Física C Extensivo V. 4

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Física C Extensivo V. 4"

Transcrição

1 GBITO Física C Extensivo V. Exercícios 0) F. lei de Ohm se refere a um tipo de resistor com resistência constante cuja resistência não depende nem da tensão aplicada nem da corrente elétrica. F. penas aqueles com resistência constante. F. Equação dos resistores. V. V. 0) 37 V i 0 05, V i V 3 i , V i Ω V 5 i , O aumento na tensão deve ser acompanhado de um aumento proporcional na corrente. 0) V. V. Como o gráfico V x I possui um comportamento não linear então temos uma resistência variável. F. Quanto menor o ângulo θ, maior é a resistência do elemento linear. V. θ > θ > 05) B 06) té 3 V é ôhmica, inclusive V 0 0, 0, 3 06, 5 Ω Perceba que todos esses gráficos apresentam resistência constante. 03) E V 0 V V 0 V V 3 30 V V 0 V V 5 50 V b) V i 50 Ω 0 Física C

2 GBITO 07) 06 08) C Não é ôhmico e quando: V 3 V e i V 3 i 3 Ω 09) C Em um resistor ôhmico a tensão é diretamente proporcional à corrente. 0) Conduto V i 8,,36 Ω 05, 36,,36 Ω 7,,36 Ω É ôhmico. Condutor V i 38, 6,36 Ω 05, 36,,36 Ω Não é ôhmico. a) V 36 i 8,5 Ω b) Como,5 Ω V. i V,5.,6 V 7, V ) v. i 8. 0,5 6 Ω 6 0,065 siemens 6 ) a) i 0,5 3) V i b) V V V i a) b) V i 9 03, 6 05, 0, 6 0, 30 Ω Ω 0 Ω 0 Ω ) Na posição, se a chave for ligada na posição, o D ficará polarizado reversamente. 5) a) Perceba pelo gráfico que a corrente aparece a partir de 0,7 V. b) V, 0, Ω i 06, V i 6) (V) ρl, 0 0, Ω (F) Para a maioria dos materiais, o aumento da temperatura ocasiona aumento da resistência. (F) O aumento de temperatura, para a maioria dos materiais, aumenta a resistividade. (F) Quanto maior a área menor a resistência elétrica. (V) (F) O aumento da temperatura poderá alterar sua resistência. (F) resistência elétrica é uma grandeza diretamente proporcional ao comprimento e inversamente proporcional à área de sua secção transversal. 7) a) ρl Ω. 0 b) V. i V 5., 60 V 8) C ρl ρl ρ. l ssim,. 9) C ρl 3 3 L ρ3 L B 6ρ 6 ρl Física C

3 GBITO 0) 3ρ. L L c 3ρ 3 L 3ρ L D ρ 3 L ρ L E ρ Perceba pelos valores encontrados que a menor resistência é o material. ρl 0 ρ l πr ) D ρl perceba que d r r d Figura ρl ρl d πd π Figura ρl d π como d r r d 8 ρ l πd Figura 3 como d r r d ρl 3 π( d) 3 3) E ρl ρ l πr ' ρ. 3l 5 ρ l então 5 r πr π 3 ' 5 ρl ρ l πr ρl. πr ρl π( r ) ) ssim,. 0 5 Ω ) V. i l km 000 m 0 mm 38,9. i i 0 Como ρl 0, ,9 Ω ρ ρ B (mesmo material) l l B Como v θ > θ B, pois tgθ i então > B. 0. Falso. mbos obedecem. 0. Verdadeiro. 0. Falso. Se > B e ~, então a < B. 08. Verdadeiro. 6. Falso. São iguais. 3. Falso. São iguais. 6. Falso. > B. Física C 3

4 GBITO 5) Se 0,3 Ω quando l km 000 m 3 d 900 kg/m e Cu 8 ρ,7. 0 Ω. m 30) d m v m d.v onde v base. h Como ρl ρl 8, , ssim, m d. base. h m m 0,5 kg 50 g m 6) C ρl ρ l πr Duplicando-se o diâmetro duplica-se também o raio. ' ρ l π( r) ssim, ρl onde ρ l πr πr ' 7) E 0 mm 7 fios total 70 mm ρ,. 0 Ω. mm m ρl ,3 Ω 70 V. i V i 3 Ω a) ssim Ω 80 % B 00 % B 5 Ω b) V. i 5. i i, 3) V 0 V i 5 t 5 mm 900 s P V. i P 0. 5 P 00 W Como: P Q t 00 Q 900 Q J ou, cal 3) E,5 Kw h t 0 min. 6 hora cal,8 J x J x, cal 8) o [ + α (T T o )] 0 [ + 6, (50 0)] 0 [ ] 6,8 Ω 9) o [ + α (T T o )] 0 [ +, (T 0)] 0 +, T, , T T 00 o C V. i V i 3 03, 0 Ω P E P 5, P 5 W t 6 33) E (energia consumida) 3) C quantidade de energia consumida por intervalo de tempo. 35) P L 60W t h Pc 60 w tc? E L P L. t L E L 60. E L 660 w h E c P c. t c t c t c 0,5 h 5 min. Física C

5 GBITO 36) potência desse aparelho é: V 0 V E 0,37 kwh t 0 min 6 h P E t P 037,, kw 6 P 0 W Logo temos o aquecedor. 37) P 3000 w v 0 V P V. i i i 3,65 (dijuntor de 0) o dobrarmos a potência, P 6000 w dobraremos também a corrente i 7,7 Logo um dijuntor de 30, pelo menos, precisa ser instalado. 38) Lâmpada E P. t E lâmpadas E 00 wh Chuveiro E P. t E chuveiro E 500 wh Geladeira E 300. E geladeira E 300 wh Tevê E 00. E 00. TV E 00 wh Energia Total wh (por dia) x 30 Energia mensal wh 68 kwh 39) E 3,6 w. h 0 t 0 s h P E. t 0 P 3, P 3 w 0) P decodificador 6W E D P D t p E p 6. horas. 30 dias E D 30 w. h P lâmpada 60 w E L P L. t L t L t L 7 h ) E chuveiro P. t wh. E micro-ondas P. t wh. Kwh 000 wh. ) t 0 min. 3 h P 00 w E P. t E kwh $0,5 kwh x x,00 E 00 wh (por dia) x 30 E 000 wh Kwh (mensal) 3) kwh 3, J 300 kwh x ) C x,00 8 J O KWh (quilo-watt hora) é unidade de energia, onde a potência está em KW (quilo-watt) e o tempo de consumo de energia está em h (hora). 5) E m. g. h (potencial das águas) E E, J como há um rendimento de 50% 50% E elétrica 0, J lâmpada de 00 w consome em s E elétrica 0, J lâmpada de 00 w consome em s E P. t E 00. E 00 j ssim, lâmpada 00 J x 0, J x 750 lâmpadas Física C 5

