Relatório Gerencial das Demonstrações Financeiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Gerencial das Demonstrações Financeiras"

Transcrição

1 Relatório Gerencial das Demonstrações Financeiras Março 2013

2 Índice História 3 Indicadores 4 Estrutura Acionária 5 Estrutura Organizacional 6 Organograma 6 Rede de Atendimento 7 Atuação 8 Gerenciamento de Risco 9 Descasamento de Ativos e Passivos 9 Auditoria Interna 10 Comitê de Auditoria 10 Comitê de Remuneração 10 Ouvidoria 10 Operações de Crédito 11 a) Setor de Atividade Econômica 11 b) Produto 11 c) Ticket Médio (Valores em R$) 12 d) Região Geográfica 12 e) Prazo Médio 12 f) Concentração de Risco da Carteira de Crédito 13 Funding 13 Abertura dos Depósitos a Prazo 14 a) Tipo de indexador 14 b) Prazo Médio 14 c)tipo de Investidor 14 Base de Clientes 14 Relatório da Administração 15 Balanço Patrimonial 20 Demonstração dos Resultados 24 Demonstração dos Fluxos de Caixa Método Indireto 25 Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido 26 Demonstração do Valor Adicionado (DVA) 27 Notas Explicativas às Demonstrações Financeirais 28 Mercantil do Brasil 2

3 História Foto da Inauguração Curvelo MG A origem do Banco remonta a 02 de fevereiro de 1943, na cidade de Curvelo, centro-norte do estado de Minas Gerais, onde foi fundado por empresários locais. Em 1953, ainda com o nome de Banco Mercantil de Minas Gerais S.A., foi adquirido pelos Srs. Oswaldo de Araújo e Vicente de Araújo. A sede foi transferida para Belo Horizonte, MG, e iniciou-se a conquista de sua tradição de segurança e solidez, baseada em uma filosofia de crescimento sustentado. Posteriormente, novos acionistas passaram a integrar o Grupo Controlador, entre eles o atual Presidente do Conselho de Administração e do Comitê Diretivo, Sr. Milton de Araújo. Em 21 de novembro de 1955, o então Banco Mercantil de Minas Gerais S.A. adquiriu o Banco Industrial Minas Gerais S.A., elevando o número de agências de 4 para 52. Em 21 de novembro de 1966, foram adquiridos o Banco Santa Cruz S.A. e o Banco da Metrópole do Rio de Janeiro S.A.. Em 11 de novembro de 1968 o Banco Mercantil de Minas Gerais S.A. inaugurou a sua nova sede na Rua Rio de Janeiro, 654/680, Belo Horizonte, MG, onde se encontra até os dias de hoje. Em 09 de novembro de 1972, foi incorporado pela instituição o Banco Industrial de Campina Grande S.A., considerado um dos maiores bancos do país, uma vez que detinha agências distribuídas em treze estados brasileiros: Alagoas, Bahia, Ceará, Guanabara (Rio de Janeiro), Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e Paraná. Em 04 de novembro de 1974, adquiriu-se o Banco Mercantil do Brasil S.A., cujo nome passou a ser utilizado pela Instituição a partir de 18 de novembro de As mudanças proporcionaram ao Banco iniciar a década de 80 com aproximadamente 100 agências. A partir de 1999, o Banco revitalizou a sua Marca e as suas Agências, consolidando, assim, uma imagem de modernidade perante os clientes e o mercado. A valorização e o fortalecimento da Marca Mercantil do Brasil, em conjunto com soluções adequadas ao perfil dos clientes, são os objetivos que direcionam o foco do Banco. Em 09 de novembro de 2004, o Banco captou recursos estrangeiros pela primeira vez, emitindo títulos de dívida externa no montante de US$ 35 milhões. Em 26 de setembro de 2006, o Mercantil do Brasil realizou a sua 1ª emissão de títulos de dívida externa com características de Dívida Subordinada, no montante de US$ 125 milhões. Em 09 de julho de 2010 e 21 de julho de 2010, o Banco emitiu novos títulos de dívida externa com características de Dívida Subordinada, no montante de US$ 200 milhões e US$ 50 milhões, respectivamente, com vencimento em Em março de 2013, o Mercantil do Brasil dispunha de uma rede de 185 agências, 04 Postos de Atendimento Bancário (PABs), 28 Postos de Atendimento Eletrônico (PAEs), 01 agência no exterior, em Grand Cayman, distribuídos pelos principais centros geoeconômicos do Brasil, com maior concentração na Região Sudeste, especialmente em Minas Gerais e no interior de São Paulo e funcionários. Recepção Sede MB Belo Horizonte MG Mercantil do Brasil 3

4 Indicadores (R$ Milhões) CAGR % Ativo Total 1% % Carteira de Crédito e Coobrigações CAGR Geral : 13% CAGR Cart. Crédito : 27% 3% % % 22% mar-13 Outros Ativos Ativos Tesouraria Carteira Crédito CAGR : 17% % 25% Funding 15% 16% -2% % CAGR : 10% mar-13 Carteira Crédito Patrimônio Líquido 749 Coobrigações 872 1% mar-13 Dep. Prazo Outros Depósitos Outras Captações Captações Externas mar-13 PL Banco Minoritários Índice de Basiléia 13,38% 12,58% 12,38% 12,35% 11,0% mar-13 Mercantil do Brasil 4

5 Estrutura Acionária Grupo Controlador ON : 57,3% PN: 20,6% Free Float ON : 42,7% PN: 79,4% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 99,99% 100,00% 76,41% 78,77% Ramo Financeiro Atividade Mar 2013 Mercantil do Brasil Distribuidora S.A. Títulos e Valores Mobiliários Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários 100,00% Mercantil do Brasil Leasing S.A. Arrendamento Mercantil Arrendamento Mercantil 100,00% Banco Mercantil de Investimentos S.A. Banco de Investimento 78,77% Mercantil do Brasil Financeira S.A. Crédito, Financiamento e Investimentos Mercantil do Brasil Corretora S.A. Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários Financeira 76,41% Corretora de Câmbio e TVM 99,99% Outras Atividades Atividade Mar 2013 Mercantil do Brasil Administradora e Corretora de Seguros e Previdência Privada S.A.. Administração, Corretagem de Seguros em Geral e de Previdência Privada 100,00% Mercantil do Brasil Imobiliária S.A. Imobiliária 100,00% Mercantil do Brasil Empreendimentos Imobiliários S.A. Empreendimentos Imobiliários 100,00% Mercantil do Brasil 5

