TEORIA E EXERCÍCIOS BÁSICOS

GERADOR ELÉTRICO TEORIA E EXERCÍCIOS BÁSICOS GERADOR ELÉTRICO TEORIA E EXERCÍCIOS BÁSICOS GERADOR ELÉTRICO O gerador elétrico é um dispositivo que transforma qualquer tipo de energia em energia elétrica. É um dispositivo destinado a manter uma diferença

Leia mais

Eletrodinâmica. Circuito Elétrico

Eletrodinâmica. Circuito Elétrico Eletrodinâmica Circuito Elétrico Para entendermos o funcionamento dos aparelhos elétricos, é necessário investigar as cargas elétricas em movimento ordenado, que percorrem os circuitos elétricos. Eletrodinâmica

Leia mais

Eletricidade Aula 4. Leis de Kirchhoff

Eletricidade Aula 4. Leis de Kirchhoff Eletricidade Aula 4 Leis de Kirchhoff Fonte de Alimentação Vídeo 6 É um dispositivo capaz de fornecer energia elétrica para um circuito. A fonte de alimentação também pode ser chamada de gerador, e outras

Leia mais

TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série

TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série TAREFA DE FÍSICA Prof. Álvaro 3ª Série Site 02 01 - (Mackenzie SP) No circuito desenhado abaixo, a intensidade de corrente elétrica contínua que passa pelo resistor de 50 é de 80 ma. A força eletromotriz

Leia mais

Física II - AV 1 (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma

Física II - AV 1 (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma Física II - AV (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /204 valor: 0 pontos Aluno (a)turma _. Considere que um determinado estudante, utilizando resistores disponíveis

Leia mais

O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos.

O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos. 7-INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO 7.1-GALVANÔMETRO O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos. O multímetro

Leia mais

c) da aplicação correta destas equações nos diversos níveis de problemas de Física abrangendo aquilo que estudamos.

c) da aplicação correta destas equações nos diversos níveis de problemas de Física abrangendo aquilo que estudamos. ELETRÓSTATICA E ELETRODINÂMICA I) RESUMO DAS PPRICIPAIS EQUAÇÕES Como Ciências naturais que se apoia nas ciências exatas para estudar as leis que regem os fenômenos da natureza em nível macroscópico e

Leia mais

Turma: Pré-vestibular Tema: Corrente Elétrica e Resistores Professor: Leonardo Santos Data: 27 de julho de 2012

Turma: Pré-vestibular Tema: Corrente Elétrica e Resistores Professor: Leonardo Santos Data: 27 de julho de 2012 Curso Predileção Turma: Pré-vestibular Tema: Corrente Elétrica e Resistores Professor: Leonardo Santos Data: 27 de julho de 2012 Q1. (IME) A intensidade da corrente elétrica em um condutor metálico varia,

Leia mais

Corrente, Resistência e Lei de Ohm

Corrente, Resistência e Lei de Ohm Corrente, Resistência e Lei de Ohm Evandro Bastos dos Santos 21 de Maio de 2017 1 Corrente Elétrica Quando uma diferença de potencial é aplicada a um circuito elétrico ocorre, então, realização de trabalho

Leia mais

Curso Técnico em Mecânica ELETRICIDADE

Curso Técnico em Mecânica ELETRICIDADE Curso Técnico em Mecânica - 2016 ELETRICIDADE Aula 11 Potência Elétrica Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino https://giovanatangerino.wordpress.com giovanatangerino@ifsp.edu.br giovanatt@gmail.com ELETRICIDADE

Leia mais

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. website:

Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S.   website: UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS ENERGIA NA AGRICULTURA Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. Email: vigoderis@yahoo.com.br website: www.vigoderis.tk Pode ser gerada

Leia mais

Tópico 01: Estudo de circuitos em corrente contínua (CC) Profa.: Ana Vitória de Almeida Macêdo