6 GBITO 6) C P 3 kw t h E p. t E 3. 0,75 kwh Quantidade 5 P w 7) Lâmpadas 00 v 00 v t 5h a) E P. Δt E E 500 wh x 5 lâmpadas x 30 dias E wh 75wh P w Chuveiro v 0 v t, h b) E chuveiro P. Δt E chuveiro 500., x 30 dias E chuveiro wh 90 kwh ferro P 000 w tevê v 0 v rádio geladeira t h c) E outros P. Δt E outros 000. x 30 dias E outros wh 30 kwh d) E total kwh Como: kwh 3, J 95 kwh x x 7, J 8) Graficamente percebemos que: a) L 305 w P 50 w b) São grandezas inversamente proporcionais, pois o produto do tempo de uma volta do disco pela respectiva potência é uma constante. 9) v, v i, v t. 0 3 s P v. i P, P 5. 0 w P E t E E 5.0 j 50) a) i máx P max. imáx 6000 V 0 i 50 máx b) energia consumida área hachurada Perceba que cada "quadradinho" hachurado tem uma área igual a: Logo E 0,5 kwh Como em um dia são completados 30 "quadrinhos". Então E consumida 30 X 0,5 kwh 5 kwh c) E mensal 5 kwh x kwh kwh $0, 50 kwh x x $5,00 5) P 00 cal/s P 00 x,8 J/s P 67 J/s watt i 80 P. i 67 (80) 6,5 Ω 5) V 0 V Ω P V 0 P 00 w 53) C Quando a diferença de potencial é a mesma, a potência é inversamente proporcional à resistência. Como é a menor, logo a sua potência será a maior. P V ρl 3 B B ρ3l 6ρL C C 3 ρ L 3ρL D D 3 ρl ρl 3 6 Física C

7 GBITO E E ρl ρl 5) L 0 m 0,0 m ρ Ω. m P 0,8 w ρl. 0 Ω , P. i 0,8. 0. i i 90 55) V,5 v V 3v P 0,50 w V P V P 56) P 0 w V 0 V? P V P V P? 5, 3 P 0, 50 P 0,6 w Ω Quando a tensão passar a ser 0 V, a resistência se mantém. V. i 0 0. i i V 57) P Se V 0 V (00%) e considerando uma resistência de Ω P V P ( 0) P 8 00 w Se houver uma redução de 5%, V 09 V P V P ( 09) P 3 68 w 8 00 w 00% 3 68 w x% x 0% 58) D ρl precisamos diminuir a resistência. 59) B P I P II (mesma potência transmitida) UI UII, sendo mesmo material (ρ) e mesma área da ι ι ρi ρii sessão transversal (), têm-se: ι II, km ιii 900 km 00% (900,) km % energia perdida %E 6 vezes maior 60) 9 0. Verdadeiro. 0. Verdadeiro. o aumentarmos o comprimento, teremos mais resistência, assim menos potência e consequentemente menos energia gasta. 0. Falso. Quanto mais fino ( área), mais resistência mais calor. 08. Falso. Não funcionará. 6. Verdadeiro. 6) V, L m 00 g T o C c cal/g o C 6) Q m. c. T Q 00.. Q 00 cal como cal, J Q J V V t min. 50 s P E P t 50 w P V 6 Ω o aumentarmos,5 o comprimento ρl umentamos,5 a resistência P V Física C 7

8 GBITO e diminuímos,5 a potência p' 80 p' 3 W 5, 63) P 000 w v 0 v a) P V. i i i,55 b) V. i 0,55. 8, Ω c) E P. t E E j t 5 minutos 300 s 6) Perceba que a potência é diretamente proporcional ao quadrado da tensão. P V ntes: P V 600 v 0 v 000 v 09,5 v Depois: Se reduzirmos a tensão pela metade v' 5,77 V p' ( 5, 77 ) p' 3000 p' 50 w 0 0 través do segundo gráfico, obtemos para 50 m uma potência de saída aproximadamente,8 mw 75 mw 00%,8 mw x x,% 65) V 0 V P, KW V a) P. 00 ( 0) Ω b) E P. t E,. 0,5 E, KWh t 30 min. 0,5h KWh $ 0,50, KWh x x $,0 c) P V 0 P P 00 W, KW 66) E O relógio medidor indicou um consumo de 563 kwh no mês anterior e de 783 kwh na última leitura. diferença entre essas duas medidas determina um consumo de 0 kwh no período de um mês. ssim, como o valor do kwh na cidade é de $0,0, pode-se calcular o valor (P) a ser pago. kwh $0,0 0 kwh P P $,00 67) 9 0. Verdadeiro. 0. Verdadeiro. V V V 3V 5 Ω i 00 m 00 m 600 m 0. Falso. Pode ser aplicada, mas o resistor não será mais ôhmico. 08. Falso. V. i Ω6. Verdadeiro. ρl 6, Ω, Falso. P V. i P P 00 mw P V. i P x P 800 mw 68) B ρ cu,7.0 8 Ω.m ρ l, Ω.m l cu l l Área cu Área l Então como ρ l > ρ cu ρl l > cu 69) Como a d.d.p. diminui vezes, a potência diminuirá vezes. Pois P V ssim, a nova potência p' 60 5 w 70) V 0 V P 5500 w T o 5 o C c J/g o C a) P V 8 Física C

9 GBITO b) m 55 g t s 8,8 Ω 73) B Perceba que a inclinação do grafico não se mantém constante, logo a sua resistência varia com a corrente. Na verdade, quanto maior for a inclinação do gráfico, maior será a sua resistência. ssim, perceba que a inclinação em B é maior do que em. P Q t 5500 Q Q 5500 J Q m. c. t (T 5) 5 T 5 T 0 o C Q c) P t 5500 Q Q 5500J Q m. c. t 5500 m.,55 m 5 g t 70 5 t 55 o C 7) 0 KΩ P w P. i i i i ) i 0,0 0 m 00 Na versão 0 V, a torneira apresenta a potência máxima de 5500 W, e sua resistência elétrica pode ser obtida pela expressão: P U tgθ B > tgθ B > Deste modo, percebemos que enquanto aumentamos a d.d.p. aumentamos a corrente e a resistência. 7) V 0 V P 00 W 5. 0 mm m ρ Ω. m 0. 6 a) P V. i i i 0 75) b) V. i 0. 0 Ω c) ρl l 8 l, m 5. 0 P ( 0) 5500 ( 0) 8,8 Ω o ligar essa torneira em tensão nominal de 7 V, a potência máxima nessa nova confi guração será: P U ( 7 ) 88, P 830 W 0 litros/min T o C 50 Ω c J/g o C a) t min. 60 s m g Q m. c. T Q Q. 0 5 J Física C 9