6 Estrutura Organizacional CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Presidente Milton de Araújo Vice Presidente Maurício de Faria Araújo Conselheiros Clarissa Nogueira de Araújo Daniela de Araújo Coelho Glaydson Ferreira Cardoso José Carneiro de Araújo José Ribeiro Vianna Neto Luiz Henrique Andrade de Araújo Marco Antônio Marques Cardoso DIRETORIA Presidente Milton de Araújo Vice Presidentes Hélio de Araújo Luiz Henrique Andrade de Araújo Marco Antônio Andrade de Araújo Maurício de Faria Araújo Paulo Henrique Brant de Araújo Renato Augusto de Araújo Vice Presidente Executivo André Luiz Figueiredo Brasil Diretores Executivos Fernando Antônio Machado Carvalho Lauro Wilson da Silva Luiz Carlos de Araújo Luiz Henrique Mungo Nicácio Paulo Afonso Guimarães Roberto Godoy Assumpção Taíse Christine da Cruz Valci Braga Rezende Diretores Aluízio Francisco Paiva Humberto Pereira de Almeida João Rufino da Silva José Maurício Carvalho de Barros Valfredo Monteiro Filho Waldênio Pessoa Silva CONSELHO FISCAL Afrânio Eustáquio Ribeiro Euler Luiz de Oliveira Penido José Régis da Silva Pontes Luiz Alberto Bertucci Milton de Castro Silva Júnior Organograma Conselho de Administração Comitê Diretivo Vice Presidente Executivo André Brasil Comitê Executivo Diretorias Executivas Administrativa e de Atendimento Luiz H. Nicácio Comercial Valci Rezende Controladoria, Compliance, PLD e Riscos Luiz Carlos Araújo Crédito Fernando Carvalho Financeira e Relações com Investidores Roberto Assumpção Gestão de Crédito Paulo Afonso Produtos Taíse Cruz Tecnologia, Infraestrutura e Intel. de Clientes Lauro Wilson Mercantil do Brasil 6

7 Rede de Atendimento No final de Março de 2013, o Mercantil do Brasil dispunha de uma rede de atendimento de 185 agências, 04 Postos de Atendimento Bancário - PAB e 24 Postos de Atendimento Eletrônico - PAE e 01 agência no exterior em Grand Cayman, sendo que, 39 agências (21%) encontram-se nas capitais e 146 agências (79%) no interior dos estados. O foco de atuação compreende os estados federativos de Minas Gerais, o interior São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás e a capital federal Brasília, com 164 agências (89 %). A Região Sudeste responde por 157 agências, representando 85%. Ag. Botucatu Botucatu SP Foco Geográfico de Atuação RN 01 PB 01 PE 01 MT 01 DF 01 BA 02 SE 01 MS 01 PR 06 GO 06 SP 76 MG 71 RJ 08 ES 02 SC 04 RS 03 Mercantil do Brasil 7

8 Atuação Além do Varejo, o Mercantil do Brasil complementa sua atuação em nichos específicos, através de estruturas especializadas nas áreas de Financiamento de Veículos, Leasing, Fiança, Seguros, Previdência, Crédito Consignado, Cartão de Crédito e Crédito Imobiliário. No Varejo, tem sua atenção voltada para Pessoas Físicas e Pessoas Jurídicas com faturamento anual de até R$ 15 milhões. O Segmento Empresas atende de forma diferenciada às Pessoas Jurídicas com faturamento anual acima de R$ 15 milhões. Além das plataformas de negócio localizadas nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, o MB possui agências com estruturas diferenciadas para o atendimento a clientes com o mesmo perfil nas cidades de Anápolis, Brasília, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Salvador e Vitória. As agências do MB estão aptas a oferecer todos os produtos e serviços financeiros aos clientes. Os produtos oferecidos pelo banco são distribuídos, conforme abaixo: PESSOAS FÍSICAS Contas Correntes, Poupança, Depósitos a Prazo e Fundos; Crédito Pessoal, Cheque Especial, CDC Veículos e Cartão de Crédito; Previdência Privada, Seguros e Capitalização; Serviços (cobrança, pagamentos de tributos e taxas, etc). PESSOAS JURÍDICAS Contas Correntes, Poupança, Depósitos a Prazo e Fundos; Capital de Giro, Desconto de Recebíveis, Conta Garantida, CDC Veículos, Leasing; Fianças e garantias locais e internacionais (Bid and Performance Bonds), Trade Finance, Crédito Imobiliário e Seguros; Serviços (cobrança, recebimentos de tributos e taxas, etc). Mercantil do Brasil 8

9 Gerenciamento de Risco O Mercantil do Brasil possui uma gestão de risco independente, cujo objetivo é identificar, avaliar, controlar e mitigar os Riscos de Liquidez, de Crédito, de Mercado e Operacional. Sua gestão é realizada através de modelos e ferramentas que proporcionem efetividade no gerenciamento, além de uma equipe técnica capacitada e em constante desenvolvimento. O monitoramento é efetuado através de relatórios diários, contando também com ferramentas de simulação de cenários de stress, permitindo ao Banco proteger-se contra situações macroeconômicas adversas. Para maiores informações, acesse o site do Mercantil do Brasil (www.mercantildobrasil.com.br) onde poderá utilizar o link da área de Relações com Investidores (Área de Relações com Investidores) e encontrar as informações completas sobre o gerenciamento de cada tipo de risco da instituição. DESCASAMENTO DE ATIVOS E PASSIVOS R$ Mil DESCASAMENTO - Prazo Prazos ¹ Aplicação Captação Saldo até 30 dias de 31 a 60 dias de 61 a 90 dias de 91 a 180 dias de 181 a 360 dias acima de 360 dias ( ) TOTAL ² ( ) DESCASAMENTO - Moeda Moeda Aplicação Captação Saldo PRÉ IGPM TR ( ) TJLP CDI ( ) SELIC IGPDI US$ Euro IPCA ( ) Ações TOTAL ² ( ) 1 Dias Corridos 2 A Captação no Mercado Aberto Carteira de Terceiros, no valor de R$ milhões, não é considerada nos quadros de descasamentos Mercantil do Brasil 9

