Gabinete de Gestão Financeira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gabinete de Gestão Financeira"

Transcrição

1 Gabinete de Gestão Financeira

2 Í N D I C E Pág. ORÇAMENTO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PARA EVOLUÇÃO DA DESPESA CONSOLIDADA / DESPESA CONSOLIDADA SEGUNDO A CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA 3 EVOLUÇÃO POR ÁREAS DE DESPESA / PROGRAMAS ORÇAMENTAIS PARA ÁREAS DE DESPESA: 1. ENSINO ENSINO OFICIAL EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO DIFUSÃO DA CULTURA E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO ESTRANGEIRO EDUCAÇÃO ESPECIAL NOVAS OPORTUNIDADES FORMAÇÃO DE JOVENS EDUCAÇÃO DE ADULTOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR COMPLEMENTOS EDUCATIVOS ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS TUTELADOS 20

3 DESPESA CONSOLIDADA 2007 / 2008

4 ORÇAMENTO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EVOLUÇÃO DA DESPESA CONSOLIDADA / DESPESA CONSOLIDADA ESTIMATIVA DA EXECUÇÃO ORÇAMENTO INICIAL Unid: Milhões de Euros Acrésc. % 2007 / 2008 SUBSECTOR ESTADO 5.953, ,6-0,4% 1. FUNCIONAMENTO NORMAL 5.875, ,0-0,5% - com cobertura em: - Receitas Gerais 5.676, ,6-0,5% - Receitas Consignadas 198,9 196,4-1,3% 2. INVESTIMENTOS DO PLANO 77,7 83,6 7,6% - Financiamento Nacional 48,6 58,0 19,3% - Financiamento Comunitário 29,1 25,6-12,0% SUBSECTOR SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS 159,9 217,6 36,1% Consolidação das transferências entre subsectores 129,1 163,7 26,8% TOTAL 5.983, ,5 0,0% - 2 -

5 ORÇAMENTO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2008 DESPESA CONSOLIDADA SEGUNDO A CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DESPESA CONSOLIDADA Unid: Milhões de Euros Serviços Centrais e Regionais Serviços e Fundos Autónomos Estab. de Educação e Ensinos Bás. e Secund. TOTAL Estrutura Despesas com o pessoal 91,8 10, , ,9 77,1% Aquisição de bens e serviços 69,6 14,0 83,6 1,4% Transferências correntes 640,6 129,9 770,5 12,9% Outras despesas correntes 10,3 1,8 365,3 377,4 6,3% Aquisição de bens de capital 58,0 19,2 77,2 1,3% Transferências de capital 0,9 42,4 43,3 0,7% Outras despesas de capital 0,1 0,3 18,2 18,6 0,3% TOTAL 871,3 217, , ,5 100,0% - 3 -

6 ÁREAS DE DESPESA 2007 / 2008

7 ORÇAMENTO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EVOLUÇÃO POR ÁREAS DE DESPESA / Unid: Euro Acrésc. % ESTIMATIVA DA EXECUÇÃO ORÇAMENTO INICIAL 2008 / 2007 A C Ç Õ E S ORÇAM. INVEST. ORÇAM. INVEST. ORÇ. INV. DE (a) DO (b) T O T A L DE (a) DO (b) TOTAL DE DO TOTAL FUNCION. PLANO FUNCION. PLANO FUNC. PLANO 1. ENSINO ,8% 0,2% -2,7% 1.1. ENSINO OFICIAL ,0% 0,2% -3,0% Educação Pré-escolar ,0% 5,0% Ensinos Básico e Secundário ,9% 0,2% -3,9% 1.2. ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO ,5% 1,5% 1.3. DIFUSÃO DA CULTURA E ENS. LÍNGUA PORT.NO ESTRANGEIRO ,9% 1,9% 2. EDUCAÇÃO ESPECIAL ,0% 853,3% 5,5% 3. NOVAS OPORTUNIDADES ,1% 41,1% 3.1. FORMAÇÃO DE JOVENS ,0% 45,0% 3.2. EDUCAÇÃO DE ADULTOS ,3% 7,3% 4. ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR ,6% 4,6% 5. COMPLEMENTOS EDUCATIVOS ,1% 6,1% 6. ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS TUTELADOS ,0% -21,0% -4,4% TOTAL / Subsector Estado ,5% 7,7% -0,4% (c) (a) O Orçamento de Funcionamento inclui receitas próprias (auto-financiamento) e financiamento comunitário (FSE e FEOGA). (b) O Orçamento de Investimentos do Plano inclui financiamento comunitário (FEDER). (c) A este valor acrescem 20,360 milhões de euros, de financiamento comunitário, destinados ao Programa "Modernização de Escolas com Ensino Secundário", inscritos no orçamento privativo do Gabinete de Gestão Financeira (serviço autónomo)

8 ORÇAMENTO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 2008 PROGRAMAS ORÇAMENTAIS Unid: Euro PROGRAMAS ORÇAMENTAIS ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENT O INVESTIMENTOS DO PLANO TOTAL P01- SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO E GOVERNO ELECTRÓNICO P05- COOPERAÇÃO PORTUGUESA PARA O DESENVOLVIMENTO P06- CONSTRUÇÃO, REMODELAÇÃO E APETRECHAMENTO DAS INSTALAÇÕES P10- EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR P11- ENSINO BÁSICO E SECUNDÁRIO P15- ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR P28- MODERNIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (a) P30- PO TEMÁTICO FACTORES DE COMPETITIVIDADE (b) P31- PO TEMÁTICO VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO TOTAL (a) Inclui 11,1 milhões de euros, de financiamento comunitário, destinados ao Programa "Plano Tecnológico para a Educação", inscritos no orçamento privativo do Gabinete de Gestão Financeira /serviço autónomo. (b) Inclui 26,5 milhões de euros, de financiamento comunitário, destinados ao Programa "Modernização de Escolas com Ensino Secundário", inscritos no orçamento privativo do Gabinete de Gestão Financeira/serviço autónomo

9 ÁREAS DE DESPESA (DESAGREGAÇÃO)

10 1. E N S I N O 1.1. ENSINO OFICIAL 2007 (Estim.ex.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% INVESTIMENTOS DO PLANO ,2% ORÇAMENTO DO ESTADO ,0% 1.2. ENSINO PARTIC. E COOPERATIVO 2007 (Estim.ex.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,5% ORÇAMENTO DO ESTADO ,5% 1.3. DIFUSÃO DA CULTURA E ENSINO DA LÍNGUA PORT. NO ESTRANGEIRO 2007 (Estim. exec.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,9% ORÇAMENTO DO ESTADO ,9% T O T A L 2007 (Estim. exec.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,8% INVESTIMENTOS DO PLANO ,2% ORÇAMENTO DO ESTADO ,7% - 6 -

