ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO I - Organização dos objetos nas plantas dos planos territoriais A - Planta de Ordenamento ou Planta de Zonamento"

Transcrição

1 SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Central 2 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Habitacional 3 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Urbano de Baixa Densidade 4 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço de Atividades Económicas 5 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço de Uso Especial - Turismo 6 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Uso Especial - Equipamentos 7 Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Uso Especial Classificação e Qualificação do Solo Solo Urbano Espaço Verde 8 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço Agrícola 18 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço Florestal 19 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço de Exploração de Recursos Energéticos e Geológicos 22 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço Natural e Paisagístico 23 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço de Atividades Industriais 24 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Aglomerado Rural 25 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Área de Edificação Dispersa 26 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço Cultural 27 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço de Ocupação Turística 28 Classificação e Qualificação do Solo Solo Rústico Espaço de Equipamentos e 29 Áreas com Funções Específicas Estrutura Ecológica Municipal Estrutura Ecológica Municipal 30 Áreas com Funções Específicas Espaço Canal Espaço Canal 31 Áreas com Funções Específicas Risco Área de Perigosidade 180 Áreas com Funções Específicas Risco Área de Risco 179 Áreas com Funções Específicas Ruído Zona Sensível 203 Áreas com Funções Específicas Ruído Zona Mista 204 Programas Territoriais Área de Intervenção de Programa Especial 33 Programas Territoriais Área de Intervenção de Programa Setorial 175 Programas Territoriais Área de Intervenção de Programa Intermunicipal 176 Planos Territoriais Área de Intervenção de Plano Intermunicipal (PDI, PUI, PPI) / 7

2 SUB Planos Territoriais Área de Intervenção dos Planos Municipais (PDM, PU, PP) 34 Reabilitação ou Revitalização Área Urbana de Génese Ilegal (AUGI) 181 Reabilitação ou Revitalização Área de Reabilitação Urbana (ARU) 182 Reabilitação ou Revitalização Centro Histórico 199 Execução do planos Unidade Operativa de Planeamento e Gestão (U.O.P.G.) 32 Execução dos planos Unidade de execução 202 Área de Jurisdição dos Portos Área de Jurisdição dos Portos 174 Equipamentos de Utilização Coletiva Equipamento de Utilização Coletiva 35 Equipamentos de Utilização Coletiva Equipamento de Utilização Coletiva Previsto 36 de Circulação e Transporte Estrada Principal 37 de Circulação e Transporte Estrada Principal 38 de Circulação e Transporte Estrada Distribuidora 39 de Circulação e Transporte Estrada Distribuidora 40 de Circulação e Transporte Estrada Local 41 de Circulação e Transporte Estrada Local 42 de Circulação e Transporte Nó Rodoviário 43 de Circulação e Transporte Nó Rodoviário Previsto 44 de Circulação e Transporte Interface de Transportes 47 de Circulação e Transporte Interface de Transportes Previsto 48 de Circulação e Transporte Arruamento Principal 185 de Circulação e Transporte Arruamento Principal Previsto 186 de Circulação e Transporte Arruamento Distribuidor 187 de Circulação e Transporte Arruamento Distribuidor Previsto 188 de Circulação e Transporte Arruamento de Acesso Local 189 de Circulação e Transporte Arruamento de Acesso Local Previsto 190 de Circulação e Transporte Zona de Coexistência 209 de Circulação e Transporte Área de Estacionamento 191 de Circulação e Transporte Área de Estacionamento Previsto 192 de Circulação e Transporte Ciclovia / 7

3 SUB de Circulação e Transporte Ciclovia 46 de Circulação e Transporte Percurso pedonal 193 de Circulação e Transporte Percurso pedonal Previsto 194 de Circulação e Transporte Via-Férrea 51 de Circulação e Transporte Via-Férrea 52 de Circulação e Transporte Estação de Caminho de Ferro 53 de Circulação e Transporte Estação de Caminho de Ferro 54 de Circulação e Transporte Metro 55 de Circulação e Transporte Metro Previsto 56 de Circulação e Transporte Estação de Metro 205 de Circulação e Transporte Estação de Metro 206 de Circulação e Transporte Linha de elétrico 195 de Circulação e Transporte Linha de elétrico 196 de Circulação e Transporte Elevador 197 de Circulação e Transporte Elevador Previsto 198 de Circulação e Transporte Aeroporto ou Aérodromo 57 de Circulação e Transporte Aeroporto ou Aérodromo Previsto 58 de Circulação e Transporte Heliporto 59 de Circulação e Transporte Heliporto Previsto 60 de Circulação e Transporte Hidrobase 61 de Circulação e Transporte Hidrobase 62 de Circulação e Transporte Porto Marítimo 63 de Circulação e Transporte Porto Marítimo Previsto 64 de Circulação e Transporte Porto Fluvial 65 de Circulação e Transporte Porto Fluvial Previsto 66 de Abastecimento de Água Captação de Água 67 de Abastecimento de Água Captação de Água 68 de Abastecimento de Água Estação de Tratamento de Águas 69 de Abastecimento de Água Estação de Tratamento de Águas / 7

4 SUB de Abastecimento de Água Estação Elevatória de Água ou Reservatório 71 de Abastecimento de Água Estação Elevatória de Água ou Reservatório 72 de Abastecimento de Água Conduta Adutora 73 de Abastecimento de Água Conduta Adutora 74 de Drenagem de Águas Residuais Coletor de Águas Residuais 75 de Drenagem de Águas Residuais Coletor de Águas Residuais Previsto 76 de Drenagem de Águas Residuais Estação de Bombagem de Águas Residuais 77 de Drenagem de Águas Residuais Estação de Bombagem de Águas Residuais 78 de Drenagem de Águas Residuais Estação de Tratamento de Águas Residuais 79 de Drenagem de Águas Residuais de Recolha e Tratamento de Resíduos Sólidos de Recolha e Tratamento de Resíduos Sólidos Estação de Tratamento de Águas Residuais Estação de Tratamento de Resíduos 81 Estação de Tratamento de Resíduos 82 Infraestrutura de Produção de Energia 83 Infraestrutura de Produção de Energia Infraestrutura de Transformação de Energia Infraestrutura de Transformação de Energia Infraestrutura de Transporte de Energia 87 Infraestrutura de Transporte de Energia de Abastecimento de Combustíveis Gasoduto ou Oleoduto 89 de Abastecimento de Combustíveis Gasoduto ou Oleoduto Previsto 90 de Abastecimento de Combustíveis GMRS (Estação de Redução e Medição de Gás Natural) 200 de Abastecimento de Combustíveis GMRS (Estação de Redução e Medição de Gás Natural) 201 de Telecomunicações Infraestrutura de Telecomunicações 91 de Telecomunicações Infraestrutura de Telecomunicações 92 de Telecomunicações Linha de Telecomunicações 93 de Telecomunicações Linha de Telecomunicações / 7