10 GBITO 76) P Q t P. 0 w P. i i i 0 b) energia elétrica consumida pelo resistor da torneira é integralmente transformada em calor (efeito joule), que é absorvido pela água, provocando o seu aquecimento. c) Podemos citar dois exemplos: ) reduzir a vazão da água; ) diminuir a resistência do resistor da torneira. potência dissipada pelos chuveiros pode ser calculada por: chuveiro chuveiro B U UB P PB B De acordo com o enunciado, as potências dissipadas pelos chuveiros são iguais, então: P P B U U B B ( 7) ( 0) B 0,3 B 0 Física C

E X E R C Í C I O S. i(a) 7,5 10 elétrons

E X E R C Í C I O S. i(a) 7,5 10 elétrons E X E R C Í C I O S 1. O gráfico da figura abaixo representa a intensidade de corrente que percorre um condutor em função do tempo. Determine a carga elétrica que atravessa uma secção transversal do condutor

Leia mais

A Lei de Ohm estabelece uma relação entre as grandezas elétricas: tensão ( V ), corrente ( I ) e resistência ( R ) em um circuito.

A Lei de Ohm estabelece uma relação entre as grandezas elétricas: tensão ( V ), corrente ( I ) e resistência ( R ) em um circuito. Página 1 de 25 1ª Lei de Ohm Embora os conhecimentos sobre eletricidade tenham sido ampliados, a Lei de Ohm continua sendo uma lei básica da eletricidade e eletrônica, por isso conhecê-la é fundamental

Leia mais

Energia e potência em receptores elétricos

Energia e potência em receptores elétricos Energia e potência em receptores elétricos 1 17.1. Quando uma corrente elétrica atravessa um receptor, a energia elétrica consumida ou é totalmente transformada em calor (é o caso dos resistores), ou então

Leia mais

FÍSICA SETOR B. 3. (Pucrj 2013) O gráfico abaixo apresenta a medida da variação de potencial em função da corrente que passa em um circuito elétrico.

FÍSICA SETOR B. 3. (Pucrj 2013) O gráfico abaixo apresenta a medida da variação de potencial em função da corrente que passa em um circuito elétrico. FÍSICA SETOR B Assuntos abordados: Corrente elétrica 1ª Lei de Ohm Potência elétrica Energia elétrica LEMBRETE: Estudar os capítulos 8, 9, 10 e 11 da apostila, além de refazer e revisar TODOS os exercícios

Leia mais

LISTA FISICA 2 ROGERIO

LISTA FISICA 2 ROGERIO LISTA FISICA 2 ROGERIO 1 FUVEST - SP Um circuito elétrico residencial tem os aparelhos elétricos da tabela a seguir, onde aparecem suas potências médias. A ddp na rede é de 110 V. Calcule a intensidade

Leia mais

RESISTORES. 1.Resistencia elétrica e Resistores

RESISTORES. 1.Resistencia elétrica e Resistores RESISTORES 1.Resistencia elétrica e Resistores Vimos que, quando se estabelece uma ddp entre os terminais de um condutor,o mesmo é percorrido por uma corrente elétrica. Agora pense bem, o que acontece

Leia mais

Lista de Exercícios ENTREGAR NO DIA DA PROVA (10/04). CASO NÃO TENHA ENTREGUE A LISTA CONFORME DATA ACIMA, A NOTA DE PROVA SERÁ DECRESCIDA.

Lista de Exercícios ENTREGAR NO DIA DA PROVA (10/04). CASO NÃO TENHA ENTREGUE A LISTA CONFORME DATA ACIMA, A NOTA DE PROVA SERÁ DECRESCIDA. Lista de Exercícios ENTREGAR NO DIA DA PROVA (10/04). CASO NÃO TENHA ENTREGUE A LISTA CONFORME DATA ACIMA, A NOTA DE PROVA SERÁ DECRESCIDA. 1. Vamos supor que uma lâmpada utiliza uma alimentação de 6V

Leia mais

APOSTILA DE ELETRICIDADE BÁSICA

APOSTILA DE ELETRICIDADE BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO APOSTILA DE ELETRICIDADE BÁSICA Prof. Andryos da Silva Lemes Esta apostila é destinada

Leia mais

ACESSO FÍSICA LISTA 2 (POTENCIA ELÉTRICA E CIRCUITOS)

ACESSO FÍSICA LISTA 2 (POTENCIA ELÉTRICA E CIRCUITOS) ACESSO FÍSICA LISTA 2 (POTENCIA ELÉTRICA E CIRCUITOS) 22. Considerando a tarifa aproximada de R$ 0,40 por kwh cobrada pela Copel em Curitiba, calcule o custo mensal (30 dias) dos banhos de uma família

Leia mais

(3) Mantendo-se a resistência constante e dobrando-se o comprimento (l) do fio, a área da secção transversal (A)

(3) Mantendo-se a resistência constante e dobrando-se o comprimento (l) do fio, a área da secção transversal (A) 01-(ENEM-MEC) Baseado nas figuras: (1) Mantendo-se a secção transversal constante e dobrando-se o comprimento (l) do fi o, a resistência (R) dobra --- então, a proporcionalidade entre l e R é direta. (2)

Leia mais

Aulas 19 a 23. 1. (Fuvest 2012)

Aulas 19 a 23. 1. (Fuvest 2012) 1. (Fuvest 01) A figura acima representa, de forma esquemática, a instalação elétrica de uma residência, com circuitos de tomadas de uso geral e circuito específico para um chuveiro elétrico. Nessa residência,

Leia mais

Parte II ELETRODINÂMICA

Parte II ELETRODINÂMICA 98 PTE II ELETODINÂMIC Parte II ELETODINÂMIC Tópico 1 1 Quando uma corrente elétrica é estabelecida em um condutor metálico, quais portadores de carga elétrica entram em movimento ordenado? esposta: Elétrons

Leia mais

Eletrodinâmica. Circuito Elétrico

Eletrodinâmica. Circuito Elétrico Eletrodinâmica Circuito Elétrico Para entendermos o funcionamento dos aparelhos elétricos, é necessário investigar as cargas elétricas em movimento ordenado, que percorrem os circuitos elétricos. Eletrodinâmica

Leia mais

LISTA de ELETRODINÂMICA PROFESSOR ANDRÉ

LISTA de ELETRODINÂMICA PROFESSOR ANDRÉ LISTA de ELETRODINÂMICA PROFESSOR ANDRÉ 1. (Fuvest 014) Dois fios metálicos, F 1 e F, cilíndricos, do mesmo material de resistividade ρ, de seções transversais de áreas, respectivamente, A 1 e A = A 1,

Leia mais

Os elétrons possuem cargas elétricas negativas, os prótons possuem cargas elétricas positivas e os nêutrons não possuem cargas elétricas.