11 1.1. E N S I N O O F I C I A L EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2007 (Estim.ex.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% ORÇAMENTO DO ESTADO ,0% ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (*) 2007 (Estim.ex.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,9% INVESTIMENTOS DO PLANO ,2% ORÇAMENTO DO ESTADO ,9% (*) Não inclui as Escolas Profissionais Públicas T O T A L 2007 (Estim. exec.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% INVESTIMENTOS DO PLANO ,2% ORÇAMENTO DO ESTADO ,0% - 7 -

12 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% ORÇAMENTO DO ESTADO ,0% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO REDE PÚBLICA Componente educativa e Apoio à família ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR (a) DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO (b) (c) REDE SOLIDÁRIA INSTITUIÇÕES PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL Componente educativa GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA 3. REDE PRIVADA ESTABELECIMENTOS PARTICULARES E COOPERATIVOS Contratos de Desenvolvimento Contratos Programa DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO 4. APOIO SOCIAL À CRIANÇA (d) CENTROS DE EDUCAÇÃO PARA A INFÂNCIA E INFANTÁRIOS DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO (a) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E.. (b) Inclui de receitas próprias. (c) Os encargos com a componente de apoio à família são suportados através do orçamento da Segurança Social. (d) Inclui de receitas próprias. NOTA: Os encargos com os professores da educação pré-escolar do ensino oficial, destacados em actividades de apoio à Educação Especial, estão considerados no ponto 2. "EDUCAÇÃO ESPECIAL"

13 ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,9% INVESTIMENTOS DO PLANO ,2% ORÇAMENTO DO ESTADO ,9% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO º. CICLO DO ENSINO BÁSICO (*) (a) ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO, ENSINO E AGRUPAMENTOS HORIZONTAIS 2. 2º E 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO ESCOLAS BÁSICAS INTEGRADAS, 2º E 3º CICLOS E AGRUPAMENTOS VERTICAIS (*) (b) ESCOLAS SECUNDÁRIAS E AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO (*) (c) EQUIPA DE MISSÃO PARA A SEGURANÇA ESCOLAR Não inclui os encargos suportados pelo Ministério da Administração Interna - SECRETARIA GERAL 4. SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO 5. PROFISSIONALIZAÇÃO EM EXERCÍCIO DIRECÇÃO GERAL DOS RECURSOS HUMANOS DA EDUCAÇÃO (*) Inclui verbas para os programas "Dimensão Europeia" e "Visionarium". Inclui os encargos com a realização de exames suportados pela Direcção Geral de Inovação e Desenv.Curricular e Gab.Avaliação Educacional. (a) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E.. (b) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E.. Inclui encargos com o "Plano de Acção da Matemática". (c) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E

14 6. DESPORTO ESCOLAR (a) DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (b) REDE DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES E PLANO NACIONAL DE LEITURA GABINETE DE ESTATÍSTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO B. INVESTIMENTOS DO PLANO (c) INSTALAÇÕES PARA OS ESTABELECIMENTOS DE ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO APETRECHAMENTO DAS INSTALAÇÕES CONSERVAÇÃO E REMODELAÇÃO DO PARQUE ESCOLAR REDE DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES MODERNIZAÇÃO DE ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO (d) DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA 2. TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3. PLANO TECNOLÓGICO PARA A EDUCAÇÃO (e) GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA (a) Verba respeitante a receitas próprias. (b) Não estão incluídas as despesas com o pessoal docente que são suportadas pelos orçamentos das escolas dos ensinos básico e secundário. (c) Inclui de financiamento da U.E.. (d) A este valor acrescem 26,5 milhões de euros, de financiamento da U.E., inscritos no orçamento privativo do GGF (serviço autónomo). (e) A este valor acrescem 11,1 milhões de euros, de financiamento da U.E., inscritos no orçamento privativo do GGF (serviço autónomo)

15 1.2. ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,5% ORÇAMENTO DO ESTADO ,5% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO ESTABELECIMENTOS PARTICULARES E COOPERATIVOS Contratos de Associação escolas alunos Contratos Simples escolas alunos Contratos de Patrocínio escolas de música e artísticas alunos

16 1.3. DIFUSÃO DA CULTURA E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO ESTRANGEIRO ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,9% ORÇAMENTO DO ESTADO ,9% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO ESTRANGEIRO GABINETE DE ESTATÍSTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO (*) Escolas Portuguesas em África Escola Portuguesa de Dili Outros apoios GABINETE DE ESTATÍSTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO ESCOLA PORTUGUESA DE MOÇAMBIQUE (a) ESCOLA PORTUGUESA DE MACAU GABINETE DE ESTATÍSTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO (*) A verba destinada aos encargos com as remunerações dos docentes colocados em Timor, está inscrita no orçamento do MNE (Programa "Cooperação Portuguesa para o Desenvolvimento"), sendo transferida para o orçamento do M.Educação durante a execução orçamental. (a) Não estão incluídos de receitas próprias, dado o regime financeiro da EPM (serviço autónomo). O orçamento global da EPM, para 2008, é de

17 2. EDUCAÇÃO ESPECIAL ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% INVESTIMENTOS DO PLANO ,3% ORÇAMENTO DO ESTADO ,5% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Escolas particulares escolas alunos Associações e Cooperativas / IPSS instituições alunos DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO 2. APOIOS À EDUCAÇÃO ESPECIAL Centro de Recursos para a Educação Especial e outros apoios DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3. ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO Professores colocados no Grupo de Recrutamento da Educação Especial e destacados em: - Cooperativas de Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas - Associação Portuguesa de Pais e Amigos das Crianças Diminuídas Mentais - Instituições Particulares de Solidariedade Social - outras Instituições - Intervenção precoce B. INVESTIMENTOS DO PLANO (a) DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR (*) DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO (**) (*) Inclui verbas para a aquisição de equipamentos específicos para as escolas de referência de educação especial. (**) Inclui verbas para obras de adaptação de espaços e aquisição de equipamentos específicos. (a) Inclui de financiamento da U.E

18 1.1. E N S I N O O F I C I A L 3. NOVAS OPORTUNIDADES Unid: Euro 3.1. FORMAÇÃO DE JOVENS 2007 (Estim.ex.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% ORÇAMENTO DO ESTADO ,0% 3.2. EDUCAÇÃO DE ADULTOS 2007 (Estim.ex.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,3% ORÇAMENTO DO ESTADO ,3% T O T A L 2007 (Estim. exec.) 2008 (Inicial) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,1% ORÇAMENTO DO ESTADO ,1%