10 Auditoria Interna A Auditoria Interna do MB, para melhor cumprir as suas atribuições, é dotada de políticas consistentes com as boas práticas de governança corporativa. É uma atividade independente das outras funções na hierarquia e se reporta ao Conselho de Administração. Dispensa rigorosa avaliação dos controles internos, consistindo sua adequação e aderência às normas internas e externas e aos procedimentos estabelecidos pela Administração. Adota sistemática de trabalho que utiliza a aplicação de mapeamento dos processos, para melhor entendimento, avaliação e testes: dos controles internos, observando princípio de segregação de funções; dos sistemas de registro, autorizações e alçadas e possíveis riscos inerentes; e do próprio processo de gestão de riscos. Tais levantamentos, avaliações e testes compreendem as principais áreas e processos que compõem os ciclos operacionais sempre em linha com planejamento estratégico Institucional. Conta com equipe especializada para desenvolver seus exames nas dependências da rede de agências e nas unidades centralizadas na administração, que desempenham as atividades corporativas, inclusive as de TI. Dispõe de rotina de auditoria contínua que utiliza indicadores para acompanhamento das atividades, de forma a atuar proativamente no monitoramento dos controles classificados como críticos. Utiliza sistemas automatizados de vanguarda para a extração e análise de dados, execução, gestão e documentação dos seus trabalhos, de modo a proporcionar adequação de sua própria atividade e dispor de elementos e evidências que possam permitir a aferição de sua efetividade. Comitê de Auditoria Visando as boas práticas de Governança Corporativa, no 3º trimestre de 2011 foi constituído o Comitê de Auditoria e que tem por finalidade, além de cumprir as atribuições de que trata a Resolução CMN nº 3.198/2004, auxiliar o Conselho de Administração em suas funções de controle sobre a qualidade das demonstrações financeiras e dos controles internos, contribuindo para a melhoria da qualidade e confiabilidade da informação contábil, sistemas de controle e gestão de riscos do Mercantil do Brasil. Comitê de Remuneração Foi criado em setembro de 2011 o Comitê de Remuneração, ao qual compete dar cumprimento ao disposto nas normas da Resolução CMN nº 3.921/2010 e auxiliar o Conselho de Administração na definição e na gestão das políticas de remuneração corporativas, de curto e longo prazos. Ouvidoria No desempenho de suas funções, a Ouvidoria atua tanto de forma direta em decorrência das manifestações recebidas buscando identificar e corrigir as causas da insatisfação, como de forma indireta, por meio da detecção de atividades ou procedimentos onde essa insatisfação possa vir a ocorrer, funcionando como instância final de recursos para aqueles clientes que não se sintam satisfeitos com o encaminhamento de suas reclamações por parte dos canais de atendimento habituais. Todas as ações se baseiam nos valores de Ética, Transparência, Independência, Imparcialidade e Garantia de resposta. À Ouvidoria são encaminhadas todas as solicitações e as reclamações feitas via órgãos reguladores, órgãos de defesa do consumidor e ouvidorias de outras instituições. Além disso, são encaminhadas à Ouvidoria todas as demandas que a princípio foram direcionadas ao SAC (Serviço de Atendimento a Clientes) e que, por algum motivo, não tenham sido atendidas em até 05 dias úteis ou que não tiveram resposta satisfatória na visão do cliente. Semestralmente, a Ouvidoria MB elabora o Relatório de Atividades, demonstrando os aspectos positivos e os pontos a serem melhorados na performance das áreas do MB em relação ao atendimento prestado ao cliente. Telefone: Fax: (31) Carta: Caixa Postal, CEP: Belo Horizonte, MG, Brasil Internet: mercantildobrasil.com.br / Para Você / Atendimento / Telefone / Ouvidoria Mercantil do Brasil 10

11 SEGMENTAÇÃO DA CARTEIRA DE CRÉDITO a) Setor de Atividade Econômica Operações de Crédito (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) MB CONSOLIDADO Tipo / Setor de Atividade mar-13 dez-12 mar-12 % % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Pessoa Física 52% % 46% Pessoa Jurídica 48% % 1% Construção Civil 10% % -4% Prestação de Serviços 3% % 5% Comércio Varejista 3% % -2% Comércio Atacadista 3% % -11% Transporte de Passageiros 2% % 31% Transporte de Cargas e Logística 2% % 16% Atividades Financeiras 2% % -26% Siderurgia 2% % 13% Biocombustíveis e Açúcar 2% % 63% Outros 19% % 2% Total 100% % 21% Risco Total * % 9% * O MB possui operações de crédito cedidas até 31/12/2011, com coobrigação, ou seja, antes da Resolução CMN nº 3.533/08, no montante de R$ mil em Março de 2013 (R$ mil em Dezembro de 2012 e R$ mil em Março de 2012). b) Produto MB CONSOLIDADO Produto mar-13 dez-12 mar-12 % % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Crédito Consignado - INSS 30% % 54% Capital de Giro 26% % 0% Crédito Pessoal 10% % 49% Crédito Consignado - Público 7% % 34% Cheque Empresa 6% % 10% Conta Garantida 6% % -7% Crédito Rural 3% % -4% Renegociação 3% % 93% Financiamentos de Veículos - CDC 2% % 2% Desconto 2% % 1% Cheque Especial 1% % 14% Crédito Imobiliário 1% % 47% Empréstimo Parcelado 1% % 6% Câmbio 1% % -29% Créditos Adquiridos 0% % -79% Financiamento de Veículos - Leasing 0% % -63% Financiamentos BNDES 0% % -73% Outros 0% % 58% Total 100% % 21% Risco Total * % 9% * O MB possui operações de crédito cedidas até 31/12/2011, com coobrigação, ou seja, antes da Resolução CMN nº 3.533/08, no montante de R$ mil em Março de 2013 (R$ mil em Dezembro de 2012 e R$ mil em Março de 2012). Mercantil do Brasil 11

