ELETRODEPOSIÇÃO DE FILMES DE POLIPIRROL EM MEIO ORGÂNICO CONTENDO ÁCIDO FOSFÓRICO. Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ELETRODEPOSIÇÃO DE FILMES DE POLIPIRROL EM MEIO ORGÂNICO CONTENDO ÁCIDO FOSFÓRICO. Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo"

Transcrição

1 ELETRODEPOSIÇÃO DE FILMES DE POLIPIRROL EM MEIO ORGÂNICO CONTENDO ÁCIDO FOSFÓRICO R. B. Hilario 1*, K. M. Bezerra¹, A. S. Liu 1, L. Y. Cho 2 Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo * ¹Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) 2 IP&D Universidade do Vale do Paraíba, São José dos Campos, São Paulo Resumo O Polipirrol (PPy) é um polímero condutor que têm sido investigado para inúmeras aplicações tecnológicas, destacando-se a proteção contra a corrosão. Nessa perspectiva, a presente pesquisa retrata a eletrodeposição por cronoamperometria de filmes de PPy em meio orgânico contendo ácido fosfórico sobre a liga de alumínio Investigou-se a performance do PPy/H 3 PO 4 na proteção do metal variando-se o potencial aplicado durante a deposição eletroquímica. Os resultados de Polarização Potenciodinâmica indicaram significativa proteção do alumínio contra a corrosão quando revestido por filmes de PPy. Além disso, a Morfologia dos filmes analisados por MEV mostraram a formação de filmes muito homogêneos e compactos, que justificam a boa performance contra corrosão. Palavras-chave: Corrosão, Alumínio, Polipirrol, Ácido Fosfórico. 5723

2 INTRODUÇÃO O alumínio é um dos mais versáteis metais utilizados na indústria, devido as suas excelentes propriedades físico-químicas como a baixa massa específica, elevada resistência a corrosão e alta condutibilidade elétrica (1). Entretanto, o alumínio puro apresenta baixa resistência mecânica que leva o setor industrial a adicionar e- lementos de liga que, embora aumente a resistência mecânica do metal, torna as ligas de alumínio mais suscetíveis à corrosão localizada (2). No setor aeronáutico as ligas de alumínio são protegidas com revestimentos a base de cromo hexavalente, que embora apresente elevado caráter protetor, são compostos cancerígenos e mutagênicos. Nesse contexto, emerge a necessidade da busca por métodos alternativos capazes de substituir o cromo VI na proteção de a- lumínio contra a corrosão. Dentre as alternativas, os polímeros condutores, como o PPy (3-6) apresenta grande eficiência na proteção de metais oxidáveis contra a corrosão. A performance destes revestimentos para atuar na proteção de substratos oxidáveis depende das condições de síntese, tais como a natureza do eletrólito, a temperatura, potencial aplicado, ph, dentre outros (7). O objetivo deste trabalho é analisar a deposição eletroquímica dos filmes de PPy em superfícies de alumínio 2024 em meio orgânico contendo ácido fosfórico como eletrólito. Posteriormente, foi avaliada a eficiência dos filmes de PPy/H 3 PO 4 na proteção das superfícies metálicas contra corrosão, através da técnica de polarização potenciodinâmica. MATERIAIS E METODOS A Tabela 1 apresenta os reagentes utilizados no desenvolvimento do trabalho experimental. Tab. 1: Reagentes utilizados no desenvolvimento da pesquisa. Reagentes Massa Molar (g.mol -1 ) Marca Acetonitrila (C 2 H 3 N) 41,05 Synth Ácido Fosfórico (H 3 PO 4 ) 97,97 Synth Pirrol (C 4 H 5 N) 67,0 Aldrich Cloreto de Sódio (NaCl) 58,44 Merck 5724

3 Antes da realização de cada experimento, as superfícies de alumínio 2024 foram polidas com lixas de granulometria 200, 600, 1200 e 2000 e, posteriormente, polidas com feltro contendo alumina e enxaguadas com água destilada. Os ensaios eletroquímicos foram realizados em uma célula eletroquímica constituída por três eletrodos: (1) eletrodo de trabalho (alumínio 2024); (2) eletrodo auxiliar (fio de platina) e (3) eletrodo de referência (Ag/AgCl,Cl - saturado). Eletrodeposição dos filmes de PPy Os filmes de PPy foram eletrodepositados utilizando-se meio orgânico, dissolvendo-se 0,5 mol.l -1 de Pirrol e 0,5 mol.l -1 de ácido fosfórico em 50,0 ml de acetonitrila. A eletrodeposição dos filmes de PPy foi realizada utilizando um Potenciostato/Galvanostato modelo MQPG-01 Microquímica, conectado e controlado por um microcomputador. A eletrodeposição dos filmes foi realizada pelo método de potencial controlado, aplicando-se 2,2 e 2,4V durante 30 minutos. Curvas de Polarização Potenciodinâmica A eficiência dos filmes na proteção do alumínio contra a corrosão foi investigada por ensaios de polarização potenciodinâmica utilizando-se solução aquosa de NaCl 0,1 mol.l -1, variando-se o potencial de -1,5V a +1,5V a uma velocidade de varredura igual a 5 mv.s -1. A partir das polarizações potenciodinâmicas, foram obtidas curvas de Tafel para as superfícies de alumínio apenas polida e recobertas com filmes de PPy. RESULTADOS E DISCUSSÕES Os filmes de PPy foram depositados ponteciostaticamente sobre a liga de alumínio A Figura 1 apresenta as curvas de corrente versus tempo para a eletrodeposição dos filmes de PPy em meio de acetonitrila, contendo 0,5 mol.l -1 de ácido fosfórico e 0,5 mol.l -1 de pirrol. 5725

4 j / ma cm -2 21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 1,3 1,2 (2) 1,1 1,0 0,9 0,8 0,7 0,6 0,5 (1) 0, t / s Fig. 1: Curvas de corrente versus tempo para a eletrodeposição de filmes de PPy em solução de 0,5 mol.l -1 de ácido fosfórico e 0,5 mol.l -1 de pirrol, aplicando-se (1) 2,2V e (2) 2,4V. Mediante análise das Curvas de corrente versus tempo para a eletrodeposição dos filmes de PPy/H 3 PO 4 aplicando-se 2,2 e 2,4V, observa-se que a densidade de corrente aumenta à medida em que se aumenta o potencial aplicado. Na aplicação de potenciais abaixo de 2,2V, percebe-se que não ocorre recobrimento completo do eletrodo de alumínio pelo filme polimérico. Para avaliar a eficiência dos filmes de PPy na proteção da liga de alumínio 2024 contra corrosão foram realizados ensaios de polarização potenciodinâmica utilizando-se meio aquoso contendo NaCl 0,1 mol.l -1. A Figura 2 apresenta as curvas de Tafel obtidas a partir dos ensaios de polarização para as superfícies de alumínio apenas polida e recoberta com filmes de PPy depositados mediante aplicação de 2,2 e 2,4V. 5726