19 3.1. NOVAS OPORTUNIDADES - FORMAÇÃO DE JOVENS ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% ORÇAMENTO DO ESTADO ,0% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ENSINO PRIVADO ESCOLAS PROFISSIONAIS (com excepção das de Lisboa e Vale do Tejo) - Contempla apenas verbas para acertos do QCAIII, respeitantes a 2007 DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO ESCOLAS PROFISSIONAIS LISBOA E VALE DO TEJO (a) Formação e qualificação de jovens - AGÊNCIA NACIONAL PARA A QUALIFICAÇÃO, I.P. DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO 2. ENSINO PÚBLICO (b) ESCOLAS PROFISSIONAIS PÚBLICAS Inclui a totalidade do financiamento (contrapartida nacional e financiamento comunitário /FSE) ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO Cursos Educação Formação e Cursos Profissionais (a) Inclui de financiamento da U.E.. (b) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E

20 3.2. NOVAS OPORTUNIDADES - EDUCAÇÃO DE ADULTOS (*) ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,3% ORÇAMENTO DO ESTADO ,3% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO AGÊNCIA NACIONAL PARA A QUALIFICAÇÃO, I.P. (a) Sistema de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) (**) Educação e Formação Profissional de Dupla Certificação Produção e Gestão da Informação e do Conhecimento 2. CENTROS NOVAS OPORTUNIDADES SECRETARIA GERAL DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO NORTE ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (b) Centro Novas Oportunidades (CRVCC) Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA) (*) Não inclui os encargos com o ensino recorrente. (**) Os Centros Novas Oportunidades são financiados pelo QREN (a) Não estão incluídos de receitas próprias e de financiamento da U.E., dado o regime financeiro da ANQ,IP (serv. autónomo) (b) Inclui de financiamento da U.E

21 4. ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,6% ORÇAMENTO DO ESTADO ,6% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO (a) ESCOLAS DOS ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Leite Escolar Refeitórios escolares (*) Ensino Oficial º. Ciclo do Ensino Básico º. e 3º. Ciclos do Ensino Básico Pessoal dos refeitórios Ensino Particular RESIDÊNCIAS PARA ESTUDANTES Organização e gestão 3. APOIO SÓCIO-ECONÓMICO Ensino Oficial Manuais escolares Refeições Ensino Particular Manuais escolares Refeições BOLSAS DE MÉRITO A ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO SEGURO ESCOLAR Ensino Oficial Ensino Particular Indemnizações por acidentes escolares (a) Inclui de receitas próprias, dos quais são provenientes do INGA. (*) Não inclui as refeições servidas aos alunos com apoio sócio-educativo

22 5. COMPLEMENTOS EDUCATIVOS ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,1% ORÇAMENTO DO ESTADO ,1% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO INOVAÇÃO EDUCATIVA GABINETE DA MINISTRA GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO ADJUNTO E DA EDUCAÇÃO GABINETE DO SECRET. DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR (a) DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO (b) PROGRAMA DE GENERALIZAÇÃO DO ENSINO DO INGLÊS E OUTRAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO 3. COOPERAÇÃO MULTILATERAL E BILATERAL E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS GABINETE DA MINISTRA (c) GABINETE DO SECRET. DE ESTADO ADJUNTO E DA EDUCAÇÃO (d) GABINETE DE ESTATÍSTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO GABINETE DE AVALIAÇÃO EDUCACIONAL AGÊNCIA NACIONAL PARA A GESTÃO DO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA SECRETARIA GERAL (e) GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA (a) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E.. (b) Inclui de receitas próprias das quais são provenientes do IEFP (Mercado Social de Emprego) e de financiamento da U. E.. (c) Verba proveniente de financiamento da U.E.. (d) Verba proveniente de financiamento da U.E.. (e) Encargos com o pessoal afecto ao Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida

23 5. CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA DIR. GERAL DOS RECURSOS HUMANOS DA EDUCAÇÃO 6. NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE E APOIO SÓCIO-EDUCATIVO (*) (a) DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO E ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 8. ASSOCIAÇÃO BELGAIS DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 9. PROJECTO MUS-E DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 10. INSTITUTO DE APOIO À CRIANÇA / IAC DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR (*) Os encargos com o pessoal afecto ao Programa "Núcleo de Educação para a Saúde e Apoio Sócio-Educativo" estão incluídos no orçamento da Secretaria-Geral. (a) Inclui de financiamento da U.E

24 6. ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS TUTELADOS ACRÉSCIMO ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ,0% INVESTIMENTOS DO PLANO ,0% ORÇAMENTO DO ESTADO ,4% A. ORÇAMENTO DE FUNCIONAMENTO ORGÃOS DE SOBERANIA GABINETE DA MINISTRA GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO ADJUNTO E DA EDUCAÇÃO GABINETE DO SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GABINETE DE ESTATISTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO (a) INSPECÇÃO GERAL DA EDUCAÇÃO (b) SECRETARIA GERAL (c) GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA DIR.GERAL DOS RECURSOS HUMANOS DA EDUCAÇÃO (d) DIR. GERAL DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR (e) GABINETE DE AVALIAÇÃO EDUCACIONAL (f) DIRECÇÕES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO (g) (a) Inclui de receitas próprias e de financiamento da U.E. (b) Inclui de financiamento da U.E.. (c) Inclui de receitas próprias. (d) Inclui de financiamento da U. E.. (e) Inclui de receitas próprias. (f) Inclui de receitas próprias. (g) Inclui de receitas próprias. Os encargos com o pessoal do quadro das D.R.E. estão incluídos no orçamento da Secretaria Geral (Quadro Único de Pessoal)

25 10. AGÊNCIA NACIONAL PARA A QUALIFICAÇÃO, I.P. (a) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DO ME B. INVESTIMENTOS DO PLANO (b) INSTALAÇÕES E APETRECHAMENTO DOS SERVIÇOS CENTRAIS GABINETE DE ESTATISTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA GERAL DIR. GERAL DOS RECURSOS HUMANOS DA EDUCAÇÃO REDE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (RICOME), SISTEMA DE INFORMAÇÃO E CONTROLO DE GESTÃO DE ESCOLAS E PLATAFORMA INFORMÁTICA GABINETE DE ESTATISTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO 3. ASSISTÊNCIA TÉCNICA E APOIO À GESTÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL E DESENVOLVIMENTO EDUCATIVO PARA PORTUGAL (PRODEP) GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA (a) Não estão incluídos de receitas próprias e de financiamento da U.E., dado o regime financeiro da ANQ,IP, (serv. autónomo). (b) Inclui de financiamento da U. E

