PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. Análise Ambiental

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. Análise Ambiental"

Transcrição

1 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Análise Ambiental Belo Horizonte, Novembro/2008 1

2 SUMÁRIO Nível do Curso... 3 Titulação... 3 Direção e Coordenação... 3 Apresentação... 4 Foco do Curso... 4 Objetivos do Curso... 5 Público Alvo... 5 Resultados Esperados... 5 Diferenciais do Curso... 5 Metodologia... 5 Duração do Curso... 5 Conteúdo Programático

3 Nível do Curso Pós-graduação Lato Sensu em nível de especialização. Titulação Especialista em Análise Ambiental. Direção e Coordenação Reitor: Prof. Ricardo Cançado, Mestre Pró-Reitor: Prof. Ricardo Viana de Carvalho Paiva, Mestre Coordenação Geral: Profª Cynthia De Filippo, Mestre Coordenação Acadêmica do Curso: Prof. Evandro Gama de Oliveira, Ph.D. Coordenação Administrativa: Carolina Pereira Linhares 3

4 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Análise Ambiental Apresentação Em função da rápida, crescente, e sem precedente descaracterização e destruição em larga-escala dos hábitats naturais e conseqüente extinção de espécies que vem ocorrendo nas últimas décadas, existe hoje no mercado uma demanda cada vez maior de profissionais qualificados para avaliar e monitorar de perto tais mudanças e suas conseqüências sobre a biodiversidade e a qualidade do meio. Este profissional deve ser capaz de projetar e executar programas ambientais de modo a garantir a sustentabilidade no uso dos recursos e, portanto, a continuidade dos sistemas naturais e dos serviços prestados pelos ecossistemas. Contudo, para atuar de forma responsável, este profissional necessita ter o domínio de uma vasta gama de conhecimentos, incluindo (i) a gestão e gerenciamento dos recursos naturais bem como dos resíduos gerados pelas atividades humanas; (ii) o domínio de metodologias e ferramentas modernas para o estudo da biodiversidade e análise ambiental (incluindo técnicas para o estudo dos solos, águas, paisagens, e dos organismos que habitam estes ambientes); e (iii) bases ecológicas para a correta interpretação dos resultados gerados em tais análises. Foco do Curso O curso de Pós Graduação em Análise Ambiental foi estruturado de modo a permitir o desenvolvimento de habilidades e competências de profissionais das mais diversas áreas ligadas ao meio ambiente, capacitando-os a atuar nas áreas de gestão e análise ambiental. Objetivos Atualizar o profissional sobre as bases teóricas e práticas para atuação em consultorias ambientais de empreendimentos potencialmente impactantes. Capacitar o profissional para elaborar estudos de impacto ambiental e relatórios de impacto ambiental. Capacitar o profissional para utilizar diferentes métodos de análise da biodiversidade e de análise ambiental. Propiciar ao profissional uma atualização de seus conhecimentos sobre o funcionamento dos sistemas biológicos, incluindo: (i) dinâmica de populações; (ii) origem, manutenção e conseqüências da diversidade biológica; e (iii) fluxo de energia e matéria nos ecossistemas. 4

5 Público Alvo Portadores de diploma de nível superior nas áreas de Ciências Biológicas, Ecologia, Agronomia, Geografia, Geologia, Engenharia Florestal, Engenharia Ambiental, Tecnologia do Meio Ambiente, dentre outras, que queiram atuar como consultores em projetos de Estudos de Impacto Ambiental e elaboração de Relatórios de Impacto Ambiental (EIA-RIMA). O curso é também voltado para recém-formados nestas áreas que queiram prosseguir na carreira acadêmica. Resultados Esperados Formação de profissionais capacitados, responsáveis e críticos no que refere à atuação no campo da análise ambiental. Consolidação do saber na área ambiental do curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário UNA. Divulgação dos resultados dos trabalhos de conclusão do curso em congressos e revistas científicas. Diferenciais do Curso Integração entre prática biológica e gerencial. Reconhecimento da prática como parte constituinte da aprendizagem de conceitos teóricos. Corpo docente qualificado com professores que atuam no mercado. Foco em formação globalizada. Metodologia Aulas expositivas dialogadas, aulas práticas, visitas técnicas, apresentação de estudos de casos, simulações e dinâmica de grupos. Duração do Curso 360 horas/aulas distribuídas ao longo de um ano em conformidade com o calendário letivo do Centro Universitário UNA. Coordenação Acadêmica Prof. Dr. Evandro Gama de Oliveira: 5

6 Conteúdo Programático Módulo I Gestão Disciplina Carga horária Direito Ambiental 24 Avaliação de Impactos Ambientais 24 Gestão e Gerenciamento de Resíduos 20 Gestão e Análise de Águas 20 Educação Ambiental Aplicada 16 Total = 104 Módulo II Métodos Disciplina Carga horária Métodos de Estudos em Sistemática Vegetal 20 Fitogeografia e Fitossociologia 20 Métodos de Coleta e Amostragem de Vertebrados 16 Taxonomia de Vertebrados 20 Métodos de Coleta e Amostragem de Invertebrados 16 Taxonomia de Invertebrados 20 Análise de Dados Ecológicos 16 Total = 128 Módulo III Bases Ecológicas Disciplina Carga horária Introdução à Cartografia e Geoprocessamento 24 Ecologia de Populações e Comunidades 20 Ecologia de Campo 20 Ecologia Energética 12 Ecologia de Paisagens 16 Biologia dos Solos e Recuperação de Áreas Degradadas 24 Biologia da Conservação 12 Total = 128 6