5 E vs. Ag/AgCl, Cl - / V 21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 1,5 1,0 0,5 0,0-0,5-1,0 (2) (3) (1) -1, log j / ma cm -2 Fig. 2: Curvas de Tafel obtidas em meio aquoso de NaCl para superfícies de alumínio: (1) Apenas polida; Recoberta com filmes de PPy/H 3 PO 4 eletrodepositados aplicando-se: (2) 2,4V e (3) 2,2V. v = 5 mv.s -1. A Figura 2 indica um deslocamento do potencial de corrosão para a direção positiva, quando a liga de alumínio está recoberta com filmes de PPy. A Tabela 2 apresenta os parâmetros eletroquímicos associados ao processo corrosivo. Tab. 2. Parâmetros eletroquímicos obtidos das curvas de Tafel. Superfícies de Alumíno a E corr vs. Ag/AgCl / V b j corr / ma cm -2 Apenas Polida -0,74 0,980 Revestidas com filmes de PPy 2,2V -0,54 0,032 Revestidas com filmes de PPy 2,4V -0,65 0,030 a Potencial de Corrosão; b Densidade de Corrente de Corrosão. Os resultados das curvas de Tafel indicam que a densidade de corrente de corrosão, associada com a velocidade de corrosão do metal, é menor quando a superfície de alumínio estão recobertas com filmes de PPy/H 3 PO 4 aplicando-se um potencial de +2,4V. A morfologia dos filmes de PPy eletrodepositado sobre a superfície de alumínio 5727

6 aplicando-se 2,4V foi analisada por Microscopia Eletrônica de Varredura (Figura 3). Fig. 3: Micrografia (MEV) da superfície de alumínio recoberta com PPy eletrodepositado em 0,2 mol.l -1 de ácido fosfórico em meio de acetonitrila. A micrografia indica a formação de um filme compacto e homogêneo que apresenta poucos poros ou defeitos que inibem a difusão de íons Cl -, podendo justiticar a excelente performance do polímero na proteção do alumínio 2024 contra a corrosão. Vale ressaltar que após o ensaio de corrosão em presença de Cl -, os eletrodos de alumínio recobertos com os filmes de Ppy/H 3 PO 4 não apresentaram pites em suas superficies, ao passo que a liga de aluminio sem recobrimento foi susceptivel a corrosão por pitting quando exposta ao meio agressivo contendo Cl -. CONCLUSÕES Filmes de PPy homogêneos e aderentes foram depositados sobre as superfícies de alumínio por cronoamperometria, aplicando-se potenciais de +2,2V e +2,4V. 5728

7 Pode ser inferido através dos ensaios de polarização potenciodinâmica que os filmes poliméricos foram capazes de proteger a liga de alumínio 2024 contra corrosão. A- lém disso, conclui-se que o filme depositado a +2,4V apresentou a melhor condição de proteção do alumínio. A micrografia (MEV) do filme depositado a +2,4V mostrou um filme compacto e homogêneo, fator fundamental na proteção contra corrosão por impedir a penetração de espécies corrosivas, que desencadeiam a corrosão por pitting de superfícies de alumínio. REFERÊNCIAS [1] Associação Brasileira do Alumínio (ABAL). Disponível em: Acesso em: 18/08/2014. [2] Gupta, G.; Birbilis, N.; Khanna, A. S. An epoxy based lignosulphonate doped polyaniline poly(acrylamide co-acrylic acid) coating for corrosion protection of aluminium alloy 2024-T3. International Journal of Electrochemical Science, v. 8, p , [3] Kamaraj, K.; Karpakam, V.; Azim, S. S.; Sathiyanarayanan, S. Electropolymerised polyaniline films as effective replacement of carcinogenic chromate treatments for corrosion protection of aluminium alloys. Synthetic Metals, v. 162, p , [4] Sathiyanarayanan, S.; Azim, S. S.; Venkatachari G. Performance studies of phosphate-doped polyaniline containing paint coating for corrosion protection of aluminium alloy. Journal of Applied Polymer Science, v. 107, p , [5] Shah, K. G.; Akundy, G. S.; Iroh. J. O. Polyaniline coated on aluminum (Al T3): characterization and electrochemical studies. Journal of Applied Polymer Science, v. 85, p , [6]. Vilca, D. H.; Moraes, S. R.; Motheo, A. J. Electrosynthesized polyaniline for the corrosion protection of aluminum alloy 2024-T3. Journal of the Brazilian Chemical Society, v. 14, p ,

8 [7] ] REUT, J.; OPIK, A.; IDLA, K. Corrosion behavior of polypyrrole coated mild steel. Synthetic Metals, v. 102, p. 1, ELECTRODEPOSITION OF POLYPYRROLE FILMS IN ORGANIC MEDIUM AND PHOSPHORIC ACID Abstract In this work PPy films were electrodeposited on 2024 aluminum alloy in acetonitrile medium containing phosphoric acid. The polymeric films deposited by controlled potential have presented excellent performance to protect the metal against corrosion. Potentiodynamic polarization curves have shown that aluminum electrode coated by the PPy film deposited at 2.4V presented smaller corrosion current density than uncoated surface. This result is associated at formation of compact and homogeneous polymeric films, as shown by Scanning Electronic Microscopy. Keywords: Corrosion, Aluminum, Electrodeposition, Phosphoric Acid. 5730

REVESTIMENTO DUPLEX NA PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 CONTRA A CORROSÃO. Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo, SP

REVESTIMENTO DUPLEX NA PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 CONTRA A CORROSÃO. Rua Pedro Vicente, 625, , Canindé, São Paulo, SP REVESTIMENTO DUPLEX NA PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 CONTRA A CORROSÃO K. M. Bezerra 1* ; A. S. Liu 1 ; F. E. P. dos Santos 2 ; L. Y. Cho 2 Rua Pedro Vicente, 625, 01109-010, Canindé, São Paulo, SP *karinemirb@gmail.com

Leia mais

PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 POR FILMES DE POLIPIRROL DEPOSITADOS EM ÁCIDO P-TOLUENO SULFÔNICO

PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 2024 POR FILMES DE POLIPIRROL DEPOSITADOS EM ÁCIDO P-TOLUENO SULFÔNICO Recebido em 03/04. Aceito para publicação em 09/04. PROTEÇÃO DO ALUMÍNIO 04 POR FILMES DE POLIPIRROL DEPOSITADOS EM ÁCIDO P-TOLUENO SULFÔNICO PROTECTION OF ALUMINUM 04 BY POLYPYRROLE FILMS DEPOSITED IN

Leia mais

ESTUDO DA CORROSÃO DO Al RECICLADO DA INDÚSTRIA DE BEBIDAS

ESTUDO DA CORROSÃO DO Al RECICLADO DA INDÚSTRIA DE BEBIDAS ESTUDO DA CORROSÃO DO Al RECICLADO DA INDÚSTRIA DE BEBIDAS T. SILVA 1, D. MIRANDA 1, G. ALVES 3, O.L ROCHA 2, J.C. CARDOSO FILHO 1 1 Universidade Federal do Pará/ Laboratório de Corrosão 2 Instituto Federal

Leia mais

Estudo preliminar da deposição voltamétrica de estanho sobre aço em meio ácido

Estudo preliminar da deposição voltamétrica de estanho sobre aço em meio ácido Estudo preliminar da deposição voltamétrica de estanho sobre aço em meio ácido Marcos Aurélio Nunes da Silva Filho, Ana Lídia Tomaz de Melo, Denis Valony Martins Paiva, Laudelyna Rayanne Freitas de Oliveira,

Leia mais

ESTUDO DO EFEITO DA DENSIDADE DE CORRENTE NO PROCESSO DE ELETRODEPOSIÇÃO DA LIGA Fe-W

ESTUDO DO EFEITO DA DENSIDADE DE CORRENTE NO PROCESSO DE ELETRODEPOSIÇÃO DA LIGA Fe-W ESTUDO DO EFEITO DA DENSIDADE DE CORRENTE NO PROCESSO DE ELETRODEPOSIÇÃO DA LIGA Fe-W Victória Maria dos Santos Pessigty¹; Lorena Vanessa Medeiros Dantas; Luana Sayuri Okamura; José Anderson Oliveira;