Direção-Geral de Planeamento e Gestão Financeira

Direção-Geral de Planeamento e Gestão Financeira Direção-Geral de Planeamento e Gestão Financeira MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIREÇÃO-GERAL DE PLANEAMENTO E GESTÃO FINANCEIRA ORÇAMENTO POR AÇÕES - 2 0 1 5 - - DOTAÇÕES INICIAIS - - Í N D I C E -

Leia mais

MAPA XVI DESPESAS CORRESPONDENTES A PROGRAMAS

MAPA XVI DESPESAS CORRESPONDENTES A PROGRAMAS ANO ECONÓMICO DE 2009 Página 1 P-001-SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO E GOVERNO ELECTRÓNICO 750 000 18 511 988 5 135 588 47 653 309 167 500 44 470 651 32 301 489 10 677 361 4 134 269 785 100 9 382 970 2 145 148

Leia mais

ANO 2011 ENTIDADE MUNICIPIO DE FAF - MUNICIPIO DE FAFE PÁG. 1

ANO 2011 ENTIDADE MUNICIPIO DE FAF - MUNICIPIO DE FAFE PÁG. 1 2011 ENTIDADE MUNICIPIO DE FAF - MUNICIPIO DE FAFE PÁG. 1 CÓDIGO DESCRIÇÃO INICIO DO BRUTAS EMITIDOS PAGOS LIQUIDA FINAL DO DAS RECEITAS CORRENTES 24.884.735,00 75.968,04 25.221.143,08 576.877,56 24.675.187,28

Leia mais

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INDICE 1. OBJECTIVO 2. PORQUÊ A INICIATIVA? 3. PARA OS JOVENS: UMA OPORTUNIDADE NOVA 4. PARA OS ADULTOS:

Leia mais

Relatório de Contas de Gerência

Relatório de Contas de Gerência Relatório de Contas de Gerência Período: 01 de janeiro a 31 dezembro 2014 A INTRODUÇÃO Para cumprimento no estabelecido na alínea j) do nº 1 do artigo 13º do Decreto-Lei nº 75/2008, de 22 de Abril, alterado

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES EM 2013 Tendo em atenção a necessidade de obtenção de melhores indicadores de gestão, que permitam

Leia mais

E N T I D A D E DATA : 2014/03/31 EXECUÇÃO DO PLANO DE ACTIVIDADES MUNICIPAL ANO CONTABILÍSTICO 2013 MUNICIPIO DE BEJA HORA : 09:47:45

E N T I D A D E DATA : 2014/03/31 EXECUÇÃO DO PLANO DE ACTIVIDADES MUNICIPAL ANO CONTABILÍSTICO 2013 MUNICIPIO DE BEJA HORA : 09:47:45 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 Pagina : 1 1. Funções gerais 692.793,77 700.893,77 502.238,97 494.714,37 442.264,06 425.619,24 425.619,24 198.654,80 69.095,13 60.73 60.73 100.00 1.1. Serviços gerais

Leia mais

Escolas Básicas e Secundárias X Agrupamentos de Escolas... X

Escolas Básicas e Secundárias X Agrupamentos de Escolas... X OFÍCIO-CIRCULAR Nº 3 / GGF / 2012 Às/Aos Escolas Básicas e Secundárias X Agrupamentos de Escolas... X DATA: 2012 / janeiro / 23 ASSUNTO: PROJETO DE ORÇAMENTO PARA 2012 - Fontes de Financiamento 111, 123,

Leia mais

Quadro Evolução da despesa efetiva consolidada da Administração Central

Quadro Evolução da despesa efetiva consolidada da Administração Central ANEXO I Face ao Relatório do Orçamento do Estado para 2017, apenas se substitui a coluna referente ao Orçamento do Estado para pela referente à estimativa da execução em. 1. Receitas e Despesas da Administração

Leia mais

ASSSSUNTTO Cria Agência Nacional para a gestão das 2ªs fases dos programas de acção comunitária: Leonardo da Vinci e Socrates

ASSSSUNTTO Cria Agência Nacional para a gestão das 2ªs fases dos programas de acção comunitária: Leonardo da Vinci e Socrates DIÁRIOS DA REPUBLLI ICA DEESSI IGNAÇÇÃO: : PPrrooggrraamaass EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério do Emprego e da Segurança Social ASSSSUNTTO Aprova o regime de apoio técnico e financeiro a programas de reabilitação

Leia mais

DOTAÇÕES ORÇAMENTAIS PARA C&T E I&D 2015

DOTAÇÕES ORÇAMENTAIS PARA C&T E I&D 2015 PARA C&T E I&D 2015 FICHA TÉCNICA Título Dotações Orçamentais para C&T e I&D 2015 Autor Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) Direção de Serviços de Estatística da Ciência e Tecnologia

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO

PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO PROGRAMA OPERACIONAL TEMÁTICO POTENCIAL HUMANO 2007-201 Apresentação da Proposta ÍNDICE 1 O PROBLEMA 2 A ESTRATÉGIA 4 PLANO DE FINANCIAMENTO 1 1 O PROBLEMA Taxa de emprego Emprego em média e alta tecnologia

Leia mais

CMA ,GER,I,RE,27118

CMA ,GER,I,RE,27118 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 63.382.313,97 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 60.847.742,70 OPERAÇÕES

Leia mais

Gabinete de Gestão Financeira

Gabinete de Gestão Financeira Gabinete de Gestão Financeira MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DE GESTÃO FINANCEIRA ORÇAMENTO POR ACÇÕES - 2 0 1 1 - - DOTAÇÕES INICIAIS - Orçamento Por Acções - 2 0 1 1 - - Í N D I C E - Página ORÇAMENTO

Leia mais

Freguesia de Aradas. Mapa do Orçamento (Inicial) Ano de 2014

Freguesia de Aradas. Mapa do Orçamento (Inicial) Ano de 2014 Mapa do (Inicial) Ano de 2014 Copyright Globalsoft 1992-2014 Pag.: 1 04 04.01 04.01.23 Correntes Taxas, multas e outras penalidades Taxas Taxas especificas das autarquias locais Canídeos Cemitério TMCA

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA EDUCAÇÃO 2014/2015 BREVE SÍNTESE DE RESULTADOS

ESTATÍSTICAS DA EDUCAÇÃO 2014/2015 BREVE SÍNTESE DE RESULTADOS ESTATÍSTICAS DA EDUCAÇÃO 2014/2015 BREVE SÍNTESE DE RESULTADOS Objetivo do presente documento 1/ A Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência desempenha as funções de órgão delegado do Instituto

Leia mais

Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de

Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de QREN: Uma oportunidade para potenciar a inovação nas empresas O que é o QREN? Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de 2007-2013. As suas