7 EMENTAS DAS DISCIPLINAS: MÓDULO I GESTÃO Direito Ambiental [Inara Pinho]. Ementa: Esta disciplina visa a compreensão, interpretação e aplicação, de modo teórico e prático dos conhecimentos jurídicos pertinentes a legislação ambiental como pressupostos indispensáveis para uma atuação eficiente na área de gestão e análise ambiental. A disciplina abordará: os princípios gerais de direito ambiental; o Meio Ambiente na Constituição Federal; o Sistema Nacional de Meio Ambiente; as Resoluções do CONAMA relativas ao Estudo de Impacto Ambiental e ao Licenciamento Ambiental; a Responsabilidade por Dano Ambiental; o Código Florestal; o Sistema Nacional de Unidades de Conservação; e a Política Nacional de Recursos Hídricos. Ao final o aluno estará apto utilizar a legislação ambiental em projetos, pesquisas, relatórios, consultorias e assessorias ambientais, a fim de embasar suas ações e propostas dentro do contexto legal vigente. Avaliação de Impactos Ambientais [Arlete Vieira da Silva Genrich]. Ementa: Conceituação e histórico da AIA no Brasil e no âmbito mundial. Estrutura da avaliação de impacto ambiental. Competência do licenciamento ambiental. Licenças Ambientais. Etapas do Licenciamento. Técnicas e Métodos de apoio à realização de Estudos de Impacto Ambiental (instrumento de identificação, descrição, seleção e valoração de impacto ambiental). Elaboração de estudos de impactos (EIA/RIMA, RCA/PCA, PRAD, RADA, PTRF). Mitigação dos impactos ambientais. Relatórios de monitoramento. Montagem e realização de audiência pública. Atividades práticas em campo; O aluno estará apto a: (i) Atuar em equipes de empresas de consultoria, órgãos governamentais ambientais, ONG's, entre outros, desenvolvendo estudos de impacto ambiental; (ii) Desenvolver relatórios técnicos e pesquisa no campo da avaliação/análise ambiental; (iii) Realizar estudos de avaliação de impacto ambiental, dentro de uma visão integrada à multidisciplinaridade de áreas inerentes ao meio ambiente; (iv) Reconhecer as principais ferramentas do processo de avaliação de impacto ambiental; (v) Identificar os diversos impactos gerados pelos processos tecnológicos e industriais; (vi) Reconhecer as siglas mais utilizadas na área ambiental. Gestão e Gerenciamento de Resíduos [Lucas Paulo Gariglio]. Ementa: A disciplina tem por objetivo instruir sobre: Gestão dos resíduos sólidos e limpeza urbana - Contextualização: importância, definições e princípios; grandes desafios; caracterização da gestão de resíduos no Brasil e no mundo; aspectos da geração dos resíduos sólidos; princípios básicos da geração de resíduos e aspectos correlatos: sociais; econômicos; ambientais e sanitários; geração per capita classificação e caracterização Origem, composição e classificação dos Resíduos Sólidos. Legislação sobre resíduos 7

8 sólidos. Impactos ocasionados pelos resíduos sólidos. Modelos de gestão e caracterização dos serviços de limpeza urbana. Tratamento e disposição final dos resíduos sólidos. Resíduos Industriais: Normas e Legislação Aplicadas a Resíduos Industriais, Processos de Tratamento de Resíduos Industriais. Alternativas de recuperação, reutilização e reciclagem. Plano Integrado de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos Urbanos. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Especiais PGRSE; Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde. Visitas de campo orientadas. Ao final do curso, o aluno deverá estar apto a aplicar as técnicas e as metodologias para desenvolvimento de projetos, programas e ações de gestão dos sistemas de gerenciamento, coleta, tratamento e destinação final de resíduos sólidos e de limpeza urbana. Gestão e Análise de Águas [Orion Boncompagni Junior]. Ementa: Nesta disciplina serão abordados conceitos, princípios e instrumentos que disciplinam o domínio, o uso, o aproveitamento e a preservação das águas, concebidos pela Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei 9.433/97). A Gestão Compartilhada do Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos e o papel participativo e descentralizado dos Comitês de bacia Hidrográfica na resolução de conflitos que afetam a qualidade e quantidade dos recursos hídricos superficiais e subterrâneos. A bacia hidrográfica como unidade espacial para análise e gestão dos recursos hídricos. Índices de qualidade, monitoramento de variáveis físicas, químicas e biológicas das águas e a conservação da biodiversidade de ecossistemas aquáticos. Ao final da disciplina os alunos estarão aptos a: (i) Reconhecer a importância da água como um recurso natural limitante, estratégico e dotado de valor econômico; (ii) abordar a bacia hidrográfica como unidade territorial para análise e gestão dos recursos hídricos; (iii) Avaliar as conseqüências negativas dos impactos antrópicos sobre o ciclo hidrológico; (iv) Interpretar parâmetros físicos, químicos e biológicos das águas; (v) Utilizar os conhecimentos teórico-práticos na gestão e análise de recursos hídricos; (vi) Planejar e executar projetos interdisciplinares e consultorias ambientais de empreendimentos potencialmente impactantes. Educação Ambiental Aplicada [Inês de Oliveira Noronha]. Ementa: Nesta disciplina será abordado o amplo conceito de Educação Ambiental e as principais práticas utilizadas para a aplicação desse conceito. Serão trabalhadas práticas que envolvam a população, escolas e comunidades, quando a Educação Ambiental poderá servir como medida mitigadora de grandes empreendimentos. O aluno estará apto a avaliar e desenvolver as principais metodologias de acordo com a situação encontrada, sempre visando uma real interação e entendimento entre as pessoas e o ambiente a sua volta. 8