12 c) Ticket Médio (Valores em R$) MB CONSOLIDADO Produto Ticket Médio mar-13 dez-12 mar-12 Crédito Rural Crédito Imobiliário Câmbio Conta Garantida Capital de Giro Créditos Adquiridos Financiamentos BNDES Cheque Empresa Financiamento de Veículos - Leasing Renegociação Desconto Financiamentos de Veículos - CDC Empréstimo Parcelado Crédito Consignado - Público Crédito Pessoal Crédito Consignado - INSS Cheque Especial Outros d) Região Geográfica MB CONSOLIDADO Região mar-13 dez-12 mar-12 % Saldo Saldo MG 63% SP 18% GO 3% PR 3% RJ 3% BA 2% RS 2% Outros 6% Total 100% Risco Total * * O MB possui operações de crédito cedidas até 31/12/2011, com coobrigação, ou seja, antes da Resolução CMN nº 3.533/08, no montante de R$ mil em Março de 2013 (R$ mil em Dezembro de 2012 e R$ mil em Março de 2012). e) Prazo Médio A Carteira de Crédito apresentou um prazo médio de 13,6 meses em Março de 2013 (12,9 meses em Dezembro de 2012 e 11,7 meses em Março de 2012). MB CONSOLIDADO Carteira de Crédito mar-13 dez-12 mar-12 Até 1 ano 59% 61% 66% Acima de 1 ano 41% 39% 34% Mercantil do Brasil 12

13 f) Concentração de Risco da Carteira de Crédito MB CONSOLIDADO Concentração mar-13 dez-12 mar-12 Saldo % Saldo % Saldo % Maior Devedor % % % 10 Maiores Devedores % % % 20 Maiores Devedores % % % 50 Maiores Devedores % % % 100 Maiores Devedores % % % Funding MB CONSOLIDADO Depósitos mar-13 dez-12 mar-12 % % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Depósitos à Vista 7% % 4% Depósitos de Poupança 3% % 9% Depósitos à Prazo - CDB 89% % 10% Depósitos à Prazo - CDB Subordinado 1% % 9% Depósitos Interfinanceiro 1% % -68% Total 100% % 7% Captações no Mercado Aberto mar-13 dez-12 mar-12 % % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Carteira de Terceiros 0% % -17% Total 0% % -17% Emissões Externas dez-12 mar-12 % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Emissões no Exterior 8% % -54% Emissões no Exterior - Dívidas Subordinadas 92% % 15% Total 100% % 3% Outras Emissões Domésticas mar-13 dez-12 mar-12 % % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Letra de Crédito do Agronegócio - LCA 56% % 28% Letras Financeiras - LF 44% % 100% Total 100% % 130% Obrigações por Empréstimos e Repasses mar-13 mar-13 dez-12 mar-12 % % Saldo Saldo 1º Trim. 12 Meses Obrigações por Empréstimos País * 71% % -57% Obrigações por Empréstimos Exterior 28% % -38% Obrigações por Repasses País 1% % -70% Obrigações por Repasses Exterior 0% % 0% Total 100% % -53% * Os impactos apresentados nas Obrigações por Empréstimos no País foram decorrente do FDIC realizado, líquido das aplicações em Cotas Subordinadas. % Mercantil do Brasil 13

14 Abertura dos Depósitos a Prazo a) Tipo de indexador MB CONSOLIDADO Indexador mar-13 Saldo % CDI % IPCA % IGPM % SELIC % PRÉ % OUTROS % Total % b) Prazo Médio Prazo Médio mar-13 dez-12 mar-12 Meses 48,5 48,1 47,1 Até 1 ano 20% 20% 19% Acima de 1 ano 80% 80% 81% c) Tipo de Investidor MB CONSOLIDADO Concentração mar-13 dez-12 mar-12 Saldo % Saldo % Saldo % Pessoa Jurídica % % % Pessoa Física % % % Investidores Institucionais % % % Total % % % Base de Clientes Clientes MB mar-13 dez-12 mar-12 % % Quantidade Quantidade 1º Trim. 12 Meses Pessoa Física 98% % 17% Pessoa Jurídica 2% % 100% Total 100% % 17% Beneficiários INSS mar-13 dez-12 mar-12 % % Quantidade Quantidade 1º Trim. 12 Meses Clientes * 64% % 41% Somente recebem o benefício 36% % 100% Total 100% % 26% * Os clientes beneficiários do INSS são considerados no total de Clientes MB Mercantil do Brasil 14