Leia mais

CORROSÃO DO AÇO MÉDIO CARBONO DE REVESTIMENTO DE POÇOS DE PETRÓLEO EM MEIO SALINO E CO 2 SUPERCRÍTICO

CORROSÃO DO AÇO MÉDIO CARBONO DE REVESTIMENTO DE POÇOS DE PETRÓLEO EM MEIO SALINO E CO 2 SUPERCRÍTICO CORROSÃO DO AÇO MÉDIO CARBONO DE REVESTIMENTO DE POÇOS DE PETRÓLEO EM MEIO SALINO E CO 2 SUPERCRÍTICO L. G. Tavaniello; N. F. Lopes * ; A. L. Barros; J. B. Marcolino; M. K. Moraes; E. M. da Costa Av. Ipiranga,

Leia mais

PRODUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE LIGAS METÁLICAS Cu-Sn POR ELETRODEPOSIÇÃO EM MEIO DE CITRATO DE SÓDIO

PRODUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE LIGAS METÁLICAS Cu-Sn POR ELETRODEPOSIÇÃO EM MEIO DE CITRATO DE SÓDIO PRODUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE LIGAS METÁLICAS Cu-Sn POR ELETRODEPOSIÇÃO EM MEIO DE CITRATO DE SÓDIO N. X.Zhou 1, P. S. da Silva 1, A. V. C. Braga 1, D. C. B. do Lago 1, L. F. de Senna 1 nathalia.zhou@gmail.com

Leia mais

TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE À BASE DE PRECURSOR POLIMÉRICO PARA A FORMAÇÃO DE CAMADAS PROTETORAS CONTENDO CÉRIO SOBRE AÇO ELETROZINCADO

TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE À BASE DE PRECURSOR POLIMÉRICO PARA A FORMAÇÃO DE CAMADAS PROTETORAS CONTENDO CÉRIO SOBRE AÇO ELETROZINCADO TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE À BASE DE PRECURSOR POLIMÉRICO PARA A FORMAÇÃO DE CAMADAS PROTETORAS CONTENDO CÉRIO SOBRE AÇO ELETROZINCADO Kellie Provazi de Souza (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Leia mais

Corrosão Metálica. Introdução. O que é corrosão? Classificação dos processos de corrosão. Principais tipos de corrosão

Corrosão Metálica. Introdução. O que é corrosão? Classificação dos processos de corrosão. Principais tipos de corrosão Corrosão Metálica Introdução O estudo da corrosão de superfícies é importante para a solução de problemas de peças e equipamentos. Ter o conhecimento dos tipos de corrosão existentes, compreender os seus

Leia mais

ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA CORROSÃO EM AÇOS INOXIDÁVEIS AISI 316L E 444 UTILIZADOS NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA

ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA CORROSÃO EM AÇOS INOXIDÁVEIS AISI 316L E 444 UTILIZADOS NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA ESTUDO DA OCORRÊNCIA DA CORROSÃO EM AÇOS INOXIDÁVEIS AISI 316L E 444 UTILIZADOS NA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA Júlio César Nogueira Dias 1, Regina Célia Barbosa de Oliveira 2, Adriana Nunes Correia 2 e Hamilton

Leia mais

EFEITO DE MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DA LIGA AA2024-T3

EFEITO DE MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DA LIGA AA2024-T3 EFEITO DE MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DA LIGA AA2024-T3 Resumo doi: 10.4322/tmm.00603002 Solange de Souza 1 Daniel Sierra Yoshikawa 2 Sérgio Luiz de Assis 3 Wagner Izaltino Alves

Leia mais

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS Corrosão em Fresta Abertura estreita junções: gaxetas, parafusos depósitos; produtos aderidos Materiais passivos Al; Ti Exemplo: liga 825 (44Ni-22Cr- 3Mo-2Cu) - água do mar 6 meses Trocador de calor com

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE NÍQUEL ELETRODEPOSITADO NA PRESENÇA DE NANOTUBOS DE CARBONO (NTC)

CARACTERIZAÇÃO DE NÍQUEL ELETRODEPOSITADO NA PRESENÇA DE NANOTUBOS DE CARBONO (NTC) CARACTERIZAÇÃO DE NÍQUEL ELETRODEPOSITADO NA PRESENÇA DE NANOTUBOS DE CARBONO (NTC) A.C.Lopes a,e.p.banczek a, I.Costa c, M.Terada b, M.T.Cunha a, P.R.P. Rodrigues a a Universidade Estadual do Centro-Oeste,

Leia mais

INFLUÊNCIA DO PH E DO TEMPO DE IMERSÃO NA SILANIZAÇÃO JUNTO DE TANINOS PARA PROTEÇÃO ANTICORROSIVA DE AÇOS GALVANIZADOS

INFLUÊNCIA DO PH E DO TEMPO DE IMERSÃO NA SILANIZAÇÃO JUNTO DE TANINOS PARA PROTEÇÃO ANTICORROSIVA DE AÇOS GALVANIZADOS 6 a 1 de Novembro de 216, Natal, RN, Brasil INFLUÊNCIA DO PH E DO TEMPO DE IMERSÃO NA SILANIZAÇÃO JUNTO DE TANINOS PARA PROTEÇÃO ANTICORROSIVA DE AÇOS GALVANIZADOS Bruno Pienis Garcia Álvaro Meneguzzi

Leia mais

T.R.S.A. Rodrigues, E.M. da Costa, J.B. Marcolino, M.K. de Moraes RESUMO

T.R.S.A. Rodrigues, E.M. da Costa, J.B. Marcolino, M.K. de Moraes RESUMO CORROSÃO DE AÇO CARBONO POR CO 2 : INFLUÊNCIA DA PRESSÃO NA TAXA DE CORROSÃO T.R.S.A. Rodrigues, E.M. da Costa, J.B. Marcolino, M.K. de Moraes Faculdade de Engenharia e Centro de Excelência em Pesquisa

Leia mais

Estudo de um banho ácido não cianetado de deposição da liga Cu/Sn

Estudo de um banho ácido não cianetado de deposição da liga Cu/Sn Estudo de um banho ácido não cianetado de deposição da liga Cu/Sn C. A. C. Souza 1, E. D. Bidoia 1, E. M. J. A. Pallone 2, I. A. Carlos 3 1 Departamento de Bioquímica e Microbiologia, UNESP, Rio Claro-SP,

Leia mais

Na obtenção de prata por eletrólise de solução aquosa de nitrato de prata, o metal se forma no: a) cátodo, por redução de íons Ag(+) b) cátodo, por

Na obtenção de prata por eletrólise de solução aquosa de nitrato de prata, o metal se forma no: a) cátodo, por redução de íons Ag(+) b) cátodo, por Na obtenção de prata por eletrólise de solução aquosa de nitrato de prata, o metal se forma no: a) cátodo, por redução de íons Ag(+) b) cátodo, por oxidação de íons ag(+) c) cátodo, por redução de átomos

Leia mais

ESTUDO DO COMPORTAMENTO CORROSIVO DE LIGAS DE ALUMÍNIO NA PRESENÇA DE COBRE E CLORETO

ESTUDO DO COMPORTAMENTO CORROSIVO DE LIGAS DE ALUMÍNIO NA PRESENÇA DE COBRE E CLORETO ESTUDO DO COMPORTAMENTO CORROSIVO DE LIGAS DE ALUMÍNIO NA PRESENÇA DE COBRE E CLORETO ANA C. S. OCANHA 1 ; SÍLVIA T. DANTAS 2 ; BEATRIZ M. C. SOARES 3 Nº 12201 RESUMO O alumínio tem sido amplamente utilizado

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ESPESSURA, DUREZA E RESISTÊNCIA A CORROSÃO DE UMA CAMADA ANÓDICA COLORIDA