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 24 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 31/08/2016 PO PO Concurso para apresentação de candidaturas - Melhorar o acesso aos serviços sociais (Açores) Melhorar o acesso aos serviços sociais Melhoria das infraestruturas de saúde Adaptação

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO FINANCEIRO DE 2007

PLANO DE ACTIVIDADES PARA O ANO FINANCEIRO DE 2007 PARA O ANO FINANCEIRO 2007 SCRIÇÃO DA CLASSIFICAÇÃO FINIDA 01 EDUCAÇÃO 01 01 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 01 02 ENSINO BÁSICO - 1º CICLO DO PROGRAMA 01 0 0 0 56 Refeitórios escolares 0701-020104/05/06-04050102-040701-05010102

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

Reunião Conselho Municipal de Educação 1 Julho 2011, às 18h00

Reunião Conselho Municipal de Educação 1 Julho 2011, às 18h00 Reunião Conselho Municipal de Educação 1 Julho 2011, às 18h00 Ordem de Trabalhos 1. Aprovação da Acta nº 12 da reunião de 23 de Março 2011 2. Informações sobre o Sistema Educativo Local a) Direcção Regional

Leia mais

Divisão Municipal de Cultura, Educação e Turismo :: Câmara Municipal de Benavente. Grau de Ensino Estabelecimentos Turmas N.

Divisão Municipal de Cultura, Educação e Turismo :: Câmara Municipal de Benavente. Grau de Ensino Estabelecimentos Turmas N. Divisão Municipal de Cultura, Educação e Turismo :: Câmara Municipal de Benavente ÁREAS DE INTERVENÇÃO DA AUTARQUIA Informação 3º período letivo 2013/2014 1.REDE ESCOLAR Grau de Ensino Estabelecimentos

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

Recebimentos Saldos de RP transitados 0, Feder - PO Fatores de Competitividade 0,00

Recebimentos Saldos de RP transitados 0, Feder - PO Fatores de Competitividade 0,00 Direção-Geral da Saúde Gerência de 01-01-2015 a 31-12-2015 Class. Económica Recebimentos Saldo da gerência anterior 857.255,31 Execução Orçamental De dotações orçamentais (OE) 111 - RG não afetas a projetos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS Pág. 1 PROG MED 05 RENDIMENTOS DA PROPRIEDADE: 05.02 JUROS - SOCIEDADES FINANCEIRAS 05.02.01 BANCOS E INSTITUICOES FINANCEIRAS 05.02.01.12 DEPOSITOS A ORDEM

Leia mais

PORTUGAL Faça clique para editar o estilo apresentação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo!

PORTUGAL Faça clique para editar o estilo apresentação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! apresentação PORTUGAL 2020 www.in-formacao.com.pt Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! 03-02-2015 FAMALICÃO PORTO IN.03.03.00 1 INTRODUÇÃO O PORTUGAL 2020 é o Acordo de Parceria adotado

Leia mais

ANEXO 3. Plano de Atividades a Desenvolver

ANEXO 3. Plano de Atividades a Desenvolver ANEO 3 Plano de Atividades a Desenvolver Tabela 1- Plano de Atividades a Desenvolver Plano de Atividades a Desenvolver Linhas de Análise Objetivos Gerais Objetivos Específicos Tarefas a Executar Recursos

Leia mais

III. Sistema de Monitorização

III. Sistema de Monitorização III. Sistema de Monitorização 159 De acordo com as orientações elaboradas para a execução das Cartas Educativas, na Carta Educativa do Concelho de Almeida prevê-se a concepção e operacionalização de um

Leia mais

I - Total do saldo da gerência na posse do serviço ,13

I - Total do saldo da gerência na posse do serviço ,13 Saldo da gerência anterior (*): Dotações orçamentais 4.983.387,27 Estado Receitas Gerais 4.446.911,41 Funcionamento 313 P13 - Estado-Saldos de RG não afectas a projectos cofin-medida 16 77.461,25 313 P13

Leia mais

Novas Oportunidades

Novas Oportunidades Qualificar os Portugueses: Uma Prioridade no Presente e no Futuro Novas Oportunidades 2011-2015 Luís Capucha (luis.capucha@anq.gov.pt) Agência Nacional para a Qualificação, IP Guimarães, 30 de Novembro

Leia mais

Freguesia de Norte Pequeno

Freguesia de Norte Pequeno Mapa do Orçamento de Receita (Inicial) Ano de 2016 Orçamento de Receita - Previsões Iniciais Data: 29-10-2016 Ano: 2016 (unidade: euros) 01.... 01.02... Código Designação Montante Receitas Correntes Impostos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA

APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA AGENDA AS 5 MARCAS DO POPH I EIXOS PRIORITÁRIOS II ARRANQUE DO PROGRAMA III I AS 5 MARCAS DO POPH AS 5 MARCAS DO POPH 1 O MAIOR PROGRAMA OPERACIONAL DE SEMPRE 8,8 mil M 8,8 Mil

Leia mais

Plano de formação do IEFP. 2007

Plano de formação do IEFP. 2007 APRENDIZAGEM Formação Inicial com Certificação Escolar e Profissional Estes cursos, com duração aproximada de 3 anos, desenvolvem-se em alternância, entre um Centro de Formação Profissional e uma empresa,

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2006 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2006 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 R E C E B I M E N T O S ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 809.124,29 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 550.398,68 OPERAÇÕES DE TESOURARIA... 258.725,61 RECEITAS ORÇAMENTAIS...

Leia mais

Formulário Candidatura Componente FEDER

Formulário Candidatura Componente FEDER PCM Presidência do Conselho de Ministros Formulário Candidatura Componente FEDER 1. Identificação do Processo 1 Nº de Origem Data de Entrada Código SIFEC Data de Verificação pela EAT Domínio de Intervenção

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada Correio(s) electrónico(s) Maria Neves Rua do Passal, Nº 46, 1º D, 9500-096 Ponta Delgada Telemóvel 936602762 / 926592751

Leia mais

ORÇAMENTO DA DESPESA

ORÇAMENTO DA DESPESA 01 00 00 ADMINISTRAÇÃO AUTARQUICA 01 Despesas com o pessoal 512.162,38 01 01 Remunerações certas e permanentes 389.053,38 01 01 01 Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos 23.000,00

Leia mais

Fluxos de Caixa SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR ,12 RECEITAS ORÇAMENTAIS ,52 DESPESAS ORÇAMENTAIS ,29. Receitas Correntes