15 Senhores Acionistas: BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO MARÇO DE 2013 Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras do Banco Mercantil do Brasil S.A., bem como as demonstrações consolidadas abrangendo as empresas do conglomerado. CONJUNTURA ECONÔMICA E SISTEMA FINANCEIRO No cenário externo, a atividade econômica segue em ritmo lento nas economias avançadas (EUA e Europa) e as expectativas são de crescimento médio da ordem de 5,3% das economias emergentes (Brics), puxado pelo ritmo de expansão da ordem de 8% da economia chinesa. Internamente, os dados preliminares do primeiro trimestre são positivos e permanecem as expectativas de elevação gradual da atividade econômica nos próximos períodos, não obstante as medidas adotadas para debelar surtos inflacionários. De fato, as pressões inflacionárias voltaram ao centro dos debates, levando as autoridades econômicas a coordenarem medidas de aumento da competitividade, de desonerações tributárias e elevação da taxa de juros (Selic) para manutenção do crescimento econômico e simultânea redução da inflação. Nesse contexto, taxas de desemprego historicamente baixas, crescimento da massa salarial, expansão do crédito e as significativas transferências públicas, são importantes indicadores da economia nacional que favorecem um cenário positivo nos próximos trimestres. No sistema financeiro nacional, as expectativas são de que a expansão do crédito acompanhe o ciclo de aceleração do crescimento econômico, com evolução da ordem de 14% em No trimestre, a expansão foi de 2,5%, ante 2,2% em igual período do ano anterior. A inadimplência do sistema financeiro nacional, referente aos atrasos superiores a noventa dias, permaneceu estável em 3,6% do saldo total dos créditos, acumulando declínio de 0,2 pontos percentuais em doze meses. A normatização de cunho prudencial ocorrida no trimestre, através da Resolução CMN 4.192/2013 e normas complementares, requer maior nível de capitalização pelas instituições financeiras nacionais (Basileia III), o que contribuirá para maior segurança e solidez dos bancos na economia nacional. CONTEXTO CORPORATIVO E MERCADOLÓGICO Principais Eventos >> Comemoração dos 70 Anos do Mercantil do Brasil Com trajetória de sucesso marcada pela seriedade, simplicidade e padrão de excelência no atendimento aos clientes, o Mercantil do Brasil chega aos 70 anos em ritmo de plena expansão, com ativos de R$13,6 bilhões, inequívoca saúde financeira e saudável conjugação de capitais, com os atributos de Banco Sólido e Seguro e a robustez da Marca Mercantil do Brasil. É neste contexto que o Mercantil do Brasil seguirá se perpetuando, expandindo suas atividades e disponibilizando o uso de tecnologia, produtos e serviços ajustados às novas demandas sociais e, sobretudo, com imagem de banco atual e ajustado aos novos tempos. >> Expansão das Atividades O Mercantil do Brasil alcançou expressivo crescimento de 5,2% em suas operações de crédito no primeiro trimestre, desempenho bastante superior à média do mercado (2,5%). Esse expressivo desempenho decorre do acerto das estratégias definidas e o resultado dos esforços empreendidos e investimentos realizados. >> Ampliação da Rede de Agências No trimestre, o Mercantil do Brasil deu sequência ao programa de investimentos na ampliação da rede física de atendimento, totalizando 185 agências, 4 Postos de Atendimento Bancário (PAB) e 28 Postos de Atendimento Eletrônico (PAE). Mercantil do Brasil 15

16 Limites Operacionais Os limites operacionais são calculados de forma consolidada e o índice de adequação do patrimônio aos ativos de risco (Acordo de Basileia II) posicionou-se em 12,35% (12,38% em dezembro/2012), perante mínimo requerido de 11,0%. Capital Humano No trimestre, ações de intensificação da gestão do clima organizacional, treinamentos para o combate a Crimes de Lavagem de Dinheiro e outros treinamentos presenciais e a distância reafirmam o compromisso do Mercantil do Brasil com o padrão de excelência no atendimento ao cliente e a conformidade com as normas que regem as transações bancárias. De fato, os investimentos garantiram 156 participações em treinamentos presenciais, totalizando horas/aula, com a participação de profissionais de todas as áreas. Nos treinamentos à distância, registrou-se participações nos cursos relacionados à trajetória profissional. Vale destacar, também, as ações no âmbito do Programa de Capacitação de Pessoas com Deficiência. Neste sentido, o Banco firmou parcerias com entidades patronais, de ensino e de valorização de pessoas com deficiência, para fins de selecionar, contratar, treinar e, assim, obter mão de obra qualificada para integrar o corpo de colaboradores da Instituição. Gestão dos Riscos de Crédito, Operacional, de Liquidez e de Mercado A atividade empresarial envolve riscos e a Gestão dos Riscos de Crédito, Operacional, de Mercado e de Liquidez no Mercantil do Brasil faz parte da cultura organizacional. Informações mais detalhadas podem ser obtidas na Nota Explicativa nº 19. Responsabilidade Socioambiental No trimestre, houve continuidade das iniciativas de responsabilidade socioambiental corporativa, com destaque para a expansão das atividades do Programa MB Consciente Ambiental, que tem como principal objetivo minimizar os impactos ambientais das atividades do Mercantil do Brasil, atuando junto à formação da consciência ambiental de seus colaboradores. Outras informações sobre os programas, projetos e ações na área de responsabilidade socioambiental do Mercantil do Brasil poderão ser obtidas no sítio da Instituição na internet no endereço DESEMPENHO ECONÔMICO FINANCEIRO CONSOLIDADO Os ativos consolidados do Mercantil do Brasil totalizam R$ 13,6 bilhões, com significativo crescimento da carteira de crédito e dos depósitos a prazo no trimestre e nos últimos doze meses. Ativos e Passivos Ativo Total e Operações de Crédito (R$ Mil) Ativo Total e Operações de Crédito Ativo Total O Ativo total consolidado registrou crescimento de 0,85% nos três primeiros meses (14,3% nos últimos doze meses). Os ativos circulantes atingiram R$ 8,8 bilhões, 88,0% superiores aos passivos de curto prazo. As aplicações interfinanceiras de liquidez e em títulos e valores mobiliários atingiram R$ 3,4 bilhões e são equivalentes a 24,6% do ativo total mar-13 Mercantil do Brasil 16