5 B - Planta de Condicionantes SUB Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano Área de Intervenção do Plano 1 Recursos Hídricos Domínio Público Hídrico Leito e Margem das Águas do Mar 95 Recursos Hídricos Domínio Público Hídrico Leito e Margem das Águas Fluviais 96 Recursos Hídricos Domínio Público Hídrico Zona Contígua à Margem 97 Recursos Hídricos Domínio Público Hídrico Zona Adjacente 98 Recursos Hídricos Albufeiras, Lagos ou Lagoas de Águas Públicas Albufeira Classificada 99 Recursos Hídricos Albufeiras, Lagos ou Lagoas de Águas Públicas Lago ou Lagoa classificada 100 Recursos Hídricos Albufeiras, Lagos ou Lagoas de Águas Públicas Zona Terrestre de Proteção 101 Recursos Hídricos Albufeiras, Lagos ou Lagoas de Águas Públicas Zona Reservada da Zona Terrestre de Proteção 102 Recursos Hídricos Albufeiras, Lagos ou Lagoas de Águas Públicas Zona de Proteção da Barragem 103 Recursos Hídricos Recursos Geológicos Captações de Águas Subterrâneas para Abastecimento Público Águas de Nascente Zona de Respeito da Barragem 104 Perímetro de Proteção de Captação de Água Subterrânea 105 Recursos Geológicos Águas de Nascente Perímetro de Proteção de Águas da Nascente 106 Recursos Geológicos Águas Minerais Naturais Perímetro de Proteção de Águas Minerais Naturais 107 Recursos Geológicos Pedreiras Zona de Defesa/ Zona Especial de Defesa 108 Recursos Geológicos Pedreiras Área Cativa / Área de Reserva 109 Recursos Geológicos Recursos Geológicos Área de Servidão de Recurso Geológico 208 Recursos Agrícolas e Florestais Reserva Agrícola Nacional Reserva Agrícola Nacional 110 Recursos Agrícolas e Florestais Reserva Agrícola Nacional Área Excluida da Reserva Agrícola Nacional 111 Recursos Agrícolas e Florestais Obras de Aproveitamento Hidroagrícola Perímetro Hidroagrícola 112 Recursos Agrícolas e Florestais Oliveiras Povoamento de Oliveiras 113 Recursos Agrícolas e Florestais Sobreiros ou Azinheiras Povoamento de Sobreiros ou Azinheiras 114 Recursos Agrícolas e Florestais Sobreiros ou Azinheiras Área onde tenham ocorrido Incêndios, Depreciação do Arvoredo ou Abates Ilegais 115 Recursos Agrícolas e Florestais Azevinho Povoamento de Azevinho 116 Recursos Agrícolas e Florestais Regime Florestal Regime Florestal Total 117 Recursos Agrícolas e Florestais Regime Florestal Regime Florestal Parcial 118 Recursos Agrícolas e Florestais Povoamentos Florestais Percorridos por Incêndio Povoamento Florestal Percorrido por Incêndio 119 Recursos Agrícolas e Florestais Protecção ao Risco de Incêndio Classe de Risco de Incêndio (alta ou muito alta) 120 Recursos Agrícolas e Florestais Protecção ao Risco de Incêndio Zona critica 121 Recursos Agrícolas e Florestais Protecção ao Risco de Incêndio Redes de Faixas de Gestão de Combustível (rede primária e secundária) 122 Recursos Agrícolas e Florestais Árvores e Arvoredo de Interesse Público Árvore ou Arvoredo de Interesse Público / 7

6 B - Planta de Condicionantes SUB Recursos Ecológicos Reserva Ecológica Nacional Reserva Ecológica Nacional 124 Recursos Ecológicos Reserva Ecológica Nacional Área Excluida da Reserva Ecológica Nacional 125 Recursos Ecológicos Áreas Protegidas Parque Nacional 126 Recursos Ecológicos Áreas Protegidas Parque Natural 127 Recursos Ecológicos Áreas Protegidas Reserva Natural 128 Recursos Ecológicos Áreas Protegidas Monumento Natural 129 Recursos Ecológicos Áreas Protegidas Paisagem Protegida (de interesse regional ou local) 130 Recursos Ecológicos Rede Natura 2000 Sítio da Lista Nacional 133 Recursos Ecológicos Rede Natura 2000 Zona Especial de Conservação 132 Recursos Ecológicos Rede Natura 2000 Zona de Proteção Especial 131 Património Cultural Patrimínio Arqueológico Parque Arqueológico 207 Património Cultural Imóveis Classificados Monumento Nacional 134 Património Cultural Imóveis Classificados Imóvel de Interesse Público 135 Património Cultural Imóveis Classificados Imóvel de Interesse Municipal 136 Património Cultural Imóveis Classificados Imóvel em Vias De Classificação 137 Património Cultural Imóveis Classificados Zona Geral de Proteção 138 Património Cultural Imóveis Classificados Zona Especial de Proteção Provisória 139 Património Cultural Imóveis Classificados Zona Especial de Proteção 140 Património Cultural Edifícios Públicos e Outras Construções Zona de Proteção de Edifício Público e Outra Construção 141 Equipamentos Edifícios Escolares Edificio Escolar 142 Equipamentos Estabelecimentos Prisionais e Tutelares de Menores Zona de Proteção de Estabelecimento Prisional ou Tutelar de Menores 143 Equipamentos Instalações Aduaneiras Área de Jurisdição de Alfândega 144 Equipamentos Defesa Nacional Zona de Servidão Militar 145 Abastecimento de Água Estação de Tratamento de Água 69 Abastecimento de Água Estação Elevatória de Água ou Reservatório 71 Abastecimento de Água Conduta Adutora 73 Abastecimento de Água Zona de Servidão de Abastecimento de Água 146 Drenagem de Águas Residuais Colector de Águas Residuais 75 Drenagem de Águas Residuais Estação de Bombagem de Águas Residuais 77 Drenagem de Águas Residuais Estação de Tratamento de Águas Residuais 79 Drenagem de Águas Residuais Zona de Servidão de Drenagem de Águas Residuais 147 Rede Elétrica Infraestrutura de Produção de Energia / 7