Tópico 01: Estudo de circuitos em corrente contínua (CC) Profa.: Ana Vitória de Almeida Macêdo Disciplina Eletrotécnica Tópico 01: Estudo de circuitos em corrente contínua (CC) Profa.: Ana Vitória de Almeida Macêdo Conceitos básicos Eletricidade Eletrostática Eletrodinâmica Cargas elétricas em repouso

Leia mais

LISTA DE EXECÍCIOS AULA 3 FÍSICA ELETRICIDADE

LISTA DE EXECÍCIOS AULA 3 FÍSICA ELETRICIDADE LISTA DE EXECÍCIOS AULA 3 FÍSICA ELETRICIDADE DENSIDADE DE CORRENTE E VELOCIDADE DE ARRASTE 1) A American Wire Gauge (AWG) é uma escala americana normalizada usada para padronização de fios e cabos elétricos.

Leia mais

1. Considere uma bateria de força eletromotriz ε e resistência interna desprezível. Qual dos gráficos a seguir melhor representa a bateria?

1. Considere uma bateria de força eletromotriz ε e resistência interna desprezível. Qual dos gráficos a seguir melhor representa a bateria? 1. Considere uma bateria de força eletromotriz ε e resistência interna desprezível. Qual dos gráficos a seguir melhor representa a bateria? a) b) c) d) e) 2. O desenho abaixo representa um circuito elétrico

Leia mais

Eletricidade CAP2. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Eletricidade CAP2. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Eletricidade CAP2 Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Grandezas elétricas fundamentais Tensão elétrica (DDP) O mesmo que voltagem ou d.d.p. (diferença

Leia mais

FÍSICA MÓDULO 6 CIRCUITOS ELÉTRICOS I. Professor Sérgio Gouveia

FÍSICA MÓDULO 6 CIRCUITOS ELÉTRICOS I. Professor Sérgio Gouveia FÍSICA Professor Sérgio Gouveia MÓDULO 6 CIRCUITOS ELÉTRICOS I 1. A DDP ENTRE DOIS PONTOS DE UM CONDUTOR Considere um condutor de resistividade e área de seção reta A, percorrido por uma corrente i, provocada

Leia mais

Aparelhos de medidas elétricas

Aparelhos de medidas elétricas Aparelhos de medidas elétricas Os aparelhos de medidas elétricas são instrumentos que fornecem uma avaliação da grandeza elétrica, baseando-se em efeitos físicos causados por essa grandeza. Vários são

Leia mais

Circuitos eléctricos

Circuitos eléctricos Circuitos eléctricos O que é? n Designa-se de circuito eléctrico o caminho por onde a corrente eléctrica passa. n A corrente eléctrica é um movimento orientado de cargas, que se estabelece num circuito

Leia mais

Unidade 8. Eletricidade e Magnetismo

Unidade 8. Eletricidade e Magnetismo Unidade 8 Eletricidade e Magnetismo Eletrostática e Eletrodinâmica Os fenômenos elétricos estão associados aos elétrons. Cargas Elétricas As cargas elétricas podem ser positivas ou negativas Cargas opostas

Leia mais

Instalações elétricas e telefônicas. Prof. M.Sc. Guilherme Schünemann

Instalações elétricas e telefônicas. Prof. M.Sc. Guilherme Schünemann Instalações elétricas e telefônicas Prof. M.Sc. Guilherme Schünemann Introdução sistema elétrico Carga elétrica (q) Conceito de carga é o principal elemento para explicar todo fenômeno elétrico A carga

Leia mais

CONDUTORES E ISOLANTES

CONDUTORES E ISOLANTES ELETRICIDADE CONDUTORES E ISOLANTES O FÍSICO INGLÊS STEPHEN GRAY PERCEBEU QUE ALGUNS FIOS CONDUZIAM BEM A ELETRICIDADE E CHAMOU-OS DE CONDUTORES E, AOS QUE NÃO CONDUZIAM OU CONDUZIAM MAL A ELETRICIDADE,

Leia mais

INTRODUÇÃO A ELETRICIADE BÁSICA

INTRODUÇÃO A ELETRICIADE BÁSICA 1 INTRODUÇÃO A ELETRICIADE BÁSICA Na eletricidade básica existem três grandezas fundamentais que são a tensão elétrica, a corrente elétrica, a resistência elétrica. Para estuda-las utilizaremos o conceito