9 MÓDULO II MÉTODOS Métodos de Estudos em Sistemática Vegetal [Tereza Spósito]. Ementa: Métodos de estudo em taxonomia com ênfase nas fanerógamas. Técnicas de coleta e herborização de material botânico. Identificação de espécies de fanerógamas através de consulta a bibliografia. Apresentação do atual sistema de classificação (APG Angiosperm Phylogeny Group). Espécies ameaçadas de extinção. O aluno estará apto a: (i) utilizar corretamente os métodos de identificação de fanerógamas, bem como de coleta, preparação e conservação de plantas em herbário e jardim botânico; e (ii) avaliar adequadamente listagens florísticas em estudos de impacto ambiental. Fitogeografia e Fitossociologia [Thiago Igor F. Metzker]. Ementa: Reconhecimento dos biomas brasileiros e dos métodos de inventários florísticos quali-quantitativos, proporcionando a análise e interpretação de dados. Implantação de parcelas de monitoramento permanente. O aluno estará apto a: (i) distinguir os componentes dos biomas nacionais e as conseqüências das intervenções antrópicas; (ii) reconhecer os métodos de coleta e análise de dados florísticos capazes de garantir o planejamento do seu uso, preservação e/ou restauração; (iii) avaliar a adequação dos métodos de amostragem para as diferentes demandas da análise e planejamento ambiental. Métodos de Coleta e Amostragem de Invertebrados [André Roberto de Melo Silva; Carolina Ferreira Cardoso Yazbeck & Roselaini Mendes do Carmo da Silveira]. Ementa: Nesta disciplina serão descritas as principais metodologias para coleta e amostragem de invertebrados, com ênfase para os artrópodes terrestres e de água doce e para os grupos mais utilizados nos Estudos de Impacto Ambiental. Introdução às técnicas de preparação de espécimes coletados e organização de coleções taxonômicas. O aluno estará apto a: (i) identificar os ambientes mais propícios para a realização das coletas; (ii) utilizar os principais métodos e equipamentos de coleta e amostragem destes organismos; e (iii) preparar em laboratório coleções taxonômicas. Taxonomia de Invertebrados [André Roberto de Melo Silva; Carolina Ferreira Cardoso Yazbeck & Roselaini Mendes do Carmo da Silveira]. Ementa: Nesta disciplina serão descritos os principais táxons de invertebrados, da categoria taxonômica Filo até a de Família, em relação às principais características taxonômicas e biologia geral, destacando-se seus hábitats. Será dada ênfase aos artrópodes terrestres e de água doce com maior importância nos Estudos de Impacto Ambiental (borboletas, abelhas, e insetos aquáticos). O aluno estará apto a identificar os principais grupos de artrópodes terrestres normalmente utilizados em estudos de impacto ambiental e os principais hábitats onde estes organismos ocorrem. 9

10 Métodos de Coleta e Amostragem de Vertebrados [Bruno Maia; Lílian Afonso; Luciana Barçante; Leandro Scoss]. Ementa: Técnicas de amostragem e coleta de vertebrados, por meio de observação direta e uso de armadilhas e/ou redes. Introdução às técnicas de preparação de material zoológico e organização de coleções científicas. Ao final da disciplina, o aluno estará apto a: (i) realizar estudos de vertebrados em campo por meio do uso de técnicas de amostragem adequada a cada grupo; (ii) preparar material zoológico destinados à coleções científicas; e (iii) reconhecer a importância destas atividades para a conservação dos vertebrados. Taxonomia de Vertebrados [Thiago Ratton; Lílian Afonso; Luciana Barcante; Leandro Scoss]. Ementa: Taxonomia de Vertebrados, com ênfase nos grupos neotropicais. Nomenclatura zoológica, distribuição geográfica e importância dos Vertebrados. Ao final da disciplina, o aluno estará apto a: (i) usar adequadamente a nomenclatura zoológica; (ii) reconhecer e diferenciar os principais grupos de vertebrados; e (iii) conhecer sua distribuição geográfica e importância ecológica. Técnicas de Análise de Dados Ecológicos [Fernando A. O. Silveira]. Ementa: Serão abordados aspectos da filosofia da ciência, coleta e amostragem, organização e apresentação de dados (gráficos e tabelas), conceitos básicos de estatística descritiva (medidas de tendência central e de dispersão), noções de probabilidade, pseudo-repetição e desenho experimental. Também serão tratados os métodos de comparação entre duas ou mais variáveis (Teste-t de Student, Mann-Whitney, Análise de variância e Kruskal-Wallis), relações entre duas ou mais variáveis quantitativas (Regressão Linear Simples, Correlação de Pearson, Regressão Múltipla e Análise de Covariância) e estatística experimental (Análise de Variância fatorial). Estimadores de diversidade de espécies. Análise de Dados Ecológicos [Fernando A. O. Silveira]. Ementa: Serão abordados aspectos da filosofia da ciência, coleta e amostragem, organização e apresentação de dados (gráficos e tabelas), conceitos básicos de estatística descritiva (medidas de tendência central e de dispersão), noções de probabilidade, pseudo-repetição e desenho experimental. Também serão tratados os métodos de comparação entre duas ou mais variáveis (Teste-t de Student, Mann-Whitney, Análise de variância e Kruskal-Wallis), relações entre duas ou mais variáveis quantitativas (Regressão Linear Simples, Correlação de Pearson, Regressão Múltipla e Análise de Covariância) e estatística experimental (Análise de Variância fatorial). Estimadores de diversidade de espécies. 10