7 B - Planta de Condicionantes SUB Rede Elétrica Infraestrutura de Transformação de Energia 85 Rede Elétrica Infraestrutura de Transporte de Energia 87 Rede Elétrica Zona de Servidão de Rede Elétrica 148 Gasodutos e Oleodutos Gasoduto ou Oleoduto 89 Gasodutos e Oleodutos Associadas 149 Gasodutos e Oleodutos Zona de Servidão de Gasodutos e Oleodutos 150 Rede Rodoviária Nacional e Regional Itinerário Principal 151 Rede Rodoviária Nacional e Regional Itinerário Principal Autoestrada 152 Rede Rodoviária Nacional e Regional Itinerário Complementar 153 Rede Rodoviária Nacional e Regional Itinerário Complementar Autoestrada 154 Rede Rodoviária Nacional e Regional Estrada Nacional 155 Rede Rodoviária Nacional e Regional Estrada Regional 156 Rede Rodoviária Nacional e Regional Estrada em Projeto 210 Rede Rodoviária Nacional e Regional Zona de Servidão de Estrada do Plano Rodoviário Nacional 157 Rede Rodoviária Nacional e Regional Zona de Respeito de Estrada do Plano Rodoviário Nacional 211 Estradas Nacionais Desclassificadas Estradas Nacionais Desclassificadas 158 Estradas Nacionais Desclassificadas Zona de Servidão de Estrada Nacional Desclassificada 159 Estradas e Caminhos Municipais Estrada Municipal 160 Estradas e Caminhos Municipais Caminho Municipal 161 Estradas e Caminhos Municipais Zona de Servidão de Estrada ou Caminho Municipal 162 Rede Ferroviária Via-Férrea 51 Rede Ferroviária Zona de Servidão de Via-Férrea 164 Aeroportos e Aeródromos Zona de Servidão Aeronaútica 165 Telecomunicações Zona de Servidão Radioeléctrica 166 Faróis e Outros Sinais Marítimos Farol ou Outro Sinal Marítimo 167 Faróis e Outros Sinais Marítimos Zona de Servidão de Sinalização Maritima 168 Rede Geodésica Zona de Proteção da Rede Geodésica 169 Atividades Perigosas Substâncias Perigosas Estabelecimento com Produtos Explosivos 170 Atividades Perigosas Substâncias Perigosas Zona de Segurança de Estabelecimento com Produtos Explosivos 171 Atividades Perigosas Substâncias Perigosas Estabelecimento com Substâncias Perigosas 172 Atividades Perigosas Substâncias Perigosas Zona de Segurança de Estabelecimento com Substâncias Perigosas / 7

Ordenamento do Espaço Rural

Ordenamento do Espaço Rural Ordenamento do Espaço Rural Ano lectivo 2005/2006 Capítulo 4 Ordenamento do Espaço Rural 1 4.1 A Política Nacional de Ordenamento do Território 2 Ordenamento do Território Assenta no sistema de gestão

Leia mais

11ª aula - Caso de estudo de Tomar

11ª aula - Caso de estudo de Tomar 11ª aula - Caso de estudo de Tomar Plano Director Municipal Tomar Componente Ambiental Figura? Dispersão da Edificação em Tomar Objectivos gerais: Caracterizar os elementos ambientais fundamentais no

Leia mais

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE S. JOÃO

ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE S. JOÃO ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE S. JOÃO DA PESQUEIRA Os artigos 48.º e 49.º do Regulamento do PDM de S. João da Pesqueira passam a ter a seguinte redacção: Artigo 48.º Espaços Agrícolas

Leia mais

Plano de Pormenor da Praia Grande. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território

Plano de Pormenor da Praia Grande. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Índice 1. Localização e Termos de referência 2. Eixos Estratégicos e Objetivos 3. Enquadramento legal 4. Diagnóstico 5. Proposta 6. Concertação

Leia mais

Qualificação Profissional Mínima Exigível aos Engenheiros e outros Técnicos na Atividade da Construção (DECLARAÇÕES)

Qualificação Profissional Mínima Exigível aos Engenheiros e outros Técnicos na Atividade da Construção (DECLARAÇÕES) Qualificação Profissional Mínima Exigível aos Engenheiros e outros Técnicos na Atividade da Construção (DECLARAÇÕES) Lei n.º 40/2015 de 1 de junho Aprova o regime jurídico que estabelece a qualificação

Leia mais

Empresas titulares de alvará de empreiteiro de obras públicas

Empresas titulares de alvará de empreiteiro de obras públicas Empresas titulares de alvará de empreiteiro de obras públicas (O alvará é válido por tempo indeterminado, sem prejuízo do controlo oficioso do cumprimento dos requisitos) Alvará 1747 - PUB Data de inscrição

Leia mais

Os Recursos Geológicos na Região do Norte: Ambiente e Ordenamento do Território

Os Recursos Geológicos na Região do Norte: Ambiente e Ordenamento do Território Os Recursos Geológicos na Região do Norte: Ambiente e 9 de Outubro de 2008 ISEP Recursos Geológicos: Pressupostos Instrumentos Programáticos de Instrumentos Programáticos de Ordenamento Sectorial Acção

Leia mais

Por servidão administrativa deve entender-se como o encargo imposto sobre um imóvel em benefício de uma coisa, por virtude da utilidade pública.

Por servidão administrativa deve entender-se como o encargo imposto sobre um imóvel em benefício de uma coisa, por virtude da utilidade pública. 11.1 INTRODUÇÃO Por servidão administrativa deve entender-se como o encargo imposto sobre um imóvel em benefício de uma coisa, por virtude da utilidade pública. As servidões administrativas e restrições

Leia mais

Elaboração de PU e PP Guias orientadores. Conteúdo material e documental do PU

Elaboração de PU e PP Guias orientadores. Conteúdo material e documental do PU Elaboração de PU e PP Guias orientadores 2014 Conteúdo material e documental do PU Conceito Plano de Urbanização Concretiza, para uma determinada área do território municipal, a política de ordenamento

Leia mais

BALANCETE DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS

BALANCETE DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS Object. Descrição Dotação Pagamento Tx. Ex. 1 EDUCAÇÃO 1.450.930,00 205.541,04 14,17% 1.1 Educação Pré-Escolar 1.1.1 Reparação de Edifícios Escolares 2.900,00 304,92 10,51% 1.1.2 Aquisição Maquinaria e

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 2015 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Estimativa Orçamental DEMOLIÇÕES 1. Edifícios e estruturas

Leia mais

Ex. mo Senhor Vice-Presidente da APA, I.P.

Ex. mo Senhor Vice-Presidente da APA, I.P. Ex. mo Senhor Vice-Presidente da APA, I.P. Assunto: Pedido de Informação Prévia sobre a possibilidade de utilização dos recursos hídricos (artigo 11º do Decreto-Lei n.º 226-A/2007, de 31 de maio) Selecione

Leia mais

A Ocupação Dispersa no quadro do PROTALGARVE

A Ocupação Dispersa no quadro do PROTALGARVE A Ocupação Dispersa no quadro do PROTALGARVE Porfírio Maia CCDR Algarve Évora, 12-11-09 Algarve / Andaluzia comparação dos espaços urbanos (1990) Sevilha Málaga Jaen Huelva Granada Córdova Cádiz Almeria

Leia mais

ÍNDICE GERAL DETALHADO

ÍNDICE GERAL DETALHADO E PÁGINA: 1/13 ÍNDICE GERAL DETALHADO SECÇÃO 1 RESUMO NÃO TÉCNICO SECÇÃO 2 RELATÓRIO BASE DO RECAPE SECÇÃO 3 RELATÓRIO TÉCNICO DO RECAPE SECÇÃO 4 ANEXOS DO RECAPE VOLUME I DECLARAÇÃO DE IMPACTE AMBIENTAL