Os elétrons possuem cargas elétricas negativas, os prótons possuem cargas elétricas positivas e os nêutrons não possuem cargas elétricas. Sumário 1 - ESTRUTURA ATÔMICA 3 2 - ELETROSTÁTICA 5 3 - DIFERENÇA DE POTENCIAL (d.d.p)... 6 4 - CORRENTE ELÉTRICA 7 5 - RESISTÊNCIA ELÉTRICA E CONDUTÂNCIA... 8 6 - LEI DE OHM 9 7 - ENERGIA ELÉTRICA 9 8

Leia mais

Onde Δq = e é a carga do elétron.

Onde Δq = e é a carga do elétron. TEORIA FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 3 TENSÃO E POTÊNCIA ELÉTRICA energia potencial elétrica que esse mesmo elétron possui no ponto A, E A. 1. INTRODUÇÃO No capítulo anterior, estudamos a corrente

Leia mais

CONTEÚDOS: Req. 2-A figura a seguir ilustra uma onda mecânica que se propaga numa velocidade 3,0m/s. Qual o valor do comprimento de onda?

CONTEÚDOS: Req. 2-A figura a seguir ilustra uma onda mecânica que se propaga numa velocidade 3,0m/s. Qual o valor do comprimento de onda? Exercícios para recuperação final 2 ano Acesso CONTEÚDOS: Óptica (reflexão refração lentes) Estudo das ondas Fenômenos ondulatórios Eletrodinâmica Leis de Ohm Associação de resistores Geradores e Receptores

Leia mais

Energia Elétrica. 1. (G1 - ifsp 2013) Ao entrar em uma loja de materiais de construção, um eletricista vê o seguinte anúncio:

Energia Elétrica. 1. (G1 - ifsp 2013) Ao entrar em uma loja de materiais de construção, um eletricista vê o seguinte anúncio: Energia Elétrica 1. (G1 - ifsp 2013) Ao entrar em uma loja de materiais de construção, um eletricista vê o seguinte anúncio: ECONOMIZE: Lâmpadas fluorescentes de 15 W têm a mesma luminosidade (iluminação)

Leia mais

Segunda Lei de Ohm Resistividade e Resistência Elétrica

Segunda Lei de Ohm Resistividade e Resistência Elétrica Segunda Lei de Ohm Resistividade e Resistência Elétrica 1. (Fuvest 01) Dois fios metálicos, F 1 e F, cilíndricos, do mesmo material de resistividade ρ, de seções transversais de áreas, respectivamente,

Leia mais

Resistores e Associação de Resistores

Resistores e Associação de Resistores Parte I Resistores e Associação de Resistores 1. (Ufmg 2012) Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: c) 8. d) 12. e) 15. 4. (Ufu 2011)

Leia mais

Potência e Energia Elétrica

Potência e Energia Elétrica Potência e Energia Elétrica 1. (G1 - ifsp 2013) Ao entrar em uma loja de materiais de construção, um eletricista vê o seguinte anúncio: ECONOMIZE: Lâmpadas fluorescentes de 15 W têm a mesma luminosidade

Leia mais

Geradores. a) Complete a tabela abaixo com os valores da corrente I. V(V) R( ) I(A) 1,14 7,55 0,15 1,10 4,40 1,05 2,62 0,40 0,96 1,60 0,85 0,94 0,90

Geradores. a) Complete a tabela abaixo com os valores da corrente I. V(V) R( ) I(A) 1,14 7,55 0,15 1,10 4,40 1,05 2,62 0,40 0,96 1,60 0,85 0,94 0,90 Geradores 1. (Espcex (Aman) 2013) A pilha de uma lanterna possui uma força eletromotriz de 1,5 V e resistência interna de 0,05 Ω. O valor da tensão elétrica nos polos dessa pilha quando ela fornece uma

Leia mais

LEI DE OHM E RESISTÊNCIA ELÉTRICA

LEI DE OHM E RESISTÊNCIA ELÉTRICA LEI DE OHM E RESISTÊNCIA ELÉTRICA OBJETIVOS Este experimento tem por objetivo estudar a dependência da diferença de potencial ( ) com a corrente ( ) de um dado circuito para componentes ôhmicos e não ôhmicos.

Leia mais

FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 5 ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 5 ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES TEORIA 1. INTRODUÇÃO FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 5 ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES pela associação é igual à energia dissipada pelo resistor equivalente R S. Portanto, podemos escrever: U = U 1 + U

Leia mais

Prova Oficial de Física - GABARITO 1 Trimestre/2014 Data: 23/04/2014

Prova Oficial de Física - GABARITO 1 Trimestre/2014 Data: 23/04/2014 Prova Oficial de Física - GABARITO 1 Trimestre/2014 Data: 23/04/2014 CONTEÚDO Corrente Elétrica, Tensão Elétrica, Resistores, 1º Lei de Ohm, 2º Lei de Ohm, Circuitos em Série e Paralelo, Potência Elétrica

Leia mais

ELETRODINÂMICA. const. L A. n. e Unidade no SI: Ampére (A)

ELETRODINÂMICA. const. L A. n. e Unidade no SI: Ampére (A) ELETRODINÂMICA - CORRENTE ELÉTRICA É o movimento ordenado de cargas elétricas de um condutor. Condutor Metálico: movimento ordenado dos elétrons livres. Condutor Líquido ou Gasoso: movimento ordenado dos

Leia mais

Aprendendo sobre as correntes elétricas

Aprendendo sobre as correntes elétricas Módulo 3 Unidade Aprendendo sobre as correntes elétricas Paa início de conversa... A maior parte dos aparelhos eletrodomésticos que utilizamos em nossas casas funciona a partir da circulação de correntes

Leia mais

a) 2880 C b) 3000 C c) 4200 C d) 5000 C e) 6000 C

a) 2880 C b) 3000 C c) 4200 C d) 5000 C e) 6000 C Aula n ọ 12 01. Quando se estabele uma diferença de potencial entre dois pontos do corpo humano, flui através dele uma corrente elétrica entre os pontos citados. A sensação de choque e suas consequências

Leia mais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais LEI DE OHM Conceitos fundamentais Ao adquirir energia cinética suficiente, um elétron se transforma em um elétron livre e se desloca até colidir com um átomo. Com a colisão, ele perde parte ou toda energia

Leia mais

Prof.: Geraldo Barbosa Filho

Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 07 GERADORES E RECEPTORES 5- CURVA CARACTERÍSTICA DO GERADOR 1- GERADOR ELÉTRICO Gerador é um elemento de circuito que transforma qualquer tipo de energia, exceto a elétrica, em energia elétrica.