11 MÓDULO III BASES ECOLÓGICAS Introdução à Cartografia e Geoprocessamento [André Hirsch]. Ementa: Introdução ao geoprocessamento: tendências atuais; Noções de cartografia, escala de mapeamento e projeções cartográficas; Bases conceituais e teóricas sobre Sistema de Informações Geográficas (SIG); Bases conceituais e teóricas sobre Sensoriamento Remoto (SR); Tabelas relacionais e banco de dados georreferenciado; Uso de equipamentos de GPS (Sistema de Posicionamento Global) em geoprocessamento; Técnicas de geoprocessamento e interpretação de imagens de satélite; Noções de análise da paisagem e modelagem espacial de dados; Aplicação de técnicas de geoprocessamento na gestão ambiental (ecologia, conservação, distribuição geográfica de espécies, mapeamento da biodiversidade, rastreamento de animais, mapa de cobertura vegetal e uso do solo, monitoramento ambiental, fiscalização de desmatamento, entre outros). Ecologia de Populações e Comunidades [Evandro Gama de Oliveira]. Ementa: Nesta disciplina serão abordados os principais conceitos, princípios, e modelos de ecologia; ou seja, o estudo científico das interações bióticas e abióticas que determinam a distribuição e a abundância dos organismos. Tópicos a serem abordados incluem: (i) evolução por seleção natural e adaptação (ii) mecanismos de especiação; (iii) condições e recursos ecológicos; (iv) o conceito de nicho; (v) estrutura e dinâmica de populações; (vi) interações entre espécies; (vii) organização e estrutura de comunidades; e (viii) padrões de riqueza de espécies. Ao final da disciplina o aluno estará apto a aplicar os conhecimentos básicos no planejamento e execução de pesquisa ecológica e analisar e discutir de forma crítica textos e projetos abordando o monitoramento e conservação da biodiversidade. Ecologia de Campo [Fernando A. O. Silveira & Evandro G. Oliveira]. Ementa: Visita técnica a uma reserva biológica ou outra área protegida para observação e busca in situ de fenômenos e padrões ecológicos e discussão de hipóteses e possíveis métodos para abordar de forma empírica as questões levantadas. Planejamento de coleta e amostragem e interpretação de fenômenos ecológicos. Alguns dos métodos de coleta e amostragem de plantas e animais serão aqui revistos. O aluno estará apto a: (i) descrever diferentes fenômenos e padrões ecológicos normalmente observados na natureza; (ii) propor hipóteses para explicar questões ecológicas; e (iii) propor e utilizar os métodos normalmente utilizados para abordar diferentes questões ecológicas, particularmente aquelas relacionadas com padrões de diversidade. 11

12 Ecologia Energética [Thiago Cotta Ribeiro]. Ementa: O curso visa estabelecer conhecimentos sobre ecologia energética em ambientes aquáticos e terrestres, levando em consideração, as relações bióticas e abióticas. Considerando os efeitos e conseqüências da produtividade primária e secundária, fluxo energético, dos balanços energéticos e da alocação de recursos, para o desenvolvimento e funcionamento dos indivíduos dentro das comunidades. Ecologia de Paisagens [André Hirsch]. Ementa: Introdução, definições, e abordagens da ecologia de paisagens; fundamentos teóricos e terminologia da ecologia de paisagens; escalas e hierarquias em ecologia; padrões e processos de fragmentação de hábitats; respostas dos organismos à organização da paisagem; planejamento para conservação. O aluno estará apto a (i) discutir os fundamentos da ecologia de paisagens e a sua aplicação para a conservação de hábitats naturais. Biologia dos Solos e Recuperação de Áreas Degradadas [Marcelo da Silva Matsumura]. Ementa: A disciplina abordará o solo como importante componente do ecossistema, dando ênfase aos seus componentes estruturais e biológicos, incluindo o estudo da biota do solo, ecologia microbiana, ciclos biogeoquímicos, e características e propriedades diretamente ligadas à decomposição, ciclagem e armazenamento de nutrientes. Conceitos e definições, legislação, bases ecológicas para a recuperação de áreas degradadas, dinâmica e processos da ocupação vegetal, indicadores ambientais, monitoramento, métodos de recuperação de áreas degradadas, estudos de caso. Com o conhecimento adquirido, o aluno estará apto ao desenvolvimento de trabalhos com enfoque interdisciplinar, como levantamentos, pesquisa ecológica, relatórios de impacto ambiental e recuperação de áreas degradadas. 12

13 Biologia da Conservação [André Magalhães]. Ementa: Nessa disciplina serão abordados de maneira científica, os impactos dos seres humanos sobre a diversidade biológica e os conhecimentos teóricos que possuímos para evitar a extinção de espécies. A disciplina será baseada em exemplos de aplicação da Biologia da Conservação no Brasil e no mundo. Para tal, serão ministrados assuntos e serão discutidos trabalhos publicados onde se buscará através de uma análise crítica, detectar as aplicações práticas e a aproximação teórica na proteção e conservação da diversidade biológica. O aluno estará apto a: (i) Promover a preservação e conservação do Meio Ambiente; (ii) Realizar estudos e pesquisas com enfoque conservacionista; (iii) Prestar consultoria a organizações públicas ou privadas; (iv) Dominar os conceitos relacionados à Biologia da Conservação e sua utilização como ferramenta no desenvolvimento de novas tecnologias conservacionistas; (vi) Atuar multi e interdisciplinarmente, interagindo com diferentes especialidades e diversos profissionais em prol da conservação. 13

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Conteúdo Programático 1) Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: Conceitos Básicos (12 h) - Principais questões ambientais no Brasil e no mundo. - Conceitos