Leia mais

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM Janeiro 2010 Fundamentação para a Elaboração do Plano de Pormenor do Conjunto das Azenhas do Boco Termos de Referência Índice 1. Introdução 2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento

Leia mais

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA)

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOS DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA 2010 1. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO

Leia mais

A Ocupação Dispersa no Quadro dos PROT e dos PDM. O PROT - Norte. Universidade de Évora, 12 de Novembro de 2009

A Ocupação Dispersa no Quadro dos PROT e dos PDM. O PROT - Norte. Universidade de Évora, 12 de Novembro de 2009 A Ocupação Dispersa no Quadro dos PROT e dos PDM O PROT - Norte Universidade de Évora, 12 de Novembro de 2009 1 ENQUADRAMENTO PNPOT: directivas gerais Resolução do Conselho de Ministros 29/2006, de 23

Leia mais

Anexo IV Tabela das Áreas de Actividades

Anexo IV Tabela das Áreas de Actividades Actividades Relacionadas com o Património Cultural 101/801 Artes Plásticas e Visuais 102/802 Cinema e Audiovisual 103/803 Bibliotecas e Património Bibliográfico 104/804 Arquivos e Património Arquivistico

Leia mais

IT 1819 R.4 - INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO

IT 1819 R.4 - INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO IT 1819 R.4 - INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO Notas: Aprovada pela Deliberação CECA nº 872 de 08 de maio de 1986. Publicada no DOERJ de 17 de junho de 1986. 1. OBJETIVO

Leia mais

PLANO DE ORDENAMENTO DA ALBUFEIRA DE IDANHA

PLANO DE ORDENAMENTO DA ALBUFEIRA DE IDANHA PLANO DE ORDENAMENTO DA ALBUFEIRA DE IDANHA Proposta Plano Plano de Execução Câmara Municipal de Idanha-a-Nova Julho 2005 ÍNDICE 1. METODOLOGIA... 3 2. PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO... 4 3. QUADROS-SÍNTESE

Leia mais

de obra. ANEXO III Qualificações para elaboração de projetos de especialidades de engenharia (a que se refere o n.º 3 do artigo 10.º) QUADRO N.

de obra. ANEXO III Qualificações para elaboração de projetos de especialidades de engenharia (a que se refere o n.º 3 do artigo 10.º) QUADRO N. Diário da República, 1.ª série N.º 105 1 de junho de 2015 3421 b) As obras sejam realizadas em imóveis classificados, em vias de classificação ou inseridos em zona especial ou automática de proteção, independentemente

Leia mais

UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS

UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS UNIDADE DE EXECUÇÃO BORRAGEIROS [ESTUDO TERRITORIAL] NOVEMBRO 2016 DGOU- DPUPE SPDM DEPARTAMENTO DE GESTÃO E ORDENAMENTO URBANÍSTICO DIVISÃO DE PLANEAMENTO URBANÍSTICO E PROJETOS ESTRUTURANTES SECTOR DO

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE MONTIJO

REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE MONTIJO REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE MONTIJO APRESENTAÇÃO DO PONTODE SITUAÇÃODO DESENVOLVIMENTO DOSTRABALHOS OUTUBRO 2015 Revisão do PDM de Montijo ponto de situação nos trabalhos de revisão Resumo da

Leia mais

FICHA DE DADOS ESTATÍSTICOS DE PLANO DIRECTOR MUNICIPAL N.º 5 da Portaria n.º 138/2008, de 2 de Fevereiro

FICHA DE DADOS ESTATÍSTICOS DE PLANO DIRECTOR MUNICIPAL N.º 5 da Portaria n.º 138/2008, de 2 de Fevereiro Designação Revisão de Plano Director Municipal Localização Região / NUT II Município Norte Mirandela Valores Globais Área do município 65 895,7 Ano de referência do PDM 1994 Ano horizonte do PDM 2026 Residente

Leia mais

2ª FASE - AVALIAÇÃO DOS POOC NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA ARH TEJO

2ª FASE - AVALIAÇÃO DOS POOC NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA ARH TEJO POOC SADO Na Praia do Magoito localizam-se ruínas de equipamentos (restauração, apoio de praia, infra-estruturas de natureza militar) e habitações, em áreas de Domínio Público Hídrico e de elevado valor

Leia mais

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos

Execução Anual do Plano Plurianual de Investimentos 1 Funções Gerais 1 111 Administração Geral de Ano Anos seguintes Anos Anteriores Ano 1 111 2003/20 Reabilitação de Edificios Municipais 0102 07010203 E 01/2003 12/2011 92.00 92.00 295.740,32 15.813,01

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA

GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA S e m i n á r i o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O MAR GESTÃO SUSTENTÁVEL DA ORLA COSTEIRA IST 03 Nov 2004 Quaternaire Portugal http://www.quaternaire.pt Decreto-lei n.º 380/99: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

ANEXO II. Qualificações para exercício de funções de direção de obra ou de direção de fiscalização de obra

ANEXO II. Qualificações para exercício de funções de direção de obra ou de direção de fiscalização de obra Diário da República, 1.ª série N.º 105 1 de junho de 2015 3415 Tipo de projeto a coordenar g) Demolição e preparação dos locais da construção, perfurações e sondagens; h) Instalações elétricas; i) Instalações

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1 DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA Divisão de Estudos, Projectos, Planeamento e Controlo ASSUNTO: LOCAL: Loteamento No Casal da Cruz UNIDADE DE EXECUÇÃO DE ATOUGUIA DA BALEIA Atouguia da

Leia mais

Ficha de Projeto Simplificado

Ficha de Projeto Simplificado Ficha de Projeto Simplificado ICNF/DCNF Registo n.º Data de submissão do projeto (dd/mm/aa) Índice 1 - Elementos gerais 1.1 - Identificação do requerente 1.2 - Identificação e localização da área de intervenção

Leia mais

Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente PLANO DE ORDENAMENTO DO PARQUE NATURAL DE SINTRA-CASCAIS 5. PLANO OPERACIONAL DE GESTÃO

Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente PLANO DE ORDENAMENTO DO PARQUE NATURAL DE SINTRA-CASCAIS 5. PLANO OPERACIONAL DE GESTÃO Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente PLANO DE ORDENAMENTO DO PARQUE NATURAL DE SINTRA-CASCAIS 1.. REGULAMENTO 2.. PLANTA DE ORDENAMENTO 3.. RELATÓRIO 4.. PLANTA DE CONDICIONANTES

Leia mais

ACTA DA 41.ª REUNIÃO SECTORIAL NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VILA NOVA DE GAIA (13 DE JUNHO DE 2007)