Leia mais

Apostila de Revisão de Eletrodinâmica: 1ª Lei de Ohm, Potência e Energia Elétrica, Associação de Resistores e Circuito Elétrico

Apostila de Revisão de Eletrodinâmica: 1ª Lei de Ohm, Potência e Energia Elétrica, Associação de Resistores e Circuito Elétrico Apostila de Revisão de Eletrodinâmica: 1ª Lei de Ohm, Potência e Energia Elétrica, Associação de Resistores e Circuito Elétrico 1. (G1 - cftmg 2013) O meio que conduz melhor a eletricidade é a(o) a) ar,

Leia mais

Exercícios Eletrodinâmica

Exercícios Eletrodinâmica Exercícios Eletrodinâmica 01-Um gerador elétrico tem potência total 0,6 kw, quando percorrido por uma corrente de intensidade igual a 50 A. Qual a sua força eletromotriz. a) 30.000 V b) 100 V c) 120 V

Leia mais

Conclui-se que o consumo anual, em média, desse aparelho em stand by é, aproximadamente, de

Conclui-se que o consumo anual, em média, desse aparelho em stand by é, aproximadamente, de 1. (G1 - cps 2010) Pequenos consumos podem parecer bobagem, mas quando somados se tornam grandes gastos. Para ajudarmos o nosso planeta e também economizarmos o nosso salário, devemos desligar os aparelhos

Leia mais

Potência elétrica e consumo de energia

Potência elétrica e consumo de energia Potência elétrica e consumo de energia Um aparelho, submetido a uma diferença de potencial, tensão, percorrido por uma corrente elétrica desenvolve uma potência elétrica dada pelo produto entre a tensão

Leia mais

UM RESISTOR ELÉTRICO

UM RESISTOR ELÉTRICO 1 1) PROBLEMATIZAÇÃO Como é bom tomar um banho quente num dia frio de inverno; secar os cabelos com o secador; ir até a cozinha fazer torradas bem quentinhas na torradeira para acompanhar aquele café que

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 18:19. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 18:19. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, ISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 18:19 Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade

Leia mais

Dicas de segurança: permaneça com o multímetro desconectado do circuito quando fizer uso da chave seletora!

Dicas de segurança: permaneça com o multímetro desconectado do circuito quando fizer uso da chave seletora! Orientações Como usar o multímetro: Para as medidas da corrente elétrica, tensão e resistência nos circuitos elétricos pode ser utilizado um multímetro digital de baixo custo, como mostra a figura 7. Observe

Leia mais

1. DEFINIÇÃO DE CORRENTE ELÉTRICA: Definição: Onde: I : é a corrente que circula no fio; t: é o tempo; Q: é a carga elétrica que passa num tempo t.

1. DEFINIÇÃO DE CORRENTE ELÉTRICA: Definição: Onde: I : é a corrente que circula no fio; t: é o tempo; Q: é a carga elétrica que passa num tempo t. 24 CORRENTE ELÉTRICA 1. DEFINIÇÃO DE CORRENTE ELÉTRICA: Definição: Onde: I : é a corrente que circula no fio; t: é o tempo; I = Q tt Q: é a carga elétrica que passa num tempo t. Orientação: mesmo sentido

Leia mais

Análise de especificação de chuveiro elétrico

Análise de especificação de chuveiro elétrico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA Análise de especificação de chuveiro elétrico RELATÓRIO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 6 GERADORES E RECEPTORES ELÉTRICOS

FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 6 GERADORES E RECEPTORES ELÉTRICOS FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 6 GERADORES E RECEPTORES ELÉTRICOS TEORIA 1. INTRODUÇÃO Neste capítulo, vamos estudar os geradores e receptores elétricos. Aqui começa o nosso estudo dos circuitos

Leia mais

Prof. Alexandre Casacurta

Prof. Alexandre Casacurta Eletricidade Aplicada Prof. Alexandre Casacurta Constituição da Matéria Tudo aquilo que tem massa e ocupa lugar no espaço pode ser definido como sendo matéria. Toda matéria é formada por pequenas partículas,

Leia mais

Fuvest 2005 2ª fase FÍSICA

Fuvest 2005 2ª fase FÍSICA Fuvest 2005 2ª fase FÍSICA 1. Procedimento de segurança, em auto-estradas, recomenda que o motorista mantenha uma distância de 2 segundos do carro que está à sua frente, para que, se necessário, tenha

Leia mais

CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO

CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO Prof. Cazuza 1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: Considere nula a resistência elétrica

Leia mais

Ligação em curto-circuito

Ligação em curto-circuito Ligação em curto-circuito 1 Fig. 14.1 14.1. Denomina-se reostato a qualquer resistor de resistência variável. Representamos o reostato pelos símbolos da Fig. 14.1. Submetendo a uma tensão constante igual

Leia mais

ELETRODINÂMICA. Q =. (2.1) t

ELETRODINÂMICA. Q =. (2.1) t ELETRICIDADE 1 CAPÍTULO ELETRODINÂMICA A eletrodinâmica caracteriza-se pelo estudo das cargas elétricas em movimento (correntes elétricas) e os efeitos elétricos inerentes ao movimento destas. Corrente

Leia mais

1.1. Resistor fixo de carvão e resistor fixo de fio. 1.2. Resistor de fio com derivação - ajustável

1.1. Resistor fixo de carvão e resistor fixo de fio. 1.2. Resistor de fio com derivação - ajustável Resistores 1. Introdução 2. Codigo de cores 3. Associação 4. Associação série 5. Associação paralela 6. Associação mista 7. Observações 8. Circuito em série 9. Circuito em paralelo 10. Exercícios 11. Referências