Fluxos de Caixa SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR ,12 RECEITAS ORÇAMENTAIS ,52 DESPESAS ORÇAMENTAIS ,29. Receitas Correntes SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR 34.139,12 Execução Orçamental 32.254,99 Operações de tesouraria 1.884,13 Pág.: 1 RECEITAS ORÇAMENTAIS 426.983,52 DESPESAS ORÇAMENTAIS 400.243,29 04 Taxas, multas e outras penalidades

Leia mais

Conta da Segurança Social de 2005 Execução Orçamental Mapas - Lei de Bases do Sistema de Segurança Social Subsistema de Solidariedade

Conta da Segurança Social de 2005 Execução Orçamental Mapas - Lei de Bases do Sistema de Segurança Social Subsistema de Solidariedade Subsistema de Solidariedade RUBRICAS 2004 Revisto rubrica no total em Orçamental em percentagem Em valor absoluto Em Em valor absoluto Em Saldo do ano anterior sem aplicação em despesa 164.722.416,10 34.837.667,84

Leia mais

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012 LEGISLAÇÃO Síntese de Legislação Nacional e Comunitária de 2012 Legislação Nacional Energias Renováveis Portaria n.º 8/2012 I Série n.º 3, de 4/01 Aprova, no âmbito da política de promoção da utilização

Leia mais

Porto, 15 de Julho de 2016

Porto, 15 de Julho de 2016 Porto, 15 de Julho de 2016 Elevar o nível de qualificação da população adulta balanço 2007-2013 A intervenção do QREN com vista à qualificação de adultos consubstanciou-se num investimento sem precedentes

Leia mais

Quadro 1 Receita e Despesa Prevista para 2009 CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS

Quadro 1 Receita e Despesa Prevista para 2009 CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2009 ORÇAMENTO O Orçamento Municipal evidencia o esforço de Investimento e de controlo das despesas correntes de acordo com uma política de grande contenção, designadamente

Leia mais

Tempo de Serviço. Guião para a contagem do. para efeitos de concurso. - documento de trabalho - Ad duo 20 de abril de 2012

Tempo de Serviço. Guião para a contagem do. para efeitos de concurso. - documento de trabalho - Ad duo 20 de abril de 2012 Guião para a contagem do Tempo de Serviço para efeitos de concurso - documento de trabalho - Introdução... 3 1. Docente do ensino público... 4 2. Docente do ensino particular e cooperativo... 5 3. Docente

Leia mais

PROPOSTA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIENCIA NO MUNICÍPIO DE CASCAIS

PROPOSTA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIENCIA NO MUNICÍPIO DE CASCAIS PROPOSTA DE CONTRATO INTERADMINISTRATIVO DE DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIENCIA NO MUNICÍPIO DE CASCAIS NA ÁREA EDUCATIVA E DA FORMAÇÃO OBJETO Delegação de competências do MEC

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 70.356,66 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 65.188,05 Operações de Tesouraria 5.168,61 8.667.917,94 Receitas Correntes 4.915.722,90 01 Impostos

Leia mais

Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Oferta Educativa

Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Oferta Educativa Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Oferta Educativa Agarra o futuro vem até à Fernão, a escolha é tua. Ensino Secundário Diurno _ Cursos Científico Humanísticos Ciências e Tecnologias Matemática

Leia mais

Apoios ao Empreendedorismo

Apoios ao Empreendedorismo Apoios ao Empreendedorismo IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, I.P.MEI - Ministério da Economia e da Inovação Objetivos: Facilitar o acesso a soluções de financiamento

Leia mais

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb Portugal 2020: Objetivos e Desafios 2014-2020 António Dieb Porto, 11 de julho de 2016 Tópicos: 1. Enquadramento Estratégico (EU 2020) 2. Portugal 2020: Objetivos e prioridades 3. Estrutura Operacional

Leia mais

Municipio de Alcácer do Sal Resumo da Despesa por Classificação Económica (2013)

Municipio de Alcácer do Sal Resumo da Despesa por Classificação Económica (2013) 01 Despesas com o pessoal 6.392.932,56 0101 Remunerações certas e permanentes 4.901.979,56 010101 Titulares órgãos soberania e memb. órgãos autárq. 152.035,00 010104 Pessoal quadros-regime contrato individ.

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA (Decreto-Lei 203/2006, de 27 de Outubro) Guarda Nacional Republicana (GNR) Forças de Segurança Polícia de Segurança Pública (PSP) Forças de Segurança Serviço de Estrangeiros

Leia mais

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS Programa Operacional Factores de Competitividade Deliberações CMC POFC: 16/07/2008 Assistência Técnica do POFC Entrada em vigor DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO em 17/07/2008 Artigo 1.º Objecto O presente regulamento

Leia mais

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax:

Iniciativa Novas Oportunidades. Julho de Av. 24 de Julho, nº Lisboa Telf.: Fax: Iniciativa Novas Oportunidades Julho de 2010 1 Índice A. Iniciativa Novas Oportunidades...3 B. A rede nacional de Centros Novas Oportunidades...4 C. Protocolos de cooperação no âmbito da Iniciativa Novas

Leia mais

SIGO. Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa. Fórum Estatístico 2016 Lisboa, 13 de setembro de 2016

SIGO. Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa. Fórum Estatístico 2016 Lisboa, 13 de setembro de 2016 Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa Fórum Estatístico 2016 Lisboa, 13 de setembro de 2016 sigo@dgeec.mec.pt Paula Ferreira 1 Em Dezembro de 2005 foi constituído um

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 2296 Diário da República, 1.ª série N.º 88 7 de maio de 2015 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Resolução da Assembleia da República n.º 47/2015 Primeiro orçamento suplementar da Assembleia da República para 2015

Leia mais

Apoios à Inovação e Internacionalização das Empresas Franquelim Alves

Apoios à Inovação e Internacionalização das Empresas Franquelim Alves Apoios à Inovação e Internacionalização das Empresas Franquelim Alves Gestor do COMPETE Braga, 17 de Fevereiro de 2012 QREN 2007-2013 Agendas Prioritárias Competitividade Potencial Humano Valorização do

Leia mais

Acção Social Escolar

Acção Social Escolar OFICIO CIRCULAR N.º 35 DE: 08.08.2007 SERVIÇO DE ORIGEM: Acção Social Escolar DESTINATÁRIOS: Escolas Básicas do 1º ciclo não agrupadas, Agrupamentos de Escolas, Escolas Básicas Integradas, Escolas Básicas

Leia mais

Agenda Factores de Competitividade

Agenda Factores de Competitividade QREN Agenda Factores de Competitividade 12 Novembro 07 1 Objectivos desenvolvimento de uma economia baseada no conhecimento e na inovação; incremento da produção transaccionável e de uma maior orientação

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes Missão do Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e S. João dos Montes Assegurar a prestação de um serviço público de qualidade na educação, partindo do reconhecimento das condições objectivas do

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E REABILITAÇÃO [DREER] A tem por missão assegurar a inclusão familiar, educacional e social de crianças, jovens e adultos com deficiência ou outras necessidades especiais.