AVALIAÇÃO DA ESPESSURA, DUREZA E RESISTÊNCIA A CORROSÃO DE UMA CAMADA ANÓDICA COLORIDA AVALIAÇÃO DA ESPESSURA, DUREZA E RESISTÊNCIA A CORROSÃO DE UMA CAMADA ANÓDICA COLORIDA N. N. Regone UNESP/Campus de São João da Boa Vista Avenida Doutor Octávio da Silva Bastos -2439 Jardim Nova São João

Leia mais

ESTUDO DO COMPORTAMENTO EM CORROSÃO DOS BIOMATERIAIS TITÂNIO, LIGA Ti-6Al-4V E AÇO INOX 316L PARA USO EM IMPLANTE ORTOPÉDICO

ESTUDO DO COMPORTAMENTO EM CORROSÃO DOS BIOMATERIAIS TITÂNIO, LIGA Ti-6Al-4V E AÇO INOX 316L PARA USO EM IMPLANTE ORTOPÉDICO ESTUDO DO COMPORTAMENTO EM CORROSÃO DOS BIOMATERIAIS TITÂNIO, LIGA E AÇO INOX 316L PARA USO EM IMPLANTE ORTOPÉDICO Thiago de Souza Sekeres 1, Sonia Braunstein Faldini 4 1 Universidade Presbiteriana Mackenzie/Engenharia

Leia mais

Estudo do Processo de Eletropolimento de Tubos de Aço Inoxidável AISI 348L

Estudo do Processo de Eletropolimento de Tubos de Aço Inoxidável AISI 348L Estudo do Processo de Eletropolimento de Tubos de Aço Inoxidável AISI 348L Marcio Justino de Melo (1), Olandir Vercino Correa (2), Clarice Terui Kunioshi (1) (1) Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo

Leia mais

Caracterização e desempenho de ligas de zinco/níquel e estanho/zinco

Caracterização e desempenho de ligas de zinco/níquel e estanho/zinco Band28 1/1/04 5:33 AM Page 1 Artigos Técnicos Caracterização e desempenho de ligas de zinco/níquel e estanho/zinco Este estudo visa a melhoria dos processos de resistência à corrosão, avaliando o desempenho

Leia mais

ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE Zr NO AÇO ZINCADO POR ELETRODEPOSIÇÃO

ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE Zr NO AÇO ZINCADO POR ELETRODEPOSIÇÃO ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE Zr NO AÇO ZINCADO POR ELETRODEPOSIÇÃO J.S. Costa* 1, J. Zoppas Ferreira 1 Av. Bento Gonçalves, 9500 - Bairro Agronomia - Porto Alegre, RS CEP 91501-970 - Campus

Leia mais

CQ049 FQ Eletroquímica.

CQ049 FQ Eletroquímica. CQ049 FQ Eletroquímica prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros mvidotti@ufpr.br www.quimica.ufpr.br/mvidotti A Eletroquímica pode ser dividida em duas áreas: Iônica: Está

Leia mais

ESTUDO DA CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL AISI 304 EM COMBUSTÍVEIS

ESTUDO DA CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL AISI 304 EM COMBUSTÍVEIS ESTUDO DA CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL AISI 304 EM COMBUSTÍVEIS Larissa Aparecida Corrêa Matos 1, Larissa Oliveira Berbel 1, Claudia Schlindwein 1, Paulo Vitor Sochodolak 1d, Everson do Prado Banczek 1,

Leia mais

21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil

21º CBECIMAT - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 09 a 13 de Novembro de 2014, Cuiabá, MT, Brasil ESTUDO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DO AÇO INOXIDÁVEL DUPLEX UNS J92205 COMPARATIVAMENTE AO AÇO INOXIDÁVEL SUPER-DUPLEX UNS J93404, AMBOS NO ESTADO FUNDIDO E SOLUBILIZADO. W.R.V. Sanitá, G.S. Crespo, R.F.

Leia mais

PFA PTFE POLIAMIDA PU EVA EPOXI

PFA PTFE POLIAMIDA PU EVA EPOXI Ultra Polimeros PEEK Polimeros de Alta-Performance Polimeros de Engenharia PFA PTFE POLIAMIDA PU EVA EPOXI SEMI-CRISTALINO PEEK - Poli(éter-éter-cetona) PEEK é um termoplástico de Ultra Performance que

Leia mais

PRECIPITAÇÃO DA AUSTENITA SECUNDÁRIA DURANTE A SOLDAGEM DO AÇO INOXIDÁVEL DUPLEX S. A. Pires, M. Flavio, C. R. Xavier, C. J.

PRECIPITAÇÃO DA AUSTENITA SECUNDÁRIA DURANTE A SOLDAGEM DO AÇO INOXIDÁVEL DUPLEX S. A. Pires, M. Flavio, C. R. Xavier, C. J. PRECIPITAÇÃO DA AUSTENITA SECUNDÁRIA DURANTE A SOLDAGEM DO AÇO INOXIDÁVEL DUPLEX 2205 S. A. Pires, M. Flavio, C. R. Xavier, C. J. Marcelo Av. dos Trabalhadores, n 420, Vila Santa Cecília, Volta Redonda,

Leia mais

avaliação do desempenho de aços inoxidáveis coloridos em diferentes concentrações de cromo por processo eletroquímico

avaliação do desempenho de aços inoxidáveis coloridos em diferentes concentrações de cromo por processo eletroquímico doi: 10.4322/tmm.00604005 avaliação do desempenho de aços inoxidáveis coloridos em diferentes concentrações de cromo por processo eletroquímico Ana Paula de Andrade Manfridini 1 Célia Regina de Oliveira

Leia mais

Catálise e Inibição de Reação Eletroquímica

Catálise e Inibição de Reação Eletroquímica Catálise e Inibição de Reação Eletroquímica - Se o material do eletrodo não se transforma em produto; - em principio, é apenas para transferir elétrons; - mas, podendo também participar adsorvendo reagentes

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 174029.1 Corrosão galvânica do par aço-carbono/aço inoxidável em ácido sulfúrico concentrado. Claudete Silva Barbosa Neusvaldo Lira de Almeida Gutemberg de Souza Pimenta Robson Rodrigues

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DA PASSIVAÇÃO DO AISI 316-L COM ÁCIDO NÍTRICO EM PRESENÇA DE MEIO CORROSIVO DE ÁCIDO CLORÍDRICO ATÉ 0,50 MOL. L-1

TÍTULO: ESTUDO DA PASSIVAÇÃO DO AISI 316-L COM ÁCIDO NÍTRICO EM PRESENÇA DE MEIO CORROSIVO DE ÁCIDO CLORÍDRICO ATÉ 0,50 MOL. L-1 Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ESTUDO DA PASSIVAÇÃO DO AISI 316-L COM ÁCIDO NÍTRICO EM PRESENÇA DE MEIO CORROSIVO DE ÁCIDO

Leia mais

TRATAMENTOS TERMOQUÍMICOS A PLASMA EM AÇOS CARBONO PLASMA TERMOCHEMICAL TREATMENTS ON CARBON STEELS

TRATAMENTOS TERMOQUÍMICOS A PLASMA EM AÇOS CARBONO PLASMA TERMOCHEMICAL TREATMENTS ON CARBON STEELS TRATAMENTOS TERMOQUÍMICOS A PLASMA EM AÇOS CARBONO A. J. Abdalla (1) (*) e V. H. Baggio-Scheid (1) trabalho submetido em Agosto de 2005 e aceite em Junho de 2006 RESUMO Foram utilizados neste trabalho

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA Aulas de Apoio Química 3ª Série Eletroquímica II 1.