17 Nos ativos de longo prazo, encontram-se registrados os títulos classificados na categoria títulos mantidos até o vencimento, no montante de R$ 129,2 milhões no Mercantil do Brasil (Consolidado - R$ 10,3 milhões), para os quais, em conformidade com a Circular Bacen nº 3.068/2001, o Banco tem intenção e capacidade financeira de manter até o vencimento. As operações de crédito apresentam expansão de 5,2% no trimestre (20,7% nos últimos doze meses), alcançando participação de 65,7% no ativo total, ante 62,9% em dezembro e 62,2% em março de Operações de Crédito (R$ Mil) As operações de crédito classificadas nas faixas de menor risco, de AA até C, representam 90,9% do total da carteira de crédito. A provisão para risco de operações de crédito posicionouse em 4,6%, ante 4,7% de dezembro e 3,9% de março do exercício anterior mar-13 Captação de Recursos Depósitos Totais (R$ Mil) Depósitos à Prazo (R$ Mil) mar mar-13 Os valores dos Depósitos Totais e dos Depósitos a Prazo estão acrescidos com dos valores dos CDBs Subordinados contabilizados na rubrica do Passivo Dívidas Subordinadas no montante de R$ 56,8 milhões, R$ 55,8 milhões em dezembro e R$ 52,3 milhões em março de Os recursos existentes foram captados tanto no mercado interno quanto no externo, perfazendo o montante de R$ 12,1 bilhões, 0,8% superiores a dezembro e evolução de 15,4% nos últimos doze meses. Na composição desses recursos, destacam-se R$ 7,1 bilhões de depósitos a prazo, R$ 1,3 bilhão de captações no mercado aberto e R$ 521,2 milhões de depósitos à vista. Somam-se a esses recursos R$ 622,7 milhões de captações e empréstimos no exterior. Os Depósitos a Prazo, principal funding do Mercantil do Brasil, alcançaram crescimento de 1,1% comparado a dezembro de 2012 e 10,4% nos últimos doze meses. Vale destacar que, do total de recursos provenientes do exterior, R$ 534,5 milhões estão registrados como Dívida Subordinada, com vencimento em 2020, ou seja, em status de capital para fins de níveis de capitalização, nos termos da Resolução CMN nº 3.444/2007. Mercantil do Brasil 17

18 Lucro e Patrimônio Líquido O Mercantil do Brasil registrou Lucro Líquido de R$ 8,7 milhões (Consolidado de R$ 10,1 milhões) até março, correspondente a R$ 0,20454 por ação. O Patrimônio Líquido atingiu o montante de R$ 834,7 milhões (Consolidado R$ 834,0 milhões). O Patrimônio Líquido Administrado é de R$ 883,9 milhões Patrimônio Líquido (R$ Mil) Nas Receitas da Intermediação Financeira, sobressaíram-se as Receitas de Operações de Crédito e de Arrendamento Mercantil de R$ 540,6 milhões, ante R$ 421,5 milhões de igual período de 2012, evolução de 28,3%. As Despesas da Intermediação Financeira evoluíram 3,0% e posicionaram-se em R$ 360,2 milhões.representam 62,3% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 68,0% de igual período de mar-13 As Despesas de Captação posicionaram-se em R$ 180,3 milhões, contra R$ 245,5 milhões em março de 2012 (redução de 26,5%) e representam 31,2% das Receitas da Intermediação As Despesas com Provisão para Risco de Operações de Crédito de R$ 135,0 milhões representam 23,3% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 19,5% de igual período do exercício anterior. Representaram crescimento de R$ 34,9 milhões (34,8% perante o mesmo período de 2012). O Resultado Bruto da Intermediação Financeira posicionou-se em R$ 217,8 milhões, perante R$ 164,3 milhões de igual período de 2012, com substancial ganho de margem bruta, ao alcançar 37,7% das Receitas da Intermediação Financeira, em relação a 32,0% em igual trimestre em As Receitas de Prestação de Serviços alcançaram R$ 36,3 milhões, contra R$ 34,1 milhões de 2012, crescimento de 6,5%. As Despesas de Pessoal alcançaram o montante de R$ 85,0 milhões, perante R$ 76,9 milhões em 2012, evolução de 10,5%. Essa evolução decorre, principalmente, do reajuste salarial em dissídio coletivo anual e do crescimento de 16,1%, nos últimos doze meses, no quadro de colaboradores, em função da abertura de novas agências e do incremento das atividades operacionais no período. As Despesas Administrativas posicionaram-se em R$ 121,5 milhões, contra R$ 100,8 milhões do primeiro trimestre de 2012, expansão de 20,5%. A evolução desta rubrica relaciona-se, principalmente, com crescimento do custo de originação de operações de crédito de R$ 17,1 milhões, despesas de aluguel de R$ 2,3 milhões e despesas de processamento de dados de R$ 2,0 milhões. O Patrimônio Líquido de Referência é de R$ 1,3 bilhão e inclui o Patrimônio Líquido Consolidado das Instituições Financeiras do Mercantil do Brasil e a Dívida Subordinada no montante de R$ 424,2 milhões, nos termos da Resolução CMN nº 3.444/2007. PARTICIPAÇÕES EM CONTROLADAS As participações em empresas controladas encontram-se detalhadas em quadro específico das demonstrações financeiras. Mercantil do Brasil 18

19 INSTRUÇÃO CVM nº 381/2003 Em atendimento ao que dispõe a Instrução CVM nº 381/03, o Mercantil do Brasil e suas empresas controladas vêm informar que os auditores externos, PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, realizaram exclusivamente serviços de auditoria externa. CONSIDERAÇÕES FINAIS A economia brasileira está em ritmo de recuperação, mas tem como contrapartida significativa pressão inflacionária, ensejando a elevação da taxa básica de juros (Selic) para equilibrar o nível da demanda à oferta de produtos e serviços. O Mercantil do Brasil está atento aos cenários econômicos e aproveita adequadamente as oportunidades de negócios, preservando o seu posicionamento estratégico e favorável conjugação de capitais, que pode ser inferida na sua estrutura de ativos e passivos e que leva ao tradicional conceito de segurança e solidez da Instituição. Belo Horizonte, abril de A Administração Mercantil do Brasil 19

20 BALANÇO PATRIMONIAL (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 20

21 BALANÇO PATRIMONIAL (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 21

22 BALANÇO PATRIMONIAL (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 22

23 BALANÇO PATRIMONIAL (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 23

24 DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS Para o 1º Trimestre de 2013 e de 2012 (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 24

25 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA Método Indireto Para o 1º Trimestre de 2013 e de 2012 (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 25

26 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Para o 1º Trimestre de 2013 e de 2012 (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 26

27 DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO (DVA) Para o 1º Trimestre de 2013 e de 2012 (em R$ Mil) Mercantil do Brasil 27

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL 31 de dezembro de 2014 Sumário BALANÇO PATRIMONIAL... 4 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO... 8 FLUXO DE CAIXA... 9 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO...