Leia mais

Potência Elétrica. Prof. Alex Siqueira

Potência Elétrica. Prof. Alex Siqueira Potência Elétrica { Prof. Alex Siqueira Imagem: Lâmpada incandescente / Ming888 / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported. FÍSICA UP 2 Ano do Ensino Médio INTRODUÇÃO No nosso cotidiano são

Leia mais

CORRENTE E RESISTÊNCIA ELÉTRICA

CORRENTE E RESISTÊNCIA ELÉTRICA NOTA DE AULA PROF. JOSÉ GOMES RIBEIRO FILHO CORRENTE E RESISTÊNCIA ELÉTRICA 01.INTRODUÇÃO Nos três capítulos anteriores, estudamos as interações de cargas elétricas em repouso; agora estamos preparados

Leia mais

CIÊNCIAS 9º Ano do Ensino Fundamental. Professora: Ana Paula Souto. Se precisar use as equações: i = ΔQ Δt ; E = PΔt.

CIÊNCIAS 9º Ano do Ensino Fundamental. Professora: Ana Paula Souto. Se precisar use as equações: i = ΔQ Δt ; E = PΔt. CIÊNCIAS º Ano do Ensino Fundamental Professora: Ana Paula Souto Nome: n o : Turma: Exercícios Estudo da eletricidade (PARTE ) Se precisar use as equações: i = ΔQ Δt ; E = PΔt V = Ri ; P = Vi ) Observe

Leia mais

- O movimento ordenado de elétrons em condutores

- O movimento ordenado de elétrons em condutores MATÉRIA: Eletrotécnica MOURA LACERDA CORRENTE ELÉTRICA: - O movimento ordenado de elétrons em condutores Os aparelhos eletro-eletrônicos que se encontram nas residências precisam de energia elétrica para

Leia mais

Energia Elétrica. P = E t (1) Para determinarmos a energia, realizamos uma simples transposição de termos na expressão acima, onde obtemos :

Energia Elétrica. P = E t (1) Para determinarmos a energia, realizamos uma simples transposição de termos na expressão acima, onde obtemos : Energia Elétrica Objetivo - Estudar a energia e suas transformações, particularizar para o caso da energia elétrica; aprender a medir a energia consumida e calcular o seu custo. Informação Técnica - Energia

Leia mais

IFSul Cmpus Visconde da Graça 1

IFSul Cmpus Visconde da Graça 1 9- COENTE ELÉTICA 9.- CONCEITO É o movimento ordenado de cargas elétricas de um condutor. Condutor Metálico: os portadores de carga são os elétrons livres (metais e grafite). Condutor Líquido: os portadores

Leia mais

d) 16V. e) nenhum dos valores anteriores. Resposta: B

d) 16V. e) nenhum dos valores anteriores. Resposta: B 1. (ITA-1969) No circuito baixo quando o cursor é colocado no ponto C o galvanômetro (G) não acusa passagem de corrente. No trecho AC do resistor R a queda de potencial é de: a) 10V. b) 6V. c) 4V. d) 16V.

Leia mais

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO RADIOELETRICIDADE O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO Fonte: ANATEL DEZ/2008 RADIOELETRICIDADE TESTE DE AVALIAÇÃO 635 A maior intensidade do campo magnético

Leia mais

Exercícios de Física Potência Elétrica

Exercícios de Física Potência Elétrica Questão 01 - Um estudante resolveu acampar durante as férias de verão. Em sua bagagem levou uma lâmpada com as especificações: 220 V - 60 W. No camping escolhido, a rede elétrica é de 110 V. Se o estudante

Leia mais

Corrente elétrica corrente elétrica.

Corrente elétrica corrente elétrica. Corrente elétrica Vimos que os elétrons se deslocam com facilidade em corpos condutores. O deslocamento dessas cargas elétricas é chamado de corrente elétrica. A corrente elétrica é responsável pelo funcionamento

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

EXPERIÊNCIA 3 POTÊNCIA ELÉTRICA E GERADORES DE TENSÃO

EXPERIÊNCIA 3 POTÊNCIA ELÉTRICA E GERADORES DE TENSÃO EXPEÊNCA 3 PTÊNCA ELÉTCA E GEADES DE TENSÃ 1 NTDUÇÃ TEÓCA A tensão elétrica V é definida como sendo a energia necessária para mover a carga elétrica Q, entre dois pontos de um meio condutor. E V Q E V.

Leia mais

Física FUVEST ETAPA. ε = 26 cm, e são de um mesmo material, Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. c) Da definição de potência, vem:

Física FUVEST ETAPA. ε = 26 cm, e são de um mesmo material, Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2. c) Da definição de potência, vem: Física QUESTÃO 1 Um contêiner com equipamentos científicos é mantido em uma estação de pesquisa na Antártida. Ele é feito com material de boa isolação térmica e é possível, com um pequeno aquecedor elétrico,

Leia mais

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010 3 - Sistemas em Corrente Alternada Carlos Marcelo Pedroso 18 de março de 2010 1 Considerações sobre Potência e Energia A potência fornecida a uma carga à qual está aplicada um tensão instantânea u e por

Leia mais

AMARELA EFOMM-2008 AMARELA

AMARELA EFOMM-2008 AMARELA 1ª Questão: PROVA DE FÍSICA - EFOMM 2008 Coloque F (falso) ou V (verdadeiro) nas afirmativas abaixo e assinale a seguir a alternativa correta. ( ) A miopia é corrigida por lentes cilíndricas. ( ) A hipermetropia

Leia mais

Problemas de eletricidade

Problemas de eletricidade Problemas de eletricidade 1 - Um corpo condutor está eletrizado positivamente. Podemos afirmar que: a) o número de elétrons é igual ao número de prótons. b) o número de elétrons é maior que o número de

Leia mais

8. (Fatec) Duas lâmpadas L e L são ligadas em série a uma fonte de 220V.

8. (Fatec) Duas lâmpadas L e L são ligadas em série a uma fonte de 220V. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Uff) O Brasil abriga algumas das maiores e mais belas cavernas conhecidas em todo o mundo. Mais de duas mil dessas formações geológicas já foram cadastradas pela Sociedade

Leia mais

Questão 1) ELETRICIDADE

Questão 1) ELETRICIDADE Eletricidade 1 Questão 1) Uma esfera condutora A, carregada positivamente, é aproximada de uma outra esfera condutora B, que é idêntica à esfera A, mas está eletricamente neutra. Sobre processos de eletrização

Leia mais

CORRENTE ELÉTRICA. 1628- A emissão de luz pelas lâmpadas elétricas é sempre devida ao efeito calorífico da corrente elétrica.