Leia mais

Missão. Objetivos Específicos

Missão. Objetivos Específicos CURSO: Engenharia Ambiental e Sanitária Missão O Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnico científica nas áreas

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

Programa de Pós Graduação FAPAM

Programa de Pós Graduação FAPAM TÍTULO: CIÊNCIAS AMBIENTAIS Programa de Pós Graduação FAPAM APRESENTAÇÃO: O curso aborda, de modo inovador, as questões ambientais cotidianas e emergentes. O curso no nível conceitual e prático faz uma

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL. Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 29/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Válida para os acadêmicos ingressantes a partir

Leia mais

ENGENHARIA AMBIENTAL. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

ENGENHARIA AMBIENTAL. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC ENGENHARIA AMBIENTAL Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo

Leia mais

MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade

MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade Coordenação Acadêmica - Escola de Direito FGV DIREITO RIO MBA em Direito Ambiental e Sustentabilidade - FGV

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS EDITAL DE SELEÇÃO PARA ALUNO ESPECIAL Período 2015/2 (Publicado em 06/08/2015)

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 5-CEPE/UNICENTRO, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010. Aprova o Curso de Especialização em Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento, modalidade modular, a ser ministrado no Campus CEDETEG, da UNICENTRO.

Leia mais

ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 180 Currículos dos Cursos do CCE UFV Currículo do Curso de Engenharia Engenheiro ATUAÇÃO O curso de Engenharia da UFV habilita o futuro profissional

Leia mais

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA.

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. 1. CARREIRA DE PESQUISA EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARGO DE PESQUISADOR

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 198 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Ambiental ATUAÇÃO O curso de Engenharia Ambiental da UFV

Leia mais

Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental

Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental 1.CURSOS COM ÊNFASE EM : Gestão Ambiental de Empresas 2. CONCEPÇÃO DOS CURSOS: O Brasil possui a maior reserva ecológica do planeta sendo o número um em

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Meio Ambiente FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

2.080 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/2013

2.080 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/2013 Curso: Graduação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR GESTÃO AMBIENTAL (Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança) TECNOLÓGICA SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO

Leia mais

Pós-Graduação Curso Disciplina Ementa Horário Aulas Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável

Pós-Graduação Curso Disciplina Ementa Horário Aulas Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Planilha atualizada em 14/07/2015. Curso Disciplina Ementa Horário Aulas Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus Publicidade e Marketing

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Avaliação de Impactos Ambientais ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com

GESTÃO AMBIENTAL. Avaliação de Impactos Ambientais ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Avaliação de Impactos Ambientais

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO MARANHÃO-IESMA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR DO SUL DO MARANHÃO-UNISULMA NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Especialização em Gerência e Monitoramento Ambiental

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE GEOGRAFIA CURRÍCULO NOVO, A PARTIR DE 2011 NÍVEL I 15359-04 Epistemologia da Geografia Introdução ao campo teórico da Geografia. Construção de uma Base Teórica e Epistemológica dos

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR

ESTRUTURA CURRICULAR GESTÃO AMBIENTAL ESTRUTURA CURRICULAR Metodologia da Pesquisa Científica Gestão do Espaço Urbano Saúde e Ambiente Legislação Ambiental Gestão de Resíduos Sólidos e de Área Urbana Sistema Integrado de Gestão

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Cristiana Saddy Martins Coordenadora da Pós-Graduação cristi@ipe.org.br - 11 4597-1327

Cristiana Saddy Martins Coordenadora da Pós-Graduação cristi@ipe.org.br - 11 4597-1327 PROPOSTA DE UMA TURMA DE MESTRADO PROFISSIONAL, PARA UMA FORMAÇÃO STRICTO SENSU DOS SERVIDORES DO INSTITUTO BRASÍLIA AMBIENTAL IBRAM (FORMATO MODULAR PRESENCIAL) Cristiana Saddy Martins Coordenadora da

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações.

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações. PROCESSO 014-2014 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações. A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE INSTRUTORES NA ÁREA AMBIENTAL PARA SERVIÇOS DE CONSULTORIA.

CONTRATAÇÃO DE INSTRUTORES NA ÁREA AMBIENTAL PARA SERVIÇOS DE CONSULTORIA. CONTRATAÇÃO DE INSTRUTORES NA ÁREA AMBIENTAL PARA SERVIÇOS DE CONSULTORIA. 1. OBJETIVO Contratação de profissionais com formação nas áreas de ciências biológicas, florestais, agronômicas, econômicas e

Leia mais

Impactos Ambientais UFCG/UAEC/LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA CIÊNCIAS DO AMBIENTE PROFESSORA - MÁRCIA RIBEIRO

Impactos Ambientais UFCG/UAEC/LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA CIÊNCIAS DO AMBIENTE PROFESSORA - MÁRCIA RIBEIRO Impactos Ambientais UFCG/UAEC/LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA CIÊNCIAS DO AMBIENTE PROFESSORA - MÁRCIA RIBEIRO PAULO DA COSTA MEDEIROS Doutorando em Recursos Naturais INTRODUÇÃO CONSUMO/DEMANDAS MAU USO QUANTIDADE

Leia mais

Documento de Projeto. Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite

Documento de Projeto. Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Documento de Projeto Projeto Número: 00061740 BRA/08/011 Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Este projeto tem como objetivo

Leia mais

Curso de Pós-Graduação lato Sensu em Matemática para Negócios. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP)

Curso de Pós-Graduação lato Sensu em Matemática para Negócios. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) Curso de Pós-Graduação lato Sensu em Matemática para Negócios. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) 1. Apresentação Com os avanços tecnológicos inseridos no mundo informatizado e virtual e a forma