Leia mais

I = corrente elétrica medida em Ampères (A) t = tempo em segundos

I = corrente elétrica medida em Ampères (A) t = tempo em segundos Eletrodinâmica ELETRODINÂMICA: Carga Elétrica: Q = n.e Corrente Elétrica: I = Q / t Q = carga elétrica medida em Coulombs (C) n = número de elétrons ou prótons e = carga de um elétron = 1,6 10-19 Coulombs

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

Circuitos elétricos. Prof. Fábio de Oliveira Borges

Circuitos elétricos. Prof. Fábio de Oliveira Borges Circuitos elétricos Prof. Fábio de Oliveira Borges Curso de Física II Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense Niterói, Rio de Janeiro, Brasil https://cursos.if.uff.br/!fisica2-0117/doku.php

Leia mais

Física C Extensivo V. 4

Física C Extensivo V. 4 GBITO Física C Extensivo V. Exercícios 0) F. lei de Ohm se refere a um tipo de resistor com resistência constante cuja resistência não depende nem da tensão aplicada nem da corrente elétrica. F. penas

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 20 POTÊNCIA E ENERGIA ELÉTRICA REVISÃO

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 20 POTÊNCIA E ENERGIA ELÉTRICA REVISÃO FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 20 POTÊNCIA E ENERGIA ELÉTRICA REVISÃO Como pode cair no enem Não havendo aumento no preço do kwh nem nos impostos embutidos, você deverá pagar sua próxima conta de luz em torno

Leia mais

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 Técnico em Eletromecânica - Agosto o de 2009 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 Eletrostática: CONTEÚDO Átomo-Lei

Leia mais

Medida da resistência elétrica

Medida da resistência elétrica Medida da resistência elétrica 1 Fig.31.1 31.1. No circuito da Fig. 31.1 o amperímetro e o voltímetro são reais (isto é, R A 0 e R V ). Eles fornecem, respectivamente, as leituras i e U. Podemos afirmar

Leia mais

Experimento Prático N o 4

Experimento Prático N o 4 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Departamento de Engenharia Área de Eletricidade Experimento Prático N o Eletricidade para Engenharia Lei de Ohm e Potência Elétrica L A B O R A T Ó R I O D E E L E T R I

Leia mais

Prof. Fábio de Oliveira Borges

Prof. Fábio de Oliveira Borges Corrente Elétrica Prof. Fábio de Oliveira Borges Curso de Física II Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense Niterói, Rio de Janeiro, Brasil http://cursos.if.uff.br/fisica2-0116/ Corrente elétrica

Leia mais

Exercícios de Física Eletrodinâmica

Exercícios de Física Eletrodinâmica Exercícios de Física Eletrodinâmica Lista elaborada pelo Professor Fernando Valentim nandovalentim@yahoo.com.br 01. No circuito da figura, o gerador é ideal. A intensidade da corrente elétrica que passa

Leia mais

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2016 91 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA LISTA DE EXERCÍCIOS 01 3º ANO PROF. FELIPE KELLER ELETROSTÁTICA 1 (UNIFESP) Um condutor é percorrido por uma corrente elétrica de intensidade i = 800 ma. Conhecida a carga 19 elétrica elementar, e = 1,6

Leia mais

Observação: É possível realizar o experimento com apenas um multímetro, entretanto, recomenda-se um multímetro por grupo de alunos.