Leia mais

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil)

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Julian Johann (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Maico

Leia mais

AUMENTO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE ELETROZINCADOS COM PRODUTOS ECO-COMPATÍVEIS

AUMENTO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE ELETROZINCADOS COM PRODUTOS ECO-COMPATÍVEIS AUMENTO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE ELETROZINCADOS COM PRODUTOS ECO-COMPATÍVEIS Célia Regina Tomachuk, Tullio Monetta, Francesco Bellucci UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI NAPOLI FEDERICO II, DIPARTIMENTO DI

Leia mais

CORROSÃO DE AÇO CARBONO PARA DUTOS EM ÁGUAS NATURAIS

CORROSÃO DE AÇO CARBONO PARA DUTOS EM ÁGUAS NATURAIS CORROSÃO DE AÇO CARBONO PARA DUTOS EM ÁGUAS NATURAIS S. R. PETERS 1, L. R. M. LIMA 1, S. N. SILVA 2 e L. M. RODRIGUES 1 1 Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé, Engenharia Química 2 Universidade Federal

Leia mais

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS 2.5 Tipos de corrosão: generalizada Detalhes: Perda de massa efeito dos produtos de corrosão: polarização e despolarização das reações parciais efeito do aumento da área morfologia da corrosão generalizada

Leia mais

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues. Constante produto solubilidade

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues. Constante produto solubilidade Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues Constante produto solubilidade Equilíbrio de Solubilidade Considerando uma solução saturada de cloreto de prata, AgCl. Se continuarmos

Leia mais

EFEITO DO ÁCIDO FÓRMICO EM REVESTIMENTOS DE ZINCO OBTIDOS POR DEPOSIÇÃO GALVANOSTÁTICA

EFEITO DO ÁCIDO FÓRMICO EM REVESTIMENTOS DE ZINCO OBTIDOS POR DEPOSIÇÃO GALVANOSTÁTICA EFEITO DO ÁCIDO FÓRMICO EM REVESTIMENTOS DE ZINCO OBTIDOS POR DEPOSIÇÃO GALVANOSTÁTICA C. LOPES 1, M DAVID 1 e C. SOUZA 1 1 Universidade Federal da Bahia, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA 2 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE QUÍMICA 2 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE QUÍMICA 2 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. MARCOS F. NOME N o 2 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

4. RESULTADOS EXPERIMENTAIS. Após a preparação metalográfica das amostras, foi realizado o ataque Behara

4. RESULTADOS EXPERIMENTAIS. Após a preparação metalográfica das amostras, foi realizado o ataque Behara 4. RESULTADOS EXPERIMENTAIS 4.1. Caracterização microestrutural 4.1.1. Microscopia óptica Após a preparação metalográfica das amostras, foi realizado o ataque Behara modificado (conforme item 3.3), para

Leia mais

CORROSÃO PELO CO 2 EM MEIOS AQUOSOS DE AÇO CARBONO, AÇO BAIXA LIGA COM 1% DE Cr, AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr E AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr-5%Ni-2%Mo

CORROSÃO PELO CO 2 EM MEIOS AQUOSOS DE AÇO CARBONO, AÇO BAIXA LIGA COM 1% DE Cr, AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr E AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr-5%Ni-2%Mo CORROSÃO PELO CO 2 EM MEIOS AQUOSOS DE AÇO CARBONO, AÇO BAIXA LIGA COM 1% DE Cr, AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr E AÇO INOXIDÁVEL 13%Cr-5%Ni-2%Mo Carlos J. B. M. Joia CENPES/TMEC Rogaciano M. Moreira, César V. Franco

Leia mais

TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE À BASE DE MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS PARA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DA LIGA ALCLAD 7475-T761

TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE À BASE DE MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS PARA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DA LIGA ALCLAD 7475-T761 TRATAMENTOS DE SUPERFÍCIE À BASE DE MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS PARA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DA LIGA ALCLAD 7475-T761 S. L. Assis 1, S. de Souza 1, D. S. Yoshikawa 2 e I. Costa 1 1 IPEN/CNEN CCTM - Centro

Leia mais

Pitting Corrosion and Passivation of Zr/HCl 1.0 M Electrodes: The Effect of the Pre-Immersion in Molibdate Solutions

Pitting Corrosion and Passivation of Zr/HCl 1.0 M Electrodes: The Effect of the Pre-Immersion in Molibdate Solutions Portugaliae Electrochimica Acta 21 (2003) 213-224 PORTUGALIAE ELECTROCHIMICA ACTA Pitting Corrosion and Passivation of Zr/HCl 1.0 M Electrodes: The Effect of the Pre-Immersion in Molibdate Solutions B.F.

Leia mais

ELETRODEPOSIÇÃO DE LIGAS METÁLICAS DE Fe-W E Co-W, CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E DE RESISTÊNCIA À CORROSÃO: UM ESTUDO COMPARATIVO.

ELETRODEPOSIÇÃO DE LIGAS METÁLICAS DE Fe-W E Co-W, CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E DE RESISTÊNCIA À CORROSÃO: UM ESTUDO COMPARATIVO. ELETRODEPOSIÇÃO DE LIGAS METÁLICAS DE Fe-W E Co-W, CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, QUÍMICA E DE RESISTÊNCIA À CORROSÃO: UM ESTUDO COMPARATIVO. Alex Messias Marques 1, Jacqueline Ferreira Santos Marques 1, Ádila

Leia mais

ALGUNS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE REVESTIMENTOS COMERCIAIS ALTERNATIVOS AO CÁDMIO. Luís Alexandre Sores da Silva COPPE/UFRJ

ALGUNS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE REVESTIMENTOS COMERCIAIS ALTERNATIVOS AO CÁDMIO. Luís Alexandre Sores da Silva COPPE/UFRJ ALGUNS RESULTADOS DE AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE REVESTIMENTOS COMERCIAIS ALTERNATIVOS AO CÁDMIO Luís Alexandre Sores da Silva COPPE/UFRJ Lúcio Sathler COPPE/UFRJ Marcelo Torres Piza Paes CENPES/PETROBRÁS

Leia mais

ANÁLISE DE PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS EM LIGAS À BASE DE TITÂNIO TRATADAS PELO MÉTODO DE IMPLANTAÇÃO IÔNICA POR IMERSÃO EM PLASMA.

ANÁLISE DE PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS EM LIGAS À BASE DE TITÂNIO TRATADAS PELO MÉTODO DE IMPLANTAÇÃO IÔNICA POR IMERSÃO EM PLASMA. ANÁLISE DE PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS EM LIGAS À BASE DE TITÂNIO TRATADAS PELO MÉTODO DE IMPLANTAÇÃO IÔNICA POR IMERSÃO EM PLASMA. V. M. MEIRELES 1, 2, B. B. FERNANDES 1, M. UEDA 1, A. S. RAMOS 3 1 Instituto

Leia mais

Abstract. Keywords: MOCVD, TiO 2 films, corrosion, AISI 304 stainless steel. Resumo

Abstract. Keywords: MOCVD, TiO 2 films, corrosion, AISI 304 stainless steel. Resumo Copyright 2012, ABRACO Trabalho apresentado durante o INTERCORR 2012, em Salvador/BA no mês de maio de 2012. As informações e opiniões contidas neste trabalho são de exclusiva responsabilidade do(s) autor(es).