ACTA DA 41.ª REUNIÃO SECTORIAL NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VILA NOVA DE GAIA (13 DE JUNHO DE 2007) ACTA DA 41.ª REUNIÃO SECTORIAL NO ÂMBITO DA REVISÃO DO PDM DE VILA NOVA DE GAIA (13 DE JUNHO DE 2007) A 41.ª Reunião Sectorial do PDM de Vila Nova de Gaia, em que participaram representantes da CCDR-N,

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA

PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA CÂMARA MUNICIPAL DE ALMADA Arquitetura Paisagista Plano de Pormenor - Lisboa, Março 205 - PLANO DE PORMENOR DA FONTE DA TELHA Fonte da Telha > Programa de Ação e Plano de Financiamento Março de 205 INTRODUÇÃO

Leia mais

PDM DE CELORICO DA BEIRA [RCM 86/95, DR 209, I-B, ]

PDM DE CELORICO DA BEIRA [RCM 86/95, DR 209, I-B, ] [RCM 86/95, DR 209, I-B, 1995.09.09] [RCM nº83/2009, DR nº175, IªS, 2009/09/09] Adaptar: 1 _ Regulamento acrescentar informação, retirar e adaptar outra. 2 _ Planta de Ordenamento nova carta: Planta de

Leia mais

SABUGAL REGULAMENTO. novembro Volume1 PRIMEIRA REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL

SABUGAL REGULAMENTO. novembro Volume1 PRIMEIRA REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL PRIMEIRA REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL SABUGAL REGULAMENTO Volume1 [Texto convertido pelo conversor da Porto Editora, respeitando o Acordo Ortográfico de 1990] Esta página foi deixada em branco propositadamente

Leia mais

Denominação Bacia hidrográfica Sub-bacia. III CARACTERIZAÇÃO DA UTILIZAÇÃO Finalidade.

Denominação Bacia hidrográfica Sub-bacia. III CARACTERIZAÇÃO DA UTILIZAÇÃO Finalidade. ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS OCUPAÇÃO DO DOMÍNIO PÚBLICO HÍDRICO I IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal

Leia mais

Guia Prático de Termos e Conceitos do Plano Diretor Municipal de Vila Real

Guia Prático de Termos e Conceitos do Plano Diretor Municipal de Vila Real Guia Prático de Termos e Conceitos do Plano Diretor Municipal de Vila Real Município de Vila Real, Dezembro de 2013 VERSÃO: 1.0 -----------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL ALVOR - PORTIMÃO TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL ALVOR - PORTIMÃO TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE URBANIZAÇÃO DA UOPG3 DE HOTELARIA TRADICIONAL TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTIMÃO 2012 Índice 1 Introdução; 2 Enquadramento territorial da área de Intervenção; 3 Enquadramento Jurídico;

Leia mais

agosto 2013 D e p a r t a m e n t o d e P l a n e a m e n t o e G e s t ã o U r b a n í s t i c a D i vi s ã o d e P l a n e a m e n t o

agosto 2013 D e p a r t a m e n t o d e P l a n e a m e n t o e G e s t ã o U r b a n í s t i c a D i vi s ã o d e P l a n e a m e n t o agosto 2013 D e p a r t a m e n t o d e P l a n e a m e n t o e G e s t ã o U r b a n í s t i c a D i vi s ã o d e P l a n e a m e n t o CONTEÚDO DOCUMENTAL ELEMENTOS CONSTITUINTES: Regulamento Planta

Leia mais

*Nome/Denominação social *Identificação fiscal nº, *residência/sede em, *Província ; *Município, *Comuna ; *Telefone ; *Telemóvel ; *Fax ; * ;

*Nome/Denominação social *Identificação fiscal nº, *residência/sede em, *Província ; *Município, *Comuna ; *Telefone ; *Telemóvel ; *Fax ; * ; Constituição de Direitos fundiários (artigo 71.º do RUGRH) Os dados assinalados com * devem ser obrigatoriamente apresentados com o pedido de título de utilização dos recursos hídricos. Os restantes dados

Leia mais

1. PLANO DE URBANIZAÇÃO PARA PAMPELIDO PERAFITA E LAVRA/DECISÃO SOBRE: ELABORAÇÃO, TERMOS DE REFERÊNCIA E ISENÇÃO AMBIENTAL

1. PLANO DE URBANIZAÇÃO PARA PAMPELIDO PERAFITA E LAVRA/DECISÃO SOBRE: ELABORAÇÃO, TERMOS DE REFERÊNCIA E ISENÇÃO AMBIENTAL 1. PLANO DE URBANIZAÇÃO PARA PAMPELIDO PERAFITA E LAVRA/DECISÃO SOBRE: ELABORAÇÃO, TERMOS DE REFERÊNCIA E ISENÇÃO AMBIENTAL A Câmara Municipal na sua reunião de 15 de Dezembro de 2008, mandou elaborar

Leia mais

ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO:

ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO: MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO: TERRITÓRIO E GESTÃO DO AMBIENTE E TECNOLOGIA E GESTÃO DO AMBIENTE MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS

DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS 1 MEMÓRIA DESCRITIVA 1 GENERALIDADES Refere-se a presente memória descritiva ao estudo da infra-estrutura de drenagem de águas residuais associado à operação urbanística do Plano de Pormenor de Parte da

Leia mais

O Planeamento do. Gestão e ordenamento do território

O Planeamento do. Gestão e ordenamento do território O Planeamento do Território em Portugal Gestão e ordenamento do território Henrique Miguel Pereira Enquadramento jurídico Constituição da República Lei de Bases do Ambiente (Lei 11/1987) Lei de Bases de

Leia mais

Engenharia e. O que é engenharia? Sumário. Engenharia Civil. Engenharia envolve... Atualmente temos que preparar os estudantes:

Engenharia e. O que é engenharia? Sumário. Engenharia Civil. Engenharia envolve... Atualmente temos que preparar os estudantes: Engenharia e Engenharia Civil Sergio Scheer 1º semestre de 2016 Atualmente temos que preparar os estudantes: para empregos que ainda não existem... para usar tecnologias que ainda não foram inventadas...

Leia mais

p d m r e g u l a m e n t o câmara municipal de guimarães departamento de projecto e planeamento urbanístico divisão de planeamento urbanístico

p d m r e g u l a m e n t o câmara municipal de guimarães departamento de projecto e planeamento urbanístico divisão de planeamento urbanístico p d m r e g u l a m e n t o câmara municipal de guimarães departamento de projecto e planeamento urbanístico divisão de planeamento urbanístico divisão de sistemas de informação geográfica ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação Turismo, Planeamento e Ordenamento do Território no Algarve Dr. Sérgio Palma Brito sergiopalmabrito@gmail.com Faro, 09 de Novembro 1 Estrutura da Apresentação Proposta de Metodologia O Planeamento do Território

Leia mais

Câmara Municipal de Sesimbra DIVISÃO DE PLANEAMENTO URBANISTÍCO

Câmara Municipal de Sesimbra DIVISÃO DE PLANEAMENTO URBANISTÍCO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA RIBEIRA DO MARCHANTE VERSÃO FINAL REGULAMENTO Câmara Municipal de Sesimbra DIVISÃO DE PLANEAMENTO URBANISTÍCO ÍNDICE TÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Âmbito...3 Artigo

Leia mais

Licenciamento/ autorização das operações

Licenciamento/ autorização das operações Licenciamento/autorização das operações Licenciamento/ autorização das operações Introdução / Enquadramento Condições gerais de admissão e aceitação dos beneficiários (Artigo 12.º) Cumprirem as condições

Leia mais

Estratégia para a Aplicação de Planos de Intervenção em Espaço Rural em Espaço Periurbano. O caso de Setúbal.