CORRENTE ELÉTRICA. 1628- A emissão de luz pelas lâmpadas elétricas é sempre devida ao efeito calorífico da corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA 1 Certo - errado - pode ser 1627- Nos metais a corrente elétrica consiste no movimento progressivo de elétrons livres, a velocidade deste movimento sendo comparável com a velocidade da

Leia mais

γ = 5,0m/s 2 2) Cálculo da distância percorrida para a velocidade escalar reduzir-se de 30m/s para 10m/s. V 2 2

γ = 5,0m/s 2 2) Cálculo da distância percorrida para a velocidade escalar reduzir-se de 30m/s para 10m/s. V 2 2 OBSERVAÇÃO (para todas as questões de Física): o valor da aceleração da gravidade na superfície da Terra é representado por g. Quando necessário, adote: para g, o valor 10 m/s 2 ; para a massa específica

Leia mais

Espírito Santo CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção

Espírito Santo CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Elétrica Eletrotécnica Eletrotécnica - Elétrica SENAI - ES, 1996 Trabalho realizado em parceria SENAI / CST (Companhia Siderúrgica de Tubarão) SENAI

Leia mais

Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente.

Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente. Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente. Conservação da Massa A massa, assim como a energia, é uma propriedade que se conserva,

Leia mais

Resistência elétrica e lei de Ohm. Maria do Anjo Albuquerque

Resistência elétrica e lei de Ohm. Maria do Anjo Albuquerque Resistência elétrica e lei de Ohm O que é a resistência elétrica? É uma grandeza física que caracteriza os condutores elétricos; Representa-se pela letra R; Traduz a oposição que um condutor oferece à

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

UNIDADES EM QUÍMICA UNIDADES SI COMPRIMENTO E MASSA

UNIDADES EM QUÍMICA UNIDADES SI COMPRIMENTO E MASSA UNIDADES EM QUÍMICA O sistema métrico, criado e adotado na França durante a revolução francesa, é o sistema de unidades de medida adotada pela maioria dos paises em todo o mundo. UNIDADES SI Em 1960, houve

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física. v.17 n.1 2006

Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física. v.17 n.1 2006 v.17 n.1 2006 Circuitos elétricos: novas e velhas tecnologias como facilitadoras de uma aprendizagem significativa no nível médio Maria Beatriz dos Santos A. Moraes Rejane M. Ribeiro-Teixeira Programa

Leia mais

Eletrodutos de PVC Rígido Tipo Rosqueável

Eletrodutos de PVC Rígido Tipo Rosqueável Barramentos de Cobre Medida Peso Amperagem /8 x 1/16 0,15kg 5 1/2 x 1/16 0,180kg 45 /8 x 1/8 0,269kg 7 1/2 x 1/8 0,58kg 97 5/8 x 1/8 0,448kg 122 /4 x 1/8 0,57kg 146 1 x 1/8 0,717kg 195 1.1/4 x 1/8 0,896kg

Leia mais

Geradores elétricos GERADOR. Energia dissipada. Símbolo de um gerador

Geradores elétricos GERADOR. Energia dissipada. Símbolo de um gerador Geradores elétricos Geradores elétricos são dispositivos que convertem um tipo de energia qualquer em energia elétrica. Eles têm como função básica aumentar a energia potencial das cargas que os atravessam

Leia mais

LEI DE OHM LEI DE OHM. Se quisermos calcular o valor da resistência, basta dividir a tensão pela corrente.

LEI DE OHM LEI DE OHM. Se quisermos calcular o valor da resistência, basta dividir a tensão pela corrente. 1 LEI DE OHM A LEI DE OHM é baseada em três grandezas, já vistas anteriormente: a Tensão, a corrente e a resistência. Com o auxílio dessa lei, pode-se calcular o valor de uma dessas grandezas, desde que

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A L 0 H mola apoio sem atrito B A figura acima mostra um sistema composto por uma parede vertical

Leia mais

Energia Elétrica e Conta de Luz

Energia Elétrica e Conta de Luz Energia Elétrica e Conta de Luz 1. (Unifesp 2013) Observe a charge. Em uma única tomada de tensão nominal de 110V, estão ligados, por meio de um adaptador, dois abajures (com lâmpadas incandescentes com

Leia mais

Questão 1. Resposta. b) Estime o intervalo de tempo t 2, em segundos, que a bola levou para ir do ponto A ao ponto B.

Questão 1. Resposta. b) Estime o intervalo de tempo t 2, em segundos, que a bola levou para ir do ponto A ao ponto B. Questão 1 Durante um jogo de futebol, um chute forte, a partir do chão, lança a bola contra uma parede próxima. Com auxílio de uma câmera digital, foi possível reconstituir a trajetória da bola, desde

Leia mais

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES. VERIFIQUE SE ESTÁ COMPLETO. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS

ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES. VERIFIQUE SE ESTÁ COMPLETO. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS ATENÇÃO ESTE CADERNO CONTÉM 10 (DEZ) QUESTÕES. VERIFIQUE SE ESTÁ COMPLETO. DURAÇÃO DA PROVA: 3 (TRÊS) HORAS VERIFIQUE SE NA PÁGINA CORRESPONDENTE À RESPOSTA DAS QUESTÕES 01, 06 E 08 APARECE UM DESENHO

Leia mais

Associacao de geradores

Associacao de geradores Associacao de geradores Tal como acontece com os receptores, tambem os geradores podem ser associados de tres modos diferentes: serie, paralelo e misto. Vamos diferendar apenas as ligagoes serie e paralelo

Leia mais

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho

Governador Cid Ferreira Gomes. Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho. Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Governador Cid Ferreira Gomes Vice Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Secretária da Educação Maria Izolda Cela de Arruda Coelho Secretário Adjunto Maurício Holanda Maia Secretário Executivo Antônio

Leia mais

Questão 48. Questão 46. Questão 47. alternativa A. alternativa D. alternativa A

Questão 48. Questão 46. Questão 47. alternativa A. alternativa D. alternativa A Questão 46 Do alto de um edifício, lança-se horizontalmente uma pequena esfera de chumbo com velocidade de 8 m/s. Essa esfera toca o solo horizontal a uma distância de 24 m da base do prédio, em relação

Leia mais

De início, recordemos que o trabalho mecânico é sempre composto dos dois fatores

De início, recordemos que o trabalho mecânico é sempre composto dos dois fatores CAPÍTULO 11 - POTÊNCIA E RENDIMENTO A energia mecânica desenvolvida por um motor é medida com precisão num banco de testes. É igualmente possível calcular esta energia com uma certa aproximação tendo em