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Eletroquímica

LISTA DE EXERCÍCIOS Eletroquímica DISCIPLINA: Química Geral e Inorgânica PERÍODO: LISTA DE EXERCÍCIOS Eletroquímica CURSO: Engenharia de Produção e sistemas 1. Indique o número de oxidação de cada átomo nos compostos abaixo: a) CO; C:

Leia mais

Revestimento de zircônio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão do alumínio AA 3003

Revestimento de zircônio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão do alumínio AA 3003 Revestimento de zircônio obtido pelo método sol-gel para a proteção contra a corrosão do alumínio AA 3003 Larissa Oliveira Berbel 1, Jucimara Kulek de Andrade 1, Isolda Costa 2, Maico Taras da Cunha 1,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ENVELHECIMENTO DOS REVESTIMENTOS DE ZIRCÔNIO E TANINO EM AÇO GALVANIZADO

AVALIAÇÃO DO ENVELHECIMENTO DOS REVESTIMENTOS DE ZIRCÔNIO E TANINO EM AÇO GALVANIZADO AVALIAÇÃO DO ENVELHECIMENTO DOS REVESTIMENTOS DE ZIRCÔNIO E TANINO EM AÇO GALVANIZADO Josiane Soares Costa (Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil)*, Raquel Dei Agnoli (Universidade Federal do

Leia mais

1 Introdução Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica... 5

1 Introdução Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica... 5 Sumário 1 Introdução................................ 1 2 Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica........ 5 2.1 POTENCIAIS ELETROQUÍMICOS............................ 5 2.2 PILHAS DE CORROSÃO...................................17

Leia mais

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO EM FADIGA DO AÇO ABNT 4340 REVESTIDO COM CÁDMIO ELETRODEPOSITADO E ALUMÍNIO POR DEPOSIÇÃO IÔNICA A VAPOR (IVD)

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO EM FADIGA DO AÇO ABNT 4340 REVESTIDO COM CÁDMIO ELETRODEPOSITADO E ALUMÍNIO POR DEPOSIÇÃO IÔNICA A VAPOR (IVD) AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO EM FADIGA DO AÇO ABNT 4340 REVESTIDO COM CÁDMIO ELETRODEPOSITADO E ALUMÍNIO POR DEPOSIÇÃO IÔNICA A VAPOR (IVD) M. P. Peres¹, R. M. Peres¹, F. J. Grandinetti¹² Av. Dr. Ariberto

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REAÇÕES OXIRREDUÇÃO, ELETROQUÍMICA E CORROSÃO.

LISTA DE EXERCÍCIOS REAÇÕES OXIRREDUÇÃO, ELETROQUÍMICA E CORROSÃO. FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIA FTC COLEGIADO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL DOCENTE: SHAIALA AQUINO. LISTA DE EXERCÍCIOS REAÇÕES OXIRREDUÇÃO, ELETROQUÍMICA E CORROSÃO. Q01. Cobre e ferro

Leia mais

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007

8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 8º CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ENGENHARIA MECANICA Cusco, 23 a 25 de Outubro de 2007 AVALIAÇÃO DO AÇO H10 NITRETADO EM BANHOS DE SAL E A PLASMA Ranalli G. A.*, Pereira V. F. ; Pallone A. S. N. ; Mariano

Leia mais

E (V) Ag + e Ag 0,80 Zn + 2e Zn 0,76

E (V) Ag + e Ag 0,80 Zn + 2e Zn 0,76 PROVA DE QUÍMICA - 2 o TRIMESTRE 2013 PROF. MARCOS NOME N o 2 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

E S T U D O D E U M E L É C T R O D O S E L E T I V O D E I Ã O N I T R A T O

E S T U D O D E U M E L É C T R O D O S E L E T I V O D E I Ã O N I T R A T O E S T U D O D E U M E L É C T R O D O S E L E T I V O D E I Ã O N I T R A T O OBJETIVO Pretende-se com este trabalho experimental que os alunos avaliem as características de um eléctrodo sensível a ião

Leia mais

15. Trabalho Experimental - Proteção Catódica

15. Trabalho Experimental - Proteção Catódica 15. Trabalho Experimental - Proteção Catódica 15.1 - Introdução A proteção catódica é um método de controle de corrosão que consiste em transformar a estrutura à proteger no cátodo de um célula eletroquímica

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CAMADAS ANTI- CORROSIVAS PARA A PROTEÇÃO DE AÇO CARBONO

DESENVOLVIMENTO DE CAMADAS ANTI- CORROSIVAS PARA A PROTEÇÃO DE AÇO CARBONO UNIVERSIDADE TIRADENTES UNIT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PROCESSOS - PEP DESENVOLVIMENTO DE CAMADAS ANTI- CORROSIVAS PARA A PROTEÇÃO DE AÇO CARBONO Autor: João Bosco Ribeiro Carvalho Orientadores:

Leia mais

Química. Eletroquímica

Química. Eletroquímica CIC Colégio Imaculada Conceição Química Eletroquímica Msc. Camila Soares Furtado Couto Eletrólise Inverso da Pilha; Reação de oxi-redução que é provocada pela corrente elétrica; Não espontânea!!!! Eletrólise

Leia mais

AVALIAÇÃO DE REVESTIMENTO ORGÂNICO SOBRE AÇO GALVANIZADO DE DIFERENTES TAMANHOS DE GRÃO

AVALIAÇÃO DE REVESTIMENTO ORGÂNICO SOBRE AÇO GALVANIZADO DE DIFERENTES TAMANHOS DE GRÃO AVALIAÇÃO DE REVESTIMENTO ORGÂNICO SOBRE AÇO GALVANIZADO DE DIFERENTES TAMANHOS DE GRÃO Vitor Bonamigo Moreira (Universidade Federal do Rio Grande do Sul Brasil) Avenida Bento Gonçalves, 9500, Setor IV,

Leia mais

Revestimento Níquel Químico

Revestimento Níquel Químico Revestimento Níquel Químico O que é Níquel Químico Propriedades do Níquel Químico É um tipo especial de revestimento que aumenta a resistência à abrasão e corrosão e que não requer corrente elétrica, retificadores

Leia mais

Otimização do processo de anodização e coloração do alumínio utilizando pigmento orgânico

Otimização do processo de anodização e coloração do alumínio utilizando pigmento orgânico Otimização do processo de anodização e coloração do alumínio utilizando pigmento orgânico G. J. T. Alves 1, A. F. Fritzen 2, Gallina, A. L 2, Kurchaidt, S. M. 2, Antunes, S. R. M. 1, Rodrigues, P. R. P.

Leia mais

ELETRODOS DE CVR/POLÍMERO CONDUTOR PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA BATERIA TODA POLIMÉRICA

ELETRODOS DE CVR/POLÍMERO CONDUTOR PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA BATERIA TODA POLIMÉRICA ELETRODOS DE CVR/POLÍMERO CONDUTOR PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA BATERIA TODA POLIMÉRICA Carla Dalmolin *, Sonia R. Biaggio, Nerilso Bocchi, Romeu C. Rocha-Filho Laboratório de Pesquisas em Eletroquímica (LaPE)

Leia mais

Metalurgia & Materiais

Metalurgia & Materiais Delci Fátima M. Casagrande et al. Metalurgia & Materiais Estudo de camadas eletrodepositadas a partir de soluções livres de cianeto (Study of coatings electrodeposited from free cyanide solutions) Delci

Leia mais

Corrosão e degradação de materiais. Modificação aparência. Interação Comprometimento pp mecânicas

Corrosão e degradação de materiais. Modificação aparência. Interação Comprometimento pp mecânicas Corrosão e degradação de materiais Modificação aparência Interação Comprometimento pp mecânicas Deterioração é diferente para os diversos tipos de materiais: M Dissolução (corrosão) Formação de crosta

Leia mais

ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE ZIRCÔNIO COMO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO EM AÇO GALVANIZADO

ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE ZIRCÔNIO COMO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO EM AÇO GALVANIZADO ESTUDO DO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO À BASE DE ZIRCÔNIO COMO REVESTIMENTO DE CONVERSÃO EM AÇO GALVANIZADO G. Zaro; J. Z. Ferreira ¹LACOR UFRGS, Mestrando ; ²LACOR- UFRGS, Doutora gustavo.zaro@gmail.com