Estratégia para a Aplicação de Planos de Intervenção em Espaço Rural em Espaço Periurbano. O caso de Setúbal. Estratégia para a Aplicação de Planos de Intervenção em Espaço Rural em Espaço Periurbano. O caso de Setúbal. Discussão para obtenção do grau de Mestre em Urbanismo e Ordenamento do Território Patrícia

Leia mais

PLANTA DE LOCALIZAÇÃO

PLANTA DE LOCALIZAÇÃO CARTOGRAFIA Planta N.º: / Data de Emissão: -- Escala: :, -, A A B C A B / A B A C CB A B A B A A B A A A B A B A A B B B A A A A B B B A B A C BA E D C B B BA A A A C A B B G C A B A CB B A A A A A A B

Leia mais

REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE. Proposta da Junta de Freguesia do Monte

REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE. Proposta da Junta de Freguesia do Monte REVISÃO DO PDM DO CONCELHO DO FUNCHAL FREGUESIA DO MONTE 1. Mobilidade Urbana 1.1. Estacionamento na Zona. Proposta da Junta de Freguesia do Monte 1. Criar zonas de estacionamento público de forma a retirar

Leia mais

1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente

1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente 1. Existente - Descrição e justificação 1.1 Enquadramento da pretensão nos planos municipais e especiais de ordenamento do território vigente O arruamento é caraterizado na rede viária do Plano Diretor

Leia mais

Diploma. Aprova a delimitação dos perímetros de proteção de várias captações de água subterrânea localizadas no concelho de Ourém

Diploma. Aprova a delimitação dos perímetros de proteção de várias captações de água subterrânea localizadas no concelho de Ourém Diploma Aprova a delimitação dos perímetros de proteção de várias captações de água subterrânea localizadas no concelho de Ourém Portaria n.º 348/2013 de 29 de novembro O Decreto-Lei n.º 382/99, de 22

Leia mais

Riscos de Cheias e Secas: O papel regulador dos aquíferos

Riscos de Cheias e Secas: O papel regulador dos aquíferos Riscos de Cheias e Secas: O papel regulador dos aquíferos Judite FERNANDES e Augusto COSTA INICIATIVA RISCOS 1ª SESSÃO RISCOS NATURAIS 20 de SETEMBRO de 2012 Água subterrânea: a componente invisível do

Leia mais

22164 Diário da República, 2.ª série N.º de agosto de 2015

22164 Diário da República, 2.ª série N.º de agosto de 2015 22164 Diário da República, 2.ª série N.º 153 7 de agosto de 2015 Artigo 22.º Prazos Salvo disposição expressa em contrário, os prazos constantes do presente regulamento contam -se nos termos do Código

Leia mais

Ordenamento e gestão do território Grandes empreendimentos obras públicas e construção sustentável

Ordenamento e gestão do território Grandes empreendimentos obras públicas e construção sustentável MEAmb, 2º ano, 2º sem, 2008-09 Valências Ambientais em Engenharia Ordenamento e gestão do território Grandes empreendimentos obras públicas e construção sustentável 9ª aula Maria do Rosário Partidário

Leia mais

Revisão do Plano Diretor Municipal de Alandroal

Revisão do Plano Diretor Municipal de Alandroal Revisão do Plano Diretor Municipal de Alandroal Fase 3A Versão Final do Plano Volume II - Regulamento Abril 2015 E17133 RR - Planning, Lda. Av. Gomes Freire, n.º 18 2760 066 Caxias PORTUGAL T +351 218

Leia mais

Click to edit Master title style

Click to edit Master title style Atos de Engenharia por Especialidade da Ordem dos Engenheiros Regulamento n.º 420/2015, de 20 de julho Lei n.º 40/2015, de 1 de junho Engenharia (EGM) Salomé Moreira Serviços Jurídicos da Ordem dos Engenheiros

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR 1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE MEALHADA

DOCUMENTO ORIENTADOR 1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE MEALHADA DOCUMENTO ORIENTADOR 1ª REVISÃO DO PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE MEALHADA [APROVADA EM ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE 10 DE ABRIL DE 2015 E PUBLICADA EM DIÁRIO DA REPÚBLICA ATRAVÉS DO AVISO N.º 4234/2015, DE 20

Leia mais

1. Matriz de compatibilização das classes de espaço dos Planos Directores Municipais com as Classes de Espaço propostas pelo POOC.

1. Matriz de compatibilização das classes de espaço dos Planos Directores Municipais com as Classes de Espaço propostas pelo POOC. Lista de quadros 1. Matriz de compatibilização das classes de espaço dos Planos Directores Municipais com as Classes de Espaço propostas pelo. 2. UOPG do : Correspondência entre classes de espaço (/PDM).

Leia mais

MUNICÍPIO DA MOITA PLANO DIRETOR MUNICIPAL TITULO II SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS E OUTRAS RESTRIÇÕES DE UTILIDADE PÚBLICA

MUNICÍPIO DA MOITA PLANO DIRETOR MUNICIPAL TITULO II SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS E OUTRAS RESTRIÇÕES DE UTILIDADE PÚBLICA MUNICÍPIO DA MOITA PLANO DIRETOR MUNICIPAL REGULAMENTO - ÍNDICE TITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigos: 1.º Âmbito 2.º Conteúdo documental 3.º Vinculação 4.º Definições TITULO II SERVIDÕES ADMINISTRATIVAS

Leia mais

1/57. Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão INDÍCE TÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 5

1/57. Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão INDÍCE TÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 5 O Regulamento constitui um dos elementos fundamentais do Plano Diretor Municipal, estabelecendo em conjunto com a demais legislação geral em vigor, as regras e orientações a que devem obedecer as ações

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE NISA

REVISÃO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE NISA REVISÃO DO PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE NISA FUNDAMENTAÇÃO DAS ÁREAS DE EDIFICAÇÃO EM SOLO RURAL PERIURBANAS (AESRP) MARÇO 2015 Índice 1 Introdução... 1 2 AESRP de Alpalhão... 2 3 AESRP de Nisa - 1: estrada