Leia mais

MEDIDAS DE GRANDEZAS ELÉTRICAS

MEDIDAS DE GRANDEZAS ELÉTRICAS EXPERIÊNCIA MEDIDAS DE GRANDEZAS ELÉTRICAS OBJETIVOS: - Conhecer as características dos multímetros analógicos e digitais; - Ler escalas do multímetro analógico; - Diferenciar as vantagens e desvantagens

Leia mais

TIPO-A FÍSICA. r 1200 v média. Dado: Aceleração da gravidade: 10 m/s 2. Resposta: 27

TIPO-A FÍSICA. r 1200 v média. Dado: Aceleração da gravidade: 10 m/s 2. Resposta: 27 1 FÍSICA Dado: Aceleração da gravidade: 10 m/s 01. Considere que cerca de 70% da massa do corpo humano é constituída de água. Seja 10 N, a ordem de grandeza do número de moléculas de água no corpo de um

Leia mais

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que:

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: TÉCNICO EM ELETRICIDADE 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: C1 = 300µF C2 = C3 = 300µF C4 = C5 = C6

Leia mais

TC 3 UECE - 2013 FASE 2 MEDICINA e REGULAR

TC 3 UECE - 2013 FASE 2 MEDICINA e REGULAR TC 3 UECE - 03 FASE MEICINA e EGULA SEMANA 0 a 5 de dezembro POF.: Célio Normando. A figura a seguir mostra um escorregador na forma de um semicírculo de raio = 5,0 m. Um garoto escorrega do topo (ponto

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL MÉDIO CARGO: Técnico da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Técnico 1 Padrão I (TM11) CADERNO DE PROVAS PROVA DISCURSIVA

Leia mais

IDM 96 Indicador Digital Multivariáveis

IDM 96 Indicador Digital Multivariáveis IDM 96 Indicador Digital Multivariáveis Modo de uso Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Protocolo de comunicação Modbus RTU Dimensional ABB Instrumentação 1 Dados Técnicos Entrada Tensão

Leia mais

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA A tensão alternada senoidal é a qual utilizamos em nossos lares, na indústria e no comércio. Dentre as vantagens, destacamos: Facilidade de geração em larga escala; Facilidade

Leia mais

Geração e Aproveitamento de Energia Elétrica Capítulo 07 (pág. 115) Acendimento de uma lâmpada

Geração e Aproveitamento de Energia Elétrica Capítulo 07 (pág. 115) Acendimento de uma lâmpada Geração e Aproveitamento de Energia Elétrica Capítulo 07 (pág. 115) - Uma corrente elétrica não pode ser vista, mas seus efeitos podem ser percebidos; Acendimento de uma lâmpada Diferença de potencial

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A PROVA:

INSTRUÇÕES PARA A PROVA: CONCUSO PÚBLICO POFESSO / ELETOTÉCNICA GUPO MAGISTÉIO eservado ao CEFET-N 16 de setembro de 007 INSTUÇÕES PAA A POVA: Use apenas caneta esferográfica azul ou preta; Escreva o seu nome completo, o número

Leia mais

Questão 57. Questão 58. Questão 59. alternativa C. alternativa C

Questão 57. Questão 58. Questão 59. alternativa C. alternativa C Questão 57 Um automóvel e um ônibus trafegam em uma estrada plana, mantendo velocidades constantes em torno de 100 km/h e 75 km/h, respectivamente. Os dois veículos passam lado a lado em um posto de pedágio.

Leia mais

Elétrica Eletrotécnica

Elétrica Eletrotécnica CPM - Programa de Certificação de Pessoal de Manutenção Elétrica Eletrotécnica SENAI Departamento Regional do Espírito Santo 3 Eletrotécnica - Elétrica SENAI - ES, 1996 Trabalho realizado em parceria SENAI

Leia mais

= R. Sendo m = 3,3. 10 27 kg, V = 3,0. 10 7 m/s e R = 0,45m, calcula-se a intensidade da força magnética. 3,3. 10 27. (3,0. 10 7 ) 2 = (N) 0,45

= R. Sendo m = 3,3. 10 27 kg, V = 3,0. 10 7 m/s e R = 0,45m, calcula-se a intensidade da força magnética. 3,3. 10 27. (3,0. 10 7 ) 2 = (N) 0,45 37 a FÍSICA Em um cíclotron tipo de acelerador de partículas um deutério alcança velocidade final de 3,0 x 10 7 m/s, enquanto se move em um caminho circular de raio 0,45m, mantido nesse caminho por uma

Leia mais

Conteúdo GERADORES ELÉTRICOS E QUÍMICOS E FORÇA ELETROMOTRIZ.

Conteúdo GERADORES ELÉTRICOS E QUÍMICOS E FORÇA ELETROMOTRIZ. Aula 10.1 Física Conteúdo GERADORES ELÉTRICOS E QUÍMICOS E FORÇA ELETROMOTRIZ. Habilidades Compreender os conceitos da Eletrodinâmica. Compreender elementos do circuito elétrico e seu funcionamento. Frente

Leia mais

Exercícios Segunda Lei OHM

Exercícios Segunda Lei OHM Prof. Fernano Buglia Exercícios Seguna Lei OHM. (Ufpr) Um engenheiro eletricista, ao projetar a instalação elétrica e uma eificação, eve levar em conta vários fatores, e moo a garantir principalmente a

Leia mais

Enumere as grandezas físicas com suas respectivas unidades e assinale a sequência correta da coluna da direita, de cima para baixo.

Enumere as grandezas físicas com suas respectivas unidades e assinale a sequência correta da coluna da direita, de cima para baixo. Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Eletromecânica Os condutores devem apresentar características de: A. alta condutibilidade, baixa elasticidade, grande peso. B. baixa elasticidade, pequeno

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta Questão 1 A energia que um atleta gasta pode ser determinada pelo volume de oxigênio por ele consumido na respiração. Abaixo está apresentado o gráfico do volume V de oxigênio, em litros por minuto, consumido

Leia mais

(1) FÍSICA (2) (3) PROVA A 1

(1) FÍSICA (2) (3) PROVA A 1 FÍSICA 0 - O gráfico ao lado apresenta a superposição de três gráficos de uma grandeza (z) em função do tempo (t). A grandeza (z) pode representar: (0) no caso (), o espaço em um movimento uniforme. (0)

Leia mais