Observação: É possível realizar o experimento com apenas um multímetro, entretanto, recomenda-se um multímetro por grupo de alunos. Lista de Materiais 1 multímetro. 4 pilhas de 1,5V. 2 resistores com resistências da mesma ordem de grandeza. Exemplo: R1 = 270 Ω e R2 = 560 Ω. Lâmpada com soquete com bulbo esférico (6,0V-500 ma). Resistor

Leia mais

Centro Paula Souza ETEC Raposo Tavares Instalação e Manutenção de Computadores IMC Prof. Amaral

Centro Paula Souza ETEC Raposo Tavares Instalação e Manutenção de Computadores IMC Prof. Amaral Eletrônica Básica Conceitos de Tensão, Corrente e Resistência Elétrica Aulas de 04 a 25/08 Mesmo pensando somente em Informática, temos que conhecer algumas grandezas elétricas básicas. Essas grandezas

Leia mais

Física Experimental III. Prof. MSc. LUCAS BARBOZA SARNO DA SILVA

Física Experimental III. Prof. MSc. LUCAS BARBOZA SARNO DA SILVA Física Experimental III Prof. MSc. LUCAS BARBOZA SARNO DA SILVA Uma introdução à Lei de Ohm Corrente elétrica Resistência e Lei de Ohm Resistores Circuitos Medição de corrente e tensão 22/2/3 2 Corrente

Leia mais

1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura:

1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: 1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: Considere nula a resistência elétrica dos fios que fazem a ligação entre a bateria e as

Leia mais

Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA:

Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA: EXERCÍCIOS ON LINE 2º Bimestre DISCIPLINA: Física II PROFESSOR(A): Eduardo R Emmerick Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA: NOME: Nº.: 01) Vamos supor que temos uma partícula carregada com carga q = 4 μc

Leia mais

PARÂMETROS ELÉTRICOS PARA SELEÇÃO DE CONDUTORES

PARÂMETROS ELÉTRICOS PARA SELEÇÃO DE CONDUTORES Instalações Elétricas Internas UNIDADE II PARÂMETROS ELÉTRICOS PARA SELEÇÃO DE CONDUTORES 1. INTRODUÇÃO Para diagnosticar o comportamento de uma instalação elétrica é necessário medir os seus parâmetros

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRODINÂMICA

LISTA DE EXERCÍCIOS DE ELETRODINÂMICA csjose@csjose.com.br Aluno(a) Nº Série: 3º Ensino Médio Turma 1ª Unidade Disciplina: FÍSICA Data / /. Professor(a) : Antônio Barreto O S e n h o r t e a b e n ç o e e t e g u a r d e v o l t e p a r a

Leia mais

Capítulo 7: Associação de Resistores

Capítulo 7: Associação de Resistores Capítulo 7: Associação de Resistores Os resistores podem ser associados basicamente de dois modos distintos: em série e em paralelo. Ambos os modos de associação podem estar presentes: temos um associação

Leia mais

8 - CORRENTE ELÉTRICA

8 - CORRENTE ELÉTRICA 8 - CORRENTE ELÉTRICA 1 2678 - A corrente elétrica produz sempre: (a) efeito Joule e efeito magnético (b) efeito magnético (c) efeito magnético e efeito químico (d) efeito magnético efeito químico a afeito

Leia mais

Prof. Fábio de Oliveira Borges

Prof. Fábio de Oliveira Borges Corrente Elétrica Prof. Fábio de Oliveira Borges Curso de Física II Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense Niterói, Rio de Janeiro, Brasil https://cursos.if.uff.br/!fisica2-0117/doku.php

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 2º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos Geradores, Receptores e Potência Elétrica 1. (Espcex (Aman) 2013) A pilha de uma lanterna possui

Leia mais

Eletrodinânica - Exercícios

Eletrodinânica - Exercícios Eletrodinânica - Exercícios Professor Walescko 13 de outubro de 2005 Sumário 1 Exercícios 1 2 Vestibulares UFRGS 7 3. O gráfico representa a corrente elétrica i em função da diferença de potencial V aplicada

Leia mais

3º Estágio NOTA FINALIZADA

3º Estágio NOTA FINALIZADA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PR-EG UBTech - CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Componente Curricular: Física Geral III Professores: Evandro Alves Torquato Filho, José

Leia mais

Física C Semiextensivo V. 4

Física C Semiextensivo V. 4 GRITO Física Semiextensivo V. 4 Exercícios 0) a) 0 ; b) 800 W; c) 4,0 Ω; d) 80 V. 0) a) P consumida 00 W V 0 V P V. i 00 0. i i 0 b) P útil? P consumida P útil + P dissipada 00 P útil + 400 P útil 800