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. - SEDE: BELO HORIZONTE - MG - COMPANHIA ABERTA - CNPJ: 17.184.037/0001-10 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2012

BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. - SEDE: BELO HORIZONTE - MG - COMPANHIA ABERTA - CNPJ: 17.184.037/0001-10 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2012 1/12 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2012 Senhores Acionistas: Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras do Banco Mercantil do Brasil S.A., bem como as demonstrações consolidadas

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Relatório Gerencial das Demonstrações Financeiras

Relatório Gerencial das Demonstrações Financeiras Relatório Gerencial das Demonstrações Financeiras 1º Semestre de 2012 Índice História 03 Indicadores 04 Estrutura Acionária 05 Estrutura Organizacional 06 Rede de Atendimento 07 Atuação 08 Gerenciamento

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO Relatório da Administração 3 Balanços Patrimoniais 3 Demonstração de Resultados 4 Demonstração das Mutações 5 Demonstração das Origens 5 Notas Explicativas 6 Diretoria

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2014

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2014 Senhores Acionistas: Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras do Banco Mercantil do Brasil S.A., bem como as demonstrações consolidadas abrangendo as empresas do conglomerado. CONJUNTURA

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 67.424 76.165 DISPONIBILIDADES 4 5.328 312 TITULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INTRUMENTOS

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores

Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

Banco GMAC S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Banco GMAC S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Banco GMAC S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial, Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de e Relatório dos Auditores Independentes. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores

Leia mais

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN)

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) 1. As normas e os procedimentos, bem como as Demonstrações Contábeis padronizadas

Leia mais

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Honda 1 Conteúdo Relatório dos auditores independentes

Leia mais

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013 BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. BV LEASING - ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos as demonstrações

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200 - Bl.4

Leia mais

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01.

Circular nº 3477. Total de Créditos Tributários Decorrentes de Diferenças Temporárias Líquidos de Obrigações Fiscais 111.94.02.01. Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 111.90 111.90.01 111.91 111.91.01 111.91.02 111.91.03 111.91.04 111.91.05 111.91.06 111.91.07

Leia mais

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

ING. Demonstrações Financeiras

ING. Demonstrações Financeiras ING Demonstrações Financeiras 30/junho/2002 ÍNDICE ING BANK N.V. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE 2002 E 2001... 3 ING CORRETORA DE CÂMBIO E TÍTULOS S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Junho de 2015

RELATÓRIO GERENCIAL DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Junho de 2015 RELATÓRIO GERENCIAL DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Junho de 2015 1 RELATÓRIO GERENCIAL DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2 SUMÁRIO PRINCIPAIS INFORMAÇÕES E INDICADORES... 4 HISTÓRIA... 5 MISSÃO, VISÃO E VALORES...

Leia mais

PARECER DE AUDITORIA

PARECER DE AUDITORIA PARECER DE AUDITORIA Aos Diretores da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS CORRETORES DE SEGUROS DE BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA LTDA CREDICORSEGS 1. Examinamos o balanço patrimonial da

Leia mais

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011

Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Foz de Jeceaba Engenharia Ambiental S.A. Demonstrações financeiras e relatório dos auditores independentes em 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Em milhares de reais Ativo

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Monetar Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. (Anteriormente denominada Sommar Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda) 31 de dezembro de 2014 com Relatório

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 ÍNDICE GERAL Página Demonstrativos Contábeis 02 Notas Explicativas da Administração 09 Resumo do Relatório do Comitê de Auditoria 112 Relatório dos Auditores

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 KPMG Auditores Independentes Agosto de 2013 Relatório dos auditores

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações financeiras

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio KPDS 125950 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais

Leia mais

Parágrafo 2º As operações de crédito contratadas a taxas prefixadas passam a ser informadas, a partir de 01.07.95

Parágrafo 2º As operações de crédito contratadas a taxas prefixadas passam a ser informadas, a partir de 01.07.95 CIRCULAR Nº 2568/95 Altera a classificação de fatores de risco de operações ativas, bem como os procedimentos para contabilização de operações de cessão de crédito e de receitas e despesas a apropriar.

Leia mais

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32

INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 INSTITUIÇÃO FINANCEIRA CREDIALIANÇA COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL Av. Castro Alves, 1579 - Rolândia - PR CNPJ: 78.157.146/0001-32 BALANCETE PATRIMONIAL EM 30 DE NOVEMBRO DE 2015 (valores expressos em milhares

Leia mais

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS INFORMAÇÕES INSTRUÇÃO CVM 481/09 MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO E DEMAIS INFORMAÇÕES AOS ACIONISTAS AGE E AGO DE 29/04/2013 Março /

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Fevereiro/2011 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

O lucro líquido registrado no período foi de R$110,7mm. O Patrimônio Líquido encerrou o semestre em R$ 476,5mm. Outros depósitos

O lucro líquido registrado no período foi de R$110,7mm. O Patrimônio Líquido encerrou o semestre em R$ 476,5mm. Outros depósitos RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas e Clientes: Apresentamos as Demonstrações Financeiras do Banco Bonsucesso S.A., relativas aos 6 primeiros de e seu comparativo em. No semestre passado comunicamos

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 110896 Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais 6 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações das mutações

Leia mais

MERCANTIL DO BRASIL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INFORMAÇÕES INSTRUÇÃO CVM Nº 481/09

MERCANTIL DO BRASIL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INFORMAÇÕES INSTRUÇÃO CVM Nº 481/09 MERCANTIL DO BRASIL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INFORMAÇÕES INSTRUÇÃO CVM Nº 481/09 Março / 2014 1 MERCANTIL DO BRASIL LEASING S.A. - ARRENDAMENTO MERCANTIL PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO E DEMAIS INFORMAÇÕES

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS 1 Sandra Figueiredo 1. Aspectos econômicos e jurídicos das instituições financeiras O Aparecimento das instituições financeiras foi motivado pelas relações

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM 1. Contexto operacional NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE

Leia mais

Banco Commercial Investment Trust do Brasil S.A. CNPJ nº 43.818.780/0001-94

Banco Commercial Investment Trust do Brasil S.A. CNPJ nº 43.818.780/0001-94 Demonstrações Financeiras Publicadas no Diário Oficial do Estado de São Paulo e Jornal Diário de Notícias em 31 de Março de 2015 ÍNDICE Balanço Patrimonial Relatório da Administração... 4 Ativo e Passivo...