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DA SEGURANÇA AMBIENTAL EM ATIVIDADES ESPACIAIS

REGULAMENTO TÉCNICO DA SEGURANÇA AMBIENTAL EM ATIVIDADES ESPACIAIS REGULAMENTO TÉCNICO DA SEGURANÇA AMBIENTAL EM ATIVIDADES ESPACIAIS 1 SUMÁRIO RESUMO......2 1 INTRODUÇÃO......3 1.1 OBJETIVO......3 1.2 APLICABILIDADE...3 1.3 TERMOS E DEFINIÇÕES...3 2 LICENCIAMENTO AMBIENTAL......3

Leia mais

AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS E SUAS RELAÇÕES COM A FAUNA SILVESTRE. Universidade Federal de Viçosa, eshamir@ufv.br

AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS E SUAS RELAÇÕES COM A FAUNA SILVESTRE. Universidade Federal de Viçosa, eshamir@ufv.br AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS E SUAS RELAÇÕES Elias Silva 1 COM A FAUNA SILVESTRE 1 Professor Associado do Departamento de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Viçosa, eshamir@ufv.br 1 1

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 374, DE 12 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 374, DE 12 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 374, DE 12 DE JUNHO DE 2015 Publicado em: 03/07/2015 O CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA CFBio, Autarquia Federal, com personalidade jurídica de direito público, criado pela Lei nº 6.684, de 03

Leia mais

Proposta de 20 Metas Brasileiras de Biodiversidade para 2020

Proposta de 20 Metas Brasileiras de Biodiversidade para 2020 Proposta de 20 Metas Brasileiras de Biodiversidade para 2020 Propostas encaminhadas pela sociedade brasileira após consulta envolvendo cerca de 280 instituições dos setores: privado, ONGs, academia, governos

Leia mais

BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 BIODIVERSIDADE

BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 BIODIVERSIDADE BIODIVERSIDADE E MANEJO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA TROPICAL 1 João Artur Silva 2 Márcio Ribeiro² Wilson Junior Weschenfelder² BIODIVERSIDADE Modelos de Diversidade A diversidade biológica varia fortemente

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORACÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) REFERENTE À ATIVIDADE DE LEVANTAMENTO SÍSMICO

TERMO DE REFERÊNCIA ELABORACÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) REFERENTE À ATIVIDADE DE LEVANTAMENTO SÍSMICO Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos TERMO DE REFERÊNCIA ELABORACÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL (RCA) REFERENTE À ATIVIDADE DE LEVANTAMENTO

Leia mais

Compilar, organizar e disponibilizar os resultados das pesquisas científicas sobre a Unidade de Conservação;

Compilar, organizar e disponibilizar os resultados das pesquisas científicas sobre a Unidade de Conservação; 4. PROGRAMAS DE MANEJO 4.1 PROGRAMA DE PESQUISA Objetivo Geral Visa dar suporte, estimular a geração e o aprofundamento dos conhecimentos científicos sobre os aspectos bióticos, abióticos, sócio-econômicos,

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

Telefone p/ contato: ( ) FAX: ( ) e-mail: Coordenadas geográficas * (Lat/Long) no Sistema Geodésico, SAD-69 Lat. -. Long ( )

Telefone p/ contato: ( ) FAX: ( ) e-mail: Coordenadas geográficas * (Lat/Long) no Sistema Geodésico, SAD-69 Lat. -. Long ( ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR NOME / RAZÃO SOCIAL *: End.: rua/av *: n *: Bairro *: CEP *: Município *: Telefone *: ( ) FAX *: ( ) e-mail: CNPJ (CGC/MF n.º) *: CGC/TE n. *: CPF/CIC n. *: End. P/ correspondência:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR EIXO TECNOLÓGICO: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA CURSO/MODALIDADE: Curso Técnico em Meio Ambiente/Subsequente DISCIPLINA: SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS CÓDIGO: Currículo: 2010/dez Ano/Semestre: 2011/2 Carga

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Móveis FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Curso: Geografia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Prática de redação, leitura e interpretação de textos geográficos. Língua Portuguesa 60 horas

Curso: Geografia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Prática de redação, leitura e interpretação de textos geográficos. Língua Portuguesa 60 horas Curso: Geografia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Língua Portuguesa 60 horas Metodologia Científica 60 horas Introdução à Ciência Geográfica 90 horas Geologia Aplicada à Geografia 60 horas Filosofia da Educação

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Estudo de Impacto Ambiental

Estudo de Impacto Ambiental UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Estudo de Impacto Ambiental Prof Luís César da Silva, Dr UFES/CCA O que é Impacto Ambiental? Corresponde as alterações das propriedades físicas, químicas e biológicas

Leia mais

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL 1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL O Programa de Pós-Graduação em Tecnologias e Inovações Ambientais modalidade mestrado profissional

Leia mais

EDITAL PROPI 07/2012 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU/2013

EDITAL PROPI 07/2012 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU/2013 EDITAL PROPI 07/2012 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU/2013 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - IFPI, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação, torna públicas para

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

14/05/2010. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Niro Afonso Pieper. Diretor Geral - SEMA

14/05/2010. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Sistema Integrado de Gestão Ambiental SIGA-RS. Niro Afonso Pieper. Diretor Geral - SEMA 14/05/2010 Niro Afonso Pieper Diretor Geral - SEMA 1 O Sistema Integrado de Gestão Ambiental no Rio Grande do Sul Concepção e Histórico Requisitos para a Habilitação Princípio da Melhoria Contínua Enfoque

Leia mais

Especialização em Ecologia e Intervenções Ambientais

Especialização em Ecologia e Intervenções Ambientais Especialização em Ecologia e Intervenções Ambientais Apresentação CAMPUS IGUATEMI Previsão agosto Turma 10 --> Inscrições em Breve *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas

Leia mais

TF096767 Projeto Políticas para o Cerrado e Monitoramento do Bioma Iniciativa Cerrado Sustentável MMA TERMO DE REFERÊNCIA N 2013.0122.