Leia mais

MAPA XVI REPARTIÇÃO REGIONALIZADA DOS PROGRAMAS E MEDIDAS. Continente Area

MAPA XVI REPARTIÇÃO REGIONALIZADA DOS PROGRAMAS E MEDIDAS. Continente Area ANO ECONÓMICO DE 2017 Página 1 do P-001-ORGAOS DE SOBERANIA 1 080 000 1 080 000 395 096 461 396 176 461 M-012-SEGURANÇA E ORDEM PÚBLICAS - SISTEMA JUDICIÁRIO 315 712 781 315 712 781 M-036-SERVIÇOS CULTURAIS,

Leia mais

O meio ambiente na CF/1988. José Antônio Tietzmann e Silva - Todos os direitos reservados

O meio ambiente na CF/1988. José Antônio Tietzmann e Silva - Todos os direitos reservados O meio ambiente na CF/1988 Japão (1946), Polônia (1952), Tchecho-Eslováquia (1960), Bulgária (1971), Confederação Helvética (1971), Hungria (1972), Panamá (1972), Ioguslávia (1974), Grécia (1975), Cuba

Leia mais

TIPOLOGIAS DE ALOJAMENTO ENQUADRÁVEIS NO COMPETIR+

TIPOLOGIAS DE ALOJAMENTO ENQUADRÁVEIS NO COMPETIR+ TIPOLOGIAS DE ALOJAMENTO ENQUADRÁVEIS NO COMPETIR+ 1 EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS São considerados Empreendimentos Turísticos os estabelecimentos que se destinam a prestar serviços de alojamento turístico,

Leia mais

Mananciais de Abastecimento. João Karlos Locastro contato:

Mananciais de Abastecimento. João Karlos Locastro contato: 1 Mananciais de Abastecimento João Karlos Locastro contato: prof.joaokarlos@feitep.edu.br 2 Vazão 3 Escolha do Manancial - Qualidade Análise físico-química e bacteriológica; Características de ocupação

Leia mais

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 3 II. LOCALIZAÇÃO 3 III. ENQUADRAMENTO PDM 3 VII. CEDÊNCIAS E INFRAESTRUTURAS 3 V. PROPOSTA 3 VI. ÍNDICES URBANÍSTICOS 4 VII.

Leia mais

Direito Ambiental Aula 3

Direito Ambiental Aula 3 Direito Ambiental Aula 3 O meio ambiente na CF/1988 O meio ambiente nos textos constitucionais de outros países Japão (1946), Polônia (1952), Tchecho-Eslováquia (1960), Bulgária (1971), Confederação Helvética

Leia mais

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade

Workshop Regional de Disseminação do Pacote da Mobilidade Workshop Regional de Disseminação do Universidade do Minho - Braga -10 de Abril de 2012 GUIÃO Orientador da Temática dos Transportes nos Planos Municipais de Ordenamento do Território António Pérez Babo

Leia mais

CMMN Ano Contabilistico : 2016 Período: Janeiro a Dezembro Pagina : 1

CMMN Ano Contabilistico : 2016 Período: Janeiro a Dezembro Pagina : 1 12:09 2017/04/17 Activo Bruto Pag. 1 ENTIDADE A C T I V O B R U T O CMMN Ano Contabilistico : 2016 Período: Janeiro a Dezembro Pagina : 1 Data : 2017/04/17 41 INVESTIMENTOS FINANCEIROS 859.797,72 859.797,72

Leia mais

NOVOS CAMINHOS PARA A ÁGUA

NOVOS CAMINHOS PARA A ÁGUA Uso Eficiente da Água no Regadio O Caso do EFMA José Pedro Salema 6 de março de 2015 REDE PRIMÁRIA» TERCIÁRIA PLANEAMENTO» EXPLORAÇÃO Rio Guadiana Alqueva 2800 hm 3 /ano Blocos de Rega 63 500 ha 11 Perímetros

Leia mais

Consórcio Intermunicipal para Gestão Ambiental das Bacias da Região dos Lagos e dos Rios São João e Una. Tema Dados Atributo

Consórcio Intermunicipal para Gestão Ambiental das Bacias da Região dos Lagos e dos Rios São João e Una. Tema Dados Atributo Tema Dados Atributo Base Cartográfica Básica Municípios Distritos Localidades (ponto) Vias de acesso (rodovias, estradas vicinais) Faixa de domínio Linhas de Transmissão Sub-estação de energia do município

Leia mais

Os artigos abaixo indicados, salvo indicação contrária, referem-se à proposta de regulamento do PDM em discussão pública.

Os artigos abaixo indicados, salvo indicação contrária, referem-se à proposta de regulamento do PDM em discussão pública. REVISÃO DO PDM DE GUIMARÃES CONTRIBUTO DA AVE ASSOCIAÇÃO VIMARANENSE PARA A ECOLOGIA A AVE Associação Vimaranense para a Ecologia analisou alguns dos aspetos com incidência ambiental da revisão do Plano

Leia mais

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo Bens e serviços imobiliários Alojamento Alojamento colectivo Alojamento de convivência Estabelecimento hoteleiro e similar Alojamento familiar Alojamento familiar clássico Alojamento sobrelotado Alojamento

Leia mais

Regime jurídico da urbanização e da edificação

Regime jurídico da urbanização e da edificação Regime jurídico da urbanização e da edificação A Lei dos Solos (Decreto-Lei nº 794/76, de 5 de Novembro) distingue o direito da propriedade do direito de urbanizar. O direito de urbanizar e edificar é

Leia mais

Bens da União no litoral. Novembro 2015

Bens da União no litoral. Novembro 2015 Bens da União no litoral Novembro 2015 Histórico da propriedade no Brasil regime das sesmarias Lei de Terras (Lei nº 601/1850) Repartição Geral de Terras Públicas Bens Públicos Município, Estado, Distrito

Leia mais

Externalidades associáveis de Ocupação Urbana

Externalidades associáveis de Ocupação Urbana Externalidades associáveis ás s várias v formas de Ocupação Urbana Componente do projecto de investigação Custos e Benefícios, à Escala Local de uma Ocupação Dispersa M.C. Serrano Pinto (UA), L. Arroja

Leia mais

REQUERIMENTO DE REGISTO

REQUERIMENTO DE REGISTO REQUERIMENTO DE REGISTO PRESTADORES ESTABELECIDOS NOUTROS ESTADOS MEMBROS DA UNIÃO EUROPEIA (Art. 6.º-A do Decreto-Lei n.º12/2004, de 09.01, com a redação introduzida pelo Decreto-Lei n.º69/2011, de 15.06)

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO 1 1. APROPRIAÇÃO FÍSICA DE GLEBAS URBANAS: 1.1. PARCELAMENTO DO SOLO (Lei Federal nº 6.766/79, alterada pela

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance

Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance Revisão do PDM de Vila Real de Santo António Avaliação Ambiental Estratégica: Âmbito e Alcance Pedro Bettencourt 1 1 Geólogo, Director-Geral NEMUS, Gestão e Requalificação Ambiental Vila Real de Santo