Leia mais

Cerimónia de Lançamento dos Programas Operacionais

Cerimónia de Lançamento dos Programas Operacionais Cerimónia de Lançamento dos Programas Operacionais 19 de dezembro de 2014 Auditório da Fundação Champalimaud Lisboa 1 Prémio Desenvolvimento Regional Objetivo Destacar as intervenções com maiores resultados

Leia mais

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL ,49 OPERAÇÕES DE TESOURARIA ,47 RECEITAS ORÇAMENTAIS ,02

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL ,49 OPERAÇÕES DE TESOURARIA ,47 RECEITAS ORÇAMENTAIS ,02 ENTIDADE M.S.V. MUNICIPIO SAO VICENTE Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 179.594,96 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 113.004,49 OPERAÇÕES DE TESOURARIA...

Leia mais

Educação e Ciência. Universidade de Lisboa (UL) - Reitoria

Educação e Ciência. Universidade de Lisboa (UL) - Reitoria Educação e Ciência Universidade de Lisboa (UL) - Reitoria Mapa de fluxos de caixa em 31/12/2014 Valores em euros Ano: 2014 Código Recebimentos Importâncias Parcial Total Saldo da gerência anterior De Dotações

Leia mais

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 52-A/2015, de 23 de julho, o Governo criou a estrutura de missão designada por Estrutura de Gestão do Instrumento Financeiro

Leia mais

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos Porto, 18 de junho de 2013 Susana Monteiro Núcleo de Estudos e Avaliação Estrutura 1. Diagnóstico 2. Planeamento 3. Monitorização

Leia mais

ORÇAMENTO DE ESTADO 2016 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS

ORÇAMENTO DE ESTADO 2016 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS MA OE-12 DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS 01 - AÇAO GOVERNATIVA 01 - GABINETE DOS MEMBROS DO GOVERNO Subdivisão: 01 - GABINETE DO MINISTRO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR 015 EDUCAÇÃO

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Nº 249, quarta-feira, 30 de dezembro de 2015 1 ISSN 1677-7042 159. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome GABINETE DA MINISTRA PORTARIA Nº 117, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2015 Aprova o orçamento

Leia mais

Quadro 61 Fluxos financeiros para as Administrações Regional e Local em OE (inicial)

Quadro 61 Fluxos financeiros para as Administrações Regional e Local em OE (inicial) Tribunal de Contas 7. FLUXOS FINANCEIROS COM AS REGIÕES AUTÓNOMAS E COM AS AUTARQUIAS LOCAIS O exame dos fluxos de receita e de despesa, orçamental e extraorçamental, entre a administração central, incluindo

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 136.012,67 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 53.838,45 Operações de Tesouraria 82.174,22 5.925.173,99 Receitas Correntes 4.130.218,10 01 Impostos

Leia mais

01 DESPESAS COM O PESSOAL ,00. Titulares de Órgãos de Soberania e Membros de Órgãos Autárquicos ,00

01 DESPESAS COM O PESSOAL ,00. Titulares de Órgãos de Soberania e Membros de Órgãos Autárquicos ,00 01 DESPESAS COM O PESSOAL 9.837.610,00 0101 Remunerações Certas e Permanentes 7.276.640,00 010101 Titulares de Órgãos de Soberania e Membros de Órgãos Autárquicos 168.720,00 010104 Pessoal dos Quadros

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES 5368 Diário da República, 1.ª série N.º 204 22 de outubro de 2014 Polo de captação de Faias REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Assembleia Legislativa Resolução da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos

Leia mais

ALUNO Indivíduo que frequenta o sistema formal de ensino após o acto de registo designado como matrícula.

ALUNO Indivíduo que frequenta o sistema formal de ensino após o acto de registo designado como matrícula. GLOSSÁRIO AGRUPAMENTOS DE DISCIPLINAS Conjunto de disciplinas dos cursos científico-humanísticos do ensino secundário, organizados segundo uma dominante do conhecimento científico, em cinco áreas: ciências

Leia mais

ANO:2011 Ministério da Justiça. Instituto de Gestão Financeira e Infra Estruturas da Justiça, IP. Objectivos Estratégicos. Objectivos Operacionais

ANO:2011 Ministério da Justiça. Instituto de Gestão Financeira e Infra Estruturas da Justiça, IP. Objectivos Estratégicos. Objectivos Operacionais ANO:211 Ministério da Justiça Instituto de Gestão Financeira e Infra Estruturas da Justiça, IP MISSÃO: Assegurar a gestão orçamental, financeira e das instalações afectas ao Ministério da Justiça. Objectivos

Leia mais

MOÇAMBIQUE. Quadro B. Categorias de Dados e Indicadores. Sector Externo

MOÇAMBIQUE. Quadro B. Categorias de Dados e Indicadores. Sector Externo MOÇAMBIQUE Quadro B. Categorias de Dados e Indicadores Sector Externo CATEGORIA DE DADOS: Agregados da Balança de Pagamentos Descritor Nacional (no caso de diferente, precisar): PRINCIPAIS INDICADORES:

Leia mais

I Simpósio Luso-Alemão sobre a qualificação

I Simpósio Luso-Alemão sobre a qualificação I Simpósio Luso-Alemão sobre a qualificação profissional em Portugal: Oportunidades e desafios SANA Lisboa Hotel A Educação e o Sistema Nacional de Qualificações Gonçalo Xufre Silva Presidente do Conselho

Leia mais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais

Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Mapa de Pessoal do Turismo de Portugal, I.P. - Serviços Centrais Cargo/Carreira/categoria Atribuições / Competências/Actividades Nº de postos Planeados Nº de postos de trabalho providos Observações (Universo

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 23 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA CAMPOS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO Como elemento fundamental de preparação da avaliação, solicita-se a cada escola 1 em processo de avaliação que elabore um texto que:

Leia mais

O R Ç A M E N T O E P L A N O D E A C Ç Ã O P A R A O A N O D E INTRODUÇÃO Competindo, nos termos da alínea a) do n.º 2, do artigo 17º da L

O R Ç A M E N T O E P L A N O D E A C Ç Ã O P A R A O A N O D E INTRODUÇÃO Competindo, nos termos da alínea a) do n.º 2, do artigo 17º da L 20 09 Orçamento da Receita e Despesa O R Ç A M E N T O E P L A N O D E A C Ç Ã O P A R A O A N O D E 2 0 0 9 1. INTRODUÇÃO Competindo, nos termos da alínea a) do n.º 2, do artigo 17º da Lei n.º 5-A/2002