TF096767 Projeto Políticas para o Cerrado e Monitoramento do Bioma Iniciativa Cerrado Sustentável MMA TERMO DE REFERÊNCIA N 2013.0122. TF096767 Projeto Políticas para o Cerrado e Monitoramento do Bioma Iniciativa Cerrado Sustentável MMA TERMO DE REFERÊNCIA N 2013.0122.00032-0 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PESSOA FÍSICA ESPECIALIZADA

Leia mais

CURSO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DA FAUNA E FLORA COM ÊNFASE NA MATA ATLÂNTICA

CURSO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DA FAUNA E FLORA COM ÊNFASE NA MATA ATLÂNTICA PROGRAMAÇÃO I CURSO DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DA FAUNA E FLORA COM ÊNFASE PERÍODO: 08 a 13 de Junho de 2015 LOCAL: ITEP 1º DIA SEGUNDA-FEIRA DATA: 08/06/15 HORÁRIO CRONOGRAMA PALESTRANTE 08:00-09:00h Abertura

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 17 DE JUNHO DE 2010 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

1ª Circular XXXI Encontro Estadual de Geografia. Professor, o Bacharel e o Estudante: diferentes ações, as mesmas geografias?

1ª Circular XXXI Encontro Estadual de Geografia. Professor, o Bacharel e o Estudante: diferentes ações, as mesmas geografias? 1ª Circular XXXI Encontro Estadual de Geografia O Professor, o Bacharel e o Estudante: diferentes ações, as mesmas geografias? 18 a 20 de maio de 2012 Universidade Federal de Rio Grande FURG Rio Grande

Leia mais

Resumo Auditoria e Pericia Ambiental

Resumo Auditoria e Pericia Ambiental Resumo Auditoria e Pericia Ambiental Inspirada na Auditoria Contábil, elemento integrante dos sistemas de gestão empresarial, a Auditoria Ambiental surgiu na década de 70 nos Estados Unidos visando à redução

Leia mais

Natália da Costa Souza. Ana Paula Camargo Larocca

Natália da Costa Souza. Ana Paula Camargo Larocca USO DE GEOTECNOLOGIAS APLICADO AO ESTUDO DA SUSCETIBILIDADE E ANÁLISE DE RISCO DE PROCESSOS EROSIVOS EM FAIXAS DE DOMÍNIO DE LINHAS FÉRREAS - SUBSÍDIO AOS PROCESSOS DE LICENCIAMENTO OPERACIONAL E AMBIENTAL

Leia mais

SISTEMA DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA A GESTÃO DE RIOS URBANOS

SISTEMA DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA A GESTÃO DE RIOS URBANOS BRASIL - BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL URBANA SISTEMA DE INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA A GESTÃO DE RIOS URBANOS Erika do Carmo Cerqueira

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CST EM GESTÃO AMBIENTAL Nome da disciplina Semestre básica Introdução à Gestão Ambiental 1 o Industrialização; demografia e impactos ambientais; poluição: ar-águasolo; tecnologias

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS

GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS CULTURA RELIGIOSA O fenômeno religioso, sua importância e implicações na formação do ser humano, da cultura e da sociedade. As principais religiões universais: história

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano Projeto 1 Onde existe Vida? Tempo Previsto: 4 quinzenas (do 1ºPeríodo) Ciências Naturais A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 1.ª Fase: Terra um planeta com vida 2.ª Fase: A importância

Leia mais

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável;

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável; Lei Delegada nº 125, de 25 de janeiro de 2007. (Publicação Diário do Executivo Minas Gerais 26/01/2007) (Retificação Diário do Executivo Minas Gerais 30/01/2007) Dispõe sobre a estrutura orgânica básica

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Ambiental da IES tem por missão a graduação de Engenheiros Ambientais

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração Anexo II a que se refere o artigo 2º da Lei nº xxxxx, de xx de xxxx de 2014 Quadro de Analistas da Administração Pública Municipal Atribuições Específicas DENOMINAÇÃO DO CARGO: DEFINIÇÃO: ABRANGÊNCIA:

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente

Leia mais

IV - Aeroportos, conforme definidos pelo inciso 1, artigo 48, do Decreto-Lei nº 32, de 18.11.66;

IV - Aeroportos, conforme definidos pelo inciso 1, artigo 48, do Decreto-Lei nº 32, de 18.11.66; Página 1 de 5 Resoluções RESOLUÇÃO CONAMA Nº 001, de 23 de janeiro de 1986 Publicado no D. O. U de 17 /2/86. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o artigo

Leia mais

MONITORAMENTO AMBIENTAL E O MONITORAMENTO DA AMBIÊNCIA

MONITORAMENTO AMBIENTAL E O MONITORAMENTO DA AMBIÊNCIA Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Agrícola Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola MONITORAMENTO AMBIENTAL E O MONITORAMENTO DA AMBIÊNCIA Mariana

Leia mais

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Domínio/Objetivos Descritores de Desempenho Atividades/Estratégias Avaliação Matéria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 6, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Arquitetura

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio Planejamento Anual Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015 Professor(s): Júlio APRESENTAÇÃO: Percebemos ser de fundamental importância que o aluno da 2 Ano do Ensino Fundamental possua