Leia mais

Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização

Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização Redes de defesa da floresta contra incêndios FGC Aplicação do Regime Jurídico das Ações de Arborização e Rearborização PENELA 05 setembro de 2015 Redes de defesa da floresta contra incêndios Legislação

Leia mais

Gestão de vegetação nas faixas de servidão das redes de transporte de eletricidade. Uma mudança de paradigma. Maiode 2016

Gestão de vegetação nas faixas de servidão das redes de transporte de eletricidade. Uma mudança de paradigma. Maiode 2016 Gestão de vegetação nas faixas de servidão das redes de transporte de eletricidade. Uma mudança de paradigma. Maiode 2016 A REN na qualidade de concessionária da Rede Nacional de Transporte de Eletricidade,

Leia mais

19992 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2016

19992 Diário da República, 2.ª série N.º de junho de 2016 19992 Diário da República, 2.ª série N.º 121 27 de junho de 2016 1.º Maria Natália Gaspar 17,02 valores. 2.º Ermelinda de Jesus Francisco Delgado Dias 15,28 valores. 3.º Sílvia Maria Rosado Nogueira 12,49

Leia mais

TÍTULO I. Disposições gerais. Diário da República, 2.ª série N.º de julho de MUNICÍPIO DA PÓVOA DE LANHOSO

TÍTULO I. Disposições gerais. Diário da República, 2.ª série N.º de julho de MUNICÍPIO DA PÓVOA DE LANHOSO Diário da República, 2.ª série N.º 137 16 de julho de 2015 19173 Artigo 7.º (Estabelecimentos de caráter não sedentário) Aos estabelecimentos de caráter não sedentário, nomeadamente as unidades móveis

Leia mais

Alteração Regulamentar ao PDM de Sintra. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território

Alteração Regulamentar ao PDM de Sintra. Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território Alteração Regulamentar ao PDM de Sintra Direção Municipal de Ambiente, Planeamento e Gestão do Território 24 março 2015 Enquadramento Participação pública preventiva Procedimentos Projetos de Relevante

Leia mais

Portaria nº 1379/2009, de 30 de Outubro

Portaria nº 1379/2009, de 30 de Outubro Portaria nº 1379/2009, de 30 de Outubro Anexo B A Lei n.º 31/2009, de 3 de Julho, que revogou o Decreto n.º 73/73, de 28 de Fevereiro, aprovou o regime jurídico que estabelece a qualificação exigível aos

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º de agosto de

Diário da República, 2.ª série N.º de agosto de Diário da República, 2.ª série N.º 164 27 de agosto de 2013 26803 Aviso n.º 10603/2013 Deliberação de Aprovação da 1.ª Revisão do PDM de Sátão Alexandre Manuel Mendonça Vaz, Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

MUNICÍPIO DE BEJA AVISO

MUNICÍPIO DE BEJA AVISO MUNICÍPIO DE BEJA CÂMARA MUNICIPAL AVISO Alteração por adaptação do Plano Director Municipal de Beja ao Plano Regional de Ordenamento do Território do Alentejo Jorge Pulido Valente, Presidente da Câmara

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Barbara Rosa Direito Constitucional Organização do Estado - II TIPOS DE COMPETÊNCIAS Competência exclusiva: Indelegável. Competência privativa: delegável Competência comum: União, Estados, DF e Municípios.

Leia mais

ORDENAMENTO DE TERRITÓRIO

ORDENAMENTO DE TERRITÓRIO F O R M A Ç Ã O ORDENAMENTO DE TERRITÓRIO ANTÓNIO PAIVA O Município percebe, estuda e regula o território concelhio com o apoio de um setor técnico, de uma área técnica, de uma divisão ou de um departamento

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

PLANO de PORMENOR da ZONA INDUSTRIAL do CANHOSO Alteração TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO de PORMENOR da ZONA INDUSTRIAL do CANHOSO Alteração TERMOS DE REFERÊNCIA Alteração do Plano de Pormenor da Zona Industrial do Canhoso T E R M O S D E R E F E R Ê N C I A Pág. 1 de 5 PLANO de PORMENOR da ZONA INDUSTRIAL do CANHOSO Alteração TERMOS DE REFERÊNCIA JULHO DE 2016

Leia mais

- Planta de Condicionantes. Condicionantes. Condicionantes. Ordenamento (aferir delimitação aqui também)

- Planta de Condicionantes. Condicionantes. Condicionantes. Ordenamento (aferir delimitação aqui também) Rede Natura Identificação dos dois SIC e distinção entre a simbologia dos SIC e da ZPE. De modo a tornar mais percetível as áreas delimitadas foram introduzidas etiquetas para cada um dos SIC e ajusta

Leia mais

P.U. SANTO ALEIXO REGULAMENTO

P.U. SANTO ALEIXO REGULAMENTO P.U. SANTO ALEIXO REGULAMENTO ÍNDICE Capítulo I 5 Disposições Gerais 5 Artigo 1º 5 (Objectivos e Âmbito) Artigo 2º 5 (Conteúdo Documental e Utilização) Artigo 3º 6 (Vinculação e Hierarquia) Artigo 4º 7

Leia mais

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS MUNICÍPIO DE MATOSINHOS Câmara Municipal PLANO DE PORMENOR PARA O TERRENO ENTRE A AV. DOS COMBATENTES DA GRANDE GUERRA E A RUA NOGUEIRA PINTO - LEÇA DA PALMEIRA R E G U L A M E N TO NOGUEIRA PINTO LEÇA

Leia mais

PLANO REGIONAL DE ORDENAMENTO FLORESTAL DO ALENTEJO LITORAL. Objectivos específicos comuns

PLANO REGIONAL DE ORDENAMENTO FLORESTAL DO ALENTEJO LITORAL. Objectivos específicos comuns PLANO REGIONAL DE ORDENAMENTO FLORESTAL DO ALENTEJO LITORAL a) Diminuir o número de ignições de incêndios florestais. b) Diminuir a área queimada. c) Controlar e erradicar o nemátodo da madeira do pinheiro

Leia mais

SOLAR DE SOBREIRAS - PORTO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO

SOLAR DE SOBREIRAS - PORTO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO SOLAR DE SOBREIRAS - PORTO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO Julho de 2016 Porto > A cidade Investimento no Porto Com um enquadramento comercial dinâmico, boas infraestruturas e mão-de-obra especializada e qualificada,

Leia mais

MAPA XVI REPARTIÇÃO REGIONALIZADA DOS PROGRAMAS E MEDIDAS. Continente Area

MAPA XVI REPARTIÇÃO REGIONALIZADA DOS PROGRAMAS E MEDIDAS. Continente Area ANO ECONÓMICO DE 2018 Página 1 do P-001-ORGAOS DE SOBERANIA 1 636 000 1 636 000 283 108 241 284 744 241 M-012-SEGURANÇA E ORDEM PÚBLICAS - SISTEMA JUDICIÁRIO 316 002 991 316 002 991 M-036-SERVIÇOS CULTURAIS,

Leia mais