Leia mais

Física C Extensivo V. 4

Física C Extensivo V. 4 GBITO Física C Extensivo V. Exercícios 0) F. lei de Ohm se refere a um tipo de resistor com resistência constante cuja resistência não depende nem da tensão aplicada nem da corrente elétrica. F. penas

Leia mais

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA

FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (ELETROMAGNETISMO) CORRENTE ELÉTRICA E RESISTÊNCIA FÍSICA (Eletromagnetismo) Nos capítulos anteriores estudamos as propriedades de cargas em repouso, assunto da eletrostática. A partir deste capítulo

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Informática Disciplina Sistemas de Instrumentação Engenharia de Sistemas e 1 Ano Curso Ano 2º Semestre Informática º Lectivo Aulas TeóricoPráticas Ficha de Trabalho N.º1 2005/2006 Título Conceitos

Leia mais

PARÂMETROS E RELAÇÕES BÁSICAS

PARÂMETROS E RELAÇÕES BÁSICAS UNIDADE II PARÂMETROS E RELAÇÕES BÁSICAS 1. INTRODUÇÃO Para diagnosticar o comportamento de uma instalação elétrica é necessário medir os seus parâmetros elétricos, relacioná-los, analisar os seus resultados

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE FÍSICA

LISTA DE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE FÍSICA LISTA DE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE FÍSICA ALUNO(a): Nº: SÉRIE: 2ª TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /2017 Obs.: Esta lista deve ser entregue resolvida no dia da prova de recuperação. Valor:

Leia mais

Laboratório de Circuitos Elétricos

Laboratório de Circuitos Elétricos Laboratório de Circuitos Elétricos 3ª série Mesa Laboratório de Física Prof. Reinaldo / Monaliza Data / / Objetivos Observar o funcionamento dos circuitos elétricos em série e em paralelo, fazendo medidas

Leia mais

Eletricidade Aula 2. Circuitos elétricos e suas propriedades

Eletricidade Aula 2. Circuitos elétricos e suas propriedades Eletricidade Aula 2 Circuitos elétricos e suas propriedades O Resistor Podemos construir um componente que possua um valor desejado de resistência o resistor. Os resistores podem ser construídos para ter

Leia mais

Física Eletrodinâmica Fácil [20 Questões]

Física Eletrodinâmica Fácil [20 Questões] Física Eletrodinâmica Fácil [0 Questões] 01 - (ITA SP) Sendo dado que 1J = 0,39 cal, o valor que melhor expressa, em calorias, o calor produzido em 5 minutos de funcionamento de um ferro elétrico, ligado

Leia mais

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Princípios de Circuitos Elétricos Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Agenda Noções básicas de circuitos elétricos: Corrente; Tensão; Fontes de Corrente Contínua; Condutores e Isolantes; Semicondutores;

Leia mais

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR.

RESISTOR É O ELEMENTO DE CIRCUITO CUJA ÚNICA FUNÇÃO É CONVERTER A ENERGIA ELÉTRICA EM CALOR. Resistores A existência de uma estrutura cristalina nos condutores que a corrente elétrica percorre faz com que pelo menos uma parte da energia elétrica se transforme em energia na forma de calor, as partículas

Leia mais

Circuitos de uma malha (ou redutíveis a uma malha)

Circuitos de uma malha (ou redutíveis a uma malha) Circuitos de uma malha (ou redutíveis a uma malha) 1 Fig,24.1 24.1. Em certas ocasiões podemos ter circuitos elétricos muito complexos, com o aspecto de uma verdadeira rede. Qualquer circuito poligonal

Leia mais

Corrente e Resistência

Corrente e Resistência Cap. 26 Corrente e Resistência Prof. Oscar Rodrigues dos Santos oscarsantos@utfpr.edu.br Corrente e resistência 1 Corrente Elétrica Corrente Elétrica (i) é o movimento ordenado de elétrons provocados por

Leia mais