Leia mais

ELETROQUÍMICA REAÇÃO ENERGIA QUÍMICA ELÉTRICA. Pilha. Eletrólise. espontânea. não espontânea

ELETROQUÍMICA REAÇÃO ENERGIA QUÍMICA ELÉTRICA. Pilha. Eletrólise. espontânea. não espontânea ELETROQUÍMICA REAÇÃO Pilha espontânea ENERGIA QUÍMICA Eletrólise não espontânea ELÉTRICA SEMI REAÇÕES DE OXIDAÇÃO E REDUÇÃO Zn 0 Zn +2 + 2e - semi-reação de oxidação Cu +2 + 2e - Cu 0 semi-reação de redução

Leia mais

SÍNTESE QUÍMICA DE POLIPIRROL: INFLUÊNCIA DE SURFACTANTES ANIÔNICOS NAS PROPRIEDADES TÉRMICAS E CONDUTORAS

SÍNTESE QUÍMICA DE POLIPIRROL: INFLUÊNCIA DE SURFACTANTES ANIÔNICOS NAS PROPRIEDADES TÉRMICAS E CONDUTORAS SÍNTESE QUÍMICA DE POLIPIRROL: INFLUÊNCIA DE SURFACTANTES ANIÔNICOS NAS PROPRIEDADES TÉRMICAS E CONDUTORAS Regiane Apª. M. Campos 1*, Mirabel C. Rezende 2, Roselena Faez 3 1* Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

Fernando Cruz de Moraes

Fernando Cruz de Moraes Fernando Cruz de Moraes INFLUÊNCIA DA MICROESTRUTURA DOS AÇOS INOXIDÁVEIS (AUSTENÍTICOS, FERRÍTICOS E MARTENSÍTICOS) NA PROTEÇÃO CONTRA A CORROSÃO POR FILMES DE POLIANILINA. Dissertação apresentada ao

Leia mais

COMPARAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE CORROSÃO DA LIGA CONVENCIONAL AA2024-T351 E DA LIGA Al-Li 2098-T351

COMPARAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE CORROSÃO DA LIGA CONVENCIONAL AA2024-T351 E DA LIGA Al-Li 2098-T351 COMPARAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE CORROSÃO DA LIGA CONVENCIONAL AA2024-T351 E DA LIGA Al-Li 2098-T351 M.X. MILAGRE 1, J.V. ARAUJO 1, F.M. QUEIROZ 1, C. S. C. MACHADO 1, I. COSTA 1 Avenida Lineu Prestes, 224

Leia mais

RESISTÊNCIA A CORROSÃO DE AÇO ABNT 316-L: LAMINADO E SINTERIZADO.

RESISTÊNCIA A CORROSÃO DE AÇO ABNT 316-L: LAMINADO E SINTERIZADO. RESISTÊNCIA A CORROSÃO DE AÇO ABNT 316-L: LAMINADO E SINTERIZADO. Marcelle Maia CEP 80230-901, marcellemaia@hotmail.com Paulo César Borges CEP 80230-901, pborges@cefetpr.br Resumo. Este artigo apresenta

Leia mais

ipen AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

ipen AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ipen AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INVESTIGAÇÃO DO TRATAMENTO COM MOLÉCULAS AUTO-ORGANIZÁVEIS PARA SUBSTITUIÇÃO DA CROMATIZAÇÃO DA LIGA AA5052H32 NO PREPARO DA SUPERFÍCIE PRÉVIO A PINTURA

Leia mais

Eletrólise Eletrólise de soluções aquosas

Eletrólise Eletrólise de soluções aquosas Eletrólise de soluções aquosas As reações não espontâneas necessitam de uma corrente externa para fazer com que a reação ocorra. As reações de eletrólise são não espontâneas. Nas células voltaicas e eletrolíticas:

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TEOR DE CLORETO DE SÓDIO NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE TUBOS DA LIGA DE COBRE ASTM C12200 (99,9%Cu-0,015-0,040%P).

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TEOR DE CLORETO DE SÓDIO NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE TUBOS DA LIGA DE COBRE ASTM C12200 (99,9%Cu-0,015-0,040%P). ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO TEOR DE CLORETO DE SÓDIO NA RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE TUBOS DA LIGA DE COBRE ASTM C12200 (99,9%Cu-0,015-0,040%P). A. C. N. de Jesus 1, R. Magnabosco 2, I. Costa 1 email:acnetoj@yahoo.com.br

Leia mais

Corrosão das Armaduras das Estruturas de Concreto

Corrosão das Armaduras das Estruturas de Concreto Corrosão das Armaduras das Estruturas de Concreto FELIPE KOBUS, FRANCINE FERNANDES, GIOVANNI GUIDELLI, JAQUELINE F. SOARES, JULYANA ROCHA E MARINA D. TRENTIN Passivação da Armadura no Concreto Passivação

Leia mais

Equilíbrio de Precipitação

Equilíbrio de Precipitação Capítulo 4 Equilíbrio de Precipitação Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica Curso de Graduação em Farmácia Turmas 02102A e 02102B Introdução Os equilíbrios ácido -base são exemplos de

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO E AVALIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À CORROSÃO DE AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS EM AMBIENTE INDUSTRIAL

TÍTULO: ESTUDO E AVALIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À CORROSÃO DE AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS EM AMBIENTE INDUSTRIAL TÍTULO: ESTUDO E AVALIAÇÃO DA SUSCETIBILIDADE À CORROSÃO DE AÇOS INOXIDÁVEIS AUSTENÍTICOS EM AMBIENTE INDUSTRIAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: QUÍMICA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Palavras-chaves: Aço AISI 316L, tubulação, hipoclorito de sódio, NaClO e corrosão.

Palavras-chaves: Aço AISI 316L, tubulação, hipoclorito de sódio, NaClO e corrosão. Análise da Influência de Corrosão do Aço Inoxidável 316L por Hipoclorito de Sódio no Processo de Assepsia Externa de Tubulações Cervejeiras Douglas William dos Santos Silva* Renato Perrenchelle** Resumo.

Leia mais

Extrato da Pectis oligocephala como inibidor de corrosão do alumínio em H 2 SO 4 1M

Extrato da Pectis oligocephala como inibidor de corrosão do alumínio em H 2 SO 4 1M Extrato da Pectis oligocephala como inibidor de corrosão do alumínio em H 2 SO 4 1M Francisco Felipe Sousa Gomes* (IC)¹, José Amilcar Mendes de Araújo Neto (IC)¹, Rafaella da Silva Gomes (IC)¹, Laudelyna

Leia mais

NORMA TÉCNICA 1/5 NE ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS

NORMA TÉCNICA 1/5 NE ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS NORMA TÉCNICA Título: TINTA DE FUNDO RICA EM ZINCO À BASE DE Aprovação Subcomitê de Manutenção das Empresas Eletrobras - SCMT Vigência 10.03.2016 1/5 NE-024 1ª Edição 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS NORMATIVAS

Leia mais

SOLUÇÕES Folha 1.14 João Roberto Fortes Mazzei

SOLUÇÕES Folha 1.14 João Roberto Fortes Mazzei 1) Solução salina normal é uma solução aquosa de cloreto de sódio, usada em medicina porque a sua composição coincide com aquela dos fluídos do organismo. Sabendo-se que foi preparada pela dissolução de

Leia mais

Materiais / Materiais I

Materiais / Materiais I Materiais / Materiais I Guia para o Trabalho Laboratorial n.º 4 CORROSÃO GALVÂNICA E PROTECÇÃO 1. Introdução A corrosão de um material corresponde à sua destruição ou deterioração por ataque químico em