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 Fevereiro/2012 1 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

Publicação. BB Leasing. Balanço do Exercício/2014. Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III

Publicação. BB Leasing. Balanço do Exercício/2014. Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III Publicação BB Leasing Balanço do Exercício/2014 Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III 1 Relatório da Administração Senhor Acionista, Apresentamos as demonstrações contábeis da BB Leasing

Leia mais

CARTA DE RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO

CARTA DE RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO CARTA DE RESPONSABILIDADE DA ADMINISTRAÇÃO Brasília - DF, 13 de fevereiro de 2014. À DCA - Auditores Independentes S/S ATT. Gerencia de Auditoria Aparecida de Goiânia - GO Assunto: Carta de Representações

Leia mais

DCI Quarta-feira, 29 de agosto de 2012 LE G A L C21

DCI Quarta-feira, 29 de agosto de 2012 LE G A L C21 DCI Quartafeira, 29 de agosto de 2012 LE G A L C21 Société Générale Brasil S.A. e Controladas CNPJ 61.533.584/000155 Avenida Paulista, 2300 9º andar Cerqueira César CEP 01310300 São Paulo SP Telefone:

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias

Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias Classificação dos Títulos e Valores Mobiliários em Categorias 1 - Os títulos e valores mobiliários adquiridos por instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Gerador S.A. ( Banco ), cujas atividades operacionais da carteira de empréstimos foram iniciadas em 23 de março de 2009, foi constituído sob a forma de sociedade anônima

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Balanço Patrimonial - Conglomerado Prudencial em 30 de Junho ATIVO 2014 CIRCULANTE 1.893.224 Disponibilidades

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

CONGLOMERADO FINANCEIRO ALFA

CONGLOMERADO FINANCEIRO ALFA CONGLOMERADO FINANCEIRO ALFA DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS COMBINADAS 30 DE JUNHO DE 2015 ÍNDICE Demonstrações Financeiras Combinadas do Conglomerado Financeiro Alfa - 30 de junho de 2015 e 2014 Conteúdo -

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

CONGLOMERADO FINANCEIRO

CONGLOMERADO FINANCEIRO CONGLOMERADO FINANCEIRO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS COMBINADAS DOS SEMESTRES FINDOS EM 30 DE JUNHO DE 2006 E 2005 ÍNDICE Demonstrações Financeiras Combinadas do Conglomerado Financeiro Alfa PÁGINA - Relatório

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO A Administração do Banco Industrial do Brasil S.A. (Banco Industrial) submete a vossa apreciação as Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas relativas ao semestre

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Associação Arte Despertar Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes

Associação Arte Despertar Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes PricewaterhouseCoope~ Av. Francisco Matarauo, 1400 Torre Torino Caixa

Leia mais

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A.

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. BI Monitoramento de Rating A LFRating comunica ao Banco Industrial S.A. e ao mercado que, em reunião de Comitê realizada no dia 6 de agosto de 2008, foi confirmada a nota A+ atribuída ao referido banco

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO A Administração do Banco Industrial do Brasil S.A. (Banco Industrial) submete à vossa apreciação as Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas relativas ao exercício

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. PIS E COFINS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. Sumário: 1 ENTIDADES FINANCEIRAS 2 - DA ALÍQUOTA 3 - DA BASE DE CÁLCULO 3.1 Receitas Incorridas

Leia mais

Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial. 30 de junho de 2014 c om Relatório dos auditores independentes

Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial. 30 de junho de 2014 c om Relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial 30 de junho de c om Relatório dos auditores independentes Conglomerado Prudencial Demonstrações contábeis 30 de junho de Índice Relatório dos auditores

Leia mais

Demonstrações financeiras consolidadas em IFRS

Demonstrações financeiras consolidadas em IFRS Demonstrações financeiras consolidadas em IFRS 31 de dezembro de 2011 Demonstrações financeiras consolidadas Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Índice 1- Relatório dos auditores independentes...

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

ASSOCIAÇÃO SAÚDE CRIANÇA FLORIANOPOLIS

ASSOCIAÇÃO SAÚDE CRIANÇA FLORIANOPOLIS ASSOCIAÇÃO SAÚDE CRIANÇA FLORIANOPOLIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS 31 DE DEZEMBRO DE 2014 E DE 2013 E RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES ASSOCIAÇÃO SAÚDE CRIANÇA FLORIANOPOLIS

Leia mais

Demonstrações Contábeis Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 03.996.

Demonstrações Contábeis Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 03.996. BB Renda Fixa LP Parceria 5 Mil Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (Administrado pela BB Gestão de Recursos - Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. - Demonstrações Contábeis

Leia mais

BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.)

BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de março de

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito dos Estados do Paraná e de São Paulo - Central Sicredi PR/SP

Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito dos Estados do Paraná e de São Paulo - Central Sicredi PR/SP Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito dos Estados do Paraná e de São Paulo com Relatório dos Auditores Independentes - Central Sicredi PR/SP Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Agência Especial de Financiamento Industrial - FINAME. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011

Agência Especial de Financiamento Industrial - FINAME. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Agência Especial de Financiamento Industrial - FINAME Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Ao Acionista e

Leia mais

BRC Securitizadora S/A

BRC Securitizadora S/A BRC Securitizadora S/A Demonstrações Financeiras acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2011 1/13 Notas explicativas às demonstrações financeiras dos exercícios findos

Leia mais