Leia mais

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário 1 Metras Curriculares Estratégias Tempo Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Licenciatura Plena em Geografia Disciplina: Hidrogeografia Carga Horária: 60hs Teórica: 60hs Prática: 00hs Semestre: 2013.2 Professor: Antonio Marcos

Leia mais

Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino

Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino Este documento tem como objetivo orientar os docentes da UFCSPA na elaboração do Plano de Ensino de disciplinas no formato adequado ao Sistema de Registro

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

C:\Documents and Settings\Usuario\Desktop\Júlio\Arquivos finais_esa\grade-eng.sanitária-v.final_17.02.12.doc

C:\Documents and Settings\Usuario\Desktop\Júlio\Arquivos finais_esa\grade-eng.sanitária-v.final_17.02.12.doc 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Curso de Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental Grade Curricular válida a partir de 29/11/2011 Natureza Créditos Horas-aula Disciplinas Obrigatórias 210 3.150

Leia mais

Distribuição da água no planeta

Distribuição da água no planeta Água A água é fundamental para a preservação da vida em todos os ecossistemas e é indispensável para o desenvolvimento e manutenção das atividades econômicas em suas múltiplas possibilidades. Distribuição

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) DO CANTEIRO NÁUTICO E NAVAL DE ARATU (CNNA)

ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) DO CANTEIRO NÁUTICO E NAVAL DE ARATU (CNNA) 1/11 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 1.0. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR E... 3 1.1. IDENTIFICAÇÃO DA CONTRATANTE... 3 1.1.1. RESPONSÁVEL LEGAL DA CONTRATANTE... 3 1.2. IDENTIFICAÇÃO DA... 4 1.2.1. REPRESENTANTES

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

APRESENTAÇÃO A BIOEC

APRESENTAÇÃO A BIOEC APRESENTAÇÃO Empresa especializada em elaboração, execução e gerenciamento de projetos ambientais. Formada por profissionais altamente qualificados, que buscam desenvolver projetos eficientes e inovadores,

Leia mais

A importância do Cerrado

A importância do Cerrado A importância do Cerrado Quem vive no Cerrado mora em uma das regiões mais ricas em espécies de plantas e animais do mundo, muitas delas ainda desconhecidas pela ciência e que só existem ali. É ainda nas

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIENCIAS DA NATUREZA, MATEMATICA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.605, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.605, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.605, DE 10 DE SETEMBRO DE 2007 Homologa o Parecer n. 092/07-CEG, que aprova o Projeto

Leia mais

Palavras chaves: Formação de professores; Educação ambiental; Trabalhos de campo; Sensoriamento remoto, cidadania.

Palavras chaves: Formação de professores; Educação ambiental; Trabalhos de campo; Sensoriamento remoto, cidadania. FORMAÇÃO DE PROFESSORES: DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS ESCOLARES DE EDUCAÇÃO SÓCIO AMBIENTAL COM O USO INTEGRADO DE MAPAS, FOTOS AÉREAS, IMAGENS DE SATÉLITE E TRABALHOS DE CAMPO DOS SANTOS,VÂNIA MARIA NUNES

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

Curso de Especialização em TOPOGRAFIA E SENSORIAMENTO REMOTO

Curso de Especialização em TOPOGRAFIA E SENSORIAMENTO REMOTO Curso de Especialização em TOPOGRAFIA E SENSORIAMENTO REMOTO ÁREA DO CONHECIMENTO: Engenharia. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em TOPOGRAFIA E SENSORIAMENTO REMOTO. AMPARO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 4, DE 6 DE AGOSTO DE 2008 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 4, DE 6 DE AGOSTO DE 2008 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 4, DE 6 DE AGOSTO DE 2008 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Meteorologia,

Leia mais

Avaliação da Viabilidade Ambiental de Projetos: Pressupostos, Conceitos e Etapas do Processo PROF. ELIAS SILVA

Avaliação da Viabilidade Ambiental de Projetos: Pressupostos, Conceitos e Etapas do Processo PROF. ELIAS SILVA IV SEMINÁRIO NACIONAL DE GESTÃO DE RESÍDUOS I WORKSHOP INTERNACIONAL DE SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA Tecnologias Ambientais: Energia Renovável vel a partir de Biomassa e Resíduos Agrícolas (Agosto/2009)

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE CAMARATE Planificação de Ciências Naturais 8.º ano Ano letivo 2014/2015

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE CAMARATE Planificação de Ciências Naturais 8.º ano Ano letivo 2014/2015 Domínio: Terra em transformação Subdomínio: Dinâmica externa da Terra ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE CAMARATE Identificar os minerais constituintes de rochas, considerando as suas propriedades físicas

Leia mais

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos.

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável Sistema de Informação Dados Armazenados Questão Informação Laboratório de Geoprocessamento (LAGEO) Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

Curso de Pós Graduação Lato Sensu em Engenharia de Segurança no Trabalho. Projeto Pedagógico

Curso de Pós Graduação Lato Sensu em Engenharia de Segurança no Trabalho. Projeto Pedagógico FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA Curso de Pós Graduação Lato Sensu em Engenharia de Segurança no Trabalho Projeto Pedagógico Campo Limpo Paulista 2014 FACCAMP

Leia mais

EDITAL nº 136/2006. Programa de Pós-Graduação stricto sensu MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO / PPGA

EDITAL nº 136/2006. Programa de Pós-Graduação stricto sensu MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO / PPGA UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE Av. Castelo Branco, 170 -CEP 88.509-900 - Lages - SC - Cx. P. 525 - Fone (0XX49) 251-1022 Fax 251-1051 EDITAL nº 136/2006 Programa de Pós-Graduação stricto sensu MESTRADO

Leia mais