Leia mais

ANO LETIVO 2016/2017. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações

ANO LETIVO 2016/2017. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 ANO LETIVO 2016/2017 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações 29- Agosto 15.00 1 e 2-Set. Todo

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições

Conteúdos sobre segurança e saúde no trabalho Organismos e instituições ISHST - Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Criado em 2004, pelo Decreto-lei n.º 171, de 17 de Julho, o Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho (ISHST), I. P., é o organismo

Leia mais

Programa de Apoio e Qualificação da Medida PIEF - Programa Integrado de Educação e Formação (PAQPIEF)

Programa de Apoio e Qualificação da Medida PIEF - Programa Integrado de Educação e Formação (PAQPIEF) SEGURANÇA SOCIAL Programa de Apoio e Qualificação da Medida PIEF - Programa Integrado de Educação e Formação (PAQPIEF) Programa de Apoio e Qualificação da Medida PIEF - Programa Integrado de Educação e

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM CONTÍNUO N.

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM CONTÍNUO N. EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: REQUALIFCAÇÃO DA REDE ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO

Leia mais

3. Execução Financeira do PIC URBAN II Amadora

3. Execução Financeira do PIC URBAN II Amadora 3. Execução Financeira do PIC URBAN II Amadora 3.1. PROGRAMAÇÃO DAS MEDIDAS DO PROGRAMA Durante o ano de 2004, e na sequência da Avaliação Intercalar, decorreu todo o processo de reprogramação, que contemplou

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 1.393.875,77 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 927.571,50 Operações de Tesouraria 466.304,27 15.021.298,43 Receitas Correntes 11.847.256,01 01 Impostos

Leia mais

Relatório do Orçamento do Estado para 2014 Errata

Relatório do Orçamento do Estado para 2014 Errata Relatório do Orçamento do Estado para 2014 Errata Nota Prévia: Foi introduzida na secção do Sumário Executivo a versão final da intervenção da Senhora Ministra de Estado e das Finanças, conforme proferida

Leia mais

FICHA TÉCNICA TÍTULO EXECUÇÃO ORÇAMENTAL DE JANEIRO DE 2016

FICHA TÉCNICA TÍTULO EXECUÇÃO ORÇAMENTAL DE JANEIRO DE 2016 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JANEIRO DE 2016 FICHA TÉCNICA TÍTULO EXECUÇÃO ORÇAMENTAL DE JANEIRO DE 2016 AUTOR/EDITOR INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I. P. Av. Manuel da Maia, n.º 58 1049-002

Leia mais

CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS

CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS CURSO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS Língua Estrangeira (I/II/III) Matemática A Física e Química A Biologia e Geologia Biologia/ Física/ Química/ Geologia a) Psicologia B/ Língua Estrangeira (I/II/III)* b)

Leia mais

Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional. II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores. Tipologia de Investimento

Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional. II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores. Tipologia de Investimento Eixo II _ Competitividade da Base Económica Regional II.1. Projectos de Investimento Empresarial Integrados e Inovadores Tipologia de Investimento designadamente PME s CONTROLO DO DOCUMENTO Versão Data

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DA GUARDA

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DA GUARDA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DA GUARDA Ponto 2.2 Análise, discussão e votação do Plano e Orçamento para o ano de 2016 - Artigo 9º, nº1, alínea a) da Lei nº 75/2013 Guarda, dezembro 2015 Orçamento Inicial da

Leia mais

Rota do Guadiana Associação de Desenvolvimento Integrado. Apresentação Geral

Rota do Guadiana Associação de Desenvolvimento Integrado. Apresentação Geral Rota do Guadiana Associação de Desenvolvimento Integrado Apresentação Geral História e território Criada em 1992, a RG-ADI, assume-se como uma iniciativa de desenvolvimento, constituída com base em parcerias

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 113.858,02 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 68.872,97 Operações de Tesouraria 44.985,05 15.857.651,51 Receitas Correntes 5.704.298,54 01 Impostos

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

Rede Educativa Municipal

Rede Educativa Municipal ANEXO 6 Rede Educativa Municipal EQUIPAMENTOS EDUCATIVOS PLANEADOS/ELABORADOS PELA CML 2010-2013 REDE EDUCATIVA MUNICIPAL 2012-2013 EQUIPAMENTOS EDUCATIVOS PLANEADOS / ELABORADOS PELA CML [Anos 2010/2013]

Leia mais

MAPA XVII RESPONSABILIDADES CONTRATUAIS PLURIANUAIS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS E DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS, AGRUPADOS POR MINISTÉRIO (EM EURO)

MAPA XVII RESPONSABILIDADES CONTRATUAIS PLURIANUAIS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS E DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS, AGRUPADOS POR MINISTÉRIO (EM EURO) RESPONSABILIDADES CONTRATUAIS PLURIANUAIS DOS E DOS, AGRUPADOS POR MINISTÉRIO Página 1/8 01 - ENCARGOS GERAIS DO ESTADO CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL 20 981 20 981 20 981 20 981 ENTIDADE REGULADORA PARA

Leia mais

Quadro Estratégico Comum

Quadro Estratégico Comum Quadro Estratégico Comum 2014-2020 Objetivos Prioridades Estrutura Orgânica Sociedade de Geografia de Lisboa, 8 de Julho de 2013 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Quadro Estratégico

Leia mais

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 32 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS Nos termos do Regulamento do

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 1.977.731,45 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 1.926.829,23 Operações de Tesouraria 50.902,22 7.402.141,92 Receitas Correntes 5.078.741,85 01 Impostos

Leia mais

ORÇAMENTO DESPESA ANO DIVISA CÓD. ORÇ. PRIVATIVO CLASS. ORGÂNICA CLASSIFICAÇÃO FUNC. PROG./MED. F. F. ECONÓMICA AL / SAL DOTAÇÃO ORÇAMENTAL RUBRICAS

ORÇAMENTO DESPESA ANO DIVISA CÓD. ORÇ. PRIVATIVO CLASS. ORGÂNICA CLASSIFICAÇÃO FUNC. PROG./MED. F. F. ECONÓMICA AL / SAL DOTAÇÃO ORÇAMENTAL RUBRICAS 2054 002037 311 01 Despesas com o pessoal 7.507.733,00 2054 002037 311 0101 Remunerações certas e permanentes 5.928.712,00 2054 002037 311 010102 0000 Orgãos sociais 9.900,00 2054 002037 311 010103 0000

Leia mais