Leia mais

CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO

CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO CORROSÃO E ELETRODEPOSIÇÃO Princípios de Eletroquímica Prof. Dr. Artur de Jesus Motheo Departamento de FísicoF sico-química Instituto de Química de são Carlos Universidade de São Paulo 1 Princípios de

Leia mais

DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES. É o processo que consiste em adicionar solvente puro a uma solução, com o objetivo de diminuir sua concentração SOLVENTE PURO

DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES. É o processo que consiste em adicionar solvente puro a uma solução, com o objetivo de diminuir sua concentração SOLVENTE PURO DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES É o processo que consiste em adicionar solvente puro a uma solução, com o objetivo de diminuir sua concentração SOLVENTE PURO SOLUÇÃO INICIAL SOLUÇÃO FINAL SOLVENTE PURO VA V V C C

Leia mais

INFLUÊNCIA DA CONCENTRAÇÃO DE BTSE EM FILMES HÍBRIDOS APLICADOS SOBRE O AÇO 1008

INFLUÊNCIA DA CONCENTRAÇÃO DE BTSE EM FILMES HÍBRIDOS APLICADOS SOBRE O AÇO 1008 INFLUÊNCIA DA CONCENTRAÇÃO DE BTSE EM FILMES HÍBRIDOS APLICADOS SOBRE O AÇO 1008 P. Marcolin a,*, R.C. Oliveira de b, O. de A. Neuwald b, L. V. R. Beltrami c, D. G. Salvador b, L. Caio b, S.R. Kunst a

Leia mais

ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE A PROFUNDIDADE DE PENETRAÇÃO E A ESPESSURA TOTAL DE REVESTIMENTOS EM TESTES INSTRUMENTADOS DE DUREZA

ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE A PROFUNDIDADE DE PENETRAÇÃO E A ESPESSURA TOTAL DE REVESTIMENTOS EM TESTES INSTRUMENTADOS DE DUREZA Revista Brasileira de Aplicações de Vácuo, v. 25, n. 2, 99-103, 2006. 2006 ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE A PROFUNDIDADE DE PENETRAÇÃO E A ESPESSURA TOTAL DE REVESTIMENTOS EM TESTES INSTRUMENTADOS DE DUREZA A.

Leia mais

Determinação de Fluoreto em Soluções por Eletrodo Íon Seletivo (ISE)

Determinação de Fluoreto em Soluções por Eletrodo Íon Seletivo (ISE) Determinação de Fluoreto em Soluções por Eletrodo Íon Seletivo (ISE) Desenvolvido por: Nilton Pereira Alves em 07/08/1999 QUIMLAB - Química e Metrologia Av. Shishima Hifumi, No 2911 Campus UNIVAP - Incubadora

Leia mais

EFEITO DO FLUXO DE ELETRÓLITO SOBRE A RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE UM AÇO INOXIDÁVEL AUSTENÍTICO AISI 304L

EFEITO DO FLUXO DE ELETRÓLITO SOBRE A RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE UM AÇO INOXIDÁVEL AUSTENÍTICO AISI 304L doi: 10.4322/tmm.00504002 EFEITO DO FLUXO DE ELETRÓLITO SOBRE A RESISTÊNCIA À CORROSÃO DE UM AÇO INOXIDÁVEL AUSTENÍTICO AISI 304L Diana López 1 Neusa Alonso Falleiros 2 André Paulo Tschiptschin 3 Resumo

Leia mais

ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DE ELETRÓLITOS DE NaNO 3 E NaCl NA USINAGEM ELETROQUÍMICA DO AÇO-RÁPIDO ABNT M2

ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DE ELETRÓLITOS DE NaNO 3 E NaCl NA USINAGEM ELETROQUÍMICA DO AÇO-RÁPIDO ABNT M2 ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DE ELETRÓLITOS DE NaNO 3 E NaCl NA USINAGEM ELETROQUÍMICA DO AÇO-RÁPIDO ABNT M2 Evaldo Malaquias da Silva 1, Rafael L. Teixeira 2, Claudionor Cruz 3 Universidade Federal de Uberlândia,

Leia mais

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação:

3ª Série / Vestibular. As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar que, na reação: 3ª Série / Vestibular 01. I _ 2SO 2(g) + O 2(g) 2SO 3(g) II _ SO 3(g) + H 2O(l) H 2SO 4(ag) As equações (I) e (II), acima, representam reações que podem ocorrer na formação do H 2SO 4. É correto afirmar

Leia mais

Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais

Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais I Escola de Microscopia Eletrônica de Transmissão do CBPF/LABNANO Junho/2008 Ana Luiza Rocha Sumário 1. Condições de uma amostra adequada para MET

Leia mais

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS Recordação dos fundamentos termodinâmicos. Corrosão de metais e suas ligas. - Equilíbrio eletroquímico: Potencial de Eletrodo; Potencial Padrão; Medida Experimental do Potencial de Eletrodo; Equação de

Leia mais

ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DO BENZOTRIAZOL COMO ADITIVO PARA A FOSFATIZAÇÃO DE AÇO CARBONO

ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DO BENZOTRIAZOL COMO ADITIVO PARA A FOSFATIZAÇÃO DE AÇO CARBONO ESTUDO DA UTILIZAÇÃO DO BENZOTRIAZOL COMO ADITIVO PARA A FOSFATIZAÇÃO DE AÇO CARBONO V. Annies a, I. Costa b, M. T. Cunha a, M. Terada c, P. R. P. Rodrigues a, E. P. Banczek * * a Universidade Estadual

Leia mais

INTRODUÇÃO À QUÍMICA

INTRODUÇÃO À QUÍMICA INTRODUÇÃO À QUÍMICA O QUE É QUÍMICA? É a ciência que estuda a matéria, suas propriedades, transformações e interações, bem como a energia envolvida nestes processos. QUAL A IMPORTÂNCIA DA QUÍMICA? Entender

Leia mais

APLICAÇÃO DE CELA DE HULL

APLICAÇÃO DE CELA DE HULL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA APLICAÇÃO DE CELA DE HULL Dr. Richard Ostrander Hull DISCIPLINA: ELETROQUÍMICA

Leia mais

Química. Xandão (Renan Micha) Soluções

Química. Xandão (Renan Micha) Soluções Soluções Soluções 1. (FUVEST) Sabe-se que os metais ferro (Fe 0 ), magnésio (Mg 0 ) e estanho (Sn 0 ) reagem com soluções de ácidos minerais, liberando gás hidrogênio e formando íons divalentes em solução.

Leia mais

EFEITO DA GELATINA COMO ADITIVO PARA ELETRODEPOSIÇÃO DE LIGAS Zn-Co A PARTIR DE CORRENTE PULSADA SIMPLES

EFEITO DA GELATINA COMO ADITIVO PARA ELETRODEPOSIÇÃO DE LIGAS Zn-Co A PARTIR DE CORRENTE PULSADA SIMPLES EFEITO DA GELATINA COMO ADITIVO PARA ELETRODEPOSIÇÃO DE LIGAS Zn-Co A PARTIR DE CORRENTE PULSADA SIMPLES F. G. NUNES 1, W. LODE 1, J. R. GARCIA 1, A. V. C. BRAGA 1, D. C. B. do LAGO 1 e L. F. de SENNA

Leia mais

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS

PMT CORROSÃO E PROTEÇÃO DOS MATERIAIS Recordação dos fundamentos termodinâmicos. Diagramas de Pourbaix; Passivação. Detalhes: Diagrama de Pourbaix. Leitura dos diagramas; tipos de linhas (dependência: E; E e ph; independência de E e ph) Interpretação

Leia mais